Você está na página 1de 2

5 – TENHO SEDE!

– As 7 palavras da cruz – 30/03/2018

Depois, vendo Jesus que tudo já estava consumado, para se cumprir a escritura, disse:
Tenho sede! João 19:28

Como se já não bastassem todas as chicotadas, todos os bofetões, todas as cusparadas,


todas as injúrias, os cravos nas mãos e nos pés, o peso do próprio corpo pendurado na cruz o
sufocando, o peso de todos os nossos pecados. Jesus tem sede, e sua sede não é saciada, pois
lhe deram uma esponja embebida em vinagre. Você já parou pra pensar nisso? Não devemos
diminuir o sofrimento de Jesus na cruz por conta de sua divindade. Jesus é Deus e Homem ao
mesmo tempo, não uma porção de homem e uma porção de Deus, mas Ele é Deus e homem,
esse é o mistério de sua dupla natureza.

A verdade é que nosso Deus entende nosso sofrimento, porque Ele o experimentou em
Cristo Jesus. Em todo o evangelho encontramos essas duas naturezas de Jesus, a natureza
Divina quando opera os sinais e milagres, quando responde: EU SOU, para os fariseus. E
também sua natureza humana, quando chora a morte do amigo Lázaro, quando no jardim do
Getsemani tem sangue saindo por seus poros, orando em agonia pelo que estava por
acontecer a Ele.

Esse momento pelo qual agonizava, agora é realidade, a vontade do Pai está se
cumprindo.

A sede por água que Jesus sentiu naquele momento foi muito real, era o Cristo homem
pendurado naquele madeiro. E isso tudo já fora profetizado no livro dos salmos. Nós
encontramos no salmo 22 a profecia dizendo que a língua lhe apegava ao céu da boca e que Ele
estava seco como um caco de barro. Também no salmo 69, encontramos a profecia que diz que
lhe dariam na sua sede, fel e vinagre.

O texto do evangelho de João, diz que quando Cristo viu que tudo já estava terminado,
ou seja, que sua obra chegava ao fim, ainda faltavam cumprir essas profecias a Seu respeito, e
é por isso que Ele diz: Tenho sede! É para cumprir as escrituras, ele sabe que não terá sua sede
por água saciada, mas ele tem uma sede muito maior nEle, a de cumprir a vontade do Pai.

O portador da água da vida, aquele que disse a mulher samaritana, assentado junto ao
poço: Quem beber da água eu lhe der, jamais terá sede outra vez! Aquele que transformou
água em vinho, esse homem agora tem sede.

Porém há essa sede nEle que é muito maior, a sede de fazer a vontade do Pai. Ele já
havia dito algo parecido aos seus discípulos, logo após declarar a mulher samaritana sobre a
água da vida, seus discípulos preocupados, dizem-lhe: come mestre. E Ele lhes responde:
Minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e realizar suas obras. A vontade
daquele que enviou Jesus, que foi Deus Pai, é que Sua sede por justiça seja satisfeita.
Havia um cálice cheio da ira de Deus pronto a ser derramado sobre todos nós
pecadores, o cálice da nossa destruição. O pecado em nós, nos afasta de Deus e atrai para nós
a santa ira dEle. É isso que nos estava reservado, sermos destruídos pela ira de Deus e assim
satisfazer a Sua justiça, mas Deus que é riquíssimo em graça e misericórdia, enviou a Cristo que
se coloca em nosso lugar e não mata sua sede com água ou com vinagre, mas bebe sozinho
todo o cálice da ira de Deus. A justiça de Deus foi satisfeita em Cristo Jesus.

Jesus saciou sua sede fazendo a vontade de Deus!

E você? Como tem buscado saciar sua sede?

Como disse Dostoiévski: Existe no homem um vazio do tamanho de Deus.

Esse vazio é sua sede, somente Cristo que tem a água da vida pode preencher lo. No
sermão do monte Jesus disse: Bem aventurados os que tem sede de justiça, pois eles serão
saciados.

Nossa justiça é Cristo, Ele, o justo tomou o lugar dos injustos, nós mesmos, para que ao
beber de Sua justiça nunca mais tenhamos sede.

Por isso, corra para Cristo, não há nada mais urgente em sua vida. É como nos diz o
autor da carta aos Hebreus: Hoje, quando ouvir a voz de Deus. A hora é agora, não deixe para
amanhã, o amanhã, nem sabemos se chegará. O momento é esse, corra para os braços de
Cristo, é nEle e somente nEle que você é saciado de sua sede. Arrependa-se, confesse seus
pecados e desfrute do alívio do perdão divino obtido por Jesus Cristo naquela cruz!