Você está na página 1de 173

Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit

CAPÍTULO 1

INTRODUÇÃO

O Revit é um incrível software de projeto, desenvolvido pela


Autodesk, e designado aos profissionais da arquitetura e engenharia.
Operante através da tecnologia BIM (Building Information Modeling), o
programa oferece as disciplinas: Architecture – desenvolvido
especialmente para Arquitetura, com intuito de propiciar aos arquitetos
juntar e analisar os conceitos e ideias iniciais do projeto, Structure –
possui ferramentas desenvolvidas para projetos estruturais, e MEP –
auxilia o projeto e a documentação de engenharia de instalações
(mecânica, elétrica e hidráulica).

O curso de Revit da LeARQ capacitará o aluno gerar projetos


arquitetônicos com maior economia de tempo, obtendo um material
final de alta qualidade gráfica e informativa.

A presente apostila foi desenvolvida com o intuito de auxiliar o


aluno após a conclusão do curso, como um material de apoio. Para
maior aprendizado e fixação, é extremamente fundamental que o aluno
estude, pratique, refaça o projeto proposto pelo instrutor em sala de
aula e desenvolva outros projetos com o software, onde encontrará
maior conhecimento e soluções com os conceitos aprendidos no
decorrer do curso.

BIM

O conceito BIM (Building Information Modeling) se referee a


uma tecnologia baseada em um modelo que está associado a um
banco de dados de informações sobre o projeto. Em outras palavras, a
tecnologia BIM, ou plataforma BIM, emprega aos elementos do projeto
(paredes, lajes, portas, janelas, etc.) informações que os farão ser
representados em

5
CAPÍTULO 1

vistas 2D e modelagem simultaneamente. Ao se alterar qualquer


informação de um elemento, como por exemplo, seu material, altura ou
espessura, essa alteração é reproduzida automaticamente em todas as
formas de visualização do elemento, seja em planta, corte, elevação,
modelagem, etc., dispensando os ajustes manuais, como é feito, por
exemplo, no AutoCAD, que opera com a tecnologia CAD (Computer Aid
Draw) e funciona simplesmente como uma prancheta de desenho
virtual.

Dessa forma, as informações do projeto é resultado de um


conjunto de dados referentes aos objetos, representação inteligente e
paramétrica, a partir do qual visões apropriadas de vários usuários
podem ser extraídas e analisadas para gerar feedback e melhoria da
concepção do projeto.

6
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 1

CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Antes de conhecer a interface e os recursos do Revit, é


necessário compreender alguns termos que serão mencionados no
decorrer da apostila, como: Família e Família Paramétrica.

Para compreender melhor o termo Família, é preciso entender


que o Revit divide seus objetos em duas categorias principais:

Os objetos de modelo são elementos que serão vistos em


qualquer vista (planta, corte, 3D, etc.), e os objetos de anotação serão
vistos apenas na vista onde foram inseridos.

Os objetos de modelo são ainda subdivididos em quatro


categorias hierárquicas:

Categorias: São elementos definidos pelo próprio software, como por


exemplo, a categoria Door, categoria Wall, categoria Window, categoria
Dimension, etc.

Famílias: São os elementos dentro das categorias, que podem ser


criados pelos próprios usuários ou predefinidos pelo Revit. Dentro da
categoria Door, por exemplo, podemos ter mais de uma família de
porta, mas todas elas possuem a mesma característica “porta”.

7
CAPÍTULO 1

Tipos: Os tipos determinam elementos da mesma família, porém com


parâmetros diferenciados. Uma mesma porta pode ter diferenciadas
proporções e materiais, sem necessariamente pertencer à outra família.

Instâncias: Instâncias são os elementos inseridos no projeto.

FIGURA 01 – Hierarquia da parede: Categoria, Família e Tipo respectivamente

Como vimos, uma família pode conter vários tipos com


parâmetros diferenciados. Daí surge o termo Família Paramétrica. Isso
significa que, ao criar uma família, é possível flexibilizar suas
características, como por exemplo, altura, largura, espessura, material,
etc., para que estes possam ser alterados a qualquer momento durante
a criação do projeto, sem que haja necessidade de criar várias famílias
iguais com parâmetros distintos.

INTERFACE

Tela Inicial

Na tela de abertura do programa é apresentada ao usuário a


opção de iniciar novo projeto ou abrir um projeto existente, iniciar nova
família ou abrir uma família existente, visualizar os últimos quatro
arquivos de projetos ou famílias abertos pelo usuário ou acessar
recursos explicativos do programa, como o vídeo de introdução.

8
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 1

FIGURA 02 – Tela inicial que surge ao abrir o programa

FIGURA 03 – Interface do Revit

9
CAPÍTULO 1

Application Menu

No Application Menu são encontradas as mesmas funções da


tela inicial em New e Open, e opções como Save, Save as, Export, Print,
Licence (informações sobre a licença do software) e Close (fechar o
programa).
FIGURA 04 – Application Menu

Quick Access Toolbar

Barra que permite acesso rápido e direto aos comandos mais


utilizados. Clicando com o botão direito do mouse em qualquer ícone
de ferramenta, permitirá adicioná-la à Barra de Acesso Rápido.

FIGURA 05 – Quick Acces Toolbar

Ribbons

A Ribbons fornece todas as ferramentas necessárias para criar


um projeto através de abas separadas por tarefas. Pode ser
personalizada, alterando e reorganizando os painéis que contêm as
ferramentas.
FIGURA 06 – Ribbons

10
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 1

Aba Architecture: Na aba são encontradas ferramentas de


criação, principalmente de elementos arquitetônicos, como paredes,
portas, janelas, telhados, pisos, escadas, rampas, corrimãos, além de
elementos anotativos, como identificadores de área e ambientes.

FIGURA 07 – Aba Architecture

Aba Structure: Ferramentas para criação de sistemas estruturais,


como vigas, treliças, fundações, etc.

FIGURA 08 – Aba Structure

Aba Systems: Ferramentas para criação de sistemas elétricos,


hidráulicos e mecânicos.

FIGURA 09 – Aba Systems

Aba Insert: São encontradas as funções de importação (importar


arquivo CAD), inserir imagens, carregar blocos de famílias e grupos.

FIGURA 10 – Aba Insert

11
CAPÍTULO 1

Aba Annotate: Ferramentas de cota, símbolos, textos, tags, cota


de nível, linhas de desenho, etc.

FIGURA 11 – Aba Annotate

Aba Massing & Site: ferramentas para trabalhar com massas


volumétricas, modelagem e modificação da topografia, inserção de
vegetação, etc.

FIGURA 12 – Aba Massing & Site

Aba Collaborate: Ferramentas para coordenar e gerenciar o


trabalho em equipe.

FIGURA 13 – Aba Collaborate

Aba View: Ferramentas para criação de vistas 2D e 3D, como


cortes, elevações, plantas de pisos não habilitadas (que não consta na
janela Project Browser). Ferramentas para criação de tabelas
quantitativas, pranchas para impressão (Sheet), e no painel janela,
ferramentas para configurar a interface e atalhos de teclado.

12
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 1

FIGURA 14 – Aba View

Aba Manage: Ferramentas para configurar o projeto, como


unidades de medida, materiais, espessuras e estilos de linhas, posição
geográfica, etc.

FIGURA 15 – Aba Manage

Aba Modify: Ferramentas para edição de objetos, como copiar,


mover, cortar, estender, espelhar, unir faces ou objetos, etc.

FIGURA 16 – Aba Modify

Options Bar

Esta barra está vinculada a determinadas criações de objetos,


como parede ou telhado, por isso muda de aparência sempre que se
altera a instância a ser criada, carregando propriedades de cada uma
delas.
FIGURA 17 – Options Bar da ferramenta parede

13
CAPÍTULO 1

Properties

A paleta Properties permite alterar vários parâmetros de um


componente selecionado em Edit Type, bem como acessar o Type
Selector, que apresenta uma lista dos diferentes tipos de objetos que
podem ser adicionados ao projeto.

FIGURA 18 – Paleta Properties

Project Browser

A paleta Project Browser apresenta todas a vistas 2D e 3D de um


projeto, organizadas em um sistemas de árvores, expandindo ou
retraindo cada ramificação. Exibe pranchas criadas (sheets), tabelas
quantitativas, famílias carregadas no projeto e grupos existentes.

14
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 1

FIGURA 19 – Project Browser

View Control Bar

A Barra de Controle da Vista possui controles que consistem em


atalhos gráficos de vários comandos da vista, tais como, escala, nível de
detalhamento, estilos de gráficos, sombras, região de recorte (crop view)
e ocultar/isolar objeto temporariamente. Algumas vistas, tais como,
folhas, modelo 3D e vistas renderizadas apresentam controles limitados
(não apresenta, por exemplo, a ferramenta Escala)

FIGURA 20 – View Control Bar

Status Bar

A Status Bar indica qual comando está sendo executado e


apresenta informações sobre a hierarquia dos elementos, dicas e
atalhos, worksets e filtro de seleção.

15
CAPÍTULO 1

FIGURA 21 – Status Bar

Navigation Bar

Roda de navegação que oferece as funções zoom, orbit, pan,


etc, quando que selecionadas.

FIGURA 22 – Navigation Bar

ViewCube

O ViewCube está presente somente nas vistas 3D. Ao selecionar


as faces, arestas ou quinas do cubo, a vista 3D se orienta de acordo com
a posição selecionada.

Ao clicar com o botão direito do mouse sobre o cubo, é possível


acessar as suas configurações.

16
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 1

FIGURA 23 – View Cube

Options

FIGURA 24 – Janela Options

Através do Application Menu é possível acessar as opções –


Options – do programa.

17
CAPÍTULO 1

A janela Options oferece ajustes como, notificações (lembretes


de salvamento) e nome do usuário, no campo General.

No campo User Interface é possível configurar atalhos de


teclado e comportamento das abas na Ribbon.

No campo Graphics é possível inverter a cor do plano de fundo


da área gráfica, escolher as cores de seleção, pré-seleção e alerta de
objetos e alterar o tamanho da fonte das cotas temporárias.

No campo Locations é possível alterar o diretório de busca das


famílias e alterar a pasta para salvamento dos arquivos criados no Revit.

No campo ViewCube é possível configurar o comportamento do


viewcube.

FUNÇÕES DO MOUSE

18
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 1
TECLAS DE ATALHO

19
CAPÍTULO 1

ANOTAÇÕES
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________

20
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 2

INICIANDO UM NOVO PROJETO

FIGURA 25 – Começando um novo projeto na tela inicial do Revit

ARQUIVO TEMPLATE

Ao iniciar um arquivo de projeto no Revit, este já virá com


algumas configurações e informações previamente definidas. Estas
configurações e informações pré definidas se chama Template. Logo,
este arquivo template (ou arquivo modelo) possui por característica
guardar informações pré determinadas sobre um projeto para que no
próximo projeto a ser criado, não haja necessidade de criar e salvar
novamente essas pré configurações.

21
CAPÍTULO 2

As pré-configurações iniciais do Revit são tecnicamente


insuficientes para desenhos arquitetônicos. Por isso, haverá necessidade
de alterar esse arquivo template para que se possa alcançar boa
qualidade gráfica para o desenho.

Para começar a criar um novo template, na janela New Project


(figura 26), selecione a opção “None” e em seguida “Project Template”.

FIGURA 26 – Iniciando um novo arquivo template na janela New Project

Para alterar/complementar um arquivo template já existente,


selecione na janela “New Project” o diretório salvo esse arquivo, em
“Browser”, e em seguida selecione a opção “Project Template”.

FIGURA 27 – Alterando um arquivo template existente na janela New Project

22
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 2

Observação: Os arquivos de projeto do Revit são salvos com a extensão


.rvt, os arquivos template são salvos com a extensão .rte e os arquivos
de famílias são salvos com a extensão .rfa.

Encontra-se a seguir alguns ajustes necessários a se fazer no


arquivo template. Basicamente, todos os ajustes serão feitos na Aba
Manage.
FIGURA 28 – Aba Manage

Project Units – Configurando Unidades de medidas (Atalho no teclado


UN)

FIGURA 29 – Project Units

Nas unidades de medidas, serão definidas as unidades de representação


do padrão brasileiro.

23
CAPÍTULO 2

FIGURA 30 – Janela Project Units

O campo Discipline, define os tipos de unidades a serem


trabalhadas em cada área, por exemplo, no campo da Arquitetura, o
usuário irá trabalhar com as unidades de medidas linear, área, volume,
ângulo, inclinação e moeda.

Para formatar as unidades de medida basta clicar no botão


referente à coluna Format.

24
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 2

FIGURA 31 – Formatando as unidades de medida

Units: Na formatação Length (comprimento), será definida a unidade


centímetro, ou metro, ou milímetro, etc. Em cada formatação, Area,
Volume, Angle, Slope (inclinação) e Currency (moeda), definir os
padrões de representação brasileiros.

Rounding: Determina quantas casas decimais após o zero ou


arredondamentos.

Units symbol: Define se haverá a simbologia da unidade na cota. Por


exemplo, se estiver trabalhando em centímetros, haverá o “cm” na cota
do projeto. Como não há necessidade de mostrar a simbologia na cota,
deixar como “None”.

Supress trailling 0’s: Elimina os zeros dos números redondos. Por


exemplo, 100,00 passa a ser 100.

25
CAPÍTULO 2

Objetc Styles
FIGURA 32 – Object Style

Em Object Styles é possível configurar as espessuras de


superfície e corte, cores e estilos das linhas dos objetos do modelo,
objetos de anotação e objetos importados.

FIGURA 33 – Janela Object Styles

Category: coluna que mostra os objetos (porta, janela, parede,


topografia, etc) e suas subcategorias (criadas dentro dos arquivos de
cada família).

Line Weight – Projection: coluna que mostra a espessura da linha do


objeto visto em projeção.

26
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 2

Line Weight – Cut: coluna que mostra a espessura da linha do objeto


visto cortado.
Os campos indisponíveis indicam que o objeto nunca aparecerá em
vista de corte.

Line Color: coluna que configura a cor da linha do objeto visto tanto em
projeção quanto em corte.

Line Pattern: coluna que configura o estilo da linha, se tracejada,


contínua, traço ponto, etc.

Material: coluna que determina o material que será associado à


categoria ou subcategoria de uma família.

Additional Settings

FIGURA 34 – Additional Settings

27
CAPÍTULO 2

Line Style (estilo de linha)

Em Line Style, e possível configurar as cores, escolher uma


espessura e um padrão de linha, criando um novo estilo ou editando os
estilos já existentes.

FIGURA 35 – Janela Line Style

Line Weights (espessura de linhas)

Em Line Weigths configuramos a espessura das linhas para


impressão. As espessuras não nomeadas de 1 a 16, e nas colunas
podemos alterar a espessura em milímetros de acordo com cada escala
indicada. Esses números (de 1 a 16) serão utilizados em Object Styles,
visto anteriormente. Ao modificar a escala a escala de uma vista do
projeto no Revit, a espessura de linha de cada elemento, irão modificar-
se de acordo com a tabela aqui definida. No botão Add, é possível
determiner outras escalas e configurar as respectivas espessuras de
linha.
28
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 2

FIGURA 36 – Janela Line Weights

Line Patterns (padrões de linha)

Em Line Patterns é possível criar padrões repetitivos a partir de


segmentos de linhas, espaços e pontos. Na janela Line Pattern, é
possível visualizar uma lista com todos os padrões criados no projeto.
Com os botões New, Edit, Delete e Rename, é possível criar um novo
padrão, editar um existente, deletar e renomeá-los.

FIGURA 37 – Janela Line Patterns

29
CAPÍTULO 2

Materials

Os materiais a serem usados nos projetos podem ser


configurados no arquivo template, quanto à representação gráfica de
superfície e corte, e aparência de renderização de cada um. Caso algum
material não tenha sido criado ou configurado no template, é possível
fazê-lo no decorrer do projeto.

FIGURA 38 – Configurando materiais

30
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 2

A janela Materials exibirá na parte esquerda, uma lista de todos


os materiais disponíveis a serem aplicados no projeto.

a: neste campo é possível buscar um material existente na lista abaixo


da janela, digitando o seu nome;

b: Através do segundo ícone, é possível criar um novo material ou


duplicar um material existente e alterar as suas configurações gráficas e
de renderização;

O terceiro ícone acessa uma biblioteca de materiais pré-definidos pela


Autodesk, como cerâmicas, tecidos, metais, vidros, líquidos, etc. A lista
possui uma variedade enorme, e através da criação de um novo
material, é possível adicionar a ele, características de um material da
biblioteca da Autodesk, clicando nas setas, como indica a figura 39;

FIGURA 39 – Biblioteca da Autodesk

31
CAPÍTULO 2

c: A aba Graphics define a representação gráfica do material nas vistas


do projeto; e a aba Appearance define atributos para o cálculo da cena.
São parâmetros específicos como transparência, cor, textura, reflexão,
iluminação própria, entre outros. Essas configurações serão visíveis
apenas na renderização de uma vista;

d: No campo Shading, é possível definir a cor e a transparência de um


material, quando a vista é configurada para o modo de visualização
Shaded (na barra de vistas);

e: Em Surface Pattern é possível definir uma hachura e sua cor para um


material visto pela sua superfície nas vistas 2D do projeto;

f: Em Cut Pattern, definir uma hachura e sua cor para a visualização de


um material visto cortado em corte ou planta;

LOCATION

No Revit é possível determinar a exata localização geográfica do


projeto. Para isso, a ferramenta Location, na aba Manage, permite
escolher em uma lista, uma cidade ou ainda digitar o endereço do
projeto na caixa de pesquisa e com um mapa do Google Maps
determinar exatamente a localização geográfica do terreno.

32
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 2

FIGURA 40 – Definindo a localização geográfica do projeto

VIEWS

As elevações, níveis e cortes são vistas (views) do projeto no


Revit, que podem ser exibidas através da paleta Project Browser, e
podem ser criadas a qualquer tempo durante a execução do mesmo.

Elevation

A ferramenta de criação de uma Elevation (elevação) está


disponível na aba View – disponível apenas em vistas de planta baixa.

FIGURA 41 – Ferramenta Elevation na aba View

33
CAPÍTULO 2

FIGURA 42 – Tag de elevação

As elevações são representadas por tags – figura 42 – visíveis


em qualquer planta baixa. Geralmente, os templates (arquivos modelos)
terá uma configuração básica de elevações Norte, Sul, Leste e Oeste. Ao
marcar as “caixinhas” como na figura 43, podemos ativar uma nova vista
de elevação no Project Browser. É possível clicar na seta preta para
modificar a posição da vista da elevação, onde aparecerá uma linha azul
tracejada – figura 44. Para alterar a posição da vista, basta mover essa
linha tracejada.

FIGURA 43 – Ativando outras vistas na tag de elevação

FIGURA 44 – Alterando a posição da vista movendo a linha azul tracejada

34
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 2

Level

Disponível na aba Architecture e visível para criação apenas nas


vistas de elevação.

FIGURA 45 – Ferramenta Level na aba Architecture

Os levels (níveis) são linhas horizontais que representam o


verdadeiro nível – cota – dos pisos. As plantas baixas são determinadas
a partir dos levels. Para criar, visualizar e modificar uma linha de nível é
preciso entrar em uma vista de elevação no Project Browser.

FIGURA 46 – Editando uma linha de nível em uma vista de elevação

35
CAPÍTULO 2

A figura 46 mostra dois níveis criados, onde é possível alterar os


nomes (que são os nomes das plantas baixas) e a cota – altura – de
cada nível. Para tais alterações, basta clicar duas vezes em cima do
nome do level – para alterar o nome – ou no valor da cota – para
alterar o valor da cota/altura/nível. É possível ainda alterar a altura entre
os dois níveis (altura piso a piso), clicando na cota temporária e
alterando o seu valor.

Section

Disponível na aba View ou na Quick Access Toolbar (se


configurada), as sections são vistas de corte do projeto, e são visíveis
para criação em qualquer vista 2D.

FIGURA 47 – Ferramenta Section na aba View

Sections são linhas que cortam o projeto, gerando uma vista em


corte. Bastam dois cliques para criar um novo corte – clique inicial e final
da linha de corte.

36
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 2

FIGURA 48 – Linha de corte de um projeto

a: head
b: tail
c: mudar as tags disponíveis para head e tail
d: mudar o sentido da vista do corte. Na figura 48, o corte está voltado
para “cima”. Clicar na seta indicada irá alterar a vista do corte para
“baixo”.
e: Grips. Servem para modificar o alcance do corte, tanto para a
profundidade, quanto para o comprimento lateral. Basta clicar e arrastar
o grip.

37
CAPÍTULO 2

GRIDS

Os grids servem modular, organizar e/ou posicionar os pilares e


as vigas do projeto. Nem todo projeto arquitetônico precisa
necessariamente possuir grids.

O grid é identificado pelo programa e assim que posicionado o


primeiro grid, é possível identifica-lo com um número ou letra. Os
próximos grids posicionados irão seguir a nomenclatura do anterior.

FIGURA 49 – Ferramenta Grid na aba Architecture

FIGURA 50 – Inserção de grids verticais, horizontais e curvilíneos

Em um projeto pode existir ao mesmo tempo, sequências


numéricas e alfabéticas – como mostra a figura 50. Para renomear o
grid, basta dar duplo clique sobre o número ou letra do grid.

38
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

ANOTAÇÕES
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________

39
CAPÍTULO 3

PAREDE – WALL

Com a ferramenta Wall (parede) podemos modelar várias


formas de parede no projeto. Elas são elementos construtivos do Revit.
A base das paredes automaticamente se ajusta à base de um
pavimento. Quando paredes se cruzam, elas se juntam, formando
interseções. As paredes não se ajustam automaticamente a elementos
como telhado e forro. O ajuste deve ser manual (visto posteriormente).

FIGURA 51 – Ferramenta Wall na aba Architecture

Para modelar as paredes, são utilizadas as ferramenta de


desenho na paleta contextual Draw, que irá aparecer na aba Place Wall,
como mostra a figura 52.

FIGURA 52 – Aba Place Wall e as ferramentas de desenho

40
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Antes de começar a posicionar as paredes do projeto, é


necessário configurar alguns parâmetros da instância, começando pela
Options Bar que aparece abaixo da Ribbon quanto a ferramenta Wall
estiver selecionada.

FIGURA 53 – Options Bar da ferramenta Wall

Height: configura a altura da parede – ou Depth: Configura a


profundidade da parede

No exemplo da figura 53, a altura da parede é 290,00, que está


configurada para alcançar o 2° Pavimento.

No entanto, a altura pode ser configurada manualmente, optando pelo


Unconected, ou seja, é possível digitar o valor da altura (ou
profundidade) da parede.

Location Line: linha de posicionamento da parede, ou seja, a mesma


possui basicamente uma linha central, uma linha interna e outra externa.
Dependendo da escolha, a parede terá um posicionamento diferente no
desenho.

FIGURA 54 – Desenhando parede com os diferentes tipos de Location Line

41
CAPÍTULO 3

Chain: Ativado, as paredes serão desenhadas em modo cadeia, ou seja,


ao final de uma parede criada, automaticamente será o início de outra,
e assim sucessivamente.

Offset: cria parede com um offset (valor digitado) da location line.

Radius: cria quinas de paredes arredondadas.

Basic Walls

O Revit possui três famílias do sistema, ou seja, famílias que não


podem ser apagadas ou alteradas: Basic Walls, Curtain Walls e Stacked
Walls. Ao utilizer a ferramenta Wall, através do Type Selector da paleta
Properties é possível escolher entre os tipos criados de cada família de
parede citada acima.

FIGURA 55 – Type Selector na paleta Properties

42
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

As Basic Walls são tipos de paredes que podem haver camadas


– layers – na sua estrutura, como mostra a figura 57.

FIGURA 56 – Basic Wall sem layers

FIGURA 57 – Basic Wall com layers

É possível configurar cada layer da parede, como espessura


material/hachura. A figura 57 representa uma parede composta por seis
camadas/layers, sendo que cada uma representa um material
construtivo da parede.

Para acessar e editar um tipo de família de parede basta


selecionar uma no Type Selector e ao lado clicar em Edit Type.

FIGURA 58 – Botão Edit Type

43
CAPÍTULO 3

FIGURA 59 – Janela Edit Type

FIGURA 60 – Janela de edição da estrutura da parede

44
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Tabela Layers: na tabela Layers é possível adicionar, deletar, mover e


configurar material e espessura de cada layer. Cada linha da tabela
representa um layer – camada da parede. A tabela é dividida em quarto
colunas:

Function: nessa coluna é possível determinar seis tipos de


funções para o layer, relacionadas ao tipo do material que será
configurado. Cada uma delas determina uma prioridade de como essa
parede irá unir-se com outras e até mesmo pisos e telhados. É possível
também, notar que o número que aparece ao lado do nome é mais
importante que sua própria função. Existe uma numeração de 1 a 5,
sendo que 1 tem a prioridade máxima para a união entre os elementos e
5 prioridade mínima. O Revit utiliza essa prioridade para determinar
como elementos que possuem vários layers irão se unir, figura 61. Assim,
o layer com prioridade 1 irá cortar todos os outros com prioridade
menor, 2, 3, 4 e 5. O layer com prioridade 2 irá cortar todos os com
prioridade menor, e assim, sucessivamente.

FIGURA 61 – Prioridade dos layers

Material: determina um material para o layer. A escolha do


material definirá uma série de características gráficas, como cor, hachura
de corte e de superfície, aparência do material no render, identificação e
características físicas para propósitos analíticos estruturais.

45
CAPÍTULO 3

Thickness: determina a espessura do layer. Para utilizar layer


com espessura igual à zero, é preciso antes definer a função do layer
como Membrane Layer.

Wraps: com a opção wraps ativa, o layer envolva outros, em


uma abertura, como portas e janelas, e no final das paredes fazendo o
acabamento correto, figura 62. A opção wraps só é permitida para
layers que estão fora do core boundary (limite do núcleo).

FIGURA 62 – Wraps: fazendo o acabamento no final da parede

Default Wrapping: para a função Wrap do layer, tem que ser


configurado também seu comportamento para as duas situações
possíveis: At Insert e At Ends. Nas duas é possível determiner quall ado
da parede terá prioridade para envolver os outros layers, lado exterior
ou interior da parede.

Preview: permite visualizar uma prévia de estrutura da parede. É possível


visualizar em planta ou em corte através do menu View ao lado.

Modify Vertical Structure: as opções deste campo estarão disponíveis


apenas quando a vista do preview encontrar-se em corte, permitindo
visualizer a estrutura vertical da parede. É possível adicionar vários
elementos como sweeps e reveals, para compor um perfil diferente de
parede.

46
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Modificando a estrutura vertical da parede

Para criar elementos horizontais que irão percorrer ao longo das


paredes no Revit, é possível utilizar alguns recursos disponíveis como
sweeps e reveals para editar a estrutura padrão vertical das mesmas.

Ao editar o parâmetro da estrutura de uma parede, dentro de


Edit Type, encontram-se várias ferramentas de modificação da sua
estrutura vertical. Essas ferramentas apenas estarão disponíveis para uso
sem em preview estiver marcada a opção de vista em corte.

FIGURA 63 – Exemplo para observar a estrutura vertical da parede

47
CAPÍTULO 3

FIGURA 64 – Campo Modify Vertical Structure

Modify: é possível selecionar no preview um layer para modificar


e através de uma cota temporária alterar sua espessura.

Assing Layers: é possível selecionar um layer da tabela e clicar


diretamente no preview sobre uma camada para aplicá-lo.

Merge Regions: une dois layers distintos.

FIGURA 65 – Merge Regions

48
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Split Regions: divide um layer.

FIGURA 66 – Split Regions

Sweeps: com perfis carregados no projeto, é possível inseri-los na


estrutura vertical da parede, criando uma nova geometria que irá seguir
o perfil selecionado.

FIGURA 67 – Sweep

Revels: como o sweep, o reveal também irá utilizar um perfil, mas não
irá adicionar uma nova geometria e sim cortará a estrutura vertical da
parede seguindo o perfil selecionado.

49
CAPÍTULO 3

FIGURA 68 – Reveal

Wall Joins – União das paredes

É possível controlar como duas paredes, ao se encontrarem, irão


interagir. Quando elas possuem um ângulo agudo, por exemplo, uma
ponta da parede que nunca seria reproduzida no contexto real da
construção irá se formar. Com a ferramenta Wall Joins, é possível clicar
na junção entre duas paredes e modificar entre três tipos: Butt, Miter e
Square off – na options bar.

FIGURA 69 – Ferramenta Wall Join na aba Modify

FIGURA 70 – Options bar da ferramenta Wall Join

50
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 71 – Butt, Miter e Square off respectivamente

Modificando o perfil das paredes

É possível modificar o perfil vertical das paredes através da


ferramenta Attach Top/Base e Edit Profile.

FIGURA 72 – Edit Profile e Attach Top/Base na aba Modify/Walls


(com uma parede selecionada)

Attach Top/Base

A ferramenta Attach Top/Base é utilizada no processo de anexar


uma parede a outro elemento, como telhados, forros, pisos, planos de
referência e outras paredes.

51
CAPÍTULO 3

FIGURA 73 – Attach Top/Base das paredes ao telhado

Edit Profile

A ferramenta Edit Profile é utilizada para modificar o perfil


vertical da parede, alterando laterais, base e topo, ou criando aberturas,
como mostra a figura 74. Para editar o perfil da parede é necessário
desenhar em modo sketch. É importante lembrar que o limite do perfil
deve ser contínuo e não deve conter aberturas entre as linhas.

FIGURA 74 – Editando o perfil da parede

52
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Curtain Walls

As paredes tipo Curtain Walls são painéis (de vidro ou outro


material desejado), que podem conter ou não esquadrias e divisões
entre os mesmos. No Type Selector é escolhido qual o tipo de Curtain
Walls usar. Cada tipo é composto por vários elementos que serão vistos
a seguir.

FIGURA 75 – Os três tipos de Curtain Walls do Revit

FIGURA 76 – Elementos de uma curtain wall

53
CAPÍTULO 3

Curtain Grids: são divisões horizontais e verticais que nos permite criar
Layouts diferentes para os painéis da parede, figura 77.

FIGURA 77 – Layouts de curtain walls

Mullions: são as esquadrias, elementos que representam os perfis


estruturais da parede. Eles podem ser verticais e horizontais e podem
assumir qualquer forma, basta carregar uma família de Mullion Profile.

Curtain Panels: são os painéis que preenchem os espaços entre os grids.


É possível determinar quatro tipos de painéis:

Empty Panels: nenhum painel é colocado entre os grids.

Glased Panels: são painéis que podem assumir qualquer material


de vidro de qualquer cor ou transparência.

Solid Panels: são painéis sólidos nos quais podem ser


adicionadas portas, janelas, etc.

Wall Type: com um painel selecionado é possível escolher no


Type Selector qualquer tipo de basic wall para preencher o
espaço entre os grids.

54
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 78 – Tipos de painel

No botão Edit Profile de uma Curtain Wall é possível configurar


os seguintes parâmetros:

FIGURA 79 – Edit Profile da Curtain Wall

55
CAPÍTULO 3

Automatically Embed: quando ativa, qualquer instância de


Curtain Wall desenhada sobre outro tipo de parede irá embutir-se
automaticamente na parede cortando a geometria sobreposta.

Curtain Panel: tipo do painel utilizado – vidro, vazio, etc.

Join Condition: define comportamento da junção entre os


Mullions (esquadrias).

Vertical e Horizontal Grid Pattern

Layout: define o espaçamento entre os Mullions. Há quatro


opções para definir a estrutura vertical e horizontal dos Grids – Mullions.

Fixed Distance: valor fixo entre os painéis.


Fixed Number: separa os painéis em espaços iguais.
Maximum Spacing: indica o valor da distância máxima entre os
painéis que irão dividir-se igualmente na parede sem ultrapassá-
lo.
Minimum Spacing: indica o valor da distância mínima entre os
painéis que irão dividir-se igualmente na parede sem ultrapassá-
lo.

Stacked Walls

As Stacked Walls são tipos de paredes compostas empilhadas


umas sobre as outras. Para criar uma Stacked Wall, é necessário ter no
projeto algumas paredes básicas criadas.

56
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 80 – Definindo a estrutura da Stacked Wall em Edit


Type>Structure>Edit

Name: nome da parede inserida.

Height: determina cada altura de cada tipo de parede inserida.

Offset: determina o ajuste fino do posicionamento horizontal entre as


paredes.

Flip: ativa, inverte a orientação da estrutura da parede.

57
CAPÍTULO 3

FERRAMENTAS DE MODIFICAÇÃO

Move

Permite mover os objetos, selecionando o mesmo e


posteriormente a ferramenta move. Define-se o ponto base do objeto
para movê-lo e em seguida define-se o segundo ponto o qual será sua
nova posição.
É possível alterar algumas configurações da ferramenta move na
sua Options Bar.

FIGURA 81 – Options Bar da ferramenta Move

Constrain: restringe o move apenas as direções horizontal e vertical.


Desmarcando-o é possível mover o elemento livremente.

Disjoin: objetos que estão hospedados (vinculados) em outros, não


podem ser movidos para outro host (hospedeiro) sem antes marcar essa
opção.

Multiple: não está ativa para a ferramenta move. Somente para a


ferramenta copy, vista a seguir.

Copy

A ferramenta Copy permite fazer uma cópia ou cópias múltiplas


de um objeto. Para cópias múltiplas, a opção Multiple deverá ser ativa
na Options Bar da ferramenta Copy.

58
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Rotate

O Rotate é usado para girar um objeto através de um eixo. É


possível definir o ângulo de rotação através de dois cliques ou
determinar um valor específico digitando. Além disso, é possível
escolher o eixo de rotação, clicando e arrastando o símbolo de eixo
para qualquer outro ponto – inicialmente o símbolo de eixo se encontra
no meio exato do objeto.

Além de rotacionar um objeto, é possível fazê-lo copiando-o ao


mesmo tempo, ao ativar a opção Copy, na Options Bar da ferramenta
Rotate.

FIGURA 82 – Eixo de rotação do objeto

Mirror

Permite espelhar um objeto, copiando-o espelhado ou não, se


ativa a opção Copy na Options Bar. Existem duas ferramentas de Mirror,

59
CAPÍTULO 3

Mirror – Pick Axis, que permite selecionar um eixo existente no desenho


para o espelhamento, e Mirror – Draw Axis, em que é necessário
desenhar um eixo na tela para execução do espelhamento.

FIGURA 83 – Mirror através da Draw Axis

Offset

O Offset funciona como um move ou um copy ao mesmo


tempo, pois irá mover e/ou copiar o elemento paralelamente a uma
distância definida.

FIGURA 84 – Options Bar da ferramenta Offset

Graphical: determina a distância do offset graficamente, ou seja,


clicando em dois pontos distintos no desenho para determina-la.

Numerical: permite digitar o valor da distância na caixa ao lado Offset.

Copy: ativa, o elemento é copiado a uma distância paralela. Desmarcada


a opção copy, o elemento irá apenas mover paralelamente. Para marcar
e desmarcar essa opção rapidamente é possível utilizar a tecla Ctrl.

60
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Align

A ferramenta Align alinha objetos uns com os outros. Essa


ferramenta funciona praticamente com todos os tipos de elementos no
Revit. É possível alinhar objetos a partir das linhas de referência de uma
família em relação à outra. Além disso, é possível alinhar padrões de
preenchimento – hachura – a outros elementos e vice-versa. É uma
ferramenta poderosa e pode substituir outras, como o move e o rotate
com apenas dois cliques.

FIGURA 85 – Alinhando mobiliário à parede

FIGURA 86 – Paginação de piso com a ferramenta Align

61
CAPÍTULO 3

Split

Funciona em paredes e linhas, dividindo a instância em dois


elementos separados.

Trim/Extend

A ferramenta corta ou estende paredes e linhas. Há três


ferramenta Trim/Extend na aba Modify: Trim/Extend to Corner, utilizada
para estender ou cortar linhas ou paredes, formando uma quina, figura
87, Trim/Extend Single, que corta ou estende uma linha ou uma parede,
e Trim/Extend Multiple Elements, que corta ou estende mais de uma
linha ou parede ao mesmo tempo.

FIGURA 87 – Trim/Extend to Corner

Scale

A ferramenta Scale permite redimensionar algumas linhas e


elementos em 2D – como exportações de desenhos 2D em DWG. A
ferramenta não é disponível para reduzir ou ampliar os elementos do
Revit, como portas, paredes ou mobiliários.

62
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Pin/Unpin

Em algumas situações é possível travar alguns elementos para


que eles não sejam movidos no projeto. Por exemplo, na restauração de
um edifício, as paredes existente não devem se mover do lugar. Todo
elemento que foi aplicado o Pin, terá um símbolo como mostra a figura
88.

FIGURA 88 – Pin

Para remover o Pin, basta selecionar Unpin ou clicar sobre o


símbolo Pin do objeto.

FIGURA 89 – Unpin

63
CAPÍTULO 3

PISO – FLOOR

Para criar um piso, é preciso definir seu contorno por meio de


linhas ou seleção de paredes. O contorno do piso precisa ser um
polígono fechado. Ao inserir um piso, é preciso especificar seu nível. O
topo do piso é colocado, por padrão, na cota do nível em que ele é
criado, sendo sua espessura projetada para baixo.

FIGURA 90 – Ferramenta Floor, na aba Architecture

O Revit possui os seguintes tipos de pisos:

Floor: é um piso convencional que pode ser usado para definir uma laje
arquitetônica.

Structural Floor: o mesmo que o anterior, porém possui outras


propriedades estruturais.

Floor by Face: cria os pisos a partir de um estudo de massa/volume em


que a forma do volume define a forma do piso.

Floor Slab Edge: cria pisos em que a borda possui uma forma irregular.

Após selecionar Floor, o usuário terá duas opções para criar o


piso, na aba Modify/ Create Floor Boundary, no painel Draw:

64
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

A primeira opção é desenhar o contorno do piso com o


comando de desenho Linha, Arco, Círculo, etc, clicar em Finish para
encerrar, e então o piso estará criado.

OBS: Os limites dos pisos não podem ter linhas que se sobrepõe.

FIGURA 91 – Comandos de desenho no painel Draw

FIGURA 92 – Desenhando o contorno do piso com o comando Line

65
CAPÍTULO 3

FIGURA 93 – Finish para concluir o desenho

FIGURA 94 – Piso anterior em 3D, após clicar em Finish

A segunda opção é selecionar o comando Pick Walls ou Pick


Lines. Respectivamente, é possível selecionar as paredes ou as linhas do
entorno do piso para criar o seu limite.

FIGURA 95 – Comandos Pick Lines e Pick Walls respectivamente

Ao criar e finalizar um piso sob um nível e abaixo do nível conter


paredes, o Revit irá perguntar se o usuário gostaria de anexar (attach)

66
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

essas paredes ao piso, criando uma restrição entre o piso às mesmas,


sendo que se o piso mudar de nível, o mesmo acontecerá com o topo
da parede.

FIGURA 96 – exemplo de parede com e sem o Attach respectivamente

FIGURA 97 – Attach: Anexar o topo das paredes ao piso

67
CAPÍTULO 3

ESTRUTURAS

Column – Pilares

FIGURA 98 – Ferramenta Column na aba Architecture e aba Structure


respectivamente

Existem dois tipo de pilares no Revit: Architectural e Structural


Column. A diferença entre eles é que a arquitetônica é utilizada apenas
para marcar o posicionamento dos pilares. Além disso, o seu material irá
se mesclar com o material de qualquer parede, fazendo o acabamento
automático. Enquanto o estrutural é possível determinar parâmetros de
cálculo para o engenheiro, e o seu acabamento não se mescla com as
paredes, figura 99.
Podem ser carregados alguns tipos de pilares, como por
exemplo, pilar de concreto, a partir de uma biblioteca de famílias.

FIGURA 99 – Pilar Architectural e Structural respectivamente

68
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Beam – Vigas

FIGURA 100 – Ferramenta Beam na aba Structure

As vigas são elementos essencialmente estruturais e podem ser


carregados alguns tipos de vigas, como por exemplo, viga de concreto,
a partir de uma biblioteca de famílias, como é o caso dos pilares.

Ao selecionar a ferramenta Beam, é preciso configurar altura das


suas extremidades, como mostra a figura 101.

FIGURA 101 – Alterando a altura da extremidade da viga

69
CAPÍTULO 3

FIGURA 102 – Viga reta e viga inclinada respectivamente

Foundation - Fundação

FIGURA 103 – Ferramentas para criação de fundação na aba Structure

Isolated: cria sapatas isoladas como mostra a figura 104. No Type


Selector é possível selecionar um tipo de família de fundação. O usuário
também pode inserir uma família a partir de uma biblioteca de blocos.
Em Edit Type é possível alterar os parâmetros – dimensões – da peça.

FIGURA 104 – Sapata isolada

70
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 105 – Load Family – inserir um tipo de sapata a partir de uma biblioteca

FIGURA 106 – Posicionando uma sapata pré-dimensionada abaixo do pilar


estrutural (visualização no modo Realistic)

Wall: cria sapata corrida abaixo das paredes que o usuário selecionar, ao
escolher a ferramenta Wall.

FIGURA 107 – Sapata corrida

71
CAPÍTULO 3

Em Edit Type, é possível alterar os parâmetros – dimensões – da


sapata, além de selecionar o material Concreto Moldado no Local.

FIGURA 108 – Edit Type da fundação tipo Wall

Slab: cria fundação tipo laje radier. Em Edit Type, é possível alterar a
espessura da laje, além de selecionar o material.

PORTAS E JANELAS

Door

As portas são elementos que necessitam de um host, ou seja,


necessitam de uma família do sistema como base/hospedeiro para
serem

72
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

adicionadas ao projeto. Posicionando portas a uma parede existente em


um projeto, haverá uma relação entre a porta e a parede. A porta estará
limitada as dimensões máximas da parede, esta, por sua vez, quando
tiver sua posição alterada, também afetara a porta. Além deste grande
benefício, as portas geram automaticamente um corte na geometria da
parede, que irá se adaptar as dimensões definidas na porta, criando o
vão necessário.

FIGURA 109 – Porta vista em planta e 3D respectivamente

Antes de adicionar uma porta a uma parede, é possível


configurar alguns parâmetros da instância. Em sua aba contextual Place
Door, painel Tag, há a ferramenta Tag on Placement, figura 110.
Desmarcada a Tag ao posicionar uma porta no projeto não será
colocada a tag da mesma automaticamente. È possível adicioná-la
posteriormente – mais detalhes no Capítulo 5 – Tags.

FIGURA 110 – Tag on Placement

73
CAPÍTULO 3

A paleta Properties, também fornece alguns parâmetros para


configuração da instância da porta:

FIGURA 111 – Paleta Properties da ferramenta Door

Still Height: configura a altura da soleira da porta.

Head Height: determina o valor da altura máxima da porta, em relação


ao nível atual. Ao aumentar esse valor, a porta não aumentará sua
altura, já que essas configurações são realizadas em Edit Type,
modificando a altura de apenas uma instância da família porta.

É importante salientar que no Revit, os parâmetros da Options


Bar e da paleta Properties são configurações aplicáveis somente à
instância selecionada. Sendo assim, ao clicar em uma porta e modificar
sua Tag ou altura da soleira, afetará apenas a esta instância.

74
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Ao clicar em Edit Type na paleta Properties, figura 112, os


parâmetros exibidos nessa janela referem-se ao tipo da porta
selecionada. Qualquer modificação dos mesmos resultará em alterações
em todas as instâncias iguais no projeto.

FIGURA 112 – Edit Type da ferramenta Door

Family: apresenta todas as famílias de portas carregadas no Revit.

Type: mostra a lista de todos os tipos da família apresentada acima.

Load: permite carregar para o projeto novas famílias de portas.

75
CAPÍTULO 3

Duplicate: permite duplicar um tipo existente, criando um novo nome,


no qual é possível fazer novas configurações como criar portas com
tamanhos diferentes.

Rename: permite renomear os tipos criados na família.

Type Parameters: são os parâmetros referentes ao tipo. É possível


mudar o material da porta. Espessura, altura, largura, etc., além de
preencher todos os parâmetros de identificação da mesma que serão
utilizados em tabelas, quantitativos e nas tags.

Window

Como as portas, as janelas também são elementos que


necessitam de um host para serem adicionadas ao projeto. Elas se
comportam da mesma forma que a porta, tanto em aplicação, quanto
em alterações de tipo.

FIGURA 113 – Janela vista em planta e 3D respectivamente

Na paleta Properties são encontrados alguns parâmetros de


uma instância de uma família de janela:

76
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 114 – Paleta Properties da ferramenta Window

Level: nível de referência, no qual a janela será inserida.

Still Height: altura do peitoril em relação ao nível em que a janela foi


inserida.

Mark: parâmetro utilizado para identificação da instância, podendo ser


letras ou números. Assim, utilizando a tag na janela, é possível identifica-
la com esse parâmetro.

Head Height: determina o valor da altura máxima da janela, em relação


ao nível atual. Ao aumentar esse valor, a janela não aumentará sua
altura, já que essas configurações são realizadas em Edit Type,
modificando a altura de apenas uma instância da família janela.

77
CAPÍTULO 3

ESCADA, RAMPA E GUARDA-CORPO

Escada - Stair

As escadas podem ser criadas no projeto desenhando o seu


caminho ou “rascunhando” as linhas de espelho e as linhas do limite da
escada, figura 115.

FIGURA 115 – Desenho em planta das escadas

FIGURA 116 – As mesmas escadas em 3D

78
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Na aba Architecture, painel Circulation, encontra-se a


ferramenta Stairs, que necessita de um rascunho para gerar o modelo.
No modo Sketch, aba Modify/Create Stairs Sketch, no painel Draw, há
três ferramentas de desenho diferentes, figura 117.

FIGURA 117 – Ferramentas Run, Boundary e Riser

Run: nesse modo o rascunho da escada é automático, com linhas de


limite e espelho. Basta desenhar em planta o rascunho da escada, pela
linha de eixo central, o desenho da escada, seja linear, em “L”, “U” ou
espiral – selecionando a linha arco ao lado. O número de degraus, a
profundidade dos pisos e largura da escada, bem como outros
parâmetros, são determinados pelas propriedades do tipo, na paleta
Properties e em Edit Type.

Boundary/Riser: essas duas opções permitem desenhar respectivamente


o contorno da escada (em linhas verdes) e as linhas dos espelhos dos
degraus (linhas pretas). A quantidade de espelhos necessários para
terminar a escada, é determinada pelo parâmetro do tipo da escada,
mas a profundidade dos degraus e largura da escada serão
determinadas através do rascunho executado.

79
CAPÍTULO 3

FIGURA 118 – Elementos do sketch de uma escada

FIGURA 119 – Paleta Properties da ferramenta Stairs

80
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Base Leve: nível de referência para a base, início da escada.

Base Offset: distância entre o nível escolhido para a base e o início da


escada.

Top Level: nível de referência para o topo, final da escada. O nível


determinado entre o Top e o Base Level irá determinar a quantidade de
degraus da escada, de acordo com a altura máxima de espelho.

Top Offset: distância entre o nível escolhido para o topo e o final da


escada.

Multistory Top Level: aplica a mesma escada por vários níveis, como em
um edifício. Neste campo, é preciso escolher o último nível de referência
para a escada. É importante que a distância entre todos os níveis seja a
mesma, caso contrário ocorrerá erro na finalização da escada.

FIGURA 120 – Multistory Top Level

81
CAPÍTULO 3

Up text: texto para a tag que indica a subida da escada. É possível


digitar qualquer texto, como por exemplo, “Sobe” ou “S”.

Down text: texto para a tag que indica a descida da escada. É possível
digitar qualquer texto, como por exemplo, “Desce” ou “D”.

Up/Down Label: liga ou desliga o texto de subida ou descida da escada.

Show Up Arrow in all Views: com esta opção marcada, não será vista
nenhuma seta indicativa de descida, somente a de subida.

Width: valor da largura da escada.

Desired Number of Risers: valor que determina a quantidade de


espelhos da escada. O número definido para este parâmetro representa
o mínimo possível de degraus para a escada, de acordo com as regras
determinadas pelos parâmetros em Edit Type. Diminuindo esse valor,
ocorrerá um erro no Revit, que não executará a escada. Entretanto é
possível aumentar esse valor.

Actual Number of Risers/Risers Height: ambos os parâmetros não são


configuráveis. São apenas informativos. Representam respectivamente o
número atual de espelhos e sua altura. A altura é determinada por
regras definidas no tipo da escada.

Actual Tread Depth: valor que determina a profundidade de cada piso


da escada.

82
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 121 – Edit Type da escada

Os parâmetros do tipo determinam configurações que serão


aplicadas a todas as instâncias que forem criadas utilizando o mesmo
tipo de escada escolhida no Seletor de Tipo – Select Type, figura 122.

FIGURA 122 – Select Type

83
CAPÍTULO 3

Diferente dos parâmetros da instância que se aplicam somente


aos elementos selecionados na tela.

Em Edit Type, existem os seguintes parâmetros:

Graphics

Break Symbol in Plan: liga ou desliga o símbolo de interrupção, corte da


escada em planta.

Text Size: tamanho do texto dos Labels Up e Down da escada.

Text Font: fonte do texto.

Materials and Finishes

Neste campo serão escolhidos respectivamente os materiais do piso,


espelho e banzo – estrutura – da escada.

Treads

Minimum Tread Depth: determina a profundidade mínima para o piso.

Tread Thickness: determina a espessura da peça do piso.

Nosing Lenght: controla o comprimento do bocel do piso que irá se


projetar além do espelho.

84
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Nosing Profile: define o perfil utilizado para o bocel. A lista de perfis


existentes no projeto irá depender dos perfis que estão carregados no
mesmo. É possível carregar novos perfis e utilizá-los nesse parâmetro. O
perfil utilizado nesse parâmetro será um específico, criado com o
Template correto, com suas configurações próprias para Stairs Nosing.

Apply Nosing Profile: ao determinar um perfil no parâmetro anterior, é


possível optar para aplicá-lo somente na parte frontal dos pisos, frontal
e esquerda, frontal e direita ou aos três ao mesmo tempo.

Risers

Maximum Riser Height: determina a altura máxima para o espelho.

Begin/End With Riser: determina se a escada irá começar e/ou terminar


com um espelho.

Riser Type: determina o tipo do espelho para: None, Straight e Slanted,


respectivamente, nenhum, reto e inclinado. Para fazer escada com
espelho vazado, é necessário marcar a opção None.

Riser to Tread Connection: configura o espelho para estender-se atrás


dos pisos ou ao contrário, estender os pisos sob os espelhos.

Stringers

Trim Stringer at Top: irá cortar o topo da geometria dos banzos –


estruturas laterais – da escada de acordo com a opção selecionada.

85
CAPÍTULO 3

Right/Left Stringer: lista para selecionar o tipo de banzo: None =


nenhum, Closed = banzo completo – ultrapassa o nível do piso da
escada – e Open = banzo abaixo do nível do piso da escada.

Middle Stringer: número que irá determinar a quantidade de banzos


intermediários – centrais – da escada.

Stringer Thickness/Height: respectivamente espessura e altura do banzo.

Open Stringer Offset: com a opção de Stringer Open é possível


determinar um offset em relação às bordas da escada.

Stringer Carriage Height: altura do banzo em relação ao piso da escada.

Leading Carriage Height: altura do banzo em relação ao patamar da


escada.

Rampa - Ramp

Como as escadas as rampas também são elementos desenhados


no modo Sketch.

FIGURA 123 – Ferramenta rampa na aba Architecture

86
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

A maneira mais fácil de desenhar um Sketch de rampa no Revit


é utilizando o modo Run. Porém, o modo run limitará o desenho, sendo
sempre retilíneo ou aspiral. Para criar rampas com formas diferentes, é
preciso utilizar os modos Boundary e Riser que permitirá desenhar
respectivamente os limites e os patamares da rampa, figura 124.

FIGURA 124 – Elementos do sketch de uma rampa

FIGURA 125 – A mesma rampa anterior em 3D

87
CAPÍTULO 3

Antes de desenhar a escada, seja por modo run ou boundary e


riser, é preciso configurar alguns parâmetros da rampa na paleta
Properties.

FIGURA 126 – Paleta Properties da ferramenta

Base Leve: nível de referência para a base, início da rampa.

Base Offset: distância entre o nível escolhido para a base e o início da


rampa.

Top Level: nível de referência para o topo, final da rampa.

Top Offset: distância entre o nível escolhido para o topo e o final da


rampa.

88
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Multistory Top Level: aplica a mesma rampa por vários níveis. Neste
campo, é preciso escolher o último nível de referência para a rampa. É
importante que a distância entre todos os níveis seja a mesma, caso
contrário ocorrerá erro na finalização da ferramenta.

FIGURA 127 – Multistory Top Level

Up text: texto para a tag que indica a subida da rampa. É possível digitar
qualquer texto, como por exemplo, “Sobe” ou “S”.

Down text: texto para a tag que indica a descida da rampa. É possível
digitar qualquer texto, como por exemplo, “Desce” ou “D”.

Up/Down Label: liga ou desliga o texto de subida ou descida da rampa.

Show Up Arrow in all Views: com esta opção marcada, não será vista
nenhuma seta indicativa de descida, somente a de subida.

89
CAPÍTULO 3

Width: valor da largura da rampa.

FIGURA 128 – Edit Type da rampa

Thickness: parâmetro que determina a espessura do piso da rampa.

Text size/font: respectivamente tamanho e fonte do texto utilizado para


indicação de sobe ou desce da rampa.

Ramp Material: define o material que será utilizado na estrutura da


rampa.

Maximum Incline Lenght: determina a distância máxima de rampa até


seu próximo patamar.

Ramp Max Slope (1/x): a razão entre 1 e o valor definido no parâmetro


irá determinar a inclinação da rampa.

90
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Exemplo:

1/12 = 0,08333... = 8,33% de inclinação (rampa adequada para


cadeirante)
1/5 = 0,2 = 20% de inclinação (rampa para veículos)

Shape: define a forma da rampa.

Thick irá considerar o parâmetro Thickness para a espessura da


rampa.
Solid irá criar uma rampa sólida sem uma espessura
determinada, que irá preencher o espaço entre o nível da base e
a mesma, figura 129.

FIGURA 129 – Rampa com o Shape Thick e Solid respectivamente

Guarda-corpo - Railing

Elementos como escadas e rampas adicionam automaticamente


guarda-corpos ao seu contorno criado, o que é um ótimo recurso que
irá economizar um bom tempo de trabalho. Para situações como
mezaninos e varandas, que não possuem essa facilidade, é possível
adicionar guarda-corpos manualmente.

91
CAPÍTULO 3

FIGURA 130 – Ferramenta Railing na aba Architecture, painel Circulation

FIGURA 131 – Definindo o caminho do guarda-corpo

FIGURA 132 – O mesmo guarda-corpo concluído, em 3D

92
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 133 – Paleta Properties da ferramenta

Base Level: nível de referência para criação do guarda-corpo.

Base Offset: diferença entre o nível selecionado no parâmetro anterior e


o guarda-corpo.

Para situações em que for preciso criar um guarda-corpo em


uma escada ou rampa, é necessário clicar na ferramenta Place on Host e
depois selecionar a escada ou rampa para adicionar o mesmo.

FIGURA 134 – Ferramenta Place on Host

93
CAPÍTULO 3

TELHADO – ROOF

Roof by Footprint

Essa opção cria o telhado a partir da definição do seu contorno


através do desenho com linhas ou pela seleção de paredes definindo
um perímetro fechado, um método semelhante à criação de pisos.

Antes de criar um telhado, é interessante gerar um nível para


ele, por exemplo, Cobertura.

FIGURA 135 – Ferramenta Roof by Footprint, na aba Architecture

Para criar o telhado através do desenho com linhas, basta


selecionar as ferramentas do painel Draw.

FIGURA 136 – Desenhando o perímetro do telhado

94
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 137 – O mesmo telhado em 3D

Na Options Bar é possível fazer três configurações importantes.

FIGURA 138 – Options Bar da ferramenta Roof

Defines Slope: antes ou depois de criar uma linha no Sketch é possível


definir ou remover a inclinação de um plano do telhado. As linhas que
possuem uma inclinação definida têm um símbolo de triângulo
retângulo e quando selecionada irá mostrar o valor dessa inclinação.
Clicando sobre o valor é possível alterá-lo. Cada aresta do telhado com
o símbolo de inclinação representa uma água do mesmo.

FIGURA 139 – Símbolo de inclinação do telhado no Sketch

Overhang: antes de criar uma linha no Sketch é possível definir um valor


para o beiral do telhado. Sendo assim, a linha desenhada será criada
com um valor de offset definido nesta opção.

95
CAPÍTULO 3

Extend to wall core: se há uma parede no projeto com várias


camadas/layers definidas em sua estrutura, ativando essa opção,
obrigará o telhado que faceia o layer de acabamento da parede,
estender-se até o núcleo estrutural da mesma.

Para finalizar o Sketch e visualizar o resultado final do telhado é


preciso selecionar Finish Edit Mode.

FIGURA 140 – Finish Edit Mode

Depois de concluído o telhado em Edit Finish Mode, é possível


retornar ao modo Sketch do mesmo e reeditar qualquer desenho ou
configuração, clicando em Edit Foot Print – com o telhado selecionado,
aba Modify/Roofs.

Na paleta Properties encotram-se alguns parâmetros a serem


configurados.

FIGURA 141 – Paleta Properties da ferramenta Roof by Footprint

96
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Base Level: como outros elementos, esse é o nível de criação do


telhado. Se o mesmo for modificado – alterada a cota de nível – o
telhado também será.

Room Bounding: quando esta opção estiver selecionada a geometria do


telhado será considerada para o cálculo de volume dos ambientes.

Base Offset From Level: opção para elevar ou abaixar o nível de inserção
do telhado em relação ao nível de base em que foi criado.

Roof by Extrusion

Esse método realiza a criação de um telhado por meio de uma


extrusão.

FIGURA 142 – Ferramenta Roof by Extrusion, na aba Architecture

FIGURA 143 – Roof by Extrusion

97
CAPÍTULO 3

Telhados por extrusão não possuem a opção de seguir o


contorno das paredes de um projeto. Para criar um telhado com um
perfil orgânico, é necessário usar esta ferramenta.

Diferente do método Roof by Footprint, que só pode ser criado


em vista de planta baixa, o telhado por extrusão poderá ser criado em
outras vistas, como elevação ou 3D. Assim, é necessário escolher um
Work Plane – plano de trabalho – optando pela opção Pick a plane e
clicando em qualquer superfície para criar o telhado. Além disso, será
necessário escolher qual o nível (level) de referência para o telhado e o
offset em relação ao mesmo.

FIGURA 144 – Work Plane

Após selecionar o plano de trabalho e definir o nível e offset, no


modo Sketch é possível selecionar as ferramentas de desenho no painel
Draw e criar o perfil para a extrusão do telhado.
Outra importante diferença desse método é que o desenho do
perfil não poderá ser um contorno fechado, pois seus parâmetros – em
Edit Type – que irão determinar a espessura e não o desenho do perfil.

98
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 145 – Sketch do perfil e o telhado finalizado

Após finalizar o Sketch, na paleta Properties serão encontrados


alguns parâmetros de configuração do telhado.

FIGURA 146 – Paleta Properties da ferramenta Roof by Extrusion

Extrusion Start: distância inicial da extrusão, relativa ao Work Plane


selecionado.

Extrusion End: distância final da extrusão, relativa ao Work Plane


selecionado.

Através das opções Extrusion Start/End que é definido o


comprimento da extrusão.

99
CAPÍTULO 3

FORRO – CEILING

Para criar forros no Revit, é possível utilizar as paredes de um


cômodo como limite ou desenhando o seu contorno, método
semelhante à criação de pisos e telhado.

FIGURA 147 – Ferramenta Ceiling na aba Architecture

Automatic Ceiling: basta clicar em um ambiente fechado por paredes,


que o forro será criado automaticamente por toda a extensão do
cômodo.

Sketch Ceiling: irá entra no modo Sketch permitindo assim utilizar as


ferramentas de desenho no painel Draw, criando um contorno para o
forro que não seja necessariamente o mesmo limite do cômodo, mas
um forro de contorno livre.

FIGURA 148 – Exemplo de um desenho de forro

100
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 149 – Paleta Properties da ferramenta Ceiling

Level: nível de referência para criação do forro.

Height Offset From Level: altura entre o nível selecionado no parâmetro


anterior e o forro.

Room Bounding: com esse parâmetro selecionado o forro irá definir um


limite de ambiente, interferindo assim em cálculos de volume e área.

Assim como a ferramenta Floor, é possível acrescentar, remover


e editar espessuras e materiais de camadas/layers dos forros em Edit
Type.

101
CAPÍTULO 3

FIGURA 150 – Configuração da estrutura de um forro

SITE – TERRENO

Criação de superfícies topográficas no Revit é um processo


simples. Depois de criado o terreno será representado em todas as
vistas do projeto: 3D, Plantas, Cortes e Elevações. A aba Massing & Site
auxiliará todo o processo de criação.

FIGURA 151 – Ferramentas de criação e edição de terreno na aba Massing &


Site

102
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 152 – Visualizações de terreno criado no Revit

103
CAPÍTULO 3

Toposurface

A primeira ferramenta a ser utilizada em um projeto para


modelar o terreno. Ao entra na ferramenta Toposurface, o painel Tools
disponibiliza a opção Place Point e Create from Import.

FIGURA 153 – Ferramenta do painel Tools

Place Point – Terreno por definição de pontos: essa ferramenta permite


determinar elevações de pontos do terreno manualmente, através da
Options Bar, no parâmetro Elevation, figura 154. Ao distribuir pontos na
área gráfica, o Revit, baseado nos mesmos, irá criar a topografia. Mais
tarde é possível voltar na configuração da elevação de cada ponto do
terreno, clicando sobre os mesmos, ou ainda posicionar novos pontos
ao terreno.

FIGURA 154 – Options Bar da ferramenta Place Point

FIGURA 155 – Terreno sendo criado a partir da inserção de pontos

104
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Create from Import – Terreno através de arquivo importado: uma


maneira mais fácil de criar topografia é utilizando um arquivo de
importação DWG (na maioria dos casos) – importação é o assunto
abordado no capítulo posterior.
Após a importação do arquivo, basta selecionar a ferramenta Create
from Import e em seguida selecionar Select Import Instance e clicar
sobre a instância importada, no caso, o terreno. Ao abrir a janela Add
Points from Selected Layers, é necessário escolher na lista que se segue
o(s) layers(s) para que o Revit faça a análise dos pontos, a serem
aplicados automaticamente.

Caso o arquivo importado seja 2D, é necessário clicar sobre os pontos


inseridos e manualmente alterar a elevação de cada um.

Se o arquivo já estiver em 3D, facilitará muito o processo, que poderá


ser finalizado em Finish Edit Mode.

FIGURA 156 – Janela Add Points from Selected Layers

105
CAPÍTULO 3

Building Pad

Ferramenta utilizada para criar platôs no terreno, cortando e


aterrando o mesmo onde se faça necessário. O processo de criação do
platô é o mesmo de criação de pisos, utilizando as ferramentas de
desenho no painel Draw. O contorno deve ser sempre uma região
fechada. Assim que criado, finalizar em Finish Edit Mode.

FIGURA 157 – Criação de um platô

FIGURA 158 – O mesmo platô finalizado em 3D

106
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

Split Surface

Ferramenta utilizada para cortar/dividir a superfície topográfica e


poder assim selecionar materiais diferentes para cada parte. Através das
ferramentas de desenho no painel Draw é possível desenhar um
perímetro dividindo um terreno.

FIGURA 159 – Dividindo a superfície do terreno

FIGURA 160 – Selecionando material para a superfície

107
CAPÍTULO 3

FIGURA 161 – Parte da topografia dividida com material diferente

Merge Surface

Da mesma que é possível dividir uma topografia em outras


superfícies menores, utilizando essa ferramenta é possível uni-las
novamente, voltando a ser uma única superfície. Para que ela funcione é
necessário que as superfícies dividam uma mesma linha. Para isso é
utilizada a ferramenta Merge Surfaces.

Subregion

Na sub-região de uma superfície, é possível configurar um


material diferente. Mas, ao contrário da ferramenta Split Surfaces, essa
operação não resulta em duas superfícies separadas. Isso permite que,
qualquer configuração feita na elevação ou posicionamento do terreno
principal, seja refletida para as subregions. Outro benefício de utilizá-la é
em relação ao tamanho do arquivo, que irá permanecer menor, pois
ainda será apenas um terreno modelado.

108
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

FIGURA 162 – Subregion de um terreno

Para apagar uma subregion feita no terreno, basta selecioná-lo


e utilizar a tecla delete. O terreno original automaticamente irá se
recompor como antes.

Label Contours

Ferramenta que irá rotular as linhas de cota de nível do terreno,


indicando sua elevação.

FIGURA 163 – Ferramenta Label Contours

109
CAPÍTULO 3

Basta apenas desenhar uma linha que passe sobre as curvas de


nível de um terreno que a elevação de cada uma será inserida.

Componentes de terreno

Adicionar componentes a um terreno não é diferente de


adicionar portas e janelas a uma parede. É possível fazê-lo com
componentes específicos como árvores. Para isso utilizasse a ferramenta
Site Components.

FIGURA 164 – Ferramenta Site Components

Através do Load Family é possível carregar novos componentes


específicos. Eles irão seguir a inclinação do terreno, se adaptando
facilmente sobre o mesmo.

Em Edit Type, na paleta Properties é possível configurar alguns


parâmetros das vegetações, como altura e aparência.

110
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 3

ANOTAÇÕES
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________

111
CAPÍTULO 4

IMPORTAÇÃO

Para importar um arquivo do AutoCAD, como por exemplo, um


terreno, como mencionado no capítulo anterior, ou um projeto, para
criar no Revit utilizando-o como base, é preciso selecionar a ferramenta
Import CAD.

FIGURA 165 – Ferramenta Import CAD na aba Insert

Ao entrar no comando, surge a janela de diálogo, em que deve ser


selecionado o arquivo DWG.

FIGURA 166 – Janela de importação

112
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 4

Após a seleção, devem ser ajustados alguns parâmetros na parte inferior


da janela.

Current View Only: se ligada essa opção, o DWG é inserido somente na


vista corrente do desenho.

Colors: a opção Invert inverte as cores dos layers do AutoCAD, Preserve


mantém as cores dos layers e Black/White muda para preto e branco,
dependendo de como estiver no AutoCAD.

Layers: a opção All traz todos os layers do AutoCAD, Visible trás


somente os layers ligados no arquivo e Specify permite especificar os
layers que serão trazidos.

Import Units: define a unidade em que o arquivo será importado.

Positioning: Permite escolher em que posição o arquivo será inserido no


Revit.

Place at: Permite escolher o nível de inserção.

Depois de inserir o arquivo DWG, é possível utilizá-lo como base


para desenhar no Revit, por exemplo, indicar pontos de curvas de nível,
desenhar paredes sobre as paredes do DWG, entre outras
possibilidades.

LINK

Outra forma de carregar arquivos CAD para o Revit é através do


Link CAD. É possível comparar um link no Revit com uma referência
externa (Xref) no AutoCAD. Quando o arquivo original do CAD é
113
CAPÍTULO 4

modificado, sua referência é atualizada automaticamente no Revit. Além


disso, um link não permite fazer modificações no desenho dentro do
Revit, mantendo as informações intactas, referentes ao arquivo original
do CAD.

GROUPS

Os grupos do Revit podem ser comparados com os blocos do


AutoCAD. Os grupos vão além dos blocos, ao facilitarem qualquer
operação repetitiva e por serem fáceis de criar e modificar.

Há duas categorias distintas de grupo: model groups e detail


groups. No primeiro serão agrupadas as instâncias dos elementos de
modelo, selecionadas do projeto, como portas, paredes, escadas, etc. O
segundo irá agrupar elementos de anotação, como cotas, tags, textos,
etc.
Ao selecionar um ou vários elementos do projeto, na aba
Modify, painel Create, se encontra a ferramenta Create Group. A figura
167 mostra um exemplo simples de projeto que possui paredes, porta e
vários elementos de anotação. Assim, é possível criar os grupos, figura
168.

FIGURA 167 – Modelo genérico para exemplo de grupo

114
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 4

FIGURA 168 – Janela para nomeação dos grupos

O primeiro campo determina o nome do Model group, que irá


agrupa as paredes e a porta. No segundo campo é possível nomear o
Attached Detail Group, ou grupo de detalhes anexados, que representa
as cotas, tags e textos.

Ao copiar o referente grupo, o resultado será somente a cópia


do Model Group, figura 169. Para corrigir o problema e adicionar ao
grupo os detalhes anexados é bem simples. Basta clicar na cópia do
grupo e no painel Group, figura 170, utilizar a ferramenta Attached
Detail Group. A figura 168 mostra um exemplo da janela que listará os
grupos anexados de detalhamento. É possível selecioná-lo e após
aceitar as modificações, o grupo será completado com os seus detalhes,
figura 172.

FIGURA 169 – Cópia do grupo sem os elementos de anotação anexados

115
CAPÍTULO 4

FIGURA 170 – Attached Detail Group, após selecionar um grupo

FIGURA 171 – Lista para escolha dos grupos de detalhe anexados

FIGURA 172 – Resultado final após anexar o grupo de detalhes

116
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 4

É possível alterar o conteúdo de qualquer grupo e assim, ao


salvar sua referência, todas as instâncias do grupo serão atualizadas e
também serão modificadas.

Para isso basta selecionar um grupo e no painel Group da aba


Model Groups e clicar em Edit Group, figura 170.

A interface do Revit irá modificar-se, onde haverá um novo


painel Edit Group. Além disso, todos os elementos que não estão dentro
do grupo ficaram em um tom de cinza e não estarão disponíveis para
manipulação, figura 173.

FIGURA 173 – Edição do grupo

117
CAPÍTULO 4

É possível ainda adicionar novos elementos ao grupo, como


novos componentes adicionados posteriormente ao projeto. E também
remover elementos que já fazem parte de um grupo.

FIGURA 174 – Ferramentas para adicionar e remover respectivamente


elementos de um grupo

Com a ferramenta Attach, é possível anexar outros elementos de


detalhamento no grupo.

Para finalizar e aceitar as modificações feitas no grupo ou para


cancelar e ignorar as mesmas, é preciso selecionar Finish Edit Mode ou
Cancel Edit Mode respectivamente.

CONTROLES GRÁFICOS DAS VISTAS

O Revit dispõe de várias ferramentas e recursos para fidelizar a


representação gráfica do projeto. Em algumas situações, sua
representação se dá de forma incorreta para um desenho arquitetônico,
mas é possível corrigi-lo através de várias ferramentas vistas a seguir.

Todos os elementos no Revit possuem uma configuração gráfica


determinada pelo Object Style, visto no capítulo 2. Porém nem sempre
um elemento terá a mesma representação em todas as suas vistas, por
exemplo: um telhado quando visto de cima, em planta, seguirá as

118
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 4

configurações do Object Style, mas, nos níveis inferiores, ele precisa ser
representado com linhas tracejadas, ou seja, em projeção.

Visibility/Graphics Overrides

Na aba View, painel Graphics, encontra-se a ferramenta


Visibility/Graphics. Na janela que se segue, no título da mesma que se
trata de Visibility/Graphics Overrides For “nome da vista”, as
configurações de visibilidades gráficas dos elementos serão o da vista
selecionada, figura 175.

É possível configurar a visibilidade gráfica dos elementos do


modelo, dos elementos de anotação, importados e linkados no Revit,
em cada vista do Project Browser.

FIGURA 175 – Janela Visibility/Graphics Overrides

119
CAPÍTULO 4

Visibility: lista das categorias com a opção de torna-las visíveis ou não


para a vista selecionada. Basta marcar ou desmarcar a categoria.

Projection/Surface

Lines: substitui a configuração de espessura, cor e padrão da


linha para a categoria selecionada.

Patterns: padrão de superfície quando a mesma estiver sendo


vista, por exemplo, nas elevações.

Cut

Lines: substitui a configuração de espessura, cor e padrão da


linha quando a mesma estiver sendo cortada.

Patterns: quando a categoria estiver sendo cortada, é possível


substituir a cor e o seu padrão de preenchimento.

Halftone: ativando essa opção, todas as instâncias da categoria serão


representadas em tom de cinza.

Transparent: na vista selecionada, todas as instâncias da categoria serão


transparentes.

Detail Level: é possível substituir o nível de detalhamento de cada


categoria na vista, entre as opções Coarse, Medium e Fine,
respectivamente, menor, médio e ótimo nível de detalhe. A opção By
View, utilizará as definições da própria vista, definida na View Control
Bar.

Para substituir a representação gráfica de elementos individuais,


e não de todas as instâncias de uma categoria, como visto
anteriormente, é possível clicar com o botão direito sobre o elemento e

120
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 4

utilizar a ferramenta do menu Override Graphics in View, by Element.

FIGURA 176 – Override by Element

Visible: mostra ou esconde o elemento na vista.

Halftone: elementos representados em tom de cinza.

Transparent: elementos representados em trasparência.

Projection Lines: configura a espessura, cor e padrão da linha.

Surface Patterns: configura a visibilidade, cor e padrão de


preenchimento da superfície.

Cut Lines: configura a espessura, cor e padrão das linhas cortadas.

121
CAPÍTULO 4

Cut Patterns: configura a visibilidade, cor e padrão de preenchimento da


superfície cortada.

Underlay

A função Underlay do Revit permitirá que em uma vista de


planta baixa, seja possível visualizar outra planta de diferente nível,
simultaneamente, em tom de cinza. Essa função facilitará quando
houver necessidade de projetar com uma referência de parede, por
exemplo, de outro nível.

FIGURA 177 – Função Underlay disponível para vistas em planta na paleta


Properties

122
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 4

View Range

Em qualquer vista de planta no Revit haverá uma configuração


chamada View Range. Ela representa uma configuração de planos
horizontais que controlam a visibilidade dos objetos. Há três planos
principais horizontais: Top, Cut Plane e Bottom. O plano Top e Bottom
representam respectivamente os limites visuais superior e inferior da
vista. Já o Cut Plane é o plano de corte que determina a altura em que
os elementos serão cortados na vista. Existe outro plano auxiliar
chamado Level, que permite enxergar elementos que se encontram
abaixo do plano Bottom.

FIGURA 178 – Configuração do View Range de uma vista

Hide/Isolate

Além de modificar a representação gráfica nas vistas do Revit, é


possível ainda esconder elementos ou até mesmo toda uma categoria
na vista selecionada. Para isso, é preciso selecionar um ou mais
elementos, na aba Modify, painel View, menu Hide in View, e selecionar
uma das três
123
CAPÍTULO 4

opções, que são respectivamente ocultar elemento(s), ocultar


categoria(s), ocultar por filtro.

FIGURA 179 – Menu Hide in View na aba Modify

Outra opção para acessar as mesmas funções, é clicando com o


botão direito em um ou mais elementos selecionados.

FIGURA 180 – Menu Hide in View com o botão direito

124
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 4

Para mostrar elementos ocultos, na View Control Bar encontra-


se a ferramenta Reveal Hidden Elements. Ativando-a, os elementos
ocultos serão reapresentados na tela de cor magenta. Ao selecionar um
ou mais elementos, é possível escolher Unhide Element ou Unhide
Category.

FIGURA 181 – Ferramenta Reveal Hidden Elements

FIGURA 182 – Revelando elementos ocultos

125
CAPÍTULO 4

FIGURA 183 – Unhide Element e Unhide Category

ANOTAÇÕES
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________

126
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 5

TEXTO

No projeto é preciso descrever alguns elementos, como, por


exemplo, materiais da fachada. Para isso é possível utilizar a ferramenta
de texto.

FIGURA 184 – Ferramenta de texto na aba Annotate, painel Text

Como qualquer elemento de anotação, o texto inserido é


específico da vista e não irá aparecer em nenhum outro local do projeto.
Para adicionar um texto, basta selecionar a ferramenta Text e clicar na
parte sobre o projeto onde será inserido o mesmo. Logo abrirá a caixa
de texto.

Para configurar o estilo do texto ou criar novos, é preciso


acessar o Edit Type, na paleta Properties.

127
CAPÍTULO 5

FIGURA 185 – Configurando a aparência do texto

Color: cor do texto.

Line Weight: espessura da linha.

Background: define se o fundo será transparente ou opaco.

Show Border: liga uma borda ao redor do texto.

Leader Arrowhead: define o tipo da seta ao usar texto com seta. Tem
opções de seta, linha grossa, ponto, etc.

Leader/Border Offset: basicamente define o tamanho da caixa de texto


em relação ao texto.
128
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 5

Text Font: define o tipo de letra do texto.

Text Size: tamanho do texto.

Tab Size: distância da tabulação do texto ao pressionar a tecla TAB.

Bold: texto em negrito.

Italic: texto em itálico.

Underline: texto sublinhado.

Width Factor: fator de expansão da letra.

É possível ainda definir para os textos Leaders, ou linhas de


chamada, inferior, superior ou no meio da caixa de texto.

FIGURA 186 – Exemplo de Leader

129
CAPÍTULO 5

COTAS

As cotas são objetos de anotação e específicos de cada vista que


mostram os tamanhos e as distâncias dos objetos. Há dois tipos de
cotas: temporária e permanente.
O Revit coloca cotas temporárias automaticamente quando
componentes são inseridos. Cotas permanentes são criadas para definir
um determinado tamanho ou distância. Cada tipo de cota pode ser
modificado e o componente que está cotado é atualizado de acordo.
Cotas temporárias e permanentes, por padrão, usam as configurações
de unidades especificadas para o projeto. Para cotas permanentes, é
possível criar tipos de cotas personalizadas.

Na aba Annotate, painel Dimension, encontram-se as


ferramentas de cotas permanentes.

FIGURA 187 – Ferramentas de cotas na aba Annotate

Aligned: usada para cotas no sentido horizontal, vertical e inclinada.

Linear: criação de cotas através de pontos apenas no sentido vertical e


horizontal.

Angular: define cotas de ângulos.

130
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 5

Radial: define raios.

Arc Length: cota de comprimento de arco.

Após a escolha do tipo de cota a ser utilizada, na Options Bar é


possível definir os pontos base para cotar.

FIGURA 188 – Options Bar da cota Aligned

No primeiro campo é definido onde serão marcados os pontos


de cota em relação às paredes.

Wall centerline: pelo eixo das paredes.


Wall faces: pelas faces.
Center of core: pelo centro do núcleo estrutural.
Faces of core: pela da face do núcleo estrutural.

No segundo campo é possível configurar ao lado, em Options –


terceiro campo – a ferramenta para cotar paredes inteiras
automaticamente, selecionando a opção Entire Walls.

FIGURA 189 – Janela para configuração de cotas automáticas

131
CAPÍTULO 5

Openings: cota as aberturas seu pelo centro (Centers) ou pelas suas


extremidades (Widths).

Intersecting Walls: Cota paredes que fazem interseção com as paredes


que estão sendo cotadas automaticamente.

Intersecting Grids: Cota grids que fazem interseção com as paredes que
estão sendo cotadas automaticamente.

Para configurar o estilo de cota ou criar novos estilos, em Edit


Type na paleta Properties encontram-se as seguintes opções:

FIGURA 190 – Parâmetros de configuração de cotas

132
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 5

Dimension String Type: define se a cota será Continuous, Baseline (cotas


de linha base são múltiplas cotas, medidas da mesma linha base) e
Ordinate (cota acumulada a partir de um ponto em uma única linha).

Tick Mark: define o acabamento da cota (por exemplo: diagonal,


bolinhas, seta etc).

Line Weight: define a espessura da linha da cota para impressão.

Tick Mark Line Weight: espessura do Tick Mark selecionado para


impressão.

Dimension Line: tamanho da Dimension Line (quanto à linha avança


depois do Tick Mark).

Witness Line Control: define o tipo de alinhamento das Extension Lines.

Gap to Element: Extension Lines Tick Mark grudadas nos


elementos que correspondem (quando Witness Line Gap to
Element fica ligada definimos o tamanho que as linhas estarão
do objeto)
Fixed to Dimension Line: alinhadas com o mesmo tamanho
(quando Witness Line Length fica ligada, podemos configur este
valor).

Witness Line Extension: define o valor para extensão da linha superior da


cota.

Text Size: tamanho do texto.

Text Offset: distância do texto com a linha de cota.

Read Convertion: posição do texto em relação à linha de cota.

133
CAPÍTULO 5

Text Font: tipo de letra do texto.

Text Background: máscara atrás do texto: opaca ou transparente.

Units Format: unidade a ser representada.

Show Opennig Height: mostra a altura das aberturas (esquadrias)


quando cotadas.

Para criar ou editar os tipos de Tick Mark, basta acessar a aba


Manage/ Settings/ Arrowheads.

FIGURA 191 – Acesso para editar ou criar tipos de Tick Mark

134
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 5

AMBIENTES

No Revit é possível criar e nomear ambientes, através da


ferramenta Room.

FIGURA 192 – Ferramenta Room na aba Architecture, painel Rooms & Area

A ferramenta irá buscar os limites do ambiente, que


normalmente são definidos pelas paredes ou ainda, é possível criar
novos limites utilizando a ferramenta Room Separation, por exemplo,
em varandas ou em ambientes conjugados como sala de estar e jantar.

FIGURA 193 – Identificador de ambiente com a área

Com os identificadores de ambientes inseridos, é possível


calcular a área automaticamente. Em Edit Type, na paleta Properties, é
possível definir qual informação irá mostrar a ferramenta Room, entre
volume, número do ambiente e a área.

Para renomear os ambientes, basta clicar duas vezes sobre


“Room”, ou acessar o título na paleta Properties, no campo Identify
Data/Name.

135
CAPÍTULO 5

DETAIL LINE

A ferramenta Detail Line permite criar linhas com diferentes


espessuras e estilos. É a ferramenta mais próxima do Revit com o
AutoCAD. A forma de utilizar a Detail Line, ou linha de detalhe, se dá da
mesma forma que se cria linhas no CAD.

FIGURA 194 – Ferramenta Detail Line na aba Annotate, painel Detail

Clicando na ferramenta Detail Line, na aba Modify/Place Detail


Line haverá três painéis principais que serão utilizados para desenhar e
modificar uma linha: Modify, Draw e Line Style.

FIGURA 195 – Aba Modify/Place Detail Line

Modify: esse painel permitirá modificar qualquer linha feita no desenho,


como Move, Copy, etc, funções vistas no capítulo 3.

Draw: nesse painel encontram-se várias ferramentas para desenhar o


contorno das linhas, entre linhas retas, retângulos, círculos, arcos,
elipses,

136
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 5

splines e a última ferramenta, denominada Pick Lines, que permite clicar


sobre as linhas no modelo e adicionar uma Detail Line sobre as mesmas.

Line Style: nesse painel encontra-se um menu contendo todos os estilos


de linha configurados no projeto. Os estilos de linha que tem seu nome
entre os sinais < e > são estilos padrão do Revit. Os outros representam
estilos de linha criados por usuários. É possível adicionar ao projeto
outros estilos de linha e utilizá-los nessa ferramenta. Criação de estilos
de linhas visto no capítulo 2, Additional Settings. Para modificar uma
linha já desenhada basta selecioná-la e no painel Line Style mudar para
o estilo desejado.

REGIÕES DE MÁSCARA E PREENCHIDAS

As regiões de preenchidas, ou Filled Region, como no Revit, são


áreas de qualquer formato e tamanho nas quais é possível preencher
com um padrão. Esse padrão preencherá os limites da região da mesma
forma que a Hatch – hachura – preenche uma região no AutoCAD.

FIGURA 196 – Filled Region

137
CAPÍTULO 5

Ao selecionar a ferramenta Filled Region, o modo Sketch será


habilitado e as ferramentas de desenho no painel Draw serão
apresentadas para criar a região/contorno fechado. No painel Line Style
é possível escolher o estilo da linha.

Para escolher o tipo de Hatch utilizado na região, é preciso


acessar o Edit Type na paleta Properties ou escolher os tipos já definidos
no Type Selector.

FIGURA 197 – Type Selector com alguns tipos de Hatch

138
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 5

FIGURA 198 – Edit Type para definir outros tipos de Hatch, em Fill Pattern

As regiões de máscara, ou Masking Region, são regiões em


branco, que podem esconder ou mascarar algum elemento no projeto.

O processo para cria-las é o mesmo das regiões preenchidas,


escolhendo no painel Draw linhas para desenhar o contorno fechado, e
no painel Line Style, o estilo da linha.

TAGS

As Tags são anotações, rótulos ou etiquetas, para identificar


algum elemento do projeto. São textos que buscam informações das
famílias do Revit, como portas e janelas, por exemplo.

139
CAPÍTULO 5

FIGURA 199 – Ferramentas para adicionar uma Tag a um elemento

Elas são elementos específicos da vista em que foi inserida, e


podem informar uma ou várias propriedades do objeto a que se refere.

São inseridas automaticamente ao posicionar uma porta ou


janela se a opção Tag On Placement estiver ativa na aba Modify, painel
Tag.

Na Options Bar encontram-se algumas configurações


importantes.
FIGURA 200 – Opções da Tag

Orientação: é a primeira opção da Options Bar em que é possível


orientar a Tag no sentido horizontal ou vertical.

Tags...: encontram-se as Tags – famílias de tags – inseridas (Loaded) no


projeto.

Leader: com essa opção ativa, uma linha guia auxiliará o


posicionamento da Tag. No menu ao lado é possível determinar o
posicionamento da linha de guia. A opção padrão, Attach End ligará a
linha guia no final da Tag, e na caixa ao lado é possível determinar o
tamanho da linha guia. Já na opção Free End, não há como determinar
o valor para a linha guia, mas é possível posicionar a Tag livremente
pelo projeto.

140
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 5

FIGURA 201 – Exemplo de Tag com leader (linha guia)

Outro método para inserir Tags é utilizando as ferramentas do


painel Tag, figura 199.

Tag By Category: para aplicar Tags uma a uma nos elementos


individualmente. Ela permite selecionar qualquer elemento singular e o
Revit irá posicionar a Tag correta para o mesmo. Caso o elemento não
tenha uma Tag carregada no prejeto, será solicitado para tal.

FIGURA 202 – Solicitação para inserir uma Tag

141
CAPÍTULO 5

Tag All: ferramenta para aplicar tags automaticamente nas categorias


selecionadas. Na janela que se segue, irá mostrar a lista de categorias
disponíveis para Tag e as tags carregadas para cada uma delas. É
Possível selecionar várias categorias ao mesmo tempo pressionando a
tecla Ctrl.

Room Tag: ferramenta para posicionar Tag nos ambientes.

Area Tag: tags para áreas – disponível apenas em área útil.

Material Tag: essa Tag basicamenteé uma caixa de texto e uma linha
guia para os materiais dos elementos. É possível escrever na Tag o texto
que irá descrevê-lo. Esse tipo de Tag permite identificar cada Layer de
material dos elementos. A informação indicada pela Tag fica
armazenada na aba Identify, no campo Description da configuração do
material. Se a Tag do material informar uma interrogação, quer dizer
que o campo Description está em branco. É possível clicar duas vezes
sobre a interrogação e inserir a informação através da Tag, que o Revit
automaticamente irá armazenar a informação no campo descrito acima
do material.

ANOTAÇÕES
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________

142
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

APLICAÇÃO DE MATERIAIS

Gerenciamento e criação de materiais foi um assunto visto no


capítulo 2. Após configurar ou criar materiais na aba Manage, é possível
aplica-los nas superfícies do projeto, por exemplo, em uma parede, caso
não tenha definido o acabamento da mesma por layers, com materiais
já definidos – capítulo 3, Parede – Wall.

Para aplicar materiais/texturas nas faces, na aba Modify, painel


Geometry, figura 203, encontram-se algumas ferramentas para auxiliar o
processo.

FIGURA 203 – Ferramentas para aplicação de texturas, na aba Modify

De cima para baixo, a primeira ferramenta se chama Split Face,


ou seja, ela corta superfícies inteiras, fazendo com que seja possível
aplicar materiais diferentes em cada parte.

FIGURA 204 – Superfície de uma mesma parede com texturas diferentes

143
CAPÍTULO 6

Para separar uma superfície de um todo, após clicar sobre a


ferramenta Split Face, é preciso selecionar pela aresta a superfície que a
ser cortada. A tecla Tab pode ajudar nesse processo de seleção da
superfície, quando estiver difícil de selecioná-la.

Depois de selecionada, no modo Sketch é preciso utilizar as


linhas do painel Draw e criar o corte ou divisão da superfície. É
importante lembrar que deve ser considerada a linha de limite da
superfície, e não desenhar por cima dela.

Ao terminar, clicar em Finish Edit Mode ou para cancelar Cancel


Edit Mode.

FIGURA 205 – Utilizando a ferramenta Split Face

FIGURA 206 – Após a conclusão em Finish Edit Mode

144
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

FIGURA 207 – Aplicação de textura diferente em ambas as partes da superfície

Por fim, a aplicação da textura em si, com a ferramenta Paint.

FIGURA 208 – Ferramentas Paint e Remove Paint

Ao selecionar Paint, será aberta uma janela para a escolha de


materiais configurados na aba Manage, Materials.

145
CAPÍTULO 6

FIGURA 209 – Janela de materiais

Após selecionar o material, clicar sobre a superfície. Para finalizar


e encerrar, clicar em Done, na janela Material Browser.

SCHEDULES – TABELAS

Schedules são tabelas que mostram várias informações sobre


um projeto, informações essas, extraídas das propriedades dos
elementos. É possível listar cada instância de um tipo de elemento
aplicado no projeto, como esquadrias – portas e janelas – ou uni-las em
uma única linha baseado no critério de agrupamento configurado na
tabela.

146
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

As tabelas podem ser criadas a qualquer momento no Revit,


pois as informações alteradas no projeto serão refletidas
automaticamente na tabela e vice-versa, ou seja, se foi criada uma
tabela de área e essa mesma área tiver sido alterada no projeto, as
informações serão atualizadas na tabela.

Uma tabela é uma representação matricial, isto é, em linhas e


colunas, tantas quantas a aplicação que se queira dar. Elas têm um
ponto muito forte que é a capacidade de nos dar muita informação em
pouco espaço.

As tabelas são vistas do Revit e são encontradas, quando feitas,


no Project Browser, em Schedules.

Tipos de tabelas:

Schedules/ Quantities: Lista informações aplicadas às famílias. Não é


possível quantificar ou indicar informações do parâmetro de materiais.

Material Takeoff: Lista informações dos materiais aplicadas às famílias.


Sempre necessário adicionar parâmetros relacionados ao material.
Busca informações da aba Identify na janela de gerenciamento de
matérias.

Sheet List: Lista as vistas de folhas do projeto.

147
CAPÍTULO 6

FIGURA 210 – Ferramenta de criação de tabelas, na aba View, painel Create

Schedules/Quantities – Quantitativos

FIGURA 211 – Janela para escolher a categoria a ser listada e nomear a tabela.
Exemplo: Tabela de Portas

148
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

FIGURA 212 – Propriedades da tabela, aba Fields

A aba Fields seleciona os parâmetros das portas a serem


apresentadas na tabela. O Add é utilizado para acrescentar os
parâmetros do campo Available fields para Schedules fields (in order) e
Remove para remover parâmetros acrescentados.

A listagem de parâmetros a ser apresentada na tabela deve


estar em ordem de apresentação da mesma. Para colocar os
parâmetros em ordem, quando necessário, utiliza-se Move Up e Move
Down.

Na aba Filter é possível criar filtros para limitar ou organizar


como serão demostradas as informações na tabela. Por exemplo, é
possível limitar um valor que poderá aparecer em um campo
selecionado.
149
CAPÍTULO 6

FIGURA 213 – Aba Filter

Na aba Sorting/Grouping existe a possibilidade de classificar e


organizar os campos nas linhas da tabela, ou seja, é possível escolher
por qual campo a tabela será organizada primeiro, por exemplo Type
Mark, que representa o nome das portas (P01, P02...)

Ascending e Descending: Ascendente/ ordem crescente ou


descendente/ ordem decrescente.

Header, Footer e Blank Line: respectivamente para adicionar


linha de cabeçalho e rodapé e com a opção Blank Line para adicionar
uma linha em branco entre cada categoria.

Grand totals: calcula os totais numéricos.

150
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

Itemize Every Instance: essa opção irá mostrar na tabela todas as


instâncias de um elemento em linhas individuais. Ao desmarcá-la, as
várias instâncias de um mesmo elemento serão agrupadas em uma
única linha.
FIGURA 214 – Aba Sorting/Grouping

Na aba Formatting encontram-se várias opções de formatação


da tabela.

Fields: lista que permite selecionar qual campo da tabela será


formatado.

Heading: nesse parâmetro é possível mudar o nome do campo


selecionado.

Heading Orientation: orientação da tabela vertical ou horizontal. Essa


configuração somente será visível quando a tabela for adicionada a um
formato.

151
CAPÍTULO 6

Aligment: determina o alinhamento da coluna na tabela, esquerda,


central ou direita.

Calculate Totals: em alguns campos como área ou custo, por exemplo, é


possível marcar essa opção para que o Revit some o total da coluna.

Field Format: Determina a unidade de medida de alguns campos, como


altura (Height), por exemplo. A opção Use Project Settings marcada, fará
com que a unidade de medida apresentada na tabela seja a mesma
configurada para o projeto, em Project Units.

FIGURA 215 – Aba Formatting

152
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

E por fim, na aba Appearance é possível configurar a aparência


gráfica da tabela.

Grid lines: ativa, mostra as linhas que delimitam as linhas e colunas da


tabela fomando um grid. Ao lado é possível escolher qual o estilo de
linha que será usado para o mesmo.

Grid in readers/footers/spacers: opção que permite colocar ou tirar as


linhas do grid nos cabeçalhos, rodapés e espaçadores ou linhas em
branco.

Outlines: opção que permite configurar um estilo de linha diferente para


a linha de borda da tabela.

Blanc row before data: essa opção irá adicionar uma linha branca antes
de mostrar as informações da tabela.

Show title: mostra ou esconde o título da tabela.

Show readers: mostra ou esconde o cabeçalho da tabela.

Readers text: no menu ao lado é possível configurar a fonte do texto


para o cabeçalho.

Body text: no menu ao lado é possível configurar a fonte do texto para


o restante da tabela.

153
CAPÍTULO 6

FIGURA 216 – Aba Appearance

Para concluir a tabela, basta clicar em OK. A qualquer tempo,


para voltar nas configurações da mesma, na paleta Properties da vista
da tabela, encontram-se todas as cinco abas vistas anteriormente.

FIGURA 217 – Paleta Properties da tabela

154
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

FIGURA 218 – Tabela de Portas concluída

CRIAÇÃO DE VISTAS 3D

É possível criar vistas 3D com ponto de fuga e/ou isométricas no


Revit.
Vistas 3D isométricas mostram o modelo de projeto em uma
vista 3D em que todos os componentes têm o mesmo tamanho,
independentemente da distância da câmera. Este tipo de vista pode ser
criada na View / 3D View / Default 3D.

FIGURA 219 – Ferramenta de criação de vistas 3D, na aba View

155
CAPÍTULO 6

FIGURA 220 – Ferramenta de criação de vistas 3D, na Quick AccessToolbar

Acessando uma destas ferramentas uma nova vista será


apresentada e listada no Project Browser.

FIGURA 221 – Vista 3D criada no Visual Style Hidden Line

156
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

FIGURA 222 – Vista 3D criada no Visual Style Realistic with Edges

Nesta vista é possível utilizar a ferramenta para rotacionar. Para


isso basta o Scroll do mouse + Shift do teclado, assim será ativado o
Orbit.

Na Options Bar é possível determinar a vista entre Perspectiva


ou Isométrica, marcando ou desmarcando a primeira opção.

FIGURA 223 – Options Bar

157
CAPÍTULO 6

Cortes 3D
FIGURA 224 – Corte 3D

Uma função muito interessante do Revit é criar cortes 3D. Para


isso, é possível duplicar a vista 3D – {3D} – clicando sobre ela no Project
Browser com o botão direito do mouse, e dar um nome a ela, por
exemplo, Corte Transversal 3D.

FIGURA 225 – Duplicando a vista 3D

158
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

Na nova vista duplicada, é preciso clicar com o botão direito do


mouse sobre View Cube.

FIGURA 226 – Clicando sobre o View Cube

SHEETS – PRANCHAS PARA IMPRESSÃO

Para a documentação do projeto em diversos formatos (A0,


A1...) para impressão, é utilizada a ferramenta Sheet (folha), que se
encontra na aba View.

159
CAPÍTULO 6

FIGURA 227 – Ferramenta Sheet, na aba View

A folha é uma vista específica que podem ser adicionadas a ela


vários desenhos do projeto.

FIGURA 228 – Exemplo de um formato A0 com várias vistas do projeto

Todas as folhas/formatos ficam localizadas no Project Browser,


no campo Sheet, após serem criadas. Para adicionar um formato ao
projeto,

160
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

selecionando a ferramenta Sheet na aba View, na janela que se segue, o


botão Load, irá carregar uma lista de famílias para selecionar. A vista
abrirá automaticamente.

FIGURA 229 – New Sheet

Com o formato aberto, é possível editar o seu tamanho, criando


outros formatos, por exemplo, e até mesmo editar ou criar um carimbo
contendo informações sobre projeto. Para isso, basta selecionar o
formato e clicar em Edit Family.

161
CAPÍTULO 6

FIGURA 230 – Edit Family para editar o formato

Para adicionar os desenhos do projeto ao formato, basta utilizar


a ferramenta View localizada na aba View, painel Sheet Composition. Na
janela que se segue, é possível escolher uma a uma, as vistas desejadas
para adicionar ao formato.

FIGURA 231 – Lista para adicionar vistas ao formato

162
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

Outro método de adição de vistas ao formato é selecionando a


vista no Project Browser e arrastando-a para o formato.

De acordo com a escala especificada em cada vista na View


Control Bar, figura 232, ou na paleta Properties, figura 233, cada uma
terá o seu tamanho em escala no formato.

FIGURA 232 – Ferramenta Scale na View Control Bar

FIGURA 233 – Ferramenta Scale na paleta Properties

163
CAPÍTULO 6

RENDERIZAÇÃO

Para criar uma renderização no Revit é preciso inicialmente criar


a vista 3D, vista anteriormente neste capítulo.

Para ajustar a imagem da Crop Region, o contorno da vista 3D


criada, é possível fazê-lo pelos grips ou através da ferramenta Size Crop.

FIGURA 234 – Ajustando a Crop Region pelos grips e ferramenta Size Crop

164
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

FIGURA 235 – Ajustando a Crop Region pela ferramenta Size Crop

Depois de ajustada a imagem a ser renderizada, na aba View


encontra-se a ferramenta Render.

FIGURA 236 – Ferramenta Render na aba View

165
CAPÍTULO 6

FIGURA 237 – Janela Rendering para configurar a renderização

Render: botão que dá início ao cálculo da cena.

Region: ativando essa opção, um quadro vermelho aparecerá na vista, e


através dos seus grips é possível ajustar o tamanho, limitando assim uma
área a ser renderizada.

Quality/Settings: menu que permite escolher a qualidade final da


imagem renderizada. Quanto melhor a qualidade, maior o tempo que
levará para renderizar a imagem.

Output Settings/Resolution: há duas alternativas para a escolha da


resolução, sendo a primeira pela largura e altura da imagem em pixels:

166
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

Screen, que utilizará o nível do zoom atual da vista e Printer, que


permite escolher a quantidade de pixels na imagem, ou seja, DPI (Dots
per Inch). Quanto maior o DPI, maior e mais pesada ficará a imagem e
mais lenta para renderizar.

Scheme: nesse menu é possível configurar quais luzes serão


consideradas para o cálculo da cena.

Sun Setting: configura o sol da cena.

Artificial Lights: escolhendo o Scheme luzes artificiais, esse botão permite


selecionar as luminárias do projeto que acenderão e farão parte do
cálculo de cena.

Background/Style: permite configurar o fundo da cena, entre céu sem


nuvem ou com muitas nuvens, ou ainda permite escolher uma cor para
o background ou importar uma imagem de céu ou paisagem.

Adjust Exposure: após o término do render, esse botão permite entrar


na janela Exposure Control, que funciona como um editor de imagem,
ajustando o brilho, saturação, contraste, etc, da imagem renderizada.

Save to Project: é possível salvar a imagem renderizada somente dentro


do projeto, que ficará armazenada no Project Browser.

Export: esse botão permite determinar o nome e o tipo do arquivo para


salva-lo fora do projeto.

Display/Show the Rendering/Model: após renderizar a imagem é


possível com esse botão alternar a vista entre a visualização do modelo
ou a visualização da renderização. Essa opção não é permanente, pois,
se a vista for fechada, ao abri-la novamente ela não estará mais
disponível, ou seja, se após o trabalho do render a imagem não for salva
ou exportada, será necessário renderizá-la novamente.
167
CAPÍTULO 6

ESTUDO SOLAR

O estudo solar é uma vista sombreada que demonstra um


período de tempo configurado pelo usuário, como será a insolação e a
projeção de sombras no projeto.

Para criar o estudo solar é preciso abrir a vista 3D e através da


View Control Bar, clicar sobre o botão Sun Path e ativá-la, e em seguida
escolher a opção Sun Settings.

FIGURA 238 – View Control Bar e a ferramenta Sun Path

FIGURA 239 – Janela Sun Settings

Still: determina que o sol fique estático e no campo ao lado é possível


configurar a locação do projeto, a data e o horário desejados.

168
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

Single day: determina a movimentação do sol durante um dia. No


campo ao lado, no parâmetro Time, agora é preciso determinar um
intervalo de tempo que varia até no máximo 24 horas. Ativando a opção
Sunrise to sunset, esse intervalo de tempo será definido pelo nascer ao
pôr-do-sol. O parâmetro Frame demonstra o número de quadros ou
fotos que haverá na animação do estudo solar, e o parâmetro Time
Interval define o intervalo de tempo a cada quadro criado.

Multi-Day: possibilita animar o sol ao longo de vários dias ou anos com


um intervalo de tempo determinado e com outras opções para o Time
Interval.

Após configurar o sol em Single ou Multi-Day, é possível ativar a


sombra na View Control Bar, no botão Shadows. Em seguida voltar ao
mesmo menu, e selecionar a opção Preview Solar Study.

FIGURA 240 – Ferramenta Shadows On (ativa) na View Control Bar

FIGURA 241 – Preview Solar Study

169
CAPÍTULO 6

Na Options Bar encontram-se ferramentas de Play Back


permitindo o usuário visualizar a animação diretamente no Revit antes
de exportá-la em um arquivo de vídeo externo.

FIGURA 242 – Options Bar do Estudo Solar

Para exportar o estudo solar, é necessário clicar sobre o


Application Menu, Export, Images and Animations, Solar Study.

FIGURA 243 – Janela de exportação do estudo solar

Nessa janela encontram-se as configurações para o


comprimento da animação e para o formato do arquivo. É preciso
tomar cuidado com o número de Frames/Sec, pois dependendo da
quantidade de Frames

170
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

que a animação possui, é possível mudar o tempo total da mesma


aumentando ou diminuindo esse parâmetro.

WALKTHROUGH

Para criar um passeio de câmera por dentro do projeto é preciso


acessar a aba View, painel Create, 3D View, Walkthrough.

FIGURA 244 – Ferramenta Walkthrough, na aba View

É possível configurar na Options Bar, a altura da


câmera/observador (Offset) e qual o nível está sendo criada a animação.
Esse valor pode ser modificado a cada clique para criar o caminho.
O usuário deve criar o caminho clicando pela planta baixa até
formar o percurso. Terminando o caminho, é preciso acionar o
comando Finish Walkthough localizado no menu superior. Ao finalizar,
no Project Browser aparece um novo item chamado Walkthrough, onde
estará armazenado o vídeo criado. Clicando duas vezes sobre o vídeo e
possível acessar o desenho do caminho criado. Deverá aparecer uma
Crop (caixa que contorno o desenho).

171
CAPÍTULO 6

Com a Crop selecionada, no menu superior encontra-se a


ferramenta Edit Walkthroug. Uma nova barra no menu superior será
utilizada. Na opção Frame é preciso alterar para 1 de 300. Em seguida,
clicar em Play para ver a animação funcionando.

FIGURA 245 – Edit Walkthroug

FIGURA 246 – Edit Walkthroug

Na opção Controls é possível controlar o trajeto e as câmeras.


Para isso é preciso acessar uma planta baixa (Floor Plans) e com o botão
direito do mouse sobre o nome do Walkthrough criado no Project
Browser solicitar a opção Show Camera.

Active Camera: faz aparecer a câmera azul, e assim pode ser controlada.

172
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

Path: as bolinhas vermelhas ficam azuis e podem ser arrastas para


definir uma melhor posição do caminho.

Add Key Frame: adiciona novos pontos de controle, bastando clicar no


caminho existente.

Remove Key Frame: remove pontos de controle.

Para exportar o Walkthrough, é necessário clicar sobre o


Application Menu, Export, Images and Animations, Walkthrough.

IMPRESSÃO

O Revit permite que o usuário imprima formatos criados (Sheets)


ou vistas aleatórias do projeto, sem necessariamente adiciona-las a um
formato. É possível criar PDF além de enviar para impressoras instaladas
no computador.

É importante salientar que na impressão, a cor de fundo sempre


será branca, na configuração padrão, alguns elementos como tags e
crop regions não serão impressos, pois, para isso é preciso configurá-los
manualmente, e por fim, elementos que foram escondidos
temporariamente, serão impressos.

173
CAPÍTULO 6

FIGURA 247 – Janela de impressão

Printer/Name: escolher a impressora instalada no computador. O Revit


não possui uma impressora digital, ou seja, que gera PDF, para isso é
necessário instalar um programa para gerar o PDF, como Adobe PDF ou
PDF Creator.

File: ao optar por uma impressora, como, por exemplo, PDF, que irá
gerar um arquivo desse tipo, essa opção estará ativa. É possível
combinar as várias vistas selecionadas em um único arquivo, na primeira
opção, ou criar arquivos separados para cada vista, na segunda opção.

Name: nomear e definir o diretório do computador (local), em Browse, a


ser criado o arquivo.

174
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

Print Range – área de seleção

Current Window: janela atual do projeto.

Visible portion os current window: irá imprimir apenas a porção visível


da janela atual.

Selected views/sheets: clicando em Select e na janela que se segue, é


possível selecionar as vistas ou formatos/sheets para impressão.

Setup: em Setup é possível fazer configurações extras e importantes na


impressão, na janela que se segue, Print Setup.

FIGURA 248 – Janela Print Setup

175
CAPÍTULO 6

Name: lista com o nome dado às impressões. Com o botão Save As é


possível criar configurações predefinidas a serem utilizadas
posteriormente, economizando tempo por não precisar configurar tudo
novamente.

Paper/Size: menu com todos os papeis/formatos disponíveis para


impressão.

Orientation: escolher entre retrato ou paisagem.

Paper Placement: posicionamento do formato no papel da impressão.

Zoom: determina o zoom do formato de sua escala original. Fit to page


fará com que a vista se adapte ao tamanho do papel. Na opção
Zoom=100%, significa que a impressão seguirá seu tamanho original
sem modificações.

Raster quality: opção que controla a qualidade da impressão.

Colors: Black Lines, tudo será impresso em preto. Entretanto, todas as


imagens e preenchimentos sólidos, serão convertidos em escala de
cinza. Grayscale, impressão em escala de cinza, e Color permite que
qualquer cor do projeto será mantida e impressa, o que dependerá
apenas das cores disponibilizadas na tinta da impressora.

Options: permite ligar ou desligar na impressão todos os objetos que


por padrão não serão plotados.

176
Le ARQ Escola de Computação Gráfica Revit
CAPÍTULO 6

ANOTAÇÕES
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________
177