Você está na página 1de 199

1

ORGANIZADORES
ARIANE MARCELA CÔRTES

KELEN SBOLLI

MARCUS JULIUS ZANON

COLABORADORES
LEANDRO CÉSAR MOREIRA SANTOS

MARIA LUIZA STEFANELO

SANDRA DO CARMO

CATÁLOGO DE PATENTES DAS INSTITUIÇÕES DE


PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DO
PARANÁ

CURITIBA

2010

2
APRESENTAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ

A Lei de Inovação representa uma das mais importantes conquistas para o


Paraná nos últimos anos. Reivindicada há algum tempo por lideranças pró‐
inovação e academia, a nova lei, somada às inúmeras políticas públicas para o
setor, consolida o sistema estadual de ciência e tecnologia e contribui com o
desenvolvimento sócio‐econômico. Especial atenção deverá ser dada às regiões
com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e à micro e a pequena
empresa.

Orlando Pessuti
Governador do Estado do Paraná

3
SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR

Assinado na gestão do Governador Orlando Pessuti, como resultado dos


esforços empreendidos pelo governo estadual, academia e empresas, o
anteprojeto que trata da Lei de Inovação se constitui em mais um marco
regulatório de desenvolvimento sustentável e progresso científico e tecnológico no
Estado. Com ela, boa parte do conhecimento gerado por instituições de ensino e
pesquisa, públicas e privadas, poderá ser transformada em mais riquezas para o
Paraná e o País por meio de projetos cooperativos criativos e inovadores, capazes
de gerar emprego e renda e de aumentar a qualidade e competitividade de novos
produtos, estratégias e processos sem perder de vista a melhoria da qualidade de
vida da nossa população.

Nildo José Lübke


Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

4
INSTITUTO DE TECNOLOGIA DO PARANÁ ‐ TECPAR

Com a lei de inovação vamos construir um novo modelo de desenvolvimento


tecnológico para o país. Assim, teremos as condições necessárias para fomentar as
atividades de ciência e tecnologia, revertendo‐as em ações que estimulem o
crescimento econômico e diminuam as diferenças sociais. Com investimentos
planejados promoveremos o desenvolvimento dos processos produtivos e a
eficiência tecnológica, potencializando assim a competitividade das indústrias. O
Estado, mais uma vez, cumpre o seu papel indutor da inovação ao colocar a
pesquisa científica e tecnológica no mercado para que todos tenham mais
qualidade de vida, trabalho e bem‐estar. O Instituto de Tecnologia do Paraná não
medirá esforços para que os projetos de inovação existentes e aqueles que estão
por vir sejam absolutamente focados no favorecimento e prestígio da inclusão
social.

Luiz Fernando de Oliveira Ribas


Presidente do Instituto de Tecnologia do Paraná ‐ Tecpar

5
SUMÁRIO
APRESENTAÇÃO............................................................................................................................................... 3

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ ........................................................................................................... 3

SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR ................................................. 4

INSTITUTO DE TECNOLOGIA DO PARANÁ ‐ TECPAR.................................................................................... 5

LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS .................................................................................................................. 8

INTRODUÇÃO ................................................................................................................................................ 11

APPI ........................................................................................................................................................... 13

REDE PARANAENSE DE GESTÃO EM PROPRIEDADE INTELECTUAL ........................................................... 14

NITPAR ....................................................................................................................................................... 17

NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA (NITs)............................................................................................. 19

FIEP – FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ .................................................................... 21

IAPAR – INSTITUTO AGRONÔMICO DO PARANÁ .......................................................................................... 23

ICC‐ INSTITUTO CARLOS CHAGAS / FIOCRUZ ................................................................................................ 33

IEP ‐ INSTITUTO DE ENGENHARIA DO PARANÁ............................................................................................. 35

IFPR – INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ....................................................................................................... 37

LACTEC – INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO........................................................... 39

PTI – PARQUE TECNOLÓGICO DE ITAIPU ...................................................................................................... 65

PUC‐PR – PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ..................................................................... 67

TECPAR – INSTITUTO DE TECNOLOGIA DO PARANÁ ..................................................................................... 76

UEL – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA ........................................................................................... 83

UEM – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ ........................................................................................ 102

UEPG – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA ............................................................................. 117

UFPR – UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ ............................................................................................ 119

UNICENTRO – UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO‐OESTE ................................................................... 172

UNIOESTE – UNIVERSIDADE DO OESTE DO PARANÁ .................................................................................. 178

UTFPR – UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ .................................................................. 185

UTP – UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ ................................................................................................. 192

6
GLOSSÁRIO .................................................................................................................................................. 196

REFERÊNCIAS ............................................................................................................................................... 198

7
LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS

APPI

Agência Paranaense de Propriedade Industrial

CNPq

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

FIEP

Federação das Indústrias do Estado do Paraná

FINEP

Financiadora de Estudos e Projetos

IAPAR

Instituto Agronômico do Paraná

ICC

Instituto Carlos Chagas

ICT

Instituição Científica Tecnológico

IEP

Instituto de Engenharia do Paraná

IES

Instituição de Ensino Superior

8
IFPR

Instituto Federal do Paraná

INPI

Instituto Nacional da Propriedade Industrial

LACTEC

Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento

NITPAR

Núcleo de Inovação Tecnológica do Paraná

P,D &I

Pesquisa, desenvolvimento e inovação

PTI

Parque Tecnológico Itaipu

PUC‐PR

Pontifícia Universidade Católica do Paraná

PI

Propriedade Intelectual

REPARTE

Rede Paranaense de Tecnologia e Inovação

RIPA

Rede de Inovação e Prospecção Tecnológica para o Agronegócio


9
SEAB

Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná

SETI

Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

TECPAR

Instituto de Tecnologia do Paraná

UEL

Universidade Estadual de Londrina

UEM

Universidade Estadual de Maringá

UEPG

Universidade Estadual de Ponta Grossa

UFPR

Universidade Federal do Paraná

UNICENTRO

Universidade Estadual do Centro‐Oeste

UNIOESTE

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

UTFPR

Universidade Tecnológica Federal do Paraná


10
INTRODUÇÃO

A pesquisa é um dos principais acionadores do crescimento econômico e da


competitividade no mercado global. O sucesso de uma economia baseada no
conhecimento dependerá de nossa habilidade em inovar, para gerar novos
conhecimentos, idéias e tecnologias. As inovações devem ser utilizadas para
conquistar benefícios culturais, sociais e econômicos. A chave para o sucesso da
inovação é o fluxo da criatividade, idéias, habilidades e pessoas entre os atores do
sistema de inovação, ou seja, as universidades, institutos de pesquisa e empresas.

A primeira edição do Catálogo de Patentes das Instituições de Pesquisa,


Desenvolvimento e Inovação do Paraná reuniu a descrição das patentes, solicitadas
e concedidas, de quinze instituições do nosso estado. Esta iniciativa do Nitpar –
Núcleo de Inovação Tecnológica do Paraná – foi um marco na história da inovação
do Estado do Paraná e uma importante contribuição à consecução dos objetivos da
Lei da Inovação, constituindo‐se em um inventário das principais linhas de pesquisa
de nossas instituições que chegaram a resultados promissores.

Sua divulgação permite que sejam identificadas Instituições de P,D&I e linhas de


pesquisa que se destacam por resultados concretos, facilitando a formação de
parcerias para novos desenvolvimentos e acelerando o ciclo de inovação pela
assimilação de conhecimentos e resultados já disponíveis. Da mesma forma, o
Catálogo é útil a empresas em busca de parcerias, de tecnologia, de
conhecimentos e mesmo de inspiração para seu desenvolvimento tecnológico.

Agora, em sua segunda edição, foram adicionadas novas patentes e participaram


mais instituições, totalizando 18, agregando ao catálogo tecnologias recentemente
protegidas constituindo‐se em um verdadeiro inventário das principais linhas de
pesquisa de nossas instituições.

Agradecemos às instituições que colaboraram na atualização desta segunda edição


e nos comprometemos a revisar periodicamente o Catálogo, atualizando as
informações, agregando mais instituições, aperfeiçoando a descrição das patentes,
e ampliando sua divulgação. O Catálogo de Patentes pode ser visualizado e
atualizado pelas Instituições cadastradas no Portal do NITPAR

11
(www.nitpar.pr.gov.br) ou pelo email (appi@tecpar.br). Gostaríamos para isso
receber dos usuários comentários e sugestões sobre o conteúdo, a forma de
apresentação e a divulgação.

12
APPI

A Agência Paranaense de Propriedade Industrial foi criada em agosto de


2002, inserida no TECPAR, em parceria com a Fundação Araucária. O objetivo
principal é disseminar a cultura de Propriedade Industrial para as Empresas
Paranaenses, através da criação da Rede Paranaense de PI, com o intuito de
fornecer apoio em gestão do conhecimento científico e tecnológico aos
pesquisadores e aos setores produtivos do Paraná, com vistas à proteção da
Propriedade Industrial. Em especial, atua no que se refere a patenteamento de
resultados inovadores de pesquisa, promovendo uma aceleração no
desenvolvimento econômico do Paraná ao:
− Estimular o uso dos Sistemas de Propriedade Industrial e a exploração das
informações de Patentes;

− Encorajar a invenção, criatividade e inovação no Paraná;

− Auxiliar as Universidades/Empresas a administrar os serviços de


Propriedade Industrial no INPI (Instituto Nacional de Propriedade
Industrial);

− Promover o interesse de propriedade industrial internacional do Paraná.

13
REDE PARANAENSE DE GESTÃO EM PROPRIEDADE INTELECTUAL

Com a finalidade de consolidar os serviços prestados à comunidade


paranaense, implantamos este programa com intuito de fornecer apoio em gestão
do conhecimento científico e tecnológico aos pesquisadores e aos setores
produtivos do Paraná, quanto à proteção do conhecimento e, em especial, no que
se refere ao patenteamento de resultados inovadores de pesquisa.

A Rede Paranaense de Gestão em Propriedade Intelectual foi iniciada em


janeiro de 2003, em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR),
Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e Instituto de Tecnologia do
Paraná – TECPAR, através da Agência Paranaense de Propriedade Industrial – APPI.
Contou com recursos do Fundo Verde Amarelo (projeto CNPq), visando estimular e
disseminar a cultura e a prática de propriedade intelectual, além de incentivar a
transferência de tecnologia no contexto universitário e em Centros de Pesquisa
Paranaenses.

Em dezembro de 2007 foi inaugurado o Núcleo de Inovação do Paraná


com a missão de unir a capacidade científica e tecnológica das instituições
paranaenses com as necessidades da sociedade, em prol das atividades de
pesquisa, desenvolvimento e inovação, contribuindo para o desenvolvimento
econômico e social do país.

14
AÇÕES ESTRATÉGICAS DA

REDE PARANAENSE DE GESTÃO EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (PI)

■■ Introduzir a cultura do sistema de propriedade intelectual nas instituições


tecnológicas;
■■ Fomentar o uso dos Sistemas de Informações Tecnológicas de Patentes;
■■ Fomentar a criação de Núcleos de Gestão e Comercialização de Tecnologia
nas instituições tecnológicas;
■■ Capacitação Profissional em PI;
■■ Estudar modelos de apoio ao inventor;
■■ Discutir e propor mecanismos que viabilizem a transformação de
tecnologias de bancada em produtos comerciais;
■■ Implantar “Portais” com informações de PI, bibliotecas em propriedade
intelectual;
■■ Promover eventos, seminários, workshops e reuniões para disseminar
informações em temas da propriedade intelectual;
■■ Criar Fundos para custear patentes no Brasil e exterior com tecnologias
que sejam de interesse econômico e social para o Estado do Paraná;
■■ Implantar políticas de propriedade industrial em todas as Instituições da
Rede.

15
INTEGRANTES DA REDE PARANAENSE DE GESTÃO EM PROPRIEDADE INTELECTUAL
ABAPI ‐ Associação Brasileira dos Agentes da Propriedade Industrial, Seccional Sul (ABAPISUL)
ABIN ‐ Agência Brasileira de Inteligência
AMCHAM ‐ Câmara Americana de Comércio
CNPq ‐ Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
COPEL ‐ Companhia Paranaense de Energia
Embrapa Floresta ‐ Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Unidade Floresta
UNICURITIBA ‐ Centro Universitário Curitiba
FIEP / SENAI / SESI / NOPI ‐ Núcleo de Orientação em PI
FINEP ‐ Financiadora de Estudos e Projetos
Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná
Fundação Parque Tecnológico Itaipu ‐ PTI Brasil
FUNPAR ‐ Fundação da Universidade Federal do Paraná
IAPAR ‐ Instituto Agronômico do Paraná
IEP ‐ Instituto de Engenharia do Paraná
IFPR ‐ Instituto Federal de Ensino, Ciência e Tecnologia do Paraná
INPI ‐ Instituto Nacional da Propriedade Industrial
Itaipu Binacional ‐ Usina hidrelétrica de Itaipu Binacional
LACTEC ‐ Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento
Paraná Metrologia ‐ Rede Paranaense de Metrologia e Ensaios
PTI BRASIL ‐ Fundação Parque Tecnológico Itaipu
PUC‐PR ‐ Pontifícia Universidade Católica do Paraná
REPARTE ‐ Rede Paranaense de Incubadoras e Parques Tecnológicos
Rede de Inovação e Prospecção Tecnológicas para o Agronegócio ‐RIPA
SEBRAE Paraná ‐ Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná
SETI ‐ Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
TECPAR / APPI ‐ Instituto de Tecnologia do Paraná/Agência Paranaense de Propriedade Industrial
UEL ‐ Universidade Estadual de Londrina
UEPG ‐ Universidade Estadual de Ponta Grossa
UEM ‐ Universidade Estadual de Maringá
UFPR ‐ Universidade Federal do Paraná
UNICENTRO ‐ Universidade Estadual do Centro‐Oeste
UNIOESTE ‐ Universidade Estadual do Oeste do Paraná
UTFPR ‐ Universidade Tecnológica Federal do Paraná
UTP ‐ Universidade Tuiuti do Paraná

16
NITPAR

Objetivos

− Estimular e apoiar a inovação em empresas de base tecnológica;


− Apoiar e facilitar a transferência de tecnologia de ICT’s (Instituições
Científicas e Tecnológicas) para o mercado;
− Estimular e apoiar a cooperação entre empresas e ICT’s para a inovação.

Atuação

A atuação do NITPAR tem como referência a Lei de Inovação. Seu escopo


incluirá a promoção e a facilitação do acesso aos incentivos oferecidos pela Lei,
assim como a capacitação nos conhecimentos e competências necessárias ao
usufruto desses incentivos.

Serviços oferecidos

− Capacitação em Propriedade Intelectual;


− Oficinas pró‐inovação;
− Diagnóstico e promoção de Capacidades para Inovação;
− Monitoramento tecnológico;
− Pesquisa de anterioridades;
− Levantamento de ofertas e demandas tecnológicas para o agronegócio;
− Estímulo ao empreendedorismo (criação de spin‐off);
− Estímulo à incubação de projetos inovadores.
Parceiros

O NITPAR é uma iniciativa do Tecpar – Instituto de Tecnologia do Paraná, que


conta para sua criação com apoio da Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia

17
do Paraná – SETI e de recursos da Finep – Financiadora de Estudos e Projetos,
através dos projetos “Tecnoparque Curitiba” (convênio 0.1.03.0343.00) e “Rede
Paranaense de Gestão em Propriedade Intelectual” (convênio 0.1.06.0641.00). São
parceiros do NITPAR:

SETI – Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do

Paraná;

Fundação Araucária;

Tecpar – Instituto de Tecnologia do Paraná;

Universidades Estaduais, Federais e Particulares do Paraná;

Institutos de Pesquisa;

Instituto de Engenharia do Paraná;

APPI ‐ Agência Paranaense de Propriedade Industrial;

Reparte ‐ Rede Paranaense de Incubadoras e Parques Tecnológicos;

RIPA ‐ Rede de Inovação e Prospecção para o Agronegócio.

18
NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA (NITS)

A Lei Federal n° 10.973, de 02 de dezembro de 2004, regulamentada pelo Decreto


n° 5.563, de 11 de outubro de 2005, conhecida como Lei de Inovação, estabeleceu
medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente
produtivo. Dentre as medidas foram desenvolvidos mecanismos de gestão para as
instituições científicas e tecnológicas e sua relação com as empresas. Desse modo,
as universidades e institutos federais definidos em lei como Instituição Científica e
Tecnológica (ICT) se tornaram responsáveis por estruturar um órgão interno,
chamado Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), com a função de gerir suas
políticas de inovação.

No Artigo 16 da referida Lei, a ICT deverá dispor de Núcleo de Inovação


Tecnológica (NIT), próprio ou em associação com outras ICTs, com a finalidade de
gerir sua política de inovação.

No Parágrafo único constam como competências mínimas do núcleo de inovação


tecnológica:

I ‐ zelar pela manutenção da política institucional de estímulo à proteção das


criações, licenciamento, inovação e outras formas de transferência de tecnologia;
II ‐ avaliar e classificar os resultados decorrentes de atividades e projetos de
pesquisa para o atendimento das disposições desta Lei;
III ‐ avaliar solicitação de inventor independente para adoção de invenção;
IV ‐ opinar pela conveniência e promover a proteção das criações desenvolvidas na
instituição;
V ‐ opinar quanto à conveniência de divulgação das criações desenvolvidas na
instituição, passíveis de proteção intelectual;
VI ‐ acompanhar o processamento dos pedidos e a manutenção dos títulos de
propriedade intelectual da instituição.

A obrigatoriedade da proteção intelectual pelas ICTs é uma estratégia para o


fortalecimento do relacionamento entre as universidades/institutos de pesquisa e
as empresas, desta forma estimulando o empreendedorismo para alavancar o
desenvolvimento tecnológico do país.

19
O objetivo principal da Lei de Inovação é o fomento para a produção de novos
produtos ou processos e a conseqüente proteção no INPI, aumentando o número
de depósitos de patentes.

Nesse cenário, o papel do NIT é favorecer a criação de um ambiente propício para


a Transferência de Tecnologia e para a devida proteção do conhecimento nas ICTs.
Dessa forma, o NIT passa a ser o mediador entre o setor privado, com a própria
instituição e a comunidade.

20
FIEP – FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ

21
NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL – NOPI

O NOPI tem a função de orientar e auxiliar seus clientes. Orienta e estimula a


pesquisa sobre informações tecnológicas, para que as empresas possam
desenvolver novas tecnologias e ter conhecimento do que concorrentes estão
desenvolvendo. Também auxilia e acompanha os procedimen¬tos para a
concessão de patentes e para o registro de marcas, indicações geográficas,
desenhos industriais e de direitos autorais (incluindo registro de programas de
computador). Ademais, assessora a gestão empresarial e pessoal, informando as
melhores formas de negociação e elaboração de contratos de transferência de
tecnologia.

Responsável: Heloisa Cortiani de Oliveira

Equipe: Bruno Henrique Godoy e Heloisa Cortiani de Oliveira.

Fone: (41) 3271‐9352

Endereço: Av. Cândido de Abreu, 200, Centro Cívico. Curitiba‐PR.

Site: www.pr.senai.br

E‐mail: heloisa.oliveira@pr.senai.br

22
IAPAR – INSTITUTO AGRONÔMICO DO PARANÁ

23
ÁREA DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

O NIT/IAPAR tem como missão "disponibilizar com agilidade e efetividade as


tecnologias desenvolvidas, de modo a promover o desenvolvimento econômico e
socioambiental do agronegócio por meio da inovação". Podem ser destacados
como seus objetivos:

a) Promover a adequada proteção dos novos conhecimentos e desenvolvimentos


tecnológicos gerados no IAPAR pela correta utilização dos diplomas legais da
propriedade intelectual vigentes no país;

b) Disseminar a cultura da propriedade intelectual no âmbito do instituto assim


como nas demais instituições que interagem com o IAPAR;

c) Transferir os conhecimentos gerados no IAPAR aos setores público e privado,


visando ampliar a utilização dos resultados da pesquisa científica e tecnológica pela
sociedade.

Responsável: Arnaldo Colozzi Filho

Equipe: Tiago Pellini, Paula Daniela Munhos, Ademir Alves Ferreira e Ezaude
Aparecido Pedroso

Telefone: 43 3376‐2190

Endereço: Rodovia Celso Garcia Cid, Km 375 ‐ Caixa Postal 481 ‐ 86001‐970 ‐
Londrina ‐ PR

Site: www.iapar.br

E‐mail: nit@iapar.br

24
PATENTES

TÍTULO
ARADO DE AIVECA A TRAÇÃO ANIMAL FIXO OU REVERSÍVEL
RESUMO Compreende de diferentes recomendações e componentes para a
construção de um arado de aiveca a tração animal. As dimensões dos
ângulos de corte, de carga e de ataque da relha, são recomendadas para
diferentes tipos de solo, assim como a inclinação da aiveca. Recomenda‐
se, também, tamanhos diferentes com as dimensões do mastro, aiveca,
da sucção vertical e horizontal do arado, assim como a distância entre o
prego ao ponto de apoio do parafuso de regulagem. A forma inclinada do
mastro, o sistema de engate tipo haste com gancho, o espaço livre no
mastro para se acoplar acessórios como rodinhas e disco de corte, o cabo
de aço na superfície da aiveca, foram inovações apresentadas

DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

INVENTOR(ES) Ruy Casão Junior, Ruy Seiji Yamaoka, Rubens Siqueira e Paulo Roberto
Abreu Figueiredo
Nº PROCESSO MU6501230‐5

DATA DEPÓSITO 16/08/1985

TÍTULO
SEMEADORA OU ADUBADORA COM CULTIVADOR A TRAÇÃO ANIMAL
RESUMO Semeadora ou adubadora com cultivador a tração animal, constituída por
estrutura ou chassi, praticamente retangular, substancialmente alongado
em seu comprimento, encerrando recursos para apoio e fixação de todos
os conjuntos, começando pela sua parte póstero‐superior, onde está
localizada a rabiça. Na extremidade oposta, localiza‐se o conjunto de
engate regulável para atrelamento do animal de tração, ficando entre
este conjunto e o outro um reservatório de sementes. Também de adubo
que, por sua vez, tem o seu mecanismo de distribuição sincronizado
através de transmissão com uma roda acionada, dianteira, montada
sobre um eixo adequado, que está convenientemente mancalizado na
parte correspondente do chassi. Este tem na extremidade oposta uma
roda compactadora, ficando antes dessa um disco duplo, finalizando
assim a configuração do implemento como semeadeira, já que, como
adubadora, o funcionamento do conjunto elimina o disco duplo e, ainda,
no lugar da roda compactadora, recebe um cultivador

DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

25
INVENTOR(ES) Ruy Casão Junior

Nº PROCESSO MU7002477‐4

DATA DEPÓSITO 09/11/1990

TÍTULO
ROLO FACA A TRAÇÃO ANIMAL
RESUMO Rolo faca a tração animal, compreende uma primeira parte estrutural na
forma de quadro rígido, praticamente retangular, obtido de cantoneiras,
em que a anterior distribui ganchos, onde são acoplados correntes e
varão ou outros componentes semelhantes, próprios para que o conjunto
possa ser rebocado por um animal adequado; sobre as cantoneiras
laterais e cobrindo todas as suas extensões , existem carenagens em
forma de arcos laterais semicirculares, feitos de barras chatas, um de
cada lado, com os seus respectivos raios estruturais e, ainda, sobre as
partes medianas de ditas cantoneiras, também estão fixados mancais, um
de cada lado, onde apóiam‐se giratoriamente os terminais ou pontes de
eixo de um rolo compressor, transversal e oco, feito preferivelmente de
chapa metálica, ou seja, discos laterais e chapa, esta última sediando
aberturas retangulares com as suas respectivas portinhas basculantes e
travas de segurança, sendo que ainda, sobre a superfície do referido rolo
também são adequadamente fixadas várias cantoneiras longitudinais e
eqüidistantes, todas elas com uma aba posicionada radialmente incluindo
aí, de um lado, uma escora, enquanto que, do lado oposto, cada aba
radial configura recursos para fixação de faces igualmente radiais, cuja
parte inferior ou base é rigidamente fixada através de meio, enquanto
que as suas bordas opostas são igualmente afiadas.

DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

INVENTOR(ES) Ruy Casão Junior

Nº PROCESSO MU7002478‐2

DATA DEPÓSITO 09/11/1990

TÍTULO
SEMEADORA‐ADUBADORA A TRAÇÃO ANIMAL
RESUMO Semeadora‐adubadora a tração animal, constituída por estrutura ou
chassi, praticamente retangular substancialmente alongado em seu
comprimento, constituindo ponto de apoio e fixação para todos os
conjuntos, começando pela sua parte póstero‐superior, onde está
localizada a rabiça, enquanto que na extremidade oposta localiza‐se o
conjunto de engate regulável para atrelamento do animal de tração,
ficando entre este conjunto e o outro dois depósitos, um de adubos e
26
outro de sementes que, por sua vez, tem o seu mecanismo de
distribuição sincronizado através de transmissão com um disco
acionador, dianteira, montada sobre um eixo adequado que, por sua vez,
está convenientemente mancalizado na parte correspondente do chassi
que, ainda, tem na extremidade oposta uma roda compactadora, ficando
antes dessa dois discos duplos, um sob o reservatório de adubos e antes
de seu tubo de descarga e outro sob o reservatório de sementes e antes
de seu tubo de descarga.

DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

INVENTOR(ES) Ruy Casão Junior

Nº PROCESSO MU7002479‐0

DATA DEPÓSITO 09/11/1990

TÍTULO
DESTOCADOR A TRAÇÃO ANIMAL DE UMA HASTE
RESUMO Destocador a tração animal de uma haste, constituída por uma peça
inteiriça, com um trecho em forma de haste horizontal que, por uma
extremidade apresenta perfuração vazada para acoplamento de um
gancho, enquanto pela extremidade oposta esta haste birfurca‐se em
duas partes, uma superior e outra inferior, em que a primeira é
obliquamente orientada para cima e igualmente dotada de perfuração
vazada para um outro gancho, enquanto que a outra parte bifurcada é
uma peça arqueada e orientada para frente, onde configura o destocador
propriamente dito, porém, quando recebe uma peça de chape, também
funcione como sulcador; sendo que, como destocador ou sulcador, a
peça tem igualmente acoplada correntes, cujas extremidades opostas são
adequadamente unidas para serem tracionadas por uma junta de animais
capazes de fazer tal trabalho; naquela bifurcação existem duas peças
metálicas, obliquamente posicionadas uma contra a outra, ambas com
furos, de modo que aí possa ser acoplada regulavelmente a extremidade
inferior de uma rabiça de madeira ou metálica.

DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

INVENTOR(ES) Ruy Casão Junior

Nº PROCESSO MU7002480‐4

DATA DEPÓSITO 09/11/1990

27
TÍTULO
SEMEADORA‐ADUBADORA DIRETA A TRAÇÃO ANIMAL
RESUMO Semeadora‐adubadora direta a tração animal, constituída por uma parte
estrutural na forma de quadro rígido retangular e alongado, o qual
configura um verdadeiro chassi para montagem de todos conjuntos,
começando pela parte póstero‐superior, onde existe um primeiro
conjunto, enquanto pelo lado oposto, dianteiro, também na parte
superior, localiza‐se o conjunto de engate ao animal de tração, ficando
entre estes dois conjuntos, os reservatórios de adubo e de sementes,
cujos mecanismos internos de descargas estão sincronizados através de
transmissão inferior com uma roda ou disco de corte dianteiro, o qual por
sua vez é seguido pelo sulcador, locado imediatamente antes do tudo de
descarga de adubo, a qual é seguida logo atrás por um disco duplo e,
depois desse, por uma toda compactadora; desta maneira, nota‐se que o
conjunto serve para movimentar o dispositivo mediante “Tração Animal”
e o conjunto serve para controle da máquina durante o seu movimento
para frente, movimento este que faz entrar em rotação o disco de corte
que, por sua vez, tem como função cortar os restos de vegetação que
estão na linha de plantio, além dessa função atua também como roda
acionadora, colocando em funcionando a transmissão e,
consequentemente, o adubo e as sementes são lançadas no solo,
logicamente no sulco formado pelo dispositivo e, após o que este sulco é
fechado adequadamente através do rolo compactador.

DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

INVENTOR(ES) Ruy Casão Junior

Nº PROCESSO MU7002481‐2

DATA DEPÓSITO 09/11/1990

TÍTULO HASTE ESCARIFICADORA SUBSOLADORA

RESUMO Patente de Invenção "haste escarificadora subsoladora", constituída por


uma primeira peça inteiriça ou haste propriamente dita, com um feito
preferivelmente reto, tal como na forma de uma placa ordinariamente
retangular, substancialmente alongada. Também a sua posição de
trabalho é tal que as suas faces maiores ficam em posição vertical.
Porém, a dita haste é substancialmente inclinada de acordo com os
planos, de modo que a sua extremidade superior possa ficar deslocada
para trás, enquanto a inferior fica deslocada para frente, sendo que a
superior possui meios na forma de furos ou complementos mecânicos
diversos conhecidos ou não e cooperantes para acoplamento rápido
entre a haste e um chassi qualquer de arraste. Enquanto que pelo oposto
ou extremidade inferior, a dita haste possui duas derivações laterais em
ângulo, também preferivelmente na forma de placas substancialmente

28
rígidas dispostas em "V" invertido. Tem as bordas anteriores afiladas ou
não, como também as suas extremidades inferiores são fixadas
adequadamente sobre ponteiras à maneira de esquis, igualmente na
forma de placas retangulares
DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

INVENTOR(ES) Paulo Roberto Abreu de Figueiredo

Nº PROCESSO PI9700159‐7

DATA DEPÓSITO 29/01/1997

TÍTULO
CALIBRADOR AUTOMÁTICO DE PLUVIÔMETROS
RESUMO Apresentado em um gabinete metálico, é composto de uma válvula
elétrica de controle geral de entrada d'água, que tem por finalidade
liberar o fluxo d'água e promover a segurança hidráulica do sistema,
quatro válvulas hidráulicas elétricas de controle de saída d'água, um
circuito eletrônico, para comando das saídas digitais, leds indicativos de
funcionamento, chave elétrica de energização, fusível de proteção e
software CAPbas, que verifica a intervalos regulares se o número de
pulsos especificado pelo operador para cada saída digital foi igualado,
ativando a válvula caso negativo e desativando‐a caso positivo.
Devidamente alimentado com fluxo contínuo de água, energizado com
corrente contínua 12 volts, conectado a um Controlador Lógico
Programável ou Coletor de Dados e executando o software CAPbas, o
calibrador libera o fluxo d'água, que passará pela válvula geral e ficará à
disposição das quatro válvulas de saída, que, por características de
construção, são do tipo normalmente fechadas, sendo tão somente
acionadas pela saída digital comandada pelo software CAPbas. A face
inferior do gabinete apresenta os tubos plásticos de saída d'água
correspondente a cada válvula, sendo que, ao final de cada tubo, foi
posicionado um registro que permite, além de dosar o fluxo de acordo
com a intensidade desejada, realizar extensões e derivações para
conduzir o fluxo para qualquer direção e distância que o operador
necessite

DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

INVENTOR(ES) Ernandes Aparecido Saraiva

Nº PROCESSO PI9905194‐0

DATA DEPÓSITO 12/11/1999

29
TÍTULO
DISPOSITIVO DE CAPTURA E APRISIONAMENTO PARA O MANEJO DA
BROCA‐DO‐CAFÉ
RESUMO Trata o presente modelo de utilidade de um dispositivo que permite o
monitoramento e o manejo da broca‐do‐café, tendo em vista o efetivo
controle da praga, mediante o emprego de garrafa plástica tipo 'pet' de
21, em que se instalam um frasco e um painel colorido que servem de
estímulo visual e aromático de atração do inseto, o qual será aprisionado
e morto por afogamento no compartimento inferior que contém água ou
solução sucedânea. Assim é que o corpo principal, na verdade uma
garrafa 'pet', é dotada de um rasgo por onde a broca‐do‐café encontrará
acesso ao interior e, desta maneira, ao frasco de isca líquida e ao setor
com água ou solução equivalente. Outrossim, o emprego do dispositivo
no campo é dado por aramado de fixação em forma de gancho, pelo qual
o corpo pode ser dependurado em local qualquer, como, por exemplo,
árvores. É de dizer que a composição da substância contida no frasco é
dada por álcool etílico e metanol comerciais, e por soluços aromatizantes
obtidas pela torra do café ou pelo uso de café solúvel. Em suma, uma vez
atraídas pela isca aromática, e depois de capturadas por deposição em
água ou solução sucedânea, o dispositivo proporciona o controle da
praga, bem como dos picos populacionais, permitindo que se determine o
período de maior trânsito da broca no campo e se oriente eficazmente a
liberação de parasitóides dela

DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

INVENTOR(ES) Amador Villacorta Mosqueira

Nº PROCESSO MU8401094‐0

DATA DEPÓSITO 01/06/2004

TÍTULO
PROCESSO DE PRODUÇÃO DE VITELO
RESUMO Trata‐se de um processo cuja concepção visa a destinação econômica de
machos de origem leiteira tais como: bezerros mestiços e mestiços com
diferentes graus sanguíneos, que pode ser utilizado em escala comercial,
mediante o emprego de alimentação predominantemente sólida. A
invenção diz respeito ao aproveitamento econômico do macho de origem
leiteira que nos dias atuais, não têm destinação específica e concorrem
na propriedade com as fêmeas por área, manejo e, efetivamente, por
alimentação. Em suma, o macho de origem leiteira constitui um problema
para o produtor, que não tem destinação nem mesmo quando mantido
na propriedade. Em contrapartida, a produção da carne de vitelo
constitui uma atividade tradicional em países europeus, mas o vitelo

30
produzido convencionalmente é submetido a uma dieta líquida de 12 a
14 quilos de leite/animal/dia que produz uma carne esbranquiçada a
partir de um alto custo de produção.

DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

INVENTOR(ES) Humberto Carlos Vieira Codagnone

Nº PROCESSO PI0402440‐0

DATA DEPÓSITO 25/06/2004

TÍTULO
MÁQUINA PARA COLHEITA DE AMOREIRA
RESUMO Constituído por chassi com motor de combustão interna, solidário à
embreagem centrífuga, ao redutor de velocidade acoplado ao mancal do
eixo de tração, às rodas dianteiras com suspensões independentes, ao
eixo intermediário, às barras pantográficas acopladas na barra de corte
com facas trapezoidais entre guardas, e à roda traseira com suspensão
independente aliada ao módulo de comando com rabiça. Para promover
a mecanização da colheita e poda de amoreira no processo de produção
do bicho da seda, por máquina dimensionada para acompanhar as
irregularidades do solo sem interferir na altura do corte, em diferentes
estágios de crescimento ou diferentes idades de implantação da
amoreira, reduzindo significativamente o dano relacionado com os
métodos convencionais de corte e poda. Aumenta sobremaneira a
produtividade e, devido à sua versatilidade, pode ser utilizada no corte de
pastagens, colheita de leguminosas eretas, manejo de restos de cultura,
em adubos verdes e outros. Tem a vantagem de, ao ser propelida por um
motor de combustão interna de mercado, possibilitar o uso de motores
estacionários existentes nas propriedades, reduzindo drasticamente o seu
custo final
DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

INVENTOR(ES) Doralice de Fatima Cargano

Nº PROCESSO PI0600988‐3

DATA DEPÓSITO 20/03/2006

TÍTULO
PROCESSO DE PRODUÇÃO DE FUNGOS PARA O MANEJO DE PRAGAS DO
CAFÉ
RESUMO
Trata‐se de um processo cuja concepção torna mais eficiente, rápida e
econômica a aplicação de fungos no manejo de pragas, sobretudo na
cultura do café, permitindo que o processo aplicativo se dê na base da
planta ou diretamente no solo, mediante o uso de semeadeira
convencional. Consiste no emprego do arroz quirera, cuja forma
31
arredondada aliada à aplicação, isto é, no solo ou na base da planta,
permite a manutenção da umidade necessária à futura esporulação,
protegendo o fungo também da ação dos raios ultravioleta. O processo
em si é artesanal, e pode ser empregado por agricultores sem a
necessidade de equipamentos sofisticados, tanto na produção como na
aplicação
DEPOSITANTE(s)
Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR
INVENTOR(ES)
Amador Villacorta Mosqueira
Nº PROCESSO
MU8500102‐3
DATA DEPÓSITO
17/01/2005

TÍTULO
AMOSTRADOR DE SOLO
RESUMO "AMOSTRADOR DE SOLO", constituído por chassi(1) acoplado a cavalete
tubular(3) com apoios de solo(3), o qual, sustenta o eixo cremalheira(4)
com marcas de controle da profundidade e a rosca de fixação do
cilindro(5) com borda cortante(6), e que aloja em um ressalto interno(7) o
anel volumétrico(8) entremeado pelo anel superior(9) e o anel
inferior(10), acoplado na engrenagem pinhão(11) fixada sobre o eixo
horizontal(12) de forma solidária com os mancais(13) laterais, o
volante(14) auxiliar e a catraca(15) com as bordas(16) que servem de
mancais ao suporte(17) da mola(18) de fixação da trava(19) e da
alavanca(20) de acionante que, possibilita reverter o sentido de
movimento do eixo(4) acionado manualmente, para a penetração e
retirada do solo, do cilindro(5)com a amostra coletada dentro dos
anéis(8, 9 e 10), e que são separados pelo corte do solo, restando o anel
volumétrico(8) contendo o solo que é identificado e embalado para evitar
a perda da umidade, e proporcionar uma amostra de melhor qualidade,
sem promover a destruição do solo no entorno do local amostrado

DEPOSITANTE(s) Instituto Agronômico do Paraná ‐ IAPAR

INVENTOR(ES) Dr. Augusto Guilherme de Araújo

Nº PROCESSO PI0704549‐2

DATA DEPÓSITO 18/09/2007

32
ICC‐ INSTITUTO CARLOS CHAGAS / FIOCRUZ

33
NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO ICC

O Núcleo de Inovação Tecnológica do Instituto Carlos Chagas tem como objetivo


assessorar sua diretoria na identificação do potencial inovador das pesquisas e
projetos de desenvolvimento tecnológico do ICC. Além disso, trabalha na
disseminação da cultura de proteção da propriedade intelectual e industrial de
processos e produtos originados das pesquisas científicas. Promove a proteção do
conhecimento científico e tecnológico nas diversas áreas de atuação do ICC.

Responsável: Raquel Souza

Equipe: Raquel Souza e Carlos Eduardo Rocha


Fone: (41) 3316‐3238/ 3276

Endereço: Rua Prof. Algacyr Munhoz Mader, 3775 ‐ Bl. C – CIC. Curitiba‐ PR.

Site: www.fiocruz.br/icc

E‐mail: roliveira@fiocruz.br ou r.souza@tecpar.br

34
IEP ‐ INSTITUTO DE ENGENHARIA DO PARANÁ

35
NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

O IEP promove a condução de suas ações de educação continuada e de suporte a


novos empreendimentos de base tecnológica. Também celebra parcerias com
empresas e entidades congêneres do Paraná e do país para a realização de cursos,
seminários, feiras e outros eventos técnico‐científicos. O Núcleo de Inovação
Tecnológica está em fase implantação.

Responsável: Ramiro Wahrhaftig


Equipe: Celso Fabricio de Mello Júnior, Ivan Kuntyj Rawlyk, Luis Walter
Chalusniak e Neusa Maria Ribas Andrade Cordeiro.
Fone: (41)3079‐5671
Endereço: Rua Emiliano Perneta, 174, 10º andar, Centro. Curitiba‐PR.

Site: www.iep.org.br

E‐mail: ivan@iep.org.br

36
IFPR – INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ

37
NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

O NIT da IFPR é responsável pelo Empreeendorismo, Propriedade Intelectual,


Inovação Tecnológica, Incubadoras, Hotel Tecnológico da Instituição

Responsável: Hélio Hipólito Simiema

Equipe: Antonio Carlos Novaes de Souza, Hélio Hipólito Simiema, Marcelo


Rodrigues da Silva.
Fone: (41) 3535‐1635

Endereço: Rua João Negrão, 1285. Rebouças ‐ CEP 80230‐150 ‐ Curitiba ‐ Paraná ‐
Brasil.

Site: www.ifpr.edu.br

E‐mail: pri@ifpr.edu.br

38
LACTEC – INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO

39
DEPARTAMENTO DE GESTÃO TECNOLÓGICA

Através de consultoria de empresa especializada o LACTEC zela pelas suas


inovações, depositando junto ao INPI em nome das partes envolvidas, os pedidos
de patentes necessárias à proteção da Propriedade Intelectual resultante do
desenvolvimento do Produto. Tipos Praticados: Registro de Software, Regime de
Desenho Industrial, Patente de Modelo de Utilidade, Patente de Modelo Industrial,
Registro de Marca, Patente de Invenção, Patente no Exterior.

Responsável: Ricardo Salton Rosek

Equipe: Departamento de Gestão Tecnológica

Fone: (41)3361‐6125

Endereço: Av. Comendador Franco, 1341, Jardim Botânico (prédio do LACTEC,


anexo ao CIETEP). Curitiba‐PR.

Site: www.lactec.org.br

E‐mail: cursos@lactec.org.br

40
PATENTES

TÍTULO
SISTEMA PROTETOR CATÓDICO DE GRELHAS DE LINHA DE
TRANSMISSÃO AÉREA CONVENCIONAL
RESUMO A PATENTE DE INVENÇÃO DE PROTETOR CATÓDICO DE GRELHAS, DE
LINHA DE TRANSMISSÃO AÉREA CONVENCIONAL", Compreende um
sistema que utiliza um equipamento eletrônico composto de um
transformador, de um capacitor, de dois contelhadores e de quatro
diodos, além de um tubo de alumínio com 6 metros de comprimento por
33,55 milímetros de diâmetro externo. Este sistema impede o início de
um processo de corrosão em grelhas (pés) novas ou continuidade do
mesmo em grelhas já em avançado estado de corrosão, isto é, faz com
que o peocesso corrosivo não progrida mantendo o estado de corrosão
da grelha no estágio em que o mesmo se encontra, quando é feita a
energização do sistema de proteção ora proposto.
DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia Para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Jose Maurilho da Silva e João Nelson Hoffmann

Nº PROCESSO PI 9502888‐9

DATA DEPÓSITO 19/06/1995

TÍTULO
DISPOSITIVO LOCALIZADOR DE FALTAS APLICÁVEL EM REDES AÉREAS DE
DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA
RESUMO Patente de Modelo de Utilidade, compreendendo sensores com
eletrônica passiva, acoplados diretamente aos cabos distribuidores de
energia, para geração de informações de grandezas elétricas que são
transmitidas a um circuito discriminador de sinal, o qual é montado
juntamente com um transmissor que envia receptores.

DEPOSITANTE(s)
Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC
INVENTOR(ES)
Ivan Jorge Chueiri
Nº PROCESSO
MU 7600052‐4
DATA DEPÓSITO
12/01/1996

41
TÍTULO DISPOSITIVO DETETOR DE LIGAÇÕES CLANDESTINAS NA ENTRADA DE
CONSUMIDORES DE ENERGIA ELÉTRICA

RESUMO Patente de Modelo de Utilidade, compreendendo conjunto que permite


ergonometria ideal para localização de condutores energizados,
principalmente no solo ou paredes, através de sua simples aproximação
dos condutores energizados, fazendo soar um transdutor sonoro ou
excitar diretamente um indicador visual formado por um galvanômetro
ou indicador digital, em paralelo com dito transdutor, tendo
chaveamento.
DEPOSITANTE(s)
Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES)
Mauro Cezar Klinguelfus
Nº PROCESSO
MU 7601861‐0
DATA DEPÓSITO
20/08/1996

TÍTULO
SISTEMA DE MONITORAMENTO DO FORNECIMENTO DE ENERGIA
ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO
RESUMO O sistema supervisiona continuamente o fornecimento de energia
elétrica em baixa tensão (127 volts) através de unidades de
sensoriamento e transmissão, instaladas em pontos estratégicos da rede
de distribuição de energia, que na falta do fornecimento envia essa
informação através de um canal de comunicação para uma central de
recepção e identificação do equipamento chamador. Esta informação é
transferida aos demais sistemas de informação de concessionária através
de um software de tratamento de informações e interface de
comunicação.

DEPOSITANTE(s)
Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC
INVENTOR(ES)
Lourival Lippmann
Nº PROCESSO
MU 7700863‐4
DATA DEPÓSITO
04/06/1997

TÍTULO
EQUIPAMENTO ELETRÔNICO INTEGRADO DE SENSORIAMENTO E
TRANSMISSÃO DE FALTA DE ENERGIA EM BAIXA TENSÃO
RESUMO O equipamento supervisiona continuamente o fornecimento de energia
elétrica em baixa tensão (127 volts), através de um sensor especial
conectado à rede. Processa essa informação em um circuito integrado

42
eletrônico microprocessado e, na falta do fornecimento da energia, envia
essa informação através de um canal de comunicação a uma central de
recepção e identificação do equipamento chamador. O equipamento é
instalado em uma tomada normal de 127 volts e em um canal de
comunicação, por exemplo, uma linha telefônica, e tem suas partes
totalmente blindadas e lacradas, impedindo qualquer tipo de violação

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia Para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Lourival Lippmann

Nº PROCESSO PI 9703181‐0

DATA DEPÓSITO 04/06/1997

TÍTULO
REATOR ELETRÔNICO PARA LÂMPADAS VAPOR DE SÓDIO E
MULTIVAPORES METÁLICOS
RESUMO "REATOR ELETRÔNICO PARA LÂMPADAS VAPOR DE SÓDIO E
MULTIVAPORES METÁLICOS", descreve‐se a presente patente como um
prático, moderno e eficiente reator eletrônico em estado sólido para
lâmpadas vapor de sódio e multivapores metálicos com potências de
setenta watts e cento e cinqüenta watts, aplicável e iluminação pública,
em substituição com vantagens, aos reatores convencionais. O presente
reator eletrônico fornece a potência exigida pela lâmpada durante toda a
sua vida útil, o que significa dizer que em caso de envelhecimento, o fluxo
luminoso diminui. O reator eletrônico possui alto fator de potência, alto
rendimento e, por trabalhar em alta freqüência, diminui o desgate dos
eletrodos e aumenta a vida útil das lâmpadas.

DEPOSITANTE(s)
Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC
INVENTOR(ES)
Ivan Jorge Chueiri e Carlos G. Bianchim
Nº PROCESSO
MU 7802194‐4
DATA DEPÓSITO
05/11/1998

TÍTULO
REATOR ELETRÔNICO COM CONTROLE DE POTÊNCIA PARA LÂMPADAS
VAPOR DE SÓDIO E MULTIVAPORES METÁLICOS
RESUMO "REATOR ELETRÔNICO COM CONTROLE DE POTÊNCIA PARA LÂMPADAS
VAPOR DE SÓDIO E MULTIVAPORES METÁLICOS", descreve‐se a presente
patente como um prático, moderno e eficiente reator eletrônico em
estado sólido com controle de potência sobre o fluxo luminoso de
lâmpadas vapor de sódio e multivapores metálicos com potência de
43
setenta watts e cento e cinqüenta watts para aplicação em iluminação
pública em geral, mais especificamente a um aperfeiçoamento ao reator
eletrônico para lâmpadas vapor de sódio e multivapores metálicos do
mesmo inventor e depositante. A patente em apreço vem inovar com um
controle de potência para as lâmpadas vapor de sódio e multivapores
metálicos, que mantém estável a potência sobre a lâmpada durante todo
o ciclo de funcionamento, permitindo que o fluxo luminoso seja
constante durante toda a sua vida útil. Os reatores eletrônicos possuem
alto fator de potência, alto rendimento e por trabalhar em alta
freqüência, diminui o desgaste dos eletrodos e aumenta a vida útil das
lâmpadas.

DEPOSITANTE(s)
Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC
INVENTOR(ES)
Ivan Jorge Chueiri e Carlos G. Bianchim
Nº PROCESSO
MU 7802318‐1
DATA DEPÓSITO
05/11/1998

TÍTULO
REATOR ELETRÔNICO BI‐VOLT PARA LÂMPADAS VAPOR DE SÓDIO E
MULTIVAPORES METÁLICOS
RESUMO "REATOR ELETRÔNICO BI‐VOLT PARA LÂMPADAS VAPOR DE SÓDIO E
MULTIVAPORES METÁLICOS", descreve‐se a presente patente como um
prático, moderno e eficiente reator eletrônico em estado sólido com
funcionamento do tipo bi‐volt para lâmpadas vapor de sódio e
multivapores metálicos com potências de setenta watts e cento e
cinqüenta watts, aplicável a iluminação pública. O presente reator
eletrônico bi‐volt fornece a potência exigida pela lâmpada durante toda a
sua vida útil, o que significa dizer que em caso de envelhecimento, o fluxo
luminoso diminui. O reator eletrônico bi‐volt possui alto fator de
potência, alto rendimento e, por trabalhar em alta freqüência, diminui o
desgaste dos eletrodos e aumenta a vida útil das lâmpadas.

DEPOSITANTE(s)
Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC
INVENTOR(ES)
Ivan Jorge Chueiri e Carlos G. Bianchim
Nº PROCESSO
MU 7802319‐0
DATA DEPÓSITO
05/11/1998

44
TÍTULO
REATOR ELETRÔNICO BI‐VOLT PARA LÂMPADAS VAPOR DE SÓDIO E
MULTIVAPORES METÁLICOS, COM CONTROLE DE POTÊNCIA SOBRE A
LÂMPADA
RESUMO ''REATOR ELETRÔNICO BI‐VOLT PARA LÂMPADAS VAPOR DE SÓDIO E
MULTIVAPORES METÁLICOS, COM CONTROLE DE POTÊNCIA SOBRE A
LÂMPADA'', descreve‐se a presente patente como um prático, moderno e
eficiente reator eletrônico em estado sólido com funcionamento do tipo
bi‐volt e com controle de potência sobre o fluxo luminoso de lâmpadas
vapor de sódio e multivapores metálicos com potência de setenta watts e
cento e cinquenta watts para aplicação em iluminação pública, mais
especificamente a um aperfeiçoamento ao reator eletrônico bi‐volt para
lâmpadas vapor de sódio e multivapores metálicos do mesmo inventor e
depositante.

DEPOSITANTE(s)
Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC
INVENTOR(ES)
Ivan Jorge Chueiri e Carlos G. Bianchim
Nº PROCESSO
MU 7802320‐3
DATA DEPÓSITO
05/11/1998

TÍTULO
DISPOSITIVO SENSOR DE CORRENTE E TENSÃO APLICÁVEL PARA
LOCALIZAÇÃO DE FALTAS EM REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO DE
ENERGIA ELÉTRICA
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um prático, de baixo custo, de fácil
manuseio e eficiente dispositivo sensor de corrente e tensão, aplicável às
redes aéreas de distribuição de energia elétrica. Desenvolvido para ser
empregado em linhas de distribuição de até trinta e cinco quilowatt na
detecção de medição de tensão, medição de corrente de detecção de
faltas, devido a sobrecorrente, curto‐circuito ou desligamento da linha. O
presente dispositivo apresenta o sensoramento de corrente e tensão em
uma única peça, além de ser desenvolvido juntamente com a unidade
terminal remota (UTR), compondo um conjunto harmônico e de aplicação
imediata, não necessitando de adaptações entre equipamentos de
diferentes fabricantes

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia Para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Mauro C. Klinguelfus e Voldi C. Zamebenedetti

Nº PROCESSO PI 9802938‐0

45
DATA DEPÓSITO 28/08/1998

TÍTULO
FOTOCÉLULA DIFERENCIAL ELETRÔNICA EM ESTADO SÓLIDO COM
TEMPORIZADOR
RESUMO FOTOCÉLULA DIFERENCIAL ELETRÔNICA EM ESTADO SÓLIDO COM
TEMPORIZADOR, descreve‐se a presente patente como uma fotocélula
diferencial eletrônica em estado sólido com temporizador, para
aplicações gerais até quatrocentos watts em duzentos e vinte volts ou
cento e dez volts ou para a alimentação de reatores para iluminação
pública até quatrocentos watts, com alimentação para duzentos e vinte
volts para lâmpadas vapor de mercúrio, vapor de sódio ou multivapores
metálicos com potência de setenta watts a quatrocentos watts. A
presente patente consiste no emprego de uma fotocélula eletrônica com
dois fotodiosos e chave liga/desliga eletrônica (estado sólido) em
substituição ao relê mecânico.

DEPOSITANTE(s)
Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC
INVENTOR(ES)
Ivan Jorge Chueiri e Carlos G. Bianchim
Nº PROCESSO
MU 7900171‐8
DATA DEPÓSITO
12/02/1999

TÍTULO
FOTOCÉLULA ELETRÔNICA INCORPORADA A REATORES ELETRÔNICOS
PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA COM TEMPORIZAÇÃO
RESUMO ''FOTOCÉLULA ELETRÔNICA INCORPORADA A REATORES ELETRÔNICOS
PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA COM TEMPORIZAÇÃO'', descreve‐se a
presente patente como uma fotocélula eletrônica incorporada a reatores
eletrônicos para iluminação pública com temporização, para aplicações
gerais até dois mil watts em trezentos e oitenta volts, duzentos e vinte
volts ou cento e dez volts ou para a alimentação de reatores para
iluminação pública até dois mil watts, com alimentação trezentos e
oitenta volts e duzentos e vinte volts para lâmpadas vapor de mercúrio,
vapor de sódio ou multivapores metálicos com potência de setenta watts
a dois mil watts.

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri, Carlos G. Bianchim, Anderson H. Oliveira e João R.


Pasqualin
Nº PROCESSO MU 7900346‐0

46
DATA DEPÓSITO 25/02/1999

TÍTULO
EQUIPAMENTO IDENTIFICADOR DE FASES
RESUMO "EQUIPAMENTO IDENTIFICADOR DE FASES", descreve‐se a presente
patente como um equipamento identificador de fases, aplicável em
sistemas trifásicos de distribuição de energia elétrica de baixa tensão
onde se tenha as linhas de neutro e três de fases de cento e vinte e sete
volts em corrente alternada e sessenta hertz. Com design e formato
específico, e características de praticidade no manuseio e funcionalidade.
De uso manual, compacto, leve, portátil, resistente e de custo bastante
acessível. A presente patente consiste no emprego de um prático,
moderno e eficiente equipamento identificador de fases constituído por
um módulo transmissor (TX) e um receptor (RX) que coletam dados e
informações na rede distribuição trifásica de baixa tensão (cento e vinte e
sete volts em corrente alternada e sessenta hertz), processa‐os
identificando as fases em qualquer ponto da rede que esteja no alcance
do módulo transmissor.

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri e João A. Pereira

Nº PROCESSO MU 7901355‐4

DATA DEPÓSITO 22/02/1999

TÍTULO
REATOR ELETRÔNICO MULTI‐VOLT COM FOTOCÉLULA PARA APLICAÇÕES
GERAIS E ILUMINAÇÃO PÚBLICA
RESUMO "REATOR ELETRÔNICO MULTI‐VOLT COM FOTOCÉLULA PARA APLICAÇÕES
GERAIS E ILUMINAÇÃO PÚBLICA", descreve‐se a presente patente como
um prático, moderno e eficiente reator eletrônico em estado sólido com
fotocélula eletrônica incorporada para aplicações de uso geral e em
iluminação pública com tensão de alimentação de entrada do tipo multi‐
volt variando de cento e dez volts a duzentos e sessenta e cinco volts com
ajuste automático, sem a alteração da potência sobre a lâmpada, além de
operar com freqüências da rede tanto em sessenta hertz ou cinqüenta
hertz, para lâmpadas vapor de sódio, vapor de mercúrio e multivapores
metálicos com potências de setenta watts, cem watts e cento e cinqüenta
watts, e encapsulamento em plástico do tipo ABS com anti‐UV e sistema
de fixação ao poste ou outro local por engate do tipo rápido.

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

47
INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri

Nº PROCESSO MU 7901356‐2

DATA DEPÓSITO 22/02/1999

TÍTULO
CAIXA PARA ENCAPSULAMENTO DE REATOR ELETRÔNICO E OUTROS
EQUIPAMENTOS
RESUMO "CAIXA PARA ENCAPSULAMENTO DE REATOR ELETRÔNICO E OUTROS
EQUIPAMENTOS", descreve‐se a presente patente como uma caixa para
encapsulamento de reator eletrônico e outros equipamentos aplicável a
iluminação pública ou aplicações gerais, em substituição, com vantagens,
as caixas convencionais. Com características de fácil manuseio e
instalação, custo bastante acessível, seguro e devido as suas
características e dimensões, facilmente adaptável a qualquer iluminação
pública. A presente patente consiste no emprego de uma prática,
moderna e eficiente caixa para encapsulamento de reator eletrônico e
outros equipamentos com aplicação em iluminação pública ou aplicações
gerais confeccionada em material plástico do tipo ABS com anti‐
ultravioleta, contendo um sistema de fixação ao poste ou outros locais
através de um engate do tipo rápido e uma tampa dissipadora inferior
confeccionada em alumínio.

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri e Carlos G. Bianchim.

Nº PROCESSO MU 7901357‐0

DATA DEPÓSITO 22/02/1999

TÍTULO
APARELHO ELETRÔNICO DIGITAL PARA DETECÇÃO DE ISOLADORES
PERFURADOS EM LINHAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA
RESUMO Refere‐se a aparelho eletrônico digital constituído de um módulo de
transmissão e de um módulo de recepção, sendo o transmissor instalado
na parte superior da vara convencional de manobra, enquanto que o
receptor permanece em poder do operador. Destina‐se o aparelho a
detectar isoladores perfurados em linhas de distribuição de energia
elétrica de 13,8 e 34,5 KV, sendo o módulo de transmissão ou unidade de
medição composto de um circuito eletrônico microcontrolado,
constituído de sete blocos (1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7) e alimentado com baterias
de um transmissor de rádio, de led's e de um bipe informativo do estado
dos isoladores. Liga‐se o módulo transmissor a dois resistores de alta
tensão, de 12 M<87>, 10 W, acoplados nos dois braços da ponteira da
48
vara de manobra, com dois bastões isolantes de suporte, realizando o
módulo de transmissão às medidas, processando o sinal em termos de
um algoritmo "passa, não‐passa". Transmite as informações obtidas para
um módulo de recepção ou unidade de visualização, que pode estar até
15 metros abaixo do módulo transmissor, sendo o módulo de recepção
composto de um receptor de rádio, de mostrador de cristal líquido, de
led's e de um bipe, visualizando‐se as medidas obtidas pelo mencionado
mostrador eletrônico

DEPOSITANTE(s)
Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC
INVENTOR(ES) José C. Nascimento e José Arino Teixeira

Nº PROCESSO PI 0006643‐5

DATA DEPÓSITO 22/12/2000

TÍTULO
SISTEMA ELETROQUÍMICO PROTETOR DE GRELHAS DE TORRES DE
LINHAS DE TRANSMISSÃO AÉREA CONVENCIONAL E PRODUTO
RESULTANTE
RESUMO Sistema eletroquímico protetor de grelhas de torres de linhas de
transmissão aérea convencional e produto resultante.

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) José Maurilho da Silva Fernanda Uada

Nº PROCESSO MU 0000815‐0

DATA DEPÓSITO 10/02/2000

TÍTULO
SISTEMA DE MONITORAMENTO DE LIGAÇÕES TELEFÔNICAS
RESUMO Sistema de monitoramento de ligações telefônicas

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Lourival Lippmann

Nº PROCESSO MU 8101013‐3

DATA DEPÓSITO 17/05/2001

49
TÍTULO
APERFEIÇOAMENTO INTRODUZIDO EM PROTETOR CATÓDICO PARA
GRELHAS DE LINHAS DE TRANSMISSÃO AÉREA CONVENCIONAIS
RESUMO Descreve‐se a presente patente como aperfeiçoamentos introduzidos em
protetor catódico para grelhas de linhas de transmissão aérea
convencionais, particularmente tendo como base aperfeiçoamentos
introduzidos ao pedido de Patente PI‐9502888‐9, 'Protetor Catódico de
Grelhas de Linha de Transmissão Aérea Convencional'. É do mesmo
depositante, mais especificamente no retificador de alta tensão contido
no presente protetor catódico, gerando uma nova concepção para
otimização na proteção de grelhas (pés de torres) das linhas de
transmissão a partir da indução da linha de transmissão, compondo um
retificador de alta tensão diferenciado contendo um transformador, um
centelhador a gás (encapsulado ou não), dois diodos, um capacitor e um
centelhador a gás encapsulado, ambos perfeitamente acoplados

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Jose Maurilho da Silva

Nº PROCESSO MU 8102181‐0

DATA DEPÓSITO 20/09/2001

TÍTULO
EQUIPAMENTO REGISTRADOR E SINALIZADOR DE FALTAS EM LINHAS DE
DISTRIBUIÇÃO E SUBTRANSMISSÃO
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um equipamento registrador e
sinalizador de faltas em linhas de distribuição e subtransmissão que, de
acordo com as suas características, possui como princípio registrar e
sinalizar faltas momentâneas, temporárias e permanentes em linhas de
distribuição e subtransmissão de energia elétrica, com vistas a facilitar a
localização de uma destas. Reduz‐se tempo de manutenção e
restabelece‐se a distribuição de energia. O presente equipamento possui
formato circular, com encapsulamento em policarbonato e operação em
modo local, auto‐alimentado com bateria recarregável, acoplado ao cabo
de energia através de mecanismo de engate progressivo, com acessório
de acionamento. Tem a finalidade de registrar e sinalizar as faltas através
de sensores de campo magnéticos e elétricos e através de sinalização
local via sinalizadores luminosos, acessados via controle remoto e/ou
remota via rádio acessado via receptor de rádio

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri e João A. Pereira

50
Nº PROCESSO MU 8102903‐9

DATA DEPÓSITO 11/12/2001

TÍTULO
EQUIPAMENTO ELETRÔNICO LOCALIZADOR DE CABOS ELÉTRICOS
EMBUTIDOS
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um equipamento eletrônico
localizador de cabos elétricos embutidos que, de acordo com as suas
características, possui como princípio a identificação e localização de
desvio de energia em linhas de baixa tensão, tendo como base um
equipamento com grande resistência, segurança e versatilidade. O
presente equipamento eletrônico é formado por um conjunto de
soluções mecânicas, elétricas e eletrônicas incorporadas, compondo um
equipamento completo e portátil com características próprias, composto
por um conjunto transmissor e receptor, que permite ergonomia na
identificação e localização de condutores energizados, bem como ligações
irregulares (ou clandestinas) na entrada de energia de consumidores,
localizando com precisão a posição exata do cabo energizado conectado à
linha da rede de distribuição de energia elétrica, mesmo que este esteja
enterrado ou embutido em parede de alvenaria ou concreto

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri e João A. Pereira

Nº PROCESSO MU 8102978‐0

DATA DEPÓSITO 29/08/2001

TÍTULO
MEDIDOR ELETRÔNICO DIGITAL DE ENERGIA ELÉTRICA COM PRÉ‐VENDA
AUTOMÁTICA POR CARTÃO
RESUMO Refere‐se a um medidor eletrônico digital de energia elétrica, que
compreende fornecimento de energia pela pré‐venda automática, com
utilização de cartão tipo "smart card", realizando o medidor digital a
medição do consumo ativo de energia elétrica ‐ kWh ‐ e do consumo
reativo de energia elétrica ‐ kVArh ‐ em sistemas monofásico ou polifásico
pertinentes a instalações em baixa tensão de 127 VAC ou 220 VAC a 50 Hz
ou 60 Hz. Interliga‐se ao medidor digital uma unidade de monitoração e
controle através de cabo de 04 vias ou pela própria rede elétrica, a qual
fica dentro do local de consumo – residência, escritório ou outro –, e é
operada pelo próprio usuário, recebendo os créditos do cartão tipo
"smart card" e transferindo‐os para o medidor digital. Compreende um
circuito eletrônico microcontrolado, atuante como interface entre a

51
unidade de monitoração e controle e o medidor eletrônico digital
propriamente dito, sendo os sinais analógicos medidos enviados a um
multiplicador que calcula a potência, a qual é integrada no tempo por um
microcontrolador para ser obtida a energia consumida, com a realização
da totalização em display de cristal líquido

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) José C. Nascimento

Nº PROCESSO PI 0100411‐5

DATA DEPÓSITO 24/01/2001

TÍTULO
EQUIPAMENTO ELETRÔNICO PROGRAMÁVEL PARA DISCAGENS
TELEFÔNICAS
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um equipamento eletrônico
programável para discagens telefônicas que, de acordo com as
características, permite aferir itens de qualidade dos serviços das
concessionárias de telefonia pública, via análise de ligações telefônicas a
centrais de recepção e identificação do equipamento chamador. Tem em
vista verificar a qualidade destes, tendo como base a formação de um
equipamento de grande resistência e segurança. O presente
equipamento eletrônico programável possui o funcionamento baseado
em um microprocessador DSP, que executa as principais funções, com
seus componentes e partes totalmente integradas, blindadas, lacradas e
acondicionadas no interior de uma pequena caixa resistente, conectada
em uma linha telefônica convencional de assinantes e em uma tomada
normal da rede elétrica, de forma a supervisionar em intervalos regulares
itens de qualidade dos serviços de telefonia pública

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Lourival Lippmann

Nº PROCESSO PI 0102507‐4

DATA DEPÓSITO 17/05/2001

TÍTULO
PROCESSO DE REGENERAÇÃO DE ÓLEOS MINERAIS LUBRIFICANTES
INDUSTRIAIS E ISOLANTES
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um processo de regeneração de
óleos minerais lubrificantes industriais e isolantes que, de acordo com as
características, possui como princípio básico a regeneração por

52
percolação em geral, com vistas a regenerar óleos minerais lubrificantes
industriais e isolantes, tendo como base um processo com grande
segurança e versatilidade. O presente processo de regeneração é
formado por um conjunto de soluções físicas e de produção
incorporadas, compondo um produto final regenerado obtido através de
um processo de regeneração de óleos em fluxo contínuo compreendido
por dois dispositivos de estocagem, dois dispositivos de bombeamento,
um dispositivo de aquecimento um dispositivo de percolação, dois
dispositivos de filtragem, análise final da qualidade do óleo, dispositivo de
readitivação (aditivo) e um tanque de armazenamento

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Romeu Caetano Granado

Nº PROCESSO PI 0106313‐8

DATA DEPÓSITO 20/12/2001

TÍTULO
SISTEMA DE COMANDO E CONTROLE DE POTÊNCIA EM GRUPO PARA
ILUMINAÇÃO PÚBLICA
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um sistema de comando e controle
de potência em grupo para iluminação pública que, de acordo com as
suas características, possui como princípio exercer o comando e o
controle local ou remoto sobre grupos de iluminação pública em geral,
com vistas a permitir controlar a demanda, principalmente nos horários
de maior consumo de energia elétrica. O presente sistema é formado por
um conjunto de soluções elétricas, eletrônicas e de comunicação
incorporadas, compondo um sistema completo com características
próprias, composto por um transformador abaixador de tensão de
configuração estrela e triângulo, acionado por chaves comutadoras e
controlado por uma interface eletrônica programável localmente, manual
ou temporizado ou remotamente, via comunicação por pager, com a
finalidade de gerar o comando e o controle de ligar/desligar e
reduzir/aumentar a potência em grupos de iluminação pública

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri e Carlos G. Bianchim

Nº PROCESSO PI 0201334‐7

DATA DEPÓSITO 11/04/2002

TÍTULO
REATOR ELETRÔNICO PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES TIPO HO

53
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um reator eletrônico que, de
acordo com as suas características, possui como princípio a formação de
um equipamento eletrônico destinado ao controle de lâmpadas
fluorescentes tipo HO. Esta incorpora uma estrutura própria contendo
customizado, integrado e disposto em uni invólucro como elemento de
proteção do conjunto em ambientes internos e externos um circuito
eletrônico completo, formado por um bloco de retificação e controle do
fator de potência, um bloco de meia‐ponte e um bloco de pulsos de
ignição. Viabiliza um dispositivo de controle e acionamento de lâmpadas
fluorescentes tipo HO com capacidade de operação em qualquer
ambiente e com a finalidade de comandar de uma lâmpada, até um total
de seis lâmpadas, flexível à necessidade da instalação, dependendo
exclusivamente da soma das potências das lâmpadas fluorescentes tipo
HO, a qual não poderá passar de trezentos e noventa watts

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Carlos G. Bianchim

Nº PROCESSO PI 0205859‐6

DATA DEPÓSITO 13/11/2002

TÍTULO
EQUIPAMENTO DETECTOR DE DESVIO DE ENERGIA ELÉTRICA POR
DIFERENCIAL DE CORRENTE PARA CONSUMIDORES DO GRUPO B
RESUMO Descreve‐se como um equipamento detector de desvio de energia por
diferencial de corrente, com transferência de dados via rede elétrica, para
monitoramento de consumidores residenciais em baixa tensão. De
acordo com as suas características, possui como princípio executar a
comparação entre os valores de corrente elétrica fornecida pela
concessionária e a realmente consumida pelo cliente em instalações
monofásicas, bifásicas ou trifásicas. Apresenta como resultado o
diferencial entre estas, com vistas a determinar o quanto de corrente
elétrica está sendo desviada ou perdida na extensão de cabos entre o
poste. Tem como base a incorporação de um módulo sensor de corrente,
um módulo de processamento digital e transmissão de dados, um módulo
sensor de corrente, um módulo de recepção e comparação de valores de
corrente e um módulo leitor ótico de dados

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri, João A. Pereira e Vilson R. Mognon

Nº PROCESSO MU 8303368‐8

54
DATA DEPÓSITO 12/12/2003

TÍTULO
INSTRUMENTO PARA MONITORAÇÃO DE QUALIDADE DE ENERGIA
ELÉTRICA
RESUMO Descreve monitoração de qualidade de energia elétrica que, de acordo
com as suas características, possui como princípio a formação de um
instrumento de monitoração específico destinado técnica e
economicamente à completa monitoração da qualidade do fornecimento
de energia elétrica da rede elétrica de baixa tensão. Com vistas a
contemplar nas três fases os fenômenos associados às tensões, em total
conformidade com as normas e resoluções da ANEEL. Tem como base
uma estrutura própria contendo customizado, integrado e disposto um
conjunto de medidores remotos como elementos centrais de coleta e
guarda temporária dos dados sobre a qualidade do fornecimento de
energia elétrica e uma central de comando, integrada como elemento
central de recebimento e processamentos de todos os dados coletados
pelos medidores remotos

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Fabio R. Coutinho, Gabriel A. Costa, Gerson E. Mog e Rafael Wagner


Salvatore Sciammarella
Nº PROCESSO PI 0303529‐8

DATA DEPÓSITO 27/08/2003

TÍTULO
SISTEMA SINALIZADOR E IDENTIFICADOR DE EVENTOS POR MEIO DE
IDENTIFICAÇÃO DOS NÚMEROS TELEFÔNICOS
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um sistema sinalizador e
identificador de eventos por meio de identificação dos números
telefônicos que, de acordo com as suas características, possui como
princípio a formação de um modelo de sinalizador e identificador de
eventos específico para aplicação em sistemas de monitoração ou
similares em geral. Com vistas à transmissão da sinalização, identificação
e quaisquer outras informações sobre eventos ocorridos à distância, por
meio da identificação dos números de origem/destino de chamadas
telefônicas. Tem como base a incorporação de uma estrutura própria
contendo perfeitamente customizado, integrado e disposto uma interface
de comunicação específica entre uma central de monitoramento e
diversas unidades remotas

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

55
INVENTOR(ES) Alvaro H. Costa e Lourival Lippmann

Nº PROCESSO PI 0303550‐6

DATA DEPÓSITO 22/09/2003

TÍTULO
DISPOSITIVO PARA TELE‐MONITORAÇÃO DE PONTOS CRÍTICOS DE
ALTURA CABO‐SOLO DE LINHAS DE TRANSMISSÃO
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um dispositivo para tele‐
monitoração de pontos críticos de altura cabo‐solo de linhas de
transmissão que, de acordo com as suas características, possui como
princípio a formação de um instrumento de tele‐monitoramento
específico destinado a aquisitar o valor em tempo real da altura cabo‐solo
dos pontos críticos de linhas de transmissão. Com vistas a se ter uma
avaliação mais fiel da ampacidade destas, principalmente em outros
momentos críticos, através de um melhor aproveitamento destas pela
possibilidade de incrementar o tráfego de blocos de energia. Tem como
base a incorporação de uma estrutura própria de forma e disposição
interna e externa. Adaptam‐se perfeitamente aos mais diversos cabos de
linhas de transmissão e contêm customizado, integrado e disposto em um
encapsulamento um medidor, um comunicador, um extrator de
alimentação e um gerenciador

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Salvatore Sciammarella, Adilson M. Luz e Reggie Vivekananda

Nº PROCESSO PI 0303551‐4

DATA DEPÓSITO 22/09/2003

TÍTULO
SENSOR ATIVO PARA MEDIDA DE CORRENTE DE FUGA EM BUCHAS
CAPACITIVAS
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um sensor ativo para medida de
corrente de fuga buchas capacitivas que, de acordo com as suas
características, possui como princípio a formação de um sensor ativo do
tipo efeito hall para buchas capacitivas na faixa de tensão, que varia de
treze vírgula oito a setecentos e cinqüenta quilovolts com comunicação
ótica. Com vistas a medir, tratar e transmitir grandeza elétrica de
corrente de fuga em buchas capacitivas de transformadores de
transmissão e distribuição de energia e transformadores de instrumentos.
Tem como base a incorporação de uma estrutura própria encaixada
diretamente na bucha capacitiva e contém customizado, integrado e
disposto uma estrutura mecânica externa e um circuito eletrônico
56
interno, todo o conjunto com alimentação independente, comunicação
de dados com uma interface eletro‐ótica através de cabo de fibra‐ótica de
alta isolação galvânica

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri e José A. T. Junior

Nº PROCESSO PI 0304815‐2

DATA DEPÓSITO 24/09/2003

TÍTULO
SENSOR PASSIVO PARA MEDIDA DE CORRENTE DE FUGA EM BUCHAS
CAPACITIVAS
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um sensor passivo para medida de
corrente de fuga em buchas capacitivas que, de acordo com as suas
características, possui como princípio a formação de um sensor passivo
para buchas capacitivas na faixa de tensão, que varia de treze vírgula oito
a setecentos e cinqüenta quilovolts com comunicação ótica. Com vistas a
medir, tratar e transmitir grandeza elétrica de corrente de fuga em
buchas capacitivas de transformadores de transmissão e distribuição de
energia e transformadores de instrumentos. Tem como base a
incorporação de uma estrutura própria, encaixada diretamente na bucha
capacitiva e contém customizado, integrado e disposto uma estrutura
mecânica externa e um circuito eletrônico interno, com alimentação
independente e comunicação de dados com uma interface eletro‐ótica
através de fibra‐ótica de alta isolação galvânica

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri

Nº PROCESSO PI 0304816‐0

DATA DEPÓSITO 24/09/2003

TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO E PRODUTO FINAL DE POLÍMERO
ELETROLUMINESCENTE
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um processo de obtenção e
produto final de polímero eletroluminescente que, de acordo com as suas
características, possui como princípio a obtenção de um polímero
eletroluminescente por processo específico a base da síntese de um
copolímero fluorado de fluoreno com propriedades aperfeiçoadas. Com
vistas a ser aplicado diretamente na fabricação de dispositivos emissores

57
de luz (LEDS) ultrafinos em geral. Tem como base a incorporação a uma
estrutura própria e específica, obtida mediante a síntese de um
copolímero fluorado de fluoreno de estrutura
poli(9,9<39>dialquilfluoreno‐2,7‐diil), com propriedades amplamente
aperfeiçoadas e baseada na rota de acoplamento Suzuki, emprestada da
química orgânica clássica, viabilizando a obtenção de um elemento
estrutural baseado em um material polimérico, cuja estrutura química se
adapta aos mais diversos dispositivos emissores de luz (LEDs).

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Leni C. Akcelrud e Andressa M. Assaka

Nº PROCESSO PI 0305115‐3

DATA DEPÓSITO 24/09/2003

TÍTULO
APERFEIÇOAMENTO INTRODUZIDO NO EQUIPAMENTO ELETRÔNICO DO
PROTETOR CATÓDICO PARA GRELHAS DE LINHAS DE TRANSMISSÃO
AÉREA CONVENCIONAIS
RESUMO Aperfeiçoamento introduzido no equipamento eletrônico do protetor
catódico para grelhas de linhas de transmissão aérea convencionais

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) José M. da Silva

Nº PROCESSO MU 8400041‐4

DATA DEPÓSITO 18/03/2004

TÍTULO
DISPOSIÇÃO CONSTRUTIVA INTRODUZIDA EM SENSORES PARA MEDIDA
DE CORRENTE DE FUGA EM BUCHAS CAPACITATIVAS
RESUMO Descreve‐se como um uma disposição construtiva introduzida em
sensores para medida de corrente de fuga em buchas capacitivas que, de
acordo com as suas características, possui como princípio básico a
introdução de uma perfeita e adequada disposição (encaixe e fixação) na
estrutura mecânica básica dos sensores de elementos facilitadores de
engate e eliminadores de torção, baseados em um conjunto próprio e
específico de dispositivos e aperfeiçoamento em estruturas próprias de
elevada durabilidade e resistência na área de otimização. Viabiliza a
formação de um conjunto completo e totalmente seguro de melhorias,
cujas formas e disposições internas e externas possibilitam a perfeita
integração à estrutura mecânica dos sensores para buchas capacitivas. Ou

58
seja, o perfeito acoplamento dos sensores ativos e passivos diretamente
nestas

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri e José A. T. Júnior

Nº PROCESSO MU 8400171‐2

DATA DEPÓSITO 13/01/2004

TÍTULO
SISTEMA PESSOAL DE CONTROLE DE RUÍDO ACÚSTICO POR
INTERFERÊNCIA DESTRUTIVA
RESUMO Descreve‐se como um sistema pessoal de controle de ruído acústico por
interferência destrutiva que, de acordo com as suas características,
possui como princípio básico a formação de um sistema pessoal e portátil
específico, baseado no princípio de cancelamento ativo de ruído por
interferência destrutiva. Com vistas a reduzir a intensidade do ruído
ambiente dos diferentes setores destes, nos quais a intensidade sonora
do ruído pode chegar a 120 dBA sem, contudo, bloquear a passagem dos
sinais de voz, possibilitando a permanência dos usuários nestes
ambientes extremamente ruidosos por períodos de tempo maiores. Não
há prejuízo ao sistema auditivo destes usuários e tem como base a
incorporação de uma estrutura própria e específica, contendo integrados
e dispostos um par de pequenos fones de ouvido e um sistema eletrônico
baseado em um processador digital de sinais (DSP)

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Amarildo G. Reichel e Rodrigo J. Riella

Nº PROCESSO MU 8401165‐3

DATA DEPÓSITO 09/06/2004

TÍTULO
PROCESSO DE REGENERAÇÃO DO ÁCIDO TEREFTÁLICO (TPA) A PARTIR
DA REGENERAÇÃODE DESPOLIMERIZAÇÃO DO POLI (TEREFTALATO DE
ETILENO) (PET) RECICLADO VIA HIDRÓLISE ALCALINA EM MEIO DE
ETILENOGLICOL (EG) PURO
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um processo químico de
regeneração do ácido tereftálico (TPA), a partir da reação de
despolimerização do poli (tereftalato de etileno) (PET) reciclado via
hidrólise alcalina em meio de etilenoglicol (EG) puro que, de acordo com
as suas características gerais, possui como princípio básico a formação de

59
um processo próprio e específico para obtenção de ácido tereftálico
(TPA), diretamente a partir da reação de hidrólise alcalina do poli
(tereftalato de etileno) PET em meio etilenoglicol (EG) puro, à pressão
atmosférica, nas temperaturas máximas atingidas por cada mistura. Com
vistas à obtenção deste insumo com elevado grau de pureza, de modo a
agregar elevada qualidade, economia e valor comercial ao material
reciclado

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Adhemar C. R. Filho e Kingliston Soares

Nº PROCESSO PI 0400074‐9

DATA DEPÓSITO 13/12/2004

TÍTULO
SISTEMA REMOTO DE RECARGA, CONTROLE DE DEMANDA E
MONITORAMENTO DE FALTA DE ENERGIA PARA CONSUMIDORES DE
BAIXA TENSÃO
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um sistema remoto próprio do tipo
bi‐direcional, com uma comunicação com a concessionária através de
rádio FSK ou módulo celular e da própria rede elétrica, através de PLC e
aplicável em consumidores com ligação monofásica a trifásica a quatro
fios. Com vistas a possibilitar pré‐venda, recarga, controle de demanda,
fraude e monitoramento de falta de energia elétrica nestes
consumidores, aliado à dispensa de emissão de fatura de cobrança e tem
como base a incorporação de uma estrutura própria, contendo
customizados, integrados e dispostos para cada consumidor
isoladamente uma unidade remota de recepção dos comandos enviados
pela concessionária, uma unidade de armazenamento de
acondicionamento do valor de energia elétrica adquirida e uma unidade
de leitura e controle de gerenciamento do consumo, aliado a um cartão
específico como acondicionador dos dados gerais

DEPOSITANTE(s)
Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC
INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri e Marcio Hamerschimidt

Nº PROCESSO PI 0400398‐5

DATA DEPÓSITO 12/02/2004

60
TÍTULO
SISTEMA REMOTO DE GERENCIAMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM
CONSUMIDORES
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um sistema remoto de
gerenciamento de energia elétrica em consumidores que, de acordo com
as suas características, propicia a formação de um sistema remoto de
gerenciamento em estrutura própria e específica do tipo remota com
comunicação bi‐direcional sem fio (wireless) e via cabos elétricos (PLC),
para aplicação diretamente em qualquer classe de consumidor de energia
elétrica, seja ele monofásico a trifásico de quatro fios. Com vistas a
possibilitar, de forma extremamente prática, cômoda e segura, o
gerenciamento de energia elétrica junto aos consumidores, através da
telemedição de consumo de energia elétrica, detecção e sinalização de
fraude em medidores de energia elétrica, gerenciamento pelo lado da
demanda (GLD) e detecção e sinalização de falta de energia elétrica,
aliado a uma completa interatividade com os consumidores de energia
elétrica

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri, Marcio Hamerschimidt e Ângelo Bannack

Nº PROCESSO PI 0500644‐9

DATA DEPÓSITO 02/03/2005

TÍTULO
ARMADILHA ELETRÔNICA PARA COLETA DE MATERIAL BIOLÓGICO EM
AMBIENTE AQUÁTICO
RESUMO Descreve‐se a presente patente como uma armadilha eletrônica para
coleta de material biológico em ambiente aquático que, de acordo com as
suas características, propicia a formação de uma armadilha eletrônica em
estrutura própria e específica do tipo eletrônica‐mecânica. Aplicável em
ambientes aquáticos, marinhos e continentais lênticos e lóticos, tanto na
coluna d<39>água quanto no fundo e em locais confinados, como
tanques de lastro de navios. Com vistas a possibilitar primordialmente a
atração e a coleta de amostras de organismos ictioplâncton marinhos e
de águas continentais e, secundariamente, a atração e a coleta de outras
formas de vida marinha, como organismos planctônicos ou bentônicos
atraídos por diferentes comprimentos de onda. Tem como base um
conjunto de coleta, um conjunto eletrônico, um conjunto de lastro, um
conjunto de apoio e um conjunto de fechamento

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

61
INVENTOR(ES) Ariel S. da Silva, Ivan Jorge Chueiri, Milan C. Pereira, João A. Pereira,
Cristiane G. Langner, Otto S. M. Neto e Carlos E. Belz
Nº PROCESSO PI 0501188‐4

DATA DEPÓSITO 07/04/2005

TÍTULO
INVÓLUCRO PARA ALOJAMENTO DE SENSORES E SINALIZADORES DE
GRANDEZAS ELÉTRICAS E DE TEMPERATURA
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um invólucro para alojamento de
sensores e sinalizadores de grandezas elétricas e de temperatura que, de
acordo com as suas características, propiciar a formação de um invólucro
em estrutura própria e específica do tipo eletromecânica direcionada
para acondicionamento de circuitos eletrônicos, principalmente sensores
e sinalizadores de grandezas elétricas e temperatura junto a cabos
suspensos da rede elétrica convencional, com vistas a possibilitar a
realização de todas as operações de instalação, desinstalação e
manutenção destes sensores e sinalizadores de forma extremamente
segura, prática e, principalmente sem o desligamento da rede elétrica,
aliado ao acondicionamento de circuitos eletrônicos de tratamento de
dados, carregador de baterias, fonte de alimentação, baterias e módulos
de comunicação rádio, PLC ou celulares.

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Ivan Jorge Chueiri

Nº PROCESSO PI 0501687‐8

DATA DEPÓSITO 10/05/2005

TÍTULO
SISTEMA DE DETECÇÃO E COMUNICAÇÃO DE ROMPIMENTO DE
CONDUTOR ELÉTRICO EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA
ELÉTRICA
RESUMO Descreve‐se a presente patente como um sistema de detecção e
comunicação de rompimento de condutor elétrico em redes de
distribuição de energia elétrica que, de acordo com as suas
características, propicia a formação de um sistema de detecção e
comunicação em estrutura própria e específica do tipo eletroeletrônica,
baseada em sensores que detectam e geram um sinal de rompimento do
condutor elétrico energizado, conjuntos eletrônicos que captam e
transmitem remotamente o sinal dos sensores e uma central de controle
que recebe e trata o sinal transmitido. Com vistas a atender as exigências
operacionais normalizadas pelas concessionárias de energia elétrica e aos

62
requisitos de segurança exigidos, de modo a reduzir riscos de acidentes e
otimizar a operação de linhas de distribuição de energia elétrica,
principalmente frente ao rompimento de condutores elétricos
energizados dispostos entre postes de energia

DEPOSITANTE(s) Companhia Paulista de Força e Luz ‐ CPFL (BR/SP) / Instituto de


Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC
INVENTOR(ES) Boris Horbatiuk, Renato Neto, Carlos Filippin, José Brittes, Paulo
Scarassati, João Stenzel e Tiago Leviski
Nº PROCESSO PI 0503502‐3

DATA DEPÓSITO 17/08/2005

TÍTULO
REDE EXPERIMENTAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA
RESUMO Descreve‐se a presente patente de invenção como uma rede
experimental de distribuição de energia elétrica que, de acordo com as
suas características, propicia a formação de uma rede experimental em
estrutura própria e específica do tipo elétrico e laboratorial, baseada em
um laboratório a partir de uma linha experimental de distribuição
elétrica, operando em uma condição sintética e totalmente isolada das
redes de distribuição de energia elétrica operacionais. Com vistas a
possibilitar de forma extremamente segura, prática e precisa a formação
de uma linha de distribuição de energia elétrica que contemple as
diversas situações encontradas em campo para execução dos mais
variados testes e simulações de dispositivos e sistemas de segurança.
Tem como base a incorporação de uma estrutura própria e específica,
contendo integrados e simetricamente dispostos uma linha de
distribuição, uma base central, uma casa de controle, uma instalação
elétrica e uma casa de transformação

DEPOSITANTE(s) Companhia Paulista de Força e Luz ‐ CPFL (BR/SP) / Instituto de


Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC
INVENTOR(ES) Boris Horbatiuk, Renato Neto, Carlos Filippin, José Brittes, Paulo
Scarassati, João Stenzel e Luis Gamboa
Nº PROCESSO PI 0504175‐9

DATA DEPÓSITO 11/10/2005

TÍTULO
SISTEMA DE PRODUÇÃO DE HIDROGÊNIO COMBUSTÍVEL POR GERADOR
EÓLICO
RESUMO Descreve‐se a presente patente de invenção como um sistema de
produção de hidrogênio combustível por gerador eólico que, de acordo
com suas características, propicia a formação de um sistema produtor em
estrutura própria e específica do tipo geradora de energia elétrica e
63
baseada em um gerador eólico simplificado e otimizado para produção de
hidrogênio combustível através de processo de eletrólise da água. Com
vistas a possibilitar, de forma extremamente eficiente, segura e
econômica, a geração e o armazenamento de hidrogênio combustível,
aliado ao de oxigênio. Baseados totalmente no conceito ecológico de
ambientalmente limpo. Tem como base um sistema produtor com grande
resistência e versatilidade, que devido às suas características gerais e
dimensões, é facilmente adaptável a qualquer tipo de regime de vento,
usuário e local

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Celso de Mello Junior

Nº PROCESSO PI 0504813‐3

DATA DEPÓSITO 18/10/2005

TÍTULO
SISTEMA DE LOCALIZAÇÃO REMOTA DA RUPTURA DO ISOLAMENTO DOS
CABOS DAS REDES SUBTERRÂNEAS RAMIFICADAS
RESUMO Descreve‐se a presente patente de invenção como um sistema de
localização remota da ruptura do isolamento dos cabos das redes
subterrâneas ramificadas. De acordo com as suas características, propicia
a formação de um sistema de localização remota em estrutura própria e
específica do tipo eletroeletrônica, para aplicação diretamente ao longo
dos cabos elétricos das redes subterrâneas ramificadas em geral. Com
vistas a possibilitar de forma totalmente otimizada e precisa a detecção
da evolução do processo de ruptura do sistema de isolamento dos cabos
elétricos individuais que compõem a rede subterrânea ramificada, aliado
ao registro da evolução deste processo de ruptura diretamente em uma
base de dados específica. Tem como base um sistema de localização
remota com grande resistência, segurança, versatilidade e facilmente
adaptável a qualquer tipo de cabo elétrico de rede subterrânea
ramificada, técnico e local

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia Para o Desenvolvimento ‐ LACTEC

INVENTOR(ES) Vitoldo Swinka Filho

Nº PROCESSO PI 0600595‐0

DATA DEPÓSITO 23/02/2006

64
PTI – PARQUE TECNOLÓGICO DE ITAIPU

65
PROGRAMA DE GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA – PGIT

O Programa de Gestão da Inovação Tecnológica (PGIT), idealizado como um


mecanismo de sistematização do processo de inovação tecnológica para o PTI,
busca dotar o Parque Tecnológico Itaipu de ferramentas que possibilitem o
ordenamento do processo inovativo e tecnológico do Parque. O programa visa
permitir que o crescimento do PTI aconteça de forma ordenada e atrativa para
novos negócios e parcerias, tendo como premissa a promoção do desenvolvimento
social, econômico e a convergência de ações para a inovação tecnológica, por meio
da atuação em projetos de alto impacto.

Responsável: Carlos Beyersdorff

Equipe: Angelita Helena Hanauer

Fone: (45) 3576‐7093

Endereço: Av. Tancredo Neves, 6731, Usina de Itaipu, Itaipu. Foz do Iguaçu‐PR.

Site: www.pti.org.br

E‐mail: bcarlos@pti.org.br

66
PUC‐PR – PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ

67
AGÊNCIA PUC ‐ APC

A missão da Agência PUC é ser instrumento de promoção da qualidade e da


excelência no Ensino, na Pesquisa e na Extensão, por meio da integração de
“ativos” de inovação e do conhecimento que adicionem valor a essas atividades, ao
mesmo tempo em que contribui para o desenvolvimento sócio‐econômico da
região de atuação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná.

Responsável: Luiz Márcio Spinosa

Equipe: Luiz Márcio Spinosa e Paulo Maranhão.

Fone: (41) 3271‐2629

Endereço: Rua Iapó, 1225, Prado Velho. Curitiba‐PR.

Site: www.agenciapuc.pucpr.br

E‐mail: m.spinosa@pucpr.br

68
PATENTES
TÍTULO PRODUÇÃO DE ÉSTERES ETÍLICOS, BIODIESEL, A PARTIR DE ÓLEOS
VEGETAIS E ÁLCOOL ETÍLICO

RESUMO Consiste em um processo químico que tem por objetivo modificar a


estrutura molecular do óleo vegetal (óleo de soja degomado ou aquele já
utilizado em fritura), através do álcool etílico anidro ou hidratado,
transformando‐a em ésteres etílicos (biodiesel) e, por consequência, com
propriedades físico‐químicas similares ao do óleo diesel convencional. A
presente invenção envolve duas reações de transesterificação: a primeira,
em presença do catalisador alcóxido metálico; e a segunda, em presença
do catalisador ácido sulfúrico e cloreto de sódio. Esta invenção também
envolve a otimização dos fatores mais influentes no processo
(temperatura, pressão, tempo de reação, concentreção de catalisadores)
com o objetivo de propiciar menores custos e maiores rendimentos,
favorecendo o meio ambiente.
DEPOSITANTE(s) Nei Hansen de Almeida; Benedito Hass e Nicole Marques Hoff

INVENTOR(ES) Nei Hansen de Almeida; Benedito Hass e Nicole Marques Hoff

Nº PROCESSO PI0104107‐0 A2

DATA DEPÓSITO 23/08/2001

TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO DE ÉSTERES ETÍLICOS OU BIODIESEL E SABÃO
GLICERINADO A PARTIR DE ÁLCOOL ETÍLICO E ÓLEOS VEGETAIS COM
ACIDEZ CONTROLADA DE ÁCIDOS GRAXOS
RESUMO Descreve‐ se a presente patente de invenção como um processo de
obtenção de ésteres etílicos ou biodiesel e sabão glicerinado a partir de
álcool etílico e óleos vegetais com acidez controlada de ácidos graxos
que, de acordo com as suas características gerais, possui como princípio
básico propiciar a partir da utilização de álcool etílico e óleos vegetais
degomados ou usados, preferencialmente óleo de soja ou óleo de soja
usado em frituras realizar a transesterificação etílica destes em quatro
reações homogêneas distintas com controle da acidez de ácidos graxos,
com vistas a possibilitar de forma totalmente otimizada e precisa a
obtenção de ésteres etílicos ou biodiesel como produto principal e sabão
glicerinado como produto secundário atravês da separação do biodiesel
por decantação.

69
DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC

INVENTOR(ES) Nei Hansen de Almeida, André Ferreira Leonardi e Bruno Sampaio


Kastelic
Nº PROCESSO PI0711110‐0 A2

DATA DEPÓSITO 10/12/2007

TÍTULO
EQUIPAMENTO PARA ATIVAÇÃO DE CATALISADOR ÁCIDO
RESUMO Equipamento para ativação em estrutura própria e específica do tipo
eletromecânica, destinada à fabricação de ésteres etílicos ou biodiesel
através da rota etílica

DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC

INVENTOR(ES) Nei Hansen de Almeida

Nº PROCESSO PI 0701516‐0

DATA DEPÓSITO 10/07/2007

TÍTULO
EQUIPAMENTO PARA RECUPERAÇÃO DE ETANOL E ELIMINAÇÃO DE
ÁGUA
RESUMO Descreve‐se a presente patente de invenção como um equipamento para
recuperação de etanol e eliminação de água que, de acordo com as suas
características, propicia a formação de um equipamento para
recuperação em estrutura própria e específica do tipo eletromecânica
destinada a fabricação de ésteres etílicos ou biodiesel através da rota
etílica, ou seja, a partir de óleos vegetais e álcool etílico, com vistas a
possibilitar de forma totalmente otimizada a execução do sistema de
recuperação de etanol e eliminação de água contido no processo de
fabricação de biodiesel através da rota etilica, objeto do pedido de
patente de invenção PI 0104107‐O, "Produção de Ésteres Etílicos,
Biodiesel, a partir de Óleos Vegetais e Álcool Etílico", depositado em 23
de agosto de 2001

DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC

INVENTOR(ES) Nei Hansen de Almeida

Nº PROCESSO PI0701515‐1 A2

DATA DEPÓSITO 10/07/2007

TÍTULO
MÉTODO PARA TORNAR UM TECIDO BIOLÓGICO ACELULAR, RECEPTIVO
70
A NOVAS CÉLULAS E POUCO IMUNOGÊNICO
RESUMO Método para tornar um tecido biológico acelular, receptivo a novas
células e pouco imunogênico que, de acordo com as suas características,
propicia a formação de um método baseado na descelularização de
materiais biológicos para confecção de tecidos ou estruturas substitutivas
em geral, pelo qual os mesmos são expostos para a completa remoção de
células e restos celulares. Deste modo, resta apenas um arcabouço de
matriz extracelular ou bioplástico acelular e receptivo ao repovoamento
celular "in vitro" ou "in vivo" pelo receptor, com células do receptor,
células criopreservadas ou de doação compatível ao receptor, aliando a
inibição à rejeição do material descelularizado pelo sistema imune deste.
Com vistas a favorecer de forma extremamente prática, segura e precisa
uma completa reconstituição do tecido substitutivo, da estrutura
substitutiva ou da área onde se empregou o tecido, ou a estrutura
descelularizada

DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC

INVENTOR(ES) Francisco Diniz Afonso da Costa, João Gabriel Roderjan Mendonça e


Eduardo Discher Vieira
Nº PROCESSO PI 0800603‐2

DATA DEPÓSITO 12/03/2008

TÍTULO COMPOSIÇÃO GEL ORA‐BASE DE PILOCARPINA PARA TRATAMENTO DE


XEROSTOMIA

RESUMO Descreve‐se a presente patente de invenção como uma composição gel


ora‐base de pilocarpina para tratamento de xerostomia que, de acordo
com as suas características, propicia uma composição na forma gel ora‐
base com formulação a base de pilocarpina, alcalóide existente nas folhas
do Pilocarpus jaborandi, para tratamento da xerostomia, com vistas a ser
administrado como gel na forma tópica sobre a mucosa bucal dos
pacientes que necessitam de um controle eficaz da xerostomia,
principalmente quando causada por drogas psicotrópicas e similares,
aliado a inexistência de contra‐indicações e efeitos colaterais aos
pacientes e, tendo como base, uma composição a gel ora‐base simples e
de grande resistência, durabilidade e precisão adaptável a uma vasta
gama de pacientes com xerostomia.
DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC

INVENTOR(ES) Luciana Reis Azevedo Alanis; Ana Maria Trindade Grégio

Nº PROCESSO PI0805520‐3 A2

DATA DEPÓSITO 01/12/2008

71
TÍTULO ÓLEOS ESSENCIAIS PARA CONTROLE DE PRAGAS

RESUMO Descreve‐se a presente patente de invenção como óleos essenciais para


controle de pragas que, de acordo com as suas características, baseia‐se
em um composto bioativo de plantas formulados a base de óleos
essenciais de sassafrás (Ocotea odorífera) e eucalipto (Eucalyptus
viminalis) e obtidos por meio de extração por arraste a vapor de água,
com vistas a ser aplicado como aleloquímico em sua forma fluida ou pó
nos procedimentos de controle de pragas adultas e larvas em geral, ou
seja, nas diferentes fases de desenvolvimento, primordialmente através
do seu potencial inseticida no controle de pragas adultas e larvas de
cascudinho (Alphitobius diaperinus) juntos a aviários e similares em geral
e, tendo como base, um composto formulação geral diferenciada e
grande resistência, durabilidade e versatilidade.
DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC

INVENTOR(ES) Sylvio Péllico Netto, Airton Rodrigues Pinto Junior

Nº PROCESSO PI0805965‐9 A2

DATA DEPÓSITO 29/09/2008

TÍTULO EQUIPAMENTO PARA AVALIAÇÃO E APOIO AO CONTROLE DE


CONFORTO TÉRMICO

RESUMO Descreve‐se a presente patente de invenção como um equipamento para


avaliação e apoio ao controle de conforto térmico que, de acordo com as
suas características, propicia a formação de um equipamento para
avaliação e apoio em estrutura própria e específica do tipo
eletromecânica e baseada na análise dos equipamentos de climatização e
de suas perfeitas interações com os ambientes em que se encontram
instalados através do índice PMY (Predicted Mean Vote) proposto em
Fanger, com vistas a possibilitar de forma extremamente prática, segura e
precisa uma completa otimização nos procedimentos de controle destes
equipamentos de climatização para redução de consumo de energia
elétrica destes e melhoria do conforto térmico destes ambientes, assim
como uma maior eficiência dos equipamentos de climatização.
DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC (BR/PR)

INVENTOR(ES) Gustavo Henrique da Costa Oliveira / Nathan Mendes / Rodrigo Trebien

Nº PROCESSO PI0805082‐1 A2

DATA DEPÓSITO 27/06/2008

72
TÍTULO SISTEMA DE MEDIÇÃO DA DERIVADA DA PRESSÃO NO CILINDRO DE
MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA

RESUMO Descreve‐se a presente patente de invenção como um sistema de


medição da derivada da pressão no cilindro de motores de combustão
interna que, de acordo com as suas características, propicia a formação
de um sistema de medição em estrutura própria e específica do tipo
eletromecânica na qual é introduzido um conversor de corrente em
tensão em substituição a um amplificador de carga na polarização do
transdutor piezelétrico de pressão instalado no cilindro de motores de
combustão interna para obtenção da derivada da curva de pressão
necessária ao cálculo do calor liberado na combustão, com vistas a
possibilitar de forma extremamente prática, segura e precisa uma
completa otimização nos procedimentos de análise da liberação de
energia em motores de combustão interna, aliado a um aumento da
confiabilidade aos resultados obtidos para análises da dinâmica do
processo de combustão e da eficiência de conversão da energia do
combustível no cilindro.
DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC (BR/PR)

INVENTOR(ES) José Antonio Andrés Velásquez Alegre / Andre Valente Bueno / Luiz
Fernando Milanez
Nº PROCESSO PI0805147‐0 A2

DATA DEPÓSITO 13/11/2008

TÍTULO COMPOSTEIRA DOMÉSTICA

RESUMO Não disponível

DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC

INVENTOR(ES) Não disponível

Nº PROCESSO PI0902568‐5

DATA DEPÓSITO 07/07/2009

TÍTULO COMPOSTO BIOATIVO DE PLANTAS PARA CICATRIZAÇÃO DE PELE

RESUMO Objetivos Utilizar plantas medicinais, na terapêutica de lesões de mucosa


oral, visando obter um produto final comercializável, eficaz e acessível
DEPOSITANTE(s) Não disponível

INVENTOR(ES) Ana Maria Trindade Grégio; Antônio Adílson Soares de Lima; Maria
Ângela Naval Machado
Nº PROCESSO 15090003058

DATA DEPÓSITO 15/10/2009

73
TÍTULO VEÍCULO SOBRE RODAS PARA PRÁTICA ESPORTIVA

RESUMO Documento não disponível

DEPOSITANTE(s) Não disponível

INVENTOR(ES) Não disponível

Nº PROCESSO 15090003459

DATA DEPÓSITO 24/11/2009

TÍTULO CONFIGURAÇÃO APLICADA EM SKATE

RESUMO Documento não disponível

DEPOSITANTE(s) Não disponível

INVENTOR(ES) Não disponível

Nº PROCESSO 15090003460

DATA DEPÓSITO 24/11/2009

TÍTULO SISTEMA DE SUPORTE DE PESO CORPORAL PARA APLICAÇÃO DO


TREINAMENTO LOCOMOTOR COM SUPORTE DE PESO

RESUMO O principal objetivo deste trabalho é aplicar os efeitos do treino


locomotor com suporte parcial de peso para reabilitação de indivíduos
com lesão medular. Para tanto, instrumentação e métodos de avaliação
estão sendo desenvolvidos pelo grupo de pesquisa na PUCPR.
DEPOSITANTE(s) Não disponível

INVENTOR(ES) Elisangela Ferretti Manffra

Nº PROCESSO 280904043711

DATA DEPÓSITO 07/07/2009

TÍTULO METODOLOGIA PARA SELEÇÃO DE TÉCNICA DE FITORREMEDIAÇÃO EM


ÁREAS CONTAMINADAS

RESUMO Não disponível

DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC

INVENTOR(ES) Paulo Victor Laguardia Mejía e Fabiana de Nadai Andreoli

74
Nº PROCESSO 15100000924

DATA DEPÓSITO 08/04/2010

TÍTULO FERRAMENTA PARA IDENTIFICAÇÃO DE ASSÉDIO MORAL NAS


MENSAGENS ELETRÔNICAS

RESUMO Não disponível

DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC

INVENTOR(ES) Cinthia Obladen de Almendra Freitas; Adriano Velasco Nunes; Emerson


Cabrera Paraiso e Marco Antônio César Villatore

Nº PROCESSO 15100001600

DATA DEPÓSITO 22/06/2010

TÍTULO SISTEMA DE AVALIAÇÃO COMPUTACIONA DO NÍVEL DE COMREENSÃO


DE TEXTOS EM LINGUAGEM NATURAL

RESUMO Não disponível

DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC

INVENTOR(ES) Jaime Wojciechowski, Edson Emílio Scalabrini, Fabricio Enembreck

Nº PROCESSO 5100002295

DATA DEPÓSITO 31/08/2010

TÍTULO TIJOLO ECOLÓGICO MODULAR

RESUMO Não disponível

DEPOSITANTE(s) Associação Paranaense de Cultura ‐ APC

INVENTOR(ES) Jose Fernando Arns

Nº PROCESSO 5100002401

DATA DEPÓSITO 14/09/2010

75
TECPAR – INSTITUTO DE TECNOLOGIA DO PARANÁ

76
AGÊNCIA PARANAENSE DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL ‐ APPI

A Agência Paranaense de Propriedade Industrial tem por objetivo principal


disseminar a cultura de Propriedade Industrial para as Empresas Paranaenses,
através da criação da Rede Paranaense de PI. Seu objetivo é fornecer apoio em
gestão do conhecimento científico e tecnológico aos pesquisadores e aos setores
produtivos do Paraná, com vistas à proteção da Propriedade Industrial,
especialmente no que se refere a patenteamento de resultados inovadores de
pesquisa.

Responsável: Marcus Julius Zanon

Equipe: Ariane Marcela Côrtes, Christina Leonora Kassies, Elane Amorim Maia,
Kelen Sbolli, Maria Luiza Stefanelo e Sandra do Carmo.

Endereço: Av. Pref. Lothário Meissner, 350, Jardim Botânico. Curitiba‐PR.

Fone: (41)3281‐7400/7401

Site: www.tecpar.br/appi

E‐mail: appi@tecpar.br

77
PATENTES

TÍTULO
SOLUÇÃO TENSOATIVA UTILIZADA NO PROCESSO DE RECICLAGEM DE
PLÁSTICOS PARA LIMPEZA E SEPARAÇÃO DO ALUMÍNIO
RESUMO A presente patente de invenção consiste em promover uma inédita
composição, constituída por substâncias químicas em formulação,
balanceada com a finalidade de atuar como agente de desagregação de
materiais poliméricos aderidos entre si mecanicamente ou resultantes do
processo de laminação a quente. É utilizado o ácido
Dodecilbenzenosulfônico como agente tensoativo, a partir do qual é
preparada solução aquosa a 5% (m/v), sendo posteriormente
neutralizada com Hidróxido de Sódio (NaOH) em pH 6 a 7. O produto é
obtido a partir da mistura que resulte na solução final, em torno de 2,5%
(m/v). A seguir, adiciona‐se, sob agitação, Trietanolamina [(CH~ 3~CH~
2~OH~ 3~)N] entre 1 a 2% (v/v), sendo o pH da solução corrigido com
Ácido Metanóico (HCOH) na faixa de 0,0 a 3,0. As peças ou o material
polimérico são reduzidos e imersos na composição pré‐aquecida, a uma
temperatura entre 85<198> e 100<198>C. Após o tratamento com a
composição ideada, os polímeros passam por um tanque de água à
temperatura ambiente, para retirada dos agentes químicos

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia do Paraná ‐ TECPAR

INVENTOR(ES) Amanda Beatriz Herrmann, Cesar Antônio Lenz e Eder José dos Santos

Nº PROCESSO PI 00066419

DATA DEPÓSITO 15/12/2000

TÍTULO
PROCESSO DE SEPARAÇÃO DE CAMADAS EM EMBALAGENS LAMINADAS
RESUMO A presente patente de invenção refere‐se a um processo inédito para
separação de camadas de plástico, papel e alumínio em embalagens
laminadas usadas. A finalidade óbvia é obter a separação do plástico,
papel e alumínio que estão incorporados nas próprias embalagens. Este
processo inova por dar escala industrial à separação de todas as camadas
(plástico, papel e alumínio) das embalagens laminadas, possibilitando
tornar estes componentes em matéria‐prima novamente. Este processo
resolve o problema de aplicar uma solução química em uma escala
industrial, além de otimizá‐lo quanto aos custos operacionais. Isto
possibilita que os aterros sanitários e lixões tenham sua vida útil

78
aumentada, pois estas embalagens representam um volume significativo,
diminuindo o impacto ambiental. Apresenta uma alternativa para
estimular a separação de materiais nobres (plástico e alumínio) de
embalagens que hoje não são separadas como lixo reciclável ou em
programas de coleta seletiva. Este processo é composto por operações de
baixo custo e com potencial de utilização para unidades de pequena
capacidade produtiva, tornando uma opção viável para pequenas
comunidades e cidades

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia do Paraná (BR/PR) / Fundação Banco do Brasil


(BR/DF)
INVENTOR(ES) Alexandre Akira Takamatsu, Natália Regina Afonso Gonçalves, Gilmar
Andreatta e Virlene Márcia Coturi.
Nº PROCESSO PI 02044170

DATA DEPÓSITO 10/10/2002

TÍTULO
BIODIGESTOR DE FLUXO ASCENDENTE COM MANTA DE LODO E SELO
HIDRÁULICO PARA TRATAMENTO DE ESGOTO
RESUMO Compreendido por um compartimento inferior, compartimento médio,
compartimento superior e uma caixa de passagem que interliga o
compartimento médio ao superior. A entrada do efluente se dá através
de 02 (duas) tubulações verticais, lateralmente posicionadas de forma
diametralmente opostas, e acopladas a estas um sistema de
movimentação do pistão que percorre esta tubulação com objetivo de
desobstruí‐la, assim como homogeneizar o efluente no compartimento
inferior. O compartimento inferior se comunica com o compartimento
médio através do orifício central da parede de aço. Este compartimento
médio é destinado a receber o lodo estabilizado e armazenar o biogás
produzido. O fluxo do lodo estabilizado sai do compartimento médio para
o superior através da caixa de passagem. O compartimento superior tem
função de selo d'água para vedação do biodigestor. O biodigestor é
caracterizado por ter um sistema de movimentação de pistão na
tubulação de entrada e selo hidráulico, que se forma pelo compartimento
superior e caixa de passagem

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia do Paraná ‐ TECPAR

INVENTOR(ES) Chanlai Chanyuthim, Alexandre Akira Takamatsu, Natália Regina Afonso


Gonçalves, Roberto Takeshi Nara, Glaciele Cachoeira, Leandro Novak e
Gilmar Andreatta
Nº PROCESSO PI 02027410

DATA DEPÓSITO 17/07/2002

79
TÍTULO
MÉTODO DE DETERMINAÇÃO DE PERCENTUAL DE MISTURA DE
BIODIESEL EM ÓLEO DIESEL
RESUMO Consiste de um processo simples de determinação do percentual de
mistura de biodiesel em óleo diesel, empregando a medida de
absorbância de radiação no espectro infravermelho médio, mais
especificamente na faixa entre 1870‐1540 cm^ ‐1^. O pico de absorção
correspondente ao alongamento da ligação dupla Carbono‐Oxigênio,
também conhecido como pico da Carbonila (C=O), existente nesta região,
está presente apenas no Biodiesel e, portanto, pode ser empregado na
determinação da presença deste componente em uma mistura Biodiesel‐
Óleo Diesel. Verificou‐se a existência de uma dependência não‐linear
entre a altura do pico de absorção e o percentual de mistura na faixa que
vai de 0 a 100%. Esta dependência obedece a uma lei de potência bem
específica, passível de análise mediante processamento eletrônico
posterior. Mostrou‐se também que, na faixa reduzida de 0 a 10% a
relação pode ser aproximada por uma reta com boa confiabilidade

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia do Paraná ‐ TECPAR

INVENTOR(ES) Cyro Ketzer Saul, Wanderley Veiga e Rodrigo Mendes

Nº PROCESSO PI 0505856‐2

DATA DEPÓSITO 08/12/2005

TÍTULO
MÉTODO DE AFERIÇÃO DA UMIDADE RELATIVA E MEDIDOR UNIVERSAL
DE UMIDADE EM MADEIRA
RESUMO A presente invenção refere‐se a um processo de aferição da umidade
relativa de qualquer tipo de madeira, e também a um dispositivo que
combina medidas de capacitância e massa para tal. O Medidor de
umidade em madeira que faz uso de um elemento sensor capacitivo, o
qual é isoladamente embutido no orifício feito na madeira através de
uma peça sacadora. A umidade é obtida relacionando‐se a medida da
capacitância com a medida do peso da amostra de madeira retirada

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia do Paraná ‐ TECPAR

INVENTOR(ES) Wanderley Veiga e Rodrigo Mendes

Nº PROCESSO PI 06034950

DATA DEPÓSITO 18/08/2006

80
TÍTULO
METHOD FOR MEASURING BIODIESEL CONCENTRATION IN A BIODIESEL
OIL MIXTURE
RESUMO This patent presents a method for measuring the concentration of
biodiesel in a homogeneous biodiesel‐diesel oil mixture using mid
infrared radiation for use as fabrication monitor, quality control, law
enforcement and multi‐fueled vehicles. The method is characterized by
the use of mid infrared absorption measurement in the range from 1870
to 1600 cm‐1 (5347.6 to 6250.0 nm) which corresponds to the carbonyl
group absorption peak (C=O) that is only present in biodiesel. Both
intensity and area of the carbonyl absorption peak present a power law
dependence with the biodiesel percentile in the biodiesel‐diesel oil
mixture.

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia do Paraná ‐ TECPAR

INVENTOR(ES) SAUL, Cyro Ketzer / ALISKE, Marcelo Adriano / VEIGA, Wanderley

Nº PROCESSO WO/2009/009843

DATA DEPÓSITO 13/07/2007

TÍTULO
PRODUÇÃO DE PADRÕES DE ISOFLAVONAS A PARTIR DA PURIFICAÇÃO
DE EXTRATO SECO DE SOJA PADRONIZADO
RESUMO A presente patente de invenção diz respeito a um novo processo de
obtenção de isoflavonas purificadas (Daidzina, Glicitina, Genistina,
Daidzeína, Gliciteína e Genisteína) e posterior caracterização para
utilização como padrões analíticos de referência. o presente pedido
utiliza a purificação por cromatografia líquida de alta eficiência em escala
preparativa por coluna fechada. As isoflavonas obtidas estão nas formas
agliconas e glicososídicas e contém pureza maior que 95%. O produto
obtido é de uso específico para cromatografia líquida de alta eficiência.
Este processo utiliza uma modelagem matemática através da
transposição direta de escala avaliando as isotermas de adsorção, sendo
possível dimensionar o processo em qualquer escala de produção a partir
de uma escala analítica.

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia do Paraná ‐ TECPAR

INVENTOR(ES) Marcelo Ribani

Nº PROCESSO 015090002449

DATA DEPÓSITO 14/08/2009

81
TÍTULO
METHOD FOR MEASURING BIODIESEL CONCENTRATION IN A BIODIESEL
OIL MIXTURES
RESUMO This patent presents a method for measuring the concentration of
biodiesel in a homogeneous biodiesel‐diesel oil mixture using mid
infrared radiation for use as fabrication monitor, quality control, law
enforcement and multi‐fueled vehicles. The method is characterized by
the use of mid infrared absorption measurement in the range from 1870
to 1600 cm‐1 (5347.6 to 6250.0 nm) which corresponds to the carbonyl
group absorption peak (C=O) that is only present in biodiesel. Both
intensity and area of the carbonyl absorption peak present a power law
dependence with the biodiesel percentile in the biodiesel‐diesel oil
mixture

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia do Paraná ‐ TECPAR

INVENTOR(ES) SAUL, Cyro Ketzer / ALISKE, Marcelo Adriano / VEIGA, Wanderley

Nº PROCESSO US2010/0116991A1

DATA DEPÓSITO 30/10/2009

TÍTULO
SISTEMA BIOLÓGICO AUTOMATIZADO PARA ELIMINAÇÃO DO ODOR
DAS EMISSÕES GASOSAS DE ATIVIDADES COMERCIAIS POLUIDORAS
RESUMO A presente invenção refere‐se ao tratamento da eliminação do odor das
emissões gasosas de fração orgânica e inorgânica, proveniente da queima
de combustíveis, na preparação de alimentos, em estabelecimentos
comerciais, por meio aquoso contendo uma cultura mista de
microorganismos, em reatores biológicos em série, de formato cilíndrico
ou plano, que promoverão a degradação dos componentes da emissão
gasosa.

DEPOSITANTE(s) Instituto de Tecnologia do Paraná ‐ TECPAR Universidade Tecnológica do


Paraná ‐ UTFPR
INVENTOR(ES) Alexandre Akira Takamatsu, Anderson Cardoso Sakuma, Luiza Schroeder,
Camilla Lucas Sprung, Willian Ryuichi Mikami, Gabriel Brandão Ribeiro
Souza, Elisa Gasparini de Moraes, Camila Agner D’Aquino, Renata
Antunes Ferreira da Silva, André Bellin Mariano, Marcelo Real Prado,
Geanfranco Pascoalotto
Nº PROCESSO 01500002396

DATA DEPÓSITO 13/09/2010

82
UEL – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

83
AGÊNCIA DE INOVAÇÃO ‐ AINTEC

O Escritório de Propriedade Intelectual ‐ EPI tem como objetivos: sensibilizar


acerca da importância e necessidade da proteção intelectual; prestar orientação
quanto às formas e procedimentos de proteção das obras intelectuais; fornecer
informações tecnológicas e incentivar o desenvolvimento de novas tecnologias;
estimular e promover a aplicação da capacidade existente na UEL para interação
com a sociedade.

Responsável: Jair Scarminio

Equipe: Ciro Antonio Ozawa, Débora Ciciliato e Ana Paula Teodoro.


Fone: (43)3371‐5812

Endereço: Rod. Celso Garcia Cid ‐ PR 445, Km 380, Jardim Portal de Versalhes.
Londrina‐PR ‐ Campus Universitário.

Site: www.aintec.uel.br

E‐mail: aintecpi@uel.br

84
PATENTES

TÍTULO
SISTEMA DE RESFRIAMENTO E CONTROLE DE TEMPERATURA DE
CIRCUITOS INTEGRADOS ATRAVÉS DE PLACAS TERMOELÉTRICAS
RESUMO Sistema de resfriamento e controle da temperatura de circuitos
integrados planares, através do uso de placas termoelétricas, com o
objetivo de resfriar circuitos integrados planares através da refrigeração
termoelétrica, utilizando‐se de um bloco espaçador de metal entre o
circuito e a placa termoelétrica, um sistema de vedação, para evitar a
condensação e o refluxo de calor para o circuito, e um conjunto de
dissipação, sendo o controle da temperatura realizado através de um
sensor de temperatura ligado a um circuito de controle
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐ UEL

INVENTOR(ES) Roberto Sevaux, Ginez R. Júnior, Luís F Verri, Marc'Antonio V. de Queiroz


e César Antônio Caggiano Santos
Nº PROCESSO PI 0.105.585‐2

DATA DEPÓSITO 14/11/2001

TÍTULO
SUBSTÂNCIA VOLÁTIL PARA CAPTURA DA DIABRÓTICA SPECIOSA
RESUMO O composto 1,4‐dimetoxibenzeno demonstrou‐se atrativo para diabrótica
speciosa mediante sua utilização em armadilhas capazes de capturar em
massa os besouros, com o aumento da dosagem de composto na
armadilha. Logrou‐se, assim, oferecer alternativa viável para a
pulverização de inseticidas químicos para o controle da praga, que
implicações ambientais decorrentes da baixa seletividade desses últimos
compostos, da recorrência de sua aplicação para obter efeitos
duradouros e economicamente viáveis, e da sua permanência e dispersão
no ambiente natural

DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐ UEL

INVENTOR(ES) Maurício Ursi Ventura

Nº PROCESSO MU 8.100.425‐7

DATA DEPÓSITO 14/03/2001

85
TÍTULO
FORMULAÇÕES FARMACÊUTICAS DE BIOINSETICIDA
RESUMO A presente invenção relata a produção de dois tipos de formulações de
Bioinseticidas, sendo uma em forma de grânulos secos e outra em
suspensão concentrada, garantindo a atividade larvicida das endotoxinas
produzidas por BT no final do processo fermentativo. Estas formulações
são caracterizadas pela praticidade, baixo custo e eficiência no controle
de larvas de insetos em ambiente aquosos, sem prejuízo ao meio
ambiente

DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐ UEL

INVENTOR(ES) Olívia Márcia Nagy Arantes e José Lopes

Nº PROCESSO 0307137‐5

DATA DEPÓSITO 16/07/2003

TÍTULO
SONDA URETRAL FEMININA E MÉTODO DE APLICAÇÃO
RESUMO Patente de modelo de utilidade para um dispositivo médico hospitalar e
um método de aplicação concebidos para mulheres e crianças do sexo
feminino, com o intuito de proporcionar alívio temporário nas retenções
urinárias pós‐operatórias, nos problemas de incontinência urinária por
transbordamento ou em bexigas hipocontráteis que apresentam urina
residual elevada. A urina retida na bexiga é drenada por meio de um
canal da haste principal de tamanho menor e mais confortável, que já
possui lubrificante aderido. O fluxo é iniciado, controlado e interrompido
através do controlador de fluxo e o escoamento da urina é direcionado
para o local desejado através do canal de saída da drenagem. A
existência, ainda, de dois orifícios arredondados, localizados na
extremidade anterior da haste, que possuem um corte num ângulo
menor que 90<198>, auxiliam no conforto e segurança da sonda por
evitarem o traumatismo uretral

DEPOSITANTE(s) Mitiko Moroóka

INVENTOR(ES) Mitiko Moroóka

Nº PROCESSO MU 8.302.415‐8

DATA DEPÓSITO 24/09/2003

86
TÍTULO
FORMULAÇÕES FARMACÊUTICAS DE BIOINSETICIDA
RESUMO A presente invenção relata a produção de dois tipos de de formulações
de Bioinseticidas,sendo uma em forma de grânulos secos e outra em
suspensão concentrada, garantindo a atividade larvicida das endotoxinas
produzidas por BT no final do processo fermentativo.Estas formulações
são caracterizadas pela praticidade,pelo baixo custo e pela eficiência no
controle de larvas de insetos em ambiente aquosos, sem prejuízo do
meio ambiente.

DEPOSITANTE(s) UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

INVENTOR(ES) Inventores em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.307.137‐5

DATA DEPÓSITO 16/07/2003

TÍTULO
COMPOSIÇÃO BACTERICIDA DE ÓLEO DE MELALEUCA
RESUMO Trata‐se de uma composição bacteriana composta por uma mistura de
óleo de melaleuca e solvente e/ou frações/diluições desta composição
para uso em feridas. A invenção também trata do uso do óleo de
melaleuca para a preparação de um medicamento bacteriano
DEPOSITANTE(s) Mitiko Moroóka

INVENTOR(ES) Mitiko Moroóka

Nº PROCESSO PI 0.404.315‐4

DATA DEPÓSITO 13/08/2004

TÍTULO
SISTEMA AUTOMATIZADO DE LEITURA EM BRAILE
RESUMO Composto de software e Hardware que permite ao deficiente visual
interpretar os textos(caracteres produzidos) através da automatização de
celinhas,como solução para a inserção da comunicação de um deficiente
visual com o mundo da comunicação, internet, movimentação bancária,
visitas a instalações públicas,galerias de artes e museos,e ainda aumenta
sua segurança ao caminhar pelas ruas da cidade, com informações em
semáfaros, hora certa e outras informações relevantes, através de um
hardware em conjunto com softwares, para que toda a comunicação a
serr absorvida pelo deficiente visual, seja codificada em uma interface
fixa composta por um conjunto de seis agulhas,normalmente
denominadas de celinhas,composta de três linhas e três colunas

87
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐ UEL

INVENTOR(ES) Inventores em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.403.017‐6

DATA DEPÓSITO 07/07/2004

TÍTULO
DISPOSITIVO DE RECOBRIMENTO DE SUPERFÍCIES ‐ DISPREC
RESUMO Sobre diversas superfícies e para o desenvolvimento de artefatos de alta
tecnologia utilizando a técnica do “spin‐coating”. Esta técnica é
amplamente difundida na fabricação de filmes finos sobre superfícies de
materiais que possuem grande interesse tecnológico, pois está ligado a
indústrias de tecnologia de ponta na área de informática, produção de
energia (células fotovoltaicas e células combustíveis), ótica,
semicondutores, sensores químicos e armazenamento de dados

DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐ UEL

INVENTOR(ES) Antonio Alberto da Silva Alfaya e Alfredo Alberto Muxel

Nº PROCESSO MU 8.502.813‐4

DATA DEPÓSITO 25/10/2005

TÍTULO
PRODUTO À BASE DE VISCO ELÁSTICO DESTINADO À PREVENÇÃO E
TRATAMENTO DE ÚLCERA DE PRESSÃO
RESUMO A presente invenção trata‐se de um produto à base de visco elástico,
destinado à prevenção e tratamento de úlcera de pressão, apresentados
na forma de almofada, colchão e manta interface.
DEPOSITANTE(s) Mitiko Moroóka

INVENTOR(ES) Mitiko Moroóka

Nº PROCESSO PI 0.504.122‐8

DATA DEPÓSITO 06/05/2005

TÍTULO
INGREDIENTE ALIMENTAR CONTENDO FIBRA INSOLÚVEL E XILO‐
OLGOSSACARÍDEOS OBTIDO A PARTIR DE FIBRA DE MILHO E PROCESSO
DE PRODUÇÃO
RESUMO Ingrediente alimentar contendo fibra insolúvel e xilo‐olgossacarídeos
obtido a partir de fibra de milho e processo de produção através de
solução de solubilização e hidrólise enzimática de hemicelulose. Aplicável

88
na formulação de alimentos e bebidas. Inclui também o processo de
obtenção do ingrediente, que compreende as operações de extração da
hemicelulose com pré‐tratamento com peróxido alcalino e hidrólise com
endoxilanase para produção de xilo‐oligossacarídeos
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐ UEL

INVENTOR(ES) Maria Victoria Eiras Grossmann, Ederson M. Brambilla, Ana Maria Da Silva
e Marcos S. Buckeridge
Nº PROCESSO PI 0.505.804‐0

DATA DEPÓSITO 24/01/2005

TÍTULO
CONTROLE REMOTO DE SLIDES COM MEMÓRIA
RESUMO É um aparelho de controle remoto de longo alcance, utilizando ondas de
rádio freqüência, com capacidade de gravar arquivos eletrônicos cuja
faixa de atuação de freqüência desenvolve‐se entre 292mhz à 433mhz,
com alcance de até 100 metros. É compreendido por controle remoto,
botões de comando, circuito transmissor, 2 baterias de 12v, e laser point,
sendo que o recptor, através do circuito de controle é alimentado via
interface usb do micro computador e desempenha a função de controlar
os slides em apresentações em power point.
DEPOSITANTE(s) Paulo Sérgio Garcia De Souza

INVENTOR(ES) Paulo Sérgio Garcia De Souza

Nº PROCESSO MU 8.503.066‐0

DATA DEPÓSITO 11/11/2005

TÍTULO
ANALISADOR DE PARBOILIZAÇÃO DE ARROZ COM IMAGEAMENTO
DIGITAL
RESUMO Patente de modelo de utilidade para equipamento de análise de
qualidade de parboilização de grãos de arroz, utilizando imagens
digitais de grãos, composto de uma fonte de luz, um difusor de luz,
duas placas polaróides, uma móvel embutida em uma bandeja de grãos
(onde são colocados os grãos de arroz a serem analisados) e uma placa
polaróide fixa colocada acima da placa móvel e apropriadamente
distanciada de uma câmera de vídeo que, junto com sua unidade
eletrônica, possibilita a aquisição da imagem dos grãos na forma
digitalizada. Esta imagem pode ser visualizada em um monitor de vídeo,
ser armazenada de modo permanente em arquivos de computador, em
mídia magnética e eletrônica. Pode também ser impressa em papel, ser
enviada por meios eletrônicos junto com observações, pareceres e
análises. Pode ser ampliada e reduzida e beneficiar‐se de todas as
possibilidades que o processamento de imagens digitais permite.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐ UEL

89
INVENTOR(ES) Jair Scarminio, Alexandre Urbano e Venâncio Ferreira de Oliveira

Nº PROCESSO MU 8.602.168‐0

DATA DEPÓSITO 05/10/2006

TÍTULO
PROCESSO E PRODUTOS UTILIZADOS PARA LAVAGEM ESTÉRIL DE
CONCENTRADO DE HEMÁCIAS
RESUMO Constitui‐se em uma suspensão de glóbulos vermelhos desplasmatizados,
lavados com soro fisiológico, com a finalidade de remover as proteínas
plasmáticas e microagregados, como também plaquetas, restos celulares
e leucócitos. Os produtos utilizados para a lavagem, objeto do presente
pedido de patente, constituem‐se em uma bolsa e um kit para coleta de
amostras para o controle de qualidade de hemocomponentes
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐ UEL

INVENTOR(ES) Adriana Aparecida Spinosa

Nº PROCESSO PI 0.602.617‐6

DATA DEPÓSITO 28/06/2006

TÍTULO
PROCESSO PARA O ARMAZENAMENTO E UTILIZAÇÃO A CAMPO DO
FUNGO ENTOMOPATOGÊNICO BEAUVERIA BASSIANA
RESUMO Processo para o armazenamento e utilização a campo do fungo
entomopatogênico beauveria bassiana, destinado a aumentar a sua vida
de prateleira, ou seja, aumentar o tempo de armazenamento mantendo
a viabilidade. Melhora a supersensibilidade e hegemoneidade na calda da
aplicação e a sua eficiência no controle dos insetos a campo
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐ UEL

INVENTOR(ES) Pedro Manuel Oliveira Janeiro Neves e Roberta Zani da Silva

Nº PROCESSO PI 0.603.512‐4

DATA DEPÓSITO 05/07/2006

TÍTULO
ADITIVO ALIMENTAR PARA AVES E OUTROS ANIMAIS DE PRODUÇÃO E
PROCESSO PARA OBTENÇÃO DO ADITIVO
RESUMO Consiste em um aditivo alimentar para aves e animais de produção,
especialmente para avestruzes e o processo para sua obtenção, com
função de imunoestimulante. À base de própolis e óxido de zinco, que
aumenta a resistência dos animais contra diversas doenças e reduz a
ocorrência da diarréia, auxiliando também na diminuição da taxa de
mortalidade

90
DEPOSITANTE(s) Benito Guimarães de Brito

INVENTOR(ES) Benito Guimarães de Brito, Kelly Cristina Tagliari e Milene Martins Berbel

Nº PROCESSO PI 0.604.488‐3

DATA DEPÓSITO 25/10/2006

TÍTULO
CONTROLE REMOTO À BASE DE RÁDIO FREQÜÊNCIA COM SENSOR DE
NÍVEL E TIMER
RESUMO É um sistema de acionador eletrônico de dispositivos elétricos em uma
banheira de hidromassagem, spa ou piscina, com a finalidade de
ligar/desligar motobombas, motores elétricos ou luz interna ou externa e
aquecedor de passagem, sem contato físico com chaves elétricas ou
painel de operação e, conseqüentemente, eliminando o perigo de
choques elétricos, pois o contato é apenas com o controle remoto
DEPOSITANTE(s) Paulo Sérgio Garcia de Souza

INVENTOR(ES) Paulo Sérgio Garcia de Souza

Nº PROCESSO PI 0.604.710‐6

DATA DEPÓSITO 10/08/2006

TÍTULO
PROCESSO DE PRODUÇÃO DE BETA‐GLUCANA BOTRIOSFERANA, POR
VIA FERMENTATIVA E SUAS PROPRIEDADES ANTIMUTAGÊNICAS E
HIPOGLICEMIANTES
RESUMO A presente invenção refere‐se a um método específico de produção de
uma beta‐(1‐3) (1‐6) ‐d‐glucana (botriosferana) secretada por
botryosphaeria rhodina e sua forma imperfeita laziodiplodia theobromae,
que contém aproximadamente 22% ramificações no carbono 6,
constituídas por resíduos de glucose e gentibiose, através de
fermentação submersa, na qual o pH do meio de cultivo é ajustado para
3,0 com hci (1m), o inóculo sendo concentrado 20 vezes, preparado em
solução salina fisiológica previamente esterelizada. As soluções de
botriosferana, preparadas nas concentrações entre 0,5 e 5,0 g/l,
solubilizadas em solução salina fisiológica, e autoclavadas a 121º C por 20
minutos após completa solubilização, isentas de atividade mutagênica e
apresentando propriedades antimutagênica e hipoglicemiante
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Aneli de Melo Barbosa, Robert F. H. Dekker, Carolina C. B. O. de Miranda,


Ilce Maria de S. Cólus, Cássia T. B. V. Zaia, Maria de Lourdes C. C. da Silva,
Ellen Cristine Giese e Luiz Gustavo Covizzi
Nº PROCESSO PI 0.605.178‐2

91
DATA DEPÓSITO 05/12/2006

TÍTULO
SISTEMA CONSTRUTIVO LEVE DE ALTO DESEMPENHO PARA VEDAÇÃO
VERTICAL
RESUMO Consiste no desenvolvimento de um sistema construtivo, que subdivide
em ossatura de madeira de reflorestamento utilizado como estrutura e
placas cimentícias leves utilizadas em camada dupla para vedação
vertical, destinada a habitações de interesse social
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Berenice Martins Toralles Carbonari e Reginaldo de Matos Manzano

Nº PROCESSO PI 0.706.447‐0

DATA DEPÓSITO 15/01/2008

TÍTULO
PROCESSO E SISTEMA DE COLETAS UTILIZADOS
RESUMO Processo e sistema de coleta utilizados para lavagem estéril de
hemocomponentes
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Adriana Aparecida Spinosa

Nº PROCESSO PI 0.800.099‐9

DATA DEPÓSITO 07/02/2008

TÍTULO
SISTEMA PORTÁTIL DE FLUORESCÊNCIA DE RAIOS‐X
RESUMO A presente invenção consiste em um sistema portátil de fluorescência de
raios‐X, contendo suporte mecânico especialmente desenvolvido para
acomodar um mini‐tubo de raios‐X. O sistema foi desenvolvido para
utilização tanto em laboratórios como in situ, para a realização de
análises semi‐quantitativas e quantitativas, abrangendo diversos setores
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Fábio Luís Melquíades, Fábio Lopes, Vanancio Ferreira de Oliveira e Carlos
Roberto Appoloni
Nº PROCESSO PI 0.801.331‐4

DATA DEPÓSITO 05/05/2008

92
TÍTULO
PROCESSO DE PRODUÇÃO, PURIFICAÇÃO E OBTENÇÃO DE SUBSTÂNCIAS
COM ATIVIDADES ANTIBIÓTICAS PARA O CONTROLE DE DOENÇAS
CAUSADAS POR BACTÉRIAS EM PLANTAS
RESUMO A presente invenção trata‐se de um processo de produção, purificação e
obtenção de substâncias com atividades antibióticas para controle de
doenças causadas por bactérias em plantas, uma vez que as formas
atuais de controle não atuam efetivamente nas doenças e podem
contaminar o ambiente pelo uso de metais pesados. Diante disso, vários
experimentos foram conduzidos no sentido de avaliar os resultados da
ação antibiótica de compostos produzidos por um isolado de bactéria
gram negativa no crescimento da xac in vitro, e na formação de lesões
em folhas de plantas diversas, uma vez que oferecem controles mais
efetivos no aparecimento de doenças biológicas, maior segurança com o
meio ambiente e menor custo de produção
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.803.350‐1

DATA DEPÓSITO 12/09/2008

TÍTULO
MÉTODO PARA DETERMINAÇÃO DO FATOR DE PROTEÇÃO SOLAR FÍSICO
EM BLOQUEADORES SOLARES
RESUMO O método descrito nesta invenção tem como objetivo determinar a
concentração de óxidos metálicos por fluorescência de raios x por
dispersão de energia (edxrf) visando obter o fator de proteção solar (fps)
devido à barreira física na composição de bloqueadores solares, assim
como identificar possíveis metais presentes nas amostras. Para tanto foi
utilizado um equipamento portátil de edxrf e analisadas 27 amostras
comerciais de diferentes marcas e de diferentes fatores de proteção solar
de bloqueadores solares. Como resultado foi possível determinar a
contribuição da proteção física no fps, associada à concentração de ti,
presente em algumas amostras de bloqueadores solares encontrados no
mercado. Foi possível ainda detectar a presença de vários metais em
protetores solares, como fe, zn, br e sr, inclusive identificando elementos
químicos que não estavam citados em suas formulações.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.803.857‐0

DATA DEPÓSITO 14/07/2008

93
TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO DE BIOPOLÍMERO UTILIZANDO
BOTRIOSFERANA E POLIPIRROL
RESUMO A presente invenção tem por objeto o processo de obtenção de bio‐
polímero utilizando‐se a síntese e a caracterização de compósitos de
polipirrol dopados com um exopolissacarídeo, botriosferana, produzido
pelo fungo botryosphaeria rhodina. Os resultados obtidos ao longo do
desenvolvimento deste bio‐polímero apresentaram um novo tipo de
material, membranas bio‐compatíveis, com grande importância e
aplicação no campo tecnológico, evidenciando aplicações industriais com
fins terapêuticos e imunológicos nas áreas biomédicas, bem como na
indústria de artefatos poliméricos
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.804.782‐0

DATA DEPÓSITO 28/07/2008

TÍTULO
PRODUTOS DE MODA DESENVOLVIDOS POR MEIO DA MOULAGE COM
TOTAL APROVEITAMENTO DE MATÉRIA‐PRIMA
RESUMO A presente invenção tem por objeto o desenvolvimento de produtos de
moda por meio da moulage (modelagem tridimensional) como forma de
auxiliar a criação, manipulando tecidos através de dobras, pregas e
franzidos, visando o máximo aproveitamento da matéria‐prima sem
gerar retraços. Manipulando o tecido através de dobras, pregas e
franzidos, busca‐se o ajuste das peças ao corpo sem, necessariamente,
utilizar‐se de recortes, aliando os interesses individuais de cada cliente ao
adquirir uma peça de vestuário aos interesses coletivos da sociedade a
fim de preservar o ambiente em que se vive para que todas as gerações
possam desfrutar desse meio sem que haja o esgotamento dos recursos
naturais. Como a moda possui ciclos muito rápidos, a obsolescência dos
produtos é muito grande, por esse motivo propõe‐se também a
reutilização da matéria‐prima através da transformação das peças em
acessórios, evitando o descarte do material
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.804.893‐2

DATA DEPÓSITO 08/05/2008

94
TÍTULO
SOLUÇÃO ELETROLÍTICA BALANCEADA INTRAVENOSA PARA A
CORREÇÃO DA ACIDOSE METABÓLICA EM ANIMAIS
RESUMO A presente invenção trata‐se de uma solução eletrolítica balanceada
(cristalóide poliiônica), ligeiramente hiposmolar, com potencial
alcalinizante a ser utilizada para o tratamento de animais acometidos por
diferentes doenças que determinam desequilíbrios hídrico e eletrolítico e
acidose metabólica.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.804.912‐2

DATA DEPÓSITO 13/11/2008

TÍTULO
DISPOSITIVO ELETRÔNICO PARA MEDIÇÃO DE TEMPO DE UTILIZAÇÃO
DE APARELHOS MÉDICOS REMOVÍVEIS
RESUMO Eletrônico que mede o tempo de utilização de aparelhos médicos
removíveis, com função corretiva, por pacientes na área da saúde, com
objetivo de mensurar a eficiência dos tratamentos através de diagnóstico
preciso.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.804.921‐1

DATA DEPÓSITO 04/12/2008

TÍTULO
ÓLEO ESSENCIAL ANTI‐SÉPTICO NASAL
RESUMO A presente invenção trata‐se de um produto formulado com óleos
essenciais que são clinicamente eficazes para atenuar os sintomas nasais
de rinite alérgica. O óleo essencial anti‐séptico nasal é uma especialidade
farmacêutica resultante de plantas medicinais. A forma de utilização é de
uso tópico para tratamento de problemas respiratórios, como rinites,
processos nasais alérgicos, constipação nasal, sinusite, asma, resfriados e
dores de cabeça.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.806.023‐1

DATA DEPÓSITO 28/11/2008

95
TÍTULO
MELHORAMENTO DO PROCESSAMENTO DE PRODUTOS CÁRNEOS
SALGADOS E DESIDRATADOS COMO O CHARQUE E SIMILARES PELO USO
DE INGREDIENTES ALIMENTÍCIOS
RESUMO O charque é um produto cárneo cujo processamento segue métodos
tradicionais de produção. O processamento baseia‐se na desidratação de
peças cárneas em sal, seja através de salmoura ou salga seca, retirada do
excesso de sal por lavagem em água clorada e, por fim, embalagem à
vácuo. A inovação proposta refere‐se ao setor de alimentos, no
segmento da indústria cárnea, mais especificamente no âmbito das
empresas charqueadoras. A presente invenção compreende o uso de
carragena em quaisquer tipos ou sais, utilizados individualmente ou na
forma de mistura destes tipos ou combinados com diferentes aditivos
alimentícios e ao uso de proteína de soja nas formas de isolado ou
concentrado protéico, utilizado individualmente ou na forma de misturas
ou ainda combinada com diferentes aditivos no processamento de
charque e/ou similares. O uso destes aditivos no charque e produtos
secos e salgados similares promovem maior retenção de água, bem como
aumento do conteúdo de cloreto de sódio que o produto passa a
suportar até a saturação, aumentando sua massa, melhorando sua
maciez e elevando o rendimento do processo. Enquanto a produção do
charque original gera um rendimento ao redor de 73% em relação à
matéria‐prima, quando utilizada a inovação, o rendimento final do novo
produto supera 90% da massa utilizada como matéria‐prima, gerando um
produto de maior maciez, sem comprometer a estabilidade
microbiológica em temperatura ambiente.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.806.046‐0

DATA DEPÓSITO 18/11/2008

TÍTULO
LOÇÃO FOTOPROTETORA CREMOSA COM FPS‐28 ANTI UVA E UVB
RESUMO A presente invenção refere‐se a uma nova formulação de filtros solares
para prevenção do câncer de pele, contendo uma associação de filtros de
origem orgânica e inorgânica, além de substâncias umectantes e
emolientes. Trata‐se de um protetor solar para uso diário, com as
características de agradabilidade e tolerabilidade de um cosmético
destinado às pessoas com pele sensível e que podem apresentar eritema.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.900.708‐3

DATA DEPÓSITO 07/04/2009

96
TÍTULO
CONTROLE DE ENTRADA E SAÍDA DE CONDOMÍNIOS COM REGISTRO DE
ACESSOS
RESUMO A presente invenção trata‐se de um sistema de segurança responsável
pelo controle e registro de acessos de veículos em condomínios
horizontais e verticais, viabilizado através de um controle radical de
senhas ou não que serão utilizados por usuários para entrada e saída no
estabelecimento, onde este trabalha em paralelo aos sistemas de
controle de acesso já implantados nos condomínios residenciais,
comerciais e empresariais. O sistema é composto por um controle
remoto padrão, uma placa receptora e um software de gestão,
desenvolvidos e com suas funções direcionadas integrado ao sistema de
funcionamento de portões eletrônicos já existentes.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO MU 0.903.368‐8

DATA DEPÓSITO 31/08/2009

TÍTULO
EQUIPAMENTO E MÉTODO DE ANÁLISE, TRIAGEM E RESTAURAÇÃO DO
DESEMPENHO DE BATERIAS RECARREGÁVEIS
RESUMO A presente invenção proporciona uma solução para diversos problemas
relacionados ao uso e/ou gestão de baterias recarregáveis novas, em uso
e descartadas. O equipamento e o método da invenção proporcionam,
de forma controlada, o carregamento e a descarga de baterias, controle
este feito de acordo com os parâmetros construtivos do tipo de bateria a
ser analisado. A presente invenção proporciona uma forma de adquirir
dados relativos à operação de tais baterias e processar esses dados de
modo a chegar a um resultado a respeito do estado de saúde da bateria
analisada, proporcionando uma triagem em lotes de baterias, separando
aquelas em bom estado, com substancial diminuição da disposição final
de baterias descartadas. A presente invenção também realiza a
restauração de baterias prejudicadas por efeito memória
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.902.812‐9

DATA DEPÓSITO 19/08/2009

TÍTULO
PROCESSO PARA OBTENÇÃO DE EXTRATO E AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE
ANTINOCICEPTIVA DA VERNONIA CONDESATA BAKER
RESUMO A presente invenção refere‐se a um processo de obtenção de extrato da
espécie vegetal, vernonia condensata baker, a fim de avaliar a atividade
97
antinociceptiva para a indústria de medicamentos e laboratórios de
manipulação de produtos medicinais. Atualmente os estudos
farmacológicos das espécies do gênero vernonia apontam para ações de
obtenção visando propriedades antiinflamatórias, diuréticas,
antitussígenas e tratamento de problemas digestivos. Nesta invenção,
serão abordados os aspectos relacionados aos procedimentos para a
obtenção dos extratos e a atividade antinociceptiva das folhas de
vernonia condensata baker.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

Nº PROCESSO PI 0.903.288‐6

DATA DEPÓSITO 09/09/2009

TÍTULO
SISTEMA DE HIGIENIZAÇÃO PARA PACIENTES DEPENDENTES
RESUMO Sistema de higienização para pacientes dependentes

DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Inventores em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.903.298‐3

DATA DEPÓSITO 02/09/2009

TÍTULO
EQUIPAMENTO E PROCESSO PARA DETERMINAÇÃO DA SENSIBILIDADE
DAS AVES FRENTE AO GÁS HALOTANO ACARRETANDO A FORMAÇÃO
DAS CARNES PSE (PALE, SOFT, EXUDATIVE).
RESUMO A presente invenção está relacionada com a sensibilidade ao anestésico
halotano, que na sua forma gasosa é utilizado em aves para verificar tal
síndrome e sua relação com a ocorrência de carnes pse. O equipamento
de detecção para determinação da sensibilidade das aves frente ao gás
halotano é necessário para especificar as espécies de aves que
fornecerão carnes pse e dessa forma obter o controle da qualidade da
carne de frangos
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Inventores em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.903.750‐0

DATA DEPÓSITO 04/06/2009

98
TÍTULO
INDICADOR DE VELOCIDADE DO VENTO EM FAIXA VERTICAL
RESUMO A presente invenção tem por objeto apresentar um equipamento simples
e custo baixo para indicar a velocidade do vento no meio rural. O
indicador proposto é uma solução prática, para que o agricultor tenha
alguma referência na tomada de decisão sobre o momento adequado
para a aplicação de agrotóxicos. O indicador de velocidade de vento pode
ser utilizado em situações em que é necessário saber se a velocidade do
vento está dentro de faixas adequadas, com alguma restrição ou
impróprias para as mais diversas aplicações
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Inventores em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.904.224‐5

DATA DEPÓSITO 21/10/2009

TÍTULO
INDICADOR DE VELOCIDADE DE VENTO EM TIRAS
RESUMO A presente invenção tem por objetivo apresentar um equipamento
simples e de baixo custo para indicar a velocidade do vento no meio
rural. O indicador proposto é uma solução prática, para que o agricultor
tenha alguma referência na tomada de decisão sobre o momento
adequado para a aplicação de agrotóxicos. O indicador de velocidade de
vento em tiras pode ser utilizado em situações em que é necessário saber
se a velocidade do vento está dentro de faixas adequadas, com alguma
restrição ou impróprias para as mais diversas aplicações, principalmente
nas pulverizações de defensivos fitossanitários nas propriedades rurais
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Inventores em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.904.226‐1

DATA DEPÓSITO 21/10/2009

TÍTULO
PRODUTO FORMULADO PARA REPOSIÇÃO HORMONAL FEMININA
RESUMO A presente invenção trata‐se de uma especialidade farmacêutica a base
de uma substância de origem natural a curcumina associada a dois
minerais o zn e o mg estes na forma de quelatos de amino ácidos que
clinicamente são eficazes para atenuar os sintomas da menopausa. A
utilização desta especialidade é por via oral na forma de cápsulas para o
tratamento produzindo uma ação corretiva resultante da diminuição dos
hormônios esteróides diminuindo ou eliminando os fogachos, os riscos
cardiovasculares, agir como antidepressivo, melhoria nas funções da
memória, suprir as necessidades minerais dos receptores dos estrógenos,
99
restaurar o equilíbrio mineral aumentando a densidade óssea e
atenuando a osteoporose e melhorando o sistema imune.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Inventores em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.904.250‐4

DATA DEPÓSITO 03/11/2009

TÍTULO
INDICADOR DE VELOCIDADE DO VENTO CILINDRICO VERTICAL
RESUMO A presente invenção tem por objeto apresentar um modelo simples e
custo baixo para indicar a velocidade do vento no meio rural. O indicador
proposto é uma solução prática, para que o agricultor tenha alguma
referência na tomada de decisão sobre o momento adequado para a
aplicação de agrotóxicos. O invento proposto é constituído de um
suporte em arame que sustenta o cilindro na posição vertical
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Inventores em sigilo

Nº PROCESSO PI 0.904.251‐2

DATA DEPÓSITO 03/11/2009

TÍTULO
SILAGEM ÁCIDA DE FRANGO
RESUMO O processo da silagem ácida de frango é uma técnica simples, sem a
necessidade de equipamentos onerosos, e que elimina os agentes
patogênicos quando presentes no material. O produto final pode ser
utilizado como ingrediente protéico para a formulação de ração para
monogástricos, sobretudo para peixes. A silagem ácida de frango tem
como matéria‐prima, carcaças de frangos mortos durante o processo de
criação. Os frangos mortos são processados inteiros com vísceras e
penas. Essas carcaças passam por moagem em moedor de carne. Em
seguida, a massa moída é acondicionada em recipientes plásticos sendo
adicionando ácido acético e fosfórico. A adição dos ácidos fará o
abaixamento do ph. Assim, as enzimas presentes principalmente nas
vísceras dos animais farão a liquefação da massa tornando a silagem
pastosa. A silagem tem por característica consistência pastosa, odor
ácido e produção de óleo. Para manter a qualidade da silagem há
necessidade da adição de antioxidantes. A silagem deverá permanecer
nos silos de plástico por pelo menos 7 dias e no máximo 30 dias.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

100
Nº PROCESSO MU 0.001.115‐3

DATA DEPÓSITO 12/01/2010

TÍTULO
DISPOSITIVO AUTOMATIZADO PARA ABERTURA DE INVÓLUCROS
METÁLICOS
RESUMO O dispositivo automatizado para abertura de invólucros metálicos,
compreende um dispositivo para corte automatizado de baterias
desenvolvido especialmente para aumentar a segurança e diminuir o
tempo do processo de abertura das mesmas, auxiliando o resgate do seu
conteúdo interno de forma intacta e preservada, possibilitando
diminuição de etapas dos processos de reciclagem dos seus elementos
químicos.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO MU 0.789.624‐5

DATA DEPÓSITO 28/04/2010

TÍTULO
DESENVOLVIMENTO DE UM NOVO PRODUTO DESIDRATADO A BASE DE
SUBPRODUTOS DA AGROINDÚSTRIA COM CARACTERÍSTICA SIMBIÓTICA,
FERMENTADO COM GRÃOS DE KEFIR E CULTURA LIOFILIZADA (MT 036
LV)
RESUMO A presente invenção descreve um processo para produção de produto
simbiótico, para consumo humano, a partir da utilização de resíduos
industriais de laticínios e citros, utilizando como fonte de matéria‐prima
soro de leite em pó e bagaço de laranja. Os microrganismos probióticos e
os ingredientes prebióticos podem ser potencializados, através de sua
associação, dando origem aos alimentos funcionais simbióticos.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Londrina ‐UEL

INVENTOR(ES) Em sigilo

Nº PROCESSO MU 7.723.644‐0

DATA DEPÓSITO 06/05/2010

101
UEM – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

102
NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

O NIT da Universidade Estadual de Maringá tem por finalidades: apoiar e zelar pela
manutenção da política institucional de estímulo à proteção das criações,
licenciamentos, inovações e outras formas de tecnologias; apoiar a implementação
da política de propriedade intelectual da UEM; apoiar pesquisas e desenvolvimento
de novas tecnologias no âmbito da Universidade; estimular a ação conjunta da
UEM com entidades públicas e privadas na área de formação tecnológica de
recursos humanos.

Responsável: Profª Jorgete Constantin

Equipe: Edenilson Vagner Tiene, Silvia Meneguette da Silveira e Maria Luiza Sandri
Meneguetti e Camila Caroline de Souza Alves.

Fone: (44) 3261‐3861

Endereço: Av. Colombo, 5790, Jardim Universitário (Campus Universitário).


Maringá‐PR.

Site: www.uem.br

E‐mail: sec‐ptl@uem.br

103
PATENTES
TÍTULO
SENSOR DE VIBRAÇÕES MECÂNICAS UTILIZANDO CRISTAL LÍQUIDO
RESUMO O seguinte relatório descritivo de patente de invenção refere‐se ao
desenvolvimento de um sensor capaz de detectar vibrações mecânicas
de determinadas freqüências e num intervalo de variações específico,
utilizando para tal um cristal líquido, disposto adequadamente entre um
sistema fotosensor e um emissor de fonte de luz, cujo feixe está alinhado
com o fotosensor, sendo que, quando o dispositivo do cristal líquido for
submetido a algum tipo de vibração mecânica, tanto a freqüência quanto
a amplitude desta vibração captada serão indicadas num mostrador
digital acoplado ao dispositivo sensor
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Paulo Ricardo Garcia Fernades

Nº PROCESSO PI9805500‐3

DATA DEPÓSITO 20/11/1998

TÍTULO
VIDRO ALUMINATO DE CÁLCIO COM BAIXA CONCENTRAÇÃO DE SÍLICA
COMO FONTE FLUORESCENTE NA REGIÃO DO INFRAVERMELHO MÉDIO
RESUMO A presente invenção refere‐se ao desenvolvimento de vidros a base de
aluminato de cálcio com baixa concentração de sílica (<10 mol %),
dopados com íons terras‐raras como fonte fluorescente na região do
infravermelho médio. Tanto a formulação, bem como o procedimento de
fabricação adotados, são essenciais para reduzir a presença de radicais
OH no vidro. A presente destes radicais desempenha um papel
importante no aumento da relaxação multifônons dos estados excitados
dos íons Er ^3+^. Além disso, a baixa concentração de sílica na
composição do vidro é necessária para que não haja interferência na
transmitância na região do infravermelho
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Mauro Luciano Baesso, Juraci Aparecido Sampaio, Antônio Carlos Bento e
Dione Fagundes de Sousa
Nº PROCESSO PI 9903163‐9

DATA DEPÓSITO 09/07/1999

TÍTULO
VISCOSÍMETRO DE GRADIENTE DE CAMPO MAGNÉTICO
RESUMO Para a determinação da viscosidade em amostras de fluídos
transparentes que, após serem dopados com ferrofluido, foram
introduzidas no porta amostra no interior da câmara termo‐magnética. A
104
intensidade da luz transmitida pela amostra sofre alteração em função
do tempo devido ao arraste dos grãos magnéticos (ferrofluidos) em
direção aos pólos dos magnetos. Esta alteração de intensidade é medida
pelo fotosensor da luz transmitida que, comparada com a intensidade no
fotosensor de referência, elimina quaisquer erros provenientes de
flutuações elétricas na rede que alimenta a fonte de luz. Do
comportamento da variação da intensidade da luz transmitida,
determinamos o coeficiente de viscosidade da amostra
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Sandro Fontanini e Paulo Toshio Udo

Nº PROCESSO MU 8002036‐4

DATA DEPÓSITO 04/09/2000

TÍTULO
EFEITO ANTIDEPRESSIVO DO EXTRATO DA DROGA VEGETAL GUARANÁ
(PAULLINIA CUPANA VAR. SORBILIS (MARTIUS) DUCKE
RESUMO O privilégio de invenção mostra atividade antidepressiva para o extrato
bruto e extrato semi‐purificado, obtido a partir de sementes de Paullinia
cupana var. sorbilis (Martius) Ducke (guaraná). Seu uso pelas farmácias,
inicialmente, e depois pela indústria farmacêutica, colocou‐a entre as
drogas oficiais da Farmacopéia Brasileira. Este trabalho utilizou técnicas
de controle, otimizou a droga vegetal, padronizando o EBPC, EPA e EPB e
verificou efeito antidepressivo com o tratamento crônico de EBPC,
comparável ao do antidepressivo tricíclico imipramina, em ratos
submetidos ao teste do nado forçado, através da redução
estatisticamente significativa no tempo de imobilidade produzido pelo
EBPC, em relação ao controle de salina e semelhante ao da imipramina. A
ausência de diferença na atividade locomotora entre EBPC, salina e
imipramina mostra especificidade de efeito antidepressivo. A
administração crônica de diferentes doses de EPA em ratos submetidos
ao teste do nado forçado também reduziu significativamente o tempo de
imobilização, quando comparado ao grupo salina, indicando um efeito
antidepressivo para esta droga semelhante ao da imipramina. No teste
do campo aberto, não se observou nenhuma diferença estatisticamente
significativa na atividade locomotora total para os grupos imipramina e
EPA quando comparados ao grupo controle salina, confirmando a
especificidade da ação antidepressiva. Resultados obtidos nos testes do
nado forçado e campo aberto após tratamento crônico com EPB, salina e
imipramina não mostraram o efeito antidepressivo para o EPB, tampouco
alteração na atividade locomotora
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Elisabeth Aparecida Audi e João Carlos Palazzo de Melo

Nº PROCESSO PI 0006638‐9

105
DATA DEPÓSITO 28/11/2000

TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO DO EXTRATO PADRONIZADO BNT‐08 COM
EFEITOS TÔNICOS EM APRENDIZAGEM E MEMÓRIA
RESUMO Consiste numa metodologia de produção de produto útil no
fortalecimento dos processos cognitivos dos indivíduos, obtido a partir
da espécie Pfaffia glomerata (Spreng.) Pedersen ‐ Amaranthaceae,
popularmente conhecida como "ginseng brasileiro", cujas raízes são
extraídas com solventes pela técnica da turbólise e delas sendo obtidos
extratos, posteriormente submetidos aos processos de liofilização ou
"spray‐dry", padronizados em teores da saponina triterpênica <225>‐
ecdisona, cujos testes farmacológicos em animais e humanos mostraram
baixa toxicidade e efeitos benéficos sobre aprendizagem e memória
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Luís Carlos Marques

Nº PROCESSO PI 0006645‐1

DATA DEPÓSITO 20/12/2000

TÍTULO
USO DO EXTRATO DA PLANTA KIELMEYERA CORIACEA E DE SEUS
PRINCÍPIOS ATIVOS PARA O TRATAMENTO DOS SINTOMAS DA
DEPRESSÃO, ASSOCIADOS OU NÃO COM DISTÚRBIOS DA ANSIEDADE
RESUMO Constituído do extrato padronizado da planta Kielmeyera coriacea, ou de
seus princípios ativos para o tratamento da depressão, bem como para o
controle de sintomas decorrentes dos distúrbios depressivos. Foi
demonstrado que o extrato hidroalcoólico desta planta, administrado
durante 45 dias por via oral, inibiu a imobilidade de ratos no teste do
nado forçado com eficácia semelhante à imipramina, sem alterar a
atividade locomotora. Além disso, o extrato da Kielmeyera coriacea inibiu
a captação da [^ 3^H]dopamina, [^ 3^H]serotonina e de [^
3^H]noradrenalina em sinaptossomas de cérebro de ratos. Finalmente,
os compostos isolados por fracionamento da Kielmeyera coriacea,
diclorometano e acetato de etila, inibiram a imobilidade dos animais no
este do nado forçado em ratos com eficácia semelhante à nortriptilina,
sem alterar a atividade locomotora. A invenção está relacionada com a
utilização do extrato padronizado da planta Kielmeyera coriacea ou de
seus princípios ativos no tratamento de estados depressivos, bem como
para o controle de sintomas decorrentes dos distúrbios depressivos
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Elisabeth Aparecida Audi e Diógenes Aparício Garcia Cortez

Nº PROCESSO PI 0204026‐3

106
DATA DEPÓSITO 27/09/2002

TÍTULO
DISPOSIÇÃO CONSTRUTIVA APLICADA EM PULVERIZADOR
RESUMO Particularmente, um pulverizador para pequenas quantidades de
material pulverizado, ou parcelas experimentais, capaz de variar a
velocidade, altura e ângulo da barra de pulverização, influenciando
diretamente na variabilidade da deposição de um líquido no alvo. Estes
atributos, além da pressão de trabalho e tamanho dos orifícios das
pontas de pulverização, têm efeitos diretos na eficiência de pulverização.
O princípio básico é a pulverização de um alvo, em que a velocidade de
deslocamento, altura da barra e, sobretudo, a variação no ângulo da
barra de pulverização em relação ao alvo, possa ser modificado a
qualquer momento, tanto no sentido do deslocamento como contrário
ao mesmo
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) José Gilberto Catunda Sales, Jamil Constantin, Rubém de Oliveira Júnior e
Raimundo Pinheiro Neto
Nº PROCESSO MU 8302381‐0

DATA DEPÓSITO 27/08/2003

TÍTULO
PROCESSO DE DESCOLORAÇÃO DE CORANTE REATIVO PELO FUNGO
PLEUROTUS PULMONARIUS
RESUMO A presente invenção refere‐se à utilização do basidiomiceto ligninolítico
Pleurotus pulmonarius ((fr.) quél.) para descoloração de corantes reativos
em meio líquido. Foi desenvolvido um processo de utilização do fungo
basidiomiceto Pleurotus pulmonarius para descoloração de corantes
reativos. Esta tecnologia poderá ser aplicada no tratamento de efluentes
de indústrias que utilizem este corante, visando eliminar a cor destes
efluentes e complementando o tratamento dos mesmos
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Célia Regina Granhen Tavares, Alessandra Zacarias dos Santos, Sandra
Maria Gomes‐da‐Costa e José Maximiano Cândido Neto
Nº PROCESSO PI 0400736‐0

DATA DEPÓSITO 26/02/2004

TÍTULO
PROCESSO DE RECICLAGEM DE EMBALAGENS PET PÓS‐CONSUMO
ATRAVÉS DE DESPOLIMERIZAÇÃO UTILIZANDO CONDIÇÕES
SUPERCRÍTICAS E DISPOSITIVO PARA EFETUAR O PROCESSO
RESUMO Particularmente, um processo de reciclagem química do polímero Poli
Tereftalato de Etileno (PET), onde esta é também conhecida como
recuperação de resinas, compreende a despolimerização dos polímeros,
107
a recuperação e a purificação dos monômeros originais, podendo com
isso ser novamente polimerizados para a fabricação de novas
embalagens plásticas primárias, bem como de outros materiais
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Adley Forti Rubira, Edvani Curti Muniz e Rubens Eliseu Nicula de Castro

Nº PROCESSO PI 0402976‐3

DATA DEPÓSITO 16/07/2004

TÍTULO
PROCESSO E RESPECTIVO PRODUTO ALIMENTÍCIO À BASE DE PEIXE
RESUMO Particularmente, referindo‐se à farinha aromatizada a partir de carcaças
de peixes defumadas com alecrim. A elaboração da farinha a partir de
carcaças defumadas de tilápia, pacu e carpa, poderá ser uma fonte de
alimento alternativo com potencial econômico e aplicação social, uma
vez que as carcaças são resíduos não aproveitáveis nos pesqueiros e
unidades de processamento. Com a elaboração da farinha de peixe a
partir de carcaças defumadas, pode‐se obter informações sobre o valor
nutricional das carcaças que normalmente são eliminadas após o
processo de filetagem. Através da realização das análises da composição
físico‐química da farinha e avaliação sobre a sua aceitação, poderão ser
elaborados diversos produtos (canja de arroz, arroz, pirão, quibe,
tortilhas com farinha de peixe)
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Maria Luiza Rodrigues de Souza

Nº PROCESSO PI 0403921‐1

DATA DEPÓSITO 15/09/2004

TÍTULO
OBTENÇÃO DE EXTRATOS DE PRÓPOLIS SOB DIFERENTES CONDIÇÕES E
AVALIAÇÃO DE SUA ATIVIDADE ANTIFÚNGICA
RESUMO A presente invenção se refere a um processo de obtenção de
componentes ativos a partir de extrato de própolis, para utilização como
componente na indústria farmacêutica (produção de medicamentos),
como atividade antifungicida de extrato de própolis frente a leveduras
isoladas de onicomicoses
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Selma Lucy Franco, Terezinha Inez Estivalet, Ana Carla Pozzi, Lucimar
Pontara Peres de Moura e Renata Longhini
Nº PROCESSO PI 0501875‐7

DATA DEPÓSITO 16/05/2005

108
TÍTULO
PROCESSO DE TRATAMENTO DE EFLUENTE QUÍMICO DE LABORATÓRIO
POR OXIDAÇÃO PELO REAGENTE FENTON SEGUIDA DE PRECIPITAÇÃO
DO SULFATO
RESUMO A presente invenção refere‐se à utilização do reagente Fenton e da
precipitação química do sulfato para o tratamento de efluente químico
de laboratório. Foi desenvolvido um processo para tratamento de
efluentes mistos de laboratórios de análises químicas pela ação oxidativa
do reagente Fenton, seguido de precipitação do sulfato. Esta tecnologia
poderá ser aplicada no tratamento de efluentes de laboratórios de
análises químicas, visando o tratamento dos mesmos
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Célia Regina Granhen Tavares, Cláudia Telles Benati e Ervim Lenzi

Nº PROCESSO PI 0503157‐5

DATA DEPÓSITO 24/05/2005

TÍTULO
MEMBRANA TERMO‐SENSÍVEL DE POLI(N‐ISOPROPIL ACRILAMIDA)
REVESTIDO COM POLIACRILAMIDA, TIPO SANDUÍCHE
RESUMO Membranas de hidrogel termo‐sensível à base de poli(N‐isopropil
acrilamida) revestido com poliacrilamida. Foram obtidas por reação de
co‐polimerização, em duas etapas. As membranas são constituídas por
uma camada termo‐sensível totalmente revestida por duas camadas
porosas e hidrofílicas. Quando aquecida de 25 para 40 <198>C, a camada
interna contrai cerca de 85% e as camadas externas expandem cerca de
45%. As membranas são mecanicamente estáveis e podem ser aplicadas
em processo de separação em diversos sistemas, incluindo químicos e
biotecnológicos
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Edvani Curti Muniz, Adley Forti Rubira e Marcos Rogério Guilherme

Nº PROCESSO PI 0503651‐8

DATA DEPÓSITO 15/08/2005

TÍTULO
USO DO EXTRATO DA PLANTA SAPINDUS SAPONARIA E DE SEUS
PRINCÍPIOS ATIVOS PARA O CONTROLE E TRATAMENTO DE INFECÇÕES
POR FUNGOS
RESUMO Membranas de hidrogel termo‐sensível à base de poli(N‐isopropil
acrilamida) revestido com poliacrilamida. Foram obtidas por reação de
co‐polimerização, em duas etapas. As membranas são constituídas por
uma camada termo‐sensível totalmente revestida por duas camadas
porosas e hidrofílicas. Quando aquecida de 25 para 40 <198>C, a camada
109
interna contrai cerca de 85% e as camadas externas expandem cerca de
45%. As membranas são mecanicamente estáveis e podem ser aplicadas
em processo de separação em diversos sistemas, incluindo químicos e
biotecnológicos
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Izabel Cristina Piloto Ferreira, Diógenes Aparício Garcia Cortez, Terezinha
Inez Estivalet e Karla Tsuzuki
Nº PROCESSO PI 0506075‐3

DATA DEPÓSITO 12/09/2005

TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO DE HIDROXIAPATITA VIA CALCINAÇÃO DO
OSSO DE PEIXE
RESUMO A presente invenção refere‐se a um novo processo de obtenção de
hidroxiapatita via calcinação do osso do peixe, de água doce ou salgada,
que envolve os seguintes procedimentos: limpeza em solução aquosa de
tensoativo aniônico biodegradável, secagem, tratamento térmico de
calcinação, trituração em almofariz de ágata
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Wilson Ricardo Weinand e Walter Moreira Lima

Nº PROCESSO PI 0506242‐0

DATA DEPÓSITO 06/09/2005

TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO DE EXTRATO DE PRÓPOLIS PARA USO
ODONTOLÓGICO E FORMULAÇÕES DE PRÓPOLIS PARA USO
ODONTOLÓGICO
RESUMO A presente invenção compõe‐se de um processo para a obtenção dos
componentes ativos da própolis utilizando o etanol diluído em seus
extratos, resultando em extratos com menor irritação tecidual,
possibilitando assim sua utilização endodôntica/periodontal e facilitando
o manuseio
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Mirian Marubayashi Hidalgo, Ciomar Aparecida Bersani, Selma Lucy


Franco e Fausto Rodrigo Victorino
Nº PROCESSO PI 0506243‐8

DATA DEPÓSITO 06/09/2005

110
TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO DE NÚCLEOS UTILIZADOS EM DIETAS E DE
MEDICAMENTOS PARA COELHOS À BASE DE PRÓPOLIS
RESUMO A presente invenção se refere a um processo de obtenção de
componentes ativos a partir de extrato de própolis, para utilização como
componente na área da zootecnia (produção de suplemento alimentar –
melhoria do desempenho animal) e veterinária (medicamentos para
tratamento de infecções por protozoários – eimerias, bactérias e fungos)
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Selma Lucy Franco, Lucimar Pontara Peres de Moura, Vanderlei Bett e
Cláudio Scapinello
Nº PROCESSO PI 0506393‐0

DATA DEPÓSITO 06/09/2005

TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO DE FARINHA DE CABEÇAS DE TILÁPIA PARA
ALIMENTAÇÃO HUMANA
RESUMO Trata‐se de um novo processo de obtenção de farinha de peixe para
consumo humano, que utiliza como matéria‐prima cabeças de tilápia.
Diferencia‐se dos produtos anteriormente conhecidos, por ser obtida
exclusivamente de cabeças de tilápia, e por meio de um processo que
envolve as seguintes etapas: lavagem/cocção, secagem em forno à
temperatura de 180°C, trituração em moinho de aço e peneiração
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Flávia Braidotti Stevanato, Jeane Eliete Laguila, Makoto Matsushita,


Nilson Evelázio de Souza e Maria Eugênia Petenuci
Nº PROCESSO PI 0506315‐9

DATA DEPÓSITO 09/12/2005

TÍTULO
HIDROGÉIS DE RÁPIDA SUPERABSORÇÃO CONSTITUÍDOS DE GOMA
ARÁBICA, ACRILATOS E ACRILAMIDA
RESUMO Hidrogéis de rápida superabsorção baseados em Acrilatos, Acrilamida e
polímeros naturais presentes na Goma Arábica. A síntese do hidrogel
superabsorvente é realizada da seguinte forma: a Goma Arábica é
modificada quimicamente com metacrilato de glicidila e em seguida é
copolimerizada juntamente com monômeros de Acrilatos e Acrilamida.
Nessa formulação, o hidrogel é altamente poroso e intumesce 300 vezes
em pouco mais de uma hora
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Edvani Curti Muniz, Adley Forti Rubira, Adriano Valim Reis e Marcos
Rogério Guilherme
Nº PROCESSO PI 0506316‐7

111
DATA DEPÓSITO 09/12/2005

TÍTULO
EQUIPAMENTO PARA MONITORAMENTO IÔNICO DA SOLUÇÃO DO SOLO
RESUMO O seguinte relatório descritivo do pedido de patente de invenção refere‐
se ao desenvolvimento de um equipamento capaz de determinar a
concentração de íons na solução do solo com forças iônicas menores que
0,1. A sonda construída consiste em uma câmara fechada de paredes de
cerâmica porosa, com uma célula eletrolítica e um sensor de
temperatura, correspondente a um termopar, em seu interior. Um
sistema de pressão/tensão produz a força necessária para a entrada e
saída da solução do solo na sonda. A leitura de potencial elétrico da
célula eletrolítica e da temperatura do termopar para a amostra de
solução é indicada num mostrador digital
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Altair Bertonha e Omar Cléo Neves Pereira.

Nº PROCESSO PI 0602031‐3

DATA DEPÓSITO 19/05/2006

TÍTULO
HIDROGÉIS PH‐RESPONSIVO CONSTITUÍDOS DE GOMA ARÁBICA
QUIMICAMENTE MODIFICADA
RESUMO Matriz tridimensional de hidrogel sem revestimento e pH‐Responsivo,
composto de material biodegradável (Goma Arábica), obtida através da
copolimerização da Goma Arábica quimicamente modificada com
metacrilato de glicidila. O hidrogel de Goma Arábica modificada é um
dispositivo com características hidrofílicas que não se dissolve em água.
Seu perfil de liberação não depende somente de pH, mas também do seu
grau de hidratação. Este material é extremamente apropriado para ser
aplicado como dispositivo oral de liberação sustentada de fármacos, para
regiões específicas do trato‐gastrointestinal
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Edvani Curti Muniz, Adley Forti Rubira, Adriano Valim Reis e Marcos
Rogério Guilherme
Nº PROCESSO PI 0602028‐3

DATA DEPÓSITO 19/05/2006

112
TÍTULO
PROCESSO PARA REMOÇÃO DE METAIS PESADOS A PARTIR DE
EFLUENTES DAS INDÚSTRIAS DE BATERIA PARA VEÍCULOS: USO DA
QUITOSANA OBTIDA A PARTIR DAS CRISÁLIDAS DO BICHO DA SEDA
COMO ADSORVENTE DE BAIXO CUSTO
RESUMO Um novo método para o tratamento dos efluentes gerados a partir do
processamento de baterias para veículos pelas indústrias especializadas
está sendo explorado, usando colunas empacotadas com quitosana,
produzidas a partir das crisálidas do bicho da seda, como adsorvente de
baixo custo. O procedimento utilizado consiste em passar volumes do
efluente pela coluna empacotada com o adsorvente específico e analisar
as quantidades de metais que ficam retidos na mesma. 50mg do
adsorvente utilizado é colocado dentro da coluna após previamente
preparado, observando as características específicas para tais usos. Com
um fluxo de 1 mL/min, o efluente foi passado pela coluna, sendo
coletadas alíquotas de 15 mL cada na parte inferior da mesma. As
concentrações dos metais nas amostras aquosas foram determinadas por
voltametria de onda quadrada de stripping catódico. As concentrações
de Fe 3+ foram determinadas por epectrofotometria UV‐Vis. Não foi
detectado Cd 2+ e Ni 2+ nos amostras do efluente
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Alexandre T. Paulino e Jorge Nozaki

Nº PROCESSO PI 0604156‐6

DATA DEPÓSITO 22/09/2006

TÍTULO
DISPOSITIVO PARA ENVIAR CHAMADA DE EMERGÊNCIA EM SITUAÇÕES
DE INCAPACIDADE OU SEMI‐INCAPACIDADE
RESUMO A presente invenção destina‐se a usuários incapazes ou indispostos a
realizarem as etapas necessárias ao estabelecimento da chamada e envio
da informação. A informação de usuário pode ser mensagem de voz ou
de dados e deve estar pré‐gravada no sistema. Durante a instalação e
sempre que necessário, o sistema deve permitir a sua programação, isto
é, deve ser possível ao usuário determinar a seqüência de comandos a
ser executada quando o dispositivo é acionado, quais terminais remotos
(por exemplo, quais telefones) devem ser chamadas e em qual ordem, e
quais mensagens devem ser enviadas. O usuário carrega consigo um
módulo embarcado de fácil e rápido acionamento. Pelas suas
características, este módulo pode ser carregado pelo usuário todo o
tempo. Desta maneira, o usuário pode, a qualquer momento, acionar o
dispositivo e solicitar ajuda ou comunicar alguma situação particular
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Élvio João Leonardo

Nº PROCESSO PI 0600918‐2

113
DATA DEPÓSITO 17/03/2006

TÍTULO
APARELHO METÁLICO COLETOR E TRASFERIDOR DE MEIO DE CULTURA
SÓLIDA
RESUMO O Aparelho Metálico Coletor e Transferidor de Meio de Cultura Sólida é
caracterizado por ser um aparelho metálico que facilita o manuseio e
transferência de meios de cultura sólidos cultivados em laboratório,
constituído de oito peças demonstráveis que se organizam na seguinte
ordem: cilindro de corte de mostra; pistão de expulsão da amostra; corpo
principal do aparelho; contra‐porca de fixação; porca de regulagem do
curso do pistão; eixo central dividido em duas partes; mola de retorno do
pistão; apalpador de acionamento do pistão
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Sérgio Paulo S. de Souza Diniz e Hiroshi Utumi

Nº PROCESSO PI 0604174‐4

DATA DEPÓSITO 09/10/2006

TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO DE QUITINA E QUITOSANA UTILIZANDO
CRISÁLIDAS DO BICHO DA SEDA (Bombyx Mori) COMO MATÉRIA PRIMA
RESUMO Uma nova fonte de produção de quitina e quitosana está sendo
explorada a partir das crisálidas do bicho da seda. A extração da quitina e
produção da quitosana é realizada da seguinte forma: A crisálida moída é
tratada com HCI 0,1 mol L^1^, NaCIO/HCI 12%, (80% NaCIO e 20% HC1),
NaOH 0,1 mol L^1^ e NaOHI/NaHB~4~ 40% (0.250g NaHB~4~ para 300mL
NaOH 40%). O material obtido após as etapas de tratamento é
caracterizado por FT‐IR, RMN ¹³C, RMN ¹H difração de raio‐X, massa molar
e grau de desacetilação. A quitina e a quitosana obtidas possuem alto
grau de pureza. A quitosana possui uma morfologia adequada para
tratamentos de água e efluentes industriais, bem como o seu uso na
produção de filmes e membranas
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Alexandre T. Paulino, Jorge Nozaki e Juliana Isabelle Simionato

Nº PROCESSO PI 0604843‐9

DATA DEPÓSITO 17/07/2006

TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO DOS NÚCLEOS‐LLOSA2 E LLOSC3 (À BASE DE
PRÓPOLIS) NA NUTRIÇÃO E MEDICAMENTOS PARA RUMINANTES
RESUMO A presente invenção se refere ao processo de obtenção de componentes
ativos a partir de extratos líquido e seco de própolis, para utilização como
114
núcleos a serem adicionados em dietas na área da zootecnia (produção
de suplemento alimentar ‐ melhoria do desempenho animal) e da
veterinária (medicamentos para tratamento de infecções por
protozoários, eimerias, vírus, bactérias e fungos). O uso dos núcleos
LLOSA2 e LLOSC3 à base de própolis em ruminantes, tem como objetivo a
adequação do controle de qualidade para a melhor efetividade
farmacológica do produto, para obter núcleos para rações com qualidade
e maior inocuidade do que os produtos existentes no mercado, e o de
incorporar na alimentação animal para melhorar o padrão fermentativo
ruminal, otimizar a utilização de energia, aumentar a digestibilidade dos
alimentos utilizados e melhorar o desempenho animal, requerendo assim
a patente desta padronização. O objetivo foi avaliar o núcleo LLOS, à base
de própolis, como substituto de ionóforos, mediante estudos de
digestibilidade in vitro da matéria seca em rações com volumoso:
concentrado (50:50 ‐ simulando animais confinados) e 100% volumoso
(simulando animais em pastejo), mais indicado para ruminantes (bovinos,
búfalos, ovinos e caprinos) e sua aplicabilidade
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Lucimar Pontara Peres de Moura, Lúcia Maria Zeoula, Selma Lucy Franco,
Odimari Priscila Prado, Cláudio Roberto Novello e Ivanor Nunes do Prado
Nº PROCESSO PI0605768‐3

DATA DEPÓSITO 21/12/2006

TÍTULO
NANO‐HIDROGÉIS DE SULFATO DE CONDROITINA MODIFICADO
RESUMO A presente invenção consiste num hidrogel inédito, constituído de
esferas em escala nanométrica de Sulfato de Condroitina modificado. A
síntese desse novo material é realizada através da reticulação do Sulfato
de Condroitina, modificado com acrilatos em solução aquosa contendo
Persulfato de Sódio. As nanoesferas de hidrogéis desenvolvidas
apresentam dimensão média inferior a um micrômero. A vantagem da
utilização de nano‐hidrogéis frente às matrizes de higéis de dimensões
macroscópicas está na maior versatilidade das aplicações. A principal
aplicação das nanopartículas, os nano‐hidrogéis, é como sistemas de
liberação específica e controlada de fármacos, por exemplo, no
tratamento das artrites, em especial a artrite reumatóide. As nanoesferas
carregadas contendo um ou mais fármacos podem ser injetadas
diretamente nas articulações. Desse modo, cada nanoesfera atuará como
um dispositivo de liberação, disponibilizando o fármaco com uma
cinética de liberação própria
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Adley Forti Rubira, Adriano Valim Reis, Edvani Curti Muiniz e Marcos
Rogério Guilherme
Nº PROCESSO PI 0700509‐1

DATA DEPÓSITO 12/02/2007

115
TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO E ARMAZENAMENTO DA FARINHA DE
MIÚDOS DE FRANGO
RESUMO Trata‐se de um novo processo de elaboração de farinha através do
processamento de miúdos de frango pouco aproveitados no cotidiano
populacional e industrial, tais como, pescoço, pés e fígado, usado para
incrementar nutricionalmente alimentos diversos do cardápio humano,
composto de procedimentos de cocção, trituração, secagem, nova
triruração, nova secagem, peneiração e controle das análises físico‐
químicas do produto
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Jesuí Vergílio Visentainer/ Fernando Araújo BAni/ Ivane Benedetti Tonial/
Clayton Antunes Matin/ Makoto Matsushita/ Nilson Evelásio de Souza
Nº PROCESSO PI 0700830‐9

DATA DEPÓSITO 16/03/2007

TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO DE BARRA DE CEREAL UTILIZANDO CASCAS DE
FRUTAS E SEMENTES DE LINHAÇA
RESUMO Trata‐se de um novo processo de fabricação de barra de cereal para
consumo humano, utilizando como matéria‐prima casca de frutas,
resíduo geralmente descartado pelas indústrias de polpa e suco de
frutas, com adição de sementes de linhaça, que é uma forma de se
disponibilizar ao mercado um alimento rico em ácidos graxos
poliinsaturados de série n‐3
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual de Maringá ‐ UEM

INVENTOR(ES) Nilson Evilásio de Souza, Jesuí Vergílio Visentainer, Makoto Matsushita,


Maria Cristina Milinsk e Adriana Nery de Oliveira
Nº PROCESSO PI 0701170‐9

DATA DEPÓSITO 16/03/2007

116
UEPG – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

117
AGÊNCIA DE INOVAÇÃO E PROPRIEDADE INTELECTUAL

A Agência de Inovação e Propriedade Intelectual – AGIPI – é órgão suplementar da


reitoria responsável pela gestão da política de inovação e dos processos relativos à
proteção de direitos da propriedade intelectual desta Universidade. Tem por
objetivo geral promover a integração Universidade‐Empresa‐Governo através do
desenvolvimento de atividades de P&D e inovação de produtos, processos e
serviços.

Responsável: Angelo Luiz Maurios Legat

Equipe: Angelo Luiz Maurius Legat


Telefone: (42)3220‐3263

Endereço: Av. General Carlos Cavalcanti, 4748, Uvaranas (Campus Uvaranas).


Ponta Grossa‐PR.

Site: www.uepg.br/agipi

E‐mail: allegat@uepg.br

118
UFPR – UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

119
AGÊNCIA DE INOVAÇÃO DA UFPR
A Agência de Inovação UFPR foi instituída em maio de 2008 pela resolução de
número 16/2008 do Conselho de Planejamento e Administração (Coplad) da UFPR
e tem como objetivos valorizar a pesquisa aplicada, articular parcerias estratégicas
entre a universidade e os setores produtivos e difundir a cultura de proteção da
propriedade intelectual. Este NIT é dividido em três coordenações, que substituem
unidades anteriormente existentes na Universidade: Coordenação de Propriedade
Intelectual (substituindo o Núcleo de Propriedade Intelectual existente desde
2004); Coordenação de Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica
(substituindo o Núcleo de Empreendedorismo e Projetos Multidisciplinares em
funcionamento desde 2001); e, Coordenação de Transferência de Tecnologias
(substituindo o Portal de Relacionamento, funcionando desde 2003).
Responsável: Prof. Dr. Sergio Scheer
Equipe: Franciele Klosowski, Prof. Cícero Aparecido Bezerra, Fernanda Goularte,
Karina K. de Araújo Kadowaki,Prof. Dr. Kleber Roberto Puchaski, Bruna Souza
Michellin, Wellington Szrajer Gruber, Prof. Me. Edmeire Cristina Pereira, Eduardo
Scopel Ferreira da Costa, Aurélio Rafael Duma Correia ‐ Analista de Propriedade
Intelectual, Me. Eliane Cordeiro de Vasconcelos Garcia Duarte ‐ Coordenadora de
Incubadora de Empresas de Base Tecnológica, Vanderlei Moroz.

Telefone: (41) 3310‐2760/2699


Endereço: Rua XV de Novembro, 695 ‐ Prédio Histórico da UFPR – térreo. Curitiba,
PR

Site: www.inovacao.ufpr.br

E‐mail: inovacao@ufpr.br

120
PATENTES

TÍTULO
SUPORTE ESPECIAL PARA PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIAS
MÚLTIPLAS E PESSOAS NÃO PORTADORAS
RESUMO Patente de invenção de um equipamento modulável capacitado para
formação de conjunto (dois ou mais equipamentos conectados) e/ou uso
unitário, caracterizado por uma base metálica, que possui rodízios
giratórios que proporcionam seu deslocamento e utilização em
ambientes variados. Sobre a referida base são fixadas estações que
possuem canaletas, pelas quais correm proteções laterais do suporte.
Sobre as ditas estações, são fixadas tábuas de madeira que apóiam um
colchonete de espuma preso às referidas tábuas com sistema de fitas e
velcro
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Cecília Berger, Cristiane Alves dos Santos e Paulo Dias Batista Júnior

Nº PROCESSO PI0305170‐6

DATA DEPÓSITO 13/11/2003

TÍTULO
MÁQUINA PARA PRODUÇÃO DE PEÇAS PLÁSTICAS (ROTOEXTRUDER)
RESUMO A "Máquina para produção de peças plásticas (Rotoextruder)" é uma
patente de invenção que consiste em um cilindro bipartido de aço,
contendo um molde também bipartido do moldado a ser produzido, que
é preenchido com polímero previamente pesado, seguido de
fechamento hermético do molde e do cilindro para início de rotação e
movimentação axial do cilindro, para perfeita distribuição do polímero
no molde ou da(s) cavidade(s) deste durante as etapas de aquecimento
e resfriamento, necessárias para fusão do polímero e consolidação da
peça. A Rotoextruder caracteriza‐se por apresentar dois sistemas de
movimentação independentes para preenchimento da(s) cavidade(s)
com o plástico. Um deles é o movimento na direção axial do eixo do
molde para garantir o preenchimento ao longo do comprimento do
perfil, e um movimento rotativo para preenchimento da sua
circunferência. O mecanismo de movimentação axial do molde é
composto por um conjunto fuso‐porca, apoiado em uma base e
acionado por motor elétrico. O movimento rotativo do molde é
realizado através da rotação do eixo do molde, acionado por motor
elétrico
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Thais Helena Demetrio Sydenstricker e Gustavo Vicente Maximo Anjos

121
Nº PROCESSO PI0306354‐2

DATA DEPÓSITO 18/12/2003

TÍTULO
MÉTODO PARA ENCAPSULAR DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS ORGÂNICOS
RESUMO A presente invenção se destina à proteção, ou encapsulamento, de
dispositivos eletrônicos orgânicos, em especial os que são constituídos
por polímeros eletroluminescentes e fotocondutores, tais como diodos
emissores de luz e dispositivos fotoelétricos, por meio de um invólucro
que isola o dispositivo de agentes degradantes externos aumentando
sua vida útil, utilizando uma quantidade pré‐determinada de
poliisobuteno (PIB) (3) colocada entre um dispositivo orgânico (2)
montado sobre um substrato rígido (1) e uma lâmina de cobertura (4). O
sistema capilar que se cria entre a lâmina de cobertura (4) e a superfície
formada pelo dispositivo (2) e o substrato (1) faz com que o PIB (3)
expanda cobrindo o dispositivo e isolando‐o de agentes degradantes
externos
DEPOSITANTE(s) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnologico ‐ CNPq

INVENTOR(ES) Ivo Alexandre Hümmelgen e Rogério Toniolo

Nº PROCESSO PI0300921‐1

DATA DEPÓSITO 30/04/2003

TÍTULO
MÉTODO DE PREPARO E OBTENÇÃO DE SUBSTÂNCIAS SIMÉTRICAS E
ASSIMÉTRICAS POR FUNCIONALIZAÇÃO DIFERENCIAL DE SAIS DE
FOSFÔNIO SIMÉTRICOS
RESUMO Refere‐se a presente invenção a um método de preparo e obtenção de
substâncias alifáticas ou aromáticas, simétricas e assimétricas, por
funcionalização de sais de di‐fosfônio simétricos, com aplicação ao
controle das pragas do cafeeiro. O método permite a obtenção de
feromônios sexuais sintetizados de três insetos‐praga: Leucoptera
coffeelia, Lambdina athasaria e Lambdina pellucidatia.
DEPOSITANTE(s) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnologico ‐ CNPq

INVENTOR(ES) Paulo Henrique Gorgatti Zarbin

Nº PROCESSO PI0302187‐4

DATA DEPÓSITO 16/07/2003

TÍTULO
DISPOSITIVOS FOTOVOLTAICOS E FOTODETETORES ORGÂNICOS
DOTADOS DE CAMADA INTERMEDIÁRIA

122
RESUMO A presente invenção se refere à utilização de polianilina sulfonada (PAS)
como camada intermediária em dispositivos fotovoltaicos e
fotodetetores, construídos na estrutura eletrodo‐
transparente/PAS/camada‐ativa/metal, o que acarreta aumento da
eficiência dos dispositivos fotovoltaicos e fotodetetores. O eletrodo
transparente é um filme fino de óxido de estanho, óxido de índio‐
estanho, filme fino de metal, filme de polímero condutor ou suas
blendas. A camada de polianilina sulfonada é depositada por método
eletroquímico, deposição de solução ou deposição por centrifugação,
transparente à luz visível e conduz portadores positivos de carga. A
camada seguinte à polianilina é a camada ativa do dispositivo, composta
por uma ou mais camadas de polímeros semicondutores
DEPOSITANTE(s) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnologico ‐ CNPq

INVENTOR(ES) Ivo Alexandre Hümmelgen , Rogério Valaski , Regina Maria Queiroz de


Mello, Lucimara Stolz Roman e Liliana Micaroni
Nº PROCESSO PI0302398‐2

DATA DEPÓSITO 09/05/2003

TÍTULO
UTILIZAÇÃO DE VIDROS POROSOS COMO ARMAZENADORES E
LIBERADORES DE FEROMÔNIOS DE INSETO VISANDO O CONTROLE DE
PRAGAS NA AGRICULTURA
RESUMO O uso de feromônios de insetos no controle de pragas, em métodos
conhecidos como manejo integrado de pragas, tem sido amplamente
estudado. Neste método, o feromônio é impregnado em materiais
conhecidos como liberadores, que possibilitam sua liberação controlada
a fim de atrair espécies do sexo oposto em armadilhas, Esta invenção
está centrada na utilização de vidros porosos como liberadores de
feromônio sexual de insetos e no método para estabelecer as taxas de
liberação e volatilidade no ambiente natural dos feromônios
impregnados nas placas de vidros porosos utilizadas, conforme a
invenção.
DEPOSITANTE(s) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico ‐ CNPq

INVENTOR(ES) Aldo José Gorgatti Zarbin, Paulo Henrique Gorgatti Zarbin e Aline Tiboni

Nº PROCESSO PI0306234‐1

DATA DEPÓSITO 20/08/2003

TÍTULO
TRATAMENTO E ESTUDO DO MELANOMA COM A UTILIZAÇÃO DOS
COMPOSTOS 1,3,4‐TIADIAZOIS MESOIÔNICOS
RESUMO Patente de invenção para compostos 1,3,4‐tiadiazóis mesoiônicos
utilizados como agentes antineoplásicos, caracterizada por sua ação
contra o melanoma independente da dose, via ou modo de utilização

123
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Maria Benigna Martinelli de Oliveira, Andréa Senff Ribeiro, Silvio Sanches
Veiga, Áurea Echevarria e Edson Fernandes da Silva
Nº PROCESSO PI0402854‐6

DATA DEPÓSITO 01/07/2004

TÍTULO
DISPOSITIVO ELETROLUMINESCENTE ORGÂNICO
RESUMO A presente invenção trata de um dispositivo eletroluminescente que
consiste de um OLED composto por uma combinação específica de
várias camadas e que é eficiente sob o ponto de vista de suas
características eletroluminescentes, sem a necessidade do uso de
camadas eletroluminescentes dopadas. Compõe‐se de um anodo
transparente modificado por camada injetora de portadores positivos de
carga, uma camada orgânica luminescente e transportadora de
portadores de carga positiva, uma camada orgânica luminescente e
transportadora de elétrons, e um catodo, utilizando um copolímero em
bloco como camada transportadora de portadores de carga positiva e
que auxilia na emissão de luz, combinado com uma molécula como
camada transportadora de portadores negativos que possui espectro
parecido de emissão, para aumentar a intensidade de emissão
DEPOSITANTE(s) Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico ‐ CNPq

INVENTOR(ES) Ivo Alexandre Hümelgen, Rudolf Lessmann e Frank Karasz

Nº PROCESSO PI0403404‐0

DATA DEPÓSITO 30/07/2004

TÍTULO
PRODUÇÃO DE BIOMASSA E MATABÓLITOS DE LEVEDURAS COM AÇÃO
FUNGISTÁTICA CONTRA ASPERGILLUS OCHRACEUS PRODUTOR DE
OCRATOXINA
RESUMO Produção de biomassa e matabólitos de leveduras com ação fungistática
contra Aspergillus ochraceus, produtor de ocratoxina, utilizando como
inócuo cepas de leveduras selecionadas que revelaram ação fungistática
contra Aspergillus ochraceus, produtor de ocratoxina A, quando
inoculadas por fermentação no estado sólido em grãos verdes de café. A
presente invenção envolve a produção de biomassa e ou metabólitos
gerados durante a cultura submersa de cepas de leveduras isoladas de
cerejas de café, provenientes de diversas regiões do Brasil, que
revelaram ação antagônica ao desenvolvimento do micélio do fungo
toxigênico Aspergillus ochraceus, inibindo a formação de ocratoxina. A
presente invenção envolve a seleção das cepas de leveduras e seus
produtos de metabolismo mediante aplicação de seu potencial
fungistático na inibição do desenvolvimento micelial de Aspergillus
ochraceus e formação de ocratoxina em grãos de café
124
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Carlos Ricardo Soccol e Márcia Regina Beux

Nº PROCESSO PI0403650‐6

DATA DEPÓSITO 08/06/2004

TÍTULO
DESCAFEINAÇÃO ENZIMÁTICA
RESUMO A presente invenção envolve a descafeinação de materiais sintéticos ou
vegetais por fermentação com fungos filamentosos "GRAS" (Generally
Recognized As Safe) dos gêneros Rhizopus e Pleurotus ou por aplicação
do extrato enzimático livre ou imobilizado obtido pela fermentação
destes em meio natural ou sintético. Níveis significativos de
descafeinação foram obtidos em curto espaço de tempo sem a adição
de solventes ou outra fonte de carbono ou nitrogênio. A cafeína foi
convertida a teofilina e esta em 3‐metilxantina, possibilitando que esta
invenção também seja utilizada para produção de teofilina por via
microbiana ou enzimática
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Carlos Ricardo Soccol, Cristiane Vanessa Tagliari Corrêa e Telma Teixeira
Franco
Nº PROCESSO PI0403863‐0

DATA DEPÓSITO 03/09/2004

TÍTULO
PROCESSO PARA PADRONIZAÇÃO GEOMÉTRICA DE FILMES FINOS DE
ÓXIDOS CONDUTORES ELÉTRICOS DEPOSITADOS SOBRE SUBSTRATOS
RESUMO A presente invenção se refere à fabricação de filmes finos com forma
geométrica padronizada sobre um substrato. O método descrito permite
controlar a área e a forma geométrica dos depósitos de filmes finos
sobre um substrato, sendo particularmente adequado à deposição
seletiva de filmes finos de óxidos condutores transparentes sobre
substrato cerâmico ou de vidro. O método permite selecionar a área a
ser depositada antes da deposição do filme fino. O substrato é recoberto
por um material estável que é removido por um solvente após a
deposição do filme fino, levando o filme fino sobre ele depositado
consigo, visto que impede a adesão do filme fino ao substrato
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Ivo Alexandre Hümmelgen, Rudolf Lessmann, Rodolfo Luiz Patyk,


Lucimara Stolz Roman
Nº PROCESSO PI0404368‐5

DATA DEPÓSITO 08/10/2004

125
TÍTULO
PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE PLACAS DE ESPUMA DE POLIANURETO
COM APROVEITAMENTO DE SUCATA DE MESMO MATERIAL E MOLDE DE
INJEÇÃO RESULTANTE
RESUMO Refere‐se à Patente de Invenção de processo de fabricação de placas de
espuma rígida de polianureto, com aproveitamento de até 95% de
sucata de mesmo material, aplicado como placas rígidas de isolamento
térmico acústico, através de processo de fabricação com melhor
precisão de dosagem, com maior tempo de reação, com temperatura
dos reagentes na menor faixa recomendada e molde de injeção com
distribuição aperfeiçoada de reagentes. Além de aditivos que permitem
a obtenção de placas mistas com características isolantes térmica e
acústica próximas às características das placas virgens e de formação de
placas com aspecto homogêneo e sem espaços vazios
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Vsévolod Mymrine, Elisandra Bolsoni, Ricardo Tatesuzi de Sousa e Maria


José Jerônimo de Santana Ponte
Nº PROCESSO PI0405341‐9

DATA DEPÓSITO 30/11/2004

TÍTULO
PROCESSO DE OBTENÇÃO E ADIÇÃO DOS COMPLEXOS DE
CARBOXIMETIL CELULOSE E OS ÍONS FERRO(III) AO CIMENTO PORTLAND
RESUMO A obtenção dos complexos de caboximetilcelulose e os íons de Fe III é
promovida através de procedimentos analíticos específicos descritos
neste documento. Análises espectroscópicas do material obtido, nas
faixas ultravioleta‐visível e no infravermelho, confirmam a existência de
quelatos. Os complexos são adicionados ao cimento Portland, na forma
de argamassas, em proporções que vão de 0,1% a 5% (m/m) em relação
à massa total da pasta. Ensaios de resistência mecânica à flexão e à
compressão demonstram um acréscimo de resistência da ordem de 4%
para a flexão e de 10% para a compressão do material endurecido após
um tempo de cura de 28 dias. A melhora na resistência mecânica do
material é atribuída à formação de estruturas cristalinas diferenciadas,
promovidas pelas reações de hidratação do cimento Portland,
observadas através da técnica da Microscopia Eletrônica de Varredura ‐
MEV
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Paulo Henrique de Souza Picciani e Ana Lúcia Ramalho Mercê

Nº PROCESSO PI0406015‐6

DATA DEPÓSITO 28/10/2004

126
TÍTULO
PROCESSO DE PRODUÇÃO DE UM REGULADOR DE CRESCIMENTO
VEGETAL E SUA APLICAÇÃO
RESUMO Produz‐se um regulador de crescimento vegetal a partir do esteviosídeo.
O processo consiste na hidrólise inicial do esteviosídeo, por via química
ou enzimática, para obtenção do esteviol. Este é posteriormente
hidroxilado microbiologicamente produzindo o ácido ent‐7a,13‐
diidroxicaur‐16‐en‐19‐óico (7B‐hidroxiesteviol). Esta substância ou seu
éster metílico possuem propriedades biológicas semelhantes às das
giberelinas comerciais e, portanto, podem substituí‐las em suas
aplicações agrícolas de regulação de crescimento vegetal
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Brás Heleno de Oliveira e José Luiz Ferreira da Trindade

Nº PROCESSO PI0406278‐7

DATA DEPÓSITO 08/12/2004

TÍTULO
PROCESSO DE MICROPROPAGAÇÃO VEGETAL COM UTILIZAÇÃO DE
BRASSINOESTEROÍDES
RESUMO O processo inventado possibilita o aumento significativo da taxa de
multiplicação vegetal in vitro, através do uso de esteróides vegetais que
apresentam um grupamento oxigênio no carbono 3 e grupamentos
oxigênio adicionais em um ou mais do átomos de carbono C‐2, C‐6, C‐22
e C‐23, e compreende a aplicação de uma microgota (5 microlitros) de
solução de etanol (95%, v/v) contendo 500 nanogramas do derivado
fluoretado da 28‐homocastasterona (5F‐HCTS), sobre a nervura principal
da folha mais próxima do ápice caulinar (medindo no mínimo 2
milímetros de largura) de partes aéreas (caule + folhas) geradas a partir
de um segmento nodal de um clone do porta‐enxerto de macieira
marubakaido (Malus prunifolia {Willd.} Borkh, cultivar marubakaido)
cultivado in vitro, bem como a imersão de partes aéreas geradas a partir
de segmentos nodais de um clone de híbrido entre Eucalyptus grandis e
E. urophylla cultivados in vitro em solução de acetona estéril contendo
10 microgramas por mililitro da forma nativa da 28‐homocastasterona
(28‐HCTS), acompanhada da imediata retirada das partes aéreas da
solução, seguida de secagem completa sobre papel absorvente
DEPOSITANTE(s) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico ‐ CNPQ

INVENTOR(ES) Adaucto Bellarmino de Pereira Netto, Lydia Rachel Galagovsky, Mariza


Mara Correia de Carvalho Oliveira, Silvia Schaefer, Javier Alberto Ramirez
e Sandra Aparecida Medeiro
Nº PROCESSO PI0403642‐5

DATA DEPÓSITO 29/01/2004

127
TÍTULO
DISPOSITIVOS DE MEMÓRIA CONSTRUÍDOS DE POLÍMEROS ORGÂNICOS
E NANOTUBOS DE CARBONO
RESUMO Os dispositivos de memória inventados baseiam‐se nas propriedades
elétricas características de filmes formados por misturas de polímero e
de nanotubos de carbono preenchidos com óxido de ferro (NTC,
depositados sobre eletrodos condutores de geometria planar, cujos
nanotubos foram obtidos mediante pirólise de ferroceno em atmosfera
controlada, e permitem obter resposta elétrica de corrente versus
tensão dependente da tensão inicial aplicada entre os eletrodos, que
funcionam assim como uma célula de memória.
DEPOSITANTE(s) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico ‐ CNPQ

INVENTOR(ES) Aldo José Gorgatti Zarbin, Lucimara Stolz Roman, Ricardo Possagno, Paulo
César Roman e Mariane Cristina Schnitzler
Nº PROCESSO PI0404984‐5

DATA DEPÓSITO 24/09/2004

TÍTULO
PROCESSO DE ESTABILIZAÇÃO DIMENSIONAL DE PAINÉS AGLOMERADOS
DE MADEIRA
RESUMO O tratamento proposto pretende melhorar a estabilidade dimensional
de painéis já produzidos, independentemente do processo de produção
empregado e compreende uma etapa de estabilização dimensional
executada após a consolidação do painel. A invenção reduz o tempo de
tratamento dos painéis à escala de minutos, porque a transferência de
calor é feita por condução, diferentemente da transferência de calor por
convecção, como na estufa, que é muito mais lenta. Além disso, a
limitação imposta pelos pratos da prensa impede o desenvolvimento de
possíveis deformações e empenamentos dos painéis em função da
retirada de sua umidade
DEPOSITANTE(s) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico ‐ CNPQ

INVENTOR(ES) Claudio Henrique Soares Del Menezzi e Ivan Tomaselli

Nº PROCESSO PI0411660‐7

DATA DEPÓSITO 26/02/2004

TÍTULO INTRODUÇÃO DE BIOMASSA E METABÓLICOS DE LEVEDURAS COM


AÇÃO FUNGISTÁTICA CONTRA ASPERGILLUS OCHRACEUS PRODUTOR DE
OCRATOXINA

RESUMO PRODUÇÃO DE BIOMASSA E METABÓLITOS DE LEVEDURAS COM AÇÃO


FUNGISTÁTICA CONTRA ASPERGILLUS OCHRACEUS PRODUTOR DE
OCRATOXINA, utilizando como inóculo cepas de leveduras selecionadas
que revelaram ação fungistática contra aspergillus ochraceus produtor de

128
ocratoxina A, quando inoculadas por fermentação no estado sólido em
grãos verdes de café. A presente invenção envolve a produção de
biomassa e ou metabólitos gerados durante a cultura submersa de cepas
de leveduras isoladas de cerejas de café provenientes de diversas regiões
do Brasil, que revelaram ação antagônica ao desenvolvimento do micélio
do fungo toxigênico Aspergillus ochraceus inibindo a formação de
ocratoxina. A presente invenção envolve a seleção das cepas de leveduras
e seus produtos de metabolismo mediante aplicação de seu potencial
fungistático na inibição do desenvolvimento micelial de Aspergillus
ochraceus e formação de ocratoxina em grãos de café.

DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Carlos Ricardo Soccol, Marcia Regina Beux

Nº PROCESSO PI0403650

DATA DEPÓSITO 08/06/2004

TÍTULO
SISTEMA DE ECONOMIA DE ENERGIA ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DA
TRANSMISSÃO POR POLIAS
RESUMO A presente Patente de Invenção refere‐se a "SISTEMA DE ECONOMIA DE
ENERGIA ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DA TRANSMISSÃO POR POLIAS" ou,
mais particularmente, a um sistema que mantém constantemente as
polias mais esticadas para transmissão mais eficiente, ou seja, com
menos perdas de energia através de calor, som e vibrações que ocorrem
quando a polia não está devidamente esticada. Atualmente, a correia é
colocada nas polias que se encarregam de transmitir a força e a
velocidade necessárias para que uma máquina se destina. A correia é
colocada nova na máquina, e neste momento é esticada corretamente.
Com o passar do tempo, a correia vai esticando e vai ficando mais solta
nas polias, aumentando assim, drasticamente, o atrito e desgaste da
correia e, mais importante, o consumo de energia. Este trabalho se
propõe a resolver esse problema com a colocação de um dinamômetro
entre as polias aumentando a distância entre as polias, dinamicamente
e, assim, diminuindo as perdas enérgicas associadas. Portanto, o
objetivo da presente invenção é criar um sistema que, de maneira fácil e
barata de implementar, seja capaz de economizar energia na
transmissão de sistemas por polias
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Claudio Behling

Nº PROCESSO PI0502938‐4

DATA DEPÓSITO 15/07/2005

129
TÍTULO
TRANSISTOR HÍBRIDO SENSÍVEL A CAMPOS MAGNÉTICOS
RESUMO A presente invenção refere‐se a um dispositivo eletrônico, transistor,
com base metálica e com características elétricas dependentes do
campo magnético ao qual está submetido, no qual o emissor é
constituído de material semicondutor molecular polimérico, que
apresenta magnetoresistência, e que utiliza como coletor uma lâmina de
silício monocristalino
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Ivo Alexandre Hümmelgen, Michelle Sostag Meruvia, Jonas Gruber,


Rosamaria Wu Chia Li, Luis Henrique Jatobá de Moraes da Costa Aguiar e
Adriano Reinaldo Viçoto Benvenho
Nº PROCESSO PI0503070‐6

DATA DEPÓSITO 22/07/2005

TÍTULO
UM NOVO MATERIAL SORVENTE PARA PETRÓLEO E DERIVADOS
COMPOSTO À BASE DE FIBRA VEGETAL (CHORISIA SPECIOSA)
RESUMO Os sorventes de melhor desempenho utilizados para remoção de
contaminantes de petróleo e hidrocarbonetos diversos são os polímeros
sintéticos. No entanto, esses materiais não são biodegradáveis, têm alto
custo, não vêm de fonte renovável e nem sempre o reaproveitamento
energético do sorvente sintético pós‐consumido é a melhor opção
(como o caso do poliuretano). A grande maioria dos sorventes vegetais
usados na mitigação de derramamentos de óleos e hidrocarbonetos
disponíveis no mercado é importada e, em geral, absorvem muita água.
A presente invenção apresenta um novo material composto à base de
fibra vegetal com capacidade de sorção comparável aos materiais
sintéticos, com diversas vantagens como: ser de fonte renovável,
biodegradável, possuir baixa sorção de água e seletividade pelo óleo,
pode ser utilizado em reaproveitamento energético sem a preocupação
com a liberação de gases tóxicos (se o material for incinerado), constitui
em mais um produto nacional disponível no mercado, reduzindo a nossa
dependência mercadológica por produtos importados, bem como o
baixo custo em relação aos demais sorventes vegetais eficientes
atualmente comercializados
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Teoli Rodrigues Annunciado

Nº PROCESSO PI0504096‐5

DATA DEPÓSITO 15/09/2005

TÍTULO
DISPOSITIVOS OPTOELETRÔNICOS ORGÂNICOS COM CAMADA ATIVA E
ELETRODOS ELETROQUIMICAMENTE DEPOSITADOS

130
RESUMO A presente invenção se refere a dispositivos optoeletrônicos orgânicos,
construídos na estrutura eletrodo/camada ativa orgânica/eletrodo,
sendo que um dos eletrodos é transparente. O eletrodo transparente é
um filme fino de óxido de estanho, óxido de estanho dopado com flúor,
óxido de índio‐estanho, filme fino de metal ou filme de polímero
condutor ou suas blendas. A camada ativa do dispositivo é
eletroquimicamente depositada sobre o eletrodo transparente ou
eletroquimicamente depositada sobre um filme metálico
eletroquimicamente depositado sobre um filme condutor. Os eletrodos
metálicos são eletroquimicamente depositados sobre a camada ativa
orgânica. A utilização de métodos eletroquímicos na obtenção da
camada ativa e dos eletrodos apresenta vantagens tanto técnicas, como
econômicas na fabricação de dispositivos optoeletrônicos orgânicos
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Lucimara Stoltz Roman

Nº PROCESSO PI0505556‐3

DATA DEPÓSITO 21/11/2005

TÍTULO
VÁLVULA EXTRA TIPO "JANELA" PARA MOTORES A QUATRO TEMPOS
RESUMO Válvula extra tipo "janela" para motores a quatro tempos constitui‐se
por uma abertura na lateral inferior do cilindro, que permite um acesso
direto de dentro do cilindro para a lateral externa ao motor (como as
válvulas dos motores a dois tempos). Sobre esta abertura e no lado
externo do motor, é instalada uma canalização própria constituída por
uma câmara para a acomodação de uma válvula de direcionamento de
fluxo e duas tubulações (ambas com acesso para a câmara), uma de
entrada (para a mistura ar e combustível) e outra de saída (para gases
queimados). Ao final da fase de admissão do motor (momento em que a
pressão interna do cilindro é mais baixa), a abertura lateral permite um
melhor preenchimento do cilindro pelos gases de admissão, assim como,
ao final da fase de expansão do motor, esta facilita a saída dos gases
queimados do cilindro. Como conseqüência, esta abertura proporciona
maiores torque, rotação e potência ao motor
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Mauro Gomes Rodbard

Nº PROCESSO PI0505561‐0

DATA DEPÓSITO 22/11/2005

131
TÍTULO
MÉTODO PARA FABRICAÇÃO DE DISPOSITIVOS OPTOELETRÔNICOS
PARA LUZ POLARIZADA
RESUMO Método para fabricação de dispositivos optoeletrônicos para luz
polarizada é um trabalho que enfoca uma maneira de se produzir um
fotodetector baseado em materiais orgânicos, como polímeros e
moléculas, por exemplo. O processo consiste, em primeiro momento,
depositar materiais orgânicos em solução. De clorofórmio, por exemplo,
ou outro solvente orgânico, em um substrato plástico que
anteriormente à disposição da solução polimérica recebeu um
tratamento químico chamado silanização. Após a deposição e secagem
da solução polimérica, submete‐se o substrato plástico a um
estiramento mecânico, que visa causar orientação do filme polimérico. O
próximo passo é o da transferência do filme orientado do substrato
plástico para um substrato de vidro que já contém o primeiro eletrodo,
podendo ser fto, to ou ito. Coloca‐se em contato o filme polimérico
orientado com o substrato de vidro, em seguida aplica‐se uma pressão
mecânica sobre o lado oposto do substrato plástico, que contém o filme
polimérico e, além da pressão mecânica, também é aplicado calor sobre
o conjunto a fim de facilitar a transferência. Após o processo de
transferência, é removido o substrato plástico, já sem filme orientado, e
então é depositado por evaporação o segundo contato metálico, que
pode ser ouro, alumínio ou cálcio
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Lucimara Stolz Roman

Nº PROCESSO PI0505564‐4

DATA DEPÓSITO 01/12/2005

TÍTULO
OBTENÇÃO DE NANOCOMPÓSITOS BASEADOS EM MATRIZES
POLIMÉRICAS VIRGENS OU RECICLADAS
RESUMO Presente patente tem como objetivo o desenvolvimento de técnica de
uso de agentes de reforço baseados nos hidróxidos duplos lamelares e
nanofibras de origem natural e/ou sintética em polímeros virgens ou
reciclados de origem natural e/ou sintética, para o desenvolvimento de
nanocompósitos de alto valor agregado. O principal aspecto da patente
visa a compatibilização do agente de reforço com a matriz polimérica,
através da criação de uma interface química, que atua como "cola" e
mantém o agente disperso e firmemente ligado à matriz polimérica,
condição ideal para a otimização das propriedades químicas e físicas do
nanocompósito resultante
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Fernando Wypych

Nº PROCESSO PI0505848‐1

132
DATA DEPÓSITO 05/12/2005

TÍTULO
VEÍCULO DE EXPLORAÇÃO TODO‐TERRENO PARA USO GERAL
RESUMO Constituído por uma estrutura externa, rígida ou flexível,
preferencialmente esférica, e um sistema pendular interno capaz de
gerar o deslocamento e o controle direcional mediante a mudança de
sua posição, baseando‐se no princípio físico de conservação de
momento angular. O controle do movimento e da direção pode ser de
forma local, por um operador humano ou robótico, ou de forma remota,
por intermédio de qualquer meio de transmissão de informação à
distância disponível. Os sistemas de acionamento empregados para
gerar o movimento e o controle de direção podem ser eletromagnéticos,
mecânicos, pneumáticos ou qualquer outro tipo definido pelo estado no
momento de fabricação. A vantagem desta configuração em relação aos
veículos de exploração existentes está na sua forma preferencialmente
esférica, que lhe permite deslocamento em terrenos irregulares planos
ou inclinados. A localização dos elementos de acionamento no seu
interior lhe confere uma segunda vantagem no que se refere à
durabilidade de seus componentes, os quais podem ser completamente
isolados do ambiente externo. Isto permite a aplicação em operações
terrestres, espaciais, em ambientes de difícil acesso ou hostis. A
simplicidade de seu sistema de acionamento permite uma apreciável do
número de elementos de móveis, com uma evidente redução de
consumo energético, fato que é de extrema importância em aplicações
espaciais. Este sistema permite o uso de superfícies externas flexíveis,
inflamáveis ou não, as quais podem ser empregadas como elementos de
amortecimento em impactos, assim como para de volume útil até o
momento do emprego do mesmo
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Cyro Ketzer Saul

Nº PROCESSO PI0506312‐4

DATA DEPÓSITO 21/11/2005

TÍTULO
DISPOSITIVO DE SEGURANÇA PARA SERRA CIRCULAR CONTROLADO POR
SENSORES
RESUMO A presente patente de invenção refere‐se a "Dispositivo de Segurança
para Serra Circular Controlado por Sensores", ou mais particularmente a
um dispositivo que busca proteger a integridade física e a vida do
operador de serra circular. Trata‐se de um equipamento de segurança
que visa diminuir o número de acidentes de trabalho na indústria
madeireira, mais especificamente no trabalho com a máquina de serra
circular, empregando sensores de presença. A serra é recolhida,
evitando que o operador seja cortado pela mesma. Trata‐se de um
equipamento de proteção que adapta a serra circular, máquina de uso
133
freqüente nas indústrias do setor madeireiro‐florestal, que visa reduzir
substancialmente o número de acidades de trabalho em operadores
desse tipo de máquina. A profissão de operador de serra circular é
considerada a profissão mais perigosa do mundo devido ao elevadíssimo
número de acidentes ocasionados durante a sua utilização
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Claudio Behling

Nº PROCESSO PI0506389‐2

DATA DEPÓSITO 10/10/2005

TÍTULO
POLIETILENO DE ULTRA‐ALTA DENSIDADE RECOBERTO COM FILME DE
CARBONO DE ALTA DUREZA
RESUMO Polietileno de ultra‐alta densidade recoberto com filme de carbono de
alta dureza obtido através de processo físico de deposição de carbono
amorfo através de íons acelerados de carbono oriundos de um catodo
de grafite. O revestimento, cuja espessura varia 0,1 a 5 µm, produz
aumento da dureza superficial do material elevando‐a para mais de
20GPa, o que a torna própria para o uso em próteses ortopédicas com
maior vida útil. A alta dureza, aliada a um coeficiente de atrito em torno
de 0,2, permite que o material polimérico revestido possa ser utilizado
em regiões de contato com superfícies metálicas ou cerâmicas
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná e Patinor Coatings Limited

INVENTOR(ES) Carlos Maurício Lepienski, Wanderley Veiga, Wladimir Prokofievich


Poliakov, Carlos José de Mesquita Siqueira, Grigory Grigorievich
Kirpilenko e Romanof Igor Mishailovich
Nº PROCESSO PI0603506‐0

DATA DEPÓSITO 01/11/2005

TÍTULO
ÓCULOS DE PROTEÇÃO AUTO‐AJUSTÁVEL, NÃO RÍGIDO, DESCARTÁVEL
PARA PREVENÇÃO DE EXPOSIÇÃO AOS FLUÍDOS BIOLÓGICOS
RESUMO O presente modelo de utilidade é um óculos de proteção auto‐ajustável,
não rígido, descartável para prevenção de exposição aos fluídos
biológicos. É um modelo de utilidade para os óculos de proteção, que é
descartável, de fácil utilização e muito fácil para usar no ambiente de
trabalho. Este modelo de utilidade facilita o uso do equipamento de
proteção individual (EPI) em hospitais, consultórios dentários e unidades
de saúde, reduzindo a exposição ocupacional dos trabalhadores de saúde
aos agentes infecciosos e nocivos à saúde do trabalhador. Este modelo
de utilidade de óculos de proteção para fluídos biológicos é de plástico
maleável e fácil de colocar no bolso para a utilização imediata. O material
será de plástico maleável, transparente e poderá ser reciclado. A
justificativa para este presente modelo de utilidade está respaldada pela
134
exigência legal e pela não adesão do uso dos trabalhadores de saúde às
medidas de prevenção a doenças ocupacionais como a AIDS e a Hepatite
B e C. A literatura confirma a não utilização de muitos trabalhadores
deste EPI em unidades de trabalho (Brasil, 2006). Poderá ser
comercializado em empresas que produzem materiais hospitalares e
equipamentos de proteção, casas cirúrgicas que vendem materiais
hospitalares, farmácias para a comercialização, hospitais para a venda e
para o uso próprio, clínicas de odontologia, clínicas de repouso e todos os
locais que possuam trabalhadores de saúde. Será feito em fábricas que
produzem derivados de plástico e indústrias de plásticos e derivados
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Leila M.M. Sarquis

Nº PROCESSO MU8602334‐9

DATA DEPÓSITO 09/11/2006

TÍTULO
AGLOMERAÇÃO DE MATERIAIS PARTICULADOS POR MOAGEM DE ALTA
ENERGIA EMPREGANDO‐SE COMPOSTOS ORGÂNICOS À BASE DE ÁCIDO
ESTEÁRICO E/OU ESTEARATOS VISANDO A OBTENÇÃO DE
AGLOMERADOS DE PARTÍCULAS DE PÓS FINOS DE ELEVADA
ESCOABILIDADE E COMPRESSIBILIDADE E COMPACTADOS SINTERIZADOS
DE ELEVADA POROSIDADE
RESUMO Aglomeração de materiais particulados por moagem de alta energia,
empregando‐se compostos orgânicos à base de ácido esteárico e/ou
estearatos visando a obtenção de aglomerados de partículas de pós
finos de elevada escoabilidade e compressibilidade e compactados
sinterizados de elevada porosidade. A invenção apresenta as seguintes
vantagens e novidades: a) não emprega o uso de qualquer tipo de
solvente, os quais são extremamente tóxicos e normalmente
inflamáveis, tal qual é o caso do metanol; b) constitui‐se no
desenvolvimento de uma técnica alternativa de aglomeração de pós
visando tanto o aumento da escoabilidade, da compressibilidade, bem
como da homogeneidade de misturas de pós de diferentes materiais,
apresentando potencialidade de aplicação na metalurgia do pó e junto
as técnicas de deposição por soldagem; c) pode‐se destacar como
novidade da invenção a utilização de compostos orgânicos a base de
ácido esteárico e/ou algum estearato como componente aglutinante,
pois tais compostos são comumente empregados como lubrificantes
sólidos no campo da Metalurgia do Pó e; d) uma outra novidade recai no
uso da técnica de moagem da alta energia, visando a obtenção de
produtos (misturas de pós) com elevada escoabilidade e/ou
compressibilidade, indicados na fabricação de componentes sinterizados
de elevada porosidade
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

135
INVENTOR(ES) Silvio Francisco Brunatto, Rafael Martinelli de Oliveira e Marcos
Gonçalves de Oliveira
Nº PROCESSO PI0600732‐5

DATA DEPÓSITO 03/03/2006

TÍTULO
SISTEMA DE AQUECIMENTO E UMIDIFICAÇÃO DE AR PARA VENTILAÇÃO
MECÂNICA DE PACIENTES DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
RESUMO Sistema de aquecimento e umidificação de ar para ventilação mecânica
de pacientes de unidade de terapia intensiva para acoplamento a
equipamentos de ventilação mecânica existentes (aparelhos de
respiração artificial), compostos por duas caixas de acrílico geminadas,
que são divididas em caixa superior de aquecimento e umidificação.
Realiza o condicionamento do ar que sai do ventilador mecânico através
dos controles de temperatura e umidade relativa do ar, via um
termostato e um umidostato, respectivamente, e em caixa inferior
reservatório de água, que armazena uma quantidade de água necessária
para umidificar o ar insuflado ao paciente
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Eliana Leal Ferreira, João Luiz Alves, José Viriato Coelho Vargas, Juan
Carlos Ordonez, Marcos Leal Brioschi e Marcos Carvalho Campos
Nº PROCESSO PI0601068‐7

DATA DEPÓSITO 31/03/2006

TÍTULO
PROCESSO ALTERNATIVO DE RECICLAGEM DE MOLIBDÊNIO, METAIS
REFRATÁRIOS E LIGAS VISANDO A PRODUÇÃO DE PÓS POR MOAGEM DE
ALTA ENERGIA
RESUMO A invenção apresenta as seguintes vantagens e novidades: a) a utilização
de uma técnica simples, no caso a técnica de moagem de alta energia,
para a reciclagem de materiais metálicos refratários visando a produção
de materiais particulados e/ou pós de metais, intermetálicos e/ou
cerâmicos para quaisquer quantidades, tipos, frações e distribuições de
tamanho de partículas, tanto a nível micrométrico como a nível
nanométrico; b) a presente invenção de reciclagem não encontra
concorrência quando comparada a outras técnicas de reciclagem, pois
apresenta‐se imbatível tanto a nível tecnológico quando como a nível
econômico, o que decorre do grande potencial de escala da invenção
proposta, a qual é diretamente relacionada com a diversidade,
quantidade e/ou volume de pós possíveis de serem fabricados por
reciclagem, aliando‐se a isso, ainda, a versatilidade e praticidade da
invenção ora proposta
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Silvio Francisco Brunatto e Herson Carlos Fuchs

136
Nº PROCESSO PI0602256‐1

DATA DEPÓSITO 31/05/2006

TÍTULO
TERMOMOLDAGEM DIRETA DE LAMINADOS COMPÓSITOS BASEADOS
EM AMIDO PLASTIFICADO COM GLIRECOL HIDRATADO RECUPERADO,
REFORÇADOS COM FIBRAS DE ORIGEM VEGETAL E/OU MINERAL
(BANANEIRA, CANA DE AÇÚCAR, LUFFA CYLINDRICA E DE FIBRAS DE
AMIANTO CRISOTILA)
RESUMO A presente patente tem por objetivo o desenvolvimento de técnica de
uso de agentes de reforço baseados em fibras vegetais/minerais e a
utilização de materiais poliméricos degradáveis de baixo custo, para o
setor de embalagens de maior valor agregado. O principal aspecto da
patente se refere ao processamento da massa polimérica, do
reaproveitamento de materiais residuais de outros processos industriais,
e do agente de reforço com a matriz polimérica, através de uma
interface química, que atua como "cola" e mantém o agente disperso e
firmemente ligado à matriz polimérica, condição ideal para otimização
das propriedades químicas e físicas resultantes
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) José Luis Guimarães, Kestur Gundappa Satyanarayana, Fernando Wypych


e Luiz Pereira Ramos
Nº PROCESSO PI0602428‐9

DATA DEPÓSITO 28/03/2006

TÍTULO
OBTENÇÃO IN‐SITU DE INTERMETÁLICOS NI/AL PELO PROCESSO DE
DEPOSIÇÃO POR PLASMA POR ARCO TRANSFERIDO
RESUMO Produção de ligas estáveis a altas temperaturas (até 1000ºC) e de
elevada dureza pela adição de 5 a 25% em peso de alumínio em uma liga
comercial a base de níquel da família Hastelloy C (Ni‐Cr‐Mo‐W‐Fe),
através da deposição pela técnica de plasma por arco transferido,
formando in‐situ, ou seja durante a deposição, intermetálico a base de
Ni/Al.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Ana Sofia Clímaco Monteiro de Oliveira e Veronica Alexandra Buss


Almeida
Nº PROCESSO PI0602756‐3

DATA DEPÓSITO 29/06/2006

137
TÍTULO
PROCESSOS DE TRATAMENTO DE SUPERFÍCIES EMPREGANDO A
CARBOXIMETILCELULOSE E/OU SEUS DERIVADOS
RESUMO Processos de tratamento de superfícies empregando a
carboximetilcelulose e/ou seus derivados, compreendendo a imersão de
substratos metálicos ou cerâmicos em soluções aquosas contendo
carboximetilcelulose, derivados da carboximetilcelulos e sais de metais
de transição; quaisquer ânions, e a CMC e /ou seus derivados no estado
sólido. Os substratos são introduzidos nas soluções para promover a
formação de camadas por via de reações químicas. As soluções e os
substratos podem ser submetidos, simultaneamente, à circulação de
corrente elétrica em condições de potenciais eletroquímicos controlados
para promover reações por via eletroquímica. Os substratos podem,
ainda, ser diretamente cobertos com sólidos CMC e/ou seus derivados.
As camadas de CMC e/ou seus derivados formados sobre os substratos
podem ser dopadas com sais de metais de transição. Após o
recobrimento com os filmes de CMC e/ou seus derivados, que se
formam após secagem natural ou forçada, os substratos são submetidos
à etapa do tratamento térmico em condições de atmosfera controlada e
de temperaturas controladas de até 1200 graus Celsius. O tratamento
térmico promove a vitrificação dos recobrimentos depositados e
apresentam propriedades de proteção, dos substratos, contra a
corrosão, resistência e ataques de ácidos inorgânicos extremamente
corrosivos, suas misturas, agentes redutores e a potenciais de oxidação‐
redução em toda a faixa de estabilidade eletroquímica da água e,
também, resistentes à abrasão
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Ana Lucia Ramalho Mercê, Ademir Carubelli e Volnei Gargioni.

Nº PROCESSO PI0602757‐1

DATA DEPÓSITO 29/06/2006

TÍTULO
CHUVEIRO PORTÁTIL PARA BANHO DE LEITO
RESUMO A presente invenção refere‐se a um chuveiro portátil manual para banho
de leito, e também para banho em pacientes em uso de cadeira de
rodas, com dificuldade em locomover‐se ou com dificuldade para
realizar a higienização. Poderá ser usado em ambiente hospitalar,
domiciliar, em asilos, unidades de saúde e em orfanatos. Os pacientes
acamados muitas vezes têm dificuldade para locomoção em situações
delicadas de saúde, seja por procedimento cirúrgico ou por idade
avançada. Esta invenção tem como objetivos: facilitar a assistência de
enfermagem aos pacientes acamados em domicílio, em hospitais e
asilos; promover a higienização dos pacientes de uma maneira segura e
higiênica; diminuir as doenças ocupacionais, como a lombalgia e
doenças osteoarticulares, pois facilitará também o trabalho da equipe
de enfermagem e dos cuidadores em domicílio. Os componentes deste
evento são descritos por uma bolsa plástica térmica transparente de
138
capacidade de 2,5 litros, com tampa de rosca na parte superior, uma
extensão de plástico de 1,30 metros com um chuveiro na extremidade e
um reservatório de 10 ml para sabonete líquido, com pequena extensão
acoplado na bolsa plástica, contendo uma presilha para liberação do
sabonete líquido
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Leila M.M. Sarquis

Nº PROCESSO PI0603740‐2

DATA DEPÓSITO 12/09/2006

TÍTULO
ADIÇÃO DE CARGAS LAMELARES COMO AGENTES RETARDANTES DE
CHAMA E/OU INIBIDORES DE FUMAÇA, EM POLÍMEROS VIRGENS OU
RECICLADOS, DE ORIGEM NATURAL E/OU SINTÉTICA
RESUMO A presente patente de produto e processo tem como objetivo o
desenvolvimento de materiais baseados nos hidróxidos duplos lamelares
e hidroxissais lamelares e utilização desses materiais na forma de pós,
como agentes retardantes de chama e/ou inibidores de fumaça, em
polímeros termoplásticos virgens ou reciclados e em polímeros
termorígidos, ambos de origem natural e/ou sintética. O principal
aspecto da patente visa a utilização de 1 a 10% (proporção de aditivo
seco em relação ao polímero, em massa), com o objetivo de produzir
materiais com as características desejadas, minimizando a perda da
propriedade mecânica do compósito resultante, além de minimizar o
descarte de polímeros e conseqüentemente, o impacto ambiental
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Fernando Wypych

Nº PROCESSO PI0604162‐0

DATA DEPÓSITO 29/06/2006

TÍTULO
USO DE MOLIBDATO DE SÓDIO NA TRANSESTERIFICAÇÃO DE ÓLEOS
VEGETAIS PARA A OBTENÇÃO DE ÉSTERES DE ÁCIDOS GRAXOS ATRVÉS
DE CATÁLISE HETEROGÊNEA
RESUMO Esta invenção trata da utilização do oxossal molibdato de sódio(
Na2MoO4) com catalisador heterogêneo para a transesterificação dos
triacilglicarídeos existentes nos óleos vegetais de oleaginosas, como a
soja para obtenção de ésteres metílicos e etílicos de ácidos graxos para
uso combustível – biodiesel. Além de facilitar o processo de tratamento
do produto obtido, a utilização deste catalisador sólido permite altos
rendimentos, redução do custo processual e menor geração de resíduos,
considerado sua capacidade de reutilização. A principal vantagem na
utilização deste catalisador está relacionada à baixa temperatura
139
empregada na reação, tempos reacionais relativamente pequenos, alto
grau de reciclabilidade de síntese do catalisador ou disponibilidade no
comércio, o que favorece a implementação de um processo industrial
técnica e economicamente viável
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Shirley Nakagaki, Fabio Souza Nunes, Luiz Pereira Ramos, Alessandro Bail
e Heron Vrubel
Nº PROCESSO PI0605499‐4

DATA DEPÓSITO 22/12/2006

TÍTULO TERMOMOLDAGEM DIRETA DE LAMINADOS COMPÓSITOS BASEADOS


EM TORTA DE RICINUS COMMUNIS (MAMONA) PLASTIFICADA COM
GLICEROL BRUTO RECUPERADO DO PROCESSO DE TRANSESTERIFICAÇÃO
DE ÓLEOS VEGETAIS, REFORÇADOS COM FIBRAS DE ORIGEM NATURAL

RESUMO A presente patente tem por objetivo o desenvolvimento dos processos de


termomoldagem direta de torta de mamona derivada do processo de
extração do óleo vegetal, plastificada com glicerol derivado do processo
de transesterificação de óleos vegetais (processo de fabricação do
biodiesel) e reforçada com fibras vegetais e/ou minerais e utilização
desses materiais no setor de embalagens, na confecção de objetos
decorativos e ornamentais, em peças moldadas para artesanato e usos
variados. O principal aspecto da patente se refere ao processo da massa
polimérica, do reaproveitamento de materiais residuais de outros
processos industriais e do agente de reforço com a matriz polimérica,
através de uma interface química, que atua como “cola” e mantém o
agente disperso e firmemente ligado à matriz polimérica, condição ideal
para a otimização das propriedades químicas e físicas resultantes
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) José Luis Guimarães, Kestur Gundappa Satyanarayana, Fernando Wypych,


Luiz Pereira Ramos e Ana Cristina Trindade Cursino
Nº PROCESSO PI0605742‐0

DATA DEPÓSITO 13/12/2006

TÍTULO DISPOSITIVO DE SEGURANÇA (INNING) PARA DEBELAÇÃO DE ASSALTOS


EM VEÍCULOS AUTOMOTORES

RESUMO O INNING é um dispositivo de segurança que aciona simultaneamente


dois ou quatro braços, controlado pelo motorista, visando desequilibrar
qualquer indivíduo que esteja no raio de ação dos braços, com o objetivo
de debelar‐se de situações de assalto. O acionamento dos braços é
efetuado por cilindros pneumáticos que atuam sobre mecanismos de
quatro barras, de forma a multiplicar o movimento por um fator de
vantagem mecânica. Os cilindros transferem para cada braço do
dispositivo, potência suficiente para vencer o atrito do calçado de uma

140
pessoa de até 800N (~81,6kg) com asfáltico, provocando o desequilíbrio e
até a queda da pessoa atingida
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Volnei Gargioni

Nº PROCESSO PI0605749‐7

DATA DEPÓSITO 14/12/2006

TÍTULO MÉTODO DE FABRICAÇÃO DE SUPERFÍCIES SUPER‐HIDROFÓBICAS


EMPREGANDO ELETROSPRAY

RESUMO Mais particularmente de método capaz de produzir uma camada de


politetrafluoroetileno (PTFE) microestruturada e/ou nanoestruturada
com propriedades super‐hidrofóbicas empregando preferencialmente a
técnica de eletrospray. A técnica de eletrospray, que é conhecida desde a
segunda década do século XX, consiste basicamente de um sistema de
bombeamento de líquido que alimenta um capilar metálico mantido com
uma diferença de potencial elevada em relação a um porta‐amostra. O
líquido empregado deve ser preferencialmente uma emulsão coloidal de
politetrafluoretileno (PTFE), também conhecido comercialmente como
Teflon, cujas partículas em suspensão tenham dimensões sub‐
micrométricas. Ao passar pelo capilar, o líquido é carregado
eletrostaticamente, formando uma gota deformada conhecida como
cone de Taylor, da extremidade da qual um jato líquido com diâmetro
micrométrico é ejetado. Devido ao acúmulo de cargas, este jato sofre
instabilidade e se subdivide em filamentos, que posteriormente se
subdividem em gotas devido à tensão superficial do líquido. Estas gotas,
que também têm dimensões micrométricas, ao perderem volume, sofrem
forças eletrostáticas internas que tendem a provocarem sua ruptura.
Quando a força eletrostática supera a tensão superficial novamente, as
gotas se rompem, formando uma nuvem de gotículas com dimensões
nanométricas. Ao se acumularem sobre um substrato aquecido, estas
gotas secam e formam uma camada que apresenta rugosidade que varia
de alguns nanômetros até alguns micrômetros. Após o tratamento
térmico que visa eliminar os solventes e agentes tenso‐ativos que
mantêm a solução coloidal de origem, a camada obtida apresenta
características super‐hidrofóbicas. A simplicidade do método proposto
está no fato de a camada obtida apresentar propriedades
superhidrofóbicas imediatamente após o tratamento térmico, enquanto
em toda a arte prévia a superfície ainda necessita tratamento
empregando laser ou plasma, para obtenção das características desejadas
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Ezequiel Burkarter, Cyro Ketzer Saul, Wido Heriwig Schreiner, Lucimara
Stolz Roman e Fabiano Tomazzi
Nº PROCESSO PI0606047‐1

141
DATA DEPÓSITO 22/12/2006

TÍTULO MÉTODO DE SÍNTESE DE NANOTUBOS DE CARBONO UTILIZANDO


ESPONJA DE LÃ DE AÇO COMERCIAL COMO CATALISADOR

RESUMO Esta invenção descreve a utilização de esponja de aço comercial (como


por exemplo, Bombril®) como catalisador na síntese de nanotubos de
carbono através da decomposição catalítica de hidrocarbonetos, visando
a obtenção destes materiais com custo reduzido.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Aldo José Gorgatti Zarbin e Humberto Koch Borges

Nº PROCESSO PI0701190‐3

DATA DEPÓSITO 11/06/2007

TÍTULO DISPOSITIVO EMISSOR DE LUZ COM BASE EM SILÍCIO POROSO


UTILIZANDO O ÓXIDO DE ESTANHO DOPADO COM FLÚOR (FTO) COM
ELETRODO TRANSPARENTE

RESUMO O silício é um dos materiais semicondutores mais utilizados na indústria


da microeletrônica; dispositivos de memória, transistores, diodos,
fotodetectores, células solares são fabricados com esse material. Apenas
diodos emissores de luz e lasers não são fabricados devido a
característica deste material não possuir luminescência na faixa da luz
visível. Este fato mudou quando o silício na forma porosa, contando com
nanoporos ou nanocristalitos, apresentou capacidade luminescente n
faixa da luz visível. A presente patente de invenção tem por objetivo o
dispositivo emissor de luz com base em Silício Poroso utilizando o óxido
de estanho dopado com flúor (FTO) com eletrodo. Este eletrodo mostrou‐
se mais adequado ao uso com silício poroso, pois através da criação de
uma camada passivante aumentou o tempo de vida dos diodos emissores
de luz baseados em silício poroso
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Lucimara Stolz Roman Rogério Valaski Antônio Ferreira da Silva Eronides
Felisberto da Silva Júnior
Elder Alpes de Vasconcelos
Andréia Gerniski Macedo
Nº PROCESSO PI0701232‐2

DATA DEPÓSITO 11/06/2007

TÍTULO USO DE PLASTIFICANTE ALTERNATIVO PARA POLI(CLORETO DE VINILA)

RESUMO A presente invenção descerve o processo de obtenção de filmes


plastificados de poli (cloreto de vinila), PVC, derivados modificados de
óleo de milho. As composições foram obtidas por calandragem e
142
posterior prensagem térmica. O teor de plastifcante incorporado foi de 0
a 100% (massa/massa) e foi observado um efeito plastificante similar ao
obtido com o plastificante comercial.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Sônia Faria Zawadzki


Tiago Hommerding Pedrozo
Luiz Pereira Ramos
Nº PROCESSO PI0701324‐8

DATA DEPÓSITO 11/06/2007

TÍTULO PRODUÇÃO DE RAMNOLIPÍDEOS POR FERMENTAÇÃO EM ESTADO


SÓLIDO

RESUMO A invenção refere‐se a um processo de fermentação no estado sólido


(FES) para produção de ramnolipídeos por cepas de Pseudomonas sp. O
processo de produção por FES é uma alternativa para a obtenção
biotecnológica desses importantes tensioativos, provendo uma forma de
se evitar a formação de espumas, além de diminuir os custos de produção
através da utilização de substratos de baixo custo. A invenção também
provê a extração, dosagem e purificação de ramnopolídeos produzidos
pela tecnologia de fermentação em estado sólido.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Nadia Krieger


David Alexander Mitchell
Doumit Camilios Neto Joel Alexandre Meira
Luiz Pereira Ramos
Nº PROCESSO PI0701366‐3

DATA DEPÓSITO 26/06/2007

TÍTULO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE ÉSTERES DE ÁCIDOS GRAXOS POR


CATÁLISE HETEROGÊNEA EMPREGANDO HIDRÓXIDOS DUPLOS
LAMELARES

RESUMO A presente invenção refere‐se ao uso de hidróxidos duplos lamelares


como catalisadores heterogêneos para reações de esterificação de ácidos
graxos e de transesierificação de óleos ou gorduras. Os agentes
supracitados são baseados nos sistemas conhecidos como hidróxidos
duplos lamelares (HDL), que possuem a fórmula genérica
([MII1.xMIIIx(OH)2][An‐]x/n.zH2O; onde MII (Mg, Ca, Sr, Mn, Fe, Co, Ni,
Cu e Zn) e MIII (Al, Cr, Fe), "x" entre 0,05 e 0,5 em qualquer proporção),
"z" entre zero B 2 e A‐n = Br‐, Cl‐, NO3‐, CO3 ‐2, SO4‐2, HPO4‐2, H2PO4‐ e
isopolianions e heteopolianions de metais de transição. Os catalisadores
serão sintetizados por precipitação química alcalina e/ou obtidos por
reações de troca iônica e serão utilizados assim que preparados e/ou

143
após aquecimento em temperaturas entre 50 e 500°C. Os catalisadores
serão adicionados ao meio reacional contendo o óleo (de origem vegetal)
e/ou gordura (de origem animal) e o álcool (metanol ou eíanol), em
proporção entre 1 e 30% em massa e em proporções variáveis de
óleo/gordura e álcool. As reações serão processadas em reatares
pressurizados ou não, sob condições que deverão ser otimizadas de
acordo com a matéria‐prima envolvida no processo.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Fernando Wypych


Luiz Pereira Ramos Claudiney Soares Cordeiro
Nº PROCESSO PI0702235‐2

DATA DEPÓSITO 08/08/2007

TÍTULO PROCESSO DE HIDRÓLISE PARCIAL CÍTRICA OU FOSFÓRICA DE INULINA


PARA A OBTENÇÃO DE FRUTOOLIGOSSACARÍDEOS ‐ FOS

RESUMO No campo técnico da química, compreendendo produtos definidos como


FOS‐frutooligossacarídeos e aplicáveis nas indústrias alimentícias e/ou
médico‐farmacêutica, veterinária e odontológica, incluindo o segmento
de suplementos e alimentos funcionais, mediante hidrólise parcial de
inulina e frutanas assemelhadas até FOS hidrossolúveis na faixa
preferencial de GP‐ grau de polimerização de 2 até 18 ou mais com
reduzido teor de frutose livre, usando como catalisadores de hidrólise os
ácidos cítrico e /ou fosfórico como alternativa aos ácidos clássicos
clorídrico ou sulfúrico e às enzimas microbianas, sendo que os
catalisadores ora propostos, mediante neutralização parcial ou simples
diluição dos hidrolisados, podem permanecer para os fins industriais a
que os mesmos se destinem ou alternativamente serem removidos
através de resinas trocadoras de íons ou outros meios e sendo ainda que
os ácidos cítrico e/ou fosfórico podem ser utilizados convenientemente
diluídos na hidrólise de modo a propiciar acidicidade moderada na faixa
de pH preferencial de 2,0 a 3,0 e a hidrólise ser conduzida em
temperaturas moderadas preferenciais na faixa de 75ºC a 90ºC por
tempos preferenciais de 5 até 30 minutos.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) José Domingos Fontana


Maurício Passos
Adelia Grzybowski
Nº PROCESSO PI0703206‐4

DATA DEPÓSITO 09/07/2007

144
TÍTULO PROCESSO TECNOLÓGICO PARA PRODUÇÃO DE UMA BEBIDA
FERMENTADA A BASE DE ÁGUA DE COCO COM PROPRIEDADES
PROBIÓTICAS

RESUMO Os produtos probióticos comercialmente disponíveis para uso humano


podem ser encontrados em preparações farmacêuticas, na forma líquida
ou liofilizada.Geralmente são vendidos como constituintes de alimentos
lácteos, principalmente os iogurtes e leites fermentados. Apesar dos
conhecidos efeitos benéficos destes alimentos, há pessoas que, por
razões de saúde ou da própria dieta alimentar, não consomem produtos a
base de leite de origem animal. Muitos têm alergia ou intolerância às
proteínas do leite e/ou à lactose. O elevado conteúdo de colesterol e a
intolerância à lactose são dois importantes obstáculos relacionados aos
produtos lácteos fermentados. Há também um constante aumento no
número de consumidores vegetarianos nos países desenvolvidos e,
consequentemente, um acréscimo na demanda de produtos probióticos
isentos de ingredientes de origem animal. Devido ao aumento anual da
produção de coco‐verde no Brasil é necessário buscar novas alternativas
para evitar a saturação do mercado consumidor de água de coco. Uma
forma de agregar valor à água de coco é sua utilização na produção de
uma nova bebida fermentada com bactérias probióticas, aliada ao
desenvolvimento de um novo alimento funcional de origem vegetal para
o consumo humano
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Carlos Ricardo Soccol Flávera Camargo Prado Jose Luis Parada

Nº PROCESSO PI0703244‐7

DATA DEPÓSITO 10/07/2007

TÍTULO PROCESSO DE SÍNTESE DE ÉSTERES COM LIPASES IMOBILIZADAS NO


SUBSTRATO SÓLIDO FERMENTADO

RESUMO A presente invenção refere‐se a um processo de síntese de ésteres


através de reações de esterificação, transesterificação (alcoólise e
acidólise) e interesterificação catalisado por lípases. O objetivo da
invenção é viabilizar a utilização de lipases para a produção de ésteres,
visto que o custo de obtenção de lipases ainda é alto. Neste processo as
lípases são produzidas por fermentação no estado sólido (FES) e o
substrato fermentado obtido (contendo a enzima e o microrganismo) é
adicionado diretamente ao meio reacional para catálise da reação,
eliminando as etapas de extração, purificação e imobilização da lípase.
Além disso, o custo de produção ainda é reduzido através da utilização de
resíduos agro‐industriais como substratos. Obtém‐se, portanto, uma
lípase imobilizada no próprio substrato e que pode ser reutilizada por
diversas vezes
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

145
INVENTOR(ES) Nadia Krieger
David Alexander Mitchell
Thaís Fabiana Chan Salum
Maria Luiza Machado Fernandes
Luiz Pereira Ramos
Emir Bolzani Saad
Nº PROCESSO PI0704791‐6

DATA DEPÓSITO 06/12/2007

TÍTULO FERTILIZANTE DE LIBERAÇÃO LENTA DE NITROGÊNIO PREPARADO COM


ARGILOMINERAIS DA FAMÍLIA DO CAULIM INTERCALADOS COM URÉIA E
DISPERSOS EM POLÍMEROS BIODEGRADÁVEIS

RESUMO A presente patente tem por objetivo o desenvolvimento dos processos de


intercalação de ureia em argilominerais da família do caulim, dispersão
do composto de intercalação em polímeros biodegradáveis de origem
natural, natural modifcado e/ou sintética e misturas destes em qualquer
proporção e desenvolvimento de um material granulado híbrido como
fertilizante de liberação lenta e controlada de nitrogênio, em aplicações
domésticas ou em larga escaia, em culturas variadas. O principal aspecto
da patente se refere ao processo de intercalação de ureia por processo
simples, geração de um matéria! que após dispersão em polímero e
obtenção de grânulos (ou partículas de diferentes formatos), gera um
fertilizante de liberação lenta de nitrogênio, o qual além de cumprir o seu
papel de fornecedor de um nutriente essencial para as plantas, não
agride o meio ambiente, sendo totalmente biodegradável. Alem da
utilização de uma tecnologia simples, produção de um material
biodegradável e de alto valor agregado, baseia‐se na utilização do caulim,
argilomineral muito abundante no país e de baixo valor agregado.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Fernando Wypych


Antônio Sálvio Mangrich
Cristiane Regina Budziak Fukamachi
Nº PROCESSO PI0705580‐3

DATA DEPÓSITO 08/08/2007

TÍTULO REUTILIZAÇÃO DE ANCORAGENS ATIVAS EM LAJES DE EDIFICAÇÕES


VERTICAIS DE MÚLTIPLO USO E/OU PISOS INDUSTRIAIS PROTENDIDOS

RESUMO O existente processo de protensão com aderência posterior está


desenvolvido com a utilização das ancoragens ativas imersas na massa do
concreto, ou seja permanentemente fazem parte do elemento estrutural.
O novo processo de protensão com aderência posterior e reutilização de
ancoragem ativa foi desenvolvido com o intuito de minimizar a utilização
de matéria prima na fabricação destas ancoragens e o consequente
impacto ambiental diretamente relacionado a este fato, garantindo,

146
sobretudo a qualidade técnica do sistema. A literatura científica nos
mostra diversas utilizações de processos em situações muito distintas,
entretanto o processo híbrido desenvolvido pode e deve ser considerado
como um novo processo, com uso continuado na construção civil
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Izan Gomes de Lacerda

Nº PROCESSO PI0705829‐2

DATA DEPÓSITO 08/10/2007

TÍTULO VÁLVULA SELETORA PARA MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA

RESUMO Válvula seletora que tem por objetivo oferecer ao condutor a


oportunidade de selecionar diretamente no painel, do veículo os valores
de potência e/ou consumo de combustível desejados, que será
diretameníe proporcional ao consumo de combustível. A escolha terá
dois parâmetros básicos no regime de funcionamento, que o motor do
veículo será submetido: modo convencional aspirado ou do modo turbo
alimentado
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Flávio Salmazo Neiva

Nº PROCESSO PI0705842‐0

DATA DEPÓSITO 08/10/2007

TÍTULO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE ÉSTERES DE ÁCIDOS GRAXOS POR


CATÁLISE HETEROGÊNEA EMPREGANDO HIDROXISSAIS LAMELARES

RESUMO A presente invenção refere‐se ao uso de hidroxissais lamelares como


catalisadores heterogéneos para reações de esterificação de ácidos
graxos e de transesterificação de óleos ou gorduras. Os agentes
supracitados são baseados nos sistemas conhecidos como hidroxissais
(HSL), que possuem a fórmula genérica M~ 2+~(OH)~ 2x~(A^ m‐^)~
x/mnH~ 2~O, onde M^ 2+^ é um cátion metálico (Mg^ 2+^, Ni^ 2+^, Zn^
2+^, Ca^ 2+^, Co^ 2+^, Cu^ 2+^ e Mn^ 2+^) ou misturas de até três
metais simultaneamente em qualquer proporção, "x" encontra‐se entre
0,3 e 1,0 em qualquer proporção, "z" entre zero e 2 em qualquer
proporção e A‐n corresponde a qualquer um dos ánions descritos a
seguir: CI^ ‐^, NO~ 3~^ ‐^, CO~ 3~^ 2‐^, SO~ 4~^ 2‐^ e CH~ 3~COO^ ‐^. Os
catalisadores são sintetizados por precipitação química alcalina e/ou
obtidos por reações de troca iônica e podem ser utilizados assim que
preparados e/ou após aquecimento em temperaturas entre 50 e 200°C.
Os catalisadores assim preparados atuam quando adicionados ao meio
reacional contendo o óleo (de origem vegetal) e/ou gordura (de origem
animal) e o álcool (metanol ou etanol), em proporção entre 1 e 30% em

147
massa (em base seca) e em proporções variáveis de óleo/gordura e
álcool. As reações podem ser processadas em reatores agitados,
pressurizados ou não, sob condições que deverão ser otimizadas de
acordo com a matéria‐prima envolvida no processo. Após imobilização
em materiais porosos de alta resistência, também poderão ser
empregados em reatores de leito fixo para a produção contínua
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná ‐ UFPR

INVENTOR(ES) Fernando Wypych

Nº PROCESSO PI0705995‐7

DATA DEPÓSITO 06/12/2007

TÍTULO QUANTIFICAÇÃO DE ADITIVO MELHORADOR DE CETANO PARA DIESEL


DE ORIGEM NITRADA

RESUMO Quantificação de aditivo melhorador de cetano para diesel de origem


nitrada, utilizando‐se a técnica de cromatografia gasosa com detector
ECD (Eletron Capture Detector) e a técnica de calibração externa,
utilizando‐se soluções de calibração com padrão do aditivo de origem
nitrada para montagem de uma curva de calibração externa, e posterior
cálculo da concentração em uma amostra de diesel comercial.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Tatiana Bittencourt de Souza, Carlos Itsuo Yamamoto, Lilian Cristina


Côcco e Mariana de Bittencourt Grötzner
Nº PROCESSO PI0800493‐5

DATA DEPÓSITO 04/03/2008

TÍTULO COMPRESSÃO DE DADOS ATRAVÉS DA CODIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO


EM GRANDES NÚMEROS

RESUMO Ou mais especificamente um algoritmo que é capaz de reduzir o espaço


ocupado por dados num determinado dispositivo pela aproximação de
números grandes. Números grandes são aqueles que precisam ser
expressos por mais que sessenta e quadro bits, encadeados de qualquer
maneira. Trata‐se de um algoritmo que poderá, através de vários
métodos matemáticos, encontrar um número que representa uma
informação reduzindo a quantidade de dados que a apresentava
originalmente. Atualmente os dados são encadeados em números de 8,
16, 32 e 64 bits são encontrados em praticamente todas as linguagens de
programação. Entretanto frequentemente os "grandes números" de
interesse desse método serão aqueles que tratam de um encadeamento
maior que 64 bits. Dentre as possibilidades de aproximação para esse
método de compressão de dados estão séries, somatórios, seqúências,
aproximações sucessivas até um grande número que é a representação
de uma seqúência de dados ou aproximações sucessivas. Envolvendo

148
operações matemáticas diversas, como somas ou subtrações
sequenciadas ou alternadas, que combinadas da forma adequada levarão
ao grande número desejado, aquele que representa a sequência de dados
originais.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Claudio Behling

Nº PROCESSO PI0800588‐5

DATA DEPÓSITO 04/03/2008

TÍTULO UTILIZAÇÃO DE DERIVADOS DO ESTEVIOSÍDEO COMO REGULADORES DE


CRESCIMENTO VEGETAL EM UVA

RESUMO Utilizam‐se dois reguladores de crescimento vegetal, obtidos a partir do


esteviosídeo. Esteviol e isoesteviol foram obtidos e testados "in vitro" e
"in vivo" em cultura de uva. Através de comparação de suas atividades
com o ácido giberélico, o regulador de crescimento vegetal comercial
mais utilizado para esta finalidade, verificou‐se que aqueles compostos
possuem atividade semelhante. Esteviol e isoesteviol podem, portanto,
substituir o ácido giberélico em suas aplicaçôes agricolas de regulação de
crescimento vegetal, principalmente em cultura de uva.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Brás Heleno de Oliveira / Júlio César Stiirmer / Ricardo Antônio Ayub

Nº PROCESSO PI0800602‐4

DATA DEPÓSITO 04/03/2008

TÍTULO MATERIAL PROMOTOR DE AGLUTINAÇÃO DE SUBSTÂNCIAS OLEOSAS


DISPERSAS MISTURADAS OU EMULSIFICADAS EM ÁGUA

RESUMO A presente invenção refere‐se mais particularmente a um material capaz


de aglutinar substâncias oleosas, como óleos vegetais e derivados de
petróleo , de forma a possibilitar sua separação na água. O material
aglutinador da presente patente de invenção apresenta característica
hidrofóbica ou super‐hidrofóbica em outra parte de sua área superficial e
característica hidrofílica ou super‐hidrofílica em outra parte de sua área
superficial. Estas característica podem ser intrínsecas do material do
substrato, de forma mutuamente exclusiva, ou obtidas mediante
tratamentos ou deposições de materiais apropriados. Dependendo da
densidade do substrato o presente material aglutinador pode submergir
ou manter submersa a substância oleosa aglutinada, no caso de
substratos mais densos que a água, ou manter flutuando ou fazer flutuar
a substância oleosa aglutinada, no caso de substratos menos densos que
a água.

149
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná

INVENTOR(ES) Cyro Ketzer Saul, Ezequiel Burkarter, Wido Herwig Schreiner, Lucimara
Stolz Roman, Fabiano Thomazzi, Leonardo Berlin Schneider
Nº PROCESSO PI0800800‐0

DATA DEPÓSITO 25/02/2008

TÍTULO GABINETE MODULAR TRIGERADOR DE ENERGIA

RESUMO Para geração de eletricidade, calor e frio simultaneamente, modular,


móvel e com potencial para uso em ambientes externos de forma
independente, visando atender situações onde existam as três demandas
simultâneas, como é o caso de localidades isoladas, supermercados,
hospitais, fazendas, catástrofes naturais (e.g., furacões, inundações) e
outras aplicações, sendo que o sistema trigerador propriamente dito é
composto por uma unidade de geração de eletricidade, UGE (1), uma
unidade de geração de vapor e aquecimento de água, UGVAA (2), e uma
unidade de refrigeração por absorção, URABS (3). A UGE (1) é composta
basicamente por um motor a combustão interna (4) e gerador (5), a
UGVAA (2) pelos trocadores de calor primário (6) e secundário (7), válvula
direcional mecânica de três vias (8) e a URABS (3) por um trocador de
calor regenerativo (9) e por um refrigerador de absorção (10).
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR) / Nilko Metalurgia Ltda (BR/PR)

INVENTOR(ES) Marcos Carvalho Campos / Jose Niriato Coelho Vargas / Ericson Dilay /
Julio Cesar Berndsen / Juan Carlos Ordóñez Ruiz / Fernando Gallego Dias /
Jose Alberto Dos Reis Parise / Frank Chaviano Pruzaesky
Nº PROCESSO PI0801402‐7

DATA DEPÓSITO 04/04/2008

TÍTULO BIORREATOR DO TIPO IMERSÃO POR BOLHAS PARA AS TÉCNICAS DE


MICROPROPAGAÇÃO VEGETAL

RESUMO Refere‐se a um biorreator do tipo de imersão por bolhas (BIB) para as


técnicas de micropropagação e cultura de células e tecidos vegetais. Além
de acelerar o processo de desenvolvimento, crescimento e multiplicação
das plantas de interesse agronômico constatam‐se outras vantagens do
equipamento em relação aos métodos tradicionais, tais como,
monitoramento e controle das condições de cultivo, adaptabilidade a
diversas espécies vegetais, uniformização da produção, simplicidade de
montagem, geração de explantes isentos de pragas, doenças e redução
do custo total por unidade produzida.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Carlos Ricardo Soccol, Gessiel Newton Scheidt e Radjiskumar Mohan

150
Nº PROCESSO PI0801454‐0

DATA DEPÓSITO 03/03/2008

TÍTULO PROCESSO DE PRODUÇÃO E QUANTIFICAÇÃO DE ESPOROS DO Bacillus


Atrophaeus UTILIZANDO RESÍDUOS E SUBPRODUTOS DO
PROCESSAMENTO DA SOJA E DA CANA‐DE‐AÇÚCAR

RESUMO A presente invenção refere‐se a um processo de produção e


quantificação de esporos e esporos termorresistentes do BaciIIus
atrophaeus utilizando resíduos e subprodutos do cultivo e do
processamento da cana‐de‐açúcar e da soja com aplicação na indústria
farmacêutica, na indústria de artigos médico‐hospitalares, laboratoriais e
odontológicos e nas indústrias de biotecnologia; na produção de
indicadores biológicos para esterilização, indicadores de determinação da
eficiência do tratamento da água de consumo ; de verificação da
integridade de embalagens flexíveis esterilizáveis; de avaliação da eficácia
de anti‐sépticos e esterilizantes químicos e no desenvolvimento e
validação de métodos de biossegurança contra armas biológicas, como
substituto ao Badilus anthracis, entre outras.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Sandra R. B. R. Sella / Carlos Ricardo Soccol

Nº PROCESSO PI0801567‐8

DATA DEPÓSITO 05/05/2008

TÍTULO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE REVESTIMENTO À BASE DE


NÍQUEL REFORÇADO POR INTERMETÁLICOS OBTIDO PELA TÉCNICA DE
DEPOSIÇÃO POR PLASMA COM ARCO TRANSFERIDO (PTA) QUE
PROTEGE EQUIPAMENTOS EXPOSTOS AO FENÔMENO DE
CARBURIZAÇÃO E EROSÃO METÁLICA

RESUMO Foi desenvolvido para obter um revestimento que barra a difusão do


carbono para o seu interior a temperaturas de até 900°C através da
modificação de uma liga à base de níquel que foi reforçada por
intermetálicos desenvolvimento in situ, O revestimento foi obtido a partir
de uma liga da família Hastelloy C à qual foi adicionada 24‐26%Al, em
peso, e procçssada pela técnica de Plasma com arco transferido. A liga
desenvolvida pode ser aplicada em tubulações de refinarias que operam
na pirólise de substâncias orgânicas a elevadas temperaturas, onde
componentes expostos a ambientes carburizantes ou sobre os quais
ocorre a deposição do coque
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Ana Sofia Clímaco Monteiro de Oliveira / Feliciano José Ricardo Cangue

151
Nº PROCESSO PI0802041‐8

DATA DEPÓSITO 10/04/2008

TÍTULO MICROPOSICIONADOR COM SEIS GRAUS DE LIBERDADE

RESUMO Microposicionador com seis graus de liberdade, composto por um cubo


de aço inoxidável, ao qual estão ligadas seis hastes de aço inox, que
possuem dois elos fracos cada uma, cujos movimentos apropriados
proporcionam movimentos de transiação e rotação. As hastes elásticas
permitem o movimento elástico do cubo, assegurando grande
estabilidade e repetitividade em aplicações que exigem grande precisão,
como alinhamento de componentes ópticos. A ausência de atuadores
mecânicos ou eletrônicos e a operação manual facilitam o seu uso. Esta
invenção também permite uma grande variedade de usos e de fixação de
amostras, de acordo com a necessidade do operador. Este dispositivo
mecânico é uma alternativa de baixo custo com alcance, acurácia,
resolução, repetitividade e estabilidade termo‐mecânica aos atuais
posicionadores existentes no mercado. A invenção possui as
características necessárias para o microposicionamento de componentes
nos setores científicos e industriais.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Cesar Cusatis / Kelin Regina Tasca / Douglas Sergey Domingues da Silva

Nº PROCESSO PI0802940‐7

DATA DEPÓSITO 30/06/2008

TÍTULO IMERSÃO DE VEGETAIS EM SOLUÇÃO CONTENDO ÁCIDOS ORGÂNICOS


E/OU SAIS DERIVADOS A FIM DE REDUZIR A ABSORÇÃO DE GORDURAS
DURANTE A FRITURA ULTERIOR

RESUMO Para a preparação de vegetais fritos, preferencialmente batatas em


palitos, com até 40% menos gordura absorvida na fritura (em massa de
gordura por massa de vegetal frito), os vegetais são imersos em solução
contendo ácidos orgânicos e/ou sais derivados, após terem passado por
qualquer tipo de processamento do tipo machucadura, como descasque,
corte, etc, e permanecem nesta solução, que deve estar idealmente à
temperatura 50 ou 85<198>C durante o tempo que se deseje, sendo o
ideal 5 minutos, após o qual os vegetais devem ser livrados da umidade
excessiva conferida pela imersão inerente ao processo e então fritos em
óleo, idealmente de origem vegetal, sendo que a fritura posterior dos
vegetais deve ser aplicada preferencialmente à cerca de 180 10<198>C
até cessar a formação de bolhas na superficie dos mesmos.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Felipe Richter Reis / Nina Waszczynskyj / Maria Lucia Masson

152
Nº PROCESSO PI0803284‐0

DATA DEPÓSITO 19/09/2008

TÍTULO DISPOSITIVO CALORIMÉTRICO PARA DETECÇÃO DE POLUENTES EM


ÁGUA

RESUMO Mais particularmente um dispositivo composto por diversos sistemas que


emprega o método calorimétrico para detectar a presença de poluentes
misturados ou emulsificados em água de recursos hídricos. O método de
detecção consiste em medir a temperatura do fluido na entrada de um
sistema fluídico, aquecê‐lo por intermédio de um elemento aquecedor, e
posteriormente medir a temperatura do fluido na saída. Desde que a
vazão do fluido e a potência transferida ao fluido sejam constantes e
preferencialmente conhecidas, a variação da temperatura entre a
entrada e a saída será proporcional ao inverso do produto entre a
densidade do fluido e seu calor especifico. Desta forma qualquer variação
na composição do fluido ao longo do tempo deverá provocar uma
flutuação na temperatura da saida. Esta flutuação apresenta uma
proporcionalidade com a quantidade do poluente misturado ou
emulsificado na água. Mesmo não sendo capaz de identificar a natureza
do poluente o dispositivo pode fornecer uma idéia da concentração e do
instante no tempo onde a alteração foi detectada. Desta forma o uso
adequado deste dispositivo no monitoramento de recursos hídricos
deverá permitir a detecção de vazamentos ou derrames de poluentes de
forma rápida, facilitando a atuação das agencias de controle ambiental
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Cyro Ketzer Saul / Sandro Vasconcelos

Nº PROCESSO PI0804413‐9

DATA DEPÓSITO 14/10/2008

TÍTULO EMBALAGENS CERÂMICAS COM O USO DE TAMPA COM ROSCA

RESUMO Processo de fabricação de embalagem do tipo frasco ou pote, para


envase de produtos em geral, com fechamento do tipo rosca, permitindo
o envase direto ou com refil, confeccionado em qualquer material
cerâmico, pela técnica de colagem por barbotina, utilizando‐se de moldes
de gesso confeccionados por prototipagem rápida.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Alice Maria Ribeiro da Silva / Virginia Souza de Carvalho Borges Kistmann

Nº PROCESSO PI0805081‐3

DATA DEPÓSITO 01/07/2008

153
TÍTULO PROCESSO PARA PRODUÇÃO DE BIOMASSA, PROTEÍNAS E LIPÍDIOS DE
MICROALGAS UTILIZANDO MANIPUEIRA COMO SUBSTRATO

RESUMO A presente invenção trata de um PROCESSO PARA PRODUÇÃO DE


BIOMASSA, PROTEÍNAS E LIPÍDIOS DE MICROALGAS UTILIZANDO
MANIPUEIRA COMO SUBSTRATO, o qual vantajosamente utiliza como
fonte de desenvolvimento das ditas microalgas os rejeitos da indústria de
processamento de mandioca, notadamente a manipueira. O processo de
acordo com a presente invenção compreende etapas básicas de
preparação da manipueira, adaptação e preparação do inóculo com a
microalga Chlorella minutissima DEB&B 013, cultivo da microalga em
condições controladas e utilização de ar suplementado ou não com CO2,
separação da biomassa algal para posterior processamento,
opcionalmente, recirculação da fase aquosa no processo até que se atinja
níveis de DQO e DBO aceitáveis pelas legislações ambientais.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Carlos Ricardo Soccol, Ivo Alberto Borghetti, Jorge Alberto Vieira Costa e
Julio César de Carvalho
Nº PROCESSO PI0805091‐0

DATA DEPÓSITO 17/11/2008

TÍTULO MÉTODO DE UTILIZAÇÃO DE LODO DE ETE PARA FABRICAÇÃO DE


NOVOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PROVENIENTE DE UMA
EMPRESA PRODUTORA DE PAPÉIS DECORATIVOS E TINTAS

RESUMO A patente refere‐se a composições e tecnologias de fabricação de novos


materiais como tijolos sem queima para a aplicação na construção civil, à
base de resíduos (lodos de ETE) de produção de papel decorativo, tintas e
vernizes com alto teor de umidade (usualmente 70% ou mais). O teor dos
lodos acima citados como componente principal de misturas iniciais pode
atingir o nível de 60% ou mais, dependendo da umidade dos lodos,
propriedades e percentagens dos outros componentes usados para
preparação destas misturas iniciais e das exigências às propriedades
mecânicas de materiais fabricados. Como componentes adicionais podem
ser usados cinza de combustível vegetal ou mineral. Para produção de
materiais semelhantes ao concreto como ligantes dos lodos podem ser
usados rejeitos de produção de cal ou cal de mercado ou escórias
siderúrgicas ou cimento Portland, de forma independente ou em
combinação
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Vsevolod Mymrine, Graciele Juliane Pereira Soylon e Urivald Pawlowski

Nº PROCESSO PI0805690‐0

DATA DEPÓSITO 18/12/2008

154
TÍTULO INCLINÔMETRO FOTO‐MECÂNICO

RESUMO O Inclinômetro Foto Mecânico é uma patente de invenção que consiste


de um equipamento destinado à mensuração indireta de descolamentos
bidimensionais correspondentes à variação de inclinação de obras de
engenharia tais como pontes, prédios, reservatórios de usinas, silos, etc..
Constitui‐se de um aparato mecânico composto de estrutura, elementos
fixadores, suportes, alavancas e um sensor óptico de movimento, este
último correspondente ao “mouse” comumente utilizado em
computadores e/ou jogos. Para uso correto o equipamento deve
obedecer a certos critérios de construção, para evitar influências da
variação da temperatura, e submeter‐se a um processo de calibração
antes de sua utilização, que poderá ser feita no mesmo local de
instalação. As determinações de movimentação são relativas a um dado
momento inicial e podem ser obtidas a intervalos constantes por um
determinado período. Pode‐se ainda determinar que as observações só
sejam obtidas por ocasião do evento do movimento. Um sistema de
observação é constituído pelo Inclinômetro Foto Mecânico propriamente
dito e um computador que decodifica os pulsos emitidos pelo sensor de
movimento, armazena em arquivos de formato adequado e disponibiliza
as informações via Internet (se disponível) para análise remota,
dispensando a necessidade de permanência do observador no local.
Podem‐se conectar diversos inclinômetros a um único computador
formando uma bateria de instrumentos individualmente identificados
observando uma única obra se necessário.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Paulo César Krelling

Nº PROCESSO PI0805698‐6

DATA DEPÓSITO 18/12/2008

TÍTULO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE ÉSTERES DE ÁCIDOS GRAXOS POR


CATÁLISE HETEROGÊNEA EMPREGANDO CARBOXILATOS METÁLICOS
LAMELARES

RESUMO A presente invenção refere‐se ao processo de obtenção de ésteres de


ácidos graxos por catálise heterogênea empregando carboxilatos
metálicos lamelares cuja fórmula genérica seja My+(carboxilato)yzH20,
onde My+ é um cátion metálico divalente(Zn, Mn, Fe, Co, Ni, Cu, Al, ou
Sn), o carboxilato é um ânion derivado de ácidos graxos saturados ou
insaturados, com número de átomos de carbono da cadeia variando de
n=8 a 22 e derivados de fontes lipídicas(óleos vegetais e gorduras
animais) e z variável. Os catalisadores são sais insolúveis em água de
origem sintética, derivados da precipitação química de um ácido graxo a
partir de sua neutralização com uma solução alcoólica de um sal
inorgânico contendo o metal específico ou, alternativamente,
sintetizados in situ pela adição, no meio onde será processada a reação
155
de esterificação, de um hidroxissal lamelar, hidróxido duplo lamelar ou sal
inorgânico que contenham o cátion de interesse. Os materiais
sintetizados externamente ao meio reacional podem ser utilizados assim
que preparados e/ou após aquecimento em temperaturas entre 50 e
150ºC. Os catalisadores assim preparados atuam quando adicionados ao
meio reacional contendo o óleo (de origem vegetal) e/ou gordura (de
origem animal) e o álcool (metanol ou etanol), em proporção de 1 a 20%
em massa (base seca) e em proporções variáveis de óleo/gordura e
álcool. As reações podem ser processadas em reatores agitados
pressurizados ou não, sob condições que deverão ser otimizadas de
acordo com a matéria‐prima envolvida no processo. Após imobilização
em materiais porosos de alta resistência, também poderão ser
empregados em reatores de leito fixo para a produção contínua.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fernando Wypych, Luiz Pereira Ramos, Claudiney Soares Cordeiro

Nº PROCESSO PI0805712‐5

DATA DEPÓSITO 14/07/2008

TÍTULO COMPÓSITOS MULTIFUNCIONAIS OBTIDOS A PARTIR DE INTERCALAÇÃO


DE CORANTES ANIÔNICOS EM HIDRÓXIDOS DUPLOS E HIDROXISSAIS
LAMELARES E DISPERSOS EM POLÍMEROS

RESUMO A presente invenção refere‐se ao uso de hidróxidos duplos e hidroxissais


lamelares, na formulação de materiais multifuncionais poliméricos. Os
hidróxidos duplos lamelares de fórmula genérica ([MII1‐xMIIIx(OH)2][An‐
]x/n.zH2O; onde MII (Mg, Ca, Sr, Mn, Fe, Co, Ni, Cu e Zn) e MIII (Al, Cr, Fe),
“x” entre 0,05 e 0,5 em qualquer proporção), “z” entre zero e 2 e A‐n
corresponde a qualquer corante aniônico natural e/ou sintético e os
hidroxissais lamelares, de fórmula genérica MII(OH)2‐x(Am‐)x/m•nH2O,
onde MII é um cátion metálico (Mg, Ni Zn, Ca, Co, Cu e Mn) ou misturas
de até três metais simultaneamente em qualquer proporção, os valores
de “x” encontram‐se entre 0,3 e 1,0 em qualquer proporção, “z” entre
zero e 2 em qualquer proporção e A‐n corresponde a um corante
aniônico. Os materiais resultantes da intercalação serão dispersos na
matriz polimérica virgem e/ou reciclável, na proporção de 0,1 a 10% em
peso, atribuindo novas multifuncionalidades ao polímero como:
coloração, melhora das propriedades mecânicas, proteção da radiação
ultravioleta, resistência à temperatura de decomposição, retardância de
propagação de chama, entre outras propriedades funcionais importantes
e desejáveis.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fernando Wypych, Antônio Sálvio Mangrich, Cristiane Regina Budziak


Fukamachi
Nº PROCESSO PI0805964‐0

156
DATA DEPÓSITO 19/09/2008

TÍTULO COMPOSIÇÃO VACINAL PARA PIODERMITE CANINA, MÉTODO DE


VACINAÇÃO PARA PIODERMITE CANINA E USO DE TOXÓIDES DE
STAPHYLOCOCCUS INTERMEDIUS

RESUMO A presente invenção situa‐se no campo da biotecnologia e diz respeito a


uma composição vacinal e a um método de vacinação para prevenção ou
tratamento de quadros de piodermite canina. A referida composição
compreende toxóides da bactéria S. intermedius, compostos adjuvantes e
carreadores, veículos ou excipientes farmaceuticamente aceitáveis. Além
disso, a invenção descreve o uso de toxóides de S. intermedius para
preparação de um medicamento para prevenção ou tratamente de
quadros de piodermite canina.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Cybelle de Souza, Jorge Victor Bacila Agottani e José Francisco Warth

Nº PROCESSO PI0900592‐7

DATA DEPÓSITO 19/02/2009

TÍTULO DESENVOLVIMENTO DE UMA SOLUÇÃO NUTRITIVA PREPARADA A BASE


DE VINHAÇA

RESUMO A presente patente de invenção refere‐se à utilização da vinhaça como


fertilizante, através da hidropônia e/ou fertirrigação, sendo que a solução
nutritiva à base de vinhaça representa efeitos positivos sobre a
produtividade agrícolas, tornando‐se eficaz o uso deste subproduto
agroindustrial. Em contrapartida, a vinhaça proporciona boas
quantidades de nitrogênio, fósforo e principalmente potássio que é o
nutriente extraído do solo. Portanto, dentre as inúmeras vantagens
destaca‐se, a produção de alimento, bem como o uso total desse resíduo
agroindustrial.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Carlos Ricardo Soccol, Gessiel Scheidt e José Darcy dos Santos

Nº PROCESSO PI0900621‐4

DATA DEPÓSITO 19/02/2009

TÍTULO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE ÉSTERES DE ÁCIDOS GRAXOS POR


TRANSESTERIFICAÇÃO M(ETÍLICA) DE ÓLEOS E GORDURAS,
EMPREGANDO CARBOXILATOS METÁLICOS LAMELARES

RESUMO A presente invenção refere‐se ao uso de carboxilatos lamelares, de


metais divalentes e trivalentes (Al+3, Mg+2, Ca+2, Zn+2, Mn+2, Fe+3,

157
Co+2, Ni+2, Cu+2, Sn+2 ou La+3), como catalisadores heterogêneos para
reações de transesterificação de óleos vegetais e gorduras animais,
empregando mono‐álcoois e/ou poli‐álcoois para a produção de uma
variedade de produtos (ésteres graxos). Os carboxilatos utilizados são
derivados de ácidos graxos saturados ou insaturados, com número de
átomos de carbono da cadeia variando de n = 8 a 22. O emprego destes
catalisadores permite a simplificação do processo de produção dos
ésteres graxos supracitados, a partir de misturas álcool:óleos e/ou
gorduras com diferentes razões molares. Uma grande vantagem é a
diminuição das operações unitárias do processo, principalmente aquelas
envolvidas na separação e/ou reciclagem do catalisador, purificação de
co‐produtos e possibilidade de utilização de álcoois hidratados no
processo. Os catalisadores ou precursores são adicionados ao meio
reacional contendo os triacilgliceróis (gorduras de origem animal e/ou
óleos vegetais) e o álcool (que poderá ser um mono‐álcool ou poli‐álcool),
em proporções variáveis em massa e em quantidades variáveis de
triacilgliceróis e álcool, podendo o álcool ser anidro ou hidratado. As
reações podem ser processadas em reatores agitados, pressurizados ou
não, sob condições que deverão ser otimizadas de acordo com a matéria‐
prima envolvida no processo. Os catalisadores poderão ser reutilizados de
modo quantitativo, após lavagem com solventes orgânicos e secagem
e/ou ativação em estufa
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fernando Wypych, Claudiney Soares Cordeiro, Luiz Pereira Ramos e Fábio
da Silva Lisboa
Nº PROCESSO PI0901072‐6

DATA DEPÓSITO 17/03/2009

TÍTULO DISPOSITIVO SENSOR DE GASES CONSTRUIDO COM NANOTUBOS DE


CARBONO PREENCHIDOS

RESUMO Estudos recentes comprovam que os nanotubos de carbono apresentam


variações em sua resistência elétrica ao entrarem em contato com alguns
tipos de gases orgânicos, possibilitando a identificação da presença
destes. Entretanto, a intensidade da variação deste é de difícil detecção.
A possibilidade de obtermos nanotubos de carbono preenchidos com
outros materiais permite acrescentar novas propriedades para construir
sensores sensíveis tanto aos gases que interagem com os nanotubos de
carbono quanto aos gases que interagem com o preenchimento do
nanotubo, facilitando assim a capacidade deste dispositivo detectar
diferentes gases. A construção de um dispositivo planar utilizando
nanotubos de carbono preenchidos entre contatos metálicos, se mostrou
um eficiente detector de vários gases por ser rápido, reversível e não
degradável, sobretudo com um baixo custo de produção.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Lucimara Stolz Roman, Aldo José Gargatti Zarbin, Marcela Mnohallem
Oliveira e Carlos Eduardo Cava
158
Nº PROCESSO PI0901075‐0

DATA DEPÓSITO 17/03/2009

TÍTULO PRODUÇÃO DE EXTRATO SECO PADRONIZADO DE MUCUNA PRURIENS


PARA UTILIZAÇÃO EM TRATAMENTO DA DOENÇA DE PARKINSON

RESUMO É produzido um extrato seco padronizado a partir de sementes de


Mucuna pruriens contendo levodopa. Esta substância é utilizada em
preparações farmacêuticas para o tratamento da doença de Parkinson. A
extração é feita utilizando apenas água como líquido extrator e as
condições de extração são otimizadas utilizando planejamento
multifatorial de experimentos. O extrato seco final é obtido pela
eliminação da água através de atomização (“spray‐drying”) utilizando
parâmetros adequados para a preservação do princípio ativo. O extrato
seco obtido tem seu teor de levodopa determinado através de
metodologia analítica validada o qual pode então ser formulado de
maneira a permitir a dosagem adequada para administração a pacientes
portadores da doença de Parkinson
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Brás Heleno de Oliveira e Elisa Perez

Nº PROCESSO PI0901077‐7

DATA DEPÓSITO 13/03/2009

TÍTULO MATERIAL SORVENTE PARA PETRÓLEO, DERIVADOS, ÓLEOS VEGETAIS


OU MINERAIS COMPOSTO À BASE DE PELO DE CACHORRO

RESUMO A presente invenção trata de um MATERIAL SORVENTE PARA PETRÓLEO,


DERIVADOS, ÓLEOS VEGETAIS OU MINERAIS COMPOSTO À BASE DE PELO
DE CACHORRO com capacidade para limpar águas contendo essas
substâncias em pequenas ou grandes concentrações e também, capaz de
absorver esses produtos na ausência de água. A grande maioria dos
sorventes naturais usados na mitigação de derramamentos de óleos e
hidrocarbonetos disponíveis no mercado são importados e, em geral,
absorvem muita água. A presente invenção apresenta um novo material
composto à base de pelo de cachorro com capacidade de limpar águas
oleosas (óleos animais, vegetais ou minerais) ou contendo contaminantes
como tolueno, benzeno, etilbenzeno ou xileno através do uso de colunas
de adsorção (Figura 1) e de executar sorção em meio seco ou aquoso
comparável aos materiais sintéticos e superior às turfas, material vegetal
usado hoje comercialmente, sendo no entanto o pelo de cachorro um
material natural de fonte renovável e biodegradável. Constitui um
material para o setor da química ambiental e da engenharia ambiental
que apresenta baixa sorção de água e alta seletividade por óleos, não
sendo tóxico se incinerado após seu uso.

159
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Thais H. Sydenstricker Flores‐Sahagun, Larissa Perotta, Kestur Gundappa


Satyanarayana e Lucas Pereira dos Santos
Nº PROCESSO PI0901585‐0

DATA DEPÓSITO 29/04/2009

TÍTULO PROCESSO DE INTERCALAÇÃO MECANOQUÍMICA DE URÉIA EM


ARGILOMINERAIS DA CLASSE DO CAULIM

RESUMO A presente invenção refere‐se ao uso do produto de intercalação de uréia


em argilominerais da classe do caulim pelo método mecanoquímico,
como fonte controlada de nitrogênio não protéico como suplemento
alimentar na dieta de animais ruminantes. As principais vantagens são
relacionados com o método simples de preparação do suplemento
alimentar, a facilidade da ingestão pelos animais, a liberação controlada
da uréia, a facilidade de controle de superdosagem e a contrapartida
oferecida pela matriz do caulim, a qual é liberada após o consumo da
uréia. À exemplo do ser humano, o caulim pode atuar como antidiarreico,
protetor gastrointestinal, antiinflamatório, antiácido, adsorvente de
toxinas, entre outros e será eliminado posteriormente nas fezes dos
animais. A uréia após metabolização pelo animal é responsável por
ganhos de massa protéica e aumento de produtividade, no caso de
animais produtores de leite.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fernando Wypych e Antonio Sálvio Mangrich

Nº PROCESSO PI0903098‐0

DATA DEPÓSITO 13/03/2009

TÍTULO PROCESSO E APLICAÇÃO DE DERIVADOS BUTILADOS E BURITILADOS DE


TERPENÓIDES NATURAIS COMO MENTOL E MENTONA PRESENTES NO
ÓLEO DE HORTELÃ COMO REPELENTES E/OU DESALOJANTES PARA
INSETOS E ARANHAS, ESPECIALMENTE PARA A ARANHA‐MARROM

RESUMO A presente patente de invenção (PI), nas áreas de conhecimento de


Química e Saúde Pública, trata da exploração de terpenos naturais tais
como o mentol e mentona presentes nos óleos de hortelã, conveniente e
quimicamente modificados pela introdução de radicais butila e butirila
para o controle populacional de aranhas e particularmente da aranha‐
marrom ou Loxosceles spp. mediante o conhecido mecanismo de
repelência e efeito desalojante.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Francisco Assis Marques, José Domingos Fontana, Carlos Delay e Eduardo
Novaes Ramires

160
Nº PROCESSO PI0903138‐3

DATA DEPÓSITO 25/02/2009

TÍTULO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE ÉSTERES DE ÁCIDOS GRAXOS POR


TRANSESTERIFICAÇÃO M(ETÍLICA) DE ÓLEOS E GORDURAS
EMPREGANDO GLICEROLATOS DE METAIS

RESUMO A presente invenção refere‐se ao uso de glicerolatos cuja fórmula geral


seja My+(C3H7O3)y.zH2O ou My+(C3H6O3)y/2.zH2O, onde My+ é um
cátion metálico de metais divalentes e trivalentes (Ba+2, Mg+2, Ca+2,
Zn+2, Mn+2, Co+2, Ni+2, Cu+2, Sn+2, Al+3, Fe+3 ou La+3), C3H6O3‐2 e
C3H7O3‐1 são os ânions derivado do glicerol e “z” variável, como
catalisadores heterogêneos para reações de transesterificação de óleos
vegetais e gorduras animais, empregando mono‐álcoois e/ou poli‐álcoois
para a produção de uma variedade de produtos (ésteres graxos). Os
glicerolatos (mono e di) utilizados são derivados do glicerol, co‐produto
da reação de transesterificação de óleos vegetais e/ou gorduras animais.
O emprego destes catalisadores permite a simplificação do processo de
produção dos ésteres graxos supracitados, a partir de misturas
álcool:óleos e/ou gorduras com diferentes razões molares. Uma grande
vantagem é a sua alta atividade catalítica, a diminuição das operações
unitárias do processo, principalmente aquelas envolvidas na separação
e/ou reciclagem do catalisador, purificação de co‐produtos, além da
possibilidade de se utilizar álcoois hidratados no processo. Os
catalisadores ou precursores são adicionados ao meio reacional contendo
os triacilgliceróis (gorduras de origem animal e/ou óleos vegetais) e o
álcool (que poderá ser um mono‐álcool ou poli‐álcool), em proporções
variáveis em massa e em quantidades variáveis de triacilgliceróis e álcool,
podendo o álcool ser anidro ou hidratado. As reações podem ser
processadas em reatores agitados, pressurizados ou não, sob condições
que deverão ser otimizadas de acordo com a matéria‐prima envolvida no
processo. Os catalisadores poderão ser reutilizados de modo
quantitativo, após lavagem com solventes orgânicos e secagem em estufa
ou reciclados após calcinação ao ar.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fernando Wypych e Fabio da Silva Lisboa

Nº PROCESSO PI0903792‐6

DATA DEPÓSITO 14/09/2009

TÍTULO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE NANOCOMPÓSITOS POLIMÉRICOS


UTILIZANDO NANOFIBRAS DE CELULOSE COMO AGENTE DE REFORÇO

RESUMO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE NANOCOMPÓSITOS POLIMÉRICOS


UTILIZANDO NANOFIBRAS DE CELULOSE COMO AGENTE DE REFORÇO. A
presente invenção refere‐se ao processo de desenvolvimento de

161
materiais nanocompósitos poliméricos reforçados com nanofibras de
celulose. As matrizes utilizadas vão desde polímeros de origem natural ou
sintética, virgens ou reciclados, sendo que a compatibilização do agente
de reforço com o polímero se dá por modificação química das suas
superfícies. Os nanocompósitos obtidos com o amido plastificado,
utilizando baixos teores de agentes de reforço, possuem propriedades
químicas, físicas e mecânicas superiores ao amido plastificado puro,
sendo próximas às propriedades de alguns polímeros de origem fóssil, o
que irá permitir a sua ampla utilização médica, doméstica e industrial. No
caso das matrizes de origem natural, além das características renováveis,
os nanocompósitos se apresentam totalmente biodegradáveis e não
tóxicos, o que representa um excelente avanço na proteção do meio
ambiente, na eventual necessidade de seu descarte, e que permite a sua
ampla utilização em processos baseados em tecnologias ambientalmente
sustentáveis
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fernando Wypych, Luiz Pereira Ramos e Marco Aurélio Woehl

Nº PROCESSO PI0903868‐0

DATA DEPÓSITO 10/06/2009

TÍTULO COMPOSIÇÕES POLIMÉRICAS FOTOLUMINESCENTES, BLENDAS


POLIMÉRICAS FOTOLUMINESCENTES, VERNIZ FOTOLUMINESCENTE,
PROCESSOS DE PREPARAÇÃO E USO DOS MESMOS

RESUMO COMPOSIÇÕES POLIMÉRICAS FOTOLUMINESCENTES, BLENDAS


POLIMÉRICAS FOTOLUMINESCENTES, VERNIZ FOTOLUMINESCENTE,
PROCESSOS DE PREPARAÇÃO E USO DOS MESMOS
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Leni Campos Akcelrud, Tito José Bonagamba, Francisco Eduardo Gontijo
Guimarães, Tereza Dib Zambon Atvars e José Roberto Tozoni
Nº PROCESSO PI0903993‐7

DATA DEPÓSITO 06/10/2009

TÍTULO PROCESSO PARA ELIMINAÇÃO DOS OLIGOSSACARÍDEOS DA FAMÍLIA DE


RAFINOSE DE FEIJÃO E OUTRAS LEGUMINOSAS

RESUMO A presente invenção trata de PROCESSO PARA A ELIMINAÇÃO DOS


OLIGOSSACARÍDEOS DA FAMÍLIA RAFINOSE DE FEIJÃO E OUTRAS
LEGUMINOSAS, o qual descreve um método para a redução dos
Oligossacarídeos da Família Rafinose (OFR), causadores da flatulência,
presentes em feijão (Phaseolus vulgaris) e outras leguminosas. O
processo é realizado através da fermentação da leguminosa com uma o
mais bactérias ácido lácticas selecionadas. Os grãos das leguminosas
podem ser macerados (6‐24 horas), cozidos (80‐120oC/15‐120 min) e

162
triturados ou não juntamente com o caldo. A fermentação láctica pode
ocorrer entre 25‐45oC por 6‐72 horas. O produto pode ser condimentado
e envasado assepticamente ou desidratado para uso posterior.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Carlos Ricardo Soccol, José Luiz Parada e Caroline Tiemi Yamaguishi

Nº PROCESSO PI0904682‐8

DATA DEPÓSITO 10/06/2009

TÍTULO PROCESSO DE MODIFICAÇÃO DE ARGILOMINERAIS DO GRUPO DA


CAULINITA A FIM DE COMPATIBILIZAR SEU USO COMO AGENTES DE
REFORÇO OU CARGA MINERAL EM (NANO) COMPÓSITOS COM
POLÍMEROS ORGÂNICOS

RESUMO A presente invenção refere‐se aos processos de modificação da estrutura


e/ou morfologia e/ou características e/ou propriedades superficiais e/ou
interlamelares de argilominerais do grupo da caulinita ou argilas
contendo estes minerais a fim de serem estes materiais modificados,
utilizados na obtenção de compósitos com polímeros orgânicos. A
modificação destes agentes de reforço ou cargas minerais pode alterar
suas interações com polímeros orgânicos, compatibilizando seu uso em
(nano)compósitos. Estes materiais assim obtidos podem apresentar
características físico‐químicas ou propriedades mecânicas diferenciadas
em relação aos materiais que seriam obtidos sem os uso dos minerais ou
com o uso dos minerais sem modificação. Há a possibilidade de melhorar
significativamente propriedades tais como resistência mecânica,
resistência à permeabilidade gasosa, durabilidade, resistência à
degradação térmica, entre outras. Estes compósitos podem apresentar
valor agregado muito superior aos polímeros de origem, sendo utilizados
em aplicações das mais diversas, incluindo as de alta‐tecnologia. A
agregação de valor também se dará aos minerais modificados, abrindo
novas possibilidades de comercialização a matérias primas tidas,
normalmente, como de baixo custo. As imensas reservas naturais
nacionais e a elevada produção, consumo interno e exportação de argilas
do grupo da caulinita conferem a esses processos e a esta invenção um
valor estratégico para as indústrias mineral e de transformação e também
de química fina e aplicada nacionais
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fernando Wypych e José Eduardo Ferreira da Costa Gardolinski

Nº PROCESSO PI0905454‐5

DATA DEPÓSITO 07/12/2009

163
TÍTULO PROCESSO DE ESTIMULAÇÃO DO CRESCIMENTO VEGETAL COM
UTILIZAÇÃO DE POLISSACARÍDEOS

RESUMO A presente invenção trata de um PROCESSO DE ESTIMULAÇÃO DO


CRESCIMENTO VEGETAL COM UTILIZAÇÃO DE POLISSACARÍDEOS que
possibilita o aumento significativo da taxa de multiplicação vegetal in
vitro, através do uso de polissacarídeos, incluindo os do grupo das
galactomananas e compreende a substituição parcial da quantidade de
ágar usualmente utilizada no meio de cultura. O processo inventado
ainda possibilita a aceleração do crescimento de plantas, através do
tratamento com soluções contendo polissacarídeos extraídos a partir de
sementes, incluindo as de guapuruvu
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Adaucto Bellarmino de Pereira Neto e Joana Léa Silveira

Nº PROCESSO PI0905457‐0

DATA DEPÓSITO 07/12/2009

TÍTULO BLOCO 2.0: MULTIFUNCIONAL PARA CONSTRUÇÃO CIVIL

RESUMO A presente patente refere‐se a um bloco estrutural multifuncional e


flexível para construção civil que é compreendido por um bloco de
construção com cinco faces 1, espaço interior 2, orifícios 3, para fixação
de buchas 5, que suportam parafusos 4, responsáveis pela fixação da
moldura 6; a moldura 6, parte opcional, possui um mecanismo de fixação
que permite acoplar diferentes objetos, no caso da figura uma porta de
armário 8. Existe também outras possibilidades de aplicações, como por
exemplo, gancho 9, jarra 10, prateleira 11, apoio para beliche 12, multi‐
apoio 13, luminária 14, entre outros por exemplo armário e divisor de
espaço
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fabian Gatermann

Nº PROCESSO 01500001369

DATA DEPÓSITO 25/05/2010

TÍTULO SISTEMA MODULAR PARA CONSTRUÇÃO CIVIL

RESUMO A presente invenção trata de alternativa tecnológica para a construção de


paredes ‐ sejam elas estruturais ou apenas de vedação ‐ com painéis
construídos com peças curtas de madeira maciça, ou seja, peças de
pequenas seções transversais (3 x 10 cm) e comprimentos (61,5 cm no
máximo). As vantagens deste sistema podem ser assim enumeradas: 1‐)
com apenas 4 tamanhos de painéis é possível fechar um grande numero
de vãos tanto horizontalmente (diferentes longitudes ou vãos) quanto

164
verticalmente (alturas diferentes de pé‐direito) Esse princípio aditivo
permite que haja variedade, diferentemente do que geralmente acontece
em construções com painéis, em que se fica limitado à largura e altura do
painel como definidores das larguras e alturas dos espaços. Esse é o
grande diferencial deste produto; 2‐) os componentes serão
preferencialmente construídos com madeira maciça – que se trata de
material renovável – mas podem também ser construídos com madeira e
gesso ou com qualquer outro material, contanto que as dimensões sejam
mantidas; 3‐) as peças, por serem pequenas e leves, podem ser
transportadas por veículos domésticos e montadas na obra por qualquer
pessoa.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Andrea Berriel Mercadante Stinghen, Setsuo Iwakiri, Emerson José Vidigal

Nº PROCESSO 01500002215

DATA DEPÓSITO 24/08/2010

TÍTULO PROCESSO DE OBTENÇÃO E USO DOS COMPONENTES E PRODUTOS


ORIGINÁRIOS DA PLANTA DA ESPÉCIE ROUREA INDUTA PLANCH: VAR
INDUTA

RESUMO A presente patente de invenção refere‐se a um estudo científico inédito


por identificar as propriedades medicinais, nutricionais, farmacêuticas,
cosméticas, microbiológicas, alelopáticas, imunológicas, anti‐
inflamatórias, antiparasitárias, anti T. cruzi, antioxidante no campo
humano, veterinário e ambiental da espécie Rourea induta Planch var.
induta, família Connaraceae. Está relacionada ao processo de obtenção e
uso humano, veterinário e ambiental de sumos, extratos, da seiva, da
tintura, dos óleos, essências, do infuso, do decocto, da massa e do pó em
suas frações e sub‐frações dos componentes e produtos deles derivados
de folhas, caule, casca, flores, frutos, raízes e sementes da Rourea induta
Planch var. induta, família Connaraceae. A invenção está relacionada
também às formas farmacêuticas e dosagens galênicas líquidas, semi‐
sólidas e sólidas tais como soluções, suspensões, xaropes, injetáveis,
pomadas, cremes, emulsões, aerossol, pós, cápsulas, tabletes,
comprimidos e ou drágeas, todas as quais contendo preparações
originárias da Rourea induta Planch var. induta.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Milena Kalegari, Enio Jonas Karkle, Adair Roberto S. dos Santos, Pedro
Zanin, Celso Karkle e João Batista Barcelos
Nº PROCESSO 015100001139

DATA DEPÓSITO 28/04/2010

165
TÍTULO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE ÉSTERES DERIVADOS DE ÁCIDO BENZÓICO
POR CATÁLISE HETEROGÊNEA EMPREGANDO BENZOATOS LAMELARES

RESUMO A presente invenção refere‐se ao uso de benzoatos lamelares de metais


cuja fórmula genérica seja Mx+(C6H5COO)x.nH2O (x+ = de 1 a 4 e n entre
0 e 3 e M+x = Mg, Ca, Ba, Sr, Mn, Fe, Co, Ni, Cu, Zn, Al, Cr, Sn e La), como
catalisadores heterogêneos para reações de esterificação de ácido
benzóico com agentes acilantes anidros ou hidratados como os mono‐
álcoois e/ou poli‐álcoois. Os catalisadores serão adicionados ao meio
reacional contendo o ácido benzóico eo álcool, em proporção antre 1 e
30% em massa (em base seca). As razões molares álcool:ácido benzóico
serão de 1:1 até 60:1 e as reações podem ser processadas em reatores
agitados, pressurizados ou não, sob fluxo contínuo ou em batelada, sob
condições de temperatura e tempo, que deverão ser otimizadas de
acordo com a matéria‐prima envolvida no processo. Os catalisadores
propostos, por possuírem alta atividade catalítica e caráter de reuso e/ou
reciclabilidade, poderão substituir os catalisadores homogêneos,
amplamente utilizados em rotas tecnológicas, como é o caso de
catalisadores de Fischer.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fernando Wypych e Swami Arêa Maruyama

Nº PROCESSO 015100001308

DATA DEPÓSITO 18/05/2010

TÍTULO MÉTODO E SISTEMA DE INCREMENTO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PARA


VEÍCULOS ELÉTRICOS

RESUMO É uma patente que trata mais particularmente de um método e um


sistema que empregam o princípio de indução eletromagnética para
incrementar a eficiência, e consequentemente a autonomia de veículos
que empreguem pelo um sistema de propulsão elétrica. O método e o
sistema da presente patente consistem em empregar elementos
geradores de campo magnético estático embutidos no pavimento da via,
onde o veículo se desloca, e um ou mais elementos indutores
embarcados no veículo e campo magnético estático, gerado pelos
elementos embutidos no pavimento da via , induz um sinal de tensão que
pode ser empregado para fornecer carga parcial para os elementos de
armazenamento de energia ou para contribuir diretamente com os
dispositivos de propulsão elétrica do veículo. O método e o sistema da
presente patente também preconizam o emprego de um sistema
eletrônico de gerenciamento embarcado que inclui um sistema de
condicionamento do sinal induzido, assim como de gerenciamento dos
processos de distribuição da energia produzida, podendo ser empregado
em quaisquer veículos que possuam pelo menos um sistema de
propulsão elétrica.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

166
INVENTOR(ES) Cyro Ketzer Saul

Nº PROCESSO 015100001318

DATA DEPÓSITO 19/05/2010

TÍTULO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE PRINCÍPIOS ATIVOS DE PROTETOR SOLAR


EMPREGANDO HIDRÓXIDOS LAMELARES TROCADORES ANIÔNICOS

RESUMO A presente invenção refere‐se ao uso de compostos lamelares como


matrizes intercaladas com ânions orgânicos (tipicamente surfactantes),
capazes de “adsolubilizar ou co‐intercalar” moléculas orgânicas neutras
com função de absorção de radiação ultravioleta, como material ativo na
formulação de protetores solares. As matrizes supracitadas são baseadas
nos seguintes sistemas: a) os hidroxissais lamelares (HSLs), que possuem
a fórmula genérica M2+(OH)2‐x(An‐)x/n.zH2O, onde M2+ é um cátion
metálico (Mg, Ni, Zn, Ca, Co, Cu ou Mn) ou misturas de até três metais
simultaneamente em qualquer proporção, “x” encontra‐se entre 0,3 e 1,0
em qualquer proporção, “z” entre zero e 2 em qualquer proporção. b) Os
hidróxidos duplos lamelares (HDLs) que possuem a fórmula genérica
[M+21‐xM+3x(OH)2][An‐]x/n.zH2O, onde M+2 (Mg, Ca, Sr, Mn, Fe, Co, Ni,
Cu, Sn, Ba ou Zn), M+3 (Al, Fe, Co, Mn ou Ni), “x” encontram‐se entre 0,05
e 0,5 em qualquer proporção, “z” entre zero e 2. Em ambos os casos, A‐n
corresponde a qualquer ânion orgânico (normalmente um surfactante)
que possa “adsolubilizar ou co‐intercalar” moléculas orgânicas neutras
que absorvem radiação na região do ultravioleta. Os materiais são
sintetizados por precipitação química alcalina com pH controlado, reação
entre um sal de metal com um óxido, reação de um sal de metal com
uréia, método de sol‐gel, etc. e podem ser utilizados assim que
preparados e/ou após aquecimento em temperaturas entre 25 e 150°C.
Em seguida os compostos lamelares intercalados serão reagidos com
moléculas orgânicas neutras adsorvedoras de radiação ultravioleta, com
alternativa por uma variedade de métodos químicos ou mecanoquímicos.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fernando Wypych

Nº PROCESSO 015100001347

DATA DEPÓSITO 21/05/2010

TÍTULO DISPOSITIVO CIRÚRGICO FACOFRAGMENTADOR MANUAL

RESUMO DISPOSITIVO CIRÚRGICO FACOFRAGMENTADOR MANUAL

DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Leandro Lima

167
Nº PROCESSO 015100001385

DATA DEPÓSITO 26/05/2010

TÍTULO MÉTODO DE APROVEITAMENTO DE REJEITOS DO PROCESSO DE


RETIFICAÇÃO EM INDÚSTRIAS DO SETOR METAL‐MECÂNICO COMO
COMPONENTE PRINCIPAL DE PRODUÇÃO SEM QUEIMA DE NOVO TIPO
DE MATERIAL SEMELHANTE AO CONCRETO

RESUMO A presente Patente de Invenção apresenta as seguintes vantagens, em


comparação com métodos tradicionais de produção de tijolos maciços e
blocos cerâmicos: 1. energética: para a produção de novos materiais não
são necessárias as altas temperaturas em comparação com materiais
convencionais; 2. resistência mecânica: a resistência à compressão
uniaxial de amostras deste estudo no 3° dia de cura varia entre 1 e 4 MPa,
no 14° dia varia entre 3 e 10 MPa e no 28° dia entre 5 e 13 MPa. A
resistência continua a crescer até um ano ou mais; 3. econômica: o custo
muito baixo de matérias‐primas aqui utilizadas (resíduos industriais)
garante um alto efeito econômico na produção destes materiais; 4. social:
a utilização de todos os resíduos de aterros industriais – aqui empregados
– pode melhorar a qualidade de vida da população local. Para a produção
dos novos materiais aqui desenvolvidos é necessário criar uma rede de
novas empresas com geração de novos empregos; 5. ambiental: o
método é baseado na utilização máxima de resíduos industriais
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Silvio Francisco Brunatto e Vsevolod Mymrine

Nº PROCESSO 015100001403

DATA DEPÓSITO 28/05/2010

TÍTULO PROCESSO DE REMOÇÃO DE CORANTES ANIÔNICOS DE SOLUÇÕES


AQUOSAS ATRAVÉS DO USO DE HIDROXISSAIS LAMELARES

RESUMO A presente invenção, refere‐se ao uso de hidroxissais lamelares (HSL)


naturais e/ou sintéticos, na remoção de corantes ácidos, de efluentes
industriais aquosos. Os compostos descritos na presente patente são
baseados em estruturas lamelares do tipo HSL, os quais possuem a
fórmula genérica MII(OH)2‐x(Am‐)x/m•nH2O, onde MII é um cátion
metálico divalente (Mg, Ni Zn, Ca, Co, Cu e Mn) ou misturas de até três
metais simultaneamente em qualquer proporção, os valores de “x”
encontram‐se entre 0,3 e 1,0 em qualquer proporção, “z” entre zero e 2
em qualquer proporção e An‐ corresponde a qualquer um dos ânions
descritos a seguir: Cl‐, NO3‐, CO32‐, SO42‐, CH3COO‐ ou qualquer
surfactante aniônico. O processo de remoção dos corantes pode ser feito
através da síntese direta do HSL na solução aquosa contendo o corante
ou através da síntese externa do HSL e posterior reação de troca iônica
com a solução aquosa do corante. Em ambos os casos necessita‐se

168
controlar adequadamente o pH alcalino, sendo que o valor do pH
depende do corante a ser removido e fase adsorvente utilizada. A
capacidade de remoção é alta e os compostos após separação por
centrifugação e/ou sedimentação podem ser reciclados após tratamento
ácido controlado, recuperando‐se não somente o corante, mas também
os metais constituintes do adsorvente, que podem retornar ao processo
de forma indefinida.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fernando Wypych

Nº PROCESSO 015100001551

DATA DEPÓSITO 16/06/2010

TÍTULO FERTILIZANTES DE LIBERAÇÃO CONTROLADA DE N, P E K OBTIDOS A


PARTIR DE ARGILOMINERAIS E COMPOSTOS FOSFORADOS

RESUMO A presente invenção refere‐se aos processos de reação entre


argilominerais e outros compostos assemelhados com compostos
fosforados a fim de se obter fertilizantes que apresentem liberação
controlada de nutrientes. Os argilominerais podem ser utilizados “in‐
natura” ou após processamento adequado a fim de serem reagidos com
os compostos fosforados em proporções variáveis que são calculadas de
acordo com as matérias primas utilizadas e produtos desejados. Após o
processamento, o produto final pode consistir em compostos amorfos,
cristalinos ou misturas entre estas fases que apresentem as
características de liberação dos elementos N, P e K de forma lenta e
controlada no ambiente, possuindo aplicações imediatas na agricultura. O
tempo e taxa de liberação podem ser controlados pela escolha dos
precursores, parâmetros de processamento e outras variáveis de
processo, permitindo formulações variáveis e adaptáveis a diferentes
necessidades do consumidor.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Fernando Wypych e José Ferreira da Costa Gardolinski

Nº PROCESSO 015100001864

DATA DEPÓSITO 19/07/2010

TÍTULO MÉTODO PARA PREPARAÇÃO DE UM NOVO COPOLÍMERO E


COPOLÍMERO POLI(ETILENO‐CO‐ÁLCOOL‐VINÍLICO‐CO‐CETO‐VINÍLICO)

RESUMO “MÉTODO PARA PREPARAÇÃO DE UM NOVO COPOLÍMERO E


COPOLÍMERO POLI(ETILENO‐CO‐ÁLCOOL‐VINÍLICO‐CO‐CETO‐VINÍLICO)”,
compreende uma metodologia para a preparação de um novo
copolímero a partir de EVA (poli(etileno‐co‐acetato‐de‐vinila)) que
primeiramente é hidrolisado para a formação de EVOH (poli(etileno‐co‐

169
álcool‐vinílico)) e este último, em seguida, é oxidado na presença de
NaClO para a obtenção de um copolímero inédito, o EVAK (poli(etileno co
álcool‐vinílico‐co ceto‐vinílico)) e compreende também o copolímero
inédito, EVAK.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Ronilson Vasconcelos Barbosa, Sonia Faria Zawadzki, Tiago Hommerding


Pedrozo, Reinaldo Yoshio Morito, Marcela Astolphe, Juliana Regina Kloss,
Dayane Mey Reis, Bianca Iodice e Gilson Luiz Torrens
Nº PROCESSO 015100001980

DATA DEPÓSITO 30/07/2010

TÍTULO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE MICÉLIO E COMPOSTOS BIOATIVOS DE


COGUMELOS EM CO‐CULTIVO POR FERMENTAÇÃO SUBMERSA

RESUMO “MÉTODO PARA PREPARAÇÃO DE UM NOVO COPOLÍMERO E


COPOLÍMERO POLI(ETILENO‐CO‐ÁLCOOL‐VINÍLICO‐CO‐CETO‐VINÍLICO)”,
compreende uma metodologia para a preparação de um novo
copolímero a partir de EVA (poli(etileno‐co‐acetato‐de‐vinila)) que
primeiramente é hidrolisado para a formação de EVOH (poli(etileno‐co‐
álcool‐vinílico)) e este último, em seguida, é oxidado na presença de
NaClO para a obtenção de um copolímero inédito, o EVAK (poli(etileno co
álcool‐vinílico‐co ceto‐vinílico)) e compreende também o copolímero
inédito, EVAK.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Carlos Ricardo Soccol e Sascha Habu

Nº PROCESSO 015100002033

DATA DEPÓSITO 05/08/2010

TÍTULO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE BIOMASSA DE LEVEDURA ENRIQUECIDA


COM COBRE OU ZINCO

RESUMO A presente trabalho objetivou uma produção de biomassa rica em zinco


ou cobre para suplementação em ração animal por fermentação
submersa utilizando melaço de cana. A presente invenção demonstra a
redução dos custos do processo e o impacto ambiental. Também, a
presente invenção envolve não somente o resíduo, como também as
concentrações utilizadas no processo fermentativo e a otimização dos
fatores mais influentes, incluindo variáveis físicas (temperatura, pH,
aeração e taxa de inoculação) e a composição química do meio de
fermentação (sais) utilizado no biorreator de 10 Litros, com a produção
em batelada e batelada alimentada. A melhor linhagem (identificada
molecularmente (100% de confirmação) de Candida pelliculosa) produtiva
obteve 100% de rendimento de bioacumulação, tanto para o zinco como
para o cobre. A biomassa obtida foi de 58,43 g/L para o processo com o

170
zinco e 57,54 g/L para o processo com o cobre. Paralelamente houve um
consumo total dos açúcares do meio, mostrando aproveitamento total do
resíduo industrial.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Carlos Ricardo Soccol, Andréa Haruko Arakaki, Luciana Porto de Souza
Vandenberghe
Nº PROCESSO 01510000868

DATA DEPÓSITO 01/04/2010

TÍTULO APLICAÇÃO DE COMPÓSITO MADEIRA/PLÁSTICO EM


ELETRODOMÉSTICOS LINHAS BRANCA

RESUMO APLICAÇÃO DE COMPÓSITO MADEIRA/PLÁSTICO EM


ELETRODOMÉSTICOS LINHAS BRANCA
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Sonia Maria Assunção Veroneze e Dalton Razera

Nº PROCESSO 01510001348

DATA DEPÓSITO 21/05/2010

TÍTULO DISPOSITIVO PARA AUXILIAR E/OU RETIRAR A COLOCAÇÃO DE PORCAS


HIDRÁULICAS

RESUMO A presente invenção foi desenvolvida com o objetivo de facilitar tanto o


processo de desrosqueamento (soltura) quanto o rosqueamento de
porcas hidráulicas de grande porte, porcas comuns no acoplamento entre
eixos de turbinas de usinas geradoras de energia elétrica. O uso dessa
ferramenta permite diminuir o tempo em até 27% e melhoria ergonômica
nas operações de manutenção por diminuir esforços e melhorar a
postura na tarefa. O Dispositivo para Porcas Hidráulicas (DPH) foi
projetado para ter facilidade de fabricação além de utilizar somente aço
de uso geral em seus componentes, tornando‐se assim, uma ferramenta
que pode ser rapidamente adaptada para uso em vários tamanhos de
porcas.
DEPOSITANTE(s) Universidade Federal do Paraná (BR/PR)

INVENTOR(ES) Robson de Paula Waltrick

Nº PROCESSO 01500002479

DATA DEPÓSITO 23/09/2010

171
UNICENTRO – UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO‐OESTE

PARANÁ

172
AGÊNCIA DE TECNOLOGIA ‐ NOVATEC

A Agência de Inovação da UNICENTRO, NOVATEC, visa fortalecer as parcerias da


UNICENTRO com empresas, órgãos de governo e demais organizações da
sociedade civil, criando oportunidades para que as atividades de ensino e pesquisa
se beneficiem dessas interações e contribuindo para o desenvolvimento e criação
de um novo habitat inovador e empreendedor na Universidade. Este novo habitat
dará sustentabilidade e rapidez aos projetos inovadores de interação Universidade‐
empresa, podendo gerar novas empresas de base tecnológica e registro das
propriedades intelectuais desenvolvidas em conjunto.
Responsável: Paulo Rogério Pinto Rodrigues

Equipe: Letícia Kurchaidt, Leandro César Moreira Santos, Emily Bedin, Douglas Kais,
Ari Schwans, André Gallina, Maico Taras.

Fone: (42) 3624‐3328/ 3629‐8144

Endereço: Rua Varela de Sá, 3, Vila Carli, Reitoria Unicentro. Guarapuava‐PR.

Site: www.unicentro.br/novatec

E‐mail: novatec.integ@gmail.com

173
PATENTES
TÍTULO APLICAÇÃO DO NIÓBIO EM BANHOS DE FOSFATIZAÇÃO

RESUMO O processo de fosfatização da superfície de aço carbono, contendo o


elemento nióbio, consiste na aplicação de uma solução fosfatizante sobre
a superfície metálica, com: 30 a 35g de íons fosfato 0,00001 a 0,01 g de
nióbio 10a 20g íons zinco 20 a 25g de íons nitrato 0,1 a 0,5g de íons
peróxido qsp de água em 100 g de solução de fosfato. A utilização do
nióbio, em substituição ao níquel, permite obter uma camada de fosfato
de zinco/nióbio com características similares aos revestimentos de
fosfato de zinco, obtidos quando se utiliza níquel na composição. Porém,
emprega‐se um metal menos tóxico e abundante no Brasil. Os processos
de fosfatização são empregados para melhoria da resistência contra a
corrosão de substratos metálicos e contribui para melhor aderência de
tintas
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual do Centro‐Oeste‐ UNICENTRO

INVENTOR(ES) Paulo Rogério Pinto Rodrigues, Everson do Prado Banczek, Isolda Costa,
Maico Taras da Cunha e Marilei de Fátima de Oliveira
Nº PROCESSO PI0600079‐7

DATA DEPÓSITO 23/01/2006

TÍTULO O EMPREGO DE COMPOSTOS ORGÂNICOS HETEROCÍCLICOS CONTENDO


UM GRUPO DA FAMÍLIA DOS AZOÍS COMO PASSIVADOR EM PROCESSOS
DE FOSFATIZAÇÃO

RESUMO O processo de fosfatização da superfície aço carbono, contendo


composto orgânico da família dos azoís, consiste na aplicação de uma
solução fosfatizante sobre a superfície metálica, com: 30 a 35g de íons
fosfato 0,1 a 0,5g de íons níquel 10 a 20g íons zinco 20 a 25g de íons
nitrato 0,1 a 0,5g de íons peróxido 0,0110 a 0,0150g em l00g de tolitriazol
(TTA) ou composto orgânico heterocíclico contendo um grupo da mesma
família dos azóis em l00g de solução de fosfato q.s.p de água em l00g de
solução de fosfato. A utilização do passivador orgâncio com heteroátomo
da família dos azóis, como inibidor de corrosão integrada ao banho de
fosfato, elimina a utilização do banho de passivação após o banho de
fosfato, resultando em redução de custo no tratamento. O composto
orgânico com heteroátomo do grupo dos azóis atua como inibidor de
corrosão do aço carbono, pois se deposita nas áreas anódicas não
recobertas pelo fosfato na superfície metálica fosfatizada, ocasionado a
passivação da superfície e assim melhorando a resistência à corrosão e
aumentando a vida útil do metal base
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual do Centro‐Oeste‐ UNICENTRO

INVENTOR(ES) Paulo Rogério Pinto Rodrigues, Everson do Prado Banczek, Maico Taras da
Cunha e Marilei de Fátima de Oliveira

174
Nº PROCESSO PI0600080‐0

DATA DEPÓSITO 23/01/2006

TÍTULO OBTENÇÃO DE COMPOSTOS SOLÚVEIS DE NIÓBIO PARA A UTILIZAÇÃO


EM PROCESSOS DE TRATAMENTO DE SUPERFÍCIES METÁLICAS

RESUMO O processo de obtenção de compostos de Nióbio solúveis em banhos de


fosfatização ou com banhos ou processos de tratamento de superfície,
utilizando a fusão a 1200°C da mistura de uma parte (g. Kg ou Tn) de
óxido de nióbio e 5 partes (g. Kg ou Tn) de carbonatos ou hidráxidos de
metais alcalinos. Adiciona‐se composto de Nb em formulação e banhos
de tratamento de superfícies metálicas, aumentando a resistência à
corrosão
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual do Centro‐Oeste‐ UNICENTRO

INVENTOR(ES) Paulo Rogério Pinto Rodrigues, Everson do Prado Banczek e Isolda Costa

Nº PROCESSO PI0602009‐7

DATA DEPÓSITO 17/02/2006

TÍTULO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE FAVOS DE MEL 'IN NATURA' EM FRASCO


DE VIDRO

RESUMO O processo de obtenção de favos de mel “in natura” em frascos de vidro


consiste na obtenção de favos de mel diretamente no interior do frasco
de vidro, de diferentes tamanhos e volumes. Esta técnica inovadora pode
ser aplicada em todo campo produtivo apícola, proporcionando uma
nova técnica de produção neste ramo de atividade, já que a criação do
favo de mel é feita de forma natural pelas abelhas dentro do frasco de
vidro, evitando o contato humano direto com o produto final.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual do Centro‐Oeste‐ UNICENTRO

INVENTOR(ES) Paulo Rogério Pinto Rodrigues e Érico José do Carmo Dias

Nº PROCESSO PI0602010‐0

DATA DEPÓSITO 17/02/2006

TÍTULO O USO DE MOLÉCULAS AUTO ORGANIZÁVEIS NA CORREÇÃO DE FILMES


FINOS VISANDO O USO EM SISTEMAS FOTOVOLTÁICOS

RESUMO O processo de correção e melhoramento das propriedades fotoelétricas


de filmes finos de dióxido de estanho (SnO2) dopados ou não
empregando uma solução de: 0,001 a 10 g de difosfonado e de 1 a 1000
mL de etanol. SAM’s, do inglês, Self‐Assembled Monolayers, ou seja,
monocamadas auto‐organizáveis ou ainda, moléculas auto‐organizáveis,
são moléculas orgânicas que possuem grupos polares ( positivamente ou
175
negativamente carregado) em sua estrutura (geralmente nas
extremidades) que formam agregados moleculares organizados, com
afinidade específica por um substrato. Este tipo de molécula pode ser
aplicado em filmes protetores, controle da molhabilidade, controle de
fricção e lubrificação, adesão, ancora química, para melhoria da reação
química, bio‐seletividade, microeletrônica, óptica não linear. Exemplo de
um estudo de aplicações de SAM’s é dos cientistas da Universidade
Wisconsin‐Madinson (EUA), onde a aplicação de SAM’s está sendo
incorporada a técnica de litografia de “winchesters”, hoje utilizada
mundialmente, ampliando seu alcance ao incorporá‐las. O emprego de
moléculas auto‐organizáveis promove a correção superficial e a melhoria
das propriedades fotoelétricas de filmes finos de dióxido de estanho
dopados ou não, devido à formação de um filme de SAM, que promove a
homogeinização de filme fino semicondutor, levando a característica de
melhor eficiência fotovoltáica.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual do Centro‐Oeste‐ UNICENTRO

INVENTOR(ES) Paulo Rogério Pinto Rodrigues, Cíntia de Faveri, Maico Taras da Cunha,
Augusto Celso Antunes e Sandra Regina Masseto Antunes.
Nº PROCESSO PI0803799‐0

DATA DEPÓSITO 18/07/2008

TÍTULO SOLUÇÃO PASSIVADORA DE NIÓBIO PARA TRATAMENTO DE


SUPERFÍCIES METÁLICAS

RESUMO O processo de passivação de superfícies metálicas, contendo o elemento


nióbio, consiste na aplicação de uma solução passivadora sobre uma
superfície metálica, com: 0,0001 a 10 g de íons de nióbio; 20 a 60 mL de
KH2PO4 0,1 mol/L; 20 a 70 mL de NaOH 0,1 mol/L; qsp de água para 100
g de solução; Os processos de passivação são empregados para melhoria
da resistência contra a corrosão de substratos metálicos e para a
melhoria da aderência de tintas. A utilização do nióbio, em substituição
ao cromo hexavalente, permite a passivação de superfícies metálicas,
previamente tratadas ou não, com a vantagem de melhorar as
propriedades de corrosão do material em comparação ao passivado em
solução de cromo. O cromo hexavalente, num futuro próximo, deverá ser
substituído por um processo alternativo, e ecologicamente correto. O
emprego do nióbio em soluções para tratamento de superfície poderá
substituir o cromo, proporcionando melhores propriedades que as
promovidas pelo tratamento convencional à base de cromatos.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual do Centro‐Oeste‐ UNICENTRO

INVENTOR(ES) Paulo Rogério Pinto Rodrigues, Everson do Prado Banczek e Isolda Costa.

Nº PROCESSO PI0805672‐2

DATA DEPÓSITO 18/07/2008

176
TÍTULO FILME DE ÓXIDO DE NIÓBIO INIBIDOR DE CORROSÃO DE SUPERFÍCIES
METÁLICAS SUBSTITUTO A CROMAÇÃO

RESUMO O processo para obtenção de um revestimento constituído de óxidos ou


compostos de nióbio, por meio de imersão, pulverização (spray), dip
coating, spin coating de peças metálicas em um sol‐gel contendo um
ácido orgânico bifuncional como o ácido cítrico, um álcool bifuncional
como o etilenoglicol, um complexo de nióbio especificamente oxalato de
nióbio e amônio, pentóxido de nióbio, cloreto de nióbio NbCl5, alcóxido
de nióbio. Antes do processo de pintura de materiais metálicos,
normalmente são aplicados processos de tratamentos de superfície,
particularmente conhecidos como processos de conversão. Estes
tratamentos têm a finalidade de retardar a degradação do sistema
substrato metálico/revestimento, principalmente em ambientes
agressivos. Entre os revestimentos de conversão mais afetivos e
vastamente utilizados encontra‐se a cromatização e a fosfatização.
Entretanto, a elevada toxicidade dos descartes destes processos, que
consistem basicamente de compostos de cromo, níquel, ferro, fósforo e
manganês, e a necessidade de tratar estes rejeitos, têm incentivado a
indústria a buscar processos alternativos à cromatização e a fosfatização,
que apresentem menor toxicidade e sejam efetivos para a proteção
contra a corrosão.
DEPOSITANTE(s) Universidade Estadual do Centro‐Oeste‐ UNICENTRO

INVENTOR(ES) Paulo Rogério Pinto Rodrigues, Everson do Prado Banczek e Tiago


Sawczen.
Nº PROCESSO PI0903839‐6

DATA DEPÓSITO 14/09/2009

TÍTULO EMBALAGEM ALTERNATIVA PARA MARCADOR DE LINHA AGRÍCOLA E O


USO DA REFERIDA EMBALAGEM COMO DOSE ÚNICA

RESUMO A presente invenção se refere a uma embalagem alternativa utilizada


para armazenagem, transporte e dosagem de marcadores de linha
agrícola e o uso da referida embalagem para dosagens únicas e/ou
pequenas dosagens, proporcionando economia e facilitando o processo
de diluição do marcador de linha. O objetivo da invenção é prover uma
embalagem para marcador de linha agrícola e o seu uso para dosagem
única, menos onerosa, de fácil devolução, e que garante a qualidade e
propriedade dos marcadores agrícolas.
DEPOSITANTE(s) TECNOQUISA INDUSTRI E COMERCIO LTDA.

INVENTOR(ES) Paulo Rogério Pinto Rodrigues, Maico Taras da Cunha e Marilei Fátima de
Oliveira.
Nº PROCESSO 0000221000000928

DATA DEPÓSITO 13/01/2010

177
UNIOESTE – UNIVERSIDADE DO OESTE DO PARANÁ

178
NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

O NIT da UNIOESTE, por meio da integração entre Universidade, Centro de


Pesquisa, empresa e sociedade, atua como um agente catalisador do
desenvolvimento, científico, tecnológico e industrial, principalmente, da região
oeste paranaense. No âmbito da Unioeste, busca proporcionar e garantir a gestão
dos resultados da atividade intelectual e a capacitação de recursos humanos em
assuntos relacionados com a inovação, bem como a implementação/consolidação
da cultura da inovação. Suas principais finalidades são: promover a cooperação
técnico‐científica, com características inovadoras, entre a UNIOESTE, os órgãos de
fomento e a sociedade em geral; executar ações de prospecção tecnológica com
características inovadoras; auxiliar na proteção dos resultados da atividade
intelectual; incentivar o espírito empreendedor, por meio da gestão de empresas
juniores e incubadora de empresas; intermediar nos processos de transferência de
tecnologia; e desenvolver estratégias e ferramentas de gestão da inovação. O Nit
da UNIOESTE é composta de uma coordenação geral e quatro divisões: Divisão de
Projetos Tecnológicos; Divisão de Propriedade Intelectual; Divisão de Empresa
Junior e incubadora de empresas; e Divisão de Inofrmação Tecnológica.

Responsável: Prof. Dr. Jorge Bidarra

Equipe: Profª. Drª. Luciana Oliveira de Fariña, Prof. Dr. Camilo Freddy Mendoza
Morejon,Prof. Dr. Adair Santa Catarina, Profª. Drª. Claudia Brandelero Rizzi, Nilva
Teresinha Dalsasso.

Fone: (45) 3220‐3286

Endereço: Rua Universitária, 2069, Universitário. Cascavel‐ PR.


Site: www.unioeste.br/nit
E‐mail: nit@unioeste.br

179
PATENTES
TÍTULO BIODIGESTOR MODULAR PARA A PRODUÇÃO DE BIOGÁS,
BIOFERTILIZANTE E BIORAÇÃO

RESUMO Patente de Modelo de Utilidade refere‐se a um sistema de biodigestão


modular para a produção de biogás, biofertilizante de bio‐ração, para uso
na área rural, urbana e industrial, ao qual foi dada original construção,
com vistas a melhorar a sua utilização e eficiência em relação aos
similares existentes. É compreendido por tanques de biodigestão com
suporte móvel, misturador estático, válvulas, mangueiras, sistema de
purificação do biogás, coletores independentes de biogás com suporte
móvel, elemento unificador do biogás, sistema de compressão,
armazenamento, plataforma móvel montada sobre eixo de rodas
manobrável. O equipamento (na categoria aparelho processo) é fruto de
oito idéias, as quais permitem atender o baixo custo, a facilidade de
construção, o tipo modular, a diminuição do tempo de residência, a
versatilidade de utilização, facilidade de mistura, a eliminação de fluxo
preferencial, a eliminação de formação de crosta, o fácil controle da
temperatura, fácil manuseio do biogás, a eficiente purificação do biogás,
a melhoria da qualidade do material digerido e o alto rendimento de
geração de biogás sem diminuição de eficiência do sistema. A biomassa
que fica dentro do biodigestor, sem contato com o ar, não possui
bactérias aeróbicas e germes existentes nas fezes e demais matérias
orgânicas. Está livre dos parasitas da esquistossomose, de vírus da
poliomielite e bactérias como a do tifo e malária
DEPOSITANTE(s) Universidade do Oeste do Paraná ‐ UNIOESTE

INVENTOR(ES) Camilo Freddy Mendoza Morejon, Carlos Alberto Piacenti, Cleber Antonio
Lindino, Fernando Palú, Luiz Telmo da Silva Auler, Reinaldo Aparecido
Bariccatti, Weimar Freire da Rocha Jr. e José Augusto de Sousa
Nº PROCESSO MU8403433‐5

DATA DEPÓSITO 25/10/2004

TÍTULO SISTEMA TERMO‐SOLAR DE AQUECIMENTO DE FLUÍDOS LÍQUIDOS E


GASOSOS

RESUMO Patente Modelo de Utilidade (MU), refere‐se a um equipamento para


aquecimento de fluídos líquidos e gasosos com diversas aplicações. O
equipamento é fruto de um conjunto de idéias cujas reivindicações estão
centradas no sistema de coleta de energia solar caracterizados por:
recipiente transparente (carcaça); fluido auxiliar para armazenamento e
condução de energia térmica na parte interna; tubo de cobre ou PVC que
tem a função de concentrar, armazenar e transferir calor para o fluído
principal que circula pela parte interna do tubo; solda entre o tubo e a
aleta; superfície de alta emissividade para irradiação da energia
remanescente em direção à metade inferior do tubo e da aleta; superfície
de baixa emissividade para absorver calor irradiado pela superfície
180
(telhado) no período noturno; separação entre os componentes para
aquecimento por convecção; e distância de separação
DEPOSITANTE(s) Universidade do Oeste do Paraná ‐ UNIOESTE

INVENTOR(ES) Camilo Freddy Mendoza Morejon, Weimar Freire da Rocha Jr. e Jandir
Ferrera de Lima
Nº PROCESSO MU8602562‐7

DATA DEPÓSITO 21/11/2006

TÍTULO SISTEMA MODULAR COMPACTO DE DECANTAÇÃO PARA TRATAMENTO


DE AFLUENTES/EFLUENTES PROVENIENTES DE DIVERSAS FONTES

RESUMO Patente Modelo de Utilidade (MU) denominado SiMoCo‐D (Sistema


Modular Compacto de Decantação para Tratamento de
Afluentes/Efluentes Provenientes de Diversas Fontes) refere‐se a um
equipamento com diversas aplicações, nos processos que requeiram a
separação de sólidos particulados em suspensão, por decantação. O MU
recebeu original implementação, resultando numa maior eficiência,
menor requerimento de espaço, facilidade de
instalação/operação/manutenção, menor custo e aplicação versátil,
quando comparado com os similares existentes. O equipamento é fruto
de um conjunto de idéias, cujas reivindicações estão caracterizadas por:
cabeçote dotado de sistema de alimentação, tampa, chapa em formato
de espiral, defletores, calhas, bocal com tubo para saída do líquido
clarificado, borbulhador para separação complementar das partículas
leves por flotação, anel para fechamento e tanque funcionando, como
carcaça, coletor, acumulador e como transportador dos sólidos
decantados. O tamanho de cada módulo, número de módulos e
regulagem dos pontos de captação dependerão do tipo de aplicação, tipo
de alimentação e quantidade de carga disponível. Os materiais
necessários para a construção do modelo de utilidade podem vir da
reutilização/aproveitamento do lixo útil viabilizando assim a
transformação do lixo em tecnologia ambiental
DEPOSITANTE(s) Universidade do Oeste do Paraná ‐ UNIOESTE

INVENTOR(ES) Camilo Freddy Mendoza Morejon, Valmir Elemar Zimmermann e Salah


Din Mahmud Hasan
Nº PROCESSO MU8701195‐6

DATA DEPÓSITO 23/07/2007

TÍTULO SISTEMA MODULAR COMPACTO DE FLOTAÇÃO PARA TRATAMENTO DE


AFLUENTES/EFLUENTES PROVENIENTES DE DIVERSAS FONTES

RESUMO Patente Modelo de Utilidade (MU) denominado SiMoCo‐F (Sistema


Modular Compacto de flotação para Tratamento de Afluentes/Efluentes
Provenientes de Diversas Fontes) refere‐se a um equipamento com
diversas aplicações, nos processos que requeiram a separação de sólidos

181
particulados em suspensão, por flotação. O MU recebeu original
implementação, resultando numa maior eficiência, menor requerimento
de espaço, facilidade de instalação/operação/manutenção, menor custo e
aplicação versátil, quando comparado com os similares existentes. O
equipamento é fruto de um conjunto de 17 idéias, cujas reivindicações
estão caracterizadas por: cabeçote composto de sistema de alimentação,
recipiente do floculante com válvula, regulador para injeção de ar
comprimido, tubo‐serpentina, tampa, bocal, chapa em formato de
espiral, calhas para saída dos SPS, bocal com tubo para saída do líquido
clarificado, tubo com borbulhador, anel de fechamento hermético e
tanque que funciona, como carcaça/coletor/acumulador e como
transportador/armazenador dos sólidos separados. O tamanho de cada
módulo, número de módulos e regulagem dos pontos de captação
dependerão do tipo de aplicação, tipo de alimentação e quantidade de
carga disponível. Os materiais necessários para a construção do modelo
de utilidade, dependendo do caso, podem vir da
reutilização/aproveitamento do lixo útil, viabilizando assim a
transformação do lixo em tecnologia ambiental
DEPOSITANTE(s) Universidade do Oeste do Paraná ‐ UNIOESTE

INVENTOR(ES) Camilo Freddy Mendoza Morejon, Valmir Elemar Zimmermann e Salah


Din Mahmud Hasan
Nº PROCESSO MU8701196‐4

DATA DEPÓSITO 23/07/2007

TÍTULO SISTEMA MODULAR DE COLETA, TRANSPORTE E INDUSTRIALIZAÇÃO DE


RESÍDUOS SÓLIDOS DOMÉSTICOS

RESUMO Patente de invenção referente a um sistema que possibilita a


industrialização de resíduos sólidos provenientes da atividade doméstica
da área urbana e/ou rural, abrangendo um método diferenciado para a
coleta dos resíduos sólidos da atividade doméstica, método diferenciado
para o transporte dos resíduos sólidos previamente coletados,
método/tecnologia diferenciada para o processamento do resíduo sólido
orgânico, método diferenciado para o processamento dos produtos
gasosos resultantes do processamento do resíduo sólido orgânico,
método diferenciado para o processamento do material sólido resultante
do processamento do resíduo sólido orgânico e apresentação de
alternativas de aplicação/uso dos produtos sólidos, líquidos e gasosos
resultantes dos processos, bem como de alternativas de uso dos outros
materiais que compõem os resíduos sólidos provenientes da atividade
doméstica, entre os quais de encontram os materiais recicláveis. O
sistema recebeu original
implementação/montagem/construção/operação, com vistas a melhorar
a eficiência, os custos de montagem, construção, instalação, operação,
bem como, a redução do espaço para instalação, versatilidade de sua
aplicação e, principalmente, por possuir características de
sustentabilidade ambiental quando comparado com os processos
convencionais

182
DEPOSITANTE(s) Universidade do Oeste do Paraná ‐ UNIOESTE

INVENTOR(ES) Camilo Freddy Mendoza Morejon, Cleber Antonio Lindino, Reinaldo


Aparecido Bariccatti, Weimar Freire da Rocha Jr., Jandir Ferrera de Lima e
Angela Laufer
Nº PROCESSO PI0801312‐8

DATA DEPÓSITO 10/04/2008

TÍTULO RECOBRIMENTO DE FIBRA DO VIDRO Li2O‐BaO‐ZrO2‐SiO2 COM ÓXIDO


DE ZINCO COMO ADSORVENTE PARA MICROEXTRAÇÃO EM FASE SÓLIDA

RESUMO “RECOBRIMENTO DE FIBRA DO VIDRO Li2O‐BaO‐ZrO2‐SiO2 COM ÓXIDO


DE ZINCO COMO ADSORVENTE PARA MICROEXTRAÇÃO EM FASE
SÓLIDA”. As fibras de vidro de composição em proporções adequadas da
mistura Li2O‐BaO‐ZrO2‐Si2O foram recobertas com ZnO, utilizando‐se do
método sol‐gel, em dip‐coating, em processo de recobrimento por gel
polimérico inorgânico e por gel polimérico orgânico. Fibras foram
preparadas pelo estiramento da massa vítrea fundida em velocidades
adequadas e, recobertas com óxido de zinco, através do contato com
soluções de precursores adequados do óxido em concentrações,
temperatura, tempo e composições ideais, resultando numa camada de
ZnO, com propriedades adsorventes reguladas pela acidez/basicidade da
superfície do óxido modificador. Estas fibras apresentaram‐se aplicáveis
para o desenvolvimento de metodologia analítica por microextração em
fase sólida, conjugada à cromatografia gasosa, para o estudo e
determinação de analitos como compostos orgânicos apolares voláteis,
mostrando como vantagem sobre as similares comerciais, a capacidade
eseletividade de adsorção e a grande durabilidade, por apresentar maior
estabilidade química e térmica que os dispositivos convencionais.
DEPOSITANTE(s) Universidade do Oeste do Paraná ‐ UNIOESTE

INVENTOR(ES) Elvio Antonio de Campos, Silvia Denofre de Campos, Ricardo Schneider,


Wagner Alex Jann Favreto e Fernando Palu
Nº PROCESSO PI 0904670‐4

DATA DEPÓSITO 30/11/2009

TÍTULO XLUPA‐ UM AMPLICADO DE TELA INTELIGENTE PARA PESSOAS COM


BAIXA VISÃO

RESUMO Xlupa, um ampliador de tela inteligente e adaptativo ao usuário. Suas


funções básicas são, alem da ampliação das imagens, permitir ao usuário
a manipulação do contraste, via combinação de 2 cores ou com variações
de uma cor básica, da área útil do monitor para a ampliação, bem como
adaptar‐se ao perfil do usuário, cujo aprendizado do sistema se faz a
partir do comportamento de seus usuários.
DEPOSITANTE(s) Universidade do Oeste do Paraná ‐ UNIOESTE

183
INVENTOR(ES) Jorge Bidarra; Diego Rodrigo Hachmann; Odair Moreira de Souza; Cleiton
Fiatkoski Balansin.
Nº PROCESSO RS 09626 3

DATA DEPÓSITO 14/04/2009

184
UTFPR – UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

PR
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

185
AGÊNCIA DE INOVAÇÃO

A Agência de Inovação da UTFPR tem como objetivo identificar oportunidades e


incentivar a inovação, como nicho de mercado, amparados pela Proteção
Intelectual, por meio da transferência de tecnologia. Para isto, vai apoiar a
constituição de núcleos de competências conectados com a necessidade de
mercado, potencializados para a prestação de serviço, a pesquisa e o
desenvolvimento tecnológico. Tudo isso de forma sustentável, visando o
crescimento do ensino, da pesquisa e da extensão da UTFPR.
Responsável: Profª. Vanessa Ishikawa Rasoto
Coordenador: Prof.º Dr. Gilberto Branco

Equipe: Tatiane Jagher, Cristiano Heythor dos Santos Bueno, Vinícius Ferrarezi de
Souza, Anderson de Cantuaria Moraes, Andréa Regina Prestes Rocha e Carlos
Roberto Melnik.
Fone: (41) 3310‐4422/4927

Endereço: Av. Sete de Setembro, 3165, Centro. Curitiba‐PR.

Site: www.utfpr.edu.br

E‐mail: agint@utfpr.edu.br

186
PATENTES
TÍTULO MEDIDOR ÓTICO DE QUALIDADE DE COMBUSTÍVEL PARA MEDIÇÃO
LOCAL E MEDIÇÃO REMOTA
RESUMO Com possibilidade de utilização tanto local quanto remota nos pontos
onde se faça necessário o controle de qualidade de combustíveis. O
aparelho detecta alterações no espectro de transmissão de uma LPG
(Long Period Grating ‐ Rede de Longo Período), causadas pela adição de
misturas ao combustível sob análise, comparativamente ao espectro
referente a um combustível com quantidades permitidas de misturas. São
apresentadas duas configurações básicas para o aparelho, sendo que em
cada uma destas configurações estão descritos os diversos componentes
óticos, eletrônicos e optoeletrônicos que podem ser empregados na sua
construção
DEPOSITANTE(s) Universidade Tecnológica Federal do Paraná ‐ UTFPR

INVENTOR(ES) José Luís Fabris, Hypolito José Kalinowski, Márcia Müller e Rosane Falate.

Nº PROCESSO PI0203712‐2

DATA DEPÓSITO 12/09/2002

TÍTULO PROCESSO E SISTEMA PARA MEDIÇÃO PASSIVA DE TRANSDUTORES


REMOTOS VIA ACOPLAMENTO INDUTIVO

RESUMO Um processo e um sistema para medição de transdutores remotos


acoplados magneticamente a uma unidade de leitura são apresentados.
O processo utiliza‐se de medições de fase, através de um sistema para
excitação e leitura, da impedância de entrada de um circuito com
característica de fase conhecida, acoplado a uma unidade remota,
ressonante ou não, que inclui um ou mais transdutores, que podem ser
indutivos, resistivos ou capacitivos. Com a medição de dois ou mais
valores de fase em duas diferentes freqüências, o processo proposto
possibilita a determinação do valor do transdutor e, portanto, a medição
de parâmetros físicos que se deseje monitorar. A medição é possível pelo
fato de que variações nos valores dos transdutores, de qualquer uma das
naturezas acima citadas, nas unidades sensoras, incorrem em variações
na fase da impedância do circuito de leitura por estarem estes
magneticamente acoplados
DEPOSITANTE(s) Universidade Tecnológica Federal do Paraná ‐ UTFPR

INVENTOR(ES) Paulo José Abatti e Marcos Santos Hara

Nº PROCESSO PI0400091‐9

DATA DEPÓSITO 22/03/2004

187
TÍTULO SISTEMA DE IMAGEM PARA ENSINO DE ODONTOLOGIA ‐ (SIEO)

RESUMO Nos cursos de Odontologia, os procedimentos para o tratamento


odontológico dos pacientes são demonstrados pelos professores nos
pacientes para grupos de alunos que, em torno da cadeira odontológica,
procuram obter o melhor ângulo de visualização dos trabalhos sendo
executados. Com isso, apenas o aluno que auxilia diretamente o
professor tem visualização do procedimento realizado. Raramente
consegue‐se visualizar a técnica empregada pelo professor no momento
em que é executada. O SIEO permite que os acadêmicos dos cursos de
Odontologia acompanhem todos os passos realizados pelo professor
durante as aulas demonstrativas realizadas em pacientes. O SIEO é
composto por micro‐câmera; lente para focalização da iluminação na
área bucal do paciente; suporte para fixação da câmera e lente para
focalização da iluminação; suporte craniano; cabo de fibra‐óptica para
transmissão da iluminação e cabo de vídeo para ligar a câmera CCD a um
sistema de monitoração / transmissão. A característica inovadora do SIEO
é que a micro‐câmera fica posicionada na região entre os olhos (linha
bipupilar) do professor, propiciando aos acadêmicos o mesmo ângulo de
visão do professor durante o tratamento odontológico
DEPOSITANTE(s) Universidade Tecnológica Federal do Paraná ‐ UTFPR

INVENTOR(ES) Humberto Remigio Gamba e Wilson Kenji Shiroma

Nº PROCESSO PI0400091‐9

DATA DEPÓSITO 14/04/2004

TÍTULO MEDIDOR DE FASE DE ALTA RESOLUÇÃO

RESUMO Descreve‐se um medidor de fase de alta resolução formado,


basicamente, por um sistema de medição de fase e um sistema digital de
controle e processamento, para ser utilizado em aplicações referentes à
instrumentação, controle, automação, telecomunicações, medicina e em
aplicações que exijam medições de fase em alta resolução. O medidor de
fase é capaz de medir a fase de uma impedância ou de sinais elétricos,
provendo os resultados de medição em um display gráfico. Este medidor
também prove meios de comunicação com uma rede de comunicação,
sistema dedicado e com um computador. Com base no método de
medição desenvolvido e nos dispositivos que compõem o medidor de
fase, espera‐se que este equipamento seja uma solução de baixo custo
para atender às necessidades de medição de fase com alta resolução. O
setor técnica a que se refere esta invenção é o da "eletrônica".
DEPOSITANTE(s) Universidade Tecnológica Federal do Paraná ‐ UTFPR

INVENTOR(ES) Paulo José Abatti e Fábio Luiz Bertotti

Nº PROCESSO PI0600617‐5

188
DATA DEPÓSITO 08/03/2006

TÍTULO SISTEMA INFORMATIZADO PARA O ARMAZENAMENTO DE DADOS DE


PACIENTES SUBMETIDOS A TRATAMENTOS ORTODÔNTICOS

RESUMO Refere‐se a presente inovação a um sistema informatizado plenamente


seguro e eficiente para o armazenamento de informações de pacientes
submetidos a tratamentos ortodônticos (dados pessoais, fichas clínica,
odontológica e de procedimentos, orçamento e controle de pagamento,
radiografias e modelos), de forma digital, garantindo idoneidade e sigilo
dessas informações. Os documentos (fichas de procedimentos,
orçamento e controle de pagamento, radiografias e modelos) são
escaneados (bi ou tridimensionalmente) e assinados digitalmente pelo
método de assinatura digital. São então armazenados pelo sistema de
armazenamento de arquivos digitais, juntamente com os dados que são
digitalizados via formulário (dados pessoais, fichas clínica e odontológica).
A partir das informações armazenadas via formulário, é possível,
utilizando‐se do método de busca, a busca por qualquer campo
cadastrado, retomando ao usuário uma relação de pacientes que
possuem em comum as características buscadas. A partir dessa busca e
utilizando o método de geração de relatórios, o usuário pode gerar um
relatório personalizando os campos que lhe são pertinentes, incluindo
dados de formulário e documentos escaneados, e visualizar/imprimir este
relatório
DEPOSITANTE(s) Universidade Tecnológica Federal do Paraná ‐ UTFPR

INVENTOR(ES) Milton Borsato, Kristine Soldatelli Pereira e Leandro Piva

Nº PROCESSO PI0602015‐1

DATA DEPÓSITO 15/05/2006

TÍTULO PARADIGMA ORIENTADO A NOTIFICAÇÕES (PON) ‐ UMA TÉCNICA DE


COMPOSIÇÃO E EXECUÇÃO DE SOFTWARE ORIENTADA A NOTIFICAÇÕES

RESUMO Este documento apresenta um novo paradigma de programação de


computadores intitulado Paradigma Orientado a Notificações (PON) ou
Notification Oriented Paradigm (NOP) em inglês. PON objetiva uma
solução com melhor desempenho e abertura para paralelismo e
distribuição do que as soluções baseadas nos paradigmas correntes,
como linguagens orientadas objetos. PON resolve seus problemas, como
sintaxe inapropriada, redundância estrutural e temporal e principalmente
entidades computacionais fortemente acopladas. Este acoplamento
existe devido a uma orientação a processo de avaliação causal baseado
em pesquisa, normalmente monolítico, que causa dificuldades de
distribuição. Justamente, PON impõe outra maneira para realizar as
avaliações e inferências. Em PON, isto é feito a partir do conhecimento de
regras por meio de entidades computacionais de pequeno porte,
'inteligentes´ e desacopladas que interagem e colaboram por meio de
notificações pontuais.
189
DEPOSITANTE(s) UTFPR/ FUNTEF‐PR/ CITS

INVENTOR(ES) Jian Marcelo Simão e Paulo Cézar Stadzisz

Nº PROCESSO PI08055181

DATA DEPÓSITO 26/11/2008

TÍTULO SINTONIZADOR DE REDE DE BRAGG EM FIBRA ÓPTICA COM MOLA DE


ENTALHE

RESUMO Dispositivo de sintonização de rede de Bragg em fibra óptica por tração


longitudinal da fibra usando o princípio da mola de entalhe. Trabalhando
como uma alavanca linear a mola de entalhe pode ser considerada como
uma dobradiça monolítica que, acionada por um atuador piezoelétrico
comercial, permite deslocar o comprimento de onda central de uma rede
de Bragg, afixada entre a extremidade do braço da alavanca e uma base
de apoio, em uma faixa de dezenas de nanômetros, tornando o
dispositivo um sintonizador óptico de comprimento de onda.
DEPOSITANTE(s) UTFPR/ FUNTEF‐PR/ CITS

INVENTOR(ES) Alexandre Almeida Prado Pohl, Carlos Alberto Bavastri, Jucélio Tomás
Pereira, Marco Antonio Luersen, Paulo André de Camargo Beltrão, Paulo
de Tarso Neves Junior e Roberson Assis de Oliveira
Nº PROCESSO PI0901888‐3

DATA DEPÓSITO 28/05/2009

TÍTULO SISTEMA DE CONTROLE PASSIVO DE VIBRAÇÕES FLEXIONAIS EM


MÁQUINAS GIRANTES ATRAVÉS DE NEUTRALIZADORES DINÂMICOS
VISCOELÁSTICOS

RESUMO É constituída por um neutralizador dinâmico viscoelástico e um conjunto


suporte flexível de fixação para controle de vibração flexional de
máquinas girantes, que consiste de um corpo central, que faz a conexão
direta entre o dispositivo e o núcleo do conjunto suporte flexível de
fixação que por suas características permite injetar os esforços de
controle de vibração flexional sobre o rotor; O conjunto suporte flexível
consta de um elemento unido diretamente ao rotor, com uma parte
interna girante e outra fixa, um elemento flexível que une a parte externa
do elemento ao suporte ou estrutura estática, cuja função é fixar o
neutralizador sobre o rotor para reduzir vibrações flexionais; Ao corpo
central se unem componentes viscoelásticos e os componentes inerciais;
Os componentes viscoelásticos são constituídos, cada um, por casquilhos
internos de material viscoelástico; Os componentes inerciais, por sua vez,
são compostos por uma massa metálica com valores pré‐definidos
dependendo das características dinâmicas do rotor e da faixa de
freqüência de trabalho.

190
DEPOSITANTE(s) UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ ‐ UTFPR

INVENTOR(ES) Carlos Alberto Bavastri, Francico José Doubrawa Filho, Hansingo Weber e
José João Espíndola
Nº PROCESSO PI0902746‐7

DATA DEPÓSITO 24/07/2009

DATA DEPÓSITO 21/12/2009

191
UTP – UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ

192
NÚCLEO DE PATENTES

A missão da Universidade Tuiuti do Paraná é possibilitar a Promoção Humana por


intermédio da produção e da transmissão de conhecimento, pelo fomento à
cultura e ao progresso científico, para assim contribuir com o desenvolvimento da
humanidade. O Núcleo de Inovação tecnológica está em fase de implantação e já
está com a Política de Propriedade Intelectual implementada.
Responsável: João Santos

Equipe: Isabela Mansur Sperandio


Fone: (41) 3331‐7708

Endereço: Rua Sydnei Antonio Rangel, 238, Santo Inácio. Curitiba‐PR.

Site: www.utp.br

E‐mail: joao@utp.br

193
PATENTES
TÍTULO MÉTODO E APARATO DE CONTROLE DE PRAGAS DE SOLO UTILIZANDO
APLICAÇÃO DE CHAMA EM MÚLTIPLAS CAVIDADES

RESUMO Método e aparato de controle de pragas de solo, particularmente insetos


sociais como formigas do gênero Solenopsis, que inclui a popular “lava‐
pés”, bem como de cupins e outros artrópodes de solo. O método prevê a
abertura de várias cavidades, aproximadamente tubulares, feitas com
aparato perfurador de tubo de aço ou outro material ao redor da área
onde a maioria dos animais ocorre, e breve aplicação de calor intenso nas
entradas das cavidades antes citadas, através de aparato produtor de
chama direcionada. O método pode usar assim a estrutura de túneis
interconectados escavados pelos próprios animais no caso de insetos
sociais em seus ninhos para espalhar o calor, que se distribui mais
facilmente devido às múltiplas cavidades feitas no solo com o aparato
perfurador, causando imediata mortalidade da maioria dos indivíduos
próximos das áreas de aplicação, e posteriormente gerando significativa
mudança no microhabitat do ninho, no caso de artrópodes sociais
DEPOSITANTE(s) Sociedades Educacional Tuiuti Ltda ‐ SET

INVENTOR(ES) Eduardo Novaes Ramires, José Domingos Fontana, Leonardo Rafael


Deconto e Luiz Fernando Peracetta
Nº PROCESSO PI0604164‐7

DATA DEPÓSITO 29/09/2006

TÍTULO METHOD AND APPARATUS FOR CONTROLING GROUND PESTS USING


THE APPLICATION OF FLAMES IN MULTIPLE CAVITIES

RESUMO ants of genus Solenopsis, which includes the insect known popularly as
“fire ant”, as well as termites and other ground arthropods. The method
involves opening a multiplicity of approximately tubular cavities made
with a perforating apparatus fashioned from a tube of steel or other
material around the area where most of the animals occur, and the brief
application of intense heat at the entrances to the aforementioned
cavities, by means of an apparatus producing a directed flame. The
method can therefore use, in the case of social arthropods, the structure
of interconnected tunnels excavated by the animals themselves in their
nests for propagating the heat, which is distributed more easily due to
the multiple cavities made in the ground with the perforating apparatus,
causing the immediate mortality of most of the individuals near the
application areas, and subsequently generating a significant change in the
nest micro habitat, in the case of social arthropods
DEPOSITANTE(s) Sociedades Educacional Tuiuti Ltda ‐ SET

INVENTOR(ES) Eduardo Novaes Ramires, José Domingos Fontana, Leonardo Rafael


Deconto e Luiz Fernando Peracetta

194
Nº PROCESSO WO28037046A1

DATA DEPÓSITO 28/09/2007

195
GLOSSÁRIO

LEI DE INOVAÇÃO

Uma das maiores colaborações da Lei Federal de Inovação foi a criação de


incentivos para interação entre universidades, empresas do país e centros de
pesquisa, bem como o estímulo ao patenteamento e transferência de tecnologia.
Isso foi possibilitado pelo fato de que, mediante remuneração e com prazo
determinado, as ICTs podem compartilhar laboratórios, equipamentos, materiais,
instalações etc. Esta lei permite que existam regras mais precisas com relação ao
uso de recursos do setor privado para financiamento de pesquisas.

ICT

Segundo a Lei de Inovação, as Instituições científicas e tecnológicas (ICTs) são


órgãos e entidades de administração pública que têm como missão institucional
especialmente a execução de atividades de pesquisa básica ou aplicada, de caráter
científico, tecnológico ou de inovação.

NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA (NIT)

De acordo com o artigo 16 da Lei de Inovação, a ICT severa dispor de Núcleo de


Inovação Tecnológica (NIT), com intuito de gerir a política de inovação. Os NITs têm
responsabilidade sobre resultados de exploração econômica da propriedade
intelectual de sua instituição.

PROPRIEDADE INTELECTUAL

É o conjunto de direitos que protegem as criações intelectuais. Estas proteções


estão divididas em Propriedade Industrial e Direitos de Autor. A Propriedade
Industrial compreende a concessão de patentes, registro de marcas, de desenhos
industriais e indicações geográficas, e está amparada pela Lei 9.279. Os Direitos de
Autor resguardam as músicas, obras de arte e obras literárias, pela Lei 9.610 e os
programas de computador pela Lei 9.609.

196
INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

De acordo com a Pesquisa de Inovação Tecnológica (PINTEC) feita pelo Instituto


Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), “a inovação tecnológica se refere a
produto e/ou processo novo (ou substancialmente aprimorado) para a empresa,
não sendo, necessariamente, novo para o mercado/setor de atuação, podendo ter
sido desenvolvida pela empresa ou por outra empresa/instituição”.

PATENTE

Título de propriedade, conferido pelo Estado, que garante a seu titular o direito e
exclusividade de explorar comercialmente sua criação (invenção ou modelo de
utilidade). Em contrapartida, o inventor disponibiliza ao público o conteúdo técnico
da matéria protegida pela patente.

197
REFERÊNCIAS

Boletim da Agência Paranaense de Propriedade Industrial (APPI). Nº 01, setembro


de 2010. Disponível em: <http://nitpar.pr.gov.br/2010/08/31/english‐boletim‐da‐
appi/>. Acesso em 30 de set. 2010.

IBGE. Pesquisa de inovação tecnológica. Rio de Janeiro: IBGE, 2007. Disponível em:
<http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/industria/pintec/2005/pinte
c2005.pdf>. Acesso em 30 de set. 2010.

INPI. O que é patente? Disponível em: < http://www.inpi.gov.br/menu‐


esquerdo/patente/pasta_oquee >. Acesso em 30/09/2010.

LEI No 10.973, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004. Disponível em


<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004‐2006/2004/Lei/L10.973.htm>.
Acesso em: 30 de set. 2010.

MOREIRA, Daniel Augusto; QUEIROZ, Ana Carolina S. (coord.). Inovação


organizacional e tecnológica. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

REDE TEMÁTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, COOPERAÇÃO, NEGOCIAÇÃO E


COMERCIALIZAÇÃO DE TECNOLOGIA (REPICT). Estudo sobre a aplicação da Lei de
Inovação. 2006.

198
199

Você também pode gostar