Você está na página 1de 13
_|| i t a i EDI estuvo cerat vos Equitierios quimicos 1.1. Conceito de reagées reversiveis Até agora vocé pode ter ficado com a idéia de que, misturados os reagentes em condig6es favord- veis de pressao e de temperatura, a reacdo iria processar-se até um ou mais reagentes acabarem. Isso, porém, nem sempre corresponde a realidade. Seja, por exemplo, a reacao entre CO e NO, em um recipiente fechado mantido a 200 °C: Og) + NO,(@) —— CO,(g) + NOW) Incolor ——_Vermelho- Incolor Incolor Cores das ‘ermelhe ssubstindas auuehs Pelas cores apresentadas, concluimos que a cor da misturainicial (CO + NO,) 60 vermelho- castanho intenso, e que a mistura final Tempo (CO, + NO) éincolor. Sendo assim, se misturds- ssemos quantidades estequiometricamente exatas de reagentes (1 mol de CO e 1 mol de NO.) e areagao fosse até o final, a mistura resultante _sivagi inca Siang ial (mol de CO, € 1 mal de NO) devera ser inco-_ %eneth~sonbo emeliocasano Tor; no entanto ndo & isso 0 que acontece: o que vemos, ap6s certo tempo, é que a cor que o sistema passa a apresentar&0 vermelho-castanho fraco, que permaneceinalterado indefinidamente (sea temperatura permanecer constante). O que terd acontecido? Sera que a reagio “parou pelo caminho"? € importante também notar 0 que acontece com a reagdo inversa & mencionada CO, (g) + NO(g) —— CO(g) + NO, (9) Misturando-se 1 mol de CO, e 1 mol de NO, & CO, 0 NO iriam acabar e teriamos 1 mol de CO Tempo ia. ¢ 1 mol de NO,, mistura que apresentaria um co, = il \ vermelho-castanho intenso, devido ao NO;. Na No il . " . ¢ ) readade, porém, o sistema chega somente a0 SS mesmo vermelho-castanho fraco que fot obtido no final do primeiro experimento. Observe que tao logo a reacdo CO(g) + NO, (g) —— CO,(g) + NO(g) comecaase processar, seus produtos (CO, e NO) comecam a reagir entre si, de acordo com a reacdo inversa €O,(g)_ + NO(g) ——~ CO(g)_ + NO, (g), regenerando as substancias iniciais (CO e NO3) ‘Chega-se entdo a uma situagdo na qual as duas reacées se contrabalancam e o sistema permanece como se nenhuma reacao estivesse ocorrendo; a partir desse instante, as quantidades de reagentes ¢ de produtos permanecem inalteradas (se a temperatura permanecer constante), isto 6, a reagao alcan- sao estado de equilibr Assim, de modo geral, dizemos que: gto inci situagio final stu inclon (vermelhovcastanho face) Reagao reversivel é aquela que se processa simultaneamente nos dois sentidos. Ou ainda: Reagao reversivel é a reacao na qual os reagentes se transformam nos produtos, € estes, a medida que se formam, regeneram os reagentes iniciais. Capitulo © Equuisnios quivicos Homocthtos 181 S|) ore 4 ame _|| iT No exemplo considerado, temos: CO(g) + NOz(g) == CO,.(g) + NO(g) (200°C) Nesse caso, esté ocorrendo simultaneamente a reacdo da esquerda para a direita — chamada de reagao direta (1) —e a da direita para a esquerda — chamada de reacao inversa (2). Por convencao, costumam-se representar as reacdes reversiveis utilizando-se duas flechas em sentidos opostos. As reaces reversiveis s20 muito comuns na Quimica, Outros exemplos sao: 2NO, (g) === N,0, (9) (25°C) H:(g) + L@) === 2HIG@g) (400 °C) N@ + 3H,@) === 2NH(@) — (500°C) 250, (9) + 0,(9) === 250,() (700°C) HAGAR - Dik Browne F agora. VAMOS 9 FALAR SOBRE A EM PRIMETRO LUGAR, QUANDO EU GRITAR NATACAR". . NOCES DEVEM CORRER PARA A FRENTE, E NAO PARA TRAS. 1.2. Conceito de equilibrio quimico Voltando a reasao CO (g) + NO,(g) === CO,(g) + NO (G), vamos detalhar um pou- co mais o que acontece com as quantidades dos reagentes e dos produtos, a0 lango do tempo. Imagi- nemos uma experiéncia em que 1,00 mol de CO e 1,00 mol de NO, fossem colocados em um recipiente fechado, de 1litro de capacidade, e mantido a temperatura constante de 600 °C. Nesse instante inicial dda experiéncia, teriamos [CO] = 1,00 mol/L, [NO,] = 1,00 mol/L e ainda nao teriamos CO, nem NO. Iniciada a reacao, imaginemos que, com o passar do tempo, fossem obtidos os dados da tabela abaixo, na qual os valores indicados sao as concentracdes em mol/L de cada substancia em cada instante men- cionado (note que os valores da tabela sequem a estequiometria da reacao) Tempo de Tero, | COG) ~ NOG) === CO,(@) + NOG (600-9 ‘rms do 1190 ° © — Areacsovaicomesar Dio [os oso 950) Avessio do o32 oe oss | ets Chand Do | oa ozs 07 os Bia Pom O90 os ogo . Areacio Do | 02 920 oso ogo} crags so equliiio da | ox on oso ogo Veja que, dos 40 min aos 60 min, as concentracées nao mudam — dando a entender que, a partir desse ponto, permanecerao inalteradas. 182 CE TTS | | _|| i + a i Produtos (CO, ou NOP ‘Areacio est do de caminhando 4 equiv sudo nical Insante em que a reac entou em enulnis E 0 que estard acontecendo com as velocidades das reacdes nesse intervalo de tempo? Nas condigdes da experiéncia, a velocidade da rea- 40 direta (CO + NO, —— CO, + NO) é dada pela equa- G20 ¥ = [COJINO,] e vai diminuindo com o passar do tempo, como mostramos no gréfico ao lado. Isso acontece porque, com o tempo, a reagao direta consome CO ¢ NO,, suas concentracdes — [CO] e [NO,] —vao diminuindo e, portanto, vai decrescendo a velocidade v,, de acor- do com a férmula da lei cinética Para areacaoinversa(CO, + NO —— CO + NO),vale a férmula: v» ~ k; [CO,]INO]. Agora, temos o seguinte raciocinio: a me- dida que a reacao direta ocorre, formam-se quantidades cada vez maio- res de CO, € NO e suas concentracdes — [CO,] e [NO] —vao aumentan- do; consequentemente, v; aumenta, de acordo com 0 grafico ao lado. Lembrando agora que as reagées direta e inversa ocorrem simulta- neamente, é fécil concluir que, diminuindo v, ¢ aumentando vz, a0 fim de um tempo t (que, no caso da tabela da pagina anterior, € de 40 minu- tos) as duas velocidades se tornam iguais, ¢ a reacdo atinge o estado de equilibrio quimico (observe o gréfico ao lado). ‘© que acontece no equilibrio? Entre as moléculas (isto &, em nivel microscépico) continua haven- do reacdo, tanto no sentido direto como no sentido inverso. Por isso dizemos que 0 equilibrio € um equilibrio dinémico. Considerando-se o sistema inteiro (nivel macroscépico), tudo se passa como se a reagio tivesse parado. De fato, se num dado intervalo de tempo dez moléculas de CO e de NO, forem consumidas pela reacao direta, outras dez moléculas de CO e de NO, serdo refeitas pela rea- 40 inversa; desse modo, as quantidades de CO, NO,, CO, e NO per- ‘manecem inalteradas indefinidamente. Por isso 0 estado de equilbrio & também chamado de estado estacion: Sendo assim, dizemos que: Equilibrio quimico é 0 estado no qual as velocidades das reagdes direta e inversa se igualam CO estado de equi ou estaciondrio $0 parece com a stuagio de ua pessoa carendo am uma esters ergomtica esta se desloca para No equilfinia, s das as tomamesehorzontas formam paterared) Tempe ti Veloce Reacio dre i Ws, enguanta @ pessoa cotre pata a ante» paymanece no lugat Capitulo 5 » Equuisnos quivicos HoMockntos 183 S|) ocr ® 4 ame