Você está na página 1de 4

5 dicas bíblicas para enfrentar e vencer

as mais difíceis perdas da vida


Postado por Presbítero André Sanchez

Você pergunta: Eu perdi a minha mãe há cerca de um mês. Vou ser


bem sincera, minha vida parece que acabou. Não consigo entender
porque Deus levou a minha mãe, ela era uma pessoa tão boa para os
outros e Deus a leva de mim. Estou afastada da igreja por causa disso,
essa perda acabou com a minha vida. Deus acabou com a minha vida
levando a minha mãe. Não consigo dormir direito, estou triste e não
consigo perdoar Deus por ter feito isso. Mas ao mesmo tempo sei que
preciso sair desse poço sem fundo em que estou. O que devo fazer?

Cara leitora, todos nós passamos pelas perdas. Algumas não nos
impactam tanto, mas outras nos impactam profundamente e
dolorosamente, como a perda de um ente querido, no seu caso a sua
mãe. Seja a perda de alguma coisa importante (um emprego, por
exemplo) ou a perda de uma pessoa importante, precisamos saber
biblicamente como lidar com as perdas para que consigamos seguir no
caminho que Deus tem para nós. É por isso que quero compartilhar
cinco dicas bíblicas para lidar com a perda de coisas ou pessoas.
Seguindo essas dicas será muito mais fácil passar pelas perdas da vida
de uma forma que agrada a Deus.
Como enfrentar as mais difíceis perdas da vida?
(1) Sabendo que não é pecado sofrer pelas perdas

Nós somos seres providos de sentimento, Deus nos fez assim. Sentir
as perdas, chorar, até entristecer-se, não é pecado. Quando Lázaro
morreu e Jesus chegou e viu toda a tristeza da família, é relatado algo
que Jesus fez: “Jesus chorou. Então, disseram os judeus: Vede quanto
o amava” (João 11:35-36). Colocar os sentimentos para fora de maneira
positiva não é pecado. Porém, nossos sentimentos podem nos levar a
pecar se os deixarmos descontrolados. Um sentimento de perda
descontrolado pode nos levar à descrença, a jogarmos tudo para cima,
à revolta, à murmuração. Jesus chorou, mas manteve sua fé em Deus.

(2) Sabendo que não compreenderemos plenamente os propósitos de


Deus de imediato

Quando sofremos perdas queremos saber os motivos. Mas nem


sempre os descobrimos. Por que você perdeu sua mãe? Por que Deus
a levou neste momento e não mais tarde quando ela estivesse bem
velhinha? Não sabemos! Quando Jesus certa vez foi questionado do
porque fazia determinado ato, Ele respondeu aos seus
discípulos: “Respondeu-lhe Jesus: O que eu faço não o sabes agora;
compreendê-lo-ás depois” (João 13:7). Devemos descansar o nosso
coração na certeza de que Deus tem propósitos abençoadores até
mesmo em nossas perdas. Muitos desses propósitos não serão
compreendidos por nós de imediato. Foi o que Jó concluiu após sofrer
diversas perdas e sequer saber porque elas ocorreram: “Quem é
aquele, como disseste, que sem conhecimento encobre o conselho? Na
verdade, falei do que não entendia; coisas maravilhosas demais para
mim, coisas que eu não conhecia” (Jó 42:3). Saber disso deve criar em
nosso coração uma fé na plenitude da justiça de Deus, uma fé que faz
o nosso coração descansar diante das perdas.

(3) Sabendo que Deus é soberano sobre as nossas perdas

A Bíblia afirma a soberania de Deus em todas as coisas. Isso significa


que também em nossas perdas mais difíceis existe a soberania de Deus
atuando. Isso nos faz descansar o coração sabendo que Deus está
fazendo aquilo que é correto e justo, ainda que não entendamos.
Quando descansamos o nosso coração nesse fato, estaremos
fortalecendo a nossa fé para superar da melhor maneira possível as
nossas perdas.

(4) Não abandonar a fé nunca

Quando perdemos algo, a atitude humana mais natural é achar alguém


que possamos culpar. Quando não achamos ninguém, ou mesmo
quando a situação que passamos é muito dolorosa, culpamos a Deus.
Deus deveria ter feito alguma coisa, pensamos! Com esse pensamento
Deus passa a ser em nosso coração como uma espécie de inimigo.
Porém, pensar e agir assim tornará a nossa perda em algo destrutivo
para nosso coração. Tão difícil quanto sofrer uma perda é sofrer uma
perda e ir para longe de Deus. Paulo, no final de sua vida, com orgulho
santo, declarou: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei
a fé” (2Timóteo 4:7). Esse apóstolo passou por grandes perdas. Mas
ele orgulhava-se de ter guardado a fé. Ele não a perdeu, não a
abandonou. Creu em Deus sobre todas as coisas, venceu, superou
tudo!

(5) Não se isolar

Quando sofremos perdas o desejo de ficar isolado, de se fechar,


aparece de forma muito acentuada. Abandonar a igreja, não conversar
com as pessoas, enfim, sofrer de forma isolada agravará o nosso
estado. É evidente que momentos a sós são importantes para a reflexão
pessoal, mas esses momentos não podem acontecer o tempo todo.
Mesmo diante das perdas precisamos saber que a vida continua!
Temos uma missão, precisamos abençoar vidas, atuar na obra de
Deus, cumprir o nosso papel no mundo. Fazemos isso nos envolvendo
com outros. Envolver-nos com outras pessoas ajuda a superar as
perdas, ajuda-nos a ver que lá fora existe muito a ser feito e que nós
podemos ser agentes de bênção. Quando Elias foi ameaçado de morte
pela rainha Jezabel, ele fugiu, se isolou, ficou deprimido, se trancou em
uma caverna. Mas veja o que Deus diz a ele: “Ali, entrou numa caverna,
onde passou a noite; e eis que lhe veio a palavra do SENHOR e lhe
disse: Que fazes aqui, Elias?” (1 Reis 19:9). A seguir Deus mostra a
Elias que o isolamento e a lamentação não o levariam ao caminho que
Deus tinha para ele: “Disse-lhe o SENHOR: Vai, volta ao teu caminho
para o deserto de Damasco e, em chegando lá, unge a Hazael rei sobre
a Síria” (1 Reis 19:15). A vontade de Deus nunca é que fiquemos
isolados nas cavernas da vida. Ele nos quer lá fora, superando tudo e
fazendo a vontade Dele!

Interesses relacionados