Você está na página 1de 127

DERMATOLOGIA NA ATENÇÃO

PRIMÁRIA À SAÚDE

MAYARA JATOBÁ
MÉDICA DERMATOLOGISTA – HUPAA/UFAL
TÍTULO DE ESPECIALISTA PELA SBD
IMPORTÂNCIA DA DERMATOLOGIA NA APS
As queixas dermatológicas correspondem a cerca de 10%
a 36,5% das consultas.
Dessas, 4 a 10% necessitam de encaminhamento a um
especialista.
As doenças de pele têm significativo impacto na qualidade
de vida dos pacientes.
As manifestações clínicas cutâneas podem representar
primeiros sinais ou mesmo manifestações tardias de
patologias sistêmicas.
DERMATOSES DE INTERESSE NA APS
ERUPÇÕES ECZEMATOSAS DERMATOVIROSES
ERITÊMATO-ESCAMOSAS PIODERMITES
PURPÚRICAS HANSENÍASE
URTICADAS DST
PAPULO-PRURIGINOSAS
MICOSES SUPERFICIAIS
LTA
VÉSICO-BOLHOSAS
ECTOPARASITOSES
ULCEROSAS SINAIS DE DOENÇAS SISTÊMICAS
DISCROMIAS ERUPÇÕES POR DROGAS
FOLICULOSES FOTODERMATOSES
HIDROSES NEOPLASIAS CUTÂNEAS
TRICOSES PSICODERMATOSES
ONICOSES
CASO CLÍNICO 1
Paciente do sexo masculino queixa-se de
lesão nos pés há meses (não sabe
especificar início), pruriginosa. Melhora
parcial com uso de “pomadas”. Nega
medicações orais contínuas. Nega alergia
medicamentosa.
CASO CLÍNICO 1
CASO CLÍNICO 1
AVALIAÇÃO:

Dermatite de contato alérgica


CASO CLÍNICO 1
PLANO:

Corticoide tópico
Afastar o agente Anti-histamínico de média a alta
desencadeante oral não sedativo potência por
período limitado

Orientações (evitar
Hidratação coçadura, não usar
substâncias
irritantes, etc.)
ECZEMA
Eritema, edema,
AGUDO vesiculação e
secreção

Eritema e
edema menos
intensos
SUBAGUDO
Secreção com
formação de
crostas

CRÔNICO Liquenificação
DERMATITE DE CONTATO
POR IRRITANTE ALÉRGICA FOTOTÓXICA FOTOALÉRGICA
PRIMÁRIO

Absoluto

Relativo
CASO CLÍNICO 2
Paciente do sexo masculino, de 8
anos de idade, apresentando
manchas hipocrômicas não
descamativas na face. Nega
prurido associado ou dor, apenas
ardência a exposição solar. Sem
melhora com antifúngicos tópicos.
CASO CLÍNICO 2
AVALIAÇÃO:

Eczemátides
Dermatite atópica
CASO CLÍNICO 2
PLANO:

Pesquisar história
familiar e Orientação Evitar fatores
pessoal de sobre o banho irritantes
atopia

Hidratação Anti-histamínico
VO se prurido
PLANO:

Inibidores da calcineurina
Corticoide tópico de tópicos: tacrolimo Corticoide oral por curto
baixa ou média potência (Tarfic®, Protopic® - 0,03 período em situações Investigar infecção
por períodos curtos (10 a e 0,1%); pimecrolimo excepcionais secundária associada
20 dias) (Elidel® 1%)

Casos graves: Talidomida,


Sedativos Psicoterapia INF-γ, Metotrexato,
Azatioprina, Ciclosporina,
Micofenolato de mofetil
DERMATITE ATÓPICA E ALERGIA ALIMENTAR
O papel dos alimentos na DA é incerto.
< 10 dos casos estão associados com alergia alimentar.
Para pesquisar alérgeno alimentar, a prova mais conclusiva é a de exclusão.
CASO CLÍNICO 3
Paciente do sexo masculino, 50 anos, queixa-se
de “irritação” na face. Refere períodos de
melhora e piora, exacerbação das lesões em
momentos de estresse.
Além disso, também se queixa de “muita caspa”.
CASO CLÍNICO 3
AVALIAÇÃO:

Dermatite seborreica
CASO CLÍNICO 3
PLANO:
Emolientes

Corticoides tópicos de baixa potência nas crises

Azólicos tópicos (p. ex ., cetoconazol) em xampus (couro cabeludo) ou cremes (corpo)

Ciclopirox olamina (xampus ou cremes ): atividade antifúngica e anti- inflamatória

Opções de tratamento de segunda linha: piritionato de zinco, xampus de alcatrão,


inibidores de calcineurina tópicos
CASO CLÍNICO 4
CASO CLÍNICO 4
AVALIAÇÃO:

Dermatite seborreica do lactente


CASO CLÍNICO 4
PLANO:
Couro cabeludo Tronco e áreas intertriginosas Medidas gerais

• Remoção das escamas com óleo • Avaliar presença de infecção • Evitar excesso de roupas e
mineral ligeiramente aquecido fúngica ou bacteriana associada aquecimento
• Limpeza com água boricada ou • Limpeza com água boricada ou • Uso de roupas de algodão ou
solução de permanganato de solução de permanganato de linho
potássio a 1: 10.000 potássio a 1: 10.000 • Aumentar frequência da troca
• Creme de corticoide de baixa ou • Creme de corticoide de baixa ou de fraldas
média potência em associação média potência em associação
com antibacteriano ou com antibacteriano ou
antifúngico, se necessário antifúngico, se necessário
• Sabonetes ou xampus anti- • Creme ou pasta protetora à
seborreicos podem ser indicados base de óxido de zinco
ERITRODERMIA ESFOLIATIVA DO INFANTE
(DOENÇA DE LEINER)
Deficiência de C5;
Dermatite seborreica, diarreia, vômitos, anemia
e febre;
Internação hospitalar.
CASO CLÍNICO 5
Criança, 4 anos, apresenta lesão
eritematodescamativa na região
periorbital direita, com prurido
discreto, há cerca de 6 meses.
Chegou a apresentar regressão com
uso de tópico.
CASO CLÍNICO 5
Mãe ainda refere que paciente possui
alteração ungueal nos segundos
quirodáctilos bilateralmente desde o
nascimento.
CASO CLÍNICO 5
AVALIAÇÃO:

Psoríase
PSORÍASE GUTATA
PSORÍASE ERITRODÉRMICA
PSORÍASE PUSTULOSA

Forma generalizada
(Von Zumbusch)
PSORÍASE PUSTULOSA
Formas localizadas

Pustulose
palmoplantar

Acrodermatite
contínua de
Hallopeau
PSORÍASE ARTROPÁTICA
PSORÍASE NA INFÂNCIA
QUERATODERMA PALMOPLANTAR
PSORIÁSICO
PSORÍASE UNGUEAL
PSORÍASE INVERTIDA
CASO CLÍNICO 5
PLANO:

Pesquisar sinais de artrite Hidratação Banhos de sol*


psoriásica

Terapia tópica: Terapia sistêmica:


Fototerapia*
Corticoides
Metotrexato
Derivados do alcatrão
Acitretina
Análogos da vitamina D Ciclosporina
Antralina Imunobiológicos
CASO CLÍNICO 6
Paciente do sexo feminino, 25 anos,
notou surgimento de lesões
avermelhadas no tronco há cerca de 1
semana, com rápida progressão.
Como sintomatologia, refere apenas
prurido discreto. Nega uso de
medicações prévias.
CASO CLÍNICO 6
CASO CLÍNICO 6
AVALIAÇÃO:

Pitiríase rósea
CASO CLÍNICO 6
PLANO:

Conduta Corticoide
expectante tópico

Anti- Corticoide
histamínico sistêmico
VO eventualmente
CASO CLÍNICO 7
Adolescente de 17 anos,
sexo feminino, apresenta
placas eritematoedematosas,
pruriginosas, no tronco e
membros há menos de 24
horas, com rápida
progressão.
CASO CLÍNICO 7
AVALIAÇÃO:

Urticária aguda
CASO CLÍNICO 7
PLANO:
Remoção da causa identificada.

Tratamento farmacológico de 1ª linha: anti-H1 não sedantes (desloratadina*, levocetirizina,


fexofenadina*, cetirizina, loratadina, ebastina) – deve ser mantido 1 a 2 semanas até o
desaparecimento das urticas.
Tratamento alternativo se prurido intenso: anti-histamínicos sedantes.

Casos mais graves: associar corticoide oral (prednisona: 0,5 a 1 mg/kg/dia) por 3 dias.

Evitar: medicamentos e alimentos potencialmente urticariogênicos, exercícios físicos excessivos, banhos


muito quentes, tensões emocionais.
CASO CLÍNICO 8
Paciente idoso, agricultor,
apresenta lesões eritematosas
e eritematoacastanhadas, de
superfície áspera, na face.
CASO CLÍNICO 8
AVALIAÇÃO:

Ceratoses actínicas
CASO CLÍNICO 8
PLANO:

Tratamento
Fotoproteção tópico Procedimentos
5-FU (Efurix®): 2x/d, Criocirurgia
2 a 4 sem Curetagem +
Imiquimode: 2x/sem, eletrocoagulação
16 sem Laser
Mebutato de ingenol Peeling químico
(Picato®): 2 a 3 dias Terapia fotodinâmica
Diclofenaco de sódio
(3%) com ácido
hialurônico (2,5%) em
gel: 2x/d, 90 d
CASO CLÍNICO 9
Paciente do sexo feminino, 55
anos, queixa-se de manchas
acastanhadas na face e nos
MMSS.
CASO CLÍNICO 9
AVALIAÇÃO:

Melanoses solares
CASO CLÍNICO 9
PLANO:

FOTOPROTEÇÃO Crioterapia Laser

ATA Tretinoina
(0,05% a 0,1%)
CASO CLÍNICO 9
Paciente do sexo feminino, 50 anos, queixa-se
de manchas brancas nos membros superiores
e inferiores.
CASO CLÍNICO 9
AVALIAÇÃO:

Leucodermias gutatas/solares
CASO CLÍNICO 9
PLANO:

Fotoproteção
CASO CLÍNICO 10
Paciente do sexo feminino, 22 anos,
queixa-se de “bolhas” no dorso há 1 dia.
Refere ardor e prurido local, presentes
antes do surgimento das lesões.
CASO CLÍNICO 10
AVALIAÇÃO:

Herpes simples
CASO CLÍNICO 10
PLANO:
Não romper Aciclovir: 200 mg, Aciclovir: dose Aciclovir: 400 mg,

(>6/ano)
Cuidados locais

Terapia medicamentosa

Imunocomprometidos

Recidivas frequentes
vesículas 5x/d, 5d duplicada 1 a 2x/d, até o
Antisséptico tópico Valaciclovir: 500 Fanciclovir: dose desaparecimento
mg, 2x/d, 5d duplicada ou das recidivas (mín. 6
triplicada meses)
Fanciclovir:
Primoinfecção Valaciclovir: mesma Cloridrato de Lisina
genital– 250 mg, dose (RESIST®): 500 mg,
3x/d, 10d 3x/d, 6 meses
Herpes genital
recidivante- 125
mg, 2x/d, 5d
GESTAÇÃO LACTAÇÃO

ACICLOVIR Categoria B OK

FANCICLOVIR Categoria B ?

VALACICLOVIR Categoria B OK

ACICLOVIR TÓPICO: SEM EFICÁCIA!


CASO CLÍNICO 11
Paciente do sexo masculino, 18 anos,
queixa-se de lesões cutâneas
pruriginosas há 2 dias. Informa que
quadro foi precedido por febre e
mal-estar. As lesões começaram no
tórax anterior, com progressão para
abdome e dorso. Inicialmente, eram
pápulas; hoje, observou vesículas.
CASO CLÍNICO 11
AVALIAÇÃO:

Varicela
CASO CLÍNICO 11
PLANO:

Cuidados locais: não Sintomáticos:


manipular lesões, uso antitérmico, analgésico Aciclovir, VO, 800
de antissépticos não salicilato, anti- mg, 5x/d, 7 dias
histamínico sistêmico
INDICAÇÕES DE ACICLOVIR VO
a) Pacientes sadios com idade igual ou
superior a treze anos, na ausência de Crianças:
gravidez; 20 mg/kg/dose,
5x/d, dose máx. de
b) Crianças com idade superior a doze 800 mg/d, 5 dias
meses, com doença cutânea ou pulmonar
crônica, bem como aquelas recebendo
terapia prolongada com salicilato;
Adultos:
c) Crianças recebendo corticoterapia em 800 mg, 5x/d, 7
aerossol, intermitente ou por tempo curto. dias
CASO CLÍNICO 12
Paciente do sexo masculino, 65 anos,
queixa-se de dor no flanco esquerdo
há 2 dias, evoluindo com surgimento
de lesões cutâneas no local.
CASO CLÍNICO 12
AVALIAÇÃO:

Herpes zoster
CASO CLÍNICO 12
PLANO:

Cuidados locais: não manipular lesões, uso de antissépticos

Sintomáticos: anti-histamínico sistêmico, loção de calamina, analgésico e AINE


para dor leve a moderada, opioide se dor intensa, loção, corticoide oral (?)

Antiviral
CASO CLÍNICO 12
TRATAMENTO DA NEURAGIA PÓS-HERPÉTICA

Gabapentina: 300 a 400 mg, 2x/dia;


Carbamazepina: 100 a 200 mg, 2x/dia;
Amitriptilina: início com 10 a 25 mg/dia, podendo aumentar até 75mg/dia;
Lidocaína creme a 4%;
Capsaicina creme (0,025 a 0,075%).
CASO CLÍNICO 13
CASO CLÍNICO 13
AVALIAÇÃO:

Verruga vulgar
CASO CLÍNICO 13
PLANO:

Ácido salicílico Imiquimode creme Sulfato de zinco*


Não manipular (16,5%) e ácido – uso eventual em VO: 10mg/kg/dia
lesões láctico (14,5%) em lesões resistentes; (máx. 600 mg/d)
colódio flexível 3x/sem
CASO CLÍNICO 14
CASO CLÍNICO 13
AVALIAÇÃO:

Verruga plantar
CASO CLÍNICO 13
PLANO:

Debastamento + Cremes queratolíticos: Imiquimode creme –


ácido nítrico ureia 20% com ou uso eventual em
fumegante (66%) sem ácido salicílico lesões resistentes;
(3-5%) 3x/sem
CASO CLÍNICO 14
Criança de 6 anos, sexo masculino, apresenta
pápulas normocrômicas, assintomáticas no tronco.
CASO CLÍNICO 14
AVALIAÇÃO:

Molusco contagioso
CASO CLÍNICO 14
PLANO:

Curetagem- anestesia
tópica (Dermomax®, KOH (5 a 10%) em Imiquimode creme –
vaselina semi-sólida- uso eventual em lesões
Emla®) 1 a 2 horas uso diário resistentes; 3x/sem
antes do procedimento

Sulfato de zinco* VO:


10mg/kg/dia (máx. Expectante*
600 mg/d)
CASO CLÍNICO 15
Paciente do sexo masculino,
22 anos, queixa-se do
surgimento de múltiplas lesões
eritematosas na coxa direita,
algumas com drenagem
espontânea de secreção
purulenta.
CASO CLÍNICO 15
AVALIAÇÃO:

Furunculose
CASO CLÍNICO 15
PLANO:
Cuidados locais: Compressas quentes; limpeza com sabonetes antissépticos (triclosano a
1%), clorexidina, solução aquosa de permanganato de potássio; curativos.

Antibioticoterapia sistêmica: cefalexina, VO, 500 mg, 6/6 horas, 7 dias.

Drenagem cirúrgica: pequena incisão após surgimento de ponto de flutuação.

Descolonização estafilocócica: uso de sabonetes antissépticos ou clorexidina e uso


tópico de mupirocina no vestíbulo nasal, por 5 dias
CASO CLÍNICO 16
Paciente do sexo feminino, 50
anos, queixa-se de
“vermelhão” na perna direita
com 3 dias de evolução.
Febre associada.
CASO CLÍNICO 16
AVALIAÇÃO:

Erisipela
CASO CLÍNICO 16
PLANO:
Orientações/ cuidados locais Antibioticoterapia empírica Uso da Penicilina Benzatina

• Repouso • Amoxicilina 500 mg, 8/8h; • Para prevenção de recidivas:


• Elevação de MMII • Cefalexina 500 – 1000 mg, 1.200.000 UI, IM, 1x/sem, 3-4
• Limpeza com sabonetes 6/6h; sem.
antissépticos, clorexidina, solução • Cefadroxila 500 – 1000 mg, • Como profilaxia para formas de
aquosa de permanganato de 12/12h; repetição: 1.200.000 UI, IM,
potássio, água boricada. • Claritromicina 500 mg, 12/12h; 21/21 dias, vários meses.
• Clindamicina 300 – 600 mg,
8/8h;
• SMX/TMP 800/160 mg, 12/12h
• Duração: 10 a 14 dias.
CASO CLÍNICO 17
CASO CLÍNICO 17
AVALIAÇÃO:

Intertrigo interpododáctilo
CASO CLÍNICO 17
PLANO:

Secar bem os espaços interdigitais; uso de antissépticos para limpeza local

Avaliar presença de infecção secundária

Antifúngicos tópicos por 4 a 6 semanas, 2x/d – derivados imidazólicos (cetoconazol,


isoconazol, tioconazol, econazol, bifonazol); ciclopirox olamina; terbinafina
CASO CLÍNICO 18
Criança de 5 anos apresenta
lesão eritematodescamativa,
assintomática, na nádega
esquerda há cerca de 3
meses. Mãe refere uso de
tópicos diversos, com melhora
parcial com a utilização e
recidiva após interrupção dos
tratamentos.
CASO CLÍNICO 18
AVALIAÇÃO:

Tinea corporis
CASO CLÍNICO 18
PLANO:
Antifúngicos tópicos por 2 a 4 semanas, 2x/d:
Lesões
localizadas Derivados imidazólicos (cetoconazol, isoconazol, tioconazol, econazol, bifonazol);

Ciclopirox olamina;

Terbinafina

Antifúngicos orais por 2 a 4 semanas:


Formas
Griseofulvina: 500 a 1000 mg/d (crianças: 15-20 mg/kg/d);
extensas ou
inflamatórias Terbinafina*: 250 mg/d (crianças: 250 mg/d, > 40kg; 125 mg/d, 20-40 kg; 62,5 mg/d, < 20 kg);
Itraconazol: 100 a 200 mg/d (crianças: 3 a 5 mg/kg/d);
Fluconazol**: 150 a 300 mg/sem (crianças: 3 mg/kg/d).
CASO CLÍNICO 19
Paciente do sexo masculino,
45 anos, queixa-se de lesão
ungueal no hálux esquerdo
há vários anos. Nega trauma
local.
CASO CLÍNICO 19
AVALIAÇÃO:

Onicomicose
Psoríase ungueal
Líquen plano ungueal
CASO CLÍNICO 19
PLANO:
Confirmar diagnóstico com exame Opções:
micológico;
Amorolfina 5% esmalte – 2x/sem;
Tratamento tópico:
Indicações:
Ciclopirox olamina 8% esmalte – 3x/sem;
 Matriz ungueal não acometida;  Tioconazol solução 28% - 2x/d.
 Contraindicação ao tratamento sistêmico;
 Onicomicose branca superficial;
 Profilaxia pós-tratamento.
CASO CLÍNICO 19
PLANO:
Tratamento tópico: Tempo de tratamento:
Indicações:  Unhas das mãos: 3 a 6 meses;
 Matriz ungueal acometida;  Unhas dos pés: 6 a 18 meses.
 Mais de 50% de acometimento da lâmina ungueal;
 Pouca resposta com terapia tópica;
A combinação da terapia tópica e sistêmica
parece ser mais efetiva.
Opções:
 Itraconazol – 100 a 200 mg/d (pulso: 200 mg,
2x/d, 1 sem/mês);
 Terbinafina – 250 mg/d (pulso: 250 mg, 2x/d, 1 Abrasão da lâmina está indicada em casos
sem/mês); de hiperceratose subungueal acentuada.
 Fluconazol – 150 – 300 mg/sem.
CASO CLÍNICO 20
Criança do sexo masculino,
5 anos, apresenta áreas de
alopecia no couro cabeludo.
CASO CLÍNICO 20
AVALIAÇÃO:

Tinea capitis
Tinea capitis tonsurante microspórica Tinea capitis tonsurante tricofítica

Kerion Tinea
celsi favosa
CASO CLÍNICO 20
PLANO:

Griseofulvina: 15-20 mg/kg/d, em duas tomadas após as refeições, 6 a 12 semanas;

Terbinafina: 250 mg/d, > 40kg; 125 mg/d, 20-40 kg; 62,5 mg/d, < 20 kg; 4 a 8
semanas;
Itraconazol: 5 mg/kg/d por 4 semanas, ou pulsoterapia com dose de 5 mg/kg/d durante 1
semana no mês, durante 2-4 meses.
Fluconazol: 6 mg/kg/d por 3 semenas ou 5 mg/kg/d por 4 semanas.

Kerion celsi: limpeza com antissépticos; drenagem, se supuração intensa; antibioticotepapia


oral, se infecção secundária.
CASO CLÍNICO 21
Adolescente de 17 anos, sexo
masculino, queixa-se de lesões
no dorso há cerca de 3 meses.
Nega sintomatologia
CASO CLÍNICO 21
AVALIAÇÃO:

Pitiríase versicolor
CASO CLÍNICO 21
PLANO:
Sulfeto de selênio 2,5% em sabonete líquido: 1x/d por 4 semanas;
Tratamento
tópico Cetoconazol 1-2% em xampu: 1x/d por 4 semanas. Risco de recorrência: uso 1x/sem.;

Alternativas: cremes e loções azóis/alilaminas, propilenoglicol 50 % em água, nistatina, ácido


salicílico e xampus anticaspa.
Itraconazol 100 mg, 2x/d, 5 dias;
Tratamento
sistêmico Fluconazol 150 mg/sem, 4 sem.; 450 mg, dose única;

Cetoconazol 200 mg/d, 10 dias.

Uso de tópicos 1x/sem;


PV
recidivante Antifúngicos orais: itraconazol 200-400 mg/m; cetoconazol 400 mg/m; fluconazol 300 mg/mês.
Uso por 6 meses;
Isotretinoína 0,5 a 1 mg/kg por 4-5 meses.
CASO CLÍNICO 22
Criança de 6 anos, sexo
feminino, vem ao ambulatório
acompanhada pela mãe, que
refere surgimento de pápulas
eritematopruriginosas no
abdome e nas mãos da
paciente há aproximadamente
1 semana. Nega casos
familiares.
CASO CLÍNICO 22
AVALIAÇÃO:

Escabiose
CASO CLÍNICO 22
PLANO:
Tratamento Permetrina: 1ª escolha; creme ou loção a 5%. Pode ser utilizado em crianças, gestantes e
lactantes. Aplicar em todo o corpo, do pescoço aos pés (nas crianças, usar no couro cabeludo
tópico e sulcos retroauriculares), por 2 noites seguidas. Lavar roupa de cama ao fim do tratamento.
Enxofre precipitado (5 a 10% em vaselina ou pasta d´água): terapia tópica alternativa.
Pode ser utilizado em crianças, gestantes e lactantes. Terapia de escolha em menores de 2
meses. Aplica-se em todo o corpo por um período de 4 noites.

Tratamento Ivermectina: liberada a partir de 5 anos e > 15 kg. Dose: 200 mcg/kg, dose única, que
pode ser repetida após 7 dias.
sistêmico Gestação: categoria C. Excretada no leito materno.
CASO CLÍNICO 23
CASO CLÍNICO 23
AVALIAÇÃO:

Pediculose do couro cabeludo


CASO CLÍNICO 23
PLANO:

Tratamento Permetrina: xampu a 1% - deixada no couro cabeludo por 10 min e


enxaguada em seguida.
tópico Loção a 5% - usada no couro cabeludo à noite e removida pela manhã.
Repetir uso após 7-10 dias.

Tratamento Ivermectina: 200 mcg/kg, dose única, repetida após 7-10 dias.
sistêmico
Sulfametoxazol + Trimetoprim: 400 + 80 mg, 3x/d, 3 dias consecutivos,
repetido após 7-10 dias. *Eficácia maior se associação com permetrina.
CASO CLÍNICO 23
PLANO:

Lêndeas Remoção mecânica com pente fino;

Aplicar solução aquosa de ácido acético (diluição de vinagre


branco em água, em partes iguais) no couro cabeludo, por cerca
de 20 minutos, facilita remoção;
Após uso, os pentes devem ser colocados em contato com
pediculocidas por 10-15 minutos e, em seguida, lavados com água
quente.
CASO CLÍNICO 24
Paciente do sexo masculino, 27
anos, queixa-se de lesão
pruriginosa no pé esquerdo há
2 dias. Relata contato com
areia no último final de
semana
CASO CLÍNICO 24
AVALIAÇÃO:

Larva migrans
CASO CLÍNICO 24
PLANO:

Tratamento Albendazol: 400 mg/d, 1-3 dias;


sistêmico Ivermectina: 200 mcg/kg, dose única.
Tratamento Tiabendazol (5% em pomada): 3x/d, 3-5 dias até 2
tópico semanas.

Sintomáticos Corticoides tópicos de baixa a média potência;


Anti-histamínico VO.
CASO CLÍNICO 25
CASO CLÍNICO 25
AVALIAÇÃO:

(Hiper)queratose plantar
CASO CLÍNICO 25
PLANO:

Orientações: uso de
calçados adequados, Emolientes
evitar andar descalço

Queratolíticos: ureia
20% em creme com Fissuras: antibióticos
ou sem ácido salicílico tópicos 3x/d
3-5%; vaselina
salicilada 10-15%

Você também pode gostar