Você está na página 1de 42

Introdução ao Livro A

Obediência de um
Cristão

Por William Tyndale (1484-1536)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

Fev/2019
T987
Tyndale, William - 1484-1536
Introdução ao livro A Obediência de um
Cristão / William Tyndale
Tradução e adaptação Silvio Dutra Alves – Rio
de Janeiro, 2019.
49p.; 14,8 x21cm

1. Teologia. 2. Vida Cristã. 3. Alves, Silvio Dutra.


I. Título.

CDD 252

2
AO LEITOR.

Graça, paz e aumento de conhecimento em nosso Senhor


Jesus Cristo, esteja contigo, leitor e com todos os que
invocam o nome do Senhor com sinceridade e com uma
consciência pura. Amém.

Que não te desesperes, nem te desencorajes, ó leitor, que


te é proibido em dor de vida e bens, ou que se faz quebrado
da paz do rei, ou traição a sua alteza, por ler a palavra da
saúde da tua alma. Mas, antes, seja ousado no Senhor e
consolide sua alma: se tiveres certeza e tiveres um sinal
evidente de tal perseguição, essa é a verdadeira palavra de
Deus; palavra a qual é sempre odiada do mundo, nem
nunca foi sem perseguição, (como você vê em todas as
histórias da Bíblia, tanto do Novo Testamento e também
do Antigo), nem pode ser, não mais do que o sol pode ser
sem a sua luz; e porquanto ao contrário, tens a certeza de
que a doutrina do papa não é de Deus, a qual (como vês) é
tão agradável ao mundo, e é tão recebida do mundo; ou
que, ao contrário, recebe o mundo e os prazeres do mundo,
e não busca nada senão as posses do mundo e autoridade
no mundo, e sustentar uma regra no mundo; e persegue a
palavra de Deus, e com toda a destreza afasta as pessoas
dela e, com razões falsas e sofismas, faz com que tenham
medo dela; sim, amaldiçoa-os e excomunga-os, levando-
os a crer que serão condenados se olharem para eles e que
é doutrina enganar os homens; e faz com que os poderes
cegos do mundo matem com fogo, água e espada, tudo o
3
que se apega a ele; porque o mundo ama o que é seu, e
odeia o que é escolhido no mundo para servir a Deus no
Espírito, como Cristo diz aos seus discípulos, como lemos
em João: “Se fôsseis do mundo, o mundo amaria o seu
próprio; mas como vos escolhi do mundo, portanto, o
mundo vos odeia.”

Conforta-te outro, que, assim como os poderes fracos do


mundo defendem a doutrina do mundo, assim o poderoso
poder de Deus defende a doutrina de Deus: o que
evidentemente perceberás se te lembrares das maravilhas
que Deus sempre forjou por sua palavra em extrema
necessidade, desde que o mundo começou, além da razão
de todo homem, que estão escritas (como diz Paulo,
Romanos 15) “para nosso aprendizado (e não para o nosso
engano) para que pela paciência e pelo conforto da
Escritura possas ter esperança.” A natureza da palavra de
Deus é lutar contra os hipócritas.

Tudo começou em Abel, e desde então tem continuado, e


não duvido, até o último dia. E os hipócritas têm sempre o
mundo ao seu lado; como você vê no tempo de Cristo. Eles
tinham os anciãos, isto é, os governantes dos judeus a seu
lado; tinham Pilatos e o poder do imperador a seu
lado; Herodes também estava do lado deles; além disso,
eles levaram toda a sabedoria do mundo deles para passar,
e tudo o que puderam pensar, ou imaginar, para servir ao
seu propósito. Primeiro, para fazer temer o povo,
excomungaram todos os que acreditavam nEle e os
expulsaram do templo; como você vê, João 9. Em segundo
4
lugar, eles encontraram os meios para que ele fosse
condenado pelo poder do imperador, e que fez traição a
César para acreditarem nele. Em terceiro lugar, eles
conseguiram que ele fosse crucificado como um ladrão ou
um assassino, o qual, segundo a sabedoria deles, era uma
causa acima de todas as causas que nenhum homem
deveria acreditar nele: pois os judeus o tomam como um
sinal seguro de perdição eterna. se um homem for
crucificado; porque está escrito na sua lei, Deuteronômio
21 “Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”.
Moisés também no mesmo lugar manda, se alguém for
pendurado, que o tire do madeiro no mesmo dia e sepulte-
o, por temer poluir ou contaminar. o país; isto é, para que
eles não tragam a ira e a maldição de Deus sobre eles. E,
portanto, os próprios iníquos judeus, que com ódio tão
venenoso perseguiram a doutrina de Cristo, e fizeram toda
a vergonha que puderam fazer a ele, embora desejassem
ter tido Cristo para pendurar na cruz e ali apodrecer ( como
deveria ter feito pela lei do imperador), mas por medo de
profanar o sábado e de trazer a ira e maldição de Deus
sobre eles, imploraram a Pilatos que o crucificasse, João
19, que era contra eles. Finalmente, quando eles fizeram
tudo o que puderam, e que eles pensaram o suficiente, e
quando Cristo estava no coração da terra, e com tantas
contas e medidas sobre ele para mantê-lo abatido, e
quando passou da ajuda do homem, então Deus o
ajudou. Quando o homem não pôde trazê-lo novamente, a
verdade de Deus o buscou novamente. O juramento que
Deus jurara a Abraão, a Davi e a outros santos pais e
profetas, ressuscitou-o para abençoar e salvar todos os que
5
nele crerem. Assim se tornou a sabedoria da tolice dos
hipócritas. Eis que isto foi escrito para o teu aprendizado
e conforto.

Quão maravilhosamente foram os filhos de Israel presos


no Egito! Em que tribulação, sobrecarga e adversidade
eles estavam! A terra que lhes fora prometida estava longe
e cheia de grandes cidades, muradas com muros altos até
o céu e habitada por grandes gigantes; mas a verdade de
Deus os tirou do Egito e os plantou na terra dos gigantes.
Isso também foi escrito para nosso aprendizado: pois não
há poder contra Deus, nem sabedoria contra a sabedoria de
Deus: ele é mais forte e mais sábio que todos os seus
inimigos. Que esperava Faraó, para afogar os filhos dos
homens? Tão pouco (temo que não) será que, no último
caso, ajudará o papa e seus bispos a queimar nossos
filhos; que confessadamente professam que Jesus Cristo é
o Senhor, e que não há outro nome dado pelo qual
possamos ser salvos, como Pedro testifica, em Atos, no
quarto capítulo.

Quem secou o Mar Vermelho? Quem matou


Golias? Quem fez todas aquelas maravilhas que tu lestes
na bíblia? Quem libertou os israelitas do cativeiro e da
servidão, tão logo se arrependeram e se voltaram para
Deus? Fé em verdade, e a verdade de Deus, e a confiança
nas promessas que ele fez. Leia o 11º aos Hebreus para o
seu consolo.
6
Quando os filhos de Israel estavam prontos para
desesperar, pela grandeza e multidão dos gigantes, Moisés
acalentou-os sempre, dizendo: Lembra-te do que o Senhor
Deus te fez no Egito, das suas maravilhosas pragas, dos
seus milagres, das suas maravilhas, do poder da sua mão,
e seu braço estendido, e o que ele fez por você até
agora. Ele os destruirá; ele tomará o coração deles e os fará
temer e fugir diante de você. Ele os açoitará, e suscitará
uma tempestade entre eles, e os espalhará e os
destruirá. Ele jurou; ele é verdadeiro; ele cumprirá as
promessas que fez a Abraão, Isaque e Jacó. Isto está
escrito para o nosso aprendizado: pois, na verdade, ele é
um Deus verdadeiro; e é o nosso Deus assim como o
deles; e suas promessas estão conosco, assim como com
eles; e ele está presente conosco, assim como estava com
eles. Se pedirmos, obteremos; se batermos, ele abrirá; se
procurarmos, encontraremos; se tivermos sede, sua
verdade vencerá nossa luxúria.

Cristo está conosco até o fim do mundo. Que o seu


pequeno rebanho seja ousado, portanto.

Porque, se Deus está do nosso lado, que importa quem está


contra nós, sejam eles bispos, cardeais, papas, ou
quaisquer nomes que eles atribuam a si mesmos?

Marque isto também, se Deus te enviar ao mar, e prometer


ir contigo, e te trazer a salvo para a terra, ele levantará uma
tempestade contra ti, para provar se queres obedecer à Sua
palavra, e que tu podes sentir a tua fé e perceber a Sua
7
bondade. Pois, se fosse sempre bom tempo, e tu nunca
tivesses sido trazido a tal perigo, de onde a Sua
misericórdia te livrou, a tua fé não passaria de uma
presunção, e tu serias sempre ingrato para com Deus e sem
misericórdia para com o teu próximo.

Se Deus promete riquezas, o caminho é a pobreza. A quem


ele ama, ele corrige; a quem ele eleva, ele derruba: a quem
ele salva, ele condena primeiro. Ele não traz nenhum
homem para o céu, exceto que ele o envie para o
inferno primeiro. Se ele promete vida, ele primeiro mata:
quando ele edifica, ele derruba primeiro. Ele não é
remendador; ele não pode construir sobre a fundação de
outro homem.

Ele não trabalhará até que tudo que seja remédio tenha
passado, e trazido para tal caso, que os homens possam
ver, como que sua mão, seu poder, sua misericórdia, sua
bondade e verdade, forjaram completamente. Ele não
permitirá que nenhum homem participe com ele de seu
louvor e glória. Suas obras são maravilhosas e contrárias
às obras do homem. Que sempre, salvando ele, entregou
seu próprio Filho, seu único Filho, seu querido Filho, até
a morte, e que por causa de seus inimigos, para ganhar seu
inimigo, para vencê-lo com amor, para que ele pudesse ver
amor e amor mais uma vez, e de amor fazer o mesmo com
outros homens e superá-los com o bem fazer?

José viu o sol, a lua e as onze estrelas adorando-o. No


entanto, antes que acontecesse, Deus o colocou onde não
8
podia ver sol nem lua, nem estrela do céu e muitos anos; e
também não merecido; alimentá-lo, humilhá-lo, e ensiná-
lo nos caminhos de Deus, e torná-lo apto e encontrar-se
para o lugar e a honra contra ele veio a ele; para que ele
pudesse perceber e sentir que veio de Deus, e que ele pode
ser forte no espírito para ministrar-lhe piedosamente.

Ele prometeu aos filhos de Israel uma terra com rios de


leite e mel; mas levou-os pelo espaço de quarenta anos a
uma terra onde não apenas rios de leite e mel não existiam,
mas onde não havia mais gota de água; para educá-los e
ensiná-los, como um pai faz com seu filho e para faze-lhes
bem no final; e que eles pudessem ser fortes em seu
espírito e alma, para usar seus dons e benefícios piedosos
e segundo a sua vontade.

Ele prometeu a Davi um reino e imediatamente incitou o


rei Saul contra ele para persegui-lo; caçá-lo, como os
homens fazem com lebres e com galgos, e para tirá-lo de
todos os buracos, e que pelo espaço de muitos anos; domá-
lo, manchá-lo, matar suas luxúrias; fazê-lo sentir as
doenças de outros homens; para torná-lo
misericordioso; para fazê-lo entender que ele foi feito rei
para ministrar e para pontuar seus irmãos, e que ele não
deve pensar que seus súditos foram feitos para ministrar
aos seus desejos, e que era lícito para ele tirar deles a vida
e os bens em seu prazer.

Oh que nossos reis fossem assim nutridos hoje em


dia! Que os nossos santos bispos ensinassem de uma
9
maneira muito diferente, dizendo: A tua graça te
apetecera; sim, tome o prazer que você lista, não poupe
nada; nós dispensaremos vocês; nós temos poder, somos
os vigários de Deus: e deixe-nos sozinhos com o reino,
vamos sentir dor por você e ver que nada está bem: sua
graça apenas defenderá a fé.

Vamos, portanto, olhar diligentemente para o que somos


chamados, que não nos enganemos. Somos chamados a
não disputar, como fazem os discípulos do papa; mas
morrer com Cristo, para que possamos viver com ele; e
sofrer com ele, para que possamos reinar com ele. Somos
chamados a um reino que deve ser vencido apenas com
sofrimento, quando um homem doente ganha saúde. Deus
é o que faz todas as coisas por nós e luta por nós; e nós
apenas sofremos. Cristo diz: “Assim como meu Pai me
enviou, eu também vos envio”. “Se eles me perseguirem,
perseguirão vocês”. (João 15) E Cristo disse: “Eu vos
envio como ovelhas entre os lobos.” (Mateus 10). As
ovelhas não lutam; mas o pastor luta por elas e cuida
delas. “Portanto, sejam inofensivos como pombas”, disse
Cristo, “e sábios como as serpentes”. As pombas não
imaginam defesa, nem procuram se vingar.

A sabedoria da serpente é manter a cabeça e as partes em


que sua vida se sustenta. Cristo é a nossa cabeça; e a
palavra de Deus é aquela em que nossa vida descansa.

Portanto, em nos apegarmos a Cristo e às promessas que


Deus nos fez por amor dele, está a nossa
10
sabedoria. “Cuidado com os homens”, diz ele; Porque eles
vos entregarão aos seus conselhos e vos açoitarão; e sereis
levados a príncipes e reis por minha causa. Um irmão
trairá ou entregará seu irmão à morte, e o pai ao filho; e os
filhos se levantarão contra pai e mãe, e os matarão.” Ouça
o que Cristo diz mais: “O discípulo não é maior do que o
seu senhor; nem o servo maior ou melhor do que o seu
senhor. Se eles chamarem o bom homem da casa de
Belzebu, quanto mais chamarão os seus servos
domésticos!” E, em Lucas 14 diz Cristo: “Qual dentre vós,
disposto a construir uma torre, não se assenta primeiro e
conta o custo? Se ele tem o suficiente para realizá-lo? Para
que, quando ele estabeleceu o fundamento, e então não
seja capaz de executá-lo, todos os que o virem comecem a
zombar dele, dizendo: Este homem começou a edificar e
não conseguiu acabar; assim também nenhum de vós, que
não renuncia a tudo o que tem, pode ser meu discípulo”.
Portanto, qualquer que não julgue isso, devo comprometer
a vida, os bens, a honra, a adoração e tudo o que existe,
por amor de Cristo, engana-se e faz alguém zombando de
si mesmo aos hipócritas e infiéis ímpios. "Nenhum
homem pode servir a dois senhores, Deus e Mamom", isto
é, riquezas perversas também. Mateus 6. Tu deves amar a
Cristo acima de todas as coisas, mas não o fazes, se não
estiveres pronto a abandonar tudo por amor de Deus; se
deixaste tudo por causa dele, então tens a certeza de que o
amas.

A tribulação é o nosso batismo certo; e é significado


mergulhando na água. “Nós que somos batizados em
11
nome de Cristo”, diz Paulo, “somos batizados para morrer
com ele”.

O Espírito, através da tribulação, nos purifica e mata a


nossa inteligência carnal, a nossa compreensão mundana e
a sabedoria da barriga, e enche-nos da sabedoria de Deus.
A tribulação é uma bênção que vem de Deus, como
testemunha a Cristo: “Bem-aventurados os que sofrem
perseguição por causa da justiça; porque deles é o reino
dos céus ”. Essa não é uma palavra confortável? Quem
prefere não escolher, e desejar ser abençoado com Cristo,
numa pequena tribulação, do que ser amaldiçoado
perpetuamente com o mundo por um pouco de prazer?

Prosperidade é uma maldição correta e uma coisa que


Deus dá aos seus inimigos. "Ai de vós, ricos", diz Cristo,
Lucas 6 "eis a vossa consolação: ai de vós, que estais
cheios, pois vós tereis fome: ai de vós que rides, porque
chorareis: ai de vós quando os homens vos louvam, assim
como os seus pais aos falsos profetas”; e assim fizeram
nossos pais aos falsos e hipócritas. Os hipócritas, com
pregações mundanas, não receberam apenas o louvor, mas
até as posses também, e o domínio e governo de todo o
mundo.

A tribulação pela justiça não é apenas uma bênção, mas


também uma dádiva que Deus não dá a ninguém além de
seus amigos especiais. Os apóstolos regozijaram-se por
terem sido considerados dignos de sofrer repreensão por
amor de Cristo. E Paulo, na segunda epístola e terceiro
12
capítulo a Timóteo, diz: "Todos os que vivem
piedosamente em Cristo Jesus devem sofrer perseguição",
e, Filipenses 1, ele diz: "A vós é dado, não só a acreditar
em Cristo, mas também sofrer por causa dele ”.

Aqui vês que é dom de Deus sofrer por amor de Cristo. E


Pedro no quarto capítulo de sua primeira epístola diz:
“Felizes se sois pelo nome de Cristo; porque o glorioso
Espírito de Deus habita em você.” Não é uma coisa feliz,
ter certeza de que você está selado com o Espírito de Deus
para a vida eterna? E, em verdade, se tu suportas isso, se
tu sofres pacientemente por causa dele. E Paulo, em
Romanos 5 diz: "A tribulação produz a paciência", isto é,
nos faz sentir a bondade de Deus, sua ajuda e a operação
de seu Espírito. E o décimo segundo capítulo da segunda
epístola aos Coríntios, o Senhor disse a Paulo: “A minha
graça te basta; porque o meu poder é aperfeiçoado na
fraqueza”. Cristo nunca é forte em nós até sermos
fracos. Assim como nossa força diminui, assim cresce a
força de Cristo em nós: quando estamos limpos e
esvaziados de nossa própria força, então estamos cheios da
força de Cristo: e vejam, quanto de nossa própria força
permanece em nós, tanto falta lá da força de
Cristo. “Portanto,” diz Paulo, no referido lugar na segunda
epístola aos coríntios, “alegremente me regozijarei em
minha fraqueza, para que a força de Cristo habite em
mim.”

“Por isso me glorio”, diz Paulo, “em fraquezas, em


repreensões, em necessidade, em perseguições e em
13
angústia por amor de Cristo; porque quando estou fraco,
então sou forte”. Significando que a fraqueza da carne é a
força do Espírito. E pela carne, compreenda sagacidade,
sabedoria e tudo o que há no homem antes que venha o
Espírito de Deus; e tudo o que não deriva do Espírito de
Deus e da palavra de Deus. E de testemunhos semelhantes,
toda a Escritura está cheia.

Eis que Deus nos dá uma bênção e também uma maldição:


uma bênção, em verdade, e aquela que é gloriosa e eterna,
se sofrermos tribulação e adversidade com nosso Senhor e
Salvador Jesus Cristo; e uma maldição eterna, se, por um
pouco de prazer, nos retiramos da castidade e educação de
Deus, com a qual ele ensina todos os seus filhos, e os
forma segundo a sua vontade piedosa, e os faz perfeitos
(como ele fez com Cristo), e os faz aptos e encontram
vasos para receber sua graça e seu Espírito, para que
possam perceber e sentir a grande misericórdia que temos
em Cristo, e as inumeráveis bênçãos e a herança
indescritível, a que somos chamados e escolhidos, e
selados em nossa Salvador Jesus Cristo, quem seja
louvado para sempre. Amém.

Finalmente, a quem Deus opta por reinar eternamente com


Cristo, ele o sela com o seu poderoso Espírito, e derrama
a força em seu coração, para sofrer aflições também com
Cristo por dar testemunho da verdade. E esta é a diferença
entre os filhos de Deus e da salvação, e entre os filhos do
diabo e da perdição: que os filhos de Deus têm poder em
seus corações para sofrer pela palavra de Deus; a qual é a
14
vida deles e salvação, a esperança deles e confiança, e pela
qual eles vivem na alma e espírito diante de Deus. E os
filhos do diabo, no tempo da adversidade, voam de Cristo,
a quem eles seguiram fingidamente, seus corações não
selados com o seu santo e poderoso Espírito; e leva-os ao
nível do pai certo, o diabo, e toma os seus salários, os
prazeres deste mundo, que são o penhor da perdição
eterna; conclusão que o décimo segundo capítulo aos
Hebreus confirma bem, dizendo: “Filho meu, não
menosprezes a correção que vem do Senhor, nem
desmaies quando por ele és reprovado; porque o Senhor
corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe.”
Eis que a perseguição e a adversidade por amor à verdade
são flagelos de Deus e vara de Deus, e pertencem a todos
os seus filhos indistintamente; porque quando ele disse,
que açoitou todos os filhos, não fez nenhum. exceção.

Além disso, diz o texto: “É para disciplina que perseverais


(Deus vos trata como filhos); pois que filho há que o pai
não corrige? Mas, se estais sem correção, de que todos se
têm tornado participantes, logo, sois bastardos e não
filhos.”

Portanto, como precisamos ser batizados em tribulações, e


através do Mar Vermelho, e um grande e terrível deserto,
e uma terra de gigantes cruéis, em nosso país natural; sim,
e na medida em que é claramente sincero que não há outro
caminho para o reino da vida do que pela perseguição e
sofrimento da dor e da própria morte, segundo o exemplo
de Cristo; portanto, vamos armar nossas almas com o
15
conforto das Escrituras: como Deus está sempre pronto,
em tempo de necessidade, para nos ajudar; e como esses
tiranos e perseguidores são apenas o flagelo de Deus e sua
vara para nos castigar.

E como o pai sempre tem feito, no tempo da correção, a


vara jejua na sua mão, de modo que a vara só faz como o
pai a move; assim mesmo Deus tem todos os tiranos em
sua mão, e não lhes permite fazer o que quer que seja,
senão somente como ele os designar para fazer, e tão longe
quanto for necessário para nós. E quando a criança se
submete à correção e ao cuidado do pai, e se inclina para
a vontade de seu pai, então a vara é tirada; e assim
também, quando chegamos ao conhecimento do caminho
correto e deixamos nossa própria vontade, e nos
purificamos à vontade de Deus, para que ele ande por onde
quer que ele nos queira, afasta os tiranos; ou então, se eles
forçarem a nos perseguir ainda mais, ele os coloca fora do
caminho, de acordo com os confortáveis exemplos da
Escritura.

Além disso, vamos armar nossas almas com as promessas


de ajuda e assistência, e também da recompensa gloriosa
que se segue. “Grande é a tua recompensa no céu”, diz
Cristo, Mateus 5; e: “Quem me conheceu perante os
homens conhecerá a meu Pai que está nos céus” e “Invoca-
me no tempo da tribulação, e eu te livrarei”, Salmos 50; e
“eis que os olhos do Senhor estão sobre aqueles que o
temem e sobre os que confiam na sua misericórdia, para
livrar-lhes a alma da morte e para os alimentar no tempo
16
da fome.”, Salmo 33. E no Salmo 34 diz Davi: “Os olhos
do SENHOR repousam sobre os justos, e os seus ouvidos
estão abertos ao seu clamor. O rosto do SENHOR está
contra os que praticam o mal, para lhes extirpar da terra a
memória. Clamam os justos, e o SENHOR os escuta e os
livra de todas as suas tribulações. Perto está o SENHOR
dos que têm o coração quebrantado e salva os de espírito
oprimido. Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR
de todas o livra.” E de semelhante consolo estão todos os
salmos cheios. E Mateus 10 “E, quando vos entregarem,
não cuideis em como ou o que haveis de falar, porque,
naquela hora, vos será concedido o que haveis de
dizer, visto que não sois vós os que falais, mas o Espírito
de vosso Pai é quem fala em vós." "Os próprios cabelos da
vossa cabeça estão contados", diz também Cristo, em
Mateus 10. Se Deus cuida dos nossos cabelos, ele muito
mais cuida das nossas almas, as quais ele selou com o seu
Espírito Santo. Portanto, diz Pedro: “Lança todo o seu
cuidado fardo sobre ele; porque ele se importa com você.”
(1 Pedro 5). E Paulo, em 1 Coríntios 10 diz: “Deus é
verdadeiro, ele não permitirá que você seja tentado acima
de seu poder”.

E Salmo 55 "Lança o teu cuidado sobre o Senhor"

Que o teu cuidado seja preparar-te com todas as tuas


forças, para que andes por onde ele te quiser; e para
acreditar que ele irá contigo, e te ajudará, e te fortalecerá
contra todos os tiranos, e te livrará de toda tribulação. Mas
de que maneira, ou por que meios ele o fará, aos que se
17
comprometem com ele e com seu prazer e sabedoria
divinos, e que lhe deem atenção.

E embora pareça nunca tão improvável, ou nunca tão


impossível para a razão natural, ainda assim acredite
firmemente que ele o fará: e então ele (de acordo com seu
antigo uso) mudará o curso do mundo, mesmo em um
piscar de olhos e vem de repente sobre nossos gigantes,
como um ladrão na noite, e confronta-os em suas
artimanhas e sabedoria mundana. “Quando eles clamarem,
paz e tudo estiver seguro, então começarão as dores deles
como as dores de uma mulher que está com as dores de
parto”, e então ele os destruirá e te livrará, para o louvor
glorioso de sua misericórdia e verdade. Amém.

E como pertencente àqueles que desprezam a palavra de


Deus, contando-a como uma fantasia ou um sonho; e
também aqueles que por medo de uma pequena
perseguição caem disto, ponha isto diante de teus
olhos; como Deus, desde o começo do mundo, antes de
uma praga geral, já enviou seus verdadeiros profetas e
pregadores de sua palavra, para advertir o povo, e deu-lhes
tempo para se arrependerem. Mas eles, na maior parte
deles, endureceram seus corações e perseguiram a palavra
que foi enviada para salvá-los. E então Deus os destruiu
totalmente e os levou da terra. Como você viu o que seguiu
a pregação de Noé no mundo antigo; o que seguiu a
pregação de Ló entre os sodomitas; e a pregação de
Moisés e Arão entre os egípcios; e isso de repente, contra
toda a possibilidade da inteligência do homem.
18
Além disso, quando os filhos de Israel caíram de Deus para
a adoração de imagens, ele enviou seus profetas para
eles; e eles os perseguiram e se endureceram em seus
corações; e então os enviou a todos os lugares do mundo
cativos.

Por último, ele enviou seu próprio Filho para eles, e eles
se tornaram mais duros do que nunca: e vejam que temível
exemplo de sua ira e cruel vingança, ele os fez para todo o
mundo, agora quase mil e quinhentos anos depois.

Aos velhos bretões também (que habitavam onde a nossa


nação hoje se encontra) pregaram Gildas; e repreendeu-os
de sua iniquidade e profetizaram tanto para o espiritual
(como serão chamados) como também para os leigos, que
vingança se seguiria, a menos que se arrependessem. Mas
eles se endureceram; e Deus enviou suas pragas e pestes
entre eles, e enviaram seus inimigos contra eles de todos
os lados, e os destruíram totalmente.

Veja também, como Cristo ameaça aqueles que o


abandonam, seja qual for a causa; seja por medo, seja por
vergonha, seja por perda de honra, amigos, vida ou bens.
“Aquele que me negar diante dos homens, eu o negarei
diante de meu Pai que está no céu. Quem ama o pai ou a
mãe mais do que a mim não é digno de mim”. Tudo isso
ele diz em Mateus 10. E em Marcos 8 ele diz: “Qualquer
que, entre esta geração adúltera e pecadora, se
envergonhar de mim ou das minhas palavras, o Filho do
19
homem se envergonhará dele quando vier na glória de seu
Pai com os seus santos anjos.”

E Lucas 9 também: “Ninguém que lança mão do arado e


olha para trás, encontra-se apto para o reino dos céus”.

Ainda assim, se alguém resistiu ignorantemente, como


Paulo, observe a verdade que Paulo escreveu depois que
chegou ao conhecimento. Além disso, se alguém estiver
limpo contra o seu coração (mas dominado pela fraqueza
da carne), por medo de perseguição, negar, como fez
Pedro, ou entregar o seu livro, ou guardá-lo em segredo;
deixe-o (se ele se arrepender), vir novamente, e manter-se
melhor, e não se desesperar, ou tomar por um sinal de que
Deus o abandonou. Pois Deus muitas vezes toma sua força
até mesmo de seus próprios eleitos, quando eles confiam
em suas próprias forças, ou são negligentes em chamá-lo
por sua força. E isso faz com que ele os ensine, e os faça
sentir, que naquele fogo da tribulação, por amor de sua
palavra, nada pode durar e permanecer salvo sua obra, e
essa força somente que ele prometeu. Pela força que ele
nos fará orar para ele dia e noite, em todos os casos.

Para que possas perceber como a Escritura deve ser na


língua materna, e que as razões que os nossos espíritos
fazem em contrário, são apenas sofismas e falsas
artimanhas para causar temor em ti à luz, para que as
possas seguir vendado e ser seu cativo para honrar suas
cerimônias e oferecer a eles o teu ventre:
20
Primeiro, Deus deu aos filhos de Israel uma lei pela mão
de Moisés em sua língua materna; e todos os profetas
escreveram em sua língua materna, e todos os salmos
estavam na língua materna. E havia Cristo, mas figurado e
descrito em cerimônias, em enigmas e parábolas e em
profecias sombrias. Qual é a causa que podemos não ter o
Antigo Testamento, com o novo também, que é a luz do
velho, e em que é declarado abertamente, diante dos olhos,
o que havia profetizado sombriamente? Eu não posso
imaginar nenhuma causa, na verdade, exceto que
deveríamos. (Nota do Tradutor: Tyndalle foi o primeiro a
traduzir o Novo Testamento para a língua inglesa, e por
isso foi condenado tanto pela Igreja Romana, quanto pela
Anglicana, que proibiam na época a livre leitura das
Escrituras pelo povo, motivo pelo qual Tyndale foi preso
e queimado como mártir.)

Não vejo o trabalho do anticristo e do malabarismo dos


hipócritas. Qual deve ser a causa que nós, que
caminhamos no dia largo, não devemos ver tão bem
quanto os que caminhavam à noite; ou que não deveríamos
ver também ao meio-dia, como faziam no
crepúsculo? Veio Cristo para tornar o mundo mais
cego? Por este meio, Cristo é a escuridão do mundo, e não
a luz, como ele mesmo diz.

Além disso, diz Moisés, em Deuteronômio “Ouve, Israel,


o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR. Amarás,
pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda
a tua alma e de toda a tua força. Estas palavras que, hoje,
21
te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus
filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando
pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Também as
atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre
os olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas
portas.”

Isto foi ordenado geralmente a todos os homens. Como é


que a palavra de Deus pertence menos a nós do que a eles?
Sim, como é que os nossos moisés nos proíbem e nos
ordenam o contrário; e nos ameaçam se o fizermos, e não
será que uma vez falamos da palavra de Deus? Como
podemos inculcar a palavra de Deus (isto é, colocá-la em
prática, usar e exercitar) sobre nossos filhos e família,
quando somos violentamente afastados dela e não a
sabemos? Como podemos (como Pedro manda) dar uma
razão de nossa esperança? Quando não sabemos o que
Deus prometeu ou o que esperar? Moisés também ordena
no capítulo mencionado, se o filho perguntar o que
significam os testemunhos, leis e observâncias do Senhor,
que o pai lhe ensinará. Se nossos filhos perguntarem o que
nossas cerimônias (que são mais do que os judeus tinham)
significam; nenhum pai pode contar ao filho. E no décimo
primeiro capítulo, ele repete tudo novamente, por medo de
esquecer.

Eles dirão que a Escritura requer uma mente pura e uma


mente quieta; e, portanto, o homem leigo, por estar
completamente sobrecarregado de negócios mundanos,
não pode compreendê-las. Se essa é a causa, então é claro
22
que nossos prelados não entendem as próprias Escrituras:
pois nenhum leigo está tão envolvido com os negócios
mundanos como eles estão. As grandes coisas do mundo
são ministradas por eles; nem os leigos são grandes coisas,
mas a sua designação. Se a Escritura estivesse na língua
materna, dirão, então os leigos a entenderiam, todo homem
segundo seus próprios caminhos. Por que serve o cura,
senão para ensinar-lhe o caminho certo? Por que foram
feitos os dias santos, senão para que o povo deveria vir e
aprender? Não sois abomináveis professores, porque
tomais tão grandes salários? Se não ensinares? Se você
ensinasse, como poderia fazê-lo tão bem, e com tão grande
proveito, como quando os leigos têm a Escritura diante
deles em sua língua materna? Pois então eles devem ver,
pela ordem do texto, se você a manuseia bem ou não: e
então eles acreditariam, porque é a Escritura de Deus,
embora a tua vida nunca seja tão abominável. Onde agora,
porque sua vida e sua pregação são tão contrárias, e porque
eles apalpam em cada sermão suas mentiras abertas e
manifestas, e cheiram sua cobiça insaciável, eles não
acreditam quando você prega a verdade. Mas, ai de mim!
Os próprios professantes (em sua maior parte) não sabem
mais o que o Novo ou o Antigo Testamento significa, do
que os turcos: nem os conhecem mais do que leem na
missa, os quais ainda não entendem; cuidado com eles,
mas mesmo para resmungar tanto a cada dia, como o
papagaio fala, eles não sabem senão o que possa encher a
barriga deles. Se não deixarem que o leigo tenha a palavra
de Deus em sua língua materna, ainda assim os sacerdotes
a têm; que para uma grande parte deles não entende nada
23
de latim, mas canta e diz: e tamborila o dia todo, somente
com os lábios, aquilo que o coração não entende.

Cristo manda examinar as Escrituras. João 5. Embora os


milagres fossem um testemunho de sua doutrina, ainda
assim desejava que eles não tivessem fé alguma para sua
doutrina ou para seus milagres, sem testemunho da
Escritura.

Quando Paulo pregou, Atos 17, os Bereanos pesquisaram


as Escrituras diariamente, para confirma como ele as
alegava. Por que não verei também, a Escritura a que
aludes? Sim, por que não verei as Escrituras e as
circunstâncias e o que vai antes e depois; para que eu possa
saber se tua interpretação é o sentido correto, ou se você
faz malabarismos, e puxa a Escritura violentamente para o
teu propósito carnal e mundano; ou se queres ensinar-me
ou enganar-me?

Cristo diz que surgirão falsos profetas em seu nome e dirão


que eles mesmos são o Cristo; isto é, eles devem pregar a
Cristo que os homens devem acreditar neles, em sua
santidade e nas coisas de sua imaginação, sem a palavra de
Deus: sim, e que o Contra-Cristo, ou o Anticristo, que virá,
não é nada senão os falsos profetas, que deve perverter a
Escritura, e seduzir as pessoas com falsas interpretações,
como todos os falsos profetas, escribas e fariseus fizeram
no Antigo Testamento. Como poderei saber se sois aquele
Contra-Cristo, ou falsos profetas, ou não, vendo que não
me deixarão ver como vocês alegam as Escrituras? Cristo
24
diz: “Por suas obras os conhecereis”. Agora, quando
olhamos para os seus atos, vemos que todos vocês são
jurados juntos e se separaram dos leigos, e têm um reino
diferente entre vocês e várias leis de sua própria criação;
com o qual ligai violentamente os leigos, que nunca
consentiram em fazer deles. Mil coisas vos proíbem, das
quais Cristo vos libertou; e as dispensam novamente por
dinheiro: não há nenhuma exceção, mas falta de dinheiro.
Você tem um conselho secreto por si mesmo.

Os segredos e conselhos de todos os outros homens sabem


ainda e nenhum homem é seu. Vós procurareis apenas
honra, riquezas, promoção, autoridade e reinar sobre
todos, e não obedecerão a ninguém. Se o pai lhe der um
dever de cortesia, você obrigará o filho a pervertê-lo
violentamente, quer ele queira ou não, por meio de suas
próprias leis. Essas ações são contra Cristo.

Quando toda uma paróquia entre nós contrata um


professor para ensinar nossos filhos, que razão é a de que
devemos ser obrigados a pagar a este professor seu salário,
e ele deve ter licença para ir aonde quiser, morar em outro
país, e deixar nossos filhos sem saber? Não é o papa
assim? Não damos os nossos dízimos de cortesia a um,
para nos ensinar a palavra de Deus; e não vem o papa, e
nos compele a pagá-lo violentamente, aos que nunca
ensinam? Não faz um pagamento a quem nunca nos vem?
Sim, um terá cinco ou seis, ou tantos quantos puder, e com
frequência, onde nunca um deles está. Outro é o vigário, a
quem ele dá a dispensação de ir aonde quiser, e se instalar
25
em um pároco, que não pode senão ministrar uma espécie
de cerimônia muda. E assim nunca somos ensinados e
ainda assim somos obrigados; sim, obrigado a contratar
muitos professores caros. Essas ações são
verdadeiramente contra Cristo. Porventura os julgaremos
pelos teus feitos, como Cristo manda?

Os sermões que você leu nos Atos dos Apóstolos, e tudo o


que os apóstolos pregaram, foram sem dúvida pregados na
língua materna. Por que então eles não podem ser escritos
na língua materna? Como, se um de nós pregamos um bom
sermão, por que não pode ser escrito? São Jerônimo
também traduziu a Bíblia para a sua língua materna: por
que não nós também? Eles dirão que não pode ser
traduzido em nossa língua, porque é muito rude. Não é tão
rude como eles são falsos mentirosos. Pois a língua grega
combina mais com os ingleses do que com os latinos. E as
propriedades da língua hebraica coincidem mil vezes mais
com os ingleses do que com os latinos. A maneira de falar
é uma só; de modo que, em mil lugares, você não precisa
apenas traduzi-lo para o inglês, palavra por palavra;
quando tu deves procurar uma bússola no latim, e ainda
terá muito trabalho para traduzi-lo de maneira favorável,
de modo que ele tenha a mesma graça e doçura, sentido e
puro entendimento com ele no latim, e como ele tem no
hebraico. Mil partes melhor podem ser traduzidas para o
inglês, do que para o latim. Sim, e a menos que minha
memória me falhe, e que eu tenha esquecido o que li
quando era criança, você encontrará na crônica inglesa
como o rei Adelstone fez com que a sagrada Escritura
26
fosse traduzida para a língua que então estava na
Inglaterra, e como os prelados o exortaram. Além disso,
vendo que um de vocês sempre prega contra o outro; e
quando dois de vocês se encontram, um discute e briga
com o outro, como se fossem dois réus; e porquanto
alguém segura este doutor e outro que; um segue Duns,
outro St Thomas, outro Bonaventure, Alexander de Hales,
Raymond, Lira, Brygot, Dorbel, Holcot, Gorram,
Trumbet, Hugo de Sancto Victore, De Monte Regio, De
Nova Villa, De Mídia Villa, e um tal sem número; de
modo que se você tivesse, senão de cada autor, um livro,
não poderia empilhá-los em qualquer depósito em
Londres, e todo autor é um contrário ao outro. Em tão
grande diversidade de espíritos, como saberei quem mente
e quem diz a verdade? Onde devo julgá-los?

Verdadeiramente pela palavra de Deus, que somente é


verdadeira. Mas como farei isto, quando não me deixarem
ver a Escritura?

Não, dizem eles, que a Escritura é tão difícil, que você


nunca poderia entender, senão pelos doutores da igreja. Ou
seja, devo medir o tamanho do pedaço de pano.

Aqui estão vinte panos de vários comprimentos e de várias


larguras: como terei certeza do comprimento do campo
por eles? Suponho que, antes, devo ter certeza da extensão
do campo e, assim, medir e julgar os panos. Se devo
primeiro acreditar no doutor, então o doutor é verdadeiro
primeiro, e a verdade da escritura depende de sua verdade;
27
e assim a verdade de Deus surge da verdade do homem.
Assim, o anticristo vira as raízes das árvores para cima.
Qual é a causa que nós condenamos algumas das obras de
Orígenes e permitimos algumas? Como sabemos que
algumas são heresias e outras não? Pela Escritura. Como
sabemos que Santo Agostinho (que é o melhor, ou um dos
melhores, que já escreveu sobre a Escritura) escreveu
muitas coisas erradas no início, como muitos outros
doutores fazem? Em verdade, pelas Escrituras; como ele
mesmo percebeu depois, quando ele olhou mais
diligentemente para elas, e revogou muitas coisas
novamente. Ele escreveu sobre muitas coisas que ele não
entendeu quando foi recém-convertido, antes de ver as
Escrituras completamente; e seguiu as opiniões de Platão
e as persuasões comuns da sabedoria do homem que eram
então famosas.

Eles dirão ainda mais vergonhosamente que nenhum


homem pode entender as Escrituras sem filosofia. Um
homem deve primeiro ser bem visto em Aristóteles, antes
que ele possa entender a Escritura, dizem eles.

A doutrina de Aristóteles é que o mundo não teve começo


e será sem fim; e que o primeiro homem nunca foi, e o
último nunca será; e que Deus faz toda a necessidade, nem
se importar com o que fazemos, nem pede qualquer conta
do que fazemos. Sem essa doutrina, como poderíamos
entender a Escritura, que diz: Deus criou o mundo do nada;
e Deus opera todas as coisas do seu livre arbítrio e para um
propósito secreto; e que todos nos levantaremos
28
novamente e que Deus prestará contas de tudo o que
fizemos nesta vida! Aristóteles diz: Dá a um homem uma
lei, e tem poder de si para cumprir a lei, e se torna justo
para trabalhar em retidão. Paulo, porém, e toda a Escritura
dizem: A lei porém, não somente pronuncia o pecado, e
não ajuda: nem tem poder homem algum para cumprir a
lei, até que lhe seja dado o Espírito de Deus pela fé em
Cristo. Não é loucura então dizer que não podemos
entender a Escritura sem Aristóteles? A justiça de
Aristóteles e todas as suas virtudes, fonte do livre arbítrio
do homem. E um turco e todo infiel e idólatra pode ser
justo e virtuoso com essa justiça e essas virtudes. Além
disso, a felicidade e bem-aventurança de Aristóteles
impedem todas as tribulações; e em riquezas, saúde, honra,
adoração, amigos e autoridade; que Felicidade agrada bem
a nossa espiritualidade. Agora, sem estes e mil pontos, não
poderias compreender a Escritura, que diz: que a justiça
vem por Cristo e não pela vontade do homem; e como
essas virtudes são os frutos e o dom do Espírito de Deus;
e que Cristo nos abençoa em tribulações, perseguições e
adversidades! Como, digo, poderias entender a Escritura
sem filosofia, na medida em que Paulo, no segundo
capítulo aos Colossenses, advertia-os a guardarem-se para
que ninguém os estragasse (isto é, roubá-los de sua fé em
Cristo) "através da filosofia e vaidades enganosas, e
através das tradições dos homens, e ordenanças segundo o
mundo, e não segundo Cristo?"

29
Por este meio, então, tu queres que ninguém ensine a
outro; mas que todo homem pegue a Escritura e aprenda
sozinho. Não, em verdade, então diga que não.

Todavia, vendo que não ensinareis, se alguém tem sede da


verdade e lê a Escritura por si mesmo, desejando que Deus
lhe abra a porta do conhecimento, Deus, por amor da sua
verdade, deve ensiná-lo.

No entanto, meu significado é que, como o mestre, ensina


seu aprendiz a conhecer todos os pontos do terreno;
primeiro, quantas polegadas, possui; e então lhe ensina a
fazer outras coisas; assim também ensinarei ao povo a lei
de Deus, e que obediência Deus requer de nós para ser pai
e mãe, senhor, rei e todos os superiores, e com que amor
amigável ele manda um amar o outro; e ensiná-los a
conhecer esse veneno natural e veneno de nascença, que
move o nosso coração para nos rebelarmos contra as
ordenanças e a vontade de Deus; e prova que ninguém é
justo aos olhos de Deus, mas que todos nós somos
condenados pela lei; e então, quando os humilhaste a
temerem a lei, ensina-lhes o testamento e promessas que
Deus nos fez, e o quanto ele nos ama em Cristo; e ensina-
lhes os princípios e a base da fé, e o que os sacramentos
significam: e então o Espírito trabalhará com a tua
pregação e os fará sentir. Assim aconteceria que, como
sabemos, com naturalidade, o que se segue de um
verdadeiro princípio da razão natural; assim também,
pelos princípios da fé, pelas claras Escrituras e pelas
circunstâncias do texto, devemos julgar a exposição de
30
todos os homens e toda a doutrina dos homens, e devemos
receber o melhor e recusar o pior. Eu gostaria que você
ensinasse também as propriedades e a maneira de falar da
Escritura, e como expor provérbios e similitudes. E então,
se eles vão para o exterior e andam pelos campos e prados
de todos os tipos de doutores em teologia e filósofos, eles
não poderiam causar dano algum: eles deveriam discernir
o veneno do mel e trazer para casa apenas o que é
saudável.

Agora, porém, limpai o contrário; daqueles que os


expulsam da Palavra de Deus, e não permitirão que
ninguém venha a ela, até que tenha sido mestre de dois
anos em arte. Primeiro, eles nos enganam com sofismas e
com benefícios. E ali corrompem seus julgamentos com
aparentes argumentos, e alegando-lhes textos de lógica, de
filosofia natural, de filosofia metafísica e moral, e de todos
os livros de Aristóteles e de todos os tipos de doutores que
eles nunca viram. Além disso, a pessoa segura isto, outra
que; um é real, outro é nominal. Que sonhos maravilhosos
eles têm de seus impasses, universais, segundas intenções,
e fundados na quimera. Quando eles têm brigado por oito,
dez ou doze anos ou mais, e depois que seus julgamentos
são totalmente corruptos, então eles começam sua
teologia; não nas Escrituras, mas todo homem toma um
doutor diferente; que os médicos são tão diversos, um ao
contrário do outro, pois há modas variadas e formas
monstruosas, nenhuma como outra, entre nossas seitas de
religião. Toda religião, toda universidade e quase todo
homem tem uma teologia variada. Agora, todas as
31
opiniões que todo homem encontra com seu doutor, esse é
o seu evangelho, e isso só é verdade com ele; e isso dura
toda a sua vida; e todo homem, para manter seu doutor,
corrompe a Escritura e a forma segundo sua própria
imaginação, como o oleiro faz o seu barro. De que texto tu
provas o inferno, outro provará o purgatório; outro o
limbo; e outro faz a suposição de nossa senhora: e outro
provará do mesmo texto que um macaco tem uma cauda.
E de que texto o frade cinza prova que nossa senhora
estava sem pecado original, do mesmo deve o frade negro
provar que ela foi concebida em pecado original. E tudo
isso eles fazem com aparentes razões, com falsas
similitudes e semelhanças, e com argumentos e persuasões
da sabedoria do homem. Ora, não há outra divisão ou
heresia no mundo além da sabedoria do homem, e quando
a sabedoria insensata do homem interpreta a Escritura. A
sabedoria do homem espalha, divide e faz seitas; enquanto
a sabedoria de um é que um jaleco branco é melhor para
servir a Deus, e outro diz preto e outro cinza, outro azul; e
enquanto alguém diz que Deus ouvirá sua oração neste
lugar, outro diz naquele lugar; e enquanto alguém diz que
este lugar é mais santo, e outro é mais sagrado; e esta
religião é mais sagrada do que isso; e este santo é maior
com Deus do que aquele; e cem mil coisas semelhantes. A
sabedoria do homem é simples idolatria: tampouco há
outra idolatria do que imaginar Deus segundo a sabedoria
do homem. Deus não é imaginação do homem; mas isso
só é o que ele diz de si mesmo. Deus não é nada além de
sua lei e suas promessas; isto é, o que ele te faz fazer, e
aquilo que ele te dá crédito e esperança. Deus é apenas sua
32
palavra, como diz Cristo, João 8: “Eu sou o que vos digo”,
isto é, aquilo que eu prego sou eu; minhas palavras são
espírito e vida.

Deus é apenas aquilo que ele testifica de si mesmo; e


imaginar qualquer outra coisa de Deus do que isso, é uma
maldita idolatria. Portanto, diz o salmo cento e dezoito:
“Felizes os que esquadrinham os testemunhos do Senhor”,
isto é, aquilo que Deus testifica e nos testemunha.

Mas como farei isto, quando não me permitirdes os seus


testemunhos, ou as testemunhas numa língua que eu
compreendo? Resistirás a Deus? Não o proibirás de dar o
seu Espírito aos leigos e a vós? Ele não fez a língua
inglesa? Por que proibi-lo de falar na língua inglesa, assim
como no latim? (Nota do tradutor: Hoje já não vivemos
este tipo de problema que era muito comum antes dos dias
da Reforma e até mesmo durante os seus primeiros anos.
O sangue dos mártires como o do autor deste livro foi
derramado para nos garantir a liberdade que temos hoje de
ler as Escrituras em nossas próprias línguas. Todo o
esforço do diabo em manter o depósito da verdade fechado
e lacrado para não ser acessado pela humanidade foi aberto
com o sangue dos mártires e com o esforço de todos
aqueles que tiveram que lutar contra os principados para
que a Palavra de Deus chegasse a nós em toda a liberdade.)

Finalmente, que isso ameaça e proíbe os leigos de ler a


Escritura não é pelo amor de suas almas (que eles cuidam
como a raposa dos gansos), é evidente, e mais claro que o
33
sol; na medida em que eles permitem que você leia Robin
Hood, e Bevis de Hampton, Hércules, Heitor e Troilo, com
mil histórias e fábulas de amor e devassidão, e de pilhérias
tão sujas como o coração pode pensar, para corromper as
mentes de juventude ao mesmo tempo, limpa ao contrário
da doutrina de Cristo e de seus apóstolos: pois Paulo diz:
“Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça
nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos;
nem conversação torpe, nem palavras vãs ou chocarrices,
coisas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de
graças. Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro,
ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo
e de Deus.” E depois disso diz:“ Porque por estas coisas
vem a ira de Deus sobre os filhos da incredulidade”.
Agora, vendo, que eles permitem que você leia livremente
aquelas coisas que corrompem suas mentes e roubam você
do reino de Deus e Cristo, e trazem a ira de Deus sobre
você, como isso está proibindo o amor de suas almas?

Mil razões mais poderiam ser feitas, como você pode ver
em Paraclesis Erasmo, e em seu prefácio à Paráfrase de
Mateus, ao qual elas deveriam ser compelidas a manter a
paz, ou dar respostas vergonhosas. Mas espero que estes
sejam suficientes para os que têm sede da verdade.

Deus, por sua misericórdia e verdade, lhes abrirá bem


mais, sim, e outros segredos de sua sabedoria divina, se
forem diligentes em clamar a ele; que graça de Deus o
conceda. Amém.
34
O PRÓLOGO PARA O LIVRO.

Por mais que os nossos santos prelados e nossos


religiosos, que devem defender a Palavra de Deus, falam
mal dela, e fazem toda a vergonha que puderem, e atacam-
na; e levam seus cativos na mão, que isso leva à
insurreição e ensina o povo a desobedecer seus líderes e
governadores, e os leva a se levantar contra seus príncipes,
e a fazer todos os comuns, e a fabricar os bens de outros
homens: por isso, fiz este pequeno tratado que se segue,
35
contendo toda a obediência que é de Deus; em que,
qualquer que o ler, perceberá facilmente, não apenas o
contrário, e que eles mentem, mas também a própria causa
de tal blasfêmia, e o que os incita a furiosamente a furtar e
a desmentir a verdade.

Todavia, não é novidade que a Palavra de Deus seja


reprimida, nem esta é a primeira vez que os hipócritas
atribuem à Palavra de Deus a vingança da qual eles
mesmos foram sempre causa. Pois os hipócritas com sua
falsa doutrina e idolatria sempre levaram a ira e vingança
de Deus sobre o povo, tão dolorosamente que Deus não
podia mais tolerar, nem adiar sua punição. No entanto,
Deus, que é sempre misericordioso, antes de se vingar, já
enviou seus verdadeiros profetas e pregadores
verdadeiros, para advertir o povo de que eles poderiam se
arrepender. Mas o povo em sua maior parte, e isto é, os
chefes e governantes, através do conforto e persuasão dos
hipócritas, sempre se tornaram mais endurecidos do que
antes, e perseguiram a Palavra de Deus e seus profetas.
Então Deus, que também é justo, sempre derramou suas
pragas sobre eles sem demora; o que aflige os hipócritas e
o atribuem à Palavra de Deus, dizendo: Vejam que
infortúnios nos sobrevêm desde que esse novo
aprendizado surgiu, e essa nova seita e essa nova doutrina.
Tu vês, Jeremias 44, onde o povo clamava para voltar à
sua antiga idolatria, dizendo: “Desde que a deixamos,
temos estado em toda a necessidade e fomos consumidos
pela guerra e fome.” Mas o profeta lhes respondeu que sua
idolatria foi para o coração de Deus, então que ele não
36
podia mais sofrer a maldade de suas próprias imaginações
ou invenções; e que a causa de todos esses males era
porque eles não ouviam a voz do Senhor e não andavam
em sua lei, ordenanças e testemunhos. Os escribas e os
fariseus também puseram à disposição de Cristo, Lucas 23
que ele levou o povo à sedição; e disseram a Pilatos:
“Achamos este homem pervertendo o povo, proibindo
pagar tributo a César e dizendo que ele é o Cristo Rei.” E
novamente no mesmo capítulo: “Ele move o povo”,
disseram eles, “Ensinando por toda a Judéia e começando
na Galiléia até mesmo neste lugar.” Assim também os
colocaram à disposição dos apóstolos, como podes ver nos
Atos. São Cipriano também, e Santo Agostinho, e muitos
outros, fizeram obras em defesa da Palavra de Deus contra
tais blasfêmias. Para que vejas como não é coisa nova, mas
uma coisa velha e acostumada com os hipócritas, negar a
Palavra de Deus e os verdadeiros pregadores de toda a
maldade da qual a doutrina mentirosa é a causa mesma.

Nunca mais se empenhou, depois da pregação da Palavra


de Deus, porque não é verdadeiramente recebido, Deus
envia grandes problemas para o mundo; em parte para se
vingar dos tiranos e perseguidores de sua Palavra, e em
parte para destruir as pessoas mundanas que fazem da
Palavra de Deus nada mais que um manto de sua liberdade
carnal. Não são todos bons aqueles que não seguem o
evangelho.

Cristo (Mateus 13) assemelha o reino dos céus a uma rede


lançada ao mar que apanha os peixes tanto bons como
37
ruins. O reino dos céus é a pregação do evangelho, pela
qual vem o bom e o mau.

Mas os bons são poucos. Cristo os chama, portanto, de


“pequeno rebanho”, Lucas 12. Pois são poucos os que
chegam ao evangelho com a intenção verdadeira, não
procurando nela senão a glória e o louvor de Deus, e
oferecendo-se livre e voluntariamente para suportarem a
adversidade com Cristo. por amor do evangelho, e por
testemunhar a verdade, para que todos os homens a
escutem. O maior número vem, e sempre veio, e seguiu o
próprio Cristo, para um propósito mundano: como bem
podes ver (João 6), como que quase cinco mil seguiram a
Cristo, e também intentaram fazê-lo rei, porque ele lhes
tinha alimentado bem, a quem repreendeu, dizendo: Não
me buscais, porque vistes os milagres, mas porque
comestes do pão e vos fartastes; e levou-os para longe dele
com difícil preparo.

Mesmo assim agora, como sempre, a maior parte busca a


liberdade. Ficam contentes quando ouvem a insaciável
cobiça da espiritualidade repreendida; quando eles ouvem
sua falsidade e as suas palavras proferidas; quando a
tirania e a opressão são pregadas contra; quando eles
ouvem como os reis e todos os oficiais devem governar de
forma cristã e fraternalmente, e não procuram outra coisa
senão a riqueza de seus súditos; e quando eles ouvem que
eles não têm tal autoridade de Deus para tomar pílulas e
pesquisas, e levantar impostos e reuniões para manterem
suas fantasias e, para fazerem a guerra, não sabem por que
38
causa. E, portanto, porque as cabeças não governarão,
também não mais obedecerão; senão resistir e levantar
contra suas cabeças do mal; e um ímpio destrói outro. No
entanto, a Palavra de Deus não é a causa disso, nem os
pregadores. Pois embora o próprio Cristo ensinasse toda a
obediência, como não é lícito resistir ao mal, senão ao
oficial designado para isso; e como um homem deve amar
seu próprio inimigo, e orar por aqueles que o perseguem,
e abençoar aqueles que o amaldiçoam; e como que toda
vingança deve ser remetida a Deus; e que um homem deve
perdoar se for perdoado por Deus; mas as pessoas, em sua
maior parte, não o receberam: estavam sempre prontos
para se levantar e lutar. Sempre, quando os escribas e
fariseus foram prender a Cristo, eles estavam com medo
do povo. “Não no dia santo”, disseram eles, Mateus 26
“para que não surja qualquer rumor entre o povo” e,
Mateus 21 “Eles o teriam levado, mas temiam o povo”: e
em Lucas 20, Cristo perguntou aos fariseus uma questão
para a qual eles não se atreviam a responder, para que o
povo não os apedrejasse.

Por último, porque os próprios discípulos e apóstolos de


Cristo, depois de tanto ouvir a doutrina de Cristo, estavam
ainda prontos para lutar por Cristo, puros contra os
ensinamentos de Cristo (como Pedro, Mateus 26
desembainhou a espada, mas foi repreendido; Lucas 9,
Tiago e João teriam fogo vindo do céu para consumir os
samaritanos, e para vingar a injúria de Cristo, mas também
foram repreendidos). Se os discípulos de Cristo eram tão
longânimos, que maravilha é se não formos todos
39
perfeitos? O primeiro dia? Sim, na medida em que nos é
ensinado, mesmo de muito bebês, matar um turco, matar
um judeu, queimar um herege, lutar pelas liberdades e pelo
direito da igreja, como eles a chamam; sim, e se
acreditarmos, se derramarmos o sangue de nosso irmão
cristão, ou se o filho derramou o sangue de seu pai que o
gerou para a defesa, não somente da divindade do papa,
mas também de tudo o que for, sim, embora não seja por
motivo algum, mas que sua santidade o ordene somente,
que mereçamos tanto quanto Cristo mereceu por nós,
quando ele morreu na cruz; ou, se formos mortos na briga,
que nossas almas vão, ou melhor, voem para o céu, e
estejam lá antes que o nosso sangue esteja frio: na verdade,
digo, quando sugamos tais imaginações sangrentas para o
fundo de nossos corações, mesmo com o leite de nossa
mãe, e há tanto tempo que ela está morta; que surpresa
seria se, enquanto ainda éramos jovens em Cristo,
pensássemos que era lícito lutar pela verdadeira Palavra de
Deus? Sim, e embora um homem estivesse completamente
persuadido de que não era lícito resistir a seu rei, embora
ele erroneamente tirasse a vida e os bens; ainda assim ele
poderia pensar que era lícito resistir aos hipócritas e se
levantar, não contra o seu rei, mas com o seu rei, para
libertar o seu rei do cativeiro, em que os hipócritas o
prendem com astúcia e falsidade, de modo que ninguém
possa ser atingido por ele, para lhe dizer a verdade.

Isso te faz ver que é a doutrina sangrenta do papa que causa


desobediência, rebelião e insurreição: pois ele ensina a
lutar e defender suas tradições, e tudo quanto sonha com
40
fogo, água e espada; e desobedecer a pai, mãe, senhor, rei
e imperador; sim, e para invadir qualquer nação terrestre,
que não receba e admita a sua divindade: onde a pacífica
doutrina de Cristo ensina a obedecer, a sofrer pela Palavra
de Deus e a remeter a vingança e a defesa da Palavra a
Deus. que é poderoso e capaz de defendê-la: o que também
tão logo a Palavra é abertamente pregada, e testificada, ou
testemunhada para o mundo, e quando ele lhes deu um
tempo para se arrepender, está pronto para tomar vingança
de seus inimigos, e atira flechas com cabeças mortas em
veneno mortal para eles; e derrama sobre eles as suas
pragas dos céus; e envia a maldição e a pestilência entre
eles; e afunda as cidades deles; e faz a terra engoli-los; e
envolve-os nas suas artimanhas; e os leva em suas próprias
armadilhas, e os lança nas cavernas que eles cavaram para
outros homens; e envia-lhes um atordoamento na cabeça;
e destrói-os totalmente com seus próprios conselhos sutis.

Prepare sua mente, portanto, para este pequeno tratado; e


leia-o discretamente; e julgá-lo indiferentemente. E
quando eu alegar qualquer Escritura, olhe para o texto se
eu o interpreto direito: o que você facilmente perceberá
pela circunstância e processo deles, se você fizer de Cristo
o fundamento e a base, e edificar tudo sobre ele, e referir
tudo para ele; e também achar que a exposição está de
acordo com os artigos comuns da fé e Escrituras abertas.
E Deus, o Pai da misericórdia, que, por causa da sua
verdade, ressuscitou o nosso Salvador Senhor Jesus Cristo
para nos justificar, te dê o seu Espírito, para julgar o que é
justo aos seus olhos; e te dê força para observar, e para o
41
guardar com toda a paciência e longanimidade, para o
exemplo e edificação de sua congregação, e glória de seu
nome. Amém.

42

Interesses relacionados