Você está na página 1de 42

Direito Empresarial

Msc. Paulo Vitor Bruno Onezorge


Cronograma – Direito
Empresarial

Vimos na última aula:

• Sociedades Empresárias em Geral;


• Sociedade Limitada;
• Avaliação.

Nosso objetivo hoje:

• Sociedades Anônimas;
• Sociedades de Economia Mista.
Cronograma – Direito
Empresarial
Sociedade Anônima

Com o avanço da atividade econômica a


empresa carece da necessidade de captação
de recursos em maior volumo, gerando
ineficiência ao modelo “Limitado”.

Surgem as chamadas “companhias”, a


sociedade empresária cujo capital social é
dividido em ações, espécie de valor
mobiliário.

Direito Empresarial
Valor mobiliário

“Instituto jurídico cuja matriz são os


títulos de crédito”.
(Coelho)

Torna-se mais compreensível a observação do sócio


como figura de credor do empreendimento, assim, o
seu interesse não está relacionado com a atividade
empresarial, mas sim com o resultado que esta pode
gerar.

Direito Empresarial
Estatuto Social das S.As

“Conjunto de normas jurídicas que


caracterizam-se por regular o
funcionamento da entidade frente a
terceiros, bem como, as obrigações
dos membros e sua relação”.

Direito Empresarial
Estatuto Social das S.As
Elementos Obrigatórios:
 Denominação, sede, objeto e prazo;
 Capital Social e sua divisão;
 Órgãos da S.A.:
 Conselho de Administração
 Diretoria
 Conselho Fiscal
 Assembleia Geral

Direito Empresarial
Sociedade Anônima - Características
 Trata-se de uma sociedade de capital não sendo relevante a qualidade
dos seus sócios;

 O seu capital social é dividido em ações;

 Os sócios são chamados de acionistas;

 Em sua essência econômica, o objetivo é gerar retorno ao investimento;

 Podem ser seus titulares: brasileiros ou estrangeiros;

 Sua natureza tem por objeto social mercantil;

 São criadas em geral para grandes empreendimentos;

 Geralmente surgem por meio de operações de transformação (cisão,


fusão, incorporação, etc).
Direito Empresarial
Instrumento Jurídico S.As

 No código Civil existem apenas 2 (dois) artigos –


1.088 e 1.089;
Art. 1.088. Na sociedade anônima ou companhia, o
capital divide-se em ações, obrigando-se cada sócio ou
acionista somente pelo preço de emissão das ações
que subscrever ou adquirir.
Art. 1.089. A sociedade anônima rege-se por lei
especial, aplicando-se-lhe, nos casos omissos, as
disposições deste Código.

 Lei 6.404/76 e suas alterações.

Direito Empresarial
Responsabilidade dos acionistas

Em regra, a responsabilidade dos


acionistas está limitada até o limite do
preço de emissão das ações que
possuem.

Não é ele quem gerencia, é um mero


“investidor”.

Direito Empresarial
Objeto Social S.As
Característica: Mercantil conforme definição do art. 2º da
LSA.

Art. 2º Pode ser objeto da companhia qualquer empresa de fim lucrativo,


não contrário à lei, à ordem pública e aos bons costumes.
§ 1º Qualquer que seja o objeto, a companhia é mercantil e se rege pelas
leis e usos do comércio.
§ 2º O estatuto social definirá o objeto de modo preciso e completo.
§ 3º A companhia pode ter por objeto participar de outras sociedades;
ainda que não prevista no estatuto, a participação é facultada como meio
de realizar o objeto social, ou para beneficiar-se de incentivos fiscais.

Extensão ao direito empresarial.


Direito Empresarial
Classificação das S.As

 Sociedades Anônimas de Capital


aberto;

 Sociedades Anônimas de Capital


Fechado.

Art. 4º. LSA

Direito Empresarial
S/A – Capital Fechado

Aquelas companhias organizadas em forma de S.A. cujas


ações não são negociadas, vendidas na BM&FBOVESPA.

Então, porquê S.A. e não Limitada?

Dois motivos:
1. Possibilidade de emissão de títulos de dívida;
2. Atividades não permitidas a empresas limitadas.

Direito Empresarial
S/A – Capital Aberto

O regime jurídico da sociedade aberta está voltada a necessidade


de captação de grandes volumes de recursos.

São aquelas que negociam as suas ações em Bolsa de Valores.

A S.A somente pode captar recursos com investidores em geral se


ela fora autorizada pelo governo ato que se materializa através do
seu registro.

Assim as empresas de Capital Aberto estão sujeitas ao controle


estatal por meio da CVM – Comissão de Valores Mobiliários.

Direito Empresarial
Tipos de Ações

 Ações Preferenciais;

 Ações Ordinárias.

Art. 15º. LSA

Direito Empresarial
Ações Preferenciais

 Vantagem (preferência) na distribuição dos lucros


(valor fixo ou mínimo);

 Outras vantagens previstas em estatuto;

 Sem direito de voto (eleger os administradores,


aprovar as alterações no estatuto).

Objetivo: Proteger o acionista que não “toma as


decisões” pela empresa.

Direito Empresarial
Ações Ordinárias
 Concede ou não controle da empresa
(controladores e não controladores – chamados
de minoritários);

 Sempre tem direito de voto (eleger os


administradores, aprovar as alterações no
estatuto);

 Passa a tomar conta da entidade recebendo


poder de decisão.

Direito Empresarial
Classificação dos acionistas

Controladores:
 São aqueles que possuem a maioria das ações ordinárias
nominativas com direito a voto, gerindo portanto, a empresa;
 Assim detém o controle acionário, por isso são chamados de
controladores .

Não Controladores:
 São aqueles poderão ter ações ordinárias (de forma minoritária
mesmo com direito a voto) e preferenciais.

Direito Empresarial
Classificação dos acionistas

Tag Along  Mecanismo de proteção a acionistas


minoritários de uma companhia que garante a eles o
direito de deixarem uma sociedade, caso o controle
da companhia seja adquirido por um investidor que
até então não fazia parte da mesma.

Deve ser observado pelas S.As de Capital Aberto.

Art. 254 LSA

Direito Empresarial
Emissão de Títulos - Debêntures
 São muitos os motivos para optar pela captação de recursos via
debêntures, pois ela apresenta vantagens significativas para as
empresas, se comparada a outros mecanismos de
financiamento.

 A debênture é um valor mobiliário emitido por sociedades por


ações, representativo de dívida, que assegura a seus detentores
o direito de crédito contra a companhia emissora.

 Consiste em um instrumento de captação de recursos no


mercado de capitais, que as empresas utilizam para financiar
seus projetos. É uma forma também de melhor gerenciar suas
dívidas.

Direito Empresarial
Emissão de Títulos - Debêntures
Previsão Legal – Lei 6.404/1976 – LSA

 Art. 53. A companhia poderá efetuar mais de uma emissão


de debêntures, e cada emissão pode ser dividida em séries

 Art. 54. A debênture terá valor nominal expresso em


moeda nacional, salvo nos casos de obrigação que, nos
termos da legislação em vigor, possa ter o pagamento
estipulado em moeda estrangeira.

Direito Empresarial
Emissão de Títulos - Debêntures
 Art. 55. A época do vencimento da debênture deverá
constar da escritura de emissão e do certificado, podendo a
companhia estipular amortizações parciais de cada série,
criar fundos de amortização e reservar-se o direito de
resgate antecipado, parcial ou total, dos títulos da mesma
série.

 Art. 56. A debênture poderá assegurar ao seu titular juros,


fixos ou variáveis, participação no lucro da companhia e
prêmio de reembolso.

 Art. 57. A debênture poderá ser conversível em ações nas


condições constantes da escritura de emissão, [...].
Direito Empresarial
Órgãos da S/A - Classificação

 Assembleia Geral;
 Conselho de Administração (obrigatório
somente para S/A Capital aberto);
 Diretoria;
 Conselho Fiscal.

Direito Empresarial
Assembléia Geral
 Órgão deliberativo máximo da estrutura da S/A;

 É a reunião de todos os acionistas detentores de ações ordinárias,


controladores ou não da sociedade.

LSA

Art. 121. A assembléia-geral, convocada e instalada de acordo com a lei


e o estatuto, tem poderes para decidir todos os negócios relativos ao
objeto da companhia e tomar as resoluções que julgar convenientes à
sua defesa e desenvolvimento.
Parágrafo único. Nas companhias abertas, o acionista poderá participar
e votar a distância em assembleia geral, nos termos da regulamentação
da Comissão de Valores Mobiliários.

Direito Empresarial
Assembléia Geral - Competência
Art. 122. Compete privativamente à assembleia geral: (Redação dada pela Lei nº 12.431, de
2011).
I - reformar o estatuto social;(Redação dada pela Lei nº 10.303, de 2001)
II - eleger ou destituir, a qualquer tempo, os administradores e fiscais da companhia, ressalvado
o disposto no inciso II do art. 142;(Redação dada pela Lei nº 10.303, de 2001)
III - tomar, anualmente, as contas dos administradores e deliberar sobre as demonstrações
financeiras por eles apresentadas;(Redação dada pela Lei nº 10.303, de 2001)
IV - autorizar a emissão de debêntures, ressalvado o disposto nos §§ 1o, 2o e 4o do art.
59; (Redação dada pela Lei nº 12.431, de 2011). (Vide Lei nº 12.838, de 2013)
V - suspender o exercício dos direitos do acionista (art. 120);(Redação dada pela Lei nº 10.303,
de 2001)
VI - deliberar sobre a avaliação de bens com que o acionista concorrer para a formação do
capital social;(Redação dada pela Lei nº 10.303, de 2001)
VII - autorizar a emissão de partes beneficiárias;(Redação dada pela Lei nº 10.303, de 2001)
VIII - deliberar sobre transformação, fusão, incorporação e cisão da companhia, sua dissolução e
liquidação, eleger e destituir liquidantes e julgar-lhes as contas; e (Redação dada pela Lei nº
10.303, de 2001)
IX - autorizar os administradores a confessar falência e pedir concordata.(Redação dada pela Lei
nº 10.303, de 2001)
Direito Empresarial
Espécies da Assembleia Geral

 Ordinária;
 Extraordinária.

Direito Empresarial
Assembleia Geral - Ordinária
 Ocorre quando esta reunião está prevista antecipadamente na
lei ou nos estatutos;

 Realiza-se uma vez por ano, nos 4 meses seguintes ao término


do exercício social;

 Ocorre na análise das contas dos administradores, no exame,


discussão e votação das demonstrações financeiras, na
destinação dos Lucros e distribuição dos dividendos; na eleição
dos administradores e conselho fiscal quando for o caso.

 Ocorre sempre que convocada por meio de instrumento


normativo.

Direito Empresarial
Assembléia Geral - Extraordinária

 As reuniões extraordinárias ocorrem quando


a sua convocação não fora prevista na lei ou
no estatuto, serve para se tomar decisões,
implementar debates em diversas épocas
sobre assuntos rotineiros.

Direito Empresarial
Conselho de Administração
 Órgão deliberativo e fiscalizador de número impar
(mínimo três) eleito pela assembleia geral, com
competência de qualquer matéria de interesse social,
exceto as privativas da assembleia;

 Sua função é agilizar o processo tomada de decisões, no


interior da organização;

 É o órgão que tem a responsabilidade jurídica da


organização.

 Reunião mensal.

Direito Empresarial
Diretoria
 Órgão executivo da Companhia;

 Composta por no mínimo 2 pessoas, eleitas pelo


conselho de administração, ou se não existir, pela
Assembleia Geral;

 Competência: Gerir a empresa internamente e


externamente;

 Gestão de 3 anos, permitida a reeleição;

 Reunião conforme previsto no estatuto.

Direito Empresarial
Conselho Fiscal
 Órgão de assessoramento da assembleia geral, na
apreciação das contas dos administradores e na votação
das demonstrações financeiras;

 Compõe-se de no mínimo três e no máximo, cinco


membros.

 Sua existência é obrigatória;

 Sua função é fiscalizar a diretoria da empresa aos


aspectos da legalidade e regularidade dos atos de
gestão;

 Reunião mensal.

Direito Empresarial
SOCIEDADES DE
ECONOMIA MISTA

Direito Empresarial
Sociedade de economia mista
Decreto-lei 200/67

Sociedade de Economia Mista - a entidade dotada de


personalidade jurídica de direito privado, criada por lei
para a exploração de atividade econômica, sob a forma
de sociedade anônima, cujas ações com direito a voto
pertençam em sua maioria à União ou a entidade da
Administração Indireta.

Direito Empresarial
Sociedade de economia mista
Lei 6.404/76 – Lei das S.A.

Art. 235. As sociedades anônimas de economia mista


estão sujeitas a esta Lei, sem prejuízo das disposições
especiais de lei federal.
§ 1º As companhias abertas de economia mista estão
também sujeitas às normas expedidas pela Comissão de
Valores Mobiliários.
§ 2º As companhias de que participarem, majoritária ou
minoritariamente, as sociedades de economia mista, estão
sujeitas ao disposto nesta Lei, sem as exceções previstas
neste Capítulo.

Direito Empresarial
Sociedade de economia mista

Composição do capital:

Capital misto (público e privado).

Maioria do capital votante deve pertencer a União ou a


entidade da administração indireta federal. DL 200/67,
art 5º, inciso 3º.

Direito Empresarial
Sociedade de economia mista
 Acionista Controlador – Lei 6.404/76

 Art. 238. A pessoa jurídica que controla a companhia


de economia mista tem os deveres e
responsabilidades do acionista controlador (artigos
116 e 117), mas poderá orientar as atividades da
companhia de modo a atender ao interesse público
que justificou a sua criação.

Direito Empresarial
Sociedade de economia mista
Constituição Federal
Pessoa jurídica de direito privado, integrantes da
administração indireta, instituídas após autorização de
lei específica.

Podem prestar serviços públicos (art. 175 CF) e podem


desempenhar atividades econômicas (art. 173 CF) –
desde que exista necessidade relativa à segurança
nacional ou relevante interesse coletivo, conforme
definidos em lei.
Exemplos: B.B S/A, Petrobrás S/A.
Direito Empresarial
Sociedade de economia mista
Regime jurídico híbrido:

Devem fazer licitação, concurso público, são


fiscalizados pelo TCU.

No caso de prestarem serviços públicos, surge certo


paradoxo, já que apesar de terem personalidade
jurídica de direito privado acaba sendo-lhes aplicada
regime jurídico de direito público – caso da ECT.

Direito Empresarial
Sociedade de economia mista
Pessoal celetista.

São agentes públicos. Parágrafo 1º do art. 327 do


código penal. Equipara a funcionário público quem
exerce cargo, emprego ou função em entidade
paraestatal. Inserido no capítulo “dos crimes praticados
por funcionário público contra a administração em
geral”.

Ex.: Peculato: apropriar-se de bem público ou particular


em razão do cargo. Prevaricação: retardar ou deixar de
praticar indevidamente ato de ofício para satisfazer
interesse ou sentimento pessoal.
Direito Empresarial

º.
Sociedade de economia mista

Falência – Lei 11.101/2005:


Art. 2o Esta Lei não se aplica a:
I – empresa pública e sociedade de
economia mista;

Doutrina entende que deveria aplicar


somente às prestadoras de serviço público.

Direito Empresarial
Sociedade de economia mista e
Empresa Pública
Diferenças entre Sociedade de Economia Mista e
Empresa Pública.

Forma jurídica:
SEM são sempre S/A, reguladas pela 6.404/76;
EP- qualquer forma jurídica, inclusive S/A.

Foro Processual:
EP Federal (Art. 109, inc. I) - Justiça federal;
EP estadual, distrital e municipal
SEM – justiça estadual.
Direito Empresarial
FIM
Obrigado pela atenção!