Você está na página 1de 6

EXAMES PRÉ OPERATÓRIOS

São pré-requisitos para realização de uma intervenção cirúrgica. Geralmente na


prática hospitalar os exames pré-operatórios solicitados como de rotina para todos
os pacientes são:

 Hemograma completo;
 Glicemia em jejum;
 Coagulograma com TAP e PTT;
 Uréia e creatinina;
 Fator Rh e grupo sanguíneo;
 Urina –EAS;

VALORES DE REFERÊNCIA

EXAME REFERÊNCIA INDICAÇÕES


Hemograma
Hemácias (Hc) H: 4,6 – 6,2 Anemia
milhões/m
m3
M4,2 – 5,4
Hemoglobina(Hb) milhões/m
m3
Hematócrito(Ht) H:13 -18 Hemoconcentração
g/dl
Leucócitos M:12 -16
g/dl
o Neutrófilos H: 42 -50%
o Eosinófilos M: 40 - Infecções
o Linfócitos 48% Intoxicações
o Monócitos 5000 – Leucemia
10000/mm Leucopenia
3 Leucocitose
Hemorragias
Plaquetas 60-70%
Tempo de coagulação 0-0,5% Sangramentos
20-30% auxilia na avaliação
2-6% da dosagem de
Tempo de sangria anticoagulante

200-400
mil/mm3

2-8
minutos

1-3
minutos
Coagulograma Sangramentos e
Tempo de protrombina alterações no
Relação de tempos (TD/TR) mecanismo de
Tempo de tromboplastina 12,3 seg 70 coagulação
parcial ativada (TTPA) a 100%
Glicemia (glicose)
1 a 1,20

Diabetes Mellitus
70 -115
mg/dl
VDRL negativo Sífilis
Colesterol IAM
o Total Até HAS
o HDL 240mg/dl AVC
o LDL 40-60mg/dl
o VLDL 130-
165mg/dl
10- 50
mg/dl
Triglicérides 30 -170 IDEM
g/dl
HIV (Elisa Organon) Negativo Oferecer ao paciente
TGO 7 -40 U/I Hepatite por vírus
TGP 10-40 U/I Hepatopatia crônica
IAM
Bilirrubina Hepatopatia
Icterícia
o Total 0,2 – 1,2
o Direta mg/dl
o Indireta 0,0 – 0,2
mg/dl
0,2 – 1,0
mg/dl
ECG (Eletrocardiograma) Verifica se existe
algum tipo de
alteração no traçado
do ritmo cardíaco
através dos impulsos
elétricos
Risco Cirúrgico Apto ou não apto Laudo feito por um
cardiologista com base nos
resultados do ECG e do
histórico de vida do paciente
USG (Ultrassonnografia) Visualiza órgãos para
detectar alterações nos
mesmo
Citológico Presença ou Indicação de tratamento
ausência de células cirúrgico para moléstias do
típicas ou atípicas colo, e corpo uterino.
de algum tipo de
alteração celular
maligna ou
benigna.

ENTENDENDO UM POUCO O HEMOGRAMA

Hemograma é o exame laboratorial que estuda os elementos figurados do sangue


(eritrócitos, leucócitos ou glóbulos brancos e plaquetas ou trombócitos).

O hemograma de divide em:

Volume plasmático total;


Volume globular total eritrócito;

 Estudo da série vermelha

a) Contagem global de eritrócitos (HC);


b) Determinação do hematócrito (Ht) é o volume de eritrócitos
expressos em percentagem em relação ao sangue total;
c) Dosagem de hemoglobina (Hb) pigmento eritrócito, principal
componente responsável pelo transporte de O2 no sangue;
d) Determinação de índices hematimétricos avaliam a quantidade e a
concentração de hemoglobina nos eritrócitos em média e o
volume dos eritrócitos;

HCM – (hemoglobina corpuscular média que expressa a quantidade de hemoglobina


por eritrócito em média);

CHCM – (concentração hemoglobínica corpuscular média que expressa a concentração


de hemoglobina por eritrócito em média);

VCM – (volume corpuscular médio que expressa o volume do eritrócito em média);

VHS – (velocidade de hemossedimentação);

CONTAGEM DE RETICULÓCITOS

 Estudo da série branca

a) Contagem global de leucócitos;


b) Contagem diferencial de leucócitos;

 Estudo da série plaquetária


a) Contagem da série global de plaquetas;
O SANGUE

Fluido formado por uma porção celular que circula em suspensão num meio líquido, o
plasma. A porção celular representa 45% (44% de hemácias e 1% de leucócitos e
plaquetas) de um volume de sangue, enquanto o plasma representa 55%.

Hemácias – glóbulos vermelho ou eritrócitos tem sua cor determinada pela presença de
um pigmento vermelho chamado hemoglobina.

Glóbulos brancos ou leucócitos – células de defesa que não exercem suas funções
enquanto estiverem dentro do sangue, mas sim quando saem dele através dos vasos
capilares, e penetram no tecido conjuntivo frouxo (diapedese).

Existem 5 tipos de leucócitos que se divide em 2 grupos:

 Granulócitos que possuem grânulos em seu citoplasma chamados também de


polimorfonucleares, entre estes, predominam os neutrófilos, eosinófilos e
basófilos.

a) Neutrófilos 6 a 70 % – células cujo o núcleo em geral possui 3 lóbulos e


o citoplasma contém grânulos muito finos;
b) Eosinófilos 1 a 3% - células em geral com núcleo bilobulado e
citoplasmas com granulações grandes;
c) Basófilos 0,5 a 1% - céluals de função desconhecida com núcleo de
forma irregular e grandes grânulos no citoplasma;

 Agranulócitos são desprovidos de granulações citoplasmáticas e


possem núcleos não lobulados, não são necessariamente esféricos
daí o termo leucócitos mononucleares;

a) Linfócitos (não fagocitários) células envolvidas com as


reações de reconhecimento de agentes que provem do
meio externo, agindo diretamente sabre as
mesmas(linfócitos T imunidade celular) ou através de
secreção de anticorpos (linfócitos B imunidade
humoral).Alguns possuem vida curta outros tem sobrevida
maior de até alguns anos.
b) Monócitos - Células que circulam durante poucos dias e
deixam a circulação, fixando-se nos tecidos, onde
adquirem aspectos de macrófagos. Eles são encarregados
da defesa do organismo graças à capacidade de fagocitar
qualquer corpúsculo estranho, e ainda participa das
reações imunológicas.
c) Plaquetas (trombócitos) – são os menores dos elementos
formados pelo sangue. Células de estrutura discóides,
achatadas, redondas ou ovais, anucleadas. O
desenvolvimento de uma plaqueta ocorre basicamente na
medula óssea. A vida de uma plaqueta é de
aproximadamente 7 a 10 dias, Normalmente 2/3 de todas
as plaquetas do corpo são encontradas no sangue
circulante e 1/3 está no baço.

EXAMES LABORATORIAIS A SEREM SOLICITADOS DE ACORDO


COM O MOMENTO OPERATÓRIO

De acordo com o momento operatório os exames pré-operatórios pode ser


determinados da seguinte forma:

a) Cirurgia Eletiva: o momento operatório é escolhido sem pressa;

HEMOGRAMA COMPLETO: os níveis de hemoglobina devem ser maiores


que 10g/dl em pacientes idosos, e 8g/dl em pacientes jovens.

GLICEMIA: os níveis de glicemia devem ser menores do 250mg/dl. Alguns


defedem a sua solicitação apenas para pacientes acima de 60 anos, diabéticos,
com doença maligna e em uso de corticosteróides.

COAGULOGRAMA: TAP , PTT, tempo de sangramento, plaquetas;

URÉIA E CREATININA – devem ser solicitados em pacientes acima de 60


anos, pacientes com diarréia, doença hepática, renal, cardiovascular ou
endócrina incluindo o diabetes, uso de diuréticos, digoxina e drogas
nefrotóxicas.

SÓDIO E POTÁSSIO – são exigidos com pacientes com idade acima de 60


anos.

URINA(EAS) – solicita-se em pacientes sintomáticos, com idade acima de 60


anos, naquels q utilizarão próteses e nos casos de operações urológicas.

RX DE TÓRAX – pacientes com idade acima de 55 anos q serão submetidos a


procedimentos de grande porte, tabagismo, acima de maços/ano, sinais ou
sintomas de doença respiratória ou cardiovascular e procedimentos intra-
torácicos.

ECG – solicitados mulheres acima de 55 anos, em homens acima de 40 anos,


grandes procedimentos torácicos e vasculares, pacientes hipertensos, diabéticos,
uso de antidepressivos, fenotiazícos, e em tabagistas.

TRANSAMINASES – Verificação da função hepática em pacientes


hepatopatas.

B-HCG – exigido para mulheres em idade fértil e com história de amenorréia;


FATOR Rh E GRUPO SANGUÍNEO – algumas instituições defendem sua
solicitação em caso de perdas sanguíneas.

b) Cirurgias em regime de urgência: há a necessidade de se operar o paciente


o mais rápido possível, mas, há tempo de melhorar o estado geral do
paciente.
HEMOGRAMA – serve como parâmetro inicial, principalmente em casa de
sangramento agudo, como o que ocorre no trauma. Permite a avaliação de
perdas e reposições volêmicas.

ELETRÓLITOS – avalia se existe algum distúrbio hidroeletrolíticos e dá


um parâmetro para sua correção, se possível no período pré-operatório.

URÉIA E CREATININA – para avaliara a função renal.

TIPAGEM SANGUÍNEA – nos casos de perda aguda ou crônica para


reposição, se necessário.

EXAMES DE IMAGEM – rotina radiológica de abdome agudo, ultra-


sonografia de abdominal e torácica, TC

RX de Coluna cervical, tórax, bacia e abodome – para paciente


politraumatizado(Advanced Trauma Life Suport);

c) Cirurgias em regime de emergência – a vida do paciente corre risco


imediato.

NENHUM! Asituação é tão grave que não permite a realização de exames.


Caso o paciente esteja estável hemodinamicamente, podem ser realizados os
seguintes exames:

HEMATÓCRITO – permite a avaliação de perdas ocorridas, e sua


conseqüente reposição.

TIPAGEM SANGUÍNEA – para providenciar reposição, caso seja necessário

RX de Coluna cervical, tórax, bacia e abdome – para pacientes


politraumatizados.