Você está na página 1de 82

REDE DE ENSINO LFG

Concurso para Delegado de Polícia de Goiás

Profª MS. Sônia Maria DE Sousa Santa Cruz

REALIDADE ÉTNICA,
ÉTNICA, SOCIAL, HISTÓRICA,
GEOGRÁFICA, CULTURAL, POLÍTICA E ECONÔMICA DO
ESTADO DE GOIÁS E DO BRASIL (Lei n. 14.911, de 11
)
de agosto de 2004

Aula de 02/11/2008

SUMÁRIO

REALIDADE ÉTNICA, SOCIAL, HISTÓRICA, GEOGRÁFICA, CULTURAL,


POLÍTICA E ECONÔMICA DO ESTADO DE GOIÁS E DO BRASIL (Lei n.
14.911, de 11 de agosto de 2004)

1. Formação econômica de Goiás: a mineração no século XVIII, a agropecuária


nos séculos XIX e XX, a estrada de ferro e a modernização da economia
goiana, as transformações econômicas com a construção de Goiânia e Brasília,
industrialização, infra-estrutura e planejamento.

2. Modernização da agricultura e urbanização do território goiano.

3. População goiana: povoamento, movimentos migratórios e densidade


demográfica.

4. Economia goiana: industrialização e infra-estrutura de transportes e


comunicação.

5. As regiões goianas e as desigualdades regionais.

6. Aspectos físicos do território goiano: vegetação, hidrografia, clima e relevo.

7. Aspectos da história política de Goiás: a independência em Goiás, o


coronelismo na República Velha, as oligarquias, a Revolução de 1930, a
administração política de 1930 até os dias atuais.

1
8. Aspectos da História Social de Goiás: o povoamento branco, os grupos
indígenas, a escravidão e cultura negra, os movimentos sociais no campo e a
cultura popular.

9. Atualidades econômicas, políticas e sociais do Brasil, especialmente do


Estado de Goiás.

QUADROS:

Quadro 1- Censo agropecuário de 2006- resultados preliminares

Quadro 2- Indicadores Sociais.

Quadro 3- Comparação entre as Mesorregiões.

Quadro 4- Comparação entre os Indicadores das Mesorregiões.

Quadro 5- O Coronelismo goiano.

Quadro 6- Governo na Província, Império e República até 1991.

Quadro 6- Governantes de Goiás de 1991 até 2008.

MAPAS:

Mapa 1- As mesorregiões de Goiás.

Mapa 2- Localização do estado de Goiás no Brasil.

Mapa 3- O estado de Goiás e seus limites.

Figuras:

Figura 1- Palácio Conde dos Arcos

Figura 2- Igreja da Boa Morte

BIBLIOGRAFIA

QUESTÕES DE ESTUDO

2
1. Formação econômica de Goiás: a mineração no século XVIII, a
agropecuária nos séculos XIX e XX, a estrada de ferro e a modernização
da economia goiana, as transformações econômicas com a construção de
Goiânia e Brasília, industrialização, infra-estrutura e planejamento.

Os antecedentes da formação histórica de Goiás estão ligados à


formação do Brasil como colônia de Portugal. O Brasil organizou-se como
colônia de exploração dentro dos princípios do mercantilismo (política
econômica do capitalismo comercial), isto é só existia para enriquecer a sua
metrópole com uma economia voltada para o mercado externo e com mão-de-
obra do escravo negro. A economia colonial brasileira foi cíclica. Os ciclos
econômicos apresentam três fases: início, apogeu e decadência. O primeiro
grande ciclo econômico foi a cana-de-açúcar (séc. XVI e XVII) que teve como
regiões importantes o Recôncavo Baiano e Pernambuco. Portanto o núcleo
econômico concentrava-se no Nordeste.

As colônias organizadas dentro do pacto colonial como está acima


descrito são as chamadas colônias de exploração. As colônias portuguesas e
espanholas são consideradas deste tipo. As suas características básicas foram
as seguintes:
• Latifúndio monocultor (grandes extensões de terra onde se
cultivava um só produto)
• Dependência do mercado externo (só produziam o que a metrópole
desejasse, principalmente produtos agrícolas tropicais e metais
preciosos)
• Utilização da mão-de-obra do escravo negro.
• Não desenvolvimento do mercado interno, não propiciando a
acumulação de capital.

O Brasil foi organizado como colônia de exploração dentro dos princípios


mercantilistas e regras impostas pelo Pacto Colonial que pode ser definido
como o conjunto de relações de domínio entre a metrópole, no caso Portugal, e
sua colônia, o Brasil. Decorrente desta política, surgiram as grandes
características da economia colônia: os ciclos econômicos (açúcar e ouro), a
agricultura de produtos tropicais, a dependência do mercado externo, o não

3
desenvolvimento das atividades industriais,a mão-de-obra do escravo negro, o
comércio era monopólio da Coroa ( o exclusivo metropolitano). Em síntese, o
Pacto Colonial significava uma relação de dominação política e econômica da
metrópole sobre sua colônia.
Sua grande finalidade era a de satisfazer as necessidades da sua
metrópole e fornecer produtos que ela não produzisse. Como não tivessem
sido encontradas minas de ouro e prata, a opção inicial da colonização
portuguesa foi pelo cultivo da cana-de-açúcar.
O ciclo econômico pode ser definido como o período de tempo em que
um produto econômico torna-se o principal do país, em torno do qual giram
todos os outros e tem três fases: início, apogeu e decadência.
O ciclo da cana apresentou três características fundamentais: latifúndio,
monocultura e trabalho escravo.

A colonização concentrava-se na orla litorânea. Nas regiões mais ao sul,


não tinha ocorrido o mesmo desenvolvimento econômico e a economia era de
subsistência. Na região onde tinha sido fundado o Colégio de São Paulo, os
seus primeiros habitantes viviam uma vida precária e viam na penetração para
o interior a maneira de buscar riquezas, de aprisionar índios, enfim de
sobreviver. Além disso, o governo português não abandonara a idéia de
encontrar ouro nas terras de sua colônia. A busca por riquezas minerais
acentuou-se com a decadência da cana-de-açúcar.

A história de Goiás está ligada, portanto à caça ao índio, à catequese dos


índios feita por missionários vindos do norte e, especialmente à busca de
riquezas minerais.

Inicialmente, os portugueses concentraram-se no litoral, mas sempre


tiveram o interesse de encontrar minas de metais preciosos. A decadência do
ciclo do açúcar levou os portugueses para o interior. Não se pode esquecer da
atuação das entradas e das bandeiras paulistas. Foi encontrado ouro em Minas
Gerais e depois, em Mato Grosso e Goiás. Ocorreu uma verdadeira corrida do
ouro que provocou a primeira corrente migratória no Brasil.
A mão-de-obra utilizada nas Minas Gerais, também, foi a do escravo
negro. A organização da vida nas minas apresentava diferenças com relação à

4
região do açúcar, por desenvolver uma sociedade mais urbana formando
cidades como Vila Rica e Sabará. O comércio interno foi intenso feito com
outras regiões com tropas de mulas e as monções que subiam o rio Tietê.
Como os mineradores não produziam, sempre, havia crises de fome por causa
da escassez dos alimentos.
A vida cultural da região foi mais intensa, sendo que os filhos dos colonos
mais ricos iam estudar na Europa. Formou-se um grupo de escritores e artistas
tais como Tomás Antônio Gonzaga, Cláudio Manoel da Costa e Antonio
Francisco Lisboa, o Aleijadinho.
Em decorrência da exploração do ouro, ocorreu o deslocamento do eixo
econômico do Nordeste para o Sudeste e a transferência da capital de
Salvador para o Rio de Janeiro (1763) para que a sede ficasse mais perto das
áreas mineradores com vistas a evitar o contrabando do ouro. O desequilíbrio
da balança comercial portuguesa com relação à Inglaterra foi por muitos anos ,
equilibrada graças ao ouro brasileiro.
Devido à grande exploração, as minas se esgotaram e isto trouxe muita
pobreza para as regiões mineradoras.

Os outros produtos da economia colonial brasileira foram os seguintes:

• Algodão- produzido no Maranhão e que ganhou importância, no


século XVII, durante a Guerra de Secessão que ocorreu entre o
norte e o sul dos Estados Unidos. Era fornecido para a Inglaterra e
alimentava os seus teares, durante a Revolução Industrial.
• Fumo- agricultura destinada à exportação, sendo o produto utilizado
na troca com escravos no litoral africano. A grande área produtora
localizava-se no Recôncavo Baiano.
• Coleta de produtos da floresta Amazônia: látex, o guaraná.
• Pesca da baleia: no litoral sul, da qual era extraído um óleo utilizado
na iluminação.
O trabalho escravo tornou-se a base da economia brasileira a partir do
século XVI. Muitas razões levaram, Portugal a optar por esta modalidade de
trabalho; os indígenas brasileiros, no seu estágio cultural , viviam da caça e da
pesca; a Igreja Católica se opunha à escravização do índio; o europeu que já

5
se encontrava num estágio de trabalho assalariado não se sujeitava às
condições de trabalho existentes nos latifúndios; o tráfico negreiro era muito
lucrativo e Portugal já o praticava o que pode ser considerado como a
principal razão.
Não se pode esquecer que o comércio de escravos foi uma das
atividades mais rentáveis dos tempos modernos, sendo alvo de disputa entre
as principais potências européias. Ao seu redor, desenvolveram-se diversas
atividades econômicas, tais com a indústria naval, a manufatura, o cultivo de
gêneros agrícolas tropicais tal com o fumo.
A partir de 1550, o tráfico tornou-se intenso por causa do
desenvolvimento da cana-de-açúcar com a entrada no Brasil de cerca de 4
milhões de africanos. No fim do período colonial, grande parte da população
era constituída por escravos africanos e seus descendentes, chegando a ser
maioria em algumas regiões como o Rio de Janeiro.

A corrida do ouro para a região de Goiás teve início com as bandeiras


paulistas dos quais destacamos a Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhangüera ,
João Leite Ortiz e Domingos Rodrigues do Prado. Foram descobertas minas de
ouro em Ouro Fino, Anta, Santa Rita, na região dos Pirineus e junto ao rio das
Almas onde afloraram as minas de Meia Ponte, em 1731, a atual Pirenópolis.

As incursões se aprofundaram pelo território goiano e a zona do


Tocantins é explorada vindo a ser descobertas as ricas minas de Goiás:
Maranhão (1730), Água Quente (1732), Traíras (1735) e Cachoeira (1736).

Em 1727, Bartolomeu Bueno da Silva fundou onde habitava a nação goiá,


o arraial de Sant’Anna. Em 1736, esse arraial foi elevado à categoria de vila
com o nome de Vila Boa de Goyaz.

Os povoados multiplicaram-se, principalmente, no século XVIII, quando a


exploração do ouro atingiu o seu apogeu.

Domingos Rodrigues do Prado descobrira minas quase tão ricas quanto


as do Tocantins, em Crixás (1734).

6
No final da década de 1730, foram descobertos ricos veios na região
montanhosa entre o Tocantins e o sertão da Bahia: São Luís (Natividade) em
1734, São Félix (1736), Porto Real (1738), Arraias, Cavalcanti (1740) e Pilar.
Entre os anos de 1740 e 1750, foram encontrados veios de expressão: Carmo
(1746), Santa Luzia, Conceição, Bonfim, Caldas Novas e Cocal (1749).

A sociedade bandeirante caracterizou-se pelo aventureirismo, tumultos e


disputas pela posse das minas, o contrabando aurífero pelas vias fluviais.
Durante meio século (1730-1782), existia só um caminho para Goiás, o das
bandeiras paulistas: Vila Boa-> Paracatu->São João Del Rei->Rio de Janeiro.

Os paulistas exploravam as minas. Havia o relaxamento dos costumes e


muita violência. As minas eram exploradas pela mão-de-obra do escravo negro
e, também, pela do índio. No ano de 1736, havia de 13 a 14 mil escravos na
região. Havia falta de mulheres brancas daí ter ocorrido muita miscigenação.
No final do século XVIII, a população apresentava-se da seguinte maneira: os
brancos eram minoria, os mulatos, 31%, os escravos 41% e a população
mameluca era inexpressiva.

Abrindo caminhos e estradas e lutando contra os índios, os desbravadores


povoaram uma área imensa, onde a atividade mineradora absorveu todos os
homens livres ou escravos. A agricultura e a criação de gado eram de
subsistência. O tumulto nas minas e freqüente. Os paulistas e os portugueses,
de um lado, e as Capitanias do Maranhão e Grão-Pará, por outro lado,
disputam a posse das lavras. O contrabando do ouro pelos rios e caminhos
acarretou o fechamento da navegação e da livre circulação pelas margens do
rio Tocantins.

A exploração das minas é entregue aos paulistas que dominam a região e


que se estabelecem no alto Tocantins, predominando no médio Tocantins
migrantes do norte.

De 1728 a 1748, a administração política das minas era regida pela


Provisão Real de 1728, que criou a Superintendência das Minas de Goiás. O
primeiro superintendente e guarda-mor das minas foram, respectivamente,

7
Bartolomeu Bueno da Silva e seu genro João Leite Ortiz. A sede da
Superintendência ficava localizada em Vila boa. Mais tarde para coibir o
contrabando e pôr fim às crises geradas pelos abusos da oligarquia dos
Buenos, contra a qual se insurgiram mineiros poderosos de Meia Ponte foi
desmembrada em dois distritos; Meia Ponte e Santana. O ouvidor de São
Paulo da época, Gregório Dias da Silva, foi designado para o posto de
superintendente-geral das minas de Goiás. Bartolomeu Bueno da Silva ficou
com o título honorífico de capitão-mor.

Devido ao contrabando e às lutas internas, o governo de São Paulo


solicitou junto à coroa portuguesa, em 1734, a criação da Capitania de Goiás e
o estabelecimento de uma ouvidoria. De 1727 a 1736, a arrecadação do
imposto aurífero se fez sobre o metal fundido na Casa de Fundição de São
Paulo.

Foi estabelecida a Intendência de Goiás levando à diminuição do


contrabando e a uma maior calma na situação nas minas.

Em 1744, foi criada a Capitania de Goiás. Em 1749, foi empossado o


primeiro governador, D. Marcos de Noronha, o futuro Conde dos Arcos.

Em 1726, foi estabelecido o imposto da capitação em substituição ao do


quinto.

A capitania se mostrava deficitária. Foram realizadas novas expedições


em busca de metais e pedras preciosas, investidas contra os indígenas,
levantamento geográfico da capitania realizado em 1751 e o restabelecimento
do quinto através da instalação das Casas de Fundição de Vila Boa em 1752 e
de São Félix em 1754.

O comércio e as comunicações até a segunda metade do século XVIII


foram determinados pela mineração. No final do século XVIII, o comércio se
ressentiu da decadência geral da mineração.

As vilas pouco evoluíram. O ensino era precário. Só, em 1788, chegaram


os primeiros professores. A morte dos arraiais mineratórios provocou a

8
ruralização da vida da região já presente à época do governo de Luís da Cunha
Meneses (1778-1783).

Numa economia de ciclos econômicos, como o produto principal é o


responsável pela produção de riquezas quando ele decai toda a região sofre
muito como os efeitos da queda, pois os outros produtos produzidos dependem
e giram em torno do principal.

Assim, com a decadência da mineração, foi necessário o


desenvolvimento da agricultura.

A colonização de Goiás deveu-se também à migração de pecuaristas que


vieram de São Paulo, no século XVI, em busca de melhores terras de
pastagens para a criação do gado, o que levou à atividade da pecuária tão
importante na vida econômica do estado goiano.

A partir da década de 1780, caíram as barreiras restritivas, navegação


fluvial meio capaz de propiciar novas condições de vida.

A vinda da corte portuguesa para o Brasil trouxe modificações para a


colônia a integração e a valorização dos domínios portugueses. Para entender
esse fato, torna-se necessária a apresentação de uma breve síntese sobre o
panorama europeu do final do século XVIII.

Os acontecimentos da última parte do século do século XVIII, a


independência das treze colônias inglesas da América, a Revolução Francesa
e a Revolução Industrial fazem parte de um mesmo processo que se constitui
numa das etapas da formação do capitalismo industrial e da afirmação do
poder econômico da burguesia.
A Revolução Industrial colocou a necessidade de utilização de novas
fontes de energia para a indústria têxtil, o desenvolvimento agrícola, sendo que
a Inglaterra se transformara na maior potência mundial. Para a Inglaterra
interessava o fim do mercantilismo e o estabelecimento do livre comércio. Abria
cada vez mais fissuras no sistema colonial, através de acordos comerciais, o
incentivo ao contrabando e a aliança com os comerciantes coloniais. As idéias

9
do liberalismo econômico ganhavam força, opondo-se as do mercantilismo por
defender a livre iniciativa e não a intervenção do Estado na economia.
Portugal tinha empobrecido e entregue, através do Tratado de Methuen,
os seus mercados consumidores e os da suas colônias aos comerciantes
ingleses. Portanto, a sua dependência econômica com relação à Inglaterra era
muito grande.
No campo político, tinha adotado o despotismo esclarecido. Não se pode
esquecer que as idéias dos pensadores iluministas avançaram pela Europa,
questionando o poder absoluto dos monarcas e fazendo sérias críticas ao
poder da Igreja Católica. Alguns países europeus adotaram medidas
reformistas com o intuito de coibir o avança dos movimentos revolucionários.
Portugal foi um deles, o que ocorreu durante o governo de D. José I que subiu
ao trono em 1750 e escolheu como ministro, Sebastião José de Carvalho que
receberia o título de Marquês de Pombal.
O ministro Pombal tomou uma série de medidas importantes tais como a
expulsão dos jesuítas e de suas colônias, em 1759, inclusive com o confisco de
seus bens. Os jesuítas tinham se dedicado à catequese dos indígenas e
fundado as missões e várias escolas na colônia. No plano econômico, procurou
melhorar a arrecadação de impostos, colocando restrições ao contrabando do
ouro e diamantes das Gerais.
De 1777 a 1808, a Coroa portuguesa continuou realizando reformas para
se adaptar à nova realidade mundial e tentar salvar o seu império colonial, pois
em decorrência de sua situação econômica não podia prescindir de suas
riquezas.
O reinado de D. Maria I e seu filho, o Príncipe Regente D. João, foi
beneficiado do ponto de vista econômico por uma conjuntura econômica
favorável na economia colonial, com o um período de renascimento agrícola.
Houve a retomada da agricultura da cana como conseqüência da revolta
dos escravos em São Domingos que era uma grande produtora deste produto.
No Maranhão, desenvolveu-se a agricultura do algodão em decorrência da
guerra da Independência das treze colônias inglesa e das necessidades postas
pela Revolução Industrial em curso na Inglaterra. O Maranhão prosperou e seu
algodão abastecia os teares ingleses.

10
Mas o sistema colonial enfrentava problemas que iam se tornando cada
vez maiores. O estado português fazia uma política de reformas diante do
avanço das idéias iluministas, enquanto estas idéias entravam na colônia e
aliadas a motivos internos, levavam ao surgimento de conspirações coloniais .
Além do processo de consolidação do capitalismo industrial, a conjuntura
internacional contribuiu para a decadência dos impérios coloniais ibéricos
decorrente da política de Napoleão Bonaparte na Europa.
Napoleão tinha consegui subir ao poder na França e colocou em ação a
sua política expansionista. Contra a sua política, levantavam-se os interesses
da burguesia inglesa que dominava o comércio colonial. Para enfraquecer o
poderio britânico, Napoleão decretou, em 1806, o Bloqueio Continental ao
comércio inglês. O país que não atendesse aos desejos da França seria
invadido por ela.

A situação do reino português ficou extremamente complicada.


Pressionado pela França que queria ele fechasse os seus portos aos navios
ingleses e pela Inglaterra que queria que ele furasse o Bloqueio e mantivesse
os seus portos abertos ao comércio com ela.

Na decisão de Portugal de furar o Bloqueio pesou a sua relação


econômica de dependência com a economia inglesa e o temor de que a sua
colônia americana fosse invadida pelos ingleses. Na época, Portugal era
governado por D. Maria I que tinha problemas mentais, sendo o poder exercido
pelo Príncipe Regente D. João. Este atendeu à proposta inglesa de
transferência da corte para o Brasil, protegida pela esquadra britânica.
Quando as forças de Napoleão chegaram a Portugal, a esquadra
transportando a família real portuguesa e sua corte, escoltada por navios
ingleses, já tinha partido. Mais de 10 mil pessoas deixaram o reino, trazendo
consigo todas as riquezas que puderam carregar.
A cidade modificou-se como conseqüência da chegada da família real.
Reformaram-se e construíram-se muitas casas. Devido ao aumento das
atividades comerciais, instalaram-se inúmeras lojas, livrarias, perfumarias, lojas
de calçados, modificando aos poucos os seus hábitos e costume.
As principais ações e mudanças que ocorreram foram:

11
• A Abertura dos portos brasileiros às nações amigas em 1808. Por
esta medida, os portos da colônia saíram do exclusivo
metropolitano, passando para o livre comércio, rompia-se uma das
principais amarras do sistema colonial. Esta medida interessava,
principalmente, aos ingleses que passaram a ter o domínio sobre
eles.
• A fundação do Banco do Brasil, da Imprensa Régia, da Casa da
Moeda;
• Elevação do Brasil à categoria de Reino, surgindo o Reino Unido de
Portugal , Brasil e Algarves. D. Maria I morreu e , em 1816, D. João
foi coroado como rei com o título de D. João VI.
• As capitanias passaram a ser chamadas de províncias, sendo
criadas mais quatro, administradas por governadores de províncias
subordinadas ao rei.
• A política externa de D. João foi agressiva.

Enquanto isso em Goiás ocorreram alguns surtos de expansão territorial


determinados por algumas descobertas de veios auríferos.

O início do século XIX, Goiás é obrigado a ceder áreas de seu território


às províncias do Maranhão e Minas Gerais. Pelo Alvará de 18/03/1809, o norte
foi desmembrado da Ouvidoria sediada em Vila Boa, constituindo-se em
comarca com sede em São João das Duas Barras.

Em Portugal, no ano de 1820, ocorreu uma Revolução, denominada


Revolução do Porto movimento que se colocava contra a presença dos
ingleses no país, uma vez que, desde a retirada dos franceses, Portugal estava
sendo governado pelo comandante Beresford, chamado de Lorde Protetor de
Portugal.
A situação econômica de Portugal estava muito ruim, por causa dos
altos custos da guerra contra os franceses e do comércio colonial que tinha
sido aberto ao livre comércio e, portanto, não dava mais lucros para a
metrópole portuguesa.

12
O movimento revolucionário do Porto espalhou-se por outras regiões do
país. Do seu ideário constavam idéias liberais. Quando o movimento eclodiu
os militares ,em Lisboa, uniram-se a população. Formaram-se duas Juntas de
Governo Revolucionário convocando as Cortes (assembléias) que
representavam o poder legislativo português.
As cortes desejavam estabelecer uma monarquia constitucional, exigiram
a volta de D.João VI e de toda a família real para Portugal e queriam que fosse
jurada e promulgada.
Em 1821, o monarca que temia perder o trono português retornou para
Portugal, deixando seu filho D. Pedro de Alcântara, como Príncipe Regente do
Brasil.
As Cortes portuguesas tinham para com Portugal uma política baseada
em idéias liberais. Mas com relação ao Brasil, desejavam restabelecer o
monopólio, tendo em vista a situação econômica do país. Os reflexos da
Revolução do Porto foram sentidos no Brasil. Em Goiás, Natividade proclamou
uma Junta Provisória que se recusava a aceitar ordens de Vila Boa. O
movimento foi debelado em 1823.
Em 1822 a colônia separou-se de sua metrópole com a Independência
sendo proclamada pelo Príncipe D. Pedro. O Brasil tornou-se um Império.
Durante o período monárquico, houve a busca de soluções para os
problemas econômico-financeiros e a pacificação social de Goiás. Foram
incentivados o comércio fluvial e as atividades agrárias.
Da Guerra do Paraguai (1864 a 1870), Goiás participou ativamente como
fornecedor de tropas de víveres para os soldados em combate.
A pecuária tinha se tornado o sustentáculo econômico de Goiás com a
penetração de novas levas humanas: baianos, maranhenses, piauienses,
mineiros e paulistas. A partir da década de 1860, a província progrediu
economicamente, por causa do crescimento do rebanho bovino (106.548
cabeças) e à expansão da agricultura.
Até a segunda metade do século XIX, a agricultura ocupou posição
secundária, excetuando-se as culturas de tabaco de Natividade e Meia Ponte e
de café em diversas regiões. A indústria do couro sofreu um lento progresso.

13
Em 1930, já se cogitava em mudar a capital da província para o norte.
Nesse mesmo ano, começou a circular o primeiro periódico A Matutina Meia –
Potense de tendência liberal.
Em 1913, a estrada-de-ferro chegou a Goiandira. Em 1930, a Bomfim
(Silvânia) A renda do estado continuava baixa.
Desenvolveu-se uma agropecuária de caráter extensivo em grandes
latifúndios. No norte do estado desenvolveu-se a luta dos coronéis, a existência
de jagunços, banditismo, vícios eleitorais como reflexos do que ocorria em nível
e país, que será tratado na breve síntese que será apresentada sobre o
assunto no item 7 desse estudo. As oligarquias dominaram a vida política do
estado até 1930 com a sobreposição do personalismo dos caciques políticos
ao poder do Legislativo e do Judiciário .No período posterior a 1930, ocorreu a
intensificação da interiorização e dinamização econômica de Goiás. Nesse
processo de modernização, destacou-se o impacto sobe a economia da
construção de Goiânia.
Outros fatos importantes no processo de modernização foram a chegada
da estrada-de-ferro até Anápolis (1935) e a Colônia Agrícola Nacional de Goiás
em 1941, as Centrais Elétricas de Goiás (CELG em 1955), a Usina Rochedo
em 1956 e a construção de Brasília (1961).
Até o final de 1950, a base da indústria é extrativa ainda. No sudoeste,
com os garimpos de , no norte do cristal de rocha e, no Tocantins e Araguaia,
do babaçu, madeira e pesca.
No período relativo ao processo de modernização agrícola de Goiás,
destacaram-se às figuras políticas de Pedro Ludovico Teixeira e,
principalmente, de Mauro Borges Teixeira que ficou no poder de 1961 a 1964
e realizou a primeira tentativa de planificação administrativa e econômica. Com
as Metais de Goiás S/A (METAGO), houve o aproveitamento das riquezas
extrativas.
Mauro Borges Teixeira era filho de Pedro Ludovico Teixeira e fez parte da
chamada Era Ludovico. Teve um papel importante no processo de
modernização do estado. Do seu plano de governo, constavam o incentivo á
economia, comércio, empresas gerenciadas pelo Estado de forma indireta.
Estão ligados á sua gestão o Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDAGO) e a
Indústria Química de Goiás ( IQUECO). Fez uma proposta de reforma agrária

14
que desagradou às elites. Com o golpe militar de 1964 e a queda de João
Goulart deixou o poder.
No município de Itumbiara, foi construída a usina de Cachoeira Dourada.
A indústria alimentícia desenvolveu-se ao redor de Goiânia, Anápolis e
Itumbiara. Houve o desenvolvimento da indústria de transformação de produtos
não metálicos, indústrias metalúrgicas, química e têxtil. A partir de 1980, a soja
adquiriu grande importância com sementes adaptadas no cerrado. O arroz
tornou-se um dos principais produtos da agricultura.
A principal área agrícola e pastoril é Mato Grosso de Goiás, no centro-
norte a oeste de Anápolis e Goiânia. No vale do Paranaíba está a segunda com
o cultivo do arroz e do abacaxi. A partir da instalação de empresas alimentícias
o estado goiano tornou-se um dos grandes pólos produtores de tomate.
Em síntese, o estado de Goiás destaca-se na produção de arroz, café,
algodão, feijão, milho, soja, sorgo, trigo, cana-de-açúcar, alho e tomate.
Destacam-se o algodão em pluma, a soja, o milho e no final dos anos de 1990,
a produção da semente do girassol.
O crescimento da agroindústria iniciou-se a partir dos anos de 1990 e
está ligada á política de incentivos fiscais.
Portanto, a economia do estado de Goiás está baseada na produção
agrícola, na pecuária, no comércio e na indústria de mineração, alimentícia, de
confecções, mobiliária, metalurgia e madeireira, destacando-se a agropecuária.
A atividade mais explorada do estado é a agropecuária e uma das
grandes responsáveis pelo seu processo de agro-industrialização. Os
elementos favoráveis para o desenvolvimento dessa atividade, encontram-se,
entre outros fatores, nas suas terras férteis, água abundante, clima favorável.
Aliando esses elementos favoráveis ao domínio da tecnologia da produção,
Goiás tornou-se um dos grandes exportadores de grãos do país e possuidor de
um dos maiores rebanhos.

2. Modernização da agricultura e urbanização do território goiano.

O estado de Goiás possui extensas áreas de terras ocupadas por grandes


propriedades rurais em grande parte com mais de mil hectares. Mas, na
realidade não representam mais do que 5% dos negócios agrários. A economia

15
goiana tem como base a agroindústria sendo Goiás o maior produtor de sorgo
do país e ocupando o terceiro lugar na produção de soja. As exportações da
carne e dos grãos impulsionaram a economia goiana.

Um dos grandes responsáveis pela ocupação do estado goiano no


século XX foi Pedro Ludovico Teixeira (1891-1979). Esse político inaugurou a
chamada Era Ludovico. Era médico formado pela Faculdade de Medicina do
Rio de Janeiro. Foi o líder da Revolução de 1930 em Goiás e governador do
estado de 1935 a 1937. Foi também deputado constituinte de 1946, interventor
federal de 1937 a 1945, governador eleito de 1951 a 1954, senador por duas
mandatos e, em 1969, foi cassado por força do Ato Institucional nº 5 (AI-5).
Foi o responsável direto pela mudança da capital da cidade de Goiás para
Goiânia que como já foi afirmado trouxe progresso para o estado.

Pedro Ludovico Teixeira era opositor político dos Caiados que se


concentravam em Rio Verde, Inhuma e Anápolis. Ele reuniu 120 voluntários
com a intenção de invadir o sudoeste goiano. Foi preso pelas tropas caiadistas
em 4 de outubro de 1930. Foi solto quando chegou a notícia da vitória da
Revolução que levou Getúlio Vargas ao poder.

Cumpre destacar o objetivo político do seu governo que era o de


impulsionar a ocupação do estado de Goiás, direcionando os excedentes
populacionais para os espaços demográficos vazios na tentativa de aumentar a
produção econômica.

Era preciso para conseguir o objetivo posto, uma infra-estrutura ligando o


centro-oeste ao sul do país. As principais medidas tomadas pelo seu governo
foram mudança da capital, construção de estradas internas, reforma agrária e
marcha para o oeste.

Portanto a Revolução de 1930 teve conseqüências importantes no estado


em termos de transformações combinando-se com a construção da cidade
planejada de Goiânia e de Brasília num quadrilátero que se constituiu no
Distrito Federal. O ano de 1946 marcou a escolha do Planalto Central como o
local onde seria construída a futura capital do Brasil. Os investimentos em

16
infra-estrutura foram maiores e o estado tornou-se grande produtor de cana-de-
açúcar, soja, algodão, arroz, leite e carne.

Foi importante a criação da Colônia Agrícola Nacional de Goiás (1941)


pelo Governo Federal.

Mas a população goiana se concentra nas cidades com um percentual de


88, 6% segundo dados do IBGE. O setor de serviços, segundo dados de 2005,
ocupa uma parcela de 60,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado e a
indústria de 26%.

O tópico anterior, já foram relacionados os principais produtos da


agricultura goiana e Quadro 1 mostra os resultados de 2006.

Quadro 1

Censo agropecuário 2006- resultados preliminares

Número de estabelecimentos agropecuários 136.244 estabelecimentos


Área dos estabelecimentos agropecuários 24.983.002 hectare
Número de estabelecimentos com lavouras permanentes 15.871 estabelecimentos
Área de lavouras permanentes 414.906 hectare
Número de estabelecimentos com lavouras temporárias 55.461 estabelecimentos
Área de lavouras temporárias 3.175.673 hectare
Número de estabelecimentos com pastagens naturais 117.623 estabelecimentos
Área de pastagens naturais 15.524.699 hectare
Número de estabelecimentos com matas e florestas 89.558 estabelecimentos
Área de matas e florestas 5.239.876 hectare
Total de pessoal ocupado com laço de parentesco com o produtor 287.344 pessoas
Total de pessoal ocupado sem laço de parentesco com o produtor 115.089 pessoas
Número de estabelecimentos agropecuários com tratores 23.561 estabelecimentos
Número de tratores existentes nos estabelecimentos agropecuários 42.688 tratores
Número de estabelecimentos com bovinos 108.489 estabelecimentos
Número de cabeças de bovinos 16.684.133 cabeças
Número de estabelecimentos com bubalinos 702 estabelecimentos
Número de cabeças de bubalinos 17.710 cabeças
Número de estabelecimentos com caprinos 1.135 estabelecimentos
Número de cabeças de caprinos 22.388 cabeças
Número de estabelecimentos com ovinos 4.414 estabelecimentos
Número de cabeças de ovinos 159.641 cabeças
Número de estabelecimentos com suínos 63.337 estabelecimentos
Número de cabeças de suínos 1.348.212 cabeças

17
Número de estabelecimentos com aves 92.500 estabelecimentos
Número de cabeças de aves 42.282.970 cabeças
Número de estabelecimentos com produção de leite de vaca 68.151 estabelecimentos
Produção de leite de vaca 2.116.159 mil litros
Número de estabelecimentos com produção de leite de búfala 219 estabelecimentos
Produção de leite de búfala 2.792 mil litros
Número de estabelecimentos com produção de leite de cabra 87 estabelecimentos
Produção de leite de cabra 267 mil litros
Número de estabelecimentos com produção de lã 15 estabelecimentos
Produção de lã 2 tonelada
Número de estabelecimentos com produção de ovos de galinha 56.609 estabelecimentos
Produção de ovos de galinha 90.145 mil dúzias
Fonte: Censo Agropecuário - 2006. NOTA: Os dados com menos de 3 (três) informantes estão
desidentificados, apresentando a expressão Não disponível, a fim de evitar a individualização da
informação.

Número de estabelecimentos com bubalinos, segundo a Grande Região.


Créditos

Fonte: www.ibge.gov.br-acesso em 17/10/2008

3. População goiana: povoamento, movimentos migratórios e


densidade demográfica.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística


(IBGE), o estado de Goiás tem uma população de 5.647.037 habitantes
(estimativa de 2007) sendo o estado mais populoso da região centro-oeste. O
crescimento demográfico aumentou muito depois da construção de Goiânia e
intensificou-se após a construção de Brasília. Apresentou de 1991 a 2000, uma
taxa de crescimento de 2,5% ao ano.

Entre 1890 e 1920 a população dobrou e ultrapassou meio milhão de


habitantes, acompanhando o crescimento da atividade agropecuária dedicada
à criação de gado e à agricultura de arroz e café.

Em 1937, a cidade de Goiânia absorveu da cidade de Goiás, a função de


capital do estado. Existiam planos desde o século XVIII de mudança da capital.
O interventor federal nomeado após a Revolução de 1930, Pedro Ludovico
Teixeira, criou ma comissão para estudar o local onde seria construída a nova

18
capital. Em 24 de outubro de 1933, lançou-se a pedra fundamental da
construção. Em 1935, foi criado o município de Goiânia. Em 1937, ocorreu a
efetiva transferência da capital. Em 1942, ocorreu a inauguração oficial da
cidade. Seu nome foi escolhido através de um concurso.

A cidade de Goiás (Goiás Velho) foi tombada pelo Patrimônio Histórico


Mundial. Localiza-se na mesorregião do Nordeste Goiano e na microregião do
rio Vermelho. Sua população, segundo dados de 2005, é de 26.705 habitantes.
É famosa por sua arquitetura barroca, com, por exemplo, a Igreja da Boa Morte
e o Palácio Conde dos Arcos retratados abaixo.

Figura 1- Palácio Conde dos Arcos

Fonte:wikipedia.org- acesso em11/10/2008

19
Figura 2- Igreja da Boa Morte

A densidade demográfica do estado é de 16, 6 hab. por Km² (2007). As


regiões mais populosas do estado são Região Metropolitana de Goiânia (mais
de 2 milhões de habitantes) e a Região do Entorno de Brasília ( 1 milhão e
cem mil habitantes).

Desde a sua fundação, a cidade de Goiânia tem sido alvo de um grande


crescimento demográfico e de uma significativa expansão urbana. Com a
transferência do Distrito Federal para terras que pertenciam ao estado de
Goiás, a inauguração de Brasília distante 180 Km de Goiânia, a expansão
urbana e demográfica tornaram-se muito mais expressivas.

A chegada da estrada-de-ferro a Anápolis foi responsável pelo


adensamento populacional do sul que recebeu levas de migrantes nordestinos,
mineiros e paulistas e interligou o centro-oeste ao centro-sul.

Do final do período monárquico até 1930, o povoamento se intensificou


graças à atividade agropastoril e á expansão das ferrovias que facilitaram o
intercâmbio com o sul e contribuíram pata o povoamento das regiões sul,
sudeste e sudoeste do estado. Novos povoados se formaram a partir de 1888
e, até 1930, 12 novos municípios surgiram.

20
Na Primeira República (1889-1930), a população duplicou em 30 anos.
Em 1890, era de 224.572 hab. e, em 1920, era de 511.919 hab. O norte era a
região menos povoada.

Em 1924, embora sem sucesso, foi tentada a colonização européia


através da colônia alemã de UVA e Itapirapuã.

A população indígena é mais de 10 mil habitantes. Há quatro áreas


indígenas perfazendo 39.781 hectares. Três áreas são demarcadas pela
Fundação Nacional do Índio (FUNAI). As áreas indígenas localizam-se nos
municípios de Rubiataba, Nova América, Minaçu, Colinas do Sul, Cavalcante,
Aruanã.

Os negros foram introduzidos na região vindos da África e trazidos pelos


portugueses como escravos para se mão-de-obra na extração do ouro durante
ciclo econômico do mesmo nome.

Os brancos descendem, em sua maior parte, dos portugueses que foram


para região quando a sua economia estava baseada na extração do ouro.
Depois, ocorreram correntes migratórias em função do progresso agrícola da
região e da construção de Brasília.

Outros dados da população (IBGE/2006- disponível www.wikipedia.org –


acesso em 20/10/08), são;

1. parda: 50,9%;
2. branca; 43,6%
3. preta: 5,3%;
4. amarela ou indígena: 0, 2%

Segundo dados do IBGE, em 2006, seguem municípios com mais de 100


mil habitantes:

• Goiânia:1.244.645 hab. capital do estado e a cidade mais


populosa, responsável por 25% do PIB do estado ;

21
• Aparecida de Goiânia: 475.303 hab. localiza-se na região
metropolitana de Goiás. É a segunda cidade mais populosa do
estado.
• Anápolis: 325.544 hab. muito importante na economia do estado,
constituindo-se no maior pólo industrial da região centro-oeste.
• Luziânia: 196.046 hab. é o município mais importante do entorno
de Brasília.
• Águas Lindas de Goiás: 131.884 hab. é o segundo município
mais populoso do entorno de Brasília.
• Rio Verde: 149.382 hab. tem um grande complexo agro-industrial.
É o município mais populoso do sudoeste goiano.
• Valparaíso de Goiás: 114.450 hab localiza-se no entorno do
Distrito Federal. Tem 120.878 habitantes. Já foi município de
Luiziânia.

Outras informações importantes:

• população urbana; 88,6% (2006);


• mortalidade infantil: 20%9 2006);
• médicos: 13,9 por 10 mil habitantes ( 2006);
• número de municípios: 246;
• educação; pessoas de 0 a 17 anos de idade freqüentando
escola ou creche: 72,75% sendo 42% no Ensino Fundamental.
Do total da região, Goiás fica numa posição privilegiada, pois os
dados são os seguintes: MS: 18%, MT: 22%, Go: 41%, DF:!(% (
PNAD, 2006);
• Taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais de
idade: 8,8%. Analfabetismo funcional: 21%. ( Síntese dos
indicadores sociais 2008- Uma análise das condições da
população brasileira);
• Rede de esgoto atende 37% dos domicílios;
• Mortalidade infantil tem taxa inferior á de Minas Gerais e à do
Rio de Janeiro com um índice de 20%.

22
Quadro 2

Indicadores sociais

Taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais de idade 8,8 %


Taxa de analfabetismo funcional das pessoas de 15 anos ou mais de idade 21,2 %
Arranjos familiares residentes em domicílios particulares 1920 Mil Famílias
Arranjos familiares, do tipo unipessoal, residentes em domicílios
13,2 %
particulares
Arranjos familiares, do tipo casal sem filhos, residentes em domicílios
17,6 %
particulares
Arranjos familiares, do tipo casal com filhos, residentes em domicílios
47,4 %
particulares
Arranjos familiares, do tipo mulher sem cônjuges com filhos, residentes em
16,0 %
domicílios particulares
Famílias, com crianças de 0 a 6 anos de idade, com rendimento familiar per
37,2 %
capita até 1/2 SM
Crianças de 0 a 6 anos de idade, com rendimento familiar per capita até 1/2
41,4 %
SM
Freqüência escolar dos adolescentes de 15 a 17 anos de idade, pertencentes
77,7 %
ao 1º quinto de rendimento mensal familiar per capita
Freqüência escolar dos adolescentes de 15 a 17 anos de idade, pertencentes
94,2 %
ao 5º quinto de rendimento mensal familiar per capita
Jovens de 18 e 19 anos de idade que só trabalham 32,8 %
Taxa de atividade das crianças de 10 a 15 anos de idade, na semana de
11,1 %
referência
Taxa de atividade das crianças do sexo masculino de 10 a 15 anos de idade 13,7 %
Taxa de atividade das crianças do sexo feminino de 10 a 15 anos de idade 8,4 %
População de 60 anos ou mais de idade 9,1 %
População de 80 anos ou mais de idade 1,0 %
Pessoas de 60 anos ou mais de idade sem instrução ou menos de 1 ano de
38,1 %
estudo
Pessoas de 60 anos ou mais de idade com rendimento domiciliar per capita
10,8 %
de até 1/2 salário mínimo
Pessoas de 60 anos ou mais de idade aposentadas e/ou pensionistas 66,2 %
Taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais de idade, por cor ou
6,5 %
raça - branca
Taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais de idade, por cor ou
16,2 %
raça - preta
Taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais de idade, por cor ou
9,7 %
raça - parda
Média de anos de estudo das pessoas de 15 anos ou mais de idade, por cor
7,9 anos de estudo
ou raça - branca
Média de anos de estudo das pessoas de 15 anos ou mais de idade, por cor
6,4 anos de estudo
ou raça - preta
Média de anos de estudo das pessoas de 15 anos ou mais de idade, por cor
6,8 anos de estudo
ou raça - parda
Pessoas com 12 anos ou mais de estudo e pessoas que freqüentam o
41,6 %
ensino superior, distribuição percentual, por sexo - homens

23
Pessoas com 12 anos ou mais de estudo e pessoas que freqüentam o
58,4 %
ensino superior, distribuição percentual, por sexo - mulheres
Proporção de homens de 10 anos ou mais de idade, que cuidam de afazeres
43,4 %
domésticos, ocupados na semana de referência
Proporção de mulheres de 10 anos ou mais de idade, que cuidam de
87,1 %
afazeres domésticos, ocupados na semana de referência
Fonte: IBGE, PNAD - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2007

Fonte: www. ibge.gov.br – acesso em 17/10/2008

5. Economia goiana: industrialização e infra-


estrutura de transportes e comunicação.
A indústria de couros prosperou e, em função da abundância de matéria-
prima, fabricam-se tecidos d e algodão, existindo já, em 1861, cerca de 1555
teares, com produção anual de 37 mil varas de pano grosso, 12 mil de pano
fino, 200 de riscado, 2 mil cobertores e 500 redes.

A criação das Centrais Elétricas de Goiás (CELG,1955) e a conclusão da


Usina de Rochedo em 1956 levou ao aceleramento da urbanização e os
primeiros passos rumo à industrialização.

Na cidade de Anápolis, foi implantado um pólo farmoquímico a partir de


2000, responsável pela produção de matérias-prima para a indústria de
medicamentos. O município já contava com um pólo farmacêutico de médio e
grande porte instalados no chamado Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA).
Essa atividade está ligada à aprovação da Lei dos Medicamentos Genéricos
dando aos laboratórios a possibilidade de expansão no mercado interno.

O setor industrial fica com a parcela de 26% do PIB goiano. Esse setor
cresce e se moderniza e um dos fatores desse crescimento foi através de
incentivos fiscais e a formação de aglomeração de empresas do mesmo ramo
de produção e se beneficiando mutuamente. Os ramos que têm recebido
investimentos são a metalurgia, a mineração a indústria automobilística,
química e farmacêutica, Portanto a indústria vem se diversificando e o perfil
econômico goiano modificando-se. .

24
O estado de Goiás está servido por uma extensa malha rodoviária e o
transporte rodoviário é o predominante no estado. Tem cerca de 3.400 Km de
rodovias federais, 18.610 Km de rodovias estaduais e 64.690 Km de rodovias
municipais num total de 86.700Km. Mas um dado importante, desse total só
7.822 Km de rodovias são pavimentados.

O estado é cortado de norte a sul pela BR-153 que liga Porangatu, na


divisa com o Tocantins com Itumbiara na divisa com Minas Gerais. A BR-040
interliga faz a ligação de diversos municípios goianos tais como Valparaíso de
Goiás, Luziânia, Cristalina e liga Brasília a Belo Horizonte e ao Rio de Janeiro.

A BR-060 liga Brasília a Goiânia e ao Mato Grosso do Sul através do


Sudoeste goiano. A BR-070 liga Goiânia a Aruanã passando pelo Noroeste do
estado.

A estrada-de-ferro foi um dos fatores de progresso e modernização do


estado. Nos dias de hoje, o transporte ferroviário, como no restante, do Brasil,
é pouco utilizado no estado de Goiás. Há um trecho de linha férrea que liga
parte de Minas Gerais ao Sudeste de Goiás e o Sudeste Goiano à sua capital
Goiânia passando por Senador Canedo onde se localizam grandes
distribuidoras petrolíferas e grandes abatedouros.

Há interesse dos governos estadual e federal no desenvolvimento do


transporte ferroviário como meio de escoar de maneira mais barata a grande
produção de grãos da região. As obras da Ferrovia Norte-Sul têm suas obras
em parte prontas em Goiás, do Porto Seco de Anápolis em direção ao
Tocantins e Minas Gerais.

Em maio de 2000, o governo do estado assinou um convênio com uma


empreiteira para a construção do primeiro trecho da Ferrovia Norte-Sul em
território goiano, tendo uma extensão de 1391 Km, entre Belém e Senador
Canedo, conectando-se a sul, em Anápolis (Go) com a Ferrovia Centro-
Atlãntica e a norte com a estrada-de-ferro Carajás em Açailândia no Ma.

As obras iniciaram-se, em 1980, no governo do presidente José Sarney.

25
Há só uma hidrovia no rio Paranaíba que pertence à Hidrovia Paraná-
Tiête, sendo o seu principal porto de São Simão.

O mais movimentado dos aeroportos e o de Santa Genoveva localizado


em Goiânia. Na cidade de Anápolis, foi construída uma Base Aérea para aviões
supersônicos.

Na infra-estrutura do estado de Goiás, é importante mencionar o Porto


Seco Centro-Oeste S/A que se localiza em Anápolis que pode ser
caracterizado como um terminal privado de uso público. Destinado ao
armazenagem e à movimentação de mercadorias importadas, ou destinadas á
exportação, sendo utilizado com facilitador das Operações de Comércio
Exterior . o Porto Seco de Anápolis é uma das empresas privadas que mais
aplicam em logística no centro-oeste e que mais atrai investimentos para a
região. Em 2007, US$ 520 milhões em mercadorias passaram por seus
terminais. Movimenta 22.000 toneladas de carga/mês o que representa 40% da
carga brasileira transportada pelo trem expresso da Ferrovia Centro-Atlântica.
(disponível: www.portocentrooeste.com.br –acesso em 28/10/08).

5. As regiões goianas e as desigualdades regionais.

O estado de Goiás está divido em 5 mesorregiões, dezoito microregiões


e 246 municípios segundo dados do IBGE. As messorregiões são as
seguintes: Norte, Noroeste, Leste, Centro e Sul que estão representadas no
mapa abaixo:

Mapa 1- As mesorregiões de Goiás

26
1. Norte de Goiás
2. Noroeste de Goiás
3. Leste de Goiás
4. Centro de Goiás
5. Sul Goiano

Fonte: www.wikipedia.org – acesso em 20/10/2008

Mesorregião do Noroeste goiano é uma das cinco mesorregiões do


estado. È formada por 23 municípios agrupados em três microregiões:

1. Aragarças; com 7 municípios com 53.561 hab. e área de 11.053,846


km²;
2. Rio Vermelho: com 9 municípios, 92.899 hab. e 20.205,983 km²;
3. São Miguel do Araguaia: 7 municípios, 75.676 hab. e 24.381 km².

Os seus dados serão apresentados no quadro Geral Comparativo entre


as mesorregiões que demonstrara as desigualdades regionais.

A mesorregião Sul é formada por 82 municípios e 6 microregiões .É uma


região rica. Tem três municípios com alto PIB per capita: São Simão, Chapada
do Céu e Catalão. Em termos de PIB fica atrás do Centro de Goiás.

As suas microregiões são as seguintes:

27
1. Catalão;
2. Meia Ponte;
3. Pires do Rio;
4. Sudoeste de Goiás;
5. Vale do Rio dos Bois;
6. Quirinópolis

A mesorregião do Centro de Goiás é formada pela união de 82


municípios que estão agrupados nas 5 microregiões que a compõem:

1. Anápolis;
2. Anicuns;
3. Ceres;
4. Goiânia;
5. Iporá

Essa messoregião possui o maior PIB do estado e é a mais populosa. Aí


está localizada Goiânia que foi planejada para ser um centro econômico e
político do estado durante o seu processo de modernização e ocupação territorial
com já foi afirmado quando se tratou sobre este assunto. Goiânia tem mais de
um milhão de habitantes e concentra as principais indústrias de transformação
do estado.

Destaca-se, também Anápolis que concentra um pólo de produção de


produtos farmacêuticos.

A mesorregião Norte de Goiás é a que apresenta as maiores carências


sociais e as disputas por terras numa realidade de extensos latifúndios e de
concentração de renda.

Está dividida em duas microregiões com 27 municípios:

1. Chapada dos Veadeiros;


2. Porangatu.

28
A mesorreegião do Leste de Goiás está formada por 32 municípios que
estão divididos em 2 microregiões:

1. Vale do Paraná;
2. Entorno do Distrito Federal.

O Distrito Federal está dentro do estado de Goiás no Planalto Central.


Sua altitude média é 1,1 metros. Nele está localizada a capital do Brasil;
Brasília. Ao redor dela, existem 25 cidades-satélites.

O Distrito Federal é um território autônomo dividido em regiões


administrativas e com certa autonomia. Das cidades-satélites, algumas eram
antigos municípios que já existiam antes da inauguração da capital federal e
que depois foram incorporados ao Distrito Federal, como Planaltina.

QUADRO 3

COMPARAÇÃO ENTRE AS MESORREGIÕES

Região Área-km² Pop.-hab Dens. Dem. Hab/km²

IBGE/2006 IBGE/2006

Norte 56.509,394 276.509 4,9


Noroeste 55.641,200 222.136 4,0
Leste 55.520,399 1.165.063 20,98
Centro 40.836.,704 2.900.248 69,7
Sul 131.579,001 1.661.348 12,6

Fonte: www.wikipedia.org – acesso em 20/10/08

29
QUADRO 4

COMPARAÇÃO DE INDICADORES DAS MESORREGIÕES

Região IDH/ PIB PIB per capitã

PNUD IBGE/06 IBGE/06

R$ R$
¨Norte 0,726 1.901.379.344,00 6.828,21
Noroeste 0,726 1.540.046.909,00 6.949,79
Leste 0,736 3.765.965.340,00 3.562,61
Centro 0,787 16.223.322.523,00 5.929,69
Sul 0,807 15.404.396.527,00 14.017,87

Fonte: www.wikipedia.org- acesso em 20/10/08

6. Aspectos físicos do território goiano: vegetação, hidrografia,


clima e relevo.

Mapa 2 -Localização do estado de Goiás no Brasil

Fonte: www. wikipedia.org – acesso em 28/10/2008

30
O estado de Goiás localiza-se na região centro-oeste ,com uma área de
340.086,698 km². É o mais central dos estados brasileiros. Limita-se com os
estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Bahia e Minas
Gerais.

Mapa 3- O estado de Goiás e seus limites

Fonte: www.transportes.gov.br/bit/estados/port/go.htm - acesso em 28/10/08

O relevo apresenta bastante variação com terrenos cristalinos


sedimentares antigos e áreas de planaltos bem trabalhados pela erosão,
chapadas apresentando características físicas de contrastes marcantes mas de
muita beleza. No oeste do estado, encontram-se as mais baixas altitudes. Os
pontos mais altos são a Chapada dos Veadeiros (1784 ms), a Serra dos
Cristais (1250 ms) e a Serra dos Pirineus (1395 ms). A altitude média
apresentada na maior parte do território do estado é de 300 a 900 ms.

31
O Distrito Espeleológico de São Domingos fica no extremo norte e possui
os maiores conjuntos de cavernas sul-americanas ficando próximo do Parque
Nacional da Chapada dos Veadeiros onde podem ser encontrados vales,
saltos, cachoeiras e cânions.

O clima é tropical semi-úmido com duas estações bem definidas: a


chuvosa (outubro a abril) e a seca ( maio a setembro). A média térmica é de
23º C sendo as mais altas no oeste e norte e mais baixas n sudoeste, sul e
leste. As mais altas acontecem entre setembro e outubro, chegando a 39ºC e
as mais baixas entre maio e julho chegando a 4ºC.

A vegetação é típica do cerrado (arbustos altos e árvores de galhos


retorcidos e de folha e casca grossos e raízes profundas), excetuando-se a
região do Mato Grosso Goiano, onde domina uma pequena área de floresta
tropical com árvores de grande porte, estreitas faixas de floresta atlântica no
sul do estado.

As árvores do cerrado são, dentre outras: lobeira, pequizeiro,


mangabeira.

O estado de Goiás é banhado por três bacias hidrográficas: do rio


Paraná, do Tocantins, do São Francisco. Seus principais rios são: Paranaíba,
Aporé, Araguaia, São Marcos, Corumbá, Claro, Corumbá dos Bois, Paranã,
Maranhão e São Marcos.

Dentre os lagos e lagoas existentes na região, estão a lagoa Santa


(Itajaí), lagoa de Piratininga ( águas quentes no município de Caldas Novas),
lago de Cachoeira Dourada, formado pelo represamento do rio Paranaíba para
a hidrelétrica de Cachoeira Dourado.

A sua fauna é muito rica com várias espécies como capivaras e antas. Na
mata, há onças, tamanduás, macacos e animais típicos do cerrado tais como a
ema e a siriema. Há, também, pássaros das mais variadas espécies.

32
7. Aspectos da história política de Goiás: a independência
em Goiás, o coronelismo na República Velha, as
oligarquias, a Revolução de 1930, a administração política
de 1930 até os dias atuais.

Durante o período em que o Brasil foi colônia de Portugal, a região de


Goiás pertenceu á capitania de São Paulo. Foi criada, em 1728, a
Superintendência das Minas de Goiás e , mais tarde a Intendência de Goiás.
Em 1744, foi criada a Capitania Geral de Goiás, sendo D. Marcos de Noronha,
futuro Conde dos Arcos, seu primeiro governador.

Com a independência do Brasil que ocorreu em 1822, as capitanias


passaram a ser chamadas de províncias que eram governadas pelos
presidentes das províncias segundo o estabelecido na Constituição de 1824.

A República foi proclamada, em 1889, pelo Marechal Deodoro da


Fonseca. Foi promulgada uma nova Constituição e a província de Goiás
tornou-se o estado de Goiás.

Os clãs que se formaram ao longo do Império já tinham em suas mãos os


poderes econômicos, sociais e político. O seu poder aumentou com a
República Federativa e passaram a dominar o cenário político. As oligarquias
sucederam-se até 1930. Na década de 20, elas tiveram o poder consolidado e
se sobrepuseram ao legislativo e judiciário.

Dentre os fatores que contribuíram para o fortalecimento do poder da


oligarquias, podem ser relacionados os seguintes: os vícios eleitorais, o
coronelismo, a política dos governadores do presidente Campos Sales.

Com a Revolução de 1930, ocorreu a intensificação da interiorização e


ocupação do território goiano bem como a dinamização da sua economia.

33
Quadro 5- O coronelismo goiano

José Leopoldo de Bulhões Jardim Político e financista brasileiro. Foi o


criador do clã dos Bulhões em Goiás.
(1857-1928) Era formado bacharel pela Faculdade de
Direito de São Paulo. Apoiou a
permanência de Rui Barbosa no
Ministério da Fazenda e o plano de
estabilização monetária do presidente
Washington Luis. Foi deputado federal.
Senador por Goiás Ministro da Fazenda
de 1902 durante o governo do
presidente Rodrigues Alves e de 1909-
1910 durante o governo de Nilo
Peçanha. Foi, também, diretor do Banco
do Brasil.
José Xavier de Almeida Advogado e político brasileiro. Bacharel
pela Faculdade de Direito de São Paulo
( 1871-1956) e membro do Partido Republicano
Federal de Goiás. Secretário do Interior
e Justiça (1895-1899) e presidente de
Goiás (1901-1905). No início da sua
carreira, ligou-se ao grupo bulhonista
com o qual rompeu em 1904. Em 1909,
após a revolução que derrubou o último
presidente xavierista encerrou-se o
período de sua influência.
Eugênio Rodrigues Jardim Militar e político brasileiro. Coronel
reformado, delegado de polícia do
(1858-1926) estado de Goiás chegando a
comandante superior da Guarda
Nacional de Goiás. Foi uma dos
principais fundadores do partido
Democrata de Goiás em 1909. Em
1915, foi eleito senador, mas não
assumiu o cargo. Foi eleito presidente
de Goiás em 1921 e deixou o cargo em
1922. Em 1926, foi eleito senador, mas,
no mesmo ano, morreu.
Antônio Ramos Caiado Bacharel pela Faculdade de Direito de
São Paulo. Intendente municipal,
(1874-1967) Secretário do Interior, Justiça,
Segurança Pública e deputado estadual
e federal. Na Revolta da Armada de
1893, lutou ao lado das forças
legalistas. Fundou e dirigiu o jornal A
República. Foi um dos chefes da
Revolução de 1909 que marcou a queda
do grupo político chefiado por José
Xavier de Almeida e o início da etapa de
domínio político do Partido Democrata (
1909-1930).

34
Quadro 6- GOVERNO DA PROVÍNCIA
IMPÉRIO REPÚBLICA

POSSE PRESIDENTE POSSE


13-12-1824 Caetano Maria Lopes Gama 27-04-1
23-10-1827 Brigadeiro Miguel Lino de Moraes 29-04-1
31-12-1831 Cel. José Rodrigues Jardim 11-10-1
20-03-1837 Pe. Luís Gonzaga de Camargo Fleury 06-10-1
04-09-1839 D. José de Assis Mascarenhas 25-04-1
14-10-1845 Joaquim Inácio Ramalho 22-07-1
11-06-1849 Eduardo Olímpio Machado 18-03-1
11-06-1850 Antônio Joaquim da Silva Gomes 01-02-1
20-12-1852 Francisco Mariani 20-06-1
08-05-1854 Antônio Cândido da Cruz Machado 22-02-1
28-09-1855 Antônio Augusto Pereira da Cunha 06-02-1
08-10-1857 Francisco Januário da Gama Cerqueira 01-11-1
01-05-1860 Antônio Manuel de Aragão e Melo 06-01-1
22-04-1861 José Martins Pereira de Alencastre 13-08-1
26-06-1862 Caetano Alves de Sousa Figueiras 20-10-1
08-01-1863 José Vieira Couto de Magalhães 06-03-1
05-04-1864 João Bonifácio Gomes de Siqueira (VP) 03-07-1

PERÍODO NO
1889-1890 Joaquim Xavier dos Guimarães Natal (presidente), José Joaquim de Sousa e Major Eugênio de Me
1890-1891 Rodolfo Gustavo da Paixão
1891 Des. João Bonifácio Gomes da Siqueira
1891 Constâncio Ribeiro da Maia
1891 Rodolfo Gustavo da Paixão
1891-1892 Constâncio Ribeiro da Maia
1892 Ten. Cel. Brás Abrantes
1892-1893 Ten. Cel. Antônio José Caiado
1893-1895 Ten. Cel. Antônio José Inácio Xavier de Brito
1895-1898 Francisco Leopoldo Rodrigues Jardim
1898-1891 Urbano Coelho de Gouveia
1901-1905 José Xavier de Almeida
1905-1909 Miguel da Rocha Lima
1909 Francisco Bertoldo de Souza
1909 José da Silva Batista
1909-1912 Urbano Coelho de Gouveia
1912-1913 Herculando de Sousa Lobo
1913-1914 Olegário Herculano da Silveira Pinto
1914-1916 Salatiel Simões de Lima
1916-1917 Aprigio José de Sousa
1917-1921 Des. João Alves de Castro

35
1921-1923 Eugênio Rodrigues Jardim
1923-1925 Miguel da Rocha Lima
1925-1929 Brasil Ramos Caiado
1929 Alfredo Lopes de Morais
1929-1930 Humberto Martins Ribeiro
1930 Carlos Pinheiro Chagas
1930 Des. FRancisco Emílio Póvoa, Mário de Alencastro Caiado e Pedro Ludovico Teixeira
1930-1935 Pedro Ludovico Teixeira
1935-1937 Pedro Ludovico Teixeira
1937-1945 Pedro Ludovico Teixeira
1945-1946 Des. Eládio de Amorim
1946 Gen. Filipe Antônio Xavier de Barros
1946 Belarmino Cruvinel
1946-1947 Joaquim Machado de Araújo
1947-1950 Jerônimo Coimbra Bueno
1950-1951 Hosanah de Campos Guimarães
1951-1954 Pedro Ludovico Teixeira
1954-1955 Jonas Ferreira Alves Duarte
1955 Bernardo Saião Carvalho Araújo
1955-1959 José Ludovico de Almeida
1959-1961 José Feliciano Ferreira
1961-1964 Ten. Cel. Mauro Borges Teixeira
1964-1965 Cel. Carlos Meira Maros
1965-1971 Otávio Laje Siqueira
1971-1975 Leonino Caiado
1975-1979 Irapuan Costa Júnio
1979-1983 Ary Ribeiro Valadão
1983-1986 Iris Rezende Machado
1986-1987 Onofre Quinam
1987-1991 Henrique Santilo
1991 Iris rezende Machado

Fonte: www.ingego.org – acesso em20/10/08

Quadro 7- Governantes do estado Goiás de 1991 até 2008

Nome -------------------------Período

Íris Rezende Machado 15 de março de 1991 a 2 de abril de


1994
Agenor R. de Resende 2 de abril de 1994 a 1 de janeiro de
1995
Maguito Vilela 1 de janeiro de 1995 a 4 de maio de
1998
Naphtali Alves de Sousa 4 de maio de 1998 a 3 de novembro de
1998
Helenês Cândido 3 de novembro de 1998 a 1 de janeiro
de 1999
Marconi Perillo 1 de janeiro de 1999 a 31 de março de
2006
Alcides Rodrigues 31 de março de 2006 até a atualidade.

36
Fonte: www.wikipedia.org- acesso em 18/10-2008

Com a Revolução de 1930, ocorreu a intensificação da interiorização e


ocupação do território goiano bem como a dinamização da sua economia.

A construção de Goiânia foi importante para a economia do goiana e com


a inauguração de Brasília, ocorreu um novo suro de desenvolvimento.

Em 1964, o Brasil mergulhou no Regime Militar. Inclusive, o governador


Mauro Borges Teixeira saiu do poder com a queda de João Goulart e Pedro
Ludovico Teixeira, seu pai, teve os direitos políticos cassados por força do AI-5.

Os anos de 1980 assistiram ao processo de abertura e redemocratização


do país Em 1988, foi promulgada a nova constituição que é conhecida com
Constituição Cidadã e teve na figura de Ulisses Guimarães o seu grande
articulador. Nesse mesmo ano , ocorreu a divisão de Goiás sendo que a sua
parte norte formou o estado do Tocantins. Essa divisão teve como finalidade
procurar estimular o desenvolvimento do norte do estado goiano, região pobre
com disputas pela posse de terras e grande concentração da propriedade de
terras nas mãos de poucos.

História
O momento histórico em que o interventor Pedro Ludovico
Teixeira foi designado pelo então presidente da República
Getúlio Vargas será abordado pela prova, segundo o
professor Batalhione. “O interventor fez no nível regional o
que o presidente executou no nível nacional.” Pedro Ludovico
negou o estereótipo “goianice” associado ao atraso. Com a
crise aurífera no final do século XVIII, cronistas estrangeiros
avaliavam a província como símbolo da estagnação. O
período da Ditadura Militar possivelmente será tratado nos
governos de Otávio Lage, Leandro Caiado e Ary Valadão.
“Eles foram réplicas dos governos militares: investiram
pesadamente em infra-estrutura.” No caso de Goiás, os
governantes injetaram recursos na agricultura.

A interpretação e análise dos enunciados que iniciam as


questões pode conter até 50% da resposta, segundo o
professor. A interconexão entre a história do Estado e a
nacional pode ser uma saída para dúvidas na hora da prova.
O candidato deve estar atento com as possíveis relações do

37
passado com a atualidade. “Novo tempo” era o slogan do
antigo interventor. Ele chama a atenção para o slogan do
atual governo do Estado: “Tempo Novo”. “Goiás ainda
permanece ligado à agricultura, mas hoje a região atrai
investimentos até do exterior.”

Back to top

Fonte: disponível em: www://concurseiros.13.forumer.com- acesso em 29/10/08

7. Aspectos da História Social de Goiás: o povoamento


branco, os grupos indígenas, a escravidão e cultura
negra, os movimentos sociais no campo e a cultura
popular.

A sociedade que se estrutura nas minas é caracterizada pelo relaxamento


dos costumes e pela violência. Fugitivos por dividas ou por passado criminal ali
se refugiam. Os casamentos são raros, predominando ao longo do período
colonial as ligações livres. O grande número de escravos, entre 13 e 14 mil no
ano de 1736, e a falta de mulheres brancas conduzem à natural miscigenação
com as negras. Assim, no final do séc. XVIII, os brancos representam a minoria
do contexto populacional (7.273 num total de 50.135 habitantes), enquanto os
mulatos constituem 31% e os escravos 41%. A população mameluca é
inexpressiva, em conseqüência das restrições legais ao amancebamento entre
brancos e indígenas, e porque o ódio e ressentimento gerados pela resistência
do nativo à escravidão impediram a miscigenação.

As vilas pouco evoluíram, inclusive Vila Boa que não tinha boas casas,
condições sanitárias e conforto, O ensino era precário tanto na qualidade como
na quantidade.

Só, em 1788, chegaram os primeiros mestres para Vila Boa, Meia Ponte
e Pilar ,inclusive de latinidade e retórica. A morte dos arraiais da mineração
provocou a ruralização da vida econômica e social goiana.

38
No final da Primeira República, a renda total do estado de Goiás, ainda é
baixa.

Como conseqüência da agropecuária extensiva formaram-se grandes


latifúndios o que gerou características bem marcantes na sua economia e
sociedade. No campo, predominaram as características semi-feudais. O norte
continuou sendo a região menos habitada com uma sociedade instável devido
á presença de jagunços e da luta entre os coronéis pelo poder.

Considerado como Patrimônio da Humanidade: Parque Nacional das


Emas, Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e Centro Histórico de
Goiás.

O turismo constitui-se numa fonte de renda para o estado. Está baseado


em suas belezas naturais: águas termais como Caldas Novas Rio Quente
constituem-se na mais importante estância hidrotermal com suas piscinas de
águas quentes que chegam a temperaturas de 37Cº e a paisagem do cerrado
com sua rica e bela fauna. Há , também, o turismo chamado de histórico cujo
destino é Pirenópolis ( festa da cavalhada e do Divino Espírito Santo) e Goiás
Velho pela sua arquitetura barroca e pelas suas famosas procissões.

Movimentos Sociais que atuam em Goiás:

- MAB- Movimento dos atingidos (as)por Barragens;

-MST- Movimento dos Sem Terra: algumas das suas ações: 16/04/07:
ocupação de três fazendas: Bom Jardim, São Sebastião de Lavrinhas e
Péu. O latifúndio improdutivo São Benedito também foi ocupado.

V Congresso em Brasília de 11 a 15 de junho de 2007- Tema: “Justiça


Social e soberania popular”;

Movimentos Sociais educação e Cidadania ;

Movimento dos pequenos agricultores

Fórum goiano de Economia Solidária;

39
Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária- PRONERA

Os índices sobre educação em Goiás foram citados no tópico referente a


população. Os estabelecimentos de ensino mais renomados encontram-se na
região metropolitana de Goiânia e em Anápolis.

No Ensino superior público: Universidade federal de Goiás( UFG),


Universidade Estadual de Goiás (UEG) e Centro Federal de Educação
tecnológica de Goiás (CEFET-GO). Entre os privados: Universidade Católica
de Goiás ( UCG), Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO) e
Universidade Paulista (UNIP).

Na cultura, destacam-se dentre outros:

-Escultura sacra: José Joaquim de Veiga Vale : obras no Palácio conde dos
Arcos;

-Escultura: Maria Guilhermina, Ana Maria Pacheco;

-Cerâmica: Divino Jorge, Antônio Ponteiro;

-Pintura: Antônio Costa Nascimento ( pintura do teto da Igreja Matriz de Nossa


Senhora do Rosário);

- Letras: Cora Carolina ( Aninha Lins dos Guimarães Peixoto Bretas);

pMúsica: Bruno e Marrone, Zezé de Camargo e Luciano, Wanessa Camargo,


Leandro e Leonardo, Crhystian e Ralf, Guilherme e Santiago.

No tópico sobre a população goiana já foi abordada a composição étnica


de Goiás. Com relação às contribuições de cada um dos elementos formadores
para a cultura goiana são as seguintes:

- Negro: congada, Moçambique, lenda do saci, lenda do Romãozinho,


lenda do pé-garrafa, do nego d´água ( masculinização da lenda da Iara);

- Indígena: lenda do boto do Araguaia, caipora, catira, caruru;

40
- Branco: Cavalhada, Folia de Reis, mula sem cabeça, moda.

Dentre as festas, destacam-se: as Cavalhadas e a Festa do }Divino


Espírito Santo em Pirenópolis, as romarias do Divino Pai Eterno ( Trindade), de
Nossa Senhora da Abadia em Muquém, em Niquelândia.

Destaca-se o Gruo Folclórico Brasil Central sediado em Anápolis

( Tribuna do Planalto- Em Busca do Goiás Profundo-21/07/07)

Com relação ao 13 de maio de 1888 que marcou a abolição dos escravos


no Brasil. A data foi lembrada em Goiânia com manifestações cuja temática
gira em torno da violência policial praticada contra jovens negros, apoiada pela
Marcha Zumbi+10.

CAMBENAS- Coletivo dos alunos negros Beatriz Nascimento – atuando


na Universidade Federal de Goiás.

ANEM- Associação Nacional dos Estudantes Negros-

II Encontro Afro-goiano- encontro dos Tambores.

Atualidades econômicas, políticas e sociais do


Brasil, especialmente do Estado de Goiás.

BRASIL

41
No estudo sobre as atualidades no Brasil, percebe-se que estão atreladas as do
mundo e mostram que o processo histórico é construído na continuidade e na mudança.
Em primeiro lugar, será feita uma análise do governo Lula e a seguir apresentados fatos
relevantes do momento atual.

I- O Governo Lula ( 2003-2008)

A posse de Lula como presidente após sucessivas derrotas foi caracterizada por
uma enorme euforia que contagiou o país. Pela primeira vez na história da República,
um ex-operário, foi eleito para governar o país. Ele derrotou o ex-ministro da Saúde
José Serra.
Porem aprovou duas novas Emendas Constitucionais que completaram a Reforma
da Previdência iniciada no Governo de Fernando Henrique, tornando mais duros os
critérios para a aposentadoria dos servidores públicos. No setor econômico, manteve
uma política de juros altos, para refrear o consumo e manter a taxa de inflação.
Com relação à educação, foi alterada a idade mínima para o ingresso no Ensino
Fundamental de 7 para 6 anos. Foi criado o FUNDEB (Fundo de Desenvolvimento do
Ensino Básico) em substituição ao FUNDEF ( Fundo de Desenvolvimento do Ensino
Fundamental). O PROUNI está beneficiando muitos jovens de baixa renda que desejam
ter acesso ao ensino superior. O Ministério da Educação continuou com a sua política de
controle de qualidade do ensino ministrado que se iniciou no governo de FHC.
O governo Lula prestigiou os projetos sociais de cidadania e inclusão social, como
o Bolsa Família que integra o Fome Zero, beneficiando milhos de famílias e sendo um
dos responsáveis pelos crescimento do mercado de consumo interno.. Estima-se que
20% a população do país seja beneficiada pelo Programa. Mas os mais ricos foram
beneficiados em 66% dos seus ganhos.

O projeto do “ velho Chico” que visa a Revitalização e Integração do rio São


Franciscopara irrigar os rios menores do sertão semi-árido do Nordeste, na região do
Polígano das Secas. As obras foram iniciadas em julho de 2007. O IBAMA teve que
conceder licença ambiental e ocorreram protestos contra elas como a greve de fome
feita pelo bispo Dom Luiz Flávio Cappio.

42
A idéia do projeto é antiga desde o século XIX. Há argumentos contra e favor
como de que os seus benefícios atingiram 12 milhões de pessoas mas em contrapartida
os gastos são elevados cerca de 4,5 bilhões de reais e prejudicará a produção agrícola
da região e a geração de energia elétrica.

Em 2004, explodiu um escândalo com a denúncia de que uma assessor da Casa


Civil, Waldomiro Diniz , estava envolvido na extorsão de empresário do jogo do bicho.
A partir 14 de maio de 2005, o governo viveu uma crise que teve início com uma
reportagem da revista Veja sobre propinas que seriam pagas a dirigentes dos Correios e
ao seu presidente filiado ao PMDB, o deputado Roberto Jefferson. Este por sua vez fez
denúncias numa entrevista publicada no jornal Folha de São Paulo em edição que
circulou em 6 de junho de 2005, colocando que existia um esquema de pagamento de
mesadas (mensalão) a deputados aliados coptados para a aprovação de projetos
governistas. Este esquema seria comandado pelo ministro-chefe da Casa Civil e homem
de confiança do governo, o deputado José Dirceu.
Foi instalada uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Correios e
Roberto Jefferson confirmou as denúncias feitas. Foi revelado o nome de Marcos
Valério que teria operado o mensalão. A situação se complicou com as revelações de
Fernanda Karina Sommaggio que disse ter visto malas de dinheiro saindo da agência de
Marcos Valério e que manteve contatos com José Dirceu que, em 16 de junho, pediu
demissão do cargo e reassumiu o seu mandato de deputado
Os escândalos se multiplicaram. Um dos maiores foram as declarações do
publicitário Duda Mendonça, responsável pela Campanha do PT nas eleições de 2002,
admitindo ter recebido como pagamento do seu trabalho dinheiro vindo de um paraíso
fiscal.
A situação se complicou quando o procurador-geral da República, Antônio
Fernando de Souza declarou que pediria ao Supremo Tribunal Federal (STF) o
aprofundamento das investigações e requisitar ao relator do inquérito o ministro
Joaquim Barbosa , medidas para a apuração do envolvimento do presidente.
Outro escândalo que abalou o país foram as declarações do caseiro Francenildo
Costa que afirmou ter visto o todo poderoso Ministro da Fazenda Antonio Palocci numa
casa alugada em Brasília, a chamada “ casa do lobby”, onde se reuniam ex-assessores
do ministro quando este era prefeito em Ribeirão Preto, onde seriam montadas
negociatas com o governo. Essas denúncias levaram à queda do Ministro que foi

43
substituído por Guido Mantega que manteve a política de juros altos e de favorecimento
dos bancos, apresentado algumas quedas da taxa básica dos juros.
Foram também envolvidos em denúncias de corrupção , o ex-tesoureiro do PT,
Delúbio Soares, o presidente da Sebrae e amigo pessoal do presidente, Paulo Okamoto e
o ex-militante do PT, Paulo de Tarso Venceslau. A acusação foi que Paulo Okamoto
teria liderado um esquema de corrupção em prefeituras petistas na década de 1990.
Paulo Okamoto teria saldado dívidas do presidente Lula com o PT.
As eleições de 2006 polarizaram o cenário nacional, pois foram escolhidos cargos
majoritários: como Presidente da República, Governador de Estado, Senadores,
Deputados Federais e Estaduais.
Para a presidência da República a campanha foi polarizada entre o Candidato do
PSDB, Geraldo Alckmin, que foi vice-governador de Mario Covas e após a sua morte
passou a governar São Paulo, tendo sido reeleito em, 2002, disputando no partido a
indicação com José Serra, prefeito de São Paulo e Luiz Inácio Lula da Silva, presidente
em exercício e candidato à reeleição pelo PT. As pesquisas apontavam para a vitória
de Lula já no primeiro turno, pois o ex-governador de São Paulo , Geraldo Alckmin
não tinha projeção nacional. Mas os escândalos abalaram a imagem do governo e,
lentamente, o ex-governador foi ganhando melhores índices e conseguiu ir para ao 2º
turno.
Um escândalo contribuiu para que Lula não vencesse no primeiro turno como
indicavam as pesquisas de intenções de votos, o dossiê Vedoin que conteria dados sobre
José Serra , candidato ao governo de São Paulo e que venceu as eleições no primeiro
turno. Valdebran Padilha foi o petista preso com R$ 1,75 milhão que confirmou, em
depoimento ter recebido o dinheiro numa mala trazida por Hamilton Lacerda, ex-
coordenador da campanha de Aloízio Mercadante.

Os outros dois candidatos que se destacaram no cenário eleitoral foram


Cristovam Buarque e Heloísa Helena.
Cristovam Buarque, senador pelo Distrito Federal, filiado ao PDT, Ministro da
Educação do governo Lula que, em janeiro de 2004 o substituiu por Tarso Genro. A
Educação foi o grande tema defendido por ele durante a campanha.
Heloisa Helena, senadora por Alagoas e filiada ao PSOL. A candidata, grande
opositora do governo Lula e dos escândalos sobre a prática de corrupção, apresentou
um bom desempenho na campanha com 6,5 milhões de votos.

44
O presidente Lula teve como base do seu eleitorado pessoas com renda familiar de
até dois salários mínimos.” Os brancos, ricos e com nível superior pendem para
Alckmin. Pretos, pobres e eleitores com somente o nível fundamental apóiam,
majoritariamente , o presidente Lula., segundo matéria veiculada pelo Jornal Folha de
São Paulo, 8 de outubro de 200).
Geraldo Alckmin teve o seu maior índice de votos em Ipiranga do Sul no Rio
Grande do Sul 83% no primeiro turno. Lula obteve o seu maior índice de votos em
Manaquiri na Amazônia com 93% dos votos , segundo matéria veiculada pelo Jornal
Folha de São Paulo, 8 de outubro de 2006.

Luiz Inácio Lula da Silva e o vice-presidente José de Alencar tomaram posse em


1º de janeiro de 2007 iniciando o seu segundo mandato. Reorganizou o seu Ministério
deois de longas negociações com a base aliada ( PT, PMDB, PRB, PCdoB, PSB, PP,
PR, PTB, PV,PDT, PAN, PSC) e passaram a fazer parte da equipe: Marta Suplicy
(Ministério do Turismo), Geddel Vieira Lima (Ministério da Integração Nacional),
Reinhold Stephanes ( Ministério da Agricultura), José Gomes Temporão (Ministério da
Saúde), Carlos Lupi (Ministério do Trabalho) ,
Em janeiro de 2007, o presidente Lula anunciou o Plano de Aceleração do
Crescimento ( PAC) que pode ser definido como o conjunto de ações ligados a um
maior crescimento do país. Seus pontos principais são:
- estímulo ao crédito e ao financiamento;
- redução de impostos das atividades ligadas a investimento;
- limitação dos gastos do governo, embora a longo prazo, com a
Previdência Social e com os salários dos funcionários públicos;
- criação de normas que permitam a aceleração da aprovação de projetos
de investimentos por empresas.

503,9 bilhões de reais do PAC

DE ONDE VÊM VALOR ( bilhões de reais)


Das estatais 219,2
Do Orçamento da União 67,8

45
O que se espera que a iniciativa privada 216,9
invista
///////////////////////////////////////////////// /////////////////////////////////////////////////
PARA ONDE VÃO
Energia (inclusive compra de petróleo 274,8
Infra-estrutura social e urbana 170,8
(saneamento, habitação, transporte
público)
Logística (rodovias, ferrovias, portos, 58,3
aeroportos, hidrovias
Fonte: Revista Atualidades Vestibular. 1º semestre de 2007, p. 72

O Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) tem como objetivo melhorar a


qualidade de ensino do Brasil, atingindo até 2022, o padrão de ensino existente nos
países desenvolvidos. Foi desenvolvido sob a coordenação do Ministro da Educação
Fernando Haddad. Foi criada uma medida de qualidade o Ideb (Índice de
Desenvolvimento da Educação Básica) que vai se utilizar dos dados da Prova Brasil, do
SAEB ( Sistema Nacional de Avaliação) e os da escola com relação à retenção e evasão.
Portanto não basta que as crianças, jovens e adolescentes freqüentem a escola , é preciso
que o ensino oferecido seja de qualidade.

Principais Pontos do PDE


Prova Brasil Avaliação dos alunos dos primeiros anos
do Ensino Fundamental
Computadores nas escolas Distribuição para todas as escolas – data
limite: 2010
Ideb Ìndice de Desenvolvimento da Educação
Básica
Incentivos Premiação em dinheiro para as escolas
que atingirem as metas
Ensino Técnico 150 municípios contarão com unidades
de educação profissional e tecnológica
Escolas Rurais Verbas de emergência de 60 milhões em
2007
Transporte Escolar BNDES abriu linhas de $ 300 milhões
para financiar a compra de veículos

46
Fonte: Galileu Vestibular- 2008. p.28

Os escândalos políticos continuaram abalando o país. O Senado, uma das mais


importantes instituições da República ,viveu momentos muito desgastantes, em 2007,
com os fatos que envolveram o seu presidente na ocasião, o senador alagoano Renan
Calheiros. A jornalista Mônica Veloso, mãe de sua filha, o acusou de pagar a pensão
devida à menina através de um lobista da empreiteira Mendes Júnior.
O senador foi levado ao Conselho de Ética do Senado com proposta de
cassação de seu mandato. Porém foi absolvido. Ele afastou-se da presidência do Senado
e foi acusado de ter cometido outras irregularidades como o uso de dinheiro de origem

não esclarecida par aa compra de um jornal e de uma emissora de rádio no seu estado.

A corrupção que foi a grande chaga do país continuou no centro das atenções
como as Operações Hurricane e Temis realizadas pela Polícia Federal e pelo
Ministério Público envolvendo autoridades do Poder Judiciário com a de venda de
Sentenças.
Foi investigado o Ministro Paulo Medina do Supremo Tribunal de Justiça (STJ)
foi investigado pela Operação Hurricane.
Pela Operação Temis foi investigada uma quadrilha que estaria negociando a
venda de sentenças judiciais em São Paulo, Rio de Janeiro e Campo Grande. Foram
investigados pelos policiais federais escritórios de advocacia, contabilidade, gabinetes
de juízes e residências.
O problema do jogo do bicho, também ocupou as manchetes dos jornais. Foram
interditadas casas de bingo e investigada a atuação de intermediadores de propinas entre
bicheiros e autoridades.

Outras denúncias foram investigadas como sobre fraudes em licitações para


consertos em plataformas localizadas em alto-mar, licitações da Construtora Guatama
pertencente a Zuleido Veras e grilagem de terras e desvio de dinheiro público.
Realmente, os problemas continuam e se manifestaram na crise que atingiu vários
setores o aéreo, o energético e o de transporte de cargas. Pode voltar o problema do “
apagão” que ocorreu em 2001.
A partir de 2006, o país viveu um verdadeiro cáos nos transportes aéreos.

47
Os fatos mais significativos foi a queda do avião da Gol e, 2007, o acidente com o
avião da TAM no aeroporto de Congonhas. Os aeroportos lotados com passageiros
deitados pelo chão e os acidentes aéreos mostram os problemas de infra-estrutura do
país.
Na abertura dos Jogos Pan- Americanos, no dia 13 de julho de 2007, realizados no
Rio de Janeiro, o presidente Lula foi vaiado diversas vezes, não fazendo a fala de
abertura dos jogos o que foi feito pelo presidente do Comitê Organizador dos Jogos.
Mas o presidente continua cm alta popularidade graças ao seu carisma pessoal e aos
ventos favoráveis da economia que fazem do Brasil uma economia emergente junto com
a Rússia, China e Ìndia , o chamado grupo dos BRICs.

II- A conjuntura brasileira dos primeiros anos do século XXI

Na década de 1990, o capitalismo fortaleceu-se com o processo de globalização e


mundialização da economia. A expressão globalização tornou-se consagrada nos meios
de comunicação, na política, nas escolas, principalmente nas de nível superior. Este
processo dominou todo o mundo e não aderir a ele significava ficar fora da realidade do
mundo contemporâneo. Basta observar a paisagem urbana que nos rodeia com os
grandes símbolos do capitalismo e do consumismo: redes de fast-food, os grandes
supermercados as roupas, os carros.

Desde o governo do presidente Fernando Collor , os efeitos da globalização estão


se fazendo cada vez mais presentes. Com a redução das tarifas de importação entraram
muitos produtos estrangeiros. A globalização criou a comunidade global, fragmentou o
processo de produção, causou o desemprego, pois cada parte do bem é produzida num
país, justamente onde a mão-de-obra é mais barata.

Não se pode esquecer do domínio dos princípios do neoliberalismo que colocam


a minimização da presença do Estado na vida econômica, daí a onda de privatizações
das empresas estatais que ocorreu no governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-
2002). Diversos setores da sociedade civil ficaram temerosos com estas medidas e
reagiram. As privatizações atingiam o princípio de nacionalismo defendido desde o
governo de Getúlio Vargas. Buscava-se a lucratividade, a eficiência e a eficácia e o
menor gasto possível para o Estado.

48
Para que se entenda a situação atual do Brasil, tem que ser levado em conta que as
mudanças que ocorreram na economia depois de 1930 tiveram efeitos muito grandes
sobre a estrutura econômica do país.

À medida que o Brasil se industrializava, fortalecia-se o poder da burguesia ligada


às atividades industriais. O aumento da população urbana mudou a feição do país,
porém trouxe graves problemas que têm em sua base o caráter excludente, injusto e
discriminatório na formação social do país que foi colônia de exploração dentro dos
princípios mercantilistas. As suas principais características econômicas durante o
período colonial foram o latifúndio monocultor para a agricultura de produtos tropicais
voltada para o mercado externo com a utilização da mão-de-obra do escravo negro.

No caso dos computadores, na época do Plano Real ocorreu o auge da sua venda.
Foi importante a medida do presidente Fernando Collor de Melo que extinguiu a
reserva de mercado da informática e diminuiu as alíquotas das importações embora
timidamente.

Com relação aos automóveis, foi no governo de Juscelino Kubitshek de Oliveira


que ocorreu a vinda da Volkswagen para o Brasil e a opção pelo transporte rodoviário
em detrimento do ferroviário.

O Brasil avançou muito de 1945 a 2007, tornou-se uma nação moderna, veja o
lançamento da TV digital em dezembro de 2007 e que participa do mundo globalizado e
com perspectivas de crescimento, mas há muito a ser feito, principalmente nas questões
sociais.

A exclusão social e a grande dívida interna, sempre, foram grandes problemas


para o Brasil, mas vem sendo atacados com relativa timidez. Eram considerados
miseráveis, em 1993, 35% do total da população, enquanto, em 1995, esse total caiu
para 29% e, em 2005, foi para 22,7%, como resultado das medidas implementadas nos
governos de Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva. Revista Isto É, nº
1928 de 4 de outubro de 2006, p 26) .

Outros indicadores do crescimento econômico de um país são a geração de


empregos formais, a redução da desigualdade social e a universalização do ensino
fundamental e a estabilização econômica. No caso do Brasil, cerca de 50% da
população economicamente ativa não têm relações formais de emprego. Quanto à

49
criação de empregos, de 2003 a julho de 2005 foram criados 4,4 milhões de vagas no
mercado de trabalho.

Com relação ao ensino, embora a política de universalização do acesso das


crianças ao Ensino Fundamental tenha sido prioritária, o analfabetismo é ainda um
problema a ser considerado diante da evidência de que atinge diferentes faixas etárias da
população. Com relação, às crianças de até dez anos, a porcentagem encontrada é de
cerca de 18% , em 2004, dos que recebiam ajuda do governo, segundo dados do PNAD
(Pesquisa Nacional de Amostragem Domiciliar). O crescimento do Ensino Superior foi
muito grande na rede particular comprometendo a qualidade do mesmo.

Com relação aos trabalhadores urbanos, as leis trabalhistas foram estabelecidas

por Getúlio Vargas. Mas a organização dos sindicatos seguia os interesses patronais.

Na luta por melhores salários eram formadas as Comissões de Fábrica, eleitas


pelos próprios trabalhadores e reconhecidas pela direção das fábricas. Essas comissões
foram importantes para o exercício da cidadania e dos trabalhadores.

A partir de 1964, com a subida dos militares ao poder, não foram mais utilizadas.
Reapareceram a partir de 1978. No início da década de 1980 , começaram a eclodir as
greves. O sindicalismo brasileiro até hoje traz as marcas do modelo imposto por Getúlio
Vargas.

O desemprego vem caindo desde 2002, com recuo lento do trabalho informal e
redução do trabalho infantil e escravo. O papel da mulher no mercado de trabalho
aumentou, representando 43,7%. O setor de serviços cresceu mais do que a
agropecuária e a indústria. Um dos problemas que se apresenta par ao mercado de
trabalho é falta de trabalhadores qualificados.

No início de 2008, houve o temor da volta da inflação, pois a de maio foi de


0,79% sendo que a média acumulada dos primeiros cinco meses foi 2,88%. Este fato
está relacionado com a alta mundial do preço dos alimentos explicada no tópico sobre a
crise alimentar. Foi aumentada a taxa dos juros como meio de refrear o consumo.

Com relação aos trabalhadores rurais, a sua situação se complica por causa da
seca, da miséria, pelo exclusão social e pela ausência de uma verdadeira reforma
agrária. As Ligas Camponesas surgiram , em 1954, no Engenho Galiléia em

50
Pernambuco. Francisco Julião atuou junto a elas. Com o estabelecimento do regime
militar em 1964, ocorreu a dissolução das ligas e a prisão dos seus líderes.

A agricultura se modernizou, mas não levou à melhoria das condições de vida


no campo. Pelo contrário, com a utilização das máquinas, aumentou o desemprego e
pioraram as condições de vida dos bóias-frias. Na luta pela terra, surgiu o Movimento
dos Sem-Terras (MST) criado em 1980. A sua ação, inclusive, com a invasão de
fazendas é um meio de pressionar o governo par aa realização da reforma agrária.

O setor que mais cresce no país é o agronegócio que é o conjunto das atividades
econômicas relacionadas à agropecuária, tendo uma participação de 25,11% do PIB. Os
produtos são: café, feijão, laranja, cana-de-açúcar, carne bovina, carne de frango,soja e
tabaco.

O etanol obtido da cana- de- açúcar é uma fonte alternativa d energia. Adquire
importância diante da elevação do preço do petróleo internacional. Isso fez com que
aumentassem as plantações de cana, inclusive em terras da Amazônia contribuindo para
o seu desmatamento e para o aquecimento global.

Em 2002, foi criado o Programa de Incentivo às Fontes de Energia Elétrica


(Proinfa) que tem como um dos seus objetivos a ampliação da produção das pequenas
hirelétricas e termoelétricas movidas a biomassa agrícola produzida pelos resíduos da
madeira, palha do arroz e bagaço da cana.

Em 2003, foi criado O Programa Nacional de Produção e uso do Biodiesel que


objetiva fazer a adição contínua de óleo vegetal ao diesel.

Em 2007, foi descoberto o megacampo de petróleo de Tupi localizado na bacia


de Santos. Ainda estão em estudos as vantagens econômicas de sua exploração. Oi
importante o anúncio da descoberta diante do preço no mercado internacional do barril
de petróleo que chegou a 147 dólares e da ameaça de um desequilíbrio diante do
crescimento do consumo mundial liderado pela Ìndia e China.

No anos de 1990, O governo brasileiro decidiu ampliar o uso de gás natural


através da construção do gasoduto Brasil-Bolívia.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) defende a proposta de


construção em larga escala de usinas nucleares para diminuir a expansão das
termelétricas movidas a carvão mineral e que são poluidoras do meio ambiente. O Brasil

51
evoluiu e já está produzindo pastilhas de urânio que sãos utilizados na Usina Atômica
de Angra dos Reis.

O setor industrial brasileiro está passando por um processo de desconcentração


espacial, ligado entre outros fatores à redução dos custos de produção, indo das capitais
par o interior, do Sudeste para o Sul, o Centro-Oeste, o Norte e o Nordeste. Essa
tendência influenciou no fluxo migratório e fez com que diminuísse a concentração do
parque industrial no sudeste de 80% do total nacional para 50%.

O Brasil ainda tem uma participação pequena no comércio mundial ocupando a


23ª posição segundo dados da Organização Mundial do Comércio (OMC), embora tenha
aumentado as suas exportações. As empresas que lideram as exportações são a Embraer
e a Petrobrás. Mas , em contrapartida são grandes importadoras.

Não se pode esquecer de que na organização da sociedade civil está presente a luta
pela construção da cidadania. Neste cenário se coloca o Movimento Negro, o dos
estudantes, das Igrejas e de todas as minorias existentes.

Com relação ao Movimento Negro, depois de formar a Frente Negra Brasileira,


teve sua atuação arrefecida e só ganhou força a partir da década de 1970 com a criação
de várias organizações que se unificaram, em 1978, com a criação do Movimento Negro
Unificado (MNU). Não pode ser esquecida a política relacionada com as cotas para a

Educação Superior.

Com relação ao movimento estudantil, deve ser destacada a atuação da UNE


(União Nacional dos Estudantes) que foi recriada em 1979.

Na religião professada pelos brasileiros ocorreu um aumento muito grande das


Igrejas Pentecostais principalmente nas regiões mais carentes dos grandes centros
urbanos.

A expectativa de vida do brasileiro cresceu e de 54,6 passou para 72,3 anos


sendo mais alta ente as mulheres seguindo uma tendência mundial decorrente dos
avanços da medicina. A mortalidade infantil decresceu estando em 24,96%.

Mas a violência continua fazendo muitos morto sendo que a taxa de homicídios
cresceu e 1980 a 2005 de 19,8% para 37,1% tendo como principais vítimas os homens
jovens na faixa etária de 15 e 24 anos. Na raiz da violência estão as desigualdades

52
sociais produzidas pela concentração da renda nas mãos de uma minoria privilegiada da
´população como foi analisado no tópico sobre o IDH.

Quanto ao crescimento demográfico, há a diminuição do número de filhos sendo


em média de dois acompanhando uma tendência mundial desde os anos de 1950. Nos
países ricos a taxa é menor, enquanto que a África apresenta a maior taxa de
crescimento populacional sendo alta também no oeste da Ásia.

Quanto ao crescimento econômico, o PIB brasileiro aumentou 4% em 2007. os


analistas econômicos colocam que deveu-se à mudança de metodologia do IBGE que
passou a considerar 149 atividades econômicas e 293 produtos avaliados.

.III- Pesquisa com células-tronco:

O Supremo Tribunal Federal (STF), em 29 de maio de 2008, liberou a pesquisa de


células-tronco (células-tronco são as que podem se transformar no diversos tecidos do
organismo humano, podendo ser encontradas nos embriões, na medula óssea, no sangue
e cordão umbilical) embrionárias oriundas de fetos humanos que são fertilizados in
vitro e não podem ser usados para procriação (art. 5º da Lei de Biossegurança de 2005).
A votação foi precedida pela primeira consulta pública feita pelo tribunal, onde foram
apresentadas questões científicas, filosóficas por antropólogos, neurocientistas, biólogos
e médicos.
Na votação, não houve unanimidade, para a permissão da utilização das células-
tronco foi de seis votos a favor e cinco contra.
As células-tronco embrionárias são utilizadas para a cura de lesões da medula,
doenças cardíacas, o diabetes, câncer, o mal de Parkison e o mal de Alzheimer.
Para a sua utilização deve ser autorizada pelos pais, pois é necessário que seja
destruído o feto.
Pela Lei de Biossegurança, é proibida a clonagem, permite a manipulação para os
fins especificados acima. Existe polêmica ética sobre o tema, pois para os religiosos a
morte de um embrião seria igual a de um aborto.
Os pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) em parceria com a
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) produziram a primeira linhagem de
células-tronco embrionárias do Brasil. A pesquisa foi coordenada pela geneticista Lygia

53
da Veiga Pereira do Instituto de Biociências da USP. Foram doados 308 embriões por
duas clínicas.

IV-Padre Antônio Vieira

No dia 6 de fevereiro de 2008, fez 400 anos do nascimento do padre Antônio


Vieira que veio para o Brasil e se tornou membro da Companhia de Jesus. Foi um
grande pregador e se colocou contra a invasão holandesa do Brasil. Fez a defesa de
escravos e índios contra os colonizadores. Vieira foi para Portugal e ligou-se ao
sebastianismo.
Esse movimento existiu em Portugal em função da idéia de que o rei D. Sebastião
que morrera em 1578, na batalha de Alcácer Quibir, na África contra os mouros, estaria
vivo. Como o rei não tinha herdeiros, o trono português foi herdado pelos reis
espanhóis, é o período conhecido como União Ibérica.
O religioso tornou-se famoso pelos seus sermões.

4- Economia , Sociedade, Concentração de renda , IDH

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) classifica os


países de acordo com os seus dados relativos à esperança de vida, grau de instrução e
nível de renda através do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) que vai de zero a
1. o avanço do Brasil ainda foi pequeno, pois ocupou, o septuagésimo lugar entre 177
países com o,8000 de IDH. Os dados que serviram de base para a análise foram os do
ano de 2005.
Como pode se pode concluir pelos dados levantados, os avanços foram pequenos,
porém significativos como demonstra o quadro abaixo:

Expectativa de vida 2004 2005


70,8 71,7
Renda per capita*
8.195 dólares 8.402 dólares
Índice de escolaridade
alfabetização 88,6%

54
matrículas* 87,5%

*Renda per capita: é obtida pela divisão entre o total do Produto Interno Bruto (PIB)
e a população do país. O PIB é o total de riquezas produzidas pelo país. Através do
chamado Coeficiente de Gini (foi criado em 1912 por Corrado Gini) é medida a
concentração de renda que vai de 0 a 1, sendo que quanto mais próximo do 1, maior
a concentração. O Brasil tem uma das maiores concentrações de renda do mundo
com 0,528 no ano de 2006.

*No dado referente às matrículas, levam-se em conta a população na faixa etária de


7 a 24 anos.

Concentração de Renda

Renda mensal familiar por membro da família em 2006

Mais de 5 salários mínimos 5,7 %


De 3 a 5 salários mínimos 6,0 %
De 2 a 3 salários mínimos 8,3 %
De 1 a 2 salários mínimos 23,3%
Até 1 salário mínimo 52,4%
(adaptado de Atualidades, Vestibular, 2009, p. 108, com dados extraídos do PNAD 2006/IBGE)
PNAD: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios.

Segundo dados de pesquisa, entre os anos de 2003 e 2006, houve uma diminuição
dos brasileiros que se situam na chamada linha da miséria com uma renda mensal de
aproximadamente um quarto do salário mínimo, ficando em torno de 23,3 milhões. Os
fatores apontados para essa conquista já foram citados quando foi tratado sobre o
governo Lula: aumento do salário mínimo e o programa Bolsa Família.

Os países com alto desenvolvimento humano estão relacionados no quadro abaixo:

Posição País IDH


1ª Islândia O,968

55
2º Noruega 0,968
3º Austrália 0,962
4º Canadá 0,961
5º Irlanda 0,959
6º Suécia 0,956
7º Suíça 0,955
8º Japão 0,953
9º Holanda 0,953
10º França 0,952
11º Finlândia 0,952
12º EUA 0,952
13º Espanha 0,949
14º Dinamarca 0,949
15º Áustria 0,948
16º Reino Unido 0,946

38º Argentina 0,869

40º Chile 0,867

46º Uruguai 0,852

51º Cuba 0,838


52º México 0,829

69º Macedônia 0,801


70º Brasil 0,800

176º Burkina Fasso 0,370


177º Serra Leoa 0,336
Fonte: Jornal O Estado de São Paulo : 28de novembro de 2007, H 1

Alfabetização/ Matrícula

56
Taxa de alfabetização
(população com mais de 15
anos)
Posição País Índice
1º Georgia 100%
95º Brasil 88,6%
177º Burkina Fasso 23,6%

Taxa de matrícula
1º Austrália 113%
36% Brasil 87,5%
!77º Niger 22,7%
Fonte: Jornal O Estado de São Paulo: 28 de novembro de 2007, H5 . (O número de crianças de 7 a 14
anos nas escolas ( brasileiras) cresceu 10 pontos percentuais em 14 anos. No ensino médio, o índice não
se manteve: menos de 80% dos jovens estão matriculados. No superior , a taxa ficou abaixo dos 10%.)

VI- Os 100 Anos da Imigração Japonesa

Os primeiros imigrantes japoneses chegaram ao Brasil, no navio Kasato Maru em


1908. O navio chegou no porto de Santos no dia 18 de junho. Trazia 781 imigrantes que
vinham trabalhar na lavoura do café nas fazendas paulistas. Mais tarde, os imigrantes
japoneses para o norte do Paraná e Mato Grosso do Sul. O último navio que trouxe
imigrantes japonês para o Brasil chegou em 285 .
O movimento de imigração para o Brasil tinha sido intenso durante o final do
século XIX, tendo recebido mais de 2 milhões de imigrantes entre italianos, espanhóis,
alemães. Vieram como mão-de-obra para a lavoura cafeeira, pois ela estava baseada na
mão-dobra do escravo negro e com o fim do tráfico negreiro em 1850 e depois coma a
abolição em 1888, o país enfrentara sérios problemas com relação a isso. Desde 1895, o
governo brasileiro tinha iniciado as negociações diplomáticas com o Japão para a
imigração. Os japoneses estavam começando a chegar no continente sul americano.
Nesse ano, foi assinado o Tratado de Amizade, Comércio e Navegação entre o Brasil
e o Japão.

57
O Japão, no século XIX, tinha se aberto devido à pressão do capitalismo ocidental
após um longo período de isolamento. Em 1868, iniciou-se período conhecido
Restauração Meiji que se estendeu até 1912. O Japão se modernizou e se
industrializou, mas como passou um processo de concentração de renda e de posse da
terra fazendo com que houvesse muitos japoneses disponíveis para a aventura em novas
terras.
As condições de vida dos imigrantes foram muito duras nas fazendas para onde
eram enviados. Muitos abandonaram o campo e foram para cidades ou até para outros
países. Sofreram perseguições, como durante a Segunda Guerra Mundial, pois o Japão
tinha se aliado ao Eixo (Alemanha de Hitler e Itália de Mussolini). Os primeiros
imigrantes tinham o plano de retornar ao Japão e, assim, preparavam os seus filhos para
o retorno através do ensino da língua e dos costumes.
No final dos anos de 1980, começou um movimento de volta, através dos
decasséguis. O Japão tinha conseguido um grande desenvolvimento econômico, Mesmo
com a crise econômica que atingiu a economia asiática no final dos anos de 1990 e
início do século XXI.
Atualmente, a população que constitui a comunidade japonesa no Brasil atinge
aproximadamente 2 milhões.
Os 100 anos da imigração japonesa foram comemorados com muitas festividades,
incluindo-se a visita do príncipe herdeiro Naruhito.

VII- A Internet na Sociedade do Conhecimento

Constantemente, somos lembrados de que vivemos numa Sociedade do


Conhecimento, onde ele é trocado como moeda no mercado. As informações são
produzidas e veiculadas de maneira cada vez mais rápida. Para se transformarem em
conhecimento têm que ser incorporadas ao nosso interior e processadas tornando-se
significativas. Um dos meios para que essa verdadeira revolução fosse realizada foi
graças ao uso da internet, sistema da rede mundial dos computadores. Praticamente,
todos os serviços, desde os da saúde aos da segurança pública estão assentados nela.
Paralisar o sistema significa parar o atendimento à sociedade.

58
Em janeiro, ocorreu um apagão no Oriente Médio, na Índia e no norte da África.
O problema foi atribuído aos cabos submarinos responsáveis pelo envio dos sinais para
essas regiões. A situação preocupou em muito os especialistas no assunto que alertaram
para o crescimento da rede sem o investimento correspondente na sua infra-estrutura.
No estado de São Paulo, nos dias 2 e 3 julho de 2008, os serviços foram
paralisados (mais de 24 horas) devido a falhas no Speedy pertencente à Telefônica que
assumiu o problema, inclusive com a devolução aos seus usuários da quantia cobrada
pelas horas em que o sistema ficou paralisado causando problemas a órgãos públicos e
empresas. Já, em maio de 2006, tinha ocorrido um problema com este sistema por 10
horas.

VIII--Música: Os 50 anos da Bossa Nova

A música popular brasileira (MPB) passou por uma grande modificação 50 anos
atrás quando foi lançados um disco Chega de Saudade com a interpretação de João
Gilberto.
A musica da Bossa Nova optou por tema atuais e urbanos e fez com que as
composições brasileiras tivessem repercussão internacional, principalmente, após o
disco de Frank Sinatra interpretando músicas de Antônio Carlos Jobim ( Tom Jobim).

IX--A chaga da Corrupção e a preservação da Ética

Uma das grandes chagas do país é a corrupção dos seus agentes públicos,
justamente aqueles que deveriam defender a população e ser exemplos de prática de
cidadania. Já foram relatados vários escândalos que explodiram no governo Lula.
O ano de 2007 assistiu a muitas cenas que ilustraram as manchetes dos jornais e
mostram a gravidade do problema.

Folha de São Paulo, sábado, 21 de abril de 2007 A1

AÇAO DA PF INVESTIGA VENDA DE SENTENÇAS


Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em São Paulo , Rio de Janeiro e
MS, há suspeita de vazamento de informação.
Foram desencadeadas pela Policia Federal e pelo Ministério Público duas
operações a Hurricane e a Temis para investigar o envolvimento de magistrados com a
venda de sentenças judiciais.

59
Envolvido na Operação Hurricane , o Ministro Paulo Medina do Supremo Tribunal
de Justiça (STJ), tirou 28 dias de licença para tratamento de saúde, segundo o seu
advogado. A PF e a Procuradoria Geral da Republica vêem fortes indícios de que ele
integrava a quadrilha que negociava decisões judiciais com bicheiros.

A Policia Federal e o Ministério Publico deflagraram a Operação Temis- deusa


grega da Justiça- para investigar suposta quadrilha que negociava a venda de sentença
judiciais.
Foram cumpridos mais de 80 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Rio e
Campo Grande(MS).
Escritórios de advocacia e contabilidade, residências e gabinetes de juizes e
desembargadores do Tribunal Regional Federal ( TRF) de São Paulo e um procurador
da Fazenda Nacional foram investigados.

GRAMPO LIGA POLITICOS DO RIO A POLOCIAL PRESO COM A MAFIA DO


JOGO
Marcos Bretas, suspeito de intermediar propinas, aparece em conversas com
auxiliares de César Maia e Sergio Cabral
Assessores e colaboradores de Eurico Miranda (PP), presidente do Vasco da Gama
e ex-deputado federal estão envolvidos com bicheiros, segundo escutas da Operação
Hurricane.
Auxiliares dos três aparecem em conversas por telefone com o policial Marcos
Bretãs, apontado pela PF como intermediador da propina de bicheiros a políticos e
policiais.

NOVE BINGOS SÃO INTERDITADOS EM SÃO PAULO 88 CASAS AINDA


ESTAO EM ATIVIDADE
Nove bingos foram interditados ontem pelas subprefeituras de São Paulo em
cumprimento a decisão judicial que, em março determinou o fechamento de 48 bingos
no Estado.
Dos estabelecimentos comerciais lacrados, a subprefeitura de Pinheiros,
responsávelpela fiscalização, emparedou os bingos Vilas e Black Point- ambos
multados em 4.000. A subprefeitura da Lapa interditou quatro Imperador, Clélia, Ceasa
e Cerro Cora. Outros dois, em Hermelino Matarazzo.

60
Todas as delegacias do Estado foram orientadas a enviar policiais aos bingos e
cobrar a documentação. Marzagão estima que existam hoje cerca de mil bingos em
funcionamento no Estado.
Em 2008, continua em cena denúncias envolvendo altas figuras do poder.
O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes teria sido em
julho deste ano, monitorado levando ao vazamento das suas conversas com assessores.
O motivo seria a concessão de um hábeas corpus liberando o banqueiro Daniel Dantas
que fora preso pela Polícia Federal na Operação Satiagraha comandada pelo delegado
Protógenes Queiroz.
O presidente do STF foi avisado pela desembargadora Suzana Camargo, vice-
presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região em São Paulo. A ordem de prisão
contra o banqueiro tinha sido expedida pelo juiz Fausto de Sanctis.
Na varredura feita no gabinete do Ministro foi constatado que lê estava sendo
monitorado.
As suspeitas recaíram sobre a Agência Brasileira de Informações (Abin). Foi
afastado do cargo s seu diretor Paulo Lacerda que dirigi a Polícia Federal e fez grandes
operações de combate a esquemas de corrupção.
O assunto ainda está no centro das atenções, inclusive pelas controvérsias dos
depoimentos das autoridades e envolvidos, como as do Ministro da Defesa Nelson
Jobim na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Grampos.

X- Os duzentos anos da Vinda da Família Real Portuguesa para o Brasil

Em 1808, o Brasil era colônia de Portugal. Mas esse país era dominado
economicamente pela Inglaterra que era uma potência marítima e comercial. Como o
imperador Napoleão Bonaparte da França desejasse dominá-la, decretou o Bloqueio
Naval para que os países não comerciassem com ela. Portugal furou o bloqueio e foi
invadido pelas forças de Napoleão. Como conseqüência, a Família Real Portuguesa
transferiu-se para o Brasil, fixando-se no Rio de Janeiro.
Na época, o príncipe-regente era D. João que depois assumiu o trono português
como D. João VI. A rainha de Portugal era D. Maria I que estava louca. Foram tomadas,
várias medidas que beneficiaram a colônia, tais como a criação do Banco do Brasil, da
Casa da Moeda e a elevação do Brasil a Reino unido a Portugal e Algarves.

61
Com a expulsão das forças francesas e a derrota de Napoleão, os portugueses
passaram a exigir a volta do rei que voltou para Portugal deixando no Brasil o seu filho
D. Pedro que viria a proclamar a Independência do Brasil.
Portugal esteve no século XX sob o governo ditatorial de Antonio Salazar de 1932
a 1968 sendo substituído por Marcelo Caetano que preserva o regime ditatorial embora
faça algumas aberturas. Em 1974, através de um movimento conhecido como a
Revolução dos Cravos, acaba o regime ditatorial. Em 1975, ocorrem as eleições para a
Assembléia Constituinte e vai ser promulgada uma nova Constituição para Portugal.
Portugal entrou na União Européia em 1986 e com isso a economia procurou
evoluir, principalmente, com investimentos em infra-estrutura e nos serviços. O turismo
constitui-se numa das maiores fontes de rendado país.
Mas continua a saída de jovens para os países mais ricos da Europa. Como não
são, na grande maioria, qualificados, passam a exercer atividades de baixa remuneração.
Em contrapartida, Portugal recebe imigrantes das ex-colônias, inclusive do Brasil, que
também exercem atividades que demandam pouca qualificação. Em 2007, foi aprovada
uma lei que regularizou a permanência dos imigrantes no país.

XI- A reforma ortográfica

Os países que desejam reduzir as diferenças e as regras, Brasil, Portugal, Cabo


Verde e São Tomé e Príncipe endossaram o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.
Para o Brasil, as novas regras vão valer a partir de 2010. Os livros didáticos adotados
pelas escolas públicas já deverão trazer as mudanças. Já Portugal vai ter seis anos para
incorporar as alterações da reforma ortográfica .

Regras do Acordo

1. Letras k, w, y: incorporadas ao alfabeto passa a ter 26 letras


2. Trema : acaba
3. Letras mudas: em Portugal acaba o c e o p
4. Cai o acento agudo nas paroxítonas que tem ei, oi na sílaba tônica. Ex: idéia,
assembléia.
5. Cai o acento agudo nas vogais tônicas i e u nas palavras paroxítonas quando
precedidas de ditongo. Ex: baiúca e feiúra.
6. Cai o acento diferencial em palavras homófonas: pára e para, pêlo e pelo.
7. Cai o circunflexo em abençôo e vôo.
8. Permanecem os acentos que o singular e o plural nos verbos ter e vir: ele tem e eles
têm, ele vem, eles vêm.

62
XII- Conflitos na Raposa Serra do Sol

Ocorreram, em 2008, conflitos na reserva Raposa Serra do Sol localizada no


norte de Roraima. Os conflitos têm razões econômicas e políticas.
Em 1998, as terras foram demarcadas e os índios querem que essa demarcação
seja respeitada. Os plantadores de arroz que estão na região desde a década de 1970,
tentaram impedira a homologação da demarcação. Mas não conseguiram o seu intento,
pois, em 2005, 1, 7 milhão de hectares de terras contínuas passaram a constituir a
reserva indígena Raposa Serra do Sol.
Porém os rizicultores outras pessoas com interesses econômicos na região tendo o
apoio do governador Ottomar Pinto não aceitaram a demarcação. Como os
representantes indígenas obtiveram o apoio de uma Comissão da ONU destinada ao
combate do racismo, o governo brasileiro foi citado par retirar os invasores.
Como havia a ameaça de um conflito generalizado na região, ocorreu a
intervenção da Polícia Federal no mês de março. Mas foi impetrada uma ação no
Supremo Tribunal Federal conta a ação da Polícia Federal que suspendeu a sua ação.
Estabeleceu-se, também, uma polêmica entre o presidente da Fundação Nacional
do Ìndio (FUNAI) , Márcio Meira, e o comandante militar da Amazônia, general
Augusto Heleno sobre as reservas indígenas.

XIII- Missão de Paz no Haiti

O Haiti foi descoberto por Cristóvão Colombo. Pertenceu à Espanha até 1697
quando passou a ser colônia francesa. Sua economia foi estruturada tendo como base a
plantação da cana-de-açúcar com mão-de-obra do escravo negro. Conseguiu a sua
independência política após uma luta sangrenta.
Foi ocupado por tropas norte-americanas (1915-1934). Viveu sob a ditadura de
François Duvalier ( Papa Doc) que ocupou o poder de 1957 a 1971. O poder foi
ocupado por seu filho, Jean-Claude Duvalier ( Baby Doc). Com a queda do regime
ditatorial, o país passou para um regime militar até 1990, seguido um período
conturbado.
O país com oito milhões de habitantes é muito pobre , enfrenta crises de
violência. O país foi varrido por protestos contra a inflação dos alimentos que levaram à
queda do primeiro-ministro.

63
Uma missão de paz foi enviada pela ONU. Ela é liderada pelo Brasil e conta com
cerca de nove mil homens vindos de 40 países . O nome da missão é Minustah que
significa Missão de Estabilização das Nações Unidas para o Haiti.
O presidente Lula já visitou por duas vezes o Haiti, em 2004, e, em maio de 2008,
assinando acordos de reconstrução do país, contando com empresários brasileiros e o
financiamento de bancos da Europa. O atual presidente do Haiti é René Préval.

XIV-- Os vinte anos da Constituição do Brasil

A Constituição que está em vigor no Brasil foi homologada em 5 de outubro de


1988. Ela foi promulgada após o longo período em que o Brasil viveu sob o Regime
Militar que tinha se estabelecido em 1964. Nos anos de 1980, ocorreu o processo de
redemocratização do país e a intensa Campanha pelas Diretas-Já.
O grande líder e articulador da Nova carta foi o deputado Ulysses Guimarães que
a chamou de Constituição Cidadã. Ulysses era o presidente da Assembléia
Constituinte que a elaborou.
A nova Constituição representou a vitória da sociedade civil que tinha conseguido
colocar o Brasil de volta ao caminha da democracia. As críticas que recebeu referiam-se
ao engessamento que colocava na área da economia. Já recebeu diversas Emendas
Constitucionais.

XV. As eleições de 2008.

Os brasileiros foram às urnas no dia 5 e 26 de outubro para a eleição de prefeitos


municipais e vereadores. A mais importante disputa é a de são Paulo por ser
considerada como uma prévia para as eleições presidenciais de 2010 e pelo grande
orçamento que o futuro prefeito terá que administrar, cerca de 19,4 bilhões de reais.
O atual prefeito de São Paulo (DEM) cresceu nas intenções de voto a partir do
horário eleitoral que foi ao ar desde agosto. Ele é muito ligado ao governador José Serra
que pretende ser candidato pelo PSDB à sucessão de Lula , embora formalmente, o
governador tenha dado o seu apoio ao candidato do seu partido Geraldo Alckimin.
Gilberto Kassab tem a seu favor a boa avaliação da sua administração e estar se
apresentando como candidato anti-PT. A sua principal concorrente Marta Suplicy do PT
o acusa de suas ligações com Celso Pitta e Paulo Maluf.

64
Estima-se que 130 milhões de brasileiros participem das eleições municipais num
percentual de 8% a mais do que em 2004. Dos atuais prefeitos, 77% estão disputando a
reeleição.
Kassab foi o mais votado no 1º turno. Teve 2.140.423 votos, ficando em 1º lugar e
indo contra as pesquisas que colocavam em 1º lugar a candidata do PT. As pesquisas
apontam para a sua vitória no 2º turno.
Na cidade do Rio de Janeiro, o 2º turno será disputado por Fernando Gabeira
(Partido Verde) e Eduardo Paes do PMDB.
Em Belo Horizonte, outra surpresa: o 2º turno será disputado entre Márcio Lacerda
(PSB) apoiado pelo governador Aécio Neves e Leonardo Quintão do PMDB.
Em Goiânia, foi eleito Íris Rezende do PMDB que já foi vereador, prefeito de
Goiânia, deputado estadual, governador do estado por 2 mandatos, senador e Ministro
da Agricultura do presidente José Sarney.
O partido mais votado nas eleições foi o PMDB com cerca de 18 milhões devotos e
conseguindo 20% das prefeituras. O PSDB conseguiu 14,5 milhões de votos e o PT,
16,5 milhões. O Democratas contabilizou 9,3 milhões. O PT cresceu em quantidade de
votos em relação a 2004, mas as suas maiores conquistas foram nas cidades menores
onde são mais sentidos os efeitos dos projetos sociais do governo federal.

Goiás
O atual governador é Alcides Rodrigues Filho (PP) que sucedeu a Marconi Perillo
do PSDB. É médico formado pela Universidade Federal de Uberlândia. Foi deputado
estadual e prefeito da Santa Helena de Goiás e vice-governador do estado.
2007:reforma administrativa com o objetivo d e reduzir o déficit fiscal do estado.

Ministério do Esporte em parceria com a Agência Goiana de Esporte e Lazer


(Agel) desenvolvendo o Programa Segundo Tempo – 13/09- em 57 municípios
abrangendo 12 mil crianças e adolescentes na faixa dos 7 aos 17 anos.

A expansão agropecuária tem causado graves prejuízos ao cerrado goiano. As


matas ciliares estão sendo destruídas e as reservas permanentes sendo desmatadas para
ceder espaço para o gado bovino e as plantações. Na região de nascentes do rio
Araguaia, a implantação de pastagens fez surgir números focos de erosão provocados

65
pelo desmatamento, causando as voçorocas ( valetas profundas causadas pela erosão)
praticamente incontroláveis, que atingem o lençol freático. Algumas dessas valas
chegam a ter 1,5 Km de extensão, 100 m de largura e 30 m. de profundidade.
Forma-se um quadro desolador o que ligado ao assoreamento dos rios, tem feito
com que o estado enfrente sérios problemas do abastecimento de água o que se agrava
nos períodos de estiagem e atinge as cidades mais populosas como Goiânia, Aparecida
de Goiânia e Anápolis.

Bibliografia e fontes de pesquisa

ARRAIS, Tadeu Alencar. Geografia Contemporânea de Goiás Vieira..


ASSIS, Wilson Rocha. Estudos de História de Goiás. Vieira.
BRASIL, Um país de Todos.
2004. Governo Federal, ano 2, número 4.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. 11ed. São Paulo: Editora da Universidade


de São Paulo, 2003.

POLONIAL , Juscelino. A Terra do Anhanguera- História de Goiás. Editora Kelps,


2004.
SALATIEL, Correia. A construção de Goiás: ensaio de desenvolvimento político e
regional. Goiânia, 2006.

SILVA, Ana Lúcia . A Revolução de 30 em Goiás. Cânone.

SILVA, Mônica Martins da. História, narrativas e representações na escrita do folclore


d e Goiás disponível em www.anpuh.uepg.br/XXIII-simposio/anais/textos acesso em
28/10/08.

Revista Veja
Revista Exame
Revista Carta Capital
Revista Época
Atualidades Vestibular
Galileu Vestibular 2008 com conteúdo fornecido pela Revista Época
Jornal Folha de São Paulo
Jornal O Estado de São Paulo
Jornal da Tarde

66
www.wikipédia.com.br
www.google.com.br]
www.veja.com.br
www.cartacapital.com.br
www.observatoriogeogoias.com.br
www.sieg.go.gov.br
www.seplan.go.gov.br
www.ibge.gov.br
http://concurseiros.13.forumer.com/viewtopic.

QUESTÕES DE ESTUDO

1- Os portugueses colonizaram o Brasil dentro dos princípios do Mercantilismo (política


econômica do Capitalismo Comercial) e o Brasil foi uma colônia de exploração com a
sua economia voltada par ao mercado externo, sendo o primeiro grande ciclo econômico
o da cana-de-açúcar. A formação histórica de Goiás está, especialmente, ligada ao:
a- cultivo do algodão;
b- ciclo do ouro;
c- ciclo da cana-de-açúcar;
d- ciclo do café
Alternativa: b

2- Sobre a mineração em Goiás, considere as seguintes afirmativas:


I- Os paulistas exploravam as minas;
II- O contrabando do ouro pelos rios e caminhos acarretou o fechamento da
navegação e da livre circulação pelas margens do rio Tocantins;
III- O comércio e as comunicações até a segunda metade do século XVIII
estavam ligados à mineração, sendo que, no final do século XVIII, não se
ressentiu da decadência geral da mineração.
Estão corretas as afirmativas:
a- I, II, III;
b- Apenas a III;
c- Apenas a I;
d- Apenas I, II.

67
Alternativa d

3- Sobre o processo de modernização do estado goiano, não pode ser considerado


como um fator desse processo:
a- construção de Brasília;
b- construção de Goiânia;
c- construção de Anápolis;
d- Colônia Agrícola Nacional de Goiás.
Alternativa c

4- No processo de modernização de Goiás , destacaram-se as figuras d e:


a- Pedro Ludovico Teixeira e Mauro Borges Teixeira;
b- Ulisses Guimarães e Fernando Gabeira;
c- Cristovam Buarque e Dilma Rossef;
d- José Ortiz e arcos de Noronha.

Alternativa a

5- Sobre a população do estado de Goiás podem ser feitas as seguintes afirmativas:


I- Segundo a estimativa /2007 , a população de Goiás é de
5.647.037 hab.;
II- Entre 1890 e 1920, a população goiana dobrou;
III- A densidade demográfica do estado é de 16,6 km² e as
regiões mais populosas são a região metropolitana de
Goiânia e a região entorno d e Brasília.
Estão corretas as alternativas
a- I, II, III;
b- Apenas II;
c- Apenas III;
d- Apenas I, II
Alternativa a

6-Sobre a população de Goiás, não é correto afirmar que:


a- o Norte é região menos povoada;

68
b- a população urbana perfaz um total de 88,9%;
c- a população indígena perfaz um total de 50%;
d- em 1924, embora sem sucesso, foi tentada a colonização européia através da
colônia alemã de UVA.
Alternativa c

7- O pólo farmoquímico foi implantado na cidade de :


a- Goiás Velho;
b- Águas Lindas de Goiás;
c-Vila Rica;
d-Anápolis.
Alternativa d

8- Sobre as desigualdades regionais do estado de Goiás não é correto afirmar que:


a- O centro possui o maior PIB do estado e é a mais populosa das mesoregiões;
b- O Distrito Federal localiza-se na região sul;
c- O norte apresenta as maiores carências sociais;
d- São Simão fica no Leste de Goiás.
Alternativa b

9-Sobre o relevo goiano é correto afirmar que:


a- não apresenta variações;
b- o ponto mais baixo do estado encontra-se na Chapada dos Veadeiros;
c- o relevo apresenta terrenos cristalinos sedimentares antigos e áreas de planalto bem
trabalhadas pela erosão e chapadas de grande beleza;
d- A maior altitude encontrada no estado é de 300m.
Alternativa c

10- Do ponto de vista físico, o estado de Goiás apresenta as seguintes características:


I- vegetação típica do Cerrado, excetuando-se a região do Mato
Grosso Goiano onde domina uma pequena área de floresta
tropical;
II- Rios que banham o estado de Goiás: Araguaia, Aporé,
Corumbá;

69
III-A ema e a siriema são animais da fauna goiana.

Estão corretas as alternativas:


a- apenas a I;
b- I, II, III;
c- apenas a II;
d- apenas a III.

Alternativa b
.

Disponível em http://concurseiros.13. forumer.com/vientopic –acesso em 28/10/08

Questão 6

Os enunciados abaixo tratam da modernização no campo em


Goiás. Leia-os atentamente e marque a
CORRETA:

a) A modernização da agricultura em Goiás é resultado da


expansão do capitalismo no campo. Essa
modernização aumentou o deslocamento migratório de produtores
rurais para o Estado, especialmente os grandes fazendeiros das
regiões Nordeste e Norte do país.

b) A soja, tida como um dos principais produtos agrícolas goianos,


foi introduzida junto com a modernização da agricultura e é
cultivada em todo o estado, especialmente, nas regiões norte e
nordeste de Goiás.

c) A modernização da agricultura goiana proporcionou, no final do


século XX, o reaparecimento das antigas fazendas de engenho que
dinamizaram o comércio da terra e melhoram as condições
salariais do trabalhador no campo.

d) Nas atividades produtivas intensivas, a tecnologia avançada, a


ocupação de toda área de propriedade e a utilização de mão-de-
obra especializada são fatores que caracterizam a modernização
no campo.

Questão 7

Assinale a proposição que justifique o crescimento da


industrialização no Estado de Goiás:

a) A descentralização econômica e industrial brasileira e a


implantação em Goiás de infra-estrutura (por exemplo: ampliação

70
e pavimentação de rede viária e expansão de rede de energia
elétrica) são os principais fatores que proporcionaram o
desenvolvimento da indústria em Goiás.

b) Os projetos do governo federal que incentivaram a implantação


industrial e a transformação das
indústrias de extrativismo mineral e vegetal em indústria de
produtos alimentícios, especialmente
aquelas localizadas no norte do Estado, são os fatores que
promoveram o aumento da industrialização em Goiás.

c) O alto índice de desemprego e a criminalidade impulsionaram o


governo do Estado de Goiás a criar, nos anos de 1990, programas
de incentivos para instalação de indústrias nacionais e
internacionais, com a finalidade de geração de novos empregos.

d) A mão-de-obra especializada, o desenvolvimento do setor


econômico terciário e a criação de cidades tecnopólos
proporcionaram a implantação de indústrias em Goiás,
especialmente aquelas ligadas ao turismo e ao lazer.

Questão 8

Sobre o fluxo migratório no Estado de Goiás é INCORRETO


afirmar:

a) Nos últimos anos, destacou-se em Goiás um considerável fluxo


migratório de sulistas, especialmente os gaúchos, em busca de
terras para produção de grãos nobres, provocando mudança
tecnológica e de relação de trabalho no campo.

b) O fluxo migratório para Goiás dá-se também por parte da


população mais carente que se instala em Goiânia, nas cidades
circunvizinhas e no Entorno de Brasília. Esse fenômeno migratório
é impulsionado, em grande medida, pela condição socioeconômica
do migrante.

c) Os fluxos migratórios para Goiás têm duas direções: uma para


as regiões pouco povoadas, como o vale do Araguaia; e outra para
regiões metropolitanas, como o Entorno de Brasília e o
Aglomerado Urbano de Goiânia.

d) O processo migratório em Goiás foi anterior ao século XX.


Ainda nos séculos XV e XVI, havia
migração de paulistas e, especialmente, paranaenses para as
regiões sul e sudeste do Estado de Goiás, com a finalidade de
produção de grãos.

Questão 9

Meu Goiás, meu Goiás


Terra do Anhanguera
E dos Carajás
És um tesouro encantado
No coração do Brasil
És privilegiado
Por riquezas mil
Toda Pátria te bendiz, Goiás.
(Nini Araújo. Meu Goiás)

Sobre o povoamento branco de Goiás no século XVIII, é CORRETO


afirmar:

71
a) Bartolomeu Bueno da Silva, sertanista protetor dos índios, foi o
primeiro branco a chegar a Goiás.

b) Goiás ainda pode ser chamado de “Terra dos Carajás”, tendo


em vista a alta representatividade dos indígenas na demografia
goiana.

c) A busca de riquezas minerais estimulou os bandeirantes


paulistas a ocuparem o Centro-Oeste
brasileiro.

d) Pode-se afirmar que a Igreja Católica e a Coroa Portuguesa


apoiaram as “guerras de extermínio”
movidas contra os indígenas em Goiás.

Questão 10

Entre 1920-1929, o gado vivo significou quase a metade de todas


as exportações e 27,69% da arrecadação
total do Estado.
MORAES, Maria Augusta de Sant´Anna; PALACIN, Luís.
História de Goiás. Goiânia: Editora da UCG. p. 92.

Sobre a economia goiana, marque a alternativa CORRETA.

a) A grande importância da pecuária em Goiás, na década de


1920, deve-se principalmente à adoção da pecuária intensiva por
parte dos criadores, aumentando, com isso, a produtividade.

b) O predomínio da pecuária na economia goiana no século XIX e


parte do XX foi acompanhado de
relações de trabalho arcaicas no campo, com predomínio do
clientelismo.

c) A pavimentação das rodovias na década de 1920 contribuiu


para incrementar as exportações goianas de carne bovina.

d) Ainda hoje, o gado vivo, principalmente do sudoeste, é o


principal produto de exportação de Goiás.

6-D
7-A
8-D
9-C
10 – B

Questão 8

Sobre a população negra em Goiás, é CORRETO afirmar:

a) O trabalho escravo não foi utilizado na mineração, pois os


proprietários das minas temiam que os
negros roubassem o ouro garimpado.

b) A única manifestação cultural genuinamente negra em Goiás é


o espetáculo das cavalhadas em
Pirenópolis.

c) Os remanescentes de quilombos em Goiás, como o dos


Kalungas, significaram a resistência dos
negros à escravidão.

72
d) Em Goiás, a escravidão negra no século XVIII foi substituída
pela escravidão indígena, uma vez que o índio adaptava-se melhor
ao trabalho agrícola.

Questão 9

Pra minha mãezinha já telegrafei


E já me cansei de tanto sofrer
Nesta madrugada estarei de partida
Pra terra querida que me viu nascer
Já ouço sonhando o galo cantando
O nhambu piando no escurecer
A lua prateada clareando a estrada
A relva molhada desde o anoitecer
Eu preciso ir pra ver tudo ali
Foi lá que eu nasci lá quero morrer
(Goiá e Bemonte. “Saudades da minha terra”)

O texto acima é uma representação do “desejo de voltar para o


campo”. Sobre essa temática, levando em consideração o Estado
de Goiás, é CORRETO afirmar:

a) O êxodo rural, fenômeno de que trata o texto, teve em Goiás


nos anos 1930 os seus maiores fluxos.

b) O Entorno de Goiânia teve sua população diminuída por causa


da forte migração populacional para o meio rural.

c) As políticas agrárias implantadas durante os governos militares


em Goiás proporcionaram a posse da terra, conduzindo o
trabalhador ao campo.

d) O poema demonstra que, apesar de migrar para a cidade, o


homem do campo ainda revela desejos de retorno à área rural.

Questão 10

Sobre a mudança da Capital do Estado de Goiás, marque a


proposição INCORRETA:

a) Goiânia foi planejada pelo urbanista Lúcio Costa, que projetou


uma cidade para 500.000 habitantes.

b) A idéia da mudança da Capital surgiu no século XVIII e foi


consolidada apenas no século XX.

c) Pedro Ludovico Teixeira mudou a Capital do Estado com apoio


de Getúlio Vargas.
d) A mudança da Capital teve sua consolidação no ano de 1930,
durante o governo de Pedro Ludovico Teixeira.

8–C
9–D
10 – A

Questão 7

Leia atentamente as questões abaixo e marque a proposição

73
INCORRETA:

a) A regionalização do Estado deu-se pelas mesorregiões e


microrregiões que englobam vários municípios goianos e foram
criadas para facilitar a implantação e o desenvolvimento de
políticas públicas em Goiás.

b) Para regionalizar o Estado de Goiás, o Instituto Brasileiro de


Geografia e Estatística (IBGE) criou cinco mesorregiões e 18
microrregiões geográficas.

c) A Secretaria de Planejamento do Estado de Goiás (Seplan)


regionalizou o estado em 10 áreas. Como exemplo, podem-se
citar: região metropolitana, sul, noroeste e sudoeste goianos.

d) A regionalização de Goiás ocorrida nos anos de 1970


proporcionou o aparecimento de políticas
públicas que solucionaram problemas socioeconômicos,
especialmente os das microrregiões do
nordeste do Estado.

Questão 8

“[...] a mudança da capital não é apenas um problema na vida de


Goiás. É também a chave, o começo da
solução de todos os demais problemas. Mudando a sede de
Governo para um local que reúna os requisitos decuja ausência
absoluta se [ressente] a cidade de Goiás, teremos andado meio
caminho na direção da grandezadesta maravilhosa unidade
Central.”

(Relatório apresentado por Pedro Ludovico Teixeira ao presidente


Getúlio Vargas em 1934. In: PALACÍN,
Luis. Fundação de Goiânia e desenvolvimento de Goiás. Goiânia:
Oriente, 1976. p. 44)

Com relação à mudança da capital de Goiás na década de 1930,


marque a alternativa INCORRETA:

a) De acordo com o texto citado, para Pedro Ludovico o objetivo


explícito da mudança da Capital era promover o desenvolvimento
de Goiás. No entanto, implicitamente, visava criar um novo centro
de poder, afastando-se de seus adversários políticos.

b) Em termos econômicos, a construção de Goiânia foi uma


estratégia utilizada por Pedro Ludovido
Teixeira para promover o desenvolvimento socioeconômico do
Estado de Goiás.

c) Ao afirmar que a cidade de Goiás não reunia condições para


propiciar o desenvolvimento econômico de Goiás, Pedro Ludovico
Teixeira equivocou-se. No século XIX, graças à exploração
aurífera, Goiás era um dos estados mais desenvolvidos do Brasil.

d) A construção de Goiânia expressou o desejo renovador advindo


com a Revolução de 1930. Os
revolucionários aspiravam romper com o passado, com as
tradições e com o atraso representado pela cidade de Goiás.

Questão 9

74
PALACIN, GARCIA, AMADO. História de Goiás em documentos.
(I. Colônia). Goiânia: Editora da UFG, 1995. p. 62.

A assertiva que interpreta CORRETAMENTE o gráfico é:

a) O declínio demográfico, a partir de 1790, foi conseqüência


direta da redução da atividade aurífera em Goiás, o que provocou
a migração da população envolvida na atividade mineradora para
outras regiões.

b) A diminuição da população em Goiás, a partir da década de


1790, foi decorrente da participação de Goiás na Guerra do
Paraguai.

c) Na última década do século XVIII, Goiás foi afetado pela


epidemia de varíola, que provocou grande mortandade em Meia
Ponte e Jaraguá, explicando assim a redução da população.

d) A redução da população no início do século XIX explica-se pelo


fato de Goiás ter perdido a populosa região do Triângulo Mineiro
para Minas Gerais.

Questão 10

Líder de um movimento messiânico que muitos pesquisadores


comparam a Canudos de Antônio Conselheiro, Benedicta Cipriano,
a Santa Dica, tem seu centenário de nascimento comemorado
nesta semana. Tida como santa pelos moradores de Lagolândia,
Dica reuniu em torno de si, nos primeiros anos da década de
1920, uma legião de seguidores e logo passou a ser vista como
uma ameaça pelo governo e pela Igreja. Ela já inspirou filmes e
livros e sua memória é lembrada no decorrer desta semana em
vários eventos.

O POPULAR, Goiânia, 10 abr. 2005.

Sobre esse importante movimento social ocorrido em Goiás é


CORRETO afirmar:

a) A Igreja Católica não apoiou o movimento político em torno de


Santa Dica, mas reconheceu seus
milagres, conseguindo sua canonização junto ao Vaticano.

b) O Movimento de Santa Dica foi conseqüência do intenso


processo de urbanização ocorrido em Goiás na década de 1920.

c) Movimentos messiânicos expressam a religiosidade do homem


rural, entrando, assim, em contradição com as práticas ortodoxas
pregadas pela Igreja Católica.

d) Santa Dica e seus adeptos auxiliaram a Coluna Prestes na sua


passagem por Goiás. Por isso, o
movimento foi combatido pela Força Pública do Estado.

7-D
8-C
9-A
10 - C

75
Questão 4

Com a Independência, iniciou-se a passagem da ordem colonial à


nacional. O grito do Ipiranga ecoou principalmente nas regiões
centrais (Rio de Janeiro, Minas e São Paulo), mas o Brasil era um
continente formado por inúmeras ilhas cercadas pelo desejo de
afirmação de uma nova nacionalidade.

Acerca da vida econômica e social do Brasil no contexto da


independência, é CORRETO afirmar:
a) Em Goiás, a independência motivou disputas entre as comarcas
do sul e do norte, mas o separatismo não contou com o apoio do
regime monárquico e foi controlado.

b) O projeto de emancipação política foi negociado amplamente


pelas distintas regiões do país com base no compromisso de que
as elites portuguesas seriam banidas da vida política.

c) O crescimento da economia do café e os recursos advindos da


produção do açúcar e do ouro formaram a base de sustentação de
uma próspera economia nacional.

d) A atividade pecuarista permitiu que Goiás desempenhasse


importante papel no abastecimento do Rio de Janeiro, o que
garantiu o compromisso da monarquia contra os movimentos
separatistas.

e) Os conflitos entre as comarcas do sul e do norte ganharam


relevo durante a primeira metade do século XIX e assumiram a
forma de uma guerra civil que só pôde ser controlada com o
auxílio de tropas vindas da Corte.

Gabarito – A

Questão 46

O coronelismo foi a expressão do poder local na Primeira


República. Sobre a estrutura de poder nesse período analise as
assertivas abaixo e escolha a alternativa CORRETA:

I. O coronelismo apresentava-se como uma resposta à ausência


do Estado. O poder familiar e pessoal assegurava a dominação
tradicional, uma vez que inexistia uma ordem, propriamente,
republicana.

II. A partir de 1912, o poder em Goiás esteve concentrado nas


mãos do domínio familiar (Caiados), que gerava, além de
deputados e senadores, leis que atendiam, sobretudo, aos
interesses particulares.

III. A partir de 1937, iniciou-se uma renovação política que


afirmou a primazia do Estado diante dos interesses particulares,
mas sob um regime político ditatorial, incapaz, portanto, de
afirmar o sentido democrático do ideário republicano.

a) São corretas apenas as assertivas I e II.


b) São corretas apenas as assertivas II e III.
c) São corretas apenas as assertivas I e III.
d) Todas as assertivas são corretas.

Questão 47

76
Hugo de Carvalho Ramos abriu caminho para uma geração de
escritores que pensaram Goiás como região. Nessa direção, a
literatura elabora os elementos da cultura e da identidade goiana.
Analise as assertivas abaixo e responda:

I. Hugo de Carvalho Ramos, em seus contos, apresenta como


elemento fundamental de sua obra as
transformações sociais ocorridas em Goiás com o avanço da
urbanização decorrente da presença dos tropeiros.

II. Bernardo Elis enfatiza a presença da violência e da exploração


sobre o trabalhador rural no romance O tronco.

III. Cora Coralina, em sua poesia, evoca o passado como


libertação, focalizando a vida que se desenvolvia livre dos
preconceitos e do moralismo próprios da cidade grande.

a) São corretas apenas as assertivas I e II.


b) São corretas apenas as assertivas II e III.
c) São corretas apenas as assertivas I e III.
d) Apenas a assertiva II está correta.

Questão 48

A cidade de Pirenópolis tem na Festa do Divino uma das suas


principais atrações. Na relação entre festa e cultura pirenopolina,
destaca-se

a) a preservação de uma tradição cultural recriada nos festejos


que atraem turistas de todas as partes do Brasil.

b) o culto de tradições culturais seculares imunes às influências do


comércio e do turismo.

c) a ruptura com a tradição cultural marcada pela contínua


invenção de novos rituais voltados para o
mercado turístico.

d) a espontaneidade dos festejos que são recriados livremente


pela população sem apelo ao seu suposto sentido original.

46 - D
47 - D
48 – A

Questão 41

A formação econômica e social de Goiás decorreu da descoberta


das Minas, que provocaram grande influxo populacional para a
região. Nos idos da década de 1770, no entanto, já se percebia a
diminuição de seu ritmo de produção e

a) a substituição da extração do ouro pela pecuária que abastecia


as cidades do entorno da região e a cidade do Rio de Janeiro.

b) o abandono da atividade mineradora, cujos rendimentos eram


incapazes de manter o custo de
manutenção dos escravos, o que provocou o expressivo aumento
do número de alforrias.

c) o deslocamento da população para os núcleos urbanos em

77
busca de novas oportunidades no setor
artesanal e nas nascentes indústrias.

d) a queda dos rendimentos dos mineiros, que, na falta de outra


atividade rentável, permaneceram na dura lida de lavrar a terra
em busca do ouro.

Questão 42

O brilho e a escassez do metal precioso são marcas de nascença


do mundo goiano entre os séculos XVIII e XIX que, lentamente,
foram apagadas pelos rastros das boiadas e pelos trilhos do trem.
Nesse longo processo de formação, destaca-se o seguinte fator:

a) A herança do período minerador permitiu a acumulação de


capital suficiente para a formação de um grande rebanho bovino
que permitiu a Goiás, no século XIX, transformar-se no principal
criador de bovinos do Brasil.

b) A pecuária desenvolveu-se de forma extensiva e ganhou


projeção graças à capacidade de deslocamento dos animais para
os mercados consumidores.

c) O transporte ferroviário ingressou no território goiano no final


dos anos de 1920, propiciando forte modernização da economia
por meio da agroindústria.

d) Vila Boa acompanhou os distintos ritmos do desenvolvimento


econômico de Goiás: da extração do ouro à implantação das
ferrovias, a cidade manteve-se como pólo de desenvolvimento
econômico até o final de 1930.

Questão 43

Em Goiás, as cidades originaram-se em função de fatores como


mineração, atividade agropecuária,
implantação de rede viária, patrimônio religioso, colônias
agrícolas, entre outros.

Sobre a origem das cidades goianas, julgue as proposições abaixo


e marque V (verdadeiro) ou F (falso).

( ) Com a atividade mineradora surgiram Vila Boa (Goiás) e Meia


Ponte (Pirenopólis), considerados, na atualidade, os mais ricos
patrimônios históricos e arquitetônicos do Estado.

( ) As cidades de Anápolis e Damolândia formaram-se em terras


doadas à Igreja pelos fazendeiros, como forma de devoção
religiosa.

( ) Pires do Rio teve sua origem ligada à estrada de ferro,


enquanto Mara Rosa surge em função da rodovia Belém–Brasília.

( ) Dentro do movimento da “Marcha para o Oeste”, Itumbiara é o


exemplo mais representativo da
implantação de colônias agrícolas.

Marque a alternativa que apresenta a seqüência CORRETA, de


cima para baixo:
a) V – F – F – V
b) F – V – V – F
c) V – V – V – F
d) F – F – F – V

78
Questão 44

A mudança da capital mobilizou todas as atenções do Estado, pois


se tratava de mudar a geografia política, alterando o lugar de
encontro das atividades econômicas, administrativas e culturais.
Entre os anos de 1933 e 1937, estruturou-se, ainda que
timidamente, a nova capital de Goiás, cuja construção foi uma
decorrência

a) da reorientação política ocorrida em Goiás após 1930. O


interventor Pedro Ludovico, desejoso de
restringir o poder das elites políticas fixadas na tradicional cidade
de Goiás, comprometeu-se com a
mudança da capital como chave para o seu governo.

b) do desejo explícito do presidente Getúlio Vargas de ocupar


produtivamente as regiões interioranas, abandonadas pelas elites
locais.

c) da crise econômica de 1929 que, regionalmente, afetou a


cidade de Goiás: o número de falências e a desorganização da
atividade pecuarista alimentaram o desejo de mudança da capital.

d) do desejo da população de reconstruir uma nova capital longe


do clima insalubre que transformava a cidade em fator de risco
para a saúde dos moradores.

Questão 45

O plantio da cana-de-açúcar e seu aproveitamento múltiplo vêm


contribuindo para o crescimento da economia de municípios como
Goianésia, Goiatuba e Anicuns, entre outros.

Sobre esse importante ramo da economia, assinale V (verdadeiro)


ou F (falso):

( ) A expansão do setor sucroalcooleiro relaciona-se ao aumento


do preço do petróleo, já que o álcool anidro apresenta-se como
substituto (ou complemento) para os combustíveis fósseis.

( ) A geração de energia limpa a partir da biomassa (bagaço da


cana-de-açúcar), além de atender às
necessidades das próprias indústrias, pode ter seu excedente
comercializado.

( ) A atual demanda nacional por álcool anidro e álcool hidratado,


para atender a indústria automobilística, tem na tecnologia
rudimentar dos motores a álcool o seu limite.

Marque a alternativa que contém a seqüência CORRETA, de cima


para baixo:
a) V – V – F
b) V – V – V
c) F – F – V
d) V – F – F

Questão 46

Sobre a modernização agrícola de Goiás, pode-se afirmar que:


I. Gera emprego especializado, ao mesmo tempo em que contribui
para o aumento do desemprego entre trabalhadores com pouca
qualificação.

79
II. Prioriza o plantio de produtos destinados à exportação, como a
soja, em detrimento da produção de alimento para o mercado
interno, como o feijão.

III. Investe em pequenas propriedades, pois seu objetivo é a


melhor distribuição de terras e de renda.

IV. Impede o êxodo rural, na medida em que aumenta a produção


e a produtividade agrícola.

Marque a alternativa CORRETA:


a) Somente as proposições I e IV são verdadeiras.
b) Somente as proposições I e II são verdadeiras.
c) Somente as proposições II e III são verdadeiras.
d) Somente as proposições III e IV são verdadeiras.

Questão 47

Goiânia, cidade planejada para 50 mil habitantes, encontra-se


hoje com uma população acima de 1 milhão de habitantes e não
pára de crescer. Vários fatores atuam na expansão da sua área
urbana.
Com base em seus conhecimentos sobre o crescimento urbano de
Goiânia, julgue as proposições abaixo:

I. Grandes áreas urbanas da cidade pertencem a especuladores


imobiliários que aguardam a valorização dos lotes para colocá-los
à venda.

II. A população de baixa renda participa do mercado imobiliário


através da compra de lotes baratos na periferia, que podem ser
oriundos de loteamentos legalizados ou clandestinos.

III. A competição entre proprietários de terras, corretoras e


incorporadores imobiliários contribui para o barateamento e a
regularização do uso do solo urbano.

IV. A expansão desordenada da cidade é motivada pela aprovação


de novos loteamentos pelo poder público, bem como pela
incapacidade de coibir a ocupação clandestina de áreas.

Marque a alternativa CORRETA:

a) Somente as proposições I e III são verdadeiras.


b) Somente as proposições II e IV são verdadeiras.
c) Somente as proposições I, II e IV são verdadeiras.
d) Todas as proposições são verdadeiras.

Questão 48

A industrialização de Goiás é um processo recente e sua


implantação acabou contribuindo para o aumento das diferenças
regionais.

Em relação à industrialização goiana, marque a alternativa


INCORRETA:

a) O Distrito Agroindustrial de Anápolis ganha maior dinamismo


com a incorporação de novos ramos industriais, como o
farmacêutico.

80
b) A região nordeste do estado abriga várias etapas da cadeia
produtiva das mais poderosas agroindústrias do país ligadas ao
setor de alimentação.

c) A indústria automobilística, antes concentrada nas regiões


metropolitanas, chega a Goiás (Catalão) atraída por incentivos
governamentais, entre outros fatores.

d) Em Minaçu, a exploração do amianto não foi acompanhada da


instalação de indústrias de
beneficiamento de grande porte daquele minério.

Questão 49

Falta justiça social no campo e na cidade, e a violência praticada


pelo latifúndio e pelos especuladores imobiliários tem como pano
de fundo o modelo de desenvolvimento seguido pelo Brasil...
ARRAIS, Tadeu Alencar. Geo Contemporânea de Goiás, Goiânia,
Ed. Vieira. p. 87.

De acordo com o texto acima e seus conhecimentos, marque a


resposta INCORRETA.

a) O Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) tem


presença marcante em vários municípios
goianos, com ações concretas de invasão de terras.

b) A luta pela moradia vem agregando um número cada vez maior


de pessoas que ocupam áreas públicas e privadas, principalmente
na capital do Estado.

c) O modelo econômico seguido pelo Brasil tem como


característica a aceitação das regras definidas pelo Fundo
Monetário Internacional (FMI), que define o pagamento da dívida
externa como prioridade.

d) A Constituição de 1988, ao definir o significado social da


propriedade da terra, criou o instrumento legal que deu
estabilidade política ao campo.

Questão 50

A vida política em Goiás foi marcada pela presença de lideranças


que assumiram o papel de condutores do processo de
modernização e integração da economia goiana no circuito
nacional. Acerca desse processo, julgue os itens e responda:

I. Pedro Ludovico foi responsável pela grande transformação


operada nos anos 30 com a passagem da economia agrícola para
a industrial.

II. A percepção do planejamento como instância fundamental da


administração pública foi a grande
novidade do governo de Mauro Borges.

III. A expansão do setor agroindustrial e da indústria são


conquistas que remontam ao final dos anos 70, mas que
ganharam impulso decisivo no governo de Marconi Perillo.

Marque a alternativa CORRETA:


a) Apenas as proposições I e II estão corretas.

81
b) Apenas as proposições I e III estão corretas.
c) Apenas as proposições II e III estão corretas.
d) Todas as proposições estão corretas.

41 - D
42 - B
43 - C
44 - A
45 - A
46 - B
47 - C
48 - B
49 - D
50 - C

Back to top

Posted: Sun Feb 19,


206 12:43 pm Post
subject:

Série
Como passar no
concurso do Estado

Confira dicas de Língua


Joined: 09 Jan 2006 Portuguesa, História e
Posts: 106 Geografia de Goiás,
Location: SP Legislação
Administrativa e Noções
de Informática para as
provas de níveis médio
e superior da seleção da
Aganp

19/02/2006

82