Você está na página 1de 3

BANCO DE FDP’s (Frequentes Discussões e Problematizações)

» “Se é para ficar com uma mulher masculina, por que não fica com homem
de uma vez?”

https://www.geledes.org.br/a-resposta-para-se-e-para-pegar-uma-mulher-
bofinho-porque-nao-pega-um-homem/

https://www.youtube.com/watch?v=gdw_KjHvfN4

» "Tudo bem ser lésbica, mas precisa se vestir como homem?"

» “Travestis não mudam o nome, trans sim! Travestis tem nome de guerra!”

“O procedimento para mudança do nome nos documentos oficiais é longo e implica


em uma série de transtornos para quem é transexual, travesti ou quem não tem
gênero definido. “ (http://blogs.correio24horas.com.br/mesalte/mudanca-do-
nome-em-documentos-e-uma-batalha-longa-de-pessoas-trans-e-travestis/)

http://emporiododireito.com.br/wp-content/uploads/2016/12/Cartilha-
retifica%C3%A7%C3%A3o-de-nome.pdf

» “Ah, mas nem todos os homens...!”

https://www.youtube.com/watch?v=AvbB3j5-2RI

escrevalolaescreva.blogspot.com/2017/09/nem-todos-os-homens.html

https://revistamiga.wordpress.com/2016/06/01/nem-todos-os-homens/

https://feminismosemdemagogia.wordpress.com/2013/12/29/nao-generalizar-
uzomi-uma-bela-forma-de-calar-mulheres/

http://casadamaejoanna.com/2016/12/07/precisamos-generalizar-a-ocorrencia-
do-machismo/

https://medium.com/@taavolino/sobre-a-generaliza%C3%A7%C3%A3o-do-
homem-como-potencial-estuprador-f894d2c21b6

http://blogueirasfeministas.com/2013/10/obvio-que-todos-os-homens-nao-
odeiam-mulheres-mas-todos-os-homens-devem-saber-que-sao-beneficiados-pelo-
sexismo/

» “Racismo não é exclusivo dos negros”


» “Eu sofri racismo também, fui chamado de...”

» “Quer dizer que agora negro é inferior”

» “Mãe preta”

“A mãe preta, enquanto estereótipo que marca a subjetividade brasileira é o


contraponto dócil, maternal e domesticado frente à escravizada imoral em que se
constitui a mulata (RONCADOR, 2008). Fez parte da vida das elites escravocratas
como cuidadora de seus filhos, ama-de-leite e responsável pelos trabalhos
domésticos. Gonzalez (1984) considera que essa figura é a boa imagem que se
constrói da negra, porque ela é quem cumpre o papel de “mãe”. Ainda assim, suas
funções são o que predominam em sua imagem, já que a maternidade dessas
mulheres poderia lhes causar severas punições se não conviesse com o interesse
de seus proprietários. Quando observamos as amas-de-leite, tarefa que teve
grande importância na organização social da época, vemos que este afeto, citado
por Freyre, não as poupava de castigos, de trabalhar menos quando exaustas ou
doentes, sequer podiam cuidar ou amamentar seus filhos, sendo muitas vezes
punidas por engravidarem. A escravizada doméstica foi imposta à negação da
maternidade e como consequência a mortandade de seus filhos pretos, para que
essas pudessem olhar pelas crianças brancas.”

MULATA E MÃE PRETA DO SÉCULO XXI: DISCUTINDO REPRESENTAÇÕES DE


MULHERES NEGRAS NO RASIL.
http://www.en.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1499174405_AR
QUIVO_ThaisSantosFazendoGenero.pdf

“Este é um dos estereótipos mais violentos, pois aprisionou mulheres negras por
décadas. A Mãe Preta é a mulher negra (sempre retinta e mais velha) com
inúmeros filhos que ainda assim encontra tempo para cuidar da família e da casa
de seus patrões. A Mãe Preta, assim como o Tio Tom, não se revolta: é simpática,
sorridente e existe apenas para animar os brancos.”

https://medium.com/@yuricosta_41067/como-mudbound-desconstr%C3%B3i-
esteri%C3%B3tipos-racistas-e9322173e606

» “Qual o problema de falar negão?”

“...enquanto nós, os brasileiros de todas as cores, na nossa fala cotidiana,


sentirmos a necessidade de marcar, enfatizar, mencionar a raça do indivíduo
negro, ao mesmo tempo em que NÃO sentimos a necessidade de marcar,
enfatizar, mencionar a raça do indivíduo branco, então o branco continuará a
ser sempre a norma, o normativo, o normal, a ideia paradigmática do brasileiro,
enquanto o negro continuará a ser sempre um excluído, uma exceção, um outro.

Enquanto existir "o brasileiro" (que você fecha os olhos e visualiza branco) e "o
brasileiro negro", que é outra coisa, que é um qualificador possível de brasileiro,
que é um tipo de brasileiro entre tantos outros brasileiros, continuaremos a ser
sempre sempre uma nação racista.”

https://papodehomem.com.br/racismo-e-normalidade-1/

» “Qual o problema de falar negra linda?”

» Destruindo várias falas racistas:

https://www.cartacapital.com.br/revista/957/racismo-manual-para-os-sem-
nocao-i

» apropriação cultural

» “Eu não vejo cor, somos todos humanos/Pertencemos a uma só raça, a


araçá humana/Somos todos negros, índios e brancos”

» “Não sou gay, sou homem!”

» “As pessoas trans nasceram no corpo errado/odeiam o próprio corpo”

» “Mas a novela tá tratando as coisas como são (sobre a representatividade


racial subalternizada)