Você está na página 1de 41

ETIOPATOGÊNESE

GERAL DA LESÕES

Prof. Dr. Rafael T. Burtet


Patologia Geral
Etiopatogênese
• Mito Etiológico: é o termo usado na antropologia para os mitos que descrevem o surgimento de algo. Ex: o fogo foi
encarcerado pelo Demiurgo no interior da madeira; a produção do fogo por fricção seria portanto, apenas o “desvelamento”, a
reconstituição de um ato primordial.

• Etiologia (ethos + logos) é o estudo das causas.


• Toda causa tem uma consequência... Ou várias!!!

Adaptação
AGRESSÃO DEFESA
Lesão
AGRESSÕES E/OU AGENTES LESIVOS
• Exógenos (do meio ambiente)
– Agentes químicos físicos e biológicos
– Desvios de Nutrição

• Endógenos (do próprio organismo)


– Patrimônio Genético
– Resposta imunitária
– Fatores emocionais
Vários médicos afirmam...
• ...não há doenças mas, sim, doentes...
.. já que uma mesma doença (mesmo fator etiológico ou causa) pode ter lesões e
evolução particulares em indivíduos diferentes ou grupos de indivíduos.

• Cada indivíduo reage ao ambiente de uma forma particular, propriedade


essa relacionada a sua constituição genética
Agentes lesivos
• Ação direta:
– Alvos específicos
– Inibe enzimas
– Quebra macromoléculas
– Altera conformação espacial
– Exerce ação detergente nas membranas
– Etc...
• Ação indireta:
– Alvos sistêmicos
– Perturbação no fornecimento de O2
– Interferência no mecanismo de produção e inativação de radicais livres
– Ou seja respostas locais ou sistêmicas capazes de causar lesão celular ou tecidual
Mecanismos gerais de produção de lesão
Agentes lesivos
(lise ou explosão celular)
• Inativando ou • Reduzindo ou
destruindo eliminando
macromoléculas elementos essenciais
a célula (O2)
constituintes e
essenciais à célula
(perda de função)

• Modificando os • Estimulando o
constituintes organismo à
celulares (ganho ou destruição (resposta
• Levando à síntese ou auto-imune)
perda de função)
ativação de substâncias
nocivas à célula (ganho de
função)

Alterações reversíveis – Acúmulos Intracelulares


Alterações irreversíveis – Morte
Hipóxia e Anóxia
• Hipóxia:
– Redução do fornecimento de Oxigênio
– Obstrução vascular: oligoemia

• Anóxia:
– Parada total desse suprimento
– Obstrução vascular: isquemia

• Dependendo da intensidade e da duração do fenômeno e da


suscetibilidade à provação de O2 e nutrientes, as células degeneram ou
morrem
Modificações metabólicas
progressivas na célula submetida
a hipóxia
Glicose + 2 NAD+ + 4 ADP + 2 Pi → 2 NADH + 2 ácido pirúvico + 4 ATP + 2 H2O

ENERGIA
Lesões irreversíveis – Principais modificações
Estruturais
1. Alteração de membranas pela perda de moléculas estruturais e
elevação de Ca++
2. Desequilíbrio hidrolítico expande a membrana interna da mitocôndria
3. Lisossomos se rompem e liberam as hidrolasses no citoplasma

Funcionais
1. Depleção acentuada de ATP
2. Cessação da glicólise com acúmulo de H+, lactato e outros metabólitos
3. Conversão de grande quantidade de nucleotídeos em nucleosídeos e
bases orgânicas
Radicais Livres
• Moléculas que apresentam um elétron não-emparelhado no orbital
externo, que as tornam muito mais reativas a qualquer outro tipo
de molécula.

Podem iniciar reações em cadeia


que levam a formação de novos
radicais livres, amplificando sua
capacidade de produzir lesões

O2 é a principal fonte de Radicais livres na célula


Radical livre
• Denomina-se radical livre toda molécula que possui um elétron ímpar em sua órbita externa, fora de seu nível
orbital, gravitando em sentido oposto aos outros elétrons. Este elétron livre favorece a recepção de outras
moléculas, o que torna os radicais livres extremamente reativos, inclusive com moléculas orgânicas. Os radicais
livres têm vida média de milésimos de segundo, mas eventualmente podem tornar-se estáveis, produzindo
reações biológicas lesivas.
• O Oxigênio molecular (O2) é um birradical de 16 elétrons que, embora apresentem um elétron não-
emparelhado na última camada de cada átomo, é estável porque este elétron gravita na mesma direção,
impedindo o O2 de agir como radical livre. Esta condição lhe confere características de potente oxidante, ou
seja, receptor de elétrons de outras moléculas.
• Se ocorrer a entrada de energia, os elétrons não emparelhados tomam direções opostas, formando então uma
molécula extremamente reativa chamada de radical livre de oxigênio (superóxido, peróxido de hidrogênio). A
água oxigenada (peróxido de hidrogênio) diferentemente dos outros radicais, tem um número par de elétrons,
podendo "navegar" por células e, assim, aumentando o risco de "trombar" com um átomo de Ferro. Ao se
combinar com o Ferro, a água oxigenada ganha mais um elétron, formando o terceiro e mais terrível dos
radicais: a hidroxila, que reage instantaneamente com moléculas da célula.
Antioxidante
• Estrutura do ácido ascórbico (vitamina C), um conhecido antioxidante.
• AOs antioxidantes são um conjunto heterogênio de substâncias formadas por vitaminas, minerais, pigmentos naturais e outros compostos vegetais e, ainda, enzimas , que bloqueiam o efeito danoso dos radicais livres.
O termo antioxidante significa que impede a oxidação de outras substâncias químicas, que ocorrem nas reações metabólicas ou por fatores exógenos como as radiações ionizantes.
• Fonte de antioxidantes:
• Obtemos os antioxidantes pelos alimentos, sendo encontrados na sua maioria nos vegetais, o que explica parte das ações saudáveis que as frutas , legumes, hortaliças e cereais integrais exercem sobre o nosso
organismo. Nos ultimos anos vem crescendo o interesse pela descoberta de novos antioxidadantes a partir de fontes naturais principalmete por miniminizarem o dano oxidativo das celulas vivas e previnirem a
oxidação dos alimentos, substancias com potencial antioxidante podem ser ultilizados tanto para fins medicinais se ingeridos ou na forma de cremes de uso topico. Pessoas que ingerem quantidades adequadas de
frutas e vegetais ricos em antioxidante tem incidencia menor de adquirir certos cancer e doenças degenerativas causadas por falta de antioxidante, frutas e vegetais são ricos em antioxidante. (Edivan Silva Rodrigues)
• Benefícios dos antioxidantes:
• Nos últimos anos, se tem investigado os efeitos dos antioxidantes em relação as enfermidades, principalmente nos paises desenvolvidos do ocidente. As pesquisas tem tentado explicar os benefícios dos antioxidantes
nas enfermidades cardiovasculares, em numerosos tipos de câncer, na AIDS, e inclusive em outros diretamente associados com o processo de envelhecimento, como das cataratas , Doença de Alzheimer e outras
alterações do sistema nervoso.
• Ainda que os estudos epidemiológicos indiquem que a ingestão de alimentos ricos em antioxidantes diminuem o risco de certas enfermidades, estes não modificam o deterioramento normal do envelhecimento, nem
que produzam ampliação do tempo de vida. Por outro lado, se tem demonstrado que a suplementação de altas doses com preparados de antioxidantes podem, inclusive, ser prejudiciais ao organismo humano.
• Cada vez existe mais informações sobre os benefícios dos antioxidantes, motivo pelo qual devemos promover seu consumo através dos alimentos que os contém na forma natural, não sendo conveniente a ingestão de
suplementação porque se desconhece, até o momento, quais são as doses adequadas. Apesar de toda a informação disponível, é preferível adotar uma alimentação variada e equilibrada como a dieta mediterrânea.
Na falta de vegetais não abusar de suplementos ou alimentos enriquecidos com estes tipos de substãncias.

• Principais tipos de antioxidantes:
• Antioxidantes não enzimáticos:
– Vitamina C
– Vitamina E
– Betacaroteno
– Flavonóides
– Selênio
– Zinco
– Licopeno
– Cobre
– Conservantes (aditivos alimentares)
– Compostos fenólicos

• Antioxidantes enzimáticos:
– superóxido dismutase
– catalase
– glutationo peroxidase
– glutaredoxina
– tioredoxina
Resposta Imunitária X Lesões
A resposta à um agressor antigênico pode resultar em lesões
• Anticorpos:
– Bloqueio ou estimulação de função
– Formação de complexos Ag-Ac = liberação de fatores quimiotáticos ou
agressão direta às células-alvo, destruindo-as
• Imunidade Celular
– Células citotóxicas: perfurinas e granzinas
– Mobilização de fagócitos que liberam ezimas, radicais livres e óxido nítrico,
todos capazes de agredir células ou interstício
Mecanismos Imunes de Lesão Tecidual
RELACIONADOS COM OS MECANISMOS DE AÇÃO DAS HIPERSENSIBILIDADES

• Tipo I: Mecanismos dependentes de IgE e Mastócitos


– Rinite Alérgica

• Tipo II: Mecanismos citotóxicos mediados por Anticorpos


– Tireoidite de Hashimoto
– Doença de Graves

• Tipo III: Depósitos de Imunocomplexos


– LES
– Artrite Reumatoide (deposição de imunocomplexos circulantes)

• Tipo IV: Mediada por células


– Diabetes mellitus
– Esclerose múltipla
Respostas sistêmicas a agressões localizadas

Reação de fase aguda

– Alterações metabólicas alterações do apetite e do sono


– Febre
– Resistência a dor
– Atividade dos fagócitos (leucocitose)
– Modulação da resposta imunitária
Agentes físicos
• Força mecânica
• Variações de pressão atmosférica
• Variação da temperatura
• Eletricidade
• Radiações
• Efeitos da Luz solar
• Ondas Sonoras
Agentes Físicos
Força Mecânica
• Lesões Traumáticas
– Abrasão - raspar ou desgastar por atrito
– Laceração - rasgar
– Contusão - lesão causada por um golpe
– Incisão - corte, golpe com instrumento cortante
– Perfuração - fazer furo ou furo; penetrar
– Fratura - quebra
Agentes Físicos
Variação da pressão atmosférica
• Sindrome da descompressão
• Efeitos das grandes altitudes

Variações da temperatura
• Frio extremo
• Calor extremo
Agentes Físicos
Corrente elétrica

• Há lesão quando a corrente elétrica passa pelos tecidos


completando o circuito entre dois condutores
Mecanismos:
– Disfunção elétrica dos tecidos
– Produção de calor
Agentes físicos
Radiações
O poder de penetração das radiações eletromagnéticas é inversamente
proporcional ao comprimento de onda

• As lesões são decorrentes de:


– Inalação ou ingestão de poeira ou alimentos (partículas radioativas)
– Exposição a radiações com fins terapêuticos ou diagnósticos
– Contato acidental
(Goiânia, 13/09/87, aparelho radioterapias furtado, cloreto de césio 137)
– Bombas nucleares
Agentes Físicos
Efeitos da Luz Solar
• Radiação infravermelho – Calor
eletromagnética, que pode ser produzida por qualquer tipo de corpo que apresente calor

• Radiação ultra-violeta – mais lesiva


UVA, UVB E UVC

Esses três tipos de UV podem provocar vários malefícios à pele de pessoas que se expõem ao sol,
devido ao trabalho ou só por lazer, entre os quais estão:
• formação de catarata e de câncer de pele,
• aparecimento de rugas,
• envelhecimento precoce da pele,
• reações fotoalérgicas,
• danos no DNA
UVC
quase que totalmente
absorvidos pela camada de
ozônio. Penetra muito pouco na
pele.

UVB
atingem até a epiderme, e pode
ser responsável pelas
queimaduras na pele, geradas
quando o tempo de exposição
ao sol é maior.

UVA
é a mais penetrante, consegue
atingir a derme, sendo
responsável pelo bronzeamento.
Lesões provocadas pela luz solar
• Agudas
– Hipertermia
– Queimaduras
• Crônicas
– UVB:
• ação melanogênica
• envelhecimento acelerado
• lesões proliferativas
• neoplasias
– UVA
• Degeneração dos queratinócitos e alterações no seu DNA
• Lesões proliferativas benignas o de magnitude variável
Agentes Físicos
Ação lesiva do som (ruídos)

• Perda progressiva da audição


(capacidade de distinguir sons e frequências mais
altas -agudos)
Agentes Biológicos
Produzem doenças infecciosas
• Mecanismos
– Efeito citopático
– Exotoxinas - substância química solúvel excretada por microorganismos
– Endotoxinas - toxina que é parte integrante da parede celular de algumas bactérias
– Reação inflamatória
– Resposta imunitária
– Antígenos
– Auto-agressão
Lesões Produzidas por Bactérias
Lesões
Produzidas por
Vírus
Principais
Respostas
Sistêmicas
Agentes Químicos
Substâncias tóxicas ou medicamentos
• Mecanismos
– Ação direta sobre a célula ou interstício
– Ação indireta, agindo como antígeno, induzindo resposta humoral ou celular
(lesões)
Desequilíbrios Nutricionais
• Deficiência protéico-calórica
• Deficiência de vitaminas
• Auto-infligidos (anorexia, bulimia)
• Excesso de nutricionais
Agentes Endógenos
• Reações imunológicas
• Estresse
• Fatores genéticos
Anormalidades Genéticas
• Defeito grosseiro: malformações congênitas
• Defeito sutil: defeito em um único aa da
hemoglobina, anemia falciforme

Distúrbios:
– Regulação homeostática
– Síntese, transporte e secreção de macromoléculas
– Catabolismo e renovação de proteínas específicas
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
• BRASILEIRO FILHO, G. Bogliolo - Patologia geral. 3. ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2004.

• KUMAR, V., FAUSTO, N., ABBAS, A. K. Robbins & Cotran – Patologia bases
patológicas das doenças. 7ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier. 2005.

• RUBIN, EMANUEL; et.al. Patologia: bases clinicopatológicas da medicina. 4ª


ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006
Viva cada dia como se fosse
o seu último...
... um dia você estará certo!!

Você também pode gostar