Você está na página 1de 49

Engenharia Mecânica

Sistemas Fluidomecânicos
8º período
Prof. Esp. Rullyan Marques Vieira
Rullyan.vieira@unis.edu.br

Prof. Rullyan Marques Vieira 1


Engenharia Mecânica

Introdução às Máquinas de Fluxo

8º período
Prof. Esp. Rullyan Marques Vieira

Prof. Rullyan Marques Vieira 2


Introdução de Máquinas de Fluxo

1. Máquinas de Fluxo

• As máquinas de fluxo são utilizadas para adicionar ou


retirar energia de um fluido.
-Deslocamento dinâmico (turbomáquinas)
-Deslocamento positivo (volumétricas).

• Nas dinâmicas o aumento da pressão do fluido é contínua.

• Nas volumétricas o aumento da pressão se produz


reduzindo o volume do fluido confinado hermeticamente
na câmara de compressão.
Prof. Rullyan Marques Vieira 3
Introdução de Máquinas de Fluxo

1. Máquinas de Fluxo

• As máquinas volumétricas podem ser alternativas com


descarga intermitente do fluido, ou rotativas com descarga
continua do fluido.

• As máquinas dinâmicas podem ser classificadas segundo a


trajetória percorrida pelo fluido ao passar pelo rotor como
radial, axial ou mista. Na Fig.1.1 apresenta-se uma
classificação de máquinas de fluxo.

Prof. Rullyan Marques Vieira 4


Introdução de Máquinas de Fluxo

1. Máquinas de Fluxo

Prof. Rullyan Marques Vieira 5


Introdução de Máquinas de Fluxo

1. Máquinas de Fluxo

• Nas turbomáquinas o escoamento é através de lâminas,


aletas ou pás solidárias ao rotor.
-Em uma turbomáquina o fluido nunca permanece
confinado no interior da máquina, esta sempre circulando.
-As turbomáquinas podem ser máquinas motrizes (ex:
turbinas) ou geratrizes (ex: bombas)
• Em uma máquina volumétrica o fluido permanece
periodicamente confinado no interior da máquina.

Prof. Rullyan Marques Vieira 6


Introdução de Máquinas de Fluxo

1. Máquinas de Fluxo

• As turbomáquinas apresentam os seguintes componentes


básicos.
- Boca de entrada (Bombas: boca de aspiração ou de
sucção)
- Rotor Impulsor ou Impelidor
- Fileira de pás, lâminas, álabes solidárias ao rotor.
- Corpo, voluta ou coletor em caracol
- Boca de saída (Bombas: boca de recalque ou de descarga)
Prof. Rullyan Marques Vieira 7
Introdução de Máquinas de Fluxo
1. Máquinas de Fluxo

Prof. Rullyan Marques Vieira 8


Introdução de Máquinas de Fluxo
1. Máquinas de Fluxo

Prof. Rullyan Marques Vieira 9


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.1 Máquinas Motrizes
• Transformam a energia recebida por um fluido em
energia mecânica para um aproveitamento posterior, como
por exemplo, na geração de energia elétrica.

Prof. Rullyan Marques Vieira 10


Introdução de Máquinas de Fluxo

1.2 Máquinas Geratrizes ou Operatrizes


• Recebem trabalho mecânico, fornecido por uma máquina
motriz (motor elétrico, diesel) e o transformam em energia
de pressão.

Prof. Rullyan Marques Vieira 11


Introdução de Máquinas de Fluxo

1.2 Máquinas Geratrizes ou Operatrizes

Prof. Rullyan Marques Vieira 12


Introdução de Máquinas de Fluxo

1.3 Ventiladores e Compressores


• Os ventiladores e compressores são máquinas muito
semelhantes já que trabalham com gases, porem os
ventiladores são utilizados para movimentar gases
enquanto que os compressores são utilizados para
aumentar a pressão dos gases.
- Os ventiladores são utilizados para ventilação residencial
e industrial, sistemas de exaustão e insuflação de ar e
sistemas de climatização.
- Os compressores são utilizados para aplicações como
pulverização líquidos e trabalhos mecânicos.
Prof. Rullyan Marques Vieira 13
Introdução de Máquinas de Fluxo
1.3 Ventiladores e Compressores
• Entre as máquinas dinâmicas podem ter rotores
centrífugos, axiais ou mistos.

Prof. Rullyan Marques Vieira 14


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.3 Ventiladores e Compressores
• Os compressores volumétricos podem ser de êmbolo
onde o movimento linear do pistão é produzido por um
sistema biela-manivela. Também os compressores podem
ser rotativos como os de palhetas, lóbulos e de parafuso.

Compressor de Simples Efeito ou


Compressor Tipo Tronco

Compressor Parafuso
Prof. Rullyan Marques Vieira 15
Introdução de Máquinas de Fluxo

1.4 Turbinas
• As turbinas são máquinas que extraem energia de uma
corrente de fluido. O conjunto de lâminas integrantes do
eixo da turbina é chamado de roda ou rotor. São utilizadas
para acionar sistemas mecânicos ou para acionar geradores
de energia elétrica. Segundo o fluido de trabalho podem ser
turbinas hidráulicas (água), turbinas eólicas (ar) ou turbinas
a vapor e a gás.

Prof. Rullyan Marques Vieira 16


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.4 Turbinas
• Na Fig. 1.3. mostra-se turbinas eólicas de eixo vertical e
de eixo horizontal. O escoamento pode ser compressível
como no caso das turbinas a vapor e gás ou incompressível
como no caso das turbinas eólicas e turbinas hidráulicas.
Podem ter rotores axiais, centrífugos ou helicocentrífugos.

Prof. Rullyan Marques Vieira 17


Introdução de Máquinas de Fluxo

1.4.1 Turbinas de Impulsão (Turbinas Pelton, Turbinas


Turgo)
• Transformam toda a energia disponível do escoamento
em energia cinética à pressão atmosférica por meio de um
bocal.

Prof. Rullyan Marques Vieira 18


Introdução de Máquinas de Fluxo

1.4.1 Turbinas de Impulsão (Turbinas Pelton, Turbinas


Turgo)
• São acionadas por um o mais jatos livres de alta
velocidade.
• A velocidade e a pressão se mantém praticamente constante
quando atravessam as pás do rotor.
• A expansão do fluido de alta para baixa pressão ocorre em
bocais externos ao rotor da turbina.
• O rotor trabalha parcialmente submerso no fluido.
• O rotor é formado por pás com forma de concha. As
turbinas Pelton podem ter um ou vários jatos.
Prof. Rullyan Marques Vieira 19
Introdução de Máquinas de Fluxo
1.4.2 Turbinas de Reação (Francis, Kaplan,)
• Nas turbinas de reação parte da expansão do fluido ocorre
externamente e parte na superfície das pás.
• A aceleração externa é imposta e o fluido é conduzido para
o rotor na direção adequada através de um conjunto de pás
estacionárias chamadas aletas guias do distribuidor.

Prof. Rullyan Marques Vieira 20


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.4.2 Turbinas de Reação (Francis, Kaplan,)
• A combinação do conjunto de pás fixas do distribuidor e das
móveis do rotor é chamado de um estágio da turbina.
• Os rotores trabalham totalmente submersos no fluido
produzindo maior potência para um dado volume do que
as turbinas de impulsão.

Prof. Rullyan Marques Vieira 21


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.4.2 Turbinas de Reação (Francis, Kaplan,)
• As turbinas hidráulicas axiais ou de hélice são apropriadas
para baixas quedas (da ordem de 30m) e grandes
descargas. O receptor tem forma de hélice de propulsão
com pás perfiladas aerodinamicamente.

Prof. Rullyan Marques Vieira 22


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.4.2 Turbinas de Reação (Francis, Kaplan,)
• As turbinas Kaplan (Fig.1.5) são semelhantes às turbinas
de hélice que apresentam a possibilidade de variar o passo
das pás de acordo com a descarga, permitindo maiores
rendimentos.

Prof. Rullyan Marques Vieira 23


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.4.2 Turbinas de Reação (Francis, Kaplan,)
• Nas turbinas Francis (Fig. 1.6) o receptor fica
internamente ao distribuidor. Seu rotor é tipo radial.
Possuem um difusor ou tubo de aspiração.

Prof. Rullyan Marques Vieira 24


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.4.2 Turbinas de Reação (Francis, Kaplan,)
• As turbinas Francis possuem um distribuidor constituído
por um conjunto de pás móveis em volta do receptor,
orientadas por sistema de controle permitindo mudar o
ângulo para diferentes descargas para minimizar as
perdas. Podem trabalhar com alturas de 5m a 500m.

Prof. Rullyan Marques Vieira 25


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.4.3 Turbinas Segundo a Direção do Escoamento
• As turbinas podem ser também classificadas segundo a
direção do escoamento através do rotor:

- Turbinas radial (Centrífugas)


- Turbinas axiais (Hélice, Kaplan, Straflo, tubular, bulbo),
- Turbinas tangenciais (Pelton, Michell, Banki)
- Turbinas com escoamento misto ou diagonal (Francis,
Deriaz).

Prof. Rullyan Marques Vieira 26


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.4.4 Turbinas a Vapor e Turbinas a Gás
• As turbinas a vapor aproveitam a energia do vapor
saturado ou sobre aquecido a altas pressões.
• O escoamento é compressível e desta forma a massa
especifica do fluido de trabalho varia significativamente.
• A maioria é do tipo de fluxo axial. São empregadas nas
termoeléctricas para acionamento de geradores elétricos.

Prof. Rullyan Marques Vieira 27


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.4.4 Turbinas a Vapor e Turbinas a Gás
• As turbinas a gás são tecnologias mais recente das
máquinas a vapor.
• Operam com gases a alta pressão produzidos numa
câmara de combustão, a qual por sua vez é alimentada com
ar comprimido.

Prof. Rullyan Marques Vieira 28


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.4.4 Turbinas a Vapor e Turbinas a Gás
• São de tamanho reduzido comparado com a potência
gerada.
• Utilizadas na indústria aeronáutica, em motores marinhos e
trens de alta velocidade.
• Apresentam alto torque e são silenciosas.

Prof. Rullyan Marques Vieira 29


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.5 Bombas Hidráulicas
• Bombas são máquinas utilizadas para transporte de
líquidos. São máquinas de fluxo semelhantes aos
ventiladores.
• A designação corrente no meio profissional discrimina
bombas de ventiladores de acordo com o fluido de
trabalho.

Prof. Rullyan Marques Vieira 30


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.5 Bombas Hidráulicas

Prof. Rullyan Marques Vieira 31


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.6 Bombas Volumétricas
1.6.1 Bombas de Deslocamento Positivo
• Estas bombas são empregadas para trabalhar com altas
pressões.
• Podem trabalhar com líquidos com viscosos alta e com
sólidos em suspensão. Conseguem atingir pressões muito
elevadas entre 3500 mca.
• Podem transportar fluidos tais como graxas, óleos vegetais
e minerais, melaço, tintas e vernizes, argamassas e outros.

Prof. Rullyan Marques Vieira 32


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.6.2 Bombas Rotativas
(a) Bomba de Engrenagem
• A Fig. 1.8 mostra o funcionamento típico de uma bomba
de engrenagem. As rodas dentadas trabalham no interior da
carcaça com mínima folga. O fluido confinado é deslocado
pelos dentes e forçado a sair pela tubulação de descarga.

33
Prof. Rullyan Marques Vieira
Introdução de Máquinas de Fluxo
1.6.2 Bombas Rotativas
( b ) Bombas de Lóbulos
• As bombas de lóbulos (Fig.1.9) são mais apropriadas
para mover e comprimir gases, sendo utilizadas para
movimentar líquidos viscosos. Existe um lóbulo motor e
outro livre montados ortogonalmente. A bolsa de líquido
aprisionada na sucção é conduzida até o recalque.

Prof. Rullyan Marques Vieira 34


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.6.2 Bombas Rotativas
( c ) Bombas de Palhetas
• As bombas de palhetas (Fig.1.10) deslizantes tem
palhetas radiais (4 a 8) que pela ação centrífuga deslocam
se em direção a carcaça, sobre a qual deslizam. O rotor é
montado excentricamente e sua velocidade é limitada a 300
rpm. para mover gases sendo utilizada também para
bombeamento de líquidos.

Prof. Rullyan Marques Vieira 35


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7 Turbobombas
• Nestas máquinas o fluido é aspirado pela boca de entrada
até atingir o rotor denominado impulsor ou impelidor. O
rotor conta com uma fileira de pás, lâminas, álabes, sendo
envolvido por um corpo denominado voluta ou coletor em
caracol. A voluta transforma a energia cinética
adquirida pelo fluido ao passar pelo rotor em energia
de pressão. O fluido abandona a bomba pela boca de saída
denominada boca de recalque ou de descarga.

Prof. Rullyan Marques Vieira 36


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7 Turbobombas
• Segundo o tipo de rotor podem ser radiais (bombas
centrífugas) axiais (bombas axiais) ou mistas (bombas
hélico-centrífugas). O rotor pode ser de simples aspiração
ou de aspiração dupla o qual permite aumentar a vazão
fornecida. Para aumentar a pressão as turbobombas podem
ter vários estágios.

Aspiração dupla Vários estágios


Prof. Rullyan Marques Vieira 37
Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7 Turbobombas

• Os rotores podem ser fechados, abertos e semi-abertos.


• Podem transportar fluidos limpos ou com partículas em
suspensão.

Rotor Fechado Rotor Semi-aberto Rotor Aberto

Prof. Rullyan Marques Vieira 38


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7.1 Bombas Centrífugas
• Os rotores fechados têm paredes laterais minimizando o
vazamento entre a aspiração e descarga. São utilizados para
bombeamento de líquidos limpos.

• O rotor semi-aberto é fechado só na parte traseira


• Os rotores abertos não apresentam paredes laterais.
- Ambos são utilizados para bombear líquidos viscosos ou
contendo sólidos em suspensão.

Prof. Rullyan Marques Vieira 39


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7 Turbobombas

40
Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7 Turbobombas

Prof. Rullyan Marques Vieira 41


Introdução de Máquinas de Fluxo

1.7.1 Bombas Centrífugas (Radiais)


• As bombas centrífugas são amplamente utilizadas na
indústria de processos químicos. Apresentam capacidade
de 0,5 m³/h até 20.000 m³/h. Caracterizam-se por ausência
de pulsação em serviço contínuo.

Prof. Rullyan Marques Vieira 42


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7.1 Bombas Centrífugas
• Podem trabalhar com água limpa, água do mar,
condensados, óleos com pressões até de 160 mca e
temperatura de até 140ºC.

• Na indústria química e petroquímica: podem ser utilizadas


para trabalhar com água até 300ºC e pressões de até 250
mca.

• Bombas de processo podem operar com temperaturas de


até 400ºC e pressões de até 450 mca

43
Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7.1 Bombas Centrífugas
• O material da carcaça depende do tipo de serviço. Para
líquidos com temperatura de até 250ºC utiliza-se ferro
fundido.
• Para óleos soluções e produtos químicos com temperaturas
de trabalha de até 450ºC utiliza-se aço fundido.

Rotor Ferro fundido 44


Rotor Aço fundido
Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7.1 Bombas Centrífugas
• Produtos químicos corrosivos requerem emprego de
bronze, inox e em casos especiais materiais plásticos.

Rotor Bronze Rotor Inox Rotor Plástico

45
Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7.1 Bombas Centrífugas
O eixo da bomba centrífuga é fabricado de aço ou liga de
alta resistência mecânica. Utiliza-se aço SAE 1035, SAE
4414, e SAE 2340, e ligas contendo 11 a 13 % de cromo.

Eixo Bomba Centrífuga


Prof. Rullyan Marques Vieira 46
Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7.2 Bombas Axiais
• Os rotores axiais são utilizados para trabalhar com
grandes vazões e pequenas alturas manométricas.
Tipicamente 500 m³/h ou mais e alturas manométricas
inferiores a 15 mca. Operam com velocidade maiores que
os radiais.

Prof. Rullyan Marques Vieira 47


Introdução de Máquinas de Fluxo
1.7.2 Bombas Axiais
• Nos rotores de escoamento misto ou tipo turbina as pás tem
curvatura dupla, (forma helicoidal) desta forma o
escoamento é parcialmente axial e parcialmente radial.
Operam com velocidades menores que os axiais. Trabalham
tipicamente com capacidade acima de 20m³/h e altura
manométrica até 30 mca.

Radial Misto Axial


Bomba com rotor misto 48
Prof. Rullyan Marques Vieira
Obrigado!!

Prof. Rullyan Marques Vieira 49