Você está na página 1de 39

Virtualização II

Sumário

Sobre o Livro ............................................................................................................................... 3


O que é este livro ................................................................................................................... 3
Porque ler este livro ............................................................................................................... 3
Sobre a forma de escrita ....................................................................................................... 3
Como usar este livro .............................................................................................................. 4
Explicação Geral................................................................................................................. 4
Fique ligado ......................................................................................................................... 4
Virtualização II............................................................................................................................. 5
Conceitos iniciais .................................................................................................................... 5
O que é virtualização ............................................................................................................. 5
Técnicas de virtualização ...................................................................................................... 8
Virtualização total ............................................................................................................... 8
Paravirtualização ................................................................................................................ 8
Recompilação dinâmica .................................................................................................... 9
Process Virtual Machine ................................................................................................ 9
Operating System Virtual Machine (Máquina Virtual de Sistema Operacional) ... 9
Hypervisors (softwares de virtualização) .......................................................................... 10
Hypervisor 1 ...................................................................................................................... 10
Hypervisor 2 ...................................................................................................................... 11
VMWare ESXi ........................................................................................................................... 11
Instalando o VMWare ESXi ................................................................................................ 12
Criando uma máquina virtual .......................................................................................... 19
Citrix Xenserver (Xen) ............................................................................................................. 23
Instalando o Xenserver ........................................................................................................ 23
Criando uma máquina virtual .............................................................................................. 35
Sobre o Livro

O que é este livro


Este livro faz parte de uma coletânea de estudo da Informática com ênfase em
aplicações Administrativas. O livro é apresentado como um guia prático, por
isto é importante estudar junto com o computador, aí seu treinamento estará
completo, além de haver uma maior identificação e familiarização com a
máquina e o software.

Nada impede de que você leia este manual sem o computador, mas é evidente
que para completar cada capítulo e atingir um melhor desempenho do estudo
você precisará da máquina.

Porque ler este livro


A proposta deste livro é especializar o leitor na informática aplicada à gestão
administrativa, ampliar o conceito e as possibilidades de uso dos softwares
para situações pessoais e profissionais. Este material é resultado de anos de
experiência em capacitação de pessoas, por isto ao ler o conteúdo você
receberá informações sobre as principais ferramentas aplicadas em automação
de escritórios, e ainda sobre técnicas de rotinas administrativas.

Você deve ler este livro porque ele é direcionado aquelas pessoas que, como
você, utilizam a informática para desenvolver suas atividades profissionais, ou
até mesmo para provas de concursos e entrevistas. Inicie a leitura e prepare-se
para imergir no mundo da informática.

Sobre a forma de escrita


A linguagem do material tem o foco no aprendizado, por isto utiliza de recursos
didáticos e de fácil compreensão, você não encontrará uma escrita técnica.
Durante o conteúdo você irá perceber que não são abordadas todas as
ferramentas de cada programa, mas apenas as que são relevantes para
alcançar o objetivo de estudo.

Como usar este livro


Durante a leitura do livro você encontrará ícones para cada parte de conteúdo,
como explicações, curiosidades e exercícios relacionados aos assuntos de
cada capítulo.

Conheça os ícones de identificação a seguir.

Explicação Geral

Geralmente o conteúdo em cada capítulo é introduzido e desenvolvido


nas explicações gerais, onde o fundamento teórico do assunto é abordado.
Alguns destes trechos podem falar sobre a histórias, contexto ou possíveis
aplicações da ferramenta, mas todo conteúdo de explicação geral é destinado
a ampliar o conceito do tema abordado.

Fique ligado

O Fique ligado é o espaço em cada capítulo destinado às dicas sobre o


assunto, curiosidades ou facilidades e atalhos sobre a ferramenta em estudo. O
estudante que absorver este conteúdo certamente conhecerá diferenciais que o
tornarão um profissional à frente dos demais.

Sobre a utilização de marcas


No decorrer deste livro diversas marcas registradas foram mencionadas e seus
símbolos utilizados, o autor e a CD6 Centro de Desenvolvimento declaram não
ter interesse sobre os direitos de exploração e apenas fazer o uso das mesmas
apenas para fins editoriais, e o benefício é destinado ao dono da marca
registrada, sem intenções de infringir as leis e regras de utilização.
Virtualização II

Conceitos iniciais

Explicação Geral.

Durante este capítulo você aprenderá o que é virtualização e porque


utiliza-la.

Nesta unidade de estudo é abordado a utilização das soluções VMWare


ESXi e XenServer como on bare metal hypervisors.

O que é virtualização

Explicação

Virtualização é uma técnica que um sistema operacional inteiro rode


dentro de outro sistema operacional, simulando uma plataforma de hardware,
dispositivos de rede e armazenamento. É o mesmo que abrir o Linux dentro do
Windows, o Mac OS no Linux, ou mesmo o Windows dentro do Linux.
Em grandes corporações é utilizado para que um grande servidor possa
ser “quebrado” em pequenos servidores com a finalidade de melhor utilização de
recursos computacionais.

Os motivos para a evolução da virtualização são listados como:

 Datacenters atingiram a capacidade máxima;

 Servidores subutilizados;

 Gerenciamento e Segurança complexa dos servidores;

 Problemas de compatibilidade de aplicações.

Fique Ligado!

A virtualização foi desenvolvida pela IBM na década de 60 e usada em


Mainframes para o compartilhamento de equipamentos grandes e caros em
partes menores.
Devido aos problemas acima, foi entendido que a virtualização auxilia na
execução de vários sistemas operacionais utilizando o mesmo hardware.
Reduzindo a necessidade de ampliação dos datacenters para atendimento de
novas aplicações, podendo utilizar o mesmo hardware que anteriormente era
subutilizado.

Nas pequenas e médias empresas, a mudança ficou mais visível a partir


dos anos 2000, onde ocorria uma compra maior de servidores dedicados para
implantar as aplicações, gerando um grande custo em hardware, consumo de
energia e espaço físico. Durante esse período foi verificado que com a
virtualização haveria uma melhoria considerável na utilização do hardware que
normalmente utilizavam de 5% a 15% de todo o seu poder computacional,
podendo ser dividido em mais partes para melhorar a utilização desses recursos
e reduzir os níveis de manutenção.

Fique Ligado!

A virtualização é mais comuns em relação a servidores, porém também existe


iniciativas de virtualização de desktops, para que várias pessoas utilizem o
mesmo hardware físico, reduzindo o valor da compra de desktops.
Técnicas de virtualização
A virtualização pode ser dividida entre total e parcial (paravirtualização),
tendo alguns níveis parciais.

Virtualização total

Explicação

Na virtualização total, qualquer software pode ser executado sem


nenhuma alteração adicional, simulando completamente o hardware para cada
um dos “servidores” liberando uma parte do hardware físico para o servidor
virtualizado que identifica aquele pedaço como seu hardware.

Para que seja feita uma virtualização completa, se faz necessário a


utilização de um hardware com características específicas para intermediar a
execução de instruções privilegiadas, como por exemplo, acesso a disco.

Paravirtualização

Explicação

A técnica apresenta uma API (Application Programming Interface) para


máquinas virtuais. Essa API é responsável por simular e tratar as ações do
sistema operacional, não sendo necessário a aquisição de um tipo de hardware
específico para virtualizar um sistema.

Para o pleno funcionamento da paravirtualização existe a necessidade de


algumas modificações no sistema, reduzindo a capacidade de portabilidade.
Nesse caso é criado o hypervisor, que recebe e gerencia as chamadas do
sistema (system call).
Recompilação dinâmica

Explicação

É conhecida pela tradução dinâmica das instruções de um formato para


outro durante a execução dos programas.

Process Virtual Machine

Explicação

Nesse método a máquina virtual funciona como se fosse uma aplicação


qualquer no servidor. Um exemplo clássico é a JVM (Java virtual machine), que
recebe as instruções em sua máquina virtual e traduz para a execução no
hardware.

O virtual machine monitor é uma camada de software que se mantem


ligado ao hardware durante todo o tempo em que o computador permanece
ligado. Ao final do processo, o ambiente virtual deixa de existir.

Operating System Virtual Machine (Máquina Virtual de Sistema


Operacional)

Explicação

Nesse método, o servidor recebe apenas um sistema operacional porém


há a criação de vários ambientes virtuais nesse mesmo servidor. Cada um
desses ambientes possui um acesso específico a determinados recursos, como
espaço em disco, quotas de processamento, recursos de rede, mas
compartilham o mesmo núcleo (Kernel). Cada um dos ambientes não sabe da
existência dos outros no mesmo ambiente.

Um grande exemplo disso são hospedagens de sites, onde o ambiente é


disponibilizado para cada cliente como se fosse único, apesar de ser dividido
entre vários clientes no mesmo hardware.
Hypervisors (softwares de virtualização)

Explicação

O hypervisor (Monitor de máquina virtual – VMM) é uma camada de


software entre o hardware e o sistema operacional, permitindo a execução de
múltiplos sistemas operacionais em um mesmo hardware. Se trata de um
simulador de hardware para que cada sistema operacional identifique o
hypervisor como se fosse o hardware em que aquele sistema está instalado.

Existem 2 tipos de hypervisor.

Hypervisor 1
O tipo 1, é o hypervisor instalado diretamente sobre o hardware, possui o termo
“on bare metal” (direto no metal), tendo como exemplos o VMware ESX Server,
Citrix Xenserver e Microsoft Hyper-V.
Hypervisor 2
É um software executado sob ou depende de outro sistema operacional para
conseguir executar a virtualização. Se apresentando como uma aplicação. Como
exemplo temos o Oracle Virtual Box e o Microsoft Virtual PC.

VMWare ESXi

Explicação

Com o modelo de hypervisor 1, o VMWare é a solução Enterprise


(corporativa) mais utilizada do mundo. Conforme informado anteriormente, a
solução é instalada diretamente no servidor e então disponibilizado para que seja
possível a criação de máquinas virtuais e distribuição de recursos para melhor
aproveitamento do hardware.

Existe a versão gratuita, para utilizar em apenas um servidor (com no


máximo 32G de memória RAM) podendo virtualizar outros dentro do mesmo,
existem também as versões pagas do produto conforme tabela.
Nas versões pagas, é possível configurar alta disponibilidade de
servidores e migração sem downtime (tempo de indisponibilidade do servidor).

Como ferramenta de gerenciamento, o VMWare ESXi utiliza o VMWare


VSphere, o qual provê visualização dos servidores, configuração remota e
console (acesso a tela do servidor virtual).

Instalando o VMWare ESXi


Para download do VMWare, deve-se acessar o site do VMWare
(https://my.vmware.com/web/vmware/downloads) e buscar pelo VMWare
VSphere, e clicar em Download, e buscar a imagem (para instalação do
hypervisor on bare metal).
Após baixar a imagem, deve-se gravar um CD/DVD e inicializar o servidor
utilizando o CD/DVD como boot.

Após selecionar o instalador, será feito um boot através dos dados do


CD/DVD para que seja possível instalar o produto.
Para a instalação, deve-se solicitar uma chave ou então utilizar o período
de testes de 60 dias. Para utilização do produto, deve-se concordar com os
termos de uso.

Após aceitar os termos da licença, será necessário escolher o disco a ser


instalado.
Escolher o teclado

E então adicionar uma senha de root (lembrando que se trata de um


hypervisor Linux).

Após a verificação de hardware (nem todos são compatíveis com o


processo de virtualização) é possível iniciar a instalação.
Após a instalação, é feito um reboot e o servidor pode ser iniciado pelo
sistema instalado apresentando os dados do computador e um acesso remoto
para gerenciamento.
Também é possível gerenciar o servidor através de menus visíveis
diretamente no servidor. Para efetuar alterações nas configurações deve-se
apertar F2.

Será solicitada a autenticação do usuário root (criado na instalação).

Nessas configurações, é possível alterar o endereço de rede, e o nome do


servidor para facilitar o gerenciamento remoto.
Criando uma máquina virtual

Explicação

Após a instalação, é possível criar e instalar uma máquina virtual, para


isso, deve-se acessar o VSphere, e utilizar o Wizard para criação da máquina.

Criar um nome para facilitar a identificação.


Escolher o disco (caso tenha mais de 1 disco no servidor em que o
VMWare ESXi foi instalado).

Escolher o tipo de Sistema operacional que será instalado na máquina


virtual.
Criar um disco para a máquina virtual.

Dessa forma, a máquina virtual estará disponível e pronta para ser


instalada. Sendo necessário passar pelos passos de instalação de sistemas
operacionais (Windows, Linux, Mac OS)
Após a criação, é possível visualizar os detalhes no próprio VSphere.
Citrix Xenserver (Xen)

Explicação

Xenserver é um hypervisor 1 (on bare metal), baseado no sistema Linux.


Ele é um sistema Open Source (código aberto). Também possui as vantagens
de live migration (Migração de servidores virtuais sem downtime), e alta
disponibilidade, tendo como interface de gerenciamento o Xencenter.

Não possui as limitações do VMWare ESXi (standard), tendo licenças


empresariais para suporte dos servidores.

Instalando o Xenserver
Deve-se baixar a imagem do CD/DVD do Xenserver
(http://xenserver.org/open-source-virtualization-download.html) e então gravar
em uma mídia.
Após o download e gravação da mídia, iniciar o servidor com o CD/DVD
para que seja possível iniciar a instalação do Xenserver
Após inicializar o instalador, deve-se escolher o tipo de telado utilizado
pelo servidor
Após escolher o teclado, é possível incluir drivers proprietários
diretamente na instalação, para otimizar o produto.

Como produto, é necessário verificar e aceitar os termos de uso


Caso tenha a necessidade de utilizar RAID, pode ser escolhido na próxima
tela de instalação

Escolher a origem do instalador (no caso será o CD/DVD já gravado)


Caso tenha pacotes adicionais, serão adicionados nessa etapa

Pode-se verificar se a mídia possui algum defeito.


Após a etapa de verificação, serão solicitados alguns dados adicionais do
sistema (Sendo um sistema Linux, é solicitado a senha de root).

Sua próxima etapa é a configuração de rede.


Informar o fuso horário em que o servidor se encontra.
E caso tenha acesso a internet, ou exista um servidor NTP na rede o
serviço pode ser habilitado para que o Xenserver possa se manter sincronizado.

Após a finalização das escolhas, será possível iniciar a instalação. A partir daqui,
todas as informações do disco serão perdidas e as partições criadas pelo
instalador.
Após a instalação, será necessário reiniciar e então iniciar o servidor pelo
sistema recém instalado.

Assim como o VMWare, assim que iniciar, será possível gerenciar o servidor.
Para gerenciamento remoto, é possível utilizar o Xencenter.
Criando uma máquina virtual
Para criar uma máquina virtual no XenCenter, deve-se clicar com o botão
direito no pool de máquinas e clicar em “New VM” (Nova máquina virtual).

Escolher o template (Sistema operacional)


Criar um nome que facilite a identificação

Identificar a imagem do disco, ou o drive de CD/DVD do servidor (em que o Xen


está instalado) para que seja possível iniciar a nova máquina virtual com o
instalador.
Escolher o servidor (com o XenServer) onde será criada a máquina virtual

Selecionar os recursos que estarão disponíveis para essa nova VM (Máquina


virtual)
Criar o disco para o novo servidor.

Caso queira configurar a rede da máquina virtual, efetuar no próximo passo

Então a VM estará disponível para que seja instalado o sistema


operacional e utilizado.