Você está na página 1de 20

A FILOSOFIA DE KANT

Leitura da tragédia de Voltaire L'Orphelin de la Chine, no salão de Madame Geoffrin


em 1755, pintura de Anicet Charles Gabriel Lemonnier (1812)

A FILOSOFIA DE KANT

IMMANUEL KANT (Königsberg, 1724-1804)


• Filósofo alemão, considerado um revolucionário na história da
Filosofia (AK –DK): ápice da Filosofia Moderna
• Dedicou-se ao projeto de investigar sistematicamente a
experiência humana em suasdiversas áreas (cognitiva, moral, estética,

• histórica, entre outras)


A FILOSOFIA DE KANT
Na Lógica, Kant caracteriza seu projeto filosófico como a articulado em
torno de 4 questões fundamentais:

1) O que posso saber ?(que se dirige ao conhecimento)


2) O que posso fazer ?(que diz respeito à moral)
3) O que posso esperar ?(que refere-se ao finalismo das coisas e infere a
possibilidade da religião)
____________________________________
O que é o homem ?

A FILOSOFIA DE KANT
Kant denomina seu projeto filosóficode PROJETO CRÍTICO

CRÍTICA: do grego KRINEIN (SEPARAR, AVALIAR)

Noção de CRÍTICA: avaliação , mas também o de TRAÇAR OS


LIMITES DEALGO

Desdobrado nas obras fundamentais de Kant – CRPura; CRPrática;


C.Faculdade de Julgar; Antropologia de um ponto de vista
pragmático)

O CONTEXTO

No início de século XIII, há duas grandes concepções sobre a origem


do conhecimento humano:
O RACIONALISMO (Descartes, Leibniz, Wolff)– conhecimento tem
origem nas ideias inatas, que estão antes de toda a experiência;
O EMPIRISMO (Locke, Bacon, Hume) – conhecimento tem origem
nos nossos sentidos.
A FILOSOFIA DE KANT
Inicialmente defendendo a posição racionalista, Kant
tem contato com a obra de David Hume e passa a se
perguntar:

- Na origem do conhecimento não podem estar tanto


razão como experiência?
O QUE PODEMOS CONHECER?
O que podemos conhecer?
• Ponto de partida:
• A investigação de nossa capacidade de conhecer (de fazer
afirmações verdadeiras ou falsas sobre o mundo)
• Composta por Três Faculdades (aptidões, capacidades):

• O Entendimento, que é a sede dos conceitos;

• A Sensibilidade, que é a capacidade de sermos afetados


pelos dados sensíveis (sede das intuições);

• A Razão, que é a sede das Ideias.


O que podemos conhecer?
•A partir da investigação destas Faculdades,
principalmente do Entendimento e da
Sensibilidade, Kant propõe a seguinte
resposta:
O que podemos conhecer são os
FENÔMENOS
O QUE SÃO FENÔMENOS?
•FENÔMENO É AQUILO QUE PODEMOS TER
ACESSO COMO ALGO QUE É CONSTITUÍDO
DE CONCEITO E INTUIÇÃO
•Conceito: representação geral e
mediata
•Intuição: representação particular e
imediata de algo
EXPERIÊNCIA

•Ok, mas Intuição (pelos sentidos)


e conceito (por abstração) não
tem suas origens na experiência
humana com as coisas?
EXPERIÊNCIA
•A virada kantiana vai ser mostrar
que existem formas puras, a priori,
antes de qualquer experiência, que
fazem parte do modo como
funciona nossa própria
subjetividade, que estão presentes
na Sensibilidade (Intuição) e no
Entendimento (conceitos)
EXPERIÊNCIA

•Ou seja, nosso modo de intuir e


conceitualizar algo é organizado
pelo nosso aparato cognitivo, pela
modo como funciona nossa
mente, segue regras.
EXPERIÊNCIA
•No caso da Intuição, as formas puras
são TEMPO E ESPAÇO
•(SIM...KANT DEFENDE QUE ESPAÇO
E TEMPO SÃO ESTRUTURAS
SUBJETIVAS NOSSAS)
•Seja o que for que percebamos, isso
sempre se dará em um tempo e um
espaço determinados.
EXPERIÊNCIA
•No caso do Entendimento, os conceitos puros
são as CATEGORIAS.
1. Quantidade: Unidade, Pluralidade e
Totalidade.
2. Qualidade: Realidade, Negação e
Limitação.
3. Relação: Substância, Causalidade e
Comunidade.
4. Modalidade: Possibilidade, Existência e
Necessidade.
Sendo assim:
Terceira Via

Fenômeno =
Intuição + conceito
(“Pura” + sensível) – (Pura + sensível)
Experiência
•Todo e qualquer fenômeno é algo
expresso por juízos (afirmações que são
falsas ou verdadeiras) – juízo expressa a
conexão trazida pelo fenômeno.
•Kant tenta captar a riqueza de elementos
presentes na experiência humana das
coisas.
Ex: O quadro é branco.
Mas...e as ideias???

As ideias são representações das


quais não podemos ter intuição
sensível
Ex: Liberdade, Mundo
Mas...e as ideias???

Neste sentido, pela investigação


kantiana as IDEIAS não são objetos
o conhecimento
Questão: A Metafísica tradicional