Você está na página 1de 14

ESCOLA SUPERIOR ABERTA DO BRASIL – ESAB

AS PRERROGATIVAS DAS TECONOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E


COMUNICAÇÃO NO CONTEXTO ESCOLAR

Wilsom Rodrigues Lopes1

RESUMO

Este estudo teve o objetivo de investigar os benefícios das tecnologias de informação e


comunicação (TICs) no ambiente escolar. Dentre os autores pesquisados para a constituição
conceitual deste trabalho, destacaram-se Moran & Almeida (2010), Libâneo (2007). Miége
(2009), Fagundes (2012) e Silva (2014). O procedimento metodológico que norteou este
estudo é de cunho bibliográfico, pois utilizou a literatura para o desenvolvimento literário
com dados encontrados das teses de autores que advieram por intermédio de leitura em livros
e com dados e fatos disponíveis na internet, entre outras para demonstrar e atingir os
resultados esperados. As conclusões mais relevantes evidenciaram que as Tecnologias de
informação e comunicação (TICs) quando são articuladas por meio de uma prática formativa,
onde levam em conta os saberes trazidos pelo educando, e que é associado aos conhecimentos
do contexto escolar, certamente que se tornam primordiais para a construção dos saberes. Sem
contar que, o uso das (TICs) favorecem o aprendizado e desenvolvimento intelectual, além do
que proporciona melhor domínio na área da comunicação, pois o fato de maior prerrogativa é
transformar o processo de ensino em uma vertente dinâmica e desafiadora, mas com o suporte
das tecnologias.

Palavras - chave: Benefícios. Tecnologias. Comunicação.

1 INTRODUÇÃO

O presente estudo delimita-se de acordo com o estágio atual das ciências tecnológicas,
onde vários fatores influenciam na aplicação desta linha de raciocínio ao ato educacional no
mundo dos fatos, devendo assim, fazer uma análise sobre a importância das tecnologias de
informação e comunicação (TICS) no contexto educacional atualmente, pois nota-se a
demanda de educandos que adentram ao ensino e aprendizado, já informatizados, o que torna
imprescindível para que se tenha uma educação continuada de excelência e atualizada, que o
profissional de educação e de demais áreas se qualifique quanto ao processo no que tange a
inserção das TICS ao ensino escolar.

1
Pós – graduando em Planejamento em Docência do Ensino Superior na Escola Superior Aberta do Brasil –
ESAB. E-mail: wilsonlopesadvogados@gmail.com
2

O objetivo geral é investigar os benefícios das tecnologias de informação e


comunicação (TICs) no ambiente escolar.
Esta pesquisa justifica-se e situa-se em um eixo singular, uma vez que envolve o
contexto da tecnologia como mediações, tanto nas relações de desenvolvimento científico,
como na educação empreendida em espaços acadêmicos, bem como em demais espaços de
produção e disseminação de saberes. Desta forma o trabalho apresentado busca uma relação à
prática da influência das tecnologias de informação e comunicação nas ciências educacionais,
sem contar às prerrogativas que são estabelecidas pelo uso adequado de metodologias que são
aplicadas no processo de ensino-aprendizagem por meio do contexto tecnológico.
Desta forma, e em uma análise deste cenário nacional, é importante destacar o que é
relevante para que tenha um forte impacto nos resultados deste trabalho de conclusão de
curso, a importância que este tema possui, assim, para exemplificar e promover a sua
credibilidade o processo metodológico que norteou o desenvolvimento foi uma pesquisa
bibliográfica. De acordo com Marconi & Lakatos (2010) a pesquisa exploratória bibliográfica
é uma maneira de se chegar à comprovação de um documento, ou seja, é um conjunto
filosófico e político de caminhos que definem o trabalho e o torna algo confiável, podendo ser
utilizado para diversas pesquisas ou continuação mais aprofundada sobre o mesmo, onde o
desenvolvimento ocorre por intermédio de leitura em livros e com dados e fatos disponíveis
na internet, entre outras para demonstrar e atingir os resultados esperados.
Destarte que na conclusão será apresentada as considerações do trabalho, bem como
apresentar às referências e os objetivos alcançados, além de apresentar o alcance de todas as
possibilidades de ter demonstrado o sucesso deste trabalho, assim como o alcance do tema e
principalmente as proporções que foram adquiridas intelectualmente.

2 REFERENCIAL TEÓRICO

Neste capítulo será tratado o referencial teórico, onde o contexto maior é direcionar a
pesquisa para investigar as prerrogativas das tecnologias de informação e comunicação no
contexto escolar, bem como evidenciar as práticas e métodos por meio da tecnologia que são
fundamentais para o ensino e aprendizado, sem contar pela necessidade do profissional de
educação e de demais áreas envolvidos, a inerência pela busca da atualização e pelo
desenvolvimento dinâmico e desafiador, de tornar a tecnologia como uma forte aliada, para
fazer com que o ensino se torne mais interessante, plausível e promova melhor domínio no
setor de comunicação.
3

Uma análise que pode ser relatada de início é o fato de saber utilizar a tecnologia
como uma ferramenta de auxílio humano, que engloba as áreas de relacionamento,
comunicação, educação e profissionalismo. Utilizar a tecnologia, pode se tornar cada vez mais
um amplificador de potencialidades na capacitação e aperfeiçoamento do aprendizado e nas
relações, assim, quem não consegue absorver essas prerrogativas a seu favor, poderá pensar
que está em acompanhamento com o mundo tecnológico, mas na verdade, estará tentando
transformar utopia em realidade.

2.1 As Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs)

Como já mencionado anteriormente as tecnologias de informação e comunicação


(TICs) tem se tornado uma grande ferramenta para a sociedade, bem como para a educação no
Brasil, as suas contribuições envolvem o contexto da sociedade em relação ampla, ou seja, a
tecnologia é fundamental para os dias atuais e vem formando uma sociedade cada vez mais
tecnológica, que até mesmo tem modificado aplicabilidade do ensino e aprendizagem
(SILVA, 2014).
Hodiernamente, todos os meios que envolvem os aspectos tecnológicos são nomeados
de Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), De acordo com Ponte (2000),
“representam uma força determinante do processo de mudança social, surgindo como trave
mestra de um novo tipo de sociedade, a sociedade de informação”, as características que
englobam o TICs estão relacionadas com a aceleração da inovação dos meios científicos e
tecnológicos, uma vez que promovem maior rapidez na coleta dos dados, bem como na
transmissão de informações em tempo máximo e real.
De acordo com Salgado (2008), todos os dados que são oriundos de referências
tecnológicas, como mensagens e fatos que são divulgados instantaneamente por intermédio da
rede de computadores e de comunicação, seguem uma linha de estrutura, onde as informações
não são lineares, em outras palavras esses dados que são obtidos, não seguem uma estrutura
fixa, ao contrário, essas estruturas são dinâmicas e em certos momentos, podem carregar pelo
mesmo tempo, inúmeras mensagens e demais conhecimentos que serão importantes para que
uma pessoa possa se informatizar e se comunicar, pois as informações que são recebidas
costumam ser vistas em tempo real, na mesma frequência em que os dados chegam até a
pessoa.
A disseminação das tecnologias de informação e comunicação tem se evoluído
grandiosamente na sociedade, a exemplo disso, é o simples fato de uma pessoa em outro
4

continente repassar informações que acontecem em tempo real para outra pessoa que está no
inverso. Isso demonstra o quanto está acessível obter informações mais claras e concisas nos
últimos tempos, pois a era da tecnológica tem proporcionado uma experiência evolutiva para
todas as áreas de relacionamento, sem contar para as áreas empresariais e até educacionais
(FAGUNDES, 2012).
De acordo com Mége (2009), pelo simples fato do uso da tecnologia, como
computadores ligados a rede de internet é possível obter informações, assim como
experiências e até opiniões ligadas a diversos fatores sociais, ambientais, culturais e
educacionais. Enfim, por meio da tecnologia, podem-se romper as fronteiras geográficas que
em muitos casos a pessoa que está em contato com a informação repassada, acaba por
entender a demanda
Segundo Lévy (2000, p.11) “estamos vivendo a abertura de um novo espaço de
comunicação, e cabe apenas a nós explorar as potencialidades mais positivas deste espaço
econômico, político e humano”
O termo que evidencia a informação está englobado aos fatos ou dados, que em muitas
vezes são fornecidos a uma máquina, dados esses que são oriundos de algum tipo de
processamento ou mesmo operação, a exemplo disso: o armazenamento, transmissão,
codificação, comparação e indexação. No sentido amplo, as técnicas, bem como os recursos
que são utilizados para a realização de alguma operação ou processamento envolvendo algum
tipo de informação, se relacionam diretamente com a tecnologia de informação (SALGADO,
2008).
Desta forma, entende-se que as tecnologias de informação e comunicação partem
sobre uma nova forma que se permite obter a organização da sociedade como um todo, tanto
administrativa, econômica, como educativa. As TICs promovem novas formas de
relacionamento entre a sociedade e a busca por novas possibilidades por meio da tecnologia.
Segundo Kenski (2007, p.22) “alteram as qualificações profissionais e a maneira como as
pessoas vivem cotidianamente, trabalham, informam-se e se comunicam com as outras
pessoas e com todo o mundo”.
Portanto as TICs são fundamentais para o atual contexto social, envolvendo desde o
relacionamento interpessoal, até a comunicação e informação, isso faz parte da era
tecnológica que permite a obtenção de uma variedade de informações que o tratamento digital
proporciona, a exemplo disso: a probabilidade de se ter uma figura, áudio (som) e demais
fatores que estão condicionados com a tecnologia da informação.
5

Certamente com toda agilidade que a tecnologia proporciona a comunicação, é fato


que o seu uso tem se tornado o meio mais utilizado e eficaz na transmissão de mensagens e
tem atraído diversas pessoas, com idades distintas para o novo contexto da era digital, o que
faz com que toda essa demanda acabe por chegar às gerações futuras, uma vez que as TICs
não estão somente no ambiente organizacional e sim no educativo, mais adeptos pelo uso da
tecnologia adentram ao ensino e aprendizagem sabendo de coisas que seriam aplicadas no
decorrer do ensino, o que requer a aplicabilidade de novos métodos de ensino que estão
ligados as TICs, pois a internet tem sido utilizada diariamente, então não seria ruim a sua
utilização para o aprendizado, independe da faixa etária, a informação é sempre bem vinda,
tanto profissionalmente como intelectualmente (SILVA, 2014).

2.2 Tecnologias da Informação Sociedade e suas Aplicações

A tecnologia, hodiernamente tem sido um combustível para a sociedade, ou melhor, a


sociedade vive, sob os auspícios e domínios da ciência tecnológica. Toda essa realidade
ocorre de modo rápido e marcante, o que consequentemente vem se tornando um fator
comumente sobre o comportamento da sociedade, além do que o seu uso, modificou a vida
contemporânea, ou seja, a lógica primordial do comportamento humano torna-se a lógica da
eficácia tecnológica, pois a suas razões se transformam em razões da ciência, pois as notícias
do dia-a-dia exacerbam as virtudes da ciência e da tecnologia, isso demonstra a sua eficácia
(RAMOS, 2013).
É possível relatar assim, que na atual sociedade capitalista, há uma relação entre a
sociedade e as tecnologias que se traduz em coerência e auxílio às relações humanas, bem
como nas políticas educacionais, nas relações humanas porque o seu uso faz parte do
cotidiano e consequentemente a sua aplicabilidade se torna inevitável, ou melhor, o seu uso,
faz com que as pessoas acabem a desenvolver novas técnicas que ajudaram a si próprio, por
meio de determinados procedimentos tecnológicos, por outro lado, as políticas educacionais,
uma vez que o uso da tecnologia como forma de aprendizagem contínua, tem sido um fator
atrativo para inúmeras instituições de ensino (PAVITT, 2010).
Desta forma, é possível avaliar de acordo com Moran & Almeida (2010) que as
avaliações a cerca da tecnologia e suas repercussões na sociedade, precisam ser seguramente
controladas, já que o processo tecnológico vem em uma velocidade incalculável e como
consequência quem não consegue acompanhar, acabará em ficar no esquecimento, prova
disso é que levando para o contexto empresarial, se uma organização não acompanha o
6

mercado tecnológico, é fato que perderá competitividade, o que ainda comprometerá suas
atividades, no contexto social, quem não se atualiza, acaba em ficar de fora da interação e
relacionamento cibernético, e por fim, a instituição de ensino que não obtém a tecnologia
como forma de promover seus métodos de ensino, acaba em ficar no arcaísmo, já que nos dias
atuais é bem mais prático assegurar alunos bem informados e com um nível intelectual acima
do que se via nos tempos remotos.
Dentro desta ótica é possível concluir que à tecnologia, veio para contribuir, com a
realidade, bem como aumentar e fornecer informações em tempo real, já que não há
complexidade para o seu uso e muitos menos incoerência das informações do que se quer
pesquisar, estudar e aprender, ou mesmo de como quer se relacionar obtiver uma
comunicação plausível, principalmente no contexto escolar, aonde a tecnologia vem
adentrando em uma evolução rápida e transformadora, o que será necessário a implantação de
métodos futuros que englobam o seu uso no desenvolver e aplicabilidade do ensino e
aprendizagem (SILVA, 2014).

2.3 A Tecnologia de Informação e as suas Prerrogativas para o Ensino Escolar

Em uma análise no que envolve a tecnologia e as suas prerrogativas para o ensino e


aprendizagem, parte de um senso comum, que geralmente, advém de um princípio que
envolve apenas o contexto da informática, ou seja, em muitas vezes se vê o uso da tecnologia
no ensino, como o uso de computadores, todavia, o campo tecnológico na educação é amplo,
sem contar no que se refere às relações humanas, enfim, em uma análise de início a tecnologia
veio não somente auxiliar e facilitar a vida das pessoas que a utiliza, a tecnologia veio agregar
sabedoria, intelectualidade, comunicação e relacionamento interpessoal, o que antes era
complexo, hodiernamente é simples, rápido e indubitavelmente prazeroso (SILVA, 2014).
Desta forma, é possível salientar que a tecnologia não é somente algo ligado ao mundo
dos computadores, bem como da informática, esse pensamento se torna restrito, pois a
tecnologia é tida como uma ferramenta de auxílio para a aprendizagem, já que os métodos do
atual século envolvem ideologias que não foram listadas e nem planejadas no século anterior,
quando ainda tudo era comumente simples e burocrático (GARDNER, 2007).
De acordo com Martinez (2006) a ciência tecnológica não é mais vista como um mero
conhecimento técnico, que o homem, detentor e criador da tecnologia semeou, todavia, é tido
como a capacidade e auxílio no que se refere as políticas educativas,bem como a arte de
7

estudar, projetar, além de produzir ou mesmo reutilizar técnicas, equipamentos e objetos


interligados a educação.
Martinez (2006) ainda relata que a tecnologia deve ser capaz de promover melhorias
para demais ações eu envolvem os objetivos de sua criação, como:

Criar, transformar e modificar materiais, recursos, insumos ou a natureza como um


todo, o entorno social e o próprio homem, em virtude do engendramento de novas
ações, aportes, suportes, especialmente se resultarem em modificações de todos os
envolvidos (base técnica e relações humanas) pelos novos usos e utilidades.
(MARTINEZ, 2006, p. 2).

Destarte, que é importante externar, que a tecnologia é um conhecimento que parte por
intermédio de mudanças que não envolvem apenas materiais e coisas, e sim, mudanças
benéficas, que incorporam toda a sociedade no âmbito de relacionamento, comunicação,
profissionalismo e indubitavelmente educacional, ambas as consequências que foram citadas,
possuem a mesma finalidade, que é de proporcionar um resultado melhor, para a vida dos
estudantes e da sociedade como um todo (FAGUNDES, 2012).

2.3.1 As Tecnologias Aplicadas à Educação

De acordo com Fagundes (2012) o uso da tecnologia no contexto escolar só tende a


fortalecer a sustentabilidade e agilidade nos processos que antes eram difíceis e contrários ao
andamento das informações precisas, pois a tecnologia proporciona um universo de
possibilidades para que um professor ensine com facilidade e o educando aprenda com
agilidade e eficazmente. Todavia, isso só acontece quando o uso dessa ferramenta ocorre
adequadamente, o que certamente se torna um grande auxílio no processo educacional
(SILVA, 2014).
Segundo Mége (2009) no contexto que se refere às escolas e educadores, a
preocupação pelo uso das TCIs, está em saber como deverá ocorrer a aplicação de todo o
potencial que engloba o sistema educacional.

2.4 A Tecnologia Educativa na Sala de Aula

É no contexto científico tecnológico que é possível avaliar o quanto as prerrogativas


da tecnologia educativa, promovem melhorias no processo educacional. O que antes era
comumente visto como o uso de métodos arcaicos como a impressão de papel, hodiernamente
8

utiliza-se algum tipo de tecnologia no momento das aulas, ou seja, o homem colhe nos dias
atuais o que semeou no passado, pois é possível notar as melhorias do uso de tecnologias no
processo de ensino e aprendizagem nas salas de aula, assim como em espaços acadêmicos e
em outros espaços de produção e disseminação de saberes, além do que se vê que a
comunicação está ligada com o relacionamento interpessoal não somente no meio
empresarial, mas educativo também (FAGUNDES, 2012).
Outra vertente que é possível relatar quanto ao uso da tecnologia em sala de aula, bem
como os métodos que serão incorporados evidenciando a era digital e a comunicação, visa à
tese de Belloni (2006) onde afirma que as novas tecnologias dos dias atuais, transmitem
informações em velocidades inimagináveis, ou seja, tão rápidas que os seus impactos para a
sociedade são maiores do que as práticas socioculturais, uma vez que ela acelera o processo
de construção de conhecimento, pelas facilidades nas informações e nos métodos que são
empregados como metodologia de ensino.
Para Miranda (2007), é preciso que toda a sociedade se adéque aos novos
procedimentos tecnológicos que permitem a agilidade das informações, assim como se
interagir com as tendências dos processos educativos que são possíveis no momento do uso da
tecnologia, desde os processos de construções de ensinos, até a constituição de novos
processos educativos que são voltados para a formação humana, assim como a produção de
conhecimento.
Segundo Mége (2009) a sociedade por sua vez, sendo fruto da sua cultura, tem nos
dias atuais, utilizado a tecnologia em todos os aspectos que envolvem os melhoramentos que
promoverão um mundo, onde, quanto mais fácil e rápido obtém informações, melhores serão
as percepções reais, que são necessárias para desenvolver de uma sociedade cada vez mais
sustentável.
De acordo com Coutinho (2007), a tecnologia educativa é uma vertente que
proporciona questões de gestão educacional, além do que o seu uso, estabelece o
desenvolvimento educacional, assim como os recursos de aprendizagem.
Coutinho (2007) ainda relata a tecnologia educativa:

Não como o simples uso de meios tecnológicos mais ou menos sofisticados, mas
como uma forma sistemática de conceber, gerir e avaliar o processo de ensino e
aprendizagem em função de metas e objetivos educacionais perfeitamente definidos.
(COUTINHO, 2007, p. 1).
9

A tecnologia educativa é fundamental para o desenvolvimento e sustentabilidade dos


aspectos que envolvem o ensino e aprendizagem no Brasil, uma vez que o uso da tecnologia
em sala de aula auxilia o professor a desenvolver novos métodos para aplicar o conteúdo, bem
como interagir com o educando, o que promoverá ainda uma comunicação mais prazerosa e
intelectual, já que atualmente o aluno já adentra no ensino com um sentido informatizado, ou
seja, nos dias atuais cresce os alunos informatizados o que torna o processo de ensino mais
rápido, pois as TICs estão modificando o processo de ensino, pois o que antes era
extremamente arcaico com a utilização de métodos repetitivos, não são mais base para
aplicação do ensino a geração futura (SILVA, 2014).

2.5 O Professor e o Educando Sobre um Processo Educacional por meio das TICs

Para que as TCIs estejam presentes no contexto escolar é necessária a junção de dois
atores, sendo o primeiro o professor que realizará os métodos de ensino e aprendizagem e o
aluo que será o interlocutor, ou seja, ambos deveram estar atuantes e desencadeados no
processo de ensino que é realizado por meio das TICs (MORAN & ALMEIDA, 2010).
É certo que ao se analisar o professor como um fator primordial no processo ensino
aprendizagem de um educando, onde esse professor procura utilizar as tecnologias para
investigar e buscar métodos evolutivos que poderão ser aplicados no ensino, por intermédio
da diversidade, bem como da inovação no ambiente escolar, esse profissional, sendo o
professor, tendo a função inerente de construir estratégias de que alcance o entendimento do
aluno, ou seja, o professor não será apenas uma pessoa que utiliza o mesmo patamar e
métodos arcaicos passados, ou mesmo um mero transmissor de informações, será sim, um
inovador que utilizou a tecnologia como ferramenta para implementar o entendimento e
intelectual dos seus interlocutores (SILVA, 2014).
Por isso é possível salientar que a realização de trabalhos voltados para a coletividade,
ou melhor, trabalhos em grupo são provedores de experiências entre professores que estão
ligados a era da tecnologia no contexto escolar, isso acaba sendo fundamental para que se
tenha o relacionamento e comunicação no ambiente de ensino e aprendizagem, onde os
métodos que auxiliam na aplicabilidade de uma determinada matéria têm sua ideologia da
tecnologia (MÉGE, 2009).
Desta feita é necessário externar que as tecnologias, bem como as metodologias
englobadas ao saber docente, transformam o entendimento e desenvolvimento do educando,
onde a visão arcaica acaba se modificando em uma nova prática pedagógica de diferentes
10

métodos de entendimento e com qualidade, assim o papel tradicional do professor, acaba


passando por modificações evolutivas no ensino e aprendizagem (MORAN & ALMEIDA,
2010).
È fato que quando se tem inovações e novos métodos de ensino e comunicação no
ambiente escolar, as prerrogativas se tornam de excelência, uma vez que os termos que antes
complicavam a vida do educando, se tornam prazerosos, ou seja, a prática docente tradicional,
voltada para o aprendizado, fica no passado, logo entram em ação as TICs que facilitam o
aprendizado do educando (MÉGE, 2009).
Outro fator benéfico pelo uso da tecnologia no contexto escolar, é que o seu uso torna-
se um importante aliado no quesito motivação, participação do educando e maior
comunicação entre os alunos e professores (FAGUNDES, 2012).
Segundo Ramos (2013), é por intermédio das TCIs que se tem uma aula flexível e
dinâmica, onde é respeitando as relações de aprendizagem, mas que tornam o educando um
ser mais ativo no que se refere o seu processo de ensino.

2.6 A Busca do Profissional de Educação em se Atualizar-se Quanto ao uso das


Tecnologias no Contexto Escolar

É fundamental para que se atualize e qualifique os processos educacionais que o


professor se capacita, bem como se atualizar em conhecer e discutir formas de utilizar as
tecnologias no âmbito educacional (SILVA, 2014).
Outro fator envolvendo as prerrogativas das TCIs é que elas contribuem de forma
significativa no contexto escolar, onde é necessário que o professor busque conhecer, assim
como avaliar o potencial de diversas mídias que estejam ao seu alcance, além de oportunizar o
seu uso para o conhecimento dos seus alunos, cujo intuito é envolvê-los e apoiá-los na
construção de um futuro melhor, baseado em conhecimentos que foram adquiridos, por
métodos que foram aplicados pelas TCIs e por meio dos professores que buscaram se
atualizar a essa nova era tecnológica (FAGUNDES, 2012).
Portanto é fundamental que o professor obtenha uma nova postura, onde busque
atualizar-se para que os seus métodos não se tronem arcaicos e acabe perdendo mercado de
trabalho, por não saber utilizar estratégias de ensino e aprendizagem que ganhe a atenção do
educando, bem como faça com que o ensino se trone prazeroso e que além do mais obtenha
maior comunicação no momento das aulas, tanto por parte do aluno, como do professor
(RAMOS, 2013).
11

Destarte que quando o profissional que está envolvido no ambiente escolar , assim
como o professor assumem uma postura inovadora que é propiciada pelas TCIs, seus alunos
serão os maiores beneficiados, pois além do mais o seu processo de formação da sua
identidade e profissional, estará sendo um diferencial no atual mercado que se encontra
competitivo e exigente. È por meio das TCIs que se desenvolverá a capacidade crítica do
educando, bem como de sua autoconfiança e de sua criatividade no mesmo instante em que a
didática é aplicada (SILVA, 2014).

CONCLUSÃO

O presente trabalho teve o objetivo de investigar os benefícios das tecnologias de


informação e comunicação (TICs) no ambiente escolar.
Dentro deste contexto, o trabalho se desenvolveu em seções e subseções que tiveram o
intuito de retratar as prerrogativas das tecnologias de informação e comunicação no contexto
escolar. Em virtude disso, apresentou a revisão literatura existente no mercado, onde procurou
autores nomeados para apresentar o capítulo que viria a ser um dos mais importantes da
pesquisa, a tese dos autores no que tange o tema, foi possível por intermédio de uma pesquisa
bibliográfica onde o desenvolvimento ocorreu visando à leitura em livros e com dados e fatos
disponíveis na internet, entre outras para demonstrar e atingir os resultados almejados no
decorrer do desenvolvimento.
Os resultados demonstraram que as prerrogativas das TCIs no âmbito escolar são
plausíveis, uma vez que notou-se que por meio da investigação foi possível evidenciar que as
tecnologias de informação e comunicação (TICs) quando são articuladas por intermédio de
uma prática formativa, onde levam em conta os saberes trazidos pelo aluno, e que é associado
aos conhecimentos do ambiente escolar tradicional, certamente que se tornam primordiais
para a construção dos saberes. Sem contar que, o uso das tecnologias de informação e
comunicação, acaba por favorecem o aprendizado e desenvolvimento intelectual do aluno,
além do que proporciona melhor domínio na área da comunicação, pois o fato de maior
benefício é transformar o processo de ensino em uma dinâmica e desafiadora, mas com o
suporte das tecnologias que propicia novos métodos e estratégias de ensino e aprendizagem.
Assim, viram-se as prerrogativas que as TCIs proporcionam para o aprendizado de um
educando, salientando que é necessário que o professor e os profissionais que estejam
envolvidos no ensino, se atualizem e busquem formas de incentivar, motivar e desenvolver o
intelectual dos alunos. Por isso a continuidade de novos estudos envolvendo os benefícios das
12

TCIs no contexto escolar é fundamental, uma vez que o intuito é fazer com que a tecnologia
avance da mesma forma com que se evolui em outras áreas, onde é utilizada como ferramenta
de melhoramento, motivador, incentivador, informativo, participativa, comunicativa e
transformadora de opiniões.
13

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

BELLONI, M. L. Educação à distância. 4. São Paulo. 2006.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. 7. Ed. São Paulo. 2003.

COUTINHO, C. P. Tecnologia educativa e currículo Revista Teias, v. 8, n. 15-16. 2007.

FAGUNDES, L. Tecnologia e educação: a diferença entre inovar e sofisticar as práticas


tradicionais. São Paulo. 2012.

GARDNER, H. Cinco mentes para o futuro. São Paulo. 2007.

KENSKI, V. M. Educação e tecnologias: O novo ritmo da informação. São Paulo. 2007.

LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio


de Janeiro. 2008.

_________. A Inteligência coletiva por uma antropologia do ciberespaço. 4. Ed. São


Paulo. 2000.

LIBÂNEO, J. C. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 5. Ed. São Paulo.


2007.

MARCONI, M; LAKATOS, E. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010.

MARTINEZ, J. H. Novas tecnologias e o desafio da educação. São Paulo. 2006.

MIÈGE, B. A sociedade tecida pela comunicação: técnicas da informação e comunicação


entre inovação e enraizamento social. São Paulo. 2009.

MIRANDA, G. L. Limites e possibilidades das tecnologias na educação. São Paulo. 2007.

MORAN, J. M.; ALMEIDA, M. E. B. Integração das Tecnologias na Educação: Salto para


o futuro. Secretaria de Educação a Distancia. Brasília: MEC. 2010.

PONTE, J. P. TCIs na educação e na formação de professores. Disponível em:


http://www.deb.min-edu.pt/revista/revista6/index- 6.html Acesso em: 10 de Dezembro de
2016.

PAVITT, K. Gestão da Inovação. São Paulo. 2008.

RAMOS, F. R. Tecnologia e inovação tecnológica: uma reflexão necessária. Rio de Janeiro.


2013.
14

SALGADO, M. U. C. Tecnologia da Educação: Ensinando e aprendendo com as TIC.


Brasília. 2008.

SILVA, M. Sala de aula interativa. Rio de Janeiro. 2014.