Você está na página 1de 18

Escola Secundária Engenheiro Acácio Calazans Duarte

Curso Profissional Técnico de massagem de Estética e Bem estar


Saúde e bem estar - 10.º ano (módulo 1) 2018/2019
Ficha de trabalho 2

Nome:___________________________________________N.º_____ Turma:_____ Data: ___/___/_____

FICHA FORMATIVA - noções gerais sobre células, imunidade, tecidos e órgãos


- sistema osteo-articular

O Homem, como a maioria dos animais, tem necessidade de se deslocar de lugar para lugar. Para
isso dispõe de um sistema locomotor, dele fazem parte os ossos, os músculos e as
articulações. É da interação destas estruturas que é possível movimentarmo-nos.

O ESQUELETO

É graças ao esqueleto que nos podemos: deslocar, manter a posição erecta e além disso
proteger órgãos internos delicados como o coração, os rins, o cérebro, entre outros.
O esqueleto é o conjunto de ossos nas suas posições naturais, com forma adaptada à sua
função e ao seu meio. É composto por 206 ossos num adulto. Na altura do nascimento um bebé
possui cerca de 350 ossos, que se vão fundindo durante o crescimento.

FUNÇÕES DO ESQUELETO:

Suporte - tem como função principal proporcionar resistência ao corpo e configurar a forma e
tamanho.

Movimento – é nos ossos que se prendem os músculos esqueléticos através dos tendões,
permitindo a locomoção

Protecção – o esqueleto protege os órgãos mais importantes como o coração e os pulmões


(caixa torácica), o encéfalo (caixa craniana) ou a espinal-medula (coluna vertebral)

Armazenamento – Reservas de sais minerais, principalmente de cálcio e fósforo, que são


fundamentais para o funcionamento das células e devem estar presentes no sangue. Quando o
nível de cálcio diminui no sangue, sais de cálcio são mobilizados dos ossos para suprir a
deficiência.

Determinados ossos ainda possuem medula amarela (ou tutano). Essa medula é constituída
principalmente por células adiposas, que acumulam gorduras como material de reserva.

Produção de células sanguíneas - No interior de alguns ossos (como o crânio, coluna, bacia,
esterno, costelas e as extremidades dos ossos do braço e coxa), há cavidades preenchidas por
um tecido macio, a medula óssea vermelha, onde são produzidas as células do sangue:
hemácias, leucócitos e plaquetas.

Do esqueleto fazem parte:

 Ossos
 Articulações (pontos de contacto entre os ossos)

Prof. Carina Cardoso


Página 1 de 18
FATORES DE CRESCIMENTO DO ESQUELETO
O crescimento harmonioso do esqueleto é condicionado por múltiplos fatores. Alguns deles
são inerentes à constituição da própria pessoa, como por exemplo a hereditariedade. Outros
fatores são externos e por vezes dependem da atuação da pessoa, que pode alterá-los e melhorá-
los. Estão neste caso a alimentação e as atitudes corporais.

Os ossos são constituídos essencialmente por:

Osseína (proteína)

Sais minerais – nomeadamente, cálcio e fósforo

É pois muito importante que as crianças e os jovens tenham uma alimentação especialmente
cuidada, fornecendo-lhes proteínas em quantidade suficiente e alimentos ricos em substâncias
minerais, nomeadamente o cálcio e o fósforo.

A relação entre cálcio/fósforo é muito importante e tem de obedecer a certas regras.


São boas fontes de cálcio: o leite e seus derivados, o peixe, os frutos secos.
O fósforo, podemos obtê-lo pelo consumo de leite e seus derivados, fígado, ovos, peixe.
Uma boa ossificação e crescimento do esqueleto depende ainda de outras substâncias, que
podem ser fornecidas pela alimentação – as vitaminas: A e D.

A vitamina A é muito importante, pois vai atuar a nível das cartilagens de crescimento.
Podemos obtê-la consumindo: fígado, leite, manteiga, peixe, legumes verdes, cenouras,
pêssegos.
A vitamina D, anti-raquítica, favorece a absorção do cálcio pelo intestino, e a fixação nos
ossos do cálcio e fósforo alimentares. Carências desta vitamina no período de crescimento podem
traduzir-se por deformações ósseas características do raquitismo (pernas arqueadas, caixa
torácica deformada, coluna vertebral com curvaturas anormais). No adulto conduzem à
descalcificação dos ossos.
A vitamina D pode ser fornecida na alimentação, sendo os alimentos mais ricos, os peixes
gordos, a manteiga e os ovos. Também o óleo de fígado de bacalhau é rico nesta vitamina.
Pode também ser produzida pelo organismo, a partir de substâncias da pele como o ergosterol,
quando expostas a radiações ultravioletas. É por isso imprescindível uma vida ao ar livre para o
bom desenvolvimento do esqueleto, pois facilita a produção de vitamina D pelo organismo e
favorece uma boa ossificação, complementando deste modo a ação da alimentação.

Também as atitudes corporais podem causar perturbações no desenvolvimento correto do


esqueleto. Manter posições erradas, habitualmente, pode repercutir-se em deformações ósseas.

Prof. Carina Cardoso


Página 2 de 18
Responde às seguintes questões:

1- Refere a constituição do sistema locomotor.

______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

2- Indica as funções do esqueleto.

______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

3- Dá exemplos de fatores que condicionam o crescimento do esqueleto.

______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

4- Refere a composição dos ossos.

_____________________________________________________________________

5- Indica a função das vitaminas no processo de formação e crescimento dos ossos.

______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

6- Refere as principais fontes alimentares dessas vitaminas.

______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

7- Refere a importância da vida ao ar livre.


______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

Prof. Carina Cardoso


Página 3 de 18
 No Homem, o esqueleto compreende o esqueleto axial e o apendicular. Do esqueleto axial
fazem parte os ossos da cabeça, pescoço e tronco e do apendicular, os ossos dos membros
superiores e inferiores.

Ossos da cabeça:
O esqueleto da cabeça compreende os ossos do
crânio e os da face.

O crânio forma uma caixa resistente onde se


encontra alojado o encéfalo, sendo constituído por
8 ossos, uns pares e outros ímpares.

A face apresenta as órbitas onde se alojam os


superior
olhos, os ossos nasais, os malares, os maxilares
superiores e o maxilar inferior ou mandíbula

(Maxilar inferior) Figura 1. Anatomia da cabeça

CABEÇA

O esqueleto da cabeça apresenta duas regiões: o crânio e a


face.
O esqueleto do crânio compreende 8 ossos resistentes, fixos
uns nos outros, que formam a caixa óssea que protege o
encéfalo. Estes ossos são:

→ dois ____________________, que formam a parte superior


do crânio;
→ o ______________________, adiante;
→ dois _____________________, aos lados;
→ o ______________________, na nuca, que apresenta, na Figura 2. Base do crânio
base, o orifício occipital e duas saliências de cada lado deste
orifício (os côndilos occipitais);
→ O esfenóide e o etmóide, na base do crânio.

O esqueleto da face apresenta quase o dobro do número dos ossos da cabeça, sendo os
principais:

→ Os dois ossos do ______________ (ossos nasais);


→ Os dois __________________ que formam as maçãs do rosto;
→ O maxilar ______________________;
→ O maxilar ______________________ ou mandíbula, que é o único osso móvel da cabeça.
Este osso articula-se com o crânio por duas saliências arredondadas – os côndilos maxilares –
cada uma das quais penetra numa cavidade do osso temporal do mesmo lado. É nos alvéolos dos
maxilares que estão implantados os dentes.

Prof. Carina Cardoso


Página 4 de 18
Cúbito

Ilíaco

Rótula

Perónio

Figura 3. Anatomia do esqueleto

TRONCO

O esqueleto do tronco é essencialmente formado por uma longa


coluna - a coluna vertebral – de cuja porção média partem 12
pares de arcos ósseos – as ______________________ - que na
sua maioria se ligam à frente ao chamado osso do peito – o
__________________.
A coluna vertebral está colocada verticalmente na linha média
posterior e é constituída por uma série de 33 elementos
sobrepostos e semelhantes – as ____________________. Cada
vértebra compreende um corpo em forma de disco compacto e um
arco com um orifício largo. Este arco apresenta diversas saliências
– as ____________________.

As vértebras estão sobrepostas umas às outras, havendo entre


elas discos cartilagíneos que lhes permite executar pequenos
movimentos. Os seus orifícios encontram-se alinhados, formando,

Figura 4. Ossos do tronco

Prof. Carina Cardoso


Página 5 de 18
assim, um longo canal – o canal raquidiano - que se estende de uma à outra extremidade da
coluna vertebral.

Na coluna vertebral, distinguem-se 5 regiões:

→ região cervical, formada por 7 vértebras, correspondentes ao pescoço;

→ região dorsal, formada por 12 vértebras, de cada uma das quais parte um par de costelas;

→região lombar, formada por 5 vértebras;

→sacro, formado por 5 vértebras soldadas entre si;

→ cóccix, formado por 4 vértebras mais ou menos reduzidas, soldadas entre si.

As costelas classificam-se em:

→ costelas verdadeiras, que são os 7 primeiros pares, ligadas ao esterno por intermédio de
cartilagens;

→ costelas falsas, que são os 3 pares seguintes, ligadas ao esterno por intermédio das costelas
do sétimo par;

→costelas flutuantes, que são os 2 pares livres à frente.

O conjunto formado pelas vértebras dorsais, pelas costelas e pelo esterno, limita, na parte
superior do tronco, uma caixa ou cavidade – a ______________ __________________ ou tórax.

Responde agora às seguintes questões:


1- Quantas partes apresenta o esqueleto da cabeça?
________________________________________________________________
2- Quantos ossos tem o crânio?
__________________________________________________________________________
2.1. Indica-os ___________________________________________________________

3- Refere os ossos que constituem a face. _______________________________________


4- Como é formado o esqueleto do tronco?
___________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
5- O que é a caixa torácica?
____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
7-Que partes se distinguem na coluna vertebral?
_____________________________________________________________________

Prof. Carina Cardoso


Página 6 de 18
8-Quantas vértebras apresenta cada uma dessas partes?
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

Prof. Carina Cardoso


Página 7 de 18
Membros
Cada membro está ligado ao tronco por uma cintura:
→ cintura escapular para os membros superiores;

→ cintura pélvica para os membros inferiores.

Membro superior
A cintura escapular é formada por dois ossos:

→ a omoplata, situada atrás, que é um osso largo e chato, de forma triangular, bastante delgado
na sua parte média, e que se apoia simplesmente nas costelas a que está ligada somente pelos
músculos;

→ a clavícula, situada à frente, que é um osso comprido e estreito, em forma de S alongado, com
uma das extremidades apoiada na parte superior do esterno e a outra na omoplata.

Um membro propriamente dito é formado por três segmentos, que, nos superiores são: braço,
antebraço e mão.
Os ossos de cada um destes segmentos são:
No braço:

→ úmero, que se articula em cima com a omoplata.

No antebraço:

→ cúbito e rádio, que se articula em cima com o úmero e em baixo com os ossos do punho. A
extremidade superior do cúbito apresenta uma saliência que forma o cotovelo.

Na mão:

→ ossos do carpo ou punho, que são 8 ossos curtos dispostos em duas séries;

→ ossos do metacarpo, que são 5 ossos alongados que formam o esqueleto da palma da mão;

→ ossos dos dedos, que são, em cada dedo, três pequenos ossos alongados que, a partir do
metacarpo, se chamam, respetivamente, falange, falanginha e falangeta. O dedo polegar só
tem falange e falangeta e é oponível aos outros dedos.
Falando-se dos ossos dos dedos, é hábito designá-los por falanges.

É de notar que as
articulações do rádio
lhe permitem rodar em
torno do cúbito, por
forma que a mão
consiga dar uma volta
completa.

Prof. Carina Cardoso


Página 8 de 18
Membro inferior

A cintura pélvica ou anca é formada pelo osso ilíaco ou coxal que está soldado ao
sacro.

O conjunto dos dois ossos ilíacos, um de cada cintura, forma a bacia.

Os segmentos dos membros inferiores são: coxa, perna e pé. Os ossos de cada um
destes segmentos são:

Na coxa:

Fémur, que termina na extremidade superior por uma cabeça arredondada,


alojada no osso ilíaco, e, na extremidade inferior, por dois sulcos onde se articula a
tíbia. À frente desta articulação existe um pequeno osso - a rótula.

Na perna:

Tíbia, que fica do lado interno;

 Perónio, que fica do lado externo, em relação à tíbia, e apresenta as


extremidades soldadas a este osso não podendo, por isso, rodar em torno dele
como faz o rádio em torno do cúbito.

No pé:

 Ossos do tarso, que são 7 ossos curtos, sendo o do calcanhar maior que os outros;

 Ossos do metacarpo, que são 5 ossos alongados da planta dos pés;

 Ossos dos dedos, que são 3 pequenas falanges, exceptuando o dedo polegar que só tem
duas. Ao contrário do que sucede na mão, este dedo não é oponível aos outros.

É de notar que, no Homem, os membros inferiores são mais compridos e mais robustos do que os
membros superiores.

Responde às seguintes questões:

1-Como está ligado cada membro ao tronco?


_____________________________________________________________________

2-Como é formada a cintura escapular? __________________________________________

3-Como é formada a cintura pélvica? ____________________________________________

Prof. Carina Cardoso


Página 9 de 18
4-Quais são os ossos que formam o esqueleto dos membros superiores?
_____________________________________________________________________

5-Quais são os ossos que formam o esqueleto dos membros inferiores?


_____________________________________________________________________

6-Que particularidade apresenta o rádio?


_____________________________________________________________________

7-Porque é que o perónio não pode rodar em torno da tíbia?


_____________________________________________________________________

8-De que importante propriedade goza o polegar da mão?


_____________________________________________________________________

TIPOS DE OSSOS:

ossos longos – cujo comprimento excede a largura e a espessura. São constituídos por um
corpa e duas extremidades. Eles são um pouco encurvados, o que lhes garante maior
resistência. O osso um pouco encurvado absorve o choque mecânico do peso do corpo em
vários pontos, de tal forma que há melhor distribuição do mesmo. Os ossos longos tem as
suas diáfises formadas por tecido ósseo compacto e apresentam grande quantidade de tecido
ósseo esponjoso em suas epífises.
Ex. Tíbia, perónio, fémur, clavícula, falanges;

ossos curtos – são parecidos com um cubo, em que não há predomínio de nenhuma dimensão.
Eles são compostos por osso esponjoso, exceto na superfície, onde há uma camada fina de osso
compacto.
Ex. ossos do carpo e metacarpo, rótula, vértebra;

ossos chatos – a sua espessura é muito pequena se comparada com o comprimento e


a largura.
Ex. ossos da cabeça, omoplata, bacia.

ossos irregulares – apresentam formas complexas e não podem ser agrupados em nenhuma
das categorias prévias. Têm quantidades variáveis de osso esponjoso e osso compacto.

ossos sesamóides – estão presentes no interior de alguns tendões em que há considerável


fricção, tensão e stress físico, como palmas e plantas. Eles podem variar de tamanho e número,
de pessoa para pessoa, não são sempre completamente ossificados, normalmente, medem
apenas alguns milímetros de diâmetro. Excecões notáveis são os ossos sesamóides.

ESTRUTURA DOS OSSOS LONGOS

O osso longo apresenta 2 extremidades – epífises, e entre elas o


corpo do osso – diáfise.
A envolver a diáfise existe uma membrana resistente de tecido
fibroso, muito vascularizada – o periósteo.
A superfície interna do osso compacto é envolvida pelo endósteo.
Podem ver-se dois tipos de osso:

Prof. Carina Cardoso


Página 10 de 18
- Osso muito poroso, pouco denso na zona das epífises e cavidade medular – osso
esponjoso.
- Osso denso, sem cavidades visíveis, zona da diáfise – osso compacto
Canal medular – onde se encontra medula óssea. Esta pode ser de dois tipos:

Medula vermelha – responsável pela hematopoiese

Medula amarela – constituída por gordura.

As cavidades do osso esponjoso e o canal medular da diáfise dos ossos longos são
ocupados pela medula óssea. No recém-nascido toda medula óssea tem cor vermelha, pouco a
pouco com a idade, vai sendo infiltrada por todo tecido adiposo, com a diminuição da actividade
hematógena.

 O esqueleto é constituído por tecido ósseo, cartilagíneo e tecidos conjuntivos especializados.

Tecido cartilagíneo

Este tecido contém grande quantidade de substância fundamental ou matriz, mas numa forma
sólida mas flexível, o que lhe confere
elasticidade. A matriz toma então a designação
de condrina.
A cartilagem está sempre envolvida pelo
pericôndrio, tecido conjuntivo especializado e que
nutre a cartilagem pois, ao contrário do que é
habitual em tecidos conjuntivos, não existem
vasos sanguíneos nem tecido nervoso
associado.
As células adultas das cartilagens designam-se
Cartilagem hialina envolvida pelo pericôndrio e notando-se os
condrócitos, localizando-se em cavidades da condrócitos alojados nas cavidades (condroplastos ou
lacunas)
matriz designadas, por sua vez, condroplastos.
Os condrócitos desenvolvem-se a partir de condroblastos.
As fibras das cartilagens são de colagénio ou elastina, como habitual.

Os condroblastos são as células precursoras dos condrócitos. Segregam uma substância


intersticial sólida e elástica, de natureza proteica – a condrina. Quando as células deixam de se
dividir passam a designar-se condrócitos
Os condrócitos participam do crescimento intersticial da cartilagem, onde divisões mitóticas
das células e secreção de mais matriz entre as células filhas permitem a expansão da cartilagem.

Prof. Carina Cardoso


Página 11 de 18
O tecido cartilagíneo é uma etapa de crescimento do tecido ósseo mas também é um
tecido de sustentação por si mesmo, permitindo, igualmente, a ligação entre os diversos ossos.

Tecido ósseo

As células que compõem o tecido ósseo são de 3 tipos principais:

osteoblastos - estas células apenas são


activas durante cerca de 8 dias, tempo
durante o qual produzem a matriz e as
fibras. Após esse tempo ficam incluídas no
tecido ósseo, passando a designar-se
osteócitos;

osteócitos - células fusiformes e com


numerosos prolongamentos citoplasmáticos
que atravessam canais no osso, ligando as
diversas células entre si e aos vasos
sanguíneos que as alimentam. Cada célula localiza-se numa cavidade na osseína designada
osteoplasto;

osteoclastos - estas células apenas vivem cerca de 2 dias, são grandes e multinucleadas.
Apresentam uma zona com vilosidades que se encontra em contacto com o osso formado, o qual
destroem para retirar fósforo e cálcio.

No seu centro encontra-se um canal, designado canal de Havers, por onde passam vasos
sanguíneos e nervos.
Dispostas concentricamente em redor do canal de Havers estão as lamelas ósseas, onde se
encontram os osteócitos dentro de osteoplastos (lacunas), comunicando entre si por canalículos
radiais.
Os ossos estão envolvidos por uma membrana dupla designada periósteo. Esta membrana tem
uma camada externa fibrosa, muito rica em fibroblastos e fibras de colagénio, e uma camada
interna osteogénica, contendo células mesenquimatosas percursoras dos osteoblastos.
É a partir da camada externa do periósteo que se fixam os tendões e os músculos aos ossos.

Prof. Carina Cardoso


Página 12 de 18
A percentagem de minerais no osso aumenta com a idade do indivíduo, ao
mesmo tempo que diminui a quantidade de matriz orgânica, o que explica porque os ossos jovens
são resistentes e os velhos são quebradiços.

Existem dois tipos de tecido ósseo:

 tecido ósseo compacto - apresenta poucos espaços e localiza-se principalmente nas diáfises
(zonas centrais ocas que contêm a medula amarela, rica em gordura) dos ossos longos e recobre
com uma fina camada as epífises. Podem identificar-se facilmente os sistemas de Havers, que
correm longitudinalmente, unidos por canais radiais que vão desde o periósteo à cavidade
medular. A sua estrutura compacta fornece rigidez e força ao osso;

 tecido ósseo esponjoso - apresenta grande quantidade de espaços, onde se localiza a


medula óssea vermelha. Neste caso não há uma organização regular, não podendo identificar-se
os sistemas de Havers. Encontra-se principalmente nas epífises (zonas terminais ou cabeças) dos
ossos longos.

Na formação dos ossos, o tecido ósseo primário é


o que aparece primeiro. Depois, vai gradualmente sendo
substituído por tecido ósseo secundário. Numa pessoa
adulta, o tecido ósseo primário existe apenas nos alvéolos
dentários (por isso, a lâmina usada para mostrar tecido
ósseo primário é a de dente) e nas suturas dos ossos do
crânio.

Na foto é possível observar osteoblastos e osteócitos,


além de uma região vermelha (eosinófila) rica em fibras
colágenas dispostas sem orientação definida.

Nesta lâmina podemos observar o tipo de osso mais encontrado no adulto. O tecido ósseo
secundário, também chamado de lamelar ou haversiano, apresenta-se formado pelos mesmos
componentes do tecido ósseo primário. A diferença para o tecido ósseo primário é a organização
das fibras colágenas em lamelas, cuja espessura varia de 3 a 7 µm e que se orientam
concentricamente ao redor de canais com vasos, formando os
sistemas de Havers .

Os canais de Havers comunicam-se entre si, com a


cavidade medular e com a superfície externa do osso por
meio de canais transversais ou oblíquos, denominados canais
de Volkmann, que atravessam as lamelas ósseas. Todos

Prof. Carina Cardoso


Página 13 de 18
esses canais se formam quando a matriz óssea se forma ao redor de canais preexistentes.

Responde às seguintes questões:


X
1. Observa a figura 1, onde está representado o
esqueleto humano. 1

1.1. Faz a legenda da figura. 3


2
4

1.2. Classifica, quanta à forma anatómica, os ossos


assinalados com os números 9, 10 e 16.
5 6

Y
8
1.2.1. Justifica a escolha feita na alínea anterior, para
7
o osso nº 10.
10

1.3. Refere, justificando, duas funções do esqueleto. 11

2. As letras X e Y correspondem a duas articulações 12

2.1. Classifica-as.
13

2.2. Justifica a escolha feita em 2.1, no caso da 14


articulação X.

15
2.3. Refere quais são os constituintes das articulações.

16

Prof. Carina Cardoso


17
Página 14 de 18
2.4. Refere as funções do líquido sinovial.

3. Refere quais são as camadas constituintes de um osso longo ao nível da diáfise e caracteriza-as.

4. Preenche a tabela seguinte:

Células Funções/ características


Condroblastos

células ósseas jovens, responsáveis pela intensa síntese de matriz óssea que
gera a formação primária do tecido.
Osteoclastos

Células adultas da cartilagem, participam no crescimento intersticial da


matriz

5. Indica dois factores que afetam o crescimento dos ossos.

6. Explica a importância da prática regular de exercício físico na manutenção da saúde do esqueleto.

7. Observa a figura 1 que representa a cabeça de um ser humano.


7.1. Faz a legenda da figura 2.

Figura 2

Prof. Carina Cardoso


Página 15 de 18
7.2. Faz a correspondência entre os números da figura e as afirmações seguintes:

___ está localizado na parte posterior do crânio e articula-se com os ossos parietais, temporais e
esfenóide, bem como com a primeira vértebra cervical - o atlas. É dividido em quatro partes: uma basilar,
uma escamosa e duas laterais.

___ é um osso ímpar e curto que, juntamente com o frontal, os parietais, os temporais, o occipital e o
esfenóide, contribui para formar a cavidade craniana e a cavidade nasal

___ é um osso ímpar dentro da cavidade nasal.

___ é o único osso móvel da cabeça e é o mais longo e mais forte dos ossos da face.

___ forma a testa, a parte superior das fossas oculares ou órbitas, parte da cavidade nasal

7.3. As fontanelas ou vulgarmente denominadas de moleirinhas são um exemplo de ossificação da


membrana. Qual a função das fontanelas.

8. A imagem seguinte representa a posição anatómica de referência.

8.1. Preenche os quadrados em branco que se referem aos planos anatómicos.

8.2. Refere qual a posição anatómica de referência.

Prof. Carina Cardoso


Página 16 de 18
ARTICULAÇÕES
Por articulação devem-se entender os diferentes pontos de contacto entre dois ossos, mesmo
que esses ossos não sejam móveis entre si.
Consideram-se geralmente três tipos de articulações:

 articulações imóveis ou suturas, se são fixas como as dos ossos do crânio;

 articulações semimóveis, se apenas permitem movimentos de pequena amplitude, como as


das vértebras;

articulações móveis, se permitem movimentos rápidos e de grande amplitude, como, por


exemplo, as dos segmentos dos membros.

Nestas articulações, um dos ossos apresenta uma cavidade onde penetra o rebordo ou cabeça do
outro.

As superfícies articulares, isto é, as partes dos ossos que entram em contacto, estão
cobertas por uma cartilagem especial lisa e elástica – a cartilagem articular – que diminui os
atritos e amortece os choques. Estas superfícies são humedecidas por um líquido viscoso –
líquido sinovial – que desempenha o mesmo papel que o óleo lubrificante nas superfícies de
atrito das máquinas.
Além disso, os dois ossos encontram-se geralmente ligados por cordões de tecido
conjuntivo elástico – os ligamentos internos – e por uma membrana elástica – a cápsula
articular – que envolve completamente a articulação e é protegida por numerosos
espessamentos – os ligamentos externos.

Responde às seguintes questões:

1- Que tipos de articulações podemos considerar?


_____________________________________________________________________

2- Onde se situa e qual a função da cartilagem articular?


______________________________________________________________________________
____________________________________________________________

Prof. Carina Cardoso


Página 17 de 18
3- Qual a função dos ligamentos internos?
_____________________________________________________________________

4- Qual a função dos ligamentos externos?


_____________________________________________________________________

Prof. Carina Cardoso


Página 18 de 18