Você está na página 1de 14

Síntese da

Unidade 2
Almeida Garrett
Frei Luís de Sousa
Síntese da Unidade 2

Contextualização histórico-literária

 Invasões francesas.  Período de transição entre o

 Revolta liberal – Revolução de 1820. Neoclassicismo e o Romantismo.

 Estabelecimento das bases da futura  Apologia do devir da sociedade.


Constituição.
 Junção de temas e atitudes românticas,
 Vilafrancada: abolição da vigência da
Constituição de 1822. expressos na literatura e a sua vivência
 Implantação da monarquia absoluta por
no quotidiano.
D. Miguel.
 Antinomia: valorização do
 Restauração da Carta Constitucional por
Costa Cabral. sentimento/manifestação subtil
 Início do período da Regeneração. da razão.
Síntese da Unidade 2

Fontes da obra

Históricas Literárias

 Vida de Manuel de Sousa Coutinho:  Luís de Sousa, de Ferdinand Denis.


- casamento com D. Madalena de
 O Cativo de Fez, de Silva Abranches.
Vilhena, viúva de D. João de
Portugal, desaparecido em  Biografia de Frei Luís de Sousa, de
Alcácer Quibir; Frei António da Encarnação.
- tomada do hábito: Frei Luís de
 Manuel de Sousa Coutinho, de
Sousa.
Paulo Midosi.
Síntese da Unidade 2

Drama romântico

 Drama em prosa.

 Apologia da liberdade poética em detrimento do rigor


histórico.
 Valorização da identidade nacional (patriotismo).

 Sebastianismo.

 Exaltação do sentimento da liberdade individual.


Síntese da Unidade 2

Drama romântico

 A crença em agouros e superstições populares.

 Referência constante ao cristianismo.

 Incumprimento da lei das conveniências.

 Relação entre a problemática política e os problemas


individuais.

 Missão social da literatura (vertente didática).


Síntese da Unidade 2

A dimensão patriótica e a sua expressão simbólica

 Incêndio do palácio de Manuel de Sousa Coutinho: exaltação


do «patriotismo anticastelhano» e da nobreza de carácter,
apologia da liberdade de pensamento e de escolha do ser
humano – crítica à política autoritária vigente no século XIX.

 Procura da definição do ser português, apresentando


Portugal como uma pátria moribunda, sem identidade,
representada no «Ninguém».
Síntese da Unidade 2

A dimensão patriótica e a sua expressão simbólica

 A obra literária enquanto agente do devir da pátria.

 O devir de Portugal só é possível olhando para o futuro e


não para um passado exânime.
Síntese da Unidade 2

O Sebastianismo: história e ficção

Alcácer Quibir

 O desmoronar da última pedra do império português.

 Humilhação perante a soberania castelhana: propagação do


patriotismo (enaltecimento das qualidades de Portugal).
Síntese da Unidade 2

O Sebastianismo: história e ficção

D. Sebastião

 Símbolo da decadência do passado: o apego ao passado.

 Espectro simbólico que ressurge somente na literatura:


poder demiúrgico da literatura (devolução à pátria da sua
dignidade perdida).
Síntese da Unidade 2

O Sebastianismo: história e ficção

Frei Luís de Sousa

 Tragédia portuguesa sebastianista.

 O passado – Sebastianismo – enquanto elemento


destruidor (D. João de Portugal, duplo D. Sebastião,
preconiza a destruição da hegemonia da família/Portugal).
Síntese da Unidade 2

O Sebastianismo: história e ficção

Frei Luís de Sousa

 Frei Luís de Sousa = o poeta, o escritor que sobrevive à


catástrofe – o homem novo: o desejo de mudança, a
necessidade de intervenção, a responsabilidade na criação
de uma nova sociedade preconizados pelo Liberalismo –
literatura como meio essencial e privilegiado para a criação
de um Portugal novo.
Síntese da Unidade 2

Dimensão trágica

 Tragédia portuguesa sebastianista.

 Ação simples.

 Concentração temporal:
- a ação desenrola-se em pouco mais de uma
semana, verificando-se um afunilamento do tempo: o
Gustave Klimt,
reconhecimento dá-se no dia 4 de agosto, a catástrofe Tragédia, 1897.

na madrugada do dia 5 (concentração na sexta-feira).


Síntese da Unidade 2

Dimensão trágica

 Concentração espacial:
- afunilamento progressivo do espaço: palácio de Manuel
de Sousa Coutinho, palácio de D. João de Portugal; parte baixa
do palácio de D. João de Portugal; a capela (do espaço amplo e
iluminado – da felicidade – aos espaços sem ornamentos e
escuros, à resignação e à morte);
- limitação progressiva da movimentação das personagens
até um espaço/situação do qual não existe saída.
Síntese da Unidade 2

Dimensão trágica

 Personagens em número reduzido.

 Presença de indícios trágicos.

 Principais elementos da tragédia clássica: hybris, ágon,


peripeteia, ananké, pathos, climax, anagnorisis,
katastrophé.