Você está na página 1de 253

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

FACULDADE DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO


CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS

ELYSA COUTINHO DA COSTA


FLÁVIA LARISSA DE JESUS PERALTA
LUCAS PEREIRA MATOS
MONITHELLE DA SILVA CARDOSO

CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DA IMAGÉTICA COMUNICAÇÃO


GOIÂNIA
2016
ELYSA COUTINHO DA COSTA
FLÁVIA LARISSA DE JESUS PERALTA
LUCAS PEREIRA MATOS
MONITHELLE DA SILVA CARDOSO
CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DA IMAGÉTICA COMUNICAÇÃO

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Faculdade de Informação e


Comunicação da Universidade Federal de Goiás como requisito para a obtenção do
título de bacharel em Comunicação Social – habilitação em Relações Públicas.

Orientadora:​ Profª. Daiana Stasiak


GOIÂNIA
2016
ELYSA COUTINHO DA COSTA
FLÁVIA LARISSA DE JESUS PERALTA
LUCAS PEREIRA MATOS
MONITHELLE DA SILVA CARDOSO

Projeto experimental defendido no Curso de Graduação em Comunicação Social (Habilitação em Relações Públicas) da Faculdade
de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goiás, para obtenção do grau de bacharel, aprovado em ________ de
______________ de _________, pela banca examinadora constituída pelas seguintes professoras:

_____________________________________________
Prof.ª Dra. Daiana Stasiak
_______________________________________________________
Prof.ª Ms. Gardene Leão de Castro Mendes

RESUMO

Este trabalho apresenta a criação de uma agência de comunicação com o foco em relações públicas, denominada Imagética
Comunicação. Foram realizadas pesquisas sobre o ramo de negócio e com empresas que contratam serviços da área. Nesse
contexto, delimitaram-se a área de atuação, as diretrizes, os objetivos, a identificação de públicos estratégicos e a criação de
macroestratégias, entre outros. Para fomentar tal propósito, fizeram parte do recorte bibliográfico deste trabalho, autores como
Grunig (2009), Kunsch (2003), Ferrari (2009), Oliveira (2010), Zanella (2004), Marquêz (2010), entre outros pesquisadores que
contemplam em suas obras temas como comunicação, planejamento estratégico, marketing e relações públicas. Fica exposto o
caráter multiprofissional da área de Relações Públicas e suas ligações com os campos da comunicação e administração, em que o
profissional possui a capacidade de planejar todo o escopo de produtos e serviços que uma empresa desse segmento pode
oferecer aos seus respectivos públicos. No segundo semestre de 2015, as ações de implantação da empresa foram realizadas e
avaliadas e a Imagética atendeu aos seus primeiros clientes.

Palavras-chave: ​Imagética Comunicação; Relações Públicas; Planejamento.


ABSTRACT
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO
2. PESQUISA
2.1. PESQUISA COM EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO
2.1.1. Pergunta problema
2.1.2. Objetivos da Pesquisa
2.1.2.1. Objetivo Geral
2.1.2.1. Objetivos Específicos
2.1.3. Hipóteses
2.1.4. Metodologia de coleta
2.1.5. Metodologia de análise
2.1.6. Análise
2.2. PESQUISA COM CLIENTES DE EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO
2.2.1. Pergunta problema
2.2.2. Objetivos da pesquisa
2.2.2.1. Objetivo Geral
2.2.2.2. Objetivos Específicos
2.2.3. Hipóteses
2.2.4. Metodologia de coleta
2.2.5. Metodologia de análise
2.2.6. Análise
2.2.6.1. Análise questões fechadas
2.2.6.2. Análise das questões abertas
3. DIRETRIZES ORGANIZACIONAIS
4. ATUAÇÃO
4.1. ASSESSORIA ESTRATÉGICA
4.2. ASSESSORIA DE IMPRENSA
4.3. RELACIONAMENTO DIGITAL
4.4. EVENTOS CORPORATIVOS
5. ANÁLISE AMBIENTAL (ANÁLISE SWOT)
5.1. ANÁLISE ESTRATÉGICA (INTERNA E EXTERNA)
5.1.1. Ambiente Interno
5.1.1.1. Pontos Fortes
5.1.1.2. Pontos Fracos
5.1.2. Ambiente Externo
5.1.2.1. Oportunidades
5.1.2.2. Ameaças
6. PÚBLICOS
6.1. PÚBLICOS ESTRATÉGICOS – RELACIONAMENTO E COMUNICAÇÃO
6.1.1. Identificação e análise dos públicos estratégicos (​stakeholders)​
6.2.​ BENCHMARKING​ DE PRÁTICAS COMUNICACIONAIS
6.2.1. Trajetória e qualificação
6.2.2. Produtos e serviços
6.2.3. Mídias digitais
7. COMUNICAÇÃO
8. RELAÇÕES PÚBLICAS
9. PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS
10. PLANEJAMENTO DE RELAÇÕES PÚBLICAS PARA A IMAGÉTICA COMUNICAÇÃO
10.1. MACROESTRATÉGIA 1: DEFINIÇÃO DAS DIRETRIZES ORGANIZACIONAIS DA EMPRESA
10.1.1. Objetivo Geral
10.1.1.1. Objetivos Específicos
10.1.2. Estratégia
10.1.3. Justificativa
10.1.4. Públicos
10.1.5. Cronograma
10.1.6. Avaliação e controle
10.2. MACROESTRATÉGIA 2: CRIAÇÃO DE IDENTIDADE VISUAL
10.2.1. Objetivo Geral
10.2.1.1. Objetivo Específico
10.2.2. Estratégias
10.2.3. Justificativa
10.2.4. Públicos
10.2.5. Recursos
10.2.6. Cronograma
10.2.7. Avaliação e controle
10.3. MACROESTRATÉGIA 3: DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE PRESENÇA VIRTUAL
10.3.1. Objetivo Geral
10.3.1.1. Objetivos Específicos
10.3.2. Estratégias
10.3.3. Justificativa
10.3.4. Públicos
10.3.5. Recursos
10.3.6. Cronograma
10.3.7. Avaliação e controle
10.4. MACROESTRATÉGIA 4: BANCO DE CONTATOS
10.4.1. Objetivo Geral
10.4.1.1. Objetivo Específico
10.4.2. Estratégias
10.4.3. Justificativa
10.4.4. Públicos
10.4.5. Recursos
10.4.6. Cronograma
10.4.7. Avaliação e Controle
10.5. MACROESTRATÉGIA 5: PROSPECÇÃO DE CLIENTES PARA O FUNCIONAMENTO DA EMPRESA
10.5.1. Objetivo Geral
10.5.1.1. Objetivos Específicos
10.5.2. Estratégias
10.5.3. Justificativa
10.5.4. Públicos
10.5.5. Recursos
10.5.6. Cronograma
10.5.7. Avaliação e Controle
11. IMPLANTAÇÃO E AVALIAÇÃO
11.1. DEFINIÇÃO DAS DIRETRIZES ORGANIZACIONAIS DA EMPRESA
11.1.1. Missão
11.1.2. Visão
11.1.3. Valores
11.2. CRIAÇÃO DE IDENTIDADE VISUAL
11.2.1. Criação da Marca
11.2.2. Manual de Uso da Marca
11.2.3. Papelaria
11.2.3.1. Cartão de Visita
11.2.3.2. Papel Timbrado
11.2.3.3. Pasta de Documentos
11.2.3.4. Bloco de Notas
11.3. DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE PRESENÇA VIRTUAL
11.3.1. Criação de ​e-mail
11.3.2. Site
11.3.2.1. Blog
11.3.2.2. Avaliação do site
11.3.3. Fan page
11.3.3.1. Avaliação da ​fan page
11.4. BANCO DE CONTATOS
11.5. PROSPECÇÃO DE CLIENTES PARA O FUNCIONAMENTO DA AGÊNCIA
11.5.1. V Congresso de Engenharia e Tecnologia
11.5.2. II Congresso FACE
11.5.2.1. Criação da ​fan page
11.5.2.1.1. Avaliação da ​fan page
11.5.2.2. Produção de ​mailing​ específico para o evento
​ contato com jornalistas (​Follow up​)
11.5.2.3. Elaboração de ​releases e
11.5.2.4. Divulgação
11.5.2.5. Cerimonial e Protocolo
11.5.2.6. Pesquisa e Avaliação (​Clipping)​
11.5.3. Brasileirinho Lanches & Assados
11.5.3.1. Pesquisa de públicos
11.5.3.2. Propostas
11.5.4. Top Training
11.5.4.1. Diretrizes organizacionais
11.5.4.1.1.
11.5.4.1.2. VisãoMissão
11.5.4.1.3. Valores
11.5.4.2. Vídeo Institucional
11.5.4.3. Presença virtual
11.5.4.4. Fixação da marca
11.5.4.5. Fidelização dos clientes
12. CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
APÊNDICES
APÊNDICE A - ​QUESTIONÁRIO PARA AS EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO
APÊNDICE B - ​QUESTIONÁRIO PARA CLIENTES DE EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO
APÊNDICE C - ​TABELA DA ANÁLISE DE CONTEÚDO DA PESQUISA COM EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO
APÊNDICE D - ​TABELA DA ANÁLISE DE CONTEÚDO DA PESQUISA COM CLIENTES DE EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO
APÊNDICE E – ​INTERFACES DO SITE
APÊNDICE F - ​PLANEJAMENTO DO BLOG DA AGÊNCIA
APÊNDICE G – ​TEXTOS PRODUZIDOS PARA O BLOG
APÊNDICE H - ​BRIEFING​ E PLANEJAMENTO DO CONGRESSO DE ENGENHARIA E TECNOLOGIA 2016
APÊNDICE H - ​PROPOSTA DE PLANO DE PATROCÍNIO PARA O CET 2016
APÊNDICE I – ​MODELO DE CARTA DE PATROCÍNIO PARA O CET 2016
APÊNDICE J - ​B​RIEFING​ E PLANEJAMENTO DO II CONGRESSO FACE
APÊNDICE K - ​RELEASES PRODUZIDOS PARA O II CONGRESSO FACE
APÊNDICE L - ​MODELO DE OFÍCIO PARA CONVIDAR VEREADORES E DEPUTADOS
APÊNDICE M - ​ROTEIRO DA MESA DE ABERTURA DO CONGRESSO
APÊNDICE N - ​RELATÓRIO DE AÇÕES PARA O CONGRESSO FACE
​ PLANEJAMENTO DE PESQUISA DE PÚBLICOS PARA A BRASILEIRINHO LANCHES & ASSADOS
APÊNDICE O - ​BRIEFING E

APÊNDICE P - ​PLANEJAMENTO DE RELAÇÕES PARA A BRASILEIRINHO LANCHES & ASSADOS


APÊNDICE Q - ​BRIEFING​ E PLANEJAMENTO TOP TRAINING
APÊNDICE R - ​PLANO ANUAL PARA FIDELIZAÇÃO DA TOP TRAINING
APÊNDICE S - ​AVALIAÇÃO DA ​FAN PAGE​ DO II CONGRESSO FACE
​ A IMAGÉTICA COMUNICAÇÃO
APÊNDICE T - ​AVALIAÇÃO DA ​FAN PAGE D
APÊNDICE U - ​MANUAL DE USO DA MARCA
1. INTRODUÇÃO

Em um momento de apreensão onde a economia nacional enfrenta uma delicada crise, empreender pode ser uma
alternativa em meio aos problemas atuais para enfrentar de maneira criativa a escassez de oportunidades trabalho.
Tendo em vista que pequenas e microempresas segundo o SEBRAE são responsáveis por 27% do PIB nacional. Acreditar
no potencial do empreendedorismo e iniciar um novo negócio significa apostar em um modelo que contribui substancialmente para
o país.
Devido a este panorama, econômico e social, a concepção da criação de uma agência de Relações Públicas, vislumbrada
durante a graduação se tornou extremamente interessante e viável, transformando a “Imagética Comunicação” em algo real.
Sua nomenclatura “Imagética” é uma junção das palavras “imagem” e “ética”. A imagem relaciona-se à como uma
organização ou profissional são reconhecidos pelos seus públicos, visto que trabalhar uma imagem positiva faz parte do escopo do
relações-públicas, enquanto a ética é o elemento fundamental para o exercício do profissional no mercado. Já o termo
“Comunicação” foi escolhido como “sobrenome” para o negócio, pois representa de maneira direta qual é o segmento de trabalho
da agência.
Desde então, com esse objetivo, surgiu a Imagética Comunicação como um empreendimento ligado ao setor de atuação em
assessoria de comunicação. Agencia transformada em projeto experimental, que possui o intuito de retirar a empresa do cenário
fictício e torná-la real, a partir de ações que viabilizem a sua existência no mercado e auxiliem os públicos de interesse da agência.
A proposta é que a empresa seja formada por quatro sócios, em que todos estarão no mesmo patamar de hierarquia. As
divisões de tarefas da agência serão realizadas por níveis de familiaridade do profissional com o serviço a ser prestado. No caso
de trabalhos que não forem especialidade de cada profissional, esses serão desempenhados em conjunto, por métodos de
brainstorming ​e investimentos em cursos especializados.
Deste modo, o estilo administrativo proposto para a empresa seguirá o princípio de igualdade na hierarquia empresarial. Os
quatro sócios tomarão as decisões em conjunto por meio de consenso, em reuniões previamente agendadas. Assim, os
profissionais atuarão nas resoluções estratégicas, táticas e operacionais.

2. PESQUISA

Com o intuito de obter informações sobre o mercado de atuação foram elaboradas duas pesquisas, a primeira de cunho
qualitativo, realizada com empresas que oferecem produtos/serviços de comunicação. A segunda mesclando o caráter qualitativo e
quantitativo, feita para os clientes dessas empresas de comunicação.

2.1. PESQUISA COM EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO

Esta pesquisa possui o intuito de assimilar a realidade, as metodologias e técnicas utilizadas pelas empresas especializadas
nos serviços da área da comunicação localizadas em Goiânia e região metropolitana.
Por meio dela, será possível compreender como tais empresas realizam a escolha do escopo de serviços, como é feita a
divisão do trabalho e suas formas de avaliação. A pesquisa observa também a visão destes empreendedores em relação ao
mercado goiano e suas possibilidades.
Com esta pesquisa, serão estudadas a estrutura e as práticas de trabalho adotadas por empresas de comunicação
localizadas em Goiânia e Aparecida de Goiânia.

2.1.1. Pergunta problema

Qual é a estrutura e as formas de atuação das empresas de comunicação do mercado goianiense e suas redondezas?

2.1.2. Objetivos da Pesquisa

2.1.2.1. Objetivo Geral

● Conhecer a realidade do mercado para empresas de comunicação na cidade de Goiânia e Aparecida de Goiânia.

2.1.1.1. Objetivos Específicos

● Identificar os serviços oferecidos pelas empresas comunicação em Goiânia e região metropolitana;


● Compreender a divisão de tarefas dentro dessas empresas;
● Entender as etapas do atendimento ao cliente e métricas para aferição dos resultados.

2.1.2. Hipóteses

● As empresas realizam apenas serviços específicos demandados por cada necessidade dos clientes;
● Existe uma grande procura por empresas especializadas na prestação dos serviços de comunicação, em contraponto à
contratação de profissionais da área pelos empresários​.

2.1.3. Metodologia de coleta

O tipo de pesquisa utilizado neste trabalho foi a pesquisa qualitativa, que

(...) não procura enumerar e/ ou medir os eventos estudados, nem emprega instrumental estatístico na análise dos dados. Parte de
questões ou focos de interesses amplos, que vão se definindo à medida que o estudo se desenvolve. Envolve a obtenção de dados
descritivos sobre pessoas, lugares e processos interativos pelo contato direto do pesquisador com a situação estudada, procurando
compreender os fenômenos segundo a perspectiva dos sujeitos, ou seja, dos participantes da situação em estudo (GODOY, 1995,
p. 58).

Já o instrumento de coleta escolhido para realização da mesma foi a entrevista semiestruturada, composta por dez
perguntas abertas, conforme APÊNDICE A. As entrevistas foram aplicadas presencialmente durante as visitas realizadas em
empresas previamente escolhidas e contatadas. Foram entrevistados cinco proprietários/sócios de empresas de comunicação em
Goiânia e Aparecida de Goiânia, no período de 8 a 22 de abril de 2015.

2.1.4. Metodologia de análise

A metodologia escolhida para a análise e apresentação dos resultados da pesquisa foi a análise de conteúdo, que pode ser
definida como:

Um conjunto de técnicas de análise das comunicações visando obter, por procedimentos, sistemáticos e objetivos de descrição do
conteúdo das mensagens, indicadores (quantitativos ou não) que permitam a inferência de conhecimentos relativos às condições
de produção/recepção (variáveis inferidas) destas mensagens. (BARDIN ​apud ​DEUSDARÁ & ROCHA, 2006, p.38)
A partir dessas técnicas de análise, é possível inferir os principais pontos destacados na fala dos entrevistados e com isso,
avaliar quais são as características que garantem a permanência de empresas desse ramo no mercado, além de expor se fatores
internos como os produtos, os serviços e a cultura organizacional do negócio são essenciais para que isso ocorra.

2.1.5. Análise

Os entrevistados responderam a dez perguntas sobre temas relacionados ao tempo de atuação no mercado, aos serviços
oferecidos e como são precificados, as demandas dos clientes pelos serviços e a situação do mercado de comunicação no estado
de Goiás.
Em relação à “Trajetória”, foi notado que a empresa com maior tempo de mercado em Goiás possui 20 anos, o que indica
que ainda é recente a expansão do segmento de prestadoras de serviços em comunicação no estado. ​Em contraponto, a agência
que possui somente 2 anos de negócio, apresenta um desempenho similar em relação às demais pesquisadas.
Foi identificado que o processo de escolha de serviços partiu no primeiro momento do conhecimento prévio que os
empreendedores possuíam de experiências profissionais e acadêmicas. Com a inserção dessas empresas no mercado e o
relacionamento criado por estas com os clientes, os empresários perceberam a necessidade de implantar novos serviços para
suprir as demandas. Como relatou o responsável pela empresa 1, ​“os serviços de assessoria de imprensa já eram fornecidos pela
sede da empresa de São Paulo. Já os serviços de comunicação interna surgiram por demanda.”
Os principais serviços ofertados são relacionados à assessoria de imprensa e eventos corporativos, pois são considerados
os mais solicitados por quem procura os serviços das agências. A empresa 4, segundo o proprietário ​“trabalha basicamente com
comunicação em assessoria de imprensa e organização de eventos empresariais.” A
​ pesar disso, foi evidenciado que o

gerenciamento de redes sociais também possui uma procura acentuada pelo público goiano.
Ainda em relação a esse tópico, é nítido que os clientes persistem em procurar serviços pontuais ou específicos e deixam
de lado a importância do planejamento de comunicação para suas organizações, o que revela a ausência de uma cultura de
comunicação no cenário empresarial do estado. Como foi exposto pela empresa 2: ​“cerca de 90% dos nossos clientes chegam
aqui com a procura de trabalhos isolados, pontuais”.
Em geral, os proprietários das empresas analisam a quantidade de demandas das contas que seus colaboradores são
responsáveis e realizam uma divisão equalitária de tarefas entre estes. Essa percepção foi ressaltada pela empresa 1: ​“existe uma
formação da equipe, ela é analisada de acordo com a demanda. Não existe essa obrigatoriedade de todas as pessoas estarem
envolvidas, buscamos formar equipes para que exista uma linearidade do trabalho.”
Em grande parte das empresas entrevistadas, a clipagem e o relatório seja semanal ou mensal constituem as principais
formas de monitoramento e métrica que essas realizam para divulgar resultados de seus trabalhos para os clientes. Como a
empresa 4 relatou: ​“a forma que nós encontramos então é fazer um relatório detalhado do resultado do trabalho que está sendo
desenvolvido. Nós fazemos o clipping, a centimetragem, fazemos a valoração disso, quanto custaria se aquilo fosse pago como
publicidade”. P
​ orém, há casos excepcionais, como nos serviços relacionados às redes sociais, em que fica evidente o uso de

dados fornecidos por ​software ​ou pelas próprias mídias digitais para analisar o engajamento do público-alvo dos contratantes com
o trabalho realizado.
Em relação ao preço cobrado pelos serviços, ficou esclarecido que para a valoração dos serviços são levados em conta,
principalmente, as suas despesas fixas (salário dos profissionais, recursos materiais e manutenção da estrutura física). Boa parte
delas está satisfeita com os valores pagos por seus clientes pela assistência oferecida, apesar de haver uma árdua negociação de
preços com eles. ​“O tempo gasto no serviço, o valor a ser pago em despesas como locação do imóvel, também são levados em
consideração para a formação do preço a ser pago”,​ infere o responsável pela empresa 1.
Quanto a empreender no ramo de comunicação, todos declararam ser promissor, na medida em que o profissional está
preparado o máximo possível para vivenciar o desafio de iniciar uma prestadora de serviços comunicacionais. Além disto, tal nicho
empresarial é promissor quanto ao reconhecimento dos profissionais que se lançam nesse mercado. Na visão dos
empreendedores goianos, o mercado está em expansão e fornece diferentes oportunidades para a atuação da empresa. ​“A
empresa nesse setor é promissora a partir da premissa em que ela oferece trabalhos com qualidade e sabem conquistar o
público-alvo”,​ respondeu a empresa 2. Porém, foi destacado pelos empresários que os profissionais ​freelancers que trabalham na
área prejudicam a prospecção de novos clientes, já que estes possuem tendência a cobrar valores mais baixos do que as
empresas do ramo.
Por meio desta análise, confirmou-se a hipótese de que, em sua grande maioria, as empresas localizadas em Goiânia e
redondezas, realizam apenas serviços específicos demandados conforme a necessidade de cada cliente. E que essas
necessidades influenciam diretamente na escolha da cartela de serviços que cada empresa opta por utilizar.
Além disso, concluímos que a segunda hipótese também é verdadeira, pois segundo os entrevistados, de fato existe uma
procura acentuada por empresas especializadas na prestação de serviços voltados para área da comunicação. E que graças a
este fato, o setor encontra-se em um momento de plena expansão para as empresas que se destacam no mercado por sua
qualificação e nível de profissionalização na prestação de serviços.

2.2. PESQUISA COM CLIENTES DE EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO


Essa pesquisa foi realizada a fim de compreender a opinião dos clientes de empresas de comunicação do mercado
goianiense a respeito da terceirização de produtos e serviços da área e da qualidade dos serviços contratados. Desse modo,
busca-se identificar as principais necessidades e demandas das empresas contratantes em relação às assessorias e agências que
prestam serviços de comunicação e compreender qual a importância e o reconhecimento que estas dão ao setor dentro de sua
matriz organizacional.
A pesquisa foi enviada para os clientes de empresas de comunicação por e-mail, por meio de formulário da plataforma
Google Docs​ e foi realizado o contato via telefone para solicitar a participação durante o mês de abril de 2015.
Para a construção da pesquisa, foram utilizados os métodos quantitativo e qualitativo, com perguntas fechadas e
questionamentos abertos, que se aprofundavam mais na realidade vivida pelo sujeito de pesquisa.
A escolha pela mesclagem das abordagens quantitativa e qualitativa nessa pesquisa se deu pelo fato de que a utilização
conjunta dos dois tipos permite recolher mais informações do que se poderia conseguir isoladamente (FONSECA, 2002, p. 20).
Além disso, a pesquisa quantitativa permite um olhar mais objetivo do cenário a ser estudado, enquanto que a qualitativa se
aprofunda nas realidades dos sujeitos entrevistados. Ou seja, a junção destas propiciou um melhor panorama a respeito da visão
dos clientes em relação às empresas de comunicação do mercado.
Assim, pretendeu-se identificar a visão dos clientes de empresas de comunicação em relação aos serviços prestados e o
interesse deles em implantar uma área de comunicação.

2.2.1. Pergunta problema

Como as empresas de serviços de comunicação são percebidas pelos clientes que as contratam? Existe a vontade dos
clientes em criar uma área de comunicação e não contratar mais serviços externos?
2.2.2. Objetivos da pesquisa

2.2.2.1. Objetivo Geral

● Identificar a opinião de organizações do mercado goianiense sobre os serviços realizados por empresas de comunicação.

2.2.2.2. Objetivos Específicos

● Ver o panorama da importância das empresas de comunicação para esses clientes e compreender a satisfação destes em
relação aos serviços contratados;
● Analisar o relacionamento entre clientes e empresas de comunicação;
● Compreender se há indícios de algumas expectativas de serviços que ainda não foram atendidas por essas empresas.

2.2.3. Hipóteses

● Tais negócios são procurados, em muitos casos, pelas organizações para realizar gerenciamento de crise;
● As empresas são contratadas, muitas vezes em trabalhos pontuais, por causa da falta de conhecimento dos proprietários
sobre o relacionamento com os públicos;
● Os clientes não reconhecem todos os serviços que as empresas de comunicação ofertam;
● O atual cenário econômico propicia a contratação de empresas de comunicação apenas para a realização de tarefas
pontuais e inadiáveis.
2.2.4. Metodologia de coleta

Questionário semiestruturado com 8 perguntas (APÊNDICE B), abertas e fechadas de múltipla escolha, alocado na
plataforma ​Google Docs e enviado via e-mail e via rede social ​Facebook.​ A pesquisa foi enviada para profissionais de
organizações que atuam na contratação de empresa terceirizada de comunicação.

2.2.5. Metodologia de análise

A metodologia utilizada para analisar a pesquisa é a análise de conteúdo para as duas perguntas abertas e a análise das
alternativas escolhidas pelos respondentes nas questões fechadas.

2.2.6. Análise

Os sujeitos desta pesquisa responderam a oito perguntas que abordavam questões quanto aos serviços que contratam das
empresas de comunicação, como eles avaliam a prestação desses serviços e o interesse deles em ter uma área de comunicação
própria na sua organização. ​É relevante ressaltar que os respondentes do questionário representam empresas de diferentes ramos
de atuação.

2.2.6.1. Análise questões fechadas

Dentre os serviços mais procurados pelos clientes de empresas de comunicação, estão a gestão de redes sociais, criação e
produção de conteúdos para sites e produção de materiais gráficos, com 80%. A procura por assessoria de imprensa também é
expressiva, sendo apontado por 60% dos respondentes.
A criação e a produção de vídeos institucionais e elaboração e aplicação de pesquisas são demandados por metade dos
entrevistados, enquanto o desenvolvimento de planejamento de comunicação é procurado por 40%. As ações de comunicação
interna compreendem 30% da demanda. Já o gerenciamento de crises representa somente 20%.
Dentre os entrevistados, percebe-se que estes não demandam serviços de planejamento e execução de eventos e ​media
training.​ Somente 10% destacaram que gostariam que o serviço de uso e monitoramento da rede social ​Instagram fosse oferecido
pelas empresas de comunicação.
Dentre os respondentes da pesquisa, 60% avaliam como bom os serviços prestados pelas empresas de comunicação e
30% consideram o serviço prestado como regular, apenas 10% avaliou como ótimo.
A forma de relacionamento da empresa com o cliente durante a execução do serviço por meio de telefonemas, reuniões,
troca de e-mails dentre outros, foi avaliado por 70% dos entrevistados como boa. E 20% dos respondentes avaliaram como ótimo
esse relacionamento, enquanto 10% avaliou como regular.
Em relação à elaboração de um planejamento para avaliar a necessidade de realizar outros serviços, cerca de 60% dos
clientes receberam a sugestão de produzir o planejamento. Enquanto os demais (40%) não receberam a proposta por parte da
empresa que contrataram.
Todos os entrevistados julgam como extremamente importante a execução de ações de comunicação nas suas empresas.
Entretanto, há uma divisão quando questionados sobre a necessidade de implantação de uma área de comunicação, metade dos
entrevistados responderam que não veem necessidade e a outra metade respondeu que sim.

2.2.6.2. Análise das questões abertas


Em relação à contratação dos serviços de comunicação terceirizada, as empresas alegaram contratá-los pela praticidade e
especialidade na realização dos serviços, pela execução de maneira ágil e eficaz e também por terem uma equipe pequena que
não possibilita deixar suas funções para cuidar das áreas de comunicação.
Das dez empresas questionadas sobre a vontade de implantar uma área de comunicação na organização, duas já possuem
a área e assumem a importância dela junto ao seu grupo de colaboradores. Já as outras oito julgam o serviço fornecido por
empresas de comunicação importantes e, por isso, permanecerão com o serviço terceirizado, algumas por questão de espaço
físico, outras por julgar que esta é a melhor forma de funcionamento.
Com esta pesquisa, foi possível identificar que os clientes reconhecem o trabalho prestado pelas empresas de
comunicação, pois entendem que as empresas possuem conhecimento técnico para executar os serviços. Neste sentido, a maioria
dos clientes demonstrou que não objetivam implantar uma área voltada especialmente para trabalhar a sua comunicação.
A análise das questões fechadas e abertas possibilitou identificar as hipóteses que foram confirmadas ou refutadas nesta
pesquisa. Quanto ao fato de que as empresas de comunicação só são procuradas para realizar gerenciamento de crises, esta
hipótese foi refutada, visto que a porcentagem de empresários que procuram por gerenciamento de crises é consideravelmente
menor em comparação com outros serviços oferecidos.
Também foi identificado que as empresas são contratadas por possuírem mais experiência para lidar no relacionamento
com os públicos. Em relação aos serviços, podemos considerar que a hipótese de que os clientes não reconhecem todos os
serviços que podem ser oferecidos pelas empresas de comunicação foi confirmada. E no caso do atual cenário econômico a
hipótese foi refutada, visto que os clientes procuram diversos serviços oferecidos pelas empresas de comunicação e não relataram
que a economia tem influenciado na escolha dos serviços contratados.

3. DIRETRIZES ORGANIZACIONAIS
Alcançar resultados positivos é o principal interesse das organizações. E a definição das diretrizes organizacionais (missão,
visão e valores) podem orientar as empresas a escolher os próximos passos que ela vai seguir para atingir o sucesso. Essas
definições podem respaldar a atuação da Imagética Comunicação, já que estabelecem o que a empresa quer oferecer aos seus
clientes.
A delimitação das diretrizes pode ser feita somente pela empresa ou ser criada a partir da opinião dos públicos, pois como é
colocado por Grunig (2009, p. 27) “os públicos também têm interesses nas organizações e podem, assim, empenhar-se para
influenciar as missões e os objetivos dessas organizações”.
Os empresários, quando atuam no mercado, possuem a visão do que eles querem que a empresa seja, tendo em vista
como eles “imaginam” a atuação da organização a longo prazo. Kunsch (2003, p. 252) define que “a visão de uma organização
está relacionada com o futuro. É como ela deseja ser vista, considerada pelos seus públicos estratégicos, seus clientes,
acionistas”.
Enquanto visão define o que a empresa quer ser, na missão é possível delimitar o seu campo de atuação. Pois nela é
expressa a razão de ser da empresa e como é a sua presença na sociedade (KUNSCH, 2003). Os produtos e serviços que são
oferecidos pela empresa, podem estar presentes na missão mesmo que de forma ampla.
A cultura organizacional de uma empresa está totalmente ligada aos valores que ela cultiva, sendo estes explícitos ou não.
Esses valores advêm das convicções filosóficas, das crenças e características dos proprietários das empresas. Conforme Kunsch
(2003), é importante cultivar e fixar os valores e torna-los públicos para obter maior comprometimento.
Com isso, percebe-se a importância de delimitar as diretrizes organizacionais da Imagética Comunicação buscando orientar
sua atuação no mercado e disseminar os valores que a empresa possui. Essas serão planejadas e criadas no segundo semestre
do corrente ano.
4. ATUAÇÃO

A Imagética Comunicação atuará como uma organização prestadora de serviços na área de comunicação, nas demandas
relativas ao relacionamento com a imprensa, produtos web, planejamento e execução de eventos corporativos.
Os serviços atuarão de forma integrada, mesmo segmentados em três áreas, definidas de acordo com a pesquisa realizada
com os empreendedores do segmento da comunicação e observação dos componentes do grupo.

4.1. ASSESSORIA ESTRATÉGICA

Mapear as questões organizacionais da empresa é o primeiro passo para diagnosticar as suas necessidades. Nesta etapa,
são identificadas a missão, visão, valores, públicos, objetivos, situação do ambiente interno e externo, entre outros. A partir do
diagnóstico, o planejamento de comunicação é elaborado, onde são estabelecidas as diretrizes, projetos e ações para o
posicionamento da empresa.
Na etapa de planejamento, é necessária a definição de maneiras de acompanhamento e avaliação das ações. Martinuzzo
(2013, não paginado) corrobora que

A aferição e a qualificação dos resultados de investimentos em comunicação são decisivas. Elas são importantes para verificações
dos potenciais e almejados ganhos na percepção da imagem organizacional e também de ampliações nos índices de consumo de
produtos e serviços, por exemplo.

Cientes de que a “comunicação é um processo que envolve a todos” (MARTINUZZO, 2013, não paginado), durante estas
etapas os públicos internos devem tomar conhecimento desse processo que ocorre na organização. Este é o processo da
assessoria estratégica.
4.2. ASSESSORIA DE IMPRENSA

A assessoria de imprensa tem como objetivo atender clientes que precisam construir e/ou manter um relacionamento com o
público por meio da imprensa. Segundo Neves (2000, p.148) “assessoria de imprensa tem como missão sustentar a imagem da
empresa através da mídia”. Neste processo, ela possui um papel fundamental na construção de imagem e divulgação do
assessorado diante dos seus públicos de interesse.
Por isso, para Kunsch (2003, p.169), “a área de assessoria de imprensa pode ser considerada uma das principais frentes de
atuação no mercado da comunicação empresarial/organizacional no Brasil”.
Este fato é confirmado em alguns relatos apresentados na pesquisa com os empreendedores goianos da comunicação.
Conforme o pensamento desses, a assessoria de imprensa é um importante meio de disseminação das informações para os
públicos e, em muitos casos, é uma ferramenta de divulgação mais barata do que investimentos em agências de propaganda, o
que torna este serviço especialmente atrativo para clientes que não possuem muito capital para investir em comunicação.

4.3. RELACIONAMENTO DIGITAL


De acordo com os dados apresentados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)1 colhidos na Pesquisa
Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) referente ao ano de 2013, cerca de 50,1% da população acessou a internet neste
período.
O crescimento acentuado do número de usuários demanda a atenção dos profissionais de comunicação para o
desenvolvimento de planejamentos específicos para plataformas digitais; afinal, por ser um ambiente versátil e diversificado, pode
oferecer os benefícios significativos que:

Decorrem, principalmente, de características e aspectos próprios. Entre eles, sua condição de mídia de massa e de ferramenta para
a comunicação com a imprensa, a sua capacidade de localização do público-alvo, a presença em tempo integral, a eliminação das
barreiras geográficas e as facilidades que permite para a busca da informação e administração da comunicação em situações de
crise (PINHO, 2003, p. 33).

Essas características tornam necessário o desenvolvimento de estratégias direcionadas para a produção de conteúdo para
redes sociais e sites corporativos voltados para os públicos que a organização pretende atingir. Com isto, é possível detectar quais
as preferências desses usuários e determinar uma linha editorial que acompanhe seus interesses e que promova a interação.

4.4. EVENTOS CORPORATIVOS

O evento corporativo pode ser compreendido como uma ferramenta de comunicação e relacionamento de corporações com
os seus públicos de interesse. De acordo com Zanella (2004, p.13), o evento “para quem participa significa congraçamento e
integração, gerando e consolidando vínculos e relações de caráter profissional e pessoal”, o que auxilia na promoção da imagem
da empresa, tanto no âmbito interno quanto o externo.

1
Disponível em: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2014/09/mais-de-50-dos-brasileiros-estao-conectados-internet-diz-pnad.html Acesso em 26 maio
2015.
Evento é uma concentração ou reunião formal e solene de pessoas e/ou entidades realizada em data e local especial, com objetivo
de celebrar acontecimentos importantes e significativos e estabelecer contatos de natureza comercial, cultural, esportiva, social,
familiar, religiosa, científica etc (ZANELLA, 2004, p. 13).

E, a partir dos objetivos do cliente e da análise das necessidades dos públicos de interesse do contratante, a Imagética
organizará eventos corporativos visando à promoção da imagem da organização entre outros objetivos específicos.

5. ANÁLISE AMBIENTAL (ANÁLISE SWOT)

Advinda dos termos em inglês ​strengths​, ​weaknesses,​ ​opportunities e ​threats que formam a sigla SWOT, essa ferramenta é
a avaliação global das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, envolvendo o monitoramento dos ambientes externo e interno
das organizações (KOTLER, 2006). A partir dessa análise, é possível conhecer o que a empresa possui em sua estrutura em
termos de fatores positivos e negativos perante o mercado, assim como detalhar as variáveis externas à Imagética que podem
interferir no seu âmbito de atuação.

5.1. ANÁLISE ESTRATÉGICA (INTERNA E EXTERNA)


O ambiente externo e interno da organização é avaliado conforme os pontos fortes e fracos da empresa e, também, das
oportunidades e ameaças que podem influenciar a Imagética Comunicação. Por isso, sua análise consiste em oferecer subsídios
para que possua propósitos e ações estratégicas que estejam de acordo com suas reais limitações.
Para Oliveira (2010, p. 81), “a análise interna tem por finalidade colocar em evidência as deficiências e qualidades da
empresa que está sendo analisada”; ou seja, ver quais características da empresa contribuem e/ou limitam sua atuação de
mercado, seus serviços, produtos e outros aspectos inerentes a sua constituição.
Dentro desta análise de ambiente interno são elencados os pontos fortes e fracos do negócio em questão. Segundo o
autor, pontos fortes são as variáveis internas e controláveis que condicionam à empresa uma situação favorável em relação a seu
ambiente. Já pontos fracos são os fatores internos que provocam um cenário impróprio para o desenvolvimento desta (OLIVEIRA,
2010, p. 68).
Com olhar voltado para a análise externa, é visto que ela é realizada com a finalidade de estudar a relação existente entre a
empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e de ameaças (OLIVEIRA, 2010, p. 71), que podem influenciar nas grandes
decisões de uma organização. Conforme o autor, as oportunidades fazem parte do ambiente externo da empresa, não são
controláveis e criam condições favoráveis para esta. Enquanto que as ameaças são as que criam condições prejudiciais ou
desvantajosas para os objetivos do negócio.
Baseada nesse referencial teórico, apresenta-se a análise ambiental que tange à Imagética Comunicação, nos tópicos a
seguir.

5.1.1. Ambiente Interno

5.1.1.1. Pontos Fortes


● Atendimento qualificado;
● Custos materiais e operacionais baixos;
● Criatividade e inovação da empresa.

5.1.1.2. Pontos Fracos

● Não possui espaço físico;


● Ausência de experiência profissional dos empreendedores;
● Ausência de capital de giro.

5.1.2. Ambiente Externo

5.1.2.1. Oportunidades

● Mercado de comunicação em expansão;


● Expansão do uso das mídias digitais.

5.1.2.2. Ameaças

​ o mercado de comunicação;
● A atuação de ​freelancers n
● Crise financeira nacional e mundial;
● Ambiente político instável;
● Ampla concorrência.

6. PÚBLICOS

Todo prestador de serviço precisa pensar para quem oferece os seus trabalhos, que, neste caso, é conhecido como público,
de acordo com os princípios do ​marketing e da comunicação social. Conforme Kunsch (2003), os públicos de uma organização são
todos aqueles que têm relação com a empresa direta ou indiretamente e são categorizados em três definições: público interno,
misto e externo.
Já para Grunig (2009, p. 72-73), “os públicos consistem em grupos sociais que respondem às consequências que as
organizações exercem sobre eles e que, por sua vez, tentam ​participar​ das decisões que sirvam aos seus interesses”.
Os públicos internos são aqueles que se envolvem diretamente com a empresa. São eles: os diretores, colaboradores e
qualquer outra pessoa que de alguma forma está ligada internamente com a organização. Já os mistos são os fornecedores,
revendedores ou pessoas que possuem algum vínculo jurídico. Por fim, os públicos externos são aqueles que não
necessariamente possuem vínculos com a empresa, mas tem, de alguma, forma contato com ela, podem ser estes os
consumidores, imprensa, entre outros (KUNSCH, 2003).
Para o sucesso de uma organização, é importante definir seu público de interesse, também conhecido como públicos-alvo.
A importância dessa definição serve para saber como atuar e as maneiras utilizadas para que os produtos alcancem quem
realmente tem interesse em adquiri-los. De acordo com Kunsch (2003, p.332), “[...] cada organização tem seus públicos
específicos. A necessidade de sobrevivência das empresas faz com que alguns públicos sejam mais importantes que outros em
determinadas circunstâncias”.
Outra nomenclatura utilizada para definir pessoas que possuem relação com as organizações é o conceito de ​stakeholders,
que são definidos como “qualquer indivíduo ou grupo que pode influenciar ou ser influenciado pelos atos, decisões, políticas,
práticas ou objetivos de uma organização” (FREEMAN ​apud​ GRUNIG, 2009, p. 84)
Sob os pressupostos desse conceito, todos são considerados públicos, pois mesmo quem não tem contato direto com a
instituição, pode com as suas opiniões afetar o desenvolvimento da empresa. Os indivíduos ou grupo de pessoas que podem vir a
​ a Imagética Comunicação são descritos nos tópicos a seguir.
ser ​stakeholders d

6.1. PÚBLICOS ESTRATÉGICOS – RELACIONAMENTO E COMUNICAÇÃO

Nas relações públicas voltadas para empresas, têm-se os públicos estratégicos (​stakeholders​) como uma parte essencial da
criação das organizações, uma vez que o princípio de uma empresa existir é atender as demandas e necessidades de um público
em potencial, seja ele consumidor de seus produtos ou quem fornece insumos para o seu desenvolvimento.
Diante deste cenário, Marquêz (2010, p. 1) ressalta que “os públicos em Relações Públicas são a razão de ser de qualquer
relação, pois estabelecem os diversos modos de interação entre uma organização e seus públicos de interesse”.
Desse modo, identificar os públicos que irão ser ligados à Imagética, é fundamental para estabelecer o nível de
dependência, relacionamento e interposição que estes terão na estrutura, nas estratégias, nas diretrizes e ações relacionadas à
identidade e imagem empresarial da agência.

6.1.1. Identificação e análise dos públicos estratégicos (​stakeholders)​

Devido à Imagética ainda estar em fase inicial de experiência, não é possível desenvolver o mapeamento lógico dos
públicos com quais ela se relacionará. Porém, propõe-se a identificação destes na figura abaixo.
Figura 1 –​ Públicos estratégicos iniciais da Imagética Comunicação. Fonte: Produção própria.

A situação apresentada na figura 1 pode ser descrita da seguinte forma: A Imagética Comunicação possui relacionamento
mais pontuais com parceiros, fornecedores e ​freelancers​, pois tais negócios serão demandados apenas quando houver ações que
estejam fora do contexto comercial em que a agência se insere; ou seja, encargos que não sejam ligados ao cenário
comunicacional. Também possui relacionamento com os clientes, a sociedade, os veículos de comunicação e mídias sociais.
Pode-se entender como clientes, as organizações para as quais a Imagética prestará soluções comunicacionais, sendo eles
divididos em três grupos principais: empresas públicas e privadas e profissionais liberais (autônomos). Diante dessa divisão, é
possível elencar as seguintes informações a respeito do relacionamento agência-cliente:
Empresas Públicas ​– A Imagética pode atender órgãos de qualquer instância do governo seja ele municipal, estadual ou
federal. A agência seria contratada de maneira terceirizada e prestaria serviços/produtos de cunho institucional, como criação de
house organs,​ organização da comunicação interna, viabilização de ações de comunicação comunitária, gerenciamento de crises e
outros problemas pontuais.
Organizações Privadas ​– Esse será o foco principal da agência, pois trabalha com estratégias ligadas ao mercado e ao
marketing​, tão exploradas durante o período acadêmico. Serviços como propostas de ações de visibilidade empresarial com vistas
a formar a identidade, assessoria de imprensa, organização de eventos corporativos, entre outros, seriam divulgados pela
Imagética para prospectar esse público.
Profissionais Liberais ​– Com o aumento dos microempreendedores que muitas vezes são a sua própria marca, o mercado
com vista em profissionais liberais (autônomos) cresceu principalmente para a atividade de relações públicas. A Imagética atuaria
como ponte para o bom posicionamento no mercado e contribuir para o reconhecimento do trabalho oferecido por estes
profissionais para os seus públicos de interesse.
A prospecção de clientes é o principal foco da Imagética. Entretanto, para realizar essa ação, é necessário que a agência
tenha parcerias e contatos de empresas que auxiliem no processo de execução dos serviços contratados. Tendo isso em vista,
será necessário o apoio de ​freelancers,​ fornecedores, parceiros e equipe para o staff.
Para realizar o planejamento e execução dos eventos corporativos e na produção de materiais para a web, a Imagética
contratará empresas fornecedoras dos seguintes serviços ou produtos:
Espaço de eventos - ​Determinados tipos de eventos demandam a locação de um local que comporte a quantidade de
convidados e esteja de acordo com a estrutura planejada para o evento.
Buffet - ​Muitos eventos e reuniões requerem que seja oferecida alimentação para os participantes. Nesse caso, a Imagética
terá contatos com empresas que oferecem buffets, desde um café da manhã, em reuniões, até um jantar sofisticado em algumas
ocasiões.
Equipamentos de som e iluminação - ​Som e iluminação de qualidade são importantes para que um evento seja bem
sucedido. Algumas empresas já possuem estes equipamentos, por exemplo, um auditório equipado. Outras precisam terceirizar a
contratação dos equipamentos e dos profissionais que vão auxiliar na montagem e seu funcionamento. Por isto, a Imagética
contará com parcerias com empresas que oferecem estes serviços.
Cobertura fotografia e cinegrafia - ​Eventos de grande porte requerem uma cobertura fotográfica e filmagem para registro
da empresa contratante. Por isso, a Imagética contratará profissionais que atuem na área e ofereçam um serviço qualificado. Caso
a Imagética receba demandas de produção de vídeos institucionais, poderá realizá-los com o apoio desses profissionais.
Segurança - Prezar pela segurança dos convidados de um evento é essencial, visto que estes são públicos importantes da
empresa que contratou os serviços da Imagética. Por isto, o contato com empresas de seguranças se fará necessário.
Gráficas - O contato com as gráficas será indispensável para a impressão dos materiais gráficos produzidos, como
cartazes, banners, ​flyers​, folhetos, pastas, cartões de visitas, dentre outros.
Quanto à produção dos materiais gráficos para eventos, divulgações, desenvolvimento de logos para clientes, diagramação
​ ue dependendo da demanda poderão ser designers gráficos ou
de jornais, será necessária a contratação de ​freelancers q
publicitários.
Para executar alguns eventos, será realizada a contratação de uma equipe de staff, que auxiliará no apoio das ações que
devem ser realizadas durante o evento. Neste caso, estão incluídos cerimonialistas, mestre de cerimônias, recepcionistas, técnicos
de som e iluminação que serão contratados pela Imagética.
Além disso, quando necessário, a Imagética poderá firmar parcerias com empresas previamente selecionadas para o
desenvolvimento de eventos e/ou ações paralelas para os seus clientes. Nestas parcerias, aconteceria a permuta de serviços entre
as empresas envolvidas para que as duas sejam beneficiadas durante o processo.
Já os veículos de comunicação são vistos como um público estratégico da Imagética, pois a criação de vínculos com
veículos e jornalistas é necessária para que os conteúdos produzidos pela agência sejam publicados nos canais de comunicação.
Por isso, este é um público fundamental a ser explorado, pois ele pode auxiliar na obtenção de resultados para os contratantes da
empresa.
As mídias sociais serão um importante meio para divulgação da Imagética e de seus clientes. O avanço das tecnologias faz
com que as empresas tenham que se modernizar e se inserir no ramo digital. Para isso, a Imagética será responsável por
diagnosticar quais de seus clientes precisam se incluir nas mídias digitais para alcançar seus clientes e quais dessas mídias é a
correta para cada cliente.
Um dos mais importantes públicos é a sociedade, pois ela é constituída pelos indivíduos que compram os produtos e
trabalhos oferecidos pelos clientes da agência. Nesta situação, a Imagética analisará sempre o público-alvo do cliente e suas
reações e mudanças para criar ou alterar os seus produtos de comunicação. Uma vez que esta é necessária não apenas no viés
mercadológico, mas também para viabilizar ações de comunicação comunitária, caso estas sejam requeridas pelas empresas
públicas ou privadas que a contratam.

6.2. BENCHMARKING​ DE PRÁTICAS COMUNICACIONAIS


Conhecer o mercado em que irá atuar e, principalmente, quem já trabalha nessa área, é fundamental. Desse modo, analisar
a atuação das empresas de comunicação em Goiânia e Aparecida de Goiânia se fez necessária. Nesta etapa, é feito o
benchmarking​, definido por Balm (​apud JUNIOR; VITAL, 2004, p. 61) como “o processo contínuo de medirmos os produtos,
serviços e práticas com os mais fortes concorrentes ou com as companhias reconhecidas como líderes da indústria”.
As empresas estudadas podem ser consideradas possíveis concorrentes da Imagética, tendo em vista, que atuam na
mesma área, possuem clientes de diferentes ramos de atuação e oferecem produtos/serviços similares aos quais se propõe a
oferecer ao público de interesse. Foram escolhidas empresas de Goiânia e Aparecida de Goiânia que atendem clientes tanto de
Goiás, quanto de outros estados como o Tocantins. Elas são: Interativa Comunicação e Eventos, Race Comunicação, FatoMais
Comunicação, Kasane Comunicação e KCMX Comunicação e Marketing.
Os aspectos analisados das empresas compreendem o tempo de atuação da empresa no mercado, qualificação profissional
dos colaboradores e proprietários, os produtos/serviços oferecidos e as mídias digitais que são utilizadas por eles. Estas
informações são importantes para perceber como a Imagética concorrerá com essas empresas.

6.2.1. Trajetória e qualificação

As empresas aqui analisadas já possuem uma trajetória no mercado goiano. No caso da Comunicação Interativa, ela já atua
há 20 anos em Goiânia e possui profissionais capacitados para realizar os trabalhos referentes à comunicação. Já a KCMX atende
há 2 anos e conta com uma equipe experiente, que já trabalhou em outras empresas de comunicação. A Kasane Comunicação
presta serviços na área há 9 anos e também possui colaboradores com experiência.
Com profissionais formados em comunicação, a FatoMais Comunicação atua no mercado há 11 anos. E a Race
Comunicação, única empresa analisada que possui filial em São Paulo, já atende em Goiânia há 9 anos. Com estas informações, é
percebido que essas empresas de comunicação são experientes no mercado e, possivelmente, são reconhecidas positivamente
pelo trabalho que desenvolvem para os seus clientes.

6.2.2. Produtos e serviços

Levando em conta os serviços propostos pela Imagética como foco de atuação, comparamos estes com os que as
empresas de comunicação aqui analisadas oferecem.
O primeiro produto observado é a assessoria de imprensa, que somente a KCMX Comunicação não oferece para seus
clientes. Entretanto, é uma área em que essas empresas atuam com frequência e, por exemplo, a Kasane Comunicação atende
principalmente clientes com este foco.
No caso das mídias digitais, somente a Kasane Comunicação não trabalha com este serviço. Já as outras empresas
atendem os clientes no planejamento e gerenciamentos das redes sociais.
As empresas que atuam no planejamento de eventos corporativos são a Comunicação Interativa e a Kasane Comunicação.
O papel de divulgação e assessoria de imprensa desses eventos também é feito pelas empresas, mesmo que não sejam
responsáveis pela execução.
Além desses serviços/produtos, as empresas oferecem ações para comunicação interna, gerenciamento de crises,
produção de materiais gráficos dentre outros. Conforme a demanda dos clientes, eles adequam-se ao mercado e oferecem novos
serviços. Como, por exemplo, realizam campanhas e ações pontuais. Com estas informações, percebe-se que as empresas de
comunicação oferecem serviços/produtos diversificados para atender a diferentes públicos.
6.2.3. Mídias digitais

Como meio de demonstrar os serviços/produtos que oferecem, as empresas de comunicação utilizam o ​website e redes
sociais. Esses meios são importantes para a disseminação das informações, visto que o alcance das publicações na web pode
atingir diferentes públicos.
Além do ​website​, a FatoMais Comunicação utiliza ​Facebook,​ ​Twitter,​ ​Linkedin e ​Flickr​. Essas ferramentas podem ser
utilizadas com enfoque diferente, pois tem o alcance diversificado para um determinado público. A empresa apresenta em seu site
os serviços que oferece, assim como os seus clientes.
Por sua vez, a Race Comunicação apresenta em seu site cases, clientes e serviços oferecidos. As outras mídias que
utilizam são: ​Facebook​, ​Twitter e ​Linkedin​. Já a Kasane Comunicação, está com o site em manutenção e utiliza atualmente o
​ ara interagir com os públicos, com postagens relacionadas aos seus clientes.
Facebook p
Com site e ​Facebook,​ a KCMX Comunicação utiliza esses meios para expor as informações sobre a empresa como:
clientes, serviços e trabalhos. A Comunicação Interativa possui site, ​Facebook,​ ​Flickr​, ​Linkedin,​ ​Twitter e um canal no ​Youtube.​
Estes são utilizados para difundir as informações sobre a empresa de comunicação.
Percebe-se que as empresas de comunicação utilizam as mídias digitais para dar visibilidade aos serviços que oferecem e
demonstrar os cases realizados. Inclusive, três das empresas analisadas usam o ​Linkedin para se apresentar ao mercado, uma
rede social de negócios utilizada principalmente por profissionais.

7. COMUNICAÇÃO
A comunicação faz parte do dia a dia de toda a sociedade e está diretamente ligada às trocas de informações, por meio da
fala, gestos, imagens e equipamentos eletrônicos dentre tantos outros meios que existem. Martino (2008, p.14-15), ao buscar
definir o termo comunicação, apontou que em sua significação mais fundamental, “refere-se ao processo de compartilhar um
mesmo objeto de consciência, ele exprime a relação entre consciências”.
A partir dessa definição, podemos compreender que há a presença de emissores e receptores na relação que infere na
troca de informações. Deste modo, para que esse processo seja efetivado, é preciso que não existam barreiras que interfiram na
comunicação, causando ruídos.
Ao abordar a comunicação no contexto organizacional, tem se que a maneira como o processo é conduzido interfere na
interpretação da mensagem passada, como é apontado no fragmento abaixo.

[...] as relações sociais que ocorrem no processo de comunicação envolvem o emissor, o receptor e seus efeitos recíprocos um no
outro à medida que se comunicam. Quando um emissor é intimidado por seu receptor durante o processo de envio de uma
​ UNSCH, 2003, p. 71).
mensagem, a própria mensagem e a interpretação dela serão afetadas (HALL ​apud K

No contexto da comunicação organizacional, nos deparamos com as redes formal e informal que estão presentes
simultaneamente nas empresas. A comunicação informal corresponde a uma fonte alternativa de busca de informações, que é
legitimada pelos indivíduos que atuam na empresa, mas não compõe a estrutura formal da organização. Por outro lado, a rede
formal advém da estrutura administrativa (KUNSCH, 2003).
A falta de informações advindas da estrutura administrativa provoca descontentamento nos integrantes da organização que
em busca de mais informações acabam constituindo uma “rede de boatos”. Porém, quando este meio é utilizado a favor da
organização, ele pode facilitar o convívio dos envolvidos e gerar uma comunicação participativa quando de interesse da empresa.
As organizações lidam com diferentes públicos e precisam estar preparadas para os imprevistos que podem ocorrer. Para
isso, é preciso pensar uma comunicação estratégica, na qual o público deve ser avaliado com base nas suas especificidades e na
relação que possuem com a organização.

Por ser eminentemente proativa, a comunicação estratégica é um processo pelo qual a empresa conduz, intencionalmente, sua
comunicação de modo que ela seja clara, aberta e com objetivos voltados para o mercado e para seus públicos de interesse. Nesse
sentido, quando a organização planeja estrategicamente sua comunicação, ela o faz por meio de políticas e parâmetros sobre os
quais traça seu espaço de ação, classifica os públicos com os quais vai interagir e define o discurso a ser dirigido a cada um deles
(FERRARI, 2009, p. 158).

A partir destas reflexões, abordaremos o profissional de relações públicas que atua no mercado tendo como foco o
relacionamento da empresa com seus públicos, utilizando de diferentes ferramentas da área de comunicação para atingir
resultados positivos.

8. RELAÇÕES PÚBLICAS

O profissional de relações públicas é o responsável por cuidar estrategicamente da comunicação da instituição com seus
públicos, atuando tanto com a comunicação interna, quanto externa. Uma boa relação interna é essencial para alcançar resultados
positivos na prestação de serviços da empresa.
A definição de estratégias de comunicação auxilia nas tomadas de decisões e na relação entre colaboradores da área
operacional e presidentes, influenciando principalmente na comunicação entre eles. Buscando alcançar uma comunicação sem
ruídos e, assim, a comunicação institucional ser de qualidade.

A administração das organizações é, na sua essência, uma ampla gama de relações entre as pessoas. Relações entre as pessoas
são fundamentas na comunicação. Ela é a busca da compreensão e da harmonia, a necessidade de compreender o que os outros
querem e de fazer saber aos outros o que queremos, para que sejam atingidos objetivos e harmonizados interesses coletivos e
individuais. Podemos afirmar que a comunicação é o fundamento da administração (IANHEZ, 2006, p. 181).

Contudo, no Brasil, o relações-públicas não é muito reconhecido pelas empresas. Algumas instituições ainda julgam não
ser importante a contratação de um profissional que cuide da comunicação, acreditando na falácia que qualquer indivíduo pode
realizar esse processo. Com isso, é comum encontrar profissionais que não são qualificados exercendo as funções cabíveis ao
relações-públicas. Conforme aponta Grunig:

As relações públicas são a maneira pela qual as organizações comunicam-se com seus públicos. Embora boa parte da
comunicação por parte da organização ocorra ao acaso, as relações públicas utilizam a comunicação de forma planejada e
coordenada por administradores que são profissionais da área (GRUNIG, 2009, p.28).

O Conselho Federal de Relações Públicas (Conferp) definiu quatro funções específicas da profissão, diagnosticar,
prognosticar, propor políticas e estratégicas, implementar programas. Como é explanado por Kunsch:

O Brasil, o Conselho Federal de Profissionais de Relações Públicas (Conferp), por meio do documento Conclusões do Parlamento
Nacional de Relações Públicas definiu como funções especificas do relações públicas:1.Diagnosticar o relacionamento das
entidades com seus públicos;2. Prognosticar e evolução da reação dos públicos diante das ações das entidades 3. Propor políticas
e estratégicas que atendam às necessidades de relacionamento das entidades com seus públicos; 4. Implementar programas e
instrumentos que assegurem a interação das entidades com seus públicos (KUNSCH, 2003, p.126).

Com a intenção de levar mais reconhecimento da profissão ao mercado e para mostrar a necessidade de um profissional
de relações públicas no planejamento, execução e avaliação das funções relacionadas à área de comunicação, quatro estudantes
de comunicação se juntaram para criar a Imagética, uma empresa com dedicação e compromisso, que exerce uma comunicação
eficaz com os públicos internos e externos das contratantes.
Segundo Kunsch (2003), para que uma organização seja eficaz, uma das funções básica do relações-públicas é o
planejamento, que serve para evitar imprevistos. Este profissional tem a missão de controlar e prever possíveis acontecimentos
que possam impedir o desenvolvimento da organização. Para isto, é necessário que já no início do trabalho com a organização, se
realize um planejamento que possa ajudar a prever possíveis acontecimentos favoráveis ou não no futuro.

9. PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS

O planejamento estratégico é um procedimento habitual adotado pelas organizações que desejam prever acontecimentos e
se preparar de maneira sólida para prováveis desdobramentos e influências dos mesmos, pois

O planejamento estratégico corresponde ao estabelecimento de um conjunto de providências a serem tomadas pelo executivo para
a situação em que o futuro tende a ser diferente do passado; entretanto, a empresa tem condições e meios de agir sobre as
variáveis e fatores, de modo que possa exercer alguma influência (OLIVEIRA, 2010, p.4).

O planejamento é fundamental para que este conjunto de providências aproveite sabiamente as situações oportunas e se
desvencilhe de maneira adequada das inoportunas, desenvolvendo soluções e métodos eficientes para a realidade da
organização.
No entanto, quando a execução do planejamento estratégico é voltada para a comunicação organizacional, existem
diferenças básicas entre o modelo tradicional e o processo voltado para as interações comunicacionais.
O planejamento, em sua função convencional, tenta prever interferências e variáveis que influenciem direta ou indiretamente
no progresso da organização. Quando é pensado para o desenvolvimento dos processos de comunicação, sua natureza exige que
os públicos sejam levados em consideração na produção das ações e metas delimitadas no plano final. ​Pois, segundo Kunsch
(2003, p. 247) ,neste momento “​a área de relações públicas deve trabalhar para formatar todo um plano estratégico de
comunicação institucional, administrativa e interna no âmbito da comunicação organizacional, tendo como alvo todos os públicos
vinculados com a organização”.
Deste modo, as etapas do planejamento estratégico compostas por pesquisa, planejamento, implantação e avaliação,
propostas por Kunsch (2003), caminhem em direção aos interesses dos públicos da organização, pois estes influenciam
diretamente as decisões do empreendimento.

10. PLANEJAMENTO DE RELAÇÕES PÚBLICAS PARA A IMAGÉTICA COMUNICAÇÃO

Para criar e estruturar a empresa, assim como propor o relacionamento dela com seus diversos públicos, foram delineadas
cinco macroestratégias, descritas a seguir.

10.1. MACROESTRATÉGIA 1: ​DEFINIÇÃO DAS DIRETRIZES ORGANIZACIONAIS DA EMPRESA


10.1.1. Objetivo Geral

● Estabelecer as diretrizes organizacionais da agência para que ela tenha foco em seus objetivos e desafios propostos.

10.1.1.1. Objetivos Específicos

● Criar ideais mercadológicos e éticos que expliquem o motivo da inserção da Imagética Comunicação no cenário do mercado
goianiense;
● Elaborar parâmetros que delimitem a atuação da agência perante seus públicos.

10.1.2. Estratégia

● Definir a missão, visão e valores que atribuem identidade à agência, razões de existência e objetivos a serem traçados para
o seu contínuo crescimento.

10.1.3. Justificativa

O futuro de uma empresa em início de atuação não depende apenas dos esforços de seus colaboradores, mas também do
planejamento teórico de seus propósitos para o mercado e nicho de público em que está se inserindo. Com isto, ela pode delimitar
sua cartela de serviços, assim como observar o que pode contribuir na realização de seus objetivos.
10.1.4. Públicos

Público interno (sócios), clientes e sociedade.

10.1.5. Cronograma

O planejamento e construção das diretrizes organizações ocorrerá no mês de junho de 2015.

10.1.6. Avaliação e controle

As diretrizes organizacionais serão avaliadas de acordo com o contexto do cenário social e comunicacional do momento.
Caso os modos de interação cliente-empresa e a cultura da organização mudassem de acordo com o tempo, seria verificado se
isto poderia refletir em seus propósitos e, a partir disso, modificar a sua redação.

10.2. MACROESTRATÉGIA 2: ​CRIAÇÃO DE IDENTIDADE VISUAL

10.2.1. Objetivo Geral

● Garantir à Imagética Comunicação uma marca visual de referência.

10.2.1.1. Objetivo Específico


● Definir os materiais gráfico-visuais que garantem à agência a sua identificação no mercado, assim como para seus clientes
e outros públicos.

10.2.2. Estratégias

● Planejar e criar a marca da agência, assim como o seu manual de uso;


● Elaborar a papelaria (cartão dos sócios, folhas, envelopes, pastas, canetas, papel timbrado, etc) da empresa de acordo com
a marca para fazer a sua divulgação perante os públicos-alvo.

10.2.3. Justificativa

A identidade visual de uma empresa é a sua representação de imagem no mercado. Toda e qualquer ação desempenhada
pela agência ou realizada pelos públicos em relação a ela necessita de uma marca para criar referência à empresa em si. Por isso,
é necessário reunir esforços para a execução desse objetivo.

10.2.4. Públicos

Público interno (sócios), clientes e sociedade.

10.2.5. Recursos

Designer gráfico, itens de papelaria, serviços de impressão.


10.2.6. Cronograma

As estratégias elencadas para esse tópico serão executadas a partir do segundo semestre desse ano, ao longo do mês de
agosto de 2015.

10.2.7. Avaliação e controle

A avaliação será feita de acordo com a fixação da marca pelos clientes e o ​feedback de outros especialistas. Caso a
identidade visual da agência não tenha surtido o efeito esperado, serão realizadas pesquisas para a criação de ações corretivas
para as falhas cometidas em relação a esta macroestratégia. .

10.3. MACROESTRATÉGIA 3: ​DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE PRESENÇA VIRTUAL

10.3.1. Objetivo Geral

● Planejar as formas de presença e comunicação da agência via internet.

10.3.1.1. Objetivos Específicos

● Estabelecer contato com o público da empresa por meio de páginas alocadas na internet;
● Facilitar o acesso dos clientes aos sócios da empresa, assim como os seus serviços/produtos.

10.3.2. Estratégias
● Criar e-mail da agência;
● Planejar e executar o site da empresa;
● Criar página no ​Facebook​.

10.3.3. Justificativa

Em um mundo globalizado e totalmente conectado por redes sociais, criar estratégias que viabilizem a presença virtual da
Imagética Comunicação chega a ser uma obrigatoriedade nos dias em que vivemos. Desse modo, os domínios na internet (site,
e-mail e ​Fan Page​) seriam mais uma ponte de conexão entre os públicos e a agência.

10.3.4. Públicos

Público interno (sócios), clientes, imprensa e empresas terceirizadas.

10.3.5. Recursos

Internet banda larga e ​webdesigner​.

10.3.6. Cronograma

A execução de ações operacionais para a realização eficaz destas estratégias ocorrerão ao longo do mês de agosto de
2015.
10.3.7. Avaliação e controle

Serão utilizados tópicos apropriados para a avaliação e controle das ações em relação ao site, e-mail e ​Fan Page da
agência, para que, assim, se disponibilize subsídios para que estes sejam modificados de acordo com a interatividade do público.
Tais tópicos podem ser observados a seguir:
​ acessibilidade; usabilidade; conteúdo de fácil leitura e acesso; ​layout​ padronizado.
Site​ –
E-mail​ ​– ​linguagem utilizada; expressões de cortesia; assinatura digital; possibilidades de uso;
Fan Page – i​ nteratividade com os públicos (curtidas, compartilhamentos e comentários); programação de postagens;
identidade visual das imagens; conteúdo.

10.4. MACROESTRATÉGIA 4: ​BANCO DE CONTATOS

10.4.1. Objetivo Geral

● Fazer a listagem de contatos estratégicos da Imagética Comunicação.



10.4.1.1. Objetivo Específico

● Facilitar o acesso dos profissionais da empresa aos dados pessoais e comerciais dos públicos;

10.4.2. Estratégias
● Criar ​mailing​ dos contratantes e dos possíveis clientes;
● Criar ​mailing​ de imprensa dos maiores veículos de comunicação do Estado;
● Elaborar ​mailing ​de empresas terceirizadas.

10.4.3. Justificativa

O ​mailing facilita o acesso e a organização do banco de contatos da empresa, por isso, ele faz-se essencial para o pleno
desempenho da agência.

10.4.4. Públicos

Público interno (sócios).

10.4.5. Recursos

Telefone, ​notebooks​, acesso à internet.

10.4.6. Cronograma

A elaboração do ​mailing​ geral​ ​está prevista para junho e agosto de 2015.

10.4.7. Avaliação e Controle


​ ue não foram entregues aos destinatários, quais telefones não se encontram mais
Será quantificado o número de ​e-mails q
utilizados, entre outros, para a renovação do ​mailing mensalmente. Com isso, a avaliação e o controle dessa macroestratégia
aconteceriam de forma contínua.

10.5. MACROESTRATÉGIA 5: ​PROSPECÇÃO DE CLIENTES PARA O FUNCIONAMENTO DA EMPRESA

10.5.1. Objetivo Geral

● Criar estratégias que possibilitem a contratação da agência pelo seu público-alvo.

10.5.1.1. Objetivos Específicos

● Desenvolver as formas de abordagem comercial da empresa com seus clientes;


● Elaborar os princípios de ​marketing​ utilizados na agência para vender seus serviços/produtos;
● Tornar o empreendimento mais atrativo que a concorrência para as empresas contratantes.

10.5.2. Estratégias

● Planejar como será a apresentação dos serviços/produtos da agência para seus possíveis clientes;
● Utilizar o ​mailing de clientes para estabelecer relações sólidas entre a agência e seu público-alvo ou a contratação de ações
mais pontuais;
● Pesquisar a precificação dos serviços/produtos de empresas de comunicação concorrentes de nível local e regional para a
tentativa de ofertar a melhor relação custo-benefício aos contratantes;
● Conseguir um cliente para testar o desempenho da empresa.

10.5.3. Justificativa

Para um empreendimento em fase de início ter continuidade no mercado, ele necessita de habilitar maneiras de prospecção
de clientes que o favoreçam em frente à concorrência. Além disso, são eles que garantirão a lucratividade e crescimento do
negócio. Por isso, a implantação de tal macroestratégia é essencial para afirmar a existência da Imagética Comunicação no ramo
empresarial.

10.5.4. Públicos

Público interno (sócios), público estratégico (clientes e empresas terceirizadas).

10.5.5. Recursos

Telefone, acesso à internet, material gráfico de divulgação, transporte.

10.5.6. Cronograma

Ao longo do mês de setembro de 2015, serão executadas ações que viabilizem as estratégias elencadas nesta parte do
trabalho.
10.5.7. Avaliação e Controle

De acordo com o número de fechamento de contratos com a agência para operacionalizar serviços de comunicação para
outros empresas e negócios, será analisada a eficácia das estratégias de prospecção de clientes. Caso elas não sejam efetivas
para o trabalho a ser realizado, será feito reuniões de ​brainstorming entre os sócios da agência e pesquisas de mercado que
dinamizem esse processo.

11. IMPLANTAÇÃO E AVALIAÇÃO

As estratégias delimitadas para a empresa e os seus respectivos clientes serão descritas e avaliadas nos próximos tópicos.

11.1. DEFINIÇÃO DAS DIRETRIZES ORGANIZACIONAIS DA EMPRESA

As diretrizes organizacionais de uma empresa são definidas com o intuito de orientar a atuação, o posicionamento
mercadológico e as formas de relacionamento com os seus respectivos públicos. Elas são compostas pela missão, visão e valores.
Em virtude disso, as diretrizes representam os valores que verdadeiramente compõem a identidade da organização, pois de
certo modo, elas são o registro para apresentar uma empresa à sociedade. A partir dessa percepção, foram elaboradas as que
tangem aos objetivos da Imagética Comunicação.
Para a concepção das diretrizes da agência, fez-se a revisão bibliográfica embasada na obra literária de Margarida Kunsch,
referente ao que elas são e a sua importância para um negócio. Após esta etapa, foram realizadas reuniões entre a equipe a fim
de definir a sua razão de ser, visão de futuro e os valores que a representam.
Os sócios optaram por diretrizes que simbolizam o papel da agência como fomento capaz de estimular o desenvolvimento
de negócios e carreiras (neste caso, de profissionais liberais) por meio do uso e aplicação de métodos e estratégias de
comunicação aprendidos ao longo do curso de Relações Públicas. Com isso, foi possível destacar a função da agência, levando
em conta os produtos/serviços que esta é capacitada para realizar, o que definiu as seguintes diretrizes.

11.1.1. Missão

Impulsionar carreiras e negócios por meio de estratégias de comunicação.

11.1.2. Visão

Ser reconhecida no mercado de empresas de comunicação goiano pela excelência no desenvolvimento de projetos de
comunicação para organizações privadas e públicas.

11.1.3. Valores

● Ética;
● Comprometimento;
● Inovação;
● Compromisso social.

Avaliar as ações da organização é imprescindível para sua ascensão no mercado, visto que a avaliação permite a melhoria
dos serviços prestados. As diretrizes organizacionais nortearão as atividades realizadas pela empresa e serão revisadas
constantemente, com o objetivo de manter a adequação dos preceitos às atividades exigidas pelo mercado.

11.2. CRIAÇÃO DE IDENTIDADE VISUAL

11.2.1. Criação da Marca

A marca é a principal responsável pela apresentação da organização ao seu público de interesse. Ela representa
graficamente os preceitos e valores que são o cerne da existência da empresa.

Podemos dizer que é a união de atributos tangíveis e intangíveis, simbolizados num logotipo, gerenciados de forma adequada e
que criam influência e geram valor. Isso requer um sistema organizacional integrado, que promete e entrega soluções diferenciadas
e desejadas pelas pessoas (MARTINS, 2006, p.8).

Para cumprir tais elementos, a construção da marca aconteceu a partir da escolha de uma nomenclatura que contemplasse
os aspectos intangíveis mais pertinentes aos sócios da agência. Assim, criou-se o nome fantasia “Imagética”, que é a junção de
dos termos “imagem” e “ética”, palavras citadas frequentemente no meio da comunicação social.
​ esse
Em seguida a escolha do nome, o logotipo foi criado visando apresentar simplicidade e legibilidade em seu ​layout. D
modo, para a sua concepção, foi escolhida uma fonte de fácil compreensão como a ​Arial,​ tipografia utilizada mundialmente em
diversos documentos e materiais gráficos.
A diferenciação da marca ficou por conta da modificação da letra “E” no nome fantasia, que possui a forma geométrica de
um triângulo retângulo para representar seu acento agudo e a estilização da letra em três barras horizontais, Os quatro elementos
fazem referência aos eixos de serviços prestados na agência: assessoria estratégica, assessoria de imprensa, eventos
corporativos e relacionamento digital. No apêndice A, há uma demonstração visual desse conceito da marca.

Figura 2:​ Logotipo da Imagética Comunicação.

Os preceitos básicos do logotipo estão relatados no Manual de Uso da Marca descrito abaixo.

11.2.2. Manual de Uso da Marca

Para orientar a utilização do logotipo em materiais gráficos, foi desenvolvido o manual de uso da marca (disponível no
apêndice U), que norteará a sua aplicação em relação aos seguintes aspectos: marca, dimensionamento mínimo, área de
proteção, tipografia, cores e usos proibidos. Para a sua produção, a equipe analisou manuais de grandes empresas que
apresentavam esses tópicos como principais. Elaborado no mês de agosto de 2015, o manual é direcionado para parceiros,
clientes e aos sócios da agência.
Segundo o site da agência de marketing digital ​Evonline​, consolidada há 10 anos no mercado curitibano de design gráfico,
as cores azul e branco significam respectivamente ​competência comunicativa e confiança​. Em razão disso, foi notado que era
viável a sua disposição também no material produzido para o manual.
Em sua apresentação, é descrito a função do conteúdo do manual e a relevância do seu uso para a empresa e
posteriormente, houve a especificação do que é a marca a fim de contextualizar o leitor.
Figura 3:​ Apresentação do Manual de Uso da Marca.

A marca poderá ser aplicada em diferentes materiais, porém estes deverão seguir a orientação de que outras informações e
elementos gráficos não podem ultrapassar a área de proteção definida no manual de uso, pois esta é utilizada para preservar a
sua visibilidade.
A única fonte utilizada para reprodução do logotipo é a aplicada em sua marca original, levando em consideração que o
nome “Imagética” foi estilizado e não pode ser modificado.
Em relação às cores, foram definidas duas cores principais: branca e azul-escura. Desta forma, recomenda-se que as
aplicações principais da marca são aquelas em que o logotipo pode ser apresentado na cor branca com fundo azul-escuro ou
vice-versa. Outras cores para o logotipo e seu fundo podem ser utilizadas, desde que não prejudiquem sua compreensão visual e
respeitem seus critérios de legibilidade e contraste.
Para garantir a leitura visual do logotipo, são estipuladas no manual, normas para seu dimensionamento mínimo, no qual a
imagem pode ser reduzida sem comprometer a sua visualização. Além disso, para preservar a sua nitidez, também é determinado
um espaço equivalente à altura da letra “M” do logo, que possui a finalidade de demonstrar a distância da marca de qualquer outra
imagem ou tipo que possa afetar a sua legibilidade.
Por fim, o manual esclarece que não serão aceitos os usos da marca que permitem a apresentação das letras em cores
distintas; aplicações do logo em itálico ou com linhas de contorno e qualquer outro modo que seja apresentado sem a palavra
“comunicação” ou que altere a sua tipografia e formato.
A utilização do manual será avaliada de acordo com o seu uso pelos públicos de interesse, tendo em vista que estes devem
seguir seus tópicos estabelecidos.
11.2.3. Papelaria

Os itens de papelaria contribuem para reforçar a marca na memória dos clientes de uma empresa e também impulsionar a
procura desta por potenciais públicos. Isto acontece em razão de que tais elementos trazem consigo a identidade visual da
organização, além de alguns deles conter seus dados comerciais (endereço, telefone, ​e-mail ​e afins), o que facilita a relação desta
com os seus ​stakeholders.
Os materiais gráficos escolhidos para serem elaborados para a empresa com o objetivo de promover este processo são:
cartão de visita, papel timbrado, pasta para documentos e bloco de notas. Outros artigos podem ser acrescentados conforme o
nível de maturidade e reconhecimento da empresa.
As peças criadas foram submetidas à avaliação de dois designers gráficos e um publicitário, profissionais ligados à
comunicação e gestão de marcas que auxiliaram na reformulação de alguns itens. Os projetos gráficos das primeiras versões dos
materiais estavam amadores e após a avaliação, foram ajustados para uma forma mais profissional e que conferisse identidade
visual às suas composições. Houve também o acréscimo do acento gráfico do nome da agência em seu logotipo. Nos tópicos a
seguir, são descritos os processos de reformulação de cada um deles.

11.2.3.1. Cartão de Visita

Assim como o próprio nome sugere, o cartão de visita é o item de papelaria empresarial que abre as portas de uma
organização aos seus públicos. Nele, é possível visualizar os dados principais de uma empresa ou instituição, também analisar por
meio de seus elementos visuais, qual postura tal empreendimento busca estabelecer no mercado.
A primeira versão do cartão de visita possuía cores sóbrias em sua predominância como o preto, o cinza e o branco, neste
caso, representado por sua marca e pela tipografia disposta para apresentar informações relativas à sua localização e formas de
contato. Esse item buscou, em seu ​design​, trazer a sensação de a agência estar relacionada com empresas ligadas ao mundo
corporativo, uma vez que dispõe em seu plano de fundo uma imagem com prédios espelhados, cenário comum de ser visualizado
em grandes cidades e metrópoles do nosso país.

Figura 4: ​Frente e verso da 1ª versão do cartão de visita da Imagética Comunicação.

Após a avaliação das peças gráficas criadas para essa versão do cartão de visita, concluiu-se que o material não possuía
ligação com a identidade visual proposta para a agência e que a fonte utilizada para descrever as demais informações, não se
comunicava com os itens restantes da papelaria. Além disso, a imagem utilizada em seu fundo restringia a empresa apenas ao
público de organizações privadas. Desse modo, optou-se por um ​layout ​mais simples e com menos informações para o material.
Figura 5: ​Frente e verso do cartão de visita da Imagética Comunicação.

No momento de ser elaborado, foi detectada que a opção de se fazer um cartão de visita relacionado a cada sócio da
empresa e não à agência como um todo era mais viável, pois desse modo evitou-se um maior peso nas informações que seriam
​ este caso, suas quatro opções de contato por telefone.
dispostas em seu ​layout, n
A fonte escolhida para a tipografia presente na segunda versão do material foi a ​Museo Sans Cyrl​, que além de possuir
diversas versões e tipos de espessura, traz leveza e seriedade ao conteúdo escrito. A partir do seu uso no cartão de visita, foi
estabelecido que essa seria a tipografia a ser aplicada em todos os materiais gráficos da agência, inclusive no manual de uso da
​ o ​Facebook e
marca, capa e postagens da ​fan page n ​ afins, juntamente com a fonte ​Museo 500 que passou a ser a segunda opção
a ser utilizada.

11.2.3.2. Papel Timbrado

O papel timbrado é a forma material de correspondência da agência com seus públicos e também uma maneira prática para
identificar os documentos de escritório de uma organização. Dessa forma, foi preciso produzir um cabeçalho que destacasse a
marca da empresa, assim como os seus principais dados. Para dar continuidade à identidade visual proposta, esse item também
foi alterado conforme a avaliação do material.

Figura 6: ​Cabeçalho do papel timbrado da Imagética Comunicação.

11.2.3.3. Pasta de Documentos

A pasta de documentos com a marca da agência foi concebida no intuito de ser mais uma alternativa para fortalecer a
marca da empresa frente aos públicos. E em se tratando desta, a pasta será utilizada para o envio e recebimento de diversos
documentos corporativos como contratos, ofícios, memorandos, cartas oficiais e materiais de comunicação interna.
Tal item de papelaria também pode ser útil para distribuição em eventos corporativos e congressos acadêmicos e
comerciais, nos quais a Imagética possa estar presente como colaboradora ou patrocinadora do evento.
​ a frente da pasta de documentos feita para a agência.
Figura 7: ​Layout d

Conforme a figura acima, o ​design produzido para a pasta da Imagética Comunicação possui fundo azul escuro com o
logotipo desta em branco, assim como o restante dos elementos dispostos em sua estrutura gráfica. Tais elementos são
constituídos por ícones que possuem ligação com o campo da comunicação social e também com o ambiente empresarial e virtual
como marcas de famosas mídias sociais (​Facebook, Twitter, Instagram, Youtube ​e ​Google+)​ , símbolos que representam mídias e
plataformas de comunicação do nosso cotidiano (áudio, jornal, chat, ​e-mail,​ ​smartphone,​ PC e afins) e signos de dinheiro, gráficos,
documentos e ideias, figuras ligadas ao mercado.

11.2.3.4. Bloco de Notas


O bloco de notas foi pensado como uma forma de garantir o contato diário dos sócios da agência, assim como seus clientes
e demais públicos, com a marca da empresa, visto que é uma peça bastante aproveitada nas organizações para anotar
informações e lembretes.
A proposta da primeira versão do bloco de notas consistia na utilização da marca d’água do logotipo da agência, para que
não houvesse interferência da imagem no que fosse escrito no material. Com isto, optou-se por dispor a marca em branco com
uma elipse escura em azul no seu fundo.

Figura 8: ​Primeira versão de​ ​modelo para aplicação da marca em um bloco de notas.
Após a avaliação, foi analisado que a forma geométrica da elipse não se comunicava com o logotipo, além de ser algo
defasado segundo as novas tendências de design gráfico. A peça também não continha dados da empresa em sua composição.
A partir disso, foi definido um novo padrão para o bloco de notas, que dessa vez conta com uma capa para a primeira
página, enquanto as demais folhas passam a dispor da marca da agência em sua parte superior esquerda e seus dados (contato,
fan page,​ site e ​e-mail​) no rodapé.

Figura 9: Nova versão (capa e folha) de​ ​modelo para aplicação da


marca em bloco de notas.

11.3. DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE


PRESENÇA VIRTUAL

Estar presente no ambiente virtual é


imprescindível para uma empresa,
principalmente para uma agência que atua na
área da comunicação. Para planejar a presença virtual,
foi necessário estudar as agências que atuam no
mesmo nicho de mercado, verificar quais são as mídias utilizadas por elas e também identificar como os públicos que a empresa
quer atingir estão organizados nesse ambiente.
11.3.1. Criação de ​e-mail

A ação inicial para desenvolver a presença virtual da agência foi a criação do ​e-mail,​ por meio dele serão feitos os contatos
com os públicos. O ​e-mail foi desenvolvido na plataforma ​Gmail​, serviço gratuito de ​webmail que disponibiliza aos usuários 15 GB
de espaço para a caixa de entrada e proporciona o armazenamento de dados mediante o serviço denominado ​Google Drive​. O uso
do ​e-mail​ será avaliado conforme o contato dos públicos com a empresa por meio dele.
Além disso, para melhorar a fixação da marca pelos clientes da agência, foi criada a assinatura da empresa, em que estão
informados os principais dados desta, como o contato telefônico de seus sócios e seu ​e-mail c​ omercial. Assim como as outras
peças, a assinatura de ​e-mail​ também segue os padrões de fonte e aplicação da marca, descritos em tópicos anteriores.

​ a Imagética Comunicação.
Figura 10: ​Assinatura de ​e-mail d

11.3.2. Site

Com base em duas agências (KCMX Comunicação e Gume) do mesmo ramo que a Imagética Comunicação, as interfaces
do site foram idealizadas.
​ o ​layout,​
A princípio, o que foi pontuado para a sua criação foram critérios de disposição de informações e ​design d
disponível no apêndice E. Diante disto, percebeu-se que as empresas possuíam sites com pouco ou nenhum conteúdo em ​flash​,
uma barra principal localizada na parte superior da plataforma onde indicam as suas categorias, cores sóbrias, linguagem padrão e
concisa, além de uma prolongação contínua do conteúdo disposto (os sites não são paginados, mas totalmente abertos em uma
única janela do navegador).
Com o auxílio da pesquisa, foi escolhido para a agência, um modelo de site quase nos mesmos moldes que as concorrentes
citadas, com uma barra principal em seu início que indicam as seções disponibilizadas no portal, porém com a visualização
paginada de cada uma das categorias.
Desse modo, o portal da agência na web foi criado por meio da plataforma ​Wix​, site especializado que disponibiliza um fácil
acesso e configuração à montagem de portais para usuários que não são experientes ou não têm nenhum contato com tecnologia
da informação.
As cores do portal são sóbrias, com o predomínio do azul, do preto e do branco para a marca e alguns dos tipos inseridos
na escrita das informações dispostas no domínio. Além disso, houve a preferência por trabalhar com imagens e texturas nos
planos de fundo de algumas das seções do site.
As seções dispostas no site da agência são seis, sendo elas:
A Imagética – A empresa é apresentada nesta categoria em um breve texto que expõe a sua razão de ser e objetivos, além de
dispor de uma subpágina onde encontra-se o manual de uso da marca da agência e seus arquivos afins.
Nossa Equipe​ – Breve apresentação dos profissionais que atuam na Imagética;
Serviços – Os serviços/produtos que a agência desempenha para os seus clientes são a “alma” da empresa. Por isso, estes estão
disponibilizados neste tópico, descritos dentro de quatro categorias de funções: Assessoria Estratégica, Assessoria de Imprensa,
Eventos Corporativos e Relacionamento Digital;
Clientes​ – Dispor as marcas para as quais a Imagética presta serviços;
Blog – Os ​releases produzidos pela empresa para divulgação de seus clientes estarão disponíveis nesta seção, além disso, textos
sobre a área da comunicação serão produzidos, exclusivamente, para atualizar a página;
Contato – Categoria para contatar os sócios da empresa por meio de um formulário, em que o usuário poderá informar nome,
telefone, ​e-mail e sua mensagem. Caso utilize esse serviço, este receberá a resposta via ​e-mail.​ Além disso, os telefones e o link
​ a agência também estão disponíveis nessa seção do portal.
para a ​fan page d

Figura 11: ​Layout​ da página principal do site da Imagética Comunicação.


Cabe ressaltar que a seção “Nossa Equipe” foi produzida com base nas tendências de apresentação de profissionais da
comunicação em eventos e de blogueiros em seus perfis pessoais. Assim, ao clicar na foto de cada um dos sócios que constituem
o time de colaboradores da agência, as pessoas terão acesso a uma descrição mais leve e despojada do profissional, uma forma
de tornar o relacionamento destes com os usuários do site um pouco mais informal para a criação de vínculos estáveis com seus
possíveis contratantes.

Figura 12: ​Interface de apresentação dos serviços da agência na seção “Serviços”.


A tipografia escolhida para as informações dispostas no portal da Imagética Comunicação é integralmente definida pela
fonte denominada ​Raleway,​ seja em suas modalidades negrito e regular. Tal fonte foi adotada por transparecer inovação e boa
legibilidade por meio de seus tipos arredondados. Já para o cabeçalho com os nomes das seções, a tipografia ficou por conta da
fonte ​DIN Next Light em seu formato totalmente maiúsculo, uma vez que esta passa a percepção de seriedade e quebra a
sensação “moderninha” promovida pela fonte anteriormente citada.

11.3.2.1. Blog

Com o intuito de disseminar informações a respeito do mundo da comunicação e das relações públicas para os públicos de
interesse da agência foi planejado e desenvolvido o blog da Imagética incorporado ao site da empresa. O planejamento está
disponível no apêndice F. Conforme detectado no site de outras empresas de comunicação, o blog é disponibilizado no site e
mostra dicas e orientações da área.
O blog possui quatro temáticas que abrangem as relações públicas, redes sociais, assessoria de imprensa, marketing e
eventos. As publicações são semanais com textos mais sucintos que possam esclarecer dúvidas em relação à área de
comunicação. Os textos do blog estão disponíveis no apêndice G.

11.3.2.2. Avaliação do site


Como a agência não possui localização física, a ação de criação do site foi extremamente positiva, uma vez que fortaleceu a
presença virtual do negócio juntamente com seu e-mail e ​fan page,​ além de proporcionar aos potenciais clientes, a comodidade de
conhecer todos os propósitos e objetivos da empresa de forma rápida e prática.
O site também contribuiu para a hospedagem de textos do blog e realizou a ação satisfatoriamente, permitindo até mesmo a
​ e comentários do Facebook em seus links e botões de compartilhamento direto dos textos em redes sociais
adição de ​plugins d
como o Google Plus e o Twitter. Com o domínio, a agência criou mais credibilidade perante o público da ​fan page e trouxe mais
uma alternativa de produção de conteúdo para esta.

11.3.3. Fan page

Com intuito de aumentar a visibilidade em relação aos seus públicos de interesse, ficou decidido pela criação de uma ​fan
page com a finalidade de fornecer informações a respeito dos serviços que são fornecidos pela agência e a importância de
contratar profissionais capacitados para gerir a comunicação de suas empresas, carreiras ou eventos.
Figura 13:​ ​Print ​de postagem da ​fan page​ da agência.

Foram realizadas postagens semanais em dias aleatórios, com temas diferenciados referentes à apresentação da empresa,
explicações sobre o que faz e com o que trabalha um relações-públicas, além de curiosidades sobre comunicação e a
calendarização de datas célebres para o povo brasileiro.

11.3.3.1. Avaliação da ​fan page


A ​fan page da Imagética é administrada pelos quatro sócios da empresa que se empenharam em divulgá-la nos diferentes
grupos de comunicação do Brasil e para demais pessoas que integram suas redes de amigos nas redes sociais. Criada no início
do mês de outubro de 2015, a página alcançou a marca de mais de 1.500 curtidas até o dia de sua avaliação (disponível no
apêndice S), que foi realizada em 14 de janeiro de 2016.

A partir dela, foi possível concluir que a página foi um grande auxílio na divulgação da empresa, uma vez que foi notado que
esta teve um alcance favorável ao público que frequenta a rede social. Em relação ao total de seguidores, nota-se que houve um
bom engajamento do público, por meio de curtidas e compartilhamentos e também com algumas interações nos comentários. Além
disso, o seu número de seguidores é maior que o de suas principais concorrentes.
Em uma das observações feitas na avaliação, foi apontado que a maior interação do público ocorreu em publicações
informativas a respeito da profissão de Relações Públicas e seus serviços mais conhecidos, em contrapartida do que era o
esperado, já que a página também contou com algumas publicações mais descontraídas.
O fato das informações a respeito da profissão terem chamado mais atenção dos seguidores animou os colaboradores da
agência, em saber que conseguiram despertar o interesse por meio de curiosidades e a importância da área de Relações Públicas
na atualidade.
A última publicação realizada até o dia da avaliação fortaleceu essa ideia, pois a equipe percebeu a interação e a satisfação
de seus seguidores em relação ao post de um GIF informativo que abordava algumas das funções exercidas pelo profissional de
RP de maneira divertida e menos formal.
Figura 14: ​Dados da publicação do GIF informativo sobre a profissão de RP na fan page.

11.4. BANCO DE CONTATOS


O contato com a imprensa é relevante para divulgar os serviços executados, em virtude disso, foi realizada uma pesquisa
para reunir os contatos de veículos de comunicação de Goiás e do país com o objetivo de promover um relacionamento amigável
dos sócios da empresa com a mídia. O ​mailing​ conta com o nome do veículo, ​e-mail​ e telefone.
O ​mailing de Imprensa é dividido em oito editorias, que compreendem os temas: economia, cultura, geral, esporte, social,
cidades, política e turismo que somados contabilizam 508 contatos. Foram identificados os editores destas áreas de jornais
impressos e ​on-line,​ revistas, tv e rádio. Devido à rotatividade dos profissionais da área, é necessário atualizar constantemente os
seus contatos.

Figura 14:​ ​Parte do​ m


​ ailing​ de jornalistas da editoria de Economia.

Já para algumas ações, será necessário contratar empresas terceirizadas para produzir as atividades programadas. Para
isso foram reunidos os contatos dos prestadores de serviços terceirizados das áreas de cerimonial, segurança, ​buffet​,
comunicação visual e locais para eventos. Este ​mailing​ contém o nome, endereço e contatos das empresas.
O ​mailing de clientes foi elaborado com o intuito de produzir uma lista de potenciais contratantes, no qual as 16 empresas
listadas foram definidas segundo a busca por organizações que necessitam de melhorias em suas mídias sociais e nos eventos
que promovem relacionamento com a imprensa geral e especializada.

Figura 15: ​Visualização do​ mailing​ de possíveis clientes.

11.5. PROSPECÇÃO DE CLIENTES PARA O FUNCIONAMENTO DA AGÊNCIA

A conquista de clientes é um dos objetivos da agência. Em sua fase inicial, seu trabalho será direcionado para atender dois
eventos contratantes, o V Congresso de Engenharia e Tecnologia (CET) e o II Congresso FACE, promovidos por unidades
acadêmicas da Universidade Federal de Goiás, ambos registrados como projetos de extensão. E para atender duas empresas a
Top Training e o Brasileirinho Lanches e Assados.
11.5.1. V Congresso de Engenharia e Tecnologia

Em sua quinta edição, o Congresso de Engenharia e Tecnologia (CET) está com uma nova comissão organizadora, que
pretende aperfeiçoar as atividades do evento que irá ocorrer em 2016. Convidada pelo diretor geral do evento, a Imagética
auxiliará a comissão no planejamento do evento, no apoio à prospecção de patrocinadores e palestrantes e também prestará
serviços de assessoria de imprensa.
Primeiramente, foi elaborado o ​briefing e planejamento do evento, disponíveis no Apêndice H. No que diz respeito ao
planejamento, a equipe orientará os organizadores do CET nas ações que serão realizadas. As demandas são atendidas em
reuniões previamente agendadas com a comissão, na qual eles apresentam suas dúvidas e questionamentos e são orientados
pela equipe em como proceder nessas atividades.
Já foram realizadas quatro reuniões com representantes da comissão organizadora. Na primeira, o presidente e o diretor
geral do evento apresentaram para equipe o planejamento inicial do congresso, em que a equipe da agência já apresentou um
modelo do plano de patrocínio. Na segunda reunião, um representante da agência acompanhou o diretor geral do evento na
prospecção de um possível patrocinador de uma das atividades planejadas para o congresso.
Em uma reunião com o diretor acadêmico, o cronograma de palestras e minicursos do evento foi apresentado para os
sócios da empresa. Nesta, foi requerida uma orientação acerca da quantidade de palestras e dos horários de realização do evento.
Já na quarto encontro, no qual esteve presente toda a comissão organizadora, a equipe explicou como eles devem proceder nas
visitas para a prospecção de patrocinadores e palestrantes.
Tendo em vista que a comissão organizadora do evento é formada por graduandos de diferentes áreas de conhecimento e
que não possuem experiência com a organização de eventos, fez-se necessária uma reunião para explicar sobre a prospecção de
clientes. Neste dia, foi abordada a relevância da forma com que os organizadores se apresentam aos patrocinadores, desde as
vestimentas que usam até o primeiro contato, que pode ser realizado por telefone e, posteriormente, pelo envio de ​e-mail com a
proposta. Na oportunidade os profissionais da agência explicaram a esses clientes como é o posicionamento de patrocinadores em
relação a eventos e o quão importante é a definição das contrapartidas para as empresas.
Quanto ao apoio na prospecção de patrocinadores, foi desenvolvido o plano de patrocínio para o congresso, que possui um
resumo sobre o que é o evento, quem são seus públicos, a quantidade de pessoas que já participaram de suas edições anteriores
e a estimativa para o próximo ano. Além disso, a pedido da comissão, foram elaboradas seis opções de cotas de patrocínio de
acordo com as mídias que o evento dispõe para oferecer aos patrocinadores, disponível no apêndice I.
Junto a esse plano, a comissão enviará uma carta com a descrição do evento e a solicitação de apoio em forma de
patrocínio para a sua execução, esse material pode ser visto no apêndice J. Após o processo de captação de patrocinadores, esse
acordo deverá ser formalizado via contrato, com a especificação de valores, mídias oferecidas e obrigações do patrocinador e da
comissão no CET.

11.5.2. II Congresso FACE

A segunda edição do Congresso FACE, realizada entre os dias 05 e 07 de outubro de 2015, possuía o intuito de ampliar as
ações de divulgação do evento para a imprensa e os públicos dos cursos que sua unidade acadêmica abrange. A Imagética ficou
responsável por trabalhar com a assessoria de imprensa, ações de divulgação nas redes sociais e o cerimonial. O contato com a
organização foi estabelecido no mês de maio, a partir disso foram elaborados o ​briefing e o planejamento do evento, esses podem
ser visualizados no apêndice K.
As ações planejadas foram: a criação e produção de conteúdo para a fan page, definição de pautas para os ​releases de
divulgação, desenvolvimento do ​mailing de jornalistas e elaboração e execução do cerimonial de abertura do evento. O processo
de implantação de cada uma será descrito nos subtítulos a seguir:

11.5.2.1. Criação da ​fan page

A ​fan page tornou-se um meio rápido e eficaz na hora de apresentar e divulgar serviços ofertados, sendo uma ferramenta
eficiente na interação com os públicos. Portanto, foi identificado para o Congresso FACE, a necessidade de criar a sua ​fan page​.
Esta foi desenvolvida em um padrão que possa ser utilizado nos próximos anos, com o intuito de manter crescente o seu número
de fãs e propiciar para quem já participou de outras edições do evento, o recebimento de informações sobre as próximas edições
do evento.
O designer foi o responsável por desenvolver a identidade visual do evento, a cor escolhida pela comissão foi o laranjado
que esteve presente em todos os materiais gráficos e na rede social.
O planejamento das postagens foi elaborado com base nas seguintes temáticas: calendarização, inscrições abertas,
programação, palestras, localização, interatividade, contagem regressiva e cobertura do congresso. As postagens foram feitas em
parceria com o designer do evento, que ficou responsável pela elaboração da arte com base nas especificações do planejamento
elaborado. Neste continham as datas dos ​posts​, horário, temáticas, legendas e descrição da arte.
Devido à necessidade do designer do evento para realizar a arte das postagens, algumas não seguiram o planejamento, em
vista do atraso ou da não concepção do material gráfico para as publicações, o que ocasionou na redução dos ​posts programados
para a página do congresso.
Cabe ressaltar também, que foram encontrados no ​Facebook a existência de vários grupos formados por graduandos e
profissionais das áreas de administração, contabilidade e economia, que eram públicos-alvo do congresso, em razão disso, as
informações sobre o evento também foram compartilhadas nesses locais.

11.5.2.1.1. Avaliação da ​fan page

Criada no início de setembro de 2015, a ​fan page alcançou o número de 176 curtidas até o dia da avaliação, realizada em
11 de outubro de 2015, que está disponível no apêndice T.
A partir dela, foi possível concluir que a página foi um grande auxílio na divulgação do evento, pois teve um bom alcance de
púbico, com 14.523 cliques e 375 curtidas no total de suas publicações, um sucesso tendo em vista o curto período em que a
página ficou ativa.
​ e postagem da ​fan page​ do II Congresso FACE.
Figura 16:​ ​Print d

Contando com o engajamento do público, a página só não obteve um nível alto de comentários, com o total de apenas 14.
No entanto, é compreensível esse cenário, uma vez que as postagens em sua maioria eram mais informativas, o que não
despertava assuntos a serem comentados. Diante desse cenário, fica a conclusão de que promover engajamento de público em
redes sociais é difícil em relação a certos conteúdos publicados, como os de eventos acadêmicos.
Apesar disso, cabe ressaltar que as postagens realizadas na página do congresso eram compartilhadas no evento criado no
Facebook pela comissão organizadora. Como o evento permite que seus convidados confirmados recebam notificações
automaticamente a cada publicação feita em sua página, isso rendeu uma maior interação por parte dos alunos, que curtiam em
volume um pouco maior as postagens e utilizavam o evento como uma plataforma para fazer reclamações ou retirar dúvidas. A
equipe da Imagética ficou responsável por responder parte desses estudantes e o resultado foi satisfatório.

Figura 17 - ​Sócio da Imagética respondendo a dúvida de uma congressista do evento.

11.5.2.2. Produção de ​mailing​ específico para o evento


Na divulgação do evento foi necessário definir para quem seriam enviadas as informações, no caso os ​releases.​ Após
pesquisas dos jornalistas dos veículos de comunicação goianos ligados à temática do evento, foi construído o ​mailing para facilitar
a sua divulgação. Visto que as informações eram destinadas aos públicos de interesse do congresso, o que torna maior a
possibilidade de sucesso na publicidade do evento.
Para sua concepção, foi realizada uma pesquisa em busca de contatos de profissionais da imprensa que atuam na
divulgação de informações das editorias de Economia, Cidades e Geral. Conforme esses contatos eram encontrados, foram
montadas tabelas com as informações consideradas mais relevantes como nome, telefone, ​e-mail e editorias nas quais
trabalhavam, somando ao todo 423 contatos.

11.5.2.3. ​ contato com jornalistas (​Follow up​)


Elaboração de ​releases e

A divulgação espontânea de mídia favorece a imagem que os públicos formarão sobre um evento. Com isto, os ​releases
produzidos para o congresso começaram a ser enviados na última semana do mês de setembro com informações específicas dos
temas que seriam abordados em sua programação, para despertar o interesse dos veículos de comunicação pelo II Congresso
FACE. Nos dias posteriores, foi enviado um ​release ​com as informações gerais do evento.
Segundo a programação do evento, as temáticas do minicurso “Finanças em Tempos de Crise”, o minicurso “A Alternativa
da Economia Solidária” e a palestra “Indústria no Brasil: Avaliação e Perspectiva” foram os temas mais interessantes para serem
abordados nos ​releases ​enviados.
O primeiro ​release, ​com a temática “Finanças em Tempos de Crise”, foi enviado no dia 25 de setembro, com seu texto
direcionado a 100 contatos de jornalistas de veículos de comunicação do estado. Já o ​release ​sobre a palestra “Indústria no Brasil:
Avaliação e Perspectiva” foi enviado para a Federação das Indústrias de Goiás, que publicou a respeito do congresso em sua
página no ​Facebook e para veículos de comunicação. Além disso, o texto em relação à economia solidária foi destinado a um
jornalista que atua na área. Os ​releases​ estão disponíveis no apêndice L.
​ verificar a
Após o envio, foi realizado o ​follow up com os jornalistas para confirmar se estes receberam os ​releases e
possibilidade de divulgá-los nos meios impressos e digitais.

11.5.2.4. Divulgação

O Congresso FACE foi direcionado aos estudantes de todas as instituições de ensino de Goiânia que possuam cursos
relacionados à área do evento, visto que na Universidade Federal de Goiás as aulas da unidade acadêmica estavam suspensas
devido à greve realizada pelos docentes da instituição.
Diante deste cenário, a comissão optou por enviar para os alunos da UFG um ​e-mail marketing sobre o evento e realizar
uma pesquisa pela ​web para encontrar outras instituições de ensino que fornecem os cursos relacionados ao público-alvo do
​ ara a divulgação do evento em
congresso. Após as faculdades serem selecionadas, deu-se início a entrega de cartazes e ​folders p
entidades privadas. Para finalizar, também foram distribuídos estes materiais nos sindicatos de profissionais relacionados ao
público do congresso.
Para apoiar a divulgação, foram enviados ofício-circular para os vereadores e deputados estaduais da região. O conteúdo
está disponível no apêndice M.
11.5.2.5. Cerimonial e Protocolo

O cerimonial e o protocolo da mesa de abertura do evento foram planejados com o apoio do coordenador do congresso, que
indicou as autoridades que compuseram a mesa diretiva. Duas autoridades foram convidadas e tiveram as presenças confirmadas
via telefone.
O roteiro da cerimônia foi elaborado conforme o modelo da Assessoria de Comunicação da UFG (Apêndice N). Continham
em sua estrutura a composição da mesa, o registro de presença de autoridades, a fala dos componentes e o convite para a
palestra magna que ocorreu após a mesa de abertura.
A equipe de cerimonial recebeu os convidados da mesa diretiva e, para registrar a presença das demais autoridades foi
montada um local para recepcioná-los. No decorrer da cerimônia, uma autoridade foi incluída no roteiro.

11.5.2.6. Pesquisa e Avaliação (​Clipping​)

​ ntes e durante o evento, é imprescindível avaliar a sua repercussão na mídia. Para


Após o processo de envio dos ​releases a
isso, foi realizada a clipagem do material relacionado ao congresso nos veículos de comunicação do estado.
Ao todo, foram encontrados quatro materiais, desses três foram em formato de publicações ​online nos sites da UFG, Hey
Event e do CRC-GO (Conselho Regional de Contabilidade de Goiás). Também foi realizada e veiculada uma entrevista pela TV
Metrópole uma semana antes do evento.
Figura 18: ​Print​ da entrevista concedida para o Jornal Metrópole.

As notícias foram analisadas e caracterizadas como positivas. O relatório de auditoria de imagem foi enviado para os
organizadores e encontra-se no apêndice O.

11.5.3. Brasileirinho Lanches & Assados

A Brasileirinho Lanches & Assados é uma microempresa que está há pouco tempo no mercado e tem o intuito de aumentar
a gama de produtos que oferece para seus clientes. Para apoiar o crescimento da organização, é necessário conhecer os seus
públicos de interesse e o que eles consomem, por isto, foi elaborado o ​briefing e planejamento de uma pesquisa de públicos,
disponíveis no apêndice P.
A empresa foi criada em maio de 2015, os proprietários, que já vendiam frango assado na região, perceberam que
precisavam ter uma estrutura para atender aos clientes. A venda somente desse produto não era suficiente para suprir os gastos
com aluguel e energia, o casal decidiu abrir uma lanchonete que funciona todos os dias. A loja é próxima a uma escola, comércios
e residências.
Os donos tem interesse em vender novos produtos no local e transformá-lo em um empório. Para respaldar essa mudança
foi realizada uma pesquisa para conhecer os seus públicos e saber o que eles gostariam de consumir na empresa, além dos
produtos já vendidos.

11.5.3.1. Pesquisa de públicos

A amostra da pesquisa foi composta por 67 pessoas, 24 mulheres e 43 homens, escolhidos aleatoriamente para participar
do projeto. No entanto, apesar de 24,4% dos entrevistados não trabalhar no setor, 81,8% reside atualmente no ​bairro Jardim Novo
Mundo, setor​ onde está localizada a Brasileirinho Lanches & Assados.
Ao todo 94% dos participantes já frequentou em algum momento o estabelecimento. Contudo, apenas 14,1% visitam
diariamente a lanchonete e a grande maioria, 76,6%, vai à loja apenas duas vezes ou menos durante a semana.
Quando questionados sobre quais produtos mais consomem, 75% dos colaboradores afirmou que uma de suas preferências
eram os salgados fritos e assados, que apesar de não serem produzidos no estabelecimento mostram-se muito atraentes para o
público de interesse do comércio. Já produtos como sorvetes, pães de queijo e salgadinhos de milho são procurados por
respectivamente 35,9%, 32,8% e 17,8% dos clientes, o que talvez possa ser justificado por serem produtos também oferecidos
pelos estabelecimentos concorrentes.
Quando foram indagados a respeito de quais produtos consideram mais atrativos em um estabelecimento alimentício, as
respostas se concentraram em torno dos sucos naturais, vitaminas e cremes. O primeiro foi citado por 56,1% dos frequentadores e
o segundo por 60,6%, indicando que a introdução desses produtos no cardápio, pode ser positivo para o empreendimento.
A pesquisa também procurou aferir pontos relacionados ao atendimento prestado. Este é citado por 57,8% dos
entrevistados como “ótimo”. No entanto, 20,3% dos colaboradores da pesquisa citou que apesar da boa avaliação, um ponto a ser
melhorado no processo é a agilidade.
Ao fim da pesquisa, foi levantada a hipótese da introdução do serviço de tele-entrega na lanchonete, que foi avaliada por
55,2% dos entrevistados como um serviço que não é essencial ao estabelecimento.

11.5.3.2. Propostas

Com base na pesquisa aplicada para os clientes da lanchonete foram propostas estratégias que atendam as demandas
detectadas, disponível no apêndice Q. A principal mudança é a inclusão de novos produtos no cardápio que são os sucos naturais,
cremes e vitaminas. Para atender a essa mudança é necessário a aquisição de máquina para preparar os sucos, liquidificador,
copos, além da matéria prima frutas e polpas. Os preços também precisam ser dispostos em local de fácil visualização.
Os pesquisadores identificaram durante a aplicação do questionário que as pessoas que trabalham e moram na região não
reconhecem a lanchonete pelo seu nome. Por isso, foi sugerida a execução de ação de fixação de marca, na qual os
colaboradores terão uniformes e os produtos serão entregues em embalagens lacradas com adesivo do estabelecimento.
A lanchonete só possui uma fachada com o seu nome, diante disto foi idealizada a estratégia para a divulgação do negócio.
Foram sugeridas a panfletagem nas residências da região e cartazes promocionais próximo a lanchonete.
A princípio os proprietários tinham interesse em implantar mudanças na empresa, porém tendo em vista a situação
econômica atual houve mudanças nos empréstimos bancários que os donos iriam recorrer para investir em seu negócio. Mas com
o aumento de juros eles optaram por adiar a implantação das ações.

11.5.4. Top Training

Em novembro de 2015, o personal trainer Iran Carlos inaugurou seu estúdio de treinamento. No local, ele oferece
treinamento funcional para pessoas de classe A e B. O treino é personalizado para cada aluno e o personal só atende no máximo
5 alunos por aula para manter a qualidade e a obtenção de resultados. Os seus públicos de interesse são casais jovens e também
atende como público em potencial idosos.
A empresa não possui diretrizes, identidade visual e ações efetivas de comunicação. O proprietário é reconhecido pelo seu
trabalho, mas não gostaria que seu nome fosse o do seu estúdio, por isso escolheu Top Training para nomear o local. Com o
intuito de definir as diretrizes, promover ações de fixação da marca e fidelização dos clientes foi elaborado o planejamento de
relações públicas para o estúdio. O ​briefing​ e o planejamento estão disponíveis no apêndice R.

11.5.4.1. Diretrizes organizacionais


O primeiro passo dado para desvincular a imagem do Estúdio da Imagem do Personal é construção das diretrizes do
negócio. Pois um empreendimento só pode construir sua reputação no mercado a partir do momento em que compreende sua
identidade e percebe os seus valores.
Por isso, após algumas reuniões com o empreendedor e estudos de caso, foram delimitados valores organizacionais que
destacassem o papel da Academia e da Atividade Física como instrumentos que valorizam a confiança, autoestima e
consequentemente melhoram de maneira significativa as relações sociais daquele indivíduo. Pois é clara a percepção que o cliente
atual não busca apenas a melhorias estéticas, ele busca também bem-estar e novas experiências.

11.5.4.1.1. Missão

Oferecer um treinamento físico personalizado para nossos clientes, com ênfase na obtenção de resultados que promovam o
bem estar físico e social.

11.5.4.1.2. Visão

Ser um estúdio reconhecido pela implantação de um método diferenciado de tratamento de seus clientes e associados,
onde oferece estímulos para o corpo e fortalecimento de relacionamentos.

11.5.4.1.3. Valores
● Aprimoramento do Desempenho Físico: ​Potencializar o desempenho físico e por consequência a saúde dos praticantes.
● Cuidado Integral: ​Treinamento desenvolvido e monitorado de acordo com as necessidades individuais de cada aluno.
● Integração Familiar e Social: ​Desenvolver a prática corporal como oportunidade para aprimorar a autoestima e por
consequência as relações sociais dos clientes da Top Training.
● Compromisso com o Resultado: ​O estúdio se compromete com o cliente a alcançar o objetivo desejado, desde que o
mesmo siga a sequência de treinos elaborados e as orientações fornecidas.

11.5.4.2. Vídeo Institucional

Para facilitar a prospecção de prováveis clientes, foi cogitada a possibilidade de produzir um vídeo institucional com
linguagem simples, capaz de retratar didaticamente os serviços oferecidos pelo negócio e o ambiente onde aconteceram as
atividades. Contudo, esta ação não foi aprovada pelo proprietário.

11.5.4.3. Presença virtual

Outro aspecto importante do planejamento de relações públicas é a escolha dos canais mais interessantes para
relacionamento com os públicos. Tendo em vista que os clientes da Top Training são atraídos por material audiovisual que
​ m publicações diárias como canal de comunicação
comprove a eficiência dos treinamentos, optou-se por utilizar o ​Instagram, e
para divulgação de conteúdo relacionado a evolução do alunos, as aulas ministradas e dicas de atividades físicas. Isto se deve
pois nesta rede social o conteúdo fotográfico é amplamente consumido e produzido por pessoas que compartilham um estilo de
vida saudável, o que é extremamente oportuno para apresentação do estúdio ao mercado e a prováveis clientes.

11.5.4.4. Fixação da marca

Por ter sido criada a pouco tempo, se faz necessária a implementação de ações que apresentem a marca e seus valores
para os seus consumidores, afim de proporcionar os dialogo entre a marca e o cliente. Por isso, após a realização de uma análise
do perfil dos frequentadores da academia optou-se por presentear periodicamente, cada um com brindes que possam ser usados
durante a realização de atividades físicas, como por exemplo: ​squeezes,​ cordas, entre outros equipamentos. Afim de consolidar a
memória da marca “Top Training” nos alunos do estúdio.

11.5.4.5. Fidelização dos clientes

Apesar de não existir nenhum concorrente direto nas proximidades o processo de fidelização do cliente se faz
extremamente necessário para sobrevivência de qualquer negócio, pois um cliente assíduo pode se tornar um ótimo defensor e
propagador de uma marca. Para tal foi desenvolvido um plano anual de fidelização com sorteio de prêmios a cada três meses aos
clientes com mensalidades em dia do empreendimento, disponível no apêndice S.
Os prêmios foram escolhidos de acordo com o perfil da organização e dos clientes, para que além de fidelizá-los também os
instigue a participar das ações de marketing que envolvam a colaboração dos alunos durante todo o ano.
12. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Em um primeiro momento, durante o processo de aplicação e desenvolvimento das pesquisas com empresas de
comunicação e com os possíveis clientes era perceptível a ausência de uma cultura que promova a valorização da comunicação
no mercado goiano. Apesar da presença de agências renomadas na região, este segmento de negócio ainda se encontra em fase
de expansão e consolidação.
Contudo, a partir do momento em que a Imagética crescia também era notável que o grande responsável pela criação de
uma “Cultura da Comunicação” é essencialmente qualquer profissional deste segmento. Pois apenas este é capaz de demonstrar
didaticamente o quanto a comunicação é algo singular, que não pode ser concebida sem qualificação, planejamento e incontáveis
horas de estudos.
Tal descoberta foi essencial para uma mudança de visão dos sócios da empresa. Estes após o desenvolvimento das
diretrizes organizacionais implementaram ações no ​facebook ​e no blog da empresa que enfatizam de modo educativo situações e
cases de comunicação. Afim de apresentar ao público de interesse como a comunicação é essencial para o bom relacionamento
entre qualquer empreendimento ou profissional e seus clientes. O resultado desta ação foi positivo e ela continuará a ser
executada em 2016.
Durante a escolha dos serviços a serem oferecidos pela Imagética, foi percebido que este escopo poderia ser maior do que
o contemplado atualmente, pois existem muitos nichos de mercado que podem ser atendidos pelo empreendimento. Processo que
acontecerá em breve após a qualificação e aprimoramento dos sócios.
Já em relação aos quatro clientes apresentados neste projeto, apenas a Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e
Economia (FACE) teve o seu atendimento concluído em 2015, pois os serviços fornecidos eram referentes ao Congresso realizado
em outubro de 2015. Logo após o evento um questionário de avaliação do atendimento foi enviado pela agência a um dos
organizadores, mas até a presente data este não foi respondido. No entanto, alguns componentes da organização, elogiaram
verbalmente os serviços prestados.
A Brasileirinho Lanches & Assados solicitou que fosse realizado um estudo do perfil e uma pesquisa satisfação com seus
clientes. Após a aplicação e avaliação da pesquisa foi elaborado um planejamento com propostas de possíveis mudanças a serem
realizadas para maior satisfação de seus clientes. Porém as modificações não poderão ser realizadas ainda este ano por motivos
financeiros. Por fim é válido ressaltar que esta foi uma experiência extremamente enriquecedora, pois foi a primeira microempresa
atendida pela agência.
Os outros dois atendimentos serão concluídos nos próximos meses. Em maio a Imagética vai realizar o cerimonial do
Congresso de Engenharia e Tecnologia, mas os demais trabalhos para este evento foram executados ao longo de 2015. E o
Personal Trainer Iran Carlos, proprietário do Estúdio Top Training, teve o seu planejamento de relações públicas desenvolvido e os
serviços se encontram atualmente em fase de aplicação.
Por fim após um ano de trabalho é perceptível o quanto o mercado goiano necessita de empresas de comunicação para
suprir as suas necessidades de interação e relacionamento com os seus públicos.
REFERÊNCIAS

FERRARI, Maria Aparecida. Uma leitura crítica da comunicação e das Relações Públicas no Brasil e na América Latina. In: GRUNIG, J. E.
FERRARI, M. A. FRANÇA, F. ​Relações Públicas: ​teoria, contexto e relacionamentos. 1.ed. São Caetano do Sul, SP. Difusão Editora, 2009.

FONSECA, J. J. S. ​Metodologia da pesquisa científica​. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

GODOY, Arilda Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. ​RAE - Revista de Administração de Empresas​, São Paulo,
v. 35, n. 2, p. 57-63, mar./abr. 1995 Disponível em: http://rae.fgv.br/sites/rae.fgv.br/files/artigos/10.1590_S0034-75901995000200008.pdf.
Acesso em: 01 maio 2015.

GRUNIG, James E. Definição e posicionamento das Relações Públicas. In: GRUNIG, J. E. FERRARI, M. A. FRANÇA, F. ​Relações Públicas:
teoria, contexto e relacionamentos. 1.ed. São Caetano do Sul, SP. Difusão Editora, 2009.
______. Relações públicas nos processos de gestão estratégica. In: GRUNIG, J. E. FERRARI, M. A. FRANÇA, F. ​Relações Públicas: ​teoria,
contexto e relacionamentos. 1.ed. São Caetano do Sul, SP. Difusão Editora, 2009.

IANHEZ, João Alberto. Relações públicas nas organizações. In: KUNSCH, Margarida M. K. ​Obtendo resultados com Relações Públicas. 2.
ed. rev. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2006.

JUNIOR, R; VITAL, T. A utilização do benchmarking na elaboração do planejamento estratégico: Uma importante ferramenta para a
maximização da competitividade organizacional. ​Revista Brasileira de Gestão de Negócios​, n 14, 2004.
Disponível em: www.spell.org.br/documentos/download/6435 Acesso em: 7 maio 2015 às 21:30min.

KOTLER, Philip. ​Administração de Marketing.​ São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

KUNSCH, Margarida Maria Krohling. ​Planejamento de relações públicas na comunicação integrada.​ São Paulo: Summus, 2003.

MARQUÊZ, Paulo. Mapeamento de Públicos: Estratégia de Relações Públicas na Gestão de Relacionamentos. In: COLÓQUIO DE MODA, 6.,
2010, São Paulo. ​Anais... São Paulo: Anais Colóquio de Moda, 2010. Disponível em:
<http://www.coloquiomoda.com.br/anais/anais/6-Coloquio-de-Moda_2010/71368_Mapeamento_de_Publicos_-_estrategia_de_Relacoes_
Public.pdf>. Acesso em: 08 maio 2015 às 23h10min.

MARTINO, Luiz C. De qual comunicação estamos falando. In: HOHLFELDT, A. MARTINO L. e FRANÇA V. (orgs) ​Teorias da Comunicação:
conceitos, escolas e tendências. Petrópolis: Vozes, 2008.

MARTINS, José Roberto. Branding:​ um manual para você criar, avaliar e gerenciar marcas.​ São Paulo: Negócio Editora, 2000.
MARTINUZZO, José Antonio. Seis questões fundamentais da comunicação organizacional estratégica em rede. Rio de Janeiro: Mauad X,
2013. Não paginado.

NEVES, Roberto de Castro. ​Comunicação empresarial integrada: como gerenciar: imagem, questões públicas, comunicação simbólica,
​ io de Janeiro. Mauad, 2000.
crises empresariais​. R

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. ​Planejamento estratégico: ​conceitos, metodologia e práticas. 27ª edição. São Paulo: Atlas, 2010.

PINHO, J. B. ​Relações públicas na internet: ​técnicas e estratégias para informar e influenciar públicos de interesse. São Paulo: Summus
Editorial, 2003, v. 68.

Portal G1, ​Mais de 50% dos brasileiros estão conectados à internet, diz Pnad​. Disponível em:
http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2014/09/mais-de-50-dos-brasileiros-estao-conectados-internet-diz-pnad.html Acesso em 26 mai. 2015.

ROCHA, Décio; DEUSDARÁ, Bruno. Análise de conteúdo e análise do discurso: o lingüístico e seu entorno. DELTA. Documentação de
Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, 2006. ​Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/
index.php/fale/article/view/19106/12155​ ​Acesso em: 01 mai. 2015.

SEBRAE, Micro e pequenas empresas geram 27% do PIB do Brasil. Disponível em:
<http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ufs/mt/noticias/Micro-e-pequenas-empresas-geram-27%25-do-PIB-do-Brasil>. Acesso em: 09 de
janeiro de 2016.

ZANELLA, Luiz Carlos. ​Manual de organização de eventos:​ planejamento e operacionalização. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2006.
APÊNDICES

APÊNDICE A - ​QUESTIONÁRIO PARA AS EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO

Empresa:
Endereço:
Colaboradores:
Clientes:

1. Há quanto tempo a sua empresa está no mercado?


2. Quais serviços são ofertados ao público?
3. Como foi o processo de escolha e decisão para que fossem ofertados estes serviços?
4. Qual é a demanda dos clientes por esses serviços? Qual é o mais procurado?
5. Vocês oferecem apenas serviços pontuais aos clientes? Ou executam um projeto para cada?
6. Como acontece a divisão de tarefas? Cada colaborador é responsável por um cliente?
7. Vocês realizam o monitoramento dos trabalhos com cada cliente? Se sim, qual a periodicidade que essa métrica acontece?
8. Você acha que os valores praticados no mercado são justos?
9. Acha que uma empresa nesse setor é promissora? De que forma?
10. Como você avalia o mercado goiano?

APÊNDICE B - ​QUESTIONÁRIO PARA CLIENTES DE EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO

Nome da empresa:
Nome do responsável pela contratação:
Setor no qual trabalha:

1. Por que vocês decidiram contratar uma empresa de comunicação terceirizada?

2. Quais os serviços que você contratou?


( ) Planejamento de Comunicação
( ) Ações de comunicação interna
( ) Assessoria de Imprensa
( ) Gestão de redes sociais
( ) Criação de ​sites​ e produção de conteúdo
( ) Planejamento e execução de eventos
( ) Elaboração e aplicação de pesquisas
( ) ​Media Training
( ) Gerenciamento de crises
( ) Criação e produção de vídeos institucionais
( ) Materiais gráficos (folders, cartazes, panfletos, flyers)
( ) Outros. Quais _______________

3. Há algum serviço que você gostaria de contratar que não é oferecido pela empresa de comunicação?
( ) Não
( ) Sim. Qual?_________________________________

4. Como você avalia os serviços realizados pela empresa de comunicação?


( ) Ótimo
( ) Bom
( ) Regular
( ) Ruim
( ) Péssimo

5. Como você avalia a forma de relacionamento da empresa durante a execução do serviço contratado? (telefonemas, reunião,
troca de e-mail, visitas ao local)
( ) Ótimo
( ) Bom
( ) Regular
( ) Ruim
( ) Péssimo

6. A empresa sugeriu para você um planejamento para avaliar a necessidade de outros possíveis serviços de comunicação?
( ) Sim
( ) Não
7. Você acredita ser importante a execução de ações de comunicação na sua empresa?
( ) Extremamente importante
( ) Importante
( ) Relevante
( ) Irrelevante
( ) Desnecessária

8. Você acredita que haja necessidade de implantar a área de comunicação dentro da sua empresa?

( ) Sim. Por quê?


( ) Não. Por quê?
APÊNDICE C - ​TABELA DA ANÁLISE DE CONTEÚDO DA PESQUISA COM EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO

Categoria Subcategoria Unidade de Unidade de Contexto


Registro

1 Trajetória Tempo de atuação Há quanto tempo a “A empresa existe a


empresa está no 15 anos no mercado
mercado? paulista e está a 6
anos no mercado
goiano.”

(Empresa 1)
“nossa empresa está
no mercado desde
2006, ou seja, já são 9
anos.” (Empresa 2)

“Desde o Final de
2004” (Empresa 3)

“este ano nós estamos


fazendo 20 anos.”
(Empresa 4)

“A empresa tem dois


anos.” (Empresa 5)

2 Serviços Escolha e decisão Como foi o processo “Os serviços de


dos serviços de escolha dos assessoria de
ofertados serviços? imprensa já eram
fornecidos pela sede
da Empresa de São
Paulo. Já os serviços
de comunicação
interna surgiram por
demanda.”

(Empresa 1)

“suprir esse tipo de


necessidade e lucrar
com esse nicho de
mercado que era tão
pouco explorado aqui
em Goiânia.”
(Empresa 2)

“Veio da experiência
profissional antes de
montar a empresa”.
(Empresa 3)

“inicialmente a
empresa fazia
basicamente
relacionamento com a
imprensa, ou seja,
fazia assessoria de
imprensa. Aí, com o
passar do tempo, os
nossos clientes foram
demandando outros
tipos de serviços:
jornais internos,
jornais para públicos
externos, vídeos. E
num estágio um pouco
superior, nós
começamos a
perceber a
necessidade de
trabalhar com a
organização de
eventos.” (Empresa 4)

“O nosso foco no
início era só fazer a
parte de campanhas
offline, a parte de
planejamento
estratégico, mídia,
produção, criações.
Percebemos a
necessidade do
mercado, que todo
mundo que fechava
contrato queria ao
mesmo tempo que a
gente trabalhasse a
partir online e web
deles.” (Empresa 5)
Serviços ofertados Quais os serviços “São os mesmos
ao público ofertados ao público? serviços oferecidos
pela Assessoria de
São Paulo.”

(Empresa 1)

“ser uma empresa que


realiza Assessoria de
Imprensa e Eventos
Corporativos.”
(Empresa 2)

“Consultoria de
Comunicação,
Assessoria de
Imprensa,Clipping,
Media- Training,
Gerenciamento de
Crise, Divulgação de
eventos, Mailling List,
Publicações,
Editoração de
Sites”.(Empresa 3)

“A empresa trabalha
basicamente com
comunicação em
assessoria de
imprensa e
organização de
eventos empresariais.”
(Empresa 4)

“Campanhas offline
[...] contas online [...]
Trabalhamos com a
terceirização de sites
[...] a parte de serviços
de endomarketing nos
estamos fazendo [...]”
(Empresa 5)

“A maior procura hoje


Demanda dos Quais os serviços é a procura por
clientes demandados pelos produção de conteúdo
clientes? para redes sociais. E
a assessoria de
imprensa por que os
clientes vêem como
uma alternativa mais
barata do que fazer
ações publicitárias.”

(Empresa 1)
“a demanda da
maioria dos clientes é
por serviços ligados à
assessoria de
imprensa…” (Empresa
2)

“O mais procurado é
assessoria de
imprensa”. (Empresa
3)

“Hoje, o nosso foco


principal ainda é
assessoria de
imprensa.” (Empresa
4)

“Hoje em dia nós


temos uma boa
procura por redes
sociais, em
planejamento desses
posts.” (Empresa 5)
“Cerca de 90 por
Vocês oferecem cento dos nossos
apenas serviços clientes chegam aqui
pontuais aos com a procura de
clientes? trabalhos isolados,
pontuais.” (Empresa
2)

“Só esses que


ofertamos aqui, caso o
cliente procure por
outro tipo de serviço
direcionamos para
colegas que sabemos
que oferecem o tipo
de serviço procurado.”
(Empresa 3)

“Sim fazemos, é o que


a gente chama de
Job. Nós fazemos
trabalho específico
para aquela data.”
(Empresa 5)

3 Organização Divisão de tarefas “Então existe uma


formação da equipe
Como acontece a ela é analisada de
divisão de tarefas? acordo com a
demanda. Não existe
essa obrigatoriedade
de todas as pessoas
estarem envolvidas,
buscamos formar
equipes para que
exista uma linearidade
do trabalho.”

(Empresa 1)

“geralmente nos
reunimos para
diagnosticar o que
cada um de nós
poderemos fazer para
lidar com o trabalho
requerido pela
empresa contratante.”
(Empresa 2)

“Eu e minha sócia


fazemos os
acompanhamentos de
todos os clientes,
agora as outras
meninas tem o serviço
dividido entre elas de
acordo com os
serviços demandados
pelo cliente”.
(Empresa 3)

“Por meio de reuniões


diárias e semanais,
onde é feito um
brainstorming e
dividimos as tarefas
entre cada
colaborador.”
(Empresa 4)

“Hoje o mercado exige


muito um profissional
multiprofissional [...]
eu tenho uma equipe
multi profissional.
Profissionais fazem o
atendimento. Cada um
cuida em torno de 8
contas.” (Empresa 5)

4 Monitoramento Métrica e “No caso de


Periodicidade assessoria de
imprensa o mais
Qual é o método de comum é o relatório
avaliação dos de retorno de mídia, e
serviços? a clipagem. No caso
de redes sociais a
gente ainda está
tentando achar uma
mensuração mais
eficaz, mas hoje é
feita por análise de
engajamento E na
comunicação interna a
gente tem também
algumas ferramentas
de métrica de
mensuração

mas hoje análise é


feita mais por
observação.”

(Empresa 1)

“ por meio da
clipagem dos
principais veículos de
comunicação goianos
e também é feito um
relatório para compilar
essas informações.”
(Empresa 2)
Analisamos as vias
digitais, e todas as
matérias que saem
nas mídias. (Empresa
3)

“A forma que nós


encontramos então é
fazer um relatório
detalhado do
resultado do trabalho
que está sendo
desenvolvido. Nós
fazemos o clipping, a
centimetragem,
fazemos a valoração
disso, quanto custaria
se aquilo fosse pago
como publicidade.”
(Empresa 4)

“No caso das redes


sociais temos aqui
uma ferramenta
específica [...] que a
gente fala que é o
scupp. Esse scupp
gerencia essas contas
pra gente, alguém
falou qualquer coisa
seja boa ou ruim ele
aparece. [...] Já a
parte de clientes off,
nós temos reuniões
semanais [...] nós
fazemos uma
pesquisa pra saber da
onde que o cliente
tirou aquele número
de vendas, se foi
através de alguma
campanha que foi feita
ou se foi através de
alguma indicação que
as vezes nós não
temos como mensurar
o nosso trabalho”
(Empresa 5)

Com que “A periocidade disso é


periodicidade são todos os dias.”
avaliados os (Empresa 2)
serviços?

Todos os dias
(Empresa 3)
“para todos os nossos
clientes, nós fazemos
um acompanhamento
e um relatório mensal
do resultado do
trabalho.” (Empresa 4)

“Nós temos reuniões


semanais com eles e
eu também faço
reuniões semanais
com os atendimentos
que a gente consegue
ir mensurando o que
esta acontecendo em
cada área.” (Empresa
5)

5 Precificação Valores do mercado O que é levado em “O piso do jornalista é


consideração para levado como base.
valorar os serviços? Além disso o tempo
gasto no serviço, o
valor a ser pago em
despesas como
locação do imóvel.
Também são levados
em consideração para
formação do preço a
ser pago.”

(Empresa 1)

“estabelecemos taxas
fixas que nos
recompensem por
todo o esforço da
agência ao trabalhar
para determinado
cliente.” (Empresa 2)

“Depende muito do
serviço que será
realizado e de qual é a
necessidade do
cliente.” (Empresa 3)

“Nós somos filiados a


SINAPE, nós temos
uma tabela que
seguimos” (Empresa
5)

“Em relação às
empresas que
possuem a mesma
estrutura e situação
Os preços pagos são que nós. Sim os
justos? valores são justos.”
(Empresa 1)

“os valores que


geralmente são
ofertados pelos
clientes não são justos
com nossa jornada de
trabalho.” (Empresa 2)

“normalmente nós
temos o nosso valor
de mercado, claro que
sempre tem um choro
nessa negociação
mas tentamos não
fugir do nosso valor.
Infelizmente sabemos
que tem outros
profissionais fazem
com um valor mais a
baixo.” (Empresa 3)

“Sim, eu acho que o


preço que os nossos
clientes pagam é um
preço justo. É claro
que a gente quer
sempre um pouco
mais, né?! E isso é
natural.” (Empresa 4)

“Só que essa tabela é


muito surreal, os
valores são altíssimos,
onde as agências são
obrigadas a abaixar
quase 50% do valor
pra conseguir ter um
parâmetro de preço.”
(Empresa 5)

“Sim o mercado é
6 Mercado de Visão do ramo de O mercado de promissor, não no
Comunicação negócio comunicação é sentido financeiro,
promissor? mas talvez você
consiga um
reconhecimento
profissional. seja
promissora em outros
aspectos.”
(Empresa 1)

“a empresa nesse
setor é promissora a
partir da premissa em
que ela oferece
trabalhos com
qualidade e sabem
conquistar o
público-alvo.”
(Empresa 2)

“As empresas são


promissoras.”
(Empresa 3)

“Eu acredito que sim,


hoje a gente tem um
mercado muito amplo,
a gente consegue
atender. Onde você
vai tem uma agência,
meio que pulverizou.
Mas, eu acredito que
tem mercado pra todo
mundo, você
consegue ta
atendendo bem,
consegue ter um
retorno bacana.”
(Empresa 5)

“Se você for analisar


Avaliação do Como é o mercado 80% das pessoas que
mercado goiano goiano de trabalham em Goiás
comunicação? elas nem possuem
nem ao menos a
autorização fornecida
pela prefeitura para
poder emitir recibo, ou
não são nem
microempreendedores
individuais, eles são
simplesmente
freelancers, ou seja,
não a um
comprometimento
com ética, ou com
qualificação
profissionais.”

(Empresa 1)

“o mercado goiano é
proveitoso para as
empresas de
comunicação na
medida em que é
explicada para o
cliente a importância
de uma agência como
a nossa para trabalhar
a sua comunicação.”
(Empresa 2)

Acompanhando desde
quando surgimos com
a empresa sim foi
promissor, estamos
caminhando bem.
(Empresa 3)

“ [...] o país está


vivendo um período
de crise, né?! E é
claro que você
empreender num
período de crise é
mais difícil. [...]Mas
esse é um mercado
que também por outro
lado possui
oportunidades, você
tem nichos de
mercado que você
pode atuar. Aí,
depende do faro do
empreendedor e da
ousadia com que ele
atuará no mercado.”
(Empresa 4)

“Em expansão, eu
acredito que ele tem
muito o que crescer,
muito amadurecer,
mas é um mercado
que hoje
financeiramente esta
um pouco estagnado,
devido que a gente vê
que a crise apertou
um pouco [...] mas
mesmo assim eu
acredito que é um
mercado que você
consegue criar meios
onde os clientes
possam estar
investindo cada vez
mais, onde você
consiga também ta
criando sua clientela.”
(Empresa 5)

APÊNDICE D - ​TABELA DA ANÁLISE DE CONTEÚDO DA PESQUISA COM CLIENTES DE EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO


Categoria Subcategori Unidade de Unidade de Contexto
a Registro

Empresa de Contratação Por que contratar


“Pelo maior foco na implementação de mão
comunicação uma empresa de
de obra no trabalho.”
terceirizada comunicação
terceirizada?
“Para agilizar os processos do marketing, no
que diz respeito a geração de conteúdo
(criação, arte final). E ainda, poder contar
com uma equipe de fora para auxiliar na
criação das ações com novas ideias e
sugestões que agregam valor.”

“Qualidade nos conteúdos criados, SAC 2.0 e


principalmente constância. Sem contar a
facilidade e confiança de que o trabalho será
feito.”

“A decisão de contratar uma empresa


terceirizada se deve ao fato da mesma ser
especializada em produção de campanhas,
desafogando o trabalho da equipe. Além de
que para uma empresa, terceirizar um serviço
sai mais em conta do que contratar todos os
profissionais necessários para os trabalhos
realizados.”

“Não temos estrutura interna para fazer esse


trabalho e acreditamos que uma empresa que
é focada somente em comunicação consiga
executar melhor o trabalho.”

“Porque entendemos que tal empresa possui


maior know how do que nós, por se tratar de
uma empresa especializada em determinado
foco. Ou seja, na nossa visão, ela vive e
respira determinado aspecto da comunicação,
enquanto nós trabalhamos diversos.
Contratamos diversos parceiros para projetos
específicos. Porém, para trabalhos contínuos
o número é limitado, visto que temos uma
equipe interna capacitada.”

“Por contratar uma empresa especializada


que trabalha exclusivamente com
comunicação.”
“Porque é uma empresa pequena não
compensaria abrir um setor para este fim.”

“Devido eu ter uma pequena equipe interna.”

O Marketing é um dos pilares da empresa,


Área de Implantação Há a
atuando junto ao Desenvolvimento de
comunicação necessidade de
Produtos e Comercial. Já entendemos todo o
implantar uma
processo de comunicação e marketing como
área de
fundamental para nosso negócio. Sendo
comunicação na
assim já temos tal área implantada hoje, com
sua empresa?
10 colaboradores.”

“Preferimos que outra empresa especializada


em comunicação faça o trabalho, pois
acreditamos que terá melhor qualidade e
agilidade. Além disso, para uma área interna,
a demanda de contratação, etc é muito
grande além de onerar a folha de
pagamento.”

“No momento a agência em conjunto com o


RH atende a essa demanda.”
“[...] Mas ter uma assessoria de comunicação
é muito importante, principalmente porque as
empresas hoje se relacionam cada vez mais
com seus clientes (nosso caso servidores)
por site, email e divulgação no mural sobre as
ações que desempenhamos e promovemos,
o público jovem exige isso e um profissional
que entende como passar isso a eles é
importantíssimo.”

“O serviço prestado pela agência de


publicidade e demais fornecedores alinhado à
minha equipe interna está satisfatório.”

“Nesse momento a empresa não comportaria


uma estrutura além da área de Marketing,
para implantar uma área de comunicação
(profissionais, equipamentos, etc.).
Atualmente a área é vista como uma única
área: Marketing/Comunicação (Já que a área
de comunicação é gerenciada pelo
Marketing).”
“[...] A empresa onde trabalho possui um
departamento de marketing, que na prática
substitui o departamento de comunicação,
mas pelo fato de ser muito voltado a
mercadologia, falta muitas ações estratégicas
de comunicação, principalmente de
relacionamento interno.”

“A contratação de terceirizados é feita porque


a demanda do departamento é muito grande.”

APÊNDICE E – ​INTERFACES DO SITE


Figura 1: ​Página inicial do site.
Figura 2:​ Layout​ da seção “Nossa Equipe”.
Figura 3:​ ​Layout​ da aba “Serviços”.
Figura 4:​ ​Layout​ da aba “Clientes”.
Figura 5:​ Layout do blog.
Figura 6: ​Layout da aba “Contato”.
APÊNDICE F - ​PLANEJAMENTO DO BLOG DA AGÊNCIA

Conscientizar as empresas sobre o papel dos profissionais de comunicação é imprescindível para o bom relacionamento
com estas, por este motivo será criado o blog Imagética.

Objetivo: ​Divulgar a relevância de ações de comunicação para empresas.

Públicos de interesse: ​Empresários, profissionais liberais, parceiros e público em geral.

Gestão de Conteúdo: As informações apresentadas serão produzidas pela Imagética Comunicação. Os textos serão elaborados
com base em 4 temáticas:
● Marketing e empreendedorismo;
● Redes Sociais e Relações Públicas;
● Assessoria de Imprensa;
● Eventos.

Normas de gestão:
● Produzir textos com uma linguagem clara e objetiva;
● Atualizar semanalmente o blog.
APÊNDICE G – ​TEXTOS PRODUZIDOS PARA O BLOG

Relações-públicas, aquele que faz festinhas?


Elysa Coutinho

O relações-públicas ainda é pouco reconhecido pelo trabalho que faz, e muitas vezes são pejorativamente chamados de “galera
das festinhas”. Bom, então vamos saber um pouco de como atua esse profissional no ramo dos eventos. Talvez possa dizer que
essa definição das pessoas ligarem o profissional dessa área ao que faz festas seja o fato de ser um dos ramos de atuação que
grande parte dos relações-públicas costumam ter um carinho especial, como costumamos falar “as meninas dos olhos de RP”.
Mas por que somos tão bons em fazer eventos? O RP é um gestor de relacionamento, responsável por cuidar do relacionamento
da instituição que está inserido e evento nada mais é do que unir várias pessoas em um lugar descontraído para que desenvolvam
um melhor relacionamento entre ambos e com a organização. É importante ressaltar que nem sempre e nem todas as empresas
utilizam da ferramenta “evento” como um plano institucional. Organizar eventos não é apenas juntar um grupo de pessoas, servir
algum tipo de comida e bebida e colocar uma musica pra tocar, mas sim analisar, planejar para descobrir diversas coisas antes de
colocar isso em pratica.

É preciso analisar para saber qual o público de interesse para o qual a instituição pretende oferecer um evento, como é o gosto
dessas pessoas em relação a festas e comemorações e o que se quer oferecer para eles, qual produto quer atrair o cliente a
consumir. Após um mapeamento para descobrir essas informações se chegarà conclusão de que o público ao qual a instituição
tem interesse em algo diferenciado podemos começar o planejamento para o evento.

Para começar os preparativos é necessário decidir qual o tipo de evento que será realizado e para qual público, interno ou externo,
se é para vender algum produto ou se é para criar um relacionamento mais firme e duradouro entre público e instituição, se será
um evento mais formal ou mais tranquilo, dia ou noite, e por ai vão diversas coisas e detalhes que precisam ser pensadosna hora
do planejamento. Para isso se tem uma ferramenta de enorme importância para o RP que é o ​check-list​, nele se coloca tudo que
será necessário com quantidades e prazos para que o evento aconteça da melhor maneira possível.
Um evento bem organizado pode garantir a empresa grande fidelidades além de uma venda boca a boca onde as pessoas irão
elogiar e levaram outros clientes a fazerem parte da organização. Já se mal planejado as consequências são grandes, podendo
afastar os que já faziam parte da instituição como também gerar burburinhos negativos que afastará possíveis novos clientes.

Ufa! Parece que não é simplesmente fazer festinha o que o profissional de relações públicas faz não é mesmo? Espero que
tenham entendido um pouco do que é ser RP nesse segmento e como é importante seus conhecimentos para o sucesso de um
evento. Como exemplo de tudo que falado até aqui, segue o vídeo sobre o anúncio da Miss Universo 2015, onde um erro na
organização causou um terrível constrangimento.

Link do vídeo​: ​https://www.youtube.com/watch?v=Us8iNUAAV2w


Afinal, o que faz um relações-públicas?
Lucas Matos

Biotecnólogo, auxiliar de logística, cientista de dados... são muitas as profissões no Brasil que não são conhecidas pela população
em geral, assim como as suas principais funções. Com o profissional de Relações Públicas também não é diferente, as até então
habilitações em comunicação social que mais têm notoriedade pelo público são jornalismo e publicidade. E algumas vezes, a
sociedade consegue reconhecer muito bem as suas atribuições no cotidiano.

Mas afinal, o que faz um relações-públicas? Quais são as atribuições desse profissional? Pode-se dizer que a principal função do
profissional de RP é criar ou manter relacionamentos efetivos e duradouros entre as partes interessadas e seus públicos. As partes
interessadas, neste caso, seriam as instituições públicas, organizações privadas e profissionais liberais (autônomos). Já os
públicos são as parcelas da sociedade em que estas partes procuram atingir de alguma forma, seja oferecendo produtos e
serviços ou estabelecendo contatos para a realização de parcerias que garantam a sua existência no mercado.

Por que essa seria a atribuição elementar de um relações-públicas? Porque simplesmente tudo o que o agente da área produz,
cria e planeja circula nesse objetivo: ser o elo entre a parte interessada e os seus públicos. Vale salientar que o RP não ocupa-se
apenas em favor de seu contratante, mas também trabalha atendendo aos interesses do cliente (público externo) dentro do
negócio onde atua ao elaborar estratégias de comunicação que aproximem as iniciativas, sejam elas públicas ou privadas dos
seus públicos-alvo.

Nem sempre os profissionais da área estão denominados como “relações-públicas” nos locais onde trabalham, mas com nomes de
funções específicas que adentram o leque de atuação das RPs como: gestor de comunicação interna, analista de marketing,
organizador de eventos, gerente de mídias sociais, entre outros. Como pode ser visto, por mais que sejam diversas atribuições e
cada uma com suas particularidades, todas elas possuem como objetivo o fortalecimento das relações entre uma determinada
parte e seus públicos específicos.

Para finalizar, pode-se dizer que o público é basicamente a essência da profissão. É pensando nele que os relações-públicas irão
trabalhar elaborando projetos, estratégias, enfim, ideias que supram necessidades ou que construam vínculos sólidos, seja ele
interno (negócios e seus colaboradores) ou externo (clientes). Nos próximos artigos desta categoria, serão levantados mais tópicos
a respeito das várias atividades que os relações-públicas podem desempenhar e os encargos em que eles se destacam enquanto
um diferencial como na gestão de crises, no relacionamento com a comunidade e na elaboração de planejamentos de
comunicação.

A iniciativa “Todo Mundo Precisa de Um RP” produziu um vídeo que explica de forma bem simples e prática o universo da
profissão e suas características. Dê uma olhada!

Vídeo​: ​https://www.youtube.com/watch?v=NH7Zj-bA0Xc
Foto​: ​https://cdn2.hubspot.net/hubfs/466952/Blog/mobile_advertising_partners.jpg

Legenda da imagem​: Construir relacionamentos entre uma organização e seus públicos é um compromisso das Relações
Públicas

O papel da assessoria de imprensa nas organizações


Monithelle Cardoso

O relacionamento de uma empresa com a imprensa é intermediado pela assessoria de imprensa. O porta-voz da empresa é
treinado pelos profissionais da assessoria que o orientam antes e durante coletivas e entrevistas. Além disso, os assessores tem o
papel de pautar positivamente a empresa na mídia, ou seja, mostrar o que a empresa faz para os veículos de comunicação para
que eles publiquem notícias gratuitamente sobre a instituição, o que chamamos de mídia espontânea.

Para analisar a presença da organização na mídia, ou seja, como os veículos de comunicação estão falando da empresa é
realizado o ​clipping que é a busca e indexação de notícias sobre a empresa. Após esse processo, é feita a auditoria de imagem
que mostra a análise das matérias definindo se estas foram positivas ou negativas para a empresa e se é necessário um
posicionamento da organização sobre o assunto abordado.

De maneira geral, é amplo o processo de assessoria de imprensa. Quando bem sistematizado ele pode ser crucial para a
empresa, tendo em vista que a mídia é uma grande influenciadora e pode ajudar ou comprometer a imagem e a reputação de uma
organização em instantes. Em nossos próximos textos, será abordado com mais detalhes cada etapa da assessoria de imprensa.

Foto​: ​https://pixabay.com/pt/ariadna-oltra-mas-artur-catalunha-883879/

Legenda​: ​O posicionamento do porta-voz da empresa deve ser trabalhado antes dele conceder entrevistas.
APÊNDICE H - ​BRIEFING​ E PLANEJAMENTO DO CONGRESSO DE ENGENHARIA E TECNOLOGIA 2016

Evento: ​V Congresso de Engenharia e Tecnologia (CET)


Data: ​Maio de 2016
Local: ​Campus Samambaia/UFG
Temática primária: ​Tecnologia
Área temática secundária:​ Educação
Linhas de Extensão:​ Engenharia; Tecnologia e Específicas
Site do evento em 2016: ​http://www.cetufg.com/site/evento

Descrição
A equipe organizadora é composta por estudantes de 23 cursos da Universidade Federal de Goiás. Os integrantes estão divididos
em diretorias que são responsáveis por providenciar tudo que é necessário para a realização do evento. Nesta edição, o congresso
será composto por semanas acadêmicas dos cursos que o compõe. O entretenimento também é um destaque do evento, com a
realização da festa de encerramento e ações durante o congresso.

Público
Acadêmicos dos cursos da área de Tecnologia, Engenharia e Indústria em âmbito nacional. ​A meta é atingir um público de 2000
inscritos.

Materiais Gráficos para divulgação


● Cartazes;
● Banners;
● Materiais digitais para redes sociais e site.

Comunicação

O Congresso possui uma ​fan page que foi utilizada em 2014 para divulgar o evento e esta precisa ter o nome alterado para
“Congresso de Engenharia e Tecnologia”, de forma que seja possível utilizá-la todos os anos para divulgar o evento.
A nova versão do site está em desenvolvimento.

Suporte​ (equipamentos disponíveis)


Data Show
Computador
Tela de Projeção para Data Show
Salas do Campus Samambaia.

Planejamento de Relações Públicas

Macroestratégia 1: ​Organização do Congresso

Objetivo Geral
Orientar a comissão organizadora do Congresso quanto as ações do evento.
Objetivo específico
● Auxiliar no desenvolvimento do projeto do evento;
● Apoiar na prospecção de patrocinadores.

Estratégias
● Estruturar ações que a comissão organizadora precisa desenvolver;
● Elaborar proposta de patrocínio para captação de patrocinadores.

Justificativa
Os integrantes da comissão organizadora do evento não possuem experiência na área, por isto se faz necessário o apoio da
Imagética Comunicação nas atividades de planejamento e execução do evento.

Públicos
Comissão organizadora do CET.

Orçamento
Esta ação não necessitará de recursos financeiros.

Cronograma
De agosto de 2015 a maio de 2016.
Avaliação
Cada atividade será avaliada individualmente, tendo em vista suas características. Por isto, conforme as demandas
apresentadas pela comissão do evento as ações serão avaliadas.

Macroestratégia 2:​ Divulgação do Congresso CET

Objetivo Geral
● Promover o CET como evento relevante na área das engenharias, tecnologias e específicas.

Objetivo específico
● Apresentar o CET para os cursos de interesse do evento;
● Divulgar o evento para a imprensa.

Estratégias
● Auxiliar a comissão organizadora do evento no planejamento de ações de integração com os cursos de interesse do CET;
● Definir sugestões de pautas para a imprensa e produzir ​releases;​
​ specífico para o evento.
● Produzir ​mailing e

Justificativa
O evento já é conhecido por determinados cursos da área que abrange, mas outros não o veem como um congresso que
atenda as necessidades acadêmicas que possuem. Por isto, é relevante a execução de ações especificas para os alunos dos
cursos que serão atendidos pelo CET. Além disso, promover o evento para a mídia é relevante para torná-lo conhecido e
proporcionar aos patrocinadores do congresso visibilidade.

Públicos
Comissão organizadora do CET, Imprensa, Graduandos das áreas que o congresso abrange.

Orçamento
Esta ação não necessitará de recursos financeiros.

Cronograma
De agosto de 2015 a maio de 2016.

Avaliação
As ações destinadas aos graduandos das áreas que o congresso abrange serão avaliadas com base nas inscrições desses
alunos no congresso. Já a divulgação para imprensa será mensurada a partir do ​clipping ​feito após o evento.
APÊNDICE H - ​PROPOSTA DE PLANO DE PATROCÍNIO PARA O CET 2016

Plano de Patrocíni​o
CONGRESSO DE ENGENHARIA E TECNOLOGIA
TEMA DO CONGRESSO
DATA
CENTRO DE CULTURA E EVENTOS PROF. RICARDO FREUA BUFÁIÇAL

O congresso
O Congresso de Engenharia e Tecnologia (CET) da Universidade Federal de Goiás (UFG) é um evento de caráter
técnico-científico e cultural. O evento proporcionará aos congressistas o debate com profissionais experientes do país, propiciando
também a oportunidade para novos negócios e parcerias. Durante o congresso haverá palestras, minicursos, ​apresentações
culturais e ações de cunho social.
A comissão organizadora do evento espera receber a participação de cerca de 2 mil congressistas, entre eles alunos de
graduação e pós-graduação da área de engenharia, tecnologia e áreas afins da UFG e outras instituições da região Centro-Oeste
e do Brasil.
As edições anteriores do evento receberam mais de cinco mil pessoas de diferentes instituições de ensino de Goiás. O CET
é promovido por vinte e três cursos da UFG, que se uniram para realizar um evento que atenda as demandas dos discentes que
anseiam conhecer os profissionais que atuam em sua área de estudo e também promover ​networking​.
Cotas de patrocínio
O patrocínio do evento é direcionado para empresas, indústrias e profissionais liberais.

Porque patrocinar?
Os patrocinadores terão a oportunidade de divulgar sua marca para profissionais e discentes que em breve estarão aptos a
atuar no mercado e consumir os serviços e produtos dos patrocinadores em suas atividades de trabalho e em sua vida pessoal.
Consolidando a imagem da marca como financiadora do crescimento intelectual e do desenvolvimento tecnológico na sociedade.

Propostas de Cotas
O CET 2016 oferece seis opções de cotas de patrocínios para as empresas interessadas em contribuir para a realização do
evento, nas próximas páginas os profissionais encontrarão as contrapartidas disponibilizadas pelo evento para promover a imagem
das empresas.

Cota Diamante
● 5 (cinco) inscrições para o congresso;
● Logo da empresa nos cartazes que serão expostos na Regional Goiânia da UFG, e em outras instituições de ensino que
possuem cursos superiores vinculados à temática do CET;
● Logo da empresa nos banners que serão expostos nas unidades acadêmicas da UFG que compõem o público de interesse
do evento, durante os dois meses que antecederem o evento;
● Logo da empresa nos portfólios de divulgação que serão entregues para os alunos durante as ações de divulgação do CET
(Os portfólios serão segmentados por cursos e apresentarão os palestrantes e temáticas do evento voltadas para cada
curso);
● No ​teaser​ que será produzido para convidar o público para o evento a marca da empresa será associada;
● Divulgação da empresa como patrocinadora do evento nas mídias digitais (Facebook, Instagram, Twitter e Site);
● Logo na camiseta que será entregue a todos os congressistas;
● Inclusão do material gráfico (folders, panfletos) da empresa (disponibilizado pela empresa) no kit que será entregue aos
congressistas;
● O material gráfico (folders, panfletos) da empresa (disponibilizado pela empresa) será colocado em cavaletes próximos as
atrações de entretenimento do evento;
● Informações sobre o patrocinador serão disponibilizadas no Pen Drive que será entregue para os congressistas;
● Logo da empresa na caneta, bloco de notas, caneca em acrílico, crachá e na bag que irá compor o kit congressista;
● Agradecimento verbal proferido pelo mestre de cerimônias na mesa de abertura do evento;
● Logo da empresa no slide que estará disponível antes da palestra de abertura do evento que será no Centro de Cultura e
Eventos;
● Logo da empresa nos ​backdrops​ que serão expostos em todos os auditórios que tiverem palestras do evento;
● Logo da empresa nas placas de localização expostas pelo Câmpus Samambaia da UFG durante o evento.
● 2 (dois) banners com informações sobre a empresa expostos no Câmpus Samambaia da UFG durante o evento (O banner
terá a chamada “Você Sabia” e possibilitará a empresa expor seus diferenciais para o público do evento);
● Logo da empresa no palco em que ocorrerão as apresentações musicais;
● Uso dos produtos da marca que tiverem relação com os desafios técnicos que serão realizados;
● O nome da empresa será colocado no nome de 1 (um) desafio técnico;
● Logo da empresa no aplicativo oficial do evento, disponível para celulares iOS e Android;
● Logo da empresa no pátio da arena de robôs;
● Logo da empresa na estrutura do mutirão social promovido pelo CET com o apoio dos discentes da área da saúde da UFG,
que será realizado no Shopping Passeio das Águas (As ações do mutirão social são aferição de pressão, glicose, avaliação
nutricional, corte de cabelo, manicure dentro outros serviços);
● Exposição de materiais gráficos da empresa (disponibilizados pela empresa) na festa de encerramento do congresso;
● Acesso ao material fotográfico do evento;
● Logo da empresa nas fotos disponibilizadas pelo CET para os congressistas;
● No pós-evento a empresa receberá agradecimento por meio das mídias sociais (​Facebook,​ ​Instagram e ​Twitter​) em que o
usuário será redirecionado para o site da organização;

- Valor do investimento: R$ 20 mil (vinte mil reais)


- Número de cotas: 01
- Formas de pagamento: a combinar com a organização.

Cota Platina
● 4 (quatro) inscrições para o congresso;
● Logo da empresa nos cartazes que serão expostos na Regional Goiânia da UFG, e em outras instituições de ensino que
possuem cursos superiores vinculados à temática do CET;
● Logo da empresa nos banners que serão expostos nas unidades acadêmicas da UFG que compõem o público de interesse
do evento, durante os dois meses que antecederem o evento;
● Logo da empresa nos portfólios de divulgação que serão entregues para os alunos durante as ações de divulgação do CET
(Os portfólios serão segmentados por cursos e apresentarão os palestrantes e temáticas do evento voltadas para cada
curso);
● Divulgação da empresa como patrocinadora do evento nas mídias digitais (Facebook, Instagram, Twitter e Site);
● Inclusão do material gráfico (folders, panfletos) da empresa (disponibilizado pela empresa) no kit que será entregue aos
congressistas;
● Informações sobre o patrocinador serão disponibilizadas no Pen Drive que será entregue para os congressistas;
● Agradecimento verbal proferido pelo mestre de cerimônias na mesa de abertura do evento;
● Logo da empresa no slide que estará disponível antes da palestra de abertura do evento que será no Centro de Cultura e
Eventos;
● Logo da empresa nos ​backdrops​ que serão expostos em todos os auditórios que tiverem palestras do evento;
● Logo da empresa nas placas de localização expostas pelo Câmpus Samambaia da UFG durante o evento.
● Logo da empresa no palco em que ocorrerão as apresentações musicais;
● Uso dos produtos da marca que tiverem relação com os desafios técnicos que serão realizados;
● Logo da empresa no aplicativo oficial do evento, disponível para celulares iOS e Android;
● Logo da empresa no pátio da arena de robôs;
● Logo da empresa na estrutura do mutirão social promovido pelo CET com o apoio dos discentes da área da saúde da UFG,
que será realizado no Shopping Passeio das Águas (As ações do mutirão social são aferição de pressão, glicose, avaliação
nutricional, corte de cabelo, manicure dentro outros serviços);
● Exposição de materiais gráficos da empresa (disponibilizados pela empresa) na festa de encerramento do congresso;
● Acesso ao material fotográfico do evento;
● Logo da empresa nas fotos disponibilizadas pelo CET para os congressistas;
● No pós-evento a empresa receberá agradecimento por meio das mídias sociais (Facebook, Instagram e Twitter) em que o
usuário será redirecionado para o site da organização.

- Valor do investimento: R$ 15 mil (quinze mil reais)


- Número de cotas: 01
- Formas de pagamento: a combinar com a organização.
Cota Ouro
● 3 (três) inscrições para o congresso;
● Logo da empresa nos cartazes que serão expostos na Regional Goiânia da UFG, e em outras instituições de ensino que
possuem cursos superiores vinculados à temática do CET;
● Logo da empresa nos banners que serão expostos nas unidades acadêmicas da UFG que compõem o público de interesse
do evento, durante os dois meses que antecederem o evento;
● Divulgação da empresa como patrocinadora do evento nas mídias digitais (Facebook, Instagram, Twitter e Site);
● Inclusão do material gráfico (folders, panfletos) da empresa (disponibilizado pela empresa) no kit que será entregue aos
congressistas;
● Agradecimento verbal proferido pelo mestre de cerimônias na mesa de abertura do evento;
● Logo da empresa no slide que estará disponível antes da palestra de abertura do evento que será no Centro de Cultura e
Eventos;
● Logo da empresa nos ​backdrops​ que serão expostos em todos os auditórios que tiverem palestras do evento;
● Uso dos produtos da marca que tiverem relação com os desafios técnicos que serão realizados;
● Logo da empresa no aplicativo oficial do evento, disponível para celulares iOS e Android;
● Logo da empresa na estrutura do mutirão social promovido pelo CET com o apoio dos discentes da área da saúde da UFG,
que será realizado no Shopping Passeio das Águas (As ações do mutirão social são aferição de pressão, glicose, avaliação
nutricional, corte de cabelo, manicure dentro outros serviços);
● Exposição de materiais gráficos da empresa (disponibilizados pela empresa) na festa de encerramento do congresso;
● Acesso ao material fotográfico do evento;
● No pós-evento a empresa receberá agradecimento por meio das mídias sociais (Facebook, Instagram e Twitter) em que o
usuário será redirecionado para o site da organização.
- Valor do investimento: R$ 10 mil (dez mil reais)
- Número de cotas: 01
- Formas de pagamento: a combinar com a organização.

Cota Prata
● 2 (duas) inscrições para o congresso;
● Logo da empresa nos cartazes que serão expostos na Regional Goiânia da UFG, e em outras instituições de ensino que
possuem cursos superiores vinculados à temática do CET;
● Divulgação da empresa como patrocinadora do evento nas mídias digitais (Facebook, Instagram, Twitter e Site);
● Agradecimento verbal proferido pelo mestre de cerimônias na mesa de abertura do evento;
● Logo da empresa no slide que estará disponível antes da palestra de abertura do evento que será no Centro de Cultura e
Eventos;
● Logo da empresa na estrutura do mutirão social promovido pelo CET com o apoio dos discentes da área da saúde da UFG,
que será realizado no Shopping Passeio das Águas (As ações do mutirão social são aferição de pressão, glicose, avaliação
nutricional, corte de cabelo, manicure dentro outros serviços);
● Acesso ao material fotográfico do evento;
● No pós-evento a empresa receberá agradecimento por meio das mídias sociais (Facebook, Instagram e Twitter) em que o
usuário será redirecionado para o site da organização.
- Valor do investimento: R$ 5 mil (cinco mil reais)
- Número de cotas: 01
- Formas de pagamento: a combinar com a organização

Cota Bronze
● 1 (uma) inscrição para o congresso;
● Logo da empresa nos cartazes que serão expostos na Regional Goiânia da UFG, e em outras instituições de ensino que
possuem cursos superiores vinculados à temática do CET;
● Divulgação da empresa como patrocinadora do evento nas mídias digitais (Facebook, Instagram, Twitter e Site);
● Agradecimento verbal proferido pelo mestre de cerimônias na mesa de abertura do evento;
● No pós-evento as empresas patrocinadoras incluídas nesta cota serão agradecidas por meio das mídias sociais (Facebook,
Instagram e Twitter) com uma publicação contendo a logo de todas.
- Valor do investimento: R$ 2 mil (dois mil reais)
- Número de cotas: 01
- Formas de pagamento: a combinar com a organização

Cota Exclusiva (Única)


O CET 2016 promoverá o Prêmio de Inovação e Tecnologia que objetiva (Explicar o prêmio).
Nesta cota, o patrocinador terá como contrapartida as disponibilizadas para a Cota Diamante com alguns diferenciais. O
patrocinador exclusivo será o nome do Prêmio de Inovação e Tecnologia e poderá promover uma ação durante o evento (A ação
deve ser apresentada com antecedência para a comissão organizadora do CET para que seja avaliada a sua viabilidade).
- Valor do investimento: 1 (um) automóvel 0km
- Número de cotas: Somente uma empresa poderá adquirir esta cota.
- Formas de pagamento: a combinar com a organização

Contato
Nome do responsável:
Telefone: (62)
E-mail do evento:
Site do CET:
Fan page​:

APÊNDICE I – ​MODELO DE CARTA DE PATROCÍNIO PARA O CET 2016


CARTA DE PATROCÍNIO

Goiânia, ​14 de maio​ de 2015.

Ilmo(a). Sr(a).
Alessandro Rosa de Sá ​(Nome do gerente, diretor da empresa)
DD. Gerente da Casa de Baco – Goiânia​ ​(Cargo e Nome da empresa)

Assunto: Participação em Evento

Prezado Senhor(a),
O Comissão Organizadora do Congresso de Engenharia e Tecnologia (CET) está organizando a 5º edição do evento, para o
período de ​30 de maio a 01 de junho de 2016.
A proposta do nosso trabalho é promover um evento que proporcionará aos congressistas o debate com profissionais
experientes do país, propiciando também a oportunidade para novos negócios e parcerias. Durante o congresso haverá palestras,
mini-cursos, ​apresentações ​culturais,​ ações de cunho social e atividades de entretenimento.
A estimativa é que 2 mil pessoas participem do congresso. Entre eles profissionais que atuam no mercado de trabalho,
estudantes de graduação e pós-graduação do estado de Goiás que tendem a ser um público promissor para os apoiadores do
evento.
Para executar as atividades propostas para o evento, contamos com o apoio de empresas parceiras que colaboram com o
evento. Diante disso, apresentamos o plano de patrocínio que compreende 6 (seis) oportunidades de patrocínios para empresas.
Além, da divulgação proposta nas cotas de investimento do evento, o patrocinador pode contribuir com o CET disponibilizando
brindes para palestrantes e congressistas do evento.
Assim, gostaria de solicitar à Vossa Senhoria a gentileza de considerar a possibilidade de apoiar o Congresso de
Engenharia e Tecnologia.
Coloco-me à disposição para quaisquer esclarecimentos e agradeço a confirmação.
Muito Obrigada,
Cordialmente,
Henrique Bruno ​(Nome de quem está pedindo o patrocínio)
(Cargo no CET)
Congresso de Engenharia e Tecnologia da Universidade Federal de Goiás
E-mail:
Telefone: (62)
APÊNDICE J - ​B​RIEFING​ E PLANEJAMENTO DO II CONGRESSO FACE

Evento: ​II Congresso FACE


Data: ​5 a 7 de outubro de 2015
Local: ​Centro de Cultura e Eventos Profº Ricardo Freuá Bufaiçal
T​ema central:​ ​Brasil e os Desafios da Conjuntura Atual
Temática primária: ​Trabalho
Área temática secundária:​ Educação
Linhas de Extensão:​ Gestão Institucional; Gestão do Trabalho; Desenvolvimento Humano
Site do evento em 2014: ​http://eventos.ufg.br/SIEC/portalproec/sites/gerar_site.php?ID_SITE=8561

Equipe Organizadora
Pedro Duarte (economia) - Coordenador do Evento
Flávia Rezende (economia)
Monize Ramos (administração)
Ercílio Zanolla (contabilidade)
Sérgio Barroca (contabilidade)
Maria Salete (administração)
Monize Ramos (administração)
Aretuza Silva (secretaria acadêmica)

Público​s
Graduandos de Administração, Contabilidade e Economia da UFG e outras instituições. A meta é atingir um público de 1000
inscritos.

Materiais Gráficos
5mil Folders 21x30 cm, 4x4 cores, 2 dobras, couchê 150g
1mil Crachás - couchê 250g
100 Cartazes - sulfite 90g
10 banners 0,80x1m
Backdrop 6x3m
Plataforma de Email Marketing - 1 mês - 25 mil e-mails subscritos, disparo ilimitado
Pastas Personalizadas - couchê 250g - 4x0 cores

Comunicação
O evento não possui ​fan page,​ será criada uma nova página. E o site utilizado está na plataforma de eventos da UFG.
Planejamento

Macroestratégia 1: ​Divulgação do Congresso FACE

Objetivo Geral
● Disseminar informações/notícias sobre o evento.

Objetivo Específico
● Atrair os públicos específicos para o congresso.

Estratégias
​ ue possa ser utilizada neste e nos próximos eventos;
● Criar ​fan page q
​ specífico para o evento;
● Produzir ​mailing e
● Elaborar ​releases​;
● Realizar contato com jornalistas (​Follow up​);
● Pesquisar e Avaliar a repercussão da divulgação do congresso (​Clipping)​ .

Justificativa
O sucesso de um evento vem de como ele foi divulgado e levado ao conhecimento do público. Para isso é importante um
planejamento prévio com pessoas capacitadas para pensar o que, como, para quem e quando falar. Quando se trata de
comunicação não basta apenas gerar constantes informações, é preciso avaliar e mensurar os resultados das ações.

Públicos
Graduando de Administração, Economia, Ciências Contábeis, Imprensa.

Orçamento
Esta ação não necessitará de recursos financeiros.

Cronograma
Ações serão realizadas de agosto a outubro de 2015.

Avaliação
As ações serão avaliadas por meio do ​clipping ​que analisará as notícias veiculadas na mídia sobre o evento. E a página no
Facebook c​ onforme os dados fornecidos pela rede social.
APÊNDICE K - ​RELEASES PRODUZIDOS PARA O II CONGRESSO FACE
Release 1: Enviado no dia 22 de setembro de 2015

Desafios da conjuntura atual do país são discutidos em Congresso na UFG


II Congresso FACE ocorrerá de 5 a 7 de outubro

Com o tema “Brasil e os Desafios da Conjuntura Atual”, o II Congresso FACE ocorrerá de 5 a 7 de outubro no Centro de
Cultura e Eventos Prof. Ricardo Freua Bufáiçal da Universidade Federal de Goiás (UFG). O evento promoverá debates em torno
do novo cenário econômico, político e social do país e propõe uma reflexão sobre os caminhos e soluções para os próximos anos.

Promovido pela Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Economia (Face) da UFG, o Congresso é voltado para
estudantes, profissionais do mercado e colaboradores de organizações públicas que poderão participar de palestras, minicursos e
mesas-redondas ministradas por pesquisadores e profissionais renomados do país.
Para compreender o cenário em que o Brasil está inserido, o Congresso oferecerá minicursos sobre gestão financeira da
pequena empresa, gestão econômica, finanças em tempos de crise entre outros temas que estarão disponíveis nas palestras e
mesas-redondas.
As inscrições para o evento são gratuitas. Para conferir a programação e se inscrever, acesse: ​www.congressoface.com.br

Serviço
Assunto: II Congresso FACE
Data: 5 a 7 de outubro de 2015
Local: Centro de Cultura e Eventos Prof. Ricardo Freua Bufáiçal da Universidade Federal de Goiás (UFG)
Contato: Imagética Comunicação – (62) 9311-1080

Release 2: Enviado no dia 23 de setembro de 2015

Os benefícios da economia solidária para a população brasileira


Forma de gestão econômica pode contribuir para o desenvolvimento do país

Incentivar a coletividade, a democracia e a cooperação no jeito de se fazer economia: esse é um dos principais ideais da
economia solidária, modo de gestão econômica que busca a promoção do desenvolvimento sustentável e a emancipação dos
cidadãos nas atividades de produção, oferta de serviços, comercialização, finanças e consumo.
Tal modelo econômico busca a não existência da figura do patrão e do empregado, uma vez que todos os participantes de
um negócio são em simultâneo, trabalhadores e donos de seus próprios empreendimentos (associação, cooperativa, etc.). Por
isso, pode-se dizer que a economia solidária estimula o trabalho em comunidade e a luta da população excluída do mercado de
trabalho pela inclusão social em setores da iniciativa popular.
Mas como essa forma de economia pode auxiliar o Brasil a enfrentar os obstáculos que são impostos pela atual crise? É o
que a professora da Universidade de Brasília (UnB), Christiane Girard, busca debater em sua palestra “A alternativa da economia
solidária”, uma das atrações que ocorrem dia 07 (quarta-feira) no II Congresso FACE, na Universidade Federal de Goiás (UFG). As
inscrições para participar do evento são gratuitas e haverá emissão de certificados para os congressistas.

Serviço
Assunto: Palestra “A alternativa da economia solidária” com prof.ª Christiane Girard (UnB) – II Congresso FACE/UFG
Data: 7 de outubro de 2015 (quarta-feira) às 19h00.
Local: Centro de Cultura e Eventos Prof. Ricardo Freua Bufáiçal da UFG
Inscrições: Gratuitas e Limitadas no site do evento - ​www.congressoface.com.br
Contato: Imagética Comunicação – 62 8121-1293

Release 3: Enviado no dia 25 de setembro de 2015

Gestão financeira durante a crise é discutida em congresso da UFG

Em um momento a crise econômica assola o bolso dos brasileiros, saber administrar o dinheiro de maneira equilibrada,
pode ser uma alternativa saudável para não encerrar o ano com o saldo bancário no “vermelho”.
Tais aspectos serão debatidos em um minicurso oferecido pela Profa. Daiana Pimenta, doutoranda da Universidade de
Brasília (UnB), durante a segunda edição do Congresso FACE, da Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Economia
da Universidade Federal de Goiás (UFG).
Com temas voltados para análise do atual momento econômico, o congresso que acontecerá de 5 a 7 de outubro no Centro
de Cultura e Eventos Prof. Ricardo Freua Bufáiçal da UFG visa integrar os profissionais de Administração, Economia e
Contabilidade em busca de alternativas e oportunidades para a economia em recessão.

Serviço
Assunto: II Congresso FACE
Data: 5 a 7 de outubro de 2015
Local: Centro de Cultura e Eventos Prof. Ricardo Freua Bufáiçal da Universidade Federal de Goiás (UFG)
Inscrições: Gratuitas e Limitadas: ​http://www.congressoface.com.br
Contato: Imagética Comunicação – 9311 1080

Release 4: Enviado no dia 28 de setembro de 2015


Perspectivas quanto à indústria brasileira serão debatidas na UFG
Quadro recessivo da atividade industrial é detectado em pesquisa da CNI

Dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI) demonstraram que entre os meses de junho e julho de 2015, se
intensificou o ritmo de queda da atividade industrial. As perspectivas para a indústria no Brasil serão destaque na palestra do prof.
Célio Hiratuka (Unicamp) durante o II Congresso FACE promovido pela Faculdade de Administração, Contábeis e Economia da
Universidade Federal de Goiás (UFG), que ocorrerá de 5 a 7 de outubro no Centro de Cultura e Eventos Prof. Ricardo Freua
Bufáiçal da UFG.
O quadro recessivo na indústria brasileira, de acordo com a pesquisa da CNI, foi reforçado com a queda de todos os
indicadores entre o primeiro e o segundo trimestre. Os postos de trabalho continuam reduzindo, o indicador (dessazonalizado) de
emprego registrou queda de 0,8% em julho frente a junho. Já o faturamento corrobora com o cenário negativo da atividade
industrial, o resultado de julho o aponta em nível 6,7% menor que o apurado há 12 meses.

Serviço
Assunto: Indústria no Brasil: avaliação e perspectiva – II Congresso FACE
Data: 5 a 7 de outubro de 2015
Local: Centro de Cultura e Eventos Prof. Ricardo Freua Bufáiçal da Universidade Federal de Goiás
Inscrições: Gratuitas e Limitadas: ​http://www.congressoface.com.br
Contato: Imagética Comunicação - 62 9311 1080
APÊNDICE L - ​MODELO DE OFÍCIO PARA CONVIDAR VEREADORES E DEPUTADOS

Ofício circular: 002/2015


Goiânia, 28 de setembro de 2015.

Ao Sr. Adib Elias


Deputado Estadual

Assunto: II Congresso FACE/UFG


Senhor Deputado,
Convidamos Vossa Excelência para participar do II Congresso FACE, realizado pela Faculdade de Administração, Ciências
Contábeis e Economia da Universidade Federal de Goiás (UFG) entre os dias 5 e 7 de outubro de 2015, no Centro de Cultura e
Eventos Prof. Ricardo Freua Bufáiçal no Campus Samambaia da UFG.

O tema deste ano é “Brasil e desafio da conjuntura atual”, na qual ​serão discutidos os efeitos e desdobramentos da crise sobre a
economia e sociedade brasileira, propondo reflexões sobre os caminhos e soluções para os próximos anos.

Também queremos convidá-lo para a palestra de abertura que ocorrerá no dia 05 de Outubro, às 19h, com o Prof. Célio Hiratuka
(Unicamp), que falará sobre a “Indústria no Brasil: avaliação e perspectiva”, além de todas as demais atividades programadas ao
evento.

Respeitosamente,
Cássio Eduardo Souza
Coordenador de Comunicação
II Congresso FACE/UFG
APÊNDICE M - ​ROTEIRO DA MESA DE ABERTURA DO CONGRESSO

CERIMONIAL DO II CONGRESSO DA FACE


DATA: 05/10/2015 (SEGUNDA-FEIRA)
HORÁRIO: 18h45
LOCAL: CENTRO DE EVENTOS

DESENVOLVIMENTO DA SESSÃO

MESTRE DE CERIMÔNIAS SENHORAS E SENHORES, BOA NOITE! DAMOS INÍCIO AO SEGUNDO


CONGRESSO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E
ECONÔMICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS.

MESTRE DE CERIMÔNIAS FAZEM PARTE DA MESA AS SEGUINTES AUTORIDADES:


REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS (UFG), PROF. ORLANDO
AFONSO VALLE DO AMARAL;

PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE


GOIÁS (FAPEG), P
​ ROFA. MARIA ZAIRA TURCHI;

DIRETOR DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E


ECONÔMICAS,​ ​PROF. MOISÉS FERREIRA DA CUNHA​;

COORDENADOR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, ​PROF. MAURO


CAETANO DE SOUZA​;

COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS


CONTÁBEIS, P
​ ROF. JÚLIO ORESTES DA SILVA;
COORDENADORA DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS, ​PROFA.
ANDREA FREIRE DE LUCENA​;

COORDENADOR DO EVENTO, ​PROF. PEDRO HENRIQUE EVANGELISTA


DUARTE.

MESTRE DE CERIMÔNIAS REGISTRAMOS E AGREDECEMOS A PRESENÇA:


(LER LISTA EM ANEXO)
MESTRE DE CERIMÔNIAS COM A PALAVRA:

COORDENADOR DO EVENTO, ​PROF. PEDRO HENRIQUE EVANGELISTA


DUARTE;

DIRETOR DA FACE,​ ​PROF. MOISÉS FERREIRA DA CUNHA​;

PRESIDENTE DA FAPEG, P
​ ROFA. MARIA ZAIRA TURCHI;

REITOR DA UFG,​ PROF. ORLANDO AFONSO VALLE DO AMARAL.


MESTRE DE CERIMÔNIAS AGRADECEMOS A PRESENÇA DOS COMPONENTES DA MESA DIRETIVA E OS
CONVIDAMOS A OCUPAR LUGAR NO AUDITÓRIO PARA ASSISTIREM A
CONTINUIDADE DA PROGRAMAÇÃO;

TEREMOS AGORA A PALESTRA MAGNA, COM O TEMA: “INDÚSTRIA NO


BRASIL: AVALIAÇÃO E PERSPECTIVA”, QUE SERÁ APRESENTADA PELO
PROF. CÉLIO HIRATUKA​;

PARA COORDENAR A ATIVIDADE, COM A PALAVRA, ​PROF. PEDRO


HENRIQUE EVANGELISTA DUARTE.

(O coordenador da mesa fará a leitura do currículo resumido do convidado).


APÊNDICE N - ​RELATÓRIO DE AÇÕES PARA O CONGRESSO FACE
Relatório Congresso FACE

Durante o II Congresso FACE, a Imagética Comunicação atuou na assessoria de imprensa e atualização da página no
Facebook. Elaboramos este breve relatório com os resultados alcançados pela agência.

Fan page

A ​fan page criada para o evento alcançou 176 curtidas. A partir da avaliação da página percebemos a relevância do seu uso
para a divulgação do evento, tendo em vista o número de interações com a página com 14.523 cliques nas publicações e 375
curtidas. Estes números são favoráveis levando em conta o tempo em que a página esteve ativa até a data do congresso que foi
em torno de 1 mês. A quantidade de comentários foi reduzida, apenas 14, que são o reflexo da preferência dos congressistas pela
página do evento que estava disponível em paralelo a ​Fan page​.

Assessoria de Imprensa

Foi produzido para a divulgação do evento 4 releases que abordaram temáticas do congresso. A partir da busca de notícias
(clipagem) em sites e jornais foram encontradas 4 notícias relacionadas ao evento. Todas as notícias abordaram positivamente a
realização do evento. Dentre elas, foi realizada uma entrevista ao vivo no Jornal Metropóle da TV Metropóle, na qual o
coordenador do evento participou. Também foram clipadas notícias no site da Universidade Federal de Goiás, no site HeyEvent e
no site do Conselho Regional de Contabilidade de Goiás.
A partir da avaliação, detectamos que a rede social escolhida para a divulgação on-line do evento foi de grande valia,
propiciando a aproximação com os públicos e permitindo que a estratégia continue sendo usada em próximas edições. E para as
próximas edições, o envio de releases pode ser intensificado, para que em próximos eventos tenhamos a presença da imprensa.
Tendo em vista, que pelo tipo de evento as chances de ter a presença da imprensa são pequenas, mas as temáticas abordadas no
evento podem continuar a ser exploradas para aumentar as oportunidades.

Clipping FACE

Imagem 1:​ ​Print ​do evento no ​site​ da UFG.


Imagem 2: ​Print da divulgação do evento no site HeyEvent.
Imagem 3: ​Print​ da divulgação do evento no site do Conselho Regional de Contabilidade.
Imagem 4: ​Print​ da entrevista concedida para o Jornal Metrópole.

​ PLANEJAMENTO DE PESQUISA DE PÚBLICOS PARA A BRASILEIRINHO LANCHES & ASSADOS


APÊNDICE O - ​BRIEFING E

Nome fantasia​: Brasileirinho Lanches & Assados


Razão Social​: Joaquim Pereira de Matos MEI
Endereço​: Rua Cruz Alta Qd. 27 Lt. 12 Jardim Novo Mundo - Goiânia, Goiás.
Explicação do nome​: O negócio necessitava de um nome que fosse popular e que fosse lembrado de forma rápida pelo público
que mora no bairro. Além disso, o fato do estabelecimento ser próximo a duas escolas, o nome fantasia escolhido deveria ser
simples para ficar na memória das crianças e jovens que estudam por perto.
História​: Em novembro de 2014, os proprietários estavam desempregados e decidiram começar seu próprio negócio a partir da
venda de frangos assados aos fins de semana (sábados e domingos), em frente a uma distribuidora de bebidas. Em maio de 2015,
eles perceberam que precisavam ter uma estrutura para atender aos clientes e poder armazenar os materiais que utilizavam.
Como a venda somente desse produto não era suficiente para suprir os gastos com aluguel e energia, o casal decidiu abrir uma
lanchonete que funciona todos os dias.

Localização
Próxima a escolas, lojas comerciais e residências.

Diretrizes Organizacionais
Não possui diretrizes organizacionais.
Os proprietários objetivam ampliar a gama de produtos que oferecem e se tornar um empório.

Estrutura Física
Sala comercial pequena
Caixa, um freezer mostruário, um freezer fechado, três mesas de plástico com quatro cadeiras cada, um freezer para sorvetes.

Recursos Humanos
Dois proprietários

Produtos
Refrigerantes, isotônicos, energéticos, salgados assados, bombons caseiros e tradicionais, pães de queijo, salgadinhos de milho e
bomboniere.

Identidade Visual
Possui uma fachada com o nome e contatos da lanchonete.

Comunicação
Não são realizadas estratégias de comunicação. O único meio de contato disponibilizado é o telefone.

Públicos
Alunos das escolas da região, comerciantes e funcionários de lojas próximas e moradores do bairro.
Concorrência
Concorrentes Diretos
Supermercado São Vicente que possui padaria e comercializa bebidas e sorvete;
Comércio informal nos finais de semana que vende frango assado;
Distribuidora de bebidas;
Bolos & Cia.

Concorrentes Indiretos
Supermercado Gontijo;
Supermercado Naponence.

Planejamento para pesquisa de públicos

Tema
Estudo sobre as preferências dos públicos do bairro Jardim Novo Mundo em relação aos produtos vendidos em lanchonetes.

Pergunta problema
Quais produtos despertam o interesse dos públicos da região a visitar uma lanchonete? Quais podem ser acrescentados como um
diferencial em relação ao local?

Objetivo Geral
Conhecer quais são as expectativas do público em relação ao consumo de produtos em estabelecimentos desse ramo.

Objetivos Específicos
Verificar quais produtos tradicionalmente oferecidos em lanchonetes despertam o interesse dos clientes em visitar o
estabelecimento;
Compreender o potencial de novos produtos a serem vendidos nesses locais;
Mapear a preferência de certos tipos de produtos conforme faixas etárias de público ou perfil.

Hipóteses
1. Os públicos da lanchonete analisada no caso são majoritariamente homogêneos e partilham dos mesmos gostos em relação
aos produtos vendidos e novos produtos;
2. Os públicos do estabelecimento oscilam de acordo com seu perfil ou faixa etária em sua opinião sobre os produtos vendidos e
novos produtos;

Metodologia de coleta
Questionário estruturado com 13 perguntas de múltipla escolha que será aplicado pessoalmente durante 2 semanas em dias
pré-determinados no setor Novo Mundo.
Metodologia de análise
Por ser uma pesquisa de cunho quantitativo, as respostas serão analisadas conforme a frequência de respostas.

Questionário

1. Idade.
( ) 10 - 15
( ) 16 - 20
( ) 21 - 30
( ) 31 - 40
( ) 41 - 50
( ) Mais de 50

2. Escolaridade.
( ) Não possui
( ) Ensino Fundamental Incompleto
( ) Ensino Fundamental Completo
( ) Ensino Médio Incompleto
( ) Ensino Médio Completo
( ) Ensino Superior Incompleto
( ) Ensino Superior Completo

3. Sexo.
( ) Feminino ( ) Masculino

4. Profissão.
( ) Autônomo
( ) Estudante
( ) Outros: ______________________________

5. Você mora no Jardim Novo Mundo?


( ) Sim ( ) Não

6. Você trabalha no Jardim Novo Mundo?


( ) Sim ( ) Não

7. Você já visitou a Brasileirinho Lanches & Assados?


( ) Sim ( ) Não

7.1. Caso já frequente a lanchonete, você a visita com que frequência?

( ) Diariamente
( ) Três vezes por semana
( ) Duas vezes por semana, ou menos.

8. O que você costuma consumir na Brasileirinho?

a. Produtos de panificadora
( ) Bolos caseiros
( ) Pães de queijo
( ) Biscoitos de queijo
( ) Salgados assados

b. Aperitivos industrializados
( ) Salgadinhos de milho
( ) Sorvete

c. Outro. Cite:__________________________________________________.

9. Como você avalia o atendimento do Brasileirinho?


( ) Ótimo
( ) Bom
( ) Regular
( ) Ruim
( ) Péssimo

9.1 O que você acha que precisa mudar no atendimento?


( ) Nada, está tudo ótimo.
( ) Educação
( ) Agilidade
( ) Sanar dúvidas sobre os produtos.
( ) Outros_______________________________________________________

10. Quais produtos são mais atrativos em um estabelecimento alimentício?


( ) Laticínios (queijos, iogurtes, leites fermentados e etc.)
( ) Crepes
( ) Açaí
( ) Caldos
( ) Pamonha
( ) Sucos naturais
( ) Vitaminas e cremes
( ) Doces em compota
( ) Enlatados e Produtos não perecíveis ​(Requeijão, extrato de tomate, ketchup, maionese, mostarda, azeitona, achocolatado, café
etc.)

11. Você utilizaria o serviço de ​Delivery​?


( ) Sim
( ) Não
APÊNDICE P - ​PLANEJAMENTO DE RELAÇÕES PARA A BRASILEIRINHO LANCHES & ASSADOS

Planejamento de Relações Públicas

Macroestratégia 1:​ Adequação do cardápio a demanda dos clientes.

Objetivo Geral
Oferecer produtos que atendam as necessidades dos clientes.

Estratégias
● Incluir no cardápio oferecido pela lanchonete produtos como: pamonha, sucos naturais e cremes a fim de atender a
expectativas dos clientes da Brasileirinho Lanches & Assados;
● Disponibilizar os preços em mural na parede.

Justificativa
Após o desenvolvimento de uma pesquisa quantitativa realizada com os clientes da lanchonete, verificou-se que estes
desejam que alguns produtos sejam inclusos no cardápio do empreendimento.

Públicos
Clientes que já frequentam o estabelecimento a algum tempo.

Orçamento

Produto Quantidade Valor estimado


Pamonha 15 por dia R$ 3,00 unidade
Polpa de fruta Pct 10 unid. R$ 14,98
Laranja Saco de laranja R$ 24,00
Espremedor de laranja 1 R$ 129,90
Liquidificador industrial 1 R$ 299,00
Tabela de preço 1 R$ 160,00

Cronograma
Janeiro de 2016.

Macroestratégia 2:​ Fixação de marca

Objetivo Geral
Facilitar a memorização da marca e de seus preceitos para os frequentadores da lanchonete.

Objetivo Específico
Construir uma imagem positiva para a marca afim de consolidar a sua reputação como estabelecimento comercial.

Estratégia
Entregar os produtos em sacos de papel Kraft lacrados com adesivos personalizados com o nome do estabelecimento e
oferecer uniformes adequados a cada um dos colaboradores.

Justificativa
Durante a aplicação da pesquisa foi detectado que os clientes que consomem na lanchonete não a conhecem pelo seu
nome. Por isso, é relevante que sejam realizadas ações que propiciem a fixação de marca com um custo acessível.
Públicos
Clientes.

Orçamento

Produto Quantidade Valor estimado


Saco de papel Kraft 100 unid. R$ 63,00
Adesivo 100 unid. R$ 9,90

Cronograma
Janeiro e fevereiro de 2016.
Macroestratégia 3: ​ Comunicação Visual

Objetivo Geral
Orientar, apresentar e sinalizar a presença da Brasileirinho Lanches e Assados para a Comunidade.

Objetivo Específico
Atender ao “P” do marketing denominado como Promoção e dialogar através dos instrumentos da comunicação visual para
os seus públicos de interesse.
Estratégia
Investir em quadros para sinalização dos produtos em promoção, panfletagem das casas da região.

Justificativa
A Comunicação visual se faz necessária para compor a identidade da organização perante aos que se relacionam
cotidianamente com a mesma. Afim lhe oferecer personalidade para a construção de um relacionamento sólido com os seus
públicos.

Públicos
Clientes.

Orçamento

Produto Quantidade Valor estimado


Panfleto 10000 R$ 269,90
Quadro negro 1 de dois lados R$ 67,90

Cronograma
De Janeiro a Março de 2016.
APÊNDICE Q - ​BRIEFING​ E PLANEJAMENTO TOP TRAINING

Briefing​ Top Training

Nome Fantasia​: Top Training


Responsável:​ Iran Carlos
Endereço​: Rua 9 A n° 744 Setor Aeroporto
Contato: ​(62) 9188-4730
História​: Com a intenção de criar uma academia de treinamento funcional e ​crossfit ​onde o serviço seja totalmente capaz de
atender as pessoas com diversas condições físicas, foi criado o Estúdio Iran Carlos, espaço voltado para o atendimento de uma
quantidade restrita de alunos com a dedicação necessária para cada indivíduo. O estúdio foi inaugurado no dia 20 de novembro de
2015.

Localização
Próximo à Navesa, Senac e outras lojas comerciais e residências.

Diretrizes Organizacionais
Não possui.

Estrutura Física
Sala comercial pequena, equipada com dois ventiladores e aparelhos específicos para a prática de treinamento funcional e
crossfit.​ Em breve, serão instalados climatizadores.

Recursos Humanos
Atualmente os recursos humanos do estúdio se restringem apenas ao proprietário. No entanto, ele visa à contratação de um
estagiário em 2016.

Serviços
● Atividades funcionais de alta intensidade:
Com o objetivo de aumentar o gasto de calorias durante o repouso e fortalecer a musculatura para ganhar condicionamento
físico, evitando assim dores musculares, prevenção contra lesões, cansaço físico, mental e melhorias na qualidade de vida.
● Alongamentos e recuperação da mobilidade:
Objetivando o alívio das tenções musculares e articulares com o aumento na flexibilidade, proporcionando assim um melhor
alívio e conforto para as atividades do dia a dia.
● Treinos Cardiorrespiratórios:
Além de ajudar no consumo de gordura, melhora a respiração, evita possíveis problemas cardíacos, melhorando assim o
desempenho em outras atividades pessoais.
● Técnicas de pilates:
Desenvolve força e consciência corporal para as atividades normais do dia a dia, evitando assim qualquer risco de lesões.

Identidade Visual
Não possui.

Comunicação
Não são realizadas estratégias de comunicação. O único meio de contato disponibilizado é o telefone.

Públicos

Públicos de Interesse: ​Casais de classe A e B que praticam ou possuem interesse em praticar atividade física regularmente, e se
submetem a restrições alimentares significativas, orientados por profissionais especialistas do segmento para alcançar os
resultados sociais e desempenho físico desejado.

Públicos em Potencial: ​Crianças, jovens e idosos de classe A e B, que desejam praticar atividade física e são encaminhados ao
estúdio através dos casais que compõem o público de interesse.

Clientes
Possui 30 clientes e possui a meta de conseguir um total de 50 até julho de 2016.

Concorrência

Concorrentes Diretos
Não existe concorrente direto no bairro onde ele atua no momento.

Concorrentes Indiretos
● Gaff Studio - Especialistas em Treinamento Funcional
● NFG Treinamento Funcional
● VR Running - Assessoria Esportiva
● Treinamento Funcional Mariana Leão
● Eduardo Cury - Gestão de Resultados

Planejamento de Relações Públicas

Macroestratégia 1: ​Desenvolvimento das Diretrizes Organizacionais

Objetivo Geral
Delimitar qual é a missão do estúdio, a sua visão para o futuro e os seus valores.
Estratégia
Utilizar a bibliografia básica sobre o assunto e depoimentos do proprietário para a composição das diretrizes.

Justificativa
As diretrizes são essenciais para a definição dos objetivos da organização, uma vez que elas são as guias que direcionam o
negócio dentro de seu segmento. Em virtude disso, é preciso delimitar os seus conceitos a fim de propagar os propósitos da
empresa internamente.
Públicos
Clientes e possíveis clientes.

Orçamento
Não serão utilizados recursos financeiros.

Cronograma
Dezembro de 2015.

Macroestratégia 2: ​Vídeo Institucional

Objetivo Geral
Apresentar o estúdio aos alunos durante a prospecção.

Objetivos específicos
● Divulgar e exemplificar os serviços oferecidos pela empresa;
● Tornar o público mais próximo das atividades praticadas em uma academia.

Estratégias
● Produzir um vídeo institucional, composto pelas diretrizes do estúdio, métodos utilizados e apresentação do ambiente ao
provável aluno;
● Produzir ​teasers ​sobre a empresa para publicação nas redes sociais.

Justificativa
O estúdio possui um esboço para apresentar a empresa para seus alunos, contudo, a utilização de um vídeo pode
proporcionar uma melhor compreensão dos públicos quanto aos serviços prestados, por apresentá-lo de maneira mais atraente.

Públicos
Clientes e possíveis clientes.
Orçamento
Por ser um projeto desenvolvido no âmbito acadêmico serão utilizados os recursos oferecidos pelo laboratório de
audiovisual da Faculdade de Informação e Comunicação para a gravação do vídeo institucional.
Os ​teasers​ serão gravados por meio de ​smartphones​.

Cronograma
De dezembro de 2015 a fevereiro de 2016.

Macroestratégia 3: ​Presença virtual

Objetivo Geral
Demarcar a presença da empresa no ambiente virtual.

Objetivos específicos
● Mostrar aos públicos o serviço oferecido pela empresa;
● Desenvolver um relacionamento com seus clientes;
● Interagir com os públicos que buscam informações sobre treinamento funcional.
● Promover a criação de conteúdo entre os alunos da academia os incentivando a mostrar os resultados obtidos.

Estratégia
Criar um perfil no ​Instagram​ para a empresa.

Justificativa
As pessoas adquiriram o costume de buscar no ambiente virtual, informações, opiniões e serviços, para construir uma
relação de confiança com as organizações. O Instagram foi escolhido nesta macroestratégia por ser uma rede social voltada para o
compartilhamento de imagens e quem procura este tipo de treinamento é atraído pelos resultados comprovados nas fotos
publicadas.

Públicos
Clientes e possíveis clientes.

Orçamento
Não serão utilizados recursos financeiros.

Cronograma
De dezembro de 2015 a fevereiro de 2016.

Macroestratégia 4: ​Fixação da marca


Objetivo Geral
Criar um plano para que a marca seja lembrada pelos seus públicos.

Objetivos Específicos
Promover a fidelização dos seus clientes à marca, por meio da fixação da imagem da academia com a distribuição de
brindes.

Estratégia
Presentear seus clientes periodicamente com brindes como ​squeezes​, cordas e outros objetos úteis ao treinamento, a fim
de promover o relacionamento e integração dos alunos ao Estúdio.

Justificativa
Quando uma marca deseja se consolidar no mercado, faz-se necessário construir uma lembrança positiva sobre a mesma
na memória do consumidor. Essa prática contribui para a imagem positiva da organização.

Públicos
Clientes.
Orçamento

Produto Quantidade Valor estimado


Squeez de alumínio 60 R$ 299,90 com 25 unid.
Corda 60 R$ 18,90 unid.
Bolsa deTNT 60 R$ 140,00 com 50 unid.
Camiseta 60 R$ 20 unid.

Cronograma
De janeiro a dezembro de 2016.

Macroestratégia 5: ​Fidelização dos clientes

Objetivo Geral
Estabelecer vínculos entre os alunos e a academia.

Objetivos Específicos
● Aproximar os alunos da academia;
● Promover a integração entre os clientes.
Estratégia
● Realizar sorteios de brindes.

Justificativa
A fidelização em um estúdio de treinamento é importante para que o aluno reconheça os resultados que obteve ao integrar
aquele local, permanecendo por mais tempo como aluno. A partir do momento que ele se vê como um integrante essencial para o
estúdio ele não busca mais só o treinamento e sim um lugar de lazer e que lhe proporciona bem-estar.

Públicos
Clientes.

Orçamento

Produto Valor estimado

Entradas para Clube R$ 100,00

Jantar (Dia dos namorados) R$ 400,00

Viagem com acompanhante para Porto Seguro R$ 1048,00 por


pessoa

Cesta de Chocolates e Vinhos ou Queijos e Vinhos R$ 229,00


Cronograma
Anual.
APÊNDICE R - ​PLANO ANUAL PARA FIDELIZAÇÃO DA TOP TRAINING

Na estratégia de fidelização dos clientes serão realizados 4 sorteios/concursos com os alunos.

Sugestão de prêmios

Data Prêmio Valor Parceiro ou Sortei


Estimado Contratante o

Março Entradas para Clube R$ 100,00 Jaó 18/03

Junho Jantar R$ 400,00 Restaurante a critério 03/06


(Dia dos namorados) (ex: Winiká, Íz e
L´etoile D´argent)

Setembro Viagem com R$ 1048,00 02/09


acompanhante para por pessoa CVC
Porto Seguro
Dezembro Cesta de Chocolates R$ 229,00 Empresas 03/12
e Vinhos ou Queijos Especializadas
e Vinhos

Sorteios

Todos os sorteios serão filmados e divulgados nas redes sociais do estúdio.

● Como concorrer aos prêmios:

Março
Todos os alunos matriculados no estúdio e com as mensalidades em dia estarão automaticamente inscritos no sorteio.
Contudo os premiados obrigatoriamente deverão fotografar o seu dia no clube e publicá-las em suas redes sociais com a hashtag
#TopTraining.

Junho

Todos os alunos do estúdio ativos e com mensalidades em dia estarão automaticamente inscritos no sorteio. Contudo os
premiados deverão permitir o registro fotográfico do jantar e divulgação das imagens nas redes sociais tanto do Estúdio quanto do
Restaurante parceiro.
Setembro

Podem concorrer a esse prêmio todos os alunos matriculados no estúdio há no mínimo 6 meses com mensalidades em dia
(o período de 6 meses pode ser contabilizado durante o período de recebimento de vídeos do concurso).
Os alunos aptos a participar do concurso precisam gravar um vídeo de no máximo 15 segundos contando o porque treinam
na Top Training. Cada aluno pode inscrever somente um vídeo. Os vídeos devem ser enviados entre os dias ​1 e 20 de agosto de
2016 ​para o e-mail ou ​WhatsApp.​
Os vídeos serão postados no ​instagram do estúdio no dia 25 de agosto. O vídeo mais curtido entre os dias ​25 e 30 de
agosto​ ganhará o prêmio. O resultado será divulgado no ​instagram​ no dia​ 02 de setembro.
Os alunos que participarem do concurso autorizam o compartilhamento dos vídeos nas redes sociais da Top training.

Dezembro

Todos os alunos matriculados e com mensalidades em dia estarão aptos a participar do sorteio. O sorteio será realizado no
estúdio no dia 3 de dezembro. As fotos do prêmio sendo entregue para o ganhador serão postadas no ​instagram​ do estúdio.
APÊNDICE S - ​AVALIAÇÃO DA ​FAN PAGE​ DO II CONGRESSO FACE
​ A IMAGÉTICA COMUNICAÇÃO
APÊNDICE T - ​AVALIAÇÃO DA ​FAN PAGE D
APÊNDICE U - ​MANUAL DE USO DA MARCA