Você está na página 1de 4

VANTAGENS PECUNIÁRIAS

• Adicional de tempo de serviço


• Gratificações (função, cargo em comissão, hora extra…)
• Diárias (funcionário que se desloca da sede, em objeto de serviço)
• Ajuda de custo e indenização de transporte

GRATIFICAÇÕES

De função: É a retribuição pelo exercício de uma função gratificada. É mantida nos seguintes casos
de afastamento:
1. Férias;
2. Casamento e luto;
3. Licença para repouso à gestante;
4. Licença para tratamento de saúde;
5. Acidente em serviço ou doença profissional;
6. Doença de notificação compulsória;
7. Missão oficial;
8. Licença para estudo no exterior ou em qualquer parte do território nacional;
9. Prestação de prova ou exame em concurso público;
10. Convocação para júri e outros serviços obrigatórios por lei, exceto militar; e
11. Faltas abonadas por motivo de doença, inclusive em pessoa da família, até o limite de 3 por
mês.

***O exercício da função gratificada impede o recebimento da gratificação pela prestação de


serviço extraordinário.

Pelo exercício de cargo em comissão: O servidor efetivo que toma posse em CC opta pela
remuneração equivalente ao cargo em comissão ou o vencimento do cargo efetivo e a gratificação,
que é equivalente a 70% da remuneração do cargo comissionado.

***Quanto aos afastamentos, aplicam-se as mesmas regras da gratificação por função.

Pela prestação de serviço extraordinário:


• Remunera atividades realizadas fora do período normal de trabalho.
• Pode ocorrer em outro órgão, desde que haja anuência dos dirigentes.
• Tem caráter transitório, não podendo ser incorporada à remuneração do servidor.
• A jornada de trabalho dos servidores da ADM direta poderá, excepcionalmente, ser
acrescida de até 2 h extras, sem que seja permitida a recusa do servidor. Esse limite pode ser
ampliado, desde que haja concordância.
• O acréscimo de horas extras precisa ser autorizado pelo Governador, mediante proposta
dos Secretários de Estado ou órgãos equivalentes.
• As horas extras incorridas por motivos de força maior ou caso fortuito são consideradas
automaticamente autorizadas.
• O valor da gratificação é calculado com base nas horas a mais trabalhadas. O valor da hora-
base é obtido dividindo-se o valor do vencimento por 30 dias, e cada dia pelo número de
horas da jornada normal. O valor da hora obtido deve ser então aumentado em 50%.
• A gratificação não pode ultrapassar o limite de 50% do valor do vencimento em cada mês.
• Não pode ser concedida ao servidor que:
1. Esteja exercendo cargo em comissão ou função gratificada;
2. Acumule cargos, empregos ou funções;
3. Preste serviço extraordinário remunerado com outra gratificação: de representação de
Gabinete; de encargo de auxiliar ou membro de banca ou comissão examinadora de
concurso; ou de atividade temporária de auxiliar ou professor de curso oficialmente
instituído.
• Não será submetido ao regime de serviço extraordinário o servidor que:
1. Estiver gozando férias ou licenciado; ou
2. Ocupe cargo beneficiado por horário especial em virtude do exercício de atividades com
risco de vida ou saúde.

De representação de gabinete: Tem por fundamento a compensação de despesas e apresentação


inerentes ao local do exercício ou a remuneração de encargos especiais.
Poderá ser concedida:
• Aos servidores em exercício nos Gabinetes dos Secretários de Estado, nos Gabinetes da
Governadoria e nos da Procuradoria-Geral do Estado e Procuradoria-Geral da Justiça; ou
• Aos funcionários que, a critério dos titulares dos órgãos mencionados, assim devam ser
remunerados

***O valor da gratificação não pode exceder a 50% do vencimento do cargo efetivo do
servidor.

O pagamento da gratificação não será suspenso nos seguintes casos de afastamento:


a) Férias;
b) Casamento;
c) Luto;
d) Júri e outros serviços obrigatórios;
e) Licenças para tratamento de saúde e repouso à gestante;
f) Faltas até o máximo de 3 durante o mês, por motivo de doença do servidor ou de pessoa da
família.

De participação em órgão de deliberação coletiva:


• Em geral, esses órgãos são os conselhos de administração e conselhos fiscais de empresas
estatais.
• A remuneração se dá por dia de presença às sessões do órgão colegiado, limitadas a 12 por
mês.
• O valor da gratificação será fixado por decreto, calculado com base na remuneração do
cargo em comissão ou função gratificada.
• É proibida a participação do servidor em mais de um órgão deliberativo, exceto quando for
encargo próprio do exercício do cargo.
*** É o que ocorre, por exemplo, quando a lei determina que um secretário participe de um
conselho. Nesse caso ele deve receber a gratificação de maior valor.
• A gratificação pode ser acumulada com quaisquer outras vantagens a que o servidor faça
jus.
• Durante os afastamentos legais do titular, apenas o suplente receberá o valor da gratificação
pela participação em órgão deliberativo.

De participação em banca examinadora ou curso oficialmente instituído:


• Entende-se como encargo de membro de banca ou comissão examinadora de concurso a
tarefa desempenhada, por designação especial de autoridade competente, no planejamento,
organização e aplicação de provas, correção e apuração dos resultados, revisão e decisão dos
recursos interpostos, até a classificação definitiva, nos concursos, provas de seleção ou
habilitação, quando eventualmente realizados pelos órgãos da ADM direta do Estado para
provimento de cargos, preenchimento de empregos ou admissão a cursos oficialmente
instituídos.
• Professor de curso oficialmente instituído é o designado pela autoridade competente, para
exercer atividade temporária de magistérios nas áreas de treinamento e aperfeiçoamento de
pessoal.
• Somente funcionário do Estado poderá ser designado para exercer as atividades de auxiliar
de banca ou comissão examinadora de concurso, ou para a atividade temporária auxiliar de
curso oficialmente instituído.
• A gratificação pelo exercício de atividade temporária de auxiliar de professor de curso
oficialmente instituído somente será atribuída ao funcionário se o trabalho for realizado
além das horas de expediente a que está sujeito.
• As gratificações serão arbitradas, em cada caso, pelo Governador, mediante proposta
fundamentada do órgão do promotor do curso ou do concurso.
• A concessão de Gratificação pela Participação em Banca Examinadora de Concurso ou em
Curso Oficialmente Instituído não prejudicará a percepção cumulativa de outras vantagens
pecuniárias atribuídas ao funcionário.

AJUDA DE CUSTO E INDENIZAÇÃO DE TRANSPORTE

Ajuda de custo:
• É concedida para compensar as despesas de viagem, mudança e instalação do servidor que
desloque sua residência em razão de exercício permanente em nova sede.
• O valor será arbitrado pelos Secretários de Estado ou dirigentes de órgãos equivalentes, e
não será inferior a uma nem superior a três vezes o vencimento do servidor, exceto quando
se tratar de missão no exterior, caso em que o valor deve ser arbitrado pelo Governador.
• O servidor obrigado a permanecer fora da sede de sua unidade em razão de serviço por mais
de 30 dias receberá ajuda de custo correspondente a 1 mês de vencimento, sem prejuízo das
diárias a que faz jus.

Não pode ajuda de custo:


a) Quando o servidor deixar ou reassumir o cargo em virtude de mandato legislativo ou
executivo;
b) Ao servidor posto a serviço de qualquer outra entidade de direito público;
c) Quando a designação para a nova sede se der a pedido do servidor;

Servidor deverá restituir a ajuda de custo, sem direito a parcelamento:


a) Quando se transportar para a nova sede nos prazos determinados;
b) Se ele regressar, pedir exoneração ou abandonar o serviço antes de decorridos 3 meses do
deslocamento.

***O servidor não poderá gozar de licença prêmio antes de decorridos 90 dias de exercício na nova
sede, ou finda a missão.

Indenização de transporte:
• Serve para assegurar ao servidor e seus dependentes transporte para a nova sede.
• Se o servidor utilizar meios próprios de locomoção, será indenizado no valor correspondente
à tarifa rodoviária no percurso, acrescida de 50% do referido valor por dependente que o
acompanhe, até o máximo de 3. Se houver dependentes que não viajem junto com o
servidor, a Administração deve providenciar suas passagens.
São considerados dependentes:
1. Cônjuge ou companheiro legalmente equiparado;
2. Filho de qualquer condição ou enteado, bem assim o menor que, mediante autorização
judicial, viva sob a guarda e o sustento do servidor;
3. Pais, sem economia própria, que vivam a expensas do servidor;
4. 1 empregado doméstico, desde que comprovada essa condição.

*** Em casos específicos poderá ser concedida indenização de despesa de transporte aos servidores
que tenham direito ao uso individual de viaturas oficiais e que utilizarem veículo próprio no
desempenho de suas funções, conforme faixas de remuneração a serem definidas pelo Secretário
de Estado de Administração.

É proibido o uso de viatura oficial por quem já tenha autorização para utilizar veículo particular a
serviço do Estado.

A concessão da indenização não gera qualquer direito à sua continuidade.