Você está na página 1de 7

Física

Brasil
REVISÃO – 2º BIMESTRE

1. (Fuvest – 2004) Um cilindro contém uma certa massa


Mo de um gás a To = 7°C (280 K) e pressão Po. Ele
possui uma válvula de segurança que impede a
pressão interna de alcançar valores superiores a Po. Se
essa pressão ultrapassar Po, parte do gás é liberada
para o ambiente. Ao ser aquecido até T = 77°C (350 K),
a válvula do cilindro libera parte do gás, mantendo a
pressão interna no valor Po. No final do aquecimento, a
massa de gás que permanece no cilindro é,
aproximadamente, de
a) 1,0 Mo
b) 0,8 Mo
c) 0,7 Mo
d) 0,5 Mo
e) 0,1 Mo Supondo que a temperatura da câmara superior A
permaneça sempre igual a 27°C, determine:
2. (Fuvest – 2002) Um equipamento possui um sistema a) A pressão final P1, em Pa, na câmara superior A.
formado por um pistão, com massa de 10kg, que se b) A temperatura final do líquido no tanque, em °C ou
movimenta, sem atrito, em um cilindro de secção em K.
transversal S = 0,01m 2. Operando em uma região onde
a pressão atmosférica é de 10,0×104 Pa (1 Pa = 1 4. (Fuvest – 2001) Um compartimento cilíndrico, isolado
N/m2), o ar aprisionado no interior do cilindro mantém o termicamente, é utilizado para o transporte entre um
pistão a uma altura H = 18 cm. navio e uma estação submarina. Tem altura Ho=2,0m e
área da base So =3,0m2. Dentro do compartimento, o ar
está inicialmente à pressão atmosférica (Patm) e a
27°C, comportando-se como gás ideal. Por acidente, o
suporte da base inferior do compartimento não foi
travado e a base passa a funcionar como um pistão,
subindo dentro do cilindro à medida que o
compartimento desce lentamente dentro d'água, sem
que ocorra troca de calor entre a água, o ar e as
paredes do compartimento. Considere a densidade da
água do mar igual à densidade da água (103 kg/m3).
Despreze a massa da base. Quando a base inferior
estiver a 40m de profundidade, determine:

Quando esse sistema é levado a operar em uma região


onde a pressão atmosférica é de 8,0×104Pa, mantendo-
se a mesma temperatura, a nova altura H no interior do
cilindro passa a ser aproximadamente de
a) 5,5 cm
b) 14,7 cm
c) 20 cm
d) 22 cm
e) 36 cm

3. (Fuvest – 2002) Um cilindro, com comprimento de


1,5m, cuja base inferior é constituída por um bom
condutor de calor, permanece semi-imerso em um
grande tanque industrial, ao nível do mar, podendo ser
utilizado como termômetro. Para isso, dentro do
cilindro, há um pistão, de massa desprezível e isolante a) A pressão P do ar, em Pa, dentro do compartimento.
térmico, que pode mover-se sem atrito. Inicialmente, b) A altura H, em m, do compartimento, que permanece
com o ar e o líquido do tanque à temperatura ambiente não inundado.
de 27°C, o cilindro está aberto e o pistão encontra-se c) A temperatura T do ar, em °C, no compartimento.
na posição indicada na figura 1. O cilindro é, então,
fechado e, a seguir, o líquido do tanque é aquecido, 5. Curvas P × V para uma massa de ar que, à Patm e
3
fazendo com que o pistão atinja uma nova posição, 27°C, ocupa 1m : (A) isobárica, (B) isotérmica, (C) sem
indicada na figura 2. troca de calor, (D) volume constante.

1
6. (Fuvest – 2001) Um gás, contido em um cilindro, à (iii) W(iii), num processo adiabático.
pressão atmosférica, ocupa um volume Vo, à
temperatura ambiente To (em kelvin). O cilindro contém
um pistão, de massa desprezível, que pode mover-se
sem atrito e que pode até, em seu limite máximo,
duplicar o volume inicial do gás. Esse gás é aquecido,
fazendo com que o pistão seja empurrado ao máximo e
também com que a temperatura do gás atinja quatro
vezes To. Na
situação final, a pressão do gás no cilindro deverá ser

9. (Ufrj – 2005) Faz-se um sistema passar de um certo


estado A para um outro estado B por meio de dois
processos distintos, I e II, conforme mostra o gráfico
a) metade da pressão atmosférica “pressão x volume”.
b) igual à pressão atmosférica
c) duas vezes a pressão atmosférica
d) três vezes a pressão atmosférica
e) quatro vezes a pressão atmosférica

7. (Unicamp – 2007) O diagrama a seguir representa o


ciclo de combustão de um cilindro de motor a álcool.

Em qual dos dois processos houve maior absorção de


calor? Justifique.

10. (Ita – 2004) Uma máquina térmica opera com um


mol de um gás monoatômico ideal. O gás realiza o ciclo
ABCA, representado no plano PV, conforme mostra a
figura.
Durante a compressão (trecho i-f) o volume da mistura
é reduzido de Vi para Vf. A razão de compressão r é
definida como r = Vi/Vf. Valores típicos de r para
motores a gasolina e a álcool são, respectivamente, r(g)
= 9 e r(a) = 11. A eficiência termodinâmica E de um
motor é a razão entre o trabalho realizado num ciclo
completo e o calor produzido na combustão. A
eficiência termodinâmica é função da razão de
compressão e é dada por: E ≈ 1-1/√r.
a) Quais são as eficiências termodinâmicas dos
motores a álcool e à gasolina?
b) Encontre a temperatura da mistura ar-álcool após a
compressão (ponto f do diagrama).
Considerando que a transformação BC é adiabática,
Considere a mistura como um gás ideal.
calcule:
Dados: √11 ≈ 10/3.
a) a eficiência da máquina;
b) a variação da entropia na transformação BC.
8. (Ita – 2006) Um mol de um gás ideal ocupa um
volume inicial Vo à temperatura To e pressão Po
11. (Ita – 2003) Uma certa massa de gás ideal realiza o
sofrendo a seguir uma expansão reversível para um
ciclo ABCD de transformações, como mostrado no
volume V1. Indique a relação entre o trabalho que é
diagrama pressão volume da figura. As curvas AB e CD
realizado por:
são isotermas.
(i) W(i), num processo em que a pressão é constante.
Pode-se afirmar que
(ii) W(ii), num processo em que a temperatura é
a) o ciclo ABCD corresponde a um ciclo de Carnot.
constante.
b) o gás converte trabalho em calor ao realizar o ciclo.

2 Física CASD Vestibulares


c) nas transformações AB e CD o gás recebe calor. c) (4/5)
d) nas transformações AB e BC a variação da energia d) (3/4)
interna do gás é negativa. e) (5/8)
e) na transformação DA o gás recebe calor, cujo valor é
igual à variação da energia interna. 16. (Fuvest – 2000) Em uma caminhada, um jovem
consome 1 litro de O2 por minuto, quantidade exigida
12. (Fuvest – 1999) Um veículo para competição de por reações que fornecem a seu organismo 20
aceleração (drag racing) tem massa M = 1100kg, motor kJ/minuto (ou 5 "calorias dietéticas"/minuto). Em dado
de potência máxima P = 2,64 x 106W (~ 3.500 cavalos) momento, o jovem passa a correr, voltando depois a
e possui um aerofólio que lhe imprime uma força caminhar.
aerodinâmica vertical para baixo, FA, desprezível em O gráfico representa seu consumo de oxigênio em
baixas velocidades. Tanto em altas quanto em baixas função do tempo.
velocidades, a força vertical que o veículo aplica à pista
horizontal está praticamente concentrada nas rodas
motoras traseiras, de 0,40m de raio. Os coeficientes de
atrito estático e dinâmico, entre os pneus e a pista, são
iguais e valem μ=0,50. Determine:
a) A máxima aceleração do veículo quando sua
velocidade é de 120m/s, (432km/h), supondo que não
haja escorregamento entre as rodas traseiras e a pista.
Despreze a força horizontal de resistência do ar.
b) O mínimo valor da força vertical FA, aplicada ao Por ter corrido, o jovem utilizou uma quantidade de
veículo pelo aerofólio, nas condições da questão energia A MAIS, do que se tivesse apenas caminhado
anterior. durante todo o tempo, aproximadamente, de:
c) A potência desenvolvida pelo motor no momento da a) 10 kJ
largada, quando: a velocidade angular das rodas b) 21 kJ
traseiras é ω = 600rad/s, a velocidade do veículo é c) 200 kJ
desprezível e as rodas estão escorregando d) 420 kJ
(derrapando) sobre a pista. e) 480 kJ

13. (Fuvest – 2003) Uma criança estava no chão. Foi 17. (Ita – 2005) Um objeto pontual de massa m desliza
então levantada por sua mãe que a colocou em um com velocidade inicial V, horizontal, do topo de uma
escorregador a uma altura de 2,0m em relação ao solo. esfera em repouso, de raio R. Ao escorregar pela
Partindo do repouso, a criança deslizou e chegou superfície, o objeto sofre uma força de atrito de módulo
novamente ao chão com velocidade igual a 4m/s. constante dado por f = 7mg/4π. Para que o objeto se
Sendo T o trabalho realizado pela mãe ao suspender o desprenda da superfície esférica após percorrer um
filho, e sendo a aceleração da gravidade g = 10 m/s2, a arco de 60° (veja figura), sua velocidade inicial deve ter
energia dissipada por atrito, ao escorregar, é o módulo de
aproximadamente igual a
a) 0,1 T
b) 0,2 T
c) 0,6 T
d) 0,9 T
e) 1,0 T

14. (Ita – 2001) Uma partícula está submetida a uma


força com as seguintes características: seu modulo é
proporcional ao modulo da velocidade da partícula e
atua numa direção perpendicular àquela do vetor
velocidade. Nestas condições, a energia cinética da
partícula deve: a) √2gR/3
a) crescer linearmente com o tempo. b) √3gR/2
b) crescer quadráticamente com o tempo. c) √6gR/2
c) diminuir linearmente com o tempo. d) 3√gR/2
d) diminuir quadráticamente com o tempo. e) 3√gR
e) permanecer inalterada.
18. (Fuvest – 2004) Um brinquedo consiste em duas
15. (Ita – 2001) Uma bola cai, a partir do repouso, de pequenas bolas A e B, de mesma massa M, e um fio
uma altura h, perdendo parte de sua energia ao colidir flexível: a bola B está presa na extremidade do fio e a
com o solo. Assim, a cada colisão sua energia decresce bola A possui um orifício pelo qual o fio passa
de um fator k. Sabemos que após 4 choques com o livremente. Para o jogo, um operador (com treino!) deve
solo, a bola repica até uma altura de 0,64h. Nestas segurar o fio e girá-lo, de tal forma que as bolas
condições, o valor do fator k é: descrevam trajetórias circulares, com o mesmo período
a) (9/10) T e raios diferentes. Nessa situação, como indicado na
b) (2√5)/5 figura 1, as bolas permanecem em lados opostos em
CASD Vestibulares Física 3
relação ao eixo vertical fixo que passa pelo ponto O. A que desequilibra o ventilador, principalmente quando
figura 2 representa o plano que contém as bolas e que este se movimenta.
gira em torno do eixo vertical, indicando os raios e os
ângulos que o fio faz com a horizontal.

Suponha, então, o ventilador girando com uma


velocidade de 60 rotações por minuto e determine:

Assim, determine: a) A intensidade da força radial horizontal F, em


a) O módulo da força de tensão F, que permanece newtons, exercida pelo prego sobre o rotor.
constante ao longo de todo o fio, em função de M e g. b) A massa Mo, em kg, de um pequeno contrapeso que
b) A razão K = sen α/sen θ, entre os senos dos ângulos deve ser colocado em um ponto Do, sobre a borda do
que o fio faz com a horizontal. rotor, para que a resultante das forças horizontais,
agindo sobre o rotor, seja nula.
c) O número N de voltas por segundo que o conjunto
realiza quando o raio R1 da trajetória descrita pela c) A posição do ponto Do, localizando-a no esquema
bolinha B for igual a 0,10 m. anterior (fig. B).
NOTE E ADOTE: (Se necessário, utilize π ≈ 3)
Não há atrito entre as bolas e o fio.
Considere sen θ ≈ 0,4 e cos θ ≈ 0,9 ; π ≈ 3. 21. (Fuvest – 2000) Um carrinho é largado do alto de
uma montanha russa, conforme a figura.
19. (Unicamp – 2001) As máquinas a vapor, que foram
importantíssimas na Revolução Industrial, costumavam
ter um engenhoso regulador da sua velocidade de
rotação, como é mostrado esquematicamente na figura
adiante. As duas massas afastavam-se do eixo devido
ao movimento angular e acionavam um dispositivo
regulador da entrada de vapor, controlando assim a
velocidade de rotação, sempre que o ângulo θ atingia
30°. Considere hastes de massa desprezível e
comprimento L=0,2m, com massas m=0,18kg em suas Ele se movimenta, sem atrito e sem soltar-se dos A
pontas, d=0,1m e aproxime √3≈1,8. trilhos, até atingir o plano horizontal. Sabe-se que os
raios de curvatura da pista em A e B são iguais.
Considere as seguintes afirmações:

I . No ponto A, a resultante das forças que agem sobre


o carrinho é dirigida para baixo.
lI. A intensidade da força centrípeta que age sobre o
carrinho é maior em A do que em B.
lII. No ponto B, o peso do carrinho é maior do que a
intensidade da força normal que o trilho exerce sobre
ele.
Está correto apenas o que se afirma
a) I
b) II
c) III
a) Faça um diagrama indicando as forças que atuam d) I e II
sobre uma das massas m. e) II e III
b) Calcule a velocidade angular Ω para a qual θ=30°.
22. (Unicamp – 2004) Uma bola de tênis rebatida numa
20. (Fuvest – 2001) Um ventilador de teto, com eixo das extremidades da quadra descreve a trajetória
vertical, é constituído por três pás iguais e rígidas, representada na figura a seguir, atingindo o chão na
encaixadas em um rotor de raio R=0,10m, formando outra extremidade da quadra. O comprimento da
ângulos de 120° entre si. Cada pá tem massa quadra é de 24 m.
M=0,20kg e comprimento L=0,50m. No centro de uma
das pás foi fixado um prego P, com massa m P=0,020kg,

4 Física CASD Vestibulares


a) Calcule o tempo de vôo da bola, antes de atingir o
chão. Desconsidere a resistência do ar nesse caso. A trajetória do motociclista deverá atingir novamente a
b) Qual é a velocidade horizontal da bola no caso rampa a uma distância horizontal
acima? D (D=H), do ponto A, aproximadamente igual a
c) Quando a bola é rebatida com efeito, aparece uma a) 20 m
força, FE, vertical, de cima para baixo e igual a 3 vezes b) 15 m
o peso da bola. Qual será a velocidade horizontal da c) 10 m
bola, rebatida com efeito para uma trajetória idêntica à d) 7,5 m
da figura? e) 5 m

23. (Fuvest – 2004) Durante um jogo de futebol, um


SEÇÃO CASCA-GROSSA
chute forte, a partir do chão, lança a bola contra uma
parede próxima. Com auxílio de uma câmera digital, foi
possível reconstituir a trajetória da bola, desde o ponto 25. (Ita – 2005)Uma cesta portando uma pessoa deve
em que ela atingiu sua altura máxima (ponto A) até o ser suspensa por meio de balões, sendo cada qual
3
ponto em que bateu na parede (ponto B). As posições inflado com 1 m de hélio na temperatura local (27 °C).
de A e B estão representadas na figura. Após o choque, Cada balão vazio com seus apetrechos pesa 1,0 N.
que é elástico, a bola retorna ao chão e o jogo São dadas a massa atômica do oxigênio A(O) = 16, a
prossegue. do nitrogênio A(N) = 14, a do hélio A(He) = 4 e a
constante dos gases R = 0,082 atm L/mol.K.
Considerando que o conjunto pessoa + cesta pesa
1000 N e que a atmosfera é composta de 30% de O2 e
70% de N2, determine o número mínimo de balões
necessários.

26. (Ita – 2004) Na figura, uma pipeta cilíndrica de


25cm de altura, com ambas as extremidades abertas,
tem 20cm mergulhados em um recipiente com
mercúrio. Com sua extremidade superior tapada, em
seguida a pipeta é retirada lentamente do recipiente.

a) Estime o intervalo de tempo t1, em segundos, que a


bola levou para ir do ponto A ao ponto B.
b) Estime o intervalo de tempo t2, em segundos,
durante o qual a bola permaneceu no ar, do instante do
chute até atingir o chão após o choque.
c) Represente, em sistema de eixos, em função do
tempo, as velocidades horizontal VX e vertical VY da
bola em sua trajetória, do instante do chute inicial até o
instante em que atinge o chão, identificando por VX e
VY, respectivamente, cada uma das curvas.
NOTE E ADOTE: Considerando uma pressão atmosférica de 75cmHg,
Vy é positivo quando a bola sobe calcule a altura da coluna de mercúrio remanescente no
Vx é positivo quando a bola se move para a direita interior da pipeta.
24. (Fuvest – 2001) Um motociclista de motocross 27. (Fuvest – 2003) O gasômetro G, utilizado para o
move-se com velocidade v=10m/s, sobre uma armazenamento de ar, é um recipiente cilíndrico,
superfície plana, até atingir uma rampa (em A), metálico, com paredes laterais de pequena espessura.
inclinada de 45° com a horizontal, como indicado na G é fechado na sua parte superior, aberto na inferior
figura. que permanece imersa em água e pode se mover na
direção vertical. G contém ar, inicialmente à
temperatura de 300K e o nível da água no seu interior
se encontra 2,0m abaixo do nível externo da água.

CASD Vestibulares Física 5


Nessas condições, a tampa de G está 9,0m acima do cilíndrico de massa M, perfeitamente ajustado à
nível externo da água, como mostra a figura. superfície interna do recipiente, que pode deslizar sobre
ela sem atrito. Tanto o cilindro quanto o pistão são
feitos de materiais isolantes térmicos. Inicialmente o
pistão encontra-se em equilíbrio a uma altura H da base
do recipiente.

a) Sendo po a pressão atmosférica local, determine a


pressão interna do gás na situação inicial de equilíbrio.

b) Suponha-se que o pistão é deslocado lentamente


para baixo da sua posição de equilíbrio até o gás
ocupar um volume V. Determine a variação da energia
interna do gás, após a realização deste processo.
Aquecendo-se o gás, o sistema se estabiliza numa
c) Se o deslocamento h for pequeno, comparado a H, o
nova altura de equilíbrio, com a tampa superior a uma
pistão executará um movimento harmônico simples
altura H, em relação ao nível externo da água, e com a
(MHS), após ser solto. Determine a freqüência desse
temperatura do gás a 360K. Supondo que o ar se
MHS.
comporte como um gás ideal, a nova altura H será,
Dado: para qualquer y pequeno comparado a H (y <<
aproximadamente, igual a
H), o que inclui o caso y = h, são válidas as
a) 8,8m
aproximações:
b) 9,0m
c) 10,8m
d) 11,2m
e) 13,2m

28. (Ita – 2000) Um copo de 10cm de altura está


totalmente cheio de cerveja e apoiado sobre uma mesa.
Uma bolha de gás se desprende do fundo do copo e
alcança a superfície, onde a pressão atmosférica é de
5
1,01x10 Pa. Considere que a densidade da cerveja seja
igual a da água pura e que a temperatura e o número
de moles do gás dentro da bolha permaneçam
constantes enquanto esta sobe. Qual a razão entre o
volume final (quando atinge a superfície) e inicial da
bolha?
a) 1,03.
b) 1,04.
c) 1,05.
d) 0,99.
e) 1,01.

29. (Ita – 2004) Um recipiente cilíndrico vertical é


fechado por meio de um pistão, com 8,00 kg de massa
2
e 60,0cm de área, que se move sem atrito. Um gás
ideal, contido no cilindro, é aquecido de 30°C a 100°C,
fazendo o pistão subir 20,0 cm. Nesta posição, o pistão
é fixado, enquanto o gás é resfriado até sua
temperatura inicial.
Considere que o pistão e o cilindro encontram-se
expostos à pressão atmosférica. Sendo Q1 o calor
adicionado ao gás durante o processo de aquecimento
e Q2 o calor retirado durante o resfriamento, assinale a
opção correta que indica a diferença Q1 – Q2
a) 136 J
b) 120 J
c) 100 J
d) 16 J
e) 0 J

30. (Ufes – 2002) Um recipiente cilíndrico está na


posição vertical, apoiado em uma das bases de área A,
e contém em seu interior n mols de um gás ideal
monoatômico, cujo expoente de Poisson é γ. Impedindo
que o gás escape para a atmosfera existe um pistão
6 Física CASD Vestibulares
GABARITO

1. B
2. D
5
3. a) 1,5.10 Pa
b) 540 K
4. a) 5.105 Pa
b) 0,6 m
o
c) 177 C
6. C
7. a) 70% e 66,7%
b) 810K
8. D
9. Dica: ΔU são iguais.
10. a) 70%
b) Nula
11. E
12. a) 20m/s2
b) 33 kN
6
c) 1,32.10 W
13. C
14. E
15. B
16. C
17. A
18. a) 2,5Mg
b) K = 2
c) 2,5 Hz
19. a) Peso e tração
b) √30
20. a) 0,25 N
b) 0,07 Kg
21. E
22. a) 0,75 s
b) 32 m/s
c) 64 m/s
23. a) 0,4 s
b) 2 s
24. A
25. 108 balões
26. 18,4 cm
27. D
28. E
29. A

CASD Vestibulares Física 7

Você também pode gostar