Você está na página 1de 4

CASDVestibulares www.casdvest.org.

br
Um projeto educacional viável. Iniciativa de sucesso dos alunos do ITA.
CASD DICAS – Vale Paraibano

Física
Se você já se perguntou por que bóia na água, porque navios flutuam ou por que seu
ouvido dói quando mergulha fundo numa piscina? Hoje é seu dia de sorte, pois iremos explicar
de forma clara e objetiva os conceitos sobre Hidrostática e responder suas dúvidas.

Hidrostática

A hidrostática é a ciência que estuda os fluídos (líquidos e gases incompressíveis) em


equilíbrio. Como sabemos do nosso dia-a-dia, os líquidos não possuem forma definida,
enquanto os gases não possuem nem forma, nem volume definidos. (Você já tentou agarrar
um fio de água da torneira para ver o que acontece?).

Um pouco de história

Vamos fazer uma viagem para o século III a.C. Havia , nessa época, um rei chamado
Herão, rei da Siracusa, ele imaginava que um de seus ourives o havia enganado, misturando
prata em sua coroa de ouro. Chamou então Arquimedes e pediu que ele descobrisse se a
coroa era de ouro maciça ou se possuía prata dentro sem sequer dar um arranhão em sua
coroa.
Todos ficaram abismados, querendo saber como Arquimedes faria isso, na verdade,
nem ele mesmo sabia. Como bom “camarada”, no entanto, não poderia recusar o “pedido” de
um rei.
Em todo canto que Arquimedes ia, levava a coroa. Num belo dia de sol, resolveu tomar
um banho em sua banheira. Enquanto brincava com seus barquinhos, sem querer, deixou a
coroa do rei cair na banheira. Arquimedes ficou em estado de choque.
Era isso, ele havia descoberto! Ao deixar a coroa cair, ele percebeu que tanto de água
que subia tinha algo a ver com o tamanho da coroa!
Arquimedes satisfeitíssimo, saiu correndo pela rua para avisar ao rei de sua descoberta
magnífica gritando: “EUREKA!” (achei em grego). A empolgação foi tanta, que o coitado
esqueceu até de vestir sua roupa!

Figura 6

Princípio de Arquimedes

Segundo Arquimedes: “um corpo total ou parcialmente imerso num fluido recebe
do fluido um empuxo igual e contrário ao peso da porção de fluido deslocado e aplicado
no centro de gravidade de tal porção”.
A experiência que Arquimedes fez para resolver o problema da coroa foi medir os
volumes deslocados por ouro, prata e pela coroa, comparando os resultados.
CASDVestibulares www.casdvest.org.br
Um projeto educacional viável. Iniciativa de sucesso dos alunos do ITA.
CASD DICAS – Vale Paraibano
Do enunciado de tal princípio podemos gerar uma formulação. Em um fluido de
densidade ρ , a massa de um certo volume V deslocado é dado por: M = ρV , como
sabemos: W = Mg , portanto, o peso do líquido deslocado é:
W = ρVg
Pressão

Se batermos com uma borracha em nossa mão, sentiremos uma certa “força” no
impacto, no entanto, se pegarmos uma lapiseira no lugar da borracha, sentiremos uma “força”
maior capaz até de furar a pele. Obviamente, não iremos fazer tal teste! Mas de tal exemplo
podemos tirar alguma conclusões.
Como a força colocada foi igual, percebemos que tal “força” depende do tamanho da
parte que entrará em contato. Esta “força” é conhecida com Pressão.
A pressão depende da força aplicada e da área de aplicação da seguinte forma:

F
P=
A
Lei de Stevin

Segundo Stevin: “a diferença de pressão entre dois pontos de um líquido


homogêneo em equilíbrio é constante, dependendo apenas do desnível entre esses
pontos”.

Princípio de Pascal

Segundo Pascal: “se produzirmos uma variação de pressão num ponto de um


líquido em equilíbrio, essa variação se transmite a todo o líquido”.
Esse princípio é o que rege o funcionamento, por exemplo, dos elevadores para carros
de postos de gasolina.
Se tivéssemos um elevador da seguinte forma:

Figura 7
F1
Ao colocarmos uma força F na ponta pequena, geramos uma pressão de: P= ,
A1
pelo princípio de Pascal, sabemos que tal pressão transmite-se por todo o líquido de forma
contínua, daí, sofreremos essa mesma pressão no outro lado da seguinte forma:

F2 F
Sendo que agora a área de atuação é maior, portanto: P= = 1.
A2 A1
CASDVestibulares www.casdvest.org.br
Um projeto educacional viável. Iniciativa de sucesso dos alunos do ITA.
CASD DICAS – Vale Paraibano
A
Então: F2 = 2 F1 , como a segunda área é maior que a primeira, a segunda força
A1
será maior que a primeira!
Agora, poderemos levantar um carro, aplicando um força bem menor, só encontrar a
proporção correta das áreas!

Mais um pouco de história

Na época de Galileu, um certo “engenheiro” construiu uma bomba d´água para os


jardins do duque de Toscana, no entanto, percebeu que tal bomba não conseguia puxar água
mais do que uma certa altura.
A explicação só foi encontrada por um estudante de Galileu, Evangelista Torricelli.
Segundo Torricelli: “Vivemos no fundo de um oceano de ar, que, conforme mostra a
experiência, sem dúvida, tem peso”.
Este peso foi chamado de Pressão Atmosférica.

Medidores de pressão

Podemos citar dois tipos de medidores de pressão, o primeiro, um manômetro e o segundo um


barômetro. O manômetro mede a pressão exercida pelo gás no recipiente, enquanto o
barômetro mede a pressão atmosférica.

Vasos Comunicantes

Pela lei de Stevin a diferença de pressão de um líquido depende somente do tamanho


da coluna de líquido, este experimento nos mostra claramente a aplicação de tal lei, onde todos
os tubos de água, abertos, possuem a mesma altura de líquido, embora possuam formas
distintas.

Figura 8

Questões

01.(Fuvest-SP) Icebergs são blocos de gelo flutuantes que se desprendem das geleiras
polares. Se apenas 10% do volume de um iceberg fica acima da superfície do mar e se a
3
massa específica da água do mar vale 1,03 g/cm , podemos afirmar que a massa específica do
3
gelo do iceberg, em g/cm , vale, aproximadamente:
a)0,10
b)0,90
c)0,93
d)0,97
e)1,00
CASDVestibulares www.casdvest.org.br
Um projeto educacional viável. Iniciativa de sucesso dos alunos do ITA.
CASD DICAS – Vale Paraibano

02. (UFRGS/1987/2ª Etapa) Considere as afirmações seguintes:

I - A força de empuxo sobre um copo de vidro totalmente submerso na água (e cheio de água)
é igual à soma das forças de empuxo que sofreriam os cacos desse copo, se ele se quebrasse
dentro da água.

II - A força de empuxo que sofre uma canoa de alumínio que flutua sobre a água é maior do
que a força de empuxo que sofreria a canoa totalmente submersa na água (e cheia de água).

III - A força de empuxo sobre uma pedra irregular totalmente submersa na água, mas suspensa
por um cordão, é maior do que a força de empuxo sobre a mesma quando, livre do cordão,
está depositada no fundo do recipiente.

Quais estão corretas?

(A) Apenas I
(B) Apenas II
(C) Apenas I e II
(D) Apenas I e III
(E) Apenas II e III

03. Uma bolha de ar se forma a 2 metros de profundidade em um lago. Quando a bolha chega
a superfície do lago, o seu volume aumentou de 20%. Sendo a densidade da água 1 g / cm3 ,
a) Qual a diferença de pressão dentro da bolha?

b) Qual a pressão atmosférica do ambiente?

04. (ITA) Um pequeno objeto de massa m desliza sem atrito sobre um bloco de massa M com
o formato de uma casa (veja figura). A área da base do bloco é S e o ângulo que o plano
superior do bloco forma com a horizontal é α . O bloco flutua em um líquido de densidade ρ ,
permanecendo, por hipótese, na vertical durante todo o experimento. Após o objeto deixar o
plano e o bloco voltar à posição de equilíbrio, o decréscimo da altura submersa do bloco é igual
a:

A ( )m senα S ρ
B() m cos 2 α S ρ
C() m cos α S ρ
D ( ) m Sρ
E ( ) ( m + M ) Sρ

Figura 9

Gabarito
1C
2C
4 2
3 a) 2*10 N/m
5 2
b) 10 N/m
4B

Alisson Arrais Costa


Professor de Física do CASD Vestibulares

Você também pode gostar