Você está na página 1de 70

Serviço Público Federal

Universidade Federal do Pará


Instituto de Ciências Exatas e Naturais
Faculdade de Química

Funções e Reações

Belém – PA
2018
4.1 Propriedades Gerais das Soluções Aquosas

𝐅𝐞𝟐+ 𝒂𝒒 , 𝐅𝐞𝟑+ 𝒂𝒒 , 𝐦𝐢𝐧ú𝐬𝐜𝐮𝐥𝐚𝐬 𝐩𝐚𝐫𝐭í𝐜𝐮𝐥𝐚𝐬 𝐝𝐞 𝐅𝐞𝐒𝟐 (𝒔)


Nuvem de Precipitados

𝐅𝐞𝐒 𝒔 , 𝐅𝐞𝐒𝟐 𝒔
𝐅𝐞 𝐎𝐇 𝟑 (𝒔)
“respirador” do
mar profundo
Precipitação
de partículas
Precipitação
de partículas

𝐇𝟐 𝐒 (𝒈)
𝐅𝐞𝟐+ 𝒂𝒒 𝐅𝐞𝐒 (𝒔) 𝐅𝐞𝐒𝟐 (𝒔)
4.1 Propriedades Gerais das Soluções Aquosas
Eletrólitos e Não-Eletrólitos

• As soluções aquosas - em água - têm o potencial de


conduzir eletricidade.

• A habilidade da solução em ser um bom condutor


depende do número de íons.

• Há três tipos de solução:

• eletrólitos fortes,

• eletrólitos fracos e

• não-eletrólitos.
4.1 Propriedades Gerais das Soluções Aquosas
Eletrólitos e Não-Eletrólitos
Realização de um circuito elétrico com um eletrólito que acende a luz

Uma solução não


Água pura não conduz Uma solução eletrolítica
eletrolítica não conduz
eletricidade conduz eletricidade
eletricidade

Á𝐠𝐮𝐚 𝐏𝐮𝐫𝐚 𝐇𝟐 𝐎 (𝒍) 𝐒𝐨𝐥𝐮çã𝐨 𝐝𝐞 𝐀çú𝐜𝐚𝐫 𝐒𝐨𝐥𝐮çã𝐨 𝐝𝐞 𝐂𝐥𝐨𝐫𝐞𝐭𝐨 𝐝𝐞 𝐒ó𝐝𝐢𝐨


𝐂𝟏𝟐 𝐇𝟐𝟐 𝐎𝟏𝟐 (𝒂𝒒) 𝐍𝐚𝐂𝒍 (𝒂𝒒)
4.1 Propriedades Gerais das Soluções Aquosas
4.1 Propriedades Gerais das Soluções Aquosas
Exemplo. Qual dos desenhos esquemáticos a seguir
descreve melhor uma solução de Li2SO4 em água
(moléculas de água não mostradas para simplificar)?
4.1 Propriedades Gerais das Soluções Aquosas
Como os Compostos se Dissolvem na Água
Compostos Iônicos em Água 𝜹+
𝜹−
• Os íons se dissociam em água.
𝜹+
• Em solução, cada íon é rodeado por moléculas de água.
• O transporte de íons através da solução provoca o fluxo de
corrente.

Compostos Moleculares em Água


• Compostos moleculares em água, por exemplo, o CH3OH,
não formam íons.
• Se não existem íons em solução, não existe nada para
transportar a carga elétrica.
4.1 Propriedades Gerais das Soluções Aquosas
Como os Compostos se Dissolvem na Água

Moléculas de H2O
separa os íons
Na+ e C𝑙 − do Na𝐶𝑙

Íons Na+ e C𝑙 −
dispersão
através da
solução

Moléculas de H2O
solvata os Íons Na+ e C𝑙 −
4.1 Propriedades Gerais das Soluções Aquosas
Como os Compostos se Dissolvem na Água

Água

Metanol
4.1 Propriedades Gerais das Soluções Aquosas
Eletrólitos e Não-Eletrólitos
4.1 Propriedades Gerais das Soluções Aquosas
Eletrólitos Fortes e Fracos

• Eletrólitos fortes: dissociam-se completamente em


solução.
Por exemplo:
HCl (aq) → H+ (aq) + Cl- (aq)

• Eletrólitos fracos: produzem uma pequena concentração


de íons quando se dissociam.

• Esses íons existem em equilíbrio com a substância não-


ionizada.
Por exemplo:
HC2H3O2 (aq) ⇌ H+ (aq) + C2H3O2- (aq)
4.2 Reações de Precipitação

• Quando duas soluções são misturadas e um sólido é


formado, o sólido é chamado de um precipitado.

Pb NO3 2 𝑎𝑞 + 2 KI 𝑎𝑞 → PbI2 𝑠 + 2KNO3 𝑎𝑞

Reagentes Produtos
4.2 Reações de Precipitação

𝐏𝐛 𝐍𝐎𝟑 𝟐 𝐚𝐪 + 𝟐𝐊𝐈 𝐚𝐪 ⟶ 𝟐𝐊𝐍𝐎𝟑 𝐚𝐪 + 𝐏𝐛𝐈𝟐 (𝐬)

𝐏𝐛𝟐+
𝐍𝐎𝟑−
𝑰−
𝑲+

𝐏𝐛 𝐍𝐎𝟑 𝟐 𝒂𝒒 + 𝟐 𝐊𝐈 𝒂𝒒 𝐏𝐛𝐈𝟐 𝐬 + 𝟐𝐊𝐍𝐎𝟑 𝐚𝐪


Reagentes Pb2+ (aq) e I − (aq) combinam- Produtos
se para formar um precipitado
4.2 Reações de Precipitação
4.2 Reações de Precipitação
Exemplo. A foto que acompanha mostra a reação entre uma solução
de Cd(NO3)2 e uma de Na2S. (a) Qual é a identidade do precipitado?
(B) Que íons permanecem em solução? (c) Escreva a equação iônica
líquida para a reação. (d) Esta é uma reação redox?
4.2 Reações de Precipitação
Orientações de Solubilidade para Compostos Iônicos
Todos os compostos iônicos comuns dos íons de metal alcalino
(grupo 1A da tabela periódica) e

Íons de amônio (NH4+) são solúveis em água.


4.2 Reações de Precipitação
Orientações de Solubilidade para Compostos Iônicos
Tabela. Orientações de Solubilidade para compostos iônicos comuns em água
Compostos Iônicos Solúveis Exceções Importantes
Compostos Contendo NO3− Nenhuma

2 Nenhuma
C2 H3 O−
Cl− Compostos de Ag + , Hg 2+
2 e Pb
2+

Br − Compostos de Ag + , Hg 2+
2 e Pb
2+

I− Compostos de Ag + , Hg 2+
2 e Pb
2+

SO2−
4 Compostos de Sr 2+ , Ba2+ , Hg 2+
2 e Pb
2+

Compostos Iônicos Solúveis Exceções Importantes


Compostos de NH4+ dos cátions de metais
Compostos Contendo S 2−
alcalinos e Ca2+ , Sr 2+ e Ba2+
Compostos de NH4+ e dos cátions de metais
CO2−
3
alcalinos
Compostos de NH4+ dos cátions de metais
PO3−
4
alcalinos
Compostos de NH4+ dos cátions de metais
OH −
alcalinos e Ca2+ , Sr 2+ e Ba2+
4.2 Reações de Precipitação
Reações de Dupla Troca (Metátese)
As reações de metátese envolvem a troca de íons em solução:

𝐀X + B𝐘 → 𝐀𝐘 + BX
Exemplo:
𝐀𝐠𝐍𝐎𝟑 𝐚𝐪 + K𝐂𝒍 aq → 𝐀𝐠𝐂𝒍(s) + 𝐊𝐍𝐎𝟑 𝒂𝒒

As reações de metátese levarão a uma alteração na solução se um


dos três eventos abaixo acontecer:
– forma-se um sólido insolúvel (precipitado),

– formam-se eletrólitos fracos ou não-eletrólitos ou

– forma-se um gás insolúvel.

A equação só pode ser balanceada após a determinação das


fórmulas químicas dos produtos.
4.2 Reações de Precipitação
Reações de Dupla Troca (Metátese)
Para completar e balancear a equação de uma reação de metátese,
seguimos estas etapas:

1. Use as fórmulas químicas dos reagentes para determinar quais


íons estão presentes.

2. Escreva as fórmulas químicas dos produtos combinando o


cátions de um reagente com o ânion do outro, usando as cargas
iônicas para determinar os índices nas fórmulas químicas.

3. Verifique a solubilidade em água dos produtos. Para que ocorra


uma reação de precipitação, pelo menos um produto deve ser
insolúvel em água.

4. Balanceie a equação.
4.2 Reações de Precipitação
Equações Iônicas e Íons Espectador
Etapas para escrever a uma equações iônicas.

1. Escreva uma equação molecular balanceada para a reação.

2. Reescreva a equação para mostrar os íons que se formam em solução


quando cada eletrólito forte solúvel se dissocia em seus íons. Apenas
eletrólitos fortes dissolvidos em solução aquosa são escritos em forma
iônica.

3. Identificar e cancelar íons espectadores.

Pb(NO3 )2 aq + 2 KI aq → PbI2 s + 2 KNO3 aq

𝐏𝐛𝟐+ 𝐚𝐪 + 𝟐𝐍𝐎−
𝟑 𝐚𝐪 + 𝟐 𝐊
+
𝐚𝐪 + 𝟐 𝐈 − 𝐚𝐪 → 𝐏𝐛𝐈𝟐 𝐬 + 𝟐 𝐊 + 𝐚𝐪 + 𝟐𝐍𝐎−
𝟑 𝐚𝐪

𝐏𝐛𝟐+ 𝐚𝐪 + 𝟐 𝐈 − 𝐚𝐪 → 𝐏𝐛𝐈𝟐 𝐬

Se cada íon em uma equação iônica completa é um espectador,


nenhuma reação ocorre
4.2 Reações de Precipitação
Equações Iônicas e Íons Espectador

• Equação iônica: utilizada para realçar a reação entre íons.

• Equação molecular: todas as espécies listadas como moléculas:

HCl (aq) + NaOH (aq) → H2O (l) + NaCl (aq)

• Equação iônica completa: lista todos os íons:

H+ (aq) + Cl- (aq) + Na+ (aq) + OH- (aq) → H2O (l) + Na+ (aq) + Cl- (aq)

• Equação iônica simplificada: lista somente íons únicos:

H+ (aq) + OH- (aq) → H2O (l)


4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Ácidos – São substâncias que ionizam em solução aquosa para
formar íons de hidrogênio H+ (aq). Um átomo de hidrogênio
consiste em um próton e um elétron H+ é simplesmente um próton.

Ácidos são muitas vezes


chamados doadores de prótons

Ácido Clorídrico, Ácido Nítrico,


HCl HNO3

Alguns ácido, como o vinagre e o suco de limão, e


Ácido Acético, bases, como o amoníaco e o bicarbonato de sódio,
Ácido Sulfúrico, são encontrados em produtos que utilizamos no
CH3COOH nosso dia a dia.
H2SO4
Modelos Moleculares de quarto ácidos comuns.
4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Ácidos
• Dissociação = os íons pré-formados no sólido se separam em solução.

• Ionização = uma substância neutra forma íons em solução.

• Ácido = substâncias que se ionizam para formar H+ em solução (por


exemplo, HCl, HNO3, CH3CO2H, limão, lima, vitamina C).

• Ácidos com um próton ácido são chamados monopróticos (por exemplo,


HCl).

• Ácidos com dois prótons ácidos são chamados dipróticos (por exemplo,
H2SO4).

𝐇𝟐 𝐒𝐎𝟒 𝐚𝐪 → 𝐇 + 𝒂𝒒 + 𝐇𝑺𝑶−
𝟒

𝐇𝑺𝑶𝟒− 𝐚𝐪 ⇌ 𝐇 + 𝒂𝒒 + 𝑺𝑶𝟐−
𝟒
4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Ácidos
• Ácidos com muitos prótons ácidos são chamados
polipróticos.

Ácido Cítrico
4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Bases – São substâncias que reagem com os
íons H+ formados por ácidos.

Por exemplo, NH3, Leite de Magnésia.

Transferência de prótons

Uma molécula de H2O atua como um dador de próton (ácido), e NH3 atua como um
receptor de próton (base). Em soluções aquosas, apenas uma fracção das moléculas
de NH3 reage com H2O. Consequentemente, NH3 é um eletrólito fraco.
4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Ácidos e Bases Fortes e Fracos

• Ácidos e bases fortes são eletrólitos fortes.

– Eles estão completamente ionizados em solução.

• Ácidos e bases fracas são eletrólitos fracos.

– Eles estão parcialmente ionizados em solução.


4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Ácidos e Bases Fortes e Fracos

Tabela 4.2. Ácidos fortes comuns e bases


Ácidos Fortes Bases Fortes
Ácido clorídrico, HCl Grupo 1A hidróxidos metálicos
Ácido bromídrico, HBr [LiOH, NaOH, KOH, RbOH, CsOH]
Ácido iodídico, HI Hidróxidos metálicos do grupo pesado 2A
Ácido clórico, HClO3 [Ca(OH)2, Sr(OH)2, Ba(OH)2]
Ácido perclórico, HClO4
Ácido nítrico, HNO3
Ácido sulfúrico (primeiro próton), H2SO4
4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Exemplo. Os diagramas seguintes representam soluções aquosas
dos ácidos HX, HY e HZ, com as moléculas de água omitidas para
maior clareza. Classifique os ácidos de mais forte para mais fraco.

Resposta. A ordem é HY > HZ > HX. HY é um ácido forte porque é


totalmente ionizado (sem moléculas HY em solução), enquanto HX e HZ são
ácidos fracos, cujas soluções consistem em uma mistura de moléculas e
íons. Porque HZ contém mais íons H+ e menos moléculas do que HX, é um
ácido mais forte.
4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Identificando Eletrólitos Fortes e Fracos

Tabela. Resumo do comportamento eletrolítico de compostos


iônicos solúveis e moleculares comuns.

Eletrólito Forte Eletrólito Fraco Não-Eletrólito

Iônico Todos Nenhum Nenhum

Ácidos Forte (ver Ácidos Fracos (H...) Todos os outros


Molecular
Tabela 4.2) Bases Fracas (NH3) Compostos
4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Reações de Neutralização e Sais

• A neutralização ocorre quando uma solução de um


ácido e a de uma base são misturadas:

HCl (aq) + NaOH (aq) → H2O (l) + NaCl (aq)

• Observe que formamos um sal (NaCl) e água.

• Sal = composto iônico cujo cátion vem de uma base e


o ânion de um ácido.

• A neutralização entre um ácido e um hidróxido


metálico produz água e um sal.
4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Reações de Neutralização e Sais
Em geral, uma reação de neutralização entre um ácido e um
hidróxido de metal produz água e um sal.

𝐇C𝑙 𝑎𝑞 + Na𝐎𝐇 𝑎𝑞 → NaC𝑙 𝑎𝑞 + 𝐇𝟐 𝑶 𝑙


Ácido Base Sal Água
𝐇 + 𝑎𝑞 + 𝐂𝒍− 𝑎𝑞 + 𝐍𝐚+ 𝑎𝑞 + 𝐎𝐇 − 𝑎𝑞 → 𝐇𝟐 𝑶 𝑙 + 𝐂𝒍− 𝑎𝑞 + 𝐍𝐚+ 𝑎𝑞

𝐇 + + 𝐎𝐇 − 𝑎𝑞 → 𝐇𝟐 𝑶 𝑙

A base torna o papel O ácido torna o papel


tornassol azul tornassol vermelho
4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Reações de Neutralização e Sais

A reação de neutralização entre ácido clorídrico e a base


insolúvel em água Mg(OH)2

Equação Molecular
𝐌𝐠 𝐎𝐇 𝟐 𝒔 +𝟐 𝐇𝐂𝒍 𝒂𝒒 →𝐌𝐠𝐂𝒍𝟐 𝒂𝒒 +𝟐 𝐇𝟐 𝐎 (𝒍)

Equação Iônica Líquida


𝐌𝐠 𝐎𝐇 𝟐 𝒔 +𝟐 𝑯+ 𝒂𝒒 →𝐌𝐠 𝟐+ 𝒂𝒒 +𝟐 𝐇𝟐 𝐎 (𝒍)
4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização

H+ (aq) combina com íons


hidrogênio em Mg(OH)2 (s),
Reagentes formando H2O (l) Produtos
Mg(OH)2 (s) + 2 HCl (aq) MgCl2 (aq) + 2 H2O (l)
4.3 Ácidos, Bases e Reações de Neutralização
Reações Ácido-Base com Formação de Gás
• Os íons sulfeto e carbonato podem reagir com H+ de uma
maneira similar ao OH−.

Equação Molecular: 2 HCl (aq) + Na2S (aq) → H2S (g) + 2 NaCl (aq)

Equação Iônica: 2 H+ (aq) + S2- (aq) → H2S (g)

HCl (aq) + NaHCO3 (aq) → NaCl (aq) + H2CO3 (aq)

H2CO3 (aq) → H2O (l) + CO2 (g)

Equação Molecular: HCl(aq) + NaHCO3(aq) →NaCl(aq) + H2O(l) + CO2(g)

Equação Iônica: H+ (aq) + HCO32- (aq) → H2O (l) + CO2 (g)


4.3 Antiácidos
Química colocada em ação - Antiácidos
Os antiácidos são medicamentos que aumentam o pH gástrico,
neutralizando o ácido clorídrico (HCl) liberado pelas células
gástricas (células parietais).

Tabela 4.4 Alguns antiácidos comuns *

Antiácidos. Esses produtos servem como


agentes neutralizadores do ácido liberado no
estômago.
4.4 Reações de Oxidação e Redução
Reações de oxidação-reação ou reações redox são aquelas em que os
elétrons são transferidos de um reagente para outro.

Uma das reações redox mais familiar é a corrosão dos metais

A ferrugem
se forma
Um revestimento verde quando o Uma mancha negra se
se forma quando o ferro se forma como corroas de
cobre é oxidado corroe prata
4.4 Reações de Oxidação e Redução
Oxidação e Redução
• Quando um metal sofre corrosão, ele perde elétrons e forma cátions:
Ca (s) + 2 H+ (aq) → Ca2+ (aq) + H2 (g)

 Oxidado: o átomo, a molécula ou o íon torna-se mais carregado


positivamente.
– A oxidação é a perda de elétrons.

 Reduzido: o átomo, a molécula ou o íon torna-se menos carregado


positivamente.
– Redução é o ganho de elétrons.
4.4 Reações de Oxidação e Redução

Oxidation_Reduxn_Reactions
4.4 Reações de Oxidação e Redução
Oxidação e Redução

Ca (s) é oxidado O2 (s) é reduzido Ca2+ e O2- combinam-se


(perde elétrons) (ganha elétrons) para formar CaO (s)

2 Ca (s) + O2 (g) 2 CaO (s)

Reagentes Produtos
4.4 Reações de Oxidação e Redução
Número de Oxidação
Utilizamos as seguintes regras para atribuir números de oxidação:

1. Para um átomo na sua forma elementar, o número de oxidação é sempre zero.


Ex: H2 = 0; P4 = 0.

2. Para qualquer íon monatômico o número da oxidação é igual à carga iônica.


Ex: K+ = 1+; S2- = 2-.

3. Os não-metais geralmente têm números de oxidação negativos, embora às


vezes possam ser positivos:
(a) O número de oxidação do oxigênio é geralmente -2 nos compostos iônicos e
moleculares. Ex: O22- = -1
(b) O número de oxidação do hidrogénio é normalmente +1 quando ligado a não
metais e -1 quando ligado a metais (por exemplo, hidretos metálicos tais como
hidreto de sódio, NaH).
(c) O número de oxidação de flúor é -1 em todos os compostos. Os outros
halogênios têm um número de oxidação de -1 na maioria dos compostos binários.

4. A soma dos números de oxidação de todos os átomos em um composto


neutro é zero. Ex: H3O+; O = -2, H = 3(+1) + (-2) = +1.
4.4 Reações de Oxidação e Redução
Oxidação de Metais por Ácidos e Sais

• Os metais são oxidados por ácidos para formarem sais:

Mg (s) +2 HCl (aq) → MgCl2 (aq) + H2 (g)

• Durante a reação, 2H+ (aq) é reduzido para H2 (g).

• Os metais também podem ser oxidados por outros sais:

Mn (s) + Pb(NO3)2 (aq) → Mn(NO3)2 (aq) + Pb (s)

Fe (s) + Ni2+ (aq) → Fe2+ (aq) + Ni (s)

• Observe que o Fe é oxidado para Fe2+ e o Ni2+ é reduzido para Ni.


4.4 Reações de Oxidação e Redução
Oxidação de Metais por Ácidos e Sais
A reação entre um metal e um ácido ou um sal metálico está em
conformidade com o padrão geral.

Exemplos:

𝐀 + 𝐁𝐗 → 𝐀𝐗 + 𝐁

𝐙𝐧(𝐬) + 𝟐𝐇𝐁𝐫(𝐚𝐪) → 𝐙𝐧𝐁𝐫𝟐 (𝐚𝐪) + 𝐇𝟐 (𝐠)

𝐌𝐧(𝐬) + 𝐏𝐛 𝐍𝐎𝟑 𝟐 (𝒂𝒒) → 𝐌𝐧 𝐍𝐎𝟑 𝟐 (𝒂𝒒) + 𝑷𝒃(𝐬)


4.4 Reações de Oxidação e Redução

Número de Oxidação
4.4 Reações de Oxidação e Redução

𝐇𝟐 (𝐠)

𝐇 + 𝐂𝒍− 𝐌𝐠
Mg (s) é oxidado H+ (aq) é reduzido 𝐌𝐠 𝟐+
(perde elétrons) (ganha elétrons)

Reagentes Produtos
2 HCl (aq) + Mg (s) H2 (g) + MgCl2 (aq)
+1 -1 0 Oxidação 0 +2 -1
4.4 Reações de Oxidação e Redução
Exemplo. (a) Qual região da tabela periódica mostrada aqui contém
elementos que são mais fáceis de oxidar? (b) Qual região contém os
elementos menos facilmente oxidados?
4.4 Reações de Oxidação e Redução
Série de Atividade

• Alguns metais são facilmente oxidados; outros, não.

• Série de atividade: é uma lista de metais organizados em


ordem decrescente pela facilidade de oxidação.

• Quanto mais no topo da tabela estiver o metal, mais ativo


ele é.

• Qualquer metal pode ser oxidado pelos íons dos elementos


abaixo dele.
4.4 Reações de Oxidação e Redução
Série de Atividade
4.4 Reações de Oxidação e Redução
Série de Atividade

𝐍𝐎𝟑− 𝐂𝐮𝟐+
𝐀𝐠 + 𝐍𝐎𝟑− 𝐂𝐮
𝐀𝐠
Cu (s) é oxidado Ag+ (aq) é reduzido
(perde elétrons) (ganha elétrons)
Reagentes Produtos
2 AgNO3 (aq) + Cu (s) Cu(NO3)2 (aq) + Ag (s)
+1 0 Oxidação +2 0
4.5 Concentrações de Soluções
Molaridade
• Solução = é o soluto dissolvido em solvente.
• Soluto: está presente em menor quantidade.
• A água como solvente = soluções aquosas.
• Altera-se a concentração utilizando-se diferentes
quantidades de soluto e solvente.

Concentração em quantidade de matéria (Cn): Mols de soluto


por litro de solução.
• Se soubermos a concentração em
quantidade de matéria e o volume de
solução, podemos calcular a quantidade
de matéria (e a massa) do soluto.
𝒏 (𝒎𝒐𝒍) 𝒎 (𝒈)
𝑪𝒏 = 𝒏=
𝑽 (𝑳) 𝑴𝑴 (𝒈/𝒎𝒐𝒍)
4.5 Concentrações de Soluções
Concentração em Quantidade de Matéria, Cn
1 Pesar 39,9 g 2 Colocar CuSO4 (soluto) em 3 Adicionar água até que
(0,0250 mol) CuSO4 balão volumétrico de 250 a solução chegue a
mL; Adicionar água e agita marca de calibração no
para dissolver o soluto
pescoço do frasco
4.5 Concentrações de Soluções
4.5 Concentrações de Soluções
Exemplo. Calcular a molaridade de uma solução feita por
dissolução de 23,4 g de sulfato de sódio (Na2SO4) em água
suficiente para formar 125 mL de solução.

1 mol de Na2 SO4


Mols de Na2 SO4 = 23,4 g de Na2 SO4
142,2 g de Na2 SO4

= 0,165 mols de Na2 SO4


Convertendo o volume da solução para litro:

1L = , 0125 L
Litro da Solução = 125 mL
1000 mL
Assim, a molaridade é:
0,165 mol de Na2 SO4 mol de Na2 SO4
𝐶𝑛 = Cn = 1,32 = 1,32 M
0125 L L
4.5 Concentrações de Soluções
Expressando a Concentração de um Eletrólito

Exemplo. Qual é a concentração molar de cada íon


presente em uma solução aquosa de nitrato de cálcio
0,025 M?

Ca NO3 2 aq → Ca2+ aq + 2 NO−


3 aq

mol NO3− 0,025 mol de Ca NO3 2 2 mol deNO3−


= = 0,050 M
L L 1 mol de Ca NO3 2
4.5 Concentrações de Soluções
Interconversão de Molaridade, Mols e Volume
Exemplo. Se sabemos que a molaridade de uma solução de HNO3 é
de 0,200 M, o que significa 0,200 mol de HNO3 por litro de solução,
podemos calcular o número de moles de soluto em um dado
volume, digamos 2,0 L. A molaridade é, portanto, o fator de
conversão entre volume da solução e mols do soluto:
0,200 𝑚𝑜𝑙 𝑑𝑒 HNO3
mols de NO3 = 2,0 L de Solução x = 0,40 𝑚𝑜𝑙 𝑑𝑒 HNO3
1 𝐿 𝑑𝑒 𝑆𝑜𝑙𝑢çã𝑜

1 𝐿 𝑑𝑒 𝑆𝑜𝑙𝑢çã𝑜
Litro de Solução = 2,0 L de Solução x = 6,7 𝐿 𝑑𝑒 𝑆𝑜𝑙.
0,30 𝑚𝑜𝑙 𝑑𝑒 HNO3
1 Litros
Litro = Mols x = Mols x
M Mols
5
5% = = 0,050
100
1000 𝑚𝐿 0, 789 𝑔 1 𝑚𝑜𝑙
mols de Etanol = 0,050 L x = 0,858 𝑚𝑜𝑙
𝐿 𝑚𝐿 46,0 𝑔
4.5 Concentrações de Soluções
Exemplo. Quantos gramas de Na2SO4 são necessários
para preparar 0,350 L de Na2SO4 0,500 M?

mols de Na2 SO4


M(Na2 SO4 ) =
Litros de Solução

mols de Na2 SO4 = Litros de Solução x M(Na2 SO4 )

0,500 𝑚𝑜𝑙 𝑑𝑒 Na2 SO4


mols de Na2 SO4 = (0,350 L) x
1 𝐿 𝑑𝑒 𝑆𝑜𝑙𝑢çã𝑜
mols de Na2 SO4 = 0,175 mol de Na2 SO4
142,1 𝑔 𝑑𝑒 Na2 SO4
Gramas de Na2 SO4 = (0,175 L de Na2 SO4 ) x
1 𝑚𝑜𝑙 𝑑𝑒 Na2 SO4

Gramas de Na2 SO4 = 24,9 𝑔 𝑑𝑒 Na2 SO4


4.5 Concentrações de Soluções
Diluição – As soluções usadas rotineiramente no
laboratório são muitas vezes adquiridas ou preparadas
em forma concentrada (chamadas soluções estoque).

Soluções de concentrações mais baixas podem então ser


obtidas pela adição de água, um processo chamado
diluição.

O ponto principal a lembrar é que quando o solvente é adicionado a


uma solução, o número de moles de soluto permanece inalterado:

Moles soluto antes da diluição = moles soluto após diluição

𝐌 .𝐕 𝐂𝐨𝐧𝐜𝐞𝐧𝐭𝐫𝐚𝐝𝐨 = 𝐌 .𝐕 𝐃𝐢𝐥𝐮𝐢𝐝𝐨
4.5 Concentrações de Soluções
Preparação de 250,0 mL de CuSO4 0,100 M por diluição de CuSO4 1,00 M

Diluir com água até a


1 Obtenha 25,0 mL de 2 Adicionar a solução de 3 solução atingir a marca
um solução-mãe 1,00 concentração da
M na pipeta de calibração no
pipeta a um balão gargalo do frasco e
volumétrico de 250 mL misturar para obter
uma solução de 0,1 M
4.5 Concentrações de Soluções
4.6 Estequiometria de Soluções e Análise Química

• Existem dois tipos diferentes de unidades:

– unidades de laboratório (unidades macroscópicas: medida em


laboratório);

– unidades químicas (unidades microscópicas: referem-se a mols).

• Sempre converta inicialmente as unidades de laboratório em


unidades químicas.

– Gramas são convertidos em mols utilizando-se a massa molar.

– O volume ou a quantidade de matéria é convertido em mols


utilizando-se c = mol/L.

• Utilize os coeficientes estequiométricos para mover entre reagentes


e produto.
4.6 Estequiometria de Soluções e Análise Química

Procedimento para a resolução de problemas de estequiometria


envolvendo reações entre uma substância A pura e uma solução
contendo uma concentração conhecida de substância B.

Gramas de
Mols do Soluto = M x V substância A

Use a Massa
Molar de A

Mols da
Substância A
Use o coeficiente a
partir da equação
balanceada
Molaridade da Mols da Volume da
Solução contendo Substância B Solução contendo
a substância B Use o a Substância B
Use a
Volume da solução molaridade
contento B da solução contento B
4.6 Estequiometria de Soluções e Análise Química

Exemplo. Quantas gramas de Ca(OH)2 são necessários


para neutralizar 25,0 mL de HNO3 0,100 M?
VHNO3 x MHNO3 ⇒ mol de HNO3 ⇒ mol de Ca(OH)2 ⇒ g de Ca(OH)2

0,100 𝑚𝑜𝑙 𝑑𝑒 HNO3


mol de HNO3 = VHNO3 x MHNO3 = 0,0250 𝐿
𝐿

mol de HNO3 = 2,50 𝑥 10−3 𝑚𝑜𝑙𝑠 𝑑𝑒 HNO3

2 HNO3 aq + Ca(OH)2 s ⟶ 2 H2 O l + Ca(NO3 )2 aq

2 mol de HNO3 ≅ 1 𝑚𝑜𝑙 𝑑𝑒 Ca(OH)2

𝟏, 𝟎 𝒎𝒐𝒍 𝒅𝒆 𝐂𝐚(𝐎𝐇)𝟐 𝟕𝟒, 𝟏 𝒈 𝒅𝒆 𝐂𝐚(𝐎𝐇)𝟐


𝐆𝐫𝐚𝐦𝐚𝐬 𝐝𝐞 𝐂𝐚(𝐎𝐇)𝟐 = 𝟐, 𝟓𝟎 𝒙 𝟏𝟎−𝟑 𝒎𝒐𝒍𝒔 𝒅𝒆 𝑯𝑵𝑶𝟑
𝟐 𝐦𝐨𝐥 𝐝𝐞 𝑯𝑵𝑶𝟑 𝟏 𝒎𝒐𝒍 𝒅𝒆 𝐂𝐚(𝐎𝐇)𝟐

𝐆𝐫𝐚𝐦𝐚𝐬 𝐝𝐞 𝐂𝐚(𝐎𝐇)𝟐 = 𝟎, 𝟎𝟗𝟐𝟔 𝒈 𝒅𝒆 𝐂𝐚(𝐎𝐇)𝟐


4.6 Estequiometria de Soluções e Análise Química

Procedimento para titulação de um ácido contra uma solução


padrão de NaOH. O indicador ácido-base, a fenolftaleína, é incolor
na solução ácida, mas assume uma cor rosa na solução básica.

1 Adicionou-se
20,0 mL de uma 2 Algumas gotas de 3 Solução padrão 4 A solução torna-se
indicador ácido- de NaOH básica ao passar no
solução ácida ao
base adicionado adicionada da ponto de equivalência,
erlenmeyer
bureta ativando a mudança de
cor do indicador
Leitura inicial
Bureta
do volume

Leitura
final do
volume
4.6 Estequiometria de Soluções e Análise Química

Titulação: Reações de Neutralização


4.6 Estequiometria de Soluções e Análise Química

Titulações
• Suponha que sabemos a concentração em quantidade de matéria de
uma solução de NaOH e que queremos encontrar a concentração em
quantidade de matéria de uma solução de HCl.

• Sabemos:
– a concentração em quantidade de matéria de NaOH, o volume de HCl.

• O que queremos?
– A concentração em quantidade de matéria de HCl.

• O que devemos fazer?


– Tome um volume conhecido da solução de HCl, meça o volume em mL
de NaOH necessário para reagir completamente com o HCl.
4.6 Estequiometria de Soluções e Análise Química

Titulações
• O que temos?

– O volume de NaOH. Sabemos a concentração em quantidade de


matéria do NaOH, então, podemos calcular a quantidade de matéria de
NaOH.

• Qual o próximo passo?

– Sabemos também que HCl + NaOH → NaCl + H2O.

Portanto, sabemos a quantidade de matéria de HCl.

• Podemos finalizar?

– Sabendo a quantidade de matéria (HCl) e o volume de HCl (acima de


20,0 mL), podemos calcular a concentração em quantidade de matéria.
4.6 Estequiometria de Soluções e Análise Química

Titulações
Procedimento para determinar a concentração de uma solução a
partir da titulação com uma solução padrão.

Volume de solução-padrão Concentração (molaridade)


necessário para atingir o de solução desconhecida
ponto de equivalência

Utilizar a Usar volume


molaridade da de solução
solução padrão desconhecida

Mols de soluto na Mols de soluto na


solução padrão solução desconhecida
Use os
coeficientes da
equação balanceada
4.6 Estequiometria de Soluções e Análise Química
Exemplo. A quantidade de Cl- em um abastecimento de água municipal é
determinada pela titulação da amostra com Ag+. A reação de precipitação que
ocorre durante a titulação é: Ag+ (aq) + Cl- (aq) → AgCl (s)
O ponto final neste tipo de titulação é marcado por uma mudança na cor de um tipo
especial de indicador. (a) Quantos gramas de íons cloreto estão em uma amostra
da água se 20,2 mL de Ag+ 0,100 M são necessários para reagir com todo o cloreto
na amostra? (b) Se a amostra tiver uma massa de 10,0 g, que percentagem de Cl-
contém?
+
1 𝐿 𝑑𝑒 𝑆𝑜𝑙. 0,100 𝑚𝑜𝐿 𝑑𝑒 𝐴𝑔+
𝑚𝑜𝑙𝑠 𝑑𝑒 𝐴𝑔 = (20,2 𝑚𝐿 𝑑𝑒 𝑆𝑜𝑙. ) 𝑥
1000 𝑚𝐿 𝑑𝑒 𝑆𝑜𝑙. 𝐿 𝑑𝑒 𝑆𝑜𝑙.
mols de Ag + = 2,02 x 10−3 mols de Ag +
1 mols de Ag + ≅ 1mols de Cl−
1 𝑚𝑜𝐿 𝑑𝑒 𝐶𝑙− 35,5 𝑔 𝑑𝑒 𝐶𝑙−
𝐺𝑟𝑎𝑚𝑎𝑠 𝑑𝑒 𝐶𝑙− = (20,2 𝑚𝐿 𝑑𝑒Ag + ) 𝑥
1 𝑚𝑜𝐿 𝑑𝑒 𝐴𝑔+ 1 𝑚𝑜𝐿 𝑑𝑒 𝐶𝑙−
𝐺𝑟𝑎𝑚𝑎𝑠 𝑑𝑒 𝐶𝑙− = 7,17 𝑥 10−2 𝑔 𝑑𝑒 Cl−
7,17 𝑥 10 −2 𝑔
(b) 𝑃𝑜𝑟𝑐𝑒𝑛𝑡𝑎𝑔𝑒𝑚 𝑑𝑒 𝐶𝑙− = 𝑥 100% = 0,717%
10,0 𝑔
Comentário. O íon cloreto é um dos íons mais comuns na água e esgoto. A água do
oceano contém 1,92% de Cl-. Se a água contendo Cl- gostos salgada depende dos
outros íons presentes. Se os únicos íons que acompanham são Na+, um sabor salgado
pode ser detectado com tão pouco como 0,03% de Cl-.
4.6 Estequiometria de Soluções e Análise Química

Exemplo. Uma amostra de 70,5 mg de fosfato de potássio é adicionada a


15,0 mL de nitrato de prata 0,050 M, resultando na formação de um
precipitado. (a) Escreva a equação molecular da reação. (b) Qual é o
reagente limitante? (c) Calcule o rendimento teórico em gramas do
precipitado que é formado.
4.7 Equações-Chave

𝑛 (𝑚𝑜𝑙𝑠 𝑑𝑜 𝑠𝑜𝑙𝑢𝑡𝑜) A molaridade é a unidade de


𝐶𝑛 = concentração mais comumente
𝑉 (𝑙𝑖𝑡𝑟𝑜𝑠)
utilizada em química

𝑀𝑐𝑜𝑛𝑐 𝑥 𝑉𝑐𝑜𝑛𝑐 = 𝑀𝑑𝑖𝑙 𝑥 𝑉𝑑𝑖𝑙

Quando se adiciona solvente a uma solução concentrada


para se obter uma solução diluída, podem ser calculadas
molaridades e volumes de soluções concentradas e diluídas
se três das quantidades são conhecidas.
4.7 Bibliografia Recomendada
Chang, R.; Goldsby, K. A. Química, 11° ed. Porto Alegre: AMGH, 2013.

McMurry, J. E.; Fay, R. C. Robinson, J. K. Chemistry, 7ª Pearson, 2016.

Atkins, P.; Jones, L. Princípio de Química: Questionando a Vida Moderna e o


Meio Ambiente, 5° ed. Porto Alegre: Brookman, 2014.

Brown, T. L.; LeMay, H. E. Química: A Ciência Central, 13° ed. São Paulo:
Prentice Hall, 2015.

Maham, B. M.; Myers, R. J. Química: Um Curso Universitário, 4° ed. São Paulo:


Blucher, 1995.

Kotz, J. C.; Treicel Jr, P. M.; Vichi, F. M. Química Geral e Reações Químicas, São
Paulo: Cengage Learning, 2009.