Você está na página 1de 11

EXECUÇÃO E CONTROLE

Objetivos de aprendizagem
• Definir a função de controle e explicar sua importância.
• Definir execução e controle.
• Distinguir os três tipos de controle quanto ao momento de realização.
• Descrever o processo de controle e suas principais etapas.
• Identificar as principais características de um sistema de controle eficaz.
• Descrever os principais instrumentos de controle do desempenho utilizados nas organizações
contemporâneas.
• Estabelecer a relação entre controle e avaliação de desempenho.
• Analisar as diversas técnicas utilizadas para exercer controle comportamental nas organizações. Explicar a
relação entre os processos de planejamento, organização, execução e controle.
Processos de planejamento e organização fornecem os dados de entrada para o processo de execução, que produz
bens, serviços e idéias. (MAXIMIANO. Introdução à Administração)

Objetivo é o critério para o controle e avaliação da execução das atividades.

O que é controle?
• Controle
– O processo de monitoramento das atividades para garantir que sejam executadas de acordo com o
planejado e corrigir quaisquer desvios significativos.
– Um sistema de controle eficaz assegura que as atividades sejam concluídas de tal maneira que
acarrete a realização das metas da organização.
ROBBINS ; DECENZO. Fundamentos de Administração: Conceitos essenciais e aplicações

– Metodologia administrativa que, mediante a comparação com padrões previamente estabelecidos,


medir e avaliar o desempenho e os resultados das ações e estratégias, com a finalidade de
realimentar com informações os tomadores de decisões, de forma que possam corrigir ou reforçar
este desempenho, para assegurar que os resultados estabelecidos pelo planejamento sejam
alcançados.
Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira - Introdução à Administração
Informações produzidas pelo processo de controle (MAXIMIANO. Introdução à Administração)

Fundamentos de controle. (SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro)

Relação entre planejamento e controle (Informações do processo de controle alimentam o processo de


planejamento e reiniciam o ciclo do processo de administração) (SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria
e prática no contexto brasileiro)
Orientação do controle (Características das três abordagens para os sistemas de controle)
• Controle de mercado
– Utiliza mecanismos externos de mercado, como competição de preços e fatia de mercado relativa,
para estabelecer padrões utilizados no sistema e ganhar vantagem competitiva.
• Controle burocrático
– Enfatiza a autoridade organizacional de mecanismos administrativos e hierárquicos para assegurar
comportamentos apropriados da parte dos funcionários e cumprir padrões de desempenho.
• Controle de clã
– Regula o comportamento dos funcionários por meio dos valores compartilhados, normas, tradições,
rituais, crenças e outros aspectos da cultura organizacional.
Controle por nível hierárquico. (SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro)

Três níveis de controle nas organizações.


CONTROLE ESTRATÉGICO
• Grau de realização das missões, estratégias e objetivos.
• Adequação dos planos estratégicos ao ambiente externo.
• Desempenho global da organização
• Concorrência e outros fatores externos.
• Eficiência dos recursos.
CONTROLE NAS ÁREAS FUNCIONAIS
• Quantidade e qualidade dos produtos e serviços.
• Taxas de desempenho dos recursos humanos.
• Eficiência do esforço promocional.
• Desempenhos dos fornecedores
CONTROLE OPERACIONAL
• Rendimento das atividades.
• Consumo dos recursos.
Tipos de controle. (SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro)
Processo de controle(SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro)

Passos do processo de controle. (ROBBINS ; DECENZO. Fundamentos de Administração: Conceitos essenciais e


aplicações)
• Medir o desempenho real
– Observação pessoal, relatórios estatísticos, relatórios verbais e relatórios escritos;
– Gerência itinerante:
• Frase utilizada para descrever quando um gerente está lá na área de trabalho interagindo
com os funcionários.
• Comparar o desempenho real com um padrão
– Comparação com medidas objetivas: orçamentos, padrões, metas;
– Faixa de variação:
• Os parâmetros aceitáveis de variância entre o desempenho real e o padrão.
• Tomar medidas administrativas para corrigir desvios ou padrões inadequados.
– Ação corretiva imediata
• Corrigir um problema imediatamente para recolocar o desempenho nos trilhos.
– Ação corretiva básica
• Determinar como e por que o desempenho se desviou e então corrigir a fonte do desvio.
– Rever os padrões
• Ajustar os padrões de desempenho para refletir as capacidades de desempenho presentes e
previstas para o futuro.
Possibilidades de informações reveladas pelo sistema de controle
• IGUAL AO ESPERADO
 O resultado é igual ao objetivo.
 Uma recompensa pode ser apropriada.
• MENOR QUE O ESPERADO
 O resultado ficou abaixo do objetivo.
 Uma ação corretiva pode ser apropriada.
 A redução do objetivo pode ser apropriada.
 Mais recursos podem ser necessários.
• ACIMA DO ESPERADO
 O resultado é maior que o objetivo.
 Recompensas são apropriadas.
 O objetivo pode ser aumentado.
Desenho de sistemas de controle. (SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no contexto
brasileiro)

Características de um sistema eficaz de controle


FOCO NOS PONTOS ESTRATÉGICOS
 Atenção às atividades de transformação.
 Atenção aos elementos mais significativos das operações.
PRECISÃO
 Tomada de decisão depende de informações precisas de controle.
RAPIDEZ
 Informações de controle devem chegar rapidamente ao tomador de decisões.
OBJETIVIDADE
 Economia de palavras: Cheguei, vi e venci.
ECONOMIA
 Benefícios devem ser maiores que o custo do controle.
ACEITAÇÃO
 Sistemas de controle devem ser aceitos pelos controlados.
ÊNFASE NA EXCEÇÃO
 Apenas os desvios devem merecer atenção.
AÇÃO CORRETIVA
 Ação sobre os elementos causadores dos desvios.
Componentes de um sistema de controle. (MAXIMIANO. Introdução à Administração)

Fatores contingenciais dos sistemas de controle. (SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no
contexto brasileiro)

Quais fatores de contingência afetam o projeto dos sistemas de controle?


• Tamanho da organização;
• Posição e nível;
• Grau de descentralização;
• Cultura organizacional;
• Importância de uma atividade.
Fatores de contingência no projeto dos sistemas de controle. (ROBBINS ; DECENZO. Fundamentos de
Administração: Conceitos essenciais e aplicações)

Instrumentos de controle do desempenho organizacional. (SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria e
prática no contexto brasileiro)
Controle financeiro
 O controle financeiro busca medir os impactos financeiros das atividades econômicas de uma organização ou
de uma unidade organizacional.
 Os principais instrumentos de controle financeiro são:
 Demonstrativos financeiros.
 Análise de índices.
 Orçamentos.
Sistemas de informação gerencial
 Os sistemas de informação gerencial são sistemas de apoio à decisão que fornecem ao gestor a informação
regular de que ele necessita para tomar decisões.
 Os sistemas de informação são um instrumento de controle porque:
 Informam o que está acontecendo.
 Indicam quais são os parâmetros de desempenho que permitem o alcance dos objetivos.
 Auxiliam a decisão, propondo medidas de ação corretiva.
Auditoria
 A auditoria tem por objetivos:
 verificar a adequação, a eficiência e a eficácia dos sistemas de controles da organização.
 verificar a integridade e a confiabilidade das informações e registros.
 verificar a eficiência, a eficácia e a economicidade do desempenho e da utilização dos recursos.
 verificar a concordância entre as atividades realizadas com relação aos objetivos, planos e meios planejados.
 medir os desvios detectados ou confirmar a inexistência de problemas.
Balanced scorecard. (SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro)

Benchmarking
O benchmarking consiste num processo contínuo e sistemático que busca comparar práticas e métodos de trabalho
de uma organização com os de outras organizações, de forma a identificar fatores que conduzam a um desempenho
superior.
Existem três modalidades de benchmarking:
Benchmarking organizacional.
Benchmarking de desempenho.
Benchmarking de processo.
Efeitos comportamentais do controle. (SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no contexto
brasileiro)

Estratégias de controle comportamental. (SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no contexto
brasileiro)
Aspectos comportamentais dos sistemas de controle. (MAXIMIANO. Introdução à Administração)

Técnicas de controle comportamental


 Recrutamento e seleção
 Orientação
 Desenho de cargos
 Avaliação do desempenho
 Treinamento
 Estabelecimento de objetivos
 Formalização
 Incentivos e bônus
 Disciplina
 Supervisão direta
 Cultura organizacional
Controles e diferenças culturais
• Os métodos para controlar o comportamento dos funcionários e as operações podem diferir muito em cada
país.
• A distância cria uma tendência para controles formalizados, na forma de relatórios extensos e formais.
• Em países menos avançados tecnologicamente, supervisão direta e tomada de decisões altamente
centralizadas são os meios básicos de controle.
• Leis locais restringem ações corretivas que os gerentes podem praticar em países estrangeiros.
O lado disfuncional do controle
• Problemas com controles desfocados
– Ocorrem falhas na obtenção dos resultados desejados ou pretendidos quando falta especificidade às
medidas de controle.
• Problemas com medidas de controle incompletas
– Indivíduos ou unidades organizacionais tentam fazer boa figura exclusivamente sob as medidas de
controle.
• Problemas com padrões de controle inflexíveis e não-razoáveis
– Os controles e metas organizacionais serão ignorados ou manipulados.
Questões contemporâneas sobre controle
• O direito à privacidade pessoal no trabalho versus:
– O empregador monitorar as atividades do funcionário no ambiente de trabalho;
– A responsabilidade civil do empregador por funcionários que criam um ambiente hostil;
– A necessidade do empregador de proteger propriedade intelectual.
Lembre-se: o computador em sua escrivaninha pertence à empresa.
Como um empreendedor pode controlar o crescimento
• Planejando
– Encaminhando estratégias de crescimento como parte do planejamento de negócios, mas sem ser
completamente rígido ao planejar.
• Organizando
– Os desafios-chave incluem encontrar capital, encontrar pessoas e fortalecer a cultura organizacional.
• Controlando
– Mantendo bons registros financeiros e controles financeiros sobre o fluxo de caixa, estoques, dados
dos clientes, ordens de vendas, contas a receber, contas a pagar e custos.
Sugestões para alcançar uma cultura de apoio orientada para o crescimento
• Forneça um feedback consistente e regular, permitindo que os funcionários conheçam os resultados — bons
e maus.
• Reforce as contribuições de cada funcionário reconhecendo os esforços deles.
• Treine continuamente os funcionários para aumentar suas capacidades e habilidades.
• Mantenha o foco na missão da aventura à medida que ela cresce.
• Estabeleça e reforce o espírito do “nós”, uma vez que uma aventura em crescimento bem-sucedida acolhe
os esforços coordenados de todos os funcionários.
• Forneça um feedback consistente e regular, permitindo que os funcionários conheçam os resultados — bons
e maus.
• Reforce as contribuições de cada funcionário reconhecendo os esforços deles.
• Treine continuamente os funcionários para aumentar suas capacidades e habilidades.
• Mantenha o foco na missão da aventura à medida que ela cresce.
• Estabeleça e reforce o espírito do “nós”, uma vez que uma aventura em crescimento bem-sucedida acolhe
os esforços coordenados de todos os funcionários.

Bibliografia Consultada
LACOMBE, Francisco ; HEILBORN, Gilberto. Administração: Princípios e Tendências. São Paulo: Editora Saraiva, 2003.
MAXIMIANO. Antônio Cesar Amaru. Introdução à Administração – Edição Compacta. São Paulo: Ed. Atlas, 2006.
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Introdução à Administração: Teoria e Prática. São Paulo: Atlas, 2008.
ROBBINS, Stephen P ; DECENZO, David A. Fundamentos de Administração: Conceitos essenciais e aplicações. 4ª ed.
São Paulo: Prentice Hall, 2004.
SOBRAL, Filipe ; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro. São Paulo: Pearson Prentice Hall,
2008.