Você está na página 1de 68

WORKSHOPDEEXERCíCIOS:

IntervençãoFonoaudiológica

EmDisfagia

Fga.Ms.KarenAmorimMendanha

Ipatinga,Junho2018

Oqueafonovaifazermesmo?
Oqueafonovaifazermesmo?

Énaturalquepacientesefamiliaresnãocompreendam,

inicialmente,osreaisobjetivosdoprocessode

reabilitaçãodadeglutição:amelhoriadaqualidadede

vidadoindivíduopormeiodamaximizaçãodo

potencialfuncionaloucompensatório.

SILVA,2007

Compreendendoconceitosno

processodereabilitaçãoemdisfagia

Reabilitação:

trabalharparaa

conquistadeuma

deglutiçãosemriscos

decomplicações.

Tratamento:

objetivaa“cura”.

estabilizarquadro

nutricional/reduzir

aspiração

utilizaressetermo

genéricofazcomque

pacientesefamiliares

almejemavoltada

deglutiçãonormal.

Exercício:Eficienteoueficaz?
Exercício:Eficienteoueficaz?

EFICIÊNCIA:

Capacidadequeumprocedimento

terapêuticopossuiparaproduzir

efeitosbenéficosnadinâmicada

deglutição.

Ligadoautilizaçãodeprocedimentos

testadosevalidados(Silva,2007).

EFICÁCIA:

Estárelacionadaàsmelhorasno quadrogeraldoindivíduo, independentedapermanênciado distúrbio. Precisamgarantiringestaoralsegura, manutençãodacondiçãonutricionale estabilizaçãodecomprometimentos pulmonares(Prosiegel etal,2005).

Métodoscomprovadamenteeficientespodemnãoser

eficazesparatodos.

Afonoreabilita.

Oprogramadereabilitaçãovisaminimizar

complicaçõesdecorrentesdosquadrosdedisfagia

orofaríngea,bemcomotornaroatodesealimentar

funcionalecompensado.

AVALIAÇÃOCLÍNICA

TERAPIA

AVALIAÇÃO

INSTRUMENTAL

OBJETIVOSBÁSICOS DAFONO
OBJETIVOSBÁSICOS
DAFONO

•Proteçãodasviasaéreas

•Manutençãodoestadonutricionaledehidratação

•Facilitaçãodainteraçãopositivaentrecuidadorepaciente.

•Conforto,segurançaeprazernafunçãoalimentar

CRITÉRIOSDE ENQUADRAMENTO
CRITÉRIOSDE
ENQUADRAMENTO

•Objetivodotrabalho?

•Respostaacomandossimples:estadodealerta!

•Nutridoehidratado

•Clinicamenteestável

•ExclusãodeCirurgia

PLANOTERAPÊUTICO •Objetivos
PLANOTERAPÊUTICO
•Objetivos

•Preparodoambiente/família

•Estabelecimentodafrequênciadassessões

•Tipodeterapia

•Escolhadeexercíciosespecíficos

•Escolhademanobrasdereabilitação

Furkim2012

REABILITAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA •Prevenirdesnutriçãoedesidratação
REABILITAÇÃO
FONOAUDIOLÓGICA
•Prevenirdesnutriçãoedesidratação

•Reduzirriscosdeaspiração

•Reestabelecimentodedietaoralsegurae

eficiente

•Orientações

•Alcançaraindependênciafuncional

•QUALIDADEDEVIDA!

BOAAVALIAÇÃO=BOMPLANEJAMENTOTERAPÊUTICO!!!!

CHAVESDATERAPIA FONOAUDIOLÓGICA
CHAVESDATERAPIA
FONOAUDIOLÓGICA

•OBSERVAÇÃO •Tempodelatênciade respostas •Qualidadederesposta •Foco

•3/6/9meses

•Dividiraprendizado

FURKIM;GUEDES,2012

REABILITAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA TERAPIAINDIRETA
REABILITAÇÃO
FONOAUDIOLÓGICA
TERAPIAINDIRETA

Ausênciadeofertadealimento,porém

DEGLUTIÇÃODESALIVA!

‐Aumentodaforça,amplitudeecoordenaçãoda

musculaturaorofaringolaringea

‐estimulaçãosensorial

‐Treinorecrutamentomuscular(diretaeindireta)

LANGMOREeMILLER,2001;NEUMANNetal.2015

TERAPIAINDIRETA:
TERAPIAINDIRETA:

Estimulaçãotátil‐térmica(ETT) ‐Melhoradasensibilidadeintraoral ‐Reduçãodotempodetrânsitooral ‐Iníciodadeglutiçãofaríngea

Logemann(1997);Lawless(2003)

Gelado

Sabor(ETTG)amargoazedodocesalgado

Textura

Estimulaçãotátiltérmica: Colhermergulhadaemáguagelada. Retireacolherdaáguaeposicione
Estimulaçãotátiltérmica:
Colhermergulhadaemáguagelada.
Retireacolherdaáguaeposicione

parabaixo.

Encaixenopalatoentreasarcadas

dentárias,maisposteriormente.

Façamovimentoslevesdomeiopara esquerdaedepoisdomeioparaa

direita(3a5vezes).

Soliciteaopacienteengolir.

Repitaoprocesso.

Façamovimentoslevesdomeiopara esquerdaedepoisdomeioparaa direita(3a5vezes). Soliciteaopacienteengolir. Repitaoprocesso.
ETT:Pressãocomcolhergelada
ETT:Pressãocomcolhergelada
Estimulaçãotátil‐térmica(ETTeETTG)
Estimulaçãotátil‐térmica(ETTeETTG)

‐gengiva,papilaretroincisal,laterais,ponta,meioebaseda língua ‐pilaresanterioresdasfauceseorofaringe

‐estimularde4a5x

‐aguardarrespostadopaciente

LOGEMANN,1997;GUEDES,2013;FURKIMeSILVA2015

Estimulaçãosensorialtátiltérmica gustativa ∗
Estimulaçãosensorialtátiltérmica
gustativa

Mastigaçãocomchicletes(SOUTH,SOMERS;JOG,

2010)

Alimentoenvolvidoemgazeouredinha.(quentese

frios,doceseazedos,amargosesalgados,texturas

diferentes).

∗ TÉCNICASDEINDUÇÃO: •Toqueintraoral:limiardeexcitabilidadedosreceptores,
∗ TÉCNICASDEINDUÇÃO:
•Toqueintraoral:limiardeexcitabilidadedosreceptores,

atençãoparaaregiãoestimuladacompossibilidadeou

comandodemovimentoquepelareorganizaçãopode

resultaremdeglutição

•Corporal:alinhamentobiomecânico

PERCEPÇÃOEESTIMULAÇÃODIGITAL
PERCEPÇÃOEESTIMULAÇÃODIGITAL

•Pontosespecíficos:

gengivas

palato

língua

ApoioOral

LatênciadeRespostas

TÉCNICASDEINDUÇÃO: CONTROLEDAREAÇÃODEMORDIDA/TRAVAMENTO:
TÉCNICASDEINDUÇÃO:
CONTROLEDAREAÇÃODEMORDIDA/TRAVAMENTO:

•Aplica‐sepressãonagengivanaalturados1os.

Molares

•Vibraçãodebochecha

•Mastigação

Terapiasensoriomotora ∗ TESTARDISPARODADEGLUTIÇÃO
Terapiasensoriomotora
∗ TESTARDISPARODADEGLUTIÇÃO

ESTIMULAÇÃODEBASEDELÍNGUA

TOCARPILARDASFAUCES(GAG)

ESTIMULODEFÚRCULA:ESTIMULODETOSSE.

SENSIBILIDADEFARINGOLARÍNGEA

MANIPULAÇÃOLARÍNGEAOUVARREDURADALARINGE.

Técnicasdeindução: alinhamentobiomecânico ∗ Alongamentodepescoço
Técnicasdeindução:
alinhamentobiomecânico
∗ Alongamentodepescoço
Técnicasdeindução: alinhamentobiomecânico ∗ Alongamentodepescoço Fonte:arquivopessoal
Técnicasdeindução: alinhamentobiomecânico ∗ Alongamentodepescoço Fonte:arquivopessoal

Fonte:arquivopessoal

Condicionamentorespiratórioe muscularpré‐alimentação ∗ Massagemorofacial:(sequência) ∗
Condicionamentorespiratórioe
muscularpré‐alimentação
∗ Massagemorofacial:(sequência)
∗ 1‐Testa:Najunçãodassobrancelhasfaçomovimentodevaievemcomodedão.

Depoisacimadassobrancelhas,movimentoscircularese/oumovimentosretos

dedentroprafora.

2‐Nariz:Nalateraldonarizfaçamovimentosdevaievemtambém.Depois

movimentoscircularessónaasadonariz.Issoajudamuitoadesentupiras

narinas.

3‐Bochecha:movimentocircular,debaixopracima,terminandonaasadonariz.

Depoisfaçamovimentosretos,dedentroprafora.

4‐Boca:Façamovimentosdecimaprabaixonolábiosuperioredebaixopra

cimanolábioinferior.Depoisfaçamovimentodedentropraforaacimadolábio

superior,abaixodolábioinferioredoscantinhosdaboca.(fortalecimento

muscularepropriocepção).

5‐Finalizocomestimulaçãodebasedelínguaemanipulaçãolaríngea.

Fonte:DICASESPECIAIS.Márcia, 2018.Disponivelyoutube.com.br
Fonte:DICASESPECIAIS.Márcia, 2018.Disponivelyoutube.com.br

Fonte:DICASESPECIAIS.Márcia,

2018.Disponivelyoutube.com.br

Exercícios
Exercícios

Exercíciosparatônus:asalteraçõesnaforçasão resultantesdasmodificaçõesnaformaemqueo sistemanervosoéativado,enãodemudanças estruturaisnomúsculo

osistemaneuromotorpodesofrermodificações devidoàsexperiênciaseessareestruturaçãopode ocorrertantoemnívelcentralquantoperiférico.

GUEDES,2013

Exercícios ∗ Melhoranodesempenho:
Exercícios
∗ Melhoranodesempenho:
Exercícios ∗ Melhoranodesempenho: recrutamentodeumnúmeromaiorde unidadesmotorasdomúsculo.

recrutamentodeumnúmeromaiorde

unidadesmotorasdomúsculo.

recrutamentodeumnúmeromaiorde unidadesmotorasdomúsculo. melhoranavelocidadeecoordenaçãodo recrutamentomotor. ∗

melhoranavelocidadeecoordenaçãodo

recrutamentomotor.

Estudosrelatamaocorrênciadeumareorganizaçãocortical duranteoprocessodereabilitaçãomotora(Burkheadetal,

2007)

EXERCÍCIOS
EXERCÍCIOS

Jásesabequeosexercíciosprecisamrecrutarmaisdo

sistemaneuromusculardoqueaatividadenormalpara

provocaradaptaçõesnosistemaneuromotor.

LIMONGIetal,2011

EXERCÍCIOS ∗ Indicaçãoprecisadeacordocom:
EXERCÍCIOS
∗ Indicaçãoprecisadeacordocom:

sintomatologiaecausa

Conhecimentosobreafisiopatologiadopaciente

Frequênciaorientada

Colaboraçãodopaciente(capacidadecognitiva)

Émelhormenosexercícioscommaioreficiênciado queumalistadeexercícioscansativaesem comprometimentodocuidadorpararealizar.

TERAPIAINDIRETA:
TERAPIAINDIRETA:

Isotônicos:paramovimento

Isométricos:força

Isocinéticos:resistência

Exemplos?

Exerciciosdeforçaetônus ∗ •Língua: ∗ ‐movimentaçãoantero‐posteriorelateral (resistência)
Exerciciosdeforçaetônus
∗ •Língua:
∗ ‐movimentaçãoantero‐posteriorelateral
(resistência)

‐movimentaçãoAP+mobilidadefaríngea(RRRÁ)

‐sucçãodelínguacontraopalato

•Bochechas:

‐sucção(canudo)

•Laringe:

‐Hiperagudos(mini,mini)

‐manobradeShaker;Mendelsohn

utilizaçãodehóstia

Aumentarmobilidadedafaringe: ∗
Aumentarmobilidadedafaringe:

‐Emitirsonsgraveseagudosalternados.Exemplo:

“A…U…A…U”(A‐AgudoeU‐Grave)

‐Emitir“u”comlínguaretraída.

Gá‐gá‐gá

Hiperagudos:“iii”,Mini,mini

‐Recolheralínguaexageradamenteparatrás

‐Pôralínguadeforaexageradamente

Manobradeshaker: ∗ Amusculaturaextrínsecadalaringedevesertrabalhadapara melhoradeforçaeelevação.
Manobradeshaker:
∗ Amusculaturaextrínsecadalaringedevesertrabalhadapara
melhoradeforçaeelevação.

Nestamanobraopacientedeitadosemtravesseirodeve levantaracabeçaeolharosprópriospéssemtirarosombrosda cama(aumentandoaeficiênciadosmecanismosdeproteção dasviasaéreas).

10a30vezes(condiçãodopaciente)

cama(aumentandoaeficiênciadosmecanismosdeproteção dasviasaéreas). ∗ 10a30vezes(condiçãodopaciente)
cama(aumentandoaeficiênciadosmecanismosdeproteção dasviasaéreas). ∗ 10a30vezes(condiçãodopaciente)
Manobradeshaker: ∗ Podesersubstituídapor:
Manobradeshaker:
∗ Podesersubstituídapor:

manobradeexcursãohiolaríngeamodificada(sentado90 grauseolharparabaixo).Oterapeutapodeoferecer resistênciacomamãoempurrandooqueixodopaciente paracimaeopacientedeveaindaassimtentarencostaro queixonopeito.

ExercíciodeWadadeaberturamandibular: abrirbema boca,sentindoacontraçãodamusculaturasuprae infrahioidea.Seguraracontraçãoomaisamplopossível

poraté10segundos.Descanseerepitapor5vezes.

Manobradeshaker:
Manobradeshaker:

poderia ser recomendado de forma preventiva, visando diminuir os efeitos da sarcopenia nos músculos utilizados na deglutição e na fonação e retardaraprogressãodapresbifoniaedapresbifagia.

Easterling(2008)

ManobradeMasako ∗ Deglutircomalínguaentreosdentes.Estamanobra ajudaaaumentaraconstriçãodasparedeslateraise
ManobradeMasako
∗ Deglutircomalínguaentreosdentes.Estamanobra
ajudaaaumentaraconstriçãodasparedeslateraise

posterioresdafaringe,favorecendoaprogressãodo

boloalimentar.

Nãodeveser

realizadacom

alimento.

posterioresdafaringe,favorecendoaprogressãodo boloalimentar. ∗ Nãodeveser realizadacom alimento.
∗ TERAPIADIRETA: ∗ Ofertaralimentos(atentarparaniveldealertado
∗ TERAPIADIRETA:
∗ Ofertaralimentos(atentarparaniveldealertado

paciente!)

Escolhadeconsistência(pastosoéomaisindicadopara

iniciar)

Sabor

Temperatura

Utensilios

Volumeofertado

Velocidadedeoferta

Tempoderefeição

Melhorarcontroledoboloalimentar: ∗ ‐Lateralizaralínguaduranteamastigação.
Melhorarcontroledoboloalimentar:
∗ ‐Lateralizaralínguaduranteamastigação.

‐Levantaralínguaemdireçãoaocéudaboca(palato duro).

‐Modelaralínguaemvoltadobolo(“cupping”),tipo colherparaosegurardeumaformacoesa.

‐Movimentaralínguatipo“varrerocéudaboca”.

‐“DoubleSwallow”–deglutir2vezesseguidas.

‐Treinarcomumacolherinvertidanaboca:deve

empurraracolherparacimaeparatrásaomesmotempo.

Eseaindatemalteração:
Eseaindatemalteração:

implementarposturas,manobras,

estímulosensorial,modificaçãodo

bolo

Intensificarorientaçõesaocuidador

Discussãoemequipe

Técnicasposturais:(manobras facilitadorasdadeglutição)
Técnicasposturais:(manobras
facilitadorasdadeglutição)

queixobaixo

queixoelevado

cabeçaparatrás

inclinaçãodecabeçaparaladobom(quandoapropulsãonãoé

boa–ex:alteraçõesmecânicasunilateraisemcavidadeoral)

Rotaçãolateraldecabeçaparaladoruim(propulsãoéboamas

existeasteniafaríngeaouparalisiadeppvvcomsinaisde

aspiração)

∗ NocasodeAVC:Antesdeengolir:Inclinaropescoço paraoladosãoeviraracabeçaparaoladoafectado.

NocasodeAVC:Antesdeengolir:Inclinaropescoço paraoladosãoeviraracabeçaparaoladoafectado. Estaposiçãoajudaaliberarapassagemdos alimentosparaoladonãoalterado(“ladobom”).

Estaposiçãoajudaaliberarapassagemdos alimentosparaoladonãoalterado(“ladobom”).
Queixobaixo: ∗ Executarantesdeengolir:
Queixobaixo:
∗ Executarantesdeengolir:

Alinharacabeçaeincliná‐laparaafrente.Esta posiçãobloqueiaalaringeeaumentaoespaço faríngeoparapassagemdosalimentosparao esôfago.

posiçãobloqueiaalaringeeaumentaoespaço faríngeoparapassagemdosalimentosparao esôfago.
Queixoelevado:
Queixoelevado:

Executardepoisdeengolir:Inclinaracabeçapara trás.Estaposiçãoelevaalaringeeajudaàprogressão dosalimentosparaoesôfago.

ManobradeMendelsohn:
ManobradeMendelsohn:

Comosdedos‐polegareindicador‐elevaralaringee segurá‐laemcimanomomentodadeglutição.

ManobradeMendelsohn: ∗ Comosdedos‐polegareindicador‐elevaralaringee segurá‐laemcimanomomentodadeglutição.
“LipPursing”:
“LipPursing”:

Manteroslábiosfechadoscomaajudadamão.Esta manobraajudaamanteroslábiosfechadosea comidanacavidadeoral.

∗ Manteroslábiosfechadoscomaajudadamão.Esta manobraajudaamanteroslábiosfechadosea comidanacavidadeoral.
Manobrasdeproteçãodasvias aéreas: ∗
Manobrasdeproteçãodasvias
aéreas:

Antesdeiniciaradeglutição,emitaumasequênciade

sons(“bam”“bem”“bim”

).

atuanoencerramentodalaringe,aproveitando‐seda

constriçãoqueocorre,napassagemdafasefaríngea

paraafaseesofágicadadeglutição.

ManobraSupraglótica:
ManobraSupraglótica:

maximizaofechamentodaspregasvocaisantese duranteadeglutição,tentandoassimevitaraaspiração.

1ºIntroduziroalimentoeengolircomarespiraçãopresa

4ºTossirimediatamenteparaexpulsaroresíduoalimentar

(sehouver)

5ºengolirnovamenteedepoisrespirarnormalmente.

Manobrasupersupraglótica ∗
Manobrasupersupraglótica

1ºIntroduziroalimentoesegurararespiraçãoeo

alimentodentrodabocapor1segundo(sentirásua

laringeelevando).

engolirforte‐respiraçãoaindapresa

4ºTossirimediatamenteparaexpulsaroresíduo

alimentar(sehouver)

5ºEngolirfortenovamente.

Deglutiçãodeesforço: ∗ Auxilianoclareamentodoboloemvaléculadevido
Deglutiçãodeesforço:
∗ Auxilianoclareamentodoboloemvaléculadevido

aoaumentodomovimentoposteriordebasede

línguaduranteadeglutiçãofaríngea,favorecendo

assimmaiorsegurançaduranteaalimentação.

aumentaapressãonafaseoral,facilitandoaejeção

doboloemdireçãoafasefaríngea.

Treinamentodaforçamuscular expiratória(Shaker‐NCS) ∗ Shaker(BAKER;DAVENPORT;SAPIENZA,2005;BERRETIN‐FELIX,SILVA;
Treinamentodaforçamuscular
expiratória(Shaker‐NCS)
∗ Shaker(BAKER;DAVENPORT;SAPIENZA,2005;BERRETIN‐FELIX,SILVA;

MITUUTI,2012)

aparelhoutilizadoparamelhorarocondicionamentorespiratórioehigiene

brônquica.

Instruirainspirara capacidadepulmonartotal,colocarobocaldo equipamentonabocabemvedadoeexpiraromaisfortepossível,realizando umaexpiraçãosuficienteparaelevaraesferadoaparelho.

5sériesde5respirações,comintervalode3minutosentrecadasérie.

Treinamentodaforçamuscular expiratória(Shaker‐NCS) ∗
Treinamentodaforçamuscular
expiratória(Shaker‐NCS)

Quandoopacienteexpira,avibraçãoprovocadapela

esferadoaparelhocriaumaondamecânicaque

reverberaatéopulmão,deslocandoasecreçãodo

pulmãoparaaviaaéreasuperior,possibilitando

expectoração.

Oimportantenãoéavelocidadeenemaforça,mas

simotempodesopro.Quantomaiorotempo,mais

ativasasvibrações,maioreficiênciadatécnica.

Treinamentodaforçamuscular expiratória(Shaker–NCS)
Treinamentodaforçamuscular
expiratória(Shaker–NCS)
Treinamentodaforçamuscular expiratória(Respiron®) ∗ mesmosendoumequipamentousadoparatreinamento
Treinamentodaforçamuscular
expiratória(Respiron®)
∗ mesmosendoumequipamentousadoparatreinamento

inspiratórioexisteapossibilidadedeserutilizadono

treinamentodaexpiração,comfinsdemelhoradaforça

muscularexpiratória,capacidadespulmonaresefluxos

expiratórios.

épossívelevidenciaramovimentaçãodoossohióideedo

complexohiolaringeo(sustentambasedelíngua).

Taisestruturaspodemapresentarmelhoranasua mobilidadeefunção,apartirdotreinamentorespiratório aplicadoporincentivadores. (Troche etal,2010)

Treinamentodaforçamuscular expiratória(Respiron®) ∗ Respiron®deformainvertida. ∗
Treinamentodaforçamuscular
expiratória(Respiron®)
∗ Respiron®deformainvertida.
∗ Pacienteéorientadoarealizar3sériesde10repetições

diárias.SOPRAR,partindodaCI(capacidadeinspiratória máxima)atéatingiraCRF(capacidaderesidualfuncional),

com1minutodedescansoentrecadasérieexpiratória.

EstudossugeremqueautilizaçãodoRespiron®afetaas capacidadesdacaixatorácicaemgerarforçapara aumentarafuncionalidadedosistemarespiratório,reduz resíduosemseiospiriformes,reduçãodotempode

trânsitofaríngeo(PILZ,2014;MACHADOetal,2015)

Treinamentodaforçamuscular expiratória(Respiron®)
Treinamentodaforçamuscular
expiratória(Respiron®)

Fonte:arquivodeimagenspessoais

Treinamentodaforçamuscular expiratória(Respiron®) Fonte:arquivodeimagenspessoais
AtençãoparaHIGIENEORALantese depoisdeviaoral: ∗ Boca:fácilproliferaçãodebactérias
AtençãoparaHIGIENEORALantese
depoisdeviaoral:
∗ Boca:fácilproliferaçãodebactérias

Dentes;gengiva,bochechas,palatoelíngua/prótese

dentária

Escovação

Gaze+espátula (Antissépticooral,água)

Gaze

VOZERO:realizarhigieneoral(microorganismos

continuampresentes)

Biofeedbackeletromiográfico
Biofeedbackeletromiográfico

Coadjuvanteimportantenotratamentodasdisfagias, associadaaterapiaconvencional.

Melhoranaforçaparadeglutir,bemcomona coordenaçãodadeglutiçãomelhorrecrutamento musculardurantefunçãodeglutitória,associadoà atençãoeaodesempenhodasfunçõescorticais simultaneamente

(Nelson,2007;O’Kaneetal.,2010).

Biofeedbackeletromiográfico ∗
Biofeedbackeletromiográfico

Técnicatemsidorelatadacomofacilitadorado aprendizadodenovospadrõesneuromuscularespara adeglutição.

Maiorganhodopacienteemrelaçãoàterapia convencional.

Provávelefeitomais duradourodareabilitação.

Envolveamudançadeumpadrãofacilmente aprendidoapartirdotreinofuncionalemterapia.

Biofeedbackeletromiográfico ∗ Podeserusadoparatreinamentoderelaxamento
Biofeedbackeletromiográfico
∗ Podeserusadoparatreinamentoderelaxamento

muscular,decoordenaçãoe/oupadrõesderesposta

muscular.

Opacienteaprendeemonitoranovospadrõesdafunção

deglutitóriautilizandoreforçovisuale/ouauditivo.

(BERRETIN‐FELIX;SILVA;MITUUTI,2012;RAHAL;SILVA;

BERRETIN‐FELIX,2011)

Biofeedbackeletromiográfico ∗ Comofunciona: ∗ Eletrodossãoposicionadosnosmúsculos‐alvodo paciente. ∗
Biofeedbackeletromiográfico
Comofunciona:
Eletrodossãoposicionadosnosmúsculos‐alvodo
paciente.
Opacienteéapresentadoaopadrãoeletromiográfico

normaldadeglutiçãoeaopadrãorealizado.

Terapeutaentãoestabeleceumtraçadoalvoparaotreino

funcional.

Opacienteentãorealizaasestratégiasfacilitadorasda

deglutição,visandoaproximarseurecrutamento

neuromuscularaopadrãodotraçadoalvo(aumentoda

amplitudedosinaleletromiográficodamusculatura).

Silva,2014

Biofeedbackeletromiográfico
Biofeedbackeletromiográfico
Biofeedbackeletromiográfico
Biofeedbackeletromiográfico
Biofeedbackeletromiográfico Silva,2014

Silva,2014

Biofeedbackeletromiográfico
Biofeedbackeletromiográfico

Fonte:<http:www.miotec.com.br>.Acessoem21jun2018

McNeillDysphagiaTherapyProgram (MDTP) ∗ umprogramasistemáticobaseadoemexercíciosparareabilitaçãoda
McNeillDysphagiaTherapyProgram
(MDTP)
∗ umprogramasistemáticobaseadoemexercíciosparareabilitaçãoda

deglutição.

Temsidobemreferenciadoparapacientespóscâncerdecabeçaepescoço,

AVCeoutrascondiçõesgravesqueapresentaramdisfagiaporváriosmeses

etentaramoutrosprogramassemsucesso.

focanofortalecimentoenacoordenaçãodadeglutiçãonocontextode

atividadesfuncionaisdealimentaçãoenodesenvolvimentodepadrõesde

movimentoserefinamentodacoordenaçãodoscomponentesmusculares

doprocessodedeglutição.

Intensivo.

CARNABY–MANN;CRARY,2008,2010

McNeillDysphagiaTherapyProgram ∗
McNeillDysphagiaTherapyProgram

Oprogramautilizaamanobradedeglutiçãocomesforçoem tarefashierárquicasdealimentaçãoe,conformeoavançodo programa,ademandaaumenta,exigindomaisforçae velocidadedemovimento.

Opacienteprecisa fazer5sessõesde1horaporsemana

durante3semanas+programaemcasa.

Numapesquisacom8pacientessubmetidosaoprogramae16

pacientesnogrupocontrole,69%dospacientesmelhoraram.O

programapropostogerouresultadossuperioresemrelaçãoà retiradadeviaalternativadealimentaçãoeaspiração

laringotraqueal.(Carnabyetal.2010)

referências ∗ Carnaby‐MannGD,Crary MA.McNeilldysphagiatherapyprogram:acase‐controlstudy.Arch
referências
∗ Carnaby‐MannGD,Crary MA.McNeilldysphagiatherapyprogram:acase‐controlstudy.Arch PhysMedRehabil.2010;91(5):743‐9.
∗ CRARY, M. A.; MAN,E.; GROHER, M. E. Initial psychometric assessment of a functional oral intake scale for dysphagia in strokepatients. Arch. Phys. Med.Rehab., Chicago, v. 8.,p.
1516‐1520,2005.
∗ Konradi, Jürgenetal.“EfeitosDiretos da TerapiaFacio‐Oral ® na Freqüência deDeglutição de PacientesNãoTraqueotomizados com Disfagia NeurogênicaAguda”. SAGE OpenMedicine3
(2015):2050312115578958. PMC.Rede.22de junhode 2018.
∗ Ferreira TS, Mangilli LD,Sassi FC, Fortunato‐TavaresT, Limongi SCO, Andrade CRF. Fisiologia do exercício fonoaudiológico: uma revisão crítica da literatura. J Soc Bras Fonoaudiol.
2011;23(3):288‐96
∗ Troche MS, Okaun MS, Rosenbek JC, Musson N, Fernandez HH, Rodriquez R et al Aspiration and swallowing in Parkinson disease and rehabilitation with EMST. Neurology.

2010;75:1912‐9.

LOGEMANN,J. A.etal.Super‐supraglottic swallowinirradiatedhead andneckcancerpatients.Head Neck,NewYork,v.19,n.6,p.535‐540,sept. 1997.

Machado JRS, Steidl EMS, Bilheri DFD, Trindade M, Weis GL, Jesus PRO, Pereira MB, Mancopes R. EFEITOS DO EXERCÍCIO MUSCULAR RESPIRATÓRIO NA BIOMECÂNICA DA DEGLUTIÇÃO DEINDIVÍDUOSNORMAIS.Rev. CEFAC.2015Nov‐Dez; 17(6):1909‐1915

Soares TMC,Conceição TMA, CardosoF, BeresfordH.Avaliaçãoda estimulaçãoelétrica notratamentoda disfagia secundárioao acidente vascularencefálico. ACTA FISIATR 2009; 16(4):

191–195.

Luccas, G.R. Sindromeda apneia obstrutivado sono edisfagia orofaríngea: aspectos miofuncionais, respiratóriose ecoordenação neuromuscularorale laríngea.Universidade de São Paulo.DISSERTAÇÃODEMESTRADO. Bauru,2017.

Pitts T,Bolser D, RosenbekJ, Troche M, Okun MS, SapienzaC. Impact of expiratorymuscle strength training onvoluntary cough andswallow function in Parkinsondisease. Chest.

2009;135:1301‐8.

OliveiraM, Santos C, OliveiraC, Ribas D.Efeitos da técnica expansiva e incentivador respiratório na forçada musculatura respiratória em idosos institucionalizados. Fisioter Mov.

2013;26(1):133‐40.27.

SouzaHCM.Efeitosdotreinamentomuscular inspiratóriosobreafunçãopulmonarem idosas[dissertação].Recife(PE):UniversidadeFederalde Pernambuco;2013.

PadovaniAR, MoraesDP,Mangili LD,AndradeCR.Protocolofonoaudiológicodeavaliaçãodoriscoparadisfagia(PARD).Rev SocBras Fonoaudiol.2007;12(3):199‐205.

EasterlingC,GrandeB, KernM,SearsK,ShakerR.Attainingandmaintaining isometricandisokineticgoalsoftheShakerexercise.Dysphagia.2005;20(2):133‐8.6.

EasterlingC.Doesanexerciseaimed atimprovingswallow functionhaveaneffecton vocalfunctioninthehealthyelderly?Dysphagia.2008;23(3):317‐26.

SILVA, M.M.A.Biofeedback eletromiográfico comocoadjuvantenotratamento das disfagiasorofaríngeasemidosos comdoença deParkinson. TESEDOUTORADO. Universidade deSão

Paulo.Bauru,2014.95p.

SILVAR.G.da.Aeficáciada reabilitaçãoemdisfagiaorofaríngea.Pró‐FonoRevistade AtualizaçãoCientífica,Barueri (SP),v.19,n.1, p.123‐130,jan.‐abr.2007.

SILVA,R.G.Fonoaudiologia aplicadaaolesadoencefálico adulto:propostaparaprogramasdereabilitaçãocom ênfasena formaçãodeagentesreabilitadores.In:MARCHESAN,I.;ZORZI, J.AnuárioCefacde Fonoaudiologia.[S.l.:s.n.],2000.p.53‐62.

Muitoobrigada! amorim.karen@gmail.com (31)98859‐0221

Muitoobrigada!

amorim.karen@gmail.com

(31)98859‐0221