Você está na página 1de 5

INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ

nome

MICROMUNDO FÍSICO WEBGL PARA O ENSINO DE FÍSICA

cidade
2018
INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ

nome

MICROMUNDO FÍSICO WEBGL PARA O ENSINO DE FÍSICA

Resumo expandido apresentado à


disciplina de Trabalho de Conclusão de
Curso I do curso de Licenciatura em Física
do Instituto Federal do Paraná – Campus
Telêmaco Borba, como requisito parcial de
avaliação.

Docente: nome docente

TELÊMACO BORBA
2018
3

MICROMUNDO FÍSICO WEBGL PARA O ENSINO DE FÍSICA


nome

RESUMO

O objetivo deste trabalho é mostrar o potencial dos micromundos desenvolvidos


com tecnologia WebGL para a aprendizagem de física no ensino médio regular.
Amparado pela teoria construcionista de Seymour Papert, o trabalho propõe o uso dos
micromundos de maneira que o próprio aluno defina as condições a serem analisadas
no micromundo físico, alterando as variáveis, observando e compreendendo os
resultados. Com a proposta, espera-se que os estudantes consigam compreender as
condições físicas mais complexas através das simulações e interações com o
micromundo, condições essas que muitas vezes são demasiadamente abstratas para
serem relacionadas com situações cotidianas.

Palavras-chave: ensino de física; WebGL; micromundos; construcionismo.

INTRODUÇÃO

Atualmente, as mídias digitais estão cada vez mais acessíveis diretamente nos
navegadores Web, em muitos casos não sendo mais necessário a instalação de
softwares no computador. Porém, embora no campo da educação o avanço dessas
mídias digitais exista, ainda não é tão efetivo, pois na maioria dos casos o computador
ainda desempenha o mesmo papel do ensino tradicional, sendo, portanto, apenas
uma “máquina de ensinar” (COSTA, 2010).
Valendo-se desta nova tendência e dos problemas enfrentados na
implementação das mídias digitais na educação, o interesse desta pesquisa é
demonstrar o potencial pedagógico de micromundos físicos simulados no Babylon.js,
um motor 3D capaz de produzir simulações interativas em tempo real em um
navegador Web, baseado na tecnologia WebGL, voltada ao ensino de física.
Para tanto, será realizado um levantamento das propostas já existentes de uso
do computador voltado ao ensino de física, propondo e desenvolvendo, em seguida,
4

um modelo de micromundo físico WebGL interativo, juntamente com um breve


material didático do tipo tutorial para a sua implementação pedagógica futura.
O desenvolvimento desse modelo servirá para avaliar o potencial dos
micromundos físicos voltados ao ensino de física.

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

O presente trabalho baseia-se na teoria Construcionista de Seymour Papert,


desenvolvida a partir das premissas do Construtivismo de Jean Piaget.
Complementando a teoria piagetiana, que se foca nas maneiras como o conhecimento
se constrói no indivíduo (PIAGET, 1976), Papert preocupa-se em desenvolver
ambientes interativos onde esse conhecimento possa ser construído de maneira mais
efetiva pelo estudante, desenvolvendo então a teoria Construcionista (PAPERT, 1985).
Papert, já na década de 1980 viu nos computadores, recém desenvolvidos, a
possibilidade de conceber tais ambientes. Esses ambientes interativos foram
chamados pelo autor de micromundos. Esses micromundos são ambientes digitais
que simulam condições que exigem alto nível de abstração por parte do aluno no
aprendizado da física. Esse mundo simulado permite ainda a alteração de variáveis e
modificações no próprio ambiente, permitindo que o aluno explore e seja o próprio
arquiteto do micromundo, percebendo e compreendendo condições que ele talvez
jamais pudesse experenciar em seu cotidiano.
Segundo o próprio autor, o micromundo trata-se de:

[...] um ambiente de aprendizagem interativa baseado no computador onde


os pré-requisitos estão embutidos no sistema e onde os aprendizes podem
tornar-se ativos, arquitetos construtores de sua própria aprendizagem
(PAPERT, 1985, p. 151).

Os modelos de micromundos deste trabalho serão desenvolvidos no motor de


renderização Babylon.js, baseado na tecnologia WebGL, em linguagem Java Script,
justamente porque ele permite as alterações e interações no micromundo em tempo
real, sendo condizente com o micromundo com potencial pedagógico proposto por
Papert.
5

A tecnologia WebGL (ou Web Graphics Library) citada é uma API Java Script
projetada para renderizar gráficos 3D interativos e gráficos 2D em qualquer navegador
da Web compatível, sem o uso de plug-ins, sendo, por isso, mais acessível e viável
para a utilização no ensino.

METODOLOGIA

O presente trabalho trata-se de uma pesquisa exploratória de métodos


qualitativos. Para tal pesquisa será feito um levantamento bibliográfico sobre
micromundos WebGL e o ensino de física, relacionados à teoria Construcionista,
inclusive também sobre a existência de trabalhos anteriores que já tenham empregado
os micromundos digitais à educação, sob o amparo deste mesmo referencial teórico.
Posteriormente será desenvolvido um modelo de micromundo baseado em
conteúdos da física, especificamente da Mecânica, para verificar o potencial
pedagógico da proposta.

RESULTADOS ESPERADOS E CONCLUSÃO

Espera-se, com esse trabalho, que o micromundo físico a ser desenvolvido


mostre-se promissor para o ensino de física, contribuindo com uma aprendizagem
mais interativa e próxima da realidade, tornando-se, assim, significativa para o aluno.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

PAPERT, S. Logo: computadores e educação. São Paulo: Brasiliense, 1985.

PIAGET, Jean. The Grasp of Consciousness: Action and Concept in the Youg
Child. Cambridge, Mass: Harvard University, 1976.

COSTA, T. C. A. Uma abordagem construcionista da utilização dos computadores na


educação. Universidade Federal de Pernambuco, p. 32, 2010. Disponível em:
<http://nehte.com.br/simposio/anais/Anais-Hipertexto-2010/Thais-Cristina-Alves-
Costa.pdf>. Acesso em: 12/6/2018.