Você está na página 1de 3

SISTEMA DA QUALIDADE

PO– PROCEDIMENTO OPERACIONAL

PROCESSO IDENTIFICAÇÃO REVISÃO FOLHA Nº

PO 012 01 1/2
CONTRAPISO

1. OBJETIVO
Eficiência e uniformidade na aplicação do processo.

2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

• Projeto Estrutural (quando necessário)


• Projeto Arquitetônico (quando necessário)
• Projeto de Instalações Elétricas e Hidráulicas (quando necessário)
• Projeto de Impermeabilização (quando necessária)

3. RESPONSABILIDADES
3.1 – RESPONSÁVEL DA OBRA
Fiscalizar os serviços
3.2 – ENCARREGADO E/OU ESTAGIÁRIO DA OBRA
Comandar a execução dos serviços que serão realizados na obra.

3.3 – PEDREIROS

Executar os serviços que serão realizados na obra

4. MATERIAIS E EQUIPAMENTOS
• Padiolas; • Pá;
• Baldes; • Enxada;
• Betoneira; • Trena metálica;
• Ponteira; • Colher de pedreiro;
• Marreta; • Desempenadeira;
• Vassoura de piaçaba; • Argamassa de cimento e areia;
• Broxa; • Cimento.
• Mangueira de nível;
5. PROCEDIMENTOS
5.1 - Preparar a base limpando os ambientes;
5.2 - Retirar os entulhos, restos de argamassa ou outros materiais aderidos à base;

Elaborado/revisado por: Aprovado para uso:

__________________________________ 26/ 05 / 2010 ________________________________ 26/ 05 / 2010


Ricardo Lima Data Gustavo Góes Data
PROCESSO IDENTIFICAÇÃO REVISÃO FOLHA

PO 012 01 2/2
CONTRAPISO

5.3 - Transferir os níveis do Contrapiso para cada cômodo a partir do ponto de


origem (nível de referência), utilizando nível alemão ou mangueira de nível;
5.4 - Limpar os pontos onde serão assentadas as taliscas, umidecendo-os após a
limpeza;
5.5 - Assentar as taliscas de material cerâmico nas posições previamente
definidas nos projetos, observando o distanciamento máximo de 2m entre elas.
O assentamento das taliscas deverá ser feito com argamassa idêntica à do
contrapiso e com antecedência mínima de um dia em relação à execução do
contrapiso;
5.7 - Limpar novamente a superfície e lavar. Remover o excesso de água e iniciar
o preparo da ponte de aderência entre o contrapiso e a base, polvilhando 0,5 kg
de cimento por metro quadrado;
5.8 - Espalhar e misturar com uma vassoura o cimento com a água, formando
uma fina camada de ligação entre a base de concreto e a argamassa-farofa que
será aplicada;
5.9 - NOTA: A produção das mestras deve ocorrer imediatamente antes do
lançamento da argamassa para execução do contrapiso como um todo, não sendo
adequada sua prévia execução.
5.10 - Espalhar a argamassa de contrapiso entre duas taliscas, numa quantidade
suficiente para sobrepor seu nível;
5.11 - Compactar energicamente a argamassa na região da mestra, de modo a
obter um contrapiso de elevada compacidade;
5.12 - Deve-se cortar a argamassa excedente até que toda a mestra fique no
mesmo nível das taliscas. Lançar a argamassa sobre a base, espalhando com a
enxada de modo que se ultrapasse o nível das mestras;
5.13 - Compactar a camada de argamassa com energia, de maneira a garantir
maior compacidade e resistência. Se após a compactação, a camada ficar abaixo
do nível das mestras, deve-se acrescentar mais argamassa, compactando-a
novamente.
5.14 - Sarrafear toda a superfície em movimentos de vaivém, cortando a
superfície da argamassa até que seja atingido o nível das mestras.
5.15 - Para o acabamento final, polvilhar cimento a uma razão aproximada de
0,5 kg por metro quadrado de superfície e desempenar a argamassa do contrapiso
com uma desempenadeira de madeira.
5.16 - Respeitar um prazo mínimo de 28 dias para a cura do contrapiso, antes da
colocação dos revestimentos, notadamente quando estes forem suscetíveis à
umidade.

6. CONTROLE DE REGISTROS
Os registros da qualidade gerados pelas atividades deste procedimento são
controlados na planilha de controle de registro.