Você está na página 1de 47

PROBLEMAS DE FÍSICA

Liliana Caramelo

Engenharia Zootécnica
2014/2015
Capítulo 1: Unidades e cálculo vectorial

1. O micrómetro é vulgarmente denominado de mícron ().


a) Diga quantos mícrons existem em 1 .
b) Que fracção do  é igual ao mícron?

2. A terra é uma esfera de raio igual a 6,37 × 10 .


a) Qual o comprimento da linha do equador (em )?
b) Qual a área da superfície (em  ) da terra?
c) Qual o volume da terra?

3. Se um campo tem uma área de 75 ℎ (1 ℎ = 10 ) e estiver coberto com uma camada
de areia de 10 , calcule o volume de areia existente no campo.

4. A massa volúmica da água é de 1   (à temperatura de 4℃). Exprima essa massa


volúmica em   ().

5. Considerando que o Oceano Atlântico tem uma área de 85 × 10  e uma profundidade


média de 3000 . Calcule a massa total de água existente no Oceano Atlântico (em
unidades ). Suponha que a água do oceano é constituída somente por  .

6. Uma tempestade forte provoca uma precipitação de 26  de chuva em 2 ℎ, sobre uma


cidade de 20  de área. Calcule a massa de água que caiu sobre a cidade.
(!"# $ = 1  )

7. Exprima a velocidade da luz ( = 3 × 10%  & ' ) em quilómetros por hora e em


milímetros por pico-segundo.

8. Converta a aceleração da gravidade do sistema internacional () ( = 9,81 & ) para o
sistema )*.
Capítulo 1. Introdução

9. Leo Bolt, no Campeonato Mundial de Atletismo de 2009, correu os 100  em 9,58 &.
Calcule a sua velocidade em  ℎ' .

10. Um carro de Fórmula 1 efectua uma volta ao Autódromo do Estoril de comprimento


4360  a uma velocidade média de 360  ℎ' . Calcule o tempo que leva a completar uma
volta.

11. A equação dos espaços para o movimento rectilíneo uniformemente acelerado é descrita
pela seguinte expressão +(,) = +- + /- , + 1⁄2 ,  , em que + é a posição da partícula no
instante de tempo ,, +- a sua posição inicial, /- a sua velocidade inicial e  é a sua
aceleração. Verifique a sua dimensionalidade, isto é, que todas as parcelas têm as mesmas
dimensões.

23 2#
12. Seja a constante G definida pela expressão 1 = * 4#
onde 1 é a força, ' e  as

massas dos corpos 1 e 2 e 5 a distância entre esses corpos.


a) Quais as dimensões da grandeza *?
b) Quais as unidades SI da grandeza *?

13. Considere a equação /  = /-  + 26(+ − +- ) onde 6 representa uma grandeza de


dimensão desconhecida.
a) Determine a dimensão de 6 utilizando a análise dimensional.
b) Indique uma grandeza física com a mesma dimensão.

14. Determine a soma de dois vectores 8 = 49̂ + 3;̂ e 6<8 = −39̂ + 4;̂. Qual o módulo e
direcção do vector soma?

15. Sendo 8 = 29̂ + 3;̂ e 6<8 = 49̂ − 3;̂, calcule:


a) 8 + 6<8;
b) 6<8 − 8.

2
Capítulo 1. Introdução

16. A velocidade do vento /8' é de 40 =>ℎ& ℎ' na direcção Este-Oeste. Um avião desloca-
se para Norte com uma velocidade /8 de 100 =>ℎ& ℎ' . Sabendo que 1 =>ℎ = 1852 
e a velocidade do avião relativamente à terra é /8' + /8 ,
a) calcule /8' + /8 ;
b) represente num diagrama o resultado obtido na alínea a), escolhendo uma escala
apropriada.

17. Considere três vectores ?8, @ <8 e )8, representados na


?8
figura. O vector )8 tem módulo igual a 100 unidades. Calcule <8
@ 30º +
os valores dos módulos de ?8 e @ <8, de modo que a resultante
)8
A<8 dos três vectores seja nula.

18. Um helicóptero deixa um aeroporto e faz duas paragens: primeiro voa 3  para Este e
depois 4,5  para Nordeste. Utilize o método gráfico de adição de vectores e determine o
módulo e direcção (em relação à linha Este-Oeste) do deslocamento total do helicóptero.

19. Numa carta náutica (o norte coincide com o semi-eixo positivo dos BB), um barco
encontra-se na posição (1, 0) e uma rocha na posição (2, 4). Qual o vector posicional da
rocha em relação ao barco? Determine o ângulo que este vector faz com o Norte.

20. Um objecto move-se na direcção 9̂ + ;̂ () e é actuado por uma força 18 = 29̂ + ;̂ (C).
Exprima esta força como a soma de uma força na direcção do movimento e uma força a
direcção perpendicular ao movimento.
B

18
21. Observe a seguinte figura. Utilizando o sistema de eixos +
representado na figura, decomponha a força nas suas
componentes.
45°

22. Calcule 8 ∙ 6<8 com 8 = 29̂ + 10;̂ − 12E e 6<8 = −39̂ + 4;̂.

23. Determine o ângulo entre os vectores 8 = 9̂ + ;̂ + 3E e 6<8 = 29̂ + ;̂ + 5E.

3
Capítulo 1. Introdução

24. Calcule G
<8 /8 sendo G
<8  3, 71, 1 e /8  1, 2, 71.

25. Calcule 8 ∙ 6<8 8 onde 8  9̂ 7 2;̂ . E, 6<8  298 . ;̂ . E e 8  39̂ 7 ;̂ . 2E.

26. Determine os ângulos A e B para cada um dos seguintes sistemas.

40° ?

? @
@ 50°

38° 55°

18
27. Na figura está representada a força exercida pelo músculo
deltoíde no húmero, quando o braço se encontra na posição
30°
horizontal. Supondo que esta força tem uma intensidade de
260 C, obtenha a componente horizontal e a componente
vertical desta força, utilizando o referencial ortonormado +B.

28. O músculo adutor, que liga a bacia ao fémur, é constituído


por três músculos independentes cujas forças produzidas
actuam com diferentes ângulos. A figura mostra as forças
exercidas pelos diferentes músculos. Calcule a força total
(intensidade e direcção) resultante da acção dos três músculos.

29. Os tendões bíceps exercem uma força 18 de intensidade


60 C no antebraço, conforme mostra a figura. O braço está
flectido tal que esta força 18 faz um ângulo de 40° com o
antebraço. Obtenha as componentes da força 18 :
a) paralela ao antebraço;
b) perpendicular ao antebraço.

4
Capítulo 2: Cinemática

Utilize   9,81 & 

1. Calcule a velocidade escalar média de uma partícula durante o período de tempo


em que se desloca ao longo de uma distância de 60  a uma velocidade de 3 & ' e,
depois, percorre igual distância a uma velocidade de 2 & ' .

2. Um automóvel sobe uma colina, à velocidade escalar de 40 ℎ' e, desce-a à


velocidade escalar de 60 ℎ', regressando ao ponto de partida. Calcule a
velocidade escalar média para a totalidade do percurso.

3. Dois automóveis partem ao mesmo tempo de Vila Real rumo a Lisboa (distância
total de 420 ). Um deles efectua as viagens de ida e de regresso à mesma
velocidade média de 80 ℎ' . O outro efectua a viagem de ida a uma velocidade
média de 100 ℎ' e a de regresso à velocidade média de 60 ℎ' . Qual deles
regressará primeiro a Vila Real? Diga a que distância da cidade de Vila Real estará o
automóvel mais atrasado, quando o outro chegar.

4. A aceleração de um corpo que se move ao longo do eixo dos ++ é dada pela


expressão   4, − 2 (&  ). Sabendo que a velocidade inicial do corpo é de
10 & ' e que o corpo parte da origem, calcule:
a) as expressões que descrevem a velocidade e a posição do corpo em qualquer
instante de tempo;
b) o espaço percorrido nos primeiros 10 & do movimento.

5. A posição de uma partícula, com movimento rectilíneo ao longo do eixo ++, é dada
pela expressão +  3, − 4,  + ,  (+ em metros, , em segundos).
a) Qual a posição da partícula nos instantes ,  1 & e , = 2 &?
b) Qual o deslocamento entre os dois instantes atrás referidos?
c) Qual a velocidade média entre os instantes ,  2 & e , = 4 &?

6. Suponha que dá um empurrão num trenó de modo a que ele suba um terreno
ligeiramente inclinado. O movimento é descrito pela seguinte equação
Capítulo 2. Cinemática

+,  18 + 12, − 1,2,  () onde + representa a distância percorrida ao longo da


colina e , o tempo.
a) Represente graficamente o movimento;
b) Determine o deslocamento do trenó entre os instantes ,  1 & e , = 7 &;
c) Determine a expressão para a velocidade em função do tempo;
d) Represente graficamente a velocidade em função do tempo;
e) Calcule a aceleração em função do tempo.

/ (& ' )

7. Um veículo ? movendo-se com velocidade


constante ultrapassa um veículo @ no 50 @
instante , = 0 &, quando este inicia o seu 40
movimento. Analisando o gráfico mostrado na
30
figura ao lado, classifique as seguintes
20 ?
afirmações em verdadeiras ou falsas,
10
justificando:
, (&)
a) @ ultrapassou ? no instante , = 4 &, 0
2 4 6 8 10
depois de percorrer 80 .
b) @ ultrapassou ? no instante ,  4 &,
depois de percorrer 160 .
c) @ ultrapassou ? no instante ,  4 &, depois de percorrer 180 .
d) @ ultrapassou ? no instante , = 8 &, depois de percorrer 160 .
e) @ ultrapassou ? no instante ,  8 &, depois de percorrer 320 .

/ (& ' )

8. O gráfico /, apresentado representa a


velocidade de uma partícula em função do 4
tempo.
a) Calcule a aceleração da partícula nos
intervalos de tempo H0, 2I, H2, 4I, H4, 5I e , (&)
2 4 5 6
H5, 6I &.
b) Calcule o espaço percorrido nesses −2
intervalos de tempo.

9. Durante o lançamento de uma bola de ténis, a velocidade da bola aumenta de forma


constante de 0 para 50 & ' , enquanto esta está em contacto com a raquete, ou seja,
durante um intervalo de tempo extremamente pequeno. Enquanto dura esse
contacto, a bola move-se aproximadamente 1 . Calcule:

6
Capítulo 2. Cinemática

a) o módulo da aceleração da bola, enquanto está em contacto com a raquete;


b) o intervalo de tempo em que a bola está em contacto com a raquete.

10. Uma pedra foi lançada verticalmente por uma pessoa 1,5  acima do solo. O
tempo que a pedra levou para atingir a altura máxima foi de 1,2 &.
a) Determine a velocidade inicial da pedra.
b) Quais as expressões da velocidade e da posição da pedra? Represente
graficamente /, e B,.
c) Calcule o deslocamento e o espaço percorrido pela pedra, desde o instante do
lançamento até esta atingir o solo.

11. Um objecto é largado de uma ponte situada 45  acima do nível da água, caindo
sobre um barco que se move com velocidade constante e que está a 12  do ponto de
impacto quando o objecto é largado. Qual a velocidade do barco?

12. Um automóvel arranca do repouso e tem uma aceleração de 2,0 &  durante
30 &. A partir desse instante adquire velocidade constante. Considerando que o veículo
efectua um movimento rectilíneo, calcule a velocidade máxima atingida, a distância
percorrida e, a velocidade escalar média para os primeiros 60 & do movimento.

13. Um automóvel está parado num cruzamento. No instante em que o semáforo fica
verde, passa por ele uma mota com velocidade constante de 15 & '. Se nesse
mesmo instante, o automóvel começar a mover-se com uma aceleração constante de
2 &  , determine:
a) a distância percorrida pelo automóvel até alcançar a mota;
b) o tempo necessário para que isso aconteça.

14. Uma pedra é deixada cair para o interior de um poço e ao fim de 2,4 & após o
lançamento ouve-se o barulho da pedra a atingir a água. Considerando que a
velocidade de som no ar é de 336 & ', determine a altura entre o topo do poço e a
superfície da água

7
Capítulo 2. Cinemática

15. Uma bola é lançada verticalmente para cima do alto de uma torre, com velocidade
de 30 & ' . Decorridos 4 &, deixa-se cair uma outra bola, do mesmo local. Calcule o
instante, contando desde o início do movimento, em que ambas as bolas se
encontram.

16. O deslocamento de uma partícula é dado pelas seguintes expressões:


+,  70,31,  + 7,2, + 28 ()
J
B(,) = 0,22,  − 9,1, + 30 ()
Calcule o vector posição e o vector velocidade no instante , = 1 &.

17. A posição de uma partícula que se move no plano +B é dada por


58  2,  − 5,)9̂ − (6 − 7,  );̂ (). Para , = 2 &, calcule o vector posição, o vector
velocidade e o vector aceleração.

18. Um projéctil é disparado horizontalmente do cimo de uma torre de 60  de altura,


com velocidade /8- = 20 9̂ (& ' ). Considere desprezáveis os atritos.
Classifique as seguintes afirmações em verdadeiras ou falsas, justificando em cada
caso, a sua opção:
a) O valor da componente tangencial da aceleração, no instante ,  3 & é
10,6 & .
b) O valor da componente normal da aceleração, no instante ,  3 & é 5,5 & .

19. Um projéctil é lançado horizontalmente de uma altura ℎ com velocidade inicial de


 L
módulo /- . Mostre que o projéctil tocará o solo à distância /- K M .

20. Uma pedra é projectada com a velocidade inicial de 40 & ' , fazendo um ângulo
de 60° com a horizontal. A pedra atinge um rochedo de altura ℎ passados 6 & após o
lançamento. Determine:
a) a altura do rochedo;
b) a velocidade da pedra no instante do impacto;
c) a altura máxima atingida pela pedra.

8
Capítulo 2. Cinemática

21. Um avião desloca-se numa trajectória rectilínea, a uma velocidade constante de


300 & ' e a uma altura de 2000  do solo. Quando passa na vertical de uma peça
de artilharia, apontada numa direcção que faz um ângulo de 60° com o eixo dos ++,
esta dispara. Após alguns segundos, o projéctil atinge o avião. Calcule:
a) a velocidade de lançamento do projéctil;
b) o menor intervalo de tempo que o projéctil leva a atingir o avião.

22. Um objecto desloca-se sobre uma mesa, seguindo uma trajectória rectilínea, com
uma velocidade /- . Ao atingir a borda da mesa desloca-se segundo a trajectória
descrita na figura.

/8- /8-

1
2 

a) Determine a velocidade /- (antes da queda).


b) Escreva as expressões de /8, e 58, para o movimento do projéctil.
c) Determine a velocidade quando o objecto atinge o solo.

23. Um avião enquanto sobe deixa cair uma bomba, no instante em que a sua
velocidade tem o valor de 200 & ' e a sua trajectória faz um ângulo N com a
horizontal. Nesse instante, o avião encontra-se a 1500  de altitude, sin(N) = 0,6 e
cos(N) = 0,8. Determine:
a) a distância entre o ponto em que a bomba toca o solo e a vertical que contem o
ponto de lançamento.
b) o valor da velocidade da bomba no instante em que chega ao solo.

B
24. Um motociclista acrobata pretende
saltar o desfiladeiro, de 10  de
@
largura, representado na figura, indo de
;̂ 3 
?
? para @. As duas margens do +

desfiladeiro têm um desnível de 3 . A 30°
margem mais baixa tem uma inclinação
de 30°. A velocidade máxima 10 

conseguida na subida, pela motocicleta

9
Capítulo 2. Cinemática

utilizada, é de 60 ℎ' .
a) Por meio de cálculos, justificar que o salto poderá ser tentado com segurança.
Nestas condições:
b) Determinar a posição do ponto mais alto atingido pelo motociclista na sua
trajectória.
c) Calcular a que distância de B o motociclista voltará a tocar o solo.

25. Um automóvel percorre uma curva de raio 150 , à velocidade constante de


60 ℎ'. Calcule a componente normal da aceleração do automóvel.

26. Uma partícula descreve um movimento circular de raio 1 , de acordo com a lei
&(,) = 3,  − 2, (). Calcule a componente normal e a componente tangencial da
aceleração.

27. A hélice de um ventilador 5  15 ) completa 1200 5T. Considerando um


ponto na sua extremidade, calcule a velocidade nesse ponto e a aceleração centrípeta.

28. A Terra está a 1,5 × 10%  do Sol e dá uma volta completa em torno deste, numa
órbita aproximadamente circular, durante 365 dias e 6 horas. Calcule a velocidade
orbital e a sua aceleração centrípeta.

29. A Terra gira sobre si própria em 24 ℎ. Calcule a velocidade de rotação da Terra e a


aceleração centrípeta de um ponto localizado na sua superfície, considerando
5U = 6370 .

30. Duas partículas 1 e 2 movem-se ao longo dos eixos dos ++ e dos BB com
velocidades /8' = 29̂ (& ' ) e /8 = 2;̂ (& ' ). No instante , = 0 & ocupam,
respectivamente, as posições V' = (−3, 0)() e V = (0, −3)().
a) Escreva as expressões dos vectores 58' , e 58 , que definem a posição das
partículas 1 e 2 em relação à origem dos eixos.
b) Determine o vector 58  58 7 58' que representa a posição da partícula 2 em
relação à partícula 1.
c) Calcule o instante em que a distância entre as duas partículas tem o valor mínimo
e determine esse valor.

10
Capítulo 2. Cinemática

31. Considere que um observador ? obtém, para a partícula V, a velocidade de


3;̂ (& ' ) e aceleração de 49̂ (&  ), respectivamente. Um observador @ move-se
com velocidade constante relativamente a ?, /8W/Y = 29̂ − ;̂ (& ' ). Calcule, em
relação a @:
a) A velocidade de V.
b) A sua aceleração.

32. Uma carroça move-se rectilineamente com velocidade constante de módulo


10 & ' . Um rapaz, em cima da carroça, desloca-se em sentido contrário com
velocidade de 5 & ' . Qual a velocidade do rapaz medida por um camponês que se
encontra no solo?

33. Um automóvel e um camião deslocam-se com velocidades de 90 ℎ' e


60 ℎ', respectivamente. Calcule a velocidade do automóvel, medida pelo
motorista do camião, nos seguintes casos:
a) a estrada é rectilínea e os veículos viajam no mesmo sentido;
b) a estrada é rectilínea e os veículos viajam em sentidos opostos;
c) os veículos passam num cruzamento de estradas perpendiculares.

34. Um piloto conduz um avião à velocidade de 300 ℎ' em relação ao ar e


pretende chegar a uma localidade situada a 800  a Noroeste do ponto de partida.
Durante todo o trajecto sopra vento de Leste com velocidade de 60 ℎ'.
Determine:
a) a orientação que o avião teve de ter durante todo o trajecto;
b) a duração do trajecto.

35. Um barco que se desloca à velocidade de 8 ℎ' em relação à água está a subir
um rio, contra a corrente, cuja velocidade em relação à margem é de 3 ℎ'. Um
objecto caiu do barco e ficou a flutuar na água. O piloto deu conta do desaparecimento
do objecto 30 =ZG,[& depois, instante em que inverteu a marcha e foi recuperar o
objecto. Determine:
a) quanto tempo demorou o barco a ir desde o ponto de viragem até ao ponto em
que conseguiu recuperar o objecto perdido;
b) a distância percorrida pelo barco desde o ponto de viragem até encontrar o
objecto.

11
Capítulo 2. Cinemática

36. Um rapaz sentado num vagão aberto que se move na horizontal, com velocidade
constante de 4 & ' , lança uma bola de baixo para cima e vê-a mover-se na vertical. A
bola demora 0,8 & a atingir o ponto mais alto. Um homem parado fora do vagão
observa também o movimento da bola. Despreze os atritos e a resistência do ar.
a) Descreva a trajectória da bola, do ponto de vista do homem, desde o instante de
lançamento até atingir a altura máxima. Fundamente a sua resposta.
b) Determine a velocidade da bola em relação a cada um dos observadores, 1,1 &
após o lançamento.

12
Capítulo 3: Dinâmica

Utilize   9,81 & 

1. Na mecânica newtoniana uma partícula de massa m e velocidade /8 move-se de


acordo com a seguinte lei 18  . Mostre que, se  é constante e 18 é
<8
\2]
\^
perpendicular a /8, então a partícula move-se com velocidade constante.

2. Para um avião poder levantar voo tem de atingir a velocidade mínima de


350  ℎ' . Se o avião partir do repouso, calcule a força necessária para que possa
atingir esta velocidade ao fim de 2500 . Considere que a massa total do avião é
73500 .

B
3. Num jogo de cordas (ver figura), três pessoas puxam as cordas 18Y

que estão presas a um pneu. A pessoa ? exerce uma força de 18W

220 C, enquanto a pessoa @, por sua vez, exerce uma força de 45° N +
170 C. Calcule a força exercida por ) para que o pneu não se mova.

18`

4. A figura mostra um elástico preso a dois dentes de trás


exercendo tensão num dente da frente. O objectivo deste sistema 30° 30°
é aplicar uma força no dente da frente. Sabendo que, a tensão
exercida no elástico é 1,2 C, calcule a intensidade e direcção da
força exercida no dente da frente.

<8
_
40°
<8 e pelo fémur 18 
5. As forças exercidas pelo ligamento patelar _
Patela
estão representadas na figura. Sabendo que, a tensão tem uma a
intensidade de 1336 C, calcule a intensidade e a direcção da força 18 80°

exercida pelo fémur.

<8
_
Capítulo 3. Dinâmica

6. Num objecto, considerado como um ponto material, de massa 2 , estão aplicadas
as forças 18' = 2,0 ;̂ (C), 18 = −3,0 9̂ (C) e 18 = 5,0 9̂ − 6,0 ;̂ (C). Determine:
a) A resultante das forças aplicadas e o seu módulo.
b) A aceleração devida à acção da força resultante.

7. Um bloco de 8 , inicialmente em repouso sobre uma superfície horizontal é


empurrado por uma força horizontal constante de intensidade 2C. Determine:
a) a aceleração adquirida pelo bloco;
b) o intervalo de tempo em que a força deve actuar para que o corpo atinja a
velocidade de 5 & ' ;
c) a distância percorrida nesse intervalo de tempo.

8. Três blocos estão ligados por fios e assentes


numa superfície horizontal, sendo puxados por  18

uma força 18 de intensidade 144 C aplicada no '

bloco de massa  . Considerando a massa


' = 12 ,  = 2' e  = 3' , calcule a aceleração do sistema e as tensões
nos fios que ligam ' a  e  a  .

9. Os corpos ? e @, com massas respectivamente 18


iguais a 2  e 3 , estão apoiados numa
30° @
superfície sem atrito. Uma força oblíqua com uma ?
intensidade de 20 C é aplicada no corpo ?,
conforme mostra a figura ao lado. Determine a intensidade da força exercida pelo
corpo @ no corpo ?.

10. Um bloco de massa   15  está suspenso como mostra 30° 40°


a figura. Calcule a tensão nas cordas ?, @ e ). ? @

6
Capítulo 3. Dinâmica

11. Um bloco de massa   15  encontra-se sobre um plano inclinado de 30° em


relação à horizontal e está preso ao topo deste plano por uma corda.
a) Calcule a tensão na corda e a reacção normal do plano.
b) Suponha que a corda que suspende a massa m é cortada. Nestas condições,
calcule a aceleração do bloco.

12. Um bloco de massa '  6  está apoiado


num plano inclinado, fazendo um ângulo de 30°
'
com a horizontal. Um bloco de massa  = 4 
está ligado ao primeiro por uma corda que passa 
por uma roldana. Calcule a aceleração em cada
30°
bloco e a tensão na corda, desprezando a massa
da roldana e das cordas.

13. Prove que os corpos da figura se


movem com uma aceleração ' 
2# bcd e23 bcd f
 . N i
23 g2#
Considere que os corpos deslizam sem
atrito.

14. Uma corda passa por uma roldana (massa desprezável) e tem as suas
extremidades ligadas a dois corpos de massas   1,5  e h = 3,0 .
Determine a aceleração de cada corpo e a tensão na corda.

15. Um carro de massa Y  1  está preso a um


bloco de massa W = 0,5  por um fio, que passa Y

através de uma roldana, como mostra a figura.


Considerando a inexistência de atrito entre a corda
W
e a roldana, bem como entre o carro e a mesa,
calcule:
a) A aceleração do sistema carro-bloco.
b) A tensão no fio.

7
Capítulo 3. Dinâmica

16. No sistema mostrado na figura


'  300,  = 500  e 18 = 1,5 C.
Considerando desprezável o atrito, a massa
18
da roldana e a massa das cordas, calcule a 
'
aceleração do corpo de massa  .

17. Suponha que se faz uma experiência em Marte para determinar o valor da
aceleração da gravidade, j , naquele planeta. Em cada uma das extremidades de um
fio que passa por uma roldana fixa, sem atrito, suspendem-se duas massas iguais, de
20 , e sobre uma delas coloca-se uma sobrecarga de 2 . Depois desta extremidade
descer 2,0 , retira-se a sobrecarga e verifica-se que, a partir desse momento, a
mesma extremidade percorre 1,2  até embater no solo em 3,5 &. Represente as
forças num esquema e determine:
a) o valor que o experimentador obteve para j em Marte;
b) o valor da tensão no fio antes de retirar a sobrecarga.

18. Um homem de massa 72,0  coloca-se em cima de uma balança dinamómetro no


interior de um elevador. Partindo do repouso, o elevador começa a subir atingindo a
velocidade máxima de 1,2 & ' ao fim de 0,8 &. Nos 5,0 & seguintes, o elevador move-
se com velocidade constante. De seguida, o elevador irá sofrer uma aceleração
negativa durante 1,5 & até parar. Calcule o valor indicado pela balança dinamómetro
nas seguintes situações:
a) antes do início do movimento do elevador;
b) durante os primeiros 0,8 &;
c) durante o período em que o elevador viaja a velocidade constante;
d) durante o tempo em que o elevador está a perder velocidade.

19. Nos treinos de preparação de um voo interplanetário, um astronauta é metido


num elevador que pode acelerar uniformemente. Considere que a aceleração de
queda livre no planeta é 1⁄6 do valor da aceleração de queda livre na Terra.
a) Qual o valor de aceleração que deverá ser comunicado ao elevador, de modo a
que o astronauta tenha a sensação de estar na superfície do planeta?
b) Se a cabine do elevador tiver 50  de altura, qual o tempo máximo necessário
que o astronauta dispõe para fazer as suas experiências?

8
Capítulo 3. Dinâmica
8

20. O carro da figura move-se com aceleração   ⁄2 N


e o corpo que está pendurado no fio tem massa

 = 5 . Determine o ângulo α e a tensão no fio.

21. Qual é a força com que é necessário empurrar h'


o carro de massa h (ver figura) para que os
18 h
corpos de massas h' e h não se movimentem h

em relação ao carro de massa h? Despreze todos


os atritos, bem como as massas da roldana e do
fio que se pode considerar inextensível.

9
Capítulo 3. Dinâmica

Força de atrito

22. Um armário de massa 45  está apoiado no solo. Se o coeficiente de atrito


estático entre o armário e o solo for de 0,45, qual a força mínima necessária para o
armário se mover na horizontal?

23. Uma das formas de medir o coeficiente de atrito estático entre um corpo e uma
superfície é colocar o corpo sobre esta e incliná-la até que o objecto comece a
escorregar. O ângulo entre a superfície e a horizontal, imediatamente antes do corpo
começar a cair, é o ângulo crítico ak . Determine o coeficiente de atrito estático l em
função do ângulo crítico ak .

24. Uma grade de massa 35  assenta directamente no solo. Entre ambos existe um
coeficiente de atrito estático de 0,37.
a) Mostre que um homem, exercendo uma força na direcção horizontal de 100 C
não consegue fazer mover a grade.
b) Calcule a força mínima exercida na vertical na grade de modo a permitir o
movimento nas condições da alínea anterior.

25. O sistema indicado na figura está em equilíbrio 30°


10 
porém começa a deslizar quando uma massa
adicional é colocada sobre o objecto de 5 .
Calcule o coeficiente de atrito estático entre o bloco 5 
e o plano horizontal, que mantêm o sistema em
equilíbrio.

26. Considere o sistema representado na figura em


Y
que, a roldana não tem massa e o fio é inextensível.
Os corpos ? e @ têm massas respectivamente de
20  e 10 . Qual será o valor do coeficiente de
atrito estático máximo entre o corpo ? e a
superfície onde está assente para que, o sistema W
permaneça em equilíbrio?

10
Capítulo 3. Dinâmica

27. O corpo @ assenta sem atrito num plano horizontal, ?


como indica a figura. O coeficiente de atrito estático entre os @

corpos ? e @ é .
a) Qual a aceleração máxima do corpo ?? )

b) Qual é o valor máximo de ` que não provoca o


escorregamento entre ? e @?
c) Nas condições da alínea anterior, qual é o valor da tensão na corda que une @ e
)?

28. Um dinamómetro é usado para exercer uma força horizontal num bloco. O bloco
encontra-se em repouso no instante inicial. Considerando que o bloco tem uma massa
de 0,5  e, que os coeficientes de atrito estático e cinético são respectivamente
l = 0,8 e k = 0,6, represente graficamente a força de atrito em função da força
aplicada, para o intervalo 0 e 8 C.

/ (& ' )
29. Um corpo é lançado sobre uma
superfície plana e horizontal com uma 10
velocidade de 10 & ' . A velocidade
desse corpo varia com o tempo de acordo
com o gráfico mostrado à direita. Calcule
o coeficiente de atrito cinético entre o , (&)
corpo e a superfície. 5

30. Um homem puxa um trenó, com velocidade


constante, ao longo de um plano horizontal. O
coeficiente de atrito cinético entre o trenó e a neve é
de 0,1. A corda que puxa o trenó faz um ângulo de 40°
com a horizontal. Sabendo que a massa do trenó e das
crianças é 75 , determine a força exercida pelo 40°
plano sobre o trenó e a tensão na corda.

31. Um bloco de 2  está sobre um plano com inclinação igual a 30°. Sobre este bloco
actua uma força de intensidade de 20 C, paralela ao plano inclinado e dirigida para
cima. O coeficiente de atrito entre o bloco e o plano é de 0,3. Se o bloco se mover para
cima, qual a sua aceleração?

11
Capítulo 3. Dinâmica

32. Considere o sistema representado na @


figura, onde a massa do bloco ? é 4  e a do
bloco @ é 2 . O coeficiente de atrito ?
cinético no plano horizontal é de 0,5. 30°
Determine a tensão na corda e a aceleração
dos blocos.

33. Uma força horizontal de 150 C comprime um bloco, de 8  de


massa, contra uma parede vertical. Os coeficientes de atrito estático 18
?
e cinético entre o bloco e a parede são, respectivamente, 0,40 e
0,30.
a) Mostre que o bloco se move.
b) Determine o valor da aceleração do movimento.

34. Uma carruagem de 7,0  comprimento


move-se com uma aceleração 8 = 3,0 9̂ (&  ) 8
em relação à Terra. No interior desta, e a partir /8
V -
do ponto ? da sua plataforma horizontal, lança-
? @
se um corpo V, de massa 5,0 , com uma
velocidade inicial /8- = 6,0 9̂ (& ' ) em relação à carruagem. O coeficiente de atrito
entre as superfícies do corpo e da plataforma é 0,3.
a) Represente as forças a que está sujeito o corpo durante o movimento, no sentido
? → @, em relação ao referencial ligado à carruagem.
b) Qual a distância máxima atingida pelo corpo em relação ao ponto ?, no
referencial da carruagem?

35. Um carro com a massa de 1200  desloca-se numa estrada plana e entra numa
curva circular com 50  de raio. O coeficiente de atrito estático entre os pneus e o
alcatrão seco é 0,45. Qual o valor da velocidade máxima com que o automóvel poderá
descrever a curva?

36. Um comboio descreve uma curva sem relevê de tal forma que, o velocímetro
marca constantemente o valor de 72 ℎ' . Um passageiro verifica que, uma das
pegas suspensas está inclinada de 15° relativamente à vertical. Considerando que, a
curva é um arco de circunferência, qual será o raio da curva?

12
Capítulo 3. Dinâmica

37. O raio da trajectória descrita pelo centro de massa de um camião é igual a 20 . A


berma exterior está elevada de forma que, em corte, a estrada tem a inclinação de 7°
relativamente à horizontal (relevê). Determine o valor máximo da velocidade com que
o camião pode descrever a curva, quando:
a) o piso está coberto de uma fina camada de gelo;
b) o coeficiente de atrito entre os pneus e o solo é 0,20.

38. Uma curva foi planeada para que, um automóvel a consiga descrever, sem
derrapar mesmo que a superfície esteja coberta de gelo, desde que se desloque a
36 ℎ'. Considere que a curva tem 50  de raio.
a) Determine a inclinação lateral (relevê) que a estrada deverá ter.
b) Calcule o valor da velocidade máxima com que o carro pode descrever a curva,
com a inclinação calculada na alínea anterior, quando o coeficiente de atrito
estático entre o pneu e a estrada é 0,50.

13
Capítulo 3. Dinâmica

Força de restrição ao movimento


39. Um corpo de massa 200 , ligado à extremidade de uma
corda de 1,0  de comprimento, é posta a rodar num plano /8
vertical. Considerando a posição mais elevada da trajectória
>
(ver figura):
a) represente as forças que actuam no corpo;
b) determine a velocidade mínima que o corpo pode ter
nessa posição para a corda se manter esticada;
c) calcule a tensão da corda quando o corpo passa na posição mais elevada com
uma velocidade dupla da velocidade mínima possível.

40. Uma esfera de massa 10  abandonada na ? n


periferia de ? de uma tigela semi-esférica, de 5 a

10  de raio, desliza com atrito desprezável no


interior da mesma como se indica na figura. @
a) Represente as forças que actuam na esfera )
ao passar na posição @.
b) Prove que a reacção a que está submetida a esfera, na posição @, é dada pela
]#
expressão A   4 .  cos a.

41. Num parque de diversões há uma roda gigante com


um raio de 30 , que gira com velocidade escalar
constante. Uma pessoa exerce sobre a cadeira onde vai
sentada uma força de 710 C quando passa no ponto
mais alto e uma força de 720 C quando passa no ponto
mais baixo. A cadeira é articulada para que a pessoa se
mantenha sempre sentada na posição normal.
a) Como explique a diferença entre os valores da
respectiva força?
b) Calcule a velocidade com que a roda gira.

14
Capítulo 3. Dinâmica

42. A figura ao lado mostra uma esfera de peso igual a 4,0 C


presa ao tecto por um cabo. Esta esfera descreve uma
trajectória circular num plano horizontal, com velocidade de a 1 
módulo constante. Sabendo que o cabo não suporta uma
tensão superior a 7,0 C, determine o módulo da velocidade
máxima que a esfera pode atingir sem que o cabo se rompa.

4,0 
43. Num parque de diversões, uma plataforma
giratória com 4,0  de diâmetro tem cadeiras
suspensas por intermédio de correntes com
2,5 
comprimento de 2,5 . Quando o sistema roda a
uma determinada velocidade, as correntes fazem 28°
um ângulo de 28° com a vertical. Determine:
a) a velocidade da cadeira;
b) a tensão numa corrente supondo que a massa
da cadeira é 10,0  e a massa da criança é
40,0 .

15
Capítulo 3. Dinâmica

Impulso e quantidade de movimento

44. Determine a posição do centro de massa do sistema Terra-Lua.


Dados: oU⁄p  386160 ; 5U = 6436 ; p = 0,0123  U

45. A estrutura de uma molécula de água pode ser


o
aproximada ao modelo simples representado na
105°
figura. Sabendo que, o  9,57 × 10'' , +
determine a posição do centro de massa da o
molécula.
Dados: " = 1 G. . ; r = 16 G. . 
Hidrogénio

46. Determine a posição do centro de massa do sistema constituído pelas massas


Y  2 , W = 5  e ` = 3  e que têm os seguintes vectores posição
58Y = −9̂ + 2;̂ + 3E (), 58W = 29̂ + E () e 58` = −4;̂ − 2E ().

47. Num determinado instante, o centro de massa de um sistema de duas partículas


está localizado em 58`j  3,09̂ () e tem a velocidade 6,0 ;̂ (& ' ). Uma das
partículas está na origem do sistema de eixos. A outra tem massa 0,10  e está em
repouso no eixo dos ++ em + = 12,0 . Determine:
a) a massa da partícula que se encontra na origem do sistema de eixos;
b) o momento linear total do sistema de partículas;
c) a velocidade da partícula que se encontra na origem do sistema de eixos;

48. Considere um sistema constituído por duas partículas. No instante inicial, uma das
partículas encontra-se no ponto 0, 0) () e a outra, de massa 0,6 , no ponto
(0, 12) (). No mesmo instante, o centro de massa do sistema de partículas é
58`j = 24;̂ () e tem uma velocidade /8`j = 6,  ;̂ (& ' ). Determine
a) a massa total do sistema;
b) a aceleração do centro de massa;
c) a força externa total que actua no sistema no instante ,  3,0 &.

16
Capítulo 3. Dinâmica

49. Um autocarro tem no seu interior cinquenta passageiros e move-se com uma
velocidade de 5,0 & '. Se dez passageiros saírem do autocarro e chegarem ao solo
com velocidade horizontal nula, qual a velocidade final do autocarro? Considere que, a
massa do autocarro é de 17500  e cada passageiro tem uma massa de 75 .

50. Um patinador ? que se encontrava parado junto de outro patinador @ empurrou-o


de tal modo que, ambos deslizaram sobre o gelo, em sentidos opostos. Sabendo que
Y  1,2 W , determine a razão entre as velocidades de ? e @.

51. Um astronauta com uma massa total igual a 90,0  está a trabalhar no exterior da
nave, que se desloca no espaço com velocidade constante de 0,13 & ' . O astronauta
distrai-se a observar a Terra e, quando se apercebe já está a 40,0 . Como não tem
cabo de ligação, para regressar à nave, o astronauta arremessou uma ferramenta para
o espaço, no sentido oposto à nave. A ferramenta tem 2,4  e foi atirada com uma
velocidade de 20,0 & ' . Quanto tempo demora o astronauta a atingir a nave?

52. Um homem de massa 60,0  encontra-se de pé na popa de um barco que tem


4,00  de comprimento e está em repouso. A proa do barco encontra-se a 1,20  da
margem. O homem desloca-se até à proa e, depois pára preparando-se para saltar
para a margem. Calcule a que distância está o homem da margem, nesse instante.
Suponha que a massa do barco é 60,0  e o seu centro de massa está a 2,00  da
proa.

53. Uma plataforma de massa 500  e comprimento 5  desloca-se à velocidade de


2 & ' . Numa das suas extremidades encontra-se um homem de 70  de massa.
Num determinado instante, o homem começa a mover-se para a extremidade oposta.
Qual o deslocamento do centro de massa do sistema relativamente a um observador
ligado à Terra?

54. Uma arma dispara um projéctil com uma velocidade de 450 & ' que forma um
ângulo de 60° com a horizontal. No ponto mais alto da trajectória, o projéctil explode
e divide-se em dois fragmentos de massas iguais. Um dos fragmentos cai
verticalmente, com velocidade horizontal nula. A que distância da arma irá cair o outro
fragmento?

17
Capítulo 3. Dinâmica

55. Considere uma reacção de fusão, na qual dois núcleos de deutério se combinam
originando um núcleo de hélio. Um dos núcleos de deutério move-se segundo o eixo
dos ++ com velocidade de 2,0 × 10 & ' . O núcleo de hélio formado foi detectado
movendo-se com velocidade 0,24 × 10 & ' , numa direcção que fazia um ângulo de
27° com o eixo dos ++. Determine a velocidade do outro núcleo de deutério.

56. Um pêndulo em repouso, de massa 1,5 , é atingido por uma bala, de massa 5 
e velocidade 700 & ' . Calcule a altura a que o pêndulo sobe sabendo que, a bala
ficou alojada no pêndulo?

57. Uma bala de 15  é disparada, horizontalmente, com uma velocidade de 30 & '
sobre uma laranja de 200 . A laranja encontrava-se suspensa de um fio de
cumprimento 1 . Sabendo que a velocidade da bala depois de atravessar a laranja
era 5 & ' , determine o ângulo que o fio faz com a vertical, quando a laranja atinge a
altura máxima.

58. Dois veículos ? e @ de massas Y  1600  e W = 2800  deslocam-se


segundo direcções perpendiculares, com velocidades /Y = 40 ℎ' e
/W = 40 ℎ' , quando colidem. Sabendo que, os veículos seguem juntos após a
colisão e que ? se deslocava para Leste e @ para Norte, calcule:
a) a intensidade e a direcção da velocidade comum aos dois veículos após a colisão;
b) a energia gasta na colisão dos veículos;
c) o valor médio da força total exercida pelo conjunto dos dois veículos se este
embater numa parede sendo o tempo de contacto de 10 &.

59. Dois corpos ? e @, de igual massa, deslocam-se com velocidades 10 & ' e
5 & ' , respectivamente. Ao colidirem, o corpo ? sofre um impulso 8Y = −2,59̂ + ;̂ .
Sabendo que a massa dos corpos é 0,5 , determine:
a) as velocidades dos corpos após a colisão;
b) a percentagem de energia dissipada durante a colisão.

18
Capítulo 3. Dinâmica

60. Um projéctil V de pequenas V V /8 t


/8
dimensões e massa 60  é disparado M h
+
horizontalmente com uma
velocidade /8 contra o bloco h de massa 4,0 , inicialmente em repouso, sobre uma
superfície horizontal. O projéctil atravessa o bloco e sai dele com uma velocidade
]
/ t = . O bloco percorre 6,0  sobre a superfície até parar. O coeficiente de atrito

entre h e a superfície é 0,30. Determine, desprezando o intervalo de tempo em que o
projéctil esteve dentro do bloco:
a) a velocidade do bloco imediatamente após o projéctil o atravessar;
b) o momento linear do projéctil antes de atingir h.

61. Um corpo ? de massa 200  desloca-se


no plano inclinado Vu. Atinge a base do ?

plano (ponto u) 2,0 & após o início do @ /8Y V


/8W
movimento e, continua a mover-se no A
u
plano horizontal. No instante em que ? 3,4 
parte de V, um corpo @, de igual massa,
parte do ponto A, como mostra a figura. Os corpos ? e @ colidem no instante , t .
Sabendo que, as quantidades de movimento dos corpos ? e @ são, em unidades ,
8,0 × 10 ,, , < 2,0 &
TY (,) = J e TW (,) = 4 × 10 , 0 < , < , t .
[Z&,Z,w, 2,0 & < , < , t
a) Mostre que, a resultante das forças exteriores que actuam no sistema de
partículas é igual a h8`j , onde h e 8`j designam, respectivamente, a massa total
do sistema e a aceleração do centro de massa.
b) Calcule a aceleração do centro de massa do sistema para qualquer instante
pertencente ao intervalo H0, 2I &.
c) Localize o ponto onde se deu a colisão e calcule a distância entre ? e @ 1,0 & após
ter ocorrido.

19
Capítulo 3. Dinâmica

Equilíbrio do corpo rígido

62. Uma força 18  10 ;̂ (C) está aplicada no ponto de coordenadas (4, 1, 1.
Determine o momento desta força em relação:
a) à origem das coordenadas.
b) ao ponto 8, 0, 0.

76 
63. Um homem segura na mão um 28  23 
peso de 22 C. Calcule o momento
deste peso relativamente:
a) pulso;
18M
b) ao cotovelo;
c) ao ombro.

64. Uma pessoa empurra uma porta aplicando-lhe uma


força perpendicular à superfície de 3 C, como está )h
indicado na figura. Calcule os momentos dessa força em 2,5 

relação a cada uma das dobradiças da porta. 18

1,0 

65. Considere a barra ?) de comprimento 3  e peso desprezável.

1 = 3 C
? 1  2  )

1'  1C @
1 = 2 C

a) Verifique se, nas condições indicadas, a barra está em equilíbrio.


b) Se concluir que a barra não está em equilíbrio, determine em que ponto deveria
estar aplicada a força 18 para que se verificasse aquela situação.
c) Tomado a direcção ?) para eixo dos ++ e a direcção das forças para eixo dos BB,
determine o momento da força 18 em relação ao ponto @.

20
Capítulo 3. Dinâmica

66. Um homem de 80  anda sobre uma


ponte de madeira e pára a três quartos da
extremidade da ponte. A ponte é uniforme e
têm uma massa igual a 400 . Calcule os
módulos das forças exercidas pelos suportes
nas extremidades da ponte. x ⁄4

67. Um trabalhador segura na mão uma tábua,


18'
exercendo com uma mão uma força numa
extremidade e, com a outra mão exerce uma
força. Sabendo que a tábua é homogénea e tem
8
uma massa de 12 , calcule as intensidades das 30  1 2 
forças 18' e 18 .

68. Um homem de massa 60 , percorre uma 2,0 


prancha de 2 , tal como indica a figura. A prancha
está presa num dos extremos por um parafuso de
50 
tal forma que tem uma resistência de 1000 C.
Despreze a massa da tábua. Qual a distância máxima
a que o nadador pode afastar-se do parafuso, sem
que este se solte?
A<8

69. Na figura o comprimento da barra é de 3  e o seu


peso é de 200 C. Sabendo que o cabo não pode suportar
tensões superiores a 500 C e que  = 30  e a = 30°,
calcule:
a) a maior distância x onde se pode colocar o corpo h h a
por forma a que o cabo não rebente.
b) as componentes vertical e horizontal da força de +

reacção exercida na articulação da barra, supondo que


a massa h esteja localizada à distância calculada na alínea anterior.

21
Capítulo 3. Dinâmica

18' 18
70. A figura mostra as forças que actuam nos ossos do pé
quando um homem de 70  está na posição vertical. A 18
força 18' é exercida pelos músculos da perna no calcanhar e 80° a
18 é a força exercida pelo fémur na articulação. Supondo que y
cada perna suporta metade do peso, calcule:
a) a intensidade da força exercida pelos músculos da
perna 18' ;
4,5 
b) a intensidade e direcção da força exercida na
3 
articulação 18 .

71. A figura mostra um espeologista de 80  a


fazer rappel. Supondo que o centro de gravidade
30°
do homem está a 90  da parede conforme
mostra a figura, calcule:
a) a intensidade da tensão exercida na corda;
b) a intensidade e direcção da força exercida
pela parede nos pés do montanhista 90 
100 
espeologista.

72. Um limpador de janelas, de massa 75 , utiliza uma escada de 10  e


comprimento 5,0 . Ele coloca uma das extremidades da escada a 2,5  da parede e
apoia a extremidade superior numa janela. Ao subir 3  pela escada, a janela parte.
Desprezando o atrito entre a janela e a escada e supondo que a base da escada não
desliza, calcule:
a) a força exercida pela escada sobre a janela imediatamente antes de ela se
quebrar.
b) o módulo, a direcção e o sentido da força exercida pelo solo sobre a escada no
instante mencionado.

22
Capítulo 3. Dinâmica

Trabalho e energia

73. Um atleta levanta do solo um haltere de massa 120 , e


eleva-o a uma altura de 1,8 . Supondo que o haltere é
elevado a velocidade constante, calcule o trabalho realizado
pelo atleta para levantar o haltere.

74. Uma rapariga eleva do solo, a velocidade


constante, uma caixa de peso 40,0 C até à
prateleira como mostra a figura. A prateleira
encontra-se 1,5  acima do solo. Calcule:
1,5 
a) o trabalho realizado pela força exercida
pela rapariga;
b) o trabalho realizado pelo peso da caixa.

18
75. Um passageiro puxa a sua mala durante 15  30°
exercendo uma força de intensidade 25,0 C e com
uma direcção de 30° relativamente à horizontal.
Calcule o trabalho realizado pela força.

76. Uma caixa de massa 15  é puxada com velocidade constante, ao longo de uma
rampa até atingir uma altura de 2,5  acima do ponto de partida. A distância
percorrida pela caixa é 5,0 . Qual o trabalho realizado pela força?

77. Um bloco de massa 45  desliza ao longo de um plano inclinado com uma


inclinação de 30° e 1,0  de altura. Um operário empurra o bloco paralelamente ao
plano de modo que, este desliza com velocidade constante. O coeficiente de atrito
cinético entre o gelo e plano é 0,1. Determine o trabalho realizado pelo operário.

23
Capítulo 3. Dinâmica

78. Uma roldana móvel apoia-se numa outra fixa, como mostra a figura.
Um corpo de massa   30 é elevado, pelo sistema em causa, a uma
altura de 2 . Calcule o trabalho da força necessária para elevar o corpo
aquela altura. Compare com o trabalho necessário para o mesmo fim, sem
aplicar roldanas.

79. Um bloco de massa 5  é lançado com uma velocidade de 5 & ' ao longo de
um plano com uma inclinação de 30° relativamente à horizontal. Considere o
coeficiente de atrito cinético entre o plano e o corpo igual a 0,3.
a) Determine a aceleração a que o bloco fica sujeito durante a subida e caracterize o
tipo de movimento.
b) Utilizando o teorema da energia cinética, determine a distância percorrida pelo
corpo até ao ponto em que a velocidade é nula.

80. Um objecto de massa 100  desloca-se ? @


ao longo de um plano horizontal com atrito
e a sua velocidade passa de 8 & ' para
6 & ' num percurso de 5 , até atingir o 2 

ponto @, conforme mostra a figura.


Despreze o atrito do ar.
5  )
a) Utilize o teorema da energia cinética
para determinar o valor da força de atrito entre o objecto e a superfície horizontal;
b) Calcule a aceleração do corpo entre os pontos ? e @;
c) Determine, a partir da lei fundamental da dinâmica, o coeficiente de atrito entre
o objecto e o plano horizontal;
d) Desprezando o atrito do ar, determine a velocidade do corpo ao atingir o ponto
).

81. Um carregamento de tijolos com a massa de 420  é elevado a uma altura de


120 , em 5 minutos. Qual a potência do motor necessária para produzir este
trabalho?

24
Capítulo 3. Dinâmica

82. Um cabo puxa um elevador com uma velocidade constante de 1 & ' . Sabendo
que a potência transmitida pelo cabo é de 23 z, qual o valor da tensão no cabo?

83. Um brinquedo de massa 500  sobe


por uma calha, conforme mostra a figura.
Para atingir o ponto ), exerce-se uma 2,0 
força constante, no trajecto plano ?@.
Calcule a força mínima que se deve
exercer sobre o carro para atingir o ponto
?
). Considere desprezável o atrito e as 0,5 
@

dimensões do carro em comparação com o


tamanho do percurso.

84. Calcule a energia consumida, durante 10 ℎ, por um rádio (V = 2 z), uma lâmpada
(V = 60 z), uma televisão (V = 180 z) e, um aquecedor (V = 1500 z). Sabendo
que, o custo da electricidade é de 99 cêntimos por zℎ, determine o custo do
funcionamento de cada

25
Capítulo 4: Sólidos e fluidos

1. A primeira medida de pressão sanguínea foi feita em


1733 pelo Reverendo Stephen Hales e consistiu em
ligar um tubo de vidro vertical a uma artéria de um
cavalo usando a traqueia de um ganso como ligação
flexível. Assumindo que a pressão sanguínea num
cavalo é 80   e que a densidade do sangue é
1,050, calcule a altura a que sobe o sangue no tubo.

2. Num determinado dia, a pressão atmosférica equilibra uma coluna de mercúrio com
76  de altura. Qual o valor, em unidades )* e  da referida pressão? Considere
!"M = 13,6   .

3. Os membros da tripulação de um submarino tentam escapar do submarino que ficou


danificado a uma profundidade de 100  abaixo da superfície. Calcule a força que devem
exercer sobre uma janela de emergência de 0,6  por 1,2  para empurrá-la para fora.
Considere !áM|} \$ 2}4 = 1025  .

4. Considere um recipiente com dois líquidos ? e @ imiscíveis e de massas volúmicas


0,9   e 1,2  , respectivamente. Se a pressão atmosférica for 10~ C  ,
determine a pressão absoluta e a pressão manométrica no fundo do recipiente.

5. A razão entre a superfície maior e a superfície menor de um cilindro hidráulico é igual a


10 .
a) Aplicando uma força de 500 C na superfície menor, qual é o valor da força na outra
extremidade?
b) Formule o Princípio em que se baseou para o cálculo efectuado na alínea anterior.
Capítulo 4. Sólidos e Fluidos

18
18'
6. O dispositivo da figura contém água e está em 30°

equilíbrio devido às forças 18' e 18 que estão aplicadas

'
nos êmbolos de massa desprezável e cujas secções ?
são '  0,25  e  = 0,1 . A pressão
manométrica no ponto ? é de 500 C .
a) Determine o valor da força 18' ;
b) Calcule o valor de ℎ se 1  200 C.

7. Um tubo em forma de  contém mercúrio. Quando despejamos 11,2  de água no lado


direito do tubo, até que altura (a partir do nível inicial) o mercúrio subirá no lado esquerdo
do tubo?

8. Um tubo em  contém três líquidos imiscíveis oY  1; oW = 1,2; o` = 1,5). A superfície


livre nos dois ramos do tubo está no mesmo plano horizontal e a altura da coluna de líquido
@ é 5 . Determine a altura da coluna de líquido ?.

n
9. Um tubo em forma de U contém dois líquidos imiscíveis de
A
massas volúmicas !' e ! , em equilíbrio hidrostático. ℎ'
ℎ

a) Mostre que as alturas, ℎ' e ℎ , das colunas de líquido em !


@ )
 L
cada ramo, estão relacionadas por 3  L# .
# 3

b) Com água e azeite verificou-se que as alturas em cada !'

ramo são 5,4  e 6,0 . Determine a densidade do azeite.

10. Qual deve ser a massa volúmica de um fluido para que um corpo de massa volúmica
2,1   fique com 30% do seu volume emerso quando colocado nesse fluido?

11. Admita que se formou um icebergue em água doce. Qual a percentagem do volume
imerso do icebergue? Considere !Mlƒ$  0,88  .

32
Capítulo 4. Sólidos e Fluidos

12. Um corpo de magnésio cuja densidade é 1,74 encontra-se suspenso num dinamómetro.
Mergulha-se o corpo até que metade do seu volume fica imerso. O dinamómetro indica
agora metade do valor que indicava anteriormente. Determine a densidade do líquido.

13. Um rapaz de massa 80  flutua seguro a uma bóia, estando 80% do seu corpo
submerso em água. Sabendo que 16 o da bóia estão imersos na água e que a massa da
bóia é desprezável em relação à massa do rapaz, calcule:
a) o volume total do corpo do rapaz;
b) a densidade volúmica do corpo do rapaz.

14. Um cubo homogéneo de massa 44,8 , cuja aresta mede 4,0 , flutua com uma das
faces paralelas à superfície da água. Determine a distância entre a face inferior do cubo e a
superfície livre da água.

15. Um homem de massa 80  está de pé sobre um bloco de gelo de 2  de área,


flutuando em água doce. Qual é a menor espessura que pode ter o bloco, para que a face
que suporta o homem fique a rasar à superfície da água?
Considere oMlƒ$ = 0,92 e oáM|}  1,00.

16. Uma esfera de prata, de 200  de massa e 4,0  de diâmetro, possui uma cavidade
interior. Sabendo que, a densidade da prata é 10,5,
a) mostre que a esfera não é maciça;
b) determine o volume da cavidade.

17. Um bloco oco de alumínio, com um volume exterior de 120  , flutua na água,
apresentando imerso 9⁄10 do seu volume. As massas volúmicas do alumínio e da água são,
respectivamente, 2,7   e 1,0  . Determine o volume da cavidade do bloco.

33
Capítulo 4. Sólidos e Fluidos

18. O corpo ? da figura de 200  de massa está mergulhado em água e


preso numa mola de constante elástica 0,5 C'. A impulsão que a água
exerce no corpo é igual a 4⁄5 do seu peso.
a) Determine a massa volúmica de ?;
?
b) Calcule o volume do corpo;
c) Qual o alongamento que a mola fica sujeita?

20  60 
19. O sistema representado na figura está em equilíbrio. A barra ? @
?@ é homogénea e pesa 20 C. O corpo maciço ), de volume
igual a 0,5 o , está imerso num líquido de densidade 1,4 .
a) Represente as forças aplicadas à barra ?@; )
b) Calcule o valor da tensão do fio que sustenta );
c) Determine a densidade da substância de que é feito o corpo ).

20. O caudal de água que se está a escoar pelo tubo horizontal e de secção variável da figura
é tal que o recipiente, de forma cúbica e com 40  de aresta, se enche em 6,4 &. Suponha
o regime estacionário e o fluido não viscoso. Considere Y = 4 o, W = 2 o e
` = 1 o .
?
@
)

a) Qual é a velocidade do fluido em cada secção?


b) Justifique, com base no teorema de Bernoulli, em qual das secções a pressão é maior.
c) Qual a diferença de pressão entre as secções ? e @?

21. Um depósito cilíndrico de água (4  de diâmetro e 12  de altura) contém água até à


altura de 10 . Numa parede lateral, a 4  do fundo faz-se um orifício circular de 1  de
diâmetro. Determine a velocidade com que a água sai do orifício.
6,0 

22. A água doce atrás de uma barragem tem uma profundidade


igual a 15 . Um tubo horizontal de diâmetro igual a 4,0 
passa pela barragem a 6,0  abaixo da superfície da água. Uma 15 
rolha fecha a saída deste tubo.
a) Determine a força de atrito entre a rolha e a parede do tubo.
b) Calcule o volume de água removido do tanque durante 3 horas depois de retirarmos a
rolha.

34
Capítulo 4. Sólidos e Fluidos

23. Um tanque com 300  é construído aproveitando a inclinação do terreno a uma altura
de 5  da zona que se pretende regar. O tubo que transporta a água do tanque até ao
terreno tem uma secção recta de 100  . Considere TY = 10~ C e
!áM|}  1000 .
a) Qual a pressão máxima que o tubo fica sujeito, supondo que a abertura do tanque se
encontra na extremidade do tubo?
b) Quanto tempo é necessário para que a água do tanque se escoe totalmente através do
tubo? Despreze a velocidade com que a água desce no tanque.

24. Um medidor de Venturi tem um diâmetro de 25  no tubo e 12,5  no


estrangulamento. A pressão da água no tubo é de 0,54 , e no estrangulamento é de
0,41 ,. Determine o caudal.

24. O recipiente da figura, inicialmente vazio, vai ser cheio de água a uma taxa de
6 × 10~  & ' e a área da sua base é 400  . A tensão num fio pelo qual está suspenso
um corpo, representada a partir do instante em que o recipiente começa a encher, está
indicada no gráfico ao lado.
_ (C)

30
)
20


, (&)
0 80 90

a) Determine o valor de ℎ.
b) Qual o valor da impulsão máxima a que o corpo ) fica sujeita?
c) Qual o volume do corpo )?

35
Capítulo 5: Termodinâmica

Suponha que o calor específico não depende da temperatura nem da pressão.


1 > = 4,18 …; A = 8,314 …[> ' † '; áM|}  1 > ' °) ';
x‡ (áG  80 > '; † = 1,38 × 10 … † '

1. Os trilhos de aço, de comprimento 12 , de uma linha ferroviária foram colocados


quando a temperatura era de 10℃. Que espaço se deve deixar entre as secções do
trilho para que eles se toquem quando a temperatura for de 34℃? Considere
N}ç$ = 11 × 10 † ' .

2. Uma barra de alumínio é colocada num forno e verifica-se que ao fim de algum
tempo o seu comprimento aumentou de 1,0%. Sabendo que inicialmente se tinha
medido a barra a 15℃, determine a temperatura do forno. Considere
N}ƒ|2튋$ = 24 × 10 † '.

3. Uma montra de vidro tem 1,20  de comprimento e 2,00  de altura à


temperatura de 10℃. De quanto aumenta a sua área quando a temperatura sobe até
35℃? Considere N]‹\4$ = 9 × 10 † '.

4. Uma esfera de cobre 6,008  de raio repousa sobre um anel de zinco de 6,000 
de raio, estando o conjunto a 4℃. Considere Nk$Œ4l = 17 × 10 † ' e
N‹Šk$ = 26 × 10 † '.
a) A que temperatura é necessário aquecer o conjunto para que a esfera passe
através do anel?
b) Qual é o volume da esfera a essa temperatura?

5. Enche-se um frasco de vidro de 200  de capacidade com mercúrio a 20℃. Que
volume de mercúrio transborda quando a temperatura aumenta para 100℃? O
coeficiente de dilatação volumétrica do vidro é 1,2 × 10~ ℃' e o do mercúrio é
18 × 10~ ℃' .
Capítulo 5. Termodinâmica

6. Um furo circular num bidão de alumínio tem 2,725  de diâmetro a 0℃. Qual será
o seu diâmetro quando a temperatura aumentar para 100℃?
Considere N}ƒ|2튋$ = 24 × 10 † '.

7. Uma barra de metal de 30,0  de comprimento é dilatada de 0,75  quando a


sua temperatura sobe de 0℃ para 100℃. Outra barra de metal diferente, do mesmo
comprimento dilata de 0,045  sob as mesmas condições. Uma terceira também de
30,0  de comprimento é feita de dois pedaços dos metais mencionados e colocados
em linha e dilata-se de 0,065  entre 0℃ e 100℃. Determine o comprimento de
cada parte da barra composta.

8. A massa de uma proveta com álcool é 180  e com água é 200 . Sabendo que a
densidade do álcool é 0,8, determine:
a) A capacidade da proveta.
b) A massa da proveta.

9. Determine a temperatura final de uma mistura de 100  de água a 20℃ com 250 
de água a 50℃.

10. Quando adicionamos 75 > a uma amostra de 30  duma dada substância, a sua
temperatura aumenta de 25℃ para 45℃. Qual o calor específico da substância?

11. A energia solar pode ser aproveitada para aquecimento, ficando armazenada no
depósito da água. Uma habitação deve ser mantida a 25℃. Supondo que a água dos
depósitos está a 50℃, calcule o volume de água necessário para fornecer
1,0 × 10 > para produzir o aquecimento mencionado.

12. Num painel solar, a energia solar é absorvida em colectores. A radiação solar
penetra nestes através de uma abertura e aquece água que circula em tubos nos
colectores. Supondo uma eficiência de 20%, calcule a área do colector para aquecer
200 > de água, aumentando a sua temperatura de 20℃ para 40℃ em 1 hora? A
intensidade da radiação solar é de 700 z .

37
Capítulo 5. Termodinâmica

13. Uma caneca contém 130  de café quente, a uma temperatura de 80℃.
Mergulha-se no café um cubo de gelo de 12  a 0℃ para o arrefecer. De quanto
arrefece o café depois do gelo derreter? Considere k}‡é = áM|}  1 > ' ℃' ,
!k}‡é = !áM|}  1   e x‡ = 80 > '.

14. Calcule o calor necessário para derreter completamente 130  de prata que está
inicialmente a 15℃.
Considere para a prata:  = 0,0564 > ' † ' ; x‡ = 105 †… ' kJ; _‡ = 1235 †.

15. Os icebergues representam sérios riscos para a navegação. Considerando


!Mlƒ$  0,97  , calcule a quantidade de calor necessário para fundir 10% de um
iceberg cujo volume é 2 × 10~  .

16. Um bloco de gelo a 0℃, cuja massa inicial é de 50 , desliza ao longo de uma
superfície horizontal com uma velocidade inicial de 6 & ' e pára ao fim de 30 .
Calcule a massa de gelo derretido em consequência do atrito entre o bloco e a
superfície.

17. Utiliza-se uma resistência eléctrica para ferver 100  de água. Sabendo que a
resistência tem uma potência de 200 z, calcule o tempo necessário para ferver essa
quantidade de água cuja temperatura inicial é 23℃.

18. Para perfurar um bloco de cobre de 720  é necessário uma potência de 300 z
durante 180 &. Considere k$Œ4l = 386 … ' † ' .
a) Calcule o calor gerado durante o processo;
b) Supondo que 75% do calor gerado foi absorvido pelo bloco de cobre, calcule o
aumento de temperatura que este sofreu.

19. Uma placa de ferro de 2  de espessura tem uma área transversal de 5000 .
Um lado está a 150℃ e o outro a 140℃. Qual é a quantidade de calor que atravessa a
placa por segundo. Considere a condutividade do ferro  = 0,115 > & ' ' ℃' .

38
Capítulo 5. Termodinâmica

20. Uma placa de metal de 4  de espessura tem uma diferença de temperatura de


32℃ entre as duas faces. Esta placa transmite 200 > ℎ' através de uma área de
5  . Calcule a condutividade térmica em unidades do .

21. Determine a taxa de transferência de calor através das paredes de um frigorífico de


espessura 30  e área 4 . Considere a temperatura exterior igual a 25℃, a
temperatura interior igual a −5℃ e a condutividade térmica da parede
 = 0,01 z ' † '. Qual é a quantidade de calor que passa pela parede por hora?
Determine o gradiente térmico do isolador.

22. Determine o calor específico molar de um gás monoatómico:


a) a volume constante;
b) a pressão constante.

23. Uma mole de oxigénio (gás ideal) expande-se de um volume inicial de 12 o para
um volume final de 19 o, à temperatura de 37℃.
a) Qual o trabalho realizado nesta expansão?
b) Qual o trabalho realizado na compressão de 19 o para 12 o, à mesma
temperatura?

24. A temperatura de um gás ideal a uma pressão inicial T' e volume ' é aumentada a
volume constante até que T  2T'. O gás é então expandido isotermicamente até
que T = T', finalmente é comprimido a pressão constante até que  = '.
a) Esboce estas transformações num diagrama T.
b) Se o número de mole de gás é 2, T' = 2 V e ' = 4 , calcule o trabalho em
cada transformação.

T (V)

) @
30
25. Um sistema termodinâmico é levado do
estado inicial ? a outro @ e depois volta a ? 20

passando por ), isto é, ? → @ → ) → ?, como 10 ?


ilustra o seguinte diagrama T. Calcule o
 ( )
trabalho realizado pelo sistema durante o 1 2 3 4
referido ciclo.

39
Capítulo 5. Termodinâmica

26. Um sistema termodinâmico é levado de um


estado  para um estado 6 pela trajectória T (V)
 →  → 6, como mostra o diagrama T .Nesta  6
transformação é cedido ao sistema 80 … de calor e
este realiza um trabalho de 30 ….
a) Se o trabalho realizado pelo sistema na
transformação  → o → 6 for 10 …, calcule o  o

fluxo de calor nesta transformação.  ( )

b) O sistema é levado de 6 até  pelo caminho curvo. O trabalho realizado sobre o


sistema é 20 …. Qual a quantidade de calor absorvido ou libertado pelo sistema?

27. No gráfico da figura estão representados num


 (>)
diagrama , _) três estados ?, @ e ) de 0,5 [> de ? 1 @
um gás ideal. Estão ainda representadas três
transformações 1, 2, e 3 efectuadas entre esses 2
2
estados. No estado @, o gás encontra-se a 0℃ e a 5,6 )
1 ,.
_ (†)
a) Caracterize completamente o estado @ do gás.
b) Durante a transformação 2 a pressão aumenta, diminui ou mantém-se
constante? Justifique.
c) Determine o valor da pressão do gás no estado ?.

28. Cinco moles de gás ocupam o volume de 0,14  à pressão manométrica de


1,03 × 10~ V. Este gás é expandido a temperatura constante até à pressão
atmosférica, sofrendo então uma compressão, a pressão constante, até ao volume
inicial. Calcule o trabalho realizado pelo gás no conjunto daquelas transformações.

29. Uma mole de um gás ideal monoatómico expande-se de um volume 9,0 o para
um volume final de 10 o. Calcule o trabalho realizado sobre o gás, o calor absorvido
pelo gás e a variação de energia interna do gás, se:
a) a transformação é isobárica, sendo a temperatura inicial de 27℃;
b) a transformação é isotérmica ,  27℃).

40
Capítulo 5. Termodinâmica

30. Adicionaram-se 5 > a 2 × 10 [> de um determinado gás ideal. Em


consequência disso, o volume variou de 50 para 100  , mantendo-se a pressão do
gás no seu valor inicial de 1 , (1,01 × 10~ V)1 atm. Calcule:
a) a variação de energia interna do sistema;
b) o calor específico molar do gás a pressão constante;
c) o calor específico molar do gás, a volume constante.

31. Uma mole de oxigénio   1,40) expande-se de um volume de 12 o para


19 o, numa transformação adiabática. Considerando que a temperatura inicial é de
37℃, calcule a temperatura final do sistema.

32. Uma máquina térmica tem o rendimento de 15% e realiza 75 … de trabalho em


cada ciclo. Calcule a quantidade de calor recebida e a quantidade de calor rejeitada em
cada ciclo.

33. Uma mole de um gás monoatómico ideal, ocupando o volume de 10 > e à


temperatura de 300 †, é aquecido, a volume constante, até à temperatura de 600 †.
Posteriormente, expande-se a temperatura constante até à pressão inicial, e
comprime-se isobaricamente até ao volume inicial. Calcule a quantidade de calor
extraída à fonte quente, o trabalho realizado pelo sistema, e o seu rendimento,
durante um ciclo.

34. Um motor de automóvel, cujo rendimento é de 22% debita uma potência de


120  e trabalha a 5700 5T. Determine o trabalho realizado por ciclo, a quantidade
de calor extraída à fonte quente e a quantidade de calor cedida à fonte fria.
1  = 746 z.

35. Um inventor afirma ter descoberto uma máquina que, durante um certo intervalo
de tempo, absorve 110 h… de calor à temperatura de 415 †, rejeita 50 h… de calor a
uma temperatura de 212 † e realiza um trabalho de 16,7 zℎ. Será possível a
existência desta máquina?

41
Capítulo 5. Termodinâmica

36. Uma máquina de Carnot de rendimento 22% efectua trocas de calor entre dois
reservatórios cuja diferença de temperatura é de 75℃. Qual a temperatura de cada
um dos reservatórios?

37. Uma central térmica deve lançar o calor rejeitado na atmosfera a 17℃. Determine
o valor mínimo da temperatura da fonte quente, se o rendimento teórico máximo é de
20%

38. Um frigorífico tem um coeficiente de eficiência de   4,7 e retira calor a uma


fonte fria à taxa de 250 … por ciclo. Qual o trabalho por ciclo necessário para o
frigorífico trabalhar? Qual o calor cedido ao meio exterior?

39. Uma máquina frigorífica funciona reversivelmente entre 33℃ e −10℃.


a) Determine o valor da sua eficiência.
b) Qual o trabalho necessário para extrair 100 > da fonte fria?

40. Um aparelho de ar condicionado absorve 0,30 > de uma sala e cede 0,50 > à
atmosfera exterior em cada ciclo. A potência do aparelho é 250 z. determine:
a) A sua eficiência;
b) O tempo de um ciclo.

41. O interior de um frigorífico está a 4℃ e a capacidade calorífica do seu conteúdo é


50 … ℃'. O frigorífico encontra-se numa cozinha a 24℃. Qual deve ser a potência
mínima do motor para o frigorífico reduzir de 1℃ em cada minuto a temperatura do
seu interior.

42. Uma máquina de Carnot opera entre dois reservatórios, um à temperatura de


260 † e o outro a 320 †.
a) Qual o trabalho que ela pode fornecer, se o calor extraído ao reservatório quente
for de 500 …?
b) Trabalhando a máquina como um frigorífico, qual a energia que se terá que
fornecer para retirar um calor de 1000 … ao reservatório frio.

42
Capítulo 5. Termodinâmica

43. Considere a seguinte figura onde está representado T

um ciclo realizado por um gás monoatómico T' 6 


supostamente ideal. Supondo que, T'  2T- , ' = 2-,
T- = 1,01 × 10~ V e - = 0,0225  , calcule:
T- o
a) O trabalho realizado pela máquina térmica num 

ciclo; - '
b) O calor absorvido pelo gás nas transformações
 → 6 → ;
c) O rendimento da máquina;
d) Qual seria o rendimento da máquina caso se trata-se de uma máquina de Carnot
a trabalhar entre as temperaturas menos elevada e mais elevada representadas no
ciclo?

43

Você também pode gostar