Você está na página 1de 10

Proposta de teste de avaliação

Matemática A
11.O ANO DE ESCOLARIDADE

Duração: 90 minutos | Data:


Proposta de teste de avaliação

Caderno 1
(é permitido o uso de calculadora)

Na resposta aos itens de escolha múltipla, selecione a opção correta. Escreva, na folha de
respostas, o número do item e a letra que identificam a opção escolhida.

1. Considere, fixado um referencial cartesiano do espaço, uma pirâmide quadrangular


regular  ABCDV  .
V

D C

A B
Sabe-se que:

 os vértices A e B têm coordenadas  4,1, 0  e  2,5, 0  , respetivamente;

 o vértice D pertence ao eixo Oy ;

 o ponto E é o centro da base da pirâmide;

 o plano ABV é definido pela equação

4 x  2 y  5 z  18  0 ;

1.1. Determine as coordenadas do ponto D .

1.2. Mostre que o ponto E tem coordenadas 1 , 2, 0  .

1.3. Qual das seguintes condições define a reta EV ?

(A) x 1 y  2  z  0 (B) x 1 z  0

(C) x 1 y  2 (D) y 2 z 0

1.4. Determine as coordenadas do ponto V .

1.5. Determine um valor aproximado à décima do grau da amplitude do ângulo OBA , sendo
O a origem do referencial.

2
Proposta de teste de avaliação

2. De uma sucessão  un  em que todos os termos são negativos, sabe-se un  un 1  0 , qualquer

que seja n  ℕ .

Qual das afirmações seguintes é verdadeira?

(A) A sucessão  un  é uma progressão aritmética.

(B) A sucessão  un  tende para  .

(C)  un  é convergente.

(D)  un  é monótona decrescente.

3. Três termos consecutivos de uma progressão aritmética  an  são dados, para um determinado

valor de x , por 2 x  10 , x 2 e 10 x  8 .

3.1. Determine esses três termos.

3.2. Sabe-se que o décimo primeiro termo de  an  é igual a 100.

Determine o primeiro termo de  an  .

Fim do Caderno 1

COTAÇÕES (Caderno 1)

Item
Cotação (em pontos)
1.1. 1.2. 1.3. 1.4. 1.5. 2. 3.1. 3.2.
10 10 10 15 15 10 15 15 100

3
Proposta de teste de avaliação

Caderno 2
(não é permitido o uso de calculadora)

Na resposta aos itens de escolha múltipla, selecione a opção correta. Escreva, na folha de
respostas, o número do item e a letra que identificam a opção escolhida.

4. Na figura está representada, num plano munido de um referencial ortonormado, a circunferência

de centro C definida pela equação  x  3   y  1  13 .


2 2

D
B
O
C A x

Os pontos A , B e D , igualmente representados na figura, têm coordenadas 11 ,  2  ,  8 , 0 

e  5 , 2  , respetivamente.

4.1. Mostre que o ponto D pertence à circunferência.

4.2. Mostre qua a reta AB é tangente à circunferência no ponto D .

4.3. Seja  a inclinação, em radianos, da reta AB .

 5π 
cos      sin  π   
Determine o valor exato de  2  .
tan  π   

 π 2π 
5. Considere a função f de domínio  ,  definida por f  x   sin x .
6 3 
O contradomínio da função f é:

1 3 
(A)  ,  (B)  1 ,1
2 2 

1   3 
(C)  2 ,1 (D)  ,1
   2 

4
Proposta de teste de avaliação

6. Considere a sucessão  un  tal que u1  4  2un 1  un , para todo n  ℕ .

6.1. Justifique que  un  é uma progressão geométrica e determine uma expressão do

termo geral.

6.2. Mostre que, quaisquer que sejam m , n  ℕ , un  um  8 un  m .

6.3. Seja Sn a soma dos primeiros n termos de  un  .

O valor de lim S n é igual a:

(A) 2 (B) 4 (C) 8 (D) 

7. Na figura está representado um triângulo  ABC  .

Sabe-se que:
C
5
 AB  8
A 60º
 AC  5
8
 B AC  60º
B
Qual é o valor de BC ?

(A) 89 (B) 39 (C) 4, 4 (D) 7

Fim da prova

FORMULÁRIO

COTAÇÕES (Caderno 2)
Item
Cotação (em pontos)
4.1. 4.2. 4.3. 5. 6.1. 6.2. 6.3. 7.
15 15 15 10 10 15 10 10 100
TOTAL (Caderno 1 + Caderno 2) 200

5
Proposta de teste de avaliação

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO
Caderno 1
1. 1.1 A  4,1, 0  , B  2,5, 0  ,

D  0, y, 0 

AB  B  A   2,5, 0    4,1, 0    2, 4, 0 

AD  D  A   0, y, 0    4,1, 0    4, y  1, 0 

Como  ABCE  é um quadrado, vem AB  AD pelo que AB  AD  0

AB  AD  0   2, 4, 0    4, y  1, 0   0 

 2   4   4  y  1  0  8  4 y  4  0  4 y  4  y  1

D  0, 1, 0 

1.2. D  0, 1, 0  e B  2,5, 0  ;

E é o ponto médio de  DB  :

 0  2 1  5 0  0 
E , ,  , ou seja, E 1 , 2 , 0 
 2 2 2 

1.3. Os pontos A , B e D têm cota nula. Logo, a base da pirâmide está contida no plano de
equação z  0 , isto é, no plano xOy .

A reta EV é perpendicular ao plano xOy pelo que é paralela ao eixo Oz . Como esta

reta passa no ponto E 1, 2, 0  , pode ser definida pela condição x  1  y  2

Resposta: (C)

1.4. O ponto V é a interseção da reta EV , definida pela condição x  1  y  2 , com o

plano ABV .
Substituindo x por 1 e y por 2 na equação 4 x  2 y  5 z  18  0 que define o
plano ABV , obtemos:
4 1  2  2  5  z  18  0  4  4  5 z  18  0 
 5 z  10  z  2
Assim, o ponto V tem coordenadas 1, 2, 2  .

6
Proposta de teste de avaliação

1.5. BO  O  B   0, 0, 0    2,5, 0    2, 5, 0 

BA  A  B   4,1, 0    2,5, 0    2, 4, 0 

BO  BA
 
cos OBA  cos BO ɵ, BA    BO  BA


 2, 5,0    2, 4,0  
4  20

 2, 5,0    2, 4,0  4  25  0  4  16
16 16
 
29  20 580


Se cos OBA   16
580
então OBA  48, 4º .

2. Se  un  é uma sucessão de termos negativos, então un  0 , n  ℕ .

un  un 1  0 , n  ℕ  un 1  un , n  ℕ

Logo,  un  é estritamente crescente.

Se  un  é crescente e majorada então  un  é convergente.

Resposta: (C)

3.
3.1. Se 2 x  10 , x 2 e 10 x  8 são três termos consecutivos de uma progressão aritmética
então 10 x  8   x 2  x 2   2 x  10  .

10 x  8  x 2  x 2   2 x  10   10 x  8  x 2  x 2  2 x  10 
 x 2  x 2  2 x  10 x  10  8  0 

 2 x 2  12 x  18  0 
 x2  6 x  9  0 

  x  3  0  x  3
2

Para x  3 , 2 x  10  2  3  10  4
x 2  32  9
10 x  8  10  3  8  22
Os termos pedidos são 4 , 9 e 22 .

7
Proposta de teste de avaliação

3.2. a11  100 .

r  9   4   22  9  13

an  a1   n  1  r

a11  a1  11  1  13

100  a1  10  13  a1  100  130  a1  30

Caderno 2

 x  3   y  1  13
2 2
4. 4.1.

D 5 , 2

 5  3   2  1  13  22  32  13  4  9  13 (verdadeiro)
2 2

O ponto D  5 , 2  pertence à circunferência.

4.2. D  5 , 2  ; C  3 ,  1 é o centro da circunferência.

Seja P  x , y  um ponto da reta tangente à circunferência no ponto D

DP  CD  0

DP  P  D   x , y    5 , 2    x  5 , y  2 

CD  D  C   5 , 2    3 ,  1   2 , 3

DP  CD  0   x  5 , y  2    2 , 3  0 

 2  x  5  3  y  2   0 

 2 x  10  3 y  6  0 
 2 x  3 y  16  0
Uma equação da reta tangente à circunferência no ponto D é 2 x  3 y  16  0 .
Vejamos se os pontos A e B pertencem a esta reta.
A 11 ,  2  : 2  11  3   2   16  0  22  6  16  0  22  22  0 (verdadeiro)

B  8 , 0  : 2  8  3  0  16  0  16  16  0 (verdadeiro)

Como os pontos A e B pertencem a esta reta, podemos concluir que a reta AB é


tangente à circunferência no ponto D .

8
Proposta de teste de avaliação

2 16
4.3. 2 x  3 y  16  0  3 y  2 x  16  y   x 
3 3
2
O declive da reta AB é igual a  .
3
2
Se  é a inclinação da reta AB , então tan    , com 0    π , em radianos.
3
 5π   π 
cos      sin  π    cos  2π       sin   
 2    2  
tan  π     tan  

π 
cos      sin  
2   sin    sin   1
    sin 2  
tan  tan  tan 
Precisamos de determinar o valor de sin 2  .
2
1  2 1 4 1
1  tan 2    1      1  
cos 
2
 3  cos 
2
9 cos 2 
13 1 9
   cos 2  
9 cos 
2
13
9 4
sin 2   1  cos 2   1  
13 13
1 4  3 6
 sin 2       
tan  13  2  13

 π 2π  y
5. f  x   sin x e D f   , 
6 3  2π
1

3 π
1
6
2
π 2π 1
x   sin x  1 x
6 3 2
1 
Df   , 1
2 
Resposta: (C)

u1  4

6. 6.1. u1  4  2un 1  un , n  ℕ   1
un 1  2 un , n  ℕ

1
Portanto,  un  é uma progressão geométrica de razão r  e primeiro termo u1  4 .
2
n 1
1
Então, un  4    , n  ℕ .
2

9
Proposta de teste de avaliação

n 1
1
6.2. un  4    , n  ℕ
2
m 1
1
um  4    , m  ℕ
2
n 1 m 1
1 1
un  um  4    4  
2 2
n 1 m 1
1 1 1
 4 4      
2 2 2
n 1 m
1
 4 4  2 
2
 n  m  1
1
 8 4  
2
 8  un  m

 1 
n
1
n

 1    1  lim  
 1 rn  4  2    4  2   4 2 1 0  8
6.3. lim S n  lim  u1    lim
 
 
 1  r  1
1 1
 2  2

Resposta: (C)

7. Pelo teorema de Carnot, temos:


2
BC  82  52  2  8  5  cos 60º
2 1 C
BC  64  25  2  40 
2 5
2
BC  89  40 A 60º

2
BC  49 8

BC  7 B

Resposta: (D)

10