Você está na página 1de 3

Universidade Federal de Campina Grande

Centro de Tecnologia e Recursos Naturais


PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL E AMBIENTAL
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS NATURAIS
GEOTECNOLOGIAS APLICADAS
Professor: Iana Alexandra
Laboratório 03

Parte I – Instalando o QGIS


1. Descarregue o programa QGIS a partir do link indicado no site(http://qgis.org)

Parte II – Organizando seu computador antes de iniciar o projeto


2. Crie uma pasta no seu diretório raiz (C:/ ou D:/ ou E:, etc;) chamada “Geotec”.
3. Dentro da pasta c:/Geotec
4. Descompacte a pasta Lab03.zip disponibilizada pela disciplina (dropbox ou website) e verifique que algumas pastas
foram automaticamente criadas (shapes, docs).
5. Estes arquivos são referentes aos setores censitários dos anos 2000 e 2010 para a área urbana de Campina Grande e
foram previamente editados sendo alguns dados estatísticos adicionados aos mesmos.

Parte III–Adicionando os dados e visualizando possibilidades


6. Para adicionar as shapes ao Projeto:

- Com a vista aberta clique no botão (adicionar camada vetorial). Clique em “Buscar”. Vá até a pasta onde seus
arquivos foram descompactados. No canto inferior esquerdo, ao invés da visualização de “todos os arquivos” selecione
a visualização apenas dos arquivos “Shapefiles (*.shp, *.SHP). Desta forma você não corre risco de adicionar um
arquivo errado ao seu projeto. Escolha o arquivo referente ao Censo 2010 (BasicoCG_2010.shp) e adicione ao projeto
7. Para que todos os novos arquivos adicionados sejam reprojetados para o sistema de referência desta shapefile (que é
mais recente e já utiliza o Datum oficial atual SIRGAS2000), clique com o lado direito do mouse sobre este tema e
clique na opção Definir o SRC do Projeto a partir da camada.
8. Adicione também a shape BasicoCG_2000.shp ao seu projeto.
9. Examine os arquivos tanto nos seus aspectos gráficos/espaciais quanto nos seus aspectos descritivos (atributos):
- Arraste os temas alternando quem fica visível segundo a prioridade de exibição e observe as diferenças entre os dois
censos.
- Com o lado direito do mouse clique em abrir tabela de atributos e observe que ao final da tabela há duas variáveis dos
censos adicionadas a cada shapefile. As variáveis foram adicionadas a partir da tabela “BÁSICO_UF” utilizando
ferramentas de junção/união de tabelas aos polígonos dos setores censitários.

Censo 2000 Censo 2010 Descrição


Var06 V005 Rendimento médio nominal
Var13 V003 Número médio de moradores por
domicílio

- A descrição detalhada de cada variável censitária pode ser encontrada nos documentos que acompanham os dados
no site do IBGE (metadados).
10. Para visualizar melhor a localização dos setores censitários vamos instalar um complemento (plug-in) que acompanha
a instalação básica do QGIS. Clique no menu superior Complemento/Gerenciar e instalar complementos. Escolha na lista que
é apresentada “Openlayers plugin” e clique em Instalar complemento.
11. Após concluída a instalação, clique no menu superior web/OpenLayersPlugin/OpenStreetMap/OpenStreetMap. Um
“basemap” deve aparecer. Arraste seus temas de setores censitários para cima desta base e com o lado direito do
mouse, use a aba “estilo” para aplicar algum nível de transparência.
12. Visualize cada censo separadamente sobre o “basemap” para verificar a localização dos setores.

Parte IV–Criando mapas temáticos: nível de agregação por polígonos


13. Ligue apenas o tema referente ao Censo 2000. Com o lado direito do mouse clique em propriedades. A caixa de diálogo
Propriedades da camada será aberta.
14. Selecionada a propriedade Estilo, mude-o de Símbolo simples para Graduado.
15. Em Coluna escolha Var13. Em cor da declividade escola uma sequência de vermelhos. Em Classes escolha “4”.
16. Clique em Classifica e observe se as 4 classes apresentadas. Clique sobre cada intervalo no campo “valores” e crie classes
com intervalo especificado pelo usuário: 0-2; 2-3; 3-4; 4 acima (o maior valor possível na base de dados)
17. Clique em aplicar e visualize as cores aplicadas no mapa. Se a transparência estiver muito alta, diminua um pouco para
observar melhor.
18. Sem fechar a janela Propriedades da camada pode-se mudar cada uma das cores clicando nos retângulos equivalentes e
depois de realizada a alteração, clique no botão Aplicar.
19. Quando obtiver uma combinação de cores satisfatória faça um print screen e cole em um documento chamando de
Lab01_seunome.doc. Ao colar no documento, especifique um tamanho para a figura pois você deverá colar o mesmo
mapa para o censo 2010 (lado a lado) e eles precisam estar com a mesma escala para permitir comparações. Se possível,
corte a figura para que fique apenas o mapa (retirando os comandos do QGIS, etc).
20. Desligue o tema do Censo2000 e repita os mesmos procedimentos para o Censo 2010 (com a mesma cor, classes e
nível de transparência). Faça o print screen no seu documento e observe os mapas “lado a lado”. Perceba a dificuldade
de comparação destas informações por causa dos níveis de agregação completamente diferentes (setores censitários
diferentes para as duas datas).

2010 2000
21. Para repetir o mesmo procedimento para a variável relativa à renda da população, observe o valor do salário mínimo
à época da coleta destes dados (2000 e 2010):
- Salário Mínimo em 2000: R$151,00
- Salário Mínimo em 2010: R$510,00

22. Para tanto, ao repetir o procedimento e em “coluna”, clique no botão e escreva a relação algébrica correta:
- Para 2000: Var06/151
- Para 2010: V005/510
Escolha desta vez 5 classes e tons de verde (0-1;1-5;5-10;10-15;15-maior valor da base de dados)
23. Repita o procedimento para o censo 2010 e verifique a distribuição de renda especializada em 10 anos:
2000 2010
24. Responda no seu documento a seguinte pergunta: Qual a principal dificuldade ao comparar estes mapas?

Parte IV–Criando mapas temáticos: nível de agregação por polígonos


25. Vamos utilizar o estimador de densidade “Kernel” para possibilitar a criação de “hotspots” nos mapas, ou pontos
onde o fenômeno analisado ocorre com maior intensidade. Como é um estimador de densidade, o resultado é um
dado estimado por área. Sobre este assunto leia a documentação do plugin no link:
https://docs.qgis.org/2.2/pt_BR/docs/user_manual/plugins/plugins_heatmap.html
26. Perceba neste documento que é necessário uma entrada de dados PONTUAL para a geração destes mapas. Vamos
inicialmente converter (transferir) os dados que estão agregados em polígonos para pontos para só então darmos início
à geração de superfícies.
27. Clique no menu superior Vetor/Geometrias/Centroide de Poligono. Para cada um dos temas gere uma shape de pontos
nomeando-as corretamente e salvando na sua pasta “shapes”:
- BasicoCG2000_pontos.shp
- BasicoCG2010_pontos.shp
28. Examine esta nova shapefile e perceba que todos os dados descritivos foram transferidos para os pontos.
29. Apenas com o tema de pontos de 2000 ligado, vamos gerar uma superfície kernel para a Var13. Com o lado direito do
mouse, clique em propriedades e escolha a aba “estilo”.
30. Selecione o tipo “mapa de calor”. Escolha inicialmente um raio de 400 metros. Para isso digite 400 escolha “unidades
do mapa”.
31. Selecione “ponderar pontos por” Var13 que é a variável que você quer especializar. Escolha a mesma tonalidade de cor
que escolheu para os polígonos e visualize o resultado. Aplique transparências para verificar o resultado sobre a cidade.
Modifique os raios testando raios de 600 e 800 metros e faça print screen de cada um dos resultados. Lembre-se que você
deverá colar ao lado de cada um o respectivo resultado para o ano de 2010 (V003)
32. Repita os mesmos procedimentos para os dados de Renda lembrando de dividir o valor do campo pelo valor do Salário
Mínimo da época (usando a mesma ferramenta do passo 22 que também aparece visível neste estilo e mapa)
33. Após finalizar todos os mapas para 2000. Repita os procedimentos para 2010. Ao final discuta quais os raios pareceram
mais adequados e quais as vantagens deste nível de agregação de dados por superfícies.
34. Na pasta “shapes”, estão outros arquivos também previamente editados com algumas variáveis dos censos adicionadas
às shapes. Experimente gerar mais mapas kernel para outras variáveis do censo e baseie a sua escolha na documentação do
IBGE também disponibilizada na pasta “docs”.
Divirta-se!!!