Você está na página 1de 4

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(ÍZA) DE

DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL DO BARREIRO - COMARCA DE


BELO HORIZONTE/MG

VÍTOR RODRIGUES PIMENTEL, brasileiro, solteiro,


advogado regularmente inscrito na OAB/MG sob o n. 150.694, bem como no CPF
sob o nº 097.818.156-55, domiciliado à Rua Flávio Marques Lisboa, n. 400 – sala 102,
bairro Barreiro, em Belo Horizonte/MG, CEP 30.640-050, e-mail
vitorrodriguespimentel@hotmail.com, vem, respeitosamente, à augusta presença de
Vossa Excelência, em causa própria, ajuizar:

AÇÃO DE EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL

face MARCOS BONZÃO LTDA., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no


CNPJ sob o n. 03.550.653/0001-32, sediada à Av General Carlos Guedes, n. 763,
bairro Planalto, em Belo Horizonte/MG, CEP: 31720-500, pelas razões de fato e de
direito a seguir expostas:

DOS FATOS

O Exequente é credor do executado na quantia de R$6.060,00


(seis mil e sessenta reais), valor já acrescido de juros de mora de 1% a.m. e correção
monetária, conforme demonstrativo do debito atualizado a seguir, tendo como fato
gerador negociação realizada entre o credor e o representante do devedor.

Referida negociação foi paga ao Exequente por meio de um


cheque n. 82, no valor de R$6.000,00, pré-datado para 22 de Fevereiro de 2018,
emitido pelo executado, titular da Conta Corrente 37095-9, na Agencia 3101-9 do
Banco Itaú.

Ocorre que o cheque fora apresentado no banco sacado para


regular pagamento, mas devolvido pelo motivo alínea 28, inexplicavelmente.

Portanto, referido cheque foi devolvido sem compensação, por


motivo de sustação efetuada pelo executado.

Em que pesem os esforços do Exequente na tentativa de um


acordo com o executado, para o devido pagamento do debito, restaram-se infrutíferas
todas as tentativas, assim, como não poderia deixar de ser, o Exequente amarga o
prejuízo causado pela inadimplência do executado, restando unicamente a
possibilidade de ressarcimento através da propositura da presente demanda.

DO DIREITO

O Juizado Especial Cível tem competência relativa para dirimir


esta causa, pois o título extrajudicial não ultrapassa 40 salários mínimos, no qual a
execução obedecerá ao disposto no Código de Processo Civil, no entanto, com as
modificações impostas ao procedimento executivo para se adequar ao Juizado Especial
Cível. (artigo 53 caput, da Lei 9.099/95) in verbis:

Art. 53. A execução de título executivo extrajudicial, no valor


de até quarenta salários mínimos, obedecerá ao disposto no
Código de Processo Civil, com as modificações introduzidas
por esta Lei.

O cheque é titulo de credito, que goza de presunção de liquidez,


certeza e exigibilidade, que por estas características e força da legislação, o coloca na
condição de titulo executivo extrajudicial, assim entendido pelo inciso I, do artigo 784
do Novo Código de Processo Civil:

Art. 784, NCPC – São títulos executivos extrajudiciais:


I – a letra de cambio, a nota promissória, a duplicata, a
debenture e o cheque.

O referido título extrajudicial foi apresentado em tempo hábil,


conforme se verifica na documentação anexa, estando em conformidade com o artigo
33 da Lei 7357\85:

Art. 33 da Lei 7.357\85 – O cheque deve ser apresentado para


pagamento, a contar do dia da emissão, no prazo de trinta (30)
dias, quando emitido no luar onde houver de ser pago; e de
sessenta (60) dias, quando emitido em outro luar do País ou no
exterior.

Com relação à qualidade de título executivo extrajudicial que


embasa a presente ação e seu prazo prescricional o referido cheque está perfeitamente
em conformidade com o disposto no artigo 59 da Lei 7.357\85.

Art. 59 da Lei 7.357\85 – Prescrevem em 6 (seis) meses,


contados do termino do prazo de apresentação, a ação que o
art. 47 desta Lei assegura ao portador.

Em cumprimento ao disposto no artigo 798, inciso I, alínea ‘b’


do Novo Código de Processo Civil, o Exequente apresenta o demonstrativo dos
débitos atualizados:
DOS PEDIDOS

Isto posto, requer:

a) A citação do executado, nos termos do artigo 18, inciso I, da


lei 9.099/95 c/c o artigo 829 do NCPC, para no prazo de 03 (três) dias, efetuar o
pagamento do debito de R$6.060,00, valor já acrescido de juros de mora de 1% a. m. e
correção monetária pelo índice INPC (IBGE), conforme cálculo supra;

b) Não sendo efetuado o pagamento da divida no prazo de 03


(três) dias, seja efetuada penhora online na conta corrente ou conta poupança do
executado através do convênio BACENJUD (art. 835 do NCPC), determinando o
bloqueio de valores suficientes para o pagamento da obrigação, em qualquer agência
do País, seguindo a ordem de preferência do artigo 835, inciso I do NCPC.
Preferencialmente nos dias 01 a 10 de cada mês;

c) Não encontrando valores em conta corrente ou poupança


para penhorar, que o senhor oficial de justiça proceda à imediata penhora e avaliação
de quantos bens bastem para garantir a execução nos termos do artigo 829, § 1º, do
NCP;

d) Caso o senhor oficial de Justiça, quando da penhora verificar a


ausência do rxecutado, ou que, o mesmo, encontra-se se ocultando, requer, desde já, a
dispensa da intimação da penhora nos termos do artigo 829, § 1º, do NCPC e seja
autorizado a proceder à descrição dos bens que guarnecem a sua residência, consoante
determina o artigo 845, § 1º do NCP;

e) Caso o senhor oficial de Justiça não encontre bens a serem


penhorados, seja o executado intimado para que proceda a indicação de bens passíveis
de penhora conforme dispõe o artigo 829 § 1º, do NCPC;

f) Havendo a indicação de bens a penhora por parte do


executado, requer a nomeação do Exequente como depositário dos bens, conforme
dispõe o artigo 840 do NCPC;

g) Ocorrendo a penhora de bens do executado, requer a sua


intimação para, querendo, ofereça embargos na audiência de conciliação conforme
preceitua o artigo 53, § 1º, da lei 9099/95, a ser determinada por este douto juízo;
h) A condenação do executado ao pagamento das custas
processuais e honorários advocatícios de sucumbência no importe de 20% do valor da
causa nos termos do artigo 395 do CC/2002 e do artigo 22 do EAOAB.

Roga, por fim, pela utilização de todos os meios de prova


admitidos.

Atribui-se à causa o valor de $6.060,00 (seis mil e sessenta reais).

Requer-se, por derradeiro, que todas as intimações sejam


publicadas exclusivamente em nome do advogado-Exequente VÍTOR
RODRIGUES PIMENTEL, inscrito na OAB/MG sob o n. 150.694, com
endereço na Rua Flávio Marques Lisboa, n. 400 – sala 102, nesta Capital, CEP 30640-
050, sob pena de nulidade.

Belo Horizonte/MG, 27 de Fevereiro de 2018.

VÍTOR RODRIGUES PIMENTEL


OAB/MG 150.694