Você está na página 1de 35

Definições e evolução

histórica da qualidade

Data:
1
Sumário
• Definição
• Premissas básicas
• No que consiste a Gestão da
Qualidade
• Principio norteadores da
qualidade
• Evolução histórica da qualidade
• As quatro eras da qualidade
• Bibliografia.
2
Definição

O conceito de Qualidade é definido de forma individual — a percepção


de quem analisa a qualidade pode ser diferente em relação aos
mesmos produtos ou serviços, em função das necessidades,
experiências e expectativas de cada um.

3
Premissas básicas
• A. Cliente define o que o produto • 1. Adequação ao uso;
deve fazer, deixando ao fornecedor
a determinação das especificações;

• 2. Aderência às
• B. Cliente especifica suas especificações (o cliente
necessidades precisamente; especifica o uso);

• C. Discussão e acordo entre • 3. Aderência às


fornecedores e cliente chegando a especificações acordadas
um entendimento. com o cliente.
4
Premissas básicas
A qualidade não gera custos! Ela os diminui.

Trabalhar com qualidade:


• Evita o desperdício de recursos;
• Geração de resíduos;
• Reduz o tempo de produção;
• Menos estresse e mais satisfação ao trabalhador.

5
Premissas básicas
• A qualidade total otimiza a energia de trabalho do recurso humano;

• Trabalhar com e pela qualidade melhora a produtividade das


empresas, e com isso, suas chances de lucro;

• A qualidade começa a acontecer antes que seja iniciada a produção


propriamente dita. A qualidade tem de ser planejada.

6
Premissas básicas
Implica
• Falar de qualidade é falar de ética
prevenção de erros nos
processos ! Premissas
da
qualidade Começa antes
da produção

Não gera
custos

7
Em que consiste a Gestão da Qualidade
• A qualidade precisa ser gerida adequadamente no contexto de uma
organização;

• Todos os níveis da empresa tem que estar envolvidos na Gestão da


qualidade;

• Efetivamente, a gestão da qualidade diz respeito a todas as pessoas


envolvidas em um processo.

8
Princípios norteadores da qualidade
• 1. Foco no cliente: organizações dependem de seus clientes e, portanto, é
recomendável que atendam às necessidades atuais e futuras do cliente, seus
requisitos e procurem exceder as expectativas;

• 2. Liderança: líderes estabelecem uma unidade de propósito e o rumo da


organização. Convém que eles criem e mantenham o ambiente interno, no qual
as pessoas possam ficar totalmente envolvidas no propósito de alcançar os
objetivos da organização;

9
Princípios norteadores da qualidade
• 3. Envolvimento de pessoas: pessoas de todos os níveis são a base de uma
organização e seu total envolvimento possibilita que as suas habilidades
sejam usadas para o benefício da organização;

• 4. Abordagem de processo: um resultado desejado é alcançado mais


eficientemente quando as atividades e os recursos relacionados são
gerenciados como um processo;

10
Princípios norteadores da qualidade

• 5. Abordagem de sistema para a gestão: identificar, entender e gerenciar


os processos inter-relacionados, como um sistema, contribui para a eficácia
e eficiência da organização no sentido de esta alcançar os seus objetivos;

• 6. Melhoria contínua: melhoria contínua do desempenho global da


organização deve ser um objetivo permanente da organização;

11
Princípios norteadores da qualidade

• 7. Tomada de decisão baseada em fatos: decisões eficazes são baseadas


na análise de dados e informações;

• 8. Benefícios mútuos nas relações com os fornecedores: uma organização


e seus fornecedores são interdependentes e uma relação de benefícios
mútuos aumenta a capacidade de ambos em agregar valor.

12
Evolução
histórica da
qualidade

13
Evolução da qualidade
• Até o século XVII:
• Qualidade centrada no artesão.

• Adquiria matéria prima;


• Projetava;
• Fabricava;
• Controlava a qualidade.

14
Evolução da qualidade
1900 a 1930: qualidade centrada
no inspetor
• Produção em massa;
• Inspeção 100%;
• Surgimento do inspetor ou do
departamento da qualidade;
• Responsabilidade única : separar
o inadequado;
• Atuação corretiva (espera-se a
inconformidade).

15
• O engenheiro e executivo Frederick W. Taylor
publicou os Princípios da Administração
Científica e G.S. Radford, com a publicação do
seu livro The Control of Quality in
Manufacturing, legitimaram a função do
inspetor conferindo a ele a responsabilidade
pela qualidade dos produtos.

16
Evolução da qualidade
• 1930 a 1950: Controle
estatístico da qualidade;
• Shewart: Controle de Processo
• Inicio da Tendência de controle
preventivo.
• Dodge e Roming: Técnicas de
inspeção por amostragem.
• Enfoque corretivo: substitui-se a
inspeção 100%

17
Evolução da qualidade
• 1950 a 1985: Requisitos de
garantia da qualidade.

• Incentivados pelo esforço bélico


na segunda Guerra Mundial.

• EUA: Procedimentos científicos


de inspeção Programas de
treinamento.

18
Evolução da qualidade
• 1954: Dr. Deming

• Identificar e reduzir as causas de


variações nos processos

19
Interação dos 3 aspectos da qualidade

Produto

Qualidade

Atendimento ao
Cliente
cliente( instrução
(expectativa e uso
de uso, assistencia
do produto)
técnica)

20
Juran: Planejamento da qualidade
• Surge a ASQC;
• Enfoque preventivo;
• Instituto Juran, uma das maiores
instituições voltadas ao estudo
da qualidade no mundo;
• Foi pioneiro na aplicação dos
conceitos de qualidade à gestão
empresarial

21
Juran: Planejamento da qualidade
• Qualidade deve ser planejada e seus custos apurados

• Custos da qualidade:
• Falha externa;
• Falha interna;
• Avaliação
• Prevenção.

22
Os principais significados de qualidade

Características do Produto Ausência de deficiências


que atendem às
necessidades do cliente.

23
A qualidade superior possibilita as
empresas:
• Aumentem a satisfação dos • Reduzam os índices de erros;
clientes; • Reduzam a repetição de
• Tornarem os produtos trabalhos e desperdício;
vendáveis; • Reduzam as falhas no uso e os
• Enfrentem a sua concorrência; custos de garantia;
• Aumentem sua participação no • Reduzam a insatisfação dos
mercado. clientes;
• Reduzir inspeções e testes.

24
A qualidade superior possibilita as
empresas:
• Obtenham receitas de vendas; • Reduzam o prazo de lançamento
• Garantem preços melhores; de novos produtos no mercado;
• O maior efeito é sobre as • Aumentam rendimentos e
vendas. capacidade;
• Melhorem o desempenho de
entrega;
• O maior efeito é sobre os
custos.

25
Trilogia Juran para a Qualidade
Planejamento • Identificar as necessidades dos clientes.
(considerar a qualidade desejada • Projetar produtos adequados a elas.
e projetar meios para alcança-la) • Planejar processos adequados aos produtos.

Controle de qualidade • Avaliar o desempenho real da qualidade.


(diagnosticar erros ou acertos no • Comparar o desempenho com as metas.
processo) • Propor mdidas corretivas, quando necessário.

Aperfeiçoamento • Determinar o que é necessario para melhorar continuamente a qualidade.


(propor patamares de qualidade • Definir projetos de melhoria e seus responsáveis.
cada vez mais altos) • Treinar, motivar e apoiar as equipes.

26
1954: Qualidade no Japão
• Iniciou um grande movimento
da qualidade no Japão

1954: levam CEP ao Japão

27
Karou Ishikawa

• Um dos grandes “tradutores “ das teorias norte- americanas para a


realidade da cultura japonesa.

• Ficou conhecido especialmente pela difusão dos círculos de controle


da qualidade (CCQ) e pela criação do diagrama de Ishikawa.

• Todos, na organização, podem (e devem) contribuir com a qualidade


e devem conhecer técnicas estatísticas básicas.

28
29
Feigenbaum
• Total quality management

• Passos:
• Estabelecimento de padrões;
• Avaliação de conformidade;
• Agir quando necessário;
• Planejar para o melhoramento.

30
TQC

• “O Controle Total da Qualidade é um sistema efetivo para integrar os


esforços dos vários grupos dentro de uma organização, no
desenvolvimento da qualidade, na manutenção da qualidade e no
melhoramento da qualidade, de maneira que habite marketing,
engenharia, produção e serviço om os melhores níveis econômicos
que permitam a a completa satisfação do cliente”.

31
Anos 80: Normas ISSO 9000
• Inglaterra
• País mais desenvolvido em
relação à normalização da
qualidade: BS-5750;
• As normas série ISO geradas por
necessidade de normas
internacionais da qualidade com
base na BS-5750

32
Garvin
• A qualidade considerada como
critério competitivo
• Ser melhor que a concorrência
nos aspectos da qualidade que o
cliente considera;
• 8 dimensões da qualidade

33
As quatro eras da qualidade

Era da inspeção Final do século XVIII e início do Qualidade com foco no produto
século XIX
Era do controle estatístico da Década de 1930 Qualidade com foco no processo
qualidade
Era da garantia da qualidade Durante a 2ª Guerra Mundial Qualidade com foco no sistema

Era da gestão da qualidade total Final da década de 70 Qualidade com foco no negócio

34
Bibliografia
• BARÇANTE, L. C. & CASTRO, G. C. Ouvindo a Voz do Cliente Interno, p. 9.
Rio de Janeiro: QualityMark, 1995.
• CAMPOS, Vicente Falconi. TQC: controle da qualidade total (no estilo
japonês). Belo Horizonte: FDG, 2004.
• CONTADOR,J.C. Gestão de operações. 2ª Ed.São Paulo: Edgard Blücher
Ltda.,1998.
• CORRÊA,H.L.;CORRÊA,C.A. Administração de produção e operações:
manufatura e serviços uma abordagem estratégica. São Paulo: Atlas, 2006;
• MOREIRA,D.A. Administração da produção e operações.São Paulo:
Pioneira, 2002;
• SLACK,N.; CHAMBERS,S.; JOHNSTON,R. Administração da produção. 2ª Ed.
São Paulo: Atlas, 2002

35

Você também pode gostar