Você está na página 1de 4

Desenho de um Motor Striling

CTeSP de Produção Aeronáutica


Projecto de Desenho Técnico
2016/2017

Prof(ª). Ricardo Cláudio

Março de 2017
Memória Descritiva

O motor striling foi inventado pelo escocês Robert Striling em 1816, auxiliado pelo seu irmão que era engenheiro.

O objetivo foi construir um mecanismo mais seguro em relação ao motor a vapor, pois eram constantes
as explosões trágicas ocorridas com as precárias caldeiras da época.

De forma muito simplificada o motor funciona com a diferença de temperatura, sendo que uma pequena
chama é suficiente para colocá-lo em funcionamento.

É uma máquina térmica que produz trabalho a partir do calor, operando ciclicamente.

No motor stirling, a transferência de calor é realizada somente por condução (da chama para o material
do cilindro da base). Não se verifica convecção uma vez que não há circulação do ar, este apenas contrai
e expande. Estes processos irão decorrer dentro do cilindro onde se encontra o êmbolo. Assim, quando
o ar aquece ocorre uma expansão, devido ao maior movimento das partículas, o que obriga o êmbolo a
subir; com esta expansão, devido à inexistência de aquecimento na parte superior do cilindro, o ar
arrefece e comprime, e, consequentemente, o êmbolo desce.

Irá ser utilizado apenas um reservatório térmico onde se proporcionará, ciclicamente, as diferenças de
temperatura. Irão, então, ocorrer as consecutivas expansões e contrações.

Alguns protótipos construídos pela empresa holandesa Philips nas décadas de 1950 e 1960 chegaram a
índices de 45%, superando facilmente os motores a gasolina, diesel e as máquinas a vapor.

Hoje em dia é basicamente usado em submarinos ou geradores de energia auxiliares para barcos de
maior porte.

Tem como vantagens o baixo ruido, é muito silencioso e com baixo nível de vibração, podemos ainda
usar este motor com praticamente todos os combustíveis, bastando apenas, como referido atrás, que se
gere uma diferença de temperatura entre as duas câmaras.

Baixo desgaste interno, baixo consumo de lubrificante e pouca manutenção, pode ainda ser empregado
na produção de eletricidade em locais onde há boa incidência solar, com a construção de parques repletos
de estruturas parabólicas ou mesmo em pequenas instalações residenciais, visando o consumo próprio.

Tem também algumas desvantagens associadas, das quais destacamos o alto custo de fabricação, além
da dificuldade em manter o gás confinado pressurizado no interior do motor considerando a existência
de peças móveis como os pistões nos cilindros, é necessário a adoção de eficientes trocadores de calor,
tanto para o aquecimento quanto para o arrefecimento do motor, somente nestas condições é possível
ter um motor altamente eficiente.

Existem 3 variantes deste motor: Alfa, com cilindros em V; Beta, com êmbolos coaxiais num mesmo
cilindro e Gama, com cilindros em linha.

Alfa Beta Gama


Projeto de Desenho Técnico
CTeSP de Produção Aeronáutica
2016/2017

Motor de Stirling

Estudantes
Carlos Martins,160264004
José Coelho, 160264019