Você está na página 1de 14

MAPA

CONCEITUAL
FILIPE RODRIGUES SANTOS LIMA 7º B
Os primeiros grupos humanos
Tanto na era
DEFICIÊNCIA Sem nenhum tipo Paleolítica
COMO de relato, talvez
DIFICULDADE por dificuldade de Quanto na
DE sobrevivência Neolítica
SOBREVIVÊNCIA

Para os Aonas, pessoas Aceitação, Fardo para a


cegas possuíam ligação direta respeito e tribo e Perigo
com espíritos do lago inclusão para o grupo

SOBREVIVÊNCIA Abandono e eliminação


A Deficiência sob a visão do
mundo antigo: Egípcios
 Sem Faziam parte da
discriminação sociedade

Respeito
Deficiências Doentes Idosos

Recebiam Tratamento, principalmente para


cegueira, devido a sua alta taxa de incidência
Gregos
Deficientes eram Eros - Deus do amor
representados até na
Homero
mitologia e tinham
espaço nas artes Fortuna – Deusa da fortuna

Platão: “Escondê-los-
ão num lugar interdito e
Sacrificados pelos oculto, como convém.”
Espartanos
Prática defendida por
filósofos Aristóteles: “Precisa
Abandonados em existir uma lei que
outras cidades gregas proíba nutrir toda
criança disforme”
Romanos
Lei que reconhecia os
direitos daqueles
Acreditavam na nascidos na Aqueles
possibilidade de “forma humana” nascidos com
nascer com deformidades
configuração “É permitido ao pai externas
animal matar o filho que também não
(híbridos) e nasceu disforme, teriam o direito
estes não teriam mediante o julgamento à vida
direito à vida de cinco vizinhos”

Moças salvas serviam como Abandono em cestas Moços salvos serviam como
esmoleiras ou prostitutas às margens do rio Tibre esmoleiros ou remadores
No Início do Cristianismo

Época de amor Condena morte de crianças Surge umas práticas


ao próximo devido deformações assistenciais

Surgimento de Hospitais e
Organizações de caridade ou de
assistência para pobres,
deficientes abandonados e
doentes graves/crônicos
Idade Média

Deficiência
como um Ainda assim,
“Castigo de haviam Hospital para
Deus” hospitais e cegos: “Hospice
abrigos para des Quinze-
doentes e Vingts”
Predominava o deficientes
abandono e
descriminação
Idade Moderna

Renascimento
Ainda com a
Hospitais e Tratamento para predominância
Abrigos mais a “loucura” mais da
Humanizados humanizado Mendicância

Descobertas e
tentativas de Criação de um
Tentativa de
tratamentos de Código de
Ensinar pessoas
deficientes Sinais por
com deficiência
Gerolamo
auditiva
Cardamo
Século XIX

Surgimento da
atenção
especializada às
pessoas com Visão da força
deficiência de trabalho de Criação do
pessoas com Braille
deficiência
Contra a visão
assistencialista
como caridade
Século XX

Mobilização Avanços Gerou ainda O tratado de


para a inserção interrompidos mais pessoas Versalhes
de pessoas com devido a 1ª mutilações e abordou o
deficiência na Guerra deficiências tratamento das
sociedade pessoas para o
mundo de
trabalho,
inclusive
Surge a primeira organização
aquelas com
para reabilitar pessoas com
deficiencias
deficiência (SEAD)
Seculo XX: Segunda Guerra
Mundial
Eugenia pré e
durante guerra

Eutanásia de doentes
incuráveis, idosos, deficientes
físicos e mentais

Fim do programa de
Eutanásia em 1941, mas
persistência das execuções
até o final da guerra
Declaração Universal dos Direitos Humanos
e Documentos Internacionais voltados às
pessoas com deficiência
Surgimento da Declaração dos
Surgimento da ONU em 1945 direitos das pessoas com
retardo mental em 1971 e das
Deficiente visto como inválido, pessoas deficientes de 1975
mas merecedor de inclusão
social Declaração do Ano internacional
das pessoas deficientes de
1981
Mas ainda havia muita exclusão
de pessoas com deficiências
Brasil

Constituição de 1934 – Cria serviços Deficiente visto


para amparar deficientes
sob a luz do
Emenda nº 12 à constituição de 1967
princípio da
que se vê uma evolução aos direitos dignidade humana
das pessoas com deficiência

O verdadeiro marco foi a constituição Lei nº 7.853/89 cria a Coordenadoria


de 1988 que assegura dispositivos de Nacional para Integração da Pessoa
proteção a pessoas com deficiência Portadora de Deficiencia
Convenção Internacional dos Direitos
Das Pessoas Com Deficiência

Em 2009 é aprovada a Convenção


Internacional Sobre os Direitos das
Pessoas com Deficiência

Reconhece o pleno direito das pessoas


com deficiência de se integrarem na
sociedade de forma autônoma e
respeitosa

Interesses relacionados