Você está na página 1de 32

Semana de Mordomia Cristã 1

Sumário
1 - O tempo do fim - Mateus 24: 1 a 3____________________ 4
2 - A Igreja nos Últimos Dias - Mateus 24: 4 - 14__________ 6
3 - Não olhe para trás - Mateus 24: 15 a 20 _______________ 8
4 - Um Tempo de Angústia - Mateus 24: 21 a 31 _________ 10
5 - Sempre vigilantes - Mateus 24:32 a 43 _______________ 12
6 - O dia pode ser hoje - Mateus 24: 45 a 51 _____________ 14
7 - Não ande na reserva - Mateus 25: 1 a 12 ______________ 16
8 - O mordomo fiel - Mateus 25: 14 a 26 ________________ 18
9 - De que lado você está? - Mateus 25: 31 - 34 ___________ 20
10 - A vida do cristão - Mateus 25: 35 - 46 _______________ 22
Perguntas sobre o dízimo __________________________ 24

União Central Brasileira

AP - APAC - APL - APO - APS - APSE - APSO - APV

2 Eventos Finais
Introdução

Bem-vindo ao estudo de Mateus 24 e 25. Vamos retornar ao ano 31 d.C.


Os discípulos estavam com Jesus olhando as magníficas construções do
templo reformado, mas ainda muito belo em Jerusalém, com mais de 150
mil m2. Ouro, pedras de mármore fabulosas, madeiras nobres. O prédio
original era, “de inexcedível beleza e inigualável esplendor era o régio edi-
fício que Salomão e seus homens erigiram a Deus e ao Seu culto… era
apropriado emblema da Igreja viva de Deus na Terra.” — PR, 36.
Nesse estudo, você verá que devemos ser peregrinos e não turistas dese-
jando usufruir de todas as atrações por onde passam. Nós não precisa-
mos experimentar todos os prazeres e luxos dessa Terra. “Queridos amigos,
lembrem que vocês são estrangeiros de passagem por este mundo. Peço,
portanto, que evitem as paixões carnais...” 1 Pedro 2: 11. Tenho dito ao meu
filho mais novo que há coisas neste mundo, que seria bom nem saber que
existem. Leve os membros da sua igreja a se perguntarem: “o que adianta
alguém ganhar o mundo inteiro, mas perder a vida verdadeira?” Marcos
8: 36. “... Portanto, durante o resto da vida de vocês aqui na terra tenham
respeito por Ele” 1 Pedro 1: 17. O objetivo principal desse estudo é ensi-
nar que: “nós somos cidadãos do céu e estamos esperando ansiosamente o
nosso Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que virá de lá” Filipenses 3: 20.
Você pode apresentar os temas em forma de “mesa redonda”. Além dis-
so, realize uma atividade interativa: convide os membros para escolherem,
cada dia, algumas perguntas sobre o dízimo que estão no final. Responda-
-as com clareza, para que tirem todas as suas dúvidas. Se houver pergunta
nova, que não esteja em nossa lista, envie para o Departamento de Mor-
domia Cristã da Associação que será prontamente respondida. Agradeço
Dante Vancine, Fabio Campos, Robson Aleixo, William Gaudiano, José
Coelho, Nelson Ferraz, Mauro Cardoso, Ivan Canhadas, Jefferson Casti-
lho, Cesar Reis e Josué de Castro, entre outros, pela colaboração.
Anexo a esse livro está um DVD. É o vídeo da história da Igreja Adventista
do Sétimo Dia, em 6 partes, com cerca de 9 minutos cada. Passe-os de do-
mingo a sexta. Mostre aos membros, que somos um movimento profético.
Temos doutrina bíblica, temos uma história e temos o projeto 1 + 1, convi-
dando pessoa por pessoa até, que todos sejam mordomos fiéis.

Pr. César Guandalini


“Perto está o Senhor” Fil. 4: 5

Semana de Mordomia Cristã 3


1 - O tempo do fim - Mateus 24: 1 a 3
1 Tendo Jesus saído do templo, ia-se retirando, quando se aproximaram dEle os seus
discípulos para lhe mostrar as construções do templo.
2 Ele, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui
pedra sobre pedra que não seja derribada.
3 No monte das Oliveiras, achava-se Jesus assentado, quando se aproximaram dEle
os discípulos, em particular, e lhe pediram: Dize-nos quando sucederão estas coisas
e que sinal haverá da tua vinda e da consumação do século.
Introdução
Em 1519 o explorador espanhol Hernán Cortez atracou na região do México. Com 600
homens em sua companhia, ele estava diante do maior desafio da sua vida: derrotar o
império asteca. Hernán disse aos seus soldados: “Todo homem que estiver acovardado,
embarque de volta para Cuba!” Como ninguém voltou, Cortez ordenou que todos os
navios fossem queimados, eliminando qualquer possibilidade de voltar, a conquista era
a única saída. Da mesma forma, vivemos um momento sem volta, vamos avançar para o
fim do mundo e precisamos queimar o que nos prende ao passado.

Perguntas
1. O que os discípulos queriam mostrar a Jesus? v 1
Os discípulos estavam maravilhados com as construções do templo, que eram gigantes,
após uma reforma que durou mais de 40 anos. Grandes prédios eram raros naquela épo-
ca. O templo “estava construído em mármore recoberto com lâminas de ouro e brilhava e
refulgia ao Sol de tal maneira que era difícil contemplá-lo… Os portais eram sustentados
por colunas de uma só peça de mármore. Tinham onze metros de altura... Encontraram-
-se pedras angulares nas esquinas… que pesam mais de 100 toneladas.” Barclay, 731.
2. Quais construções humanas mais lhe impressionam?
Muito se impressionam com a Torre Eifel, as Pirâmides antigas ou mesmo a Usina de
Itaipu. A própria música é uma bela construção humana. Mas, foi Deus que deu ao
homem o dom de inventar coisas (Êxodo 31:3) e com um propósito: “Quando Deus
abençoa Seus filhos, não é apenas por amor deles mesmos, mas do mundo. Quando nos
confere Seus dons, é para que os multipliquemos transmitindo-os a outros”. CBV, 102,
3. Por que Jesus respondeu daquela maneira? v 2
“Jesus sabia que o caminho da política de poder só pode terminar em um desastre. O ho-
mem e o país que recusam seguir o caminho de Deus se encaminham para o desastre, até
nas coisas materiais. O homem e o país que rejeitam o sonho de Deus verão destroçados
também seus próprios sonhos.” Barclay, 732.
4. Porque era importante para os discípulos saberem que aquilo seria derrubado?
Ele estava mostrando como era vão confiar nas construções humanas. “Havendo, pois,
de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade,

4 Eventos Finais
aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se
desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão?” 2 Pedro 3:11.
5. Para onde irão meus bens pouco antes da volta de Jesus?
Eles ficarão indisponíveis. “Na última grande batalha do conflito com Satanás, os que são
leais a Deus hão de ser privados de todo apoio terreno. Por se recusarem a violar-Lhe a
lei em obediência a poderes terrestres, ser-lhes-á proibido comprar ou vender.” DTN, 76.
6. Qual é o perigo de depositar sua confiança em bens materiais?
Uma pessoa materialista é alguém que tem como diretriz de vida a busca por bens e
acontecimentos de ordem material. De fato vivemos em um mundo físico. Nada de er-
rado em querer um carro, para se locomover, uma casa para morar, uma internet ou
um telefone para facilitar a vida cotidiana. O problema é se fascinar tanto com bens de
consumo e posses e acabar se hipnotizando. Essa hipnose provoca total afastamento de
Deus, levando ao egoísmo, apego exagerado e à ganância.
7. O que o termo “consumação do século” significa? v 3
“Os cristãos, após a morte e ressurreição de Jesus e a destruição de Jerusalém, começaram
a usar esse termo a fim de indicar a era imediatamente anterior à parousia ou segunda
vinda de Cristo.” Champlin, 556. “Em breve surgirá grande desordem entre as nações…
Estamos no início da crise dos séculos… Tempos tempestuosos nos aguardam. Porém,
não pronunciemos nenhuma palavra de desânimo ou descrença.” Revista EF, 5.
8. Como a sua comunhão com Deus auxilia na compreensão dos eventos finais?
A profecia não foi escrita para matar curiosidade do futuro. Ela apresenta a obra da salva-
ção e caminha com o evangelho. A oração e direção do Espírito Santo te levará a enten-
der as ações de Deus para salvar seus Filhos. A Igreja Adventista não é apenas evangélica,
ela é, na profecia, chamada por Jesus, para preparar um povo consagrado para Sua volta.
9. Como ser fiel nesse tempo do fim?
“Satanás é o senhor do materialismo. Mamon é apenas um apelido do Príncipe das Tre-
vas, o qual tem um interesse investido em saber se nós entendemos e obedecemos ou não
os mandamentos de Cristo sobre dinheiro e posses”. Alcorn, xv.
10. No que as pessoas se preocupam ao final da vida?
Na hora da morte ninguém reclama por não ter conseguido comprar mais um carro, nor-
malmente se queixa porque queria ter amado mais, ter perdoado mais, ter se relacionado
melhor com amigos e parentes. Ao final da vida vai importar o tipo de relacionamento
que você tem com Deus, “pois, mais importa servir a Deus...” (Atos 5:29).

Conclusão
Os discípulos não precisavam ficar preocupados com o tempo do fim. Deus cuidará dos
Seus filhos. Você pode confiar. Apenas siga as instruções dEle.

Semana de Mordomia Cristã 5


2 - A Igreja nos Últimos Dias - Mateus 24: 4 - 14
4 E ele lhes respondeu: Vede que ninguém vos engane.
5 Porque virão muitos em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo, e enganarão a muitos.
6 E, certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; vede, não vos assus-
teis, porque é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim.
7 Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes e
terremotos em vários lugares.
12 E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos.
13 Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo.
14 E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas
as nações. Então, virá o fim.
Introdução
Em 2004 um tsunami ocorreu no Oceano Índico e atingiu principalmente a Indonésia e
Tailândia, porém seus efeitos puderam ser sentidos também na Malásia, Sri Lanka, Índia
e até na Somália, totalizando 230 mil mortos. Um Tsunami é caracterizado por ondas
sucessivas de grandeza incomum que inundam as cidades carregando consigo toneladas
de destroços e, com isso, causam grande destruição. Mas, de todos os fenômenos naturais
um tsunami está entre os mais previsíveis. Muitos sinais antecedem a invasão das ondas:
o mar recua inconfundivelmente, o animais fogem da praia e os pássaros levantam voo
e não pousam. Dentre os avisos mais significativos, está o relato dos pescadores, porque
eles são os primeiros a perceber o comportamento incomum dos peixes e isso acontece
dias antes dos outros sinais. As autoridades da Tailândia não emitiram nenhum alerta da
onda gigante, porém todos os sinais puderam ser percebidos na praia. Jesus nos manda
antecipadamente sinais de Sua vinda. Fique atento.

Perguntas
1. Qual era o principal cuidado de Jesus ao responder os discípulos? v 4
Jesus não quer que seus discípulos sejam enganados. A segunda vinda será algo muito
importante, será o fim deste velho mundo. As profecias tem uma exatidão para não haver
dúvidas. “Há uma espantosa correspondência entre a ordem dos selos em Apocalipse 6 e
a ordem dos acontecimentos em Mateus 24” Moody, 117. (Selos: 1. Anticristo, 2. Con-
flitos armados, 3. Fomes, 4. Morte de parte da população, 5. Mártires).
2. Por que Jesus começa a resposta chamando atenção aos falsos cristos? v 5, 6, 7
“Jesus advertiu-nos contra a aceitação fácil dos cristos, porque as condições agitadas da
época levarão muitos a desejarem uma base palpável para sua fé e para sua vida. Um
homem como Simão, o Mago, por exemplo, muito atraía o povo, que ansiava pela es-
tabilidade e por um toque do sobrenatural. (Ver Atos 8:9-11). Três desses falsos cristos
são mencionados no livro de Atos: Teudas (5:36), Judas da Galiléia (5:37) e o egípcio
(21:28).” Champlin, 556.

6 Eventos Finais
3. Por que muitos serão enganados?
É perigoso confiar só em sinais. É seguro confiar na Bíblia e nos escritos inspirados: “...
o inimigo procurará desviar as pessoas da verdade, mas todos os que creem que o Senhor
tem falado por intermédio da irmã White e lhe tem dado uma mensagem estarão livres
dos muitos enganos que surgirão nestes últimos dias” Revista EF, 8.
4. Qual é o risco de olhar para a maldade das pessoas? v 12
“Esfriar vem do verbo que significa soprar a fim de arrefecer… Os sopros gélidos da
apostasia e da iniqüidade dos indivíduos… apagam as chamas do amor, esfriam as brasas,
e nada deixam senão cinzas frias.” Champlin, 559.
5. O que significa perseverar? v 13
Perseverar significa se manter em Jesus, fazendo aquilo que Ele manda. “A igreja mili-
tante não é a igreja triunfante, e a Terra não é o Céu. A igreja se compõe de homens e
mulheres falhos e imperfeitos, que são apenas alunos na escola de Cristo…” Revista EF,
9. Não olhe para os outros, olhe para Jesus.
6. Qual é o principal sinal da proximidade da volta de Jesus? v14
O grande sinal é o evangelho sendo apresentado em toda a Terra. O reino de Deus está
dentro de vós e vai onde você for. Fidelidade é pregar o evangelho em um mundo cético.
7. O que é dar testemunho às nações?
Primeiramente, mostre a mudança que Deus fez em você, para aqueles que vivem ao seu
redor. Além disso, seja fiel em suas ofertas. Pois, 60% fica na sua Igreja, 20% vai para a
associação aplicar no evangelismo das cidades vizinhas que mais precisam e 20% vai para
os campos missionários. “Essa questão de dar não é deixada ao impulso. Deus nos deu
instrução a esse respeito. Especificou os dízimos e ofertas como sendo a medida de nossa
obrigação. E Ele deseja que demos regular e sistematicamente. [...] Examine cada qual
suas rendas com regularidade, pois são todas uma bênção de Deus, e ponha de parte o
dízimo como um fundo separado, para ser sagradamente do Senhor. Em caso algum deve
ser esse fundo dedicado a qualquer outro uso; deve ser unicamente dedicado ao sustento
do ministério do evangelho. Depois de ser o dízimo posto à parte, sejam as dádivas e
ofertas proporcionais: ‘segundo a sua prosperidade’”. CM 50
8. Como isso se relaciona com seu testemunho pessoal?
Você deve dar de seus recursos e de seu tempo. Muitas coisas não são feitas coletivamen-
te, nem de forma institucionalizada. Reavivamento e reforma precisa acontecer individu-
almente. Testemunho é individual. Ofertar é com cada um. “Cristãos dão. Não há exce-
ção. Nem todos vão dar o mesmo, mas todos darão: cada um dará conforme decidiu em
seu coração’ (2 Coríntios 9:7) A triste estatística é que 40% dos que frequentam alguma
igreja dão nada e 20 a 30% dão quase nada... O ato de dar é se render para uma Pessoa
maior e uma agenda maior. “ Alcorn, 197.

Conclusão
Muitos missionários estão arriscando a vida e outros se sacrificaram para que o evan-
gelho avance. Persevere em oração por eles, persevere em suas ofertas. Persevere em seu
testemunho. “A verdade há de em breve triunfar gloriosamente, e todos quantos agora
escolhem ser coobreiros de Deus, com ela triunfarão.” CI, 65.

Semana de Mordomia Cristã 7


3 - Não olhe para trás - Mateus 24: 15 a 20
15 Quando, pois, virdes o abominável da desolação de que falou o profeta Daniel, no
lugar santo (quem lê entenda),
16 então, os que estiverem na Judéia fujam para os montes;
17 quem estiver sobre o eirado não desça a tirar de casa alguma coisa;
18 e quem estiver no campo não volte atrás para buscar a sua capa.
19 Ai das que estiverem grávidas e das que amamentarem naqueles dias!
20 Orai para que a vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado;
Introdução
Hans, um jovem adventista, soldado alemão, avançava com sua divisão rumo a Moscou.
A Segunda Grande Guerra alcançava o seu ponto mais agudo. Ao entrarem em um vi-
larejo, Hans foi encarregado de verificar as casas abandonadas. Em uma delas encontrou
um velho homem que vagarosamente juntava os seus pertences mais preciosos em uma
bolsa de couro. O alquebrado ancião agarrou-se a um velho livro. Hans se aproximou,
curioso de conhecer o livro que o idoso russo incluía em sua bagagem. Era uma Bíblia
e mesmo sem entender o idioma identificou o grifo em Apocalipse 14:6 a 12. Surpreso,
percebeu a mesma tinta vermelha marcando o texto em Mateus 24:14, apressadamente
o soldado adventista procurou grifos em Daniel 8:14 e seu coração bateu mais forte
quando encontrou a mesma marca em Êxodo 20:8. O soldado alemão viu as passagens
centrais da fé adventista, abraçou o ancião e oraram. Apenas com uma fé sólida você
poderá enfrentar o mundo em guerra.

Perguntas
1. O que deveriam fazer os que estavam na Judéia? v 16 e 17
Jesus aconselhou a fugir para os montes e não entrar na cidade. “O cerco de Jerusalém foi
um dos mais terríveis da história. Jerusalém era uma cidade difícil de ser tomada, porque
está localizada sobre uma colina e a defendiam fanáticos religiosos; de maneira que Tito
decidiu fazê-la render-se pela fome… 97.000 pessoas foram capturadas e convertidas em
escravos; 1.100.000 morreram.” Barclay, 732, 734. Tempos difíceis exigem ações extraor-
dinárias. Deviam deixar as coisas de casa para trás.
2. O que é atitude radical nos dias de hoje?
Exemplos: desligar a TV quando o programa está imoral, trocar a roupa quando não
está decente, restringir o whatsapp quando toma demais do seu tempo e controlar o
dinheiro para não ser desperdiçado. “Ao aprenderem todos a lição de render fielmente a
Deus o que Lhe é devido, Ele, por Sua providência, habilitará alguns a apresentar ofertas
riquíssimas. Habilitará outros a trazer ofertas menores; e as dádivas pequenas, como as
grandes, são-Lhe aceitáveis, se forem feitas tendo em vista a Sua glória.” PC, 217.
3. Qual é o perigo de nos ocuparmos com pequenas distrações? v. 18
Somos peregrinos e devemos manter o foco no mais importante. Jesus disse para aquelas
pessoas não buscarem a capa. A esposa de Ló não deveria nem olhar para trás em lamento

8 Eventos Finais
por deixar a cidade de Sodoma. Muitos vivem para trabalhar e comprar coisas. “O materia-
lismo não surgiu no século 20, nem com a revolução industrial, nem com o estabelecimento
do capitalismo ocidental. Materialismo existia no tempo de Cristo, mas não começou ali
também. A origem do materialismo foi no jardim do Éden, quando o primeiro homem e
mulher escolheram seguir seus apetites em vez de Deus.” Alcorn 31, 32.
4. Por que Jesus demonstra compaixão pelas grávidas? v 19
No ataque à Jerusalém seria preciso fugir às escondidas, passar a noite em florestas, correr
para salvar a vida. Isso seria extremamente difícil para as grávidas. No ano 70 dC a cidade
de Jerusalém foi cercada e destruída por exércitos romanos. Os cristãos sinceros puderam
escapar da cidade mas com muitas dificuldades ao longo do caminho. Assim, também no
tempo do fim, será difícil para as grávidas e mães de crianças de colo estarem fugindo de
perseguidores.
5. Por que Jesus pediu para orar sobre o sábado? v 20
Uma fuga no sábado seria algo inconveniente. Os discípulos estariam guardando o sába-
do e fazendo o culto nesse dia. “Em dia de sábado os portões das cidades eram fechados,
e isso seria tremendo obstáculo para a fuga de quem quer que fosse.” Champlin, 561.
6. O que fazer no sábado?
a) Levítico 23:32 – celebrar a chegada do dia do Senhor com um culto b) Lucas 4:16 – ir
à igreja. c) Atos 16:13 – ir a retiros espirituais; d) Atos 16:13 – passear em meio à natu-
reza. e) Mateus 12:12 – fazer o bem em favor do próximo. f ) Isaías 58:13-14 – direcionar
as conversa para os assuntos espirituais. g) Atos 16:13; 13:42-44 – orar e estudar a Bíblia.
7. O que não fazer no sábado?
a) Êxodo 20:10; João 5:17 – não realizar trabalho cotidiano, mas apenas obras em benefí-
cio do próximo; b) Neemias 10:31; 13:15-20 – não comprar, vender ou realizar qualquer
atividade comercial. c. Isaías 58:13 - Não buscar os próprios interesses.
8. Qual é a importância do sábado no tempo do fim?
“Em breve serão impostas as leis dominicais, e homens em posições de confiança ficarão
furiosos com o pequeno numero do povo de Deus que guarda os mandamentos… De-
vemos escolher obedecer antes a Deus do que os homens… É melhor passar necessidade
do que defraudar, melhor passar fome do que mentir”. Revista EF 11, 12.
9. Que outras reservas Deus fez além do tempo?
“Usa-se a mesma linguagem quanto ao sábado que se usa na lei do dízimo… De igual
maneira, o dízimo de nossas rendas “santo é ao Senhor”. O Novo Testamento não dá
novamente a lei do dízimo, como também não dá a do sábado; pois pressupõe a validade
de ambos.” CM 39, 40.

Conclusão
Jesus falou de acontecimentos na Judeia, mas tratou de princípios importantes para todos
os tempos. Ore por sua fidelidade, pois a eternidade está perto.

Semana de Mordomia Cristã 9


4 - Um Tempo de Angústia - Mateus 24: 21 a 31
21 porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o princípio do mundo até
agora não tem havido e nem haverá jamais.
27 Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até no ocidente, assim há
de ser a vinda do Filho do Homem.
29 Logo em seguida à tribulação daqueles dias, o sol escurecerá, a lua não dará a sua
claridade, as estrelas cairão do firmamento, e os poderes dos céus serão abalados.
30 Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; todos os povos da terra se
lamentarão e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e
muita glória.
31 E ele enviará os seus anjos, com grande clangor de trombeta, os quais reunirão os
seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus.
Introdução
Durante a Idade Média, na Europa, devido às guerras e invasões bárbaras, surgiram os
famosos castelos medievais. Construídos em pedras e em lugares altos, eles tinham gran-
des cômodos capazes de abrigar a população de uma vila inteira, além de espaço para
armazenamento de toneladas de alimentos e um complexo sistema de túneis subterrâ-
neos com rotas de fuga. A maioria construídos no século XI, eles impressionam pela sua
imponência. Embora sejam enormes, eram, em dias normais, ocupados por pouquíssimas
pessoas, mas diligentemente construídos por todos na vila em um período de dois a sete
anos. Assim, também se dá em nosso relacionamento diário com Deus e nosso preparo
para o futuro. Não precisamos das fortalezas em momentos de paz, mas são nestes mo-
mentos que devemos construí-las.

Perguntas
1. Quais seriam as tribulações que Jesus está se referindo? v 21
No ano 538 dC começou o período dos 1.260 anos da supremacia papal e a perseguição
apresentada em Daniel 7. “Da destruição de Jerusalém, passou Cristo rapidamente ao
maior evento, o último elo na cadeia da história terrestre — a vinda do Filho de Deus em
majestade e glória. Entre estes dois acontecimentos, jaziam abertos aos olhos de Cristo
longos séculos de trevas, séculos assinalados para sua igreja por sangue e lágrimas e ago-
nia.” DTN, 445.
2. Como o estilo de vida moderno causa um tipo de tribulação que atrapalha a fidelidade?
Em todos os tempos, ser fiel a Deus foi um desafio. Davi orava 7 vezes ao dia, Daniel
orava 3 vezes. A tribulação não é desculpa para ser fiel. Estar endividado, por exemplo,
não é desculpa para reter o dízimo. “Irmã White, acha que meu pai deve devolver o dízi-
mo? Recentemente teve grande prejuízo, e diz que logo que liquidar sua dívida, devolverá
o dízimo.” Perguntei: “Como considerais nossa obrigação para com Deus, que nos dá a
vida e a respiração?… Roubar-Lhe-íeis a parte que Ele nunca nos deu…?” CM 59.

10 Eventos Finais
3. Haverá outro tempo de angústia?
Ellen White, cita “um breve período..., enquanto Cristo está no santuário (celestial).
Nesse tempo, enquanto a obra da salvação está se encerrando, tribulações virão sobre a
Terra, e as nações ficarão iradas, embora contidas para não impedir a obra do terceiro
anjo… A única maneira pela qual os seres humanos poderão permanecer firmes no con-
flito é estar arraigados e firmados em Cristo.” Revista EF, 14.
4. Em que sentido Jesus virá como o relâmpago? v 27
“As pessoas poderão ver a Jesus ‘vindo sobre as nuvens’. Não haverá nada secreto nem
misterioso quanto ao retorno do Jesus. A ninguém terá que lhe dizer que retornou à terra
porque todos O verão (Apoc. 1:7). A descrição feita nesta passagem não deixa a possi-
bilidade de que haja um arrebatamento secreto, nenhuma vinda mística, nem de que se
cumpram outras falsas teorias elaboradas por pessoas piedosas… A gente terá que ver
Jesus ‘vindo sobre as nuvens do céu’… A segunda vinda de Jesus será um acontecimento
inconfundível. Todos saberão que está ocorrendo, sem que terei que dizer-lhe.” CBA.
5. Quais são os detalhes que Jesus dá com relação à Sua vinda? v 29
“… a perseguição papal terminou no ano de 1798. Para o final deste período o sol se
obscureceu. Em 19 de maio de 1780 o sol se obscureceu durante quase todo o dia em
uma grande seção da América do Norte. O assim chamado “dia escuro” foi o primeiro
dos sinais nos céus ordenado por Deus para indicar a iminência da volta de nosso Senhor.
Na noite do mesmo dia, em 19 de maio de 1780, a luz da lua esteve velada… em 13 de
novembro de 1833, ocorreu o que sem dúvida pode considerar-se como a maior chuva
de meteoros de toda a história.” CBA.
6. Qual será o sinal do Filho do Homem? v30
“O povo de Deus sabe ser esse o sinal do Filho do homem. Em solene silêncio fitam-na
enquanto se aproxima da Terra, mais e mais brilhante e gloriosa, até se tornar grande nu-
vem branca, mostrando na base uma glória semelhante ao fogo consumidor e encimada
pelo arco-íris do concerto.” GC 640. Por outro lado “o próprio Satanás personificará a
Cristo… fará parecer que Cristo veio… mas, num ponto haverá notável diferença. Sata-
nás afastará as pessoas da lei de Deus”. Revista EF, 15.
7. O que significa “reunir os escolhidos dos 4 ventos”? v31
A Igreja Adventista está em mais de 200 países e mantém milhares de missionários.
“Se nós soubéssemos corretamente que todas as coisas terrenas devem passar dentro de
pouco tempo, não colocaríamos nossos olhos e coração nelas tanto quanto o fazemos.”
Henry, 84. “Deus é o Criador da diversidade. Pessoas de toda tribo e nação e língua vão
adorar o Cordeiro juntos… O Céu será um maravilhoso lugar.” Alcorn, 115. Calcule sua
oferta missionária com seriedade. Você se alegrará em ver como ajudou o evangelismo.

Conclusão
Não se sinta desanimado, mesmo que o mal pareça aumentar. O desmoronamento com-
pleto dos valores morais não será um prelúdio da destruição, mas sim da recriação. Logo,
você verá seu anjo da guarda e verá Jesus face a face.

Semana de Mordomia Cristã 11


5 - Sempre vigilantes - Mateus 24:32 a 43
32 Aprendei, pois, a parábola da figueira: quando já os seus ramos se renovam e as
folhas brotam, sabeis que está próximo o verão.
33 Assim também vós: quando virdes todas estas coisas, sabei que está próximo, às
portas.
37 Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do Homem.
38 Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casavam
e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca,
39 e não o perceberam, senão quando veio o dilúvio e os levou a todos, assim será tam-
bém a vinda do Filho do Homem.
42 Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor.
43 Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria
e não deixaria que fosse arrombada a sua casa.
Introdução
Os caçadores e fazendeiros do Alasca desenvolveram um método de caçar lobos. Eles
mergulham uma navalha no sangue e deixam congelar na lâmina, depois repetem o pro-
cesso até que a lâmina desapareça completamente numa bola gelada. Os lobos são atraí-
dos pelo cheiro do sangue e lambem até que sua língua perca totalmente a sensibilidade
devido ao gelo. Sem perceber, o animal se corta e, anestesiado não percebe que o sangue
que está diante dele é seu até cair morto ao lado do cutelo. Os lobos morrem devido ao
gosto por algo que ele não consegue superar. Quando nossa fé não é suficiente para mu-
dar as nossas práticas, as nossas práticas vão arruinar a nossa fé.

Perguntas
1. Com o que Jesus está comparando a chegada do verão? v 32, 33
A figueira possui flores invisíveis. Os frutos da figueira nascem no início da primavera,
enquanto que as folhas aparecem somente no final da primavera. Quando os discípulos
vissem certos sinais eles deveriam saber que a vinda do Senhor estava próxima. Da mes-
ma maneira que a figueira anuncia o verão e o verão anuncia a colheita, assim também
estes sinais indicam a vinda de Jesus.
2. O que acontecia nos dias de Noé que distraiu o povo? v 37
“No relato antigo, Noé se preparou durante o tempo bom, para o dilúvio que viria de-
pois e quando este chegou, ele já estava preparado. Mas o resto da humanidade estava
perdida comendo, bebendo, casando-se e dando-se em casamento e o dilúvio tomou as
pessoas de surpresa e portanto desapareceram nele. Estes versículos nos advertem que
nunca devemos envolver-nos tanto no tempo em tal forma que esqueçamos a eternidade,
não devemos permitir jamais que nossa preocupação pelas coisas do mundo, por mais
necessárias que sejam, faça-nos esquecer por completo que há um Deus...” Barclay, 741.

12 Eventos Finais
3. O que significa “comiam, bebiam, casavam e se davam em casamento” v 38.
Significa desperdiçar a vida em glutonaria, alcoolismo, sexo e consumismo desenfreado.
A segunda vinda de Jesus virá de forma alarmante e repentina para aqueles que estão
submersos nas coisas materiais. “O Novo Testamento conta-nos que “ganância é idolatria
(Col 3:5). Qualquer coisa material que nós temos, inclusive dinheiro, ou é ferramenta
ou ídolo. Se nós falhamos em usá-lo como uma ferramenta para os propósitos desejados
por Deus ele se torna um ídolo... Materialismo consiste de duas coisas que Deus mais
detesta: idolatria e adultério.” Alcorn, 42, 43.
4. Por que Deus nos pede para devolvermos o dízimo?
Deus nos dá a vida e a respiração, e todas as bênçãos que desfrutamos. Como nossa obri-
gação para com Ele devolvemos o dízimo que é usado com o único propósito de fazer
Sua obra avançar, mantendo os servos no ministério. AE, 59. O ato de dizimar é uma
demonstração de adoração e reconhecimento do Criador. Expressa submissão e honesti-
dade. É um aprendizado de fidelidade que prepara para a vida eterna.
5. Onde o dízimo deve ser entregue?
No lugar onde você adora a Deus. Ali está a “Casa do Tesouro” que é, primeiramente, a
tesouraria da Igreja local, onde os recursos ficam temporariamente. Depois, seguirá para
a Associação 74%, União 9%, Divisão 9%, Conferência Geral 2% e para evangelismo nas
escolas, publicações, televisão e rádio 6%. Nestes escritórios, trabalham os Mordomos de
Deus, eleitos e avaliados pela Igreja, para estender a verdade a todas as partes do mundo.
OE, 455.
6. Qdo gasto meu dinheiro ou meu tempo em vaidades, estou vigiando? v 42
Gary Chapman escreveu o seguinte hino “Aonde quer que seja que escondes teu tesouro
/ Ali também está teu coração / Se aqui na Terra o esconderes ladrões podem roubá-lo
/ Ou podes escondê-lo lá no céu / Há um tesouro no final da jornada desta vida / Ele é
a razão do meu viver / Cristo é o tesouro: Ele é a razão pela qual eu vivo / Será o meu
tesouro té eu morrer.” Além disso, assistir um filme de violência ou gastar muito tempo
em redes sociais são exemplos de perda do foco para o Céu.
7. O que significa que “Jesus virá como ladrão”? v 43
Haverá um elemento surpresa. Fique sempre atento. “Estamos na época da sacudidura,
época em que cada coisa que pode ser abalada será. O Senhor não desculpará os que co-
nhecem a verdade, se não obedecerem a Seus mandamentos por palavra e ação.“ Revista
EF, 17. Existem homens dizendo ser cristo na Rússia (Vissarion), outro na Austrália
(Alan Miller) e outro em Uganda, esse último está preso. Um repórter perguntou como
pode dizer que é Cristo e ser pego roubando? Ele respondeu que Cristo disse que viria
como ladrão!... É cômico, mas a ignorância das profecias do fim surpreenderá muitos.

Conclusão
Especular sobre o momento da segunda vinda é uma blasfêmia. Não queira arrancar
um segredo que pertence a Deus. Seu dever é estar atento. “Por espaço de 120 anos Noé
tinha advertido aos antediluvianos que viria o dilúvio. Tinham tido ampla oportunidade
de saber ou de entender, mas… encerraram-se na escuridão da incredulidade”. CBA. Seu
dever é estar preparado para a sacudidura e para o fim.

Semana de Mordomia Cristã 13


6 - O dia pode ser hoje - Mateus 24: 45 a 51
45 Quem é, pois, o servo fiel e prudente, a quem o senhor confiou os seus conservos para
dar-lhes o sustento a seu tempo?
46 Bem-aventurado aquele servo a quem seu senhor, quando vier, achar fazendo assim.
47 Em verdade vos digo que lhe confiará todos os seus bens.
48 Mas, se aquele servo, sendo mau, disser consigo mesmo: Meu senhor demora-se,
49 e passar a espancar os seus companheiros e a comer e beber com ébrios,
50 virá o senhor daquele servo em dia em que não o espera e em hora que não sabe
51 e castigá-lo-á, lançando-lhe a sorte com os hipócritas; ali haverá choro e ranger de
dentes.
Introdução
Em 1958, a equipe de elite que pilotava os jatos da Guarda nacional dos Estados Unidos
fizeram várias manobras em um dia festivo. Ao formar uma imensa flor branca de fuma-
ça no céu de Ohio, o coronel Willians viu que o avião do colega John Ferrier estava ro-
dopiando sem controle e ia direto para uma pequena cidade chamada Fairborn. Ordenou
pelo rádio: “Salte, John! Saia daí!”. Havia tempo e espaço suficiente. John permaneceu
virando o avião para um local vazio e caiu sem matar mais ninguém. Dias depois do aci-
dente, a esposa de John, encontrou um cartão na carteira dele, escrito: “Sou o Terceiro”.
Essa frase simples descreve a vida - e a morte - daquele mordomo fiel. Para ele, Deus
estava em primeiro lugar; os outros, em segundo; e ele, em terceiro.

Perguntas
1. O que Deus está confiando aos Seus servos? v 45
Ele pediu para cuidarmos de gente. Pediu para lhes darmos uma mensagem: “Várias pes-
soas me escreveram, perguntando se a mensagem da justificação pela fé é a mensagem do
terceiro anjo, e tenho respondido: De fato, é a mensagem...” Revista EF 21. Servimos a
Deus senvindo os irmãos. Quem é que Deus entregou para você cuidar? Você irá prestar
contas. Não deixe que o lobo venha para ferir e nem para roubar.
2. Por que Deus precisa fidelidade e prudência em gente que cuida de gente?
“Esta parábola se aplica especialmente aos dirigentes religiosos e espirituais ‘da família
da fé’ (Gál. 6: 10; cf. F. 2: 19), cujo dever é suprir as necessidades de seus membros, e
quem, por preceito e por exemplo, devem dar testemunho de sua crença na pronta vinda
de Cristo.” CBA. “Todos os oficiais devem ser exemplo na questão de devolver um dízi-
mo fiel para a Igreja. Alguém que falhe em ser tal exemplo não deve ser eleito para um
cargo na Igreja”. Manual da Igreja, 140.
3. O que é sucesso para Deus, conseguir coisas ou cuidar de pessoas? v 46
Jesus recomentou juntar tesouros no céu, não em bancos. Como? Investindo no que vai
para o céu - que são as pessoas. (Fé e Finanças, 140). “Cada oportunidade de ajudar a
um irmão necessitado, ou de auxiliar a causa de Deus na disseminação da verdade, é uma
pérola que podeis de antemão enviar e pôr em depósito no banco celeste... Deus vos está

14 Eventos Finais
experimentando e provando. Ele vos tem outorgado Suas bênçãos com mão pródiga, e
agora observa a ver que emprego lhes estais dando...” SC, 169.
4. Quanto dos seus bens o Senhor quer confiar às suas criaturas? v 47
Ele quer confiar tudo. Aos fiéis Ele tem “riquezas eternas”. “Assim, se vocês não forem
dignos de confiança em lidar com as riquezas deste mundo ímpio, quem lhes confiará as
verdadeiras riquezas?” Lucas 16:11 (NVI).
5. O que Deus precisa ver em mim para me confiar mais dos Seus bens?
Sê fiel naquilo que ele já confiou. Dinheiro, recursos, dons, talentos. “Todos devem ser
ensinados a fazer pelo Mestre o que lhes estiver ao alcance; a devolver-Lhe segundo a
prosperidade que lhes tem dado. Ele reclama como Sua a décima parte de suas rendas,
sejam elas grandes ou pequenas; e aqueles que a retêm cometem roubo para com Ele, e
não podem esperar que Sua mão lhes dê prosperidade… Seus recursos são infinitos, e
Ele os emprega todos em cumprir Seus desígnios… Aquele que segue o plano de Deus
no pouco que lhe foi dado, receberá a mesma recompensa que aquele que oferta de sua
abundância.” OE 222.
7. Por que o sentimento de urgência da volta de Jesus nos ajuda a ser fiéis? v 48
Esse sentimento impede a mornidão e a acomodação espiritual, leva para mais perto da
Palavra de Deus, da oração e do senso de missão. “Firme é a promessa de Cristo. O tem-
po não tarda. Precisamos trabalhar, vigiar e aguardar o Senhor Jesus.” 1ME 56. Quem
não acredita na volta iminente do Senhor é um servo infiel. Todo homem sem Cristo
tende ao comodismo e se embriaga com as coisas desta vida.
6. Que atitude faz um servo se tornar um mau servo? v 49
O desrespeito com as coisas alheias e a má administração das coisas de Deus. O servo
mau mudou suas prioridades indicando onde estava o coração dele. “Pois onde estiver
o seu tesouro, aí também estará o seu coração” Mateus 6:21. “O que nós fazemos com o
nosso dinheiro não mente. É uma declaração ousada para Deus sobre o que nós valoriza-
mos… de acordo com Jesus, ele determina onde nosso coração vai”. Alcorn, 101.
8. Por que o Senhor pega o servo de surpresa? v 50
Porque ele age desonestamente quando está sozinho. Dizimar é questão de honestidade.
9. O que é ser hipócrita? v 51
Em grego significa um ator mascarado. Um ator gosta de palco, quer aparecer, o íntegro
faz o certo mesmo quando ninguém está olhando. Jesus disse “entra no seu quarto e ora”,
se faz jejum “lave o rosto”. O cristão de férias, dá testemunho, mesmo sem ter foto para
colocar na rede social. O futuro dos hipócritas será a perda total. Para os arrogantes Deus
não tem nada, para os humildes Deus tem tudo!

Conclusão
“O servo que cumpriu seu dever com fidelidade recebeu um cargo mais alto, e aquele que
fracassou em seu dever foi tratado com toda severidade... quando Cristo chegar, a melhor
ocupação na qual pode nos encontrar é no cumprimento de nosso dever.” Barclay, 742.

Semana de Mordomia Cristã 15


7 - Não ande na reserva - Mateus 25: 1 a 12
1 Então, o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpa-
das, saíram a encontrar-se com o noivo.
2 Cinco dentre elas eram loucas e cinco, prudentes.
3 As loucas, ao tomarem as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo;
4 no entanto, as prudentes, além das lâmpadas, levaram azeite nas vasilhas.
5 E, tardando o noivo, foram todas tomadas de sono e adormeceram.
6 Mas, à meia-noite, ouviu-se um grito: Eis o noivo! Saí ao seu encontro!
11 Mais tarde, chegaram as virgens loucas, clamando: Senhor, senhor, abre-nos a porta!
12 Mas ele respondeu: Em verdade vos digo que não vos conheço.
Introdução
Em 2005 o voo T1153 seguia da Itália para a Tunísia. O tempo era bom. O único detalhe
fora dos padrões era um aviso de baixa pressão de combustível que os pilotos entenderam
ser falha nos sensores. Em um pouco mais de uma hora de voo, os dois motores para-
ram e o avião perdeu a funcionalidade causando uma inevitável queda. Muitos acidentes
aéreos com vítimas fatais foram causados por falta de combustível, alguns deles caíram
a poucos quilômetros do local do pouso como ocorreu com o avião do time de futebol
Chapecoense na Colômbia. A regra de ouro da aviação também é válida para o nosso
preparo neste tempo final: deve haver óleo de reserva.

Perguntas
1. Que objetivo as virgens possuem? v 1
Entrar nas bodas, isso é o mesmo que ser salvo. Entrar nas bodas é ser recebido por Jesus
em Sua casa e estar de pé na Sua vinda. “A parábola das dez virgens de Mateus 25, ilustra
também a experiência do povo adventista... Aqui se faz referência à igreja que vive nos
últimos dias…“ GC, 393.
2. O que são as lâmpadas que elas tem na mão? v 1
As lâmpadas são a Palavra de Deus (Salmos 119:105). “Tão importante quanto a inter-
pretação do texto é a aplicação… Dessa maneira o conteúdo sai do passado e se torna
relevante hoje”. Apostila Primeiro Deus, 9. As loucas tinham só conhecimento.
3. Na prática, quantos grupos de cristãos existem? v 2
“Só pode haver duas classes. Cada grupo é assinalado distintamente, com o selo do Deus
vivo ou com o sinal da besta ou de sua imagem...O Selo do Deus vivo é colocado nos que
guardam com zelo o sábado do Senhor… nos que se assemelham a Cristo no caráter…
Ninguém recebeu até agora o sinal da besta. A observância do domingo não é ainda o
sinal da besta, e não será até que saia o decreto compelindo as pessos a adorar esse falso
sábado.” Revista EF 23, 24. Loucas e prudentes representam esses 2 grupos.

16 Eventos Finais
4. O que as prudentes tinham de diferente das loucas? v 3, 4
As prudentes tinham reserva de azeite, que simboliza o Espírito Santo, as loucas estavam
“destituídas do Espírito Santo. Sem o Espírito de Deus, de nada vale o conhecimento da
Palavra. A teoria da verdade não acompanhada do Espírito Santo, não pode vivificar a
mente, nem santificar o coração.” PJ, 223.
5. Como faço reserva de azeite hoje?
Você terá uma “reserva de azeite” quando se torna um mordomo, ao “abrir cada área da
vida para o relacionamento íntimo com Deus, permitindo fazer Sua vontade” FBM, 16.
“Ao aprender a ouvir a voz de Deus na Sua palavra, terá um encontro com Ele (visão),
compreenderá Sua obra por você (evangelho), entregará sua vida a Ele (senhorio) e Ele
lhe transformará (presença)”. Maxson.
6. Por que as virgens acabaram dormindo? v 5
“Tomadas de sono, neste caso, literalmente significa toscanejaram. Seus olhos ficaram
pesados. Isso indica o estágio inicial do sono… no verbo grego. A atitude do grupo in-
teiro de virgens, nesta parábola, parece ter sido totalmente inocente. Não eram hostis
para com o noivo; e nem disseram, a exemplo do servo iníquo: Meu senhor demora-se.”
Chaplin, 573. O ser humano está exausto. Mas, seja como a prudente mulher virtuosa
que, mesmo dormindo, têm as lâmpada acesas. “Ela percebe que o seu ganho é bom e sua
lâmpada não se apaga nem enquanto dorme” Provérbios 31:18.
7. O que fazer para se alegrar com a chegada do noivo? v6
Ser um mordomo fiel hoje. Viver pela fé (Hebreus 11: 6), ficar longe da profanação (2
Coríntios 7: 1, 1 Jo 1: 9), mortificar as obras do corpo (Romanos 8:13); negar-se mesmo,
tomando a sua cruz e seguindo Jesus em obediência (Lc 9:23).
8. O que aconteceu quando as loucas chegaram? v11
Queriam entrar, mas naquele dia não haverá intruso. É difícil separar alguns crentes
nominais dos verdadeiros. Frequentam as mesmas igrejas, ouvem os mesmos sermões e
cantam, oram, pregam e dizem levar o nome de Cristo. Eles enganam os homens, mas
não enganam a Deus, pois, o caráter não é transferível. Ninguém pode crer por outro.
Ninguém pode receber por outro o Espírito. “Ainda que Noé, Daniel e Jó estivessem no
meio dela (a Terra), vivo Eu, diz o Senhor Jeová, que nem filho, nem filha eles livrariam,
mas só livrariam a sua própria alma pela sua justiça.” Ezequiel 14:20.
9. O que a resposta do noivo nos diz sobre a Salvação? v12
Salvação não depende quanto você faz pelo noivo e sim do quanto você O conhece. “As palavras
mais tristes que caíram em ouvidos mortais são aquelas da sentença: Não vos conheço”. PJ, 225.

Conclusão
O mordomo fiel começa o seu dia com Deus. Ele louva, ora, lê a Bíblia e medita. Ele diz
para si mesmo: “1. Deus tem uma programação diária para minha vida em Sua Palavra. 2.
Irei à presença de Cristo do jeito que me levantar. 3. Dizimar e ofertar faz parte de minha
adoração a Deus e devo adorá-Lo porque Ele é digno. 4. Deus perdoa a minha ignorân-
cia, mas não aceita minha incredulidade. 5. Em cada dia decidirei honrar e glorificar a
Deus.” SEE 1. Seja um bom mordomo e guardião da luz que lhe foi dada.

Semana de Mordomia Cristã 17


8 - O mordomo fiel - Mateus 25: 14 a 26
14 Pois será como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes
confiou os seus bens.
15 A um deu cinco talentos, a outro, dois e a outro, um, a cada um segundo a sua pró-
pria capacidade; e, então, partiu.
16 O que recebera cinco talentos saiu imediatamente a negociar com eles e ganhou
outros cinco...
18 Mas o que recebera um, saindo, abriu uma cova e escondeu o dinheiro do seu senhor.
19 Depois de muito tempo, voltou o senhor daqueles servos e ajustou contas com eles.
20 Então, aproximando-se o que recebera cinco talentos, entregou outros cinco, dizen-
do: Senhor, confiaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que ganhei.
21 Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te
colocarei; entra no gozo do teu senhor… 24 Chegando, por fim, o que recebera um
talento, disse… 25 Receoso, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu. 26
Respondeu-lhe, porém, o Senhor: Servo mau e negligente...
Introdução
Uma guerra civil começou na Espanha em 1936 e eles pediram socorro, mas a França
negou. Adolf Hitler e Mussolini, ao contrário, enviaram um forte aparato aeronáutico e
50 mil soldados em auxilio aos totalitaristas espanhóis. Por 4 anos, eles testaram e desen-
volveram em solo espanhol todo o maquinário bélico que assombraria o mundo pouco
tempo depois, tendo a França como uma das principais vítimas. Ao negligenciar dispor
de seus recursos os franceses traçaram o caminho de seu próprio sofrimento. O egoísmo
destrói o egoísta.

Perguntas
1. O que o Senhor confiou aos Servos? v 14
Era normal um homem rico confiar os seus bens a encarregados enquanto viajava. “Esta
parábola alude à esperada ausência de Cristo, o qual deixou o seu povo aqui, dando-lhes
capacidades próprias para esse serviço, embora tenha de demorar-se no pais distante por
muito tempo.” Champlin 576. “O homem que partiu para longe representa Cristo, que,
ao proferir esta parábola, estava prestes a partir da Terra para o Céu.” PJ, 172. O próprio
Jesus forneceu ao Seu povo, os recursos pessoais para a edificação do reino.
2. Por que uns tem mais capacidade do que outros? v 15
Deus distribui os recursos conforme a necessidade de Sua obra. “Estes talentos não re-
presentam meramente a capacidade de pregar e instruir pela Palavra de Deus. A parábola
aplica-se aos recursos temporais que Deus confiou a Seu povo.” 1T, 197.
3. O que fez imediatamente o que tinha 5 talentos? v 16
Sendo um bom servo ele pensou: “Como posso obter glória para Deus por este investi-
mento de riqueza que Ele fez em mim? Năo é o meu dinheiro. É o Seu dinheiro. Não é

18 Eventos Finais
que 10% é dEle e 90% é meu. Não. 100% é dele. Como vou conseguir glória para Ele nos
100% do que Ele me deu?”.
4. O que é negociar os talentos?
Usar para a causa de Deus. Jesus fez um investimento em todos os seus discípulos e Ele
espera que façamos um retorno desse investimento. Para isso você precisa estar conscien-
te que tem um Mestre e tem uma obrigação para com seu Mestre. Não é apenas sobre
dinheiro. É sobre tudo o que você é e tem. Jesus investiu a vida dEle em você para que
pudesse adorá-Lo. Isso é mordomia cristã.
5. Como posso esconder talentos? v 18
Quando me intimido diante do medo ou da mesquinharia. Quando tomo os bens de
Deus e retenho apenas para mim por medo que me falte, escondo os talentos que Deus
me deu. Podemos esconder uma palavra de ânimo. Podemos esconder alimentos. Pode-
mos esconder habilidades manuais e intelectuais, assim como podemos esconder nosso
dinheiro. “Certamente existem outros homens de um talento só neste mundo, em nú-
mero mais numeroso que os homens de dois e de cinco talentos…” Buttrick (Champlin,
577). “No sistema bíblico de dízimos e ofertas, as quantias pagas por várias pessoas cer-
tamente variarão muito, visto serem proporcionais às rendas… Não julguem os pobres
serem suas dádivas tão pequenas que não sejam dignas de nota. Dêem segundo a sua
capacidade, sentindo que são servos de Deus, e que Ele lhes aceitará a oferta.” AE, 45.
6. O que ocorre após fechar a “porta da graça”? v19
Um juízo, um acerto de contas. “Deus não nos revelou em que momento essa mensagem
será concluída, ou quando terá fim o tempo de graça...” Revista EF, 26, 27. “Cada um de
nós fomos enriquecidos com diferentes posses materiais, dons e oportunidades e vamos
dar contas a Deus de como investimos isso em nossa vida” Alcorn, 147.
7. O que acontece com quem é fiel no pouco? v 20, 21
Ao que é fiel nas pequenas coisas da vida será colocado sobre o muito. “A recompensa do
trabalho bem feito é mais trabalho. Aos dois servos que tinham atuado bem não se lhes
diz que se sentem a descansar sobre os louros. São dadas tarefas maiores e responsabili-
dades mais sérias na obra do senhor.” Barclay, 756.
8. O que apresentou ao senhor o servo de um talento? v 25
“O servo infiel estava rancoroso em relação ao seu senhor, e ele não ganhou nada.... A
falta de fidelidade é a prova definitiva de nossa falta de amor e lealdade a Deus. E o que
vai acontecer? Ele vai nos dar exatamente o que queríamos. Nós não queríamos Sua pre-
sença nesta vida.... Esse é resultado.” Ligon Duncan.

Conclusão
“Devemos aproveitar ao máximo nossas oportunidades atuais. Não nos será concedido
outro tempo de graça para que possamos nos preparar para o Céu.” Revista EF, 27. “Cris-
to confia a Seus servos ‘Seus bens’ — alguma coisa que deve ser usada para Ele. Dá ‘a
cada um sua obra’. Todos têm seu lugar no plano eterno do Céu. Todos devem colaborar
com Cristo para a salvação de almas. Tão certo como nos está preparado um lugar nas
mansões celestes, há também um lugar designado aqui na Terra, onde devemos trabalhar
para Deus.” PJ, 172.

Semana de Mordomia Cristã 19


9 - De que lado você está? - Mateus 25: 31 - 34
31 Quando vier o Filho do Homem na Sua majestade e todos os anjos com ele, então,
se assentará no trono da Sua glória;
32 e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como
o pastor separa dos bodes as ovelhas;
33 e porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes, à esquerda;
34 então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! En-
trai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.
Introdução
Conta-se que em uma pequena vila um velho homem que não mais enxergava, mal ouvia
e tinha enormes dificuldades para falar, não faltava a nenhum culto da Igreja. Incomo-
dado, um vizinho descrente, depois de testemunhar por muitos anos o comportamento
do ancião, decidiu questioná-lo, com hostilidade e sarcasmo: “Por quê, afinal de contas,
você vai à igreja? Não ouves, não vês e não falas?” Após muitas tentativas de comunicação
daquele difícil diálogo o homem conseguiu responder: ‘Para testemunhar a todos de que
lado eu estou.” No final da história de pecado neste mundo, Deus não vai determinar a
nossa posição, ele apenas vai confirmar.

Perguntas
1. O que significa o termo “assentar-se no trono de Sua glória”? v 31
Jesus foi massacrado e morto logo depois desse sermão. Aqui, Ele se apresenta como o
“Filho do Homem” que é uma referência direta a Daniel 7:13—14. Onde descreve um
Rei e Juiz, em cujas mãos se encontra o destino eterno das pessoas. “Assentar-se no trono”
significa que todas as coisas serão entregues a Jesus na Sua vinda e Seu povo será resga-
tado desse planeta e da presença do mal para sempre.
2. Por que será necessário uma intervenção divina?
“Satanás considera os habitantes deste mundo seus súditos... mas há um pequeno grupo
que resiste à supremacia dele. Se ele pudesse apagá-los da Terra, seu triunfo seria comple-
to. Como influenciava as nações pagãs a destruir Israel, assim, num futuro próximo, ele
incitará as maléficas potências terrestres para destruir o povo de Deus.” Revista EF, 29.
3. Quem é o bode? v 32
Um animal briguento, traiçoeiro, fedido (sujo), marrento e atrevido. Come tudo que
encontra. Não quer repreensão, é desobediente e intratável. Por isso a expressão “vai
dar bode” significa ”vai dar azar”. Todo cuidado é pouco, pois ele é ativo e destruidor. O
“cristão bode” não aceita ser disciplinado e tem prazer em contender. Ele se isola e não
pensa na coletividade.
4. Quem é a ovelha? v 32
Muito dócil, inocente e criada em rebanho (juntas). Separada do rebanho, se torna presa
fácil dos lobos. A ovelha não sabe distinguir e discernir entre o alimento bom e o ruim.

20 Eventos Finais
É por isso que precisa de um pastor que a guie. Com a vara o pastor espantava as feras e
com o gancho do cajado resgatava a ovelha caída em algum lugar perigoso (assim, “a vara
e o cajado me consolam” Sal 23). Ela conhece a voz do Seu Pastor ( João 10).
5. Como ter o coração de uma ovelha?
Jesus disse para aprender com ele como ser “manso e humilde de coração” Mateus 11:
29. O mordomo com o coração de ovelha, terá uma atitude diferente. A religião não será
mais uma atividade que toma certos dias ou horas. Cada minuto da sua vida será sagra-
do, porque pertence a Deus. Seu trabalho deixará de ser uma coisa mecânica e material
para ser um ministério. Você poderá não ser um pastor na igreja, mas será um pastor na
fábrica, no escritório ou na escola. Estará cooperando com Deus no desenvolvimento e
progresso de um mundo criado e mantido por Ele mesmo. Quando Jacó fugia de seu
irmão, teve a visão de uma escada, cujo topo tocava os céus, e pode ver o Senhor no seu
trono de glória. Ao despertar do sono, exclamou: “Na verdade o Senhor está neste lugar
e eu não o sabia”, Gn. 28:16. Você passará a sentir a presença de Deus onde você andar.
6. Como ter a obediência de uma ovelha?
“A salvação é baseada na graça de Deus, e não em nossa obediência. Ela é o fruto da
salvação à medida que Cristo habita em nós. Deus é quem produz a obediência. E a
obediência é essa sociedade incrível entre o poder de Deus e nossa vontade em escolher
obedecer, em Sua força.” Maxson.
7. Qual é o papel da obediência na vida do cristão?
“a. Ajuda a harmonizar sua vida com Deus. A nossa vida estava voltada numa direção
totalmente oposta ao modo como Deus deseja que vivamos. Não importa quão bom se-
jamos ou tenhamos sido, o fato é que tudo o que fazemos tem sido manchado pela nossa
pecaminosidade. E tudo tem que mudar. E uma das maneiras pelas quais Deus começa
a mudar, é quando permitimos que Ele opere em nossa vida e produza a obediência que
Ele quer em nós. Assim, nossa vida começa a se alinhar cada vez mais com Cristo. b. É
um meio de implementar uma parceria com Deus. Trata-se de uma parte essencial da
Mordomia. c. Produz o fruto de seu relacionamento com Deus. d. Reduz a dissonância
na vida. Aquelas coisas que não combinam com nossa vida, que criam estresse. e. Se es-
colhermos não obedecer, isso nos levará a perder nossa relação com Deus porque, no final
das contas, nos afastaremos por completo.” Maxson.
9. O que é entrar na posse do reino? v 34
Significa ser aceito por Jesus e receber a recompensa do mordomo fiel. a. Coroa da Vida
(Tiago 1:12 - perseguido pela fé) b. Coroa incorruptivel (I Cor 9: 24,25 - determinado
na vida cristã). c. Coroa de alegria (Fil. 4:1 - dedicado no evangelismo) d. Coroa de
Glória (1 Ped 5: 1 a 4 - fiel em liderar) e. Coroa da justiça (2 Tim 4: 6 a 8 - amar o Seu
retorno).

Conclusão
Deus diz: “Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que habitem comigo”. Salmos
101: 6. Ele está em busca dos seus verdadeiros adoradores. Dos mordomos que adminis-
tram sua herança com diligência.

Semana de Mordomia Cristã 21


10 - A vida do cristão - Mateus 25: 35 - 46
35 Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro,
e me hospedastes;
36 estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me.
37 Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos
de comer? Ou com sede e te demos de beber?...
40 O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a
um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.
41 Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda (os ímpios): Apartai-
-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.
42 Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
46 ... porém os justos, para a vida eterna.
Introdução
Em 2001, Mosheh um empresário americano de origem judaica estava em Israel a negó-
cios, aguardando, impaciente, na fila de uma pizzaria superlotada. Percebendo a angústia
do estrangeiro, um israelita ofereceu o seu lugar. Minutos após, o impacto de uma forte
explosão destruiu o salão de espera da pizzaria. O empresário saiu à procura do homem
que trocara de lugar com ele e o encontrou ferido. Deixou seu número de telefone e
organizou para que tivesse uma cirurgia em Boston. Na manhã da operação, terça-feira,
Moshê foi ao hospital e por isso não estava no seu escritório em 11 de Setembro de 2001,
no prédio do World Trade Center. A salvação se dá quando dois braços se estendem: o
de Deus e o nosso.

Perguntas
1. Até quando ajudar as pessoas é importante para a nossa Salvação?
“Cada ato de renúncia própria em benefício de outros, robustece o espírito de benefi-
cência no coração do beneficiador, ligando-o mais estreitamente ao Redentor do mundo,
o qual, “sendo rico, por amor de vós Se fez pobre, para que, pela Sua pobreza, enrique-
cêsseis”. 2 Cor. 8:9.” CC 79. Quando você busca a Deus como a primeira tarefa de cada
manhã, é impregnado do amor do Pai e ficará apto a amar o seu próximo.
2. Por que aqueles que fazem o bem não percebem isso? v37
A justiça segundo Deus é uma coisa expontânea para aquele que vive o Evangelho. Não
faz as obras da fé para aparecer, mas por amor. Os justos perguntam a respeito de suas
ações, enquanto que os injustos perguntam a respeito de suas “inações”. Os injustos farão
a pergunta oposta: “quando não te servimos?” Eles devolvem o dízimo da hortelã e do
cominho, mas não vêem a misericórdia na lei (Mt 23:23). Jesus ordena o dízimo, mas “a
dádiva do dinheiro não pode tomar o lugar do serviço pessoal” BS, 189.
3. O que a caridade evidencia sobre o nosso relacionamento com Deus?
Ajudar aos outros é certamente uma chance para você testemunhar do amor de Deus. E,

22 Eventos Finais
uma forma de abrir mão do egoísmo. “O Senhor provê quanto às viúvas e os órfãos, não
por meio de um milagre, enviando-lhes maná do céu, não mandando corvos a lhes trazer
alimento; mas por um milagre no coração humano, expelindo o egoísmo…” CBV 202
4. Quem são os pequeninos irmãos? v 40
São os pobres e humildes a sua volta sem pão e abrigo. Os presos ou marginalizados por
causa dos seus erros, precisando ajuda material e espiritual. Não estamos atentos para
ver Jesus numa pessoa suja, doente ou mendigando. Muitos se incomodam. “Mas, eu sou
apenas uma pessoa. E, somos apenas uma pequena igreja. Como nós podemos eliminar a
pobreza? A resposta é: você pode… um de cada vez… A lógica que diz: não posso fazer
tudo, então não farei nada, é do fundo do inferno”. Alcorn, 230.
5. Por que Jesus faz questão de se auto denominar Rei? v 40
Porque Ele é o dono de tudo e a compaixão repousa nisso. Usamos o recurso dEle para
cuidar de nossa família, ajudar o carente e apoiar a pregação do evangelho. “Ver a Jesus
como Rei é uma escolha. Ao fazer isso, você lhe dá o direito de estar no controle, e guiar
sua vida. Um dia todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é o
Senhor (Fil 2:10). Cedo ou tarde, você e eu, vamos reconhecer que Jesus é o Senhor. Há
uma uma grande vantagem se o fizermos agora, porque quando todo joelho finalmente
se dobrar, aí será o fim, quando o pecado será destruído. Não haverá mais tempo! O Jesus
Rei se relaciona com você como um mordomo, administrando o que Ele coloca em suas
mãos dia após dia, vinte e quarto horas, não apenas por um dia, mas por toda a vida. Isso
é incrível, você é parceiro de Deus.” Maxson.
6. Como o Rei do universo nos ordenou para sustentar a pregação no mundo?
O Deus Criador e dono de tudo ordenou: “Trazei todos os dízimo à casa do tesouro”
(Mal 3:10). Ele não está apelando para a gratidão ou generosidade. Devolver o dízimo
é questão de honestidade, pois é dEle. Essa é a mesma experiência de Adão que todos
passam. Ele ordena não tocarmos no que é dEle. E, também, “o Senhor não precisa de
nossas ofertas. Diz o salmista: ‘tudo vem de Ti, e da Tua mão Te damos’ (1 Cron 29:14).
No entanto, Deus nos permite demonstrar nossa apreciação de Suas misericórdias pelos
esforços abnegados para passá-las a outros. É essa a única maneira em que nos é possível
manifestar nossa gratidão e amor a Deus. E não proveu outra.” AE, 18
7. O que é uma vida eterna? v 46
“Se apenas pudermos ver o Rei e Sua beleza, seremos para sempre benditos… Todos
sairão do túmulo com a mesma estatura que tinham… porém, surgirão com a vivacidade
e o vigor da eterna juventude… Restabelecido à árvore da vida, no Éden há tanto tempo
perdido, os remidos crescerão.” Revista EF, 32 e 33.

Conclusão
As obras do mordomo tem um objetivo. “Assim, brilhe também, a vossa luz diante dos
homens, para que vejam vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”
Mat 5: 16. Ele quer logo ouvir que “o grande conflito terminou. Pecado e pecadores não
mais existem. O universo interio está purificado… Desde o minúsculo átomo até o maior
dos mundos… declaram que Deus é amor.” Revista EF, 32 e 35.

Semana de Mordomia Cristã 23


Perguntas sobre o dízimo (Adaptado do livro Chuva de Bênçãos)
1. O que é o dízimo?
Significa a décima parte dos lucros e entradas que o crente destina para uma finalidade
sagrada, por ordem de Deus. Essa décima parte é devolvida ao Senhor como um sinal de
aliança e de sociedade com Deus, reconhecendo-O como dono de todas as coisas. Gêne-
sis 14:18,20; Levítico 27:30 e 32; Malaquias 3:7-10.
2. Dizimar está relacionado a um mandamento de Deus ou à vontade humana?
Está relacionado com um mandamento de Deus, pois como Soberano do Univer-
so, reservou para Si o dízimo. “Dever é dever, e deve ser realizado por amor a Ele.”
- AE, 90. “A negligência ou adiamento desse dever, provocará o desagrado divino.”
- AE, 67. Sendo que o governo de Deus respeita o livre-arbítrio, dizemos que Ele
não obriga ninguém a segui-Lo. O princípio do dízimo se baseia em princípios tão
duradouros como a lei de Deus.
3. Com que finalidade Deus estabeleceu o sistema de dízimo?
• Para beneficiar o homem. “A fim de que o homem se pudesse tornar como seu Criador:
de índole benevolente e abnegada.” - AE, 15. “Vi que o sistema do dízimo desenvolve-
rá o caráter e manifestará o verdadeiro estado do coração.”- 1TS, 237.
• Para expressar a Deus nossa lealdade e obediência à soberania divina. “Exige Ele esse
tributo como prova de nossa fidelidade a Ele.”- AE, 72.
• Para reconhecer a Deus como dono e doador de tudo. I Crônicas 29:11-14.
• “Para o avanço da obra de Deus na Terra.” - AE, 77.
4. Qual o único destino que Deus dá ao dízimo?
Através dos tempos, Deus estabeleceu que o dízimo seria destinado somente para o
sustento de seus ministros, os levitas. Assim aconteceu no Antigo Testamento: os levitas
e sacerdotes foram sustentados com os dízimos (Números 18:21 e 24). No Novo Testa-
mento e na atualidade, o dízimo é para o sustento do ministério evangélico (I Coríntios
9:14; I Timóteo 5:18).
5. Que significa a expressão “sustento do ministério evangélico”?
Ministério evangélico é um cargo ou ocupação de tempo integral, daqueles que se dedi-
cam a uma função evangelizadora. O dízimo serve para o sustento dos pastores, profes-
sores que dão ensinamento bíblico, e também inclui todos os gastos da denominação, nos
escritórios para às igrejas.
6. Quantas vezes aparece a palavra “dízimo” e suas variáveis ou referências na Bíblia?
No Antigo Testamento aparece 35 vezes: Gênesis 14:20; 28:22; Levítico 27:30, 31 e
32; Números 18:21,24, 26 e 28; Deuteronômio 12:6, 11, 17 e 14:22, 23 e 28; 26:12; I
Samuel 8:15 e 17; II Crônicas 31:5, 6 e 12; Neemias 10:37 e 38; 12:44; 13:5 e 12; Amós
4:4; Malaquias 3:8-10.
No Novo Testamento aparece 10 vezes: S.Mateus 23:23; S. Lucas 11:42 e 18:12; I Co-
ríntios 9:12-14 e Hebreus 7:2, 4-6, 8 e 9.

24 Eventos Finais
“O Novo Testamento não dá novamente a lei do dízimo, como também não dá a do sábado;
pois pressupõe a validade de ambos, e explica sua profunda importância espiritual.”- AE, 66.
7. Que significa “Casa do Tesouro” em Malaquias 3:10?
Significa: depósito (Salmo 33:7), armazém (I Crônicas 27:28), casa de provisões ou te-
souraria (Neemias 13:12). Pode referir-se à tesouraria da igreja local como um depósito
temporário, de onde se enviam os dízimos para a Associação, depois para a União, Divi-
são e para a Associação Geral, entidades que representam a igreja organizada, de onde se
administram os usos e destinos dos dízimos. Esta é a verdadeira “Casa do Tesouro”
“Aqueles que se encontram à testa dos negócios na sede da causa, têm de examinar
detidamente as necessidades dos vários campos: pois eles são os mordomos de Deus,
destinados a estender a verdade, a todas as partes do mundo. Eles são inescusáveis, se
permanecem em ignorância com respeito às necessidades da obra.” OE, 454, 455.
8. O dízimo pode ser usado para atender os gastos do templo?
“Foi-me mostrado que é um erro usar o dízimo para atender a despesas ocasionais da
igreja.”- AE, 103
“Mas estais roubando a Deus cada vez que pondes a mão no tesouro, a fim de tirar fundos
para atender às despesas correntes da igreja.” - AE, 103.
“Se meu povo de hoje precisar lembrar que a casa de culto é propriedade do Senhor, e
que deve ser escrupulosamente cuidado. Mas o fundo para essa obra não deve provir dos
dízimos.” - AE, 102
9. O dízimo pode ser usado para atender despesas de escolas ou assalariar colportores?
“Um raciocina que o dízimo pode ser aplicado para fins escolares. Outros argumentam
ainda que os colportores devem ser sustentados com o dízimo. Comete-se grande erro
quando se retira o dízimo do fim em que deve ser empregado - o sustento dos minis-
tros.” - AE, - 102.
10. Os pobres da igreja podem ser atendidos com o dízimo?
“O dízimo é separado para um uso especial. Não deve ser considerado fundo para os
pobres. Deve ser dedicado especialmente ao sustento dos que estão levando a mensagem
de Deus ao mundo; e não deve ser desviado desse propósito.” - AE, 103.
11. Podemos usar os dízimos para ajudar estudantes pobres dos nossos colégios?
“... Mas este dinheiro não deve ser extraído do dízimo, senão de um fundo separado para
este propósito.”- EGW, Carta 40, 1897.
12. Devolver o dízimo é um ato de adoração?
Sim, é um ato de adoração. Ao Jacó devolver ao Senhor seus dízimos, ele estava adoran-
do-O (Gênesis 28:22). O povo de Israel levava a Deus parte de seus bens, como um ato
de adoração (Êxodo 23:15; Deuteronômio 16:16).
Ao nos apresentarmos diante do Senhor com o dízimo, estamos identificando-nos como
Seus adoradores. Através da devolução do dízimo, entregamos a Deus não apenas di-
nheiro, mas sobretudo o coração, a própria vida como um reconhecimento de Sua pro-
priedade. II Cor. 8:5.

Semana de Mordomia Cristã 25


13. Há alguma diferença entre admitir e demonstrar que Deus é o dono de tudo?
Em forma teórica, muitos admitem que Deus é o dono de todos os seus bens, mas não o
demonstram ou expressam de maneira tangível e concreta. Não basta falar do dízimo, é
necessário praticá-lo. A Bíblia nos adverte em Isaías 29:13; Romanos 10:10 e 15:6.
14. Por que se usa a expressão “Roubar a Deus” para referir-se ao ato de não dizimar?
Porque a Bíblia dá esta ênfase. Malaquias em­prega esta palavra com muita clareza (Ma-
laquias 3:8-10). Roubo equivale a apropriar-se de algo que foi deixado em confiança. É
uma apropriação indevida.
“Defraudar o Senhor, (nos dízimos e nas ofertas) é o maior crime de que um homem
pode ser culpado.”- AE, 86.
15. Que diferença existe entre dízimo e oferta?
Dízimo:
• Deus declara que é propriedade exclusiva dEle. Leví­tico 27:30: “Também todas as
dízimas da terra, tanto do grão do campo, como do fruto das árvores, são do Senhor:
santas são ao Senhor.”
• Nisto não temos o direito de escolher. Deus exige obediência total. As ordens têm de
ser cumpridas (Malaquias 3:10; Deuteronômio 14:22).
• Deus aceitava o dízimo tanto do animal bom como o mau. Levítico 27:32 e 33.
• Embora o dízimo seja um dever, Deus espera que esta obrigação tenha a motivação do
amor, um amor responsável, um amor que leva à obediência. S. João 14:15 e 15:10.
Oferta:
• “Propriedade” do homem. Ele oferta da parte que Deus lhe confia para administrar.
Deuteronômio 16:10.
• A quantia que damos é determinada pelo critério espiritual e pela proporção das bên-
çãos recebidas. I Coríntios 16:2; Deuteronômio 16:17; S. Lucas 12:48.
• Deus somente aceita a oferta que é perfeita, porque esta representa a Cristo. Malaquias
1:8; Levítico 22:21 e 22.
• A motivação do amor é a única que Deus aceita, ainda que a oferta seja da melhor qua-
lidade. Deus aceita primeiro o doador e depois sua oferta. Gênesis 4:4; I S. João 3:16;
S. João 15:13.
16. Porque o dízimo é visto como um mandamento se não está no decálogo?
Ainda que não esteja expressamente mencionado no Decálogo, sabemos que sua não
devolução explícita é uma violação do oitavo e décimo mandamentos do Decálogo . I
Timóteo 6:10; Colossenses 3:5. Por sua parte, Levítico 27:34 diz: “São estes mandamen-
tos que o Senhor ordenou a Moisés, para os filhos de Israel, no Monte Sinai”. ‘’Este não
é um pedido de um homem; é um dos mandamentos de Deus, pelo qual Sua obra pode
ser sustentada e levada adiante no mundo.” - TM, 312.
“O sistema ordenado aos hebreus não foi rejeitado ou afrouxado por Aquele que lhe deu
origem. Em vez de haver perdido agora seu vigor, deve ser mais plenamente cumprido e
dilatado, pois a salvação em Cristo unicamente deve ser apresentada em maior plenitude
na era cristã.” - AE, 75 e 76.

26 Eventos Finais
17. É justo que um pobre dê dízimos de suas pequenas entradas?
Sim, é, porque “para o pobre, o dízimo será de uma importância comparativamente pe-
quena, e suas dádivas serão de acordo com a sua possibilidade”. - AE, 73.
“O plano divino do sistema do dízimo é belo em sua simplicidade e equidade.”- AE,
73. “Não é devolver ao Senhor o que é Seu que torna o homem pobre; reter é que leva à
pobreza.”- AE, 36.
“Frequentemente os que recebem a verdade se acham entre os pobres do mundo; ... E quando
Ele vê um fiel cumprimento do dever na devolução do dízimo, muitas vezes em Sua sábia
providência, proporciona meios pelos quais este seja aumentado.”- OE, 222 e 223.
18. O dízimo deve ser calculado de forma exata ou aproximada?
“O Senhor pede que Seu dízimo seja entregue em Seu tesouro. Estrita, honesta e fiel-
mente, seja-Lhe devolvida esta parte.”- AE, 82.
“Quanto à importância exigida, Deus especificou um décimo da renda.”- 1TS, 373.
19. Herança, presentes ou dinheiro achado devem ser dizimados?
Considerando que a herança constitui um aumento ou ganho patrimonial, deveríamos
devolver o dízimo correspondente. No caso de presentes, se estes são úteis para o mo-
mento atual, estando seu valor incluído no orçamento familiar, devem ser dizimados. Se
alguem achar um valor em dinheiro e não puder encontrar o dono, deve ser dizimado.
20. É correto descontar impostos antes de calcular o dízimo?
Não, não deveríamos descontar os impostos antes de calcular os dízimos, porque os im-
postos, quer sejam federais, estaduais ou municipais, outorgam serviços ao cidadão, que
se constituem em benefícios indiretos. Em consequência, deveriam dizimar-se as somas
de dinheiro destinadas a pagar impostos.
21. Deve-se dizimar o dinheiro que se tem recebido como empréstimo?
Não, porque o dinheiro emprestado não é ganho. Em caso de a pessoa obter lucros do
dinheiro emprestado, então sim, deveria dizimar-se.
22. Deve-se dizimar ganhos da venda de um imóvel comprado com dinheiro dizimado?
Sim, deve-se dizimar, podendo-se agir das seguintes maneiras: 1. Caso não haja inflação
no país, dizima-se o lucro da venda. 2. Havendo inflação, pode fazer a correção monetária.
Se houver lucro, dizima-se o mesmo. Não havendo lucro, não há necessidade de dizimar.
23. O filho que é dependente financeiramente dos pais deve dizimar?
Como meio educativo e de conscientização, seria de grande bênção que dizime o di-
nheiro que recebe para seu uso pessoal, ainda que esse dinheiro tenha sido previamente
dizimado.
24. O que a pessoa deverá fazer, diante da consciência, se por descuido ou infidelidade,
deixou de dizimar?
“Se tiverdes recusado lidar honestamente com Deus, eu vos suplico que penseis em vossa
deficiência, e, sendo possível, façais a restituição. Caso não seja possível fazê­-lo, com hu-
mildade e arrependimento orai para que Deus vos perdoe, por amor de Cristo, a grande
dívida.”- AE, 100.

Semana de Mordomia Cristã 27


25. Que princípio devo usar ao dizimar se não tenho certeza do lucro exato obtido?
“Ao determinar a proporção de oferta a dar para a causa de Deus, deveis de preferência
exceder as exigências do dever a não cumpri-las.” - 1TS, 563. Em caso de dúvida é prefe-
rível “errar” do lado da fidelidade e generosidade do que da mesquinharia e avareza, pois
Deus é magnânimo com Seus filhos.
26. Como ficou o sistema financeiro organizado por Neemias nos dias de Malaquias?
• Neemias estabeleceu “câmaras”, ou tesourarias, em várias cidades de Israel, para reco-
lherem temporariamente, os dízimos e ofertas, que eram as porções dos sacerdotes e
levitas. (Ne 12:44}.
• Ele fez cuidadosa separação entre dízimo e oferta. (Ne 12:44}. Estabeleceu tesoureiros
para cada tesouraria, como nos dias de Ezequias. (2Cr 31:19}.
• A distribuição dos dízimos e ofertas era controlada a partir de Jerusalém. Os tesoureiros
das “câmaras” por todo o país, enviavam o produto recolhido para a “Casa do Tesouro”
em Jerusalém e, de Jerusalém voltava para os levitas espalhados por todo Israel. ( 2Cr
31:4-6; Ne 12:44).
• Havia uma equipe encarregada da distribuição em Jerusalém e outra para o resto do
país. (Ne 13:13).
• Essa assistência financeira e material não considerava como prioridade os lugares onde
haviam os maiores doadores, para que ali ficassem retidos os dízimos, mas as necessi-
dades de manutenção dos indivíduos e da obra em Israel como um todo. Assim, todos
os levitas recebiam sua manutenção de acordo com as necessidades de suas famílias
(2Cr 31:17-19).
27. Poderiam pessoas ou igrejas locais agirem separadamente da organização?
‘’Alguns têm apresentado a ideia de que, ao aproximarmo-nos do fim do tempo, cada
filho de Deus agirá independentemente de qualquer organização religiosa. Mas fui ins-
truída pelo Senhor de que nesta obra não há isso de cada qual ser independente. As es-
trelas do céu estão todas sujeitas às leis, cada uma influenciando a outra a fazer a vontade
de Deus, prestando obediência comum à lei que lhes dirige a ação. E, para que a obra do
Senhor possa avançar sadia e solidamente, Seu povo deve unir-se.” OE, 481.
28. Como dizimar?
Antes de fazer qualquer gasto, separe a décima parte de todas as suas entradas e coloque
esta quantia em um envelope de dízimo. ‘’Não Lhe devemos consagrar o que resta de
nossas rendas, depois que todas as nossas necessidades reais ou imaginárias tenham sido
satisfeitas; mas antes de qualquer parte ser gasta, devemos pôr de parte aquilo que Deus
especificou como Seu.”- AE, 81.
29. Não sinto a alegria que as outras pessoas sentem ao dizimar. Por que dizimar é tão
difícil para mim?
Dizimar é difícil, não pelas quantias em jogo, mas pelos motivos. Se você tem achado que
dizimar é muito difícil, pode ser que você esteja dizimando por motivos errôneos.
Se você está dizimando porque seu amor a Deus o leva a cumprir esta responsabilidade
e porque ama as almas que se perdem, seu motivo é puro, espiritual e desinteressado, e
você descobrirá que o dízimo é um caminho de vida comovedor e abundantemente re-
compensador.

28 Eventos Finais
30. Como deve dizimar aquele que se dedica a atividades agropecuárias ou similares?
Como uma empresa. Deve guardar um registro da venda de seus produtos e acrescentar a
este total o valor dos juros, aluguéis recebidos e outros. Isto constitui uma entrada bruta.
Logo deverá deduzir todos os gastos. O resultado é o ganho que deverá ser dizimado.
31. Como um comerciante deve dizimar?
Um comerciante deve devolver o dízimo de seus lucros líquidos. Para calcular este ga-
nho, deve somar às suas vendas do mês outras entradas como: juro do dinheiro investido,
aluguel de propriedades, etc. Logo deve retirar o custo das mercadorias vendidas e os
gastos que tenham tido com relação à sua atividade comercial. Esta diferença será o lucro
líquido, sobre o qual deve devolver o dízimo.
32. Como devolver o dízimo quando não se podem calcular exatamente os ganhos men-
sais, como no caso de comerciante ambulante?
O comerciante ambulante deveria separar o dízimo calculando a diferença entre o total
das vendas e o total das compras de mercadorias. Se tem gastos com transportes, arma-
zenagens, etc., pode deduzi-los e dizimar a diferença.
33. Como devolver o dízimo de uma empresa?
Ao final do balanço a empresa separa o dízimo do seu aumento patrimonial. O Empre-
sário devolve o dízimo de seu salário (pro-labore) e gratificações.
34. Deveria ensinar-se às crianças a dizimar seus escassos recursos?
Cada um deveria dizimar, não importa quão abundante ou escasso sejam seus recursos.
Toda pessoa que tem idade suficiente para entender e escrever, tem geralmente uma
pequena quantia de dinheiro e é responsável perante Deus pela maneira com que a ad-
ministra. “Ensine-os a devolver dízimos e ofertas.” - LA, capítulo 63.
35. É correto devolver o dízimo de uma só vez no final do ano?
Não é o melhor, por três razões:
1) A Associação que recebe seus dízimos tem sérias obrigações para sustentar os pasto-
res, mensalmente.
2) Você necessita das bênçãos e da fortaleza divinas cada mês do ano .
3) Devido à inflação, seu verdadeiro valor se reduz.
36. Devo devolver meu dízimo na igreja onde sou membro?
Sim, você deveria devolver seu dízimo na igreja que você é membro, onde você O adora.
37. Necessito devolver o dízimo ainda que não assista regularmente à igreja?
Deus diz que devemos levar todos os dízimos à casa do tesouro. Malaquias 3:10. Deus
espera que você dizime seus ganhos cada vez que os recebe, independentemente de você
estar ou não em condições de ir à igreja. Dizimar é uma prova de reconhecimento da
soberania e propriedade de Deus sobre tudo o que existe.
38. Eu posso administrar o dízimo em vez de levá-lo para a igreja?
Não. A regra é esta: “Ninguém se sinta na liberdade de reter o dízimo, para empregá-lo se-

Semana de Mordomia Cristã 29


guindo seu próprio juízo. Não devem servir-se dele numa emergência, nem usá-lo segundo
lhes pareça justo, mesmo no que possam considerar como obra do Senhor.”- AE, 101.
39. Posso reter os dízimos se não concordo com a maneira como ele é usado?
“Alguns se têm sentido mal satisfeitos, e dito: ‘Não pagarei mais o dízimo; pois não
confio na maneira pela qual as coisas são dirigidas na sede da obra’. Roubareis, porém,
a Deus, por pensardes que a direção da obra não está direita. Apresentai vossa queixa
franca e abertamente, no devido espírito, e às pessoas competentes. Solicitai em vossas
petições que se ajustem as coisas e ponham em ordem; mas não vos retireis da obra de
Deus, nem vos demonstreis infiéis porque outros não estejam fazendo o que é direito.”
- AE, 93 e 94.
40. Devo dizimar, apesar de minhas dívidas?
Sim, pois nossa primeira e maior obrigação é com Deus. Independentemente das obri-
gações financeiras com seus semelhantes, o dizimista cristão, inteligente e fiel, sempre se
considera grato em primeiro lugar com Deus. É uma grande injustiça usar o dízimo de
Deus para pagar dívidas a seres humanos. Não se pode pagar a alguns, roubando a outros.
41. Devo dizimar, mesmo ganhando o insuficiente para atender as minhas necessidades?
O Senhor não nos pede que dizimemos do que não recebemos, e sim do que ganhamos,
sendo muito ou pouco. “Aquele que segue o plano de Deus no pouco que lhe foi dado,
receberá a mesma recompensa que aquele que oferta de sua abundância.”- OE, 223.
42. Deveria dizimar quando minha primeira obrigação é para com minha família?
“Algumas pessoas se sentem sob sagrado dever para com os filhos. A cada um devem dar
seu quinhão, mas se acham incapazes de conseguir meios para auxiliar a causa de Deus.
Dão a desculpa de que têm um dever para com os filhos. Pode isso ser certo, mas seu
primeiro dever é para com Deus... Não permitais que vossos filhos roubem vossas ofertas
do altar de Deus, usando-as para seu próprio proveito.”- AE, 94.
43. Tenho razões particulares para não dizimar. Certamente não se espera que deva di-
zimar, não é verdade?
Muitos crêem erroneamente que o dízimo realmente lhes pertence, em lugar de reconhe-
cerem que pertence a Deus como está em Levítico 27:30. “Exigia um décimo, e isto Ele
requer como o mínimo que o homem Lhe deve devolver. Diz: Dou-vos nove décimos,
ao passo que exijo um décimo; este é Meu. Quando os homens o retêm, estão roubando
a Deus.” - 1 TS, 373.
44. Uma vida de oração substituiu a devolução dos dízimos?
“A oração não tem o fim de operar qualquer mudança em Deus; ela nos põe em harmo-
nia com Ele. Não ocupa o lugar do dever. Por mais freqüentes e fervorosas que sejam
as orações feitas, jamais serão aceitas por Deus em lugar de nosso dízimo. A oração não
paga nossas dívidas para com o Senhor.” - AE, 99.
45. Alguém que não seja fiel nos dízimos pode ser oficial da igreja ?
Os dirigentes da igreja devem dar o exemplo na devolução do dízimo. “Aquele que não
procede de acordo com esse padrão de liderança, não deve continuar como oficial de
igreja ou obreiro da Associação.”- Manual da Igreja, p. 138.

30 Eventos Finais
“Quem deixa de dar exemplo neste assunto importante, não deve ser escolhido para o
cargo de ancião, nem para cargo algum da igreja.” - Manual da Igreja, p. 54
46. Quem são os responsáveis na igreja por incentivar a fidelidade na devolução do san-
to dízimo?
De acordo com o Manual da Igreja são responsáveis: 1. O pastor, 2. O ancião (p. 49), 3.
O tesoureiro (p. 57) e o 4. O presidente da Comissão de Mordomia (p. 114).
47. Para que se destinam os 10% de dízimos que cada organização recebe e envia a orga-
nização superior?
Para cobrir os gastos que sustentam o ministério e a direção da obra nessas organizações.
“Assim, a Associação, a União e a Associação Geral ficam providas de fundos para suster
os obreiros empregados e atender aos gastos de dirigir a obra de Deus em suas respectivas
esferas de responsabilidade e atividade.” - Manual da Igreja, p. 138.
48. Por que a igreja local não pode reter uma parte dos dízimos?
A Igreja Adventista do Sétimo Dia, não usa o sistema congregacional ou independente.
Quem paga as despesas dos evangelistas é a Associação. O Manual da Igreja diz: “O
dízimo não é usado de nenhuma forma pela igreja local, mas enviado ao tesoureiro da
Associação.”- Manual da Igreja, p. 138.
49. Como é distribuído o dízimo que a Associação recebe e em qual porcentagem?
2% - Sede Mundial / 9% - Divisão Sul Americana / 9% - União Central Brasileira /
74% - Associação / 1,5% - Formação de Pastores/Ensino Médio / 1% - Capelania / 2,5
- Novo Tempo / 1% - Colportagem/Sels
50. Como é feita a distribuição das ofertas?
60% - Igreja local / 20% - Escola Sabatina / 14% - Associação / 3,6% - União Central
Brasileira / 2,4% - Divisão Sul Americana
51. Deveria a igreja receber os dízimos de loteria ou pessoas com práticas contrárias aos
padrões bíblico de moralidade?
O dízimo é uma questão de consciência entre o homem e Deus. A igreja não questiona
nem entrevista sobre como cada doador recebe seus recursos. Levítico 27: 33. Cabe à
igreja orientar, em suas pregações, sobre elevado padrão bíblico de conduta cristã.
52. Pode-se fazer a dedicação de um templo construído com dízimos?
Não deve e nem pode. Assim como apresentar a Deus uma casa de culto com uma dívida
constitui uma negação da fé, porque fala de uma mordomia infiel, de igual maneira e ain-
da pior, todavia, é o fato de que seja construída utilizando a porção do Senhor. O Espírito
de Profecia diz: “Mas estais roubando a Deus cada vez que pondes a mão no tesouro a
fim de tirar fundos para atender às despesas correntes da igreja.” - AE, 103.

Semana de Mordomia Cristã 31


Minha Decisão
1. Vou começar meu dia, buscando a Deus às ________ horas.
2. Aceito o Desafio 1 + 1 de levar uma pessoa a Cristo (   ) sim  (   ) não
3. Hábito de saúde que desejo estabelecer ou evitar:
______________________________________________
4. Serei honesto no dízimo de tudo: (   ) sim  (   ) não
5. Darei uma oferta proporcional (pacto) de: ________ %.
6. Serei fiel na guarda do sábado: (   ) sim (   ) não

Hoje renovo meu pacto


“Provai e Vede” Sl. 34:8

“Depois que Jó orou por seus amigos, o Senhor o tornou novamente próspero
e lhe deu em dobro tudo o que tinha antes.” Jó 42:10 NVI

Bibliografia
ALCORN, R. Money, Possessions and Eternity. Ilinois: Tindale Publisher, 2010.
ALMEIDA, João Ferreira de. A Bíblia Sagrada. 2ª Ed. São Paulo: SBB, 1993.
BARCLAY, William. Comentário Bíblico do Novo Testamento. Buenos Aires: Asocia-
ción Eddiciones La Aurora, 1983.
BOGER, Herbert. Apostila Primeiro Deus. Tatuí - SP: Casa Publicadora Brasileira,
1997
CHAMPLIN, R. N. Novo Testamento Interpretado. V.1. São Paulo: Ed. Candeia, 1990.
HENRY, Matthew. Comentário Bíblico de Matthew Henry. 3ª Ed. CPAD, 2003.
NICHOL, Francis. CBA. Comentário Bíblico Adventista - Mateus. Jacareí, SP: Casa
Publicadora Brasileira.
REID, G. Edward. Faith and Finances. EUA: Departamento de Mordomia da DNA
da IASD, 2009.
WHITE, Ellen. G. Administração Eficaz. Tatuí - SP: Casa Publicadora Brasileira, 1997
___________. (A Ciência do Bom Viver; Beneficiência Social; Desejado de Todas as
Nações; O Grande Conflito; Mensagens Escolhidas v1; Obreiros Evangélicos; Parábolas
de Jesus; Revista Eventos Finais; Serviço Cristão; Testemunhos para a Igreja v1).

ucb.adventistas.org/mordomiacrista
32 Eventos Finais