Você está na página 1de 1

Tara é a mãe da compaixão, o aspecto feminino de Buda.

Todas as deidades budistas


femininas são aspectos seus. É a divindade nacional do Tibete.
Conta-se que a princesa Yeshe Dawa, "Lua de Sabedoria", recebeu ensinamentos de
um Buda, acumulou méritos e sabedoria, tendo sido aconselhada a rezar para renascer como
homem, e alcançar a iluminação espiritual, mas fez o compromisso de sempre renascer em
forma feminina, como mulher. Por esse gesto de sabedoria e compaixão, é considerada
"Aquela que enxerga os clamores do mundo", ou "Senhora dos Mil Olhos".
De acordo com as várias linhagens do Budismo tibetano, a lista dos nomes de Tara pode
apresentar variações. Dos 108 nomes e 21 formas e inúmeras cores de Tara, duas são mais
populares: a Branca e a Verde. A Tara Branca, (em sânscrito Sitatāra), identificada com a
Princesa da China, esposa do primeiro rei budista do Tibete, Songtsen Gampo, séc. VII. Em
geral associada a Kuan Yin, que também é representada na cor branca. Já a Tara Verde,
(em sânscrito Syamatāra), identificada com a Princesa do Nepal, segunda esposa deste
mesmo rei Salomão.
É conhecida como Tara (Tare ou Drolma) a “salvadora”, ou “aquela que libera” e também como
Arya Tara, a Nobre Tara, a Salvadora, a Estrela, Grande Veloz, Protetora e Eliminadora dos
Oito Medos. Tara é uma “deidade meditacional”, corporificação da atividade de todos os
Buddhas
Tara é o arquétipo da deusa feminina na mitologia hindu, governa o submundo, a Terra e os
céus, nascimento, morte e regeneração, amor e guerra, as estações, tudo o que vive e cresce,
os ciclos da Lua – Luna – feminino – criação.
Tara Verde é representada sentada sobre uma flor de lótus emergindo de um lago, como a
maioria dos budas. Na cabeça há uma tiara com jóias e um rubi ao centro simbolizando
Amitabha, seu pai espiritual da família búdica do lótus. Cada mão mostra um gesto (mudra) e
possui o talo de uma flor de lótus com uma flor aberta e dois botões, indicando o alcance de
sua atividade em todos os tempos. A perna esquerda está encolhida, indicando sua renúncia
às paixões mundanas, mas a perna direita se estende e sai da flor, indicando sua presteza
para acudir e ajudar todos os seres. O gesto da mão direita é o de “dar-oferecer”, indicando
sua habilidade para oferecer a todos os seres o que necessitam, enquanto a mão esquerda, na
altura de seu coração, faz o gesto de “oferecer refúgio”.
MANTRA PARA TARA VERDE
OM -contém três sons: ah, oh e mm, e significa as imensuráveis qualidades dos corpos, da fala
e das mentes dos seres iluminados.
TARE -“Aquela que liberta.”
TUTTARE-“Que elimina todos os medos.”
TURE-“Que concede todo o sucesso.”
SOHA -por si mesmo significa “Possam as bênçãos de Tara que estão contidas no mantra om
tare tuttare ture se enraizarem nos nossos corações.”

https://revolucaodosindigos.wordpress.com/2016/09/19/tara-verde-e-seu-mantra/
http://sagradofeminino.saberes.org.br/saberes-ancestrais-femininos-sabedoria-espiritualidade-
psicologia-saude-danca-feminina/tara-uma-manifestacao-do-aspecto-feminino-iluminado/