Você está na página 1de 3

D19 - Reconhecer o efeito decorrente da exploração de recursos

ortográficos e/ou morfossintáticos.


(SAEPE). Leia o texto abaixo e responda. é preciso odiar Melquíades
A melhor amiga do homem é preciso substituir nós todos.
Diogo Schelp
É preciso salvar o país,
Devemos muito à vaca. Mas há quem a veja é preciso crer em Deus,
como inimiga. A vaca, aqui referida como a parte é preciso pagar as dívidas,
pelo todo bovino, é acusada de contribuir para a é preciso comprar um rádio,
degradação do ambiente e para o aquecimento é preciso esquecer fulana.
global. Cientistas atribuem ao 1,4 bilhão de cabeças
de gado existentes no mundo quase metade das É preciso viver com os homens
emissões de metano, um dos gases causadores do é preciso não assassiná-los,
efeito estufa. Acusam-se as chifrudas de beber água é preciso ter mãos pálidas
demais e ocupar um espaço precioso para a e anunciar O FIM DO MUNDO.
agricultura. Carlos Drummond de Andrade.
www.angelfire.com/celeb/olobo/necessidaded.html
O truísmo inconveniente é que homem e vaca
são unha e carne. [...] Imaginar o mundo sem vacas
é como desejar um planeta livre dos homens – uma Nesse texto, a repetição sugere
ideia, aliás, vista com simpatia por ambientalistas A) atenção.
menos esperançosos quanto à nossa espécie. B) destruição.
“Alterar radicalmente o papel dos bovinos no nosso C) necessidade.
cotidiano, subtraindo-lhes a importância econômica, D) preocupação.
pode levá-los à extinção e colocar em jogo um E) rotina.
recurso que está na base da construção da
humanidade e, por que não, de seu futuro”, diz o ------------------------------------------------------------
veterinário José Fernando Garcia, da Universidade Leia o texto abaixo e responda.
Estadual Paulista em Araçatuba. [...] A raposa e as uvas
A vaca tem um papel econômico crucial até Certa raposa esfaimada encontrou uma
onde é considerada animal sagrado. Na Índia, parreira carregadinha de lindos cachos
metade da energia doméstica vem da queima de
maduros, coisas de fazer vir água à boca.
esterco. O líder indiano Mahatma Gandhi (1869-
Mas tão altos que nem pulando.
1948), que, como todo hindu, não comia carne
bovina, escreveu: “A mãe vaca, depois de morta, é O matreiro bicho torceu o focinho:
tão útil quanto viva”. Nos Estados Unidos, as bases – Estão verdes – murmurou – Uvas
da superpotência foram estabelecidas quando a verdes, só para cachorros.
conquista do Oeste foi dada por encerrada, em E foi-se.
1890, fazendo surgir nas Grandes Planícies Nisto deu um vento e uma folha caiu.
americanas o maior rebanho bovino do mundo de A raposa, ouvindo o barulhinho, voltou
então. “Esse estoque permitiu que a carne se depressa e pôs-se a farejar...
tornasse, no século seguinte, uma fonte de proteína Quem desdenha quer comprar.
para as massas, principalmente na forma de LOBATO, Monteiro. Fábulas. 4. ed. São Paulo: Brasiliense,
1973. p. 47.
hambúrguer”, escreveu Florian Werner. [...] Comer
um bom bife é uma aspiração natural e cultural. Ou
seja, nem que a vaca tussa a humanidade deixará Nesse texto, a palavra “carregadinha” tem
de ser onívora. a ver com
Revista Veja. p. 90-91, 17 jun. 2009. Fragmento. A) o sabor das frutas.
B) a altura da parreira.
C) o tamanho dos cachos.
O autor usa a parte pelo todo para se referir à D) o estado das uvas: madurinhas.
vaca em: E) a quantidade de uvas produzidas.
A) “Acusam-se as chifrudas...”. (  . 5)
B) “...homem e vaca são unha e carne”. (  . 7)
C) “...o papel dos bovinos...”. (  . 10) ------------------------------------------------------------
D) “...animal sagrado.”. (  . 14) (PROEB). Leia o texto abaixo.
E) “...nem que a vaca tussa...”. (  . 22-23)

------------------------------------------------------------
(SPAECE). Leia o texto abaixo.
É preciso casar João,
é preciso suportar, Antônio,

1
D19 - Reconhecer o efeito decorrente da exploração de recursos
ortográficos e/ou morfossintáticos.
(VELOSO, Caetano. Literatura Comentada: Você Não
Entende Nada. 2 Ed. Nova Cultura. 1998)

A repetição da expressão “eu quero”, em diversos


versos, tem por objetivo
(A) fazer associações de sentido.
(B) refutar argumentos anteriores.
(C) detalhar sonhos e pretensões.
(D) apresentar explicações novas.
(E) reforçar a expressão dos desejos.
Jornal Folha de São Paulo, 27/04/2005.
------------------------------------------------------------
O recado “anti-EUA”, gravado por Chávez, (3ª P.D – SEDUC-GO). Leia o texto abaixo e
indica que o presidente se manifesta em responda.
A) sintonia com os EUA. Coisas do mundo
B) oposição aos EUA.
C) lugar dos EUA. A juventude é realmente uma fase
D) contato com os EUA. encantadora. Descobrir o mundo, experimentar,
E) direção aos EUA. buscar novos horizontes, desvendar os mistérios
da vida... Enfim, a primeira vez a gente nunca
esquece! Seja lá qual for a novidade, é
------------------------------------------------------------
absolutamente inebriante esse momento da
Leia o texto a seguir e responda.
descoberta.
Você não entende nada As coisas que acontecem na adolescência
ficam impressas na memória, na pele, na alma e,
Quando eu chego em casa nada me consola geralmente, nos remetem às melhores coisas do
Você está sempre aflita mundo.
Com lágrimas nos olhos de cortar cebola PAULA, Maria. Crônica da revista. In: REVISTA DO
CORREIO. 2 mai. 2010, p, 37. Fragmento.
Você é tão bonita
Patricinhas do skate
Você traz coca-cola
Eu tomo De unhas pintadas e roupas da moda, elas
Você bota a mesa enterram o estereótipo rebelde Você já deve ter
Eu como eu como eu como eu como eu como se deparado com uma delas. Estão sempre de
Você unhas pintadas, cabelo arrumado, calça de
Não tá entendendo quase nada do que eu digo cintura baixa e camiseta baby look. Nas mãos, o
Eu quero é ir-me embora longboard – a versão mais comprida do skate
Eu quero dar o fora tradicional. Sim, essas princesinhas estão se
E quero que você venha comigo fazendo notar por aí. Por muito tempo, o visual
das skatistas foi propositalmente desleixado.
Eu me sento Usavam camisetas de bandas hardcore,
Eu fumo bermudões no joelho e tênis rasgados, que
Eu como misturavam o estilo grunge com um ar
Eu não agüento rebeldezinho. Agora, as novas skatistas têm cara
Você está tão curtida de saudáveis, roupas limpinhas e pouca afinidade
Eu quero é tocar fogo nesse apartamento com as manobras radicais do skate. “Não é
Você não acredita porque eu estou andando de skate que vou
Traz meu café com suíta mudar meu estilo”, diz Mitzi Iannibelli, 18, que
Eu tomo adora reggae e faz as unhas toda semana –
Bota a sobremesa “sempre quadradas e sem cutícula’’. Mitzi se diz
Eu como eu como eu como eu como eu como adepta do estilo mulherzinha, que ela define como
Você “short com a barriga de fora e camisa baby look’’.
Tem que saber que eu quero é correr mundo Recém-formada em estilismo, Amanda Assunção,
Correr perigo 21, também critica o guarda-roupa rebelde:
Eu quero é ir-me embora “Aquelas roupas grunges não tem nada a ver.
Eu quero dar o fora Não gosto de estar largadona’’, diz, ajeitando o
E quero que você venha comigo. colar de pedrinhas azuis no pescoço.

2
D19 - Reconhecer o efeito decorrente da exploração de recursos
ortográficos e/ou morfossintáticos.
O que se vê nas ruas já chama atenção das Que eu preciso
lojas especializadas. Na Kelly Connection, na Muita força
Galeria River (Arpoador), de cada 10 skates Muita força
vendidos, 7 são comprados por mulheres. “É Muita força
impressionante como tem menina começando’’, Oô...
diz Nathalia Despinoy, 29, dona da loja e skatista Menina bonita
amadora. Segundo afirma, houve uma mudança Do vestido verde
notável no perfil das skatistas: “Elas têm um Me dá tua boca
envolvimento menor com o esporte, não usam Pra matá minha sede
nada muito louco, nada grunge.’’ Oô...
As novas skatistas divergem de suas Vou mimbora
antecessoras até no gosto musical. Dead Vou mimbora
Kennedys e Pennywise já não têm mais lugar no Não gosto daqui
porta-CDs, que guarda agora discos de Bob Nasci no sertão
Marley, Billie Hollyday, Natiruts, Cássia Eller e Sou de Ouricuri
Marisa Monte. Além do visual e da música, as Oô...
longboarders têm uma relação menos profissional Vou depressa
com o skate, em que a performance não é tão Vou correndo
importante. Isabelle Valdes, 21, gosta de descer Vou na toda
as Paineiras no seu long. Mas não faz pose e Que só levo
assume que só encara a versão light da descida. Pouca gente
“Lá de cimão, eu ainda não tenho coragem’’, diz. Pouca gente
Jornal do Brasil. Disponível em:<http://quest1.jb.com.br/jb/papel/ Pouca gente...
cadernos/domingo/2001/07/07/jordom20010707005.html> BANDEIRA, Manuel. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova
Acesso em: 08 jul. 2001. Aguilar, 1986.

No trecho “Usavam camisetas de bandas A expressão “café com pão”, repetida por três
hardcore, bermudões no joelho e tênis vezes no início do poema, sugere
rasgados, que misturavam o estilo grunge A) o barulho do trem.
com um ar rebeldezinho.”(  . 9-10-11), o B) a voz do maquinista.
diminutivo é utilizado com o intuito de C) a conversa dos passageiros.
A) demonstrar ternura e afeto pelas garotas que D) a voz da menina bonita.
se vestem desse modo. E) o linguajar do povo do sertão.
B) fazer uma crítica às garotas que se vestem
como rebeldes, mas não são. ------------------------------------------------------------
C) identificar as patricinhas skatistas como
sendo mais saudáveis e limpas.
D) indicar uma progressão de alguém novato
para outro mais experiente.
E) referir-se ao tamanho das garotas.

------------------------------------------------------------
(2ª P.D – Seduc-GO). Leia o texto abaixo e
responda.
Trem de ferro
Café com pão
Café com pão
Café com pão
Virge maria que foi isso maquinista?
Agora sim
Café com pão
Agora sim
Voa, fumaça
Corre, cerca
Ai seu foguista
Bota fogo
Na fornalha