Você está na página 1de 28

Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

ANÁLISE DA PRODUÇÃO DE FITOTERÁPICOS NAS


MESORREGIÕES DO NORTE DE MINAS, VALE DO RIO
DOCE, JEQUITINHONHA E MUCURI

TEXTO NÃO EDITADO

Diretoria de Estudos Prospectivos e Informações Estratégicas


Unidade de Avaliações Econômicas e Mercado
Belo Horizonte (MG)
INDI/DEAR /AEM
INDI/DEAR/AEM/XXX/EP/–/XX/08

1
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Aécio Neves da Cunha


Governador

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Rafael Guimarães Andrade


Secretário de Estado

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DE MINAS GERAIS

Eduardo Lery Vieira


Presidente

Eduardo Prates Octaviani Bernis


Vice-Presidente

Marshall Garcia
Diretoria de Estudos e Ações Regionais

Jamil Habib Curi


Diretoria de Administração, Finanças e Controle.

Maurício de Oliveira Cecílio


Diretoria de Promoção e Atração de Investimentos I

Marco Aurélio Fontes


Diretoria de Promoção e Atração de Investimentos II

EQUIPE TÉCNICA

Autores
Aguinaldo Heber Nogueira
Mestre em Administração
Gerente da Unidade de Avaliações Econômicas e Mercado do INDI

Jussara Pereira Caixeta


Técnica de Desenvolvimento da Unidade de Avaliações Econômicas e Mercado do INDI.

2
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

1 - INTRODUÇÃO

As regiões Norte de Minas, Jequitinhonha/Mucuri e Rio Doce apresentam


indicadores econômicos abaixo da média estadual. Para melhorá-los, o Governo de
Minas Gerais, através da Secretária de Estado do Planejamento e Gestão de Minas
Gerais (SEPLAG), criou o Projeto Estruturador “Atração de Investimentos e Inserção
Regional”. Este Projeto está sendo coordenado pela Secretaria de Estado de
Desenvolvimento Econômico (SEDE) e executado pelo INDI.
Dentre as diversas ações previstas para serem executadas no âmbito desse
Projeto Estruturador, em 2008, destacam-se a realização de estudos sobre as
cadeias produtivas locais e sobre segmentos econômicos com elevado potencial de
crescimento. Nesse sentido, a Unidade de Estudos Econômicos e Mercado do INDI
(DEAR/AEM) decidiu analisar a produção, comercialização e industrialização de
produtos fitoterápicos no Norte de Minas, Jequitinhonha/Mucuri e Rio Doce.
A escolha desse segmento econômico para objeto analítico deveu-se a
constatação de que há uma crescente aceitação por parte dos consumidores por
medicamentos feitos a partir de plantas, o interesse da indústria farmacêutica na
busca de compostos naturais, a validação científica de inúmeras plantas de uso
popular e a tradição existente em Minas Gerais do cultivo caseiro de plantas
medicinais. Ademais, acrescente-se que a população dessas regiões de
planejamento tem baixo poder aquisitivo. A produção local de medicamentos a base
de produtos naturais desde que a baixo custo, poderá contribuir para uma parcela
maior da população tenha acesso a medicamentos.
Outro motivo da escolha desse segmento deveu-se ao fato de que a
DEAR/AEM do INDI, em parceria com a Faculdade de Farmácia da Universidade
Federal de Minas Gerais (UFMG), o Mercosul e o Sindicato das Indústrias de
Produtos Farmacêuticos e Químicos para Fins Industriais no Estado de Minas Gerais

3
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

(SINDUSFARQ) vem desenvolvendo ações visando o seu desenvolvimento.


Algumas dessas ações são listadas neste trabalho.
Além disso, deve ser ressaltado que este trabalho, por seu caráter
exploratório e pioneiro pretende listar as iniciativas que vem sendo desenvolvidas no
Norte de Minas, Jequitinhonha/Mucuri e Rio Doce, abrir discussão para estudos
posteriores e também para contribuir para o desenvolvimento de uma cadeia
produtora de medicamentos fitoterápicos nessas regiões mineiras.

2 – METODOLOGIA DO TRABALHO

Este paper procura descrever de maneira sucinta algumas ações que vem
sendo desenvolvidas por pessoas e instituições situadas no Norte de Minas e nos
vales dos rios Jequitinhonha, Mucuri e Doce.
Para descrever essas ações, procedeu-se ao seu levantamento em fontes
secundárias, principalmente pela Internet, e primárias, através de entrevistas
telefônicas.
A opção por esses meios para a obtenção de dados decorreu da rapidez em
acessá-los, contudo, apresenta diversas limitações como, por exemplo, baixa
confiabilidade de algumas páginas da Internet e delimitação do universo a ser
pesquisado a aquelas empresas e instituições que possuem páginas eletrônicas.
Além disso, não se encontrou nenhuma bibliografia específica sobre a cadeia
produtiva de fitoterápicos nas regiões pesquisadas. Os trabalhos publicados versam
sobre aspectos específicos, geralmente sobre cultivo de algum vegetal e sobre
resultados obtidos em projetos de extensão. A falta de bibliografia sobre esse tema
em nível regional atrapalhou o desenvolvimento deste trabalho transformando-o em
um levantamento exploratório.

4
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

3 – PRINCIPAIS CONCEITOS EM FITOTERÁPIA E PRODUÇÃO DE


MATÉRIAS-PRIMAS VEGETAIS

Para facilitar o entendimento buscou-se aclarar alguns conceitos relevantes,


tais como:

Medicamento Fitoterápico - Conforme definição da Agência Nacional de


Vigilância Sanitária (ANVISA),

“fitoterápicos são medicamentos obtidos a partir de plantas medicinais. Eles


são obtidos empregando-se exclusivamente derivados de droga vegetal
(extrato, tintura, óleo, cera, exsudato, suco, e outros). Não é objeto de registro
como medicamento fitoterápico, planta medicinal ou suas partes, após
processos de coleta, estabilização e secagem, podendo ser íntegra, rasurada,
triturada ou pulverizada” (ANVISA: 2008).

Para se obter o registro de um medicamento fitoterápico são necessárias diversas


etapas conforme mostrado no diagrama 1.

Diagrama 1
Etapas para a produção de um medicamento fitoterápicos

Estudos biológicos Estudos químicos

Estudos pré-clínicos Estudos clínicos

Registro Mercado

Fonte: MONTANARI Jr. 2008 a.

5
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

Essas diversas etapas necessárias e previstas na legislação brasileira tornam


o processo longo e oneroso para pequenos e médios empresários que atuam nesse
segmento da indústria farmacêutica. Por essa razão, o processo para obtenção de
registro junto à ANVISA é constantemente, motivo de reclamação por parte dos
empresários mineiros.

Planta medicinal: Qualquer planta que possua em ou em vários de seus órgãos,


substâncias usadas com finalidade terapêutica ou que sejam ponto de partida para a
síntese de produtos químicos e farmacêuticos (MONTANARI, 2008 a).

Droga Vegetal: planta medicinal ou suas partes, após processos de coleta,


estabilização e secagem, podendo ser íntegra, rasurada, triturada ou pulverizada
(Resolução RDC-48, 2004).

Princípio ativo: Conforme a resolução RDC-48, 2004, da ANVISA “trata-se de


substância ou grupo delas, quimicamente caracterizada, cuja ação farmacológica é
conhecida e responsável, total ou parcialmente, pelos efeitos terapêuticos do
medicamento fitoterápico”.

Matéria Prima - A matéria prima é classificada segundo os seguintes critérios


expostos na RDC-48, 2004: Intensidade da cor, do aroma, o grau de fragmentação,
porcentagem de material estranho, identificação taxonômica, identificação macro e
microscópica, percentual de cinzas, de cinzas insolúveis em ácido clorídrico, de
umidade, o nível de contaminação microbiológica, de metais pesados e a análise
qualitativa e quantitativa de princípios ativos e/ou marcadores, quando conhecidos.

6
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

4 – PRODUÇÃO DE MATÉRIAS-PRIMAS VEGETAIS

Dada a ampla utilização de plantas com propriedades medicinais por grande


parcela da população brasileira, fruto de nossa evolução histórica e de nossa rica
herança cultural recebida dos colonizadores portugueses, dos escravos africanos e
dos ameríndios, existe uma crença disseminada junto ao público geral que é muito
fácil cultivar matérias-primas vegetais destinadas à produção de fitomedicamentos.
Vários fatores interferem na qualidade da matéria-prima produzida. Dentre os
fatores que influenciam o padrão da matéria-prima destacam-se os ambientais (solo,
clima, pragas, espaçamento, irrigação, etc.), genéticos (características herdáveis),
ontogênico (estágio de desenvolvimento da planta) e a pós-colheita (secagem e
armazenamento, principalmente).
Devido a essas variáveis, a produção de matéria-prima fitoterápica exige
acompanhamento agronômico constante.
Além disso, conforme mostrado no diagrama 2, é apresentada as diversas
etapas necessárias para o desenvolvimento de tecnologia de produção de uma
matéria-prima vegetal. A partir desse diagrama, extraído de trabalho publicado pelo
Prof. Montanari Júnior (2008 a), pode-se inferir a importância de uma instituição
certificada, seja pública ou privada, para a produção de mudas ou sementes de
qualidade que serão posteriormente, fornecidas aos produtores rurais.
No Norte de Minas, caso um programa de produção de matérias-primas
vegetais venha a ser implementado, a participação de instituições como o Núcleo de
Ciências Agrárias (NCA) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em
Montes Claros, e Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES) que
possui um campi universitário destinado ao ensino das Ciências Agronômicas em
Janaúba. Além dessas instituições a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas
Gerais (EPAMIG) possui fazendas experimentais em Gorutuba, Mocambinho e
Jaíba.

7
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

Caso opte por desenvolver um programa de cultivos de plantas medicinais no


Vale do Jequitinhonha, a EPAMIG possui em Leme do Prado, a Fazenda
Experimental Acauã. Outra importante instituição é a Universidade Federal dos
Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) situada em Diamantina. Esta
Universidade tem um núcleo acadêmico com interesses em pesquisas sobre
fitoterápicos. Nos vales do Rio Doce e Mucuri não foi encontrada nenhuma
instituição pública de ensino e pesquisa que tenha cursos de ciências agrárias.

Diagrama 2
Etapas para o desenvolvimento de tecnologia de produção de uma matéria-
prima vegetal

Populações Selvagens
(estudos ecológicos: condições naturais de onde a planta ocorre,
principalmente solo, clima e ambiente)
(estudos biológicos: época de floração, crescimento, ciclo, modo de
reprodução, biologia floral)

Criação de banco de Experimentos


germoplasma de campo
(descrição da variabilidade: (definição de
características de importância agrícola técnicas de cultivo
e química, como resistência a preliminares)
doenças, arquitertura, vigor, índice de
colheita, teor e composição de
princípios ativos)

Seleção de plantas elite Cultivo em


(definição dos objetivos do
melhoramento: características
escala piloto
agrícolas e químicas)

Melhoramento Produção de material Experimentos


genético para propagação de campo
Estudo da (sementes e/o vegetativo) (otimização das
herdabilidade técnicas de
Definição do cultivo)

Cultivo em escala comercial

Fonte: MONTANARI. Jr. (2008 a).

8
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

No Vale do Rio Doce, entretanto, deve ser ressaltado o trabalho exitoso que
vem sendo desenvolvido pela Prefeitura de Ipatinga para a produção de
medicamentos fitoterápicos chamado Farmácia Verde. Esses remédios são
distribuídos nos postos de saúde pertencentes a aquele município. Este trabalho
detalhará mais a frente o Programa Farmácia Verde.
Talvez, a falta de assistência técnica ao pequeno produtor e de mudas
certificadas sejam algumas das causas que expliquem o fato de a produção de
matérias-primas fitoterápicas ser tão pouco expressiva em Minas Gerais.
O único laboratório mineiro que trabalha com matéria-prima fitoterápica é a
Indústria Farmacêutica Catedral. Localizado na Região Metropolitana de Belo
Horizonte, este laboratório produz tinturas, extratos glicólicos, extratos secos,
extratos hidroalcoólicos e extratos especiais. Segundo entrevista com os
proprietários da referida Empresa, a grande maioria das matérias-primas utilizadas
para a produção dos referidos produtos é oriunda de outros estados da federação ou
importada.
Levantamento realizado, em 2006, pela equipe da Faculdade de Farmácia da
UFMG, mostrou quais são as principais plantas utilizadas pelos laboratórios
mineiros. No quadro 1 é apresentada uma síntese desse trabalho realizado pela
equipe da Professora Maria das Graças Lins Brandão.
Como pode ser observado, os laboratórios mineiros demandam um grande
variedade de plantas e eles são, em geral, de pequeno e médio porte. Assim sendo,
infere-se que as quantidades demandadas de cada vegetal são pequenas. Ademais,
nenhum laboratório fitoterápico está instalado no Norte de Minas,
Jequitinhonha/Mucuri e Rio Doce e isto atrapalha o desenvolvimento de um
programa voltado ao cultivo de plantas medicinais.

9
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

Quadro 1

Minas Gerais

Plantas mais utilizadas pelas Indústrias de Fitoterápicos


PLANTA ESPÉCIE ORIGEM Nº EMPRESAS

Eucalipto Eucalyptus globulu Exótica 7 Belém Jardim, Catedral, Magaraz,


Pharmascience, Sta Bárbara, Sciavicco e
Sono dos Ar
Gengibre Zingiber officinéllis. Exótica 6 Belém Jardim, Catedral,CONAP, Lab,
Caiçara, Sciavicco e Sta Bárbara

Babosa Aloe vera Exótica 6 Biocilin, Bravir, Catedral, Dermaroma,


Sciavicco, Osório de Moraes

Maracujá Passiflora Nativa 6 Bravir, Fitovida, Catedral, Belém Jardim,


Barros e Sciavicco
Alcachofra Cynara scolymus Exótica 6 Belém Jardim, Protarbe, Catedral,
Fitovida, Pharmascience e Sciavicco
Abacate Persea gratissima Nativa 5 Biocilin,BelémJardim, Bravir, Catedral e
Sciavicco
Funco Foeniculum vulgaris Exótica 5 Catedral, Melpoejo, Sciavicco, Sono dos
Anjos e Dermaroma
Erva Doce Pimpinella anisum Exótica 5 Catedral, Melpoejo, Sciavicco, Sono dos
Anjos e Dermaroma
Guaco Mikania laevigata Nativa" 5 Catedral, CONAP, Magaraz,
Pharmascience e Sta Bárbara
Jaborandi Pilocarpus sp., Nativa 5 Biocilin,Catedral, Dermaroma, Planta
Medicinal e Sciavicco
Guaraná Paulínia cupana Nativa 5 Catedral, Protarbe, Fitovida,
Pharmascience e Sciavicco
Melissa Melissa officinalis Exótica 4 CONAP, Lab, Caiçara, Sciavicco e Sta
Bárbara
Romã Punica granatum Exótica 4 Catedral, CONAP, Lab. Caiçara e Sta
Bárbara
Hamamélis Hammamelis virginiana Importada 4 Catedral,Dermaroma (8produtos), Osório
de Moraes e Sciavicco

Gingko biloba Gingko N/aba Importada 4 Dermaroma,- Fitovida , Lab, Globo e


Pharmascience
Alecrim Rasmarinus afficinalis Exótica 4 Catedral,:CONAP; Dermaroma, Sono dos
Anjos, Sciavicco
Camomila Chamomila recutita Exótica 4 Belém Jardiri1; Bravir, DermêlQma e
Sciavicco
Carqueja Baccharis trimera Nativa 4 Fitovida, Catedral, Magaraz e Sclavicco
Cáscara sagrada Rhamnus purshiana Importada 4 Catedral, Fitovida, Pharmascience e
Sciavicco
Espinheira Santa Maytenus ilicifolia Nativa 4 Fitovida, Catedral, Belém Jardim e
Sciavicco
Quina mineira Remijia ferruginea Nativa 4 Catedral, Dermaroma, Beltar e Magaraz
Jurubeba Salanum paniculatum Nativa 4 Beltar, Protarbe,Catedral e Sciavicco
Angico Ana,denanthera calubrina Nativa 3 Belém Jardim, Magaraz e Sciavicco

Amica Amica montana Importada 3 Catedral, Dermaroma, Sciavicco


Beiadona Atropa belladona Importada 3 Catedral, Osório de Moraes e Sciavicco

10
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

Calêndula Calendula afficinalis Exótica 3 Catedral,Dermaroma, e Sciavicco


Ginseng Panax ginseng Importada 3 Dermaroma, Fitovida e Pharmascience

CarobaJacaranda caroba Jacaranda caroba Nativa 3 Belém Jardim, Belfar e Catedral

Catuaba Trichilia/ Erytroxylon? Nativa 3 Catedral, Fitovida e Sciavicco


Copaíba Copaifera Nativa 3 Dermaroma, Fitovida e Sta Bárbara

Erva de bicho Polygonum hidropiper Nativa 3 Osório de Moraes, Belém Jardim e


Catedral
Ipecacuanha Psycothria ipecacu,anha Nativa 3 Catedral, Osório de Moraes e Sciavicco
* Boldo do Chile Peumus boldus'.. Importada 3 Pharmascience, Catedral e Sciavicco
Ruibarbo Rheum palmatum Importada 3 Melpoejo, Profarbe, Sciavicco
Cacau / manteiga Teobroma cacau Nativa 2 Biocilin e Bravir
Abutua Chondrodendron platyphyllum Nativa 2 Belém Jardim, Catedral
Aveia Avena sativum Exótica 2 Biocilin e Bravir
Capeba Pothomorphe umbelata Nativa 2 Belém Jardim e Osório de Moraes
Centáurea menor Centaurea Importada 2 Belfar e Sciavicco
* Chá verde Thea sineneis Importada 2 Dermaroma e Nutricêutica
Hipérico Hypericum perforatum Importada 2 Catedral e Pharmascience
Poejo Mentha pulegium Exótica 2 Melpoejo e Catedral
Quassia Picrasma crenata Nativa 2 Copo Medicinal, Profarbe
Quina amarela Cinchona calisaya Nativa 2 Catedral, Profarbe

Fonte: UFMG – Faculdade de Farmácia – 2006

4 – PRODUÇÃO DE MEDICAMENTOS E COSMÉTICOS


FITOTERÁPICOS
O Norte de Minas, apesar de abrigar duas das mais importantes indústrias de
base biotecnológica de Minas Gerais, a Novo Nordisk e a Vallée, não tem nenhuma
empresa fitoterápica.
Com relação aos vales dos rios Jequitinhonha, Mucuri e Doce verificou-se
junto ao SINDUSFARQ, que não existe nenhuma empresa farmacêutica situada
nessas regiões mineiras. A relação de empresas filiadas ao SINDUSFARQ e que já
trabalham ou com potencial para trabalhar com produtos fitoterápicos está no Anexo
1.

11
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

Além dos laboratórios fitoterápicos propriamente ditos, as empresas


fabricantes de artigos de perfumaria, higiene e limpeza podem utilizar de produtos
naturais na composição de seus artigos e trabalhar isto, do ponto de vista
mercadológico, como um diferencial competitivo. A Natura, uma das principais
empresas brasileiras que atuam nesse segmento, vem sendo muito bem sucedida
no lançamento de produtos inovadoras e que utilizam extratos de produtos da rica
flora brasileira. Nesse mesmo sentido, a presidente do SINDUSFARQ, Giana
Marcellini, citado por Turra (2008) afirmou:

“A biodiversidade brasileira tem sido uma grande aliada das


empresas de cosméticos e perfumes. Isso porque elas contam com
uma das mais ricas floras para realizar suas pesquisas”

Em levantamento junto ao SINDUSFARQ, verificou-se a existência das


seguintes empresas fabricantes de cosméticos situadas nas áreas que foram objeto
deste estudo:

1) Bio Life Indústria e Comércio de Cosméticos Ltda


Atividade Industrial: Fabricação de artigos de perfumaria e cosméticos
Localização: Montes Claros - MG

2) Emdimnal Empresa de Distribuição Mercantilista Nacional Ltda - Barro Minas


Atividade Industrial: Fabricação de produtos cosméticos para tratamento capilar
Localização: Ipatinga – MG

5 – ATUAÇÃO DO INDI PARA ESTIMULAR A PRODUÇÃO


FITOTERÁPICA EM MINAS GERAIS.
A Unidade de Estudos do INDI passou a preocupar-se com o
desenvolvimento da produção de artigos fitoterápicos em Minas Gerais como
forma de aproveitar economicamente e de maneira sustentável a biodiversidade
brasileira.
Ademais, acrescenta-se que das 877 moléculas utilizadas em novas drogas
no período 1981-2002, 60% são de origem natural, 6% de substâncias naturais

12
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

não modificadas e 27% derivadas de produtos naturais, segundo dados


apresentados pelo Dr. Matthias Miller, durante o VII Fórum de Medicamentos
Fitoterápicos, ocorrido em São Paulo, nos dias 30 e 31 de outubro de 2006.
Ainda, segundo esse mesmo palestrante, mas de 30% do mercado global de
medicamentos são de produtos naturais ou de drogas derivadas de produtos
naturais.
Efetivamente, a Unidade de Estudos do INDI passou a acompanhar essa
cadeia a partir de sua participação no “Primeiro Encontro e Rodada de Negócios
para o Congresso do Setor de Fitoterápicos do Mercosul”, realizado em Montevidéu,
a convite do Secretariado do Mercosul. Durante o evento, ocorrido em outubro de
2005, surgiu a idéia de articulação da cadeia produtiva para a produção de
fitoterápicos, nos países integrantes do Mercosul. Neste evento foram realizados os
primeiros contatos entre o setor produtivo, governos e centros de pesquisas e
universidades que, sensibilizados quanto à relevância do tema, criaram um grupo de
discussões sobre o setor, com a finalidade de desenvolvê-lo no âmbito do Mercosul.
A cadeia produtiva de fitoterápicos, apesar de incipiente no Mercosul, poderá
se tornar uma importante cadeia produtiva já que a Região abriga alguns dos
ecossistemas mais ricos em biodiversidade em todo o planeta, somente o Brasil
detém cerca de 20%. Além disso, o mercado mundial para produtos naturais vem se
ampliando a taxas elevadas. O Dr. Matthias Miller estima o mercado mundial de
produtos fitoterápicos em US$ 76 bilhões.
Após isso o evento ocorrido no Uruguai, foram realizadas reuniões em Minas
Gerais com a participação de representantes do Sindicato das Indústrias de
Produtos Farmacêuticos e Químicos para fins Industriais no Estado de Minas Gerais
(SINDUSFAQ), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e de algumas
empresas, destacando-se o Laboratório Catedral. Este Laboratório, em decorrência
dos contatos mantidos durante o evento, conseguiu estabelecer uma parceria para a
exportação de matéria-prima fitoterápica com a empresa uruguaiana Botica del

13
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

Señor . Além disso, essa Empresa vem apoiando outras iniciativas que vem sendo
pensadas para o desenvolvimento da cadeia em Minas Gerais.
O INDI também vem mantendo intenso contato com as instituições
acadêmicas de Minas Gerais que possuem pesquisadores voltados para este tema.
Alguns dos principais grupos de pesquisa estão nas seguintes universidades:
• Universidade Federal de Lavras (UFLA),
• Universidade Federal de Viçosa (UFV),
• Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES),
• Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
• Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).
É importante ressaltar que sob a coordenação da Faculdade de Farmácia da
UFMG, será realizado em Belo Horizonte, em dezembro de 2008, o II Congresso de
Fitoterápicos do Mercosul.
Digno de nota também, é o trabalho que vem sendo realizado por professores
ligados a UFMG, UNIMONTES e UFVJM no Norte de Minas. Sem dúvida alguma,
qualquer projeto que envolva a produção de plantas medicinais nessa região ou nos
vales do Jequtinhonha, Mucuri e Doce deverá contar com a colaboração dessas
instituições.

6 – LEVANTAMENTO DE EXPERIÊNCIAS EM CURSO NO NORTE DE MINAS E


NOS VALES DO JEQUITINHONHA, MUCURI E RIO DOCE VOLTADAS PARA A
PRODUÇÃO DE FITOTERÁPICOS
O Norte de Minas e Jequitinhonha são regiões em que a rica biodiversidade
do Cerrado convive com a pobreza generalizada da população rural, em geral
constituídas por agricultores familiares. Tal quadro é similar ao encontrado nos
vales do Mucuri e Rio Doce. Devido a esse quadro de estagnação do meio rural, o
êxodo em direção às cidades-pólo e às metrópoles continua, conforme comprovou
os dados divulgados pelo IBGE com informações sobre a última contagem
populacional.

14
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

Essas regiões não apresentam tradição no cultivo comercial de plantas


medicinais, entretanto existem projetos em andamento que sinalizam que tal
realidade pode ser modificada. Ressalte-se que o levantamento sobre essas
pesquisas em curso não foi exaustivo devido ao tempo disponível para a conclusão
deste trabalho.
Dentre os projetos em andamento destacamos aqueles que o professor-
adjunto Ernane Ronie Martins, da Universidade Federal de Minas Gerais, vem
realizando um trabalho de extensão para divulgar o cultivo, manejo e propriedades
de espécies medicinais e aromáticas do Norte de Minas e Vale do Jequitinhonha.
Atualmente este professor, em parceria com diversas entidades (Emater,
Universidade Estadual de Montes Claros, Universidade Federal de Ouro Preto e
associações locais), esta sendo desenvolvimento o projeto “Capacitação na
produção Sustentável e uso de plantas medicinais e aromáticas do Cerrado em
comunidades do Vale do Jequitinhonha e Norte de Minas”. Este projeto tem por
objetivo geral capacitar técnicos e representantes de organizações ligadas à
agricultura familiar na produção sustentável e uso de plantas medicinais e
aromáticas do Cerrado.
Além disso, o professor Martins desenvolve os seguintes projetos:
• Cultivo do alecrim-pimenta (Lippia sidoides Cham.), a pesquisa visa
conhecer as exigências hídricas dessa espécie e o seu comportamento
no Norte de Minas.
• Cultivo de plantas medicinais em consórcio com hortaliças - Tem por
objetivo avaliar o cultivo de plantas medicinais, aromáticas e
condimentares em consórcio com hortaliças.
• Plantas medicinais do cerrado mineiro: Dimorphandra mollis - análise de
qualidade da matéria-prima vegetal.
• Manejo e domesticação da fava-d’anta (Dimorphandra mollis) - O projeto
visa o desenvolvimento de tecnologia de cultivo e manejo da espécie no
Norte de Minas.

15
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

• Capacitação de agricultores e extrativistas do Norte de Minas e Alto


Jequitinhonha em boas práticas populares de produção, manejo e
manipulação de plantas medicinais do Cerrado - capacitar agricultores e
extrativistas no manejo e uso de plantas medicinais.
• Ações integradas em plantas medicinais: qualidade de vida e
sustentabilidade da produção agropecuária – Essa pesquisa desenvolve
ações de divulgação do conhecimento sobre plantas medicinais,
contribuindo no fortalecimento da cultura tradicional.
Também merecem destaque os trabalhos que vem sendo realizados pela
professora Cristiane Fernanda Fuzer Grael e equipe, da Universidade Federal dos
Vales do Jequitinhonha e do Mucuri, em Diamantina. Atualmente, conforme consta
em seu Currículo Lattes, a pesquisadora está realizando o levantamento
etnobotânico e a caracterização fitoquímica de plantas medicinais nativas na região
de Diamantina. O levantamento etnobotânico será realizado junto a raizeiros. Após
coleta, confecção das exsicatas e identificação taxonômica das plantas citadas será
realizada triagem fitoquímica de extratos obtidos a partir dos vegetais.
Outro estudo conduzido pela professora Grael é intitulado “Estudos
Fitoquímico e Farmacológico de plantas nativas do cerrado e campo rupestre
utilizadas na medicina popular na região do Alto do Jequitinhonha”. A pesquisadora,
através desse projeto de pesquisa, busca estudar espécies vegetais utilizadas na
medicina popular encontradas no Cerrado e em Campos Rupestres. Porém, poucas
delas foram investigadas sob os aspectos químico e farmacológico. Um exemplo
dessas plantas é a Ageratum fastigiatum (Eupatorieae, Asteraceae), popularmente
chamada de "enxota", e utilizada como agente cicatrizante, analgésico e
antiinflamatório.

16
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

6.1 - Projeto “Farmácia Verde” da Prefeitura de Ipatinga

A Prefeitura de Ipatinga procurou aliar a cultura popular com o conhecimento


científico em prol da saúde pública. Estes são os principais ingredientes da Farmácia
Verde, um projeto que resgata o uso de plantas medicinais no tratamento de
doenças, com acompanhamento técnico e científico.
O Projeto Farmácia Verde busca fornecer à população medicamentos
naturais a baixo custo, além de diminuir as despesas do município com a aquisição
de medicamentos alopáticos. Modelo e referência nacional por ser motivada pela
união entre a Prefeitura e a população. Não existem investimentos externos no
projeto, todas as suas despesas são arcadas pela Administração Municipal de
Ipatinga.

Foto tirada no Projeto Farmácia Verde – Ipatinga/MG.

17
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

O Projeto atrai a atenção de estudiosos, técnicos e populares de várias


regiões do estado, do país e do exterior, interessados em difundir o processo de
fabricação e distribuição de medicamentos através de plantas medicinais. Dentre as
cinco farmácias verdes públicas no Brasil, a unidade de Ipatinga foi considerada pelo
Ministério da Saúde a mais estruturada, servindo assim de modelo.
Como o plantio de todas as ervas utilizadas na produção dos medicamentos é
feito no horto municipal, a matéria-prima utilizada é garantida pela qualidade. Da
semeadura à colheita, as normas de controles são cumpridas rigorosamente e essas
possibilidades são mostradas à população através de palestras, cursos e oficinas
abertas ao público, ministradas semanalmente todas as quintas-feiras, no horário de
14 às 16 horas, no anfiteatro da farmácia. Nestas oportunidades são discutidos com
a comunidade assuntos diversos referentes à fitoterapia. Para participar, o
interessado basta comparecer ao local, no dia e horário previamente estipulados.
O programa conta com a assistência de uma equipe formada por um médico,
uma bioquímica, quatro auxiliares gerais, cinco técnicos em laboratório, um técnico
em enfermagem, um técnico administrativo. Todo o trabalho tem acompanhamento
técnico e científico.

São as seguintes as etapas do processo, do plantio à produção:

01 - Preparo das sacolas de terra;


02 - Preparo das mudas;
03 - Plantio;
04 - Colheita;
05 - Lavagem;
06 - Desidratação;
07 - Sala de manipulação;
08 - Armazenamento (sala de estocagem);
09 - Trituração, na hora da manipulação;

18
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

10 - Preparação de extratos e tinturas (e eliminação de bagaço);


11 - Farmácia (armazenamento dos fitoterápicos).
Os medicamentos são enviados a todas as unidades públicas de saúde do
município, que fazem a distribuição mediante prescrição médica. É necessária a
apresentação do receituário médico.
Pode-se optar também por receber as ervas medicinais através da planta fresca,
colhidas na hora, sendo a distribuição é feita diariamente, das 7 às 9 horas. Uma
funcionária treinada orienta cada usuário sobre a forma de preparo de chás e
cuidados necessários.

Os medicamentos fitoterápicos mais receitados são:

- Tinturas: ginkgo biloba, própolis, maracujá, tanchagem, guaco, camomila,


mulungu;
- Pomadas: calêndula, camomila e própolis;
- Cremes : calêndula, camomila e calêndula com confrey.
A Farmácia do Povo possui 10 mil metros quadrados de área para o cultivo de 37
espécies e manipula 42 espécies. Essa estrutura possibilita a produção de 1.500
unidades/mês de potes com pomadas e 7.000 vidros/mês de tinturas.
A Farmácia Verde fornece anualmente, para os 16 postos de saúde do
município, 78 mil vidros de 30 ml de tinturas e cerca de 300 quilos de pomadas,
além de oito tipos de cremes e dois tipos de anti-sépticos. “Atualmente 80% das
pomadas usadas nas salas de curativos dos postos de saúde são produzidos aqui”,
informa Dilvana Nogueira, farmacêutica bioquímica e responsável técnica pelo
laboratório de fitoterapia do Projeto.
Embora muitos usuários busquem os medicamentos no próprio Laboratório, a
maior parte é distribuída nos postos – e, em ambos os casos, sob prescrição
médica. Aliás, o treinamento dos profissionais de medicina e de enfermagem do
município, preparando-os para o trabalho com fitoterapia, foi também fruto da
Farmácia Verde.

19
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

Todo o trabalho desenvolvido na Farmácia Verde envolve uma equipe


multidisciplinar de saúde com farmacêuticos, médicos, enfermeiros, além de técnicos
de laboratório, auxiliares técnicos, engenheiro agrônomo, educadores e agentes de
saúde.
Apesar da grande aceitação, a Farmácia Verde lida com dificuldades, devido à
própria estrutura do Sistema Público de Saúde. O principal problema é a escassez
de recursos. O Ministério da Saúde não investe no Projeto e a Prefeitura arca
sozinha com todas as despesas, cuja parte mais cara é o maquinário, algumas
máquinas custam mais de US$ 15 mil.

Foto tirada no Projeto Farmácia Verde – Ipatinga/MG.

7 – CONCLUSÕES:
As regiões Norte de Minas, Jequitinhonha/Mucuri e Rio Doce não apresentam
cultivos comerciais de plantas medicinais. Entretanto possuem instituições
acadêmicas que podem apoiar programas voltados para tal fim. As principais são: a
Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), a Universidade Federal de
Minas Gerais – Campus de Montes Claros (UFMG), a Universidade Federal dos
Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e a Empresa de Pesquisa Agropecuária
de Minas Gerais (EPAMIG).

20
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

Ademais, existem algumas empresas agroindustriais nessas regiões com


elevado nível de tecnificação que, em tese, conseguiriam produzir plantas
medicinais com a qualidade requerida pela indústria fabricante de medicamentos
fitoterápicos. Dentre as empresas existentes citam-se a Fuchs Agroscience, em
Brasilândia de Minas, e a Bioneem Tecnologia Indústria e Comércio Ltda. localizada
em Itinga, Vale do Jequitinhonha.
A Fuchs, subsidiária brasileira do grupo alemão de mesmo nome, é uma das
líderes mundiais no plantio, industrialização e comercialização de especiarias
vegetais. O Grupo conta com plantas industriais em vários paises (Alemanha,
França, Romênia, Estados Unidos e Brasil).
Já a Bioneem é especializada no cultivo, extração e industrialização de
produtos madeireiros e não madeireiros obtidos do neem (azadirachta Indica). Os
princípios ativos dessa planta indiano podem ser usados em diversos segmentos,
desde a formulação de defensivos agrícolas e pecuários, medicinais e fitoterápicos,
cosméticos, biofertilizantes melhoradores e descontaminantes de solos.
Na área pública devem ser ressaltados os sucessos obtidos pela Prefeitura
Municipal de Ipatinga na produção e distribuição de medicamentos fitoterápicos,
através do Projeto Farmácia Verde.
Entretanto, a despeito desses fatores positivos, falta a essas regiões de Minas
uma base industrial que estimule a produção de matérias-primas vegetais. Em
Montes Claros encontram instaladas duas importantes empresas voltadas para a
saúde humana (Novo Nordisk) e para a animal (Vallée). Além dessas duas
indústrias, esse pólo industrial está recebendo investimentos da Hipolabor que está
implantando uma fábrica voltada para a produção de medicamentos genéricos. A
atração de empresas voltadas para a produção de fitoterápicos contribuiria para
adensar, ainda mais, a cadeia produtiva das “ciências da vida” no Norte do Estado.
Ressalta-se que a produção de matérias-primas vegetais e a sua industrialização,
seja para a fabricação de medicamentos ou voltadas para os fitocosméticos, são

21
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

intensivos em mão-de-obra, o que contribuiria para reduzir o desemprego em uma


região que oferece limitadas oportunidades de emprego.
Além de atrair empresas, o INDI deve apoiar as indústrias de fitoterápicos
existente em Minas Gerais. As empresas mineiras são em geral de pequeno e médio
porte e carecem de recursos para investirem em P&D, dentre outros fatores que
limitam o seu desenvolvimento (custos para adequação às normas da ANVISA,
custos laboratoriais, descapitalização, pequeno grau de internacionalização, etc.).
Além disso, as empresas que trabalham com fitoterápicos estão, em sua grande
maioria, situadas na Região Metropolitana de Belo Horizonte, relativamente,
distantes portanto, das Região Norte do Estado e dos vales do Jequitinhonha,
Mucuri e Doce. Isso dificulta o estabelecimento de parcerias, mas não as inviabiliza.
Uma oportunidade concreta de a cadeia produtiva de fitoterápicos de Minas
Gerais se desenvolver, através do aprofundamento dos debates e soluções de seus
problemas e da maior internacionalização das empresas que a compõe, será
representada pelo II Congresso de Fitoterápicos do Mercosul que ocorrerá em Belo
Horizonte nos dias 03 e 06 de dezembro de 2008. O Congresso reunirá a
comunidade acadêmica, empresarial e governos dos países componentes do
Mercosul.
Para finalizar, deve-se ressaltar que apesar da pouca representatividade da
indústria de fitoterápicos na base industrial brasileira, esse segmento representa
uma dos maiores diferenciais competitivos do Brasil frente a outros países.
Diferencial, ainda, pouco conhecido e explorado de maneira sustentável...

22
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
ANVISA. Disponível em www.anvisa.gov.br, acessado em 02 jul.2008.
BIONEEM. Disponível em www.bioneem.com.br, acessado em 09 jul.2008
LABORATÓRIO CATEDRAL. Disponível em www.laboratoriocatedral.com.br,
acessado em 02 jul. 2008
CARVALHO, Ana Cecília Bezerra et al. Aspectos da Legislação no controle nos
medicamentos fitoterápicos - T&C Amazônia, Ano V, Número 11, Junho de
2007.
EPAMIG. Disponível em www.epamig.br, acessado em 02 jul. 2008.
FUCHS. Disponível em www.fuchs.com.br, acessado em 03 jul. 2008.
MONTANARI Junior, Ílio. Aspectos da produção comercial de plantas medicinais
nativas. Disponível em www.anivsa.gov.br acessado em 12 jun. 2008 (a).
MONTANARI. Junior; Ilio. “Plantas medicinais e aromáticas: Oportunidade de
negócios sustentáveis”. Disponível em www.anivsa.gov.br acessado em 12
jun. 2008 (b).

23
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

TURRA, Renata. A vaidade que traz lucros. In “Indústria de Minas: uma revista do
Sistema FIEMG”. Belo Horizonte: Fiemg, mai. 2008, p. 32-33.
UFVJM. Disponível em www.fafeod.br, acessado em 12 jul. 2008.
UNIMONTES. Disponível em www.unimontes.br, acessado em 02 jul. 2008.
VALLÉE. Disponível em www.vallee.com.br, acessado em 03 jul. 2008.

ANEXO 1 – Relação de empresas filiadas ao SINDUSFARQ fabricantes de


cosméticos, perfumes, artigos de higiene e limpeza, produtos farmacêuticos
ou fitoterápicos.

1) Aimer Cosméticos Ltda


Atividade Industrial: Fabricação de Produtos Cosméticos
Localização: Belo Horizonte – MG
2) Alva Cosméticos Ltda
Atividade Industrial: Indústria e comércio de cosméticos
Localização: Belo Horizonte – MG
3) Aparecida Luíza de Faria ME
Atividade Industrial: Fabricação de cosméticos e perfumes
Localização: Belo Horizonte – MG
4) Belfar Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Belo Horizonte – MG
5) Biocilin Indústria de Cosméticos Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos de cosméticos e de perfumaria
Localização: Vespasiano – MG
6) Bioclass Indústria de Cosméticos Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de esmaltes, batons, sabonetes líquidos
Localização: Belo Horizonte – MG

24
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

7) Bioextratus Cosmetic Natural Ltda


Atividade Industrial: Indústria de cosméticos
Localização: Alvinópolis – MG.
8) Bio Life Indústria e Comércio de Cosméticos Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de artigos de perfumaria e cosméticos
Localização: Montes Claros – MG
9) Bravir Industrial Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos e cosméticos
Localização: Contagem – MG
10) Casula & Vasconcelos Indústria Farmacêutica e Com. Ltda
Atividade Industrial: Indústria de produtos farmacêuticos
Localização: Belo Horizonte – MG.
11) Cifarma Científica Farmacêutica Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Santa Luzia – MG
12) Cimed Indústria de Medicamentos Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Pouso Alegre – MG
13) Cosméticos Vieira Ltda
Atividade Industrial: Produtos Cosméticos
Localização: Belo Horizonte - MG
14) Distribuidora Amaral Ltda - Farmax
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos e cosméticos
Localização: Divinópolis - MG
15) Emdimnal Empresa de Distribuição Mercantilista Nacional Ltda - Barro Minas
Atividade Industrial: Fabricação de produtos cosméticos para tratamento capilar
Localização: Ipatinga – MG
16) Futura Química Ltda
Atividade Industrial: Indústria de Produtos de limpeza
Localização: Betim - MG
17) Georges Broemmé Aromas e Fragrâncias Ltda
Atividade Industrial: Fabricação aditivos de uso industrial (essências)
Localização: Carmo da Mata - MG
18) Grand'Natureza Indústria e Comércio Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos cosméticos
Localização: Contagem - MG
19) Hertape Calier Saúde Animal Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos veterinários
Localização: Juatuba - MG
20) Hipolabor Farmacêutica Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Sabará - MG
21) Hypofarma - Instituto de Hypodermia e Farmácia Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos injetáveis
Localização: Ribeirão das Neves - MG
22) Indústria Farmacêutica Catedral Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos fitoterápicos
Localização: Vespasiano – MG
23) Jofadel Indústria Farmacêutica Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos e veterinários
Localização: Varginha – MG

25
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

24) La Force Creative Produtos Naturais Ltda


Atividade Industrial: Fabricação de produtos cosméticos e de beleza
Localização: Belo Horizonte – MG
25) Laboratório Belém Jardim Indústria e Comércio Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos e fitoterápicos
Localização: Belo Horizonte - MG
26) Laboratório Farmacêutico Caiçara Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos e fitoterápicos
Localização: Belo Horizonte – MG
27) Laboratório Farmacêutico Arboreto Ltda
Atividade Industrial: Produção de solução fisiológica
Localização: Juiz de Fora - MG
28) Laboratório Globo Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: São José da Lapa - MG
29) Laboratório Melpoejo Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos fitoterápicos
Localização: Juiz de Fora - MG
30) Laboratórios Osório de Moraes Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Contagem - MG
31) Laboratório Paiva Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Guaxupé - MG
32) Laboratório Químico e Farmacêutico Barros Ltda
Atividade Industrial: Produtos farmacêuticos
Localização: Juiz de Fora - MG
33) Laboratório Sanobiol Ltda
Atividade Industrial: Soluções parenterais de grande volume e descartáveis.
Localização: Pouso Alegre - MG
34) Laboratório Teuto Brasileiro S/A
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Belo Horizonte – MG
35) Lafit Indústria Farmacêutica Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Ituiutaba – MG
36) Lemos e Rago Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos oficinais, farmacêuticos e cosméticos
Localização: Nova Lima - MG
37) Lopes Produtos Farmacêuticos Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos e cosméticos
Localização: Varginha - MG
38) Luvick do Brasil Ltda
Atividade Industrial: Produção de cosméticos
Localização: Uberaba - MG
39) Magaraz Ind. Farmacêutica de Produtos Naturais Ltda
Atividade Industrial: Produtos Fitoterápicos
Localização: Araguari - MG
40) MaxiBrasil Indústria de Cosméticos Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de cosméticos
Localização: Belo Horizonte - MG

26
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

41) Medquímica Indústria Farmacêutica Ltda


Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Juiz de Fora - MG
42) Nativa Biocosméticos Ind. Com.Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de cosméticos para tratamento facial, corporal e capilar
Localização: Belo Horizonte - MG
43) Nativita Indústria Comércio Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Juiz de Fora – MG
44) Novo Nordisk Produção Farmacêutica do Brasil Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de medicamentos alopáticos de uso humano e insulinas
Localização: Montes Claros - MG
45) Nutra Hair Cosméticos Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos cosméticos
Localização: Belo Horizonte - MG
46) Organza Internacional Cosméticos Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de artigos de perfumaria e cosméticos
Localização: Belo Horizonte - MG
47) Pharmascience Laboratórios Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Betim – MG
48) Pharlab Indústria Farmacêutica Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Lagoa da Prata - MG
49) Pomada Milagrosa da Mãe Síria Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos de cosméticos
Localização: Planura - MG
50) Produtos Oficinais Avante Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos oficinais
Localização: Belo Horizonte - MG
51) Profarmig Indústria Farmacêutica Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos
Localização: Contagem - MG
52) Quiral Química do Brasil S/A
Atividade Industrial: Fabricação de Medicamentos para uso humano
Localização: Juiz de Fora - MG
53) Renylab Química e Farmacêutica Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos e médicos
Localização: Barbacena - MG
54) Rob Indústria e Comércio Ltda
Atividade Industrial: Fabricação de produtos cosméticos e de higiene
Localização: Betim - MG
55) União Química Farmacêutica Nacional S/A
Atividade Industrial: Fabricação de produtos farmacêuticos, químicos e veterinários
Localização: Pouso Alegre – MG.

27
Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais

28