Você está na página 1de 3

Teste de compreensão do oral

Transcrição da locução

Os Agentes da Ordem Gramatical


ENTREVISTADOR: Aprender em forma de teatro as boas regras da
gramática portuguesa pode ser uma missão impossível, mas para a Seiva
Trupe não é de facto. O título pode ser pomposo, mas é uma forma curiosa
de aprender gramática e a Seiva Trupe chamou-lhe “Os Agentes da Ordem
5 Gramatical”. Bruno Schiappa escreveu, encenou esta ideia e vai dizer já a
seguir quem são estes agentes.

BRUNO SCHIAPPA: Esses agentes são, sobretudo, as variadíssimas regras


de composição de bem falar da Língua Portuguesa, ou seja, o Sujeito, o
Predicado, os Complementos Direto e Indireto, o Agente da Passiva, o
10 Predicativo do Sujeito, a Acentuação, a Pontuação, ou seja, tudo aquilo que
compõe o grande tecido do bem falar da Língua Portuguesa.

ENTREVISTADOR: Os agentes gramaticais são transformados em pessoas,


personagens e vão contar uma história.

BRUNO SCHIAPPA: Contam uma história que acaba por ser uma parábola
15 sobre a capacidade que o ser humano tem de, por causa do ego exagerado,
promover uma série de rivalidades e criar situações de querela por “dá cá
aquela palha.” Portanto, eles acabam por se sentir destituídos do seu pódio,
digamos assim, uns pelos outros e então a Modificador, que é a grande
novidade em termos de alteração de terminologia da ordem gramatical, que
20 antigamente se chamava só Complemento Circunstancial, é que vai servir de
moderadora daquilo tudo e conduzir, naquelas personagens, para, de facto,
a lucidez de que somos todos importantes e que a união faz a força e que
temos todos de trabalhar uns com os outros.

ENTREVISTADOR: Falar bem mas com regras, com todas essas regras e
25 levá-las assim ao palco, para jovens, pode ser, talvez, “uma seca”. Bruno
Schiappa diz que não há problema, foi tudo feito a pensar precisamente
nisso.

BRUNO SCHIAPPA: Sim, houve todo esse cuidado em termos de


dramatologia.

30 ENTREVISTADOR: Um espetáculo que também promete risos e como a rir


se podem aprender as regras da Língua Portuguesa.

in http://www.tsf.pt/Programas/programa.aspx?content_id=1685629&audio_id=2245667

(consultado em 30-03-2014)
Teste de compreensão do oral

Escola: ____________________________________________________________________________________ 8.° ano


Nome: N.°: Turma:
Professor: _____________________________________________________________ Data:
Classificação: Encarregado de Educação:

1. Indica se as afirmações que se seguem são verdadeiras (V) ou falsas (F). (3 pontos)

a. “Os Agentes da Ordem gramatical” é o título de um espetáculo musical.

b. Quem escreveu e encenou este espetáculo foi Bruno Schiappa.

c. As personagens desta peça são apenas funções sintáticas da Língua Portuguesa.

2. Preenche o espaço com as palavras corretas: (2 pontos)

A companhia de teatro que leva à cena a peça “Os Agentes da Ordem Gramatical”
intitula-se .

3. Assinala, para cada uma das alíneas seguintes (3.1. a 3.3.), a(s) opção(ões) correta(s),
de acordo com a entrevista.

3.1. As personagens referidas no excerto são… (3 pontos)

a. o Sujeito e o Predicado.

b. o Complemento Agente da Passiva e a Modificador.

c. o Vocativo e o Complemento Oblíquo.

d. a Acentuação e a Pontuação.

e. o Complemento Direto e o Complemento Indireto.

f. o Grupo Nominal e o Grupo Verbal.

3.2. O encenador compara a história a… (1 ponto)

a. uma fábula.

b. uma parábola.

c. um mito.

d. uma lenda.

3.3. O espetáculo foi feito a pensar… (1 ponto)


a. nos jovens.

b. nos analfabetos.

c. nos professores de Língua Portuguesa.

d. nas pessoas que não sabem gramática.

Teste de compreensão do oral - CORREÇÃO


1. a. F (É o titulo de uma peca de teatro.); b. V; c. F (Há também outras personagens na peça,
como a Acentuação e a Pontuação.)

2. Seiva Trupe.

3.1. a., b., d., e.; 3.2. b.; 3.3. a.

4. A primeira parte vai desde o início do texto até «maravilha do


tempero», l. 22; a segunda parte é constituída pelo restante
texto. Na primeira parte referem-se viagens de Hans; na segunda,
o que fez depois de regressar.
5. 5.1 São várias as referências a sensações presentes nos três
parágrafos através das quais Hans se relaciona com a realidade.
Exemplos: segundo parágrafo – sensações cromáticas
ou visuais: «imensidão azul», l. 4 e «grandes praias brancas»,
ll. 4-5; quarto parágrafo – sensações auditivas: «este silêncio
», l. 15; quinto parágrafo – sensações gustativas: «a maravilha
do tempero», ll. 21-22 .
6. 6.1 A contínua pulsão para escrever para casa por parte de
Hans revela as fortes saudades que sentia, e, principalmente,
a necessidade forte de reatar o contacto com o pai a quem
tinha desobedecido ao partir, contrariando a sua vontade.
7. Comparação («cujo rasto trémulo de brilho como o dorso de
um peixe») e metáfora («cortava a escuridão extática das
águas»).
7.1 A metáfora «cortava» é expressiva pois do mesmo modo
que o que é cortado é separado, também o brilho da lua refletido
na superfície uniformemente escura das águas do mar as
separava em duas partes.
8. 8.1 Trata-se da «renúncia» a navegar: ao aceitar trabalhar
em terra com o sócio, Hans renuncia ao mar, a navegar.