Você está na página 1de 5

DICAS E BIZUS DE

PROVAS DE CONCURSOS
Aqui abaixo, compilei alguns “bizus” e dicas importantes para
que você consiga realizar uma ÓTIMA PROVA!

Espero que goste!

Primeiramente, quando for realizar sua prova, é muito


importante ler atentamente o enunciado e todas as opções ou
itens a serem julgados.

 Leia cada opção cuidadosamente duas vezes.


 Leia todas as assertivas antes de marcar sua resposta.
 Não leia demais as perguntas. Não pense demais sobre o
que o examinador está realmente querendo. Muitas vezes você pode
até ser penalizado por saber demais.
 Comece pelos problemas mais fáceis. Resista ao desejo de
resolver as questões em sequência, apenas porque elas são
numeradas. Isto não só irá melhorar sua confiança, como poderá
refrescar sua memória com algumas informações que você pode
coletar nas outras questões. Essa tática vai garantir que você ganhe
os pontos fáceis primeiro. Você não deve desperdiçar uma grande
quantidade de tempo em um problema difícil no início do tempo de
prova (e que no final pode até estar errado ou ser anulado) e depois
fazer, na pressa, questões fáceis que poderiam ter sido resolvidas
com calma antes.
 Seguindo a mesma linha recomendação anterior, não
comece a prova pela primeira matéria - geralmente, língua
portuguesa. Comece pela matéria que você mais domina.

Palavras de sentido absoluto como: “nunca”, “sempre”,


“não” merecem cuidado especial, porque podem esconder uma
pegadinha e tornar a afirmação incorreta nos casos em que houver
exceção.

Uma decisão precipitada pode levar o candidato ao erro. Por


exemplo, uma prova com perguntas de múltipla escolha, há casos em
que uma das respostas parece certa, mas outra está mais certa
ainda. Ou seja, a letra “a” está correta, mas a “b” também, e a “c”, e
só então o candidato percebe que o enunciado pedia a afirmativa
incorreta.

Na prova de itens para julgamento, a pressa também pode


fazer com que detalhes passem despercebidos pelo candidato,
induzindo-o ao equívoco. Depois de feito todas as respostas fáceis,
ainda haverá questões ou itens cuja resposta você não sabe.

A primeira providência é eliminar o que você tem certeza que


está errado – na múltipla escolha – e o que o ajude a definir o
julgamento do item na prova de “certo” e “errado”, assinalando o
motivo – palavras ou expressões que o fizeram tomar aquela decisão.

Dicas:
Pense na resposta - Pense na resposta antes de ler as
alternativas. Desse modo, há menos chance de você se deixar
confundir por alternativas parecidas e ambíguas.

Elimine as alternativas incorretas – Em cada questão, há


geralmente uma ou duas alternativas que não fazem sentido e estão
claramente erradas. Eliminando as alternativas que são
evidentemente incorretas, você passa a ter mais chances de escolher
a resposta certa.

Compare as respostas – Compare as respostas com


cuidado, pois sempre existe um detalhe em uma das alternativas que
a torne incorreta.

Tome cuidado com “sempre” e “nunca” – Quando uma


pergunta inclui alternativas com termos muito absolutos, “sempre” ou
“nunca”, é provável que sejam incorretas, principalmente na área de
Humanas. Geralmente são as alternativas que contêm palavras como
“geralmente” ou “na maioria dos casos” que são as corretas.
Caso não consiga chegar à resposta solicitada, você deverá
verificar se vale à pena chutar.

Prova múltipla escolha


No caso da prova de múltipla escolha, cujo edital não há
penalização pelos erros, o melhor é o tradicional “chute”.

Em geral, se o candidato está preparado, suas dúvidas se


restringirão a ficar entre 2 ou 3 alternativas, porque as outras serão
sumariamente eliminadas. Muitas vezes as alternativas são muito
parecidas, então eleja a mais correta ou a menos errada para
responder. Não brigue com a banca, responda o que ela quer.

Não há motivo para se deixar questões em branco, já que as


chances de acerto serão de 50% ou 33%. Não há garantia, claro,
mas vale arriscar, porque o erro não trará prejuízo para os pontos
conquistados.
Caso você tenha dúvida absoluta entre as alternativas, não
tem nem ideia do que responder, aí utilize a técnica chute colocado
do Alex Viegas.

Teoria do chute colocado (Prova


alternativa)
Em primeiro lugar é preciso dizer que para o candidato aplicar
esta teoria ele deve estar em dúvida entre 2 das 5 opções de
resposta. Não adianta o cidadão ficar em dúvida em 5 das 5
questões!

Muito bem, digamos que após ter tentado fazer várias vezes a
questão, sem obter sucesso, sobram sempre duas opções que estão
muito próximas da verdade.

E isto acontece em outras 4 questões daquela mesma prova.


Temos aí então 5 questões que geraram dúvidas em duas opções
apenas.

O que fazer?
Procure verificar qual a letra que se repete nestas dúvidas. Em
seguida marque a mesma letra em todas as 5 questões.

Naturalmente pode acontecer que a mesma letra não conste


como dúvida em todas. Neste caso marque a letra que foi menos
marcada no restante da prova.

Lembrando mais uma vez que esta teoria só deve ser


aplicada em casos de duvida absoluta. É melhor do que querer
escolher uma letra diferente em cada questão, isto porque quando
optamos por uma mesma letra, a chance de que ela coincida com a
correta em algumas das questões é muito maior.

Mas há exceções nas provas


alternativas
A gente sempre comenta a importância de o candidato ler o
edital. Há casos em que, mesmo em provas de múltipla escolha, o
edital define que a marcação em desacordo com o edital valerá
pontos negativos (penalização).
Foi o que aconteceu nos concursos para o Inmetro (2010) e
PM Alagoas (2012), ambos realizados pelo Cespe, cujos editais
previram desconto de 0,20 e 0,25 pontos para marcações incorretas.
Isso vai reduzir o percentual de chances de acerto e deverá ser
levado em conta, mesmo na prova de múltipla escolha.

Prova Certo e Errado


Toda prova de concurso já assusta um pouco, agora a que
causa maior medo em todos os candidatos é a prova de CERTO E
ERRADO.

Nesse tipo de prova, é preciso um pouco mais de cautela para


saber se vale ou não assinalar algum item sem certeza. A Cespe/Unb
são as bancas que, tradicionalmente, elaboram provas com itens para
julgamento com previsão no edital de que marcações incorretas
valerão pontuação negativa.

Explicando o que é este tipo de prova para quem nunca ouviu


falar.
Cada questão é composta de 5 opções, as quais o candidato
deve se manifestar dizendo se a opção está CERTA ou ERRADA em
relação ao enunciado.

Ainda existe a opção de o candidato dizer que não quer se


manifestar e colocar SEM RESPOSTA.

O grande problema está na apuração dos pontos de cada


questão, que é feita da seguinte forma: 1 ponto para cada acerto, -1
ponto para cada erro e zero pontos para o SEM RESPOSTA.

O que acontece com o candidato desavisado? Resolve


responder todas as opções, mesmo aquelas que ele não tinha
certeza, pelo vício de não querer deixar questões sem resposta.

Qual o resultado desta atitude precipitada neste tipo de prova?


Cada questão que ele achou que sabia, mas errou, retira um ponto de
uma questão que ele realmente sabia e acertou.

Não é à toa que o organizador deste tipo de prova dispõe aos


candidatos a opção de colocar SEM RESPOSTA nas opções em que
tiver dúvida. O candidato que souber utilizar esta ferramenta, com
certeza se sairá melhor do que os outros que podem, inclusive, estar
mais bem preparados nas matérias daquela prova, mas que por
acharem que tem a obrigação de saber tudo acabam tendo resultados
desastrosos.

Esta prova é feita para que o aluno seja enganado pelo seu
excesso de confiança, ou para pegar aquele aluno que acha que
pode passar chutando.
Perceba que até a teoria do Chute Colocado, explicada
anteriormente, fica prejudicada. Nesse caso, convém não
utilizá-la, neste tipo de prova.

O candidato deve entender que, em caso de dúvidas, deve


deixar a opção SEM RESPOSTA. Só assim não correrá o risco de
perder pontos preciosos conquistados com o conhecimento de outras
partes: da matéria.

O ideal sempre é que o aluno domine a maior parte das


matérias, para que tenha CERTEZA na maioria das opções, mas
sabemos que é impossível saber tudo, por isso prepare-se para
fazer esta prova com técnica. Só marque o que você realmente
souber.

MAIS dicas:
Se você estiver em dúvida, mas sentir que pode chegar
a uma resposta se pensar com mais calma, não descarte de
primeira a opção, deixe-a em branco para que, ao final da
prova, você possa retornar a todas as questões que sobraram
para tentar novamente entendê-las.

Além disso, dê uma repassada geral, contando quantas


questões deixou SEM RESPOSTA. Se forem muitas (mais de 50%
da prova), provavelmente você terá que escolher algumas das que
tem menos dúvida e chutar, devido ao risco de não conseguir fazer
o mínimo de pontos necessários para não ser desclassificado.

Lembrando que nem todas as questões que você tem certeza


estarão corretas. A quantidade de questões para deixar SEM
RESPOSTA vai depender da pontuação mínima exigida para ser
classificado.