Você está na página 1de 5

ESTRUTURA INTERNA DA TERRA

Núcleo: composto por níquel e ferro.

Também é chamado de NiFe (pelos elementos níquel e ferro).

O núcleo pode ser interno ou externo.

Manto: composto por magma.

Magma é rocha derretida. Pode ser mais fluído ou mais viscoso. Varia.

Crosta (litosfera): magma que foi arrefecida pelo clima mais frio.

A divisão é núcleo, manto e crosta, mas pode ser dividido de outras formas, como
segue:

Litosfera, Astenosfera (intermediadora), Mesosfera, Endosfera.

O magma, quando esfria, é chamado de rocha magmática.

Quando a rocha magmática está em campo aberto, recebendo influências do clima,


chuva, temperatura, sol, etc., há erosão (quebra).

O “farelo de pedra” que solta é chamado de sedimento. O sedimento se acumula. O


sedimento de cima compacta o sedimento em baixo, e assim é gerado as rochas
sedimentares. Isso é chamado de diagenese. Podem ser orgânicas ou inorgânicas.

Com calor e tensão (metamorfismo), a rocha (tanto sedimentar quanto magmática)


se transforma em rocha metamórfica. É a alteração da estrutura da rocha pelo calor.
Granito é uma rocha magmática (magma que esfriou). Possui vários pontinhos, que
apontam vários minérios nele.

Rochas magmáticas podem ser intrusivas e extrusivas.

Rochas intrusivas: quando o magma se resfria lentamente sobe a superfície. São


mais resistentes.

Rochas extrusivas: magma expulso por vulcões e solidifica rapidamente na superfície.


Menos resistentes.

As rochas sedimentares se apresentam visualmente como rochas com camadas.

Há três tipos de conjuntos de rochas:

Escudos cristalinos/Plataformas/Crátons: locais onde há rochas muito antigas


(metamórficas e magmáticas).

OBS: as magmáticas são as mais antigas.

Bacias sedimentares: se forma sempre numa área mais baixa, constituída por rochas
sedimentares.

Dobramentos modernos: locais que ficam nas bordas de placas tectônicas. Possuem
movimentação o que garante a formação de novas rochas ali.

Os escudos cristalinos ficam mais no meio das placas tectônicas, as bacias


sedimentares em áreas mais estáveis e os dobramentos é onde há qualquer tipo de
rocha, mas há sempre transformação das mesmas pela movimentação das placas
tectônicas.
SUBSISTEMAS TERRESTRES

Conceituando os 3 tipos de sistemas:

Isolado: sem troca de energia e matéria (massa) entre meio e universo.


Fechado: existe troca de energia, mas não de matéria (massa) entre meio e universo.
Aberto: há troca de energia e matéria (massa) entre meio e universo.

OBS: O planeta Terra em relação ao Sol é um sistema fechado, já que há troca de


energia, mas uma quantidade mínima de massa (como meteoros).

Crosta terrestre (litosfera): dividida em crosta continental e crosta oceânica.

Abaixo há o manto, dividido em manto inferior e superior.

O manto superior é constituído por matéria em estado sólido e pastoso.

O manto inferior possui matéria essencialmente em estado líquido, devido à altas


pressões internas.

Núcleo: externo e interno.

Núcleo externo é constituído por material líquido e o interno material sólido.

Hidrosfera: esfera de toda a água do planeta. (cerca de 80%). Contém água em


estado sólido, líquido e gasoso. Exemplo: água de montanhas, oceanos, rios, lagos,
água no subsolo, gelos de calotes polares e dos glaciares.

Atmosfera: camada de gases que engloba o planeta. Dividido em:


Troposfera: mais próxima da crosta. Água e vapores, 3/4 de gases atmosférico. É
onde a maior parte dos eventos relacionado ao clima/tempo ocorrem.

Estratosfera: camada de ozônio (proteção da superficie terrestre dos raios UV)

Mesosfera: desintegração dos meteoritos.

Termosfera: região com muita agitação molecular, elevando a temperatura.

Exosfera: zona de transição entre a Terra e espaço exterior.

INTERAÇÃO DE SUBSISTEMAS TERRESTRES

Geosfera e atmosfera: erupções vulcânicas liberam por vezes muitos gases e poeiras
para a atmosfera. Essas substâncias podem alterar a quantidade de radiação solar
que atinge o planeta, alterando mecanismos de evaporação e evapotranspiração,
com a consequente alteração de regimes das chuvas. Essa alteração do regime de
chuva pode levar à alteração nos mecanismos de meteorização e erosão das rochas.

Geosfera e hidrosfera: As águas estão em contato com as rochas, alterando as


propriedades químicas e físicas dos minerais e rochas.

Geosfera e biosfera: o metabolismo dos animais pode gerar rochas sedimentares. Os


animais e plantas, então, são importantes pois formam rochas sedimentares.

Biosfera e hidrosfera: a água é importante para o funcionamento do metabolismo


dos seres vivos.

Atmosfera e biosfera: A quantidade de gases no ar (oxigênio e dióxido de carbono)


pode variar de acordo com o metabolismo dos animais e plantas. Já o ozono
presente nas camadas superiores da atmosfera protegem os seres vivos dos raios UV,
tais raios podendo ocasionar mutação genética nas células.
Geosfera, atmosfera, hidrosfera e biosfera: Há ciclos bioquímicos (como da água,
carbono, azoto) que demonstram a interação entre todos os subsistemas terrestres.