Você está na página 1de 21

EXPEDIENTE

Coordenadoria de Informação, Monitora-


mento e Avaliação Educacional
Coordenadora: Cyntia Lemes da Silva Gonçalves
da Fonseca

Departamento de Avaliação Educacional


AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Diretora: Patricia de Barros Monteiro
Assistente Técnica: Maria Julia Ferreira
EM PROCESSO (AAP)
Centro de Planejamento e Análise de Avalia-
ções
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE Diretor: Juvenal de Gouveia
ENTRADA (ADE) Ademilde Ferreira de Souza, Cristiane Dias Miri-
sola, Soraia Calderoni Statonato
Caderno do Professor Centro de Aplicação de Avaliações
Diretora: Isabelle R. de Amorim Mesquita
3º ano do Ensino Fundamental
Denis Delgado dos Santos, José Guilherme Brau-
ner Filho, Kamila Lopes Candido, Lilian Sakai, Ma-
Língua Portuguesa e noel de Castro Pereira, Nilson Luiz da Costa Paes,
Teresa Miyoko Souza Vilela
Matemática
Coordenadoria de Gestão da Educação
Básica
São Paulo, 22ª edição, fevereiro de 2019 Coordenador: Caetano Pansani Siqueira

________________________________ Departamento de Desenvolvimento Curricular


e de Gestão da Educação Básica
SUMÁRIO Diretor: Herbert Gomes da Silva

Centro do Ensino Fundamental dos Anos Inici-


ais - CEFAI
I. APRESENTAÇÃO ....................................... 2 Diretora: Sonia de Gouveia Jorge

II. UMA CONVERSA SOBRE O ASSUNTO... . 3 Equipe Curricular do Centro de Ensino Funda-
mental dos Anos Iniciais
III. PASSO A PASSO DA APLICAÇÃO ............ 4
Autoria, Leitura crítica e validação do material
IV. ORIENTAÇÕES PARA LÍNGUA PORTUGUESA .... 4 Andréa Freitas, Edimilson Ribeiro, Noemi Devai,
Regina Ayres e Sonia Jorge
V. ORIENTAÇÕES DE MATEMÁTICA. .................. 13
Equipe de Diretorias Regionais de Ensino
VI. REFERÊNCIAS .............................................. 18 Autoria, Leitura crítica e validação do material
_______________________________________ Kristine Martins – Sul 1, Norma Rogeri – Campinas
Leste, Vastí Maria Evangelista e Maria José da Silva
Gonçalves Irmã – Leste1, Nelci Martins – Centro
Imagens: Pixabay
Oeste, Rosana Magni – Norte 2
©Copyright: Vanessa Evangelista Augusto Representante do Centro de Apoio Especiali-
zado - CAPE
Leitura crítica, validação e adaptação do material
para os deficientes visuais
Tânia Regina Martins Resende

1
que refletisse ainda mais os anseios dos pro-
fessores em sala de aula e evidenciasse os co-
nhecimentos dos alunos.
Além da formulação dos cadernos de
provas para os alunos, também foi elaborado
I. APRESENTAÇÃO
para cada ano um “Caderno do Professor”,
A Avaliação da Aprendizagem em Pro- com orientações específicas para os docen-
cesso – AAP - se caracteriza como uma ação tes, contendo instruções para a aplicação da
desenvolvida de modo colaborativo entre a prova nos Anos Iniciais, a lista completa de
Coordenadoria de Gestão da Educação Básica habilidades avaliadas, as orientações funda-
e a Coordenadoria de Informação, Monitora- mentais para a correção da prova contendo
mento e Avaliação Educacional (CIMA) e a Co- para cada questão, uma Grade de Correção -
ordenadoria de Gestão da Educação Básica neste caso nas questões de múltipla escolha
(CGEB) com o intuito de subsidiar as equipes ou uma tabela com as “Categorias de Respos-
gestoras das Diretorias de Ensino, a equipe tas”, para as questões com respostas constru-
gestora da escola, e principalmente o profes- ídas pelos alunos (dissertativas).
sor no desenvolver de seu oficio e no acom- Estes recursos, agregados aos regis-
panhamento das aprendizagens dos alunos. tros que o professor possui e juntamente com
Cabe a CIMA a validação dos itens de as informações incorporadas na Plataforma
composição (questões) da prova, levando em Foco Aprendizagem, a partir dos dados inse-
consideração as habilidades expressas na ma- ridos no SARA – Sistema de Acompanha-
triz de referência e toda a logística envolvida mento dos Resultados de Avaliações – devem
em cada uma das edições da AAP, por outro auxiliar no planejamento, replanejamento e
lado a CGEB fica responsável pela definição acompanhamento das ações pedagógicas,
da Matriz de referência da prova contendo as mobilizando procedimentos, atitudes e con-
habilidades a serem avaliadas, bem como a ceitos necessários para as atividades de sala
produção dos itens de composição da prova. de aula, sobretudo aquelas relacionadas aos
processos de recuperação das aprendizagens.
Esta edição especial da AAP, a qual
denominou-se de Avaliação Diagnóstica de
Entrada (ADE) se configura em uma ferra- COORDENADORIA DE GESTÃO DA
menta necessária para o desenvolvimento EDUCAÇÃO BÁSICA – CGEB
das atividades do ano letivo, visto que oferece
um panorama das aprendizagens já consoli- COORDENADORIA DE INFORMAÇÃO, MONITORA-
MENTO E AVALIAÇÃO EDUCACIONAL - CIMA
dadas de toda a turma, mas também o que
cada aluno da sala construiu em relação a Lín-
gua Portuguesa e a Matemática evidenciando
as suas fragilidades e as possíveis tomadas de
decisões por parte do professor e da equipe
gestora em relação ao processo de ensino e
de aprendizagem dos alunos, bem como as
suas necessidades de aprendizagens.
Para esta edição a matriz de habilida-
des a serem avaliadas foi amplamente discu-
tida por representantes de Diretorias de En-
sino e do CEFAI resultando em uma matriz

2
A matriz de referência para a elabora-
ção das provas está organizada por um con-
junto de habilidades que precisam ser desen-
volvidas pelos alunos durante cada ano de
II. UMA CONVERSA SOBRE O AS- seu percurso escolar. As habilidades que
compõem a matriz de Língua Portuguesa e de
SUNTO...
Matemática são as seguintes:
Olá professor, olá professora!
Apresentamos a você o novo “Ca- LÍNGUA PORTUGUESA
derno do Professor”, que traz em suas pági-
nas os principais procedimentos a serem le- ✓ ADE-01 Escrever texto que se sabe de me-
vados em consideração antes, durante e após mória do ponto de vista do sistema de es-
a aplicação da Avaliação Diagnóstica de En- crita.
trada (ADE) em sua edição 2019 (22ª edição ✓ ADE-02 Reescrever o final de um conto do
da AAP), nas disciplinas de Língua Portuguesa ponto de vista da presença dos aconteci-
e de Matemática. mentos narrados.
As habilidades que compõem a ADE, ✓ ADE-03 Reescrever o final de um conto
nesta edição, passaram por revisão e atualiza- com características da linguagem escrita.
ção, por uma equipe de profissionais da rede ✓ ADE-04 Localizar informação explicita em
que se debruçou sobre os materiais do Pro- um texto a partir da leitura autônoma.
grama Ler e Escrever e EMAI e a matrizes de ✓ ADE-05 Inferir informação em um texto a
referência da AAP e da ADE elaborada nos partir da leitura autônoma.
anos anteriores, assim esse grupo chegou a ✓ ADE-06 Identificar a finalidade de um
finalização de uma matriz para a avaliação, texto a partir de sua compreensão global,
que serviu de base para a elaboração da levando em consideração as características
prova do 3º ano aqui reproduzida. do gênero.
A ADE assume, no âmbito escolar, um ✓ ADE-07 Identificar o assunto de um texto
papel específico de colaborar com o seu tra- a partir da leitura autônoma.
balho diário, pois visa diagnosticar os saberes
que os alunos possuem em relação ao uso so-
MATEMÁTICA
cial da língua materna e seus conhecimentos
sobre o Sistema de Escrita Alfabética (SEA), a
✓ ADE-01 Escrever números ditados pelo
autonomia da leitura e da escrita e da Mate-
professor.
mática, quanto aos blocos de conteúdos Nú-
✓ ADE-02 Completar quadros numéricos ou
meros e Operações, Grandezas e Medidas,
sequências numéricas.
Tratamento da Informação, Espaço e Forma.
✓ ADE-03 Comparar números naturais, iden-
Desta forma, a avaliação fornece infor-
tificando o maior ou o menor.
mações preciosas para o planejamento de si-
✓ ADE-04 Resolver situações-problema do
tuações de aprendizagem que favoreçam o
campo aditivo com a ideia de comparação.
avanço de todos os alunos da sala, no plane-
✓ ADE-05 Resolver situações-problema do
jamento e na organização dos agrupamentos
campo multiplicativo com a ideia de pro-
produtivos.
porcionalidade.
As habilidades descritas nas matrizes
✓ ADE-06 Identificar unidades de tempo -
de Língua Portuguesa e de Matemática de-
dia, semana ou mês - utilizando calendá-
vem ser tomadas como objeto de reflexão no
rio.
âmbito da sala de aula e com isso, observar e
✓ ADE-07 Interpretar dados apresentadas
acompanhar as aprendizagens de cada aluno.
em tabela simples ou gráfico de colunas.

3
✓ ADE-08 Localizar objetos ou pessoas em ▪ Circular pela sala de aula, dando orien-
representações do espaço. tações aos alunos que necessitem de
✓ ADE-09 Resolver situações-problema uti- intervenções pontuais no que diz res-
lizando cédulas e moedas do sistema mo- peito à compreensão dos enunciados.
netário brasileiro.
✓ ADE-10 Identificar características de figu- ▪ Garantir as condições necessárias aos
ras geométricas tridimensionais presentes alunos com necessidades especiais,
em elementos naturais e nos objetos. quanto ao apoio e maior tempo para a
realização da prova.
▪ Atentar ao ritmo da realização da
III. PASSO A PASSO DA APLICAÇÃO prova, para que a turma a realize mais
ou menos ao mesmo tempo.
▪ Organizar a sala de forma que os alu-
nos possam realizar a avaliação indivi- ▪ Certificar se todos os alunos responde-
dualmente. ram a todas as questões da prova.

▪ Conversar com a turma antes da distri- ▪ Recolher todos os cadernos de prova


buição dos cadernos de prova infor- para posterior correção.
mando-os que a prova é de Língua
Portuguesa ou de Matemática.
IV. ORIENTAÇÕES PARA LÍNGUA PORTU-
▪ Criar um clima agradável e tranquilo GUESA
que envolva todos os alunos na tarefa.
▪ Estimular os alunos para que respon-
dam com cuidado e atenção a todas as Língua Portuguesa
questões.
▪ Distribuir os cadernos de prova para QUESTÃO 1
todos os alunos da turma, conside- ______________________________________
rando que há cadernos ampliados e em
ADE-01 Escrever texto que se sabe de me-
Braile, específicos para alunos com
mória do ponto de vista do sistema de es-
baixa visão e cegos. crita.
▪ Seguir as orientações para a aplicação
no exemplar da prova do professor,
ESCRITA DE UM TEXTO DE MEMÓ-
que consta nesta revista, composta por
itens abertos com respostas construí- RIA
das pelos alunos, o que requer do pro-
▪ Professor, explique aos alunos que
fessor uma interação intensa com a
nesta questão deverão escrever o
turma.
trecho de uma parlenda.
▪ Explicar às crianças a comanda das ▪ Em seguida, recite a parlenda com
questões, sem que isso signifique re- os alunos.
solver por elas as questões propostas. ▪ Verifique se todos sabem de cor.
▪ Ficar atento a todos os fatos que ocor- Se souberem, peça que cada um
rerem, procurando resolvê-los sem dis- escreva o trecho da parlenda que
persar a turma. foi recitada.

4
Atenção: Este critério envolve a es-
crita silábico-alfabética que marca a
Trecho da parlenda que será reci- transição do aluno da hipótese silá-
bica para a escrita alfabética.
tada: C Escreve silabicamente com corres-
MEIO DIA pondência sonora.
Atenção: Este critério envolve a escrita si-
MACACO ASSOBIA lábica com valor sonoro convencional.
D Escreve silabicamente sem corres-
PANELA NO FOGO pondência sonora.
Atenção: Este critério envolve a escrita si-
BARRIGA VAZIA. lábica sem valor sonoro convencional.
E Escreve sem correspondência siste-
▪ Professor, leia a contextualização da
mática entre partes do falado e partes
questão para os alunos. do escrito.
▪ Em seguida, peça aos alunos que es- Atenção: Este critério envolve as escritas
crevam a parlenda da melhor forma pré-silábicas.
que souberem. F Ausência de resposta ou escrita ilegí-
vel.
ESCREVA NAS LINHAS ABAIXO, A PAR-
LENDA QUE ACABARAM DE RECITAR QUESTÃO 2
COM A TURMA. A questão 2 se desdobra em dois itens (2.1
e 2.2) e avalia duas habilidades.
ADE-02 – Reescrever o final de um conto
_____________________________ do ponto de vista da presença dos aconte-
_____________________________ cimentos narrados.
ADE-03 Reescrever o final de um conto
com características da linguagem escrita.

Ilustração: Vanessa Evangelista Augusto


REESCRITA DO FINAL DE UM CONTO
▪ Professor, explique aos alunos que
você fará a leitura do conto “A prin-
▪ Se houver alunos que não conhe- cesa e o grão de ervilha”, depois lerá
çam a parlenda ou não consigam novamente, irá parar em uma parte e
decorá-lo rapidamente, dite nova- que continuarão a escrever o conto a
mente, solicitando a escrita da partir do ponto que você parou.
melhor forma. ▪ Faça a primeira leitura do conto na ín-
tegra.
_______________________________________
▪ Pare no ponto específico do conto, na
segunda leitura.
Categorias de Respostas A PRINCESA E O GRÃO DE ERVILHA
A Escreve com correspondência sonora
alfabética e grafia convencional
Atenção: Incluir nesta categoria
mesmo que a grafia de duas (02) pa-
lavras esteja incorreta.
B Escreve com correspondência silá-
bico-alfabética.

5
A RAINHA RETIROU-SE DO SALÃO

ERA UMA VEZ UM PRÍNCIPE QUE DE- NOBRE E ORDENOU À SUA CRIADA DE CON-

SEJAVA PARA ESPOSA UMA PRINCESA. MAS FIANÇA QUE ARRUMASSE O QUARTO PARA A

DEVIA SER UMA VERDADEIRA PRINCESA. VIA- HÓSPEDE SEGUINDO SUAS INSTRUÇÕES.

JOU, POIS, POR TODO O MUNDO PARA A CRIADA FOI AO QUARTO EMPI-

ACHÁ-LA. AH, MAS COMO ERA DIFÍCIL EN- LHOU VINTE COLCHÕES E VINTE ACOLCHOA-

CONTRAR PRINCESAS DE VERDADE NAQUE- DOS E, SEM QUE A HÓSPEDE SOUBESSE, CO-

LES TEMPOS! TODAS TINHAM OS SEUS DEFEI- LOCOU EMBAIXO DELES UM GRÃO DE ERVI-

TOS. VOLTOU PARA CASA TRISTE E DESANI- LHA. ALI A VISITANTE, QUE SE DIZIA PRIN-

MADO. DESEJAVA TANTO ENCONTRAR UMA CESA, DEVERIA DORMIR AQUELA NOITE.

VERDADEIRA PRINCESA! QUANDO FOI DORMIR, A MOÇA

UMA NOITE, DESABOU UMA FORTE ESTRANHOU A ALTURA DA CAMA, MAS CON-

TEMPESTADE NO REINO. RELÂMPAGOS RAS- SEGUIU, COM A AJUDA DE UMA ESCADA, SE

GAVAM O CÉU E A CHUVA CAÍA FORTEMENTE. SE DEITAR.

ERA UMA COISA TERRÍVEL! EM MEIO AOS NA MANHÃ SEGUINTE, PERGUNTA-

TROVÕES ALGUÉM BATEU À PORTA DO CAS- RAM- LHE COMO TINHA DORMIDO.

TELO. E O PRÓPRIO REI FOI ATENDER PORQUE — MUITO MAL! — DISSE ELA. — NÃO

OS CRIADOS ESTAVAM OCUPADOS ENXU- PUDE PREGAR O OLHO A NOITE TODA! HA-

GANDO OS CÔMODOS CUJAS JANELAS FO- VIA ALGO DURO NA MINHA CAMA QUE DEI-

RAM ABERTAS PELA TEMPESTADE. XOU MEU CORPO MARCADO E DOLORIDO.

▪ PROFESSOR, PARE AQUI NA SEGUNDA FOI HORRÍVEL!


LEITURA. O REI, A RAINHA E O PRÍNCIPE SE
OLHARAM COM SURPRESA. VIRAM ENTÃO
LÁ FORA ESTAVA UMA MOÇA QUE
QUE SE TRATAVA DE UMA VERDADEIRA PRIN-
DIZIA SER UMA PRINCESA. MAS QUANTO ELA
CESA, JÁ QUE ELA SENTIRA O GRÃO DE ERVI-
SOFRERA COM A CHUVA E A TEMPESTADE! A
LHA ATRAVÉS DE VINTE COLCHÕES E VINTE
ÁGUA ESCORRIA POR SEUS CABELOS E PELAS
ACOLCHOADOS.
ROUPAS, ENTRAVA PELO BICO DOS SAPATOS
SÓ MESMO UMA VERDADEIRA PRIN-
E SAÍA PELO CALCANHAR. ERA DIFÍCIL ACRE-
CESA TERIA UMA PELE TÃO SENSÍVEL!
DITAR QUE FOSSE REALMENTE UMA PRIN-
O PRÍNCIPE TOMOU-A POR ESPOSA,
CESA!
POIS SABIA QUE ENCONTRARA UMA VERDA-
PORÉM, A MOÇA TANTO AFIRMOU
DEIRA PRINCESA. ELES VIVERAM FELIZES
QUE ERA UMA PRINCESA QUE A RAINHA PEN-
PARA SEMPRE.
SOU NUMA FORMA DE PROVAR SE O QUE DI-
ZIA ERA VERDADE
ADAPTADO DE: GUIA DE PLANEJAMENTO E ORI-
É O QUE VAMOS VER! — PENSOU A
ENTAÇÕES DIDÁTICAS LER E ESCREVER – 3º ANO, 2014.
VELHA RAINHA DUVIDANDO DA SUPOSTA
PAG.159.
PRINCESA.
6
1. O príncipe pede a mão da princesa
▪ Logo que terminar a segunda leitura em casamento e vivem felizes para
do conto, leia o comando da ques- sempre.
tão.
Categorias de Respostas
▪ Observação: É importante incentivar
A Reescreve garantindo a presença de
todos os alunos a escreverem o final
pelo menos cinco (05) dos aconteci-
do conto da melhor maneira que pu-
mentos narrados.
derem.
B Reescreve garantindo a presença de
quatro (04) dos acontecimentos nar-
VAMOS CONTINUAR A ESCRITA DA rados.
C Reescreve garantindo a presença de
HISTÓRIA “A PRINCESA E O GRÃO DE
três (03) dos acontecimentos narra-
ERVILHA" A PARTIR DESTE PONTO dos.
________________________________________________ D Presença de escrita, mas não o solici-
tado ou Ausência de escrita.
________________________________________________ Atenção: Incluir nesta categoria se o
________________________________________________ texto apresentar menos de 3 episó-
dios; se o texto for ilegível; se for có-
pia integral do texto; se contar outra
_______________________________________ história; se escrever em outro gênero.
ITEM 2.1 - ADE-02 Reescrever o final de um
conto do ponto de vista da presença dos ITEM 2.2 - ADE-03 Reescrever o final de um
acontecimentos narrados. conto com características da linguagem es-
crita.
Categorias de Respostas
Professor, para efeito de quantificação, divi- A Produz texto com características da
dimos o trecho a ser reescrito em blocos de linguagem escrita, dentro do gê-
nero proposto (conto), utilizando
acontecimentos, ainda que, obviamente, a
adequadamente elementos carac-
produção dos alunos não se resuma aos itens terísticos da narrativa escrita para
listados e sim ao desenrolar dos aconteci- articular os enunciados, sem muita
repetição de palavras ou recursos
mentos narrados. da típicos da linguagem oral (daí,
1. Lá fora estava uma moça que dizia ser né, aí, etc.)
B Produz texto com algumas caracte-
uma princesa. rísticas da linguagem escrita, dentro
2. A rainha duvidou que a moça fosse do gênero proposto (conto), ainda
uma princesa.
que com algumas falhas, com maior
uso da de elementos da linguagem
3. A criada arrumou o quarto e colocou oral.
a ervilha na cama. C Produz frases que remetem ao con-
4. A moça estranhou a altura da cama, teúdo do texto solicitado, mas não
chegam a formar um texto.
mas conseguiu se deitar.
D Presença de escrita, mas não a soli-
5. Todos descobriram que a moça era citada.
uma princesa.

7
E Escrita ilegível e/ou ausência de es- LHAS CAÍDAS NO SOLO ÚMIDO DA FLO-
crita. RESTA, ONDE SE ALIMENTAM DE ANIMAIS
AINDA MENORES, COMO ÁCAROS.
QUESTÃO 3 OS SAPINHOS-PINGO-DE-OURO SÃO PE-
ADE-04 Localizar informação explicita em QUENINOS, GERALMENTE MEDINDO MENOS
um texto a partir da leitura autônoma.
DE DOIS CENTÍMETROS DE COMPRIMENTO
_______________________________________
APENAS. SÃO TÃO MIÚDOS QUE ALGUNS
▪ Professor, informe aos alunos que na
questão 3, lerão sozinhos e silenciosa- DEDOS DAS MÃOS E DOS PÉS NÃO PASSAM
mente, o texto informativo, para res- DE COTOCOS OU SEQUER SE DESENVOLVEM.
ponderem à uma questão. Adaptado de http://chc.org.br/artigo/pingos-de-ouro-na-flo-
▪ Informe aos alunos que talvez seja ne- resta . Acesso em 6 dez. 2018.
cessário voltarem ao texto para res-
ponderem à questão.
COMO SÃO OS SAPINHOS-PINGO-DE-
VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR PARA RES- OURO?
PONDER À QUESTÃO. ________________________________________________
________________________________________________
PINGOS DE OURO DA FLORESTA ________________________________________________

Categorias de Respostas
A Responde mostrando que foi capaz loca-
Foto Diogo Provete / Wikipedia lizar informação explícita ao ler com au-
AS MONTANHAS DA MATA ATLÂNTICA, NO tonomia o texto.
Atenção: Considerar nesta categoria res-
SUDESTE E SUL DO BRASIL, GUARDAM MUI- postas: “os sapinhos-pingo-de-ouro são
TOS TESOUROS. UM BELO EXEMPLO SÃO AL- pequeninos”; “pequeninos”; são tão miú-
dos que alguns dedos das mãos e dos
GUMAS CRIATURAS MIÚDAS QUE VIVEM NAS pés não passam de cotocos ou sequer se
SERRAS DE CLIMA ÚMIDO E QUASE NIN- desenvolveram” e “miúdos”.
B Responde, mas não mostrou que foi ca-
GUÉM CONSEGUE VER, OS SAPINHOS- paz de ler com autonomia.
PINGO-DE-OURO E OS SAPOS-PULGA. Atenção: Incluir nesta categoria, trechos
do texto que não remetem à resposta
COMO O NOME JÁ DIZ, OS SAPINHOS- correta e/ou a resposta ilegível.
PINGO-DE-OURO (TAMBÉM CONHECIDOS C Ausência de escrita.
COMO SAPINHOS-ABÓBORA) TÊM UM CO-
QUESTÃO 4
LORIDO DOURADO, MAS QUE PODE SER ADE-07 Identificar o assunto de um texto
AVERMELHADO E ATÉ MARROM. JÁ OS SA- a partir da leitura autônoma.
POS-PULGA SÃO SEMPRE AMARRONZADOS.
▪ Professor, peça aos alunos para lerem
ESSES BICHINHOS VIVEM EMBAIXO DAS FO- sozinhos e silenciosamente a propa-
ganda, para que marquem o que se
pede.

8
▪ Informe aos alunos que talvez seja ne- ▪ Informe os alunos que talvez seja ne-
cessário voltarem ao texto para mar- cessário voltarem ao texto para res-
carem a resposta. ponderem à questão.
VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR PARA RES-
PONDER À QUESTÃO:
VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR PARA RES-
PONDER À QUESTÃO:

ELÁSTICO

Disponível em: <http://portalms.saude.gov.br/campa-


nhas/43945-campanha-vacinacao-polio-e-sarampo>.
Acesso em 10 dez. 2018. Ilustração: Vanessa Evangelista Augusto

MARQUE UM X NA ALTERNATIVA QUE IN- MODO DE BRINCAR


DICA O ASSUNTO DO TEXTO LIDO:
A. FESTA DA XUXA. • DOIS PARTICIPANTES SEGURAM O
B. DANÇA COM AMIGOS. ELÁSTICO E UM TERCEIRO PULA.
C. CAMPANHA DE VACINAÇÃO. • QUEM ERRAR PASSA A VEZ PARA
D. PERSONAGENS FAMOSOS. O OUTRO PARTICIPANTE.
Grade de Correção • O ELÁSTICO GERALMENTE CO-
A Demonstra que não compreendeu o as-
MEÇA NO TORNOZELO, DEPOIS
sunto principal do texto, se referindo a
um dos personagens da propaganda. SOBE PARA O JOELHO, PARA A
B Demonstra que não compreendeu o as-
sunto principal do texto, se referindo à COXA E PARA O QUADRIL. ALGU-
dança com amigos. MAS CRIANÇAS PULAM COM O
C Correta - Demonstra que compreen-
deu o assunto principal do texto, indi- ELÁSTICO NA ALTURA DOS OM-
cando que se trata de campanha de
vacinação. BROS E DA CABEÇA;
D Demonstra que não compreendeu o as- • CADA VEZ QUE O PARTICIPANTE
sunto principal do texto, se referindo à
personagens famosos. ACERTA A SEQUÊNCIA TODA, O
ELÁSTICO SOBE; PASSA DO TOR-
Questão 5
ADE-06 Identificar a finalidade de um NOZELO PARA O JOELHO, POR
texto a partir de sua compreensão global,
EXEMPLO.
levando em consideração as características
Fonte: Adaptado de: <http://mapadobrincar.fo-
do gênero. lha.com.br/brincadeiras/corda/215-danca-das-cordas>.
Acesso em 10 dez. 2018

▪ Professor, informe aos alunos que na


5. PARA QUE ESSE TEXTO FOI ESCRITO?
questão 5, lerão sozinhos e silencio-
____________________________________________
samente o texto, para responderem à
uma questão. ____________________________________________
9
– OLHA MAMÃE! SEM AS DUAS MÃOS!
Categorias de Respostas QUANDO VOLTOU A PASSAR PELA MÃE, EX-
A Responde mostrando que foi capaz
CLAMOU:
de identificar a finalidade do texto a
partir de sua compreensão global. – OLHA MAMÃE…SEM DENTES!!!
Atenção: Considerar nesta categoria Fonte: Adaptado de <https://muitobacana.com/piadas-infan-
de respostas: “para ensinar a brincar tis>. Acesso em 10 dez. 2018.
de elástico”; “ensinar a brincar”. 6. POR QUE JOÃOZINHO FICOU SEM DENTES?
B Responde, mas não mostrou que foi
capaz de identificar a finalidade do _____________________________________
texto. _____________________________________
Atenção: Incluir nesta categoria, tre-
chos do texto que não remetem à
resposta correta e/ou a resposta ile- Categorias de Respostas
gível. A Responde mostrando que foi capaz de
C Ausência de escrita. inferir informação ao ler com autonomia
a piada.
Atenção: Considerar nesta categoria res-
postas: “porque caiu de bicicleta e que-
Questão 6 brou os dentes”; “porque caiu da bici-
ADE 05 Inferir informação em um texto a cleta”; porque andou de bicicleta sem as
partir da leitura autônoma. mãos e caiu”
B Responde, mas não mostrou que foi ca-
paz de inferir informação.
▪ Professor, informe aos alunos que na
Atenção: Incluir nesta categoria, trechos
questão 6, lerão sozinhos e silenciosa- do texto que não remetem à resposta
mente o texto, para responderem à correta e/ou a resposta ilegível.
uma questão. C Ausência de escrita.
▪ Informe aos alunos que talvez seja ne-
cessário voltarem ao texto para res-
ponderem à questão. Questão 7
ADE-06 Identificar a finalidade de um
texto a partir de sua compreensão global,
VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR PARA RES-
levando em consideração as características
PONDER À QUESTÃO:
do gênero.

A PRENDA PREFERIDA DO JOÃOZINHO ▪ Professor, informe aos alunos que na


questão 7 lerão sozinhos e silenciosa-
mente o texto, para responderem à
uma questão.
▪ Informe aos alunos que talvez seja ne-
cessário voltarem ao texto para res-
ponderem à questão.
Ilustração: Vanessa Evangelista Augusto

NO NATAL, JOÃOZINHO RECEBEU UMA BICI- VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR E RESPONDER
À QUESTÃO.
CLETA E FOI LOGO EXPERIMENTÁ-LA:
– OLHA MAMÃE! SEM UMA MÃO!
PANQUECA LARANJA
PASSADO UNS MINUTOS:

10
▪ Professor, informe aos alunos que na
questão 8, lerão sozinhos e silencio-
samente, a tirinha, para responderem
à uma questão.
▪ Informe os alunos que talvez seja ne-
cessário voltarem ao texto para res-
INGREDIENTES:
ponderem à questão.
1 XÍCARA DE LEITE
VAMOS LER A TIRINHA A SEGUIR E RESPON-
2 XÍCARAS DE CENOURA RALADA DER A QUESTÃO:
2 OVOS
1 XÍCARA DE FARINHA
1 COLHER DE SOPA DE ÓLEO
1 COLHER DE CAFÉ RASA DE SAL

MODO DE FAZER:
BATA NO LIQUIDIFICADOR O LEITE, A CE- Disponível em <http://turmadamonica.uol.com.br/tirinhas/in-
NOURA, OS OVOS, A FARINHA, O ÓLEO E O dex.php?a=6>. Acesso em 11 dez. 2018.
SAL. NUMA FRIGIDEIRA, DERRETA UM
POUCO DE MANTEIGA E COLOQUE A MASSA
E FAZER AS PANQUECAS. POR QUE A MAGALI QUER TODAS AS BO-
Disponível em: https://guiadacozinha.com.br/pan- LAS DE SORVETE?
queca-laranja/. Acesso em 14 dez. 2018
________________________________________________
7. QUAL A FINALIDADE DO TEXTO LIDO? ________________________________________________
________________________________________________
________________________________________________
Categorias de Respostas
A Responde mostrando que foi capaz de
Categorias de Respostas inferir informação ao ler com autonomia
A Responde mostrando que foi capaz de a tirinha.
identificar a finalidade do texto a partir Atenção: Considerar nesta categoria de
de sua compreensão global. respostas: “porque a Magali é gulosa”;
Atenção: Considerar nesta categoria de “porque ela é gulosa”.
respostas: “para ensinar fazer panqueca; B Responde, mas não mostrou que foi ca-
“ensinar uma receita de panqueca la- paz de inferir informação.
ranja”; “ensinar como fazer panqueca”. Atenção: Incluir nesta categoria, trechos
B Responde, mas não mostrou que foi ca- do texto que não remetem à resposta
paz de identificar a finalidade do texto. correta e/ou a resposta ilegível.
Atenção: Incluir nesta categoria, trechos C Ausência de escrita.
do texto que não remetem à resposta
correta e/ou a resposta ilegível.
C Ausência de escrita.
Questão 9
ADE-04 Localizar informação explicita em
Questão 8 um texto a partir da leitura autônoma.
ADE 05 Inferir informação em um texto a ▪ Professor, informe aos alunos que na
partir da leitura autônoma. questão 9, lerão sozinhos o poema,
para responderem à uma questão.
▪ Informe aos alunos que talvez seja
necessário voltarem ao texto para
poderem responder à questão.

11
VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR PARA RES- Questão 10
PONDER À QUESTÃO: ADE-07 Identificar o assunto de um texto
a partir da leitura autônoma.
AS BORBOLETAS ▪ Professor, informe aos alunos que na
questão 10, lerão sozinhos e silencio-
VINÍCIUS DE MORAES samente a propaganda, para marca-
rem a resposta da questão.
BRANCAS
▪ Informe aos que talvez seja necessá-
AZUIS rio voltarem ao texto para poderem
AMARELAS marcar a resposta.
E PRETAS
BRINCAM VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR E RESPONDER
A QUESTÃO
NA PAZ
AS BELAS O QUE FAZER COM O ÓLEO USADO?
BORBOLETAS
BORBOLETAS BRANCAS
SÃO ALEGRES E FRANCAS.
BORBOLETAS AZUIS
GOSTAM MUITO DE LUZ. NEM PENSE EM DESPEJAR AS SOBRAS DO

AS AMARELINHAS ÓLEO NO RALO DA COZINHA OU JOGÁ-LAS

SÃO TÃO BONITINHAS! NO LIXO. ESSES MEIOS DE DESCARTE PODEM

E AS PRETAS, ENTÃO… POLUIR AS ÁGUAS, O SOLO E A ATMOSFERA.

OH, QUE ESCURIDÃO! DEPOIS DE USADO, O ÓLEO DEVE SER RES-


FRIADO E ARMAZENADO EM GARRAFAS PET

9. QUAIS SÃO AS BORBOLETAS QUE GOS- LIMPAS E VAZIAS. PENEIRE ANTES SE HOU-

TAM MUITO DE LUZ? VER RESÍDUOS DE ALIMENTOS. SÓ ENTÃO

________________________________________________ DEVE SER ENTREGUE EM ORGANIZAÇÕES E

________________________________________________ EMPRESAS DE RECICLAGEM. NESSES LUGA-


RES, O ÓLEO É RECICLADO PARA DAR ORI-
Categorias de Respostas GEM A PRODUTOS COMO SABÃO, BIODIESEL
A Responde mostrando que foi capaz de E TINTAS.
localizar informação explicita ao ler com
autonomia o poema. Adaptado de: < http://recreio.uol.com.br/noticias/cu-
Atenção: Considerar nesta categoria res- riosidades/o-que-fazer-com-o-oleo-
postas: “borboletas azuis”; “as azuis”.
B Responde, mas não mostrou que foi ca- usado.phtml#.XA_HvttKiM8>. Acesso em 10 dez.
paz de localizar a informação explícita no 2018.
poema.
Atenção: Incluir nesta categoria, trechos
do texto que não remetem à resposta MARQUE UM X NA ALTERNATIVA QUE IN-
correta e/ou a resposta ilegível.
DICA O ASSUNTO DO TEXTO LIDO:
C Ausência de escrita.
A. A ORIGEM DO SABÃO, BIODIESEL E
TINTAS.
12
B. AS EMPRESAS DE RECICLAGEM DE
GARRAFAS PET.
C. O DESCARTE CORRETO DO ÓLEO DE
COZINHA.
D. OS CONDOMÍNIOS E ASSOCIAÇÕES
DE BAIRRO. Adaptado de https://pixabay.com/pt/ Acesso: 19 dez. 2018.

ESCREVA NOS QUADROS A SEGUIR, OS NÚ-


MEROS QUE O (A) PROFESSOR (A) VAI DITAR.
Grade de Correção
A Demonstra que não compreendeu o as-
sunto principal do texto, se referindo à
origem do sabão, biodiesel e tintas.
B Demonstra que não compreendeu o as-
sunto principal do texto, se referindo às
empresas de reciclagem de pet.
C CORRETA - Demonstra que compreen-
deu o assunto principal do texto, indi-
cando que se trata do descarte correto
do óleo de cozinha. Categorias de Respostas
D Demonstra que não compreendeu o as-
sunto principal do texto, se referindo aos A Escreve corretamente 6 ou 7 números
condomínios e associações de bairro. ditados.
Atenção: considerar respostas que
apresentem algarismos espelhados.
V. ORIENTAÇÕES DE MATEMÁTICA. B Escreve corretamente 4 ou 5 dos núme-
ros ditados.
Matemática C Escreve corretamente de 1 a 3 dos nú-
meros ditados.
Escreve quaisquer outros números que
não os ditados.
QUESTÃO 1 D Escreve os números por extenso.

ADE 01 – Escrever números ditados pelo Ausência de resposta ou números ilegí-


veis
professor
▪ Professor, explique aos alunos que você
irá ditar alguns números e que devem es-
crevê-los no local indicado na prova. QUESTÃO 2
▪ Leia, pausadamente, o enunciado orien-
tando os alunos a escreverem os núme- ADE 02 – Completar quadros numéricos ou
ros, dando um tempo para que o façam. sequências numéricas
▪ Dite os números a seguir, um de cada
vez: 35, 53, 204, 777, 1876, 2019, 3000
▪ Professor, leia pausadamente o enun-
▪ Após ditar cada número, circule pela ciado completo, sem enfatizar ne-
classe verificando se todos os alunos es- nhuma palavra.
creverem o número ditado. ▪ Oriente os alunos para completarem a
sequência numérica e a escreverem
resposta no quadro.
A PROFESSORA HELENA ESCREVEU NA
LOUSA UMA SEQUÊNCIA DE NÚMEROS, E PE-

13
DIU PARA QUE DANIEL COMPLETASSE A SE- NA FESTA JUNINA DA ESCOLA, CADA
QUÊNCIA COM O NÚMERO QUE ESTÁ FAL- CRIANÇA RECEBEU UM CONVITE NUME-
TANDO. RADO PARA CONCORRER A PRÊMIOS.
DURANTE A FESTA, FORAM SORTEADOS
OS SEGUINTES NÚMEROS:

Adaptado de https://pixabay.com/pt/ Acesso: 19 dez 2018.


O MAIOR NÚMERO SORTEADO GANHOU
COMO PRIMEIRO PRÊMIO, UMA BIBI-
QUAL NÚMERO DANIEL DEVERÁ ESCREVER
PARA COMPLETAR A SEQUÊNCIA NUMÉ- CLETA.

RICA? ESCREVA NO QUADRO A SEGUIR, O NÚ-


ESCREVA SUA RESPOSTA NO QUADRO A SE- MERO DO CONVITE SORTEADO QUE GA-
GUIR. NHOU O PRIMEIRO PRÊMIO.

Categorias de Respostas
A Escreve corretamente 34.
B Escreve 50, indicando que soma os dois Disponível em: https://pixabay.com/pt/ Acesso: 19 dez 2019.
últimos números apresentados na se-
quência (28+22=50).
Categorias de Respostas
C Escreve 76, indicando que soma todos A Identifica o maior número sorteado e
os números apresentados na sequência escreve corretamente: 485.
(10+16+22+28=76). B Escreve 119, demonstrando que não
identifica o número maior.
D Escreve 10, 16, 22 ou 28, indicando que C Escreve 191, 304 ou 279, demons-
repete um dos números da sequência. trando que não compreende a ordena-
C Escreve outras respostas que não as in- ção dos números.
dicadas em (A), (B), (C) ou (D). D Escreve outras respostas que não as in-
D Ausência de resposta ou números ile- dicadas em (A), (B) ou (C).
gíveis. E Ausência de resposta ou números ilegí-
veis.

QUESTÃO 3

ADE 03 – Comparar números naturais, QUESTÃO 4


identificando o maior ou o menor.
ADE 04 – Resolver situações-problema
▪ Professor, leia pausadamente o enun-
ciado completo, sem enfatizar ne- do campo aditivo com a ideia de com-
nhuma palavra. paração.
▪ Oriente os alunos a escreverem a res-
posta do que se pede no quadro.

14
▪ Professor, leia pausadamente, o enun- C Escreve outras respostas que não as in-
ciado completo, sem enfatizar ne- dicadas em (A), (B) ou (C).
nhuma palavra. D Ausência de resposta ou números ilegí-
▪ Oriente os alunos para que resolvam veis.
“do seu jeito”, a situação apresentada,
e que, depois, escrevam sua resposta
no local indicado. QUESTÃO 5
▪ Informe que, para encontrar a res-
posta, eles podem fazer desenhos, es- ADE 05 – Resolver situações-problema do
quemas, contas ou calcular mental- campo multiplicativo com a ideia de pro-
mente. porcionalidade.
▪ Peça aos alunos que não apaguem os
seus registros. ▪ Professor, leia pausadamente, o enun-
ciado completo, sem enfatizar ne-
nhuma palavra.
CAIO TEM 25 REAIS E SEU IRMÃO JOA- ▪ Oriente os alunos para que resolvam
“do seu jeito”, a situação apresentada,
QUIM TEM 32 REAIS. e que, depois, escrevam sua resposta
no local indicado.
QUANTOS REAIS JOAQUIM TEM A MAIS ▪ Informe que, para encontrar a res-
posta, eles podem fazer desenhos, es-
QUE CAIO?
quemas, contas ou calcular mental-
mente.
▪ Peça aos alunos que não apaguem os
seus registros.

PARA O TRATAMENTO DE LAURA O MÉ-


DICO RECEITOU 2 COMPRIMIDOS POR
Disponível em: https://pi-
xabay.com/pt/ Acesso: 19 dez. 2019. DIA DURANTE 7 DIAS.

REGISTRE COMO VOCÊ PENSOU.

Disponível em: https://pixabay.com/pt/


Acesso: 10 dez. 2019.

ESCREVA NO QUADRO A SEGUIR SUA RES- QUANTOS COMPRIMIDOS LAURA VAI TOMAR
ATÉ O FINAL DO TRATAMENTO?
POSTA.

REGISTRE COMO VOCÊ PENSOU.

Categorias de Respostas
A Escreve corretamente: 7, ou sete reais REGISTRE SUA RESPOSTA NO QUADRO A SE-
ou R$ 7,00 (32-25=7)
GUIR.
B Escreve 57, somando os valores
(32+25=57)
Escreve um dos valores apresentados
no enunciado, 25 ou 32.

15
Categorias de Respostas
A Escreve corretamente: 14 ou quatorze
(7x2=14).
B Escreve 5 ou 9, subtrai ou soma os da- QUESTÃO 6 – LEITURA DE CALENDÁRIO
dos apresentados no enunciado.
Escrever um dos valores apresentados
no enunciado, 2 ou 7.
Categorias de Respostas
C Escreve outras respostas que não as in-
dicadas em (A), (B) ou (C). A Escreve a resposta correta: terça ou
D Ausência de resposta ou números ilegí-
terça-feira, T ou TER (para terça-feira).
veis.
B Escreve outro dia da semana que não a
terça.
C Escreve 12, indicando que repetiu do
QUESTÃO 6 enunciado.
ADE 6 – Identificar unidades de tempo - D Escreve outras respostas que não as in-
dia, semana ou mês - utilizando calendário dicadas em (A) e (B).
E Ausência de resposta ou números ilegí-
▪ Professor, explique aos alunos que
nesta atividade deverão fazer a lei- veis.
tura do calendário para responderem
à questão.
▪ Leia o enunciado da questão. QUESTÃO 7
▪ Peça para aos alunos que observem o
ADE 07 – Interpretar dados apresentadas
calendário.
▪ Leia a pergunta e informe que devem em tabela simples ou gráfico de colunas.
escrever a resposta no local indicado. ▪ Professor leia pausadamente o enun-
ciado, sem enfatizar nenhuma pala-
JOÃO PEDRO FAZ ANIVERSÁRIO NO DIA
vra.
12 DE FEVEREIRO DE 2019.
▪ Peça aos alunos que leiam a tabela.
▪ Leia a questão que os alunos devem
OBSERVE O CALENDÁRIO A SEGUIR. responder e os oriente para que re-
solvam “do seu jeito” a situação apre-
sentada, e que, depois, escrevam sua
resposta no local indicado.

A TABELA A SEGUIR, INFORMA O RESUL-


TADO DO CAMPEONATO INTERNO DA
ESCOLA” APRENDENDO A CONVIVER".
RESULTADO DO CAMPEONATO
EM QUE DIA DA SEMANA JOÃO PEDRO FAZ EQUIPE QUANTIDADE DE PON-
ANIVERSÁRIO? DELTA TOS
10
ESCREVA NO QUADRO A SEGUIR SUA RES- PONTOS
GAMA 8
POSTA. ALFA 7
BETA 5

16
OMEGA 14
SIGMA 11
FONTE: ALUNOS DA ESCOLA "APRENDENDO A CONVIVER"

QUAL A EQUIPE VENCEDORA DO CAMPE-


ONATO?
Adaptado de https://pixabay.com/pt/ Acesso: 10 dez. 2019

ESCREVA NO QUADRO A SEGUIR SUA


QUAL O NOME DA CRIANÇA QUE MORA
RESPOSTA.
MAIS DISTANTE DA PRAÇA?
ESCREVA NO QUADRO A SEGUIR SUA
RESPOSTA.

Categorias de Respostas
A Escreve a resposta correta: OMEGA.
B Escreve 14, indicando a quantidade de
pontos da equipe vencedora. Categorias de Respostas
C Escreve BETA, indicando a equipe que
marcou a menor quantidade de pontos A Escreve a resposta correta: Celso.
D Escreve outras respostas que não as in- B Escreve Fabio, o aluno que mora mais
dicadas em (A), (B) ou (C). próximo da praça.
E Ausência de resposta ou números ilegí- C Escreve outras respostas que não as in-
veis. dicadas em (A) e (B).
D Ausência de resposta ou números ilegí-
veis.

QUESTÃO 8
QUESTÃO 9
ADE 08 – Localizar objetos ou pessoas em
ADE 09 – Resolver situações-problema uti-
representações do espaço.
lizando cédulas e moedas do sistema mo-
▪ Professor, explique aos alunos que
nesta atividade deverão localizar pes- netário brasileiro.
soas no mapa/croqui. ▪ Professor, leia pausadamente o enun-
▪ Leia o enunciado da atividade. ciado, sem enfatizar nenhuma palavra.
▪ Peça aos alunos que observem ▪ Oriente os alunos a observarem a
mapa/croqui. quantidade de cédulas para que resol-
vam “do seu jeito”, a situação apre-
▪ Leia para os alunos a pergunta que
sentada, e que, depois, escrevam sua
devem responder e oriente-os a es- resposta no local indicado.
crever a resposta no quadro. ▪ Informe que, para encontrar a res-
posta, eles podem fazer desenhos, es-
O DESENHO A SEGUIR, REPRESENTA A quemas, contas ou calcular mental-
LOCALIZAÇÃO DAS CASAS DE CRIANÇAS mente. Pedir aos alunos que não apa-
guem os seus registros.
QUE MORAM NO ENTORNO DA PRAÇA.
OBSERVE.

17
ADE-10 Identificar características de figu-
ras geométricas tridimensionais presentes
em elementos naturais e nos objetos.
O PAI DE MARCEL COMPLETOU O ▪ Professor, leia pausadamente o enun-
ciado da questão, sem enfatizar ne-
TANQUE DE COMBUSTÍVEL DO CARRO E
nhuma palavra.
PAGOU COM AS CÉDULAS ▪ Oriente os alunos para que resolvam a
questão da melhor maneira que pu-
REPRESENTADAS A SEGUIR. derem.

NO QUADRO A SEGUIR ESTÃO


REPRESENTADOS OBJETOS.
MARQUE COM UM (X) O OBJETO COM
FORMATO DE UM CUBO.

Adaptado de: https://pixabay.com/pt/ Acesso: 10 dez. 2019.

QUANTOS REAIS O PAI DE MARCEL


Adaptado de: https://pixabay.com/pt/ Acesso: 10 dez.
GASTOU PARA COMPLETAR O 2019.
TANQUE DE COMBUSTÍVEL DO
CARRO?

ESCREVA NO QUADRO A SEGUIR SUA CRÉDITO DA IMAGEM: MATERIAL EMAI

RESPOSTA.

Categorias de Respostas Categorias de Respostas


A Escreve a resposta correta: 37 ou 37 re- A Assinala o objeto que representa o for-
ais ou R$37,00. mato de um cubo.
B Escreve R$ 35,00, indicando que não B Assinala outro objeto: bola, casquinha
considerou a cédula de R$ 2,00 para o de sorvete ou lata de suco.
cálculo. C Assinala todos os objetos.
C Escreve outras respostas que não as in-
D Ausência de resposta.
dicadas em (A) e (B).
D Ausência de resposta ou números ilegí-
veis.

VI. REFERÊNCIAS
QUESTÃO 10
BRÄKLING, K, L. Modalidades didáticas de ensino e ti-
pos de atividades. IN: Referencial Curricular de Língua
18
Portuguesa. Versão Preliminar. Colégio Hebraico Brasi- sala de aula, material do professor - 4º ano do En-
leiro Renascença. São Paulo (SP); jun/08. sino Fundamental (Volume 1). Secretaria da Educa-
ção. Centro de Ensino Fundamental dos Anos Iniciais. -
__________. A noção de gênero. In: Oficina Cultural 4. São Paulo: SE, 2013.
Lendo e Produzindo Textos Acadêmicos. Momento 1.
PEC- Formação Continuada. São Paulo (SP): SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Ler e es-
SME/PUC/USP/UNESP/Fundação Vanzolini; 2001-2002. crever: guia de planejamento e orientações didáti-
cas – 4o ano / Secretaria da Educação, Fundação para o
__________ O contexto de produção de textos In: Oficina Desenvolvimento da Educação; coordenação, elabora-
Cultural 1. Lendo e Produzindo Textos Acadêmicos. ção e revisão dos materiais, Sonia de Gouveia Jorge... [e
Momento 1. PEC- Formação Continuada. São Paulo (SP): outros]; concepção e elaboração, Claudia Rosenberg
SME/PUC/USP/UNESP/Fundação Vanzolini, 2001-2002. Aratangy... [e outros]. - 4. ed. rev. e atual. - São Paulo:
FDE, 2014. Disponível em: http://lereescre-
CURCIO F. R. Comprehension of mathematical rela- ver.fde.sp.gov.br/SysPublic/Home.aspx (acesso em
tionship expressed in graphs. Journal for Research in 12.Fev.2016).
Mathematics Education,18(5), 382-393, 1987.
SÃO PAULO (Estado) Secretaria de educação. Expecta-
FAYOL, Michel. A Criança e o Número: da contagem à tivas de aprendizagem de Língua Portuguesa dos
resolução de problemas. Tradução por Rosana Severino anos iniciais do ensino fundamental – 1º ao 5º ano.
de Leoni. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996. 2013. Elaboração: Kátia Lomba Bräkling. Colaboração:
Grupo Referência de Língua Portuguesa, Formadoras do
LERNER, Delia e SADOVSKY, Patricia. 1996. O sistema de Programa Ler e Escrever e Equipe CEFAI. Supervisão Pe-
numeração: um problema didático. IN: Didática da Ma- dagógica: Telma Weisz. Disponível em: http://lereescre-
temática, org. Parra, C. e Saiz, I. Porto Alegre: Artes Mé- ver.fde.sp.gov.br/SysPublic/Home.aspx (acesso em
dicas. 12.Fev.2016).

LERNER, D. Ler e escrever na escola: o real, o possível SÃO PAULO (Estado) Secretaria de educação. Orienta-
e o necessário. Porto Alegre (RS): Artmed, 2002. ções curriculares do estado de São Paulo – Anos Ini-
ciais - Matemática. 2014. Disponível em: http://lerees-
MENDES, F.; DELGADO, C. A aprendizagem da multipli- crever.fde.sp.gov.br/SysPublic/Home.aspx (acesso em
cação e o desenvolvimento do sentido de número. IN: 12.Fev.2016).
BROCARDO, J.; SERRAZINA, L.; ROCHA, I. O sentido do
número. Lisboa: Escolar Editora, 2010. SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Matriz de
avaliação processual: anos iniciais, língua portu-
PIRES, C. M. C. et al. Espaço e forma: a construção de guesa e matemática; encarte do professor / Secretaria
noções geométricas pelas crianças das quatro séries da Educação; coordenação, Ghisleine Trigo Silveira, Re-
iniciais do Ensino Fundamental. Editora Proem: São gina Aparecida Resek Santiago; elaboração, equipe cur-
Paulo, 2001. ricular do Centro de Ensino Fundamental dos Anos Ini-
ciais. São Paulo: SE, 2016.
PIRES, C. M. C. Relações espaciais, localização e mo-
vimentação: um estudo sobre práticas e descobertas
de professoras polivalentes sobre atividades reali- VERGNAUD, G. A criança, a Matemática e a realidade:
zadas com seus alunos. Anais do Encontro de Educa- problemas de ensino de Matemática na escola ele-
ção Matemática realizado em Macaé/RJ. 2000. mentar. Trad.: Maria Lucia Moro. Curitiba: UFPR, 2009.

_______________. Reflexões que precisam ser feitas so- ________________. A teoria dos campos conceituais. In
bre o uso dos chamados materiais concretos para a Brun, J. Didática das Matemática.
Aprendizagem em Matemática. Boletim GEPEM (On-
line), v. 61, p. 1-17, 2012.

________________. Educação Matemática: conversas


com professores dos anos iniciais. São Paulo: Zapt
Editora, 2012.

ROJO, R. Produzir textos na alfabetização: projetando


práticas. In: Guia da Alfabetização – Revista Educação.
São Paulo: Editora Segmento – CEALE, 2010. pp. 44 – 59.

__________ Letramentos Múltiplos, escola e inclusão


social. São Paulo: Parábola, 2009.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Educação. Coorde-


nadoria de gestão da Educação básica. Departamento
de Desenvolvimento Curricular e de gestão da Educação
básica. Centro de Ensino Fundamental dos Anos Iniciais.
EMAI: educação matemática nos anos iniciais do en-
sino fundamental; organização dos trabalhos em

19

Você também pode gostar