Você está na página 1de 3

Critérios diagnósticos:

O diagnóstico dos Transtornos do Espectro Autista é , iminentemente, clínico e deve ser feito
de acordo com os critérios do CID 10 (OMS, 1993), pela anamnese com pais e cuidadores e
mediante observação clínica dos comportamentos.

A - Atrasos ou funcionamento anormal em, pelo menos, uma das seguintes áreas, com início
antes dos 3 anos de idade:

1. Interação social;

2. Linguagem para fins de comunicação social; (ele se expressa verbalmente, sem problemas.
Algumas palavras ou letras talvez erre, mas não prejudica sua comunicação).

3. Jogos imaginativos ou simbólicos. (tem suas preferências, porém mantém abertura


quando é proposto trocar de jogo ou vivencial algo novo – Os pais relatam que sempre
brincou com o brinquedo da forma correta, sem fixações com partes do mesmo – fantasia
situações, para os pais é dentro do normal).

B - Um total de seis (ou mais) itens de (1), (2) e (3), com pelo menos dois de (1), um de (2) e
um de (3):

1. Prejuízo qualitativo na interação social, manifestado por, pelo menos, dois dos seguintes
aspectos:

A. prejuízo acentuado no uso de múltiplos comportamentos não verbais, tais como contato
visual direto, expressão facial, posturas corporais e gestos para regular a interação social;
(mantém contato visual, agora quando é chamado a sua atenção ou quando o professor está
ensinando, ele divaga e mantém comportamento de esquiva. Não lhe desperta o interesse e
consequentemente ele não olha, porém no geral, ao manter um diálogo ele olha e inclusive
comportilha atenção).

B. fracasso em desenvolver relacionamentos com seus pares apropriados ao nível de


desenvolvimento;

C. falta de tentativa espontânea de compartilhar prazer, interesses ou realizações com


outras pessoas (p.e., não mostrar, trazer ou apontar objetos de interesse); (a pro fana Paula
disse que já presenciou ele compartilhando informações sobre jogos com seus amigos de
sala).
D. falta de reciprocidade social ou emocional. (ele pede desculpas quando percebe que
magoou).

2. Prejuízos qualitativos na comunicação, manifestados por, pelo menos, um dos seguintes


aspectos:

A. atraso ou ausência total de desenvolvimento da linguagem falada (não acompanhado por


uma tentativa de compensar através de modos alternativos de comunicação, tais como gestos
ou mímica);

B. em indivíduos com fala adequada, acentuado prejuízo na capacidade de iniciar ou manter


uma conversação;

C. uso estereotipado e repetitivo da linguagem ou linguagem idiossincrática; (não percebo


isso – ele tem um modo mais concreto de pensar, porém sem estereotipias).

D. falta de jogos ou brincadeiras de imitação social variados e espontâneos apropriados


ao nível de desenvolvimento. (segundo os pais o mesmo sempre imitou com facilidade –
suas brincadeiras são específicas para a sua faixa etária – gosta de arminhas de brinquedo –
jogos de videogame, desenhos na TV).

3. Padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses e atividades, manifestados


por, pelo menos, um dos seguintes aspectos:

A. preocupação insistente com um ou mais padrões estereotipados e restritos de interesse,


anormais em intensidade ou foco; (tem suas predileções, porém sem resistência anormal).

B. adesão aparentemente inflexível a rotinas ou rituais específicos e não funcionais; (sem


problemas e quando contrariado se for bem explicado o mesmo consente).

C. maneirismos motores estereotipados e repetitivos (p.e., agitar ou torcer mãos ou dedos,


ou movimentos complexos de todo o corpo); (sem maneirismo observados).

D. preocupação persistente com partes de objetos. (não observado e não relatado).


Aproximadamente 60-70% têm algum nível de deficiência intelectual, enquanto que os
indivíduos com autismo leve, apresentam faixa normal de inteligência e cerca de 10 % dos
indivíduos com autismo têm excelentes habilidades intelectuais para a sua idade (Brentani, et
al. 2013).

DSM-V : Transtorno do Espectro do Autismo


Deve preencher os critérios 1, 2 e 3 abaixo:

1. Déficits clinicamente significativos e persistentes na comunicação social e nas


interações sociais, manifestadas de todas as maneiras seguintes:
a) Déficits expressivos na comunicação não verbal e verbal usadas para interação
social;
b) Falta de reciprocidade social;
c) Incapacidade para desenvolver e manter relacionamentos de amizade
apropriados para o estágio de desenvolvimento.
2. Padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses e atividades,
manifestados por pelo menos duas das maneiras abaixo:
a) Comportamentos motores ou verbais estereotipados, ou comportamentos
sensoriais incomuns;
b) Excessiva adesão/aderência a rotinas e padrões ritualizados de
comportamento;
c) Interesses restritos, fixos e intensos.
3. Os sintomas devem estar presentes no início da infância, mas podem não se manifestar
completamente até que as demandas sociais excedam o limite de suas capacidades.