Você está na página 1de 1
Autor: Orientador: Orientador: Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e

Autor:

Orientador:

Orientador:

Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - FEC

ANÁLISE DE VENTILAÇÃO NATURAL NAS EDIFICAÇÕES ATRAVÉS DE SIMULAÇÃO COMPUTACIONAL: levantamento bibliográfico e aplicação dos parâmetros envolvidos na simulação

Aline Lourenço Vicente Prof a . Dr a . Profa. Dra. Lucila Chebel Labaki Doutoranda Juliana M. S. Costa Morais

Financiadora: Pibic/CNPq Palavra-Chave: ventilação natural, simulação computacional, conforto térmico.

INTRODUÇÃO:

A ventilação natural (resultado do movimento do ar) é conseqüência da diferença de pressão do ar, ocorrida pela diferença de temperatura, sendo necessário haver aberturas para que o ar possa entrar e fluir no edifício (TOLEDO, 1999). A ventilação natural contribui para a qualidade do ar ao reduzir a presença de gases tóxicos e para a otimização do conforto térmico (regularizando a temperatura) dos ambientes. O CFX é um software da ANSYS que analisa a dinâmica de fluidos computacional. Este programa é uma ferramenta de grande importância para a arquitetura, pois simula e avalia a ventilação natural e as trocas térmicas que ocorrem utilizando de equações de fluxo: equação da conservação de massa, da conservação de momento, da conservação de energia, de conservação escalar e equação de turbulência. (LEITE, 2008)

METODOLOGIA:

Revisão bibliográfica pertinente ao tema, buscando documentar artigos acadêmicos e científicos que consideram o uso de simulação computacional para o estudo da ventilação natural. Simulação a partir de um modelo 3D com o programa AutoCAD.

Simulação a partir de um modelo 3D com o programa AutoCAD. Fig 1. Modelo do projeto

Fig 1. Modelo do projeto de um cômodo com abertura lateral

SIMULAÇÃO DE UM MODELO IDEALIZADO:

Geração do modelo 3D, utilizando do software AutoCAD, envolto por um limite de entorno para o modelo. O modelo se identificou por um bloco simples, com apenas duas aberturas, uma de frente para a outra. Após a execução do modelo foi transferido no Icem CFD.

O Icem CFD é responsável por reparar e construir a geometria e malhas (mesh) numéricas para a execução da simulação (fig. 2). No Icem foi determinada a direção Norte e a direção Leste para, assim, melhor ser entendida a posição do modelo no espaço. Usou-se a ferramentas Create Part, e Mesh para determinação cada ponto do modelo 3D e acertar-se parâmetros globais da malha.

do modelo 3D e acertar-se parâmetros globais da malha. Fig 2. O Icem CFD - construção

Fig 2. O Icem CFD - construção da geometria e das malhas (mesh) numéricas para execução da simulação.

No CFX-Pre foram determinadas as condições iniciais (calculo de escoamento) sendo dadas as orientações do vento sendo INLET a entrada da ventilação (em direção ao Norte) e OUTLET a saída da mesma (fig. 3). Após tais orientações, o projeto foi enviado ao CFX Solver a fim de que este fizesse cálculos em cada nó da malha. Por ultimo, os resultados obtidos foram analisados no CFX-Post.

ultimo, os resultados obtidos foram analisados no CFX-Post. Fig 3. Orientações dadas no projeto pelo programa

Fig 3. Orientações dadas no projeto pelo programa CFX-Pré

.

Foram geradas imagens que mostram o comportamento da ventilação no projeto idealizado. As duas imagens abaixo (fig. 4 e 5) apresentam tais resultados.

duas imagens abaixo (fig. 4 e 5) apresentam tais resultados. Fig 4. Resultado obtido pelo CFX-Post

Fig 4. Resultado obtido pelo CFX-Post em forma representando a massa da ventilação.

CFX-Post em forma representando a massa da ventilação. CONCLUSÕES: Fig 5 – Resultado das velocidades

CONCLUSÕES:

Fig 5 Resultado das velocidades predominantes no cômodo obtido pelo CFX-Post em forma de gráfico

Percebe-se que a ventilação natural se comporta de forma desigual à medida que encontra uma barreira. A figura 4 mostra claramente a velocidade da ventilação de acordo com o gráfico de cores, sendo as velocidades mais altas indicadas pela cor vermelha e a velocidade mais baixa indicada pela coloração azul. Nota-se após encontrar a parede (barreira), o vento se espalha em torno do cômodo e segue, indo com baixa velocidade ou para aberturas laterais. O estudado neste simulação não teve uma projeção que condissesse com os aspectos mínimos para que ocorresse uma ventilação natural adequada. O resultado seria mais interessante se o cômodo fosse posicionado com suas aberturas voltadas diretamente para a incidência predominante do vento. Uma boa ventilação natural implica diretamente em um maior conforto térmico e contribui para edifícios mais eficientes do ponto de vista do consumo energético.

REFERÊNCIAS:

ANSYS CFX http://www.ansys.com/Products/Simulation+Technology/Fluid+Dynamics/ANSYS+CFX Acesso em Janeiro de 2012. BITTENCOURT, Leonardo & CÂNDIDO, Christina. Introdução à ventilação natural. Maceió: EDUFAL, 2005. E. DASCALAKI, M. SANTAMOURIS, M. BRUANT, C.A. BALARAS, A. BOSSAER, D. DUCARME, P.WOUTERS. Modeling large openings with COMIS. Energy and Buildings 30, 1999. p.105115. JAMES O. P. CHEUNG, CHUN-HO LIU. CFD Simulations of Natural Ventilation Behaviour in High-Rise Buildings in Regular and Staggered Arrangements at Various Spacing. Energy and Buildings, December 2010.

LEITE, Carolina Gaspar. Alterações da ventilação urbana frente ao processo de verticalização de avenidas litorâneas: o caso da avenida litorânea de São Luís/MA. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2008. TOLEDO, Alexandre M. Avaliação do desempenho da ventilação natural pela ação do vento em apartamentos: uma aplicação em Maceió/AL. Dissertação de Doutorado. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis - SC, Maio de 2006.ZHAI, Z.; Chen, Q., Performance of Coupled

Building Energy and CFD Simulations, Energy and Buildings Vol. 37, 2005, p. 333-344.