Você está na página 1de 3

SE VOCÊ LUTA COM O DÍZIMO, ISSO PODE SER POR QUE

Provavelmente, as perguntas mais frequentes sobre as finanças do Reino estão focadas no


assunto do dízimo. Perguntas como essas surgem o tempo todo:

“O dízimo é um princípio do Novo Testamento, ou é relegado à Antiga Aliança? ”


“O que, exatamente, é o dízimo? ”
“A quem devo dar meu dízimo, e o que há para mim? ”

Mas se você está lendo isso e tem perguntas semelhantes, e se formos capazes de nos
sentar juntos e conversar sobre isso, eu continuo perguntando: “ Você está tentando dar
mais ou tentando dar menos? "

Essas perguntas sobre o dízimo foram feitas mais de cem vezes, e somente uma vez em vinte
anos a pessoa que estava fazendo as perguntas tentava dar mais. Na maioria das vezes, as
pessoas que estão debatendo essas questões têm outras agendas das quais nem sempre
estão conscientes.

O QUE ESTÁ NA RAIZ DA SUA LUTA?

Dito isso, deixe-me fazer quatro perguntas que podem ajudá -lo a lidar com a causa
básica de qualquer luta que você possa ter com o dízimo:

1. Você confia em Deus para cuidar de você? Se você respondeu não a isso, então aqui está
uma grande escritura que irá ajudá-lo a avançar em sua busca para crescer confiando em
Deus: “Confie no SENHOR de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio
entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as suas veredas
”(Provérbios 3: 5–6). Acho que quando temos medo de não sermos atendidos, acumulamos e
tentamos controlar todo o nosso dinheiro. Confiando em Deus para prover em sua vida, você
ficará livre para expressar seu amor a Ele com o seu dízimo.

2. Você honra os líderes que dão conta de sua vida?


O escritor de Hebreus nos dá uma visão da pesada responsabilidade que Deus confiou a Seus
líderes espirituais. Mas em uma época em que os valores da família estão sendo trocados por
independência e até rebelião, esse versículo parece escrito para marcianos, ou pelo menos
para homens das cavernas: “Obedeçam seus líderes e se submetam a ele s, pois vigiam suas
almas como aqueles que vão dar uma conta. Deixem que façam isso com alegria e não com
tristeza, pois isso não lhe seria proveitoso ”(Hebreus 13:17). Para declarar o óbvio, se você
não pode honrar seus líderes no sentido de confiar neles para administrar bem o que você
der, talvez devesse estar sob uma liderança diferente.

3. Você está servindo Mammon (o espírito da ganância e do materialismo) ou Deus? Você


sempre protegerá o Deus (ou deus) ao qual você é leal. Jesus colocou melhor: “Ninguém
pode servir a dois senhores; pois ou ele odiará um e amará o outro, ou será dedicado a um e
desprezará o outro. Você não pode servir a Deus e à riqueza ”(Mateus 6:24). Se o dinheiro é
mais importante para você do que Deus, então você protegerá seu dinh eiro mais do que
confiar nele.
4. Você tem medo de não ter o suficiente? Eu amo o fato de que o Deus do céu se preocupa
com as necessidades práticas que temos aqui na terra. Jesus nos assegurou que o Pai cuida
de nós com estas palavras: “Não se preocupem , dizendo: 'O que vamos comer?' ou 'O que
vamos beber?' ou 'O que vamos usar para roupas?' Pois os gentios procuram ansiosamente
todas estas coisas; porque o vosso Pai celestial sabe que você precisa de todas essas coisas
”(Mateus 6: 31–32).

Se você está lutando com o assunto do dízimo, quero desafiá -lo agora mesmo a parar de ler
e pedir ao Espírito Santo que procure em seu coração. Pergunte se a sua resistência está
realmente enraizada na teologia do dízimo, ou se há problemas mais profundos que
incomodam. Deixe que Ele o guie para toda a verdade e livre -se da pobreza, do medo da
falta e da necessidade de controle.

COMO AMAR A DEUS COM SUA GENEROSIDADE

Vamos dar uma olhada em como o dízimo pode realmente tocar o coração de Deus. Acredito
que, uma vez que compreendamos que este é um ato sagrado que expressa nossa paixão
por nosso Pai generoso, que nossos problemas e medos de coração listados acima se
tornam cada vez menores.

Sempre me surpreendeu que o Deus do universo realmente tenha algum interesse em seres
humanos dando-Lhe presentes, muito menos dinheiro. Se você é Deus, o que você vai fazer
com as coisas? Tudo o que Ele tem que fazer é falar e a mesma coisa que Ele precisa aparece
diante dele. Então, o que há com dar a Deus?

Há uma coisa que Deus quer, mas que Ele não pode fazer acontecer - ser amado
livremente. Deus nos deu um livre arbítrio para que Ele pudesse nos experimentar
livremente dando nosso amor a Ele. O amor, por sua própria natureza, requer liberdade de
escolha. Amor forçado ou amor programado não é amor de forma alguma. Deus é amor, o
que significa que Ele tem a capacidade de dar amor e de ser amado. Porque o amor
“acredita em todas as coisas”, confiar em Deus (em todos os aspectos, inclusive com o
dízimo) é uma manifestação de amor a Ele (1 Coríntios 13: 7).

Deus pode discernir um presente que é dado por obrigação ou manipulação de um presente
que está enraizado no amor. Isso é evidenciado na história de Caim e Abel. Aqui está uma
conta curta:

“Assim, no decorrer do tempo, Caim trouxe uma ofe rta ao SENHOR do fruto do solo. Abel, de
sua parte, também trouxe os primogênitos de seu rebanho e de suas porções de gordura. E o
SENHOR atentou para Abel e para a sua oferta; mas para Caim e para a sua oferta não
atentou. ”(Gênesis 4: 3–5)

Algumas coisas vêm à luz nesta história. Primeiro, a necessidade de retribuir a Deus está
profundamente enraizada na natureza humana, tanto que Caim não recebeu nenhuma
simpatia por dar a Deus uma oferta miserável, embora tenha feito isso sem que Deus
pedisse. Eu acho que Deus não tinha consideração pela oferta de Caim porque Ele não tinha
respeito pelos motivos de Caim. Em outras palavras, Deus se recusou a ser manipulado pelo
dom de Caim. É como ter um filho adolescente que está em completa rebelião contra você, e
então ele pega algumas flores velhas e murchas do seu jardim e as entrega para você. Você
estaria pensando: “Qual é o problema? O que ele está tentando me subornar para fazer?
Ao contrário de Caim, Abel deu a Deus o primeiro e melhor de seu rebanho como um
presente precioso, e Deus o amou. Aqui está a beleza do nosso maravilhoso Criador
aquecendo-se no amor de Sua mera criatura mortal, dando a Abel um caminho de expressão
para liberar a paixão que jorrou dentro dele por seu Deus. Mais de mil anos antes de Moisés
escrever a Lei que exigia que o povo de Deus desse ao seu Criador o primeiro e o melhor,
Abel já estava amando a Deus livremente com seu dom extravagante.

Então, meu desafio para você hoje é duplo: primeiro, trabalhe com as perguntas e quaisquer
problemas cardíacos que possam estar atrapalhando o seu dízimo. Segundo, quando você vai
ao dízimo, dê a Deus o seu primeiro e melhor. Deleite seu amor sobre Ele e observe os
modos extravagantes que Ele irá derramar de volta para você!