Você está na página 1de 3

LUCAS RAFAEL DE ANDRADE- UTFPR

CONVERSOR ADC E DAC

Tal prática foi feita com a dupla Miguel Lima e o professor Nelson na matéria de Eletrônica
Digital 2

Quando eu li um determinado livro me deparei com a seguinte imagem

Veja a escadinha em "Entrada de sinal digital". Quando vi isso, tinha certeza que o livro estava
totalmente errado, e que sinais digitais somente poderiam ser 0s ou 1uns, então a escadinha
deveria ter apenas um patamar. E isso me deixou intrigado, porque não conseguia acreditar que
um engenheiro eletrico de tão alto nível teria cometido um erro tão "inocente". Quando
comecei a estudar esta matéria percebi que na verdade o livro estava certo. Não somente isso,
mas que também sinais digitais trabalham com H, L, P, A, ao invés de 0s e 1s

O primeiro circuito foi um Conversor DAC usando a rede R-2R, com 4 valores binários. Utilizamos
os resistores de 10KR, sendo que a tensão no operacional foi de 15 volts e -15V, inicialmente, e
nos resistores 5 V- Experimentamos também mudar a tensão no Operacional para 5v e direto no
terra. A mesa apresentava mal contato, e era a única mesa dispinível que sequer ligava. Ou seja,
devíamos ficar forçando o fio no buraco para obter os -15 V. Para alguns é extremamente
irritante o fato de os equipamentos fornecidos pela Universidade simplesmente não
funcionarem, e às vezes para mim também o é, porém desta vez foi ridículo que achei
engraçado.

Teoricamente a onda estava errada, porém após chamarmos o professor este deixou claro que a
onda triangular tremida, ou escada, estava certa, o problema só estava na escala do osciloscópio

Observe que cada degrau tem +-100mV e tem 15 degraus

O circuito 2 foi feito usando vários comparadores com resistores(9+2) conectados entre si e nas
suas entradas- , sendo 7 ao todo, do qual demos preferencia por usar o LM339 com resistor de
Pull Up por causa da geometria e da precisão, e aparentemente o professor cometeu um erro,
que fez com que tivéssemos que voltar outro dia para terminar a prática deste circuito, cujo qual
está mostrado na foto abaixo e varia o número binário que sai nos
LEDs

O circuito 1 funciona assim: conforme o sinal que se coloca nas entradas tem-se um equivalente
de thevenin e, portanto, um valor diferente de tensão que vai aumentando conforme mudam-se
os sinais de entrada no Amp-Op. O circuito 2, do contrário, compara diferentes níveis analógicos
e vai, conforme as diferentes tensões, deixando passar valores para um código binário por causa
dos comparadores