Você está na página 1de 35

Governador

José Wellington Barroso de Araújo Dias

Vice-Governador
Wilson Nunes Martins

Secretário da Fazenda
Antônio Rodrigues de Sousa Neto

Superintendente da Despesa
Francisco José Alves da Silva

Diretora da Unidade de Controle Contábil


Deusarina Batista dos Santos
Gerência de Controle Contábil
Adalgisa Lopes Araújo da Cruz

Antonio Alexandre de Sousa


Conceição de Maria Dantas da Veiga
Dalvani Soares Loureiro Lago
Jenisvaldo Oliveira Rocha
Maria da Conceição Marques dos Santos
Maria de Fátima Viana de Oliveira
Maria dos Santos Alves de Lima
Marinete da Silva Viveiros
Rosa Maria Bezerra dos Santos
Vânio José Gomes Bacelar de Carvalho Gerência da Dívida Pública
Saulo David de Sousa Paiva

Cleomara Alessandra Nery de Melo


Dalva Leal Soares Tourinho
Kátia Patrícia Alcântara de Araújo
Maria Eugênia Teresa de Rezende
Índice 3.3. Despesa com Pessoal 29
3.4. Dívida Consolidada Líquida 29
1. Apresentação 13 3.5. Resultado Primário 30
2. Orçamento 14 3.6. Resultado Nominal 30
2.1. Execução Orçamentária da Receita 15 3.7. Operações de Crédito 30
2.1.1. Receitas Correntes 16 3.8. Receita de Operações de Crédito e Despesas de Capital 30
2.1.1.1. Receita Tributária 17 3.9. Disponibilidade de Caixa 31
2.1.1.1.1. ICMS 17 3.10. Restos a Pagar por Poder 31
2.1.1.1.2. ICMS – FECOP 18 3.11. Receitas e Despesas Previdenciárias 32
2.1.1.1.3. IPVA 18 3.12. Aplicação de Recursos em Educação 32
2.1.1.1.4.IRRF 18 3.1.2.1. FUNDEB 33
2.1.1.1.5. ITCMD 18 3.13. Aplicação dos Recursos com Ações de Saúde 34
2.1.1.1.6.TAXAS 18 4. Balanço Geral 34
2.1.1.2. Receita de Contribuição 19 4.1. Balanço Orçamentário 34
2.1.1.3. Receita Patrimonial 19 4.1.1. Resultado Orçamentário 35
2.1.1.4. Receita de Serviço 19 4.2. Balanço Financeiro 35
2.1.1.5. Receita de Transferências Correntes 20 4.3. Balanço Patrimonial 36
2.1.1.6. Outras Receitas Correntes 21 4.3.1. Ativo Financeiro 36
2.1.1.7.Evolução da Arrecadação do ICMS e FPE 22 4.3.2. Realizável a Longo Prazo 37
2.1.2. Receitas de Capital 23 4.3.2.1. Créditos Realizáveis 37
2.2. Execução Orçamentária da Despesa 23 4.3.2.1. Ativo Permanente 37
2.2.1. Créditos Adicionais 23 4.3.3. Passivo Financeiro 38
2.2.2. Despesas Realizadas Por Função 24 4.3.4. Passivo Permanente 38
2.2.3. Despesas Realizadas Por Categoria Econômica 24 4.3.4.1. Operação de Crédito Interna 38
2.2.3.1. Despesas Correntes 26 4.3.4.1.1. Dívida Fundada Interna 38
2.2.3.1.1. Despesa de Pessoal 26 4.3.4.1.2. Outras Obrigações 39
2.2.3.1.2. Despesa com Juros e Encargos da Dívida 27 4.3.4.2. Operações de Crédito Externa 39
2.2.3.1.3. Outras Despesas Correntes 27 4.3.4.3. Serviço da Dívida Interna e Externa 40
2.2.3.2. Despesas de Capital 27 4.3.4.4. Evolução da Dívida 40
2.2.3.2.1. Gastos com Investimentos 27 4.3.4.5. Outras Operações 40
2.2.3.2.2. Inversões Financeiras 27 4.3.5. Déficit ou Superávit Financeiro 40
2.2.3.2.3. Despesas com Amortização da Dívida 28 4.3.6. Saldo Patrimonial 41
3. Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF 28 4.4. Variações Ativas e Passivas 41
3.1. Balanço Orçamentário 28 5. Considerações Finais 43
3.2. Receita Corrente Líquida 28 6. Anexos 45
Órgãos da Administração Direta

ALEPI Assembléia Legislativa 01000 PMP Policia Militar do Piauí 26000


TCE Tribunal de Contas do Estado 02000 SEMAR Secretaria Meio Ambiente e Rec. Naturais 28000
TJ Tribunal de Justiça 04000 SASC Secretaria Assistência Social e Cidadania 30000
GOVPI Governadoria do Estado 11000 FUNSOCIAL Fundo Estad. de Assistência Social 30102
SSP Secretaria da Segurança Publica 12000 COMUNIC Coordenadoria Comunicação Social 33000
SEFAZ Secretaria da Fazenda 13000 DEFPUBLICA Defensoria Pública do Estado 35000
SEED Secretaria da Educação e Cultura 14000 PGE Procuradoria Geral do Estado do Piauí 36000
SDR Secretaria de Desenvolvimento Rural 15000 CGE Controladoria Geral do Estado 37000
SEINFRA Secretaria da Infra-Estrutura do Piauí 16000 CEID Coord. Est. Integ Pessoa Port. Deficiência 38000
FUNSAUDE Fundo de Saúde do Estado do Piauí 17000 RECONTING Reserva de Contingência 39000
SEPLAN Secretaria de Planejamento 19000 FOMEZERO Coordenação Seg. Alim. Erradicação da Fome 40000
FIES Fundo Investimento Econômico e Social 19103 BOMBEIROS Corpo de Bombeiros Militar 44000
SETDETUR Secretaria Des. Econ. e Tecnológico 20000 SECID Secretaria das Cidades 45000
SEAD Secretaria da Administração 21000 SETRANS Secretaria dos Transportes 46000
FUNDOINFO Fundo de Informática do Piauí 21104 SETUR Secretaria do Turismo 47000
SEJUST Secretaria da Justiça e Direitos Humanos 22000 SETRE Secretaria Trabalho Empreendedorismo 48000
EGE Encargos Gerais do Estado 24000 DEFCIVIL Secretaria de Defesa Civil 49000
MPE Ministério Publico 25000 GEPI Governo do Estado do Piauí 90000
FUNDMPE Fundo Especial Ministério Público 25102
Órgãos da Administração Indireta

DETRAN Departamento Estadual de Transito do Piauí 12201


LOTEPI Loteria do Estado do Piauí 13202
FUESPI Fundação Universidade Estadual do Piauí 14201
FUNDAC Fundação Cultural do Piauí 14202
FUNDESPI Fundação dos Esportes do Piauí 14203
FUNTV Fundação Radio e Televisão Educativa do Piauí 14204
FUNLAZER Fundo de Investimentos no Esporte e Lazer 14205
FUNCULTURAL Fundo de Investimentos Culturais 14206
INSTFREIRE Instituto Superior de Educação Antonino Freire 14207
INTERPI Instituto de Terras do Piauí 15201
EMATER Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural 15202
DER Departamento de Estradas de Rodagens do Piauí 16201
CMTP Companhia Metropolitana de Transportes Públicos 16203
COMDEPI Companhia de Desenvolvimento do Piauí 16206
CEPRO Fundação CEPRO 19201
JUCEPI Junta Comercial do Estado do Piauí 20201
PIEMTUR Empresa de Turismo do Piauí 20202
FAPEPI Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí 20203
IMEPI Instituto de Metrologia do Estado do Piauí 20205
IAPEP Instituto de Assistência e Previdência do Estado do Piauí 21201
FUNPREV Fundo de Previdência do Estado do Piauí 21203
ATI Agência de Tecnologia da Informação do Estado do Piauí 21204
ADH Agência do Desenvolvimento Habitacional do Piauí 45202
CMTP Companhia Metropolitana de Transportes Públicos 46202
APRESENTAÇÃO

Em cumprimento ao disposto no artigo 102, inciso XVII da


Constituição Estadual e Resolução do TCE n° 1.277/04, a Unidade de Contro-
le Contábil apresenta o Balanço Geral do Estado do Piauí, relativo ao exercí-
cio de 2007, formalizando a prestação de contas anual do Excelentíssimo Se-
nhor Governador do Estado.

Os relatórios contábeis e de gestão fiscal das finanças pú-


blicas desta prestação de contas, foram elaborados com base nos critérios e
princípios constantes nas Leis Federais n° 4.320/69 e Lei Complementar n°
101/2000, LRF, que norteiam quanto à sua forma, conteúdo e abrangência,
reproduzindo a situação orçamentária, financeira e patrimonial do Estado do
Piauí.

Buscando a transparência da gestão pública, procurou-se


empregar uma linguagem acessível para a compreensão dos textos, tabelas e
gráficos utilizados, auxiliando o entendimento e a compreensão do leitor de
qualquer âmbito social.

13
2. ORÇAMENTO
O Orçamento do Estado para o exercício de 2007 foi aprovado através da Lei Estadual n° 5.619, de 28 de dezembro de 2006, alterada pela Lei nº
5.653, de 04 de junho de 2007, compreendendo o Orçamento Fiscal, da Seguridade Social e o Orçamento de Investimento. A Receita Geral do Estado para o exercí-
cio de 2007 foi estimada em R$ 3.698.841.921 (três bilhões, seiscentos e noventa e oito milhões, oitocentos e quarenta e um mil, novecentos e vinte e um reais).
Após a dedução da contribuição do Estado para o FUNDEB e das transferências constitucionais aos municípios, ficou em R$ 3.072.286.796 (três bilhões, setenta e
dois milhões, duzentos e oitenta e seis mil, setecentos e noventa e seis reais), sendo as despesas fixadas nos mesmos valores, com um crescimento de 17,79%, con-
forme demonstrativos a seguir:

Em R$
RECEITA PREVISTA Em R$
VA R IA ÇÃ O
CATEGORIA ECONÔMICA 2006 % 2007 % DESPESA FIXADA
%
RECEITAS CORRENTES 2.469.800.355 94,69 3.545.481.210 115,40 43,55
VARIAÇÃO
Tributárias 936.999.248 37,94 1.192.726.030 33,64 27,29 ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 %
De Contribuições 83.972.147 3,40 165.303.957 4,66 96,86 %
Patrimoniais 11.438.525 0,46 20.904.720 0,59 82,76 1. DESPESAS CORRENTES 2.117.412.730 81,18 2.406.444.216 78,33 13,65
Serviços 1.078.870 0,04 19.086.650 0,54 1.669,13 1.1. Pessoal e Encargos 1.009.739.509 38,71 1.081.396.308 35,20 7,10
Transferências Correntes 1.381.141.331 55,92 1.949.234.768 54,98 41,13
1.2. Juros e Encargos da Dívida 93.110.258 3,57 206.142.456 6,71 121,40
Receita Intra-Orçamentária 0 0,00 188.555.960 122,95 100,00
1.3. Outras Despesas Correntes 1.014.562.963 38,90 1.118.905.452 36,42 10,28
Outras Receitas Correntes 55.170.234 2,23 9.669.125 0,27 -82,47
2. DESPESA DE CAPITAL 475.053.895 18,21 468.878.401 15,26 (1,30)
RECEITAS DE CAPITAL 384.903.567 14,76 153.360.711 4,99 -60,16 2.1. Investimentos 381.422.860 14,62 356.891.690 11,62 (6,43)
Operações de Crédito 46.436.000 12,06 49.477.558 32,26 6,55 2.2. Inversões Financeiras 11.480.983 0,44 21.441.992 0,70 86,76
Alienações de Bens 86.038.297 22,35 39.398.806 25,69 -54,21
2.3. Amortização da Dívida 82.150.052 3,15 90.544.719 2,95 10,22
Amortização de Empréstimos 1.734.804 0,45 3.200.000 2,09 84,46
3. DESPESA INTRA ORÇAMENTÁRIA 0 0,00 188.555.960 6,14 100,00
Transferência de Capital 241.396.904 62,72 61.284.347 39,96 -74,61
Outras Receitas de Capital 9.297.562 2,42 0 0,00 -100,00 4. RESERVA DE CONTINGÊNCIA 15.825.859 0,61 8.408.219 0,27 (46,87)
DESPESA TOTAL 2.608.292.484 100 3.072.286.796 100 17,79
RECEITA TOTAL 2.854.703.922 741,67 3.698.841.921 120,39 100,00
DEDUÇÃO DA RECEITA CORRENTE (246.411.438) -64,02 (626.555.125) -162,78 154,27
RECEITA TOTAL DEDUZIDA 2.608.292.484 109,45 3.072.286.796 240,79 17,79

14
A Despesa Fixada na Lei do Orçamento de nº 5.619, alterada
Em R$
pela Lei de nº 5.653, de 04/junho/2007, foi de R$ 3.072.286.796 (três bilhões,
RECEITA ARRECADADA
setenta e dois milhões, duzentos e oitenta e seis mil, setecentos e noventa e seis
V A R IA ÇÃ O
reais), detalhada a seguir: CATEGORIA ECONÔMICA 2006 % 2007 %
%
RECEITAS CORRENTES 3.417.860.083 96,35 4.145.536.492 97,50 21,29
Em R$ Tributária 1.235.301.271 36,14 1.387.852.006 33,48 12,35
De Contribuuição 110.730.438 3,24 193.662.504 4,67 74,90
DESPESA FIXADA POR PODER
Patrimonial 35.804.871 1,05 26.040.165 0,63 (27,27)
VA R IA ÇÃ O
De Serviços 100.216 0,00 26.618.291 0,64 26.460,92
ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 % % Transferências Correntes 1.938.116.725 56,71 2.212.824.197 53,38 14,17
Outras Receitas Correntes 97.806.562 2,86 75.100.825 1,81 (23,21)
PODER LEGISLATIVO 123.000.000 4,72 156.745.655 5,10 27,44 Receita Intra Orçamentária 0 - 223.438.503 5,39 100,00
RECEITAS DE CAPITAL 129.639.960 3,65 106.500.238 2,50 (17,85)
PODER JUDICIÁRIO 149.800.000 5,74 194.983.201 6,35 30,16
Operações de Crédito 12.943.888 9,98 9.791.188 9,19 (24,36)
Alienação de Bens 13.701.180 10,57 479.137 0,45 (96,50)
MINISTÉRIO PÚBLICO 49.749.000 1,91 64.093.614 2,09 28,83
Amortizações de Empréstimos 652.321 0,50 586.530 0,55 (10,09)
PODER EXECUTIVO 2.285.743.484 87,63 2.656.464.326 86,47 16,22 Tranferências de Capital 102.064.123 78,73 95.400.008 89,58 (6,53)
Outras Receitas de Capital 278.448 0,21 243.375 0,23 (12,60)
TOTAL 2.608.292.484 100 3.072.286.796 100 17,79
RECEITA TOTAL 3.547.500.043 100 4.252.036.729 100 19,86
DEDUÇÕES DAS RECEITAS CORRENTES (336.462.410) - (752.633.264) - -
RECEITA DEDUZIDA 3.211.037.633 100,00 3.499.403.466 100,00 8,98

2.1. EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DA RECEITA

Os gráficos seguintes retratam a composição da Receita do


A Receita Arrecadada do Estado no ano de 2007 totalizou
Estado, destacando o FPE como a principal Receita na ordem de 39,03 %
R$ 4.252.036.729 (quatro bilhões, duzentos e cinqüenta e dois milhões, trinta
seguida do ICMS que contribui com 27,54 % da Receita total arrecadada em
e seis mil, setecentos e vinte e nove reais), representando um aumento nomi-
2007.
nal de 19,86 % em relação ao total das receitas do ano de 2006,conforme
detalhamento a seguir:

15
RECEITAS 2007
RECEITAS 2006

0,36% 0,39%
ICMS
0,00% 0,02% IC MS IPVA
2,76% IPVA 1,77% IRRF
0,66% 2,88% IRRF 0,51% 0,23%
5,25% ITCMD
3,95% ITC MD 0,01%
3,76% TAXAS
0,10% TAXAS 0,01%
0,01% 0,15% De Contribuições
5,12% De C ontribuições 2,24%
Patrimonial 2,49% Patrimonial
30,21% 0,01%
3,28% De Serviços
De Serviços 5,12%
0,98% FPE 27,54% FPE
0,12% IPI 0,86% IPI
IC MS-EXPORTAÇ ÃO 0,10% ICMS-EXPORTAÇ ÃO
0,03% C IDE 1,48% CIDE
1,50% FUNDEF 0,02% FUNDEF
Transferências de C onvênios 2,09% Transferências de Convênios
1,62% Salário Educação 0,06% Salário Educação
0,03% Transferências do SUS Fundo a Fundo
1,47% Transferências do SUS Fundo a Fundo
1,46% Outras Transferências da União
3,12% 4,55% Outras Transferências da União
Outras Receitas C orrentes
40,39% 0,00% 0,63% Outras Receitas Correntes
1,01% Receita Intra Orçamentária
39,03% 0,61%
Operações de C rédito Receita Intra Orçamentária
Alienação de Bens Operações de C rédito
Amortizações de Empréstimos Alienação de Bens
Transferências de C apital Amortizações de Empréstimos
Outras Receitas de C apital
RECEITAS CORRENTES Transferências de Capital
Outras Receitas de Capital

2.1.1. RECEITAS CORRENTES

2.212.824
2006 2007

1.938.117
As Receitas Correntes representaram 97,50 % da arrecadação to-
tal do Estado no exercício de 2007, sendo esta categoria econômica responsá-
vel pela principal fonte das receitas estaduais. Houve uma variação nominal

1.387.852
1.235.301
com relação ao ano anterior na ordem de 21,29 %. As Receitas Tributárias
representaram 33,48 % do total das Receitas Correntes.

223.439
193.663
110.730

97.807
A Receita Tributária, composta por impostos e taxas, representa

75.101
35.805
26.040

26.618
uma das maiores fontes de recursos, com uma participação de 32,64 % da

100
Receita Total.

0
T ributária C o ntribuuição P atrim o nial S erviço s T ransf. O utras R ec. R eceita Intra
O gráfico ao lado, mostra a variação das Receitas Correntes em C o rrentes C o rrentes O rçam entária
relação ao ano anterior.

16
2.1.1.1. RECEITA TRIBUTÁRIA 2.1.1.1.1. ICMS
A Receita Tributária atingiu um montante de R$ 1.387.852.006
(um bilhão, trezentos e oitenta e sete milhões, oitocentos e cinqüenta e dois O ICMS, imposto mais importante na arrecadação do Estado,
mil e seis reais), apresentando um aumento nominal na ordem de 12,35 % em correspondeu no ano de 2007 a 86,81 % de toda a Receita Tributária Estadual,
relação ao exercício de 2006, conforme quadro e gráficos a seguir: correspondente a R$ 1.150.587.895,60 (um bilhão, cento e cinqüenta milhões,
quinhentos e oitenta e sete mil, oitocentos e noventa e cinco reais e sessenta
Em R$
centavos), superando ao arrecadado em 2006 em 7,35 %.
RECEITAS TRIBUTÁRIAS
VARIAÇÃO
DISCRIMINAÇÃO 2006 % 2007 % O gráfico a seguir demonstra a evolução do ICMS do Estado nos
%
últimos cinco anos.
IMPOSTOS 1.183.545.195 95,81 1.325.342.376 95,50 11,98
ICMS 1.071.811.008 90,56 1.150.587.896 86,81 7,35
ADICIONAL ICM S-FECOP 0 0,00 20.274.109 1,53 100,00
IPVA 53.332.312 4,51 63.051.916 4,76 18,22
IRRF 57.302.070 4,84 89.063.093 6,72 55,43
ITCMD 1.099.805 0,09 2.365.363 0,18 115,07
TAXAS 51.756.076 4,19 62.509.630 4,50 20,78 EVOLUÇÃO DO ICMS
TOTAL 1.235.301.271 100 1.387.852.006 100 12,35

2007 1.150.587.896

RECEITAS TRIBUTÁRIAS
2006 901.060.847

2005 760.498.179 ICMS


2006 2007
1.150.588
1.071.811

2004 610.695.028

2003 540.605.647
89.063
63.052

62.510
53.332

57.302

51.756
20.274

1.100

2.365
0

IC M S AD IC ION A L IP VA IR R F ITC M D TA XA S
IC M S-
FECOP

17
GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ
SECRETARIA DA FAZENDA
SUPERINTENDÊNCIA DA DESPESA
UNIDADE DE CONTROLE CONTÁBIL

2.1.1.1.2. ADICIONAL ICMS - FECOP


2.1.1.1.5. ITCMD
O Fundo Estadual de Combate a Pobreza – FECOP, instituído a-
través da Lei Ordinária nº 5.622, em 28 de dezembro de 2006, corresponde ao O Imposto sobre Transição Causa Mortis e Doações – ITCMD
adicional de 2% (dois por cento) na alíquota do Imposto sobre Operações arrecadou no exercício de 2007 o valor de R$ 2.365.362,82 (dois milhões,
Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços e trezentos e sessenta e cinco mil, trezentos e sessenta e dois reais e oitenta e
Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação – ICMS. Este dois centavos), com um incremento de 115,07 % em relação ao exercício ante-
Fundo atingiu no ano de 2007 o montante de R$ 20.274.108,79 (vinte mi- rior.
lhões, duzentos e setenta e quatro mil, cento e oito reais e setenta e nove cen-
tavos). 2.1.1.1.6. TAXAS
2.1.1.1.3. IPVA As taxas são as receitas provenientes de arrecadação pela presta-
ção dos serviços oferecidos pelos diversos órgãos do Estado.
O Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores – IPVA
arrecadou em 2007 o montante de R$ 63.051.916,18 (sessenta e três milhões, Em 2007 foi arrecadado o valor de R$ 62.509.629,61 (sessenta e
cinqüenta e um mil, novecentos e dezesseis reais e dezoito centavos). dois milhões, quinhentos e nove mil, seiscentos e vinte e nove reais e sessenta
e um centavos), gerando um acréscimo de 20,78 % em relação ao ano de
O incremento nominal desta Receita comparado com o ano de 2006.
2006 foi de 18,22 %.
O quadro a seguir destaca as taxas arrecadadas pelo Poder de Po-
lícia e pela Prestação de Serviços, destacando-se, neste subgrupo, as taxas
arrecadadas pelo DETRAN, no valor de R$ 47.205.537,34 (quarenta e sete
2.1.1.1.4. IRRF milhões, duzentos e cinco mil, quinhentos e trinta e sete reais e trinta e quatro
centavos), com um total de 19,89 % do total arrecadado.
Em R$
O Imposto de Renda Retido na Fonte é um tributo de competên-
cia da União, que passou a ser contabilizado como receita tributária do Estado, TAXAS
a partir da Constituição Federal de 1988, formalizado pela Portaria STN nº VARIAÇÃO
212, de 04/junho/2001. ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 %
%
PELO PODER DE POLÍCIA 533.827 0,03 1.101.412 0,05 106,32
Esta receita totalizou em 2007, R$ 89.063.093,08 (oitenta e nove
milhões, sessenta e três mil e noventa e três reais e oito centavos), com um PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 51.222.249 2,64 61.408.217 2,78 19,89
crescimento nominal de 55,43 % em relação a 2006. A principal fonte desta TOTAL 51.756.076 3 62.509.630 3 20,78
receita é oriunda da retenção na Fonte dos servidores do Estado.

18
2.1.1.2. RECEITA DE CONTRIBUIÇÃO
2.1.1.3. RECEITA PATRIMONIAL
A Receita de Contribuição arrecadada no exercício de 2007 foi
de R$ 193.662.504,18 (cento e noventa e três milhões, seiscentos e sessenta e No ano de 2007 a Receita Patrimonial totalizou R$ 26.040.165
dois mil, quinhentos e quatro reais e dezoito centavos),representando um a- (vinte e seis milhões, quarenta mil, cento e sessenta e cinco reais), com de-
créscimo de 42,82 % em relação ao ano anterior. créscimo em relação ao ano anterior de 27,28.
Em R$

RECEITA DE CONTRIBUIÇÃO Em R$

Variação RECEITA PATRIMONIAL


DISCRIMINAÇÃO 2006 % 2007 % %
V ARIA ÇÃO
84.606.670 76,41 91.459.575 47,23 7,49 DISCRIMINAÇÃO 2006 % 2007 %
Contribuição do Servidor Ativo Civil %

Contribuição do Servidor Ativo Militar 9.551.975 8,63 9.675.956 5,00 1,28 Aluguéis 9.050 0,03 95.538 0,37 955,67
Contribuição do Servidor Inativo Civil 6.510.818 5,88 7.102.948 3,67 8,34 Arrendamentos 210 0,00 85 0,00 (59,52)
Contribuição do Servidor Inativo Militar 1.587.478 1,43 1.568.466 0,81 -1,21 Juros de Títulos de renda 5.377.617 15,02 7.641 0,03 (99,86)
Contribuição de Pensionista Civil 3.503.133 3,16 4.176.214 2,16 16,12 Dividendos 37.995 0,11 676 0,00 (98,22)
Contribuição de Pensionista Militar 369.172 0,33 300.070 0,15 -23,03 Fundo de Investimento 1.439.855 4,02 98.684 0,38 (93,15)
Outras Contribuições Previdenciárias 1.365.297 1,23 63.572 0,03 (2.047,64) Remuneração de Depósito Bancários 28.777.386 80,37 25.542.253 98,09 (11,24)

Outras Contribuições Sociais - 0,00 76.639.585 39,57 100,00 Receita de Concessão e Permissão 162.758 0,45 123.091 0,47 (24,37)

Compensação Previdenciária 238.466 0,22 967.673 0,50 75,36 Outras Receitas Patrimoniais - - 172.197 0,66 100

Contribuições Econômicas 2.997.429 2,71 1.708.745 0,88 -75,42 TOTAL 35.806.877 100 26.040.165 100 (27,28)
TOTAL 110.730.438 100 193.662.804 100 42,82

Dentre as Receitas de Contribuição destaca-se a Contribuição do 2.1.1.4. RECEITA DE SERVIÇOS


Servidor Ativo com 47,23 % do total deste subgrupo de Receita.
As outras contribuições sociais no valor de R$ 76.639.285,16 (se- As Receitas de Serviços totalizaram R$ 26.618.291 (vinte e seis
tenta e seis milhões, seiscentos e trinta e nove mil, duzentos e oitenta e cinco milhões, seiscentos e dezoito mil, duzentos e noventa e um reais).
reais e dezesseis centavos), representam contribuição dos servidores para O crescimento nominal de mais de vinte e seis mil por cento em
o IAPEP SAÚDE no valor de R$ 23.159.659,06 (vinte e três milhões, cento e
cinqüenta e nove mil, seiscentos e cinqüenta e nove reais e seis centavos) e relação ao exercício de 2006, deve-se ao ajuste realizado em 2007 relativa-
para o PLAMTA, no valor de R$ 53.479.626,10 (cinqüenta e três milhões, mente à classificação das receitas deste subgrupo, adequando-as em confor-
quatrocentos e setenta e nove mil, seiscentos e vinte e seis reais e dez centa- midade com o respectivo ingresso.
vos).

19
2.1.1.5. RECEITA DE TRANSFERÊNCIAS CORRENTES O gráfico a seguir, demonstra a evolução do FPE nos últimos cinco
anos:
O montante arrecadado referente às Receitas de Transferências Cor-
rentes no ano de 2007 foi de R$ 2.212.824.197,00 (dois bilhões, duzentos e doze
milhões, oitocentos e vinte e quatro mil, cento e noventa e sete reais). Este valor
representou um aumento nominal de 14,17 % com referência ao ano de 2006, co-
mo demonstra o quadro a seguir:

Em R$ EVOLUÇÃO FPE
TRANSFERÊNCIAS CORRENTES
VARIAÇÃO
ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 %
%
2007 1.659.776.618
FPE 1.432.717.489 73,92 1.659.776.618 75,01 15,85
IPI 1.217.953 0,06 917.983 0,04 -24,63
2006 1.432.717.489
ICMS-Exportação 4.411.631 0,23 4.411.631 0,20 0,00
CIDE 34.679.345 1,79 36.384.475 1,64 4,92 2005 1.294.564.437
FUNDEB 116.322.792 6,00 217.761.596 9,84 87,20
Convênios 181.534.648 9,37 105.768.374 4,78 -41,74 2004 1.034.367.885
Salário Educação 3.659.745 0,19 6.288.247 0,28 71,82
Transferência do SUS Fundo a Fundo 140.123.974 7,23 159.766.173 7,22 14,02 2003 938.389.899
Outras Transferências da União 23.449.147 1,21 21.749.100 0,98 -7,25
TOTAL 1.938.116.724 100 2.212.824.197 100 14,17

A receita oriunda do FPE proveniente da arrecadação de Impostos da


União foi de R$ 1.659.776.618 (um bilhão, seiscentos e cinqüenta e nove milhões,
setecentos e setenta e seis mil, seiscentos e dezoito reais), com a variação nominal
de 15,85 % comparada ao exercício anterior, com uma contribuição de 75,01 %, As Transferências Correntes decorrentes de Convênios em 2007 tive-
em relação ao total destas receitas, sendo esta, a principal receita no grupo das ram um decréscimo de 41,74 % em relação a 2006, retratados a seguir:
Transferências Correntes.

20
2.1.1.6. OUTRAS RECEITAS CORRENTES

Estas Receitas tiveram um decréscimo de 23,21 % comparadas com o


ano anterior. O montante destas receitas no exercício de 2007 foi de
Em R$ R$ 75.100.824,94 (setenta e cinco milhões, cem mil, oitocentos e vinte e quatro
TRANSFERÊNCIAS CORRENTES - CONVÊNIOS reais e noventa e quatro centavos).
ÓRGÃOS 2007 %
Ministério da Educação 44.725.248 42,37 Dentre as Receitas Diversas no valor de R$ 67.671.309 (sessenta e se-
Ministério da Saúde 21.076.807 19,97 te milhões, seiscentos e setenta e um mil, trezentos e nove reais), R$ 60.000.000
Ministério da Integração Nacional 1.580.600 1,50 (sessenta milhões de reais), referem-se à 1ª parcela referente à incorporação do
Ministério do Trabalho 2.962.595 2,81 Banco do Estado do Piauí ao Banco do Brasil, acordado entre a União e o Governo
Ministério da Fazenda 412.000 0,39 do Estado, através do Contrato de Prestação de Serviços Financeiros e outras A-
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome 5.724.566 5,42 venças, nº 036/07, de 13 de novembro de 2007.
Ministério da Justiça 5.850.630 5,54
Ministério da Cultura 984.892 0,93
Ministério do Desenvolvimento Agrário 2.184.303 2,07
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 11.420.282 10,82
Ministério do Meio Ambiente 20.000 0,02 EmR$
Ministério das Minas e Energia 501.050 0,47
OUTRAS RECEITAS CORRENTES
Ministério do Turismo 1.753.923 1,66
Ministério de Ciência e Tecnologia 568.770 0,54 VARIAÇÃO
Ministério da Defesa 44.993 0,04
ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 % %

Ministério do Esporte 5.137.392 4,87 Outras Multas/Juros de Mora 582.413 0,60 2.489.215 3,31 327,40
Outras Transferências 600.500 0,57 Indenizações e Restituições 4.353.669 4,45 2.954.847 3,93 -32,13
TOTAL GERAL 105.548.550 100 Dívida Ativa Tributária 1.575.860 1,61 1.981.953 2,64 25,77
Fonte: SIAFEM-PI Recursos Diretamente Arrecadados 90.442.549 92,47 3.600 0,00 -100,00
Receitas Diversas 852.070 0,87 67.671.309 90,11 7.841,99
TOTAL 97.806.561 100 75.100.925 100 -23,21

21
2.1.1.7. EVOLUÇÃO DA ARRECADAÇÃO DO ICMS E FPE 1998 A 2007

No exercício de 2007 a arrecadação do ICMS atingiu o total nominal de R$ 1.150.587.895,60 (um bilhão, cento e cinqüenta milhões, quinhentos e oitenta e
sete mil, oitocentos e noventa e cinco reais e sessenta centavos), com um incremento equivalente a 7,35 % em relação ao exercício anterior. O FPE (Fundo de Participa-
ção do Estado), principal receita de transferência ao Estado, teve crescimento na ordem de 15,85 %, em relação a 2006 e alcançou o valor de R$ 1.659.776.618,39 (um
bilhão, seiscentos e cinqüenta e nove milhões, setecentos e setenta e seis mil, seiscentos e dezoito reais e trinta e nove centavos).
O Estado através da Secretaria da Fazenda vem promovendo ações e implementando procedimentos técnicos e administrativos, no incremento da arrecada-
ção própria, na busca constante da auto-suficiência, objetivando amenizar a dependência das Transferências da União, sobretudo o FPE.
A seguir, ilustraremos a evolução dos últimos dez anos, mostrando o crescimento do FPE e ICMS em relação ao exercício anterior, com base no ano de
1998, que alcançaram respectivamente, 251,7 % e 258,9 %.

Em R$

1 .4 3 3
EVOLUÇÃO DO ICMS E FPE

1 .2 95

1 .66 0
EVOLUÇÃO ICMS E FPE

1 .1 5 1
Ano anterior Exercício 1998

1 .0 7 2
ANO FPE ICMS

1 .0 3 4
FPE ICMS FPE ICMS

938
9 02

9 01
1998 471.912.086,52 320.629.125,58
ICMS

760
72 9
1999 522.659.917,99 340.619.589,33 10,75% 6,23% 10,75% 6,23%

619

611
2000 619.356.191,52 426.821.064,56 18,50% 25,31% 31,24% 33,12% FPE

541
523
47 2

46 8
427
2001 728.867.552,38 467.972.606,19 17,68% 9,64% 54,45% 45,95%

341
3 21
2002 902.034.776,15 540.797.415,77 23,76% 15,56% 91,14% 68,67%
2003 938.389.899,35 610.695.028,01 4,03% 12,92% 98,85% 90,47%
2004 1.034.367.884,60 760.498.178,54 10,23% 24,53% 119,19% 137,19%
2005 1.294.564.437,13 901.060.847,00 25,16% 18,48% 174,32% 181,03%
2006 1.432.717.489,00 1.071.811.008,00 10,67% 18,95% 203,60% 234,28% 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007
2007 1.659.776.618,39 1.150.587.895,60 15,85% 7,35% 251,71% 258,85%

22
2.1.2. RECEITAS DE CAPITAL 2.2. EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DA DESPESA
As Receitas de Capital tiveram decréscimo de 17,85 % em relação ao
ano anterior, totalizando R$ 106.500.237,88 (cento e seis milhões, quinhentos mil,
duzentos e trinta e sete reais e oitenta e oito centavos), correspondendo a 2,50 % A Despesa Orçamentária do Estado no exercício de 2007 foi fixada
da Receita Total do Estado. em R$ 3.072.286.796 (três bilhões, setenta e dois milhões, duzentos e oitenta e seis
mil, setecentos e noventa e seis reais), apresentando um acréscimo nominal de
O quadro a seguir apresenta a variação nominal e percentual das Re-
ceitas de Capital realizada entre os exercícios de 2006 e 2007. 17,79 % em relação ao ano anterior.
Em R$

RECEITAS DE CAPITAL
VARIAÇÃO 2.2.1. CRÉDITOS ADICIONAIS
ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 %
%
Operações de Crédito 12.943.888 9,98 9.791.188 9,19 (24,36) O Orçamento do exercício de 2007 foi atualizado através de Créditos
Alienação de Bens 13.701.180 10,57 479.137 0,45 (96,50)
Am ortização de Em prés tim os 652.321 0,50 586.530 0,55 (10,09) Adicionais Suplementares, remanejamentos e/ou cancelamentos de dotações atua-
Trans ferências de Capital 102.064.123 78,73 95.400.008 89,58 (6,53) lizando-o para o valor de R$ 4.064.326.247,54 (quatro bilhões, sessenta e quatro
Outras Receitas de Capital 278.448 0,21 243.375 0,23 (12,60)
milhões, trezentos e vinte e seis mil, duzentos e quarenta e sete reais e cinqüenta e
TOTAL 129.639.960 100 106.500.238 100 (17,85)
quatro centavos), retratados a seguir, no Quadro Demonstrativo dos Recursos para
Dentre as Receitas de Capital destacam-se as Transferências de Capi- Abertura de Créditos Adicionais.
tal - CONVÊNIOS, que tiveram um decréscimo de 6,53 % em relação a 2006, cor-
respondendo a R$ 95.400.008 (noventa e cinco milhões, quatrocentos mil e oito Em R$
reais), a seguir retratados:
Em R$ DEMONSTRATIVO DE CRÉDITOS ADICIONAIS
TRANSFERENCIAS DE CAPITAL - CONVÊNIOS
ESPECIFICAÇÃO 2006 2007
ÓRGÃOS 2007 %
Ministério da Educação 1.234.962 1,29 DOTAÇÃO INICIAL 2.608.292.484 3.072.286.796
Ministério das Minas e Energia 270.000 0,28
Ministério do Desenvolvimento Agrário 317.700 0,33 DOTAÇÃO SUPLEMENTAR 1.007.727.969 992.039.452
Ministério da Integração Nacional 65.570.189 68,73 1. POR EXCESSO DE ARRECADAÇÃO 518.243.000 550.421.099
Ministério do Turismo 24.103.356 25,27
2. POR SUPERÁVIT FINANCEIRO 489.484.969 441.618.353
Ministério das Cidades 3.611.320 3,79
Ministério do Planejmento, Orçamento e Gestão 289.361 0,30 TOTAL 3.616.020.453 4.064.326.248
Ministério do Esporte 3.120 0,00
TOTAL GERAL 95.400.008 100

23
2.2.2. DESPESAS REALIZADAS POR FUNÇÃO
2.2.3. DESPESAS REALIZADA POR CATEGORIA ECONÔMICA
Em conformidade com a Lei Federal nº 4.320/64 a Despesa do Estado
está classificada em vinte e seis funções do governo, conforme demonstrativo a
A seguir, a consolidação das Despesas autorizadas e empenhadas por
seguir:
Em R$ Categoria Econômica.
DESPESAS REALIZADAS POR FUNÇÃO

FUNÇÕES REALIZAÇÃO PARTICIPAÇÃO Em R$

Legislativa 144.349.822 3,83% DESPESA AUTORIZADA E EMPENHADA POR CATEGORIA ECONÔMICA


Judiciária 222.492.543 5,90% DESPESA
Essencial a Justiça 15.916.630 0,42%
CATEGORIA ECONÔMICA ORÇAMENTO SALDOS NÃO
Administração 580.405.023 15,39% EMPENHADA
ATUALIZADO UTILIZADOS
Segurança Publica 276.123.497 7,32%
Assistência Social 34.802.385 0,92% DESPESAS CORRENTES 3.410.052.229 3.273.734.748 136.317.481
Previdência Social 565.019.284 14,98% Pessoal e Encargos 1.548.752.582 1.520.502.190 28.250.392
Saúde 456.430.482 12,10%
Juros e Encargos da Dívida 264.764.521 259.366.440 5.398.081
Trabalho 12.350.753 0,33%
Educação 555.306.257 14,72% Outras Despesas Correntes 1.596.535.126 1.493.866.118 102.669.007
Cultura 9.528.799 0,25%
DESPESAS DE CAPITAL 654.274.018 497.876.340 156.397.678
Direitos da Cidadania 33.827.019 0,90%
Urbanismo 14.492.745 0,38% Investimentos 360.694.206 216.789.973 143.904.233
Habitação 50.156 0,0013% Inversões Financeiras 53.506.282 45.788.504 7.717.778
Saneamento 4.080.691 0,11% Amortização da Dívida 240.073.530 235.297.863 4.775.667
Gestão Ambiental 43.756.477 1,16%
Ciência e Tecnologia 1.998.687 0,05%
TOTAL DESPESA 4.064.326.248 3.771.611.089 292.715.159
Agricultura 81.474.519 2,16%
Organização Agrária 4.977.771 0,13%
Indústria 1.937.829 0,05%
Comercio e Serviços 9.147.361 0,24%
Comunicações 19.726.445 0,52%
Energia 81.355 0,0022%
Transporte 111.887.559 2,97% O demonstrativo seguinte retrata as Despesas autorizadas e empe-
Desporto e Lazer 11.591.109 0,31% nhadas por Poder, Categoria e Sub-Categoria Econômica:
Encargos Especiais 559.855.890 14,84%
TOTAL 3.771.611.089 100%

24
Em R$
DESPESA POR PODER, CATEGORIA E SUB-CATEGORIA ECONÔMICA
ORÇAMENTO DESPESA
ESPECIFICAÇÃO
ATUALIZADO EMPENHADA
As Despesas realizadas no exercício de 2007 atingiram o montante
PODER LEGISLATIVO 151.814.975 144.349.822
de R$ 3.771.611.088,70 (três bilhões, setecentos e setenta e um milhões, seiscentos
1. DESPESAS CORRENTES 145.549.496 139.742.902 e onze mil e oitenta e oito reais e setenta centavos) e comparadas às do exercício
1.1 Pes s oal e Encargos Sociais 98.888.724 97.526.781
anterior tiveram um incremento nominal de 14,48 %.
1.3 Outras Des pes as Correntes 46.660.772 42.216.121

2. DESPESAS DE CAPITAL 6.265.479 4.606.919


6.265.479 4.606.919
O demonstrativo seguinte retrata o desdobramento das Despesas
2.4 Inves tim entos
2.5 Invers ões Financeiras 0 0 Realizadas por Categoria e Sub-Categoria Econômica:
PODER JUDICIÁRIO 174.017.952 166.354.203
1. DESPESAS CORRENTES 168.857.542 164.613.921
1.1 Pes s oal e Encargos Sociais 159.158.254 158.403.780
1.3 Outras Des pes as Correntes 9.699.288 6.210.141 Em R$

2. DESPESAS DE CAPITAL 5.160.410 1.740.282 DESPESA REALIZADA


2.4 Inves tim entos 5.160.410 1.740.282 V A R IA ÇÃ O
CATEGORIA ECONÔMICA 2006 % 2007 % %
2.5 Invers ões Financeiras 0 0
DESPESAS CORRENTES 2.828.118.938 85,84 3.273.734.748 86,80 15,76
MINISTÉRIO PÚBLICO 57.118.380 56.138.338 Pessoal e Encargos 1.023.455.904 31,06 1.520.502.190 40,31 48,57
1. DESPESAS CORRENTES 56.838.874 55.867.081
Juros e Encargos da Dívida 170.192.675 5,17 259.366.440 6,88 52,40
1.1 Pes s oal e Encargos Sociais 55.238.299 54.316.221
1.3 Outras Des pes as Correntes 1.600.575 1.550.859 Outras Despesas Correntes 1.634.470.359 49,61 1.493.866.118 39,61 -8,60

2. DESPESAS DE CAPITAL 279.506 271.258


DESPESAS DE CAPITAL 466.446.924 14,16 497.876.340 13,20 6,74
2.4 Inves tim entos 279.506 271.258
2.5 Invers ões Financeiras 0 0 Investimentos 290.205.414 8,81 216.789.973 5,75 -25,30
Inversões Financeiras 12.508.120 0,38 45.788.504 1,21 266,07
PODER EXECUTIVO 3.681.374.941 3.404.768.724
3.038.806.317 2.913.510.844
Amortização da Dívida 163.733.390 4,97 235.297.863 6,24 43,71
1. DESPESAS CORRENTES
1.1 Pes s oal e Encargos Sociais 1.235.467.305 1.210.255.408 TOTAL DESPESA 3.294.565.862 100 3.771.611.089 100 14,48
1.2 Juros e Encargos da Dívida 264.764.521 259.366.440
1.3 Outras Des pes as Correntes 1.538.574.491 1.443.888.997

2. DESPESAS DE CAPITAL 642.568.623 491.257.880


2.4 Inves tim entos 348.988.811 210.171.513 A seguir, o desdobramento gráfico das Despesas realizadas por Cate-
2.5 Invers ões Financeiras 53.506.282 45.788.504 goria e Sub-Categoria Econômica.
2.6 Am ortização da Dívida 240.073.530 235.297.863

TOTAL 4.064.326.248 3.771.611.089

25
DESPESA REALIZADA 2.2.3.1. DESPESAS CORRENTES
5 0%
2006
As Despesas Correntes representaram em 2007, 86,80 % do total das
9%
despesas do Estado. Estas despesas tiveram um aumento nominal de 15,76 % em
relação a 2006.
0%

5%
2.2.3.1.1. DESPESA DE PESSOAL
As despesas com Aposentadorias e Reforma e Pensões na execução
orçamentária, estão classificadas em Outras Despesas Correntes, em função da
5% 31% Portaria do Ministério de Previdência e Assistência Social nº. 916, de julho de
2003 e Portaria da Secretaria do Tesouro Nacional - STN nº. 414, de 27 de agosto
Pessoal e Encargos Juros e Encargos da Dívida de 2003. Entretanto, para este relatório, a título de manter a capacidade de compa-
Outras Despesas Correntes Investimentos ração entre determinado período, essas despesas serão alocadas como Despesa de
Inversões Financeiras Amortização da Dívida
Pessoal.
Observa-se que no ano de 2007, o valor das despesas empenhadas
com pessoal atingiu o montante de R$ 2.046.153.849 (dois bilhões, quarenta e seis
1%
6% milhões, cento e cinqüenta e três mil, oitocentos e quarenta e nove reais), apresen-
tando um crescimento nominal de 36,17 % em relação ao ano anterior.
6%

40%
Em R$

DESPESA DE PESSOAL
VARIAÇÃO
ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 %
%
DESPESA REALIZADA Aposentadorias e Reformas 345.193.640 22,97 380.094.673 18,58 10,11
40% 2007 Pensões 133.952.329 8,91 145.556.986 7,11 8,66

7%
Vencimentos Fixos e Variáveis 962.642.872 64,07 1.141.489.359 55,79 18,58
Pessoal e Encargos Juros e Encargos da Dívida Outras Despesas de Pessoal 60.813.031 4,05 379.012.831 18,52 523,24
Outras Des pesas Correntes Investimentos
Inversões Financeiras Amortização da Dívida
Total 1.502.601.872 100 2.046.153.849 100 36,17

26
2.2.3.1.2. DESPESAS COM JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA ta reais), representando 13,20 % da despesa total, com um aumento nominal de
As despesas com juros e encargos da dívida do Estado em 2007, tota- 6,74 % em relação a 2006.
lizaram R$ 259.366.436,59 (duzentos e cinqüenta e nove milhões, trezentos e ses-
senta e seis mil, quatrocentos e trinta e seis reais e cinqüenta e nove centavos).
Deste montante, R$ 62.965.159,14 (sessenta e dois milhões, novecentos e sessenta 2.2.3.2.1. GASTOS COM INVESTIMENTOS
e cinco mil, cento e cinqüenta e nove reais e quatorze centavos), referem-se a juros
e encargos da dívida pagos em 2006.
Em 2007 os gastos com investimentos totalizaram R$ 216.789.973
2.2.3.1.3. OUTRAS DESPESAS CORRENTES (duzentos e dezesseis milhões, setecentos e oitenta e nove mil, novecentos e seten-
ta e três reais), representando uma perda nominal em relação ao ano anterior de
Excluindo-se as Despesas com Aposentadorias e Reformas e Pensões,
o Estado empenhou em 2007 o montante de R$ 968.214.459 (novecentos e sessen- 25,30 %, conforme quadro a seguir:
ta e oito milhões, duzentos e quatorze mil, quatrocentos e cinqüenta e nove reais),
conforme demonstrativo a seguir. Em R$

Em R$
DESPESAS COM INVESTIMENTOS
VARIAÇÃO
OUTRAS DESPESAS CORRENTES ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 %
VA R IA ÇÃ O
%
ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 %
% Obras e Instalações 197.276.978 67,98 136.625.952 63,02 (30,74)
Transferencias Constitucionais 288.601.845 24,98 - - (100,00)
Outros Serviços de Terceiros 436.510.389 37,78 307.007.085 31,71 (29,67) Equipamentos e Mat. Pernanente 47.186.647 16,26 34.551.822 15,94 (26,78)
Material de Consumo 101.070.617 8,75 107.303.254 11,08 6,17
Outros Investimentos 45.741.790 15,76 45.612.199 21,04 (0,28)
Diárias 19.882.216 1,72 15.744.791 1,63 (20,81)
Material de Distribuição Gratúita 18.218.793 1,58 31.782.737 3,28 74,45 Total 290.205.415 100 216.789.973 100 (25,30)
Despesas de Exercícios Anteriores 201.110.571 17,41 224.957.504 23,23 11,86
Contribuições 27.274.602 2,36 29.786.818 3,08 9,21
Outras Despesas Correntes 62.655.357 5,42 251.632.270 25,99 301,61
Total 1.155.324.390 100 968.214.459 100 (16,20) 2.2.3.2.2. INVERSÕES FINANCEIRAS

As despesas com inversões financeiras totalizaram no ano de 2007


2.2.3.2. DESPESAS DE CAPITAL R$ 45.788.504 (quarenta e cinco milhões, setecentos e oitenta e oito mil, quinhen-
tos e quatro reais), representando um acréscimo de 226,07 % em relação ao ano de
As Despesas de Capital em 2007 totalizaram R$ 497.876.340 (quatro- 2006. Deste montante, o valor de R$ 3.668.441,40 (três milhões, seiscentos e ses-
senta e oito mil, quatrocentos e quarenta e um reais e quarenta centavos), foi pro-
centos e noventa e sete milhões, oitocentos e setenta e seis mil, trezentos e quaren-
veniente da operação de crédito oriunda do Programa PRO-SANEAMENTO e
destinado a aumento de capital da AGESPISA.

27
3.1. BALANÇO ORÇAMENTÁRIO
2.2.3.2.3. DESPESAS COM AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA
O Balanço Orçamentário é componente obrigatório estabelecido
As despesas com Amortização da Dívida realizadas em 2007 totaliza- no art. 52 da Lei Complementar n° 101/00. Evidencia-se a seguir de forma resumi-
ram R$ 235.297.862,77 (duzentos e trinta e cinco milhões, duzentos e noventa e da, o total das receitas arrecadadas e despesas realizadas e resultado orçamentário
sete mil, oitocentos e sessenta e dois reais e setenta e sete centavos), apresentando (déficit/superávit) alcançado pelo Estado no exercício de 2006 e 2007, bem como a
um acréscimo de 43,71 % em relação ao ano de 2006. Variação Percentual entre eles.
Deste montante, R$ 59.001.837,37 (cinqüenta e nove milhões, um
Em R$
mil, oitocentos e trinta e sete reais e trinta e sete centavos), referem-se a despesa de
LC Nº 101/2000 - Art. 52 - inciso I, Alinea "a" e "b" do Inciso II e § 1º
amortização da Dívida paga no exercício de 2006.
VA R IA ÇÃ O
ESPECIFICAÇÃO 2006 2007 %
RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS 3.211.037.633 3.275.964.963 2,02
RECEITAS INTRA ORÇAMENTÁRIAS - 223.438.503 100
3. LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL - LRF TOTAL RECEITA 3.211.037.633 3.499.403.466 8,98
DESPESAS ORÇAMENTÁRIAS 3.294.565.862 3.551.918.456 7,81
A Lei Complementar Federal n° 101/2000, denominada Lei de DESPESAS INTRA ORÇAMENTÁRIAS - 219.692.632 100
TOTAL DESPESA 3.294.565.862 3.771.611.088 14,48
Responsabilidade Fiscal - LRF estabelece normas de finanças públicas voltadas
RESULTADO ORÇAMENTÁRIO (83.528.229) (272.207.622) 225,89
para a responsabilidade na Gestão Fiscal conforme definido no art. 163 da Consti- SALDO DE EXERCÍCIO ANTERIOR 489.484.969 483.849.730 100
Fonte: Relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF.
tuição Federal, tendo como premissa básica, o planejamento, o controle, a transpa-
rência e a responsabilidade.

3.2. RECEITA CORRENTE LÍQUIDA


Para atingir estes objetivos, a Lei dispõe de meios, dentre os
quais destaca-se a busca do equilíbrio das contas públicas pelo alcance de metas de A Receita Corrente Líquida - RCL, é o somatório dos últimos
resultado entre Receitas e Despesas e a imposição de limites e concisões para re- doze (12) meses, das Receitas Correntes Arrecadadas pelo Estado, deduzido das
parcelas transferidas para os Municípios, por determinação constitucional, a con-
núncia de receitas, despesas com pessoal, seguridade social, dívidas consolidada e tribuição dos servidores para o custeio do regime próprio de previdência, as recei-
imobiliária, operações de créditos, concessão de garantias e inscrição em Restos a tas provenientes da compensação financeira entre regimes previdenciários, bem
como as transferências para o FUNDEB.
Pagar.

28
A RCL é o principal balizador das finanças públicas, servindo
como referencial para os limites de despesas com pessoal, custeio, serviços e esto- Em R$
que da dívida, garantia e contra garantia. DESPESAS COM PESSOAL
% EM REL. % EM REL.
PODERES 2006 2007 LRF %
A RCL em 2007 foi de R$ 3.054.199.037,55 (três bilhões, cin- A RCL A RCL
qüenta e quatro milhões, cento e noventa e nove mil e trinta e sete reais e cinqüen- Executivo 1.143.177.787 42,80 1.313.557.404 43,01 49,00
ta e cinco centavos). Judiciário 132.550.025 4,96 139.092.310 4,55 6,00
Legislativo 85.887.916 3,22 90.547.802 2,96 3,00
O gráfico a seguir, retrata o crescimento nominal da RCL no Ministério Público 53.961.885 2,02 60.260.148 1,97 2,00
qüinqüênio 2003/2007.
Total 1.415.577.613 53,00 1.603.457.665 52,50 60,00
RCL 2.671.042.762 - 3.054.199.037 - -
EVOLUÇÃO RCL Fonte: Relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF.
2003-2007

3.4. DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA


2007 3.054.199
A Dívida Consolidada Líquida - DCL é representada pela Dívi-
2006 2.671.043 da Pública consolidada, deduzidas: a disponibilidade financeiras, Restos a Pagar
Processados e os demais haveres financeiros.
2005 2.357.829
Demonstra-se a seguir, a relação entre a Dívida Consolidada
1.940.461 Líquida - RCL, atingindo o percentual de 77,93 % em 2007, demonstrando que o
2004
Estado permanece com o endividamento dentro dos parâmetros estabelecidos pela
1.647.133 LRF.
2003
Em R$
DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA - RCL

3.3. DESPESA COM PESSOAL ESPECIFICAÇÃO DCL RCL DCL/RCL


DEZEMBRO 2006 2.262.083.793 2.671.042.762 84,69
As despesas com Pessoal e Encargos Sociais correspondem ao
mais significativo item no conjunto das despesas correntes. No âmbito do Poder DEZEMBRO 2007 2.380.280.998 3.054.199.038 77,93
Executivo, o limite estabelecido na LRF foi mantido.
Limite Resolução nº 43 do Senado Federal 200%
O demonstrativo a seguir, mostra as despesas com pessoal no
Fonte: Relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF.
exercício de 2006 e 2007.

29
3.5. RESULTADO PRIMÁRIO
Resultado Primário consiste na comparação entre as Receitas e 3.7. OPERAÇÕES DE CRÉDITO
as Despesas Fiscais (não financeira). Tem por finalidade demonstrar a capacidade
do Estado de honrar o pagamento da dívida. Operação de Crédito corresponde ao compromisso assumido
em razão de mútua abertura de crédito, emissão e aceite de título, aquisição finan-
Em 2007 o Resultado Primário foi de R$ 473.861,74 (quatro-
ciada de bens, recebimento antecipado de valores provenientes da venda a termo
centos e setenta e três mil, oitocentos e sessenta e um reais e setenta e quatro cen-
de bens e serviços, arredondamento mercantil e outras operações assemelhadas,
tavos), conforme demonstrado a seguir:
inclusive como uso de derivativos financeiros.
Em R$

RESULTADO PRIMÁRIO O total das operações de créditos realizadas pelo Estado no e-


xercício de 2007 representou 1,34 % da Receita Corrente Líquida, conforme qua-
ESPECIFICAÇÃO 2006 2007 VARIAÇÃO dro a seguir:
Receitas Prim árias ( I ) 3.153.523.002 3.750.552.648 18,93 E m R$
Despes as Prim árias ( II ) 2.960.639.798 3.276.946.786 10,68
OP E R AÇ ÕE S D E C R É D IT O
Resultado Primário ( I - II ) 192.883.204 473.605.862 145,54 O PERAÇÕES REALIZADAS
META CONSTANTE LDO 233.176.000 223.059.000 (4,34) EM PRÉSTIM OS E FINANCIAM ENTOS
2006 2007
Fonte: Relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF. O PERA Ç Ã O DE C RÉDIT O ( I ) 53.770.000 41.074.875
EX TERNA - 41.074.875
3.6. RESULTADO NOMINAL INTERNA 53.770.000
P OR A NT EC IP A Ç Ã O DE REC EIT A ( II ) -
T OT A L DA S OP ERA Ç ÕES DE C RÉDIT OS (I+II) -
O Resultado Nominal é a Variação Nominal dos Saldos da Dí- REC EIT A C ORRENT E L ÍQ UIDA - RC L 2.671.042.762 3.054.199.038
vida Fiscal Líquida em um determinado período de tempo. % DA S OP ERA Ç ÕES C RÉDIT O INT ERNA E EXT ERNA 2, 01 1,34
% DA S OP ERA Ç ÕES C RÉDIT O PO R A NT EC IPA Ç Ã O DE REC EIT A
- -
S OBRE A RC L
O Estado alcançou em 2007 o Resultado Nominal de R$ L IM IT E DEFINIDO P EL O SENA DO FEDERA L P A RA O PERA Ç Ã O DE
121.805.701,55 (cento e vinte e um milhões, oitocentos e cinco mil, setecentos e 427.366.842 488.671.846
C RÉDIT O INT ERNO E EX T ERNO - 16 %
um reais e cinqüenta e cinco centavos), conforme demonstrativo a seguir: L IM IT E DEFINIDO P OR RES OL UÇ Ã O DO S ENA DO FEDERA L P A RA
186.972.993 213.793.933
Em R$ O PERA Ç Ã O DE C RÉDIT O P OR A NT EC IPA Ç Ã O DE REC EIT A - 7 %

R ES U L T A D O N O M IN A L Fonte: Relatórios da Lei de Res pons abilidade Fis c al - LRF.

V A RIA Ç Ã O
E S P E C IF IC AÇ ÃO 2006 2007
% 3.8. RECEITA DE OPERAÇÃO DE CREDITO E DESPESA DE CAPITAL
D ívid a C o n s o l id a d a ( I ) 2 .7 3 2 .9 6 8 .6 8 1 2 .5 8 4 .9 1 5 .8 6 9 (5 ,4 2 )
D e d u çõ e s ( II ) 4 7 0 .8 8 4 .8 8 8 2 0 4 .6 3 4 .8 7 1 (5 6 ,5 4 )
Dívid a C o n s o lid ad a L íq u id a (III) =( I- II) 2 .2 6 2 .0 8 3 .7 9 3 2 .3 8 0 .2 8 0 .9 9 8 5 ,2 3
P a s s ivo s R e co n h e c íve is ( IV ) 4 2 9 .7 9 5 .4 2 1 4 2 6 .1 8 6 .9 2 4 (0 ,8 4 ) O demonstrativo das Receitas de Operações de Crédito e Des-
Divida Fis c a l Líquida (V )=(III-IV ) 1 .8 3 2 .2 8 8 .3 7 2 1 .9 5 4 .0 9 4 .0 7 4 6 ,6 5
pesas de Capital compara as Receitas de Operações com as despesas de Capital,
R e su lta d o N o m in a l -4 7 5 .3 5 0 .9 9 7 1 2 1 .8 0 5 .7 0 2 -
M ET A DO RESUL T A DO FIXA DA NA L DO 1 0 2 .5 6 4 .0 0 0 1 0 2 .5 6 4 .0 0 0 -
Fonte: Relatórios da Lei de Res pons abilidade Fis c al - LRF.

30
em cumprimento à “Regra de Ouro”, prevista no inciso III do artigo 167 da Consti-
3.9. DISPONIBILIDADE DE CAIXA
tuição federal: “... é vedada a operação de crédito que excedam o montante das
despesas de capital, ressalvadas as autorizadas mediante créditos suplementares O demonstrativo a seguir, evidencia os valores e a variação per-
ou especiais com finalidade precisa, aprovada pelo Poder Legislativo, por maio- centual da Disponibilidade de Caixa, inclusive do Regime Previdenciário referen-
tes ao exercício de 2006 do Poder Executivo.
ria absoluta”. Os recursos de operações de crédito são considerados pelo total
ingressado no exercício financeiro.
Em R$
O valor de R$ 488.058.152,77 (quatrocentos e oitenta e oito mi- DISPONIBILIDADE DE CAIXA
lhões, cinqüenta e oito mil, cento e cinqüenta e dois reais e setenta e sete centavos) ATIVO 2006 2007
DISPONIBILIDADE FINANCEIRA - EXECUTIVO 222.734.009 298.392.752
representa o montante aportado pelo Estado com recursos de outras fontes em
DISPONIBILIDADE FINANCEIRA - FUNDO DE PREVIDÊNCIA 1.560.293 23.432.236
Despesa de Capital, conforme demonstrativo a seguir: TOTAL DO ATIVO DISPONÍVEL ( I ) 224.294.302 321.824.988
PASSIVO 2006 2007
OBRIGAÇÕES FINANCEIRAS - EXECUTIVO 82.193.406 116.505.398
Em R$ OBRIGAÇÕES FINANCEIRAS - FUNDO DE PREVIDÊNCIA 8.367 25.153.354
RECEITA DE OPERAÇÃO DE CRÉDITO E DESPESA DE CAPITAL TOTAL DAS OBRIGAÇÕES FINANCEIRAS ( II ) 82.201.773 141.658.752
SUFICIÊNCIA ANTES DA INSCRIÇÃO EM RESTOS A PAGAR NÃO PRECESSADOS ( III ) = ( I-II ) 142.092.529 180.166.236
RECEITA 2006 2007 INSCRIÇÃO EM RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS 21.471.127 21.928.748
6.876.120 3.688.441 Fonte: Relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF
Operação de Crédito Interna
Operação de Crédito Externa 6.067.768 6.102.746
TOTAL (I) 12.943.888 9.791.188

DESPESA 2006 2007


3.10. RESTOS A PAGAR POR PODER
Despesa de Capital 466.446.925 497.876.340
(-) Incentivos Fiscais a Contribuintes - -
(-) Incentivos Fiscais a Contribuintes por Inst. Financeira - -
Despesa Líquida (II) 466.446.925 497.876.340 O demonstrativo a seguir retrata a posição dos Restos a Pagar
Apuração da "Regra de Ouro" (I-II) (453.503.037) (488.085.153)
Fonte: Relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF. Processados e Não Processados do Estado do Piauí, classificados por Poder no

31
término do exercício de 2007 sendo Processados, aqueles em que o credor já cum-
ceira e orçamentária do patrimônio de propriedade dos beneficiários da Previdên-
priu suas obrigações, efetuou a entrega de material, prestado o serviço ou executa-
cia.
do a etapa da obra dentro do exercício, estando em condições de pagamento.

Os Restos a Pagar Não Processados são as despesas que depen- O quadro a seguir resume as Receitas e Despesas Previdenciárias do
Regime Próprio dos Servidores Públicos do Estado:
dem ainda da prestação do serviço ou fornecimento do material.
Em R$
RECEITAS E DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS
Em R$
RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS 2006 2007
RESTOS A PAGAR POR PODER
Receitas Correntes 109.173.075 117.223.374
RESTOS A PAGAR PROCESSADOS RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS Receitas de Capital 1.472 1.575
INSCRITOS INSCRITOS Repas s es Previdenciários recebidos pela RPPS 199.358.316 223.438.503
PODER
EX ER C Í C IOS IN SC R IT OS EM EX ER C Í C IO S IN SC R ITOS EM Repas s es Previdenciários para Cobertura de Déficit 147.453.887 197.780.425
A N TER IOR ES 3 1/ 12 / 2 0 0 7 A N T ER IO R ES 3 1/ 12 / 2 0 0 7 TOTAL DAS RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS( I ) 455.986.750 538.443.877
EXECUTIVO 19.615.269 141.085.152 21.471.127 21.928.748 DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS 2006 2007
LEGISLATIVO 146.093 223.896 4.331.540 - Adm inis tração 1.477.665 39.367.626
JUDICIÁRIO 492.634 1.137.861 393.859 - Previdência Social 640.914.722 525.651.659
MINISTÉRIO PÚBLICO - 246.297 559.229 - TOTAL DAS DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS( II ) 642.392.386 565.019.284
TOTAL 20.253.995 142.693.207 26.755.755 21.928.748 RESULTADO PREVIDENCIÁRIO ( III )=(I-II) (186.405.636) (26.575.407)
S A LD O D A S D IS P O N IB IL ID A D E S F IN A N E IR A S E
Fonte: Relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF.
IN V E S T IM E N T O S D O R P P S
2006 2007
Banco Conta Movim ento 320.693 22.081.478
Inves tim entos 1.239.601 1.350.757
Fonte: Relatórios da Lei de Respons abilidade Fisc al - LRF.

3.11. RECEITAS E DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS


3.12. APLICAÇÃO DE RECURSOS EM EDUCAÇÃO
O Regime Próprio de Previdência Social tem por finalidade es- O demonstrativo das Receitas e Despesas com Manutenção e Desen-
tabelecer contabilidade própria que permita conhecer a situação econômica, finan- volvimento do Ensino apresenta os recursos públicos destinados à educação pro-
venientes da receita resultante de impostos e de receitas vinculadas ao ensino; as
despesas com manutenção de desenvolvimento do ensino por vinculação de recei-

32
tas; as perdas ou ganhos nas transferências do FUNDEB; o cumprimento dos limi- FUNDEB vem em substituição ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do
tes constitucionais e as despesas com a manutenção e desenvolvimento do ensino Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério - FUNDEF, através da E-
menda Constitucional nº 53, de 19/dezembro/2006 que deu nova redação ao § 5º
por sub função.
do art. 212 da Constituição Federal e ao art. 60 do Ato das Disposições Constitu-
No exercício de 2007 o Governo do Estado aplicou na manutenção e cionais Transitórias, regulamentado pela Medida Provisória nº 339/2006, publica-
desenvolvimento do Ensino o valor de R$ 739.253.913 (setecentos e trinta e nove da no DOU em 29/dez/2006 que foi convertida na Lei Federal nº 11.494/2007, de
milhões, duzentos e cinqüenta e três mil, novecentos e treze reais), equivalente a 20 de junho de 2007.

27,82 % da Receita resultante de impostos, portanto, superior ao limite de 25% O FUNDEB se caracteriza como um Fundo de natureza contábil,
determinado pelo artigo 212 da Constituição Federal, conforme demonstrativo a formado por recursos próprios do Estado e recursos Federais, com a finalidade de
promover o financiamento da educação infantil, ensino fundamental, ensino mé-
seguir:
dio, inclusive na modalidade de educação de jovens e adultos.
Em R$
RECEITA E DESPESA COM EDUCAÇÃO Sua implantação foi programada de forma gradativa com um percen-
EXERCÍCIO DE 2007 tual de 16,66 % para 2007, 18,33 % para 2008, até atingir o patamar de 20 %. A
LIMITE
ESPECIFICAÇÃO VALOR % REALIZADO
distribuição dos recursos do FUNDEB é feita de acordo com o número de alunos
PERMITIDO %

2.654.796.587
da Educação Básica (Infantil, Fundamental e Médio), de acordo com dados do
Receita Resultando de Impostos
Censo Escolar do ano anterior observando os critérios estabelecidos na Lei.
Receita Recebida do FUNDEB 217.761.596
O Estado, no exercício de 2007, contribuiu para o FUNDEB com o
Total das Despesas consideradas para fins de 739.353.913 27,82 25 valor de R$ 336.462.410 (trezentos e trinta e seis milhões, quatrocentos e sessenta
limite Constitucional e Legal
e dois mil, quatrocentos e dez reais) e recebeu R$ 217.761.596,37 (duzentos e
Despesa custeada com recurso do FUNDEB na
remuneração do Magistério no Ensino 153.634.392 70,55 60 dezessete milhões, setecentos e sessenta e um mil, quinhentos e noventa e seis
Fundamental e Médio reais e trinta e sete centavos), ocasionando uma PERDA de R$ 205.877.632,49
Fonte: Relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF.
(duzentos e cinco milhões, oitocentos e setenta e sete mil, seiscentos e trinta e dois
reais e quarenta e nove centavos).
3.12.1. FUNDEB
O aumento do valor da Perda do FUNDEB deve-se em parte à redu-
ção do número de alunos matriculados na Educação Infantil, Ensino Médio e Edu-
A partir de 01 de janeiro de 2007, o Ensino de Manutenção e Desen- cação de Jovens e Adultos, como prováveis desistências nas Escolas Estaduais.
volvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação –

33
vinte e nove mil, seiscentos e oitenta e sete reais), equivalente a 14,10 % da receita
O Estado do Piauí vem contabilizando perdas para o FUNDEF – resultante de impostos, cumprindo, portanto o limite de 12% estabelecido na E-
FUNDEB desde sua implantação em 1998, apresentando em 2007, um decréscimo, menda Constitucional nº 29/2000.
como se pode observar no gráfico a seguir:
O quadro a seguir, evidencia o valor aplicado em ações de saúde:

PERDAS DO Em R$

220.139.618
FUNDEF/FUNDEB RECEITA LÍQUIDA DE IMPOSTOS E DESPESAS PRÓPRIAS COM SAÚDE

111.624.972
RECEITAS 2006 2007
85.298.960

172.169.612
Receita de Impostos Liquidada e Transferências
1.991.688.358 2.250.935.979
68.173.893

Constitucionais Legais

146.390.628
52.074.709

DESPESAS 2006 2007


41.886.792
23.237.874

Despesas próprias com ações e Serviços Públicos de Saúde 262.918.252 317.270.774


Participação das Des pesas Próprias com Saúde na
Re ceita Líquida de Im postos e Transferências 13,20 14,10
Cons titucionais (Lim ite Constitucional = 12%) (II/I)
Fonte: Relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF.

4. BALANÇO GERAL
O Balanço Geral foi elaborado com base nos critérios e princípios
3.13. APLICAÇÕES DOS RECURSOS constantes nas Leis Federais nº 4.320, de 17 de março de 1964, e Lei Complemen-
COM AÇÕES DA SAÚDE tar Federal nº 101/2000, retratando as situações orçamentárias, financeiras, patri-
moniais e econômicas do Estado do Piauí.

A Constituição Federal, por força da Emenda Constitucional nº 29, de


13 de setembro de 2000, incorporou normas destinadas à União, aos Estados, ao 4.1. BALANÇO ORÇAMENTÁRIO
Distrito Federal e aos municípios, para assegurar a aplicação dos recursos mínimos
De acordo com o artigo 102, da Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964,
para o financiamento de ações e serviços públicos de saúde.
e com base nos dados extraídos do SIAFEM/PI, o Balanço Orçamentário tem por
objetivo demonstrar as receitas e despesas compreendendo os valores previstos
No exercício de 2007, o Estado aplicou em ações e serviços públicos com os efetivamente realizados, cuja diferença permite conhecer o resultado orça-
com saúde o valor de R$ 319.529.687 (trezentos e dezenove milhões, quinhentos e mentário do exercício.

34
O demonstrativo a seguir apresenta o Balanço Orçamentário do Esta- 4.1.1. RESULTADO ORÇAMENTÁRIO
do no exercício de 2007 de forma resumida, especificando Receita e Despesa nos
grupos Corrente e Capital. Como pode ser verificado no demonstrativo a seguir, o Estado obteve
um déficit orçamentário no valor de R$ 272.207.623 (duzentos e setenta e dois
A Receita arrecadada foi de R$ 3.499.403.465,73 (três bilhões, qua- milhões, duzentos e sete mil, seiscentos e vinte e três reais) decorrente da diferença
trocentos e noventa e nove milhões, quatrocentos e três mil, quatrocentos e sessen- entre o total das receitas realizadas e as despesas empenhadas no exercício de
ta e cinco reais e setenta e três centavos), representando um aumento de 13,90 % 2007. Considerando o superávit financeiro de 2006 no valor R$ 441.348.353 (qua-
em relação à receita prevista. trocentos e quarenta e um milhões, trezentos e quarenta e oito mil, trezentos e cin-
qüenta e três reais) o resultado orçamentário torna-se superavitário.
As Despesas Orçamentárias foram executadas no valor de
R$ 3.771.611.088,77 (três bilhões, setecentos e setenta e um milhões, seiscentos e Em R$
COMPARATIVO DA EXECUÇÃO DO RESULTADO ORÇAMENTÁRIO
onze mil e oitenta e oito reais e setenta e sete centavos), representando 29,76 % do
V A R IA ÇÃ O
ESPECIFICAÇÃO 2006 2007
total previsto. %
RECEITAS CORRENTES 3.417.860.083 4.145.536.491 21,29
Em R$ (-) Dedução da Receita Corrente 336.462.410 752.633.264 123,69
BALANÇO ORÇAMENTÁRIO RESUMIDO - 2007 RECEITA CORRENTE DEDUZIDA (A) 3.081.397.673 3.392.903.228 10,11
DESPESA CORRENTE (B) 2.828.118.938 3.273.734.748 15,76
RECEITA
CATEGORIA ECONÔMICA DIFERENÇA = Superávit Corrente (C = A - B) 253.278.734 119.168.480 (52,95)
PREVISTA EXECUÇÃO
RECEITAS CORRENTES 3.545.481.209 4.145.536.391 (600.055.182) RECEITA DE CAPITAL ( D ) 129.639.961 106.500.238 (17,85)
(-) Dedução da Receita Corrente 626.555.125 752.633.164 (126.078.039) DESPESA DE CAPITAL (E) 466.446.925 497.876.340 6,74
RECEITA CORRENTE DEDUZIDA (A) 2.918.926.084 3.392.903.228 (473.977.144) = Déf icit Capital (F = D - E) (336.806.964) (391.376.103) 16,20
RECEITA DE CAPITAL (B) 153.360.712 106.500.238 46.860.474
SOMA I (A+B) 3.072.286.796 3.499.403.466 (427.116.670) Déficit/Superávit Orçamentário (C - F) (83.528.229) (272.207.623) 225,89

DESPESAS
CATEGORIA ECONÔMICA DIFERENÇA
FIXADA ATUALIZADA EXECUÇÃO
DESPESA CORRENTE ( C ) 3.410.052.229 3.273.734.748 136.317.481
4.2. BALANÇO FINANCEIRO
DESPESA DE CAPITAL (D) 654.274.018 497.876.340 156.397.678
RESERVA DE CONTINGÊNCIA (E) - - -
O Balanço Financeiro estabelecido pelo artigo 103, da Lei nº 4.320,
SOMA II (C + D + E) 4.064.326.247 3.771.611.089 292.715.158
DÉFICIT ORÇAMENTÁRIO (272.207.623) de 17 de março de 1964, evidencia as receitas e despesas orçamentárias, os rece-
bimentos e pagamentos de natureza extra-orçamentária, demonstrando seus efeitos

35
4.3. BALANÇO PATRIMONIAL
sobre os saldos das disponibilidades financeiras provenientes do exercício anterior
e os saldos que se transferem para o exercício seguinte. O Balanço Patrimonial estabelecido pelo artigo 106, da Lei nº 4.320,
de 17 de março de 1964, demonstra a situação econômica e financeira do patrimô-
nio do Estado, comparando os bens e direitos com as obrigações, dependentes ou
Seu conteúdo tem características semelhantes aos demonstrativos de
não da execução orçamentária.
fluxo de caixa, diferenciando-se pela inclusão dos Restos a Pagar, inscritos no
exercício, como receitas extra-orçamentárias, para compensar as despesas orça- O Quadro a seguir demonstra o Balanço Patrimonial Resumido refe-
mentárias empenhadas no exercício financeiro, mas ainda não pagas. rente ao exercício de 2007. Em R$

BALANÇO PATRIMONIAL
A seguir, a movimentação financeira dos recursos do Estado, de for- ATIVO VALOR PASSIVO VALOR
ma resumida: 1. Ativo Financeiro 352.053.080 5. Passivo Financeiro 166.581.677
1.1. Disponível 344.255.444 5.1. Depósitos 573.600
Em R$ 1.2. Crédito em Circulação 7.797.636 5.2. Obrigações em Circulação 166.008.077
DEMONSTRATIVO DA MOVIMENTAÇÃO DO BALANÇO FINANEIRO
2. Realizável a Longo Prazo 1.471.307.122 6. Passivo Permanente 2.425.357.702
V A R IA ÇÃ O
ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 % 2.1. Creditos Realizaveis a Longo Prazo 519.123.684 6.1. Operações de Crédito Interna 2.301.568.086
%
2.2. Permanente 952.183.438 6.2. Operações de Crédito Externa 69.172.542
1. SALDO DO EXERCÍCIO ANTERIOR 220.504.149 2,86 242.404.813 3,02 9,93 6.3. Outras Obrigações 54.617.075
1.1 CAIXA / BANCO 216.520.848 89,32 203.778.964 84,07 (5,88) SOMA DO ATIVO REAL 1.823.360.202 SOMA DO PASSIVO REAL 2.591.939.379
1.2 APLICAÇÃO FINANCEIRA 3.983.301 0,00 38.625.849 15,93 869,69

2. RECEITAS 7.492.970.995 97,14 7.794.939.223 96,98 4,03 3. Saldo Patrimonial 768.579.177 7. Passivo Compensado 801.434.719
2.1 RECEITA ORÇAMENTÁRIA 3.211.037.634 39,95 3.499.403.466 43,54 8,98 3.1. Passivo Real e Descoberto 768.579.177 7.1. Títulos e Valores sob Responsabilidade 22.850
2.2 INTERFERÊNCIAS ATIVAS 1.245.467.740 15,50 982.633.655 12,23 (21,10) 7.2. Concessão de Suprimento de Fundo 1.973.900
2.3 RECEITA EXTRA-ORÇAMENTÁRIA
4. Ativo Compensado 801.434.719 7.3. Direitos e Obrigações Conveniadas 799.398.510
3.036.465.620 37,78 3.312.902.102 41,22 9,10
4.1.Responsabilidade por Títulos e Valores 62.309 7.4. Compensações Diversas 39.459
TOTAL RECEITAS (1 + 2) 7.713.475.144 100,00 8.037.344.036 100,00 4,20
4.2.Concessão de Suprimento de Fundo 1.973.900
3. DESPESAS 7.471.070.330 96,86 7.693.088.592 95,72 2,97
4.3.Direitos e Obrigações Conveniadas 799.398.510
3.1 DESPESA ORÇAMENTÁRIA 3.294.565.863 42,83 3.771.611.089 49,03 14,48
TOTAL GERAL 3.393.374.098 TOTAL GERAL 3.393.374.098
3.2 INTERFERÊNCIAS PASSIVAS 1.252.572.534 16,28 982.541.516 12,77 (21,56)
3.3 DESPESA EXTRA-ORÇAMENTÁRIA 2.923.931.933 38,01 2.938.935.988 38,20 0,51
4.3.1. ATIVO FINANCEIRO
4. SALDO PARA O EXERCÍCIO SEGUINTE 242.404.813 3,14 344.255.444 4,28 42,02
4.1 CAIXA / BANCOS 203.778.964 59,19 302.125.737 87,76 48,26 O Ativo Financeiro compreende os créditos e valores realizáveis, in-
4.2 APLICAÇÕES FINANCEIRAS 38.625.849 11,22 42.129.707 12,24 9,07 dependente de autorização orçamentária. Neste grupo estão as disponibilidades de
TOTAL DESPESAS (3 + 4) 7.713.475.143 100 8.037.344.036 100,00 4,20 numerários, bem como outros bens e direitos pendentes ou em circulação.

36
Os empréstimos e financiamentos no valor de R$ 3.914.216,79 (três
4.3.2. REALIZÁVEL A LONGO PRAZO milhões, novecentos e quatorze mil, duzentos e dezesseis reais e setenta e nove
centavos), referem-se a empréstimos imobiliários concedidos pelo Instituto de
Este grupo é composto pelos bens, créditos e valores do Estado, no Assistência e Previdência do Estado do Piauí – IAPEP, aos servidores estaduais.
valor de R$ 1.471.307.121,72 (um bilhão, quatrocentos e setenta e um milhões, Outros Créditos a Receber, totalizando R$ 45.868.877,53 (quarenta e
trezentos e sete mil, cento e vinte e um reais e setenta e dois centavos), represen- cinco milhões, oitocentos e sessenta e oito mil, oitocentos e setenta e sete reais e
tando 43,36 % do total Ativo. cinqüenta e três centavos) são originários de acordo firmados visando o encontro
de contas entre o Estado e a CEPISA. O recebimento destes direitos está condicio-
4.3.2.1. CRÉDITOS REALIZÁVEIS nado à privatização da CEPISA.

O principal crédito do Estado é a Dívida Ativa onde os registros con- 4.3.2.2. ATIVO PERMANENTE
tábeis são feitos através do Demonstrativo do Estoque da Dívida, fornecido pela
Procuradoria Geral do Estado, informando as inscrições, atualizações e baixas dos As participações societárias representam 18,9 % do total dos grupos
créditos tributários, conforme demonstrativo a seguir: no montante de R$ 266.141.192,84 (duzentos e sessenta e seis milhões, cento e
Em R$ quarenta e um mil, cento e noventa e dois reais e oitenta e quatro centavos), cor-
DIVIDA ATIVA DO ESTADO DO PIAUÍ respondente a participação acionária do Estado nas Empresas Estatais, conforme
PROCESSOS VALOR
DISCRIMINAÇÃO demonstrativo a seguir:
QUA N T ID A D E TOTAL PARCIAL TOTAL
Em R$
Inscritos
PARTICIPAÇÃO DO ESTADO NAS EMPRESAS ESTATAIS
Até 2006 22.473 657.648.897 POSIÇÃO POSIÇÃO
2007 EMPRESAS INCORPORAÇÃO
1.226 23.699 41.241.879 698.890.776 31.12.06 31.12.07
Liquidados Cia. Energética do Estado do P iauí S/A - CEP ISA 108.215.225 - 108.215.225
Até 2006 4.960 24.491.486 B anco do No rdeste do B rasil 4.365 - 4.365
2007 Cia. de Habitação do Estado do P iauí - COHA B 22.184.850 9.544.826 31.729.676
171 5.131 1.981.953 26.473.439
Á guas e Esgo to s do P iauí S/A - A GESP ISA 32.126.943 4.461.968 36.588.911
Extintos
Cia. Edito ra do P iauí S/A - COM EP I 153.725 - 153.725
Até 2006 949 148.414.626 Cia. de Desenvo lvim ento Ro do viário do P iauí - CODERP I 0,01 - 0,01
2007 79 1.028 1.281.500 149.696.127 Cia. de Desenvo lvim ento do P iauí - COM DEP I 40.000 19.520.875 19.560.875
Requisitados Central de A bastecimento - CEA SA 4.319.632 - 4.319.632
Até 2006 6 3.565 Empresa de P ro cessamento de Dado s do P iauí - P RODEP I 1.892 - 1.892
2007 Empresa de Teleco m unicaçõ es do P iauí - ETELP I 1.421 - 1.421
- 6 - 3.565
Cia. M etro po litana de Transpo rtes P úblico s - CM TP 2 - 2
Redução de Multas (Lei 4.785 / 95 e 4.89 2/ 9 6)
Empresa A m arração Empreendimento s. Turism o Ltda. 340.342 - 340.342
Até 2006 - 52.860.842 Guilherme Em preendimento Turism o 12.172 - 12.172
2007 - - - 52.860.842 Empresa de Turismo do P iauí - P IEM TUR 10.023.860 - 10.023.860
Remidos ( Le i nº 5 . 0 61/ 99 ) Cia. de Gás do P iauí - GA SP ISA 867.698 150.558 1.018.256
Até 2006 481 51.949 Empresa B arram ares Turism o Ho teleiro . Ltda. 35.879 - 35.879

2007 - 481 - 51.949 Empresa de Gestão de Recurso s Hum ano s do Estado P iauí-EM GERP I - 12.014.494 12.014.494

SALDO 18.568 469.804.854 TOTAL 178.328.005 45.692.721 224.020.726

Fo nte: P rocurado ria Geral do Estado do P iauí Obs .: Dados com v alor es or iginais da época de aquisiç ão e suas variaç ões . Não Houve Baix as.

37
Os bens não destinados ao uso, totalizaram R$ 41.859.048,59 (qua- centos e dois reais e noventa e quatro centavos), destacando a Dívida Fundada
renta e um milhões, oitocentos e cinqüenta e nove mil e quarenta e oito reais e
Interna, no valor de R$ 2.214.394.379 (dois bilhões, duzentos e quatorze milhões,
cinqüenta e nove centavos), referem-se ao saldo do Fundo de Contingência criado
através da Lei Estadual nº 5.036, de 27/nov/1998, para custear as contingências trezentos e noventa e quatro mil, trezentos e setenta e nove reais), representando
fiscais, trabalhistas, cíveis, autuarias e outras superveniências passivas do Banco 96,21 % do total das referidas operações.
do Estado do Piauí.

4.3.4.1.1. DÍVIDA FUNDADA INTERNA


4.3.3. PASSIVO FINANCEIRO
A Dívida Fundada Interna é oriunda de obrigações assumidas através
O Passivo Financeiro compreende os compromissos exigíveis em cur- de Leis, Contratos e da realização de operações de crédito Interna. Apresentou no
to prazo, decorrentes de operações que devem ser pagas independentes de autori-
ano de 2007 um decréscimo nominal de 7,39 % em relação a 2006.
zação orçamentária.
Estão inclusas neste grupo de conta, os Depósitos (Consignações, De-
pósitos de Terceiros) e Obrigações em Circulação (Credores, Restos a Pagar), cor- A redução da Dívida em 2007, com relação a 2006, foi decorrente
respondendo R$ 166.581.676,72 (cento e sessenta e seis milhões, quinhentos e principalmente da amortização de parcelas dos contratos, da desvalorização do
oitenta e um mil, seiscentos e setenta e seis reais e setenta e dois centavos), o que dólar e as atualizações dos saldos devedores dos contratos pelos seus respectivos
representa 4,91 % do Passivo Total.
índices de correção.

4.3.4. PASSIVO PERMANENTE


Mesmo com o crescimento do saldo devedor de contratos co-
O Passivo Permanente abrange as operações de crédito interna, exter- mo BNDESPAR, Lei nº 9496/97, PRO-SANEAMENTO com percentu-
na e outras obrigações. ais de 6,47 %, 7,87 %, 10,17 %, respectivamente, e inclusão de novas operações,
houve uma significativa redução na maior parte das operações de créditos, contri-
buindo assim para redução do estoque total.
4.3.4.1. OPERAÇÕES DE CRÉDITO INTERNA

As operações de crédito totalizaram R$ 2.425.357.702,94 (dois bi- O demonstrativo a seguir, apresenta a variação do Estoque da Dívida
lhões, quatrocentos e vinte e cinco milhões, trezentos e cinqüenta e sete mil, sete Fundada Interna, no exercício de 2007 em relação ao ano de 2006.

38
Em R$ Em R$
DÍVIDA FUNDADA INTERNA CONTRATO DE TRATO DE TRANSAÇÃO DE CRÉDITOS
VA R IA ÇÃ O
DÍVIDA FUNDADA INTERNA 2006 % 2007 % DATA DA SALDO EM
% ESPECIFICAÇÃO
0,29 0,21
ASSINATURA 31.12.2007
LEI 7.976/89 - CT 90/001159-7 6.819.467 4.612.607 -32,36
BEP/CEPISA/ESTADO 05.05.97 33.948.827
LEI 7.976/89 - CT - 90/001158-9 3.280.909 0,14 2.219.168 0,10 -32,36
CEPISA/ESTADO - ICMS/PREFEITURAS 05.05.97 36.679.715
LEI 7.976/89 - AVISO MF 030/83 27.455.398 1,15 15.264.414 0,69 -44,40
0,78 0,63
CEPISA/ESTADO - CONTAS DE LUZ 05.05.97 16.545.164
CEF - PNAFE 18.685.136 14.035.250 -24,89
TOTAL GERAL 87.173.706
BNDESPAR 82.568.391 3,45 87.908.039 3,97 6,47 Saldo devedor pelo valo r o riginal.
LEI Nº 8.727/93 (BACEN/UNIÃO) 751.011.429 31,41 590.745.589 26,68 -21,34 Não ho uve inscriçõ es e/o u baixas.

LEI Nº 8.727/93 (COHAB) 213.316.451 8,92 211.154.294 9,54 -1,01


LEI Nº 9.496/97 855.309.897 35,77 922.645.219 41,67 7,87
5,74 4,54
4..3.4.2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO EXTERNA
DMLP (GOVERNO DO ESTADO) 137.177.656 100.470.329 -26,76
DMLP (CODERPI) 50.048.180 2,09 36.655.803 1,66 -26,76
LEI 9.846/99 - FUNDEF 24.179.122 1,01 16.119.414 0,73 -33,33 A Dívida Externa teve um declínio de 27,73 %, com uma variação de
BNB - PRODETUR 14.229.634 0,60 11.301.857 0,51 -20,58 R$ 95.716,92 (noventa e cinco mil, setecentos e dezesseis reais e noventa e dois
INSS (PARCELAMENTO) 183.405.871 7,67 175.139.887 7,91 -4,51
0,98 1,16
centavos) para R$ 69.172,54 (sessenta e nove mil, cento e setenta e dois reais e
PRO-SANEAMENTO I 23.374.671 25.752.377 10,17
PRO-SANEAMENTO II 0 0,00 304.614 0,01 100,00
cinqüenta e quatro centavos), refletindo a valorização do Real frente ao Dólar em
IRPJ / ETELP (PARCELAMENTO) 168.480 0,01 65.520 0,00 -61,11 2007, que teve sua cotação de R$ 1,7713 em dezembro de 2007, inferior à cotação
TOTAL DÍVIDA FUNDADA INTERNA 2.391.030.692 100,00% 2.214.394.379 100,00% -7,39 apresentada em dezembro de 2006, que foi de R$ 2,1380.
Fonte: Gerência da Dívida Pública

Em R$
4.3.4.1.2. OUTRAS OBRIGAÇÕES DÍVIDA FUNDADA EXTERNA
VA R IA ÇÃ O
DÍVIDA FUNDADA EXTERNA 2006 % 2007 % %

Os contratos de transação de créditos referem-se a acordos firmados BIRD/PRODER 17.814.533 18,61% 8.001.191 8,36% -55,09

visando o encontro de contas relativamente a débitos e créditos entre a CEPISA e o BIRD/PCPR I 29.797.385 31,13% 19.097.064 19,95% -35,91
BIRD/PCPR II 48.105.000 50,26% 35.868.825 37,47% -25,44
GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ, a seguir demonstrados, pelos valores origi-
BIRD/PCPR II (2ª ETAPA) 0 0,00% 6.205.461 6,48% 100,00
nais, considerando ainda que os aludidos contratos estão condicionados com a TOTAL DÍVIDA FUNDADA EXTERNA 95.716.918 100,00% 69.172.542 100,00% -27,73
privatização da CEPISA. Fonte: Gerência da Dívida Pública

39
4.3.4.3. SERVIÇO DA DÍVIDA INTERNA E EXTERNA
O serviço da dívida paga no exercício de 2007 alcançou o montante 4.3.4.5. OUTRAS OPERAÇÕES
de R$ 375.898.016 (trezentos e setenta e cinco milhões, oitocentos e oitenta e no-
venta e oito mil e dezesseis reais), referente às parcelas de principal, juros e encar-
O valor de R$ 54.617.075,50 (cinqüenta e quatro milhões, seiscentos
gos, representando um crescimento nominal de 12,27 % em relação ao ano anteri-
or. e dezessete mil e setenta e cinco reais e cinqüenta centavos), refere-se ao saldo das
provisões matemáticas previdenciárias do Fundo de Previdência do Estado.
O quadro a seguir apresenta a composição do serviço da dívida conso-
lidada por credor.
Em R$ 4.3.5 DÉFICIT OU SUPERÁVIT FINANCEIRO
SERVIÇO DA DÍVIDA FUNDADA
Va ria ç ã o
CREDOR 2006 % 2007 % % O Resultado Financeiro do Balanço Patrimonial é apurado pela dife-
T ESOURO NACIONAL 291.051.473 86,93 328.831.017 87,48 12,98
BIRD 20.224.438 6,04 22.901.076 6,09 13,23
rença entre o Ativo e Passivo Financeiro.
INSS 13.242.475 3,96 14.637.349 3,89 10,53
CEF 7.637.488 2,28 7.513.843 2,00 -1,62 O quadro a seguir, demonstra o Resultado Financeiro apurado nos Ba-
BNB 2.506.683 0,75 1.875.313 0,50 -25,19
PGFN/SRF 144.738 0,04 139.417 0,04 -3,68 lanços Patrimoniais de 2006 e 2007, onde apresentou um Superávit Financeiro de
TOTAL 334.807.295 100 375.898.016 100 12,27
Fo nte: Gerência da Dívida P úblkica R$ 441.348.353 (quatrocentos e quarenta e um milhões, trezentos e quarenta e oito
mil, trezentos e cinqüenta e três reais) e R$ 185.471.404 (cento e oitenta e cinco
4.3.4.4. EVOLUÇÃO DA DÍVIDA milhões, quatrocentos e setenta e um mil, quatrocentos e quatro reais), respectiva-
O gráfico a seguir retrata a evolução da Dívida Fundada Interna e Ex- mente.
terna do Estado, suprimido os Precatórios, com crescimento no período de 1998 a
Em R$
2002, mantendo-se oscilante entre os anos de 2003 a 2007.
Valo res em R $ SUPERÁVIT FINANCEIRO BRUT O
milhõ es
V A R IA ÇÃ O
2 .6 8 8

ESPECIFICAÇÃO 2006 2007


2 .6 1 1
2 .5 5 4

2 .5 2 0

%
2 .3 9 1
2 .2 1 0

2 .2 1 4

1. ATIVO FINANCEIRO 551.233.929 352.053.081 (36,13)


2 .0 8 7

Disponível 242.404.813 344.255.444 42,02


1 .8 5 3

Créditos em circulação 308.829.117 7.797.637 (97,48)


1 .5 1 6

2. (-) PASSIVO FINANCEIRO 109.885.576 166.581.677 51,60


DIV. EXT.
Depósitos 62.755.987 573.600 (99,09)
DIV. INT.
Obrigações em Circulação 47.129.590 166.008.077 252,24
199

149
131

135
112

113
99

96

69
51

3. SUPERÁVIT FINANCEIRO 441.348.353 185.471.404 (57,98)


1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007

40
4.3.6 SALDO PATRIMONIAL
res Ativos, Reduções de Valores Positivos ou Fatos Permutativos, resultante ou
O Saldo do Balanço Patrimonial mostrado no Quadro a seguir, não da execução orçamentária.
é apurado pelo confronto do Ativo, composto pelos Bens e Direitos da Entidade As Variações Passivas representam as alterações dos elementos
com o Passivo, formado pelas obrigações com terceiros. do Patrimônio Público que reduzem a Situação Patrimonial da Entidade, através do
aumento de Valores Passivos, reduções de Valores Passivos ou Fatos Permutati-
Desse confronto, obtém-se uma Situação Patrimonial Líquida vos, resultante ou não da execução orçamentária.
Positiva (Ativo Real Líquido) ou uma Situação Patrimonial Negativa (Passivo
Real a Descoberto). O quadro a seguir, demonstra as Variações Patrimoniais ocorri-
das no exercício de 2007.

Em R$
SALDO PATRIMONIAL Em R$
VARIAÇÃO
ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 % COMPARATIVO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS
%
1.923.954.305 -2,40 1.823.360.202 -2,37 (5,23) VARIAÇÃO
ATIVO REAL
ESPECIFICAÇÃO 2006 % 2007 %
Ativo Financeiro 551.233.929 0,29 352.053.081 0,19 (36,13) %
Realizável a Longo Prazo 1.372.720.375 0,71 1.471.307.122 0,81 7,18
1. RESULTANTE DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 4.855.201.496 37,21 5.672.566.195 50,72 16,83
(-) PASSIVO REAL 2.724.828.852 -3,40 2.591.939.380 -3,37 (4,88) 1.1 RECEITA ORÇAMENTÁRIA 3.211.037.633 66,14 3.499.403.466 61,69 8,98
Pas s ivo Financeiro 109.885.576 0,04 166.581.677 0,06 51,60 1.2 INTERFERÊNCIAS ATIVAS 1.364.108.734 28,10 1.841.289.405 32,46 34,98
Pas s ivo Perm anente 2.614.943.276 0,96 2.425.357.703 0,94 (7,25) 1.3 MUTAÇÕES ATIVAS 280.055.129 5,77 331.873.324 5,85 18,50
PASSIVO REAL A DESCOBERTO (800.874.548) (768.579.177) (4,03) 2. INDEPENDENTE DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 8.192.166.330 62,79 5.511.450.589 49,28 (32,72)
2.1 INTERFERÊNCIAS ATIVAS 1.953.067.285 23,84 2.237.334.533 40,59 14,55
2.2 ACRÉSCIMOS PATRIMONIAS 6.239.099.045 76,16 3.274.116.056 59,41 (47,52)
TOTAL DAS VARIAÇÕES ATIVAS 13.047.367.826 100 11.184.016.784 100 (14,28)
O Saldo Patrimonial em 2007 alcançou o valor de 5.RESULTADO PATRIMONIAL 185.030.426 32.295.371 (82,55)
R$ 768.579.177 (setecentos e sessenta e oito milhões, quinhentos e setenta e nove 3. RESULTANTE DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 4.681.010.689 35,88 5.625.092.672 50,30 20,17
mil, cento e setenta e sete reais), referente ao Passivo Real a Descoberto, com re- 3.1 DESPESA ORÇAMENTÁRIA 3.294.565.863 70,38 3.771.611.089 67,05 14,48
3.2 INTERFERÊNCIAS PASSIVAS 1.371.213.528 29,29 1.841.197.265 32,73 34,28
dução de 4,03 % em relação a 2006. 3.3 MUTAÇÕES PASSIVAS 15.231.298 0,33 12.284.318 0,22 (19,35)
4. INDEPENDENTE DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 8.181.326.711 62,70 5.526.628.741 49,42 (32,45)
4.1 INTERFERÊNCIAS PASSIVAS 1.986.494.164 24,28 2.229.705.487 40,34 12,24
4.4. VARIAÇÕES ATIVAS E PASSIVAS 4.1 DECRÉSCIMO PATRIMONIAL 6.194.832.547 75,72 3.296.923.255 59,66 (46,78)
5.RESULTADO PATRIMONIAL 185.030.426 32.295.371 (82,55)
TOTAL DAS VARIAÇÕES PASIVAS 13.047.367.826 11.184.016.784 (14,28)
As Variações Ativas representam as agregações de novos ele-
mentos do Patrimônio Público que poderão ocorrer por meio de aumento de Valo-

41
5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O Balanço Geral do Estado espelha o resultado das ações governamentais em prol do desenvolvimento do Estado.

No decorrer do exercício financeiro, as informações que agora são consolidadas e concluídas, ratificam o esforço do governo em cumprir as me-
tas estabelecidas inserindo-as nos limites de gastos estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal, bem como os dispositivos constitucionais.

O êxito na conclusão dos trabalhos aqui apresentados é o reflexo de um conjunto de esforços somados por todos que integram o Governo Estadu-
al, sobretudo pela equipe técnica da Superintendência da Despesa da Secretaria da Fazenda, e de forma peculiar, da Unidade de Controle Contábil - UNICON.

A esta equipe, permeada pela ética, dedicação e zelo, nossos sinceros agradecimentos pelo trabalho desenvolvido no decorrer do exercício.

Adalgisa Lopes Araújo da Cruz Deusarina Batista dos Santos


GERENTE GECON DIRETORA UNICON

43