Você está na página 1de 11

Esta publicação foi escrita sem adesão ao novo acordo ortográfico.

Trata-se de um documento fundamental às empresas sário, no caso da utilização de bocas com um K = 42 (as
que operam no domínio em causa, possibilitando uma mais correntes no mercado), garantir que as mesmas
Paulo Gomes, Engº
referência para a certificação dos respectivos serviços são alimentadas com uma pressão mínima de 460 kPa,
Director Executivo
prestados. valor este significativamente acima da pressão mínima
Como tema em destaque da presente publicação, apre- de 250 kPa exigida pela regulamentação nacional.
sentamos um novo exemplo de dimensionamento de Adicionalmente, também se procedeu à aplicação do
uma rede de incêndio armada com bocas do tipo carretel. método dos comprimentos equivalentes aos diversos
Este dimensionamento foi desenvolvido salvaguardando acessórios de união ranhurada utilizados na instalação,
EDITORIAL a fundamental compatibilização entre as disposições com recurso à matriz de afectação dos acessórios a
Foi publicado pelo I.P.Q.-Instituto Português da Quali- regulamentares nacionais de caudal e pressão aplicáveis serem utilizados em cada troço em análise, que consta
dade em 2018-11-15, o Documento Normativo Português às bocas tipo carretel, com as respectivas características no Quadro 2 da folha de cálculo da APTA. Onde através
DNP TS 4513: 2018, com o seguinte título: Segurança con- obrigatórias de desempenho hidráulico, nos termos da da introdução do n.º de acessórios em causa, é automa-
tra incêndio - Requisitos do serviço de comercialização, NP EN 671-1, por via da obrigatoriedade da marcação CE. ticamente consultado e contabilizado o correspondente
instalação e manutenção de equipamentos e sistemas De facto, esta compatibilização implica que na gama valor da perda de carga local.
de segurança contra incêndio. O mesmo foi elaborado normalizada prevista na norma Europeia em causa, O signatário na qualidade de director executivo da
pela Comissão Técnica 46 “Segurança contra Incêndio caracterizada por 8 diferentes níveis de desempenho A.P.T.A., reitera a sua total disponibilidade e aproveita
e Símbolos Gráficos” sob a coordenação do ONS/APSEI. hidráulico das bocas tipo carretel, apenas os 2 níveis esta oportunidade para em nome das empresas asso-
Sendo o resultado da revisão da NP 4513:2012, visa com- mais elevados poderão ser utilizados. Em concreto, ciadas e em seu próprio enviar os melhores cumpri-
plementar os requisitos estabelecidos na EN 16763:2017, somente as bocas de incêndio com os coeficientes de mentos, com votos de um excelente 2019 sustentado
no que concerne à prestação de serviços de instalação, descarga K = 42 e K = 64, conseguem debitar o caudal em profícuos negócios.
comissionamento, verificação, entrega e manutenção de mínimo de 90 litros/min exigido regulamentarmente
equipamentos e sistemas de segurança contra incêndio. em condições de pressão aceitáveis. Sendo ainda neces-

Tema em Destaque
Exemplo de cálculo de uma R.I.A. para uma Oficina de Manutenção Automóvel.

associação de produtores de tubos e acessórios aptitude60 atitudes APTA em revista. ANO 21 · JANEIRO/2019 · SEMESTRAL · DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

N.º DIÁRIO DE UTILIZADORES DO SÍTIO APTA.PT - JANEIRO 2017 A DEZEMBRO 2018:

janeiro 2017 abril 2017 julho 2017 outubro 2017 janeiro 2018 abril 2018 junho 2018 Outubro 2018 Dez. 2018

Manual do Instalador APTA


Está disponível a 4ª Edição do Capítulo 1 e respectivos
Anexos (2 ficheiros em formato pdf). Para obtenção des-
ta edição distribuída gratuitamente, os Exmos. Profis-
sionais apenas terão que a solicitar à APTA por e-mail,
fax ou carta, explicitando:

- Endereço electrónico, - Nome da empresa,


- Nome do profissional, - Morada completa, ACESSÓRIOS
- Função, - Telefone e fax.

A indicação do endereço electrónico é fundamental,


RANHURADOS
dado que o envio dos ficheiros é realizado unicamente EM FUNDIÇÃO
por e-mail.
DÚCTIL
476
METAVEIRO 05·07·2018 UBI 11·10·2018

SESSÕESTÉCNICAS
REDES DE SEGURANÇA
International Organization CONTRA INCÊNDIOS
for Standardization

NORMALIZAÇÃO
A APTA assegurou a representação nacional nas se- A convite do Sr. Eng.º Filipe Abrantes do Departamento A convite do Exmo. Sr. Prof. João Carlos Lanzinha, Vice-
guintes reuniões de normalização da ISO: Técnico da empresa METAVEIRO de Albergaria-a-Velha, -Presidente da Faculdade de Engenharia da Universidade
a APTA realizou a 5 de Julho uma acção de formação da Beira Interior (Covilhã), a APTA realizou a 11 de Outubro
ISO/TC 5/SC 5/WG 2: "Pipe threads and verifica- interna dos colaboradores da empresa citada, com a se- uma jornada técnica, destinada aos alunos da disciplina
tion by means of limit gauges" guinte estrutura: de Redes e Instalações do Mestrado Integrado em
• Data: 25 de Setembro 2018 Tema: Dimensionamento de redes de segurança Arquitectura, com a seguinte estrutura:
• Local: Viena (Áustria) contra incêndios do tipo extinção automática com Tema: Dimensionamento de redes de segurança
• Coordenação e Secretariado: Japão (JIS) recurso à folha de cálculo R.I. Sprinklers da APTA. contra incêndios armadas com bocas de incêndio
• Ordem de trabalhos resumida: análise das propostas tipo carretel. Exemplo de cálculo de uma rede de
apresentadas para revisão da norma ISO 7-2. Tendo- Programa resumido: incêndio armada.
-se concluído que uma vasta maioria do WG 2 reco- • Enquadramento regulamentar (Decreto-Lei n.º 220/2008
menda a não revisão da ISO 7-2. alterado pelo n.º 224/2015 e Portaria n.º 1532/2008). Programa resumido:
• Países participantes: • Tubos de aço e acessórios roscados em fundição ma- • Enquadramento regulamentar (Decreto-Lei n.º 220/2008
· Portugal · Espanha leável para utilização em redes de segurança contra alterado pelo n.º 224/2015 e Portaria n.º 1532/2008).
· Alemanha · Estados Unidos incêndios: requisitos regulamentares, normalização • Tipos de redes de segurança contra incêndios e seu
· Áustria · Japão e especificações. enquadramento à luz da regulamentação aplicável:
· Bulgária · Polónia • O sistema ranhurado. colunas secas, redes de incêndio armadas, colunas
· China · Suiça • Folha de cálculo “Excel” da APTA de dimensionamento húmidas e sistemas de extinção automática.
de redes de segurança contra incêndios do tipo • Tubos de aço e acessórios roscados em fundição ma-
extinção automática - rede de sprinklers húmida. leável para utilização em redes de segurança contra
34ª Reunião Plenária da ISO/TC 5/SC 5: “Threa-
• Conceitos de: áreas de cobertura e operação, factor de incêndios: requisitos regulamentares, normalização
ded fittings, solder fittings, welding fittings, pipe
escoamento, velocidade admissível, etc. e especificações.
threads, thread gauges”
• Critérios de dimensionamento aplicáveis em confor- • O sistema ranhurado.
• Data: 25 de Setembro 2018
midade com: • O conceito de coeficiente de escoamento K aplicável a
• Local: Viena (Áustria)
1. Regulamentação Portuguesa; bocas de incêndio armadas, em conformidade com a
• Presidência e Secretariado: Suiça (SNV)
2. Norma Americana NFPA; normalização europeia aplicável.
• Ordem de trabalhos resumida: Acompanhamento
3. Norma Europeia. • Folha de cálculo “Excel” da APTA de dimensionamento
da actividade desenvolvida pelo Grupo de Trabalho
• Apresentação, estrutura e funcionamento da folha de de redes de segurança contra incêndios dos tipos:
2, tendo sido deliberada a não revisão da norma ISO
cálculo. rede de incêndio armada, rede/coluna húmida e
7-2. Foi confirmada a nomeação de Mr. Helmut Je-
• Exemplo de dimensionamento de uma rede de incêndio rede/coluna seca.
dinger (Áustria) como novo Presidente a partir de 1
com sprinklers. · Critérios de dimensionamento aplicáveis em confor-
Jan. 2019.
midade com a regulamentação nacional.
• Países participantes:
· Apresentação, estrutura e funcionamento da folha
· Portugal · Espanha
de cálculo.
· Alemanha · Estados Unidos
• Exemplo de dimensionamento de uma rede de incêndio
· Áustria · Japão
armada com bocas tipo carretel.
· Bulgária · Polónia
· China · Suiça
• A próxima reunião realizar-se-á, em princípio, a 25 de
Setembro de 2020 na Suiça (Winterthur).

47
CATIM 23·10·2018 UAlg 24·10·2018

CATIM 23·10·2018

AVALIAÇÃO
DE CONFORMIDADE MULTI-APLICAÇÕES

A convite do CATIM, através da Sr.ª Eng.ª Alexandra Pei- Programa da Sessão: A convite do Exmo. Sr. Prof. Frederico Morgado, docente do
xoto e do Sr.º Eng.º Pedro Castro, a APTA participou a 23 9h30 Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade
de Outubro numa sessão técnica com o seguinte tema · Receção & Registo do Algarve, a APTA realizou a 24 de Outubro uma jornada
e estrutura: 9h45 técnica, destinada aos alunos da disciplina de Redes
· Abertura – O Projeto ObservTech de Fluídos do Mestrado Integrado em Engenharia
TENDÊNCIAS E DESAFIOS Vânia Pacheco, CATIM Mecânica, com a seguinte estrutura:
NA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE 10h00
No atual contexto económico, é exigido às empresas · Painel Temático “Tendências e desafios na avaliação da Tema: Sistema de canalização baseado em tubagens
a conformidade com um considerável número de re- conformidade” de aço – Uma solução multi-aplicações. Exemplo de
quisitos técnicos normativos e regulamentares que Moderador: Pedro Castro, CATIM cálculo de uma rede de águas com recurso à folha
influenciam a sua atividade e toda a cadeia de valor até Oradores: de cálculo APTA.
ao cliente final, que, para além disso, estão sempre em Alexandra Peixoto, ONS CATIM Programa resumido:
constante adaptação às necessidades de todas as par- Paulo Gomes, Vogal da CT18 • Redes de águas: enquadramento regulamentar (Decreto-
tes interessadas e ao estado da arte. Ricardo Ferreira, Vogal da CT122 -Regulamentar n.º23/95).
A Normalização é uma atividade de importância estra- 11h15 • Normalização europeia aplicável.
tégica para todos os setores de atividade, sendo um dos · Coffee-Break • Tubos de aço e acessórios roscados em fundição maleável
pilares do sucesso no incremento das trocas comerciais, 11h30 para utilização em redes predias: requisitos regulamen-
a nível global, pois promove a conformidade, a confian- · Debate tares, normalização e especificações.
ça, a segurança, a economia, o bem estar dos cidadãos, 12h00 • Folha de cálculo “Excel” da APTA de dimensionamento
a proteção do ambiente, a inovação e sustentabilidade. · Encerramento de redes de águas para edifícios.
· Critérios de dimensionamento aplicáveis.
· Apresentação, estrutura e funcionamento da folha
de cálculo.
• Exemplo de dimensionamento de uma rede de águas
para edifício de habitação.
47
PORTEFÓLIO DE FOLHAS DE CÁLCULO DA APTA
AO DISPOR DOS PROJECTISTAS

REDES DE INCÊNDIO REDES DE INCÊNDIO


CONVENCIONAIS COM SPRINKLERS

REDES DE ÁGUAS REDES DE GÁS


PARA EDIFÍCIOS PARA EDIFÍCIOS

47
Tema em Destaque PROJECTO DE REDE DE INCÊNDIO ARMADA
COM BOCAS DE INCÊNDIO TIPO CARRETEL
Representação isométrica sem escala
ORGANIZAÇÃO DO PROJECTO
(CODIFICAÇÃO)

Exemplo de dimensionamento de R.I.A. O desenho da instalação já está apresentado de


Aplicação: forma organizada, tendo sido codificados sequen-
com recurso à folha de cálculo APTA Oficina de manutenção e reparação automóvel com cialmente (com letras e números), a partir da saída da
versão 2018 dois pisos, tendo a seguinte classificação técnica: fonte de alimentação, designada por GP, todos os nós
Com base no sistema de canalização: - Utilização-Tipo XII de derivação até às 4 bocas de incêndio armadas do
- acessórios ranhurados em fundição dúctil, marca EO (Porfite); - 2ª categoria de risco tipo carretel (BITC) existentes.
- tubos de aço ranhurados de fábrica, da série média.

4
4
ENQUADRAMENTO
Este dimensionamento foi realizado através da versão bocas de incêndio armadas do tipo carretel, com as quais estão especificados no Quadro 2 da folha de
2018 da nossa folha de cálculo “Excel”, que possibilita respectivas características de desempenho hidráulico cálculo APTA.
de uma forma expedita o dimensionamento de redes de fixadas na NP EN 671-1, por via da obrigatoriedade da 3. Incorporação das características hidráulicas da tuba-
segurança contra incêndios dos tipos convencionais. marcação CE. gem de aspiração de forma integrada com a tubagem
O mesmo foi desenvolvido tendo em consideração as 2. Estimativa das perdas de carga locais induzidas pelos de compressão, possibilitando uma análise global da
seguintes premissas: acessórios de união da tubagem com recurso ao mé- instalação, especialmente relevante na correcta esco-
1. Compatibilização entre as disposições regulamentares todo dos comprimentos equivalentes aplicáveis lha da central de bombagem a utilizar.
nacionais relativas às bases de dimensionamento das aos diversos acessórios utilizados na instalação, os

ESPECIFICAÇÃO DAS BOCAS DE INCÊNDIO ARMADAS DO TIPO CARRETEL A UTILIZAR


As bocas de incêndio armadas com mangueiras semi- caudal instantâneo de 1,5 l/s (90 l/min) a uma pressão boca de incêndio hidraulicamente mais desfavorável
-rígidas (tipo carretel), adiante designadas por BITC, dinâmica mínima de 250 kPa (0,25 MPa). como ponto de partida para o cálculo da rede de incêndio.
estão sujeitas à marcação CE, de acordo com o Re- A secção 4.2.2 da norma EN 671-1 estabelece um conjunto Neste contexto, a versão 2018 da folha de cálculo APTA
gulamento (UE) N.º 305/2011 de 9 de Março de 2011. de 8 níveis hidráulicos de enquadramento das BITC, es- contempla a utilização das BITC dos níveis D10 (K=42) e
Devendo cumprir os requisitos estabelecidos no Anexo tabelecidos através de requisitos mínimos para o caudal D12 (K=64), definidos pelas curvas hidráulicas a traço
ZA da EN 671-1. Em contexto nacional, o corresponden- (Qmín.) em função da pressão dinâmica à entrada, que são contínuo na Figura 1, possibilitando cumprir o requisito
te organismo notificado é a CERTIF e o organismo de definidos através de 8 valores distintos do coeficiente de regulamentar de caudal mínimo igual a 90 l/min (1,5
fiscalização a ASAE. Adicionalmente e em termos de descarga (K). A cada nível hidráulico corresponde um l/s). Por defeito, propõe a utilização da BITC do nível D10
desempenho hidráulico, devem, em Portugal, cumprir diâmetro do orifício da agulheta ou diâmetro equivalente. (K=42), dado ser a mais corrente no mercado, mas com o
o seguinte requisito estabelecido no Art.º 167, n.º 1, da Esta especificação está resumida no Quadro 1, transposto imperativo de necessitar ser alimentada com uma pressão
Portaria n.º 1532/2008: da norma citada, mas com a pressão expressa em kPa. de 460 kPa, em lugar do mínimo de 250 kPa exigido pelo
“A rede de alimentação das bocas-de-incêndio deve O Quadro 1 pode ser expresso graficamente através da regulamento nacional.
garantir, em cada boca-de-incêndio em funcionamen- gama normalizada de curvas hidráulicas correspondentes
to, com metade das bocas abertas, até um máximo aos 8 níveis de BITC previstos, como ilustrado na Figura 1. No exemplo em análise serão utilizadas BITC modelo CR3
exigível de quatro uma pressão dinâmica mínima Assim, é fundamental que o projectista aquando do di- da marca “cofem” (ver Figuras 2 e 3), com nível hidráulico
de 250 kPa e um caudal instantâneo mínimo mensionamento hidráulico de redes de segurança contra D10, ao qual corresponde um coeficiente de descarga K =
de 1,5 l/s.” incêndios armadas com bocas de incêndio do tipo carretel, 42, implicando que para se garantir à saída um caudal de
tenha em consideração o nível hidráulico do modelo de 90 l/min , estas BITC têm de ser alimentadas com uma
Deste modo, é imperativo garantir que o tipo de bocas de BITC a utilizar, para definir de forma inequívoca qual pressão dinâmica mínima de 460 kPa, de acordo com o
incêndio a serem instaladas na rede de incêndio armada, o requisito de pressão à entrada da mesma que seguinte cálculo:
para além de serem conformes o Anexo ZA da EN assegura o caudal regulamentar mínimo requerido P = 100(Q/K)2 = 100(90/42)2 = 459 kPa => 460 kPa
671-1, também garantam a capacidade de debitar um de 90 l/min. E impor esse requisito de pressão na (ponto CR3, Fig. 1)

Quadro 1 EN 671-1: Caudais mínimos e coeficiente K mínimo em função da pressão. Figura 1 Expressão gráfica do Quadro 1 da EN 671-1.
Curvas hidráulicas das BITC
Caudal mínimo - Qmín. (l/min)

Diâmetro do orifício da Caudal mínimo Qmín (l/min) Coeficiente K conformes a norma EN 671-1
agulheta ou diâmetro (l/min.bar0,5)
equivalente (mm) P=200 kPa P=400 kPa P=600 kPa ver Nota
4 (Refª D4) 12 18 22 9
5 (Refª D5) 18 26 31 13
6 (Refª D6) 24 34 41 17
7 (Refª D7) 31 44 53 22
8 (Refª D8) 39 56 68 28
9 (Refª D9) 46 66 80 33
10 (Refª D10) 59 84 102 42
12 (Refª D12) 90 128 156 64
Nota: O caudal Q a uma pressão P obtém-se através da equação onde Q é expresso
em litros/minuto (l/min) e P em kilopascal (kPa).

Condições de ensaio: o ensaio é realizado de acordo com a Secção E.4.1 da norma EN 761-1, sendo
a boca de incêndio armada montada de acordo com as instruções do fornecedor e deixando (1 ±
0,1) m de mangueira desenrolada. Através de um manómetro e um medidor de caudal colocados a
montante da boca de incêndio, procede-se à medição do caudal debitado a uma pressão de (600 ±
25) kPa, nas posições de pulverização e jacto, conforme for adequado. Pressão dinâmica a montante da BITC - P (kPa)

Figura 2 Figura 3 BITC da marca “cofem”, modelo CR3.


Declaração de desempenho da
BITC, marca “cofem”, modelo CR3,
conforme o Anexo ZA da norma
EN 671-1.

Fonte Figuras 2 e 3 obtidas via sítio www.cofem.com

4
PERDAS DE CARGA LOCAIS ESTIMADAS COM RECURSO AO MÉTODO DOS COMPRIMENTOS EQUIVALENTES
No dimensionamento efectuado, as perdas de carga Este quadro consiste numa matriz de afectação dos 2 da folha de cálculo APTA.
locais foram estimadas com recurso ao método dos acessórios utilizados em cada troço da instalação em Em complemento dos valores adoptados através da
comprimentos equivalentes aplicáveis aos diversos análise, através da introdução do nº de acessórios em matriz de afectação, também é possível introduzir-se
acessórios de união ranhurada utilizados na instalação, causa, sendo contabilizada a respectiva perda de carga directamente as perdas de carga locais (em metros) re-
os quais estão especificados no Quadro 2 da folha de local (em metros) mediante a consulta automática do ferentes a casos específicos de acessórios utilizados - ver
cálculo APTA. correspondente valor - ver coluna (8)/3.3b do Quadro coluna (8)/3.3a do Quadro 2 da folha de cálculo APTA.

Quadro 2 da folha de cálculo APTA versão 2018 (vista parcial):

IMPACTO DA TUBAGEM DE ASPIRAÇÃO


No exemplo em análise, o impacto da tubagem de aspiração ao nível das perdas de Pi máx. = Pi compressão + ΔPaspiração = 599,39 + 20,31 kPa = 619,7 kPa
carga tem a seguinte tradução (ver desenho da instalação e Figura 4):
Resultando nos seguintes requisitos de alimentação da instalação:
ΔPestática na aspiração = ΔPest. asp. = 2,00 m x 9,81 = 19,62 kPa 1. Necessidade de pressão: Pi máx. = 619,7 kPa (especificação n.º 9.1)
2. Necessidade de caudal: Qmáx. = 180,0 l/min (especificação n.º 9.2)
Adoptando como dimensão nominal da tubagem de aspiração, a imediatamente acima
da maior dimensão da tubagem de compressão e recorrendo à fórmula de Hazen &
Williams, determina-se a respectiva perda de carga dinâmica:
1,85
Q máx. 1801,85 Figura 4 Detalhes da tubagem de aspiração (sala técnica).
ΔPdin. asp.= Leq.605,28.105 =(1,50+1,30+2,00)x605,28x105 = 0,687 kPa
C1,85.Di4,87 1201,85 x68,94,87
A correspondente perda de carga total referente à tubagem de aspiração é então igual a:

ΔPtotal-asp. = ΔPest. asp. + ΔPdin. asp. = 19,62 + 0,687 = 20,307 kPa

Dado que o eixo da bomba está localizado acima do nível do reservatório, então a mes-
ma trabalha em modo de “aspiração negativa”, implicando que as perdas de carga na
tubagem de aspiração tenham de ser adicionadas às perdas de carga na tubagem de
compressão, o que leva à seguinte evolução da necessidade de pressão da instalação:

4
DETALHES CONSTRUTIVOS DO CAMINHO CRÍTICO
Troço GB-A: Detalhe 1

Troço GB-A: Detalhe 2 Troço GB-A: Detalhe 3

Troço A-B: Detalhe 4 Troço B-C: Detalhe 5

Troço C-BITC3: Detalhe 6 inferior Troço C-BITC3: Detalhe 6 superior

4
EXEMPLO DE FICHA TÉCNICA
DOS ACESSÓRIOS RANHURADOS UTILIZADOS

4
No cumprimento
do Decreto-Lei n.º 390/89,
aceite unicamente
certificados emitidos
pela CERTIF.
Aplicável a:
· Tubos de aço EN 10255
· Acessórios roscados
em fundição maleável EN 10242

associação de produtores de tubos e acessórios

COM O APOIO DE: FICHA TÉCNICA:

PORFITE
Acessórios para Canalizações, Lda.

Tel. 229 410 583 · Fax 229 410 644


Rua do Outeiro, 280 · Sector 3 · MOREIRA
4470-637 MOREIRA MAIA associação de produtores de tubos e acessórios
vendas@porfite.pt · www.porfite.pt Distribuição em formato digital gratuíta.
Tel. 229 444 532
ATUSA
Propriedade: APTA Fax 229 444 531
Grupo Empresarial, SA
Associação de Produtores de Tubos e Acessórios Apartado 6066
Tel. +34.945 180 000 · Fax +34.945 300 153 4476-908 OUTEIRO MAIA
Polígono Industrial ATUSA · Agurain
E 01200 SALVATIERRA - Álava (España) Coordenação: Paulo Gomes (Engº) www.apta.pt
info@atusa.es · www.atusa.es Grafismo: brandcreativestore.pt info@apta.pt

PEDIDO DE INFORMAÇÃO:
A indicação do endereço electrónico é fundamental, dado que o envio da APTITUDE e das Folhas de
Cálculo APTA, é realizado unicamente por e-mail. aptitude atitudes APTA em revista.

Sim, desejo receber gratuitamente


NOME
esta publicação periódica

Sim, desejo receber gratuitamente a


FUNÇÃO
“Folha de Cálculo Gás - APTA” (Formato Excel)

Sim, desejo receber gratuitamente a


EMPRESA ACTIVIDADE
“Folha de Cálculo Redes de Incêndio - APTA” (Formato Excel)

Sim, desejo receber gratuitamente a


MORADA C. POSTAL
“Folha de Cálculo Redes de Sprinklers - APTA” (Formato Excel)

Sim, desejo receber gratuitamente a


TEL. FAX E-MAIL
“Folha de Cálculo Águas - APTA” (Formato Excel)

Enviar por FAX, CARTA ou E-MAIL para: APTA, Associação de Produtores de Tubos e Acessórios · Apartado 6066 · 4476-908 OUTEIRO MAIA · Fax: 229 444 531 · info@apta.pt
46