Você está na página 1de 8

Histórico de distribuição Segmentação dos 9291 destinatários Modo de distribuição

10000
Segmentos Profissionais Nº de Destinatários 1,6%
9000
32,7%
8000 65,7%
7000 Estudantes e Outras Entidades 310
Associações e seus Colaboradores 19
associação de produtores 6000 Empresas de Construção Civil 117
de tubos e acessórios 5000 Instituições, Câmaras e Serv. Municipais 437
Formação, Ensino e Formadores 911
4000
Armazenistas e seus Colaboradores 483

Quantidade
3000 Instaladores e Montadores 1760
2000 Gabinetes de Engenharia e Fiscalização 2892
Gabinetes de Arquitectura 2362
1000

0
200
400
600
800
1000
1200
1400
1600
1800
2000
2200
2400
2600
2800
3000
0
2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010

Nº de Janeiro Nº de Maio Nº de Setembro E-mail Em mão (previsão) CTT

Paulo Gomes, Engº


Director Executivo

atitudes APTA em revista


36
Ano 12 · SETEMBRO/2010 · Quadrimestral · Distribuição Gratuita

EDITORIAL entre as unidades de caudal “l/min”, “l/s” , “l/h” ou “m³/h” e entre as


unidades de pressão “kPa” , “bar” , “m.c.a.” ou “kgf/cm²”. Mas mais relevante,
Caro leitor, é a possibilidade de o cálculo poder ser realizado, também à escolha do
Em coerência com a actualização da nossa folha de cálculo para o dimensiona- utilizador, aplicando os critérios da norma Americana NFPA 13 ou da nova
mento de redes de incêndio, em função da nova regulamentação aplicável regulamentação Portuguesa.
e lançada no número anterior da presente publicação, procedemos também Como é habitual, a mesma poderá ser obtida de forma gratuita, mediante
à actualização da folha de cálculo de redes com aspersores (sprinklers). solicitação via e-mail (info@apta.pt).
Assim, é com muito gosto que informamos do lançamento da versão 2010 Como tema em destaque da presente publicação, apresentamos um novo
da nossa folha de cálculo “Excel”, que possibilita de uma forma expedita, o exemplo de dimensionamento de uma rede equipada com sprinkles, calculada
dimensionamento de redes de segurança contra incêndios do tipo extinção pelos critérios Americano e Português.
automática - rede de sprinklers húmida, utilizando o sistema de canalização
constituído por tubos de aço e acessórios em fundição maleável roscados. O signatário na qualidade de director executivo da A.P.T.A. reitera a sua total
Novamente, o dimensionamento poderá ser efectuado, à escolha do utilizador, disponibilidade e aproveita esta oportunidade para em nome das empresas
com as perdas de carga dinâmicas calculadas pela fórmula de Hazen & fundadoras e em seu próprio enviar os melhores cumprimentos, com votos
Williams ou pela fórmula de Flamant. Adicionalmente, possibilita a escolha de bons negócios.

tema em destaque 281

JORNADAS TÉCNICAS Exemplo de Dimensionamento de rede


em Instituições de Ensino Superior com sprinklers através da folha de
cálculo APTA (v.2010) 284

1. A convite dos Exmos. Sr. Prof. João Ferreira Mendes e Sr. Prof. Virgílio Aproveitamos para agradecer o convite que nos foi dirigido e a cordialidade
Monteiro de Oliveira, do Departamento de Engenharia Mecânica do Instituto e simpatia com que novamente fomos recebidos, salientando o significativo
Superior de Engenharia de Coimbra, a APTA realizou a 17 de Maio uma palestra, interesse e participação dos alunos, aos quais, desejamos votos de sucesso
destinada aos alunos dos Mestrados em Instalações e Equipamentos em na finalização do mestrado e na sequente carreira profissional.
Edifícios e Equipamentos e Sistemas Mecânicos, enquadrada na disciplina
de Redes de Fluídos, com o seguinte programa:
2. A convite do Exmo. Sr. Prof. Daniel Cabrita,
Tema: Sistema de Canalização em Aço para Redes de Incêndios do Departamento de Engenharia Mecânica
· Novo enquadramento regulamentar. da Universidade do Algarve (Faro) e da em-
· Tipos de redes de segurança contra incêndios e seu enquadramento à luz presa SINTEC Lda, a APTA realizou a 19 de
da nova regulamentação: Maio uma palestra, destinada aos alunos da
· Colunas secas. disciplina de Redes de Fluídos, com o seguinte
· Redes de incêndio armadas. programa:
· Colunas húmidas. Tema: Sistema de Canalização em Aço para Redes de Incêndios
· Sistemas de extinção automática. • Novo enquadramento regulamentar.
· Normalização Europeia aplicável. • Tipos de redes de segurança contra incêndios e seu enquadramento à luz
· Especificações gerais aplicáveis aos componentes de uma rede de incêndio. da nova regulamentação:
· Tubo de aço para utilização em redes de segurança contra incêndios: Requisitos · Colunas secas.
Regulamentares, Normalização e Especificações. · Redes de incêndio armadas.
· Acessórios roscados em fundição maleável para utilização em redes de segu- · Colunas húmidas.
rança contra incêndios: Requisitos Regulamentares, Normalização e Especifi- · Sistemas de extinção automática.
cações. • Normalização Europeia aplicável.
· O sistema ranhurado. • Especificações gerais aplicáveis aos componentes de uma rede de incêndio.
· Folhas de cálculo APTA para o dimensionamento de redes de segurança • Tubo de aço para utilização em redes de segurança contra incêndios: Requisitos
contra incêndios: apresentação. Regulamentares, Normalização e Especificações.
· Exemplos de dimensionamento. • Acessórios roscados em fundição maleável para utilização em redes de segu-
· Conclusões. rança contra incêndios: Requisitos Regulamentares, Normalização e Espe-
· Debate. cificações.
1. 3.

2. 4.

282

• O sistema ranhurado. · Redes de incêndio armadas.


• Folhas de cálculo APTA para o dimensionamento de redes de segurança · Colunas húmidas.
contra incêndios: apresentação. · Sistemas de extinção automática.
• Exemplos de dimensionamento. • Normalização Europeia aplicável.
• Conclusões. • Especificações gerais aplicáveis aos componentes de uma rede de incêndio.
• Debate. • Tubo de aço para utilização em redes de segurança contra incêndios: requisitos
Assinalamos e agradecemos a cooperação do Prof. Daniel Cabrita na realização regulamentares, normalização e especificações.
deste evento, tendo também possibilitado o envio de convites a gabinetes • Acessórios roscados em fundição maleável para utilização em redes de segu-
de projecto e distribuidores sediados na região Algarvia, bem como, a cordia- rança contra incêndios: requisitos regulamentares, normalização e especi-
lidade e simpatia com que fomos recebidos. ficações.
Também salientamos o significativo interesse e participação dos Alunos, aos • O sistema ranhurado.
quais, desejamos votos de sucesso na finalização do curso e na sequente car- • Folhas de cálculo APTA para o dimensionamento de redes de segurança
reira profissional. contra incêndios: apresentação.
• Exemplos de dimensionamento.
• Conclusões.
• Debate.
FORMAÇÃO “IN LOCO” À gerência da empresa e em particular à Sr.ª Eng.ª Madalena Charneca, aprovei-
Gabinetes de Projecto tamos para agradecer o convite que nos foi formulado e a cordialidade e sim-
patia com que fomos recebidos.

4. A convite da empresa IPERFORMA – Arquitectura e


Engenharia, S.A., sediada no Porto, a APTA realizou a 26
3. A convite da empresa Central Projectos, Lda., sediada em Coimbra, a de Maio uma jornada técnica personalizada, com a seguinte
APTA realizou a 3 de Maio uma jornada técnica personalizada, com a seguinte estrutura:
estrutura:
Sistema de Canalização em Aço para Redes de Incêndios
Sistema de Canalização em Aço para Redes de Incêndios Programa:
Programa: • Novo enquadramento regulamentar (Decreto-Lei n.º 220/2008 e Portaria
• Novo enquadramento regulamentar (Decreto-Lei n.º 220/2008 e Portaria n.º1532/2008).
n.º 1532/2008). • Tipos de redes de segurança contra incêndios e seu enquadramento à luz
• Tipos de redes de segurança contra incêndios e seu enquadramento à luz da nova regulamentação:
da nova regulamentação: · Colunas secas.
· Colunas secas. · Redes de incêndio armadas.
5.

4. 6.

283

· Colunas húmidas. · Sistemas de extinção automática.


· Sistemas de extinção automática. • Normalização Europeia aplicável.
• Normalização Europeia aplicável. • Especificações gerais aplicáveis aos componentes de uma rede de incêndio.
• Especificações gerais aplicáveis aos componentes de uma rede de incêndio. • Tubo de aço para utilização em redes de segurança contra incêndios: requisitos
• Tubo de aço para utilização em redes de segurança contra incêndios: requisitos regulamentares, normalização e especificações.
regulamentares, normalização e especificações. • Acessórios roscados em fundição maleável para utilização em redes de segu-
• Acessórios roscados em fundição maleável para utilização em redes de segurança rança contra incêndios: requisitos regulamentares, normalização e especi-
contra incêndios: requisitos regulamentares, normalização e especificações. ficações.
• O sistema ranhurado. • O sistema ranhurado.
• Folhas de cálculo APTA para o dimensionamento de redes de segurança • Debate.
contra incêndios: apresentação.
• Exemplos de dimensionamento. 14 Julho - Folhas de cálculo APTA para o dimensionamento de redes de
• Conclusões. segurança contra incêndios
• Debate. Programa:
À administração da empresa e em particular ao Sr.º Eng.º Marco Miranda, • Folha de cálculo “Excel” da APTA de dimensionamento de redes de segu-
aproveitamos para agradecer o convite que nos foi formulado e a cordialidade rança contra incêndios dos tipos: rede de incêndio armada, rede/coluna
e simpatia com que fomos recebidos. húmida e rede/coluna seca.
· Novos critérios de dimensionamento aplicáveis, em conformidade
com a nova regulamentação.
5. A convite da empresa TORÇÃO, Lda., · Apresentação, estrutura e funcionamento da folha de cálculo.
sediada em Gaia, a APTA realizou a 7 e 14 · Exemplo de dimensionamento de uma rede de incêndio armada com
de Julho duas jornadas técnicas personali- bocas tipo carretel.
zadas, com a seguinte estrutura: • Folha de cálculo “Excel” da APTA de dimensionamento de redes de segu-
rança contra incêndios do tipo extinção automática - rede de sprinklers
7 Julho - Sistema de Canalização em Aço húmida.
para Redes de Incêndios · Novos critérios de dimensionamento aplicáveis, em conformidade
Programa: com a nova regulamentação.
• Novo enquadramento regulamentar (Decreto-Lei n.º 220/2008 e Portaria · Apresentação, estrutura e funcionamento da folha de cálculo.
n.º 1532/2008). · Exemplo de dimensionamento de uma rede de incêndio com sprinklers.
• Tipos de redes de segurança contra incêndios e seu enquadramento à luz • Debate.
da nova regulamentação:
· Colunas secas. À gerência da empresa e em particular ao Sr.º Eng.º Ricardo Vares, aproveitamos
· Redes de incêndio armadas. para agradecer o convite que nos foi formulado e a cordialidade e simpatia
· Colunas húmidas. com que fomos recebidos.
tema em destaque
Organização do projecto (codificação)

284
O desenho da instalação já está apresentado de forma organizada, tendo sido codifi-
ção .)
nta
cados sequencialmente (com letras e números), a partir do sprinkler mais afastado da
e (F.gAem)
Exemplo de Dimensionamento de rede a li
de iva)
m o
ã a
taç b
en o bom
fonte de alimentação (F.A.), designado por S1, todos os sprinklers em funcionamento
simultâneo S1+i e nós de derivação até à fonte de alimentação (F.A.) da instalação.
Válvulas de corte caernat
com sprinklers através da folha de cálculo Válvulas de retenção
o lim
S.I.B (alt te deóraio+gru
p

APTA versão 2010 Indicador de caudal e alarme


n
Fo erva
t
s
Legenda referente à dimensão dos tubos de aço:
Manómetro
(re DN 150 - Dimensão nominal 150 aplicável aos dois critérios RGSCIE
7,0 m 3,0 e NFPA.
0 FA 10,
00
1,3
m 0 m
Projecto de sistema automático cn ica DN
m
nta
ção
200
] 3,0 18, DN 150 [200] - Dimensão nominal 150 aplicável ao critério RGSCIE
a té
4,5 150 me 50 [
0 m 30
0 m i N1 m e dimensão nominal 200 aplicável ao critério NFPA.
Zon
Colu l
de extinção de incêndios do tipo DN na
[20
0] A
nco
D DN
25 3,0
0
1 Tro m
húmido · S.A.E.I.-Água [20 50 DN DN
0] 150 3,0
00] 32 0m
s [20
ório
[2
Representação isométrica sem escala 150 DN 0] 3,0
crit DN 0 m 40 0 m
9,0
Es DN
50
1,5
m 1,5
DN m
50 3,0
0 m
65 G
DN
3,0
0
Ent DN
150 65 m
admrada
DN DN 3,0
50 0
l 150 m
1,5
m
inis am
a DN 3,0
trat R 150
DN
50 0
iva DN
DN
m
3,0 1,5
50 40 0 m m
1,5
m DN1
DN
150 32
3, 0 m
0
DN
m 150 m DN 2
Sustentado no Sistema 1,5 DN 3,00 5
150 m Saíd
de Tubagem:
S42 DN 3,00 em a de
F 150 m erg
DN
S35 3,00 ênc
Tubos de Aço NP EN 10255 25
E
DN
S41 ia
150 00 m
Série Média
Ent
DN
32 S28 DN
S34 S40
3,
D m ais
cargrada
150 3,00
Acessórios Roscados
DN
40 S21 DN
S27 S33 S39 -ram
C 00 m b
is
NP EN 10242 - Proj. A
des as e DN S14 DN
125
S20 S26 S32 S38
3,
14
Su
tíve
carg 50
B 125 3,00
m
bus
as DN S7 DN
S13 S19 S25 m
50 S31 S3070 m co
de ilhão
Configuração: DN A N 125 3,
S12 S18
65
S24
Disposição central com alimentação terminal
S3,000 m S36 m
D 6
Áre Crit DN 65 S é av
ad az p
Arm tipo
e o ério S5 S11
3 Su
fun p
cion 42 spr eraçã NFPA 50
DN
S17 S2300 m b-rS29
am
am inkle o ( , 3 S
Aplicação: Armazém de combustíveis ent 3 DN S4 S 1 0 6
S1,00 m S2 2 u b -ra
al
6-
o si rs em 72 m 50 m NF
mu ²) 3 Su a l PA
tipo pavilhão (UT XII), com um único piso, sendo caracterizado ltâ neo 4, 8
DN
40 S3 S9 00 m S 15 b-r
a
5-
R
pelos seguintes factores de risco aplicáveis: 0m 3, Su m a G
S2 b-r l4 SCIE Decisões de dimensionamento:
1. Nº de pisos abaixo do plano de referência: 0 Áre DN S8 am -R /N
2. Espaço coberto ou ao ar livre: coberto a d Crité 32 Su al
GS
C
FPA Imposição de uma perda de carga dinâmica
e o rio D S 1 b -r 3 IE/
3. Carga de incêndio modificada: admite-se um valor fun
cion 3 0 p e ra RGS N2
5 ama - RGS NFPA admissível nos ramais principais de 70 kPa.
s
enquadrado nas 3.ª ou 4.ª categorias de risco, conforme am prinkle ção ( CIE l2 CIE Imposição de uma velocidade de escoamento
ent
o si r s e
2 6 0
Su
b -R
GS
/N
o Quadro X do Decreto-Lei n.º 220/2008 de 12 Nov. m²) -ra FPA
mu m ma CIE admissível nos ramais principais de 4,5 m/s.
ltân l1 /N
eo l a -R FPA Cálculo das perdas de carga realizado com
vu
Classificação técnica RGSCIE: Ramais principais: Sub-ramais: Vál nsaio m GS
- Utilização Tipo XII - Alimentação - Sub-ramal 1 de
e 1,50 CIE recurso à fórmula de Hazen & Williams.
/N
- 3.ª ou 4.ª categoria de risco - Coluna - Sub-ramal 2 FPA Os comprimentos dos troços foram incremen-
- Tronco - Sub-ramal 3 tados em 30% para compensação das perdas
Classificação técnica NFPA:
- Ramal - etc.
- Classe de risco: Graves - Grupo 1 de carga locais.
Resultados do dimensionamento - Critério RGSCIE - Regulamento Geral de Segurança Contra Incêndios em Edifícios (DL n.º 220/2008 de 12 Nov.)
Dimensionamento de Sistema de Extinção Automática (Rede de Sprinklers Tipo Húmida) Ref.ª APTitude nº 36 Descrição: Exemplo de Armazém de Combustíveis - Critério RGSCIE Data: 2010.09.06

Características e Especificações: Decisões Adoptado Observações Especificações calculadas


1.1 Quadro 3 Classe e Grupo de Risco / Utilização Tipo Utilização Tipo XII (RGSCIE) Dimensionamento em conformidade com RGSCIE
1.5 Quadro 3 Área de operação Ao m2 260 Função da Utilização Tipo (UT) 1.4 Afastamento máximo dos sub-ramais D m 3,00
1.2 Quadro 3 Área de cobertura por sprinkler As m2 9,0 Característica obtida por cálculo 1.6 Nº total adoptado de sprinklers em funcionamento simultâneo NSsim. nº 30
1.6 Quadro 3 Nº total de sprinklers em funcion. simultâneo NSsim. nº 29 Função da Utilização Tipo (UT) 1.7 Nº de sprinklers em funcionamento simultâneo por sub-ramal NSsim./s.r. nº 6 10.4
1.3 Quadro 3 Espaçamento entre sprinkers S m 3,00 Disposição normal dos sprinklers (máx. permitido = 3,7 m) 1.9 Caudal necessário ao correcto desempenho de cada sprinkler Qmín.S l/min 90,00
1.8 Quadro 3 Caudal unitário a dispersar por sprinkler qunit. l/min.m2 10,00 Densidade de descarga 1.11 Pressão dinâmica no sprinkler mais afastado da alimentação Pmín.S kPa 61,25
1.10 Quadro 4 Sprinkler DN 10 (x) ou especificar o valor de K métrico 8.4 Perda de carga dinâmica total DPacum.Total kPa 140,42
Sprinklers: Sprinkler DN 15 (x) ou especificar o valor de K métrico 8.1 Perda de carga dinâmica nos ramais principais DPacum.R.P. kPa 68,02
K=115 Sprinkler DN 20 (x) ou especificar o valor de K métrico K = 115 Assumido por defeito 10.3 Diâmetro interior médio da tubagem de aço (média ponderada) Di médio mm 62,1
1.12 % de afectação das perdas de carga locais J% % 30% 30% Para cálculo do comprimento equivalente 10.1 Necessidade de pressão - Abastecimento Pi máx. kPa 245,9
1.13 Opção de dimensionamento pela fórmula de Flamant (X) Dimensionamento efectuado pela fórmula de Hazen & Williams 10.2 Necessidade de caudal - Abastecimento Q máx. l/min 3386,0
1.14 Constante de rugosidade - Água Fria C 120 Valor típico para tubagens em aço galvanizado. Avaliação global: Dimensionamento Conforme
Seleccionar unidades de caudal l/min Caudais expressos em l/min.
Seleccionar unidades de pressão kPa Pressões expressas em kPa.
(1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) (11) (12) (13) (14) (15) (16) (17) (18) (19) (20) (21) (22) (23) (24) (25) (26) (27)
Característica: 0.2 2.1 2.2 3.1 3.2 Quadro 2 3.4 4.1 4.2 4.3 5.0 5.1 5.2 Quadros 1 e 5 5.5 6.1 6.2 6.3 7.1 7.2 7.3 8.1 8.2 9.1 9.2
Codificação Nº de Sprinklers Comprimentos dos troços Factor de Caudais Tubo Diâmetro normalizado Designação Pressões Instaladas Perdas de Carga - DP Velocidade Obs.
dos troços simultâneo total real altura locais equiv. caudal intemédio cálculo material imposto interior exterior tubo aço c/ costura inicial final corrigida unitária dinâmica total acum.dinâm. avaliação troço avaliação
N Início Fim NSsim.troço NStroço Lreal h1) Leq. local Leq. K QS/sub-ramal Qtroço Classe Di imposto Di D Série Média Pi Pf Pfc J DP DPc DPacum.R.P. DPacum.R.P. 70,0 V 0,5 V 4,5 Freq.

aves nº nº nº m m m m métrico l/min l/min S235 mm mm mm R / NPS DN kPa kPa kPa kPa/m kPa kPa kPa kPa m/s m/s n.º
s 1 S2 S1 1 1 3,00 3,90 115,0 90,00 90,00 Aço 27,3 33,7 1 DN 25 75,30 61,25 61,25 3,603 14,05 14,05 Não aplicável 2,56 Não aplicável 28
Análise dos troços de tubagem da rede de sprinklers

s 2 S3 S2 2 2 3,00 3,90 115,0 99,79 189,79 Aço 36,0 42,4 1 1/4 DN 32 89,83 75,30 75,30 3,725 14,53 14,53 Não aplicável 3,11 Não aplicável 28

s 3 S4 S3 3 3 3,00 3,90 115,0 108,99 298,79 Aço 41,9 48,3 1 1/2 DN 40 105,89 89,83 89,83 4,118 16,06 16,06 Não aplicável 3,61 Não aplicável 28

s 4 S5 S4 4 4 3,00 3,90 115,0 118,34 417,12 Aço 53,1 60,3 2 DN 50 115,28 105,89 105,89 2,409 9,39 9,39 Não aplicável 3,14 Não aplicável 28

s 5 S6 S5 5 5 3,00 3,90 115,0 123,47 540,60 Aço 53,1 60,3 2 DN 50 130,46 115,28 115,28 3,891 15,18 15,18 Não aplicável 4,07 Não aplicável 28
s 6 A S6 6 6 1,50 1,95 115,0 131,35 671,95 Aço 68,9 76,1 2 1/2 DN 65 133,65 130,46 130,46 1,636 3,19 3,19 Não aplicável 3,01 Não aplicável 28

7 B A 6 12 3,00 3,90 581,2 671,95 Aço 129,7 129,7 139,7 5 DN 125 133,94 133,65 133,65 0,075 0,29 0,29 68,02 Conforme 0,85 Conforme
8 C B 12 24 3,00 3,90 581,2 672,68 1344,63 Aço 129,7 129,7 139,7 5 DN 125 135,00 133,94 133,94 0,271 1,06 1,06 67,73 Conforme 1,70 Conforme
9 D C 18 36 3,00 3,90 581,2 675,34 2019,97 Aço 129,7 129,7 139,7 5 DN 125 137,24 135,00 135,00 0,576 2,25 2,25 66,67 Conforme 2,55 Conforme
10 E D 24 48 3,00 3,90 581,2 680,93 2700,90 Aço 155,1 165,1 6 DN 150 138,85 137,24 137,24 0,413 1,61 1,61 64,42 Conforme 2,38 Conforme
11 F E 30 60 3,00 3,90 581,2 684,91 3385,81 Aço 155,1 165,1 6 DN 150 141,30 138,85 138,85 0,627 2,44 2,44 62,81 Conforme 2,99 Conforme
12 G F 30 156 24,00 31,20 581,2 3385,81 Aço 155,1 165,1 6 DN 150 160,85 141,30 141,30 0,627 19,55 19,55 60,37 Conforme 2,99 Conforme
13 FA G 30 168 50,10 4,50 65,13 581,2 3385,81 Aço 155,1 165,1 6 DN 150 245,81 205,00 160,85 0,627 40,82 84,96 40,82 Conforme 2,99 Conforme

Dados introduzidos Decisões de optimização


para o dimensionamento do dimensionamento

Legenda e nota(s):
84,00 m - 1 - Tubo com costura W (DN 25) Especificações gerais do sistema de canalização:
Síntese do Consumo de Tubos de Aço

Obtido no desenho da instalação


84,00 m - 1 1/4 - Tubo com costura W (DN 32)
Critérios de Dimensionamento: DPacum.R.P DPacum.adm. V Vadmissível
Tubos de Aço - Série Média (M) - Com Costura (W) -
Dados de entrada / decisões 84,00 m - 1 1/2 - Tubo com costura W (DN 40) Conformes NP EN 10255 - Opção: Galvanizados conforme 8.3 Perda de carga dinâmica admissível-Ramais Principais: DPacum.adm. kPa 70 70,00
Calculado com recurso a fórmulas 168,00 m - 2 - Tubo com costura W (DN 50) NP EN 10240 - com Certificação CERTIF. 9.3 0,5 Velocidade admissível-Ramais Principais: Vadm. m/s 4,5 4,5
Retirado de quadros de especificações 42,00 m - 2 1/2 - Tubo com costura W (DN 65) Unidos mediante: 10.3 Quadro 6 F.A.- Pressão mín. exigida: Não aplicável. Pi mín. kPa

9,00 m - 5 - Tubo com costura W (DN 125)


Acessórios Roscados em Ferro Fundido Maleável - 10.4
44,1 Quadro 6 F.A.- Caudal mín. exigido: Não aplicável. Q mín. l/min
Restrições / Alertas
80,10 m - 6 - Tubo com costura W (DN 150) Conformes NP EN 10242 - Símbolo de Projecto A -
Conclusões Opção: Galvanizados - com Certificação CERTIF.
1) Desnível h, inserir valor positivo ( + ) se
o troço é ascendente e negativo ( - ) se
o troço é descendente.
Estimativa automática do info@apta.pt
consumo de tubos em aço.
285

www.apta.pt
Folha de Cálculo de distribuição gratuíta. Para efeitos legais, declinamos qualquer responsabilidade sobre os resultados obtidos. ® Autor:Paulo Gomes, Engº
Resultados do dimensionamento - Critério NFPA - National Fire Protection Association (NFPA 13- Standard for the Installation of Sprinkler Systems)
Dimensionamento de Sistema de Extinção Automática (Rede de Sprinklers Tipo Húmida) Ref.ª APTitude nº 36 Descrição: Exemplo de Armazém de Combustíveis - Critério NFPA Data: 2010.09.06

Características e Especificações: Decisões Adoptado Observações Especificações calculadas


1.1 Quadro 3 Classe e Grupo de Risco / Utilização Tipo Graves - Grupo 1 (NFPA 13) Dimensionamento em conformidade com NFPA 13
1.5 Quadro 3 Área de operação Ao m2 372 Função da Classe de Risco 1.4 Afastamento máximo dos sub-ramais D m 3,00
1.2 Quadro 3 Área de cobertura por sprinkler As m2 9,0 Função da Classe de Risco 1.6 Nº total adoptado de sprinklers em funcionamento simultâneo NSsim. nº 42
1.6 Quadro 3 Nº total de sprinklers em funcion. simultâneo NSsim. nº 42 Característica obtida por cálculo 1.7 Nº de sprinklers em funcionamento simultâneo por sub-ramal NSsim./s.r. nº 7 7 10.4
1.3 Quadro 3 Espaçamento entre sprinkers S m 3,00 Disposição normal dos sprinklers (máx. permitido = 3,7 m) 1.9 Caudal necessário ao correcto desempenho de cada sprinkler Qmín.S l/min 90,90
1.8 Gráficos 1,2 Caudal unitário a dispersar por sprinkler q unit. l/min.m2 10,10 Densidade de descarga 1.11 Pressão dinâmica no sprinkler mais afastado da alimentação Pmín.S kPa 62,48
1.10 Quadro 4 Sprinkler DN 10 (x) ou especificar o valor de K métrico 8.4 Perda de carga dinâmica total DPacum.Total kPa 137,62
Sprinklers: Sprinkler DN 15 (x) ou especificar o valor de K métrico 8.1 Perda de carga dinâmica nos ramais principais DPacum.R.P. kPa 63,89
K=115 Sprinkler DN 20 (x) ou especificar o valor de K métrico X K = 115 Constante do Sprinkler 10.3 Diâmetro interior médio da tubagem de aço (média ponderada) Di médio mm 66,8
1.12 % de afectação das perdas de carga locais J% % 30% 30% Para cálculo do comprimento equivalente 10.1 Necessidade de pressão - Abastecimento Pi máx. kPa 244,3
1.13 Opção de dimensionamento pela fórmula de Flamant (X) Dimensionamento efectuado pela fórmula de Hazen & Williams 10.2 Necessidade de caudal - Abastecimento Q máx. l/min 4682,0
1.14 Constante de rugosidade - Água Fria C 120 Valor típico para tubagens em aço galvanizado. Avaliação global: Dimensionamento Conforme
Seleccionar unidades de caudal l/min Caudais expressos em l/min.
Seleccionar unidades de pressão kPa Pressões expressas em kPa.
(1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) (11) (12) (13) (14) (15) (16) (17) (18) (19) (20) (21) (22) (23) (24) (25) (26) (27)
Característica: 0.2 2.1 2.2 3.1 3.2 Quadro 2 3.4 4.1 4.2 4.3 5.0 5.1 5.2 Quadros 1 e 5 5.5 6.1 6.2 6.3 7.1 7.2 7.3 8.1 8.2 9.1 9.2
Codificação Nº de Sprinklers Comprimentos dos troços Factor de Caudais Tubo Diâmetro normalizado Designação Pressões Instaladas Perdas de Carga - DP Velocidade Obs.
dos troços simultâneo total real altura locais equiv. caudal intemédio cálculo material imposto interior exterior tubo aço c/ costura inicial final corrigida unitária dinâmica total acum.dinâm. avaliação troço avaliação
N Início Fim NSsim.troço NStroço Lreal h1) Leq. local Leq. K QS/sub-ramal Qtroço Classe Di imposto Di D Série Média Pi Pf Pfc J DP DPc DPacum.R.P. DPacum.R.P. 70,0 V 0,5 V 4,5 Freq.

aves nº nº nº m m m m métrico l/min l/min S235 mm mm mm R / NPS DN kPa kPa kPa kPa/m kPa kPa kPa kPa m/s m/s n.º
s 1 S2 S1 1 1 3,00 3,90 115,0 90,90 90,90 Aço 27,3 33,7 1 DN 25 76,79 62,48 62,48 3,670 14,31 14,31 Não aplicável 2,59 Não aplicável 28
Análise dos troços de tubagem da rede de sprinklers

s 2 S3 S2 2 2 3,00 3,90 115,0 100,78 191,68 Aço 36,0 42,4 1 1/4 DN 32 91,59 76,79 76,79 3,793 14,79 14,79 Não aplicável 3,14 Não aplicável 28

s 3 S4 S3 3 3 3,00 3,90 115,0 110,06 301,73 Aço 41,9 48,3 1 1/2 DN 40 107,94 91,59 91,59 4,194 16,36 16,36 Não aplicável 3,65 Não aplicável 28

s 4 S5 S4 4 4 3,00 3,90 115,0 119,48 421,21 Aço 53,1 53,1 60,3 2 DN 50 117,51 107,94 107,94 2,452 9,56 9,56 Não aplicável 3,17 Não aplicável 28

s 5 S6 S5 5 5 3,00 3,90 115,0 124,66 545,87 Aço 53,1 53,1 60,3 2 DN 50 132,96 117,51 117,51 3,962 15,45 15,45 Não aplicável 4,11 Não aplicável 28
s 6 A S6 6 6 1,50 1,95 115,0 132,60 678,48 Aço 68,9 68,9 76,1 2 1/2 DN 65 136,21 132,96 132,96 1,666 3,25 3,25 Não aplicável 3,03 Não aplicável 27

s 7 A S7 1 6 1,50 1,95 115,0 90,90 90,90 Aço 68,9 68,9 76,1 2 1/2 DN 65 136,21 136,13 136,13 0,040 0,08 0,08 Não aplicável 0,41 Não aplicável
8 B A 7 12 3,00 3,90 659,2 769,38 Aço 129,7 129,7 139,7 5 DN 125 136,58 136,21 136,21 0,097 0,38 0,38 63,89 Conforme 0,97 Conforme
9 C B 14 24 3,00 3,90 659,2 770,44 1539,81 Aço 129,7 129,7 139,7 5 DN 125 137,94 136,58 136,58 0,349 1,36 1,36 63,51 Conforme 1,94 Conforme
10 D C 21 36 3,00 3,90 659,2 774,26 2314,08 Aço 129,7 129,7 139,7 5 DN 125 140,83 137,94 137,94 0,741 2,89 2,89 62,15 Conforme 2,92 Conforme
11 E D 28 48 3,00 3,90 659,2 782,33 3096,40 Aço 155,1 155,1 165,1 6 DN 150 142,90 140,83 140,83 0,531 2,07 2,07 59,27 Conforme 2,73 Conforme
12 F E 35 60 3,00 3,90 659,2 788,06 3884,46 Aço 155,1 155,1 165,1 6 DN 150 146,05 142,90 142,90 0,808 3,15 3,15 57,19 Conforme 3,43 Conforme
13 G F 42 156 24,00 31,20 659,2 796,70 4681,16 Aço 155,1 155,1 165,1 6 DN 150 181,66 146,05 146,05 1,141 35,60 35,60 54,04 Conforme 4,13 Conforme
14 FA G 42 168 50,10 4,50 65,13 659,2 4681,16 Aço 206,5 206,5 219,1 8 DN 200 244,24 225,80 181,66 0,283 18,44 62,58 18,44 Conforme 2,33 Conforme

Dados introduzidos Decisões de optimização


para o dimensionamento do dimensionamento

Legenda e nota(s):
84,00 m - 1 - Tubo com costura W (DN 25) Especificações gerais do sistema de canalização:
Síntese do Consumo de Tubos de Aço

Obtido no desenho da instalação


84,00 m - 1 1/4 - Tubo com costura W (DN 32)
Critérios de Dimensionamento: DPacum.R.P DPacum.adm. V Vadmissível
Tubos de Aço - Série Média (M) - Com Costura (W) -
Dados de entrada / decisões 84,00 m - 1 1/2 - Tubo com costura W (DN 40) Conformes NP EN 10255 - Opção: Galvanizados conforme 8.3 Perda de carga dinâmica admissível-Ramais Principais: DPacum.adm. kPa 70 70,00
Calculado com recurso a fórmulas 168,00 m - 2 - Tubo com costura W (DN 50) NP EN 10240 - com Certificação CERTIF. 9.3 0,5 Velocidade admissível-Ramais Principais: Vadm. m/s 4,5 4,5
Retirado de quadros de especificações 42,00 m - 2 1/2 - Tubo com costura W (DN 65) Unidos mediante: 10.3 Quadro 6 F.A.- Pressão mín. exigida: Não aplicável. Pi mín. kPa

9,00 m - 5 - Tubo com costura W (DN 125)


Acessórios Roscados em Ferro Fundido Maleável - 10.4
44,1 Quadro 6 F.A.- Caudal mín. exigido: Não aplicável. Q mín. l/min
Restrições / Alertas
30,00 m - 6 - Tubo com costura W (DN 150) Conformes NP EN 10242 - Símbolo de Projecto A -
Conclusões Opção: Galvanizados - com Certificação CERTIF.
50,10 m - 8 - Tubo com costura W (DN 200)
1) Desnível h, inserir valor positivo ( + ) se
o troço é ascendente e negativo ( - ) se
o troço é descendente. info@apta.pt
Estimativa automática do www.apta.pt

consumo de tubos em aço. Folha de Cálculo de distribuição gratuíta. Para efeitos legais, declinamos qualquer responsabilidade sobre os resultados obtidos. ® Autor:Paulo Gomes, Engº
Análise O dimensionamento, efectuado com recurso à folha de cálculo APTA-RI
Sprinklers-versão 2010, está sustentado em dois quadros referentes aos dois
Resumo dos critérios RGSCIE e NFPA
critérios de cálculo (RGSCIE e NFPA), que constam na folha da cálculo da APTA,
sendo referenciados como Quadros 3 e que a seguir se transcrevem:
Quadro 3 - RGSCIE:
Critérios de dimensionamento de sistemas fixos de extinção automática por água
(Quadro XXXVII - Port. nº 1532/2008) Características adicionais calculadas ou fixadas

Densidade Área Nº de aspersores Dimensão Tempo Área de Caudal mínimo Valores máximos de S e D
Utilizações-tipo de de em funcionamento nominal dos de cobertura máx. por
Disposição
descarga operação simultâneo aspersores descarga por aspersor aspersor/sprinkler dos
(UT) (qunit.) (Ao) (NSsim.) (DN) (As) =Ao/NSsim. (Qmín.S) =Asxqunit. aspersores (Smáx) (Dmáx) (SxD)
l/min.m2 m2 nº min. m2 l/min m m m2
II 5 144 12 15 60 12 60 Normal 4,0 4,6 12
III, VI, VII e VIII 5 216 18 15 60 12 60 Normal 4,0 4,6 12
XII 1) 10 260 29 20 90 9 90 Normal 3,7 3,7 9
1) Incluindo sistemas tipo dilúvio previstos para a utilização-tipo VI, com um tempo de descarga de 30 min. Smáx - Espaçamento máx. entre aspersores Dmáx - Afastamento máx. dos sub-ramais

Quadro 3 - NFPA:
Área de operação, área de cobertura máxima por aspersor/sprinkler e valores de S e D em função da classe de risco Características adicionais calculadas

Área Área de Valores máximos de S e D Nº de aspersores Densidade de Caudal mínimo


Classe de Risco Tipo de Edifício de cobertura máx. em funcionamento descarga por
Disposição
operação por aspersor simultâneo Gráficos 1 e 2 aspersor/sprinkler
dos
(Ao) (As) aspersores (Smáx) (Dmáx) (SxD) (NSsim.) =Ao/As (qunit.) (Qmín.S) =Asxqunit.
m² m² m m m² nº l/min.m² l/min

Ligeiros Apartamentos, igrejas, clubes, escolas, hospitais, escritórios,


museus, etc.
139 20 Normal 4,0 4,6 20 7 4,10 82,0

Ordinários - Grupo 1 Garagens, padarias, casas de caldeiras, fábricas de componentes 139 12 6,52 78,2
eléctricos, parques de estacionamento, lavandarias, teatros, áreas Normal
de serviços em restaurantes, etc. (opcional)
4,0 4,6 12

Ordinários - Grupo 2 Fábricas de: produtos químicos de baixo risco, máquinas, têxteis, 279 12 23 6,42 77,0
cigarros, tintas.
Intercalado
Ordinários - Grupo 3 Fábricas de papel, refinarias, fábricas de pneus, armazéns de (opcional)
4,6 4,0 12
produtos inflamáveis, etc. 372 31 6,64 79,7

Graves - Grupo 1 Áreas com combustíveis, fábricas de tintas e diluentes, 372 41 10,1 90,9
vulcanizações, etc.
9 Normal 3,7 3,7 9
Graves - Grupo 2 Fábricas de embalagens de gás, de sprays, de poliuretanos, etc. 465 52 12,3 110,7

Smáx - Espaçamento máximo entre aspersores / sprinklers Dmáx - Afastamento máximo dos sub-ramais

Comparação dos resultados referentes aos critérios RGSCIE e NFPA 287


Quadro A - Especificações de cálculo para o exemplo em análise
No exemplo em causa e conforme resumido no Quadro A, verifica-se logo
Característica Critério RGSCIE Critério NFPA
à partida uma significativa diferença entre as áreas de operação (A0) referentes
a cada critério. De facto, o critério nacional RGSCIE, para a utilização tipo em Classificação do risco UT XII - 3.ª/4.ª cat. Graves - Grupo 1
causa (XII), estabelece uma área de operação A0=260 m², bastante inferior Área de operação (A0) 260 m² 372 m²
Área de cobertura por sprinkler (As) 9 m² 2) 9 m²
ao correspondente valor fixado pelo critério americano NFPA, para a classe
Nº sprinklers em func. simultâneo (NSsim.) 29 41 2)
e grupo de risco em causa (Graves-Grupo 1) e igual a A0=372 m².
Caudal unitário por sprinkler (qunit.) 10,0 l/min.m² 10,1 l/min.m² 2)
A grande diferença anterior, conjugada com uma área de cobertura por sprinkler
Factor de escoamento métrico (K) 115 (DN 20) 115 (DN 20)
(As) idêntica nos dois critérios e igual a As=9 m², irá implicar nova assinalável Caudal mín. do sprinkler crítico (Qmín.S) 90,0 l/min 2) 90,9 l/min 2)
diferença no número de sprinklers em funcionamento simultâneo (NSsim.). Pressão mín. do sprinkler crítico (Pmín.S) 61,2 kPa 2) 62,5 kPa 2)
De facto, o critério RGSCIE determina um número de sprinklers bastante inferior Diâmetro int. médio da tubagem (Di médio) 62,1 mm 66,8 mm
ao critério NFPA (29 sprinklers em funcionamento simultâneo no caso do 2)
Valor obtido por cálculo.
RGSCIE, contra 41 no caso NFPA).
Em consequência, a distribuição dos sprinklers em funcionamento simultâneo
Quadro B - Requisitos de pressão e caudal para o exemplo em análise
é a seguinte:
a) Critério RGSCIE: 6 sprinklers em funcionamento simultâneo por sub- Característica Critério RGSCIE Critério NFPA
ramal, abrangendo 5 sub-ramais, arredondando-se por excesso para um Necessidade de pressão-Abast. (Pi máx.) 245,9 kPa 244,3 kPa
total de 30 sprinklers em funcionamento simultâneo. Necessidade de caudal -Abast. (Q máx.) 3.386,0 l/min 4.682,0 l/min
b) Critério NFPA: 7 sprinklers em funcionamento simultâneo por sub-ramal,
abrangendo 6 sub-ramais, arredondando-se por excesso para um total de
Quadro C - Consumo de tubos de aço da série média conformes NP EN 10255
42 sprinklers em funcionamento simultâneo.
Estas configurações, a partir de valores similares da pressão e caudal de funcio- Dimensão Designação Critério RGSCIE Critério NFPA DN
namento do sprinkler crítico para os dois critérios (ver Quadro A), conduzem 1 Tubo de aço com costura (W) 84,00 m 84,00 m 25
a uma necessidade de caudal para o critério NFPA muito superior ao critério 1 1/4 Tubo de aço com costura (W) 84,00 m 84,00 m 32
RGSCIE (ver Quadro B), bem como, um maior diâmetro médio da tubagem 1 1/2 Tubo de aço com costura (W) 84,00 m 84,00 m 40
a utilizar (ver Quadro A), para se cumprirem os requisitos aplicáveis à perda 2 Tubo de aço com costura (W) 168,00 m 168,00 m 50
de carga dinâmica (DPacum.adm.=70 kPa) e velocidade de escoamento 2 1/2 Tubo de aço com costura (W) 42,00 m 42,00 m 65
(Vadm.=4,5 m/s), nos ramais principais. Em concreto, no critério RGSCIE a 5 Tubo de aço com costura (W) 9,00 m 9,00 m 125
dimensão da tubagem ficou limitada a DN 150, enquanto que no critério NFPA 6 Tubo de aço com costura (W) 80,10 m 30,00 m 150
houve necessidade de se recorrer à dimensão DN 200 (ver Quadro C). 8 Tubo de aço com costura (W) ---------- 50,10 m 200

Conclusão
No exemplo analisado, o critério nacional RGSCIE estabelece um nível de Esta menor exigência acarreta vantagens económicas para o critério RGSCIE,
segurança inferior ao critério americano NFPA, através da imposição de quer ao nível do custo da tubagem, devido ao menor diâmetro médio da
uma menor área de operação (A0) e de um consequente menor número de tubagem (Di médio), quer ao nível do custo do grupo de bombagem, pela menor
sprinklers em funcionamento simultâneo (NSsim.). necessidade de caudal (Q máx.) para um nível similar de pressão (Pi máx.).
INFORMAÇÃO GÁS “IN LOCO”

6. Durante o 2.º Quadrimestre de 2010, realizamos uma Jornada Técnica


· Funcionamento e designação;
· Materiais de vedação para aplicação gás;
sobre o Sistema de Canalização em Aço para Instalações de Gás para Edifícios,
· Exemplos.
na seguinte instituição:
· Ligações Mecânicas.
· Ligações Soldadas.
16 Julho
• Tubo de aço para utilização em instalações de gás para edifícios: Requisitos
CATIM – Centro de Apoio Tecnológico à Indústria Metalomecânica do Porto
Regulamentares, Normalização e Especificações.
Curso de Técnico de Gás
• Acessórios roscados em fundição maleável para utilização em instalações
Com o seguinte programa: de gás para edifícios: Requisitos Regulamentares, Normalização e Especifi-
• Enquadramento regulamentar (Portaria n.º 361/98 actualizada pela Portaria cações.
n.º 690/2001). • Exemplos de aplicação.
• Normalização Europeia e Hierarquia de utilização de normas. • Conclusões.
• Classes de ligação em tubagens de aço e seu enquadramento regulamentar • Debate.
e normativo.
• Tipos de ligações de tubagens de aço: Ao Responsável e Formador desta prezada Instituição, reiteramos os nossos
· Ligações Roscadas: especiais agradecimentos pelo interesse e empenhamento que têm colocado
· Sistemas de roscas com estanquidade no filete e suas características; na implementação destas acções e pela habitual cordialidade e simpatia com
· Requisitos Regulamentares e Normalização; que fomos recebidos. Aos Formandos, votos de sucesso profissional.
· A ligação roscada europeia EN 10226;

A sua segurança é a nossa norma

As normas contendo as adequadas especificações dos produtos existem, utilize-as como ferramenta de trabalho!...

288

Uma iniciativa das empresas: Ficha Técnica:

FERPINTA
Indústrias de Tubos de Aço
de Fernando Pinho Teixeira, S.A.

Tel. 256 411 400 · Fax 256 412 277 Propriedade: APTA
Apart. 26 · Carregosa · Oliveira de Azeméis associação de produtores de tubos e acessórios
Associação de Produtores de Tubos e Acessórios
3730-956 VALE DE CAMBRA
info@ferpinta.pt · www.ferpinta.pt
Coordenação: Paulo Gomes (Engº) Tel. 229 444 532
PORFITE
Grafismo: www.apdesign.pt Fax 229 444 531
Acessórios para Canalizações, Lda. Impressão: Multiponto Apartado 6066
Tel. 229 410 583 · Fax 229 410 644 4476-908 OUTEIRO MAIA
Rua do Outeiro, 280 · Sector 3 · MOREIRA
4470-637 MOREIRA MAIA
Dep. Legal: 250159/06 www.apta.pt
vendas@porfite.pt · www.porfite.pt 6.700 Exemplares · SET/2010 info@apta.pt

Opção pelo envio único da APTitude


em formato electrónico tipo “.pdf” atitudes APTA em revista

Caro Leitor, para optar por esta modalidade de recepção, prescindindo do envio em formato papel via CTT,
basta que nos envie um e-mail para o endereço info@apta.pt, mencionando em Assunto/Título, o nome completo Sim, desejo receber gratuitamente
e o seu nº de leitor (referência localizada em baixo e à direita na etiqueta de identificação do leitor, que acompanha esta publicação periódica
o envio do formato papel via CTT) ou, em alternativa, mencionar no e-mail a sua identificação completa (nome
e morada). Sim, desejo receber gratuitamente
a “Folha de Cálculo Gás - APTA” (Formato Excel)
Nome:

Função Sim, desejo receber gratuitamente a


“Folha de Cálculo Redes de Incêndio - APTA” (Formato Excel)
Empresa: Actividade:
Morada: Cód. Postal: Sim, desejo receber gratuitamente a
“Folha de Cálculo Redes de Sprinklers - APTA” (Formato Excel)
Tel.: Fax: E-mail:

Enviar por FAX ou CARTA para: APTA, Associação de Produtores de Tubos e Acessórios · Apartado 6066 · 4476-908 OUTEIRO MAIA · Fax: 229 444 531

Interesses relacionados