Você está na página 1de 8

Início da Colônia

Formação de Portugal  Maranhão


Com a Dinastia de Borgonha, que tinha uma monarquia Houve a criação da Cia Geral de Comercio do Maranhão e
feudal (aliança do rei com a nobreza), houve a expansão territorial Grão-Pará (1756) com a introdução do cultivo do algodão (faliu).
com atuações da burguesia no litoral.
 Portugal x Espanha
1383 a 1385 – Revolução de Avis: foi à guerra de Portugal contra o Com as disputas pela expansão territorial, Portugal e Espanha
reino de Castela. Com a burguesia junta do apoio popular fazem uma começaram se confrontar. Com várias invasões de domínio território
revolução. da Espanha na Colônia de Sacramento (1680) que era de Portugal.

Sua expansão marítima teve por objetivo a busca de novos 1681 – Tratado de Lisboa: a colônia de Sacramento volta para
mercados produtores e a ampliação de seu comércio. Levando a Portugal.
procura de novas terras – Cabral conquista o Brasil (1500) – após a
conquista de Granada dos mouros, a Espanha lança-se ao mar. 1715 – Tratado de Ultrech: a colônia de Sacramento volta para
Com Colombo tento conquistado a América, causa um Portugal.
choque entre Portugal e Espanha – ambas disputando o mesmo
território de expansão. 1750 – Tratado de Madri: posse efetiva do território do Brasil, a
Espanha fica com Sacramento e Portugal com os Sete Povos das
1494 – Tratado de Tordesilhas: acordo entre Portugal e Espanha, que Missões
dividia o território Sul Americano em dois.

Sistema Colonial Mineração


Com o objetivo de tomar posse, explorar o território Em 1693, abundantes jazidas de ouro foram descobertas na
brasileiro, Portugal deu início, no séc. XVI, à montagem da estrutura região hoje ocupada por Minas Gerais.
administrativa colonial.
Sem recursos financeiros nem humanos para empreender uma 1) Ouro de Aluvião
ocupação em grande escala na colônia, o rei português D. João III Descobertas em Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais. Era um
decidiu, em 1534, dividir o território brasileiro em 15 faixas de terras ouro superficial, de pouco valor. Qualquer pessoa podia explorar –
– as capitanias hereditárias. O sistema de capitanias, no entanto, não distribuição de renda.
apresentou os resultados esperados, por causa do isolamento, dos A Coroa portuguesa, com objetivo de impor uma
ataques dos índios e da falta de investimentos. Das 15, somente duas administração, publicou, em 1702, o Regime Aurífero, que
prosperaram – Pernambuco e São Vicente, a qual foi fundada através regulamentava a extração de minérios na colônia. O documento
de Martin Afonso de Souza (5ª Expedição). Diante das frustrações foi estabeleceu a criação das Intendências das Minas – tributar, policiar e
implantado o Governo Geral (1548 – 1808) que tinha por objetivo a administrar – eram dividido em faiscações (pequenas) e lavras
centralização do poder – regional: coronéis. (grandes) lotes.
A economia do Brasil colônia foi sempre voltada para o Quem se dedicava à extração devia pagar 20% do ouro
beneficio de Portugal. Inserida no contexto do mercantilismo encontrado à Coroa – o quinto. Em 1725, devido às sonegações,
europeu, foi caracterizada pelo pacto colonial, segundo o qual os foram criadas as Casas de Fundição, nas quais o oro era transformada
brasileiros só podiam comercializar produtos com os portugueses. As em barra e tinha o quinto extraído.
principais atividades econômicas foram: a extração do pau-brasil, a
produção de açúcar, a mineração e a pecuária. 2) Diamante
Definiu-se o produto: o açúcar, já que Portugal já possuía Descobertas no Distrito Diamantino. Devido ao grande fluxo
experiências na produção de cana nos Açores e na ilha da Madeira. houve a depreciação das pedras no mercado europeu, com isso
Faltava aos portugueses o capital inicial e uma eficiente infra- ocorreu uma melhor distribuição de renda.
estrutura de distribuição. Essa questão foi resolvida com uma Os minérios extraídos do Brasil eram levados para Portugal
parceria com os holandeses. O sistema instalado foi o de plantation – em forma de impostos, e com isso Portugal pagava suas dívidas com
latifúndio, monocultura, escravista e exportação. A maior parte era a Inglaterra.
revertida para o exterior e o resto era concentrado nas mãos dos No final do séc. XVIII, a extração de minérios entrou em
senhores de engenho. decadência em Minas Gerais.

(1654) Insurreição Pernambucana: expulsão dos holandeses do  Reformas Pombalinas


território brasileiro. Marquês de Pombal – ministro de Portugal, séc. XVIII.
Com ideias iluminista houve o despotismo esclarecido, que
1703 – Tratado de Methuem/Panos e Vinhos: aliança entre Portugal e tinha por virtude a expulsão dos jesuítas: para maior centralização do
Inglaterra. poder político (1759).
Criação das Cia’s do Comércio no Brasil, e em 1763, a vinda
Expansão Territorial da Coroa Portuguesa para o Brasil – transferência da capital para o
Foram à captação de mão de obra indígena, a procura por Rio de Janeiro. Em 1777, foi realizada a contra reforma de Pombal,
metais preciosos e o combate aos negros que resistiam à escravidão. feitas pela D. Maria I.

 Bandeirismo
Houve duas expedições: as Bandeiras de Caça ao Índio (1630 Independência do Brasil
a 1650) e as Bandeiras de Busca ao Ouro (1650 a 1720). Com a queda do Antigo Regime (Absolutismo) e com a crise
do Sistema Colonial. A separação política entre a colônia brasileira e
 Pecuária Portugal foi declarada oficialmente em 7 de setembro de 1822. Ela
Tenso sua expansão tanto no nordeste como no sul. Sua resultou de um processo iniciado décadas antes, com as revoltas
economia girava em torno do charque e do couro que eram emancipacionistas do fim do séc. XVIII e início do XIX.
exportados para Europa. Durante o período colonial, ocorreram varias revoltas da
população brasileira contra os portugueses. As primeiras, chamadas
 Vale do Rio Amazonas (Região Norte) de nativistas, exprimiam rebeldia em relação ao domínio estrangeiro,
Tinha sua atividade extrativista vegetal com mão-de-obra mas ainda não propunham a independência. Sá a partir do séc. XVIII
indígena, mas devido à escassez da mão-de-obra houve o declínio da aconteceram movimentos desse tipo – as revoltas emancipacionistas.
expansão.
 Revoltas Império Brasileiro
Revoltas Nativistas: defende os interesses pessoais contra a Durou de 1822 até 1889, separados em três partes:
imposição da metrópole.
1) Primeiro Reinado (1822 – 1831)
(1684) Revolta dos Beckman – MA: fazendeiros se rebelaram contra Foi o período inicial do império brasileiro. Caracterizou-se
má administração da Cia do Comércio do Maranhão e contra a pela instabilidade política – marcada pelo embate entre o liberalismo
proibição da escravização indígena. (Fazendeiros derrotados). da elite econômica e autoritarismo do imperador – e econômica
(açúcar, couro, ouro, tráfico negreiro e algodão), por causa da
(1708 a 1709) Guerra dos Emboabas – MG: conflito entre os concorrência internacional e pela má administração. Com a
paulistas e portugueses (emboabas) por interesses em explorar independência do Brasil, os EUA foram os primeiros a reconhecer
riqueza. (Paulistas derrotados). devido aos seus interesses imperialistas (Doutrina Moore). Em 1825,
Portugal reconhece a independência mediante a uma indenização
(1710 a 1711) Guerra dos Mascates – PE: foi a revolta dos (Brasil empresta dinheiro da Inglaterra para pagar a indenização).
proprietários rurais de Olinda contra a emancipação do Recife Em maio de 1823, a Assembléia Constituinte, convocada por
decretada pelos comerciantes portugueses. D. Pedro I no ano anterior, deu início à elaboração da primeira
Em 1710, separação de Recife e Olinda – Recife autônoma. constituição brasileira. A Constituição da Mandioca – que instituía o
voto censitário, a supremacia do Parlamento sobre imperador
(1720) Revolta da Villa Rica/Felipe dos Santos – MG: foi uma (limitava o poder do imperador) e a plena liberdade econômica à
reação da população da cidade às taxas excessivas cobradas pelas iniciativa privada. No mesmo ano ocorreu a dissolução da
Casas de Fundição (Coroa). Assembléia Constituinte – 1º Golpe de Estado, que ficou conhecido
como a “Noite da Agonia”.
Revoltas Emancipacionistas: populares contra a colonização Embora determinasse que o sistema vigente no Brasil fosse
portuguesa houve os movimentos de pré-independência. liberal, a Constituição de 1824 determinava a autoritariedade de D.
Pedro I um típico soberano absolutista (criou um quarto poder –
(1798) Conjuração Baiana/Revolta dos Alfaiates – BA: foi à Moderador que permitia ampla intervenção nos demais poderes),
organização de negros e mulatos que propunham a independência da além da união entre o Estado e a Igreja Católica.
colônia, o fim da escravidão e a instalação de uma sociedade baseada Com o declínio da popularidade do imperador devido à crise
nos ideais da Revolução Francesa. política e econômica, causando varias insatisfações populares.

(1789) Inconfidência Mineira – MG: com a insatisfação dos mineiros (1824) Confederação do Equador: os revoltosos proclamaram uma
com os impostos da Coroa, houve a decretação da derrama, a república no Recife. Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte aderiram
cobrança forçada dos tributos. Formação das revoltas separatistas. ao movimento em seguida, mas acabaram sendo reprimidas pelas
tropas imperiais.
(1817) Revolução Pernambucana – PE: por causa do domínio do
comércio pelos portugueses, as elites pernambucanas juntamente com (1825) Guerra da Cisplatina: os uruguaios se rebelaram contra a
os populares rebelaram-se, mas acabam derrotados. dominação brasileira, imposta quatro anos antes, quando D. João VI
anexou a região sobe o nome de Província Cisplatina. Derrota do
(1641) Aclamação de Amador Bueno – SP: com a notícia da Brasil, e a independência uruguaia.
restauração portuguesa, os paulistas resolveram se desligar de
Portugal e proclamaram o fazendeiro Amador Bueno rei de São Após a morte de D. João VI, em 1826, D. Pedro I tinha
Paulo. direita à herança da Coroa portuguesa. Ele, entretanto, renunciou e
nomeou regente seu irmão D. Miguel para o comando de Portugal. E
 Período Joanino (1808 a 1821) em 7 de abril D. Pedro I abdicou do trono brasileiro em nome do
Após a D. João VI ter infringido o Bloqueio Continental filho, Pedro, então com 5 anos. Voltou para Europa e foi coroado rei
impostos por Napoleão. Fugiu de Portugal com a corte real, sobre a de Portugal, como D. Pedro IV. Até o herdeiro do trono brasileiro
ameaça de invasão francesa, por terem quebrado o acordo. adquirir a maioridade, o país seria administrado por um governo
Com a vinda para o Brasil toma-se assim a abertura dos provisório – as regências.
portos às nações amigas (Inglaterra) – arrecadação de tarifas
alfandegárias – dando assim fim ao pacto colonial e a criação do 2) Regência Provisória (1831 – 1840)
Banco do Brasil. Líderes políticos que agiam em nome do herdeiro da Coroa,
D. Pedro II. Durante o governo provisório houve uma grande
1810 – Tratados de Navegação e Comércio, Tratado da Aliança e agitação social e política.
Amizade: foi à taxação alfandegária sobre os produtos de outros Três partidos disputavam o poder político: o Exaltado (ou
países nas quais as nações amigas (24%), Portugal (16%) e a farroupilha), integrado pela esquerda liberal, que defendia a
Inglaterra (15%). implantação de uma política federal descentralizada; o Moderado (ou
chimango), composto da direita liberal, que lutava pelos interesses
D. João VI em represália a Napoleão invade a Guiana dos grandes fazendeiros; e o Restaurador (ou caramuru), constituído
Francesa (1809) anexando assim a Província da Cisplatina (1821). pela direita conservadora, cujo maior objetivo era trazer D. Pedro I
Com a morte de D. Maria I, D. João VI é coroada rei de de volta ao trono.
Portugal, em 1817, dando assim o retorno da Corte portuguesa para
Portugal (1821) e deixando seu filho D. Pedro no Brasil. Regência Trina Provisória (2 meses): foi à manutenção da
Constituição de 1824 e deveriam eleger três lideres para governar o
1820 – Revolução Constitucionalista do Porto: liderado pela país até a maioridade de D. Pedro II.
burguesa com caráter liberal, pôs um fim ao absolutismo (limitando o
poder do rei), com isso a burguesia começa assumir as Cortes Regência Trina Permanente (1831 – 1835): criação da Guarda
Parlamentares de Lisboa – queriam a recolonização do Brasil. Nacional (fazendeiros ganham a patente de coronel) e a criação dos
juízes de paz (subordinação ao poder judiciário aos interesses
Em 1822, a Corte portuguesa pede para que D. Pedro volte executivo.
para Portugal, mas desobedece a ordem e acaba permanecendo no Ato Adicional de 1834 que se deve a criação do Código de
Brasil, no que ficou conhecido como o “Dia do Fico”. Convocando a Processo Criminal, havendo a descentralização do poder concedendo
primeira Assembléia Constituinte brasileira. Em 7 de setembro de a maior autonomia às províncias e a transformação da Regência Trina
1822, D. Pedro proclamou a independência do Brasil. em Regência Una.
Fim da Colônia
Início do Império
Regência Uma (1835 – 1840): dividida em duas facções. A mais Já as relações exteriores brasileiras foram caracterizadas por
conservadora se uniu aos antigos restaurados e formou o partido um desentendimento diplomático com a Inglaterra e por conflitos
Regressista, defensor de um governo forte e centralizado. A mais militares com nossos vizinhos sul-americanos.
liberal agregou remanescentes dos exaltados e compôs o partido
Progressista, liderado por Diogo Feijó, favorável à monarquia Questão Christie: foi o desaparecimento da carga do navio inglês
constitucional. naufragado mais o aprisionamento de três oficias da marinha inglesa.
Com isso Christie culpa o Brasil e exige a punição dos policias
Regência de Feijó (1835 – 1837): fracasso ao solucionar a crise brasileiros e o pagamento de uma indenização, mas o laudo acaba
financeira que atingiu o país nem conter rebeliões. favorecendo o Brasil e Christie pede desculpas oficias.

Regência de Araújo Lima (1837 – 1840): pela Lei de Interpretação (1851 a 1864) Guerras Platinas: foram várias disputas entre Brasil,
do Ato Adicional, o sistema jurídico voltou ao controle do governo Argentina e Uruguai pelo rio da prata.
(centralização do poder), e as assembléias provinciais tiveram a a) Brasil x Oribe (Uruguai, 1851) – Blancos (fazendeiros
atuação limitada. apoiados pela Argentina) contra Colorados (comerciantes
apoiados pelo Brasil). Vitória dos colorados.
Para tentarem retomar o poder, os progressistas deram início b) Brasil x Rosas (Argentina, 1852) – o Brasil estava
a uma campanha pela antecipação da posse de D. Pedro II, e, em ajudando a derrubar Rosas (Blancos).
julho de 1840, D. Pedro II foi declarado maior de idade aos 14 anos c) Brasil x Aguirre (Uruguai, 1864) – Blanchos (Solano
ficando conhecido como Golpe da Maioridade. Lopez, apoiados pelo Paraguai) contra Colorado (Venâncio
Flores, apoiados pelo Brasil e Argentina). Vitória dos
 Revoltas Regenciais Colorados.
(1835 a 1840) Cabanagem – PA: cansados da miséria, da opressão
das elites e do descaso do governo. A população (cabanos) entra em (1864 a 1870) Guerra do Paraguai: os paraguaios, argentinos e
conflito com o governo (com ajuda de mercenários estrangeiros), mas brasileiros tinham pretensões expansionistas conflitantes entre si. O
acabam sendo derrotados. estopim para guerra foi o ataque brasileiro contra Aguirre. Em 1865,
Brasil, Argentina e Uruguai firmam o Tratado de Tríplice Aliança,
(1837 a 1838) Sabinada – BA: a classe média de Salvador apoiados sendo apoiados pela Inglaterra (medo do Paraguai). Vitória da
por uma parcela do exército – descontente com a falta de autonomia Tríplice Aliança. Paraguai sai arrasado tendo sua economia destruída
da província – tomam a cidade e proclamam a República, mas e o Brasil apesar de vitorioso saiu da guerra com uma grande dívida.
acabam sendo derrotados pelas tropas oficiais, apoiadas pelos
latifundiários. A economia girava em torno café (surto do café) que era
responsável pelas transformações sociais e econômicas no país. A
(1838 a 1841) Balaiada – MA: foi uma rebelião popular, devido à partir do começo do séc. XIX o café começou a ser exportado para os
miséria (crise do algodão e aumento de impostos). Mas acabam EUA e para a Europa. Com a grande quantidade de café sendo
sendo derrotados pelas tropas do governo central. exportada do Brasil finalmente conseguia escapar da grave crise
econômica que assolou o primeiro reinado e as regências –
(1835 a 1845) Farroupilha ou Revolta dos Farrapos – RS: devido ao aparecimento do uso de mão-de-obra assalariado, devido à proibição
descontentamento dos estancieiros (latifundiários) por causa dos da escravidão imposta pela Inglaterra. Aos poucos, os lucros obtidos
impostos sobre o charque, o líder popular Bento Gonçalves e o com o café passaram a ser investidos na industrialização do país.
mercenário Garibaldi proclama a república Rio-Grandense
(República Juliana – SC), mas acabam sendo derrotados pelo Sistema de Parceria: os fazendeiros financiavam a vinda e a
governo. instalação dos estrangeiros em troca de parte da produção. Porém, os
imigrantes ficavam altamente dependentes dos latifundiários.
3) Segundo Reinado (1840 – 1889)
Logo no início do Segundo Reinado, o Partido Progressista Contratos Assalariados: governo pagava a videm desde a Europa, o
passou a se chamar Partido Liberal, e o Regressista foi rebatizado de fazendeiro custeava o primeiro ano de estada no Brasil e o imigrante
Partido Conservador. O primeiro ministério nomeado por D. Pedro II recebia um salário fixo anual e mais um rendimento variável,
era composto por liberais (devido ao apoio no golpe da maioridade), conforme a colheita.
mas a Câmara dos Deputados tinha maioria conservadora.
Sendo pressionado pelo ministério D. Pedro II acabou Lei/Tarifa de Alves Branco (1844): a fim de aumentar a arrecadação
dissolvendo a Casa e convocou novo pleito. As eleições do cacete, do governo, elevou as taxas incidentes sobre as importações
como ficaram conhecidas, foram marcadas pelas violências e pelas (protecionismo) – descontentamento da Inglaterra.
fraudes, que garantiram a vitória liberal.
Em 1841, como o governo não conseguia controlar a Revolta Com o surto industrial no Brasil, Irineu Evangelista de Sousa,
dos Farrapos, o imperador nomeou outro gabinete em favor dos o visconde de Mauá, passou a investir em indústrias de bens-de-
conservadores. A partir disso São Paulo e Minas Gerais irromperam, consumo, mas sem o apoio do governo ele acabou falindo. As lutas
dando as rebeliões liberais, mas acabaram “sufocados” por Duque de pela modernização do país acabariam impulsionando a queda do
Caxias. regime e a proclamação da República.
Para evitar que a disputa entre liberais e conservadores
resultasse em novos conflitos armados foi adotado um novo modo de Proclamação da República
governo: o Parlamentarismo, mas fora adaptado aos interesses da A proclamação da República foi o movimento político-
elite agrária. militar que, em 1889, extinguiu o Império e instaurou no país um
regime presidencialista e federativo. A queda da monarquia resultou
Parlamentarismo às Avessas: o imperador passava a ter poder na ruptura das relações do governo com a Igreja, o Exército e com a
moderador, podendo intervir sobre os demais poderes. Aristocracia Escravista.

Com os desgastes dos liberais sobre o governo, D. Pedro II  Questão Religiosa


nomeia os conservadores no poder. Em 1848, após o veto dos Pelos princípios constitucionais do beneplácito e do
conservadores sobre a indicação do e um liberal no Senado em padroado, o imperador tinha, respectivamente, os poderes de vetar as
Pernambuco, houve uma rebelião por parte do Partido Liberal, que decisões papais e de nomear os membros dos cargos eclesiásticos. O
ficou conhecida como Revolta Praieira. conflito teve início em 1824, após o Vaticano proibir as relações
entre Igreja e a maçonaria (instituição influente na política). O clero
acaba aderindo à república.
 Questão Militar (1893 a 1895) Revolta Federalista: foi a disputada no RS pelo poder
Após a Guerra do Paraguai, o Exército brasileiro ganhou entre os federalistas (maragatos) e o Partido Republicano Rio-
grande relevância virando uma instituição (positivismo – defendia a Grandense (pica-paus).
república como um sistema político superior) e
Em 1887 foi criado o Clube Militar, que passou a pressionar 2) República do Café com Leite
o governo, seu primeiro presidente foi o Marechal Deodoro da Entre 1894 e 1930, o Brasil esteve sob o comando de setores
Fonseca, que dois anos depois lideraria a proclamação da república. das oligarquias paulista e mineira, que controlaram eleições, fizeram
presidentes e dominaram o país. A denominação República do café
 Campanha Abolicionista com leite é feita em alusão à aliança que alternava no poder
A partir de 1870, teve início na crescente classe média uma representantes dos estados de Minas Gerais, grande produtor de leite,
campanha a favor da abolição da escravidão e da instalação da e São Paulo, líder cafeeiro.
república (não aceitavam mais o domínio das aristocracias agrárias).
a. Presidente Prudente de Moraes (1894 – 1898)
Lei do Ventre Livre (1871): liberdade aos filhos dos escravos. As eleições de 1894 fizeram do paulista Prudente de Moraes
Lei do Sexagésimo (1885): liberdade aos negros acima de 65 anos. o primeiro presidente civil do Brasil. Com a situação econômica no
Lei Áurea (1888): abolição da escravatura no Brasil. país em grande crise, Prudente de Moraes procurou apaziguar o país,
conter a oposição militar e restaurar as finanças.
Em 1870 foi fundado no Rio de Janeiro o novo Partido
Republicano - PR. Em 1873 surgiu o Partido Republicano Paulista – (1896 a 1897) Revolta de Canudos: ocorreu no sertão da Bahia, sob a
PRP, e em 1874 surgia o Partido Republicano Mineiro – PRM. Nesse liderança de Antônio Conselheiro apoiado pelos movimentos
ano, reunidos na Convenção de Itu, os cafeicultores de São Paulo – o populares, religiosos e anti-republicanos, lutava contra a miséria e o
setor mais dinâmico da economia brasileira à época – aderiram à isolamento da República em relação à Bahia. Foram derrotados pelas
causa republicana. milícias federais.

Fim do Império b. Presidente Campos Salles (1898 – 1902)


Início da República Com uma crise no Brasil causada pelo encilhamento (queda
República Velha (1889 – 1930) do preço do café e da borracha). Campos Salles adquiriu uma política
1) República da Espada monetarista (renegociação da dívida externa) e montou o esquema
O exército adotava medidas autoritárias e reformas que conhecido como política dos governadores: o presidente dava suporte
favoreciam a nascente burguesia, com vista à maior modernização e à aos candidatos oficiais nas eleições estaduais, e os governadores, por
urbanização do país. sua vez, apoiavam o indicado do governo nas eleições presidenciais.

 Governo Provisório Coronelismo: por meio da qual os coronéis usavam seu poder sobre o
Após a derrubada da monarquia, em 1889, foi instituído no eleitorado regional – curral eleitoral.
país um governo, composto por membros do exército, das oligarquias
e das classes médias. Presidido pelo marechal Deodoro da Fonseca, c. Presidente Rodrigues Alves (1902 – 1906)
tinha como principais funções consolidar a república federativa, Com uma política econômica de valorização do café, batizada
aprovar uma constituição e executar reformas administrativas – de socialização das perdas: sempre que o preço do produto caía no
separação da Igreja e Estado. mercado internacional, o governo reduzia a taxa cambial,
No plano econômico, o Governo Provisório pôs em prática desvalorizando a moeda e aumentando, assim, o lucro dos
uma política desastrada encabeçada pelo então ministro da fazenda cafeicultores – provocava mais inflação e aumentava o custo de vida
Rui Barbosa. A expansão de crédito para as empresas, o governo da população.
decidiu favorecer os empréstimos e emitir papel-moeda, causando
Convênio de Taubaté, 1906: acordo entre os governadores de São
uma enorme crise inflacionária e de especulação financeira, ficando
Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro para comprar todos excedente
conhecida como o Encilhamento.
estocado de café.
Constituição de 1891: em 1890 havia sido eleita uma Assembléia
(1904) Revolta da Vacina: a falta de saneamento básico no Rio de
Constituinte para elaborar o projeto da nova Constituição
Janeiro à época deixava os habitantes vulneráveis a epidemias de
republicana. Após muitas discussões, em fevereiro de 1891 a segunda
febre amarela, varíola e outras doenças. Uma reforma sanitária foi
Constituição brasileira – a primeira da República – foi promulgada.
conduzida, mas a tensão foi imediata quando o governo impôs a
Tornando o Brasil em uma República Federativa Presidencialista,
vacinação aos moradores. Na raiz da revolta estava a reurbanização
com voto direto, aberto e masculino; e sufrágio universal.
do centro da cidade, que removeu parte da população à força dos
cortiços e morros centrais para bairros distantes. O descontentamento
a. Presidente Mal. Deodoro da Fonseca (1891)
generalizado fez da cidade um campo de batalha.
Deodoro da Fonseca foi eleito indiretamente presidente do
Brasil – de acordo com a nova lei. No curto período, Deodoro
enfrentou dura oposição, que tentou silenciar por meio de um golpe d. Presidente Afonso Pena (1906 – 1909)
Pôs em pratica o Convênio de Taubaté e promoveu ainda a
de Estado: em novembro de 1891, ele fechou o Congresso e
construção de estradas de ferro e ampliou a colonização do interior
determinou estado de sítio, e Deodoro renunciou o cargo.
brasileiro.
Na sucessão de Afonso Pena, ocorreu um cisma na aliança
b. Presidente Floriano Peixoto (1891 – 1894)
entre mineiros e paulistas, que não aceitaram o mesmo representante.
Ao assumir, reintegrou o Congresso e suspendeu o estado de
O desacordo fez com que os mineiros se aliassem aos gaúchos na
sítio. Com uma política centralizadora e voltada para um Executivo
escolha do marechal Hermes da Fonseca e os paulistas uniram-se aos
forte, o presidente governou com mão de ferro e usou o apoio
baianos na escolha de Rui Barbosa – campanha
popular para radicalizar a luta contra os setores monarquistas. No
âmbito econômico e social, implementou reformar que favoreceram a
e. Presidente Hermes da Fonseca (1910 – 1914)
nova burguesia e as classes médias e pobres, lançando uma política Primeiro presidente (gaúcho) eleito fora da política café com
protecionista. leite. Procurou recuperar para os militares a influência já exercida nas
esfera política.
(1893 a 1894) Revolta da Armada: revolta da marinha (monarquista)
pela imediata convocação dos eleitos para escolha dos governantes – Política da Salvação: derrubou as velhas oligarquias do nordeste por
exército e as milícias populares vencem. meio de intervenções militares e colocou no poder grupos mais
afinados com o presidente.
(1910) Revolta da Chibata/Marinheiros: os rebelados queriam o fim  Governo Provisório (1930 – 1934)
dos castigos corporais e exigiam, ainda, a redução da jornada de Getúlio Vargas, líder civil do movimento, que assumiu o
trabalho e a concessão de anistia. governo em caráter provisório. Uma das primeiras medidas foi
nomear interventores (tenentes que defendiam um Estado forte e
(1911) Revolta do Juazeiro: foi o confronto de poderes após a
centralizado) para o lugar dos governadores nos estados (somente
política da salvação, entre a família Acioli, que dominava o estado do
Minas Gerais foi poupado).
Ceará através do coronelismo, e o novo governador indicado pelo
Diante do crescente poder dos militares, os velhos caciques
presidente.
políticos de São Paulo, do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais
(1912 a 1916) Guerra do Contestado: foi à revolta camponesa decidiram juntar forças em meados de 1931, exigindo a volta do
(movimento fanático religioso) devido à expulsão dos camponeses estado de direito, com uma Constituição imediata para o brasil. Pois
pelas empresas estrangeiras – população contra o governo, devido Getúlio havia nomeado um interventor militar pernambucano para
aos problemas sociais (falta de regularização de terras). governar São Paulo, e os paulistas queiram um civil paulistano no
poder. Para acalma os ânimos, foi nomeado o civil Pedro de Toledo
f. Presidente Venceslau Brás (1914 – 1918) para gerir São Paulo. Mas os paulistas passaram, então, a brigar pela
É durante seu governo que o Brasil toma parte da I Guerra realização de uma Assembléia Constituinte.
Mundial. O país enfrentava um crescimento intenso da atividade
industrial (surto industrial – indústrias de bens-de-consumo), que Revolução Constitucionalista/Paulista de 1932: com a junção de
formou um contingente expressivo de operários nos grandes centros forças entre os partidos Democráticos e Republicanos – Frente Única
(greve geral – melhorias de trabalhos). Paulista – e avolumou as tensões. Apoiados pelos industriais,
estudantes, intelectuais e políticos ligados à Velha República,
g. Epitáfio Pessoa (1919 – 1922) lutavam por uma Constituição, interventor civil e paulista para São
Segundo presidente (paraibano) eleito fora da política café Paulo, e com a intenção de derrubar Vargas e o controle do Governo
com leite. Federal – formação do “exército constitucionalista” – mas acabaram
sendo derrotados.
Tenentismo: movimento de rebeldia militar para tentar derrubar o
governo (queriam melhores condições de trabalhos). Em 1933, Getúlio convoca a Assembléia Nacional
Constituinte, colocando um interventor paulista em São Paulo, e
Seu período foi marcado pela Semana da Arte Moderno aplicando eleições com voto secreto e com a participação das
(1922) em São Paulo, com duras criticas aos políticos – jovens mulheres.
intelectuais modernistas (pequena burguesia).
 Governo Constitucional (1934 – 1937)
(1922) Revolta dos 18 do Forte de Copacabana: foi a 1ª rebelião Em julho, foi promulgada a Constituição de 1934, de caráter
tenentista contra a política café com leite. liberal. Estabelecia-se o princípio federativo, que garantia a
autonomia estadual. Em contrapartida, a União passava a ter maior
h. Artur Bernardes (1922 – 1926) influencia na esfera econômica e na social. As riquezas do subsolo e
Com uma grave crise econômica no governo, basicamente as quedas-d’água foram nacionalizadas, assim como os bancos e as
governou o país sob estado de sítio. asseguradoras. Os trabalhadores ganharam importantes mecanismos
de proteção, como a Justiça do Trabalho.
(1924) Revolta Paulista: foi a 2ª rebelião tenentista que tentara tomar
a cidade de São Paulo. Justiça do Trabalho: salário mínimo, a jornada de oito horas, férias
remuneradas e o descanso semanal.
Coluna Prestes (1925 – 1927): foi à marcha pelo interior do Brasil
para adesão para o movimento popular tenentista. Com a radicalização política entre grupos de esquerda e de
direita, com o crescimento de partidos nazifascistas e comunistas. No
i. Presidente Washington Luís (1926 – 1930) Brasil os conflitos foram entre os de direita – Ação Integralista
Sua política foi centralizada e pacífica, com a suspensão do Brasileira (AIB, caráter fascista) – e os de esquerda – Aliança
estado de sítio foi reaberto o Congresso Nacional – atenua a censura Nacional Libertadora (ANL, caráter comunista).
a imprensa e liberta os presos políticos.
Aliança Nacional Libertadora (ANL): lançou reformas, que pregava,
Lei Celerada: proibia o pensamento e o manifesto da ideologia entre outras coisas, a nacionalização imediata das empresas e a
anticomunista. suspensão do pagamento da dívida externa.

Para tentar salvar o Brasil da grande crise econômica, 1935 – Lei de Segurança Nacional: dava ao Estado poderes para
colocou em prática o plano monetário (troca da moeda), introduziu combater qualquer tipo de movimento considerado subversivo.
uma nova moeda (cruzeiro), mas acabou fracassando devido a Crise Fechou as sedes da ANL.
de 29.
Para a sucessão, alegando defender os interesses da (1935) Intentona Comunista: os aliancistas após o fechamento da
cafeicultura, Washington Luís lançou como candidato o governado ANL iniciaram uma insurreição político-militar. Ocorreram no Rio
de Janeiro, Natal e Recife.
de São Paulo, Júlio Prestes, do PRP. Ao indicar outro paulista,
contudo, rompeu com a política café com leite. Em represália, o PRM
O levante veio ao encontro dos planos de Getúlio, que usou o
foi para oposição e, com o apoio do Rio Grande do Sul e da Paraíba,
pretexto do perigo comunista para decretar estado de sítio, abolindo
compôs a Aliança Liberal, que partiu para a disputa tendo o gaúcho
as garantias constitucionais – o golpe.
Getúlio Vargas como candidato a presidente.
A Aliança Liberal tinha como reivindicações das forcas  Estado Novo (1937 – 1945)
democráticas de todo os país, como a defesa do voto secreto e da Em setembro de 1937, foi implantado o Plano Cohen
Justiça Eleitoral. (autogolpe) – tratava-se de um documento falso, atribuído ao Partido
Comunista. Dando assim a vitória da eleição para Getúlio Vargas.
República Nova (1930 – 1964) Inspirado no fascismo italiano e no salazarismo português, o
1) Era Vargas novo regime foi marcado pelo autoritarismo, pela supressão das
Em 9134, foi eleito presidente de forma indireta pela liberdades individuais e pela forte intervenção estatal. Com essas
Assembléia Constituinte, conforme previa a Carta promulgada bases de ideais Vargas outorgou uma nova Constituição de 1937,
naquele ano. Sob a liderança de Getúlio, o país viveu um período de conhecida como “polaca”, que dava a ele poder para dissolver o
desenvolvimento industrial, de aumento da participação popular na Congresso e nomear e substituir interventores; e suprimia a
política e de ampliação das leis trabalhistas. autoridade dos estados e extinguia os partidos políticos.
Foi marcado por avanços nas políticas sociais e econômicas. Sob pressão e abandonado politicamente, Getúlio se suicidou.
Durante o período, foram criadas e consolidadas garantias históricas Sua morte foi seguida de grandes manifestações populares.
dos trabalhadores, como salário mínimo e as férias remuneradas. A
nova legislação trabalhista foi unificada na Consolidação das Leis de c. Presidente João Café Filho, PSD (1954 – 1955)
Trabalho (CLT) em 1943. O novo mandatário da nação tentou conciliar os interesses
dos golpistas favoráveis à ditadura, dos conservadores antigetulistas e
Populismo: política calcada na figura de um líder que se coloca como dos que queriam manter a política nacionalista de Vargas.
benfeitor e realizador de todas as demandas da sociedade. (liberalismo econômico). Mas acabou sendo cassado.

Na economia conseguiu a ascensão da industrialização – de d. Presidente Juscelino Kubitschek, PSD (1956 – 1961)
1933 a 1939, e uma política protecionista e nacionalista – criou o Com um discurso desenvolvimentista, cujo lema era “50 anos
Conselho Nacional do Petróleo (CNP), a Companhia Siderúrgica em 5”, JK soube manobrar as diversas facções políticas e se
Nacional (CSN), a Vale do Rio Doce (CVRD) e o Instituto Brasileiro aproximou do Exército e da Aeronáutica. Durante seu mandato, os
de Geografia e Estatísticas (IBGE). operários ganharam concessões salariais, a classe media ficou
Entretanto seu governo passou por um período estagnado satisfeita com o progresso econômico e os setores industriais
devido a II Guerra Mundial, Getúlio enfrentou uma grave contradição puderam ampliar sua ação por meio da facilidade de crédito.
em seu governo: se, no plano exterior, lutava contra as ditaduras Focando na chamada “nacionalismo desenvolvimentista”.
nazistas e fascistas, internamente era, ele próprio, uma ditadura. Apesar do nome, a política de expansão industrial do presidente não
Prevendo a queda do regime, o presidente anunciou eleições gerais teve nada de nacionalista. Era de medidas de desnacionalização, com
(Ato Adicional) para o fim de 1945. a abertura do mercado ao capital estrangeiro, atraído pela ampliação
Devido às eleições gerais anunciadas por Vargas, houve o dos serviços de infra-estrutura. Com esses investimentos externos, JK
surgimento de outros partidos: oposição (UDN e PCB) e do PTB e estimulou a diversificação da economia nacional.
PSD.
Plano de Metas: privilegiou cinco setores – energia, transporte,
Queremismo: defendia a candidatura de Getúlio Vargas. alimentação, indústria de base e educação.

Em outro de 1945, os opositores deram um golpe, depuseram Em 1957, o presidente decidiu que o Brasil deveria ter uma
Getúlio e foram marcadas novas eleições. nova capital, que integrasse melhor todo o território e facilitasse o
desenvolvimento do inteiro. Nova capital – Brasília. Três anos depois
2) República Liberal da inaugurada, à custa de endividamento externo e emissão de papel
No período compreendido entre o fim do Estado Novo, em moeda, considerando que sua política econômica foi ocasionada ao
1945, e o golpe militar, em 1964, o Brasil viveu anos de transição e endividamento externo, associado à alta da inflação e ao consequente
de adaptação. A democracia havia substituído um sistema ditatorial, arrocho salarial.
mas o populismo dominou a maioria dos mandatos presidências, e as
forças de direita e de esquerda viveram em permanente e exacerbada e. Presidente Jânio Quadros, UDN (1961)
tensão. Nas eleições de 1960, o candidato do Partido Trabalhista
Nacional (PTN), Jânio Quadros, apoiado pela UDN, venceu a
a. Presidente Eurico Gaspar Dutra, UDN (1946 – 1951) disputa.
Dutra tomou posse em 1946 e instalou a Assembléia Em seu governo aplicou a austeridade na economia,
Constituinte. Em setembro, foi promulgada a quinta Constituição restringiu o crédito e congelou salários. Adotou uma política externa
brasileira. Mais democrático, o texto estabelecia cinco anos de independente daquela ditada pelos EUA, em defesa da soberania
mandato para o presidente, garantia a liberdade de expressão e nacional. Pressionado com a explosão de denuncias, segundo as quais
concedia ampla autonomia administrativa e política a estados e apoiaria o comunismo, Jânio renuncia, em agosto de 1961.
municípios. No plano econômico, Dutra optou por adotar o
liberalismo, abrindo o país às importações. Entre as consequências f. Presidente João Goulart – Jango, PTB (1961 – 1964)
dessa estratégia, houve um gasto exorbitante das reservas nacionais, Nessa época, a situação econômica do país era difícil. O
registrando quase uma paralisação do processo de industrialização déficit governamental e a taxa de inflação cresciam mensalmente e as
nacional. Para tentar solucionar o problema da inflação, adotou um receitas das exportações só diminuíam.
plano.
Plano Trienal: propunha uma taxa de crescimento de 7% ao ano e a
Plano Salte: intervenção na economia prevendo investimentos em redução drástica da inflação por meio de empréstimos externos e da
saúde, alimentação, transporte e energia. renegociação da dívida – fracassou.

Missão Abbink: missão americana veio para orientar Reformas de Base: tentativas de reestruturação nas áreas (agrária,
economicamente o Brasil a retomar o desenvolvimento (total bancária, eleitoral e fiscal).
liberdade econômica aos capitais externos) e a combater a inflação
(mais impostos e redução de salários). Em 1963, Jango mobilizou suas forcas políticas para a
campanha pelo retorno do presidencialismo no novo plebiscito
b. Presidente Getúlio Vargas, PTB (1951 – 1954) popular sobre a forma de governo, que já estava previsto na emenda
Voltando ao poder nas eleições de 1950, com um caráter constitucional de 1961.
nacionalista de seu governo. Continuou com o processo de Passando por um período de intensa radicalização política: de
industrialização. Inaugurou o Banco Nacional de Desenvolvimento um lado, greves e manifestações populares a favor das propostas do
(BNDE) e promoveu a estatização da produção elétrica. Com dois presidente; de outro, adversários de oposição, que responsabilizavam
grupos antagônicos: Progressistas, formados pela classe média, o governo pela crise econômica e acusavam Jango de estar
sindicatos, comunistas, PTB e PSD (nacionalistas), e os preparando um golpe comunista. (a favor – comício no Central do
Conservadores, formados burguesia, imprensa e militares. Brasil; opositores – Marcha da Família com Deus pela Liberdade).
Em 1952, Vargas envia ao Congresso o projeto de No dia 31, tropas do Exército ocuparam as ruas das principais
nacionalização do petróleo. Dando assim em 1953 a criação da cidades do país, destituindo Jango e implantando um longo e
Petrobras. lamentável regime militar no Brasil.
Em 1954, no Rio de Janeiro, um atentado contra o jornalista
Carlos Lacerda, com a morte de um major da aeronáutica, fez com
que o governo perdesse muito de sua base aliada, num processo Fim da República
conturbado que atingiu seu ápice com a divulgação de um manifesto Início da Ditadura Militar
dos militares que exigia a renúncia do presidente.
Ditadura Militar (1964 – 1985) As forças policiais e militares passaram a ter carta branca
Foi marcada pela ruptura do regime democrático, por forte para prender opositores sem precisar de acusação formal nem
centralismo e autoritarismo, pela cassação dos direitos políticos de registro.
opositores e pela violação das liberdade individuais.
c. Presidente Médici (1969 – 1974)
 O Golpe Conhecido como “anos de chumbo”, o mandato de Médici foi
Em 1961, o Brasil mergulhou numa agitada crise institucional caracterizado pela multiplicação das acusações de tortura e de
causa pela renuncia do presidente Jânio Quadros, ainda no começo desaparecimento de opositores.
do mandato. O vice, João Goulart, sofria intensa oposição de Enquanto isso, o regime apelava ao ufanismo, tentando criar
militares e dos conservadores e só pôde assumir o governo após uma a imagem do “Brasil Grande” com projetos megalomaníacos, como a
manobra no Congresso que levou a adoção do parlamentarismo, rodovia Transamazônica. De fato, entre 1969 e 1973, o Brasil viveu o
limitando o poder do presidente em favor do primeiro-ministro. “milagre econômico”, crescendo, em média 11,1% ao ano. A uma
Porém, ao vencer um plebiscito popular sobre o tema, em 1963, política de investimentos no setor financeiro, a subsídios e incentivos
Jango restabeleceu o presidencialismo, retomando o controle da fiscais para a indústria e agricultura, à imposição de um arrocho
nação. salarial, ao apoio às exportações e a intensos empréstimos no
O país enfrentou, então, um período de radicalização política, exterior.
com greves e manifestações pelas reformas de base propostas pelo Mas foi abalado pelo 1º Choque do Petróleo, que afetou a
presidente. Além disso, vivia-se uma intensa crise econômica. No dia economia mundial. Com isso o Brasil teve um salto vertiginoso de
31 de março de 1964, o Exército ocupou as ruas das principais sua dívida externa, que passou de 3,5 bilhões para 17 bilhões de
cidades do país anunciando a destituição de Goulart. O pretexto foi o dólares.
combate à “ameaça comunista”, à corrupção e à crise político-
econômica brasileira. d. Presidente Ernesto Geisel (1974 – 1979)
No dia 1 de abril de 1964, uma junta militar assumiu o Enfrentou dificuldades econômicas e políticas. A oposição se
controle ad nação no lugar de Jango. Seguiu-se uma onde de fortalecia, provocando temores na cúpula militar pela estabilidade do
repressão, que atingiu entidades como a União Nacional dos regime.
Estudantes (UNE), a Central Geral dos Trabalhadores (CGT) e as Um ano depois, foi editada a Lei Falcão, mesmo assim a
Ligas Camponesas. Os militares passaram a decretar os Atos oposição venceu as eleições legislativas. Em 1977, ante a iminência
Institucionais (AI), utilizados para dar força de lei às suas ações. de nova derrota eleitoral, Geisel fechou temporariamente o
Congresso e editou um conjunto de regras eleitorais conhecida como
Cassou mandatos e suspendeu a imunidade Pacote de Abril. Entre as principais mudanças estavam à ampliação
AI – 1 parlamentar, a vitaliciedade dos magistrados, a das bancadas do Nordeste na Câmara dos Deputados – o que garantia
(09/04/1964) estabilidade dos funcionários públicos e outros maior parlamentar à Arena –, o aumento do quórum para mudar a
direitos constitucionais. Constituição de 50% do parlamentares para mais de dois terços e a
criação do senador biônico: dos três senadores de cada estado, um
a. Presidente Castello Branco (1964 – 1967) passou a ser escolhido pelos deputados estaduais.
O militar assumiu com a promessa de que a intervenção seria
curta e o poder voltaria aos civis logo que o país superasse os Lei Falcão: proibia debate político na imprensa. Visava impedir uma
problemas que levaram ao golpe. nova vitória do MDB em 1976.

Estabeleceu a eleição indireta para presidente, Em 1977, o regime assistiu ao ressurgimento do movimento
AI – 2
extinguiu partidos políticos e permitiu ao estudantil e das greves.
(27/10/1965)
Executivo cassar mandatos.
e. Presidente João Figueiredo (1979 – 1985)
O presidente também instituiu o bipartidarismo com a A gestão de seu mandato manteve o processo de abertura que
Aliança Renovadora Nacional (Arena), de situação, e o Movimento culminaria na redemocratização. Em 1979, o presidente decretou a
Democrático Brasileiro (MDB), de oposição. Lei da Anistia, que permitiu a libertação e a volta ao país dos
Também criou o Serviço Nacional de Informações (SNI), opositores do regime.
uma especial de polícia política. No mesmo ano, o pluripartidarismo foi restabelecido e, em
1980, desapareceu a figura do senador biônico e foram restabelecidas
AI – 3 Fixou eleições indiretas para governador, vice- as eleições diretas para governador.
(05/02/1966) governador, prefeito e vice-prefeito.
Diretas Já: movimento estudantil que visava às eleições diretas para a
Fechou o Congresso e determinou as regras para presidência.
AI – 4 aprovação da nova Constituição, ampliando os
(07/12/1966) poderes do presidente e reduzindo ainda mais os do O PMDB e uma dissidência do PDS, ligado à ditadura,
Legislativo. formaram a Aliança Liberal e lançaram o governador de Minas
Gerais Tancredo Neves como candidato a presidente no Colégio
No plano econômico, Castello Branco implementou o Plano Eleitoral. Após sua vitoria, três dias antes da posse acabou falecendo
de Ação Econômica, cuja principal meta era conter a inflação. Para sem assumir. A presidência foi ocupada por seu vice, José Sarney e
isso, cortou os gastos públicos e aumentou impostos. marcou o fim do longo regime militar.
b. Presidente Costa e Silva (1967 – 1969) Fim da Ditadura Militar
Em seu mandato, a oposição se acentuou e as manifestações Início da Nova República
pelo fim do regime se multiplicaram. Em junho, uma manifestação Nova República (1985 – 1990)
organizada pela UNE contra a ditadura, a Passeata dos Cem Mil, Com o fim do regime militar, o Brasil voltou a escolher
tomou o centro da capital. diretamente seus governantes. Os presidentes que se seguiram à
Com o fechamento do Congresso, foi decretado a AI – 5, ditadura tentaram resolver a profunda crise econômica que emperrava
iniciando uma fase mais dura do regime. o crescimento do país, adotando uma sequência de planos
econômicos.
Deu ao presidente plenos poderes para cassar
mandatos, suspender direitos políticos, demitir e a. Presidente José Sarney, PMDB (1985 – 1990)
AI – 5
aposentar juízes e funcionários; acabou com a Os desafios iniciais do presidente não eram poucos: realizar a
(13/12/1968)
garantia do habeas corpus; ampliou e endureceu a reforma constitucional, estabilizar a economia e retomar o
repressão policial e militar. crescimento. Tudo num quadro de recessão e de inflação alta. Sarney
revogou a legislação autoritária herdada dos governos militares, O efeito multiplicador foi forte o suficiente para que o país
tomando medidas como o restabelecimento da eleição direta para a atravessasse sem grandes turbulências a crise global de 2008, que
Presidência da República e a convocação de uma Assembléia derrubaria economias pelo mundo afora, graças ao fortalecimento do
Nacional Constituinte. mercado interno. O segundo governo Lula também seria beneficiado
Para tentar conter a inflação, o presidente lançou, em 1986, o pela vigorosa alta das commodities agrícolas, impulsionadas pela
Plano Cruzado. Os preços foram congelados e os salários, abertura ao mercado consumidor chinês.
reajustados. Foram protelados e a economia se desequilibrou. Até o
fim do mandato apresentou mais três programas de estabilização:
Plano Cruzado II, Bresser e Verão, todos sem sucesso.
Em 1988 foi promulgada a nova Constituição, que ampliou
os direitos individuais e coletivos.

Fim da Nova República


Início do Brasil Neoliberal
Brasil Neoliberal (a partir de 1990)
a. Presidente Fernando Collor de Mello, PRN (1990 – 1992)
Logo que assumiu a Presidência, em março de 1990, Collor
lançou seu programa de estabilização, o Plano Collor, baseado no
confisco monetário de contas-correntes e de poupanças e no
congelamento de preços e salários.
A inflação, contudo, logo voltou a crescer, levando à nova
situação de instabilidade. O quadro se agravou com o surgimento de
suspeitas de envolvimento de ministros e altos funcionários em uma
grande rede de corrupção. Em maio, o Congresso instalou uma
comissão parlamentar de inquérito (CPI) para averiguar o caso e
voltou o Impeachment (destituição) presidencial.

Caras Pintadas: movimento estudantil contra a corrupção no governo,


e a favor a saída de Collor, queriam o Impeachment.

b. Presidente Itamar Franco, PMDB (1993 – 1994)


Em dezembro de 1992, Itamar Franco herdou o mesmo
problema prioritário: o combate à inflação. Em julho de 1994,
anunciou o Plano Real (ideia de FHC, ministro da fazenda), novo
plano econômico anti-inflacionário que, entre outras disposições,
mudou o nome da moeda para real, com valor cambial fixado em
estrita paridade com o dólar – funcionou.

c. Presidente Fernando Henrique Cardoso, PSDB (1995 – 1999)


Apresentado como idealizador Plano Real, FHC elegeu-se
presidente no primeiro turno, passando a praticar uma política
neoliberal, que defende a intervenção mínima do Estado na
economia, com medias como a privatização de empresas estatais,
principalmente das áreas de siderurgia, mineração e
telecomunicações.
O presidente deu continuidade ao Plano Real, promovendo
ajustes econômicos para manter a inflação em níveis baixos. Mas
surgiram sinais de recessão, o que levou o governo a adotar uma série
de medidas para estancar a saída de divisas, como o aumento da taxa
de juros. Em 1999, no início do seu segundo mandato, FHC adotou o
câmbio flutuante, promovendo uma grande desvalorização do real,
com vista a incentivar as exportações e a equilibrar as contas
públicas. Seu palano aprofundou o desemprego, a desnacionalização
da economia e a concentração de renda.

d. Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, PT (2003 – 2010)


Principal nome da esquerda nacional, Lula encarnava a
vontade de mudanças do eleitorado. O pretexto de garantir a
tranquilidade econômica, Lula manteve os princípios adotados por
seu antecessor. A contenção da inflação, por meio da obtenção de
altos superávits primários e juros elevados, impediram o
investimento na produção e manteve o freio no crescimento.
No âmbito político, em meados de 2005 surgiria o mais grave
escândalo político de seu governo, chamado de mensalão, que levaria
seu governo à pior taxa de avaliação.
Em sua segunda gestão, marcada pela deliberada expansão do
Estado e por uma agressiva política redistributiva de renda, o Brasil
viveria anos de crescimento, avanços sociais e relativa tranquilidade
política.
O segundo governo de Lula enfrentou a desigualdade
econômica por meio da ampliação de programas sociais como o
Bolsa Família, herdado do governo de seu antecessor, FHC, alem da
política de valorização do salário mínimo com reajustes acima da
inflação.

Interesses relacionados